Issuu on Google+

8

Abril | 2012

Abril | 2012

PROCISSÃO E CAMINHADA DA SAÚDE Colaboração: Jeferson José Chaves

Seguindo os apelos da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e as orientações da Arquidiocese de Curitiba, que reflete nesta quaresma de 2012 o tema: “A Fraternidade e Saúde Pública” e o lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (cf. Eclo 38,8), em que esta tem por missão sensibilizar a todos e a todas sobre a dura realidade dos que não tem acesso à Saúde Pública condizente com suas necessidades e dignidade, bem como o cuidado pessoal com a saúde física e espiritual, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Campo Largo, dando abertura à Campanha da Fraternidade e a vários momentos de ações concretas que terá neste ano, iniciou com a Caminhada pela Saúde, às 08h30, do dia 04 de março. Nessa caminhada aconteceram várias paradas com reflexões das comunidades sobre a saúde pública, com fantoches, encenações e paródias e término no Parque Newton Puppi com a Santa Missa celebrada pelo pároco, Pe. Manoel Messias Vilela e seu Vigário Paroquial, Pe. João Gonzaga. Essa caminhada teve a participação de aproximadamente 600 pessoas, entre lideranças, fiéis e profissionais da saúde.

CLUBE DE MÃES VOLTOU!

Colaboração: Padre Manoel Messias Vilela

Para a alegria de toda a nossa Paróquia, o clube de mães voltou com força total. Toda quarta-feira, no centro de pastoral da paróquia, das 14h às 17h. Todas estão convidadas! Venha fazer parte deste grupo de senhoras, que passam momentos felizes de convivência fraterna e ainda trabalham fazendo os seus bordados, costuras, artesanatos etc. A venda dos produtos será revertida para a Ação Social da Paróquia. Parabéns ao clube de mães pela iniciativa e sejam todas bem vindas!

FOTOS DA CAMINHADA DA SAÚDE REALIZADA DIA 04 DE MARÇO

Venha fazer parte dessa imensa rede de amor e solidariedade chamada PASTORAL DA CRIANÇA! CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA NOVOS LÍDERES EM NOSSA PARÓQUIA Início: 05/05/2012 Mais informações e inscrições na secretaria paroquial, com Graciele (3292-1396) ou com Terezinha (33926324).


2

Pastoral do Dízimo Depoimentos de Graças alcançadas com a Novena do Dizimista 01/03/2009

Colaboração: Márcia Castro da Cruz

Paz de Jesus e o Amor de Maria! Por meio da novena do dizimista, o Senhor me colocou de pé, renovando minhas forças, e quero contar a vocês como aconteceu para a Honra e Glória de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em dezembro de 2008, sem saber como explicar, sentime tomada por um desânimo, como se a vida não tivesse mais nenhum sentido para mim. Eu levantava da cama por causa da responsabilidade de cuidar da minha família, mas não sentia vontade de fazer nada. Sentia dores no corpo todo sem cessar, chorava sem ter motivo, apenas sentia vontade de chorar, mas era um choro com dor e tristeza. Escondia da minha família o que estava acontecendo comigo porque não tinha como explicar a eles. Fiquei com medo que pudesse estar com depressão. Os maus pensamentos queriam tomar contar da minha mente, pensava que não queria mais viver,que ninguém me amava, era uma situação muito difícil que eu estava vivendo. Graças a Deus eu não havia perdido a vontade de rezar, aliás, era só o que eu queria fazer. Continuei participando do grupo de oração, indo à missa e buscando todos os dias a Palavra de Deus, mesmo na tristeza eu O louvava e colocava toda a minha confiança Nele. Em oração perguntei a Deus o que Ele queria de mim, e então dois dias depois o Senhor me colocava para ir ao Santíssimo, mas naquela semana aconteceram tantas coisas e eu não fui. Então, o Senhor me colocava o dízimo. Dessa forma, falei com Deus “É, Senhor, faz seis meses que fui à Paróquia buscar o papel para ser dizimista, mas cheguei em casa e deixei guardado”. Então, fui procurar, e lá estavam o papel e o livro “A Partilha e a Novena do Dizimista”. Quando li como fazer a novena, entendi o que o Senhor queria de mim. Levei o dízimo e o primeiro dia da novena fiz no Santíssimo. Nos outros dias fiz em casa, mas a cada palavra que lia entrava em meu coração e pude ter mais certeza ainda que Deus me conhecia e estava cuidando de mim. A cada dia algo em mim estava mudando. Já não sentia mais dores no meu corpo, sentia ânimo para fazer as coisas e a tristeza foi embora. Hoje sou uma pessoa que carrega no coração a Alegria de Nosso Senhor, pela Graça Dele. Todos os dias da minha vida são para Glorificá-lo. Agradeço a vocês a atenção. Que o Senhor continue derramando bençãos e graças em seus corações. Por: Andréa Salim Livro: Novena do Dizimista ( Aristides Luis Madureira ) http://www.editoraapartilha.com.br/depoimentos.php

