Page 1

A HISTÓRIA DA IMPRESSÃO

1


1450

Gutenberg inventa os tipos móveis. A técnica de impressão já existia na China e no Japão — acredita-se que desde o século VIII — porém o método usado era diferente, chamado de “impressão em bloco” usando um bloco de madeira talhado, para imprimir uma página com determinado texto. A invenção e a difusão da prensa móvel é amplamente considerada como o acontecimento mais influente do segundo milênio dC.

1455

Gutenberg imprime a Bíblia de 42 linhas. Marca o início da produção em massa de livros no Ocidente.

2


1464 1470

Nicolas Jenson desenha e manda fundir a primeira fonte no estilo Roman, até hoje utilizado.

1725

Invenção da composição de páginas inteiras numa só matriz, batizado posteriormente de estereotipia.

1796

Abertura da primeira gráfica de Roma. Revolução tipográfica na Europa.

Invenção da impressão química sobre pedras – a Litografia, mãe da impressão Offset.

3


1800 1822 1861

Construção de uma prensa de ferro capaz de imprimir duas páginas de uma vez.

Surgimento da Fotografia. O responsável pela primeira fotografia registrada é o inventor francês Joseph Niépce e o processo de captura de imagem desenvolvido por ele ficou conhecido como heliografia.

Descoberta que todas as nuanças de cor derivam de três cores primárias – Vermelho, Azul e Verde (RGB).

4


1878 1910 1924

Invenção da Linotipo, componedora que fundia uma linha de tipos de uma só vez, mecanicamente.

Criação do sistema de defração da imagem em linhas de pontos – a Retícula.

Comercializada a primeira câmera fotográfica portátil.

5


1971 1985 1990

Lanรงamento da CompuWriter, Fotocomponedora na qual o texto era digitado, sendo entรฃo gravado em fita perfurada de papel.

Lanรงada a linguagem PostScript pela Adobe, textos e fotos puderam ser montados juntos em computadores pessoais.

Surgem as primeiras mรกquinas fotogrรกficas digitais.

6


1991 1993 1997

Gravação das primeiras chapas de impressão direto do computador – tecnologia CtP (Computer to Plate).

Surgem as primeiras impressoras digitais para pequenas tiragens.

São enviados pela primeira vez arquivos gráficos pela Internet em PDF.

7


ATUALMENTE A Impressão 3D, também conhecida como prototipagem rápida, é uma forma de tecnologia de fabricação aditiva onde um modelo tridimensional é criado por sucessivas camadas de material. Fabricação aditiva é o processo de criar objetos a partir de modelos digitais. As tecnologias de fabricação aditiva compreendem a fusão a laser, fundição a vácuo e moldagem por injeção.

Tecnologias de impressão avançadas permitem imitar com precisão quase exata a aparência e funcionalidades dos protótipos dos produtos.

8


FORNECEDORES Ateliê Tipo Gráfica Com prazer, a velha gráfica. Somos um estúdio de design e impressão com sede no Rio de Janeiro. Projetos com papéis especiais e acabamentos artesanais. Telefone:(21) 3500-2793 Endereço: Estrada do Encanamento, 1635 (42,42 km), 23060000 Rio de Janeiro.

Letterpress Brasil O atelier Letterpress Brasil é um espaço de criação, consultoria e produção gráfica. Com profissionais, equipamentos e materiais especializados para a impressão artesanal em letterpress, aqui são discutidos e desenvolvidos projetos personalizados: convites, cartões, cartazes, gravuras, projetos editoriais. Telefone: (11) 3804-5564 Endereço: Rua Bagé, 317Vila Mariana . São Paulo - SP

Tipografia Matias A Tipografia Matias é uma gráfica especializada em impressão tipográfica localizada em Belo Horizonte. Telefone: (31) 3283-1791 Endereço: Rua Padre Manoel Rodrigues, 96 Belo Horizonte Gráfica Marly Impressos de luxo em Alto Relevo Francês, Alto Relevo Americano, Serigrafia, Letterpress e Off-Set. Telefone: (21) 2263-9088 | (21) 2263-2881 Endereço: Rua do Livramento, 40 Gaboa, Rio de Janeiro 9


IMPRESSÃO OFFSET

10


O QUE É? A impressão offset consiste em um processo planográfico onde há a repulsão entre água e gordura (tinta gordurosa) com uso de cilindros intermediários. Ela é feita em tiragem, gerando assim melhor custo benefício para o consumidor. É utilizada em cartões visitas, em impressões de pastas comerciais, envelopes e talões, por exemplo. Além disso, produzem materiais de grande escala em algumas horas.

