Page 1

Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

1

www. g a ze ta d a l a g o i n h a . co m . b r

O J o rn a l d o C o m p l exo d a La g o i n h a ! ANO V ­ EDIÇÃO 79 ­ JORNAL DE APOIO ÀS INICIATIVAS COMUNITÁRIAS ­ BELO HORIZONTE, 1º A 7 DE NOVEMBRO DE 2013 ­ Distribuição Gratuita

Academia Ray Fitness, a mais nova opção em equipamentos de última geração. Pág. 2.

Edson Moreira estreia sua coluna aqui no Gazeta da Lagoinha. Pág. 23

sobre em rg ve di as ri itá un m co as nç ra de Li o construção de Centro Administrativ

Empresário Miranda, da Furacão Ventiladores, recebe Título de Cidadão Honorário de Belo Horizonte. Pág. 26


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Espaço do leitor

Quer falar com a gente? Suges­ tões, reclamações, opiniões: es­ creva para o nosso e­mail gazetadalagoinha@ymail.com, ou ligue 9115­2022 / 9326­6034. IAPI 1 Oi pessoal da Gazeta da Lagoinha. No mês passado eu mandei um e­ mail para vocês mas não foi publica­ do. Talvez tenha sido a reclamação que fiz, mas vou fazer de novo: que­ ro fazer uma reclamação do Caixa Aqui, que funciona na loja da Cléo. O Caixa Aqui está sempre fora do ar, tem lentidão no atendimento, sempre tem fila. O atendimento fica a desejar, principalmente pra gente que precisa desses serviços. Como moradora, aguardo por melhoria. V.B, moradora do Edifício 5. IAPI 2 Quero falar da falta de respeito e fi­ delidade dos donos dos bares do Conjunto IAPI com os moradores daqui. A gente acha que tem bar certo para ir nos fins de semana, já que eles estão dentro do conjunto, mas os bares daqui não estão pres­ tando pra servir a comunidade. Não podemos contar com a abertura de­ les e às vezes nem com a qualida­ de. O Bar do Neném abre quando quer e não tem compromisso com seus clientes. O do Mendonça tam­ bém. Um tanto de gente está recla­ mando. Acho que os bares podem

ser melhores. E oferecer mais com­ promisso e melhor qualidade para nós, que temos eles pra ir. O pesso­ al aqui do prédio vai porque gosta mesmo. A gente gosta. Mas não pre­ cisam esculachar com a gente. J.T, B.R.J, L.B.A, moradores dos Edifícios 8, 2 e 7 Centro Administrativo Parabéns à Gazeta da Lagoinha pe­ la última edição, que abordou as opiniões das pessoas sobre a cons­ trução do Centro Administrativo aqui no bairro. Só depois de muita con­ versa é que poderemos chegar a um “denominador comum”. Fábio Figueira, morador da rua Bonfim Complexo da Lagoinha O sistema Av. Antônio Carlos/Elevado da Lagoinha é a prova mais cabal do desrespeito ao dinheiro público de quantas há neste país. É como querer ligar um cano de 10 polegadas de diâmetro a um cano de 1/2 polegada... Fez­se o alargamento da Avenida para dar vazão ao trânsito: e criou­se um funil, que só faz piorar a situação. De táxi, não se vai da Antônio Carlos à Afonso Pena em menos de meia hora... E ainda estão falando em alargar a Pedro II. Para quê? Para torrar mais um pouco (???) da grana do povo à toa! Francisco Zerlottini

2

Editorial

Para não perder de vista


Belo Horizonte, 1ยบ a 7 de novembro de 2013

3


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Fal

! a h n i o a La g

Você concorda com a construção do Centro Administrativo da cidade no bairro Lagoinha, embora será necessária a desapropriação de alguns imóveis?

4


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Uma festa com requinte, glamour e convidados mais que especiais

5

Familiares e amigos sempre se reúnem para comemorar o aniversário mais esperado do ano

Trânsito na Lagoinha pode piorar com inauguração do Move

Moradores terão ‘aulão’ sobre nova sede Encontro vai discutir impacto de um centro administrativo


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

6

Confira aqui o horário do seu ônibus! A influência do seu signo

Linha 9402 ­ Santo André/Santa Inês/Via Rua Itapecerica, Pedro Lessa e Mendes de Oliveira

Linha 4032 ­ Caiçara/Savassi ­ Via Lagoinha (Rua Além Paraíba)

Linha 4106 ­ São Cristóvão/Savassi/Santo Antônio

Para mais detalhes acesse o Portal da BHTrans (www.bhtrans.pbh.gov.br) e na tela de entrada você localiza um campo para inserir o número da sua linha e pesquise por horários e itinerários. Além deste recurso, você encontra muitos outros para facilitar a sua vida. Fonte: BHTrans


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

7

Tita e a seleção

AQUI NO BAIRRO COLÉGIO BATISTA ENTRE AS RUAS SABARÁ, GALENA, ITAGUARA, GANHÃES E GRANATA E PRAÇA JOÃO BALBINO VOCÊ ENCONTRA UM GRANDE COMÉRCIO COM VÁRIAS LOJAS E GRANDES NOVIDADES. VENHA CONFERIR!