Abril | 2012 •

PASTORAL DA LITURGIA

• Utilidades • Horários de missa da matriz:

•Terças-feiras, quintas-feiras e sextas-feiras: 18h30min •Quartas-feiras: 19h30min •Sábados: 19h •Domingos: 10h e 19h Horários de missas nas comunidades: •São Joaquim e Santana: Sábados: 17h •São Roque: Sábados: 19h •São Vicente: Sábados: 17h •Jesus Misericordioso: Domingos: 8h; •Sextas-feiras: 19h30min: •Nossa Senhora do Carmo: Domingos: 8h •São João Batista: Domingos: 10h

Terço:

•De terça a sexta às 18h

Casamentos:

Adoração ao Santíssimo:

Unção dos Enfermos:

•Primeira sexta de cada mês às18h30min

Catequese de Iniciação cristã •Idade: 9 anos completos •Rematrículas: novembro •Matrículas: fevereiro •Documentos necessários: certidão de nascimento e certidão de batismo (se possível)* *Crianças não batizadas com idade de catequese devem fazer 1 ano de catequese para depois ser batizada. •Número de faltas tolerável: 25% (± 4 faltas no ano) •Período: 3 anos para a Primeira Eucaristia; 2 anos para a Crisma •Padrinhos: 18 anos, com Batismo, Primeira Eucaristia, Crisma, solteiro ou casado na Igreja e que a freqüenta

Curso de Batismo:

Iniciar processo e marcar a data com no mínimo 45 dias de antecedência na secretaria paroquial: Documentos necessários: 1) Fotocópia dos documentos pessoais (RG e CPF); 2) Certidão de batismo atualizada (6 meses); 3) Certidão do casamento civil ou protocolo de entrada no cartório; 4) Certidão de óbito (em caso de viúvos); 5) Comprovante do curso de noivos; 6) Lembranças da Primeira Eucaristia e Crisma (se possível). 7) Dados pessoais de duas testemunhas (nome, estado civil, idade, profissão, endereço)

O padre confessa e ministra a Unção dos Enfermos na Páscoa e no Natal. Durante o ano, os ministros levam a comunhão aos doentes. Caso haja algum doente para ser visitado pelo padre ou ministros, comunicar à secretaria ou ao (à) coordenador (a) dos ministros.

Exéquias:

Em caso de falecimento de algum paroquiano que quiser a presença do sacerdote, avisar a secretaria, informando local do velório e horário do sepultamento.

Confissões: Em caso de necessidade, falar com os ministros meia hora antes das missas.

Expediente O Informativo Paroquial é um órgão interno de distribuição gratuita da paróquia Nossa Senhora Aparecida, sob coordenação da Pascom – Pastoral da Comunincação. • Pároco Responsável: Padre Manoel Messias Vilela • Elaboração e revisão: Pascom - Aparecida. • Tiragem: 3.500 exemplares • Diagramação: Vitrine Designer

7

Abril | 2012

Aparecida: Segundas quartas-feiras de cada mês, às 19h; São Vicente: quarto domingo de cada mês às 9h da manhã

Batizados:

Matriz: terceiros domingos de cada mês: 9h30min Documentos necessários a serem apresentados com antecedência de ao menos três dias na secretaria paroquial: 1) Certidão de nascimento da criança; 2) Comprovante válido do curso (pais e padrinhos); 3) Certidão de casamento religioso dos pais (se possível); 4) Certidão de casamento religioso dos padrinhos (necessário, se os padrinhos vivem esponsalmente com alguém);* 5) Documento de transferência, se a criança morar em outra paróquia. *Amasiados ou casais de segunda união não podem ser padrinhos. Obs.: A criança deve, se possível, ser batizada logo nos primeiros dias. Até aos 7 anos não há necessidade de catequese especial. Depois dos 7 anos, deve aguardar a idade de catequese e freqüentá-la 1 ano. Padrinhos: 18 anos, com Batismo, Primeira Eucaristia, Crisma, solteiros ou casados na Igreja e que a frequenta.

Catecumenato

(Catequese para adultos - Batismo, Eucaristia e Crisma) Idade: 18 anos (exceções conversar com o pároco) Matrículas: de Dezembro a Abril Documentos Necessários: 1) Certidão de Nascimento 2) Se já possuem algum sacramento, trazer a lembrança ou documento comprovando Padrinhos: 18 anos, Batizados / com primeira Eucaristia e Crismados, solteiro ou casado na Igreja

Colaboração: Coordenação da Liturgia.