IMPRESSÃO MONOCOLOR IMPRESSÃO QUATRO CORES Exige mais do profissional que está manipulando a máquina, pois todas as cores devem estar encaixadas corretamente para não prejudicar a impressão do conteúdo.

IPC:

Nesse processo o papel já sai todo pronto, em um processo único de impressão das quatro cores em uma só vez.

Existem também máquinas específicas para acabamentos de verniz e laminação fosca. Esse material da uma qualidade ainda mais superior ao material final produzido.

11


HISTÓRICO A tecnologia de impressão offset foi inventada em 1904 pelo americano Ira Washington Rubel, litógrafo de Nova Jersey, Estados Unidos, mas também foi patenteada pelo alemão Caspar Hermann. Apesar do surgimento no início do século passado, o sistema só chegou ao Brasil na década de 1920, mesmo assim de forma lenta e pouco difundida. “Isso ocorreu porque era complicado realizar a transição da tipografia para o offset. Esse processo transitório esbarrava em muitos problemas técnicos”, explica Thais Vieira, designer gráfica formada pela Escola Superior de Desenho Industrial, vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UERJ). Mesmo com o lento desenvolvimento do setor, em 1922 a Companhia Lithographica Ferreira Pinto, do Rio de Janeiro, resolveu empregar o mais novo método de impressão. Na época, a empresa imprimia quase que exclusivamente para a fábrica de cigarros Souza Cruz. Dois anos mais tarde, em 1924, foi a vez da Gráfica e Editora Monteiro Lobato, de São Paulo, dar sinais de modernidade ao fazer uso de equipamentos offset. Apesar do avanço adquirido pelas duas empresas, nesse período o setor sofria com a dificuldade em importar suprimentos de ponta. Juscelino Kubitschek, na década de 1950, promoveu o incentivo à industrialização, mas focou boa parte de suas ações na indústria de base, política que barrou a obtenção de dispositivos eficientes pelas pequenas e médias gráficas. “Como alternativa, era necessário adaptar as impressoras tipográficas, transformando-as em modelos offset”, afirma Thais Vieira. A liberação da importação só foi efetivada a partir dos trabalhos do Grupo Executivo das Indústrias de Papel e Artes Gráficas (Geipag) que, criado em 1966, lançou vigoroso sopro de vida sobre a área. Assim, o parque gráfico nacional modernizou-se, parcialmente, em parâmetros da mais atualizada tecnologia mundial.

12


IMPRESSÃO O sistema offset é planográfico e a impressão é rotativa, onde os cilindros irão conduzir tanto a tinta quanto o papel. A matriz da impressão offset é geralmente metálica (feita de alumínio) e sensível à luz. No processo tradicional, a gravação inicia-se à partir de um fotolito (que pode ser positivo ou negativo) que é colocado sobre a chapa offset e exposto à luz para fixação da imagem. Após a exposição, a matriz é encaminhada à revelação química, semelhante ao processo de revelação fotográfica. Com a chapa offset revelada, dá-se a montagem no rolo da impressora offset destinado à instalação da matriz. A chapa flexível é montada no cilindro destinado à matriz. Se o impresso for colorido, é necessário uma chapa para cada cor do processo de cromia, ou seja, no mínimo 4 chapas serão utilizadas. O off-set faz uma impressão indireta: há um objeto entre a matriz e o papel, que é chamado de blanqueta. A imagem que está na matriz (que é metálica e é simplesmente chamada de chapa) é transferida para um cilindro coberto com borracha (a blanqueta) e, daí, para o papel. Em resumo: a matriz imprime a blanqueta e esta imprime o papel. Cada “parte” da impressora possui somente uma cor, ou seja é impressa de cor em cor.

13


Com a chapa offset revelada, dá-se a montagem no rolo da impressora offset destinado à instalação da matriz. A chapa flexível é montada no cilindro destinado à matriz. Se o impresso for colorido, é necessário uma chapa para cada cor do processo de cromia, ou seja, no mínimo 4 chapas serão utilizadas. O processo ocorre da seguinte forma: 1) A matriz permanece umedecida e recebe a aplicação de tinta. 2) O segundo cilindro é composto por borracha e recebe o nome de blanqueta. As blanquetas são responsáveis por transmitir a informação da matriz para o substrato. 3) Durante o processo de transferência das informações, há um terceiro cilindro: o cilindro impressor. Ele é responsável por pressionar o papel para que ele fique em contato com a blanqueta. A blanqueta, ao encostar na chapa, absorve a tinta excedente e permite transferir ao suporte apenas a quantidade necessária. As impressoras offset podem ser classificadas em planas ou rotativas: IMPRESSORA PLANA

>

tir

Trabalha a de folhas

IMPRESSORA ROTATIVA

> >

parsoltas;

Utiliza bobinas de papel;

Recomendada para projetos em grande tiragem como revistas e jornais.