Belo Horizonte, 1Âş a 7 de novembro de 2013

8

Sociedade "É a Lagoinha com seus peixes­cidades em cardume certo de onde vejo as luzes centrais de perto"

Cristiane Borges

cristianeborges@ymail.com


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Prefeitura de BH estuda mais outros dois locais para centro

Em setembro deste ano, reportagem revelou um decreto do Executivo auto­ rizando a desapropriação de cerca de 20 imóveis na região da Lagoinha

9

O Pitangui dos meninos de ontem e de hoje


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

10

O Bom Mineiro agora é Supervarejista, a mais nova rede de lojas do varejo alimentar da Grande BH

Ofertas e promoções imbatíveis! Venha conferir!


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

11

Música

Palcos & Bastidores Geraldo Adinho ­ Jornalista, Publicitário, Músico e Editor do Jornal Correio Musical

A todo vapor

Associação do IAPI

Juninho do IAPI ­ Presidente | associacaodoiapi@gmail.com | Acompanhe nossas atividades pelas redes sociais facebook.com.br/associacaodoiapi twitter: @iapivivo 31.85063190 | 30418283

Steve Vai (à direita) e U2 (acima).

Moradores querem Lagoinha viva

O rei Roberto.

Lana Del Rey.


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

12

Comunidade

A nossa Lagoinha! Milton Kabutê ­ Colunista

miltonkabute@gmail.com

História na Lagoinha

Minha opinião Pedro Vinícius ­ Historiador

lagoinhahistoriap@gmail.com

UFMG promove seminário sobre interdisciplinaridade


Belo Horizonte, 1ยบ a 7 de novembro de 2013

13


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Reestruture seus cabelos com tratamentos antigos. Montagem com boobs, escova, corte, tintura, luzes, balaiage, mechas, hidratação. Pedicure, manicure e sobrancelhas. Ligue e marque seu horário. Aceitamos VISA e Master. Vera e Vivian.

Atendemos em domicílio pessoas com difícil locomoção.

14

Instituto Pedra Viva é semi­finalista do Prêmio Itaú ­ Unicef


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Pampulha, Lagoinha e Santa Tereza serão os mais afetados

15

Projeto permite construções mais altas em áreas de preservação

­ Taxa exame médico e psicotécnico ­ Curso teórico completo ­ Taxa de exame de legislação ­ Licença de aprendizagem ­ Taxa de exame de direção ­ Aulas de direção em carro ­ Aulas de direção em moto ­ Aulas de direção em ônibus ­ Exame veicular ­ Exame de direção em moto ­ Aluguel veicular ­ Curso para renovação de CNH Documentos necessários: Identidade, CPF, comprovante de endereço.

Parcelamos sua carteira em até 12 x nos cartões Mastercard, VISA, American Express, Diners Club International, Hipercard, RedeShop e Visa Electron.

SUPER PROMOÇÃO DE INAUGURAÇÃO! VENHA CONFERIR!


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

16

Não perca aos sábados de 16 às 18 horas na Rádio América AM 750 um programa que conduz à Cristo com o Padre Mário José Neto.


Belo Horizonte, 1ยบ a 7 de novembro de 2013

17


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Pesca & Cia.

O pescador competente

Betão ­ Colunista ­ betao.lagoa@gmail.com ­ 9404­4288/9947­3785

18

Opinião

A cidade, o ser humano e o deus automotivo Antônio de Pádua Galvão ­ Economista e Psicanalista www.galvaoconsultoria.com.br

Rio Paracatu, Outubro de 1976. Turma: Betão, Marcão, Nestor (in memorian), Serjão, Paulinho e Pipico.

Nas primeiras pescarias fei­ tas no Rio Paracatu em 1976 as tur­ mas eram duas: a dos mais velhos e a dos novos, e eu, claro, fazia parte dos novos. As turmas sempre acampa­ vam na beira do rio onde o Gonçalo barranqueiro tinha um rancho com seus 11 filhos e era uma pessoa que nos dava todo apoio na pesca e acam­ pamento, ajudava montar e limpar os peixes. Ele usava uma técnica pouco convencional, a modalidade de pesca que gostava muito consistia em captu­ rar os peixes que costumava ficar em repouso nas partes de águas mais ra­ sas, com a utilização de um instrumen­ to chamado de fisga. Só que ele era tão compe­ tente que logo substituiu a fisga por um canivete dos grandes. Melhor ainda foi quando Gonçalo treinou uma gata pin­ tada que havia no rancho a ajudar na tarefa de apanhar os peixes. A felina percorria as margens observando com a competência de grande caçadora e, com saltos rápidos e tapas certeiros,

