Page 1

GAZETA da lagoinha

www.gazetadalagoinha.com.br

Anuncie: comercial@gazetadalagoinha.com.br

Fundada em 1997

Belo Horizonte, março de 2018 | Circula em todo o bairro Lagoinha, Hipercentro e adjacências | ANO VIII | EDIÇÃO Nº 106 | Distribuição Gratuita

Vem pra Lagoinha, com Maíra Lemos

Reprodução.

A jornalista e youtuber visitou o bairro e conheceu realidades ao lado de Filipe Thales. Página 3.

A identidade perdida de BH

Em itinerário sentimental, o colunista Ricardo Salles discute a perda da nossa identidade. Página 7.

foto: Site Maíra Lemos.

Programa de gastronomia sustentável é lançado no Mercado da Lagoinha

foto: Zaíra Magalhães/PBH

Catatau pelo direito de ir e vir

foto: Instituto Pedra Viva

Crianças e adolescentes do Instituto Pedra Viva participam de Concurso de Produção de Texto

Concurso realizado pelo Instituto em parceria com o jornal Gazeta da Lagoinha busca valorizar os pequenos. Confira na pág. 6.

Nesta edição você acompanha a atuação do vereador em favor do transporte público. Pág. 10

Tentações totalitárias O cenário degradado da política brasileira anima os corações simples e ingênuos, mas nem por isso menos perigosos, de quem se satisfaz com generalizações pobres acerca do mundo e dos problemas que enfrentamos enquanto nação. Leia o editorial à pág. 2

Com uma metodologia que respeita a liberdade de escolha da trilha a seguir do interessado, os cursos oferecidos pelo programa vão desde a panificação e confeitaria passando pelo empreendedorismo, agroecologia e gastronomia alimentar. Página 13

Com diversas atividades, Escola Municipal de BH comemora 70 anos Confira na pág.4.


2|

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nº 106

COMUNIQUE-SE

EDITORIAL

Tentações totalitárias

Comunicação de impacto social

E

Alemães fazem saudação nazista durante jogo de futebol contra a inglaterra, em dezembro de 1935.

O

cenário degradado da política brasileira anima os corações simples e ingênuos, mas nem por isso menos perigosos, de quem se satisfaz com generalizações pobres acerca do mundo e dos problemas que enfrentamos enquanto nação. Frase rebuscada? A gente explica, e tenta convencer, inclusive. A direita tradicional do país, embora se constitua como uma elite educada e ciente da necessidade de certas instituições democráticas no país, utilizou, e ainda utiliza, de dispositivos retrógrados e conservadores como forma de alcançar o poder, uma vez que não tem tido sucesso nos pleitos eleitorais. Parece que o discurso deles não cola para os eleitores, de alguma forma, a verificar. Desde então, permitir que a cachorrada louca da extrema direita participe do jogo tem sido uma literal dor de cabeça para esta direita tradicional, dita de centro. Representantes típicos desta direita, mas não os únicos, o PSDB e o MDB (ex-PMDB) se vêem às portas do pleito de 2018 sem um candidato minimamente viável. A situação beira o ridículo. Um presidente, que acaba de ter os “camaradas” presos em razão de investigação de impropriedades praticadas nos portos, que lança uma candidatura tendo um risível 1% (se é que tem) das intenções de voto em pesquisas só pode estar maquiavelicamente valorando o MDB para ser vendido à governabilidade de 2019 no segun-

GAZETA Da lagoinha

Fundada em 1997 Um veículo da Texto Publicidade e Promoções LTDA CNPJ 23.843.790/0001-72 Registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas sob o nº 1094, livro B.

Março de 2018

do turno ao candidato mais plausível: este deve ser o preço de um ministério para chamar de seu cujo conteúdo mais amado chama-se foro privilegiado. No campo do PSDB, tenta-se limpar os farrapos que resultaram desta luta pelo poder. Um senador, ex-governador de estado, provável candidato maculou os seus correligionários ao ter uma irmã presa, um primo que poderia ser morto a carregar malas de dinheiro. A confiança do partido, antes depositada neste candidato, reverte-se em imediata desconfiança em relação ao partido. O que sobra? Um governador do estado mais poderoso do país, que já perdeu eleição presidencial, e que está permanentemente sob a desconfiança das investigações relativas ao metrô. Por fora, outrora úteis à direita tradicionais, correm soltos os pitbulls a insuflar as tentações totalitárias de cada um de nós que despertam de um grande sono pelo medo e pela ideia de que as resoluções simplistas que vêm no outro o problema que nos aflige e que, portanto, este outro deve ser eliminado, nos joga ao obscurantismo já vivido tantas vezes na história. O resultado é sempre amargo e o retorno à luz deverá custar muitas vidas. Já tem custado cotidianamente na violência urbana, só falta virar política oficial de Estado.

m 2015, quando os 193 Estados-membros da ONU (Organização das Nações Unidas) adotaram os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) como um compromisso unânime para acabar com a pobreza, lutar pela desigualdade e injustiça e combater as mudanças climáticas, não só o Brasil, mas eu enquanto profissional da comunicação, percebi o quão importante seria minha mudança de postura frente a essas questões. Equilibrar a prosperidade humana com a proteção do planeta não é tarefa fácil. E assim como os 17 (ODS) é um guia para os países que assinaram o acordo, ao fazer uma profunda análise da minha trajetória profissional, cheguei a conclusão que sempre coloquei meu dom de comunicar através a disposição de iniciativas que geram impacto social positivo. Em 2010, quando aceitei o desafio de junto com o An-

Filipe Thales é morador da Lagoinha, publicitário na Livre Colab e facilitador do Coletivo Viva Lagoinha Whatsapp: 31.996701442 e-mail: livrecolab@ gmail.com instagram.com/livrecolab

com a requalificação da Lagoinha”. E se você quer se comunicar de forma sustentável, nossos propósitos estão alinhados, contem conosco. Saiba mais sobre os 17 ODS em https://nacoesunidas. org/conheca-os-novos-17-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-da-onu/ Há braços.

TELEFONES ÚTEIS AA Alcóolicos Anônimos (31) 3224-7744 Aeroporto Carlos Prates (31) 3462-6455 Aeroporto Confins (31) 3689-2344 Aeroporto Pampulha (31) 3490-2000 AGIT-Agência de Empregos 0800-319-020 Auxílio à Lista - 102 Bombeiros - 193 CEASA 0800-315-859 CliDEC (31) 3236-2100 CEMIG - 0800 310 196 COPASA - 195 Correios - 159 Corpo de Bombeiros - 193

Sede administrativa: Rua Albuquerque Maranhão,116 - Campo Alegre - BH/MG Redação, expedição e distribuição: Rua Araribá, 336 - Lagoinha - BH/MG Tel.: (31) 3088-7026 e 99115-2022 www.gazetadalaoginha.com.br comercial@gazetadalagoinha.com.br

dré Portugal produzir um filme que contasse a história de moradores da Pedreira Prado Lopes que escreviam seu próprio jornal, estávamos buscando “Promover uma Pedreira pacífica e inclusiva para o seu desenvolvimento sustentável através da informação, proporcionando justiça para todos e construindo instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis” Objetivo 16. Quando percebi que os problemas enfrentados na Lagoinha, precisavam ser compartilhados com a Pedreira, o IAPI, o Buraco e o Bonfim e viajei na idéia de juntar todos e denominar de “Complexo da Lagoinha”, queria “Tornar a Lagoinha e seus assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis” Objetivo 11. Anos depois, prestes a inaugurar sua sede na Lagoinha, a Livre Colab percebe que cumpre mais um objetivo, o seu, que é “Conectar pessoas que sonham

CVV - CENTRO VALORIZ. DA VIDA (31) 3334-4111 e 3444-1818 ou 141 Defesa Civil - 199 DETRAN/MG (31)3236-3501/3525 Disque Direitos Humanos 0800-311119 Disque Ecologia - 1523 Disque PROCON (31)3277-4548/9503 /4547 ou 1512 Disque Turismo - 1677 GAPA/MG (31)3271-2126 MG Transplantes (31) 3274-7181 Movimento das Donas de Casa e Consumidores - (31) 3274-1033 Ibama - 0800-618-080 Polícia Civil - 197

Conselho editorial: Presidente: Creso Campos | Jornalista Responsável: Onamir Dias DEPARTAMENTO COMERCIAL: Creso Campos DEPARTAMENTO jurídico: Juarez Magalhães, Antônio Vital e Fortunato Magela eportagem@gazetadalagoinha.com.br arte e publicidade: Glauco Gomes

Polícia Federal - (31) 3330-5200 Polícia Militar - 190 Polícia Rodoviária Estadual (31) 2123-1901 Polícia Rodoviária Federal (31) 3333-2999 Prefeitura Municipal - 156 Pronto Socorro - 192 Pronto Socorro (HPS João XXIII) (31)3239-9200 Receita Federal - 0300-780-300 SENAC - 0800-724-4440 SINE-MG - (31) 2123-2415 SOS Criança 0800 283 1244 Sudecap Disque Tapa-buraco (31)3277-8000

Circula mensalmente em todo o bairro Lagoinha, Hipercentro e ajdacências - BH. Distribuição manual em cada domicílio. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do jornal, sendo de inteira responsabilidade de seus autores.

