Page 1

O Suspiro da Matéria

3.

9.

1. Matéria 2. Suspiro O Enchimento e o Estouro da Bolha 4. O Verbo Pocar 5. Pocando a Boca do Balão 6. Se o Balão é Meu 7. Rebentação da Onda 8. A Dispersão da Bolha A Psicologia e a Memória da Bolha 10. Inteligência

1

Serra, sexta-feira, 15 de janeiro de 2010. José Augusto Gava.

1


Capítulo 1 Matéria O PAR POLAR OPOSTO-COMPLEMENTAR NO MODELO PIRÂMIDE MATÉRIA MATERENERGIA ENERGIA 2 E = mc (a conhecida fórmula de Einstein)

NATUREZA DEUS-NATUREZA DEUS Vistas lá para baixo, nas distâncias-tempos de Planck elas são “iguaiszinhas”, muito parecidas, por uma razão só: como Einstein mostrou constituem na base o mesmo elemento. No MP chamei o conjunto de matériaenergia. Afastou um tiquinho para a esquerda, vê-se como matéria, arredou um pouquinho para a direita torna-se energia. Bem, como é que a matéria pode suspirar? Você sabe, foi isso que Deus fez: sussurrou no ouvido do barro e ele tornou-se vida e vida já racional, psicológica, Adão, o híbrido homulher (dado que Eva foi TIRADA da costela de Adão, isto é, ele foi diminuído de Eva). DEUS DISSE Quinta-feira, 10 de setembro de 2009 Gênesis 2-7 - O fôlego de vida!

Então formou o Senhor Deus ao homem e do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida e o homem passou a ser "alma vivente"! Gênesis 2-7:

QUARTA-FEIRA, 07 DE JANEIRO DE 2009 Deus Soprou "Então formou Deus ao homem do pó da terra e Lhe Soprou Nas Narinas..." Gênesis. 2:7 Um sopro apenas do Senhor Deus, e tudo aconteceu naquele boneco de barro chamado Adão. Imagina o Sopro de Deus hoje na tua vida, nas áreas que você está clamando por ajuda Divina. No dia de Pentecostes, o Espírito Santo também soprou o sEu Ventou maravilhoso; aqueles que outrora eram medrosos, se tornaram homens e mulheres cheios do Poder do alto. Que Deus possa soprar em tua vida neste momento, que um novo animo, um novo viver esteja agora invadindo todo teu ser. Viva 2009 sabendo que o Sopro Do Deus Todo poderoso abrirá portas que estão fechadas, romperá com as cadeias do pecado, e fará de você um destemido anunciador das boas Novas do reino de 2

2


Deus: Jesus Cristo. Glória Deus, Pr. Darlan Bola de Neve Joinville www.boladeneve.com UM PUNHADO DE BONECOS DE BARRO (não adianta nada soprarmos que nisso não aparece vida, nem naqueles que muito parecidos fossem)

Não obstante, cuidado, esta é uma falácia: afirmar que não podemos soprar vida em bonecos de barro não valida a afirmação de que um ente chamado “Deus” o fez e formou vida do “barro da Terra”. Contudo, as conclusões abaixo, aquelas sim, são válidas.

Capítulo 2 Suspiro SUSPIRO PELO DICIONÁRIO substantivo masculino 1 inspiração mais ou menos profunda e prolongada, seguida de expiração audível, motivada por incômodo físico ou psíquico ou por alívio, satisfação etc. Ex.: ela deu um s. de alívio 2 Derivação: sentido figurado. som que expressa tristeza; gemido, lamento, queixume 3 Derivação: sentido figurado. intenso anseio por um bem (espiritual ou material); desejo, ânsia Ex.: quem atenderá a seus s.? 4 Derivação: sentido figurado. expressão de paixão amorosa e dos tormentos e aflições que ela provoca Ex.: até quando ficará surda aos meus s. e ais? 5 Derivação: sentido figurado. som doce, melancólico, suave; murmúrio, sussurro Ex.: o s. do vento na folhagem 3

3


6

pequeno orifício em depósito de líquido, para a extração de pequenas quantidades 7 abertura para respiração de poço, túnel, mina etc.; respiradouro 8 acessório, em compartimento, canalização etc., que permite escapamento de gases ou de ar em excesso 9 Rubrica: culinária. m.q. merengue ('preparação') 10 Rubrica: culinária. Regionalismo: Rio Grande do Sul. doce muito leve, feito com pasta de clara batida com açúcar e assada em forno brando; merengue 11 Rubrica: angiospermas. m.q. crista-plumosa (Celosia argentea) 12 Rubrica: angiospermas. m.q. papagaio (Amaranthus chlorostachys) 13 Rubrica: angiospermas. Regionalismo: Bahia. m.q. perpétua (Gomphrena globosa) 14 Rubrica: angiospermas. m.q. saudade ('designação comum') 15 Rubrica: angiospermas. m.q. saudades-roxas (Scabiosa maritima)  suspiros  substantivo masculino plural Rubrica: angiospermas. 16 m.q. saudade ('designação comum')

4

Suspiro limeño Ingredientes Doce de leite - 25 g de açúcar refinado - 400 ml de leite - 400 ml de leite condensado - 8 gemas Merengue de vinho do Porto 4


- 340 ml de vinho do Porto - 240 g de açúcar refinado - 3 claras - Saco de confeiteiro Modo de preparo Doce de leite Em uma panela, leve o açúcar ao fogo baixo para caramelizar. Acrescente os leites e, mexendo sempre, deixe reduzir até engrossar. Tire do fogo e adicione as gemas, incorporando bem. Passe por uma peneira e deixe esfriar. Merengue de vinho do Porto Leve o vinho e o açúcar ao fogo e espere reduzir pela metade. Bata as claras até atingir o ponto de neve e acrescente aos poucos, delicadamente, a redução de vinho ainda quente. Continue batendo até obter uma consistência homogênea e cremosa. Ponha o doce de leite em uma taça e, com a ajuda de um saco de confeiteiro, acrescente o suspiro por cima. É algo de levíssimo. Na Rede Cognata suspiro = SUSSURO = SOPRO = PESAR = PENSAR = PÓ = SIM = PASSO e segue. Escolhi suspiro por causa disso: é algo leve, insubstancial, o fantasma da matéria. Como é que a matéria, dura e pesada, chegou a ser esse levíssimo farfalhar espiritual, inconsistente sopro?

Capítulo 3 O Enchimento e o Estouro da Bolha AS DUAS LISTAS DE CARTILHAS (muitas delas são assuntos diretamente correlatos, e ainda mais delas somam no argumento central daqui)

Lista das 50 Primeiras 1. 100 Cavalos Puxando 1 2. A Beleza da Desigualdade 3. A Ciberprancheta na Infossala da Arquiengenharia 4. A Confecção da Humanidade 5. A Enésima Cópia da Autenticidade 6. À Espera de G 7. A Explosão Demográfica da Língua 8. A Falência da Fécomércio Ltda. 9. A Festa que Mamãe Preparou 10. A Gente-Umbigo e a Empurração 11. A Morte do Infinito 12. A Nação Templária e o Processo de Globalização 13. A Pedra que Voa, o Ar que Canta, o Computador que Procria 14. A Valorização da Humanidade

5

5


15. Alta Integração 16. Animuseu das Atrocidades 17. As Doenças da Humanidade 18. As Marcas do Herói e/ou a Morte da Liberdade 19. As Mulheres das Cavernas 20. Atlas da Amplaviação 21. Cara Metade 22. Cidade Celestial 23. Convivendo com os Bilionários 24. Dialógica de Primeiros Autoprogramáquinas e Seus Ambientes Elementares 25. Econdomínio 26. Em Fração de Segundos 27. Escola Elementar 28. Eu Tinha uma Bolinha 29. Feioso Arrumadinho 30. Gestão Elementar 31. Governatório Yin-Yang 32. Identidade 33. Internetescola 34. Mais de um Bilhão de Carros Apontados para a Humanidade 35. Mecânica Filosófica e a Supercomplexidade 36. Microbuda na Neve 37. Negrarianos 38. Novescrever 39. Novo Ler 40. O Dimorfismo Sexual no Desenho dos Bioinstrumentos 41. O Espaço Profundo em que a Humanidade Caiu e o Tempo Desesperadamente Longo que Demoramos em Compreender 42. O Grupo Econômico de 30 Milhões de Fábricas 43. O Ouro de Silas 44. O Que Não se Vê de Riquinho Rico 45. OS Vários Fins da Humanidade 46. Portal de Arquiengenharia 47. Prisioneiros das Cidades 48. Quem me Mastiga 49. Rua Melhor quem Rua por Último 50. Uniões Universais

6

Lista das 50 Seguintes 1. A Favor do Infanticídio 2. A Nova Grade que Irá nos Prender 3. A Penca de Miseráveis na minha Cola 4. Alternativa de Governo 5. As Guerras da Bandeira 6. As Névoas Apertam as Mãos 7. As Quatro ou Mais Mortes de Didier 8. Bicho Papão 9. Clientes do Modelo Psicológico 6


10. Coexistência 11. Congresso dos Oito 12. Congresso Mundial de Saúde 13. Conhecimento da Lei 14. Cristo, a Pedra, a Catedral e os Pedreiros 15. Desconstruindo o Tempo 16. Desenhando nos Degraus das Pirâmides 17. Deus Não Dá GPS às Cobras 18. Dimensões do Fim 19. Efervescências da Realização dos Congressos Mundiais 20. Egologia 21. Empresa Privada 22. Exercício de Pensamento 23. Fala Jotacê 24. i 25. Isso é Tudo Perda de Tempo 26. Minha Especial Esperteza 27. Na Época em que Eu Andava no Meio dos Super-Heróis 28. Nascer Tantos Mil Dias Morrer 29. Noveditoria ou A Psicologia do Livro 30. Novigreja O Congresso Cristão 31. O Descendente das Estrelas que Apareceu no meu Quintal 32. O Homem que se Recusava a se Alimentar 33. O Mundo Faz Sentido 34. O Mundo Obeso e as Reduções do Futuro 35. O Partido da Vida e a Vida Partida 36. O Quatro Universal das Religiões 37. O Que Haveis de Vestir 38. OPA & OPAL ou A Organização Produtiva das Américas 39. Os Pecados e os Vícios do Garotinho 40. OS Tesouros que Encontrei Quando Andava Buscando 41. Papai e Mamãe Tornam a se Casar ou A Falsa Separação do Infinito 42. Preço Natural e Custo Social 43. Programáquinas Urbanizadoras 44. Quadralimentar 45. Quanto Rio, ó Quanta Alegria – Piadas e Defesa Masculina 46. Sexolatria e as Guerras de Correção da Humanidade 47. Terrai 48. Todos que Morreram em Minhas Mãos e que Depois Pacientemente Enterrei SUB-LISTA DAS IMEDIATAMENTE CONEXAS

7

1.

