Page 1

QUARTA-FEIRA, 17 DE ABRIL DE 2013

O melhor da

gazetarussa.com.br

www.rbth.ru

ITAR-TASS

PRODUZIDO POR RUSSIA BEYOND THE HEADLINES

Viagem pela Transiberiana

Tolerância zero à droga

A ferrovia que permite ir da Europa ao extremo oriente da Rússia em 7 dias

Para chefe da agência de controle de narcóticos russa, descriminalização é “solução ilusória”

P.4

P.2

Publicado e distribuído com The New York Times (EUA), The Washington Post (EUA), The Daily Telegraph (Reino Unido), Le Figaro (França), La Repubblica (Itália), El País (Espanha), Folha de S.Paulo (Brasil), The Economic Times (Índia), La Nacion (Argentina), Süddeutsche Zeitung (Alemanha), The Yomiuri Shimbun (Japão) e outros grandes diários internacionais

Tecnologia Parceria visa ampliar mercado latino-americano atuando em prestação de serviços e manutenção

NOTAS

Brasil vai montar helicópteros russos

Russo é segundo idioma mais frequente na rede

o Brasil os helicópteros militares para transporte Mi-35 e de múltiplas funções com rotores coaxiais Ka-32A11VS.

Serviço mais próximo

ITAR-TASS

Dificuldade de manutenção de equipamentos russos devido à distância estimula Russian Helicopters a construir montadora no país. VASSÍLI KRILOV GAZETA RUSSA

Durante a cúpula dos Brics na África do Sul no final de março, o vice-diretor da corporação estatal Rostekh, Dmítri Chugaev, declarou que a fabricante de helicópteros Russian Helicopters passará a montar alguns ve-

ículos no Brasil. “A empresa Rostekh, em cooperação com o grupo industrial-militar brasileiro Odebrecht, planeja realizar a montagem, manutenção e reparação de helicópteros russos e de outros produtos militares e

civis russos no Brasil”, declarou Chugaev. “Atualmente temos centros de manutenção e serviço em diversos países da União Europeia, Ásia e América do Sul”, completou. A Rússia já exporta para

Montagem e manutenção locais beneficiarão outros compradores, como Peru, México e Venezuela

“O Brasil é um dos maiores importadores de helicópteros russos, mas a grande distância entre o Brasil e a Rússia dificulta a manutenção e o serviço técnico dos equipamentos. A construção de uma montadora no território brasileiro resolverá esses problemas”, disse à Gazeta Russa o analista militar Dmítri Litóvkin. “O projeto é, sem dúvida, mutuamente vantajoso, porque, além dos brasileiros, a Rússia está exportando equipamentos militares e civis também para a Venezuela, Peru e México”, afirma. O primeiro contrato para o fornecimento de helicópteros Ka-62 à empresa brasileira Atlas Táxi Aéreo foi assinado em dezembro de 2012, durante a visita oficial da presidente brasileira Dilma Rousseff a Moscou. “O contrato prevê fornecimento de sete helicópteros Ka-62 ao parceiro brasileiro entre 2015 e 2016”, afi rma Chugaev. Além da cooperação com o Brasil, a Russian Helicopters está intensificando a cooperação com a sul-africana Denel Aviation. No início de 2013, as empresas abriram um centro de manutenção conjunto na África do Sul. “Tudo isso é parte da nossa estratégia para facilitar a manutenção dos nossos produtos no exterior”, diz o vice-diretor geral da Russian Helicopters, Andrêi Chibitov.

Impasse Países não chegam a consenso sobre instituição

Álcool Restrições são sociais e legais

Banco dos Brics fica só na intenção

Kremlin quer cidadãos mais sóbrios

que especifica as atividades para o próximo ano e cobre novas áreas de compromisso entre os países, e assinar a m a “D e c l a r aç ão de eThekwini - Parceria para o Desenvolvimento, Integração e Industrialização”, cujo nome homenageia a região de Durban que sediou o encontro. “Esses documentos apresentam a percepção da atual situação política e econômica no mundo e registram as abordagens comuns das economias do Brics em relação às questões mais relevantes da cooperação multilateral”, disse o conselheiro do Kremlin para política exterior, Iúri Uchakov.

Primeiros sucessos ALEXSEY DRUGINYN/ RIA NOVOSTI

Cúpula do Brics resultou em diversos acordos, inclusive a criação de um Conselho Empresarial. Banco do grupo, porém, terá de aguardar. ALINA SABÍTOVA ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

A 5ª cúpula do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), realizada no final de março em Durban, na África do Sul, teve a agenda mais ambiciosa da história

do grupo. No encontro, os chefes de Estado dos cinco países planejavam abordar uma série de questões, desde a tradicional reestruturação da economia global à tomada de ações reais sobre o projeto de criação do banco do Brics. No entanto, nem todos os temas resultaram em acordos. Após uma série de encontros, os cinco líderes do Brics adotaram o Plano de Ação,

Presidente russo Vladímir Pútin comparou países do Brics a animais africanos: elefante, rinoceronte, búfalo, leão e leopardo

Para o presidente russo Vladímir Pútin, as comunidades empresariais dos países do Brics conseguiram criar condições para garantir a segurança, estabilidade e prosperidade no mundo. “O Brics consiste em cinco países, e cinco é um número especial para a África. Os grandes animais do continente, as cinco espécies mais respeitadas entre os caçadores, são o elefante, o rinoceronte, o búfalo, o leão e o leopardo”, disse Pútin durante a cúpula, fazendo referência ao poder e i n f luência dos Estados-membros. A declaração bate com a retórica sobre o Brics. O gruCONTINUA NA PÁGINA 3

SHUTTERSTOCK/LEGION-MEDIA

De acordo com estudo da companhia de pesquisas tecnológicas W3Techs, o russo é hoje o segundo idioma mais usado na internet (em 5,9% dos sites), atrás apenas do inglês (54,7%). O russo ultrapassou o alemão (5,9%), que agora ocupa a terceira posição por uma questão de centésimos, seguido pelo espanhol (4,7%). Além disso, o domínio “.ru” alcançou o primeiro lugar entre domínios de topo genérico de países e mantém a terceira posição no ranking geral, atrás do “.com” e “.net”. Kommersant

