Issuu on Google+

QUARTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2012

O melhor da

gazetarussa.com.br

PRODUZIDO POR RUSSIA BEYOND THE HEADLINES

www.rbth.ru

As verdades de Elke Maravilha

Mercado de consumo

Nascida em São Petersburgo, Elke fala em entrevista exclusiva à Gazeta Russa

País já ocupa 7° lugar no ranking mundial e pode ser primeiro até 2018

P.4

P.3 FOTO DO ARQUIVO PESSOAL

Publicado e distribuído com The New York Times (EUA), The Washington Post (EUA), The Daily Telegraph (Reino Unido), Le Figaro (França), La Repubblica (Itália), El País (Espanha), Folha de S.Paulo (Brasil), The Economic Times (Índia), La Nacion (Argentina), Süddeutsche Zeitung (Alemanha), The Yomiuri Shimbun (Japão) e outros grandes diários internacionais

Futebol Em rápida ascensão, Roberto Carlos vira treinador interino e, em seguida, diretor do Anji Makhatchkalá

NOTAS

De lateral a diretor em um ano

Sul-coreanos e russos querem clonar mamute

Lateral esquerdo assinou contrato de 15 milhões de reais há apenas um ano com Anji e já assume novo posto. TIMUR GANEEV GAZETA RUSSA

Depois de terminar a carreira no gramado, muitos jogadores de futebol brasileiros se dedicam a atividades não relacionadas com o esporte. Raí se dedica a uma entidade filantrópica, Cafu tem uma rede de restaurantes na Itália, e assim por diante. Um dos maiores casos de sucessos fora do gramado, porém, é o de Leonardo, lateral esquerdo na Copa de 1994, que trabalhou como consultor e técnico do Milan e, desde 2011, é diretor do Paris SaintGerman. Agora o também lateral esquerdo Roberto Carlos, que conquistou o penta com a Seleção em 2002, escolheu um caminho parecido, assumindo a função de diretor do clube russo Anji Makhatchkalá. Considerado o mais ambicioso projeto do futebol euroasiático da atualidade, o clube contava com os dotes de Roberto Carlos em campo somente há pouco mais de um ano. “Temos planos ambiciosos, vamos promover a marca do clube em todo o mundo. Queremos ganhar o título de campeão da Rússia e títulos europeus”, escreveu Roberto Carlos em seu microblog após o anúncio da nova posição. Esse é mais um desafio para

ITAR-TASS

ITAR-TASS

No novo cargo, brasileiro deve ser uma espécie de guia do futebol internacional para Suleiman Kerimov, o bilionário proprietário do clube

Rossiyskaya Gazeta

Roberto Carlos, que teve uma carreira recheada deles. O brasileiro se mudou para a Europa aos 22 anos, para jogar no Internazionale de Milão. No entanto, após uma ótima temporada na Série A, o clube italiano decidiu vender seu lateral esquerdo ao Real Ma-

drid por seis milhões de dólares. Em 2007, Roberto Carlos foi jogar na Turquia, mas no ano seguinte estava de volta ao Brasil. Depois de ingressar no Anji Makhtchkalá, em fevereiro de 2011, seu nome tomou as manchetes da imprensa esportiva

quando um torcedor arremesou uma banana em campo perto do jogador. Na época, muitos consideraram absurda a decisão do lateral esquerdo de assinar com um clube da explosiva capital do Daguestão, Makhatchkalá. Agora, porém, que o Anji virou

o Anji mas também para todo o futebol russo”, disse à Gazeta Russa o vice-presidente do Anji, Guérman Tchistiakov. “Como jogador, Roberto Carlos ganhou tudo o que podia e devia ganhar.

notícia internacional, muitos jogadores gostariam de estar em seu lugar, e aspirantes a futebolistas têm visitado o país em busca da sorte e de um gordo contrato. “A assinatura de um contrato com Roberto é um verdadeiro sucesso não só para

Bilateral Swap já é usado com China

Turismo pode cair com lei antigay em São Petersburgo

Rússia e Brasil negociam fim do uso do dólar

SERGUÊI TCHERNOV

PHOTOSHOT/VOSTOCK-PHOTO

ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Críticos à lei vão de Anistia Internacional a Madonna

LGBT, a AllOut.org divulgou em seu site um abaixo assinado com os dizeres: “Se o projeto for realmente aprovado, não viajarei mais a São Petersburgo e vou estimular todos os meus amigos e

conhecidos a fazerem o mesmo”. Mas o governador não atendeu aos pedidos e, em 7 de março, promulgou a lei, que prevê penalidades para a promoção do homossexu-

CONTINUAÇÃO NA PÁGINA 2

Países discutem adoção de suas próprias moedas, que podem ajudar a reduzir prejuízos decorrentes de flutuações cambiais.

LORI/LEGION MEDIA

A prefeitura de Moscou autorizou a instalação de máquinas de venda de caviar vermelho em passagens subterrâneas da capital. Agora, a cidade já conta com 10 exemplares das máquinas, situadas em centros de negócios de alto padrão e no gabinete da prefeitura de Moscou. Em mercados, a lata de 140 g custa cerca de 290 rublos (R$ 18). Aeroexpress

ANASTASSIA ALEKSÊIEVSKIKH MARKER

Rússia e Brasil podem assinar um acordo de swap cambial (troca de taxa de variaç ão c a mbi a l p or ju r o s pós-fixados), afirmou o presidente da Associação de Bancos Regionais, Anatóli Aksakov, ao jornal russo Marker. A questão foi abordada durante a recente visita de uma delegação de bancos russos à América do Sul. “As transações comerciais internacionais em moedas nacionais têm um bom futuro. Os países devem unir esforços para promover a prática de pagamentos e recebimentos em moedas nacionais, evitando os riscos decorrentes das flutuações cambiais e reduzindo prejuízos. Tudo isso favorecerá o intercâmbio comercial e as atividades de investimento, assim como permitirá cumprir as metas do crescimento econômico e gerar vantagem mútua”, disse Aksakov. Segundo ele, enquanto as transações comerciais com

© VITALIJ BELOUSOW_RIA NOVOSTI

Comunidade teme que termo “promoção” possa ser usado para reprimir qualquer manifestação gay, como arte, filmes e paradas da causa.

