Issuu on Google+

Internetescola 1. Aquela Superescola que Pediram 2. Superinteressante 3. Superproblemática 4. Supersolucionática 5. Superampla 6. Superdinâmica 7. Novo Eu 8. Eu Vestido de Novo 9. O Novo e a Nova se Casam 10. Superaspirações e Superinspirações Vitória, terça-feira, 27 de janeiro de 2009. José Augusto Gava.

1


Capítulo 1 Aquela Superescola que Pediram Os seres humanos sempre pediram supervelocidade e outros superpoderes, mas quando eles se tornaram disponíveis não foram aproveitados a contento. CONCENTRANDO NA ESCOLA

Abrir o ponto para o mundo.

Concentrar o mundo num ponto.

... do mundo que nos foi presenteado. Foco na mente de cada criança... Contudo, a superescola só vai ser criada se as SUPERPESSOAS e os SUPERAMBIENTES forem do interesse particular e geral. É preciso QUERER uma torre de 1.000 metros de altura antes de arranjar a engenharia e o dinheiro de sua construção. CHAMANDO TORRE, CHAMANDO TERRA

2


Qualquer um desses edifícios está lá, com certeza, mas nele podemos ver também coragem e ousadia, vontade de fazer, disciplina, determinação, capacidade de logística e de engenharia-arquitetura. Claro, em cada coisa há o objeto, mas no objeto está representada primordialmente a determinação de fazer. Não Haverá GRANDE ESCOLA se não houverem grandes figuras que a desejem e façam.

Capítulo 2 Superinteressante Se o mundo que nos foi dado é imenso, por quê não é imenso nosso contato com ele? É sempre grande, conforme a grandeza de cada época; ou PODE SER GRANDE. Se não é devido às decisões erradas – se o mundo não é grande (conforme disse Fernando Pessoa em outras palavras) é porque as gentes são pequenas. Se o mundo é superinteressante admiti-lo como tal depende, em primeiro lugar, de decisão de condução ou política e depois de ações determinadas, quer dizer, certas ações lógico-dialéticas e ações com determinação. MUNDO SUPERINTERESSANTE (como, por felicidade, a quem temos de passar é justamente quem está mais vazio das informações – a criança – e mais apto a recebê-la, é o próprio prazer)

Todo tipo de diferença.

Antes que o mundo acabe. 3


QUARTA-FEIRA, 20 DE AGOSTO DE 2008 Como as pessoas se comunicam no Brasil

A revista Super Interessante de Março (texto de Rafael Tonon) traz um dado sobre o modo que as pessoas se comunicam diariamente. No topo estão os emails, com 1,3 bilhões enviados (isso sem incluir os Spams), seguidos dos 920 milhões de mensagens instantâneas trocadas por MSN, Google Talk, e quem sabe até um pouco pelo saudoso ICQ. O telefone fixo vem em terceiro lugar, com um número bem abaixo: 217 milhões de ligações (que tem a duração média de 3,3 minutos). Mas, se o telegrama ainda está aí para contar história, o telefone está longe de perder seu papel.

Veja como os agentes da autoridade se preocupam com o povo no Brasil. 4


Imagine só o que foi acumulado para mentes que precisam, sobretudo, da palavra: bilhões de livros (em bibliotecas e pela Internet), quadros, palestras, entrevistas, cartilhas e o que mais for; centenas de TVs abertas (podem ser conseguidas 500 baixando um programa denominado Megacubo e outros) e outros meios; ou simplesmente conversando. A pacificação depende disso e há esse ditado: “é conversando que a gente se entende”. Não apenas um-a-um, mas todos e cada um. Em suma, é preciso rever a Escola geral. Do que precisamos é pós-contemporanizá-la (o que falo desde antes de 1991 é na contemporanização da escola). Atualizá-la. Fazê-la de agora e do futuro, arrancá-la do passado. Criar a NOVESCOLA.