Anuncie: comercial@gazetadalagoinha.com.br ou (31) 9 9115-2022


Março de 2018

ano VIII | nº 106

GAZETA Da lagoinha

|3

CIDADANIA

JOVANA STOSIC é arquiteta e engenheira. De origem sérvia, já morou na Lagoinha e sempre está presente no bairro. entre em contato com a coluna: jovanastosic87@ yahoo.com

Q

uando se trata de políticas públicas, ou de reivindicação de direitos, muitas pessoas pensam que é muito difícil ter acesso a esses benefícios e quando os recebem, acabam concluindo que tiveram muita sorte em conseguir ou até que receberam um favor. Não é assim. Todo cidadão, toda gestante tem por direito, assegurado na Constituição, receber atenção e cuidados de saúde quando necessário. O atendimento pré-natal gratuito é disponível nas Unidades Básicas de Saúde, com remuneração pelo sistema público de saúde . Para que todos os brasileiros tenham esse direito assegurado é que os impostos são reco-

lhidos e as verbas, destinadas à saúde, aplicadas. São muitos os direitos assegurados à gestante no Sistema Único de Saúde: consultas e exames durante o pré-natal, tratamento adequado e em tempo e, quando necessário, acompanhante nas consultas e parto, vacinas e medicamentos; orientação sobre sinais de risco e aleitamento materno, cartão da gestante, etc. Mas, será que esses direitos estão sendo respeitados? E quando não são, o que fazer? Se em nível local, a gestante não conseguir o atendimento necessário e de boa qualidade, ela pode procurar os órgãos competentes, como a Secretaria de Saúde municipal ou até estadual. Pode também ligar para o Disque Saúde: 136. A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer lugar do Brasil. Gestantes conscientes, que conhecem seus direitos e os reivindicam não só ajudam a si mesmas, mas colaboram para que o atendimento melhore também para outras gestantes. Contudo, não é só esperar

por qualidade no atendimento. Cada gestante deve fazer a sua parte, para que possamos ter, cada vez mais, partos de qualidade e nascimentos saudáveis. Nos últimos anos, apesar dos dados disponíveis apontarem para um aumento considerável no número de consultas de pré-natal por mulheres, a qualidade da assistência ainda continua comprometida, conforme se verifica em auditoria nos cartões pré-natal . Na prática clínica, os registros dos atendimentos nos cartões de acompanhamento pré-natal permitem verificar se as necessidades das gestantes estão sendo atendidas nos serviços de saúde, pois refletem diretamente a qualidade da atenção prestada e explicam os indicadores de mortalidade materna e infantil, pressupondo-se que, se não foi registrado, o procedimento não foi realizado. Foram observados, no serviço privado: maior frequência das consultas, exames laboratoriais e obstétricos, vacinas

Reprodução.

A importância do pré-natal e direito de todas as gestantes

e ultrassonografia. Alias, ultrassonografia é um problema serio para as gestantes de risco normal, sempre é feito por conta da gestante, ou sejá se ela tiver as condições de paga-lo. Com os exames laboratoriais previstos na rotina de consulta pré-natal, podem-se identificar o tratamento medicamentoso eficaz visando à cura ou controle da doença materna, prevenção de infecção fetal pela transmissão vertical e possíveis óbitos maternos, fetais e infantis. O resultado dos exames laboratoriais corresponde a um monitoramento para a classificação do risco pré-natal. As gestantes que frequentam o pré-natal público são submetidas com menor frequência a exames de urina do que o privado, conforme preconizado pelo PHPN15 e, mesmo considerando-se como adequada

Vem pra Lagoinha com Maíra Lemos Lagoinha via Itapecerica - esse é o caminho da nova viagem da youtuber Maíra Lemos Por Filipe Thales

C

om o propósito de sentir e conviver com a nossa cidade, toda segunda-feira ela nos conta uma história pelo seu canal. Inspirada pelas histórias do Tonhão, o brilho dos olhos da Gigi, a receptividade da Shayene Sousa, o sorriso do João da Banana, Maíra pôde conhecer a verdadeira riqueza da Lagoinha - a sua gente. Inquieta, essa descobridora e contadora de histórias que já era apaixonada pela nossa queri-

da Lagoinha, a convite do Viva Lagoinha, veio, sentiu e conta pra vocês um pouco do que viu. Embarque nesta história você também https://goo.gl/axNJSz Assista o vídeo Lagoinha de Maíra Lemos

pelo link: https://youtu. be/pgwS0yPLSQE Sejam todxs bem vindxs! #vivalagoinha

pelo menos uma coleta para o exame de urina, ainda faltaria efetividade no rastreamento da infecção urinária durante a gestação. A sorologia toxoplasmose tem especial relevância no período gestacional devido à associação com possí- veis malformações. O cartão da gestante é um documento de uso obrigatório nos serviços de saúde e deve ser mantido sempre disponível para o adequado acompanhamento, fornecimento de informações e a assistência à gestação, assegurando a integração dos serviços de saúde e a comunicação entre os profissionais da atenção primária com os profissionais da atenção hospitalar. A multiplicidade dos modelos dos cartões da gestante pode dificultar o estabelecimento de uma rotina de preenchimento,

a análise comparativa de alguns dados e até a implantação de um sistema adequado de referência e contra-referência. C e r t a mente o aprimoramento da qualidade da assistência pré-natal envolve o adequado registro no cartão da gestante para diagnóstico do risco gestacional, a capacitação técnica continuada dos profissionais da saúde, bem como o cumprimento das normas técnicas pré-estabelecidas e o comprometimento com as necessidades da população, sendo essas as ferramentas de reversão dos resultados encontrados para uma assistência integral, equitativa e de qualidade a todas as gestantes. Gestantes, se cuidem, usufruam e exigem seus direitos!

O Coletivo Viva Lagoinha é uma iniciativa de comunicação social que conecta as pessoas que sonham com a requalificação da Lagoinha através das artes, música e empreendedorismo. Facebook: https://www.facebook.com/vivalagoinha/ Instagram: https://www.instagram.com/viva.lagoinha/ WhatsApp: 31.99670-1442


4|

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nº 106

Março de 2018

A Escola Municipal Belo Horizonte celebra seus 70 anos com projetos pedagógicos de resgate da sua história Por Vinícius Thiago de Melo

N

o ano em que a escola completa 70 anos a equipe pedagógica está trabalhando com projetos de ensino relacionados com o resgate da história da escola e sua relevância para a cidade de Belo Horizonte. A história da escola, que se mistura com a história da própria cidade, está sendo trabalhada com os alunos através de projetos interdisciplinares envolvendo áreas do conhecimento como história, geografia, português, Inglês, Artes e Educação Física. Estes projetos em desenvolvimento deverão culminar com a festa de comemoração dos 70 anos, de modo que os trabalhos sobre a história da escola serão expostos e apresentados para a comunidade escolar e para convidados. A EMBH foi construída com uma ampla estrutura para prá-

tica de esportes, sendo inaugurada com o nome de “Ginásio Municipal” no ano de 1948. Durante muitos anos o esporte foi referência na escola, sendo que muitos alunos puderam se destacar em competições e Jogos Estudantis em diferentes épocas, o que pode ser comprovado pela grande quantidade de troféus que a escola acumulou em sua vitrine esportiva. Entre os alunos da escola um deles teve destaque no âmbito nacional e internacional, o jogador de futebol Eduardo Gonçalves de Andrade, o Tostão, que também se formou em medicina em 1981.