alismo e da pedofi lia entre menores de idade. Segundo os opositores, o projeto de lei, que não especifica o sentido do termo “promoção”, pode vir a ser usado arbitrariamente para reprimir qualquer manifestação pública de homossexualidade – arte, filmes, literatura e imprensa para eventos de orgulho gay e protestos em prol da causa. Eles também ressaltam que a “promoção” de atividades constitucionalmente legais não pode resultar em punição, motivo pelo qual um projeto de lei similar foi descartado pela Duma (parlamento russo) em 2006. O projeto gerou repercussão internacional e críticas de políticos, como a secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton, e de fi guras da cultura como o diretor e escritor britânico Stephen Fry. Com show marcado para o verão no país, a cantora Madonna anunciou que irá se apresentar contra a nova lei. Mas na segunda votação do projeto de lei, no dia 8 de fevereiro, 30 dos 49 deputados presentes deram seu voto favorável. O autor do projeto, Vitáli Milonov, que é deputado pelo partido governista Rússia Unida e chefe do Comitê Legislativo, agora está sendo processado pelo principal ativista gay do

Máquinas de caviar

CONTINUAÇÃO NA PÁGINA 2

Legislação Governador promulga lei proibindo promoção homossexual

A indústria do turismo de São Petersburgo - segunda maior cidade russa e um dos destinos mais famosos do país – pode sofrer com a introdução de uma lei antigay endossada por legisladores locais em meio a protestos de ativistas ligados à causa. A Assembleia Legislativa de São Petersburgo aprovou um projeto de lei cuja intenção é proibir “a promoção de sodomia, lesbianismo, bissexualismo e transexualismo a menores de idade”. Em uma campanha de repercussão internacional lançada na internet, turistas estrangeiros ameaçavam o governador de São Petersbu r go, G e ór g u i Polt ávtchenko, com o boicote da cidade caso tal projeto se transformasse em lei. Uma das mais principais organizações de ativismo digital

Cientistas russos e sul-coreanos iniciaram uma parceria para clonar o mamute, seg u ndo a agência Itar-Tass. O animal foi extinto há 4,5 mil anos. O projeto, cofi nanciado pelos dois países, foi acordado entre a Universidade Federal Noroeste da Rússia e o Centro Sul-Coreano de Pesquisas Biotecnológicas. Segundo Semion Grigóriev, do Museu do Mamute, na cidade de Iakutsk (no Extremo Oriente russo), um clone do animal só poderá ser obtido dentro de 10 a 20 anos. “O objetivo do nosso projeto é cooperar no estudo do genoma de animais extintos”, diz Grigóriev. “Vamos colher material biológico para clonagem no norte da região da Iakútia”, completa.

Hacker ganha prêmio do Google Anatóli Aksakov, representante russo enviado ao Brasil

o Brasil continuam sendo realizadas em dólares, a Rússia já praticamente resolveu o problema com a China. “O Brasil é um país emergente. E nossa moeda nacional é agora bastante estável, por isso poderíamos abandonar aos poucos o dólar, primeiro em transações de pequeno porte, depois em outras maiores”, disse. De acordo com ele, os Bancos Centrais da Rússia e do Brasil pretendem discutir a possibilidade de simplificar as operações de câmbio entre os dois países. CONTINUAÇÃO NA PÁGINA 3

O Google premiou o universitário russo Serguêi Glazunov, da cidade de Tiumen, na Sibér ia, com US$ 60 mil (R$ 108 mil) em uma competição de hackers realizada em Vancouver, no Canadá. Glazunov foi o primeiro a detectar uma vulnerabilidade no navegador GoogleChrome, que era o objetivo da competição. Os defeitos no browser estão associados ao histórico de navegação. O Google informou que só anunciará detalhes no futuro. Enquanto isso, a empresa lançou um comunicado recomendando que usuários instalem as atualizações de segurança para se precaver. Gazeta.ru


Política e Sociedade

GAZETA RUSSA WWW.GAZETARUSSA.COM.BR

Energia verde Benefícios são menores que os da gasolina Os investimentos em projetos para instalação de redes de postos de carregamento na região de Moscou nos próximos três a cinco anos são avaliadas em 1,5 a 2 bilhões de rublos (cerca de R$ 121 milhões). No entanto, de acordo com Golovanov, só se pode falar no desenvolvimento do setor quando forem criadas novas baterias que aumentem a autonomia dos carros. “Para isso, é preciso força de vontade por parte da maioria das montadoras internacionais. Enquanto não surgirem veículos elétricos no segmento de varejo, não podemos considerá-los como alternativa séria aos carros movidos a gasolina”, afirma Kirill Márkin, acrescentando que sem o apoio do governo o projeto não terá êxito. O desenvolvimento do setor de transportes elétricos, entretanto, vai contra os interesses econômicos do Estado. Por mais que os meios oficiais citem a necessidade de melhorar o ambiente nas áreas urbanas, o Estado não permitirá que uma fonte de receita orçamentária tão grande quanto o imposto de consumo sobre a gasolina seja reduzida. Além disso, não se pode esquecer que o desenvolvimento de veículos elétricos em escala global terá como consequência o aumento do consumo de energia elétrica. Se as necessidades crescentes de energia forem cobertas principalmente pelas usinas termelétricas a carvão ou a gás, a poluição ambiental tenderá a aumentar, não a diminuir.

carregamento do Departamento de Ecologia e Proteção do Meio Ambiente de Moscou e 50 postos da companhia Revolta. Segundo o diretor-geral da Revolta, Maksim Ossoin, até o final deste ano deverão ser instalados ao todo cerca de mil estações de carregamento no país. Hoje, as estações da capital levam de oito a dez horas para abastecer um automóvel e seus principais clientes são veículos elétricos corporativos da Companhia Rede Elétrica Unida de Moscou. Há planos para instalar, num futuro próximo, postos rápidos que possam abastecer um veículo em 20 ou 30 minutos. Como estão em teste até julho, as estações farão o abastecimento gratuitamente. Ainda não foram divulgados os valores de varejo, mas um carro elétrico poderia ser abastecido com um quinto do valor usado em um comum, segundo o diretor de desenvolvimento de negócios da Revolta, Vassíli Mankó.