jogava para a praia os peixes distraí­ dos que eram imediatamente recolhi­ dos por ele. Além de bom pescador Gonçalo tinha muita sorte. Numa tarde ele armou uma grande arapuca às margens do rio numa praia com o ob­ jetivo de pegar uma perdiz ou outra ave de grande porte que servisse para melhorar a qualidade do nosso almo­ ço. No dia seguinte quando fo­ mos conferir a arapuca, notamos que as águas haviam subido, porque era época de cheia, e a mesma estava parcialmente submersa. A maior surpresa foi encon­ trar no seu interior um piau que certa­ mente, entrou e acabou desarmando o gatilho da arapuca. Foi uma farra só de gritos e alegria desse acontecimento, digo a você leitor, eu estava lá e o piau pesou dois quilos e meio. Nesta pescaria pegamos vinte e quatro surubis (muleques) entre cinco e oito quilos e dois dourados de oito quilos: uma excelente pescaria.

(31) 9956­9161


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

19

Associação dos Moradores da Vila Senhor dos Passos

Vila Senhor dos Passos: um canteiro de obras! José Iran Martins ­ Presidente

Telefones úteis AA Alcóolicos Anônimos (31) 3224­7744 Aeroporto Carlos Prates (31) 3462­6455 Aeroporto Confins ­ (31) 3689­2344 Aeroporto Pampulha ­ (31) 3490­2000 AGIT­Agência de Empregos 0800­319­020 Auxílio à Lista ­ 102 Bombeiros ­ 193 CEASA 0800­315­859 CliDEC (31) 3236­2100 CEMIG ­ 0800 310 196 COPASA ­ 195 Correios ­ 159 Corpo de Bombeiros ­ 193

facebook.com/vilasrdospassos

CVV ­ Centro de Valorização da Vida ­ (31) 3334­4111 e 3444­1818 ou 141 Defesa Civil 199 DETRAN/ MG ­ (031)3236­3501/3525 Disque Direitos Humanos ­ 0800­311­119 Disque Ecologia ­ 1523 Disque PROCON ­ (31) 3277­4548 /9503 /4547 ou 1512 Disque Turismo ­ 1677 GAPA/MG ­ (31)3271­2126 MG Transplantes (Doação de órgãos) ­ (31) 3274­7181 Movimento das Donas de Casa e Consumidores ­ (31) 3274­1033 Ibama ­ 0800­618­080 Polícia Civil ­ 197 Polícia Federal ­ (31) 3330­5200

Polícia Militar ­ 190 Polícia Rodoviária Estadual (31)2123­1901 Polícia Rodoviária Federal ­ (31 ) 3333­ 2999 Prefeitura Municipal ­ 156 Pronto Socorro ­ 192 Pronto Socorro (HPS João XXIII) ­ (31)3239­9200 Receita Federal ­ 0300­780­300 SENAC ­ 0800­724­4440 SINE­MG ­ (31) 2123­2415 SOS Criança (Centro de Referência ­ Denúncia) ­ 0800 283 1244 Sudecap Disque Tapa­ buraco ­ (31)3277­ 8000

Matrículas abertas com preço promocional para 2014


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

20

Associação Recreativa e Comunitária dos Amigos do Bonfim

Pela Requalificação e Revitalização!

Selma Cândida ­ Presidente Prezados leitores, quero externar meu agradecimento a você que sai de sua casa deixando seu conforto para estar nas reuniões bus­ cando colaborar para melhor qualida­ de de vida da comunidade. Outrossim, expressar a nossa posi­ ção quanto a movimentos que se in­ surgem em nossa região e deixar claro que não fazemos parte deste movimento cuja palavra de ordem é não... não... Verdadeiros lideres do Movimento que luta há anos pelo es­ paço onde vivemos, pelo Complexo da Lagoinha. A ARCA­Bonfim quer ser coerente com suas ações. Colocar em pauta a realidade do espaço on­ de vivemos. Somos porta de entrada da região Noroeste entre duas aveni­ das importantes, Avenidas Pedro ll e Antônio Carlos, e vítimas da degra­ dação. É verdade que a Lagoi­ nha/Bonfim sempre foram e estão abandonados há décadas pelos nos­ sos governantes. Hoje enxergamos uma luzinha se acendendo a nosso favor em prol da revitalização da re­ gião. O tradicional comércio local so­ brevive a todas as provas de dificuldades e a população tem de conviver em um local dominado por usuários de drogas, mendigos, lixo, uma imundície, ladeados por case­ bres tombados pelo patrimônio histó­ rico, que estão se deteriorando pelo tempo e servindo para uso de vários ilícitos. A predominante falta de segu­ rança e um sistema viário caótico. Todos pedem a Revitalização da La­ goinha que não seja só uma maquia­ gem. Estivemos com o prefeito em setembro quando nos falou sobre o Centro Administrativo, em seguida fi­ camos sabendo pela imprensa, do decreto de vinte áreas que seriam desapropriadas. Em decorrência des­ ta notícia, passaram a alarmar toda comunidade com discursos terroris­ tas, implantando medo, insegurança e tensão junto aos moradores e co­ merciantes da região, anunciando que o Bairro Bonfim seria extinto pa­ ra dar vazão ao Centro Administrativo (mentira), causando um desconforto e um estado de revolta, alimentado por algumas lideranças e políticos servindo da mídia para isto. Ninguém tinha o conhecimento deste projeto, nem tampouco o local verdadeiro da sua implantação. Sabíamos somente da divulgação do decreto. Fica a per­ gunta: a quem interessa tudo isto? A políticos adversários? A um domínio de território? Ou uma pré­ candidatu­ ra? Estão pensando na região como um todo ou no próprio umbigo? ACORDA BONFIM! ACORDA LA­ GOINHA! O fato é que, não tivemos mais tranquilidade. Protocolamos e enviamos ofício ao Prefeito e seus representantes, pedindo esclareci­ mentos no dia 09/09/13 e em respos­ ta recebemos um ofício com informações sobre Centro Adminis­ trativo (ver relatados em matéria an­ teriores de setembro e outubro).

