Page 1

TRIBUNA REGIONAL INFORMATIVO

Contestado

Ano. 1 - Edição. 10 - Verão, Dezembro 2014 - itribunaregional@gmail.com Assédio moral pode ser enquadrado como improbidade administrativa P.4 A Lista P.2

A importância do conhecimento P.4

A bicicleta é sua? P.2

É Natal P.5

2014 o passado que virou história P.3

Tênis de Mesa P.5

Estampas

Contato: estampasgac@gmail.com (49) 8814.5552

A importância da orientação profissional na prática de exercícios P.3

Ideal para fazer sua Camiseta e chinelo personalizados

C

A G

Personalizadas Agora também Chaveiro Personalizado!

! o t n e m a ç r o Faça seu


Gabriel da Costa Leite

A Lista Oswaldo Montenegro Faça uma lista de grandes amigos Quem você mais via há dez anos atrás Quantos você ainda vê todo dia Quantos você já não encontra mais Faça uma lista dos sonhos que tinha Quantos você desistiu de sonhar! Quantos amores jurados pra sempre Quantos você conseguiu preservar Onde você ainda se reconhece Na foto passada ou no espelho de agora Hoje é do jeito que achou que seria? Quantos amigos você jogou fora Quantos mistérios que você sondava Quantos você conseguiu entender Quantos segredos que você guardava Hoje são bobos ninguém quer saber Quantas mentiras você condenava Quantas você teve que cometer Quantos defeitos sanados com o tempo Eram o melhor que havia em você Quantas canções que você não cantava Hoje assovia pra sobreviver Quantas pessoas que você amava Hoje acredita que amam você Faça uma lista de grandes amigos Quem você mais via há dez anos atrás Quantos você ainda vê todo dia Quantos você já não encontra mais Quantos segredos que você guardava Hoje são bobos ninguém quer saber Quantas pessoas que você amava Hoje acredita que amam você

https://www.facebook. com/gabriel.dacostaleite

A bicicleta é sua ? Certo dia, não sei por que cargas d'água eu estava andando de bicicleta à noite. Era mais ou menos 20h, estava chegando perto de uma subida. Enquanto me preparava psicologicamente para enfrentá-la, uma criança grita do fim da rua para eu esperar. Na hora foi muito estranho, pois não esperava ser parado por uma criança, então chega aquele cidadãozinho com mais ou menos 5 anos de idade, e fala: Tem um real tio? Sabe aquele momento em que até teu coração para de bater? Pois é, eu paralisei e me lembrei que tinha umas moedas na carteira, estacionei a bicicleta, puxei a carteira e entreguei uma moeda de um real para o garoto. Mas não me aguentei e fiz uma pergunta, você estuda aonde? Ele me respondeu dizendo o nome do colégio. Nisso ele olhou para minha bicicleta e pediu: Ela é sua? Sim, é minha, respondi, ele me olhou novamente e disse: muito bonita, mas então beleza obrigado tio, tchau. Aquele dia se foi pra mim, não conseguia mais parar de pensar naquele menino. Será que foi correto eu dar o dinheiro pra ele? Já ouvi trocentas opiniões a respeito, muitos falam que é errado dar o dinheiro, mas ir até uma padaria e comprar um lanche é correto. Não tinha nenhuma padaria por perto naquele lugar, então essa proposta não dava certo. Outros já me falaram que muitas

vezes essas crianças chegam em casa e se não tiver dinheiro acabam apanhando, pois os covardes, digo os pais, mandam seus filhos às ruas para pedir dinheiro, mas já fui informado também que muitos pais batem no filho pegam o dinheiro vão pro bar, voltam e batem de novo na criança ou na mãe. Tenho certeza que a criança não tinha nem noção do que ela estava fazendo, muito menos saber o que ela pode comprar com um real, entretanto estava lá pelas ruas andando faceira de chinelo de dedo e vidrada na minha bicicleta, creio eu que ele gostaria de ter uma bicicleta também. Parei pra pensar o que eu estava fazendo na idade dele, certamente não estava nas ruas pedindo dinheiro, mas sim em casa bem alimentado e assistindo televisão ainda por cima. Então cheguei a conclusão de que nunca existirá uma solução pra isso, enquanto vivermos numa sociedade aonde as pessoas estão mais preocupadas em qual vestido usar para ir em uma festa fazer besteiras ou até mesmo não parar em nenhum momento para ajudar o próximo, vamos continuar vendo crianças pelas ruas da cidade. E o pior não foi eu ficar complexado com o assunto, mas sim um dia que fui contar esta história pra um grupo de pessoas e uma mulher me falou que aquela criança estava querendo roubar minha bicicleta...