Na atualidade, a escola procura incentivar as práticas esportivas através de projetos extracurriculares com equipe de Handebol, Voleibol, Atletismo e Futsal que participam de competições estudantis e também com eventos como a Olimpíada Escolar. No ano em que a escola completa 70 anos está sendo desenvolvido o “Projeto de Esporte e Educação Física nos 70 anos do ‘Colégio Municipal’”. Nesse projeto, os alunos irão realizar entrevistas com ex-alunos da escola com o objetivo de revelar como eram as aulas de Educação Física e o Esporte na escola no passado. Além de registro de depoimentos a escola pretende convidar ex-alunos para uma

roda de conversa acerca do tema da história dos esportes e da Educação Física no “Colégio Municipal” com objetivo de fazer uma comparação das práticas antigas com as atuais.


Marรงo de 2018

ano VIII | nยบ 106

GAZETA Da lagoinha

|5


6|

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nº 106

Crianças e adolescentes do Instituto Pedra Viva participam de Concurso de Produção de Texto por Instituto Pedra Viva

C

oncurso de Produção de Texto realizado entre Instituto Pedra Viva e Jornal Gazeta da Lagoinha teve como objetivo estimular a Leitura e a Escrita entre as crianças e adolescentes da Instituição, promover e divulgar o trabalho realizado, bem como fazer um diagnóstico dos resultados obtidos e a sua importância para as comunidades atendidas. As crianças e adolescentes da Instituição receberam o desafio de

escrever um texto falando sobre a importância do Instituto Pedra Viva em suas vidas e foi gratificante ver a empolgação e o interesse de cada um. Todos participaram, até mesmo aqueles que ainda estão iniciando o processo de alfabetização ou apresentam alguma dificuldade de aprendizagem. Os textos foram enviados a Redação do Jornal Gazeta da Lagoinha que ficou encarregado de organizar uma comissão para selecionar o melhor deles, e divulgá – lo nesta edição.

A comissão selecionou vários textos e achou por bem divulgar todos eles, pois todos estavam muito bons e seria injusto com os participantes não valorizá - los. Daí, a partir desta edição divulgaremos dois dos textos selecionados e as crianças serão premiadas. Nesta edição estão sendo divulgados os textos das crianças: Felipe da Costa Roberto (14 anos) e Gustavo Oliveira Valadão (14 anos).

Você conhece a Escola Adventista da Concórdia?

A

Escola Adventista da Concórdia é uma instituição privada de ensino que visa primordialmente, através de uma educação cristã o desenvolvimento harmônico dos educandos, nos aspectos físicos, intelectuais, sociais e espirituais, formando cidadãos pensantes e úteis a comunidade, à pátria e a Deus. Essa escola teve seu início em 1963. Atende crianças do maternal ao 5º ano e localiza-se na Rua Beberibe 222, no Bairro Concórdia atuando como um diferencial nessa região há mais de 50 anos. A Escola Adventista da Concórdia trabalha com muitos projetos. Projetos são ações concretas a serem executadas, necessárias ao processo de ensino-aprendizagem. Essas ações têm como objetivos o desenvolvimento da autonomia intelectual do aluno, o desenvolvimento da organização individual e coletiva, a capacidade de tomar decisões e fazer escolhas. O trabalho com projetos educacionais propicia a atividade coletiva e cooperativa, permitindo ao aluno vivenciar múltiplas relações reais para firmar-se como sujeito. O resultado de um projeto educacional proporciona ao aluno vi-

venciar, por exemplo, a experiência positiva do confronto com o outro, saber se comprometer com suas decisões e suas escolhas, saber planejar suas ações, ou seja, um projeto educacional tem por finalidade fazer com que a criança aprenda a assumir responsabilidades, ser agente de seu aprendizado produzindo algo com sentido, compatível e viável a sua realidade. Essas ações permitem que a criança construa e dê sentido à sua criatividade, pois elas proporcionam uma situação real de vivencia através da experiência. Por esse motivo a escola desenvolveu com os alunos o projeto intitulado “Lanche Saudável” O objetivo seria incentivar os alunos a adoção de posturas e hábitos que valorizassem uma vida saudável e os conscientizassem da íntima ligação existente entre saúde física e mental. Reconhecendo que a saúde é um direito de todos e essencial para o desenvolvimento de ser

humano. É preciso desenvolver hábitos alimentares sadios nos alunos (e consequentemente em seus núcleos familiares), e conscientizá-los da importância de uma boa alimentação – regrada e nutritiva – para que tenham boa saúde. As turmas do maternal e Jardim I desenvolvem o projeto “Degustando as Frutas”. Ao final de cada dia de aula, a professora incentiva os alunos a explorarem a fruta escolhida daquele dia, aspectos como: tamanho, cor, textura, forma, curiosidades... Em seguida todos tem a oportunidade de degustar a fruta. “Ao saírem às crianças da primeira infância, deve-se exercer grande cuidado em educar-lhes os gostos e o apetite. Muitas vezes se lhes permite que comam o que preferem, e quando o entendam, sem se tomar em consideração a saúde”. Ellen G White, Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pg. 230.

Março de 2018

“A IMPORTÂNCIA DO INSTITUTO PEDRA VIVA EM MINHA VIDA.” Felipe da Costa Roberto (14 anos)

Meu nome é Felipe, tenho 14 anos e quando entrei para o Instituto Pedra Viva foi uma ótima oportunidade pra mim, de melhorar e de ser alguém na vida, ter um bom emprego e ter um bom ensino. A nossa responsável, Nilce Faria é uma pessoa do bem, cuida de nós, nos ajuda em tudo, então só tenho a agradecer a ela. Tem vez que nós aprontamos e ela nos chama a atenção, briga, mas eu sei que ela gosta de nós. Eu quero agradecer aos meus queridos professores: Wallace, Eric, Josiane, Guto e Júnior, muito obrigado por tudo que vocês fazem por nós. E também obrigado ás pessoas que ajudam, doando as coisas pra ONG. Deus abençoe todos!

“A IMPORTÂNCIA DO INSTITUTO PEDRA VIVA EM MINHA VIDA.”

Gustavo Oliveira Valadão (14 anos)

Meu nome é Gustavo, tenho 14 anos de idade, gosto muito de jogar vídeo game e me exercitar. Estudo de manhã e passo a tarde na ONG Instituto Pedra Viva. Lá eu faço algumas oficinas como por exemplo: Percussão, Informática, Inglês, Muay thai e dança, além de estudar nos horários vagos. Eu gosto muito da ONG, aqui eu faço vários amigos, além de aprender bastante com os ótimos professores do Instituto. Quando cheguei aqui em 2016 não gostava muito de estudar, mas foi como se a Graça, que é a coordenadora da tarde, me desse um incentivo a mais para mudar. O Instituto mudou a minha visão do mundo, sou muito grato, por isso vou sempre ter ótimas lembranças daqui.


Março de 2018

ano VIII | nº 106

GAZETA Da lagoinha

|7

OPINIÃO

Cidade: a identidade perdida ricardo teixeira de salles é colunista de opinião. entre em contato com a coluna: ricardotsalles@ gmail.com

C

om o tempo, por força das mais variadas injunções, tais como crescimento demográfico, congestionamento, racionalização e melhoria do uso do solo, a cidade vai se transformando. Transformações que implicam, definitivamente, na perda gradativa de sua identidade, como também da qualidade de vida urbana. Os europeus, entre outros, têm um firme propósito, centrado na preservação do patrimônio histórico e arquitetônico de suas velhas cidades. Pois são vistas como bens culturais e, como tais, amplamente desfrutados por suas

populações. Aqui, ocorre o oposto. Independente das necessidades reais da intervenção nas práticas urbanas, existe um febricitante ímpeto de modernização das cidades, impulsionado por uma ação inexoravelmente demolidora do perfil citadino, com a simples e enganosa justificativa de trocar o velho pelo novo. Bem, existem doenças urbanas, e elas são muitas. E muitas delas provocadas pelo despautério e ganância determinadas pela especulação imobiliária, alimentadora de transformações escabrosas, ou pela incúria da administração pública geradora, por sua vez, da injustiça e da desordem social. Pensam em progresso e estabelecem, irresponsavelmente, o retrocesso da qualidade de vida urbana. Vejamos alguns casos de nossa cara Belo Horizonte, neste contexto.