Pútin defende Femen No dia 8 de abril, durante visita oficial à Alemanha, o presidente Vladímir Pútin teve seu discurso interrompido por ativistas do movimento Femen. Com os seios à mostra e palavras de baixo calão em russo pintadas nas costas, as mulheres foram retiradas da sala à força por seguranças. “Aquilo não me pareceu certo, podiam tê-las tratado de maneira mais suave”, disse Pútin. Lenta.ru

Congestionamento líder Moscou encabeça a lista das cidades mais congestionadas do mundo. Organizada pelo grupo holandês TomTom GPS, o estudo mostrou que o tempo médio que os moscovitas perdem no trânsito aumentou 66% entre 2011 e 2012. O morador da capital gasta em média 127 horas por ano no trânsito. Segundo a pesquisa, o dia mais engarrafado de 2012 foi 29 de novembro, quando a cidade ficou paralisada devido a fortes nevascas. RBC

NESTA EDIÇÃO POLÍTICA E SOCIEDADE

A lendária capacidade dos russos de beber em excesso é finalmente desafiada - por mudanças na ética de trabalho e pressão do governo. BEN ARIS ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Diante do alarmante declínio demográfico na Rússia, o governo está intensificando a luta contra uma famosa paixão nacional: as bebidas alcoólicas. Em janeiro, impostos mais severos aumentaram os preços da vodca, enquanto duras restrições sobre os varejistas proibiram a venda de bebidas alcoólicas após as 22h. O consumo de vodca tem caído nos últimos anos, ainda que a redução não tenha sido uniforme. Ao longo de quatro anos, a queda foi de 7%, de 1,7 bilhão de litros em 2009 para 1,5 bilhão de litros em 2012. Apesar disso, a média continua em torno de 12 litros por pessoa ao ano, colocando os russos entre os maiores consumidores de álcool do mundo. A previsão é de que o consumo caia mais rapidamente neste ano, para 1,3 bilhão

de litros (9,88 litros por pessoa).

Longevidade O álcool e o fumo são as duas principais causas de morte na Rússia, respondendo por cerca de metade de todos os óbitos do país, de acordo com a OMC (Organização Mundial de Saúde). Cada vez mais preocupado com o impacto desse hábito no desenvolvimento econômico da Rússia, o governo está intensificando suas campanhas contra as bebidas alcoólicas. Mesmo assim, as mudanças não são facilmente perceptíveis, já que não houve nenhuma campanha específica de conscientização pública. A redução do consumo de álcool é considerada uma decisão política arriscada desde a campanha antiálcool de 1980, promovida pelo líder soviético Mikhail Gorbatchov. Sua intenção era limitar o horário de vendas entre as 2 da tarde e as 7 da noite, seguindo regras draconianas, mas a ação foi

Golubtsi, o charutinho de repolho russo

CONTINUA NA PÁGINA 2

PÁGINA 4

KOMMERSANT

Políticos russos descobrem as redes sociais PÁGINA 2

RECEITA

LORI/LEGION MEDIA


Política e Sociedade

GAZETA RUSSA WWW.GAZETARUSSA.COM.BR

ENTREVISTA VÍKTOR IVANOV

‘Descriminalizar drogas é ilusão’ DIRETOR DO SERVIÇO FEDERAL PARA CONTROLE DE DROGAS DA RÚSSIA CONTESTA IDEIA DE QUE POLÍTICA ANTIDROGAS É INEFICAZ E SE OPÕE À LEGALIZAÇÃO COMO FORMA DE RESOLUÇÃO DO PROBLEMA roína afegã atravessa o território iraquiano para o Sahel na África Ocidental e Central e, de lá, para a Á f r ica do Nor te e a Europa.

VOZ DA RÚSSIA

Durante uma sessão da Comissão sobre Narcóticos das Nações Unidas, realizada em Viena em meados de março, o diretor do Serviço Federal para Controle de Drogas da Rússia, Víktor Ivanov, manifestou-se contra a legalização até mesmo de drogas consideradas leves, como a maconha. Segundo o especialista, a descriminalização das drogas é uma “solução ilusória”. Questionado sobre a origem do problema de propagação das drogas, Ivanov enfatizou a existência de dois centros globais de produção em dimensão industrial: países da América do Sul (Colômbia, Peru e Bolívia) e Afeganistão.

FORMAÇÃO: ENGENHEIRO

Formado em 1974, Víktor Ivanov serviu o exército soviético e trabalhou como engenheiro em São Petersburgo até 1977, quando ingressou nos órgãos de segurança estatais. Trabalhou na área por 20 anos, chegando ao cargo de vice-diretor do FSB (Serviço de Segurança Federal, órgão que substituiu o KGB). É diretor da agência de controle de narcóticos desde 2008.

Consumo livre de pena De acordo com a lei federal russa “Sobre Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas”, de 8 de janeiro de 1998, consumir entorpecentes não é em si uma ação sujeita a infração penal. A responsabi-

picos ou análogos é punível com prisão de quatro a oito anos, enquanto o tráfico em escolas, clubes e bares pode render até 12 anos de prisão. Pela produção, tráfico ou porte em grandes quantidades, a pena é de 15 anos a prisão perpétua.

lidade penal é aplicável ao cultivo ilícito de plantas que contenham substâncias narcóticas, estímulo ao uso de entorpecentes, porte e venda de narcóticos. A produção ilegal de entorpecentes, psicotró-

Redes Sociais Políticos russos desbravam o mundo do Twitter e Instagram lênin, publicou no Twitter a foto de uma minhoca que teria supostamente encontrado na salada durante uma recepção no Kremlin. Instantes depois, surgia um novo microblog, que previa o afastamento de Zelenin e anunciava a própria minhoca como futura governadora da região.