Primeira rede de postos de carregamento de veículos elétricos foi inaugurada, mas vendas no país ainda não deslancharam. LARISSA MAKÉIEVA RIA NÓVOSTI

Na primeira semana de março foi aberta em Moscou a primeira rede de postos de carregamento para carros elétricos no país. Embora a rede tenha apenas sete postos, a intenção é ampliá-la e estendê-la a outras cidades. O uso de carros elétricos poderia diminuir a pressão sobre o meio ambiente e o sistema de energia da cidade. Suas vendas, porém, ainda são muito pequenas e não devem crescer nos próximos anos. A razão é que esse tipo de veículo tem mais pontos negativos do que positivos. Até o final deste ano, a distribuidora de energia Companhia Rede Elétrica Unida de Moscou pretende instalar 28 estações de carregamento em todo o país. Em abril, por iniciativa do departamento de recursos naturais e proteção ambiental de Moscou, serão instaladas na capital outras 20 estações de

Por um ar mais puro Veículos elétricos poderiam reduzir significativamente a

pressão sobre o ambiente de grandes cidades. As emissões de gases produzidas por veículos a motor representam cerca de 40% da poluição total. Em grandes áreas metropolitanas, esse valor atinge os 90%. A Rússia está dando apenas os primeiros passos no desenvolvimento de transporte elétrico. No ano passado, o vice-diretor do departamento de transportes e infraestrutura rodoviária de Moscou, Iúri Mazíkin, propôs equipar estacionamentos com postos de carregamento para carros elétricos e incentivar os motoristas a usar a nova tecnologia, mas os planos ainda não foram colocados em ação.

É caro e pouco eficaz A Rússia tem um número de veículos elétricos extremamente pequeno. Isso acontece porque o emprego do carro elétrico no dia-a-dia muitas vezes sai mais caro do que o uso de veículos com combustível comum. Além do preço alto, carros elétricos têm outro ponto negativo notável: a vida útil da bateria é extremamente li-

© ALEKSANDR UTKIN_RIA NOVOSTI

Carro elétrico é desafio para Estado russo

Primeira rede de postos do país leva de 8 a 10 horas para abastecer um carro

“Autonomia de carro elétrico ainda é baixa, de 100 km, e no inverno não chega a 60 km” Estado não vai deixar que volumoso imposto sobre a gasolina seja reduzido

mitada. De acordo com o vice-diretor da revista Auto Review, Leonid Golovanov, essa é a principal razão pela qual as vendas de carros elétricos são extremamente pequenas em comparação com as de veículos tradicionais. “O que se anuncia é que um carro elétrico faz 160 km, mas na verdade ele não ultrapassa os 100 km. No inverno, ele mal faz 50 ou 60 km. Infelizmente, é muito pouco”, explica.

Benefício para quem? De acordo com a Companhia Rede Elétrica Unida de Moscou, a primeira a instalar postos de carregamento para carros elétricos, o projeto não é rentável. “Simplesmente mostramos as perspectivas de desenvolvimento do transporte elétrico. A princípio, para desenvolver esses projetos serão necessários operadores independentes”, afirm a o d i r e t or - ge r a l d a empresa.

LGBT temem uso arbitrário de lei polêmica sembleia Legislativa de São Petersburgo aprovou, em votação final, o polêmico projeto de lei, passado em seguida ao governador de São Petersburgo, Gueórgui Poltávtchenko, conhecido por ser um ardente defensor da igreja cristã ortodoxa. De acordo com a lei, ações públicas para a promoção de sodomia, lesbianismo, bissexualismo e transexualismo serão penalizadas com multa de 5 mil rublos (cerca de R$ 300) para cidadãos comuns, 50 mil rublos (R$ 3 mil) para servidores públicos, e de 250 mil (R$ 15,3 mil) a 500 mil (R$ 30,6 mil) rublos para pessoas jurídicas. O ativista Kotchetkov afirma que o projeto – que surgiu durante a campanha para as eleições da Duma em dezembro e ganhou força durante a campanha presidencial – é uma estratégia das autoridades para conquistar o voto de eleitores conservadores.

CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 1

“Caça aos gays” se amplia no país

ITAR-TASS

país, Nikolai Aleksêiev. De acordo com o site GayRussia.Ru, o ativista pede uma indenização de um milhão de rublos (cerca de R$ 61,7 mil) por difamação e atentado contra sua honra e dignidade. Milonov declarou à imprensa que Aleksêiev “executa suas ações com dinheiro recebido do Ocidente”. Além disso, de acordo com reportagem do jornal The Moscow Times, o deputado chamou o ativista de “menina”. Segundo o jornal, Milonov disse que não sabia a idade de Aleksêiev, mas que “isso é algo que não se pergunta às meninas”.

Após a aprovação da lei que proíbe “a promoção de sodomia, lesbianismo, bissexualismo e transsexualismo a menores de idade” em São Petersburgo, o diretor do conselho jovem da Igreja Ortodoxa Russa, padre Dmítri Pershin, declarou que os legisladores devem aprovar “sem demora” uma lei que torne crime a promoção de homossexualidade entre menores de 16 anos em todo o país. O mesmo pedido foi feito em novembro pela presidente do Conselho da Federação da Rússia, Valentina Matvienko.

Leis semelhantes já foram aprovadas nas regiões de Riazan, em 2006, e de Arkhanguelsk, em 2011. Em Novosibirski, 10 mil assinaram um pedido de adoção da lei, Anatóli Artiukh, membro da organização nacionalista cristã ortodoxa Naródni Sobor, descreveu a lei como “apenas o primeiro passo rumo à reintrodução das penas criminais para o homossexualismo na Rússia”. A lei soviética que punia o homossexualismo masculino com prisão foi extinta em 1993 na Rússia, sob o governo do expresidente Boris Iéltsin.

reiro, esclarecendo que o crime está na “disseminação pública intencional e descontrolada de informações capazes de prejudicar a saúde das pessoas, bem como o desenvolvimento moral e espi-

ritual dos menores de idade, incluindo a formação de ideias distorcidas sobre a equivalência social das relações conjugais tradicionais e não tradicionais”. Em 29 de fevereiro, a As-

Comunidade teme repressão de qualquer manifestação gay, como arte, cinema e paradas

Audiência formal

Roberto Carlos troca gramado por diretoria Sua experiência vai mostrar aos jogadores mais jovens do Anji que no futebol nada é impossível”, completa. Segundo Tchistiakov, as diversas conversas que o vicepresidente teve com o jogador o levaram a crer que Roberto Carlos chegou ao Anji Makhatchkalá não apenas pelo dinheiro, apesar do milionário contrato assinado entre as partes. O lateral-esquerdo foi contratado pelo time por uma quantia de 15 milhões de reais ao ano. Assim que ingressou, em fevereiro de 2011, recebeu a faixa de capitão e, em setembro, já era o treinador interino. “Roberto Carlos realmente quer desenvolver o futebol nessa região. Seu nome e os projetos que planejamos nos ajudarão a atrair para nosso clube jogadores conhecidos e, o mais importante, a formar nossos jovens”, diz Tchistiakov.