arcabonfim@gmail.com

Atendendo solicitações dos representantes dos moradores do Complexo da Lagoinha, O Prefei­ to Márcio Lacerda convocou as lide­ ranças, que representam os moradores do Complexo da Lagoi­ nha, para uma conversa referente ao assunto Centro administrativo no dia 23 de outubro de 2013 as 18 horas. Estiveram presentes as lideranças do complexo, Lagoinha, IAPI, Bon­ fim, Vila Senhor dos Passos, Pedrei­ ra Prado Lopes, Santo André, Representante da CDL, Movimento Lagoinha Viva, onde todos tiveram a oportunidade de fala. (Dá para en­ tender...) foi necessário que o prefei­ to provocasse o debate, para que se iniciassem as trocas de farpas, para resumir a maioria dos representantes se colocou a favor do Centro Admi­ nistrativo (7x2). Na reunião o Prefei­ to, confirmou o que já tinha dito no oficio enviado a todos os represen­ tantes. Nas palavras do prefeito marcio lacerda: aliado a questões de mobilidade urbana, o referido centro administrativo tem a previsão de ser construído em local próximo a esta­ ções do metrô e de do BRT, ressalto ainda, contudo, que a área necessá­ ria para a construção não esta defini­ da. Os lotes a serem possivelmente desapropriados são fruto preliminar que poderá ser modificado, visa ape­ nas evitar uma possível especulação imobiliária. Todas estas providências viabilizarão a demanda histórica de revitalização da lagoinha de todo o conjunto urbanístico e arquitetônico da região.” A prefeitura lançara um concurso público de arquitetura e ur­ banístico para projetar a construção do centro administrativo e a revitali­ zação do entorno. Tudo confirmado. Logo após aproveitou o momento para apresentar para as 58 lideranças o novo Plano de Opera­ ção Urbana Consorciada, a chamada NOVA BH. É um instrumento do es­ tatuto da cidade que permite a pre­ feitura ordenar e direcionar o crescimento da cidade para áreas especificas. Todos que ali estavam se manifestaram satisfeitos com o projeto apresentado (incluindo quem se manifesta contra em reuniões na Igreja) e que segundo o Prefeito se­ ria apenas o início e as dúvidas e fu­

turas intervenções seriam discutidas em encontros junto as Regionais. O Projeto é uma Operação Urbana que envolverá o Desenvolvimento Urbano Ordenado de quase 25 km² da cida­ de, nas regiões do corredor das Ave­ nidas Pedro l, Antonio Carlos, e corredor leste–oeste, que inclui as avenidas dos Andradas, Tereza Cris­ tina e a Via Expressa. O objetivo do projeto é promover o renascimento urbano em áreas importantes da ci­ dade, especialmente a Lagoinha e o Centro Histórico. Recuperar o Pa­ trimônio Histórico e Cultural já exis­ tente e implantar novos equipamentos culturais e de lazer, le­ var investimentos para áreas despro­ vidas de infraestrutura urbana adequada, especialmente para aque­ las próximas à Avenida Antonio Car­ los. Esta operação Urbana foi dividida e apresentada por setores. O setor 6 é o que corresponde a Revi­ talização da Lagoinha. O coeficiente de aproveitamento que determina quanto e como o espaço será ocupa­ do, na Lagoinha mudará pouco, pas­ sando de 1,2 para 1,5, as casas antigas da Lagoinha será inserida como preservação l e ll . O diálogo com a comunidade continua; antes do encaminhamento do projeto de lei para a câmara de vereadores, ele será debatido em uma nova rodada de reuniões públicas. Projeto a ser executado em longo prazo. Como as surpresas ainda não haviam acabado, quando foi passada a palavra aos presentes, ti­ vemos por parte de um ferrenho combatente das ideias do prefeito, em diversas reuniões em área religi­ osa, só elogios ao projeto apresenta­ do e ao mesmo. (dá para entender?!!!). Logo depois… Percebemos depois da apresentação do Projeto de Opera­ ção Urbana ­ a Nova BH ­ que as melhorias passarão pelos corredores das principais avenidas, passando pelas Vilas: Pedreira Prado Lopes, Senhor dos Passos e entroncamento da Lagoinha, indo para o Boulevard Oeste. A nossa preocupação é quanto à degradação existente; ou seja, que esta venha se esconder no interior do Bairro Bonfim. É necessá­ rio ter cautela na condução do deba­ te sobre o tema. Esclarecemos que