Entre Twitter e brioches

PHOTOSHOT/VOSTOCK-PHOTO

www.gazetarussa.com.br/18287

O premiê Medvedev é figura carimbada nas redes sociais, sempre conectado no Twitter

Políticos chegam às redes sociais Políticos encontram um novo cenário para aparecer, mas suas ações por vezes recebem críticas contundentes de seguidores. DMÍTRI ROMENDIK ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

O polêmico presidente da Tchetchênia, Ramzan Kadirov, tem seu próprio perfil no Instagram e, de acordo com sua assessoria, é o mais citado entre os políticos. Não satisfeito, Kadirov nomeou um de seus seguidores na rede social, Arbi Tamaiev, para titular de seu novo Ministério para Cooperação com a Sociedade Civil. “[Com o Instagram,] ele adquiriu uma combinação única

O senhor afirmou em uma entrevista que uma grande quantidade de drogas sintéticas entra na Rússia a partir da Europa... Cerca de 50% das drogas sintéticas provêm da Alemanha, Holanda, Bulgária, Polônia e países do Báltico. São transportadas, geralmente, em carros de passageiros, veículos de carga, aviões e navios. O consumo de drogas na Rússia está aumentando ou diminuindo? Nosso órgão está completando 10 anos de trabalho. A estrutura do serviço conta com especialistas no assunto entre os efetivos do Ministério do Interior e essa decisão comprovou sua eficácia. Conseguimos organizar a luta contra o narcotráfico e hoje investigamos cerca de 85% dos crimes de narcóticos cometidos por grupos organizados, assim como todos os processos ligados à lavagem de dinheiro e à legalização de meios relacionados às drogas. Como resultado, aproximadamente 90% dos centros clandestinos de consumo de drogas foram liquidados. Coordenamos a atividade

de confiabilidade, por usar foto e interatividade”, diz o presidente da agência de comunicação Agency One, Aleksêi Goreslávski. Para ele, a nomeação feita por Kadirov é um tipo de “populismo moderno, uma tentativa de obter novos seguidores e fazer disso um show popular”.

Caudilho da rede Até 2008, era possível contar nos dedos a quantidade de políticos-blogueiros na Rússia. Um dos precursores foi o ex-presidente e atual premiê russo Dmítri Medvedev, que clamava incansavelmente aos políticos que criassem seus próprios blogs. O maior impulso, contudo,

aconteceu durante a visita de Medvedev à sede do microblog Twitter, em São Francisco (EUA), em 2010. Na ocasião, o então presidente criou uma conta e logo começou a postar: “Olá a todos! Estou no Twitter e esta é a minha primeira mensagem!”. Depois disso, uma massa de políticos seguiu seu exemplo em diversas redes sociais. Seus blogs costumam ficar divididos em duas categorias: a oficial, administrada pelos assessores de imprensa, e a pessoal. Enquanto na primeira são raras as surpresas, a segunda está repleta delas. Em outubro de 2010, por exemplo, o então governador da região de Tver, Dmítri Ze-

No ano passado, foi a vez do governador da região de Krasnodar, Aleksandr Tkatchev, ficar famoso com ajuda do Twitter. Um morador local havia se queixado para o governador dos salários baixos, que giravam em torno de 15 mil rublos (US$ 500). Tkatchev aconselhou-o, então, a mudar de emprego. Os usuários do microblog iniciaram um debate relembrando a célebre frase da rainha Maria Antonieta, às vésperas da Revolução Francesa: “Se não tem pão, comam brioches”. É difícil calcular os riscos enfrentados pelos políticos ao estabelecerem contato direto com os cidadãos nas redes. O vice-premiê Dmítri Rogózin, que possui 125 mil seguidores em seu Twitter, anunciou recentemente que terá ajuda de assessores para dar continuidade às suas postagens. No passado, Rogózin gerou polêmica ao publicar comentários severos sobre o caso Pussy Riot e a turnê de Madonna pela Rússia. Além disso, a resposta nas redes sociais vem a jato. Recentemente, o jornal russo “Moskóvski Komsomolets” referiu-se a várias deputadas da Duma do Estado (câmara baixa do parlamento russo) como “prostitutas políticas”, termo inventado por Lênin. Andrêi Isaiev, deputado da Duma pelo partido governista Rússia Unida, reagiu na mesma hora. “O editor e autor da matéria responderão por i s so”, e scr eveu e m seu Twitter.

algum em que a heroína afegã tenha sido levada através de território russo. A heroína afegã entra na Europa por dois caminhos. Um deles é histórico, passando por países da Península Balcânica, e usado até hoje. O outro é pelo Iraque, que passa por uma grave situação, destruído por uma longa guerra. Assim, a he-

O que mais preocupa na luta contra as drogas? A criação de novas drogas, que vem ganhando especial força. Durante o último ano, foram sintetizados 50 novos tipos de drogas, ou seja, um novo narcótico foi criado por semana. Nossa tarefa é suspender provisoriamente a venda de tais preparados até que sejam concluídos longos procedimentos de coordenação e investigações biomédicas antes de apresentar ao governo as listas de substâncias sujeitas a controle. Se tal decisão for tomada, nossas ações serão ainda mais rápidas e adequadas contra essa ameaça.

Sobriedade como marca nacional CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 1

amplamente ridicularizada. A medida rapidamente levou a uma queda das mortes relacionadas ao consumo de álcool, mas o índice acabou aumentando novamente depois que as pessoas começaram a consumir vodca ilegal e alternativas caseiras ainda piores. Até hoje, Gorbatchov é um dos líderes mais odiados pelos cidadãos russos, em grande parte devido a sua famigerada lei seca.

Ações atuais Uma das medidas mais eficazes do atual governo foi a de reprimir fábricas ilegais, responsáveis por cerca de um terço da produção nacional de vodca. “[As autoridades] reforçaram o controle sobre a produção ilícita de álcool e várias fábricas ilegais foram fechadas recentemente pela agência reguladora”, explica a copresidente da Coalizão Russa para Controle do Álcool, Daria Khaltúrina. Segundo estimativas da entidade, o consumo de bebidas com alto teor alcoólico começou a cair a partir de 2005. Porém, embora a classe média russa esteja se tornando cada vez mais consciente em relação a seus hábitos e dê mais atenção à qualidade de vida, consumindo bebidas alcoólicas mais brandas, como vinho e cerveja, o aumento da renda levou alguns russos a beber mais. “A classe média emergente realmente bebe menos, mas as classes mais altas e baixas bebem mais à medida que

RUSLAN SUKHUSHIN

Mas o Ocidente afirma que a Rússia é a principal via de passagem para narcóticos do Afeganistão à Europa... Isso não corresponde à realidade. Não conheço caso

IDADE: 62 ANOS

SERGEY PYATAKOV/RIA NOVOSTI

O problema dos narcóticos se alastrou por diversos países, como explicar o fenômeno? Enquanto a América do Sul produz 100% da cocaína do mundo todo, no Afeganistão se produz de 90% a 95% da heroína mundial. Esse é um fato que condiciona não apenas a produção, mas também o tráfico de drogas posterior por territórios de diversos países.