Diretoria a vista Agora, pouco mais de um ano depois de ingressar no

© GRIGORIJ SISOJEV_RIA NOVOSTI

CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 1

Guérman Tchistiakov e Roberto Carlos

time, Roberto Carlos asumirá as funções de diretor do Anji. “No novo posto, Roberto Carlos terá muito trabalho a fazer, mas estou seguro de que ele vai superar esse desafio. Ele é um homem de caráter e de grande capacidade de organização. Acho que Suleiman Kerimov [bilionário russo que é proprietário do clube Anji] fez a escolha certa”, disse Tchistiakov à Gazeta Russa. O novo treinador do Anji, o holandês Guus Hiddink, que assumirá as funções de

Gadzhi Gadzhiev, demitido em setembro, também apoia o brasileiro no novo cargo. “O Roberto é muito útil ao nosso clube. Foi ele quem me ajudou a treinar o time e me deu muita informação útil sobre sua situação. Ele tem uma credibilidade inabalável. Juntos, vamos construir um novo Anji, mais moderno e competitivo”, declarou. O passe do brasileiro, que foi apelidado pelo time de “Senhor Artilheiro” foi a primeira grande aquisição do clube de Suleiman Kerimov. A notícia ganhou as manchetes do noticiário esportivo mundial. Em pouco tempo, Roberto Carlos foi seguido pelo camaronês Samuel Eto’o, do Inter de Milão. A partir de agora, o novo diretor do Anji deve se tornar uma espécie de guia para Kerimov no futebol internacional. Os contatos e a autoridade de Roberto Carlos no f utebol mu nd ia l podem fi nalmente ajudar o Anji a se transformar no clube de referência internacional que há tempos pretende ser.

e ‘transsexualismo’, sequer definidos pela lei”, disse Kotchetkov. Os legisladores acrescentaram uma especificação ao projeto de lei antes da segunda votação, no dia 8 de feve-

Saúde Jovens passam por análises

Justiça Sentenças teriam motivo político

Pena revista para 32 condenados O presidente russo Dmítri Medvedev ordenou que se verifique a legalidade de diversas condenações judiciais no país. COM AS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Testes de drogas nas escolas Segundo autoridades, exame não é obrigatório, já que “muitas escolas o realizam por vontade própria”. INTERFAX

O diretor do Serviço Federal de Controle de Drogas da Rússia, Víktor Ivanov, declarou que jovens em escolas de todas as regiões da Rússia estão sendo submetidos a testes de drogas. “Na verdade, todas as escolas do país já fazem esses testes”, disse Ivanov.“Eu não

diria que os testes são obrigatórios porque muitas escolas, centros de ensino e universidades do país começaram a realizar testes de doenças e drogas por vontade própria”, acrescentou. Segundo Ivanov, o objetivo dos testes é diagnosticar o quanto antes o uso de drogas para tratamento dos usuários. A alteração da legislação que inclui a obrigatoriedade dos testes foi feita em abril de 2011, pelo presidente russo Dmítri Medvedev.

A Procuradoria Geral da Federação Russa, chefiada por Iúri Tchaika, deve finalizar a revisão dos casos até o dia 1° de abril. Da lista de Medvedev constam 32 nomes, dentre eles o do ex-diretor da petrolífera Yukos, Mikhail Khodorkóvski, além de seu sócio Platon Lêbedev e do chefe de segurança Aleksêi Pitchúguin. Os condenados fazem parte de um rol de 39 presos políticos entregue pela oposição russa ao chefe do Conselho Presidencial de Direitos Humanos, Mikhail Fedotov, no início de fevereiro para serem perdoados pelo presidente. Em meados de março, a Corte Europeia de Direitos Humanos anunciou a decisão de não reconsiderar um caso da Yukos contra o Es-

© DMITRI KOROBRJNIJOW_RIA NOVOSTI

para segunda leitura, mesmo depois da conclusão do Comitê Jurídico que chamou atenção para a redação do projeto, considerada extremamente vaga e com termos como ‘sodomia’, ‘lesbianismo’

ITAR-TASS

LGBT “Vikhod” (em russo, “Saída”), Igor Kotchetkov, seu objetivo foi apenas “mostrar ao mundo que o público está sendo formalmente ouvido”. “O projeto de lei passou

Uma audiência aberta foi realizada em fevereiro com a participação de diversos opositores do projeto, mas não teve efeito sobre sua aprovação. Segundo o diretor do grupo de direitos

Mikhail Khodorkóvski cumpriu 8 anos e continua preso

tado russo. A corte decidiu que a Yukos não tem evidências suficientes para provar que sua bancarrota foi provocada por motivos políticos. Medvedev não assentiu com a anistia imediata dos listados, mas ordenou que os casos fossem revisados. Condenado por sonegação de impostos, Khodorkóvski cumpriu sua pena de oito anos, mas continua preso.


Economia e Mercado

GAZETA RUSSA WWW.GAZETARUSSA.COM.BR

Classe média Com dívida ínfima, população tem metade da renda média per capita europeia, mas poder de compra equivalente

País tem maiores mercados de roupas para crianças, telefonia celular e lácteos da Europa e é o 7° no ranking mundial de consumo. ANNA KRÁVTCHENKO, BEN ARIS ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Assim como a taxa de natalidade voltou a crescer desde meados de 2009, também o mercado de consumo na Rússia está se desenvolvendo rapidamente. Em serviços de telefonia celular, por exemplo, o país tornou-se o maior mercado na Europa desde 2004. Em 2011, alcançou o título de maior mercado europeu de artigos para crianças e de produtos lácteos. O mercado de consumo russo

deve continuar a aumentar até 2018, quando pode se tornar o maior da Europa. Com população de aproximadamente 15 milhões de habitantes registrados e maior cidade da Europa, Moscou é responsável pela maior parte do crescimento do consumo. Mas agora a prosperidade econômica está se estendendo gradualmente também às onze cidades russas com mais de um milhão de habitantes, transformando o país um paraíso para varejistas e marcas internacionais.

Renda x poder A renda média per capita na Rússia é quase a metade da dos europeus, mas levando

Maiores mercados de varejo

em conta o nível ínfi mo da dívida russa, a população tem o mesmo poder de compra dos europeus – e adora usálo. Segundo pesquisa de mercado da consultoria internacional Euromonitor, a Rússia já ocupa o sétimo lugar no ranking de mercado de consumo do mundo. “A Rússia se tornou um país de classe média”, explica Kingsmill Bond, diretor de estratégia do Citigroup na Rússia. O desenvolvimento do país está acontecendo de forma muito rápida, e ele logo alcançará a Alemanha, que agora detém o maior mercado de varejo da Europa. O volume mensal de negócios no varejo na Rússia é cerca de 50 bilhões de dólares. De acordo com a Rosstat (Agência Federal de Estatísticas Russa), o mercado de varejo movimentou US$ 470,3 bilhões em 2009; US$ 543,5 bilhões em 2010 e, no primeiro semestre de 2011, o volume cresceu 5,4% em relação ao ano anterior. Com o crescimento do poder de compra, aumenta o consumo de produtos alimentícios na Rússia. E os consumidores são atraídos por itens cada vez mais sofisticados. “O mercado de alimentação representa o maior setor do mercado russo com rápida expansão”, diz Katarzina Twardzik, analista de venda em varejo da consul-

toria anglo-americana PMR. “A Rússia já é capaz de competir com os principais países da Europa Ocidental”, completa.