buscamos a melhoria das condições de vida num processo democrático e do diálogo e que a sociedade fique satisfeita.

certeza, um irá depender do outro para o total sucesso de ambos. Que o moderno e o antigo possam intera­ gir.

A ARCA­bonfim represen­ tando os moradores do Bonfim e adj­ cências, defensora da Requalificação e Revitalização do Bairro, e contando com a maioria das opiniões dos mo­ radores do Bairro Bonfim e Comple­ xo da Lagoinha favorável ao Centro Administrativo, pois acredita que com

Aguardem e venham en­ grossar as fileiras para defender os interesses da comunidade. Continu­ amos atentos aos acontecimentos. Nossas reuniões estão sendo reali­ zadas no Centro cultural, Nem­secos a Rua São Salvador, nº 9,a primeira terça­feira do mês, as 19:00 horas.


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Associação Lagoinha Viva!

Sentimento de uma moradora Oscar Fernandes ­ Presidente associacaolagoinhaviva@gmail.com

Movimento Lagoinha Viva

Projeto de revitalização dos bairros Lagoinha e Bonfim

21


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

22

Associação Cultural Recreativa e Desportiva Santo André

Movimento Lagoinha Viva: uma farsa que precisa ser desfeita Jairo Nascimento ­ Presidente

acrdsantoandre@yahoo.com

Associaçao Jornalística, Comunitária e Cultural Fala Pedreira

"Que sejam os vivos dignos dos mortos"

Robson da Costa Meira ­ Presidente


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Local para o complexo não está definido

23

Opinião & Comunidade

Saudoso Braúna Delegado Edson Moreira ­ Vereador PTN/BH­ Especialista em Segurança Pública pela UFMG

Enquanto aguarda definições e debate assuntos moradores estão an­ gustiados com a possibilidade de desapropriação. Foto: MDS Diomen­ des VideoProduções.


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Eucatex Standard 18 L Branco e gelo somente

R$ 129,90

24

TUDO EM ATÉ 3X NO CARTÃO!

LINHA COMPLETA CORAL E TAMBÉM QUALYVINIL, EUCATEX, SHERWIN WILLIAMS E SUVINIL! Realcril 18 L Branco Econômica Baixo odor

R$ 92,90

Selador acrílico Qualyvinil 18 L

R$ 49,90

Novo sistema tintométrico Mais de 500 cores à sua disposição! PREÇOS ESPECIAIS


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

25

Plafon HDM em PVC REDONDO 2KE­27 ­ 2 BOQUILHAS DE LOUÇA ­ 25CM

R$ 9,90

Luminária de emer­ gência ECP 30 leds

R$ 24,90

Fio cabo flex 2,5mm rolo de 100M

R$ 69,

80

Escada alumínio 7 degraus

R$ 199, Tubo Esgoto PEAD 100mm

R$ 139,90

Ventilador de teto com controle remoto sem fio

unid.

R$ 29,90

90

unid.

Tudo em materiais elétricos, hidráulicos e ferragens em até 3x no cartão

Idosos que vivem em instituições de longa permanência

Melhor Idade

Elzimar de Paoli ­ Psicóloga/Gerontóloga elzimarpsicologa.blogspot.com 8827­4761


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Condecoração de Cidadania Honorária de Belo Horizonte do Jurandi Hubner de Miranda

26


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Moradores da Lagoinha e Conjunto IAPI pedem soluções para criminalidade na região

27


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Ministério Público de Minas Gerais quer explicações da PBH Promotoria pretende ter acesso às informações sobre as desapropriações na Lagoinha

Lagoinha: da boemia para a decadência Região passou a ser povoada em 1890 e viveu seu auge na década de 1940

28


Belo Horizonte, 1ยบ a 7 de novembro de 2013

Agora com o espaรงo renovado para seu maior conforto! Venha conhecer!!!

29


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

30

Culinária de boteco

Festival Bar em Bar Márcia Soares ­ Bar e Restaurante Casa Velha

Airan Lima e Márcia Soares com a atriz global Thaís Garayp, no evento Comida Di Buteco, no início deste ano.