Capítulo 3 Superproblemática Por “superproblemática” não devemos entender a criação de problemas, nem aquelas crianças de si enjoadas ou levadas a serem assim por pais e mães autocomplacentes e complacentes. Pelo contrário, tal superescola pode até ser bastante quieta e, do lado de fora, aparentar um silêncio total, enquanto dentro fervessem as mentes. Aqui quero falar de uma escola QUE IRÁ ATRÁS DOS PROBLEMAS que o mundo inteiro manifestou: a) PROBLEMAS AMBIENTAIS: a.4. problemas mundiais; a.3. problemas nacionais; a.2. problemas estaduais; a.1. problemas municipais-urbanos; b) PROBLEMAS PESSOAIS: b.4. problemas empresariais; b.3. problemas grupais; b.2. problemas familiares; b.1. problemas individuais. Não é preciso inventar problemas, eles já existem em quantidade e qualidade mais que suficiente. Basta rastreá-los e se propor a resolvê-los. Tal escola não é um tanque de pensamentos nos moldes da RAND CORPORATION, mas é uma escola de CONHECIMENTOS completa: 0. Conhecimentos matemáticos; 1. Conhecimentos mágico-artísticos; 2. Conhecimentos teológico-religiosos; 3. Conhecimentos filosófico-ideológicos; 4. Conhecimentos científico-técnicos. Não é uma escola para crianças que se acham geniozinhos nem para pais e mães que vão aplaudi-los em sua grandeza, é um ambiente de trabalho duro, pesado, intenso e de reflexões profundas desde muito cedo, do préprimário até o pós-doutorado (os governempresas precisam financiar isso), com exclusão dos indivíduos não-centrados ou excessivamente personalistas. 5


Capítulo 4 Supersolucionática Na luta pela sobrevivência têm maior valor os que sobrevivem, o que só o futuro será capaz de mostrar; mas, previamente, têm maior valor os que lutam mais, solucionando mais, porque dentre as soluções apontadas pode (podem) estar uma (mais que uma) que os futuros ambientes necessitarão. Assim, SUPERPRODUZIR soluções é condição de sobrevivência. A CONDIÇÃO DE SOBREVIVÊNCIA APLICADA ÀS PESSOAMBIENTES (então, vasculhe as pessoas e os ambientes mais criativos e terá os que sobreviverão, ali mesmo ou alhures, agora mesmo ou depois) 1. superprodução individual; 2. superprodução familiar; 3. superprodução grupal; 4. superprodução empresarial; PESSOAS 5. superprodução urbano-municipal (por exemplo, Curitiba prosperou na medida em que arquitetos-urbanizadores de lá produziram as melhores soluções); 6. superprodução estadual (São Paulo saltou acima do Rio de Janeiro – que tinha o favor de ser capital federal – e dos demais estados; o mesmo fez a Califórnia nos EUA); 7. superprodução nacional (EUA, depois Japão, agora China e Índia produziram muito); 8. superprodução mundial (no caso de confronto com outro planeta venceria o mais fecundo, mesmo partindo de posição inferior). As pessoas, naturalmente, sãos os vetores dentro de tudo: são elas que criam; particularmente os indivíduos. Não é verdade que grupos possam substituir indivíduos – só podem potenciá-los, provendo suporte para as tarefas menores. É assim que se faz nos laboratórios e nos centros de estudos quando o grande mestre é servido pelos mestres menores e estes pelos estudantes. E é assim o apoio aos gênios, aos criadores derradeiros. CRIATIVAS PROPAGANDAS DA GENIALIDADE

6


O CAVALO-CRIADOR QUE SE DESTACA.