>

Oferece melhor qualidade, ideal para impressão de cartões de visitas, folders, panfletos, folhetos, cartazes e livros

14


FORNECEDORES > Holográfica Rua Bela, 206 | São Cristóvão | Rio de Janeiro | RJ | CEP: 20930380 Telefone: (+55 21)3891.4000 Fax: (+55 21)2589.4555 holografica@holografica.net > Ediouro RUA CANDELÁRIA, 60 - 7º ANDAR - CENTRO, RIO DE JANEIRO - RJ, 20091-020 TELEFONE: (21) 3882-8200 > GRAFÁFICA VIENA Av. Dr. Pedro Camarinha, 31 – Centro – Sta. Cruz do Rio Pardo-SP TELEFONE: (14) 3332 1155

15


BIBLIOGRAFIA https://www.expoprint.com.br/pt/impressao-offset https://www.printi.com.br/blog/o-processo-e-os-beneficios-da-impressao-offset http://www.graficavallilo.com.br/com o - f u n c i o n a - a - i m p r e s s a o - o f f s e t h t t p : / / w w w . p l u r a l . c o m . b r / i n f o r m a tivos_vantagens_rotativas_offset.php

16


SERIGRAFIA E ROTOGRAVURA

17


CONCEITO Também conhecido como silk screen, a serigrafia é um processo utilizado na transferência de imagens em tecidos e diversos outros materiais. O grande destaque da serigrafia é sua qualidade e durabilidade. Além disso, é um processo relativamente simples, no qual é usada uma tela que transfere a imagem colorida para o tecido ou qualquer outra superfície onde se deseja imprimir a mensagem.

É muito utilizada na impressão de adesivos e amplamente difundida na indústria têxtil. A qualidade da impressão está relacionada com a qualidade dos insumos, principalmente do tecido e a competência da mão de obra. É um processo com boa relação custo x benefício e é adequado para pequenas e médias tiragens em papel, plástico, metal, cerâmica entre outros suportes.

18


DESCRIÇÃO DA MATRIZ Nesse processo as matrizes não são chapas de metal como no offset e sim de tecido. Em cada tecido é gravada a informação da imagem que é transmitida por fotolitos. Assim, cada fotolito fornece a imagem de uma cor e conseqüentemente cada tela (tecido de nylon, por exemplo) vai corresponder a uma cor do trabalho. A aplicação de tinta pode ser feita manual, semi-automática ou automaticamente. O interessante na serigrafia é que, diferente do processo offset, pode-se reaproveitar a matriz onde se gravou determinada arte.

19


FLUXO DE PRODUÇÃO

TENSÃO DO TECIDO

Deve-se utilizar a melhor técnica para esticar o tecido na moldura (bastidor). Geralmente a tensão é feita com equipaESCOLHA DO BASTIDOR mento pneumático ou mecâniO bastidor é o nome técnico dado co.Com o tecido esticado, é a moldura onde ficará fixado o feita sua colagem no bastidor. tecido. Ele mantém o tecido sob pressão, garantindo estabilidade PREPARAÇÃO DO TECIDO e registro de impressão (caso sePara garantir qualidade e jam utilizadas mais de uma cor). produtividade, o tecido deve Este bastidor pode ser de maestar perfeitamente limdeira, ferro ou alumínio. O mais po; livre de poeira e gordura. barato é o de madeira, porém, sua vida útil é pequena. O bastidor de ESCOLHA DA EMULSÃO ferro é pesado e pode apresentar problemas de oxidação ao longo Na escolha da emulsão devedo tempo. O ideal é o de alumí- se verificar parâmetros como: nio, pois possui maior resistência emulsão viscosa para tecie sua leveza facilita o manuseio. dos abertos e mulsão líquida para tecidos fechados. Para tornar a emulsão sensível à luz, misturam-se sensibiESCOLHA DO TECIDO lizadores químicos. Existem no É fundamental a escolha corre- mercado emulsões que já esta do tcido, pois ele suportará a tão pré-sensibilizadas, ou seja, camada fotográfica, determi- prontas para aplicação na tela. nará o depósito de tinta e terá influência na definição e resolução da imagem. Existem três tipos de tecido: nylon (mais elástico), poliéster (maior estabilidade e resistência) e metálico (possui efeito anti-estático). O tecido de nylon pode apresentar coloração branca – a mais comum – alaranjado ou avermelhado. 20


APLICAÇÃO DA EMULSÃO

EXPOSIÇÃO À LUZ

A aplicação da emulsão serve para construir no tecido uma camada fotográfica uniforme, devendo ser aplicada do lado externo e interno da tela. A emulsão deve ser bem aplicada para evitar perda de qualidade da impressão. Existem instrumentos – aplicadores – que facilitam tal aplicação.