RETIRO DA LITURGIA

Por que participar de um Retiro Espiritual? Qual a sua importância? O que ele traz de bom para a nossa vida? Qual a sua finalidade? Aonde ele quer nos levar? Todas estas indagações invadem a vida de muitas pessoas. Parar um pouco e refletir sobre a própria vida tem sido uma dificuldade para os homens e mulheres do nosso tempo. O cotidiano das pessoas nos dias de hoje tornou-se um acúmulo de afazeres. As pessoas já não têm mais tempo para reorganizar a própria vida. Com isso, elas não encontram mais prazer e alegria nas coisas que fazem. Jesus também experimentou o silêncio, a meditação e o caminho do deserto. Neste caminho aprendeu a “escutar”. Nos próprios evangelhos percebemos que Jesus se afastava das multidões para se entregar a um momento de contemplação e meditação. Sua vida pública iniciou dentro de um momento de oração e recolhimento no deserto. O mesmo aconteceu com os profetas (Elias, Ezequiel, Amós, e tantos outros). Foi num momento de silêncio que eles perceberam a voz de Deus. Na contemplação sobre o sentido da vida, os profetas sentiram o chamado de Deus e deixaram se tocar pelo silêncio, adquirindo assim forças para desempenhar com fé e coragem a

missão que lhes fora confiada por Deus. Todos nós somos chamados a caminhar por este deserto. Nele, somos convidados a silenciar o nosso interior. Somos chamados a refletir sobre a nossa própria vida. Vivemos hoje numa sociedade marcada pelo “barulho” que não nos permite escutar o nosso interior e, também, não nos permite falar de nós mesmos. Segundo Santa Terezinha, Deus sempre quer nos falar, mas para escutarmos é preciso deixar-nos tocar pelo Espírito. Diante do Espírito tudo se cala, somente Deus fala. Em outras palavras, as

coisas tomam seu verdadeiro sentido quando são amadurecidas pelo “silêncio do Espírito”. O filósofo Blazer Pascal escreve: “o homem foi feito para pensar e a dignidade do seu pensamento começa por si mesmo”. Por isso, diante de tudo aquilo que o homem faz no seu cotidiano, é preciso afastar-se um pouco para meditar e pensar na grandeza de Deus. Essa reflexão da vida contribui para o progresso significativo da vida do homem. Portanto, é bom deixar de lado a vida confusa e complicada e tomar como base primeira a oração, a meditação, a reflexão e

o silêncio. Não tenhamos medo de renovar a nossa vida com este Deus que é misericórdia e compaixão. Que saibamos sempre privilegiar o Retiro Espiritual como um crescimento maduro e necessário para a nossa vida, e que seja este um bom momento para confrontar a nossa vida com a vida de Jesus. Que nos dias atuais, a velocidade das informações, do barulho e dos afazeres do dia a dia não nos impeça de tirar sempre um minutinho para ouvir, escutar e estar sempre com Deus. Agradecemos a todos da equipe de Liturgia da Paróquia que pararam para ouvir, escutar e estar com Deus, participando do Retido na Aldeia Franciscana no domingo dia 11/03/2012. FONTE:http://www.paroquiadesaosebastiao.com.br/index.php/para-refletir/50-aimportancia-do-retiro

FALTA DE TEMPO Intenções de Missa:

(marcar na secretaria ou com os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão): Falecimento (7º dia, 1 mês, 1 ano) e aniversários de casamentos. As demais intenções, sejam colocadas na caixa de intenções que fica junto à entrada da igreja.

Horários de funcionamento da secretaria: •De segunda a sexta das 08 às 11h30min; das 13h às 17h •Sábados das 8h às 11h30min Fone: 3032-3065 E-mail: : aparecida.paroquia@yahoo.com.br •Horários de atendimento do padre: De quarta a sexta das 14h às 17h Sábados das 9h às 11h30min

Colaboração: Marlene Brusniski

Um dia, quando se escrever um livro sobre o nosso século, talvez se escolha como título: “A época dos homens sem tempo”. Afinal, nenhuma justificativa é tão usada como a da falta de tempo. Ninguém tem tempo. Nem os adultos (no telefone, depois de não ter ido à reunião: “Pois é, infelizmente não tive tempo...”), nem os jovens (ao professor na Faculdade: “Por que ainda não entreguei o trabalho? Tempo, falta de tempo!...”) e até as crianças (à mãe, que pede ao filho para fazer um serviço: “Ah! Mãe, logo agora que não tenho tempo?”). Alguns não se dedicam a clubes de serviço porque não têm tempo. Outros não visitam seus parentes porque “não se tem mais tempo para nada”. Aquele jovem não estuda, este não trabalha e você nada lê porque lhes falta tempo. “Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo

prontinho nas lojas. Mas, como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos”, é a irônica observação da Raposa ao Pequeno Príncipe. A conclusão a que se chega – conclusão óbvia, clara, cristalina – é que há alguma coisa errada. Essa evidência se acentua quando se ouve a desculpa daqueles que cortaram, aos poucos, todo relacionamento com Deus, por um motivo muito simples: não têm tempo! “Gostaria de ir à missa, mas não tenho tempo. Desejaria ler o Evangelho, pensar nos outros, rezar, ser voluntário em algum hospital, mas, infelizmente não tenho tempo”. Se o ser humano não tem mais tempo para cultivar sua amizade com o Pai ou para ir em direção a seus irmãos, alguma coisa está mesmo errada. Demos, pois, uma de pesquisador: procuremos o culpado por essa situação insustentável.

Seria Deus? Afinal, foi Ele que deu o tempo ao ser humano. Mas, talvez lhe tenha dado pouco tempo: afinal, há tanto que fazer!... Contudo, convenhamos: seria um absurdo pensar assim. Ele certamente dá aos homens e mulheres o tempo suficiente para que possam fazer o que Ele quer. Mais: Ele só espera de cada pessoa o que ela tem condições de fazer. O problema da falta de tempo teria como causa o próprio ser humano? Afinal, quem consegue realizar tudo o que gostaria? Dada à nossa insatisfação contínua, por mais que alguém aja, fale ou pense, sempre falta pensar, falar ou fazer alguma coisa. Novos horizontes se abrem diante de cada caminho percorrido. O que fazer, então? Abra o Evangelho. Ouça o que Cristo tem a dizer sobre isso: “Marta, Marta, tu te preocupas com muitas coisas. E, contudo, uma só é ne-

cessária”. O que seria o essencial na vida, o único necessário? Deve se tratar, sem dúvida, de uma realidade que permaneça sempre, que não passe com o tempo, que continue a existir mesmo após a morte – que é, para cada um, o fim do tempo. Um dia, um doutor da lei perguntou a Jesus o que era mais importante – isto é, o que é que era essencial e resumia sua doutrina. A resposta do Mestre foi simples: o amor. O amor ao Pai e o amor aos irmãos. O resto, isto é, o que cada um vai fazer, pensar ou dizer, será uma consequência de seu amor. Ora, se alguém não tem tempo nem para se doar, que pobreza! Talvez fosse melhor não ter recebido tempo algum!... Fonte: Dom Murilo S.R. Krieger, scj Arcebispo de São Salvador da Bahia - BA


6

Abril | 2012

Igreja Católica em Curitiba realiza primeiro evento pré-Jornada Mundial da Juventude A JORNADA DIOCESANA DA JUVENTUDE (JDJ) é o primeiro grande evento organizado pela Igreja Católica em Curitiba, que antecede e marca os preparativos para a JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE, que acontece no Rio de Janeiro, em julho 2013. No dia 1º de abril, Domingo de Ramos e início da Semana Santa, jovens das 134 paróquias da Arquidiocese de Curitiba estarão reunidos para viver uma tarde de shows musicais, cultura, teatro, dança, esportes e fé, com a presença do arcebispo de Curitiba, Dom Moacyr José Vitti, que preside uma Missa às 16 horas. A JDJ será realizada no Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Bairro Alto da Glória, das 13h30 às 18h30. Conhecido pelas tradicionais Novenas a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, todas as quartas-feiras, o Santuário se prepara agora para acolher os jovens de Curitiba e Região Metropolitana. Além da Missa e da Procissão de Ramos, o espaço no entorno do Santuário será adaptado para apresentações culturais com palcos e atividades esportivas, como skate. A JDJ é um convite ao jovens para o encontro com Jesus Cristo, vivência da fé, das virtudes e da cultura, preparando-se para a pré Jornada Mundial da Juventude, que acontece em Curitiba em 2013, quando a cidade receberá jovens vindos de diversas partes do mundo.

Informações úteis Jornada Mundial da Juventude: Em 1985, por ocasião do Ano Internacional da Juventude, o Papa João Paulo II instituiu a Jornada Mundial da Juventude, um encontro dos jovens católicos do mundo inteiro com o Papa, que acontece num intervalo de dois ou três anos. Todos os anos, a Jornada acontece em âmbito diocesano (JDJ), sempre no Domingo de Ramos. Desde então as JMJ já aconteceram em Roma (1986), Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (1989), Czestochowa (1991), Denver (1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma (2000), Toronto (2002), Colônia (2005), Sydney (2008) e Madri (2011). Procissão de Ramos/ Domingo de Ramos: Neste dia, os católicos relembram a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém - dias antes de sua morte - quando foi aclamado pelo povo pelos diversos milagres que havia realizado, por suas palavras e atitudes de amor. Este dia abre a Semana Santa, semana maior para os católicos, que revivem a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, o que significa para os fiéis a própria salvação eterna, além de fatos marcantes como a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio, na Quinta-feira Santa. É, portanto, ponto alto da fé Católica. Ana Paula Rodrigues Ferreira, Letícia Pessoa Assessoria de imprensa Jornada Mundial da Juventude Curitiba