Consumo infantil A estabilidade política dos últimos dez anos é uma das razões do aumento do número de jovens famílias no país. O mercado de produtos para bebês e crianças se ampliou e apareceram novas redes de lojas de brinquedos e roupas infantis. O setor de brinquedos é um dos que evolui mais rapidamente no grupo de produtos não alimentícios, e alcançou uma taxa de crescimento de 76% durante os últimos cinco anos, de acordo com dados da PMR. A Détski Mir (em russo, “Mundo das Crianças”), loja de produtos infantis mais famosa da Rússia, foi fundada em 1953 e se tornou uma rede moderna em rápida expansão. A empresa possui hoje 146 lojas em 73 cidades do país. “Esperamos que as vendas atinjam os 10 bilhões de dólares”, afirma o proprietário da Détski Mir, Vladímir Ievtushenkov, acrescentando que o grupo tem planos de abrir mais 25 novas lojas. Em 2011, a Rússia tinha 22 milhões de crianças menores de 14 anos. Moscou representa 25% da demanda total (US$ 11,3 bilhões) de

© SERGEJ SAVOSTIANOV_RIA NOVOSTI

Rússia pode ser maior mercado de consumo da Europa até 2018

Setor de brinquedos e artigos infantis é um dos que mais crescem no país

Crianças também são alvo de mercado de luxo Seguindo o crescimento do consumo de produtos infantis, o grupo russo Bosco di Ciliegi anunciou a abertura, em setembro próximo, do Détski Gum (em russo, “Gum Infantil”). Na mesma linha do famoso shopping center de luxo Gum, a loja multimarca infantil reunirá produtos Armani Jr., Dolce & Gabbana Jr., Burberry, Baby Dior, Ermanno Scervino, Versace Jr., Junior Gaultier, Miss Blumarine e Hugo Boss, entre outros.

Segundo o proprietário da Bosco, Mikhail Kusnirovitch, revelou ao diário russo Kommersant em meados de março, o empreendimento será instalado num prédio lateral do Gum original, que fica bem em frente à Praça Vermelha. A loja terá três andares, totalizando 3 mil m2. “Será uma loja multimarca com roupas e calçados infantis, brinquedos, um café para crianças. Não será um shopping center com locatários por

contrato, mas uma grande loja sem divisões”, disse Kusnirovitch. O edifício, localizado no metro quadrado mais caros de Moscou, não faz parte do Gum, que é estatal e tem uma área de 74,9 mil m2. Em Moscou já há três estabelecimentos no mesmo formato do Détski Gum: duas lojas Endless Story, de mais de quatro mil m2 cada, em bairros nobres da capital, e a Détskaia Galereia, de propriedade da rede Détski Mir.

brinquedos na Rússia, de acordo com Twardzik. Segundo dados da consultoria de mercado RBC, esse número dobrou desde 2006, quando era de apenas US$ 5,34 bilhões. Na Alemanha, o setor de brinquedos movimentou

US$ 10,5 bilhões em 2009, mas, enquanto a taxa composta de crescimento anual (CAGR) é de apenas 1,5%. Outros mercados da Europa estão em declínio. O mercado russo de acessórios e roupas está experimentando o maior crescimen-

to na Europa, e em 2010 atingiu US$ 56,8 bilhões. Se a indústria manter a taxa de crescimento anual de 10%, a Rússia vai ultrapassar a Alemanha nos próximos dois anos, tornando-se o maior mercado europeu, segundo Twarkzik, da PMR.

LEIA NO SITE

Vitória virtual Publicidade na internet só perde para TV

Anúncio on-line supera o impresso Aumento do número de usuários impulsionou crescimento. Em 2011, Rússia tornou-se maior mercado de internet da Europa. KSÊNIA BOLÉTSKAIA VEDOMOSTI.RU

Em 2011, os gastos com publicidade na Rússia cresceram 21% em relação a 2010, alcançando 263,4 bilhões de rublos (R$ 15,04 bilhões). Os números constam de um relatório da Associação das Agências de Comunicação da Rússia. O maior crescimento, de 56%, foi registrado no segmento de publicidade online e o menor, de 6%, no de jornais impressos. A internet ultrapassou os veículos impressos, tornando-se a segunda maior receita de publicidade na mídia

russa, com R$ 2,3 bilhões (contra os R$ 2,2 bilhões arrecadados pelos jornais no último ano). As empresas de internet tomaram a dianteira dos jornais em receita publicitária no terceiro trimestre de 2011 e agora estão à frente também no balanço anual. A principal mídia do país continua a ser a TV, acom metade dos investimentos publicitários do país. Em certa medida, a TV contribuiu para o crescimento mais rápido da publicidade on-line. “Os espaços de TV para anúncios publicitários já foram comprados nos primeiros meses do ano passado, o que levou alguns grandes anunciantes a aumentar seus gastos com publicidade na internet”, diz o diretorgeral da agência AdWatch,

Gastos com publicidade na Rússia

Andrêi Tchernitchov. Como resultado, em alguns meses a demanda por anúncios online ultrapassou a oferta, contribuindo para uma alta de

cerca de 15% nos preços nos maiores portais. “O volume de publicidade vendida também aumentou devido ao crescimento contínuo do nú-

mero de usuários na Rússia e do tempo que eles ficam conectados”, explica o diretor comercial do portal Mail.ru Group, Aleksêi Katkov. Segundo o diretor de desenvolvimento de produtos do portal Yandex, Lev Gléizer, a concentração da receita publicitária aumentou e hoje os maiores portais controlam cada vez mais investimentos. Entre os maiores anunciantes estão empresas especializadas em comércio e serviços eletrônicos. O vice-diretor de marketing do banco TCS, Oleg Aníssimov, afirma que a empresa aumentou consideravelmente os gastos on-line. “Não temos agências off-line, por isso gastamos mais em publicidade na internet”.

GAZETARUSSA.COM.BR/14147 QUANDO OS URSOS POLARES SAEM DAS TOCAS

BEZRUKOV & BASHNAJEVA

A ilha de Vrangel é uma fortaleza para várias espécies de animais e plantas do Ártico. Lá, debaixo de muitos metros de neve, nascem pequeninos filhotes, pesando apenas 400 gramas.