3.

A Pedra que Voa, o Ar que Canta, o Computador que Procria 2. As Névoas Apertam as Mãos Dialógica de Primeiros Autoprogramáquinas e Seus Ambientes Elementares 4. i 5. identidade 7


6.

Nascer Tantos Mil Dias Morrer 7. O Mundo Faz Sentido Papai e Mamãe Tornam a se Casar ou A Falsa Separação do Infinito

8.

A PENOSA SUBIDA DA MATÉRIA ATÉ APRENDER A SUSPIRAR (os fungos e as plantas não suspiram, mas os animais e os primatas sim) – quadro parcial tirado da cartilha Coexistência.

cê-bóla (campatícula fundamental) sub-campartículas átomos moléculas ADRN células órgãos corpomentes ou indivíduos 1. fungos 2. plantas 3. animais (a matéria só aprende a suspirar aqui) 4. primatas famílias grupos empresas cidades-municípios estados nações mundos ou planetas sistemas estelares constelações galáxias aglomerados superaglomerados universos multiverso

a matéria vai se complexando até tornar-se vida

8

o “chamado escatológico”, do fim ao princípio, vai buscar a MATÉRIA FUNCIONAL, na qual os programas já funcionam como VIDA, isto é, já produzem todos os efeitos que conhecemos biologicamente, depois psicologicamente

MACROPIRÂMIDE

MESOPIRÂMIDE

MICROPIRÂMIDE

COMEÇO NO BIG BANG

Ora, assim como os pares polares oposto-complementares matéria-energia, espaço-tempo e outros estão unidos, o mesmo se dá com matéria-espírito. Estes dois pólos NUNCA estiveram separados: o que há é que na estrada numa hora você está perto de onde partiu e numa outra hora chega ao destino, porém tudo pode ser visto como caminho. Nalgum momento (não uma vez só - como alguém sugeriu por na Terra só existir descendência do ADRN vitorioso, aquele que ganhou a luta pela sobrevivência – AQUI, nas anteriores e nestas condições ambientais, agora muito modificadas) a matéria-energia estava já bastante organizada para começar a produção característica de vida das primeiras algas e amebas. ONDE OS PROGRAMAS ENCONTRARAM AS MÁQUINAS E VIVIFICARAM COMO PROGRAMÁQUINAS OU VIDAS 8


amebas

algas cianofíceas

Antes não tinha, depois sim. Antes era inerte, depois se movimentava autonomamente. Parece que esse é um argumento pró-Natureza, mas não é, POIS O UNIVERSO ESTÁ AMARRADO DE CABO-A-RABO como ouroboros. OUROBOROS, RETRATO DO UNIVERSO DE ALFA A ÔMEGA, ALFÔMEGA

9

INFINITO, Mobius, OUROBOROS, i, Deus-Natureza, vai-e-volta 9


Como ficou posto de outro modo, o começo (alfa, Big Bang) pressupõe o final (ômega, Big Crunch): quando a máquina está pronta ela dá mais um passo e passa a girar como programa – eis o programáquina. Dois universos coligados: o lixo de um é o luxo de outro, o que gasta em um é usado como poupança no outro. Experimente encher o balão até exceder seus limites e ele rebentará, pocará, como dizemos no Espírito Santo. O UNIVERSO INFLACIONÁRIO (por enquanto o balão está enchendo)

10

10


11

11


12 É porisso que i (ELI, Elea, Ele-Ela, Deus-Natureza) é DeusNatureza e uma e a mesma coisa, princípio, meio e fim, ou origem, montagem e reorigem. Por meio do “chamado escatológico” (= PEDIDO CIRCULAR) o final CHAMA as possibilidades-de-ser, pede que a matéria se monte até ser possível vida. Em toda parte é assim, em todos os planetas o chamado está sendo feito. Só que na maioria não é possível reunir as CONDIÇÕES-DEBANDEIRA. A BANDEIRA ELEMENTAR CONDICIONA

12


1. 2.

ar água 3. terra/solo 4. fogo/energia Onde se reúnam (abundantemente ou não) essas condições a vida pode surgir. Por exemplo, em Titã ou Europa ou outros lugares do sistema solar a vida pode ter surgido ou pode vir ainda a surgir; quanto a ter prosperado é outra coisa. O universo deve estar cheio de fósseis. Em todo lugar as sucessivas bolhas enchem e estouram, pocam mesmo, acabam-se mais ou menos repentinamente, porque as coisas montadas pela Natureza são pouco duráveis, estragam logo.

Capítulo 4 O Verbo Pocar π-POCANDO O verbo pocar tem 2 significados distintos: Verbo Intransitivo: arrebentar como pipoca; pipocar Verbo Transitivo: bater com força em... Com verbo regional que é tem sido utilizado no Espírito Santo como verbo intransitivo, ou seja, arrebentar como pipoca; pipocar... Fonte: Dicionário Houaiss

Vou chamar meu irmão e ele vai te pocar!

13

A XÍCARA POCOU verbo intransitivo 1 Regionalismo: Brasil. Uso: informal. arrebentar como pipoca; pipocar transitivo direto 2 bater com força em 2. pocar Dicionário inFormal (SP) em 03-03-2008. Sair correndo, vazar, fugir. Bora pocar que a polícia tá vindo. pocar Enviado por Carlos Jackson (ES) em 06-12-2006. 1. Verbo instransitivo quando for sinônimo de pipocar, arrebentar 2. Verbo transitivo direto quando significar bater em algo com força 1. O balão pocou. 2. Vou pocar a sua cara. 13


Você conhece o dicionário capixabês? Se não, dê só uma olhadinha e conheça um pouco da nossa cultura? Bom divertimento!!!!! Se vc for Capixaba, leia isto e veja se vc não é assim que fala os Maratimbas… Agora se vc for de outro estado, leia, zoe outro Capixaba e Aprenda o significado do verbo “pocar”!!! Capixaba, o único sem sotaque e gíria. Em qualquer lugar do Brasil a bola Estoura; Mas para o capixaba ela “POCA”. Capixaba não fala “Nada”, fala “***** NENHUMA” Em outros estados se fala ECA, o capixaba fala “TOXO” Com o Capixaba não tá tudo bem, está “BELEZA PURA” Capixaba não é desastrado, Capixaba é “ZARRO” Capixaba não gasta reais, gasta “MERRÉIS” Capixaba não vai EMBORA, capixaba “POCA FORA”. Capixaba quando se assusta não fala Credo ou Ave Maria, ele fala “DISCUNJURO” Tudo que é GRANDE, é também “CHAPOCA”, “BITELA” ou “CEPA”. Não existe ***** ou **** no Espírito Santo, existe “PACA” Capixaba não tem grupo de amigos ou turma, ele tem uma “RAÇA PORCA” de amigos. Capixaba não é Pão Duro, ele é “USURA” Capixaba não mata a largatixa, ele mata a “TARUÍRA” Capixaba não ROUBA, capixaba “CATA” Capixaba não DESEMBARCA DO ÔNIBUS, ele “SALTA”. Capixaba não VAI AO CENTRO, vai a “CIDADE”. Capixaba não BEIJA MULHER, “PEGA (ou PANHA)”. Capixaba não SE ESPANTA, fala “IÁ IÁ IÁ!”. Capixaba não chama a POLÍCIA, chama “USZOMI”. Capixaba não PEGA ÔNIBUS, pega “BUZÚ” ou “BUZÃO”. Capixaba não se ESTRESSA, fica “INJURIADO”. Capixaba não SENTE AGONIA, capixaba “SENTE GASTURA”. Capixaba não diz COMO VAI diz “QUALÉ”. Capixaba não liga o PISCA, “DA SETA”. Capixaba não para no semáforo, paro “NO SINAL”. Pro capixaba, as coisas não estragam, “DA TILT”. Capixaba não fala NÃO, fala “É RUIM HEIN!”, “É RÓDIS” ou “É RÓDIA MARIOLA, BACON ACEROLA GOIABADA E MEL!”. Capixaba não come pão FRANCÊS, come “PÃO DI SAL”. Capixaba não conta alguma coisa, ele diz “HEIN, DEIXA EU FALÁ…”. Capixaba não acha alguns alimentos sem AÇÚCAR, acha “SEM DOCE”. Capixaba não LAVA COM ESPONJA, lava com “BUCHA”. Capixaba não acha LEGAL, acha “MASSA” ou “DOIDO” Capixaba não faz Doideiras, ele faz “DOIDERADAS” Capixaba não compra LEITE nem TOMATE, compra “LEITI I TUMATE”. Capixaba não fala UM, DOIS, TRÊS E JÁ, fala “UM, DO, LÁ, SI, JÁ”. Capixaba não fala que não gostou de algo, ele fala “TOXO” Capixaba não vai sair a noite, ele vai “PRU ROCK” mesmo se for Techno,Axé,Reggae, Pagode, Funk…. Capixaba não acha sem graça, ele acha “PALHA”.. 14