CANTINHO DOS ANIMAIS

Diálogo de um cão com Deus Colaboração: Márcia Castro da Cruz Sabe Senhor: Ainda não entendi, viemos à praça, pensei ser um passeio, estranhei, ele não tinha esse hábito, mas vim, feliz. Aqui chegando, deu as costas, entrou no carro, e nem disse adeus. Olhei para os lados, nem sabia o que fazer. ainda tentei segui-lo e quase fui atropelado. O que eu teria feito de tão mau? À noite, quando ele chegava, eu abanava o rabo, feliz, mesmo que ele nunca viesse me ver no quintal. Às vezes eu latia, mas havia estranhos no portão, e não poderia deixá-los entrar sem avisar meu dono. Quem sabe foi a mando de minha dona, por eu estar lhe dando trabalho. Não foram as crianças: elas me adoravam, e creio que nem sabem o que aconteceu, devem ter-lhes dito que eu fugi. Como sinto saudades! Puxavam-me a cauda, às vezes, eu ficava uma fera, mas logo éramos amigos novamente. Estou faminto, só bebo água suja, meus pêlos caíram quase todos. Nossa! como estou magro! Sabe, Pai, aqui neste canto que arrumei para passar a noite, faz muito frio, o chão está molhado. Creio que hoje vou me encontrar aí contigo, no céu. Meu sofrimento vai terminar, e mesmo em espírito, vou ter permissão para ver as crianças.

Peço-vos, então, não mais por mim, mas pelos meus irmãozinhos. Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão. Como eu, sozinhos não viverão mais que alguns meses na terra do homem. Amenize-lhes o frio, igual ao que agora eu sinto, com o calor de atos de pessoas abençoadas. Diminualhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado. Mate-lhes a sede com a água pura de seus ensinamentos, transmitidos ao homem, elimine a dor das doenças, extirpando a ignorância da terra. Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em rituais, em laboratórios e tudo mais, tirando dos humanos o gosto pelo sangue. Ampare as cachorrinhas prenhas que verão suas crias morrerem de fome, frio e pestes, sem nada poderem fazer. Abrande a tristeza dos que, como eu, abandonados - Entre todos os males, o que mais doeu foi esse. Receba, Pai, nesta noite gélida a minha alma, pois não será mais meu sofrimento, mas dos que ficarem, e por eles vos peço. Amém. Fonte: http://www.petfeliz.com.br/poemas/index_det. asp?Código=61

Anuncie Aqui

3

Abril | 2012

Espaço da Pascom

Atenção para o fechamento da edição de Maio de 2012: O prazo final para a entrega dos materiais, referente ao informativo do mês de maio de 2012, será no dia 14 de abril de 2012. Pedimos para que todos cumpram os prazos para facilitar o trabalho da Pascom. Destacamos, sempre, a importância dos colaboradores organizarem textos sintéticos. Dessa forma, o conteúdo será transmitido com maior clareza e a leitura torna-se mais agradável. Envie-nos sua sugestão, fotos, perguntas, dicas e colabore com a elaboração dos conteúdos do nosso informativo. Você pode entrar em contato conosco mediante o e-mail: pascomaparecida@gmail.com ou deixe seu material na gaveta da secretaria Paroquial. Contamos com você!

O QUE É CATECUMENATO? Colaboração: Edi Izabel Ramos da Cruz

O Catecumenato é uma experiência de fé, em grupo, em que o participante, inspirado nos moldes da Igreja primitiva, propõe-se a buscar um conhecimento mais profundo da pessoa de Jesus Cristo, da sua mensagem e da sua Igreja. É o método proposto pela Igreja, desde seu início, para realizar comunitariamente a Iniciação Cristã de Adultos. Como a Iniciação Cristã de Adultos é um processo que se realiza ao longo do tempo, o RITUAL DA INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS (RICA) determina que ela se faça no seio da comunidade dos fiéis, que serve de exemplo e estímulo para os candidatos, bem como, se realize em etapas: • Etapa 1 – O Pré-catecumenato; é o tempo da evangelização, de busca, de matricular-se e ser orientado para conhecer a caminhada e adaptar-se para iniciar o caminho. • Etapa 2 – O Catecumenato; é o espaço de tempo, em que os candidatos recebem formação (catequese) e exercitam-se praticamente na vida cristã. Esta etapa é conduzida por catequistas, que os acolhem e orientam baseados na palavra de Deus e nos exemplos de Cristo e de seu evangelho. A Passagem do Catecumenato para a etapa seguinte é feita por meio do “RITO DE ELEIÇÃO”. A partir de então os candidatos são chamados eleitos. • Etapa 3 – O Tempo de Purificação e Iluminação; é o período em que é intensificada a preparação para a recepção dos Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Crisma e Eucaristia. Neste tempo, a intensa preparação espiritual, mais relacionada à vida interior. Serve-se para isso de vários ritos, sobretudo dos escrutínios. Os escrutínios são solenemente celebrados aos domingos do tempo quaresmal. • Etapa 4 – Mistagogia; é a etapa do seu engajamento nas atividades da Igreja. Auxiliados pela Graça recebida nos Sacramentos, unidos à comunidade, pela participação na Eucaristia, pela meditação do Evangelho e pela prática da caridade, eles vão progredindo no conhecimento mais profundo