RAIO-X

com a polícia e a alfândega, e o número de consumidores de drogas na Rússia não está crescendo. Nos últimos sete anos, esse número permaneceu estável, em 8,5 milhões de dependentes com d iferentes g raus de regularidade. Uma parte já é totalmente dependente, outra encontra-se numa etapa de form a ç ã o at iv a d o v íc io. Consideramos essa quantidade muito grande e, por isso, queremos ter ações ainda maiores contra o fenômeno. Essa tarefa não pode, contudo, ser realizada apenas em caráter policial: é preciso desenvolver um sistema nacional de reabilitação de consumidores de drogas.

Entre medidas, governo proibiu venda de álcool após as 22h

NÚMEROS

12 litros

52%

US$ 400

foi a média de vodca consumida por pessoa na Rússia em 2012. Índice pode cair para 10 litros em 2013.

das mortes de russos com idades entre 15 e 54 foram relacionadas ao consumo de álcool entre 1990 e 2001

é o valor médio gasto pelos russos com bebidas alcoólicas durante as festas de fim de ano no país

seus rendimentos aumentam”, diz Vadim Drôbiz, diretor do Centro de Pesquisas de Mercados de Álcool da Rússia.

Sociedade em transição Embora o consumo total de vodca venha caindo, a mudança não é uniforme: o consumo aumentou em 6% entre 2010 e 2012, um dos motivos pelos quais o governo decidiu reforçar as medidas na área. Algumas mudanças na sociedade também podem con-

tribuir. Alterações na ética de trabalho já tiveram um grande impacto sobre os hábitos de consumo. Nos tempos soviéticos, um gerente regional que precisasse de mais recursos do Estado iria simplesmente aparecer em Moscou para se reunir com funcionários portando uma garrafa de vodca. “No passado, era comum beber no local de trabalho ou d iscuti r negócios entre drinks. Agora o álcool é proibido na maioria dos escritórios”, diz Khaltúrina.

FOLHA DE S.PAULO, BRASIL • THE DAILY TELEGRAPH, REINO UNIDO • THE WASHINGTON POST, ESTADOS UNIDOS • THE NEW YORK TIMES, ESTADOS UNIDOS • THE WALL STREET JOURNAL, ESTADOS UNIDOS • LE FIGARO, FRANÇA • SÜDDEUTSCHE ZEITUNG, ALEMANHA • EL PAÍS, ESPANHA • LA REPUBBLICA, ITÁLIA • LE SOIR, BÉLGICA • EUROPEAN VOICE, UNIÃO EUROPEIA • DUMA, BULGÁRIA • GEOPOLITICA, SÉRVIA • POLITIKA, SÉRVIA • ELEUTHEROS TYPOS, GRÉCIA • ECONOMIC TIMES, ÍNDIA • NAVBHARAT TIMES, ÍNDIA • MAINICHI SHIMBUN, JAPÃO • CHINA BUSINESS NEWS, CHINA • SOUTH CHINA MORNING POST, CHINA (HONG KONG) • LA NACIÓN, ARGENTINA • EL OBSERVADOR, URUGUAI • TODAY, CINGAPURA • JOONGANG ILBO, COREIA DO SUL • UNITED DAILY NEWS , TAIWAN • THE SYDNEY MORNING HERALD, THE AGE, AUSTRÁLIA. E-MAIL BR@RBTH.RU. MAIS INFORMAÇÕES EM HTTP://GAZETARUSSA.COM.BR/QUEMSOMOS A FOLHA DE S.PAULO É PUBLICADA PELA EMPRESA FOLHA DA MANHÃ S.A., ALAMEDA BARÃO DE LIMEIRA, 425, SÃO PAULO-SP, BRASIL, TEL: 55 11 3224 3222 O SUPLEMENTO “GAZETA RUSSA” É DISTRIBUÍDO NAS ÁREAS METROPOLITANAS DE SÃO PAULO, RIO DE JANEIRO E BRASÍLIA, COM CIRCULAÇÃO DE 210.435 EXEMPLARES


Economia e Negócios

GAZETA RUSSA WWW.GAZETARUSSA.COM.BR

Crise Ilha perderá status de paraíso fiscal

Carne espanhola corre risco de ser embargada

rivados. O maior exportador de carne suína à Rússia continua sendo o Brasil, com mais de 25% do mercado, seguido pela Alemanha, com 16%, e pelo Canadá. Acredita-se, porém, que um possível embargo não afete derivados considerados nobres, mas apenas a carne in natura. “Um ‘jamón’ [presunto] normal só pode ser feito na Espanha. Entre os fatores importantes para sua produção estão a cultura de preparação, o ambiente microbiano específico etc.”, disse à Gazeta Russa o diretor-executivo da União Nacional Russa de Processadores de Carne, Vassíli Prochenkov. Além disso, a Espanha detém uma fatia de 10% do mercado russo de toucinho salgado, alimento que faz parte da tradição gastronômica dos povos eslavos e é produzido tradicionalmente na Ucrânia, Bielorússia e Rússia. Ainda assim, o maior exportador do toucinho salgado para a Rússia é a União Europeia, com uma participação de 40% a 43% no mercado russo. “O toucinho de fabricação ucraniana ou bielorrussa só pode ser encontrado em mercados pequenos. O fornecimento do produto em larga escala é proveniente de out r o s l u g a r e s ”, d i z Prochenkov.