Fim do dólar em transações comerciais CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 1

A mesma questão será discutida pelo Banco Central russo com seu congênere argentino. “Falei com os argentinos nos bastidores. A opinião deles é que quaisquer restrições entre os países, incluindo as relativas ao câmbio, não têm efeito”, diz Aksakov. De acordo com Aksakov, os bancos centrais da Rússia e do Brasil negociam tam-

recomenda:

Voz da Rússia Descubra a frequência na sua região

portuguese.ruvr.ru

bém a possibilidade de simplificar os procedimentos para a abertura de contas correspondentes.

Experiência chinesa O acordo de swap cambial entre os bancos centrais da Rússia e da China foi celebrado no ano passado. O processo teve início em 2002, quando foi assinado um acordo de liquidações interbancárias para o comércio nas regiões próximas das fron-

CONTATOS Para questões editoriais contatar br@rbth.ru Para anunciar aqui contatar sales@rbth.ru Tel.: +7 495 775-31-14

teiras entre os dois países. O documento permite que os interessados usem, no comércio que ocorre em regiões próximas da fronteira, as moed a s n ac io n a i s de s e u s respectivos países, impulsionando assim o crescimento do número de regiões e bancos dispostos a operar com as moedas nacionais dos dois países. A negociação em rublo e yuan começou em 2010 na Rússia e na China. Em junho

de 2011, os bancos centrais dos dois países assinaram um acordo que permitiu estender a prática de pagamentos nas moedas nacionais a todas as transações comerciais. Segundo dados disponíveis em dezembro de 2011, o valor de negociação do par yuan/ rublo no mercado interbancário de câmbio da China atingiu 4,7 bilhões de yuans (R$ 1,35 bilhão). Nas transações comerciais, a porcentagem de pagamen-

tos em rublo é maior que em yuan. No entanto, o volume de operações de liquidação em yuan está crescendo, e aumentou 8,2 vezes em 2011 (para 1,7 bilhão de yuans). O Sberbank, o maior banco russo, pretende promover sua marca na China e ampliar contatos com potenciais parceiros chineses. O anúncio foi feito pelos representantes do banco durante uma apresentação na Ch i na no a no passado.

Novo tanque russo

Cosmonautas em declínio

DIVULGAÇÃO

PHOTOXPRESS

Com plataforma de lagarta unificada, Rússia poderá construir sobre uma mesma base veículos de combate, de comando e de controle, de artilharia, entre outros. Técnica pode ser estendida a veículos de rodas.

Rússia tem cada vez menos aspirantes à carreira. Enquanto agência espacial russa recebeu apenas 25 inscrições em seu último concurso para cosmonautas, a norte-americana teve mais de 3,5 mil pretendentes.

gazetarussa.com.br/14227

gazetarussa.com.br/14176

PROGRAMA VOZ DA RÚSSIA Saiba tudo sobre o país através do site

Descubra um novo mundo

in Ass

e

Assine a nossa newsletter semanal

gazetarussa.com.br/assine


Em Foco

Opinião

ENTREVISTA ELKE MARAVILHA

As verdades de Elke Mararvilha

A ESTABILIDADE NA ECONOMIA RUSSA E AS ÚLTIMAS ELEIÇÕES

NASCIDA EM LENINGRADO, ATUAL SÃO PETERSBURGO, A EX-APRESENTADORA, QUE VAI INTERPRETAR UMA SÍNDICA QUE ENFRENTA A MÁFIA RUSSA EM NOVO SERIADO HUMORÍSTICO, FALOU À GAZETA RUSSA ALEX SOLNIK

Confira slide show: www.gazetarussa.com.br

ESPECIAL PARA GAZETA RUSSA

Você já voltou à Rússia? Eu fui três vezes à Rússia. Da primeira vez, eu tinha 22 anos. Eu gosto da Rússia, acho legal. Mas não é uma paixão. Eu estive lá duas vezes no alto comunismo e uma vez depois que caiu. Eu gostei. Eu gostei do povo porque é u m povo tra n spa rente. Mesmo que ele seja mau ele não tem medo de mostrar o mau que ele é. Então, a gente sabe bem onde está pisando com ele. Ele não fica dando risada da tua cara e depois dá uma facada nas costas, não. Se ele quiser dar uma facada ele vem direto na tua frente. São muito amorosos. Dos povos brancos é o mais amoroso e também o mais bravo. É um povo sem filtro. E é bipolar. Você reencontrou seu passado? A última vez que eu estive na Rússia, já tinha caído o

Andrêi Netcháiev ECONOMISTA

falta de condições para uma competição política real e as fraudes generalizadas nas recentes eleições parlamentares e presidenciais causaram, em boa parte da sociedade russa, dúvidas sobre a legitimidade do atual governo. Isso é extremamente perigoso, pois o país irá enfrentar, em breve, uma série de importantes desafios na área socioeconômica e terá de tomar medidas impopulares. A já difícil situação do país complicou-se ainda mais com as abundantes promessas da campanha eleitoral, mais numerosas que nunca. O presidente eleito Vladímir Pútin avalia que só na esfera social suas promessas de campanha demandarão 1,5% do PIB. Já o Centro de Pesquisa Macroeconômica do Banco Sberbank calcula entre 4% a 5% do PIB o valor total das promessas eleitorais, enquanto a agência de classificação de risco Fitch fala em R$ 288 bilhões – ou 8% do PIB – até o fim do mandato presidencial de seis anos. As novas promessas se somam às anteriores, das quais as mais onerosas são o incremento de gastos militares para 20 trilhões de rublos (R$ 10 bilhões) até 2020 e o aumento, já concretizado, dos salários de policiais e militares, somado às pensões para os aposentados. Além disso, há ainda o desafio de financiar megaprojetos como os Jogos Olímpicos de Sôtchi, o Fórum Ásia-Pacífico e a Copa do Mundo. A situação seria preocupante, mas não assustadora se a economia russa tivesse crescimento rápido e sustentável. Infelizmente, a perspectiva de agravamento da recessão na Europa, a esperada estagnação da economia chinesa e o crescimento econômico instável dos EUA criam um cenário externo desfavorável à economia russa, dependente das exportações de matéria-prima. Por mais otimistas que sejam as previsões oficiais, o crescimento do PIB russo não ultrapassará nos próximos anos os 3% ou 4% ao ano. Mesmo esse valor só será possível se o preço do petróleo no mercado mundial se mantiver alto. O impacto dos fatores desfavoráveis externos será reforçado pelos problemas internos do país, surgidos em consequência da política atual do governo que evita decisões arriscadas e impopulares. Entre os problemas está a reforma da previdência social. Cobrir o déficit sempre crescente do fundo de pensões tem sido um dos maiores desafios no orçamento federal nos últimos anos. Para reformar o setor de saúde e ensino, não bastam apenas decisões de índole administrativa e organizacional. Serão necessários recursos fi nanceiros, já que a Rússia fica atrás dos países desenvolvidos em despesas orçamentárias com saúde e educação. A intenção de aumentar os salários nessas áreas já foi anunciada, assim como a intenção de ampliar, já no próximo ano, a oferta de bolsas de estudos. Outros setores do funcionalismo público também obtiveram a promessa de aumento de salário, mas saúde e ensino são prioritários, já que atualmente a Rússia tem indicadores de expectativa média de vida e mortalidade infantil que não condizem com um país que reivindica o título de grande potência. A reforma e a substituição de equipamentos também são urgentes e exigem grandes investimentos. Aos problemas estratégicos podemos acrescentar dificuldades como a queda expressiva no superávit comercial do país. A Rússia não se tornou, até agora, um país atrativo para investimentos. Mais do que isso, durante a crise de 2008/2009 e nos últimos meses, o país tem assistido à fuga de capitais em larga escala. Como resultado, um possível déficit da balança comercial não

