Page 1

PORTFOLIO PORTFÓLIO OF ARCHITECTURE

DE ARQUITETURA

GABRIEL LISBOA GABRIEL LISBOA

2015 >>>> 2018 2015 >>>> 2018

VERSÃO EM PORTUGUÊS


Gabriel Rollo Lisboa Experiências Profissionais

Cursos

Habilidade

_Estágio - Equipe de Arquitetura Studio MK27 [2018/1]

_Curso CURA de representação (indesign, photoshop, sketchup e v-ray) [2016]

_Revit _AutoCad

Experiências Acadêmicas _Graduando em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo - FAU-USP [2015-]

_Revit - escola graphite, curso extensivo 45h [2017]

Concursos

_SketchUp _Rhinoceros _V-ray

contato: (11) 97100 5857 gbrl1223@gmail.com Rua Lincoln Albuquerque, 242. Perdizes. São Paulo.

05004-010

_Photoshop _Illustrator _Indesign _Lightroom

_Pesquisa de Iniciação Científica “Panorama Cronológico Espacial da Representação Fotográfica de São Paulo“- PICUSP [2017-]

_Escola do Samba - [2016] Projetar.org #017

_Pacote Office

_Ensino Médio - Colégio Rio Branco/Higienópolis [2011-2013]

_Projetar Itinerante - [2017] Projetar.org #020

_Fotografia Digital _Fotografia Analógica

Idiomas Inglês [Fluente] Francês [Avançado] Espanhol [Intermediário]


2015 2016 2017 2018


ARQUITETURA

Casa de Cultura na Ponte Rasa

Habitação Coletiva na Nestor Pestana

Escola do Samba

Habitação Social no Jardim Helena

Design da Noz

24/7

DESIGN E FOTO


CASA DE CULTURA NA PONTE RASA A proposta do equipamento cultural capilar na Ponte Rasa, um distrito localizado na zona leste de São Paulo, mais do que um sofisticado exercício projetual foi um simbólico convite ao debate sobre o destino das cidades brasileiras e o papel da cultura nas suas transformações. Busquei para esse projeto, portanto, o desenvolvimento individual de cada um dos quatro principais itens programáticos: o espaço de leitura, de dança, de oficinas e de exposições, dando o tratamento ambiental sensitivo próprio para cada uma das atividades.

Orientação: Professor Angelo Bucci Desenvolvido individualmente FAU-USP [2017/2]

Por isso optei por desenhar cada um dos volumes separados e independentes articulados entre si através de um discreto prédio anexo que replica o lote vizinho. O ápice da atividade cultural ocorreriam, assim, nas projeções dos grandes blocos, nas marquises, nas praças e em todo o espaço entre o programa principal. De traços mais precisos e de estrutura bem definida, esse projeto funciona, portanto, não só como uma proposição arquitetônica, mas também como uma experimentação pessoal de um projetar mais fluido e abstrato.


A PLANTA FF - exposições

B

PLANTA EE - dança

B

A

PLANTA HH - leitura e oficinas

PLANTA GG - café e administração


CORTE AA B

C

E

F

C

G

H

CORTE BB

B


D

D

E

F

G

H


CORTE CC

CORTE DD

encontro: vidro e laje alveolar

perspectiva do sistema zenital


cont ra-p e

so

ra co

ân ba

lan

ço


HABITAÇÃO COLETIVA NA NESTOR PESTANA Esse edifício se localizaria em um pequeno terreno em frente a praça roosevelt, na esquina da Rua Nestor Pestana. A ideia para esse projeto seria convidar os alunos do segundo ano a repensar diferentes maneiras de viver, analisando as novas dinâmicas residenciais no centro de São Paulo, propondo assim um pequeno edifício, de apartamentos compactos e plantas flexíveis. A estrutura do edifício se dá através do pórtico estrutural decorrente da separação da circulação vertical: escadas de um lado elevadores do outro.