OMC x mercado interno AP/EASTNEWS

Caso expõe como normas rígidas são aplicadas também a outros países; estados brasileiros sofrem embargo há quase 2 anos

Participação do país no mercado russo é pequena, de cerca de 2%. Carne suína representa 7% do mercado contra os 25% da brasileira. VÍKTOR KUZMIN ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Depois de encontrar DNA equino em produtos supostamente bovinos, a Rússia está considerando a hipótese de decretar embargo à carne espanhola. O Rosselkhoznadzor (Serviço Federal de Vigilância Veterinár ia e F itossa n itá r ia da Rússia) realizou testes com produtos de 19 frigoríficos espanhóis. Atualmente, a lista das empresas espanholas autorizados a vender carne e leite aos países da União Aduaneira (Rússia, Bielorrússia e Cazaquistão) conta com 746 frigoríficos, dos quais 614 operam sob a garantia do serviço veterinário do país. No entanto, a vistoria realizada pelo Rosselkhoz-

nadzor mostrou que os fornecedores espanhóis não têm conhecimento sobre as normas veterinárias vigentes no te r r itór io da Un ião Aduaneira. “Como não confiamos nessas garantias, estamos considerando restringir as impor tações de car ne das empresas que operam sob garantia do serviço veterinário da Espanha”, declarou o chefe do Rosselkhoznadzor, Serguêi Dankvert. “As demais empresas terão um mês para adaptar suas exportações às normas da União Aduaneira. Depois, realizaremos nova inspeção”, afirma Dankvert.

Reincidência Não é a primeira vez que autoridades veterinárias russas reclamam da carne espanhola. Recentemente, a vigilância veterinária russa anunciou ter encontrado DNA de cavalo em derivados de carne provenientes da Es-

Caso brasileiro perto do fim Depois de um ano e 11 meses, o embargo russo à carne de três estados brasileiros (Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul), poderá finalmente chegar ao fim. “Aguardamos apenas uma confirmação da parte brasileira para realizar uma verificação ainda em abril”, afirmou à Gazeta Russa o porta-voz da agência veterinária russa Rosselkhoznadzor, Aleksêi Aleksêenko. Em março deste ano, dois frigoríficos do Paraná já foram autorizados a exportar à Rússia. “Mas, por enquanto, só pode-

rão exportar para nós os frigoríficos que passaram pela inspeção de especialistas da União Aduaneira com a Bielorrússia e o Cazaquistão, com os quais devemos trabalhar em conjunto”, completa. Segundo ele, a agência russa verificará não apenas as condições sanitárias desses Estados, mas também o uso da ractopamina, hormônio de crescimento cujo uso causou o embargo. “Esse é nosso principal ponto de interesse.” Marina Darmaros

panha. Agora, as autoridades tentam descobrir quais empresas enviaram esses produtos. “A Espanha nunca teve uma participação expressiva nas importações de carne russas, com uma fatia de mercado limitada a 2%”, diz

a analista da empresa de investimentos Investkafe, Daria Pitchúguina. A Rússia absorve 5% das exportações de carne suína espanhola, enquanto a participação ibérica no mercado russo não supera os 7% na carne suína e os 10% em de-

Com a entrada da Rússia na OMC (Organização Mundial do Comércio), as importações russas de carne, especialmente suína, aumentaram muito no ano passado, colocando os fabricantes nacionais em situação difícil. A maioria dos fabricantes nacionais têm tido problemas com as vendas devido à queda nos preços. Assim, crescem as suspeitas de que as medidas seriam tomadas pelo país para proteger o produtor local. “É óbvio que decretar embargos a pretexto de violação das normas fitossanitárias ou veterinárias se torna uma prática de apoio ao produtor nacional e de limitação das importações”, diz Pitchúguina. Enquanto o lugar da Espanha no mercado russo pode ser ocupado por fabricantes nacionais ou por exportadores brasileiros e canadenses, a produção de carne suína continua a sofrer com o fornecimento irregular. Assim, a lacuna entre o desaparecimento da carne espanhola e o aumento da produção nacional de carne pode desacelerar e até frear a recente queda dos preços.

Sem banco, Brics avançam em outros acordos durante cúpula projetos exclusivos do Brics ou também de terceiros.

CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 1

Conselho Empresarial São também notáveis os esforços feitos para envolver a África do Sul na estrutura do Brics, mas uma das mais importantes conquistas do evento foi a criação do Conselho Empresarial do Brics, instituição que reunirá as principais estruturas de negócios dos países-membros. No conselho, a Rússia será representada pela Câmara de Comércio e Indústria e

Russos perderão, no mínimo, 4 bilhões de euros no país

Resgate do Chipre caiu na conta dos russos Mais de 30 bilhões de euros, quase a metade dos depósitos em bancos do Chipre, pertencem a empresas ou cidadãos da Rússia. EVGUÊNI BASMANOV ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Depois de embates com a União Europeia e tentativas desesperadas para encontrar soluções com os russos, o Chipre finalmente colocou em prática as exigências de Bruxelas e Berlim sobre a reestruturação de seu sistema bancário. Agora, serão os depositantes russos que vão pagar as contas do Chipre. De acordo com estimativas da agência Moody’s, o total de depósitos nos bancos do Chipre ultrapassa os 68 bilhões de euros. Desses, mais de 30 bilhões pertencem a empresas e cidadãos russos. O empréstimo de 10 bilhões de euros para salvar a ilha teve consequências desastrosas para o país. O novo presidente Nicos Anastasiades foi forçado a tomar uma decisão muito difícil, privando Chipre de sua vantajosa condição de offshore – a ilha deixou de ser paraíso fiscal. Pela primeira vez na história da zona do euro, instituições bancárias deverão ser salvas por seus depositantes, e não por seus acionistas ou credores. Segundo os acordos alcançados entre a União Europeia e o Chipre, os mais ricos serão os mais prejudicados com as medidas. Depositantes com mais 100 mil euros nos dois maiores bancos da ilha, o Banco do Chipre e o Laiki, perderão parte de seu dinheiro. Enquanto os clientes do primeiro terão que deixar para trás cerca de 30% de seus depósitos, os clientes do Laiki provavelmente perderão todo o investimento. De acordo com o vice-premiê russo Ígor Chuvalov, ainda não se sabe qual a soma exata perdida pela Rússia com a crise na ilha. Para o

analista bancário da Moody’s, Evguêni Tarzimanov, esse valor ultrapassará os 4 bilhões de euros. “Minha previsão é muito otimista. Meus colegas no exterior afirmam que a Rússia pode perder mais da metade de seu dinheiro no Chipre”, diz Tarzimanov.