Interior do bar e restaurante mais charmoso da Lagoinha.

Futebol Mineiro

Futebol que a mídia não mostra Flávio Domênico ­ Colunista

Porção “Os três mosqueteiros e suas fiéis manteigas”, uma das preciosidades do Casa Velha. Fachada do Casa Velha.

Olá amigo e amiga do Gazeta da La­ goinha! Alguns produtos parecem ser fabricados pela mídia para serem eternizados como únicos e ponto final. O futebol se tornou um desses produ­ tos. Escolhem­se 3 ou 4 times e são os melhores eternos do Brasil. Desde a década de 80 isso é notório. Infelizmente parece que, para a grande mídia de massa, o futebol mineiro é apenas um coadjuvante neste cenário de festa e negócios. Alguns fatos deste cativante esporte com bola nos pés nos levam a crer nisso. Veja um deles: em 2012, o Atlético lutou pelo título com um time cari­ oca até o final. Contudo, em meio à disputa emo­ cionante deste Brasileiro, era necessário dividir a atenção e lembrar em rede nacional, nos mais di­ versos veículos de massa, a disputa do mundial interclubes pelo Corinthians. Justo? Seria justo se o tratamento fosse igual para todos que não estão no eixo RJ/SP. Não vejo tal divulgação com rela­ ção ao Atlético este ano. O Galo disputa em dezembro o mundi­ al interclubes em Marrocos. A competição que re­ velará o melhor time de futebol do mundo. Mas, até o momento, diferente de 2012, o que vi foi uma propaganda do Mundial de Clubes de Fute­ bol de Areia. E talvez, por mera coincidência, enaltecendo a participação do Corinthians. Nada contra os paulistas, mas é lamentável o descaso com a torcida mineira. Tal fato ocorre também com o Cruzei­ ro. Time disparou na liderança e praticamente já garantiu o Brasileiro de 2013! Muitos torcedores questionam a cobertura dispensada ao clube. A falta de ênfase no campeão, no time que está em destaque. O certo é que o torcedor mineiro quer ver seu time estampado nos jornais, nas rádios e na TV. Isso não vem acontecendo de forma corre­ ta e isenta nos grandes veículos de comunicação.

@flaviodomenico E tem incomodado e chateado o torcedor de Mi­ nas. Outro fato: muitas vezes este torcedor é obri­ gado a escutar de comentaristas e jornalistas esportivos que o nível do campeonato está fraco. Desmerecendo, por exemplo, a supremacia da Raposa neste ano no Brasileirão. Talvez em Minas Gerais não se tenha uma mídia estadual de massa com autonomia editorial tão independente para criar essa ênfase com os times mineiros. Jogar sempre para cima. Chamar a torcida para dentro de campo. Desper­ tar ainda mais essa paixão no torcedor mineiro e inflamar essa festa. Faltam grandes matérias. Pautas que enalteçam ao extremo as conquistas e trajetórias vitoriosas de Atlético e Cruzeiro. Minas Gerais hoje é um gigante do fu­ tebol nacional, continental e mundial. O maior e melhor futebol da América e do Brasil com apenas dois representantes na série A. Deixar de fazer festa para a torcida mineira é um erro grave. Per­ de o futebol como esporte, magia e entretenimen­ to. Talvez para jogadores e cartolagem isso não faça a menor diferença. Mas para o torcedor faz. O futebol sem torcedor é um produto extremamente chato e irritante. Até o momento não vi destaque nenhum para a disputa do Atlético no mundial. Não há chamada, não há reportagem, não há cobertura. Está na hora de rever os con­ ceitos da cobertura esportiva brasileira! Está na hora de rever os conceitos do jornalismo esportivo no Brasil. Não se pode esquecer que Minas Ge­ rais é terra de Pelé, Tostão, Reinaldo, Éder, Luizi­ nho, Gilberto Silva, Cerezzo, Joãozinho, Dirceu Lopes e tantos outros craques que nasceram aqui para brilhar no mundo da bola. Temos vocação de craques e de bom futebol que vem de berço! Até a próxima!


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

Matheus Oliveira ­ Colunista Marcelo Oliveira conheceu o “quase” duas vezes, ambas pelo Co­ ritiba. A primeira, na decisão da Copa do Brasil contra o Vasco, em 2011, e a segunda na mesma situação, mas di­ ante do Palmeiras, no ano seguinte. Finalmente, o treinador vai debutar co­ mo campeão nacional. Seu trabalho no Cruzeiro fez até com que o técnico do rival, Cuca, o colocasse como o melhor deste Campeonato Brasileiro. Marcelo merece, principalmente para sentir o prazer de calar quem o prejul­ gou. Desde seu início de carreira comandando equipes profissionais, Marcelo mostrou que poderia crescer. Após “tapar buraco” no Atlético, como fez diversas vezes, em 2008 ele deci­ diu que não voltaria à base do Galo e começaria a traçar sua história entre os marmanjos da bola. Voltou com o Ipatinga à primeira divisão do Campe­ onato Mineiro. Do Paraná Clube, onde realizou um trabalho dentro das ex­ pectativas, foi para o rival Coritiba, in­ dicado pelo também mineiro Ney Franco. No Coxa, ganhou a simpatia da torcida e da crônica pela compe­ tência e simplicidade, além de ter con­ quistado a série de 24 vitórias seguidas. Veio o Vasco e... melhor es­ quecer. Os cruzmaltinos jogaram­no na fogueira. A modesta campanha do