14


Capixaba não MERGULHA no mar, piscina, etc.,… capixaba CAÍ! E caí “xapocando”!(hahaha) Capixaba não come TANGERINA, capixaba CHUPA MEXIRICA! Capixaba não DERRAMA o leite, capixaba ENTORNA! A mais recente Capixaba não iria DUPLICAR a rodovia, iria “INLARGUECER”. Capixaba não acha você um *****, acha você uma “BOZERA” Na realidade é bem simples no exemplo: “as ondas pocam”. Elas rebentam. ONDAS POCANDO

15

Capítulo 5 Pocando a Boca do Balão UM BALÃO QUE AINDA NÃO POCOU A BOCA

15


Obviamente “pocar a boca do balão” é pegar a oportunidade em cheio, sem dúvidas e sem remorsos. Aproveitá-la completamente. COMEÇO, TRÂNSITO E FIM DO UNIVERSO NEM MUITO NO “o meio é a mensagem”, já NEM MUITO NO COMEÇO dizia McLuhan FINAL

caminhar

Natureza muito no começo

segundo o Pentateuco (os cinco livros) o caminhar se faz através do dodecálogo, as 10 leis CENTRO

16 Deus muito no fim

Aqui não se vê quase Só aqui é possível apreciar ... e aqui pouco nada de Deus na ambos os lados. interessa a ineficácia Físico-Química do acaso e da primordial... Natureza. No modelo já entendemos que Natureza e Deus se encontram pelo centro, o que as pessoas entendem como meio. No modelo pirâmide não existem mais Natureza e Deus isoladamente, existe i; TODOS e tudo, em todo lugar, em todo tempo, constituem i, formam Natureza-Deus. Somos Deus pelo lado de Deus, tão pequenos quanto a Natureza, desde o começo até nossa própria altura; somos Natureza pelo lado da Natureza, tão grandes quanto Deus EM PROJETO. Pois 16


nós não somos Deus TODO, assim como não somos Natureza TODA, como vem dizendo os idiotas (feito Dan Brown). Como já vimos noutras situações, tanto existem o absoluto cultural quanto o relativo cultural. RELATIVABSOLUTO RELATIVO CULTURAL RELATIVABSOLUTO ABSOLUTO CULTURAL emocionalmente todas Independente de racionalmente existe a as culturas são qualquer coisa, todas as graduação que o modelo emparelhadas coletividades devem ser ofereceu respeitadas, pelo sim ou pelo não. Aproveitando esse gancho, será que poderíamos falar da posição detestável de Richard Dawkins? O ANÚNCIO ABSOLUTO DO MODELO (dos primeiros aos últimos: a Arte surgiu antes; cada conhecimento baixo veio antes como prática, a teoria vindo depois) MATEMATIZAÇÃO CRESCIMENTO CONHECIMENTO 1 0% Arte 2 Magia 3 25 % Religião 4 Teologia 5 50 % Ideologia 6 Filosofia 7 75 % Técnica 8 Ciência 9 100 % MATEMÁTICA Eis as religiões: NOMENCLATURA IDENTIFICAÇÃO CONCENTRAÇÃO SURGIMENTO DE DEUS 3.1. panteísmo Deus em tudo (Deus disseminação África está em todas as total (animismos) coisas) 3.2. politeísmo Deus em muitos difusão Índia (identificação em parcial (hinduísmo) até 300 milhões) 3.3. monoteísmo Deus é um concentração Israel (completa total (Abraão, identificação) Moisés, Jesus) 3.4. não-teísmo Deus é nem-um colapso China (completa total (Lao Tsé, desidentificação) Confúcio, Buda) Não pense que a Trindade não é monoteísmo, pois é. Isso já foi discutido extensamente. Não pense que não-teísmo não e religião, pois é: de fato, é a compreensão tão integral de Deus que não é mais necessário dissensões, separações, guerras. É a compreensão extrema. Dan Brown, como todos desse levante tardio são “regressistas”, regridem; são rococós, regressivos rebuscados desejando marchar para trás até o politeísmo (para serem eles mesmos declarados deuses) ou até ao panteísmo, ao culto druídico-drogado. Gente desejando “ser diferente” e chamar a atenção para si. Falta do que fazer, excesso de lazer ou de ócio. 17

17


Agora vem o caso de Dawkins. DENTRO DAS CIÊNCIAS, DAWKINS 8.1. Física 8.2. Química 8.3. Biologia 8.4. p.2 (segunda ponte) 8.5. Psicologia 8.6. p.3 8.7. Informática 8.8. p.4 8.9. Cosmologia 8.10. p.5 8.11. Dialógica 8.12. p.6 Ele pega a terceira e a quarta delas, em conjunto a Biologia-p.2 e faz um estardalhaço. No fundo diz que, estando a B-p.2 matematizada, não precisamos entender Deus (o que o conceito preceitua) para ver o universo. E nisso recua PARA ANTES, rumo à Natureza (como faz James Cameron em Avatar, filme genial na técnica e porco no conteúdo) e à montagem ao acaso das leis darwinianas. Como disse Clarice Lispector com aquela clareza assustadora dela mais ou menos assim: “o que não vejo todavia não existe?”. Não vermos o Japão quer dizer que cinco trilhões de dólares não são produzidos todos os anos por 120 milhões de pessoas? Essas pessoas, pertencendo a outra parte da realidade gravitacional estão “de cabeça para baixo”, como pensam as crianças? Recusando-se a ver os pares polares oposto-complementares Dawkins só provoca aquele risinho beatificado nos que tenham ido apenas um pouco além! O BOBOCA DA BESTA HART, QUE COLOCOU CRISTO EM 3º (depois de Maomé e Newton)

18

18


O BOBOCA DO RICHARD DAWKINS, QUE NEM VIU AINDA OS PARES POLARES (por exemplo, o mais básico deles, NaturezaDeus)

O BOBOCA DO DAN BROWN, QUE LUTA GUERRA PERDIDA HÁ MILHARES DE ANOS (é como os japoneses da 2ª Guerra Mundial que isolados em ilhas remotas nem sabiam ter o Japão perdido a luta)

19

anti-Cristo

anti-Igreja 19


pró-maçônico Enfim, nem tudo são flores.

Capítulo 6 Se o Balão é Meu À parte as regressões, há o suspiro. A matéria suspira, a matéria sussurra, a matéria sonha. Silas, o cachorro labrador Pink nose de meu filho Gabriel, quando coçamos suas orelhas suspira audivelmente. Dá aqueles característicos suspiros profundos que a matéria não dá. PIADA DO DOIDO O sujeito foi ao hospício visitar parente, passou num corredor o doido estava de ouvido colado no chão e chamou-o. DOIDO – coloca seu ouvido aí. SUJEITO (colocando) – não tô ouvindo nada. DOIDO – pois é, está assim há semanas. Paredes podem ter ouvidos, mas não tem boca. Não adianta tentar ouvir pedras ou o murmúrio do vento. É preciso avançado sistema composto de máquina e programa identificador com sentidos externos instrumentais e sentidos internos interpretadores para a percepção se dar. OS BALÕES ANTES DA GENTE ENCHER (chama-se “corte” sexual, um pouco dar e um pouco tirar, um jogo muito complexo relativo à continuidade da espécie e muito agradável; de cabeça para baixo dois balões vazios e dois cheios, estes irãoo dar luz e língua a um novo ser) balões vazios

20

20


balões cheios VÁRIOS BOCAS DE BALÕES (até chegarmos a esse ponto de afinação dos instrumentos foi um custo)

21

21


Como já disse, somos como bolas de soprar com coesão eletromagnética: num momento não existimos, noutro somos formados, inchamos e depois estouramos e viramos pó de novo. Mas, NESSE ÍNTERIM, ALGO NÓS FAZEMOS. Alguma coisa significativa nós fazemos. Enchemos as bocas dos balões, participamos da festa. Se o balão é seu, se é meu, se é d’outrem (na verdade, não é, está com alguém, pois correspondentemente também somos os balões delas, que elas inflam com seu jeito todo especial), o que sabemos em todo caso é que é um festival chamado VIDA. ALÉM DISSO, NÓS FALAMOS. A língua é uma função extraordinariamente complexa. A COMPLEXIFICAÇÃO DA LÍNGUA NÍVEL DO FALAR GRUPOS EVOLUÇÃO COMPLEXIDADE 1 indivíduos LÍNGUAS2 famílias PESSOAS 3 grupos 4 empresas 5 cidades-municípios LÍNGUAS6 estados AMBIENTES 7 nações 8 mundo Você acha pouco o nosso jogo sexual de partilhamento de futuro - ceder 50 % do ADRN para ganhar 50 % dele nos filhos – de pouco valor? Ou falar sem significado? Toda essa enorme complexidade é sem sentido? Alguma dawkiniana explicaçãozinha fuleira basta para tudo?