Dois coelhos de uma vez Especialistas financeiros russos acreditam que a dura política de Berlim, insistindo em maior transparência nas operações financeiras do Chipre, permitiu que a Alemanha resolvesse dois problemas de uma só vez, pondo fim às questões financeiras do país mediterrâneo, mas também baixando drasticamente sua atratividade para investidores estrangeiros, especialmente russos. “Esperamos que o sistema bancário cipriota consiga evitar a fuga de capitais. No entanto, agora já não podemos mais contar com o afluxo de novos fundos estrangeiros”, afi rma o diretor-executivo do Piraeus Bank, Constantinos Loizides. Ao contrário do Laiki e do Banco do Chipre, o Piraeus Bank conseguiu manter intacto o dinheiro de seus clientes. “A livre circulação de fluxos financeiros entre bancos de diferentes países é uma das principais características da união monetária. Se esse movimento é restringido, o valor do euro em uma conta bancária cipriota não vai corresponder ao valor do euro em outros países. Isso significa que um euro no Chipre não é realmente um euro. Colocando restrições à circulação de capitais, o Banco Central Europeu criou uma nova moeda no Chipre”, diz o vice-diretor da consultoria financeira Bruegel, Guntram Wolff. De acordo com especialistas, se Bruxelas e Berlim continuarem a controlar o fluxo de dinheiro entre os bancos europeus, o euro deixará de existir no futuro.

Nado contra a corrente?

REUTERS

po das principais economias em crescimento fixou, desde seu início, a tarefa de reorganizar a ordem mundial. Segundo Kirill Likhatchev, membro do Comitê Nacional de Estudos sobre o Brics, os resultados do encontro já eram previstos, com grandes iniciativas como a proposta de Pútin de uma estratégia internacional do grupo e o conceito para cooperação econômica a longo prazo. A área de projetos comuns de infraestrutura também apresentou progresso e as agências estatais envolvidas se mostraram prontas para assinar e implementar objetivos conjuntos.

AFP/EASTNEWS

Commodity Após escândalo europeu, russos acham DNA de cavalo em suposta carne de boi

Impasse quanto ao banco foi superado por criação de Conselho Empresarial

Laços da China e da Índia com os EUA podem tornar ineficazes esforços por banco dos Brics Entre pontos de divergência quanto à instituição, está a localização: todos querem abrigá-la

pelo Vnecheconombank, segundo Likhatchev. “A participação de organizações privadas deve dar um poderoso impulso aos investimentos significativos em p r o j e t o s c o n j u n t o s ”, explica.

Banco dos Brics O debate sobre um banco do Brics, iniciado durante a cúpula anterior, na Índia, foi postergado devido à falta de consenso entre os países-membros. Apesar da declaração do presidente sul-afri-

cano Jacob Zuma de que os líderes “instruíram os ministros das Finanças a estudar a questão a fundo, bem como a preparar terreno para iniciar o banco”, o lançamento do projeto parece mais d ista nte que nunca. Entre os pontos de divergência está a localização física da instituição, que todos os Estados-membros gostariam de abrigar, as taxas de adesão e os projetos a serem financiados pelo banco comum - se seriam apenas

O acadêmico Leonid Gusev, do Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou (Mgimo, na sigla em russo), não acredita que um banco do Brics pudesse ser eficaz no momento atual. “O Brics consiste em economias de peso, como China e Índia, mas a economia chinesa é tão integrada à norte-americana que eles têm quase um mercado comum. O mesmo vale para a Índia, portanto, é bastante improvável que esses laços sejam rompidos”, acredita Gusev. “Tudo depende dos acontecimentos nos EUA e na zona do euro”, acrescenta. Para o editor-chefe da revista “Russia in Global Affairs”, Fiódor Lukianov, o entrave ligado às grandes economias ocidentais não representa, entretanto, contrariedade a essas. “A composição do grupo e suas reuniões frequentes são a essência do bloco. A própria existência do Brics e seu formato se adequam aos objetivos e abordagem da política externa russa, não contra, mas contornando o Ocidente.”

Leia as notícias mais fresquinhas no site www.gazetarussa.com.br


Em Foco

GAZETA RUSSA WWW.GAZETARUSSA.COM.BR

De Leste a Oeste Trajeto leva cerca de uma semana

RECEITA

Uma viagem pela história da ferrovia Transiberiana

Golubtsi, o charutinho de repolho que virou tradição russa Irakli Iosebashvili ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

O golubtsi, ou charutinho de repolho recheado, é um dos pratos mais tradicionais de toda a culinária russa. A maioria das crianças que cresceram na União Soviética deve ser lembrar do delicioso prato, preparado por suas mães e avós. Sua origem e nome, porém, são estrangeiros, apesar de ter ganhado receita própria na Rússia. O golubtsi é um parente próximo do “dolma”, prato típico da Grécia e das montanhas do Cáucaso, feito à base de folhas de uva

recheadas com carne. Quando esses povos se estabeleceram na Rússia, o repolho substituiu as folhas de uva, dada a dificuldade de plantar videiras na região, e a carne bovina tomou o lugar da carne de cordeiro. A especialidade se difundiu na Rússia no século 18, quando a gastronomia francesa começou a conquistar seus primeiros fãs em São Petersburgo. O nome golubtsi remete aos pombos (“golub”, em russo) na culinária francesa, cozidos envoltos em folhas de repolho.