31

Marcelo inquestionável oliveirasouza.matheus@gmail.com

Esportes

@Math_deoliveira

co, eram apontadas como candidatas ao título. Surpreendentemente, como é de hábito no futebol, os grandes de Rio e São Paulo estagnaram – a sur­ presa é o fato de sete deles, ao mes­ mo tempo, terem um desempenho ruim. Salvo o Botafogo. Grêmio e In­ ternacional nem ameaçaram a Rapo­ sa, apesar de o tricolor gaúcho se firmar no G­4. O Galo pensa, vive e come o Mundial. Sobrou espaço para os médios, como Atlético­PR, Vitória e Goiás, sem fôlego para chegar à pon­ ta. Problema deles. A Raposa fez o seu papel. Jogou o que poderia e foi o suficiente

para liderar o campeonato do início ao fim. O demérito alheio pode justificar parte da boa campanha cruzeirense, mas os pontos positivos do time mi­ neiro certamente foram mais impor­ tantes. A defesa é a segunda menos vazada do Nacional e o ataque é o que mais marcou gols. Isso basta para rebater qualquer argumento que des­ mereça a conquista. E tudo só foi pos­ sível por causa de Marcelo, que trabalhou da montagem do elenco ao que foi praticado em campo. Em uma tacada, o treinador levanta seu primei­ ro troféu de nível nacional e faz com que quem o criticou se curve a ele.

Quadrinhos ­ Franciele

Cruzeiro X Atlético Cruzeiro no Brasileirão de 2012, sob a batuta de Celso Roth, fez com que a diretoria celeste anunciasse a demis­ são do então comandante estrelado antes mesmo do fim do campeonato. A partir de então, a Raposa deixou claro o desejo de contar com Marcelo Oli­ veira no controle do vestiário. A infor­ mação vazou para a imprensa e parte dos cruzeirenses, inconformados pelo treinador ter marcado época em um dos maiores times do Atlético, fizeram até manifestação em frente à sede do clube. Nada que desmotivasse Marce­ lo a demonstrar seu profissionalismo, pelo contrário. Ao fim do Brasileiro, a dire­ toria confirmou a chegada do novo co­

mandante. Sob desconfiança de muitos, o técnico teve paciência para aturar as perguntas sobre a marca contraditória que carregaria como fute­ bolista ao defender uma camisa antes vista como rival. Começa a temporada e o Cruzeiro anuncia reforços que se tor­ nariam imprescindíveis no decorrer do ano, como Nilton e Everton Ribeiro. Duas pedidas de Marcelo. Aos pou­ cos, mas com incrível rapidez, Oliveira deu liga a um time montado no início do ano. As peças se encaixaram, mas a Raposa não figurava entre os favori­ tos para conquistar o Brasileiro. Outras equipes, já prontas, como Corinthians, Fluminense e Atléti­


Belo Horizonte, 1º a 7 de novembro de 2013

32

Futebol

O craque é coletivo Tostão ­ Colunista Se o Cruzeiro não for campeão hoje, será nas próximas rodadas. Outros grandes clubes, com elencos mais caros e conside­ rados favoritos no início da competi­ ção, decepcionaram. Apenas o Atlético tem uma boa justificativa, a conquista da Libertadores. Méritos para outras equipes, de quem se es­ perava pouco, como Goiás, Vitória e, principalmente, Atlético­PR. Cruzeiro e Atlético são os grandes times bra­ sileiros do ano. No início do Brasileirão, achava que faltava ao Cruzeiro um fora de série, como foi Alex em 2003. Não foi necessário. O time atual pos­ sui também um craque, o coletivo. Com isso, todos os jogadores evoluí­ ram, principalmente Everton Ribeiro, o melhor do campeonato. Outros destaques foram Fábio, Dedé, Nilton e Ricardo Goulart. Os outros tam­ bém atuaram bem. Pensava que Everton Ri­ beiro era apenas um meia habilido­ so. Ele é muito mais que isso. Tem muita mobilidade e criatividade, além de participar da marcação. Deu pas­ ses decisivos e fez muitos gols, al­ guns belíssimos. Outra grande virtude do Cruzeiro é a diversidade. O time, sem esquecer a marcação, faz gols de todos os jeitos, pela direi­ ta, pela esquerda e pelo centro, pelo alto e pelo chão, de tabelas, de trian­ gulações e de lançamentos longos,