CINE METRÓPOLE – Desnecessário abordar, aqui, o aspecto da importância da cultura para o âmbito da arregimentação e qualidade de vida comunitária, de qualquer cidade. O fato é que, concebido como Teatro Municipal, na fundação da capital, foi posteriormente transformado no Cine-Metrópole. O estabelecimento era, assim, um local de encontro e do congraçamento das pessoas, ou seja, da integração social, através da arte. A casa foi transformada, sem qualquer manifestação contrária da autoridade constituída, num frio, monolítico e tumular prédio dedicado a insensíveis atividades argentarias, exclusivas do homem de posses. Tristemente lamentável. BAR TRIANON - Bar antológico, instituição da boêmia clássica e intelectual da cidade, localizado na não menos antológica Rua da Bahia, de estó-

rias tantas, sedimentando a história da cidade. Também transformado em instituição bancária. Que, ao passar dos anos, por sua vez, foi transformada em nada. CAMPOS DO AMÉRICA E DO ATLÉTICO – Os estádios dos dois clubes foram roubados de um tempo lírico e autêntico, que a cidade praticava, convicta da doçura da vida. Cafunga, Murilo e Ramos; Mexicano, Monte e Silva; Lucas, Lauro, Carlyle, Lero e Nívio já não enfrentam, nem mais nas melhores lembranças, a Tonho, Didi e Lusitano; Jorge, Lazarotti (Valsechi) e Negrinhão; Hélio, Eurico (Bode), Petrônio, Nandinho e Murilinho.Os campos foram transformados em

PROGRAMAÇÃO CCLAO ABRIL

Manoel Barbosa propõe expandir incessantemente.

O CENTRO CULTURAL LIBERALIRNO ALVES DE OLIVEIRa (CCLAO) é um instrumento de implementação de políticas públicas que visa democratizar a criação, difusão e circulação dos bens culturais. Tem como missão ser referência para as expressividades locais, fomentando os grupos e viabilizando a participação da comunidade na construção das políticas públicas de cultura. Está situado dentro do Mercado da Lagoinha e oferece atividades artísticas e culturais gratuitamente a toda população.

Sarau da Metamorfose Neste mês o público será convidado a apreciar e realizar leitura das poesias de José Paulo Paes. José foi um poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta brasileiro. Coordenação: Priscila Miranda. Dia 11, quarta, às 10h

OFICINAS E CURSOS Fuxico e suas aplicações Descubra como transformar objetos e roupas aplicando o fuxico tradicional. Com Edir Machado. Segundas, às 9h Oficina de Bainha Aberta Revelando a delicadeza e a beleza do artesanato mineiro. Com Ana Reis. Vagas limitadas Terças, às 9h LITERATURA Oficina Verdade Ou Mentira? Leitura compartilhada do livro “A mentira da verdade”, de Joaquim de Almeida, e conversa sobre as expressões populares, que fomentarão a criação de histórias e de novos dizeres. Com Wander Ferreira. Dia 16, segunda, às 9h30. Portal da Poesia Neste mês apresenta Manoel Barbosa que é ator, diretor, performer, poeta e dramaturgo, 53 anos, reside em Belo Horizonte. O artista despertou para a poesia ao mesmo tempo em que para a dramaturgia. Além do repertório poético em português, Manoel Barbosa tem interpretações de textos em inglês, alemão e italiano, também de sua autoria. A fusão de poesia e dramaturgia é a base deste trabalho que

De 02 a 30, de segunda a sexta, das 8h às 17h

ARTES CÊNICAS Dança de Salão (Iniciantes) Aprenda os diversos tipos de dança que são executados por um par de dançarinos. Com Gil e Denise. Segundas, às 18h30 ARTES VISUAIS Exposição: O Mal - Estar Moderno Artista plástica mineira, Aline Souza, nesta Série de pinturas e desenhos faz uso de suas poéticas para falar sobre o ritmo acelerado da vida na contemporaneidade, que afastam o ser humano de elementos fundamentais para sua saúde física e mental. De 04 a 31, de segunda a sexta, das 8h às 17h Roda de conversa com a artista plástica Aline Souza Dia 20, sexta, às 9h30 MULTIÁREAS Hatha Yoga O Hatha yoga é a busca do equilíbrio entre as forças solar e lunar, respectivamente masculina e feminina, através da união da mente com a alma. Vagas limitadas. Com Maria do Carmo. Sextas, às 8h SERVIÇOS Biblioteca A nossa biblioteca dispõe de um acervo de títulos diversos, infantil e adulto, com livros para consulta local e empréstimo domiciliar. Procura algum livro específico? Acesse nosso catálogo online através do link https://goo.gl/SZ4PQN ou entre em contato pelo telefone (31) 3277 - 6091. De segunda a sexta, das 8h às 17h. Cessão de Espaço O CCLAO disponibiliza seus espaços à comunidade local para ensaios e reuniões.

templos do consumismo, típicos do capitalismo selvagem de nossos dias, em que os ricos ficam mais prósperos e os pobres mais desvalidos. CINE PATHÉ – Sempre foi um marco especialíssimo da cidade, pelo o que representava do “saber contente”. Ou seja, da fruição cinematográfica como veículo enriquecedor do agir humano. Hoje, sem que nada explique, abandonado às traças cultivadas nas sarjetas da Savassi. São muitas outras localidades que este espaço, infelizmente, não permite abordar. (Bar do Ponto, prédio antigo dos Correios, Feira de Amostras, Abrigos da P. Sete, as árvores da ave-

nida A.Pena, etc). Mas, a propósito da castração da cidade, temos a lição do poeta maior, Carlos Drummond de Andrade, que escreveu: “Por quê não vais a Belo Horizonte? A saudade cicia/ e continua branda: volta lá. (...) E eu respondo, carrancudo: Não./ Não voltarei para ver o que não merece ser visto, (...) Esta serra tem dono. Não mais a natureza/ a governa. Encurralados todos,/ a Serra do Curral, os moradores/ cá embaixo. Jeremias me avisa: ‘Foi assolada toda a serra; (...) Olhei para a terra, e eis que estava vazia,/ sem nada, nada, nada.’/ Sossega minha saudade. (...) Não quero mais, não quero ver-te,/ meu Triste Horizonte e destroçado amor.”

Como faz falta uma casa lotérica na Lagoinha viu…

Por Filipe Thales

F

alta de serviço básico superlota bancos e prejudica comunidade. Somando a população dos bairros que compõem o Complexo da Lagoinha (São Cristóvão, Conjunto IAPI, Pedreira Prado Lopes, Vila Senhor dos Passos, Bonfim e Lagoinha), chegamos a quase 90 mil pessoas. A Lagoinha é um território que historicamente sofre com a falta de serviços básicos e a quase um ano perdeu sua única casa lotérica, localizada na Rua Itapecerica. Além de dificultar o acesso às operações financeiras de toda essa gente, a falta de uma

casa lotérica por aqui superlota a rede bancária e causa desemprego, pois a última que tivemos, seus funcionários eram em sua maioria dos bairros do complexo. Nas últimas três edições da Gazeta, recebemos diversas sugestões de pauta para falarmos nesse assunto. Prontamente atendemos os pedidos e até o fechamento desta edição não recebemos respostas dos órgãos que entramos em contato no objetivo de buscar soluções para este que está se transformando num problema. Continuem escrevendo pra gente sobre o assunto pelo leitor@ gazetadalagoinha.com. br, pois somente juntos conseguiremos conquistar coletivamente o que beneficia todxs.