A

Polêmica, a ex-apresentadora Elke Maravilha diz que Silvio Santos é a pior pessoa do mundo e Chacrinha, a melhor

comunismo. O meu bisavô foi a pessoa mais rica da Rússia depois dos czares. Ele era muito, muito rico, uma riqueza que não tem no Brasil. Banqueiro. Da noite para o dia ele perdeu tudo na revolução comunista. Bem feito. Ficou louco, foi amarrado, e ficou em chagas até morrer. O sobrenome era Cerezniof. As pessoas me diziam: “Cerezniof? Você tem que pedir ao governo o dinheiro dele, agora que caiu o comunismo”. Eu falo: “Não, meu amor. Primeiro, porque é um dinheiro maldito e segundo: eu não fiz nada para ganhálo”.

“Silvio Santos”. Eu trabalhei com o pior e o melhor.

“Brasileiro não gosta de ouvir as verdades que o russo fala, e eu falo as verdades que o russo fala”

“Meu bisavô perdeu tudo na revolução comunista. Bem feito. Ficou louco, foi amarrado e morreu”

Seu sucesso no Brasil também se deve ao fato de você ser russa? Acho que não. Bem, claro que, com a bipolaridade, pode ser. Porque o russo é um povo que ri muito. É um povo que dança muito, que bebe muito e eu sou assim. Isso talvez ajude, sim. Mas tem o outro lado. O brasileiro não gosta de ouvir as verdades que o russo fala. E eu falo as verdades que o russo fala.

Collor de Mello! Respeito é bom! Fainguefilt! E, ali naquela convivência, eu não vi respeito. Aliás, Pedro de Lara tem uma frase que é ótima. Agora eu posso dizer porque o Pedro já morreu. Ele disse um dia, se referindo a Silvio Santos: “É, Elke, tem gente que é tão pobre, tão pobre, que só tem dinheiro”. Eu gostaria que essa frase fosse minha.

Outro dia você disse: “Silvio Santos é a pior pessoa do mundo!” Ah, sim. E é mesmo (risos). Perguntaram pra mim: qual é a melhor pessoa do mundo? “Chacrinha”. E qual é a pior?

Mas por que Silvio Santos é o pior? Tem uma palavra em alemão de que eu gosto muito: fainguifi lt. Literalmente, seria “sentimento fino”. Mas é muito mais. É uma daquelas palavras alemãs sobre as quais você pode fazer um compêndio. Engloba respeito, educação e muitas outras coisas. E é uma coisa que o Silvio Santos não tem. Ele já teve a cara de pau de comparar Jesus Cristo com Collor de Mello! Eu não sou judia, mas não comparo Moisés com

FOTO DO ARQUIVO PESSOAL

FOTO DO ARQUIVO PESSOAL

Quando eu vejo a Lady Gaga, ela me lembra um pouco você. Ela copiou seu estilo? Todo mundo fala. Dizem: ela te copiou. Não, ela não me copiou. Algum assessor dela... Bem, tem umas coisas que não podem nem ser coincidência. Deve ter algum assessor que gostou, achou bonito. Eu me sinto honrada com isso. Por exemplo, alguns anos atrás eu inventei um casaco de cabelo. Seis meses depois, Jean-Paul Gaultier fez um casaco de cabelo! A ideia foi minha! Dizem que eu fui a primeira a usar cabelos coloridos. Não. As primeiras a usar cabelo colorido foram as mulheres-faraós do Egito. Elas raspavam a cabeça e usavam perucas coloridas. Eu peguei essa ideia do passado e remeti para o futuro. Antes de mim eu nunca tinha visto.

DMITRI DIVIN

Ex-modelo, ex-jurada de programas de auditório, atriz, estilista, cantora, poliglota, nascida em Leningrado (hoje São Petersburgo), onde viveu até os sete anos, Elke Gronup Maravilha volta à TV no papel de uma “louca interessante” no seriado humorístico “Morando Sozinho”, cuja terceira temporada começa no dia 17 de abril, no canal Multishow. Faz uma síndica que enfrenta a máfia russa. Enquanto descansava da rotina de decorar textos, em seu apartamento, no Rio de Janeiro, ela falou à Gazeta Russa.

Elke como jurada de programa de auditório nos anos 80

guntei aos russos: “Por que vocês vieram estudar o Chacrinha?” Eles me disseram: “Nós temos os melhores palhaços do mundo e sabemos que palhaço não dá certo na televisão, só em circo. Então, viemos estudar o Chacrinha porque ele deu certo em televisão”. Ele gostava muito de mim e eu muito dele. Eu não ganhava muita grana com ele, mas era uma ótima vitrine. Por que você foi presa durante a ditadura? Em 1971, eu fiquei presa no Dops [Departamento de Ordem Política e Social], perdi a cidadania brasileira - eu era naturalizada - e virei apátrida. Até hoje sou apátrida. Não porque eu seja de esquerda – não acredito em direita nem em esquerda. Fui presa porque arranquei uns cartazes de “procura-se terroristas” no aeroporto do Rio de Janeiro.