do mistério pascal e na sua vivência cada vez maior. O candidato, desejoso de encontrar a Deus, acolhe a palavra e entra em um processo de conversão, num itinerário pessoal e em âmbito comunitário. O adulto não amadurece na fé apenas pelo aprendizado de conceitos, mas convivendo dentro de uma comunidade cristã que o acolhe e apoia e da qual ele é membro que dá e recebe. PONTOS IMPORTANTES DESTE PROCESSO: 1. O adulto é acolhido e acompanhado individualmente ou em pequenos grupos; 2. Cada adulto tem a sua própria história, sua situação particular, que se enquadrará dentro de ritos específicos; 3. Os ritos marcam a passagem de uma etapa para outra; 4. Todo esse processo tem a duração aproximada de 1 ano. Iniciando sempre no tempo Pascal, e encerrando na vigília Pascal do ano seguinte. Há quatro anos , nossa paróquia atendeu aos apelos da arquidiocese e foi uma das paróquias pioneiras na implantação dessa nova metodologia de catequese para adultos. Esse ano vamos acolher pelos sacramentos da iniciação Cristã um total de 17 adultos , sendo 7 da matriz e os outros das comunidades: Jesus Misericordioso 2 ;Nossa Senhora do Carmo 4; São Joaquime Sant’Ana 4. Alegramos-nos com todos e os acolhemos com muito carinho para que continuem trilhando os caminhos de Cristo. Também convidamos a todos aqueles que ainda não possuem os sacramentos (Batismo, Eucaristia ou Crisma) para que juntem se a nós nessa Caminhada de Fé. Venham fazer suas matrículas para a nova turma que terá início no final de abril. Mais informações na secretaria paroquial ou com as coordenadoras da catequese nas comunidades. Que a alegria do Cristo ressuscitado esteja em todos os corações e que todos tenham uma santa e feliz Páscoa! Edi Izabel Ramos da Cruz –(Coordenadora paroquial do catecumenato)f: 9106-4023/9605-4763

A FAMÍLIA EM PERSPECTIVA Colaboração: casal Josélia e Dair

Se perguntarmos a uma pessoa recém-casada qual é o bem que mais deseja na família, provavelmente responderá: - O Amor. Se fizermos a mesma pergunta a um homem ou a uma mulher já amadurecidos, com longos anos de convivência familiar, é provável que nos responda: - A Paz. Nem todos dirão isso, certamente, mas muitos, sim. É que os anos de convívio entre marido e mulher, e entre pais e filhos, vão evidenciando com luminosa clareza, que paz é um bem inestimável, tanto mais precioso quanto mais frágil e difícil é de conseguir e de conservar. - Paz! Pelo amor de Deus, quero paz lá em casa! – dizem alguns, com gemidos de um náufrago que já não agüenta mais segurar-se numa tábua no meio da tormenta. Tem ampla experiência das agruras da “guerra”: desavenças, incompreensões, brigas, maus humores, recriminações, injustiças, teimosias, desafios, reclamações monótonas... A esses, a harmonia parece-lhes um sonho que lhes escapou das mãos há muito tempo, como se fosse um balão perdido no espaço, sem meio algum de recuperá-lo. A harmonia familiar é um ideal que essas pessoas entristecidas amam, com um amor ardente e dolorido, unido à convicção amarga de que a paz familiar estável não existe na terra ou, caso exista, é uma loteria que não os con-