8|

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nº 106

DIREITO DO CONSUMIDOR

ANTÔNIO josé VITAL é advogado especialista em Direito do Consumidor, morador do bairro e colaborador da Gazeta da Lagoinha. entre em contato com a coluna: vitalprof@gmail. com | (31) 996485643 whatsapp

A

ntigamente, lá pelos idos de 1970/80, se um consumidor comprasse uma televisão de última geração ou um veículo do ano e, algum desses produtos apresentasse defeitos, não seria nada fácil a solução da demanda. A ausência de lei específica combinado com a inexistência de um aparato jurídico ou administrativo de proteção deixava o consumidor totalmente desprotegi-

Parabéns consumidores do diante do fornecedor, quase sempre muito superior econômica e tecnicamente com relação ao comprador. A Lei 8.078, sancionada em 1990. Mais conhecida por todos como Código de Defesa do Consumidor, além de trazer os direitos básicos do consumidor, estabelece princípios a serem seguidos por toda a sociedade; inova o direito ao atribuir a responsabilidade objetiva do fornecedor, a responsabilidade solidária entre as empresas que participam da chamada cadeia de consumo, assim como a possibilidade do consumidor discutir e rever uma cláusula contratual diante da sua abusividade ou em razão de fatos supervenientes que a torne excessivamente

onerosa. Desde a criação do CDC, muitos avanços foram obtidos e inúmeros abusos foram coibidos nas relações de consumo, ressaltam os especialistas. Acesso à Justiça, liberdade de escolha de produtos e serviços, proteção contratual e proteção à vida e à saúde são alguns desses avanços, segundo os órgãos de defesa aos direitos dos consumidores. Dia Mundial do Consumidor Criado para proteger e lembrar sempre dos direitos e deveres do consumidor, não apenas entre as pessoas que consomem, mas também aos fornecedores que devem obedecer a legislação como forma

de harmonizar a relação entre o mercado de consumo e o consumidor. Como consumidor se considera todo aquele a quem sejam fornecidos bens, prestados serviços ou transmitidos quaisquer direitos, destinados a uso não profissional, por empresas ou pessoas que exerçam com caráter profissional uma atividade econômica que vise a obtenção de benefícios. Fornecedor é toda pessoa física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira, bem como os entes despersonalizados, que desenvolvem atividade de produção, montagem, criação, construção, transformação, importação, exportação, distribuição ou comercialização de produtos ou prestação de serviços. O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor foi instituído pela primeira vez no ano de 1962, pelo presidente dos Estados Unidos John

MOMENTO SINDICAL

Um dia especial para uma categoria tão virtuosa as fibras em fios e depois nos tecidos que viram peças de vestuário, artigos têxteis para o lar e uso doméstico, como as roupas de cama e mesa, tapetes, cortinas e as coberturas de sofás, “airbags” e cintos de segurança. Para onde olharmos, veremos a mãos dedicadas dos têxteis.

Renato Ilha, (MTb 10.300)

B

jornalista

ELO HORIZONTE/ MG – As roupas que vestimos e

que nos abrigam resultam do trabalho diário dos trabalhadores em fiação e tecelagem. São eles que transformam

Tanta importância motiva o Sindicato dos Têxteis de Belo Horizonte e Região a promover a tradicional festa em homenagem à classe, no dia 1º de maio, quando o mundo reverencia o valor da classe trabalhadora. A “Festa do Trabalhador” vai acontecer no Sítio Residencial localizado no município de Caetanópolis e que está vizinhança do conhecido Bola Verde.

São

homens

e mulheres que dignificam a indústria têxtil nacional, uma das pioneiras no processo de industrialização no Brasil.

Graças a você, trabalhador em fiação, tecelagem, malharia, beneficiamento de tecidos e confecção, trajamos a vestimenta que nos agrada, enfeitamos nossas casas com belas cortinas e utilizamos panos de prato e toalhas, em todos os dias. Festejar o dia do trabalhador têxtil é reconhecer o valor de quem está presente em nossas vidas em todos os momentos. Carlos Malaquias é presidente do Sindicato dos Têxteis de Belo Horizonte e Região

Março de 2018

Kennedy, como uma forma de dar proteção aos interesses dos consumidores americanos. O presidente norte-americano ofereceu quatro direitos fundamentais aos consumidores: 1 - Direito à segurança 2 - Direito à informação 3 - Direito à escolha 4 - Direito à ser ouvido Depois de 23 anos da ação de Kennedy, em 1985, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) adotou o dia 15 de março como o Dia Mundial do Consumidor, tendo como base as Diretrizes das Nações Unidas, dando legitimidade e reconhecimento internacional para a data criada por Kennedy.

seguinte (1991). Com o Código do Direito do Consumidor foi criado o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON), que está presente em todos os municípios e estados brasileiros. O principal objetivo do PROCON é servir como mediador entre os consumidores e fornecedores de produtos e serviços, em caso de conflitos.

Direitos do Consumidor no Brasil No Brasil, os direitos do consumidor estão protegidos através da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, que entrou em vigor apenas em 11 de março do ano

A importância dos parques na educação infantil Por Jovana Stosic

O

Parque Infantil é um educador ao ar livre, cuja finalidade é trazer ao conhecimento da criança os elementos da vida física, moral e intelectual, sob forma exclusivamente recreativa (MIRANDA, 1936, p. 95) As praças públicas são uma espécie de “patrimônio cultural” dos brasileiros. Afinal, crescemos brincando ao menos uma vez em uma. Seja no interior do país ou nos grandes centros urbanos, o fato é que as pracinhas são essenciais para a vida em sociedade. Por isso, gestores públicos devem se atentar para essa realidade – e essa urgência: é preciso construir verdadeiros refúgios que reúnam verde, espaço de lazer e de integração dos moradores em tempos onde cada vez mais nos escondemos dentro de nossas casas. Um parque ou uma praça bem cuidada, arborizada, com espaços de convivência e recreação incentiva a socializa-

ção dos moradores e das crianças. Não é incomum ver esses espaços sendo utilizados desde as primeiras horas da manhã até à noite. Parques públicos podem ser utilizados para se caminhar, contemplar a natureza, conversar com os moradores, levar os filhos para brincar no playground, praticar esportes e, ainda, ser palco de eventos culturais que incentivem cada vez mais a qualidade de vida, a felicidade dos moradores e a redução dos níveis de violência. A vizinhança é uma das formas mais estreitas de sociabilidade. É nela que podem se firmar sentimentos de amizade, de solidariedade, de lazer. Os parques e praças são promotores dessa sociabilidade ao permitir os encontros entre vizinhos, mesmo que desconhecidos. Ali, as crianças se unem para o futebol, negociam a ordem de quem desce primeiro no escorregador e, mesmo pequenas, acabam constituindo suas relações de vizinhança e diversas possibilidades de encontros mais próximos.


Março de 2018

CRÔNICA

Na convivência das praças a vida corre mais simples e feliz

foto: Michelle Tamietti

rogério faria tavares é jornalista e membro da Academia Mineira de Letras. entre em contato com a coluna: rfariatavares@ gmail.com

A

Praça da Liberdade (Foto) sempre foi um dos mais tradicionais centros de convivência social de Belo Horizonte. Da época de sua fundação, no final do século 19, ela surgiu como o coração do poder político e administrativo da nova capital, reunindo os prédios das secretarias de estado e o palácio do governador. Em 1937, também ganhou o Palácio Cristo Rei, concebido

sob as ordens de Dom Cabral e projetado pelo arquiteto italiano Raffaello Berti para sediar a Cúria Metropolitana e a residência oficial do bispo. Já o Edifício Niemeyer foi construído em 1955, por iniciativa de Antonio Joaquim e de sua esposa, a escritora Lúcia Machado de Almeida, autora de dois dos livros que mais marcaram a minha vida

de menino: “O escaravelho do diabo” e “O caso da borboleta Atíria”, para os quais a autora contou com a assessoria de um sobrinho querido, desde cedo apaixonado pelos insetos: o professor Angelo Machado, da UFMG, meu confrade na Academia Mineira de Letras. No Niemeyer, o casal promovia os famosos saraus literários a que acorriam

O valente e saboroso Tucunaré

O

lá pessoal olha eu aqui de novo com mais dicas de pesca. Hoje vou falar de um predador que briga valente e muito saboroso o tucunaré. Pesqueiro: enseadas das grandes lagoas ou barras de pequenos regatos. Pescarias: de preferência com iscas artificiais fazendo spinning ou piabas vivas, sempre usando o processo de arremessar e recolher sucessivas vezes quando usamos pequenas chumbadas de 10 gramas. Linhas: 0,30 a 0,60 conforme o caso. Carretilhas e molinetes: médios. Varas: de dois metros bem flexíveis. Anzóis: 1/0 ou 2/0 tipo jaú. Iscas: artificiais ou piabas vivas.