Orientação: Professor Milton Braga Desenvolvido individualmente FAU-USP [2016/2]

Nessa proposta, optei por trabalhar o térreo do edifício de maneira minusciosa, desenhando módulos para estabelecimentos comerciais que se interligariam por um pátio comercial e gastronomico que seria adiministrado pelos comerciantes. Esse trabalho, enfim, embora banal, representa a minha primeira experiência individual com projeto de arquitetura. Excepcionalmente orientado, foi o momento de dominar o código da arquitetura na sua totalidade.


A

TÉRREO

A A

PAVIMENTO TIPO

A

0

10m


CORTE AA

0

5m


INDICAÇÃO DO CORTE

CORTE NA PERSPECTIVA


HABITAÇÃO SOCIAL NO JARDIM HELENA Se trata de um programa rígido em uma região bastante problemática da cidade devido ao alto risco de alagamentos. Essa proposta se colocou como um exercício projetual de modulação em habitação, construção seriada em baixo custo e desenho de infraestrutura de drenagem. Optamos pela máximo diálogo com a região restringindo o gabarito e criando edifícios descontínuos.

CORTE AA

0

10

20m

Orientação: Professora Helena Ayoub Desenvolvido com: Beatriz Kirzner e Matheus Soares FAU-USP [2017/1] O térreo rebaixado permitiria maior absorção das águas pluviais e o canal central funcionaria como um pequeno córrego artifical drenante que se estenderia até o pequeno porto fluvial nas margens do rio tietê. Encaro, portanto, essa proposta como a experiência de projetar arquitetura pública, da maneira mais consciente e racional possível em uma região de enorme vulnerabilidade social.


PLANTA DO PAVIMENTO TIPO ///// INSOLAÇÃO PELA TARDE

A

N 0

10

20m


B

A

B


A

B

45m² 2 dormitórios

48m² 2 dormitórios

D

E

44m² 1 dormitórios

75m² 3 dormitórios

C

54m² 2 dormitórios

F

88m² [duplex] 3 dormitórios

CORTE BB

ESCADA METÁLICA

TALUDE 45º

CALHA DE CONCRETO PRÉ MOLDADO BLOCO DE CONCRETO POROSO (25MPa)


CORTE CONSTRUTIVO

CANTEIRO DRENANTE CANAL ARTIFICIAL DE CONCRETO

GALERIA SUBTERRÂNEA


ESCOLA DO SAMBA A proposta da Escola do Samba foi uma oportunidade de desenvolver um projeto fora de São Paulo. Situada na área do Porto Maravilha no Rio de Janeiro, os grupos participantes do concurso foram convidados a pensar não apenas no âmbito do exercício projetual, mas também na abrangência do complexo debate social em torno das transformações urbanas levadas a cabo no Brasil com a finalidade sedear os grandes eventos esportivos dos últimos anos. Optamos, agora, por trabalhar com uma estrutura mista de concreto, aço e com fechamentos em vidro.

Desenvolvido com: Arthur Lamberti e Matheus Soares Projetar.org [2016/1]

Com o tema “samba” o partido seria projetar um edifício simples, porém absolutamente convidativo para a apropriação da comunidade proporcionando o espaço ideal para a criação e vivência do samba. O terreno conta com uma enorme empena grafitada, a ideia, então, não só preservar o grafite mas apropriar a arte urbana na arquitetura. Esse projeto, portanto, mais do que um exercício propositivo para um concurso de ideias é uma resposta aos rumos que vêm sendo tomados para os espaços públicos nas cidades brasileiras.