Capítulo 7 Rebentação da Onda A ONDA

esquerda = CÉU = C

acima = 0/CAOS

direita = TERRA = T

abaixo = CAOS Se a onda tem a possibilidade de poder pocar ou rebentar quando encontra obstáculo, persiste o fato de que é onda e de que devemos estudá-la como tal. Se apertar a esquerda volta para a direita. Se molestar a direita retorna para a esquerda. E naturalmente temos chance de calcular as pressões: quanto maior a compressão da água contra a pedra tanto mais rápido e violento o 22

22


retroceder. Quanto mais célere caminha para o caos, tanto mais veloz e intenso é o impacto contrário-complementar (veja o caos da hiperinflação da República de Weimar na Alemanha).

Capítulo 8 A Dispersão da Bolha A PEQUENA BOLHA ESTOURA (você - ou eu – é a bolinha no centro) Em tempos que não os humanos tudo é muito rápido. É um sopro, fora as doenças que nos afligem. A vida de Silas é ainda mais instantânea, dura talvez 12 anos, três vezes o que ele viveu até agora; os mais velhos dentre os labradores viveram 26 ou 29 anos, que é o limite mesmo. Nossas vidas humanas, quando muito, definhadas e caquéticas chegam aos 120 anos; o mais comum é chegarem aos 60, se tanto. Então, qual é o lucro dessa mixórdia, dessa confusão, dessa barafunda miserável toda? No desenho acima há um infinito antes e um infinito depois de você (ou de mim). Não é apenas o tempo DESTE universo, fixado agora em 13,7 bilhões de anos, é o tempo não-finito de i (ELI, Ele,a Ele-Ela, DeusNatureza) não-finito, que vem de sempre e vai para sempre, assim como o espaço não-finito é para todo lado não-finito. CONTANDO QUEM EU SOU (Falo de mim porque nada sei de você e procuro evitar bisbilhotar a vida alheia; de 15/02/1954, 55 anos ainda) TEMPO PERCENTUAL DO TOTAL até os 7 anos a gente nem sabe onde está 12,7 % dormi (média de) 8 horas por dia nos restantes 48 29,1 % anos, total de 16 anos, 1/3 31 anos de serviço (2.107 horas por ano, havendo 13,6 % 8.766 no ano): 7,45 anos de vida horas de viagem, limpeza corporal, alimentação 12,5 % (digamos 3 horas/dia - fora os 7 anos, já contados - com alguma imprecisão; 3/24 = 1/8 =) escola (dos 7 aos 23, quatro horas por dia, 180 3,6 % dias, 8.766 horas/ano dá 1,3 ano inteiro – não é muito, aliás, vamos contar dois anos com os deveres de casa) imponderáveis (papos de bar, engarrafamentos, ------etc.) TOTAL (quem quiser faça as contas melhor) < 75 % Restam 25 % para pensar e adicionar ao que a humanidade já fez, ¼ de cada vida NO MÁXIMO. Só mesmo sendo bilhões para fazer alguma diferença. Agora, conte que talvez menos de um centésimo (mais para o lado de um milésimo) realmente pense algo e fique assustado: é “incompreensível” que tenhamos feito alguma coisa de relevante. Só a língua e a escrita explicam a contento. CONTANDO ONDE ESTOU 23

23


terceira-cidade (Jacaraípe, balneário da Serra)

terceiroestado, Espírito Santo

terceiro-país, Brasil

24

terceiroplaneta, sistema solar

Não estou reclamando, é apenas para dizer que o lugar onde a gente está é paupérrimo mesmo e o tempo é pouco, mas a gente se esforça, todos os seres humanos sés esforçam, uns mais e outros menos. Antes era pior, não tinha Internet antes de 1995; agora tem Internet que cai e fica dias sem voltar, como a OI Velox. Porém temos livros, 24


temos informação. Pepengas que sejamos, vamos em frente manquitolando, claudicando – mas fazemos. Como concussão, rapidamente a bola explode e dispersa, os sinais eletroquímicos se dissolvem no cérebro, o corpo é comido pelos vermes, mas vamos adiante, somando um tantinho à compreensão das iridescentes bolhas eletromagnéticas de antes.

Capítulo 9 A Psicologia e a Memória da Bolha AS PSICOLOGIAS SÃO ESFERAS CONCÊNTRICAS CADA VEZ MAIS POTENTES EM ALCANCE (a primeira é a do indivíduo, que quase nada pode; mas para os lados do fim há o indivíduo-mundo em oitavo grau, que vai muito longe; são oito, agora, e podem muito)

25

Por si mesmo, o ser humano tem vida longa. Se quiser comparar com a dos animais, naturalmente passa a maioria. CONTANDO COM OTIMISMO (uma vida de 100 anos, para dar menos frações: olhe só como aumentam os números) • 100 anos • 36.525 dias • 876.600 horas • 52.596.000 minutos • 3.155.760.000 segundos OS DOIS MODOS DE OLHAR A VIDA MODO PESSIMISTA MÉDIO MODO OTIMISTA você dorme 1/3 e até 75 por ser tão rara a vida é você vive pouco menos % são dedicados a uma oferta incrível e de 3,2 bilhões de tarefas secundárias chave de ver segundos em 100 anos 25


Veja, embora haja inequivocamente isso da bolha eletromagnética, que sem dó nem piedade estoura mesmo, que rebenta num prazo brevíssimo, há também acumulação e belos cenários projetados a ver. Se você morresse agora (Deus nos livre!) nem teria garantias de que todo seu esforço não redundasse me nada e logo em seguida a humanidade não entrasse num beco sem saída e capotasse de vez, descarrilasse para sempre, deixando ao lado da estrada da evolução os esqueletos da racionalidade. Não há garantias. Mas a cada um que vem e passa, e trabalha certo, os seguintes podem (quem sabe?) perceber mais, mais profundamente. Apreendem mais e melhor a Natureza e Deus, no final de contas, a i não-finito. Então, não estamos apenas para suspiro nem somente para matéria; nem tudo é Natureza e nem tudo é Deus, nem é mar demais a ponto de nos afogarmos nem terra demais a ponto de não aproveitarmos as ondas que pocam na praia. Praia é compromisso entre os exageros do mar e os excessos da terra.

Capítulo 10 Inteligência Pois bem, gente equivocada está sempre no jogando contra a parede ou contra a espada. ENTRE A CRUZ E A ESPADA (desde que você enfrente tanto a cruz quando a espada você pode ser dar muito bem) CRUZ ERRADA CENTRO ESPADA ERRADA alfômega

Uns querem nos dar Natureza sem Deus (como Dawkins) outros Deus sem Natureza (como os religiosos fanáticos). Nós vemos a matéria, vemos que ela não suspira. Nós vemos o suspiro e ele sem suporte é só um fantasma incorpóreo. Podemos caminhar (como já fizeram tantos) para a extrema esquerda, o esquerdismo, a superafirmação do material. Podemos ir (como igualmente fizeram demasiados) para a extrema direita, o direitismo, a hiperafirmação do ideal. Ou podemos ser inteligentes e recusar esses conflitos potenciais. Podemos pensar por nós mesmo.s Serra, terça-feira, 26 de janeiro de 2010. José Augusto Gava.

ANEXOS Capítulo 1 26

26


Matéria Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Em física, matéria (vem do latim materia, substância física) é qualquer coisa que possui massa, ocupa lugar no espaço (física) e está sujeita a inércia. A matéria é aquilo que existe, aquilo que forma as coisas e que pode ser observado como tal; é sempre constituída de partículas elementares com massa não-nula (como os átomos, e em escala menor, os prótons, nêutrons e elétrons). De acordo com as descobertas da física do século XX, também pode-se definir matéria como energia vibrando em baixa frequência. A concepção de matéria em oposição a energia, que perdurava na Física desde a Idade Média, perdeu um pouco do sentido com a descoberta (anunciada em teoria por Albert Einstein) de que a matéria era uma forma de energia. Podem existir três estados de agregação da matéria, que variam conforme a temperatura e a pressão as quais se submete um corpo: o estado sólido, que é quando as partículas elementares se encontram fortemente ligadas, e o corpo possui tanto forma quanto volume definidos; o estado líquido, no qual as partículas elementares estão unidas mais fracamente do que no estado sólido, e no qual o corpo possui apenas volume definido; e o estado gasoso, no qual as partículas elementares encontram-se fracamente ligadas, não tendo o corpo nem forma nem volume definidos. Além dos três principais estados de agregação da matéria, há mais dois outros estados. Físicos do final do século XX demonstraram que existe um quarto estado, o plasma, no qual as moléculas já não existem mais e os átomos se encontram desagregados em seus componentes. A temperaturas superiores a 1.000.000°C, todas as substâncias se encontram no estado de plasma. Em 1925, Albert Einstein, juntamente a um físico indiano de nome Satyendra Nath Bose, previu que havia um quinto estado da matéria, que só se manifestaria em temperaturas baixíssimas, próximas do zero absoluto, valor até então impossível de ser atingido, que equivale a -273,16°C. O zero absoluto seria exatamente a temperatura de um corpo no qual todos os átomos tivessem parado de se movimentar. O quinto estado da matéria recebeu o nome de Condensado Bose-Einstein. Existem dois tipos de propriedades, as propriedades gerais que estão presentes em todos os tipos de matéria e as propriedades específicas que distinguem as substancias. Propriedades gerais • Extensão, indica o espaço ocupado pelo corpo. • Impenetrabilidade, conceito de onde estiver um corpo não pode estar outro. • Mobilidade, poder ocupar sucessivamente diferentes posições no espaço. • Compressibilidade, poder diminuir de volume sob acção de outras forças. • Elasticidade, poder de voltar a tomar a forma original no momento de dissipação de todas as forças que lhe foram aplicadas. • Inércia, um corpo não pode alterar por si o seu estado de repouso ou de movimento, o qual se avalia pela massa. • Ponderabilidade, um corpo quando sujeito a um campo gravitacional, avalia-se pelo peso. • Divisibilidade, poder de se dividir em partículas menores que a original. • Indestrutibilidade, a matéria é indestrutível, apenas pode ser 27

27


transformada ou rearranjada. Energia, A matéria é pura energia, em sua intima estrutura atômica, ela é um edifício de forças. • Expansibilidade, propriedade inversa da compressibilidade. • Maleabilidade, fato que podemos retorcer (moldar) a matéria. • Ductibilidade, fato que podemos transformar a matéria em fios. Propriedades específicas • Peso especifico; • Porosidade; • Estrutura; • Dureza; • Solubilidade; • Densidade; • Calor específico; • Condutibilidade; • Magnetismo; • Combustão; • Hidrólise; • Pontos de fusão, condensação, solidificação e ebulição.