As melhores pescas de Tucunaré são as que fazemos com iscas artificiais das mais variadas espécies, que devemos selecionar até encontrarmos o tipo que ele está preferindo naquele dia e hora.

tunay é cabeleireiro e amante da pesca entre em contato com a coluna: tunayas365@gmail. com

os intelectuais mais importantes de Minas e do Brasil. Em pouco tempo, o prédio se transformou num dos ícones da cidade. Na praça também funcionou o famoso ‘footing’, momento com que as moças e os rapazes das gerações passadas contavam para flertar e, eventualmente, começar um namoro. Cantada em pro-

ano VIII | nº 106

sa e verso, ela aparece na obra de Pedro Nava, Drummond e Fernando Sabino, entre outros. Durante vários anos, foi o lugar da realização da ‘Feira Hippie’, hoje na avenida Afonso Pena. Embora importante como núcleo de exposição da gastronomia, da arte e do artesanato produzidos em Minas, a feira não se adequava bem ao espaço, pondo em risco o seu verde e o patrimônio histórico. O acertado gesto de retirá-la de lá coube a um amigo: Roberto Borges Martins, então administrador da Regional Centro-Sul. O tempo passou e a história da praça foi seguindo o seu curso. Atualmente, ela atrai milhares de visitantes por conta das atividades culturais que passou a abrigar. Na semana passada, conferi o Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File) na sede do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e gostei demais. Carlos se divertiu a valer, interagindo com diversas das obras de autoria de artistas de todas as partes do mundo. Pesquisando

GAZETA Da lagoinha

|9

sobre a trajetória do festival, descubro que ele existe desde o ano 2000 e que é o maior evento de arte e tecnologia do País. Outro lugar encantador da praça é a Biblioteca Pública, comandada com brilho por Lucas Guimaraens, pertencente a uma das mais ilustres famílias literárias do Brasil. Passando em frente ao prédio projetado por Oscar Niemeyer, recordo-me imediatamente de cenas da infância, quando costumava frequentar a sua Sala de Multimeios, onde era oferecido o famoso curso de teatro do professor Helvécio Ferreira. Por tudo isso, às vezes, me pergunto: o que seria das cidades sem as suas praças e o tanto de vida que há nelas? Restariam os passeios pelos shoppings, muito bons em alguns contextos, mas nada aconselháveis quando se quer apenas um pouco de ar, uma caminhada entre chafarizes e jardins, sem a necessidade de comprar nada, como nos tempos em que era bem mais simples ser feliz.


10 |

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nº 106

A saga continua... por Katia Santos

S

O povo e o direito de ir e vir

Nunca foi feito um estudo, para avaliar a qualidade desta água, que corre por uns 20 a 30 metros durante mais de 70 anos. Puro desperdício atualmente! Água que nos ajudou a sobreviver com boa qualidade. Hoje, entregue ao relento e abandono pelas autoridades, sendo usada portanto, a quem não tem moradia. Segue também, nesta matéria, fotos do caminhão, que está parado atrás do edifício cinco, há mais de um ano! Ele está se tornando abrigo dos banhistas e motel para os mesmos! Sem contar, que também serve de esconderijo de ratazanas que ameaçam a vida e a saúde de todos, inclusive dos moradores! Não é a primeira vez que faço queixa deste caminhão e tudo continua na mesma! Porque será?

S

Foto: Katia Santos.

e todos continuarmos apáticos e com medo, em pouco tempo o IAPI, se tornará anexo de morador de rua, tornando inseguras as residências e frágeis nossas vidas aqui. Precisamos abrir a boca! Reclamar, pedir ajuda, denunciar o erro! Erro este que reflete diretamente em nossas casas, em nossas vidas! Precisamos sair do comodismo na forma de pensar e agir. É cômodo apenas reclamar e não fazer nada, para não se comprometer! Como todos nós moradores, temos famílias aqui dentro, temos crianças, temos idosos... a maioria das pessoas preferem a covardia da omissão e ficam caladas, deixando que assumam as consequências sozinhas, as pessoas de atitude que vão em busca de soluções.

Nem todas sabem onde pedir ajuda, mas procuram... e encontram! Não podemos mais ficar de braços cruzados e de boca lacrada! Chega! Hoje, o acesso a informação é imenso! Assim como também, a facilidade de comunicação, a facilidade de fotografar erros de cunho social que ameaçam nossa segurança e bem-estar! Vejam no quê está se tornando o lençol freático que desde a construção do IAPI, corre atrás dos edifícios nove e sete! Trata-se de uma água, que nos anos 60 e 70, em épocas de falta de água, todos os moradores do Conjunto usavam esta abençoada água para beber, cozinhar e tomar banho! Nunca havendo, que soubéssemos, um caso de esta água fazer mal a alguém. Moradores mais antigos podem testemunhar isso.

Março de 2018

erviço de extrema importância, o transporte público urbano é parte essencial de uma cidade. De preferência, quanto maior a cidade, mais urgente que ele seja o principal meio de locomoção, garantindo o direito de ir e vir de seus cidadãos. Mas, sendo ele um aspecto essencial de uma cidade cheia de problemas, infelizmente é natural que ele tenha grandes problemas também. Em Belo Horizonte não é diferente. O transporte coletivo repete defeitos e descasos da própria capital mineira: o esquecimento da periferia, o desprezo com as necessidades dos mais pobres. Todos precisamos e temos o direito de ir e vir, seja a trabalho ou a lazer. Mas quanto mais pobre, mais difícil acessar esse direito. Não precisa nem ser um bairro afastado: a nossa Pedreira Prado Lopes, ao lado do Centro de BH, sofre há quase nove anos com uma alteração da linha 9402, que parou de acessar a parte alta do bairro.

Todos foram afetados com essa mudança, mas os principais atingidos são sempre crianças e idosos. Para quem mora na parte alta da Pedreira, ficou mais difícil entrar e sair do bairro. Para quem mora na parte baixa, ficou mais difícil acessar o Posto de Saúde. “O ônibus não consegue subir o morro”, dizem. Ora, quer mais morros que os bairros Santo Antônio, Santa Lúcia e Gutierrez, por exemplo? Não aceito essa desculpa! O transporte público tem que ser um direito de todos! É por isso que defendo e me coloco ao lado do prefeito Alexandre Kalil. Além de nos ter ouvido e apoiado na luta pela volta do 9402 à Pedreira, esse ano ele colocou em prática uma de suas promessas de campanha: uma auditoria nas contas e contratos da BHTrans. Com isso a expressão “abrir a caixa-preta do transporte público de Belo Horizonte” se tornará verdade. Entenderemos, enfim, porque um ser-

CATATAU DA ITATIAIA é vereador por Belo Horizonte (MG) e radialista. entre em contato: pelo (31) 3555-1147.

viço essencial consegue ser tão caro mesmo prestado de forma tão deficiente. Com esses dados será possível identificar se há ou não a necessidade de uma CPI (que não faz nenhum sentido sem essas informações) na Câmara Municipal. Porque essa é uma demanda da sociedade. Porque faltam respostas. Porque estamos “a pé” na qualidade do serviço prestado. Porque o direito de ir e vir não pode atender apenas os bairros nobres. Porque esse é um direito de todos.

SEGURANÇA PÚBLICA

Deputado protocola lei que obriga uso de árbitro de vídeo em torneios profissionais Edson moreira é deputado federal pelo Partido da República (MG). entre em contato: é dep.delegadoedsonmoreira@ camara.leg.br ou pelo (61) 3215-5933.

O

deputado federal Delegado Edson Moreira (PR-MG) apresentou, na Câmara dos Deputados, o projeto de lei 9715/18 que exige a

utilização do árbitro de vídeo em competições profissionais em que há cobrança de ingresso. A aplicação da tecnologia pretende resolver as dúvidas em lances decisivos dos torneios esportivos. De acordo com o projeto, o custo da aplicação da tecnologia será arcado pelas entidades responsáveis pelos torneios. No caso dos torneios de futebol, os valores com a im-

plementação ficariam a cargo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Campeonato Brasileiro, e da Federação Mineira, no Campeonato Mineiro. O deputado Delegado Edson Moreira afirma que é direito do torcedor pagante ter a garantia de assistir a um evento esportivo em que prevaleçam a lisura, a transparência e a justiça. “A FIFA faz questão de manter as regras e

recursos do futebol quase que inalterados desde seu estabelecimento como desporto profissional, há mais de um século, é preciso evoluir e trazer mais tranquilidade até para os árbitros, que são humanos e passíveis de erros”, completou. O VAR (Árbitro Assistente de Vídeo, na sigla em inglês) será utilizado pela primeira vez na Copa do Mundo da Rússia, este ano.