E por que Chacrinha é o melhor? Durante os 14 anos que trabalhei com Chacrinha vinha gente do mundo inteiro, inclusive da Rússia, estudar o fenômeno Chacrinha. Era comunismo na época, e eu per-

FOTO DO ARQUIVO PESSOAL

Você era muito assediada, muito paparicada? Uma vez, quando eu tinha 30 e poucos anos, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana eu dei de cara com Carlos Drummond de Andrade. Aí ele veio falar comigo. Ele me abraçou, e falou: “Elke, eu sou doido por você!” Quase caí de bunda, né? Ele falou: “Pois é, você sabe que eu sou fechado, sou uma pessoa triste, taciturna. E quando estou bem triste, ligo a televisão, te vejo, fico alegre, fico até feliz. Mas uma coisa eu não entendo: como é que você é desse jeito, e é de Itabira, de Minas Gerais? Você é muito diferente da gente!” “Meu coração é mineiro, mas eu nasci em Leningrado”. E ele: “Ah, então não precisa dizer mais nada. Já entendi tudo!”

A apresentadora abraça o cineasta Humberto Mauro na década de 1980

EXPEDIENTE PRESIDENTE DO CONSELHO: ALEKSANDR GORBENKO (ROSSIYSKAYA GAZETA); DIRETOR-GERAL: PÁVEL NEGÓITSA (RG); EDITOR-CHEFE: VLADISLAV FRÓNIN (RG) ENDEREÇO DA SEDE: RUA PRAVDY, 24, BLOCO 4, 12º ANDAR, MOSCOU, RÚSSIA - 125993 WWW.RBTH.RU E-MAIL: BR@RBTH.RU TEL.: +7 (495) 775 3114 FAX: +7 (495) 775 3114 EDITOR-CHEFE: EVGUÊNI ABOV; EDITOR-EXECUTIVO: PÁVEL GOLUB;

será compensado com a entrada de capitais. Isso provocará, inevitavelmente, a desvalorização do rublo, com as consequências inflacionárias daí decorrentes devido à alta dependência da economia nacional de importações de bens de consumo. Ao mesmo tempo, irão piorar as condições para a modernização da economia nacional devido à importação de tecnologia avançada de países ocidentais e ficarão reduzidas as possibilidades de captação de empréstimos externos. Mesmo assim, as promessas feitas devem ser cumpridas. Se há alguns anos o equilíbrio do orçamento federal era garantido pelo preço de US$ 30 por barril de petróleo, agora o mesmo só é mantido porque o barril gira em torno de US$ 115 dólares. Uma prolongada e expressiva queda nos preços de petróleo provocará um colapso orçamentário. Por enquanto, com a tensão em torno do Irã, os preços do combustível se mantêm favoráveis ao orçamento russo, mas não adianta esperar que eles continuem subindo. Além disso, novas tecnologias de extração e transporte de gás, bem como a adoção cada vez mais ativa de fontes de energia alternativas e programas de economia de energia em países desenvolvidos poderão vir a causar, em uma perspectiva de médio prazo, uma redução na demanda por recursos energéticos russos.

Hoje o orçamento federal só é garantido pelo barril de petróleo a US$ 115, mas novas tecnologias e fontes de energia alternativas podem diminuir a demanda Na economia não existem milagres. Para a solução dos inevitáveis problemas orçamentários é preciso cortar as despesas ou aumentar a carga tributária. O primeiro caminho acarreta riscos políticos e não será aceito pelo governo diante das dúvidas que a sociedade colocou sobre sua legitimidade e da falta de consolidação das elites. Portanto, a solução é seg uir o seg u ndo caminho. Não foi à toa que Pútin, quando ainda candidato, mencionou a possibilidade de uma manobra tributária e propôs, a pretexto de fazer a justiça social, instituir um imposto sobre bens de luxo, cobrar compensações pela privatização irregular e outras iniciativas do gênero. Todavia, aumentar impostos é perigoso, porque, como se sabe, o empresariado russo já paga um preço alto pela corrupção no país. O governo ainda não fez nada para diminuir a corrupção. Além disso, o ajustamento estrutural da economia russa, que é de importância vital, e o desenvolvimento de inovações, exigem incentivos fiscais em forma de diminuição dos impostos. Recentemente, o aumento do imposto sobre os salários resultou na diminuição da atividade econômica no país, e empresas de pequeno e médio porte passaram a sonegar os impostos. Foram arrecadados 300 bilhões de rublos (R$ 18 bilhões) a menos do que se esperava. A solução do problema passa pela expressiva intensificação do crescimento econômico do país. Potencialmente, isso pode ser conseguido por meio de uma grande liberalização das atividades econômicas e diminuição da corrupção e da pressão sobre o setor privado. Mas o efeito da intensificação não se fará sentir de imediato. Infelizmente, o governo não se mostra disposto a seguir esse caminho. Então, só a vida poderá ensiná-lo. Esperamos que não seja tarde demais! Andrêi Netchaiev foi ministro da Economia da Rússia (1992-1993) e hoje é presidente do Banco Russian Financial Corporation

AS MATÉRIAS PUBLICADAS NA RÚBRICA OPINIÃO EXPÕEM OS PONTOS DE VISTA DOS AUTORES, E NÃO NECESSARIAMENTE REPRESENTAM A POSIÇÃO EDITORIAL DA GAZETA RUSSA OU DA ROSSIYSKAYA GAZETA

EDITOR: DMÍTRI GOLUB; SUBEDITOR: MARINA DARMAROS; EDITOR NO BRASIL: WAGNER BARREIRA; EDITOR DE FOTO: ANDRÊI ZÁITSEV; CHEFE DA SEÇÃO DE PRÉ-IMPRESSÃO: MILLA DOMOGÁTSKAIA; PAGINADORES: IRINA PÁVLOVA; ILIÁ OVCHARENKO

© COPYRIGHT 2011 – ROSSIYSKAYA GAZETA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A REPRODUÇÃO, REDISTRIBUIÇÃO OU RETRANSMISSÃO DE QUALQUER PARTE DO CONTEÚDO DESTA PUBLICAÇÃO SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO ESCRITA DA ROSSIYSKAYA GAZETA.

PARA A PUBLICAÇÃO DE MATERIAIS PUBLICITÁRIOS NO SUPLEMENTO, CONTATE JÚLIA GOLIKOVA, DIRETORA DA SEÇÃO PUBLICITÁRIA: GOLIKOVA@RG.RU

PARA OBTER AUTORIZAÇÃO DE CÓPIA OU REIMPRESSÃO DE QUALQUER ARTIGO OU FOTO, FAVOR SOLICITAR PELO TELEFONE +7 (495) 775 3114 OU E-MAIL BR@RBTH.RU

ESCREVA PARA A REDAÇÃO DA GAZETA RUSSA EM MOSCOU: BR@RBTH.RU


Gazeta_Russa