BaĂ­a da Guanabara

0

3m


CORTE BB

0

10m


COBERTURA METÁLICA PERFURADA ESTRUTURA DA COBERTURA (TRELIÇAS)

SALAS PARA PRÁTICA INDIVIDUAL

SALAS PARA PRÁTICA COLETIVA

SALA DE EXPOSIÇÕES GARAGEM TÉCNICA

AUDITÓRIO ADMINISTRAÇÃO

BIBLIOTECA

CORTE AA

0

10m


DESIGN DA NOZ Essa proposta consistiu em um exercício da disciplina de “design do objeto” ministrada na FAU-USP. Esse exercício era dividido em duas etapas, a primeira, individual, consisitia em escolher e desenhar uma estrutura vegetal, a segunda etapa, em um grupo formado por certa afinidade formal entre o que foi desenhado, tinha como objetivo o projeto e desenvolvimento de um objeto interativo conceitual que carregasse as referências de forma e de estrutura da fruta estudada.

Orientação: Professor Luis Antonio Jorge Desenvolvido com: Americo Fajardo e Mateus Romanelli FAU-USP [2016/2]

O grupo foi formado a partir de alunos que fizeram desenhos de estudo da noz e do amendoim, a partir daí, com madeira e acrílico, foi desenvolvido um quebra-cabeças tridimensional que remeteria ao dentro e fora, às duas fazes, à cor e à rigidez das frutas escolhidas. Com esse trabalho, então, além do resultado final, ficaram algumas experiências e reflexões, entendemos o comportamento e a justaposição de materiais absolutamente diferentes, desenvolvendo um importante raciocínio de estrutura e forma.


Na primeira etapa do trabalho optei por desenhar a nóz e um outro integrante do grupo, o amendoim. A partir daí deveríamos realizar um minucioso estudo formal sobre o comportamento e as características de cada uma das estruturas vegetais. Na noz, me chamava atenção as diferenças nas consistências e nas formas da casca e do miolo. Enquanto a casca é rígida, mais lisa, sóbria, o miolo é inconstante, macio e saliente


O trabalho foi desenvolvido através de softweres de modelagem 3D. Primeiro pensamos na disposição das duas esferas no espaço, no caso o espaço seria representado pela seriação de planos ortogonais ao solo. Após o desenvolvimento da forma, separamos as secções ortogonais em placas que foram cortadas a laser e encaixadas na base de madeira maciça.


FOTOLIVRO 24/7 Desenvolvido na disciplina de fotografia 3 no centro de artes plasticas [CAP/ECA-USP] o fotolivro “24/7” se trata de uma experiência de publicação de um ensaio livre de fotografia. As aulas eram dedicadas parte para a análise do trabalho de grandes fotógrafos e parte para a discussão do andamento dos ensaios dos alunos da turma, ganhando assim repertório em fotografia e acabamento gráfico.

Orientação: Professror João Luiz Musa Desenvolvido Individualmente ECA-USP [2017/2] O 24/7 é um ensaio que fala sobre cidade e sobre rotina. O meu intuito ao produzir as fotos e desenvolver o projeto gráfico era de trazer para o livro a atmosfera da rotina, do anonimato e da monotonia encontrada na urbanidade. A ideia não seria, portanto, desenvolver uma publicação que falasse sobre determinado assunto, mas que ela fosse, de certa forma, a materialização desse assunto.


“Esse livro fala um pouco sobre a rotina fala um pouco sobre a dor e sobre a delícia sobre medos e amores fala sobre o tédio sobre o efêmero sobre o sol fala sobre o monótono e sobre a ritmia tudo no compasso do tempo”


Impressão: Indigo (digital) Gráfica IPSIS Acabendo Gráfico: “Hot Melt” Gráfica FAU-USP Miolo: papel eurobulken Capa: cartão laminado fosco Serigrafia Capa: LPG FAU-USP Fontes: Futura bk BT Avant Garde Gothic Std Demi


Dedico esse breve portfólio aos meus amigos, futuros arquitetos; aos professores, pela paciência; e à familia, por todo o apoio.


>>>>

Portfólio de Arquitetura, Gabriel Lisboa - Março 2018  
Portfólio de Arquitetura, Gabriel Lisboa - Março 2018  
Advertisement