LORI/LEGION MEDIA

LORI/LEGION MEDIA; SERGEY VENYAVSKY/RIA NOVOSTI

RIA NÓVOSTI

Uma das mais antigas estradas de ferro da Rússia, a Transiberiana, é hoje o sonho de muitos viajantes internacionais. O principal trecho da ferrovia, com extensão total de 7.500 km, liga a cidade de Tcheliábinsk, na Rússia ocidental, a Vladivostok, e foi construído entre 1891 e 1916. Já o transporte direto de passageiros entre Moscou e Vladivostok só teve início após a conclusão da construção da ponte sobre o rio Amur, junto à cidade de Khabárovsk, no ano de 1916. Antes disso, para percorrer o mesmo trajeto, eram utilizados trechos da estrada de ferro Chinesa-Oriental e a viagem em um único sentido prolongava-se por 16 dias. A construção de uma ferrovia de tais dimensões foi um evento importantíssimo para o Império Russo, e a missa de inauguração contou com a presença do príncipe Nikolái Aleksándrovitch, por incumbência do tsar Aleksandr 3°. A construção da Transiberiana demandou enormes recursos. Os cálculos preliminares do comitê responsável pela construção apontavam um custo na faixa de 350 milhões de rublos em ouro, o equivalente a US$ 5,2 bilhões hoje. Além disso, foram necessários enormes esforços hu-

Com extensão de 9.298 km, trajeto Moscou-Vladivostok é percorrido em 146 horas linha da ferrovia foi modernizada e as pontes provisórias, de madeira, substituídas por estruturas mais resistentes.

Viagem recorde O trem nº 53/54, que transitou até maio de 2010 pela ferrovia, fazia o percurso

mais extenso do mundo na época: de Kharkov a Vladivostok. A viagem cobria 9.714 km de distância em 174 horas e 10 minutos. Atualmente, o percurso Kiev-Vladivostok é considerado o mais longo do mundo, com 10.259 km percorridos em 187 horas e 50 minutos. O trem de passageiros que percorre mais rápido o trecho Moscou–Vladivostok é o nº 1/2 “Rússia”. São 146 horas ou quase 7 dias de viagem. Em média, esse trem transporta 200 mil pessoas por ano. A ferrovia Transiberiana também possui grande potencial em termos de transporte de cargas, devido ao alto nível tecnológico. A linha de mão dupla da fer-

Ingredientes: • 200 gramas de repolho para forrar a panela; • 1 repolho grande; • 250 gramas de carne bovina moída; • 250 gramas de carne de porco moída; • 1/2 xícara de arroz; • 1 cebola; • 1 cenoura; • 2 a 3 tomates; • 2 a 3 colheres de sopa de extrato de tomate; • 3 dentes de alho picados; • Salsinha picada; • Sal e pimenta a gosto

rovia foi completamente eletrificada em 2002 e, atualmente, a Transiberiana tem capacidade de transportar até 100 milhões de toneladas de carga por ano.

Modo de preparo: Lave o repolho e desprenda suas folhas; em seguida, escalde-as em água fervente por alguns instantes. Corte e descarte a parte mais rígida das folhas. Lave a cenoura e corte-a em tiras finas. Refogue a cenoura e a cebola em uma panela até que fiquem macias. Prepare o arroz sem deixá-lo

Um brasileiro na selva ferroviária Percorrer a Transiberiana é um sonho especialmente difícil de se realizar: idioma, clima, orçamento, paradas... Para nós, brasileiros, o desafio é ainda maior. FABRÍCIO YURI VITORINO ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Equipamento primitivo

ficiente, sobretudo nos anos de guerra. Mais tarde, os trens se tornaram mais velozes, a

manos. A construção da Transiberiana foi realizada sob condições climáticas adversas e, em quase toda a sua extensão, em regiões despovoadas. Praticamente todo o trabalho foi executado de forma manual e com o uso de ferramentas primitivas: machados, serras, pás, picaretas e carrinhos de mão. Ainda assim, a cada ano eram construídos de 500 a 600 km de linha ferroviária. Logo quando começou a funcionar, a Transiberiana mostrou seu valor para o desenvolvimento econômico do país, agilizando a circulação de mercadorias. Apesar disso, a capacidade de fluxo da ferrovia ainda era insu-

Para comeco de conversa, cito Fiódor Tiutchev, um grande poeta russo: “Não se entende a Rússia com a razão. Na Rússia é preciso apenas crer”. Esse deve ser o lema de um brasileiro ao cruzar o maior país do mundo. Hoje, a viagem começa em uma tela de computador. É preciso saber o itinerário, os preços e montar um quebra-

O jornalista Fabrício Yuri realizou seu sonho de atravessar a estrada de ferro em meados de 2012

FOTO DO ARQUIVO PESSOAL

Há 121 anos, eram lançadas em Vladivostok as bases da mais extensa ferrovia do mundo. Estrada de ferro atravessa dois continentes.

-cabeca de trens, horários e cidades. Fica o aviso: se isso não for feito com todo o cuidado, a chance de alguma coisa dar errado é monstruosa. Afinal, mesmo em Birobidjan, no Extremo Oriente

e com fuso na casa dos dois dígitos, os trens rodam...no horário de Moscou. Duas coisas assustam: o clima e a língua. O primeiro é driblável: escolha primavera ou outono. Evite o verão,

época de trens lotados, preços altos e muito calor - a maioria dos vagões não têm ar condicionado ou janelas que abrem. A língua é um inimigo cruel. Russos são, num primeiro momento, difíceis. Duros, grosseiros, esquisitos. Para nossa natureza pessoal e latina, é complicado. Mas, assim como um lago congelado, basta quebrar a primeira camada de gelo que todo um ecossistema rico e vivo se revela. Os r ussos são encantadores. www.gazetarussa. com.br/18515

ROMANCE DE FORMAÇÃO: CRIME E CASTIGO (1866)

ANNA KARENINA

27 DE ABRIL (SÁB.), ÀS 10H, BIBLIOTECA MÁRIO DE ANDRADE, SÃO PAULO

CINEMAS E HORÁRIOS A CONFERIR

Principal festival de documentários do país homenageia neste ano o cineasta pioneiro Dziga Vertov.

Paulo Bezerra, o principal tradutor de Dostoiévski no Brasil, integra o ciclo de palestras organizado para discutir o tema da fomação do indivíduo.

Vencedor do Oscar na categoria “melhor figurino”, o filme é baseado na obra homônima de Lev Tolstói. O enredo retrata a jovem aristocrata Anna Karenina (Keira Knightley), em um caso de adultério na Rússia do final do século 19.