Na filosofia (humanas), a matéria é objeto de estudos da ontologia, a disciplina que se preocupa em responder basicamente à pergunta: "Que existe?" A matéria é definida em alguns sistemas filosóficos como manifestação da realidade, em oposição à idéia.

28

Estados físicos da matéria Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação, pesquisa

Observação: Líquido compressível também é reconhecido em muitos lugares como Líquido comprimido Fases ou estados da matéria - são conjuntos de configurações que objetos macroscópicos podem apresentar. O estado físico tem a relação com a velocidade do movimento das partículas de uma determinada substância. Canonicamente e segundo o meio em que foram estudados, são três os estados ou fases considerados: sólido, líquido e gasoso[1]. Outros tipos de fases da matéria, como o condensado de bose-einstein ou o plasma são estudados em níveis mais avançados de física. As características de estado físico são diferentes em cada substância e depende da temperatura e pressão na qual ela se encontra.[2] 28


Os estados físicos da matéria Há muitas discussões sobre quantos estados da matéria existem, porém as versões mais populares atualmente são de que a matéria somente tem três estados: sólido, líquido e gasoso. Mas há também outros que, ou são intermediários ou pouco conhecidos. Por exemplo: os vapores[3], que nada mais são uma passagem do estado líquido para o gasoso na mesma fase em que o gás, porém quando está em estado gasoso, não há mais possibilidade de voltar diretamente ao estado líquido; já quando em forma de vapor, pode ir ao estado líquido, desde que exista as trocas de energia necessárias para tal fato.[2] Por isto que diz comumente "vapor d´água". O Plasma (ou quarto estado da matéria) é o estado em que a maioria da matéria se encontra no universo. Neste estado há uma certa "pastosidade" da substância, que permite uma maior e melhor resposta quando recebe informações decodificadas pelos feixes de luz emitidos pelos componentes da TV. Sabe-se que qualquer substância pode existir em três estados: sólido, líquido e gasoso, cujo exemplo clássico é a água que pode ser gelo, água em estado líquido e vapor de água. Todavia há muito poucas substâncias que se encontram nestes estados, que se consideram indiscutíveis a difundidos, mesmo tomando o Universo no seu conjunto. É pouco provável que superem o que em química se considera como restos infinitamente pequenos. Toda a substância restante do universo subsiste no estado denominado plasma.[4] No estado sólido considera-se que a matéria do corpo mantém a forma macroscópica e a posição relativa de sua partícula. É particularmente estudado nas áreas da estática e da dinâmica. No estado líquido, o corpo mantém a quantidade de matéria e aproximadamente o volume; a forma e posição relativa da partículas não se mantém. É particularmente estudado nas áreas da hidrostática e da hidrodinâmica. No estado gasoso, o corpo mantém apenas a quantidade de matéria, podendo variar amplamente a forma e o volume. É particularmente estudado nas áreas da aerostática e da aerodinâmica. O condensado de bose-einstein possui características, de ambos, estado sólido e estado líquido, como supercondutividade e super-fluidez, porém, é encontrado em temperaturas extremamente baixas (próximas ao zero absoluto), o que faz com que suas moléculas entrem em colapso. É particularmente estudado na área da mecânica quântica. O condensado fermiônico também possui caracteristicas de ambos. O Superfluido de Polaritons é um estado novo. Outros estados da matéria Existem outros possíveis estados da matéria; alguns destes só existem sob condições extremas, como no interior de estrelas mortas, ou no começo do universo depois do Big Bang: • Fluidos supercríticos • Colóide • Superfluido • Supersólido • Matéria degenerada • Neutrônio • Matéria fortemente simétrica • Matéria debilmente simétrica • Condensado fermiônico 29

29


• Plasma de quarks-glúons Matéria estranha ou materia de quark Mudanças de fase Como a cada uma destas fases de uma substância corresponde determinado tipo de estrutura corpuscular, há vários tipos de mudanças de estruturas dos corpos quando muda a fase, ou de estado de aglomeração, da substância que são feitos. A mudança de fases ocorre conforme o diagrama de fases da substância. Mudando a pressão ou a temperatura do ambiente onde um objeto se encontra, esse objeto pode sofrer mudança de fase. • Fusão - mudança do estado sólido para o líquido.Existem dois tipos de fusão: o Gelatinosa - derrete todo por igual; por exemplo o plástico. o Cristalina - derrete de fora para dentro; por exemplo o gelo. • Vaporização - mudança do estado líquido para o gasoso. Existem três tipos de vaporização: o Evaporação - as moléculas da superfície do líquido tornam-se gás em qualquer temperatura. o Ebulição - o líquido está na temperatura de ebulição e fica borbulhando, recebendo calor e tornando-se gás. o Calefação - o líquido recebe uma grande quantidade de calor em período curto e se torna gás rapidamente. • Condensação - mudança de estado gasoso para líquido (inverso da Vaporização). • Solidificação - mudança de estado líquido para o estado sólido (inverso da Fusão). • Sublimação - um corpo pode ainda passar diretamente do estado sólido para o gasoso. • Re-sublimação - mudança direta do estado gasoso para o sólido (inverso da Sublimação). • Ionização - mudança de estado gasoso para o estado plasma. • Desionização - mudança de estado plasma para estado gasoso (inverso de Ionização). Ver também • Ponto de ebulição • Ponto de fusão • Congelação • Condensação • Pressão de vapor Ligações externas • Capítulo 11 Equilíbrio de Sistemas • Capítulo 09 Estruturas Longe do Equilíbrio • Capítulo 08 Diagramas de Equilíbrio Referências 1. ↑ Química Total - Estados Físicos da Matéria (em português). Página visitada em 23 de junho de 2009. 2,0 2,1 2. ↑ Paulo Augusto Bisquolo. Mudanças de estado físico - Física - Uol Educação (em português) UOL. Página visitada em 23 de junho de 2009. 3. ↑ Equilíbrio Líquido - Vapor do Sistema (em português) Unicamp, Departamento de Processos Químicos. Página visitada em 23 de junho de 2009. 4. ↑ Prof. Alberto Ricardo Präss. Plasma, o quarto estado da matéria (em português) Retirado da "Pequena Enciclopédia da Física Nuclear", de R. •

30

30


Gladkov. Página visitada em 23 de junho de 2009. Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Estados_f%C3%ADsicos_da_mat%C3%A9ria" Matéria Matéria e Energia Em princípios do século XX (1905), Einstein deu a conhecer sua teoria especial da relatividade. Nela, o grande cientista estabeleceu que "matéria e energia são apenas duas manifestações diferentes da mesma realidade física fundamental e que podem converter-se, uma em outra, segundo a equação: E = m.c2”. Prof. Luiz Ferraz Netto http://www.profcupido.hpg.ig.com.br/fissao_e_fusao.htm E=mc2 (energia - "E" - é igual à massa - "m" - multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz no vácuo - "c2") ... De acordo com Einstein, energia e massa são basicamente a mesma coisa. Quanto mais energia você proporciona ao corpo mais "massivo" ele fica e mais difícil se torna acelerá-lo. Da mesma forma, a massa de um corpo em repouso (multiplicada pela velocidade da luz ao quadrado) passa a ser o mínimo de energia que um corpo pode ter, i.e., a energia de um corpo em repouso... http://www.ufpa.br/beiradorio/arquivo/beira25/entrevista.html (Ver: Teoria das cordas) A Transformação Massa-Energia ...Não é difícil demonstrar matematicamente que essa energia, convertida em energia cinética do movimento de giro do elétron, adapta-se exatamente à quantidade "transformada" em massa pela teoria da relatividade especial. Em contextos nitidamente diversos, porém a comportarem uma matemática afim, percebe-se esta compatibilidade físico-matemática. Isto está demonstrado tanto no trabalho de Natarajan, sobre a "estrutura de partículas quânticas", quanto no de Gaasenbeek, a supor uma trajetória helicoidal e/ou uma natureza ondulatória helicoidal para os elétrons. Sem dúvida, percebe-se um empenho muito grande dos físicos teorizadores em "driblar" as dificuldades teórico-experimentais e inerentes ou decorrentes da aceitação da teoria eletromagnética de Maxwell-Lorentz, a supostamente impossibilitar a decifração da natureza íntima da matéria. http://www.ecientificocultural.com/Relat/luz05.htm#5 Neste fim de século, em pouco menos de cem anos de vida, surgiu a física nuclear, a mecânica quântica e, agora, a física transcendental que ainda não mereceu nome específico, a cuidar da existência de agentes estruturadores sem os quais a energia não seria condensada em partículas, agentes esses que não podem pertencer ao mesmo domínio cósmico a fim de que tenham a propriedade de atuar sobre ele. http://www.espirito.org.br/portal/artigos/diversos/ciencia/o-dualismoexistencial.html Ainda agora, os cientistas, investigando a natureza da radioatividade em todos os corpos da matéria viva, perguntam ansiosos qual a fonte permanente e inesgotável onde os corpos absorvem, incessante e automaticamente, os elementos necessários a essa perene e inextinguível irradiação. No que se refere às ondas electrônicas ou aos elementos radioativos da matéria em si mesma, essa fonte reside, sem dúvida, na energia solar, que vitaliza todo o organismo planetário. O orbe terrestre é um grande magneto, governado pelas forças positivas do Sol. Toda matéria tangível representa uma condensação de energia dessas forças 31