Edição e diagramação: Edenilson Perego (49) 8408.5521

@ 16

Revisão: Márcio Roberto Goes Toda matéria assinada é de inteira responsabilidade do autor.


Edevan Perego

Professor Educação Física https:// www.facebook.co m/edevan.perego

2014 o passado que virou história O esporte de Caçador tem muito a comemorar em 2014. Não foi o melhor ano sei que muito ainda se pode melhorar e acredito que um trabalho sério e com a participação de todos, as coisas começam a tomar seu rumo. Digo isto pois, o tênis de mesa muito conquistou e muito mais conquistará. Neste ano conseguimos nossa sede própria, o Ginásio Juventude onde o tênis de mesa fica acessível e tem hoje a participação de cerca de 80 crianças nas escolinhas de base. Com este espaço conseguimos realizar o 1º campeonato municipal de tênis de mesa, a 3ª copa FMEC Dimar Esportes de tênis de mesa, e mais duas etapas do ranking olímpico e paraolimpico municipal de tênis de m e s a . E m c i n co m e s e s fo ra m 4 campeonatos e no mês de dezembro ainda realizamos uma ação social no bairro Martelo em parceria com o Grupo de Jovens: A campanha Pequeno Abraço. Agradeço de coração a todos que neste ano colaboraram com o tênis de mesa de Caçador e desejo em nome da diretoria da Associação de Tênis de Mesa de Caçador, alunos e pais, boas festas a todos que o próximo ano possamos fazer ainda mais pela comunidade e pelo povo caçadorense.

Edevandro Perego

Acadêmico Educação Física www.facebook.com/ edevandro.perego

A importância da orientação profissional na prática de exercícios Para praticar qualquer tipo de atividade, desde uma simples caminhada até o profissional, o melhor a fazer é buscar um exercício orientado. Para iniciarmos qualquer tipo de exercício físico, devemos saber se o corpo está apto a tal prática. Cada tipo de exercício exige de forma diferente das estruturas do corpo. Alguns sobrecarregam mais o sistema cardiorrespiratório do que outros, por exemplo. Neste caso o praticante precisa ter certeza de que não possui um problema que possa ser agravado pela prática desse exercício. Por isso, antes de iniciar qualquer tipo de atividade física é importante à pessoa saber como está o seu corpo. Para isso existem os profissionais da saúde, capazes de diagnosticar qualquer anormalidade e até mesmo orientar qual o tipo de exercício mais benéfico para cada pessoa. Um exame médico é, sem dúvida, o passo inicial para quem quer começar uma atividade física. As pessoas que já apresentam alguma limitação ou problemas de saúde diagnosticados e que já estão em tratamento clínico, devem perguntar ao seu médico qual o tipo de atividade física mais indicada. Após isso, deve buscar um local com profissionais capacitados, que poderão orientar sobre a forma correta de realizar os exercícios e também criar metas para o seu plano de exercícios. O profissional da educação física é amplamente qualificado para garantir o sucesso de qualquer plano de exercícios. Quando estiver na academia, certifique-se que o professor está sempre por perto, peça ajuda, faça perguntas, não faça