templou. Uma loteria, uma questão de sorte. É assim que muitos veem as alegrias da paz familiar. Uns são agraciados e outros não. Qualquer pessoa – pai, mãe, filho – que se queixa de falta de paz familiar costuma dispor de uma explicação para essa infelicidade: a má sorte de ter que conviver com um cônjuge ou filhos – ou pais – de caráter difícil, de temperamento insuportável, de... Instintivamente, o queixume pela falta de paz toma a forma de uma acusação. Sabemos bem quem são os culpados, e sabemos bem de que males são culpados, e sabemos bem de que males são culpados. É grosseria do marido, é a indisciplina e o desrespeito dos filhos, é a tirania irracional dos pais... Ou então: “É que não me compreendem, não me escutam, não acreditam em mim, não têm responsabilidade, não tem ordem, gritam à toa, ofendem... Assim, não é possível ter paz!” O remédio específico para os humanos desentendimentos não pode ser puramente psicológico. Há de ser moral, e não é outro senão o ato de humildade e o ato de generosidade. Do coração é que sai tudo, dizia Cristo (Mc 7,21). Tudo depende do coração, do amor, da bondade e das virtudes que nele se enraízam. Boas virtudes são geradoras de paz. Defeitos arraigados são provocadores de guerra. Texto baseado no livro “A Paz Na Família” de Francisco Faus.

Espaço Movimento das Capelinhas

MOVIMENTO DAS CAPELINHAS Escala do terço mês de abril

Dia 03 04 05 10 11 12 13 17 18 19 20 24 25 26 27

Capelinha nº 14 01 03 09 02 04 05 17 18 11 12 15 06 21 19

*Terças, Quintas e Sextas Feiras às 18h *Quartas Feiras às 19h.

Aniversariantes do mês de abril

- Maria de Loudes L. Vieira 06/04 - Edith Chaves 13/04 - Rosangela V. Martins 15/04 - Marli Ramos 24/04 - Lidia Krzynowski 26/04 - Vilmar Longato Primo 26/04 - Rosa Vilcheki 27/04

Parabéns a todas! Coordenadora Paroquial Anadir Jacomasso


4

Abril | 2012

Palavra do Pároco Padre Manoel Messias Vilela

CAMINHADA DA SAÚDE 04.03.2012

Você deve estar perguntando: o que significa esta caminhada da saúde? Por que fizemos esta caminhada hoje? Qual a intenção da paróquia nossa senhora aparecida com isso? Voltando o nosso olhar e o nosso coração para as Sagradas Escrituras, mais precisamente para o livro do Êxodo no Antigo Testamento, nos deparamos também com algo parecido com o que acabamos de fazer: A CAMINHADA, que aqui hoje preferimos chamar de: ”Caminhada da Saúde”, como bem sugere o lema da campanha da fraternidade deste ano “Que a saúde se difunda sobre a terra”. Também o povo Hebreu, narrado no livro do êxodo, fez sua caminhada do Egito a canaã, passando pela solidão e sequidão do deserto. Para esse povo, certamente não dever ter sido nada fácil. A caminhada de fé do povo hebreu com certeza foi bem diferente da caminhada do povo de Campo Largo. Mas o Deus dos Hebreus é o mesmo Deus do povo que hoje se fez presente nesta pequena Caminhada da Saúde e da Fé! Assim, como Deus acompanhou aquele povo em sua peregrinação, hoje também aqui - com certeza - Deus se fez presente desde a nossa Igreja até este lugar abençoado, o parque Cambuí, para a nossa grande celebração de fé e vida. Deus em sua infinita bondade e misericórdia manifesta sempre a sua glória e sua presença em nossas vidas. E nossa vida deve ser sempre uma Caminhada de Fé, uma Caminhada da Saúde! A caminhada do povo de Deus. E, sem dúvida, a caminhada é nossa. Somos caminheiros e caminhantes e devemos percorrer. Pois, como dizia o poeta: Percorrer é preciso!

A nossa caminhada durante nossa vida deve ser feita tendo como meta a fé, a esperança. E o nosso objetivo deve ser sempre a busca do reino definitivo de Deus. Para isso, ela deve ser feita por etapas, durante as quais paramos, refletimos, revisamos, retornamos, retomamos e avançamos como o povo Hebreu, que era um povo de fé e confiança em Deus, senhor da vida e da história. Precisamos vencer etapa por etapa e nunca queimar etapa. Nunca desanimar, pois a presença de Deus conosco na caminhada da vida é manifestação garantida de sua graça e de suas bênçãos. Nossa Caminhada da saúde, na verdade, é a Caminhada da Fé. Fé de quem acredita no Deus da vida e não no Deus da morte. Fé no Deus que cura, liberta e salva. Fé no Deus que quer a salvação de todos os homens e mulheres. Com este pequeno gesto de caminhar até a maior catedral a céu aberto, o nosso lindo parque Cambuí, queremos unir os nossos passos aos milhares passos dos fiéis que formam a igreja no Brasil e que durante esta quaresma queremos fazer ecoar em todos os lugares, todas as igrejas, todas as dioceses e principalmente ao povo Brasileiro o apelo da campanha da fraternidade deste ano: ”Que a saúde se difunda sobre a terra”. E na festa da transfiguração do Senhor, que celebramos hoje, queremos nos unir aos homens e mulheres de boa vontade para juntos fazermos a grande caminhada do povo de Deus rumo à pátria celeste. (Reflexão do Pe. Vilela na missa ) Shalom