› www.itsalltrue.org

› www.bma.sp.gov.br

› www.annakareninamovie.co.uk

BRASÍLIA: ATÉ 21 DE ABRIL CAMPINAS: DE 23 A 28 DE ABRIL HORÁRIOS A CONFERIR

A HISTÓRIA DA EXTRAVAGÂNCIA RUSSA

Priátnogo Appetita!

EXPEDIENTE EDITOR-CHEFE: EVGUÊNI ABOV; EDITOR-CHEFE EXECUTIVO: PÁVEL GOLUB; EDITOR: DMÍTRI GOLUB; SUBEDITOR: MARINA DARMAROS; EDITOR NO BRASIL: WAGNER BARREIRA; REVISOR: PAULO PALADINO; EDITOR-ASSISTENTE: ALEKSANDRA GURIANOVA DIRETOR DE ARTE: ANDRÊI CHIMÁRSKI; EDITOR DE FOTO: ANDRÊI ZÁITSEV; CHEFE DA SEÇÃO DE PRÉ-IMPRESSÃO: MILLA DOMOGÁTSKAIA; PAGINADOR: MARIA OSCHÉPKOVA; PARA A PUBLICAÇÃO DE MATERIAIS PUBLICITÁRIOS NO SUPLEMENTO, CONTATE JÚLIA GOLIKOVA, DIRETORA DA SEÇÃO PUBLICITÁRIA: GOLIKOVA@RG.RU © COPYRIGHT 2013 – FSFI ROSSIYSKAYA GAZETA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. PRESIDENTE DO CONSELHO: ALEKSANDR GORBENKO (ROSSIYSKAYA GAZETA); DIRETOR-GERAL: PÁVEL NEGÓITSA (ROSSIYSKAYA GAZETA);  EDITOR-CHEFE: VLADISLAV FRÓNIN (ROSSIYSKAYA GAZETA) ENDEREÇO DA SEDE: RUA PRAVDY, 24, BLOCO 4, 12º ANDAR, MOSCOU, RÚSSIA - 125993 WWW.RBTH.RU E-MAIL: BR@RBTH.RU TEL.: +7 (495) 775 3114  FAX: +7 (495) 775 3114 É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A REPRODUÇÃO, REDISTRIBUIÇÃO OU RETRANSMISSÃO DE QUALQUER PARTE DO CONTEÚDO DESTA PUBLICAÇÃO SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO ESCRITA DA ROSSIYSKAYA GAZETA. PARA OBTER AUTORIZAÇÃO DE CÓPIA OU REIMPRESSÃO DE QUALQUER ARTIGO OU FOTO, FAVOR SOLICITAR PELO TELEFONE +7 (495) 775 3114 OU E-MAIL BR@RBTH.RU

CALENDÁRIO CULTURA E NEGÓCIOS É TUDO VERDADE RESTROSPECTIVA DZIGA VERTOV

amolecer demais (afinal, ele será cozido novamente). Lave os tomates e bata-os no liquidificador. Misture bem a carne moída com o arroz, a cebola, a cenoura, o tomate batido e a salsa. Tempere a gosto. Coloque duas ou três colheres de sopa da mistura sobre cada folha de repolho. Dobre um lado da folha sobre o recheio e, a partir da base, enrole-a até formar um charutinho, pressionando bem a mistura. Forre o fundo de uma panela com folhas de repolho e espalhe os golubtsi em seu interior. Ferva um pouco de água, adicione o extrato de tomate e despeje sobre a panela. Cozinhe em fogo brando durante 45 minutos a 1 hora. Verifique se os charutinhos estão tenros: o repolho deve estar mole, mas não pastoso, e a carne deve estar bem cozida. Sirva os golubtsi no molho em que foram preparados e adicione uma colher de sopa de sour cream ou coalhada fresca.

CONFIRA MAIS www.gazetarussa.com.br

STRAVINSKY E RIMSKY-KORSAKOV NA SALA SÃO PAULO

METROL EXPO 2013

JUNWEX

EXTREME WORLD EXPO

DE 21 A 23 DE MAIO, VVC, MOSCOURÚSSIA

DE 29 DE MAIO A 2 DE JUNHO, VVC, PAVILHÃO 75, MOSCOU - RÚSSIA

DE 12 A 16 DE JUNHO, SOKOLNIKI PARK, MOSCOU-RÚSSIA

24 DE ABRIL (QUA.), 21H, SALA SÃO PAULO, SÃO PAULO

No programa da Sinfônica de Montreal, constarão Nikolai RímskiKorsanov, com Sheherazade Op.35., e Igor Stravinsky, com O Pássaro de Fogo.

Em sua 9ª edição, o fórum sobre instrumentos de medição de precisão abriga a exibição de instrumentação e diagnósticos técnicos “Control Diagnostic” e “Resmetering”, voltada a medição de recursos energéticos.

A 12ª Exibição internacional de Joias e Relógios traz novas tecnologias e equipamentos e é uma ótima oportunidade para estabelecer contatos com compradores, revendedores,joalheiros, lojistas e designers.

O evento é dedicado aos amantes dos esportes radicais e visa a popularizá-los. É dividido em 9 categorias, incluindo esportes aquáticos, aéreos, moda, equipamento digital, viagens e material médico.

› www.osesp.art.br

› www.metrol.expoprom.ru

› www.junwex.com

› www.extreme-expo.com

RECEBA NOTÍCIAS DA RÚSSIA EM SEU E-MAIL!

recomenda:

PROGRAMA VOZ DA RÚSSIA Descubra a frequência na sua região DIARIODARUSSIA.COM.BR

gazetarussa.com.br/subscribe gazetarussa.com.br/17989

Cadastre-se para receber semanalmente nossas principais notícias!

C O N TAT O S P a r a q u e s t õ e s e d i t o r i a i s c o n t a t a r b r @ r b t h . r u

|

Para anunciar aqui contatar sales@rbth.ru

|

Te l . : + 7 4 9 5 7 7 5 - 3 1 - 1 4

Gazeta Russa Abr.17  

gazeta russa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you