o exercício se estiver na dúvida de que está certo ou não. Certifique-se que você está na postura correta e tenha sempre em mãos uma garrafinha de água, pois os líquidos eliminados através do exercício precisam ser repostos para o perfeito funcionamento do corpo! Importantíssimo: o exercício está lhe causando dor? Não vale aqui aquela dor após o exercício, esta é normal, principalmente na primeira semana. Mas a atenção deve estar se houver dor nas costas durante um agachamento, por exemplo. A famosa “lombalgia” é a queixa mais comum entre os pacientes praticantes de atividades físicas. Isso acontece por dois motivos básicos: 1) os exercícios estão sendo realizados de forma errada, por vezes por falta de orientação profissional; 2) o tipo de exercício que a pessoa pratica não é indicado para ela, tendo em vista que a maioria das pessoas apresentam algum tipo de alteração postural ou problema na coluna já instalado (mesmo que a pessoa não saiba disso). Nesse caso de dor, o primeiro passo é buscar ajuda médica, como já foi dito. Uma forma de viabilizar a prática do exercício sem se prejudicar é buscar a orientação de um fisioterapeuta. Este profissional irá avaliar o seu problema, olhará os exames que possivelmente o médico lhe solicite e irá lhe ajudar a realizar os exercícios de forma correta. O bom fisioterapeuta saberá responder suas dúvidas e também lhe dirá qual tipo de exercício e aparelho que você deve evitar ou restringir o uso. O fisioterapeuta também poderá lhe ajudar a encontrar o tipo de atividade física mais indicada para o seu caso, em específico. Com o intuito de melhor atender às pessoas que estão em busca de melhorar sua saúde, os profissionais da educação física e da fisioterapia trabalham em conjunto para proporcionar condições adequadas para a realização da atividade física. Isto sim é a prática do exercício físico orientado! Fonte: h t t p : / / w w w. e d u c a c a o f i s i c a . c o m . b r / Fernanda Zunino


Marcelo dos Santos Professor/Psicólogo Especialista em Neuropsicologia.

Assédio moral pode ser enquadrado como improbidade administrativa Assédio moral contra servidor público poderá ser enquadrado como ato de improbidade administrativa. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou, nesta quarta-feira (5), em decisão terminativa, projeto de lei ( PLS 121/2009 ) do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) que criminaliza essa prática na administração pública. Substitutivo elaborado pelo relator, senador Pedro Taques (PDTMT), acrescenta à Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/1992) mais uma hipótese de conduta contrária aos princípios do serviço público. Originalmente, Inácio Arruda pretendia inseri-la no rol de proibições estabelecidas na Lei 8.112/1990, que instituiu o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das Autarquias e das Fundações Públicas Federais (RJU). O foco da intervenção foi deslocado, segundo justificou o relator, para contornar inconstitucionalidade que havia no texto da proposta. “A iniciativa de projetos de lei referentes a servidores públicos e seu regime jurídico compete ao chefe do Poder Executivo respectivo e nem mesmo a sanção pode convalidar o vício de iniciativa e sanar a inconstitucionalidade formal de proposições que violem esse preceito”, argumentou Taques. Decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconhecendo assédio moral de um ex-prefeito contra servidora municipal como ato de improbidade administrativa incentivou Taques a recomendar seu enquadramento na Lei 8.429/1992. “O assédio moral é uma prática execrável, que deve ser extirpada das relações de subordinação empregatícia, ainda mais no serviço público, onde o Estado é o empregador e o bem comum é sempre a finalidade”, sustentou Taques. A definição dada à conduta no

PLS 121/2009 acabou sendo mantida no substitutivo: coação moral realizada por autoridade pública contra seu subordinado, por meio de atos ou expressões que afetem sua dignidade ou imposição de condições de trabalho humilhantes ou degradantes. O projeto ainda será votado em turno suplementar pela CCJ. O relator Pedro Taques comprometeu-se a analisar, nessa fase, a sugestão do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) para caracterização da conduta dolosa do agente coator. Após esse segundo turno de votação, se não houver recurso para votação pelo Plenário do Senado, o PLS 121/2009 será encaminhado para a Câmara dos Deputados. Fonte: http://www12.senado.gov.br/

A importância do conhecimento O homem pensa que tudo sabe, Mas, se faz algo é sem saber Se faz bem, ou mal Esquece que Sem conhecimento A ele não cabe Fazer nada, ou um cargo exercer Sem essas informações e tal... Fazer descobertas faz parte da história Interferir em algo que já existe sem estudo É ter certeza que o resultado será variado... Pena o homem achar que tudo sabe Levando em conta sua memória Mas, se realiza achando que sabe de tudo. Segue sem conhecer seus direitos E vive calado... Bismarck André Alves Ferreira Escola de Educação Básica Wanda Krieger Gomes 3º ano – Ensino Médio Inovador