FOTO Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

O sistema foi aprovado no dia 3 de março em reunião da International Football Association Board (Ifab), órgão que trata das regras do futebol. No ano passado, o árbitro de vídeo foi utilizado em jogos decisivos da Libertadores e da Copa Sul-Americana. Nas quarta de final da Copa do Brasil

deste ano, a tecnologia também será utilizada e a CBF arcará com todos os custos das 14 partidas. Agora, o projeto, que inclui a obrigatoriedade numa alteração ao Estatuto do Torcedor e à Lei Pelé, segue para análise das comissões da Câmara dos Deputados.


Março de 2018

Cientistas criam feijões que se desenvolvem em temperaturas mais altas. Onde vamos parar?

ano VIII | nº 106

GAZETA Da lagoinha

CLASSIFICADOS

AMANDA LEITE é engenheira ambiental, especialista em Qualidade. entre em contato com a coluna pelo email: amandacrleite@gmail.com

O

aquecimento global se torna cada vez mais presente na vida da população. Não houve, nos últimos anos, atitudes significativas para diminuir as emissões de gases de efeito estufa, e inverter o cenário catastrófico que o planeta pode estar exposto. O aumento da temperatura global talvez altere sistemas indispensáveis para o planeta, como derretimento das calotas polares, aumento do nível dos oceanos, alterações nas águas e nos ecossistemas marinhos. Também pode ocorre alteração no ciclo da água, no regime de chuvas, período de secas, ondas de calor e de frio; essa instabilidade no clima pode gerar variações na biodiversidade terrestre. As consequências certas do aquecimento global são difíceis de serem previstas, mas pode-se garantir que a população de todo o

planeta será atingida. A Organização das Nações Unidas (ONU) realiza o controle das emissões, disponibiliza relatórios e propõe metas a serem alcançadas pelos países. E quais atitudes são tomadas? A CGIAR, uma parceria global para pesquisas sobre agricultura, desenvolveu novas variedades de feijão que são capazes de crescer em temperaturas até 4ºC acima da média. Na atualidade, quando as temperaturas são superiores a 18ºC ou 19ºC, a qualidade e o rendimento do feijão começam a cair. A pesquisa foi bem aprofundada e testou mais de mil linhagens do grão. Steve Beebe, pesquisador sênior do CGIAR, afirmou em entrevista ao portal G1: “quando nossos colegas que trabalham com mudanças climáticas e modelos climáticos calcularam que até 50% das áreas de cultivo de feijão poderiam

ser perdidas devido ao estresse provocado pelo calor na metade do século, percebemos que era necessário fazer algo”. É exatamente o “fazer algo” que preocupa. Não que a pesquisa do feijão seja errada. Muito pelo contrário, ela pode garantir que terras pobres de nutrientes possam se tornar boas plantações de feijão, que é um alimento rico. Nutrindo regiões necessitadas na América Central e África, que receberão as primeiras amostras. Mas o fato da sociedade não tomar atitudes significativas para garantir educação ambiental à população; com campanhas de conscientização e leis rígidas, que garantam que a quantidade de emissões de gases de efeito estufa seja realmente reduzida; mostra que se caminha para uma possível adaptação ao futuro catastrófico, enquanto seria necessária conscientização e tomada de atitudes para inverter o cenário. Escolhemos o pior caminho.

Anuncie aqui (31) 99115-2022

| 11


CONHEÇA O BOM COMÉRCIO DA RUA PITANGUI

12 |

GAZETA Da lagoinha

Março de 2018

ano VIII | nº 106

Aqui você encontra de tudo um pouco: supermercado, mercearia, padaria, lanchonetes, bares, restaurantes, pizzarias, tralleres de sanduíches, farmácia, salão de beleza masculino e feminino, chaveiros, academia de musculação, academia de hidroginástica, escolinha de futebol e aluguel de campo society, consultório dentário, escritório de advocacia, a escola Instituto Recrear com bercário, maternal, 1º e 2º períodos do ensino fundamental .

A Lanchonete Casa Estrela, há mais de 50 anos fazendo parte do bairro Lagoinha e do comércio local. Conhecida como Lanchonete da Dona Lourdes. Fica na Rua Formiga 66 / Bairro Lagoinha


Hummmm Março de 2018

ano VIII | nº 106

Enaltecer a cozinha mineira com respeito à terra e as pessoas: esse é o propósito do Programa Valorizar a Gastronomia Articulada às Bases Agroecológicas, lançado na noite do último dia 21 no Mercado Popular da Lagoinha. inscrever a partir do dia 26/03 através do link https://prefeitura.pbh.gov. br/smasac/seguranca-alimentar-e-nutricional

por Filipe Thales

C

om uma metodologia que respeita a liberdade de escolha da trilha a seguir do interessado, os cursos oferecidos pelo programa vão desde a

panificação e confeitaria passando pelo empreendedorismo, agroecologia e gastronomia alimentar. Ao todo serão mais de 700h de aprendizado e vivências e os interessados podem se

Gerido pela Secretaria de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, esta é uma iniciativa digna de apoio de quem acredita na requalificação da Lagoinha e sonha o “Mercadinho da Lagoinha” movimentado com muita música, comida e alegria. Além da segurança alimentar, a SMASAC desenvolve políticas

O Coletivo Viva Lagoinha é uma iniciativa de comunicação social que conecta as pessoas que sonham com a requalificação da Lagoinha através das artes, música e empreendedorismo. Facebook: https://www.facebook.com/vivalagoinha/ Instagram: https://www. instagram.com/viva.lagoinha/WhatsApp: 31.996701442

públicas voltadas para os idosos, mulheres, pessoas com deficiência, população LGBT e para a promoção da igualdade racial. Sejam todxs bem vindxs à Lagoinha.

Fotos: Zaíra Magalhães/PBH

GAZETA Da lagoinha

| 13


14 |

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nº 106

Mesmo após as duas boas vitórias, Brasil precisa melhorar Já a Espanha, de Lopetegui, goleou a Argentina e chega forte ao Mundial

foto: Wolfgang Rattay/Reuters

TOSTÃO é médico e ex-jogador, é um dos heróis da conquista da Copa de 1970.

A

pós a eliminação da Espanha na primeira fase do Mundial de 2014, os apressados disseram que era o fim de uma grande geração. Piqué, Sergio Ramos, Busquets e Iniesta continuam brilhando no Barcelona e no Real Madrid. De Gea, Carvajal, Jordi Alba, Thiago Alcântara, Isco, David Silva e Asensio são destaques nas melhores equipes do mundo. Diego Costa é artilheiro. A ideia espanhola, de troca de passes e de

infiltrações no momento certo, continua viva. Faltava um Tite espanhol para rejuvenescê-la e aprimorá-la, como ocorreu com o jovem Lopetegui, que foi técnico campeão mundial nas categorias de base e que tem menos de dois anos de trabalho na seleção principal. Messi, na tribuna, ao ver o sexto gol da Espanha, foi embora,

triste, cabisbaixo. Deve ter pensado que nunca será campeão do mundo. A pequena chance seria se Sampaoli seguisse o modelo de Sabella, técnico na Copa de 2014, de fortalecer bastante o sistema defensivo e contar com o talento de Messi no contra-ataque, sem passar a bola para Higuaín. Porém, Sampaoli está muito mais para o Loco Bielsa do que

para o pragmático Sabella. O problema da Argentina não é apenas coletivo. Fora Messi e alguns ótimos jogadores (Otamendi, Di María, Agüero e até Higuaín), há muitos titulares que são bons em seus times, mas fracos para uma grande seleção. Seria como se vários jogadores convocados por Tite fossem titulares, como Lucas Lima, Die-