Então, tudo diz respeito da ter AS PESSOAS MAIS CRIATIVAS e a tê-las dentro dos ambientes favoráveis, isto é, a preparar os ambientes para favorecê-las. O objetivo primordial da escola-Internet só pode ser o de colocar a escola em contato com o mundo representado na Internet e isso com o objetivo principal de arranjar apoio para os criadores e as criações, a eleger a Rede Mundial como prancheta de desenho dos criativos. IDENTIFICANDO O ALVO (é a criatividade, não a Internet; mas a Internet é um veículo dela, assim como livros, revistas, jornais, TV, rádio, palestras, institutos e tudo mais) ENQUANTO MEIO DE TRANSPORTE CHAMADO MÍDIA

7


A Internet não pergunta sexo, idade, cor, país, classe social, crença, nada mesmo: oferece a qualquer hora da noite, em qualquer latitude, longitude e altitude, seja qual for o regime político. No mundo desde 1989 (20 anos) e no Brasil desde 1995 (14 anos), a partir dela um novo salto foi dado e de repente fomos postos em contato com QUASE TODA a criatividade mundial, que será completada na medida em que todos os livros sejam digitalizados e traduzidos, todas as telas postas à disposição, todas as criações da humanidade colocadas em contato com todos e cada um – o que deve acontecer no decorrer das próximas décadas. Imagine quem nasça dentro de uma geração, 2040 para frente: terá à sua disposição (com um pouco de boa vontade dos tradutores) 10 mil anos de criações humanas. Embora a memória em si mesma não seja capaz de criar, ela é base para a inteligência, que é estrutural: a inteligência faz tanto quanto existe memória, quer dizer, existindo memória, a inteligência faz; se não aparecem resultados inteligentes é porque não existe memória. Ou necessidade de manifestação de tais inteligências.

8


Capítulo 5 Superampla Quão mais ampla poderia ser uma escola que a ligada à Internet? Pois aí estaria conectada a 200 países, quatro mil estados, 300 mil cidades com suas centenas de milhares de bibliotecas, milhões de empresas e grupos, nada menos que 1,5 bilhão de famílias, com 6,6 bilhões de indivíduos produzindo em todas as horas do dia e da noite. Vai daí que se os ambientes fossem espertos abririam nas escolas um canal imensamente largo para fluxo de informações - não de 300 kbps, nem de 2.000 kbps, mas de 50.000.000 kbps, como foi experimentalmente implantado na Suécia. TRÁFEGO DE RESPEITO (verdadeira superestrada) Internet por fibra óptica a 1 Gbps disponível em outubro... no Japão Downloads instantâneos de pornografia serão possíveis em breve no Japão graças a um novo e largamente disponível serviço de fibra óptica do provedor KDDI, que oferecerá velocidades de até 1 Gbps (gigabit por segundo) para download e 1 Gbps também para upload – bem mais altas do que os atuais 100 Mbps (megabit por segundo) fornecidos. O serviço começa a funcionar a partir de 1º de outubro para residências e prédios baixos por cerca de R$ 105 por mês [o preço inclui internet e telefone]. Se o resultado das eleições de 2008 não me fizer mudar para outro país, essas atualmente intangíveis velocidades de download podem fazê-lo. iWeb’s network reaches 50 Gbps Published on January 19, 2009 at 4:19 pm by iWeb-Bernard in: Press Releases, iWeb IP network capacity has quintupled over the past year. Montreal, Quebec, January 19 - With its most recent expansion, iWeb’s network now totals 50 Gbps. In order to meet a constantly greater demand for bandwidth from clients with web-based applications such as Software-as-a-Service (SaaS) and video services, the global internet hosting provider’s network has more than quintupled in the past year, growing from 9 Gbps to 50 Gbps today. “The fact is that many companies today are using web-based technologies to keep IT spending under control, or to reduce spending. IT budget restrictions mean that the companies we work with are outsourcing their infrastructure to iWeb faster than planned in order to meet their targets.” says Eric Chouinard, iWeb’s President and CEO. He adds that “New technologies are increasingly web-based, and our clients require more bandwidth every month.” The network combines a total of 9 major telecommunications carriers into iWeb’s award-winning network, which uses BGP routing to ensure 9