Márcio Roberto Goes

Professor e escritor www.marciogoes.com.br www.radioativacacador.com.br www.portalcacador.com.br

É NATAL É Natal! Toda a cidade, o país e o mundo mobilizados, afinal é hora de pensar nos festejos de fim de ano: reunir a família, comer e beber à vontade, dar e receber presentes, enfeitar a casa e as ruas... O trabalhador tem alguns dias de férias... O vendedor tem mais trabalho... O comerciante espera, vitorioso, as vendas de fim de ano... Enquanto isso, o pobre pai de família espera ansioso por um emprego, a fim de ter décimo terceiro e férias no fim do ano que vem, comprar presentes para a família, dar trabalho ao vendedor e engordar o bolso do comerciante, cujo filho tem brinquedos de última geração, r o u p a s d e m a r c a , c o m p u t a d o r, Internet, celular e uma babá que certamente não tem férias e dá todo o amor e carinho que seus pais resolveram terceirizar... O filho do desempregado vive na periferia, onde nem Papai Noel tem coragem de chegar, brinca com o cachorro, gado de osso, terra e pedras às margens do esgoto a céu aberto... Usa roupas que não servem mais para seus quatro irmãos mais velhos e futuramente deverá deixar para os dois irmãos mais novos. Roupas compradas num bazar beneficente promovido por alguma turma de formandos que esperam ansiosos a colação de grau e uma chance para negociar a dívida com a

faculdade, ter direito ao diploma e um lugar no mercado de trabalho, para ganhar dinheiro, comprar presentes, dar mais trabalho ao vendedor e engordar o bolso do comerciante... É Natal!... Cresce mais a economia de quem não economiza, mas também não reparte... É Natal!... De um lado, miséria, fome e crianças que já não alimentam esperanças de receber presentes do Papai Noel... De outro, luxo e desperdício, e um Papai Noel generoso que, como diz a canção, “não esquece de ninguém”, só dos pobres. É Natal!... O aniversariante dorme na manjedoura à espera de alguém que ainda lembre o verdadeiro sentido desta data... Ele vai crescer, desafiar as autoridades, repartir e multiplicar o pão, doar-se aos pequenos e aos pobres, inclusive àqueles que já não recebem a visita do Papai Noel, será condenado à morte de cruz, vai vencê-la e ressuscitar ao terceiro dia a fim de salvar a humanidade... Está completando dois mil e catorze anos, não esquece de ninguém, “seja rico, ou seja pobre”... Pena que grande parte da humanidade (ricos e pobres), já esqueceu dEle e prefere acreditar só no Papai Noel, criado e alimentado pelo comércio capitalista que é desumano e valoriza muito mais o “ ter” do que o “ser”. “Dorme em paz oh Jesus”, porque é natal... O menino santo e pobre da manjedoura, agora dá lugar ao bom velhinho do trenó que traz presentes para uma seleta fatia da população que não tem tempo de comemorar o aniversário de alguém nascido no meio dos animais e que vive para salvar a humanidade.

Feliz Natal e um 2015 repleto de realizações

Tênis de mesa Um tênis que não se calça; Uma mesa que não é usada para comer; Uma bolinha que é quicada; Uma rede que não se usa para dormir E sim, para dividir. Um campo de batalha sem canhão; Somente um jogo entre amigos; Com bolinha e raquete na mão. Quica lá e quica aqui, No chão a bolinha não pode cair. Jogando sem parar O ping-pong Pta lá e pra cá. Ailton Cezar Rodrigues 2º ano 210 Noturno Ensino Médio EEEB Wanda Krieger Gomes

É Natal!... Então, feliz Natal!!!

facebook.com/marceloealexandre facebook.com/marceloealexandre

O melhor da balada sertaneja na sua festa!

Contato: (49) 8831-3017 Marcelo 9941-9776 Alexandre

re p m e nto pra s e m a ç Lan eu e ê Voc

Tribuna Regional 10ª Edição  

Ano. 1 - Edição. 10 - Verão, Dezembro 2014 - tribunaregional@gmail.com

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you