31


sobre o planeta e essa condensação se verifica debaixo da influência organizadora do princípio_espiritual, preexistindo a todas as combinações químicas e moleculares. É a alma das coisas e dos seres o elemento que influi no problema das formas, segundo a posição evolutiva de cada unidade individual. [71 - página 119] - Emmanuel - 1938 (Ver: Fluido espiritual e Teoria das cordas) A matéria não organiza, é organizada. E não representa senão uma modalidade da energia esparsa no Universo. Os seus elementos não fazem outra coisa senão submeter-se às injunções do Espírito; e é a soberana influência deste último que elucida todos os problemas intrincados dos seres e dos destinos. É ao seu apelo, cedendo aos seus desejos, que todas as matérias brutas se vêm rarefazendo, oferecendo aspectos novos e delicados. A Civilização, as conquistas científicas e as concepções religiosas representam o fruto dos labores dos Espíritos que, na Terra, se iniciaram nos trabalhos que regeneram e aperfeiçoam. O que lhes compete, na atualidade, é o não estacionamento nos domínios conquistados, laborando para que os ideais de justiça, de verdade e de paz se concretizem na face do orbe. É nessa tarefa bendita que devem concentrar os seus esforços para que o planeta terrestre não veja sucumbir, na aluvião de insânias das guerras, o seu patrimônio de progressos, obtidos à custa de trabalhos penosos e ingentes sacrifícios. [71 - página 139] - Emmanuel – 1938 O primeiro instante da matéria está, para os Espíritos da minha esfera, tão obscuro quanto o primeiro momento da energia espiritual nos círculos da vida universal. Compreendemos, contudo, que, sendo Deus o Verbo da Criação, o “nada” nunca existiu para o nosso conceito de observação, porquanto o_Verbo, para nós outros, é a luz de toda a Eternidade. [41a - página 160] - Emmanuel - 1940 A matéria, congregando milhões de vidas embrionárias, é também a condensação da energia, atendendo aos imperativos do “eu” que lhe preside à destinação. [96 - páginas 18] - André Luiz - 1949 A Ciência do século XX, estudando a constituição da matéria, caminha de surpresa em surpresa, renovando aspectos de sua conceituação milenar. Não obstante a teoria de Leucipo, o mentor de Demócrito, o qual, quase cinco séculos antes do Cristo, considerava as coisas formadas de partículas infinitesimais, em constante movimentação, a cultura clássica prosseguia detida nos quatro princípio de Aristóteles, a água, a terra, o ar e o fogo, ou nos três elementos hipostáticos dos antigos alquimistas, o enxofre, o sal e o mercúrio, para explicar as múltiplas combinação no campo da forma. No século XIX, Dalton concebe cientificamente a teoria corpuscular da matéria, e um maravilhoso período de investigação se inicia, através de inteligências respeitabilíssimas, renovando idéias e concepções em volta da chamada “partículas indivisível”. Extraordinárias descobertas descortinam novos e grandiosos horizontes aos conhecimentos humanos. Crookes surpreende o estado radiante da matéria e estuda os raios catódicos. Röntgen observa que radiações invisíveis atravessam o tubo de Crookes envolvido por uma caixa de papelão preto, e conclui pela existência dos raios 32

32


X. Henri becquerel, seduzido pelo assunto, experimenta o urânio, à procura de radiações do mesmo teor, encontra motivos para novas indagações. O casal Curie, intrigado com o enigma, analisa toneladas de pechblenda e detém o rádio. Velhas afirmações científicas tremem nas bases. Rutherford, à frente de larga turma de pioneiros, inicia preciosos estudos, em torno da radioatividade. O átomo sofre irresistível perseguição na fortaleza a que se acolhe e confia ao homem a solução de numerosos segredos. E, desde o último quartel do século passado, a Terra se converteu num reino de ondas e raios, correntes e vibrações. A eletricidade e o magnetismo, o movimento e a atração palpitam em tudo. (Ver: Eletromagnetismo) O estudo dos raios cósmico evidencia as fantásticas energias espalhadas no Universo, provendo os físicos de poderosíssimo instrumento para investigação dos fenômenos atômicos e subatômicos. Bohrs, Planck, Einstein erigem novas e grandiosas concepções. O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico, regido pela consciência. (Ver: Homeostase) Cada corpo tangível é um feixe de energia concentrada. A matéria é transformada em energia, e esta desaparece para dar lugar a matéria. Químicos e físicos, geômetras e matemáticos, erguidos à condição de investigadores da verdade, são hoje, sem o desejarem, sacerdotes do Espírito, porque, como conseqüência de seus porfiados estudos, o materialismo e o ateísmo serão compelidos a desaparecer, por falta de matéria, a base que lhes assegurava as especulações negativistas. Os laboratórios são templos em que a inteligência é concitada ao serviço de Deus, e, ainda mesmo quando a celebração se perverte, transitoriamente subornada pela hegemonia política, geradora de guerras, o progresso da Ciência, como conquista divina, permanece na exaltação do bem, rumo a glorioso porvir. O futuro pertence ao Espírito! [28a - página 9] - Emmanuel - Pedro Leopoldo-MG, 2/10/1954 Cabe-nos assinalar que, na essência, toda a matéria é energia tornada visível. [56 - página 24] - André Luiz (Uberaba,15 de Janeiro de 1958) Matéria quanto mais estudada mais se revela qual feixe de forças em temporária associação. [29 página 22] - André Luiz - 1959 Qualquer aprendiz de ciência elementar, no_Planeta, não desconhece que a chamada matéria densa não é senão a energia radiante condensada. Em última análise, chegaremos a saber que a matéria é luz coagulada, substância divina, que nos sugere a onipresença de Deus. [73 - páginas 69/70] - André Luiz - 1968 ( Ver: Ectoplasma e Teoria das cordas) Posteriormente, em 1975, enunciado por Bob Toben e Fred Allan Wolf: a matéria não é nada mais do que luz capturada gravitacionalmente. dos livros: 'Nossa Vida no Além' - Marlene Nobre - página11 (introdução) '"Espaço, Tempo e Além", 1988 - Bob Toben e Fred Allan Wolf - pp 47 e 33

33


149 Nós sabemos que a matéria e feira de átomos e os átomos são feitos de partículas menores e essas são: Léptons: Elétron, Elétron-Neutrino, Múon, Múon-Neutrino, Tau e TauNeutrino. Quarks: Up, Down, Charm, Strange, Top e Bottom. Bósons: Fóton, Glúon, Bósons Vetoriais Intermediários e os Grávitons http://www.netpar.com.br/startrek/anti.htm (Ver: Modelo padrão ) Sólidos, líquidos e gases são agrupamentos de átomos (constituídos de prótons e elétrons, tecnicamente chamados de bárions matéria convencional - bariônica) que formam toda a matéria na Terra. A matéria de que somos feitos consiste principalmente em prótons e nêutrons, os componentes do núcleo atômico. Os físicos chamam essas partículas de bárions, da palavra grega barýs, "pesado". De fato elas são 2.000 vezes mais pesadas do que os elétrons. Experimentos mostram que os bárions são combinações de partículas ainda menores, os quarks. Revista SCIENTIFIC AMERICAN - Brasil - Janeiro de 2005, página 82 www.sciam.com.br Os resultados combinados do estudo das supernovas distantes e das flutuações do fundo de microondas cósmico fornecem a "receita" do universo: densidade total próxima da densidade crítica: 2/3 (dois terços) do conteúdo na forma de energia_escura; 1/3 (um terço) na forma de matéria, da qual apenas 4% do total corresponde à matéria bariônica, que conhecemos. [44] (Ver: Matéria escura ) O plasma é também conhecido como o quarto estado da matéria. Define-se geralmente a matéria como sendo: o que tem extensão, o que é capaz de nos impressionar os sentidos, o que é impenetrável. São exatas estas definições? : "Do vosso ponto de vista, elas o são, porque não falais senão do que conheceis. Mas a matéria existe em estados que ignorais. Pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil que nenhuma impressão vos cause aos sentidos. Contudo, é sempre matéria. Para vós, porém, não o seria." "A matéria é o laço que prende o Espírito; é o instrumento de que este se serve e sobre o qual, ao mesmo tempo, exerce sua ação." Deste ponto de vista, pode dizer-se que a matéria é o agente, o intermediário com o auxílio do qual e sobre o qual atua o Espírito. [9a - página 58 questão 22] - Paris, 18/4/1857 (Ver: Perispírito) Da matéria como a entendeis, a ponderabilidade é um atributo essencial da matéria. Não, porém, da matéria considerada como fluido_universal. A matéria etérea e sutil que constitui esse fluido vos é imponderável. Nem por isso, entretanto, deixa de ser o princípio da vossa matéria pesada. [9a - página 61 questão 29] - Paris, 18/4/1857 A matéria é formada de um só elemento primitivo. Os corpos que considerais simples não são verdadeiros elementos, são transformações da matéria primitiva. [9a - página 61 questão 30] - Paris, 18/4/1857 Matéria é uma forma ou um estado ou fase da energia (luz coagulada). Como a luz, a matéria vibra. Quanto maior a freqüência da vibração, menos densa 34