performance and reliability. “Combined with the ever increasing bandwidth requirements of newer applications, we are constantly surprised with some of the innovative solutions our clients have put online - things we would not have imagined 5 years ago!” says iWeb’s President of Products and Technology, Martin Leclair. “Capacity is scheduled to increase again shortly and continually throughout the coming year, which is a clear indication of the direction in which technologies are heading - everything is going online” confirms the enthusiastic co-founder of iWeb. The Montreal-based company, whose financial results are scheduled to be published later this week, will be rolling out marketing campaigns to promote related bandwidth and dedicated server hosting services. Since becoming a public company in 2004, iWeb has been steadily growing to become one of Canada’s largest IP hosting firms. About iWeb iWeb is a worldwide provider of Internet hosting services and IT Infrastructure, and is listed on the TSX Venture Exchange (IWB.V). With three secure data centers, all in Montreal, iWeb has carved out an enviable position on the international scene with more than 60% of its revenues from abroad. Founded in 1996 in Montreal, iWeb has recently completed a $22M financing agreement with investment banking giant Goldman Sachs. iWeb now has over 150 full-time employees providing Dedicated Server hosting, Co-location and Web Hosting services to more than 17 000 customers in 145 countries. More information is available at the company’s website: http://iweb.com/about-us/ For more information: Bernard Dahl Director, Communications and Public Relations iWeb Group Inc. 514-286-4242 ext 115 bdahl@iweb.com Philip Tousignant Chief Financial Officer iWeb Group Inc. 514-286-4242 ext 149 ptousignant@iweb.com Coréia Terá Acesso à Internet de 1 Gbps Citação: O governo coreano vai investir US$ 22 bilhões em infraestrutura de telecomunicações para que o país tenha acesso à Internet com velocidade de 1 Gbps até 2012. Para você ter uma idéia, com esta 10


velocidade é possível baixar um filme de 120 minutos em apenas 12 segundos! A princípio apenas os usuários que moram nas grandes cidades se beneficiarão com a conexão de 1 Gbps. Outras pequenas cidades da Coréia ainda continuarão com acesso à Internet com velocidades de 50 a 100 Mbps.

Os novos axônios do novo cérebro mundial. Definitivamente, a escola é onde aprendemos o futuro, não o presente ou o passado, porque o presente é a linha de terminação e o passado é o domínio dos finados. O futuro, o jusante do rio do tempo, é onde está a competição pelo presente; este futuro-presente em que estamos é o de quem se preparou antes. Escola que ensina o presente ou o passado é escola de derrotados. Veja, o bocão-da-informação é por onde nos alimentamos; antes havia restrições de todo tipo, mas agora mudou de novo, como há 550 anos com Gutenberg. AS ESCOLAS 1. escolas de primeiro mundo (primeiras escolas); 2. segundas escolas; 3. terceiras escolas (as do Brasil, fora as exceções, estão aqui); 4. quartas escolas; 5. quintas escolas.

Capítulo 6 Superdinâmica Se há o estático, de que o oposto-complementar é o dinâmico, o superdinâmico é a multiplicação do segundo por 10, 100, 1.000 ou mais, que é o que o Japão já fez e a Coréia, a China e a Índia estão fazendo ao investir na frente de ondas, na educação. EXPONENCIAL DE PRODUÇÃO ELETRÔNICA (1/1840 do nêutron e 1/3.680 da soma com o próton; é preciso imprimir velocidade sem sair do lugar, sem estimular saída de casa) 11


A combinação de esforços.

A exponencialização deles, quando um estimula os outros e vice-versa. E, principalmente, colocar na cabeça das crianças desde muito cedo a abertura quanto às informações, para quando crescerem e ocuparem seus postos terem interesse em financiar.

Capítulo 7 Novo Eu Noveu, novelo de lá, de cá, de todo lugar. CLARO O ANO (o ano letivo) – alimentar coraçõesinhos.

Clareana

Maurício Maestro – Joyce Um coração De mel, de melão De sim e de não É feito um bichinho No Sol de manhã Novelo de lã No ventre da mãe Bate um coração De Clara, Ana E quem mais chegar Água, terra, fogo e ar Clara, Ana E quem mais chegar Água, terra Fogo e ar

12

os


OS DOIS LADOS SENDO REALIMENTADOS, SUPEREALIMENTADOS (mentalmente, não mais corporalmente) – e um ao outro, pessoa e ambiente.

