Issuu on Google+

Eu Dei Marília Barbosa (ver o disco sobre Carmen Miranda) Eu Dei Ary Barroso

[toda coquete] Eu dei

[malicioso]

O que foi que você deu meu bem

[provocadora, insinuante, debochada] Eu dei

[mostrando indiferença, mas interessadíssimo] Guarde um pouco para mim também Não sei, se você fala por falar sem meditar

[enfrentadora, decididamente irreverente] Eu dei

[querendo aproveitar, inquieto, sofrendo] Diga logo, diga logo, é demais

[teimosa, batendo os pés] Não digo E adivinhe se é capaz

[entendendo tudo, puxando o olho, segredando] Você deu seu coração

[ela, rindo, depravada] Não dei, não dei Sem nenhuma condição Não dei, não dei

[independente]

O meu coração não tem dono Vive sozinho, coitadinho, no abandono

[repetindo com acinte, ácida] Eu dei

[ele, implorando]

O que foi que você deu meu bem

[ela, saltitando, feliz] Eu dei

[ele, querendo beliscar]

Guarde um pouco para mim também Não sei, se você fala por falar sem meditar

[definitivamente esfusiante] Eu dei


[ele, cada vez mais alucinado] Diga logo, diga logo, é demais

[ela, cúmplice com a platéia] Não digo E adivinhe se é capaz

[revelando finalmente] Foi um terno e longo beijo Se foi, se foi Desses beijos que eu desejo Pois foi, pois foi

Guarde para mim unzinho Que mais tarde pagarei com jurinhos Eu dei O que foi que você deu meu bem Eu dei Guarde um pouco para mim também Não sei, se você fala por falar sem meditar Eu dei Diga logo, diga logo, é demais Não digo E adivinhe se é capaz Serra, quarta-feira, 06 de janeiro de 2010. José Augusto Gava.


eu dei