de finalizações de dentro e de fora da área. O time não depende de um único artilheiro. Em vez de os laterais cor­ rerem e cruzarem para a área, como faz o Grêmio, para contar com a sor­ te de a bola chegar a um compa­ nheiro, o Cruzeiro forma duplas pelos lados, que trocam passes e envolvem o marcador. Aí, a bola é passada para alguém finalizar. Marcelo e a diretoria con­ trataram bem. O Cruzeiro tem dois bons times, quase do mesmo nível. Apenas Fábio e Everton Ribeiro fa­ zem falta. Marcelo usou muito bem o elenco. Substituiu e poupou jogado­ res na hora certa. Mesmo quando a troca era por motivos técnicos, ele passava aos jogadores e à imprensa a mensagem de que a substituição era para poupar o atleta. Não soube de nenhum jogador descontente. Não vou dizer que o tran­ quilo e equilibrado Marcelo usou de uma sabedoria mineira, pela mesma razão que detesto o chavão de rotu­ lar as pessoas que têm dúvidas de mineiros, de ficarem em cima do mu­ ro. Mineiro não pode ter bom senso nem dúvida. Só os ignorantes, os extremistas e os prepotentes, que se acham os donos da verdade, têm certeza de tudo. Há pessoas de to­ dos os tipos em Minas Gerais, nos outros Estados e em todo o mundo. Marcelo, atento durante

as partidas, ajuda a desmistificar os absurdos conceitos de que técnico bom é o que grita e fica agitado na lateral do campo, que pressiona ár­ bitros e auxiliares, que é mal educa­ do nas entrevistas e que nunca dá explicações técnicas e táticas por achar que ninguém entende de fute­ bol. Explicações

Para quem não leu em uma outra coluna, repito. Não aceitei o convite para ser embaixador de Belo Horizonte na Copa, ao lado de outros jogadores que atuaram em Minas Gerais e que participaram da Copa do Mundo, porque, como colu­ nista, preciso ter toda a liberdade para criticar e elogiar a Fifa e a ad­ ministração do Mundial. Além disso, acho absurdo o poder que a Fifa exerce sobre o país. Apesar de entender o cri­ tério de escolher para embaixadores somente os atletas que já participa­ ram de uma Copa, senti a ausência de Dirceu Lopes e de Zé Carlos, dois dos maiores jogadores da histó­ ria do Cruzeiro e do futebol brasilei­ ro. Mereciam ser exceções. Além disso, Dirceu Lopes participou, em 1969, das Eliminatórias para a Copa de 1970. Já era Copa do Mundo.

Ofertas boas pra cachorro! ...e gato. Ração Pedigree Equilíbrio Natural

Carne/vegetais/nuggets, carne/ frango/cereais, ovelhas/cereais, raças pequenas, júnior, equilíbrio natural Exceto equilíbrio natural: raças pequenas ou júnior 15Kg

Ração Pedigree

Carne/vegetais/nuggets, júnior, raças pequenas ou carne/frango/cereais 20Kg

R$ 135,90 cada

Coleira Scalibor

R$ 135,00 cada

Cães grandes 25g / 65cm Cães pequenos/médios 19g / 48cm

R$ 65,00

Tudo em até 6x sem juros no cartão Visa e Master Parcela mínima de R$ 20,00

Frontline Plus 1­10 Kg....R$ 38,90 cada 10­20 Kg...R$ 48,90 cada 20­40 Kg...R$ 59,90 cada Acima de 40 Kg...R$ 65,00 cada Ração para Gatos Whiskas Carne nuggets, frango/leite, peixe nuggets ou salmão/atum/sardinha 1Kg

R$ 16,90 cada 10Kg

R$ 99,90 cada

cada

Frontline Spray 100ml.....R$ 79,90 cada Champ Adulto 250ml.....R$ 135,90 cada Ração Carne/Vegetais 22kg

R$ 94,90 cada

Ração Pedigree Carne e vegetais ­ Filhotes/Raças pequenas 15kg

R$ 99,90 cada

Ração Kanina Carne/cereais ou Carne/vegetais 15kg

R$ 59,90 cada

Ração Dog Chow Adulto light, adulto raças médias a grandes ou papita 15Kg ­ cada

R$ 109,90

Ração Colosso Filhotes 8Kg ­ cada

R$ 49,90 Filhotes 25Kg ­ cada

R$ 139,90

Carne 25Kg ­ cada

R$ 95,00

Carne e Vegetais 15Kg ­ cada

R$ 79,90

Gazeta da Lagoinha - Edição 79 - Novembro 2013  

Jornal de apoio às iniciativas comunitárias da região da Lagoinha - Edição 79 - Novembro 2013

Advertisement