Como já estudamos tantas vezes, uma criança é superativa em relação aos adultos e a infância é o período mais bonito em termos de aprendizado; em particular a adolescência é A ÉPOCA em que a infância foi superativada para vencer os desafios de inserção. EXPONENCIALIZAÇÃO, ESTABILIZAÇÃO E QUEDA

decadência

maturidade

infância Quem • • • • • •

acaba de chegar tem de absorver: 6,6 bilhões de indivíduos; 1,5 bilhão de famílias; centenas de milhões de grupos; milhões de empresas; 300 mil cidades; quatro mil estados; 13


• 200 nações; • um mundo (que de cultura já tem 10 mil anos). BOC/ADINHO DAS BRUXAS (misturando e separando tudo) – imagine como é perceber todas as sutilezas das fitas de herança psicológicas!

A cabeça onde será jogado tudo aquilo: mais milhões de invenções, programas, processos, níveis hierárquicos, caminhos, etc. CABECINHA QUE SOFRE

Tem de ser gênio para absorver tudo aquilo: eis aqui um funcionário pronto para o aprendizado, o bichinho assustado que valentemente vai, dia após dia, aprender desde o Jardim de Infância a socialização, que é processo complicadíssimo. Um novo eu deve chegar sem informação nenhuma e ser capaz de absorver tudo isso, em inumeráveis combinações de incrível sutileza. Achamos fácil, corriqueiro, porque ninguém estudou ainda o fenômeno sob a ótica de um alienígena que se perguntasse como é possível um cérebro de 1,5 kg e alguns bilhões de células acomodar tantas variantes, tantas categorias e subcategorias. A felicidade toda é que a Natureza promove nessa faixa de idades (de zero a 21 anos) uma supererupção de curiosidades, uma abundância de necessidades de conhecimentos. Quanto mais olho, mais fico maravilhado.

Capítulo 8 Eu Vestido de Novo EUSFÉRAS CONCÊNTRICAS (não apenas eu, mas uma imensidade de gente está aprendendo e reaprendendo – e “tudo” isso pode agora chegar a todos e cada um, desde que as coisas sejam reorganizadas)

14


As pessoas encaixadas umas dentro das seguintes.

E os ambientes também. Só que agora temos de caçar no meio dessa imensidade de ofertas aquilo que nos atrai mais. Essa caçada toma muito tempo e faz desanimar. Em vista disso pensei em árvores polares, com bifurcações 2n, de modo que a simples bipolaridade ou separação biunívoca possa nos levar do tronco a cada uma das folhas. Veja que se as folhas todas de uma árvore fossem projetadas no solo não conseguiríamos distingui-las – é o que ocorre nas ofertas de um sítio/site onde tudo está disponível ao mesmo tempo, quando deveria ser o tempo o divisor característico a separar. UMA ÁRVORE E SUA PROJEÇÃO NO MESMO PLANO

15


Um sítio característico com superoferta.

A proposta: quem vai pela porta da esquerda quer um caminho e não o outro.

Princípio da bifurcação.

Árvore de interesses e conhecimentos. 16


Cada folha é uma oferta diferente. Cada folha é um conhecimento estanque e ao mesmo tempo comum, através da comunidade-árvore.

Capítulo 9 O Novo e a Nova se Casam O NOVO

A NOVA

Casamentos... 17


... produzem um monte de novinhos e novinhas a quem reensinar tudo.

A curiosidade é tudo, como disse Einstein. E agora, pela primeira vez na geo-história temos chance de superofertar e superconsumir informações, bastando adequar os meios (veja Novo Ler). Na Internet peguei mais de 1.400 livros e na banca de revista mais de 1.600, de modo que por muito pouco acessei mais de três mil livros, o que antes teria sido muito difícil: ao custo médio de apenas 30 reais chegaria o conjunto a perto de 90 mil reais, cifra proibitiva não apenas para a grande maioria dos brasileiros como para a grande maioria das pessoas no mundo. Veja só que chances temos agora!