34


ou sutil será a matéria. André Luiz (espírito), já em 1968, referia-se à matéria como “luz coagulada, substância divina, que nos sugere a onipresença de Deus” [1 - página 28] (Ver: Nebulosas ) A diferença entre matéria e energia consiste apenas na diversidade de direção do movimento: rotatório, fechado em si mesmo, na matéria; ondulatório, de ciclo aberto e lançado no espaço, na energia Da matéria nasceu a energia, e da energia emergirá o espírito. [45 - página 39] É a mesma a força que une os elementos da matéria nos corpos orgânicos e nos inorgânicos. A lei de atração é a mesma para todos. A matéria é sempre a mesma, dos corpos orgânicos e a dos inorgânicos, porém nos corpos orgânicos está animalizada. A causa da animalização da matéria é a sua união com o princípio_vital. [9a - página 74 questões 60 / 62] - Paris, 18/4/1857 A existência de uma matéria_elementar_única está hoje quase geralmente admitida pela Ciência, e os Espíritos, a confirmam. Todos os corpos da Natureza nascem dessa matéria que, pelas transformações por que passa, também produz as diversas propriedades desses mesmos corpos. Daí vem que uma substância salutar pode, por efeito de simples modificação, tornar-se venenosa, fato de que a Química nos oferece numerosos exemplos. Toda gente sabe que, combinadas em certas proporções, duas substâncias inocentes podem dar origem a uma que seja deletéria. Uma parte de oxigênio e duas de hidrogênio, ambos inofensivos, formam a água. Juntai um átomo de oxigênio e tereis um liquido corrosivo. Sem mudança nenhuma das proporções, às vezes, a simples alteração no modo de agregação molecular basta para mudar as propriedades. Assim é que um corpo opaco pode tornar-se transparente e vice-versa. Pois que ao Espírito é possível tão grande ação sobre a matéria elementar, concebe-se que lhe seja dado não só formar substâncias, mas também modificar-lhes as propriedades, fazendo para isto a sua vontade o efeito de reativo. [17b - página 171 item 130] - Paris 1861 Segundo André Luiz: Mais da metade do Universo foi reconhecido como um reino de oscilações, restando a parte constituída de matéria igualmente suscetível de converter-se em ondas de energia ... O homem passou a compreender, enfim, que a matéria é simples vestimenta das forças que o servem nas múltiplas faixas da Natureza... [45 - página 23] [29]* “Já vimos — diz Sua Voz, em “A_Grande_Síntese” — que a matéria é um dinamismo incessante e que a sua rigidez é apenas aparente, devida à extrema velocidade que a anima; e sabeis que a massa de um corpo aumenta com a velocidade no espaço. Um jato de água, se velocíssimo, oferece à penetração de outro corpo a mesma resistência de um sólido. Quando a massa de um gás, como o ar, se multiplica pela velocidade, adquire a propriedade da massa de um sólido. A pista sólida que sustenta o aeroplano — que é um sólido suspenso num gás — é a sua velocidade em relação com o ar que, por sua vez, se lançado qual tufão, derruba casas. Trata-se de relação. De fato, quanto mais veloz é o aeroplano, tanto menores podem ser suas asas. Sabeis que dar calor a um corpo quer dizer transmitir-lhe nova energia, isto é, imprimir-lhe nova velocidade 35

35


interior. A análise espectral vos fornece com tanta exatidão a luz equivalente dos corpos, que torna possível, através dessa emanação dinâmica, individualizá-los a distância, na astroquímica. É inútil correrdes atrás de vossos sentidos, na ilusão tátil da solidez, que julgais fundamental, porque é a primeira e fundamental sensação da vida terrestre. A solidez nada mais é que a soma de movimentos velocíssimos. Não vos iluda, também, a consistência das sensações, pois é devida somente à constância dos íntimos processos fenomênicos, no âmbito da Lei eterna. Os vossos sentidos não podem perceber sensações distintas, que se sucedam com extrema rapidez. A matéria é pura energia. Na sua íntima estrutura atômica, é um edifício de forças. Matéria, no sentido de corpo sólido, compacto, impenetrável, não existe. Não se trata senão de resistências, de reações; o que chamais de solidez é tão-só a sensação que ininterruptamente vos dá aquela força que se opõe ao impulso e ao tato. É a velocidade que enche as imensas extensões de espaços vazios em que as unidades mínimas se movem. É a velocidade_que_forma_a_massa, a estabilidade, a coesão da matéria. Notai como os movimentos rotatórios, rapidíssimos, conferem ao giroscópio, enquanto duram, um equilíbrio autônomo estável. É a velocidade a força que se opõe a que as partículas da matéria se destaquem, e que as mantém unidas enquanto uma força contrária não prevaleça. Ainda quando decompuserdes a matéria naquilo que vos parecer serem os últimos_elementos, nunca vos encontrareis em face de uma partícula sólida, compacta, indivisível. O átomo é um vórtice; vórtices são o elétron e o núcleo; vórtices são os centros e os satélites contidos no núcleo, e assim ao infinito." [45 - página 38] Toda a matéria, mesmo aquela considerada bruta e inerte, é viva e sente, pode plasmar-se e obedece, quando atingida por um comando forte. [63 - A GRANDE SÍNTESE - A série das individuações químicas ] ( Ver: Processos das manifestações físicas ) A matéria comum, estudada pela física, é apenas 4% do que existe no cosmo. [44] www.scian.com.Br Matéria ordinária: A Matéria ordinária (do latim ''materia'', ''substância física'') é qualquer ''coisa'' que possui massa, ocupa espaço e está sujeita a inércia. A matéria é aquilo que existe, aquilo que forma as coisas e que pode ser observado como tal; é sempre constituída de partículas elementares com massa não-nula (como os átomos, e em escala menor, os prótons, nêutrons e elétrons). Estados da matéria ordinária: 1. estado sólido, partículas elementares fortemente ligadas, possuindo um corpo forma e volume definido; 2. estado líquido, as partículas elementares estão unidas mais fracamente e possuem apenas volume definido; 3. estado gasoso, as partículas elementares estão fracamente ligadas, não havendo agregação nem forma e volume definido. Existem também dois tipos de propriedades da matéria,... • as gerais que estão presentes em todos os tipos de matéria e • as específicas que distinguem as substâncias. 1.

Quanto às propriedades gerais, se definem: A impenetrabilidade: dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao 36

36


2. 3. 5. 6. 7.

mesmo tempo. A mobilidade: quando os corpos ocupam sucessivamente diferentes posições no espaço. A divisibilidade: quando se reduz em partículas menores que a original. 4. A extensão: indica o espaço ocupado pela matéria. A elasticidade: indica o poder de um corpo em voltar a tomar a forma original no momento de dissipação de todas as forças sobre si. A compressibilidade: o poder diminuir de volume sob ação de forças sobre si. A inércia: quando um corpo não altera por si o seu estado de repouso ou de movimento, o qual se avalia pela massa. 8. E a ponderabilidade: quando um corpo sujeito a um campo gravitacional, avalia-se pelo peso.

Quanto às propriedades específicas: Físicas, Químicas e Organolépticas, estas são: Peso específico; porosidade; estrutura; dureza; solubilidade; densidade; calor específico; condutibilidade; magnetismo; combustão; hidrólise; pontos de fusão, condensação, solidificação e ebulição. Conforme descrito, definimos que a matéria se constitui de partículas fundamentais, a estas damos o nome de molécula, que é a menor porção que mantém as propriedades da substância, mas que pode ser dividida em átomos. http://br.geocities.com/materia_py5aal/materia.html

Propriedades Gerais da Matéria Miguel A. Medeiros 27 de junho de 2004 Matéria: tudo que ocupa lugar no espaço e possui massa. (madeira) Corpo: porção definida da matéria. (tronco) Objeto: corpo feito pelo homem com o intuito de se utilizá-lo para algum fim. (banco de madeira) É possível perceber que a matéria pode existir em três estados físicos diferentes, o sólido, o líquido e o gasoso. É também possível verificar que alguns corpos podem mudar de estado físico, ou seja, deixar de ser sólido e passar para líquido e do líquido passar para o estado gasoso. Um exemplo disso é a água, que pode existir no estado sólido (como gelo), no estado líquido (como água), ou no estado gasoso (como vapor). Sendo assim, estas transformações recebem nomes, tais como: - fusão para a passagem do sólido para o líquido; - solidificação para a passagem do estado líquido para o sólido; - vaporização para a passagem do estado líquido para o gasoso. No entanto, a vaporização pode ser subdividida em: - ebulição, que é induzida, ou seja, quando se fornece energia a um líquido para ele se transformar no estado gasoso. Exemplo: ferver água em uma panela. - evaporação, que é a passagem do estado líquido para o gasoso de forma espontânea, ou seja, quando você não induz esta transformação. Um exemplo é uma roupa secando no varal, ou uma poça d’água que evapora pela ação do Sol. - calefação, que é a passagem do líquido para o gasoso de forma instantânea, ou 37

37


seja, é uma passagem muito rápida. Um exemplo é quando jogamos gotas d’água em uma panela quente, o que ocorre naquele momento é a calefação. - Condensação para a passagem do estado gasoso para o líquido. Exemplo é a formação de gotículas na parte de fora de um copo com água gelada. Neste fenômeno o que se observa é que o ar (que contém vapor d’água) próximo da superfície do copo se resfria e o vapor d’água torna-se água líquida na superfície externa do copo. (As gotículas) - Sublimação para a passagem direta do estado sólido para o gasoso e do gasoso para o sólido. Um exemplo de sublimação é a passagem da naftalina (que é sólida) para o estado gasoso, diretamente sem que passe pelo estado líquido. A naftalina é utilizada para espantar baratas e traças de gavetas e armários. Ela possui um odor característico. A partir disso, pode-se desenvolver um esquema para facilitar o seu entendimento.