Palavra do Pe. João Batista Chemin

Devoção para todos Colaboração: Pe. Manoel Messias Vilela

Os sete Sacramentos:

1. Batismo 2. Confirmação 3. Eucaristia 4. Penitência ou confissão 5. Unção dos enfermos 6. Matrimônio 7. Ordem

Obras de misericórdia corporal: 1. Dar de comer a quem tem fome 2. Dar de beber a quem tem sede 3. Vestir os nus 4. Dar pousada aos peregrinos

5. Visitar os enfermos e encarcerados 6. Remir os cativos 7. Enterrar os mortos

Obras de misericórdia espiritual:

1. Dar bom conselho 2. Ensinar os ignorantes 3. Corrigir os que erram 4. Consolar os aflitos 5. Perdoar as injúrias 6. Sofrer com paciência as fraquezas do próximo 7. Rogar a Deus pelos vivos e defuntos Pe. Vilela

PASTORAL DO BATISMO Colaboração: Pe. Manoel Messias Vilela

PRIMEIRO BATIZADO EM 2012 A participação da comunidade em um batismo é uma oportunidade para agradecer a Deus, por termos recebido esse sacramento e para renovar nosso compromisso com Jesus Cristo, do qual devemos ser discípulos e missionários

5

Abril | 2012

A COMPETÊNCIA DE DAR E DE RECEBER FEEDBACKS Quando estudamos profundamente o ser humano, descobrimos que ele é um ser de relações. Ninguém de nós é uma “ilha”, mas ao contrário, estamos sempre em contínua relação com os outros. Jesus Cristo, na sua oração sacerdotal, fez o seguinte pedido: “Que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, para que também eles estejam em nós e o mundo creia que tu me enviaste” (cf. Jo 17, 21). Portanto, eis o desafio: não obstante as diferenças que existem entre os seres humanos, é inquestionável a importância de se viver a unidade. Diante desse pedido de Jesus, não podemos deixar de evidenciar que como existem pessoas na sociedade que vivem e, ao mesmo tempo, promovem a unidade, existem aquelas que têm muita dificuldade em vivê-la. Se mantivermos um contato com o interior das pessoas, perceberemos que todas têm aspectos a serem destacados (virtudes) e aspectos a serem aprimorados (vícios). Daí a

importância de se aproximar dos outros para dar um feedback (retorno de como vemos as pessoas), visando o bem dos mesmos. Diante desse contexto, pergunta-se: como dar um feedback que realmente possa ajudar as pessoas no seu processo de perfeição, uma vez que não somos perfeitos e nem imperfeitos, mas perfectíveis? Segundo os estudos científicos, o feedback deve ser voltado para as atitudes e comportamentos das pessoas, e não para as pessoas. Em outras palavras: o feedback é dirigido àquele comportamento que pode ser mudado, mediante reconhecimento de uma atitude que fere, objetivamente, os valores humanos e cristãos. O livro dos Provérbios (27,5) faz o alerta: “É melhor a correção manifesta do que uma amizade fingida”. Portanto, não se trata de um julgamento, mas consiste numa ajuda para que a pessoa se esforce, pessoalmente, no sentido de corrigir “o vício”.

Neste sentido, é importante evidenciar que o feedback, para ser benéfico, exige que tanto o comunicador quanto o receptor sejam equilibrados, emocionalmente falando, para que não ocorra que o comunicador seja “tempestivo” e o receptor fique na defensiva. O diálogo deve ser sereno. Peçamos a Nossa Senhora Aparecida que interceda em favor de todos os brasileiros, para que os relacionamentos interpessoais sejam sadios e que, diante dos conflitos interpessoais, as pessoas tenham a paz interior para que comunicadores e receptores atinjam a resolução dos conflitos. Padre João Batista Chemin Reitor do Seminário Filosófico Bom Pastor Diretor da Faculdade Arquidiocesana de Filosofia Diretor da Escola Diaconal Assessor Eclesiástico dos Diáconos Permanentes

COMUNIDADE SÃO VICENTE

MISSA NA COMUNIDADE SÃO VICENTE Pe. Vilela com as gêmeas Rafaella e Gabriella

1º batizado do ano de 2012: pais e padrinhos com as crianças batizadas

No dia 25 de fevereiro foi realizada, na comunidade São Vicente, uma missa com o Pe. Gilberto Aurélio Gordini, para que ele conhecesse melhor a comunidade, pois celebrará a Semana Santa. Logo após a missa, houve uma reunião com todas as pastorais para tratar dos assuntos relacionados à Semana Santa.


Jornal O Evangelizador - Abril 2012