Março de 2018 go Souza, Diego, Talisca, Taison, Giuliano, Fágner e outros. Se entrasse um ou outro, não haveria problema, mas, se atuassem vários juntos, enfraqueceria demais a seleção. Sampaoli, como tantos, confunde habilidade com técnica. Prefere, para a reserva de Messi, o habilidoso Lo Celso, de muitos lances, poucos decisivos, a Dybala, extremamente técnico, de poucos lances, porém, decisivos, como nas extraordinárias finalizações. A França possui uma ótima geração, mas o time tem altos e baixos. Um dos problemas é o técnico Deschamps, incapaz de escalar, juntos, os melhores. Mbappé só se tornará um grande craque quando passar a jogar mais pelo meio, para aproveitar sua habilidade, técnica e incrível velocidade. Formaria uma ótima dupla de ataque com Griezmann, mas o treinador acha que Mbappé tem de jogar na ponta. Prefere, de centroavante, o grandalhão Giroud. Mesmo após as duas vitórias, com boas atuações, algumas coisas precisam ser melhoradas

na seleção brasileira. Contra a Rússia, na formação com um volante e dois meias ofensivos, apenas o meia Paulinho voltava para marcar. Repito, o espaço, o campo, parecia muito longo para Coutinho avançar e recuar. A Rússia, quando atacava, tinha muita facilidade e criava chances de gol. Contra a Alemanha, Fernandinho reforçou bastante a marcação no meio-campo. Mesmo assim, a Alemanha, com troca de passes pelos lados, sempre com dois jogadores em cima de um lateral, cruzou várias bolas perigosas da linha de fundo, que passaram muito perto do centroavante. Ainda bem que o Brasil possui dois excelentes zagueiros, pelo alto e pelo chão. Mas, com Müller, que chega muito bem de trás para finalizar, as chances de gol da Alemanha seriam bem maiores. Além dos fatos que podem ser vistos, analisados, esmiuçados, informatizados, existem os que são invisíveis, que moram ao lado e que só se revelam após o fato consumado.

ANGEL MILENA

ALUNA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

ALVES JENNIFEr GoNÇ

ALUNA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

MENTAL A D N U F O IN S N E

s o v o n 0 0 4 . 1 e s a d a m r o f e r . s e a d l a o d c i s c e a s s o n m e 80% das o ã ç a c u d E a r a r o h l p r o f es s o r es p a r a m e ais presente na vida

ensino cada vez m o r ca lo co ra pa to ui m ceber melhor re do ra ha Pa al ab a. tr di r m te po E s . ra do ho tu 9 ucação é a base de grada, aprendendo ed te a In e la qu co ram nomeados be Es fo a sa o, e m ss ra nt di zo og ri Pr ém Ho Al do . lo te te Be en en de am lm ra ne ua A Prefeitu ntes participam at passaram por reformas e melhorias simulta isa para fazer. Investindo na formação da tu es il m 50 de a rc Ce da nossa gente. nda existe muita co ensino municipais ai de as M es l. ad ta id é uma cidade en un sa am 6 Es . nd 25 , as Fu es nç no or ia si cr ad En uc as no ed ss e e no il os nt as nossos alun ada educativa para uar na Educação Infa rn at jo ra sa pa es s ir re nt so ra es ga of os pr m s de vo mais de 1.400 no is e responsáveis, po solver os problemas de verdade. pa s do o oi ap o m co e s re continuada dos professo de verdade e que tem trabalhado sério para re de verdade, com problemas pb h. go v. br


Março de 2018

Decretado: que o Galo Larghi na frente!

FLÁVIO DOMÊNICO é jornalista e ama o futebol. acompanhe o twitter dele: @flaviodomenico. entre em contato com a coluna pelo email: fl av i o d o m e n i c o @ gmail.com. Olá amigos e amigas do Gazeta da Lagoinha!

P

or mais que a final Atlético e Cruzeiro seja premeditada e querida por todos, os clássicos são sempre recheados de surpresas e de muita emoção. No último domingo, domingo de Páscoa, não foi diferente. No primeiro jogo da final Atlético e Cruzeiro protagonizaram mais um clássico emocionante. Na história do Campeonato Mineiro são 276 jogos, 116 vitórias para o Galo, 69 empates e 91 vitórias do Cruzeiro. São 664 gols! O Cruzeiro terminou a primeira fase em primeiro lugar e entrou para as finais com uma vantagem de jogar por dois placares iguais. Time celeste fez um primeiro turno irretocável sob o comando de Mano Menezes. Correndo por fora veio o Atlético, que terminou a primeira fase em terceiro lugar, 11 pontos atrás do Cruzeiro e vem apostando na possível revelação brasileira da nova geração de técnicos, Thiago Largui. Galo tira vantagem e faz 3x1 O Atlético vem mudando sua postura em campo. Tal afirmação se deu principalmente no último jogo contra o América. Thiago Larghi conseguiu, enfim, acertar o posicio-

namento do volante Elias e assim, favorecer mais a participação de Cazares no jogo. Além disso, Adilson ganhou um companheiro na proteção da zaga. Contra o Cruzeiro no último domingo não foi diferente. Sabendo que precisa reverter a vantagem, o Atlético repetiu a formação do jogo contra o América e foi para cima do Cruzeiro. Já no primeiro tempo, num jogo muito movimentado o Atlético finalizou 5 vezes de forma certeira contra 3 do Cruzeiro. Mas em 9 minutos, a partir dos 36 do primeiro tempo, o Atlético fez 3 gols. Parecia que poderia, inclusive, voltar para o segundo tempo e ampliar o placar. O Cruzeiro estava desorganizado em campo. Em pleno dia da mentira, parecia mesmo irreal que um time tão organizado como o de Mano Menezes

estivesse perdido logo ao enfrentar seu maior rival. No segundo tempo o jogo continuou franco. Foi um clássico na bola e de muita técnica aplicada em ambos os lados. O Cruzeiro voltou com Arrascaeta no lugar de Rafinha que não havia feito um bom primeiro tempo. E essa alteração resultou no gol do Cruzeiro que diminui a vantagem do Galo e levou para o Mineirão o veredito fina: 3x1 para o Atlético e o Cruzeiro agora jogará no próximo domingo precisando ganhar de dois gols de diferença para levar a taça do Campeonato Mineiro. Taça essa que foi para a Toca da Raposa pela última vez em 2014. Já o Galo, pensando no último título do Cruzeiro em 2014, pode levantar a taça do Campeonato Mienrio pela terceira vez caso mantenha sua vantagem no jogo de volta no Mineirão!

O meio da caminho Cruzeiro enfrenta o Vasco pela segunda rodada da Taça Libertadores da América já no meio desta semana. Terá de dar uma pausa no pensamento do jogo de domingo, no jogo da volta contra o Galo. E o Atlético faz o jogo de volta também no meio desta semana contra o Ferroviário do Ceará pela Copa do Brasil. Semana movimentada! Semana que promete! Início quente para Atlético e Cruzeiro. Ambos os times estão num bom caminho. O Cruzeiro numa sequência com Mano. Um time compacto, veloz e capaz de apresentar um futebol envolvente e muito competitivo. Tem boas peças. Tem um excelente entrosamento. Já o Atlético vem se refazendo. A partir do

ano VIII | nº 106

trabalho do então interino, Thiago Larghi, o Galo vem fomentando um jeito novo de jogar. De forma mais equilibrada e coerente. Hoje já se nota uma postura agressiva e forte nos jogadores, coisa que não se via há tempos. Fato é que o ano realmente está só começando para os mineiros! Um meio de semana recheado de emoção na Libertadores e na Copa do Brasil. Mas, emoção mesmo, está reservada sem dúvida para domingo na grande final do Campeonato Mineiro, no Mineirão. Desta vez, foi decretado que o Galo “Lar-

GAZETA Da lagoinha

| 15

ghi” na frente! Mas o trabalho de Mano não pode ser ignorado e o Cruzeiro promete vir forte para cima do Atlético afim de reverter o placar. Ganha o torcedor. Ganha o futebol mineiro! Que seja novamente um clássico de paz e de muito futebol dentro de campo! Aproveito para desejar uma Feliz Páscoa para você e toda sua família! Muita paz, renovação e atitude nova para todos nós, homens e mulheres de bem! Lembremos sempre: somos muito mais, em Deus! Até a próxima!


16 |

GAZETA Da lagoinha

ano VIII | nยบ 106

Marรงo de 2018

Edição 106 Gazeta da Lagoinha - Março 2018  

Jornal de apoio às iniciativas comunitárias do Bairro Lagoinha - BH/MG - Março 2018

Edição 106 Gazeta da Lagoinha - Março 2018  

Jornal de apoio às iniciativas comunitárias do Bairro Lagoinha - BH/MG - Março 2018

Advertisement