Estas transformações podem, também ser representadas graficamente. Nesta representação, aborda a temperatura de fusão e a temperatura de ebulição, pois se parte de um sólido e induz ele a passar pelos três estados físicos da matéria, para tal, basta fornecer energia a ele.

Tanto na temperatura de fusão e na temperatura de ebulição, a temperatura permanece constante, ou seja, existem duas fases presentes e a temperatura é constante. Isso para substâncias puras. Temperatura de fusão: temperatura constante na qual coexistem os estados sólido e líquido em equilíbrio. A temperatura será constante até que existam as duas fases. Temperatura de ebulição: temperatura constante na qual coexistem os estados líquido e gasoso em equilíbrio. A temperatura será constante até que existam as duas fases. Nos intervalos entre fusão e ebulição, a temperatura aumenta com o decorrer do tempo e o líquido vai aquecendo até que ele comece a ferver, aí teremos início a ebulição. A partir deste gráfico também é possível verificar a temperatura de condensação e a temperatura de solidificação que são as mesmas que a temperatura de ebulição e temperatura de fusão, respectivamente. *O texto e as figuras desta página foram produzidos por Miguel A. Medeiros. A reprodução destes, merece autorização ou referência ao autor. Além do endereço desta página. QuiProcura Miguel

Capítulo 5

O PANTEÍSMO (é a mais abjeta das formas de religião, por mergulhar na paralisia de ver Deus em toda parte, até nos objetos, tornando-os veneráveis; os índios viviam essa forma antiga e asquerosa da quase-naturalismo; tudo isso voltou na TV) 38

38


Panteísmo Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. A reflexão deve partir de um conhecimento da realidade divina e depois especular sobre a relação entre o divino e o não-divino. A este ponto de vista chama-se panteísmo acósmico. Inversamente, quando a reflexão começa de uma percepção de toda realidade finita, das entidades passíveis de mudança e é dado o nome Deus a sua totalidade, denomina-se panteísmo cósmico. Etimologicamente falando, o termo panteísmo deriva das palavras gregas pan ("tudo") e teísmo ("crença em deus"), sustentando a idéia da crença em um Deus que está em tudo, ou a de muitos deuses representados pelos múltiplos elementos divinizados da natureza e do universo. Em diversas culturas panteístas, frequentemente a idéia de um Deus que vive em tudo complementa e coexiste pacificamente com o conceito de múltiplos deuses associados com os diversos elementos da natureza, sendo ambos aspectos do panteísmo. A principal convicção é que Deus, ou força divina, está presente no mundo e permeia tudo o que nele existe. O divino também pode ser experimentado como algo impessoal, como a alma do mundo, ou um sistema do mundo. O panteísmo costuma ser associado ao misticismo, no qual o objetivo do mortal é alcançar a união com o divino. Relação com outras doutrinas e com a ciência O panteísta é aquele que acredita e/ou tem a percepção da natureza e do Universo como divindade. Ao contrário dos deístas, ele não advoga a existência nem de um Deus criador do Universo, tampouco das divindades teístas intervencionistas, mas simplesmente especula que tudo o que existe é manifestação divina, autoconsciente. Dentre as doutrinas ocidentais, o Panteísmo é uma das que mais se aproximam das filosofias orientais como o Budismo, o Jainismo, o Taoísmo e o Confucionismo[carece de fontes?] . É também a linha filosófica que mais se aproxima da filosofia hermética do antigo Egito, onde o principal objetivo é fazer parte da conspiração Universal (ou conspiração Cósmica)[carece de fontes?]. Contudo, o panteísta não vê a Ciência de maneira diversa de um ateu, não atribuindo a nenhum tipo de divindade fatos como a origem do Universo, da Vida e da espécie Humana. Deus, no Panteísmo, é todo o Universo. O seu templo é qualquer lugar e sua lei é a das Ciências Naturais, a lei natural. Pensadores panteístas Algumas das mentes mais brilhantes da humanidade eram panteístas[carece de fontes?], ao lado de grandes pensadores ateus e agnósticos. Provavelmente o panteísta mais famoso e notável tenha sido o físico alemão Albert Einstein[carece de fontes?]. Seu amaravilhar-se diante da Ciência freqüentemente o estimulava a exaltar uma provável natureza divina inerente a tudo. Muitas das citações de Einstein são equivocadamente utilizadas por criacionistas na ávida tentativa destes de corroborar as suas crenças em um Deus projetista, criador e interventor. Outro físico merece destaque aqui: Amit Goswami, cujos livros bestsellers propõem a união entre a física quântica e a espiritualidade, também chamada de Misticismo Quântico. Sua obra de maior sucesso até o momento sugestivamente intitula-se O Universo Autoconsciente.

O POLITEÍSMO (pode facilmente se tornar uma forma de satanismo, pois as pessoas desejam controlar os “deuses”; honra os hindus que eles, após tantos milênios, não tenham caído nisso; essa agressão barata voltou nos superheróis e em várias escalas do vôo baixo dos bobocas ocidentais) 39

39


Politeísmo Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Politeísmo (do grego: Poli, muitos, Théos, deus: muitos deuses) consiste na crença em mais do que uma divindade de gênero masculino, feminino ou indefinido, sendo que cada uma é considerada uma entidade individual e independente com uma personalidade e vontade próprias, governando sobre diversas actividades, áreas, objectos, instituições, elementos naturais e mesmo relações humanas. Ainda em relação às suas esferas de influência, de notar que nem sempre estas se encontram claramente diferenciadas, podendo naturalmente haver uma sobreposição de funções de várias divindades. O reconhecimento da existência de múltiplos deuses e deusas, no entanto, não equivale necessariamente à adoração de todas as divindades de um ou mais panteões, pois o crente tanto pode adorá-las no seu conjunto, como pode concentrar-se apenas num grupo específico de deidades, determinado por diversas condicionantes como a ocupação do crente, os seus gostos, a experiência pessoal, tradição familiar, etc. São exemplos de religiões politeístas as da antiga Grécia, Roma, Egipto, Escandinávia, Ibéria, Ilhas Britânicas e regiões eslavas, assim como as suas reconstruções modernas como a Wicca, Xamanismo , Druidismo e ainda o Xintoísmo e as religiões afro-brasileiras. Ver também 40

40


Wicca Ateísmo • Monoteísmo • Panenteísmo • Panteísmo • Trindade • Críticas à doutrina da Trindade O DRUIDISMO (não é à toa que essa bobeira voltou nesses tempos de drogados e bêbados super-sexualizados, sexólatras; é o retorno do paganismo dos saxões, anglos, nórdicos e outros povos incivilizados derrotados pelos avanços judeus; são os arcaicos e os obsoletos reclamando direito à infância idiota; “religiões da Natureza” que trocam os pés pelas mãos) •

41

41


42

42


Druidismo Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. O Druidismo é o termo usado hoje em dia para designar a religião praticada pelos neodruidas, isto é, aqueles que através de estudos profundos da história e arqueologia, buscam resgatar a religião dos druidas pré-cristãos e adaptá-la para os dias de hoje. O neodruidismo é uma religião pagã (acredita na sacralidade da natureza), animista e politeísta. Atualmente existem muitos grupos oriundos da Europa central e ocidental que desejam firmar o druidismo, através da prática desta religião. Um destes covens é a Bétula Druida ("Birch Druids") cuja origem é em Londres. Existem outros grupos em todo o mundo, inclusive na Austrália e no Brasil, que trouxeram o druidismo para o Hemisfério Sul. No Brasil existem representantes da Druidnetwork (rede druídica mundial) e de importantes ordens como a inglesa Ordem dos Bardos, Ovates e Druidas. Ligações externas • Druidismo Brasil • Druidnetwok Paganismo (politeísmo histórico e neopaganismo) Principais conceitos Animismo · Panteísmo · Politeísmo · Xamanismo Religião pré-histórica: Protoindo-europeia · Protosemítica · Europa: Báltico (Lituana · Letã) · Basca · Celta · Finlandês · Germânico (AngloSaxão · Nórdico · Germânica Ocidental) · GrecoPoliteísmo histórico Romana (Culto heróico · Mistérios de Elêusis · Mitraísmo · Orfismo · Hermetismo · Culto imperial) · Eslava · Oriente Médio: Cananéia · Egípcia · Assírio-babilônica · Ásia: Védica · Mesoamérica: Asteca · Maia · Olmeca Africana · Afro-brasileiras · Xamanismo Religiões folclóricas euroasiático · Hinduísmo · Chinesa · Japonesa · Nativo-americana · Pacífico Culto dos ancestrais · Culto animal · Ethos · Folclore · Magia e religião · Mito e ritual · Mito e ritual Mitologia · Ortopraxia · Religião e mitologia · Ritual · Sacrifício (Animal · Humano) · Feitiçaria · Tradição · Virtude · Bruxaria Cristianismo e paganismo · Locais cristianizados · Imagens e mitos cristianizados · Calendário cristianizado · Rituais cristianizados · Reviravolta Cristianização de Constantino · Religião helenística · Iconoclastia · Neoplatonismo · Religio licita · Culto imperial · Paganismo virtuoso Báltico · Celta · Finlandês · Germânico (Ariosofia · Ásatrú · Teodismo · Urglaawe) · Grego · Judeopaganismo · Kemetismo · NeoMovimentos neopagãos druidismo · Reconstrucionismo · Romano · Eslavo · Unitária Universalista · Wicca (Wicca britânica tradicional)

43

43

O Suspiro da Materia  

a matéria não suspira no nível físico-químico, é preciso que avance muito ,até pelo menos o nível biológico-p.2; ou, para ter suspiro signif...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you