Capítulo 10 Superaspirações e Superinspirações Os seres humanos, todos e cada um puderam ter aspirações e com isso inspirações; agora podemos exagerar ao superlativo. Pela primeira vez na geo-história podemos efetivamente PARECER TER acesso irrestrito compatível com a capacidade humana de processamento. Desde que seu interesse seja suficientemente agudo você pode passar dias e semanas sentado vendo imagens e lendo artigos na Internet sobre praticamente tudo, depois interagindo com os livros de bibliotecas (porque a Internet ainda não é muito esperta, infelizmente). [Do lat. aspirare.] V. t. d. 1. Atrair (o ar) aos ASPIRAR pulmões; respirar; inspirar. 2. Atrair por meio de (a algo)

INSPIRAÇÃO

formação de vácuo ou de rarefação do ar. 3. Aplicar o olfato a; cheirar. 4. Sorver (por sucção), sugar. 5. E. Ling. Pronunciar com aspiração (3). V. t. i. 6. Desejar ardentemente; pretender. [Não admite o pronome lhe(s), mas apenas as f. analíticas a eles, a elas. V. int. 7. Respirar (1) 8. Soprar. [Do lat. tard. inspiratione.] S. f. 1. Ação ou efeito de inspirar (-se) ou de ser inspirado. 2. Fisiol. Ato de introduzir o ar nos pulmões, de inspirar (1 e 6). 3. Qualquer estímulo ao pensamento ou à atividade criadora. 4. P. ext. O resultado de uma atividade inspiradora. 5. Pessoa ou coisa que inspira; inspirador. 6. V. estro1 (1). 7. Teol. Moção divina que, segundo a crença cristã, teria dirigido os autores dos livros da Bíblia.

Pela primeira vez podemos colocar (virtualmente) o mundo dentro das escolas, abrindo tremendo canal de trânsito, uma super-autobahn da Rede; pela primeira vez o 18


universo está totalmente ofertado ao indivíduo – e para chegar a isso se passaram 10 mil anos. Em resumo, é preciso criar uma nova escola, uma ESCOLA-INTERNET em que as crianças (e os adultos) aprender a manipular essa nova WEBIBLIOTECA MUNDIAL, exercendo a curiosidade todo o tempo em todo lugar. SUPERESTRADA PARA A NOSSAS MENTES

SEGUNDA-FEIRA, JULHO 28, 2008

Biblioteca e ferramentas Web A grande aposta das bibliotecas nos dias de hoje é a utilização das ferramentas Web 2.0, para divulgar os seus serviços e comunicar com os seus utilizadores. Surge assim o termo "Biblioteca 2.0", veja-se esta imagem que demosntra em esquema o que é a Biblioteca 2.0:

Mirando o indivíduo com seus zilhões de interesses.

Abrindo uma superporta superdimensionada para ele. 19


BIBLIOTECAS VIRTUAIS

A democratização da informação As bibliotecas virtuais são como grandes catálogos, provedores de informação, uma ampliação da base de pesquisa para cientistas e estudantes com acesso a documentos, como teses, periódicos e até mesmo livros, de forma cada vez mais fácil. A transformação de uma biblioteca tradicional em virtual, porém, implica em mudanças que não são tão simples. Além de equipamentos, exige profissionais capacitados para gerenciar informações, desenvolver sistemas de banco de dados e digitalizar documentos. "Hoje, as principais discussões que cercam as bibliotecas digitais, são a disponibilização de teses digitais, a constituição de consórcios e a adoção de padrões para os serviços. A tendência de ampliação dessas bibliotecas já é uma realidade, mas requer certos ajustes", informa Luiz Atílio Vicentini, coordenador da biblioteca digital da Unicamp. A expansão dos bancos de teses digitais no Brasil acompanha a tendência existente hoje no exterior. Atualmente, a maior biblioteca de teses digitais é a norte-americana Virginia Tech, com produções de universidades dos Estados Unidos, da Austrália e da Europa. O Brasil possui algumas experiências com bons resultados, ainda que isoladamente. Na USP, os próprios alunos incluem as suas teses no sistema e a média no último ano foi de 40 teses ao mês. A Unicamp possui mais de mil teses digitalizadas. Outras universidades, como a Federal de Santa Catarina e a PUC-RJ também trabalham em seu banco de teses digitais, mas o ideal será quando todo esse material estiver disponível, de forma mais integrada. É o que se propõe a fazer o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), com o projeto da Biblioteca Digital Brasileira, que vai agregar, não só todas as teses digitais, mas todas as bibliotecas digitais implantadas nas universidades brasileiras. Vicentini acrescenta que o instituto já contactou a Virginia Tech para integrar esse consórcio, o que daria maior visibilidade à produção científica nacional. SAÚDE O Brasil já dispõe de algumas bibliotecas virtuais com uma rica base de dados. É o caso da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), que atende a demanda crescente por informação científica e técnica em saúde na América Latina e Caribe, explica Abel Packer, diretor do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme): "A biblioteca virtual representa uma expansão do modelo atual de cooperação técnica da Bireme ao promover a produção descentralizada de fontes multimídia de informação, conectadas em rede com acesso direto e universal na internet, independente de restrições geográficas ou temporais". A BVS opera no sistema de cooperação técnica em parceria com 37 países e seu acervo virtual é distribuído na internet. O novo paradigma leva progressivamente à elaboração, publicação, 20


