Page 1

GUIA VIDA&ARTE

􀊴

FORTALEZA - CE, QUINTA, 8 DE AGOSTO DE 2019

&DANÇA

ESPETÁCULO

NOVE ATOS

| PALCO | Espetáculo Cearábia faz um paralelo entre a cultura nordestina e a antiga Mesopotâmia. A apresentação única será neste sábado, 10, no São Luiz

GABRIELLE ZARANZA ESPECIAL PARA O POVO

gabriellezaranza@opovo.com.br

Os passos dançantes de 23 mulheres ilustram a influência da cultura árabe nas raízes nordestinas em Cearábia, espetáculo cênico-musical idealizado pela cearense Lenna Beauty. Em nove atos, a peça promete uma viagem que irá conectar a antiga Mesopotâmia ao sertão brasileiro, percorrendo a fusão cultural, étnica e religiosa da região brasileira, que possui heranças dos povos judaicos, islâmicos, ciganos, africanos e indígenas. Para contar estas histórias, o espetáculo faz uso de figuras femininas importantes.

Começa com a princesa suméria Enheduana, poetisa e filósofa da cidade de Ur, na Mesopotâmia, considerada a primeira escritora do mundo; passa por Sherazade, personagem narradora do clássico árabe As Mil e Uma Noites, que seduziu o rei com suas histórias para impedir a morte de outras mulheres; e conclui com a sonoridade do Rei do Baião, apresentando Maria Bonita. “O Cearábia é um mergulho em nossas raízes através do feminino. Ele nasceu solo, através da minha experiência de vida”, começa Lenna, que morou na Espanha por 12 anos, entre viagens ao Norte da África e ao Oriente Médio. “Quanto mais eu me ‘distanciei’ da nossa cultura, fui me sentindo ligada às minhas raízes, principalmente por ver as semelhanças incríveis entre a cultura do Oriente Médio e

a nossa”, contextualiza. O espetáculo surgiu de pesquisa histórica profunda e do intercâmbio pessoal da artista. Estreado em 2012, em São Paulo, Cearábia foi originalmente encenado como espetáculo solo por Lenna. A potência de coletivo de mulheres artistas fluiu em 2017, quando a bailarina iniciou processo de formação criativa com dançarinas no seu Estúdio Lenna Beauty. O elenco compõe 23 mulheres artistas de diferentes idades e ocupações, algumas profissionais da dança, outras não. “O feminino é mais acolhedor, tem uma outra forma diferente de lidar com o mundo, tem uma energia que nutre, que gera. São mulheres diferentes, não há padrão. O padrão é a emoção, a qualidade artística que vem da vivência de cada uma”, conclui Lenna. Com direção musical do

“O espetáculo faz uso de figuras femininas importantes, como Enheduana e Sherazade”

músico e produtor Yuri Kalil, a trilha sonora do espetáculo é ao vivo. O repertório mescla baião e antigas melodias judaicas, passando por tradicionais hinos ciganos em rock’n’roll e guitarras distorcidas. A banda é composta por Yury (bateria, direção musical e composições), Fernando Catatau (guitarra), Milton Ferreira (baixo) e Bruno Rafael (guitarra), com vocal da cantora Nayra Costa. “No atual contexto em que vivemos, o Cearábia, além de celebração do feminino e de declaração de amor ao nordeste, é ato político. Exalta a complexidade da cultura nordestina com toda a sua beleza musical”, finaliza e contempla Lenna. Neste sábado, 10, o Cineteatro São Luiz recebe a sexta apresentação do Cearábia em novo formato - com o coletivo de mulheres - às 19 horas.

Sobrado José Lourenço reabre FELIPE ABUD / DIVULGAÇÃO

| PROGRAMAÇÃO | Após ser fechado para obras de manutenção, equipamento gerido pela Secult recebe exposição e lançamento de projeto

Sobrado Dr. José Lourenço reabre com exposição neste sábado, 10, às 10 horas

Espaço voltado para as artes visuais no Estado, o Sobrado Dr. José Lourenço será reaberto neste sábado, 10, recebendo exposição Que vai chover amanhã e lançamento do projeto Eixos Três. O equipamento da Secult esteve fechado durante parte de 2018 e o primeiro semestre de 2019 para realização de serviços de pintura e manutenção, além de mudanças nas salas de exibição. Marcando a reabertura do sobrado, a exposição Que vai chover amanhã tem curadoria da pesquisadora Ana Cecília Soares e do artista visual

Júnior Pimenta e reúne obras de mais de 70 artistas. O “disparador poético” da curadoria foi inspirado em questões que partem da obra Os Sertões, de Euclides da Cunha. Compõem a exposição obras de acervos como os do Museu da Arte Contemporânea e Museu da Cultura Cearense, do Dragão do Mar, do Minimuseu Firmeza e da Coleção da Prefeitura, além da presença de artistas convidados. Que vai chover amanhã faz parte do projeto Eixos Três, idealizado pelos curadores em parceria com o Instituto Assum Preto, aprovado no Edital de

Programação Artística e Cultural do Sobrado Dr. José Lourenço que prevê programação diversa ao longo dos próximos seis meses. A exposição fica em cartaz até 21 de setembro. (João Gabriel Tréz)

Reabertura do Sobrado Dr. José Lourenço

Quando: sábado, 10, às 10 horas Onde: Sobrado Dr. José Lourenço (rua Major Facundo, 154, Centro) Mais infos: www.facebook. com/SobradoJL/ ou @secultceara

LUIZ ALVES/DIVULGAÇÃO

VOLTA AO NORDESTE EM

Profile for Gabrielle Zaranza

Em noves atos  

Em noves atos  

Advertisement