revisão, leitura, indexação, uso e avaliação do artigo científico direto no espaço virtual da internet. Essa é a solução proposta pela BVS e pelo projeto SciELO, em particular. Outra estratégia é promover a digitalização de coleções de publicações em papel e oferecer as mesmas em formato de imagem. Neste caso, o registro bibliográfico apresenta um link para o texto completo. Tanto na BSV como no SciELO, a informação é recuperada através de buscas com palavras chaves. A BVS organiza as fontes de informação em portais temáticos e geográficos, em português, espanhol e inglês. Para Hélio Kuramoto, coordenador geral de projetos especiais do IBICT, "o termo biblioteca virtual é todo um ambiente composto de coleções com serviços e pessoas em suporte ao ciclo de vida completo de criação, disseminação, uso e preservação de dados, informação e conhecimento", conclui. COMO FAZER A construção e manutenção de bibliotecas digitais no país esbarra na falta de infra-estrutura tecnológica. Vicentini considera, porém, que a disseminação do software livre abriu novas oportunidades para a implantação de bibliotecas virtuais. A própria Unicamp utiliza um programa desenvolvido pelo seu Centro de Computação, o No Rao, com tecnologia de software livre. A Virginia Tech dispõe de uma metodologia completa para montagem de um biblioteca digital de teses, com diretrizes claras de procedimento. A USP utilizou a metodologia completa da Virginia Tech, acrescenta Vicentini.

BARREIRAS AUTORAIS Um dos pontos polêmicos na instalação de bibliotecas virtuais é a questão dos direitos autorais. As bibliotecas brasileiras têm fugido desse problema disponibilizando apenas obras de domínio público. Já a biblioteca do Vaticano digitaliza suas obras com marcas d'água para garantir a segurança de copyright do conteúdo. A Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro criou o programa Biblioteca 21


Nacional sem Fronteiras, um acervo digital onde estão integradas as coleções digitalizadas, os recursos humanos e os serviços oferecidos ao cidadão. Lúcia Cunha Ortiz Simone Pallone © 2009 Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência Universidade Estadual de Campinas Labjor - Reitoria V - 3º Piso CEP: 13083 - 970 Campinas SP Brasil Tel: (19) 3521-2585/84/86 Fax: (19) 3521-2589 Tel: (19) 3289 3120 / 3788 7165 Fax: (19) 3788 7857 cienciaecultura@sbpcnet.org.br

Enfim, os governempresas não estão se movendo suficientemente rápido, nem estão dedicando a quantidade necessária de atenção à ligação Internet-Escola. DILATAR O TUBO INTERMETAS TUBO-LIGAÇÃO ESCOLA

Todo tipo de O novo surf. Ainda chamam de laboratório. solicitação. Para novo mundo, novos instrumentos. Vitória, sábado, 11 de abril de 2009. José Augusto Gava.

22


internetescola