Depois de seca a tela será exposta à luz ultravioleta. Nessa etapa é necessário observar a qualidade do fotolito positivo. A parte preta deve ser totalmente opaca para evitar passagem de luz. O fotolito deve ser colocado no lado externo da matriz, preso com fita adesiva. O tempo de exposição determinará a qualidade, vida útil, definição e resolução da imagem. Esse tempo depende de vários fatores: tipo de fonte de luz, potência, distância entre a fonte e a matriz, tipo de emulsão, etc.

SECAGEM DA EMULSÃO A matriz (tela emulsionada) deve ser seca com o lado externo voltado para baixo. O tempo de secagem depende da lineatura do tecido, do tipo de emulsão e da espessura da camada aplicada.

REVELAÇÃO A revelação geralmente é feita com um jato de água suave em toda a matriz, iniciando pelo lado externo até o aparecimento total da imagem. 21


PROCESSO DE IMPRESSÃO O processo de impressão consiste em vazar a tinta pela pressão de um rodo ou puxador através da tela previamente preparada. A tela (matriz serigráfica) é esticada em um bastidor (quadro) de madeira, alumínio ou aço. A matriz é gravada pelo processo de fotosensibilidade, onde é preparada com uma emulsão fotosensível e colocada sobre um fotolito e, posteriormente, sobre uma mesa de luz.

Os pontos escuros do fotolito correspondem aos locais que ficarão vazados na tela, permitindo a passagem da tinta pela trama do tecido. Os pontos claros (onde a luz passará pelo fotolito atingindo a emulsão) são impermeabilizados pelo endurecimento da emulsão fotosensível exposta a luz. Para cada cor de impressão é utilizada uma matriz, resultando em um impresso com grande densidade de cor, saturação e textura.

22


APLICAÇÃO NA PUBLICIDADE

FORNECEDORES CARIOCA SILK Endereço: R. Regente Feijó, 28 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20060-020 Telefone: (21) 2510-2671

Andy Warhol é um nome que simboliza aquilo que é a Pop Art pela seu trabalho desenvolvido e por ser um dos grandes artistas que do mesmo modo a simbolizou.

PENIEL ESTAMPARIA Endereço: R. Uruguaiana, Quadra C - box 466/467 - Rua dos Andradas esquina com Rua da Alfândega - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20050-095 Telefone: (21) 3970-5360

Os quadros feitos através de serigrafia, uma das técnicas promovidas e utilizadas nos quadros desta corrente artística, de figuras como Marilyn Monroe em diferentes tonalidades, os auto-retratos que lhe deram ainda mais visibilidade, as embalagens de sabonete Brillo e de ketchup Heinz, os dólares americanos e os cifrões, as latas de diferentes sabores de sopa Campbell e as garrafas de Coca-Cola que sofrem uma constante multiplicação celular bem como os cartazes publicitários adaptados são exemplos de alguns dos quadros que imortalizam o artista.

GRÁFICA RECREIO Endereço: Barra World Shopping &Park - Avenida Alfredo Balthazar da Silveira - Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro - RJ, 22790-710 Telefone: (21) 99846-8394 SILK FABRIL Endereço: Av. das Américas, 2111 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro RJ, 22631-010 Telefone: (21) 2493-1616

23


CONCEITO A rotogravura é um sistema de impressão direta denominado encavográfico, ou seja, a tinta é depositada em uma matriz de baixo relevo. O grafismo ou imagem a ser impressa é gravada no suporte através de tintas líquidas à base de solventes fortes e altamente voláteis. Sua aplicação é bem ampla imprimindo miolos de revistas, embalagens flexíveis para produtos alimentícios, cigarros, rótulos, papéis de presentes, etc.

Esse tipo de impressão só é economicamente viável para grandes tiragens. Esse fato se dá pela característica do processo. As máquinas impressoras são rotativas de grande porte e a matriz de impressão possui um alto custo para gravação.

24


FLUXO DE PRODUÇÃO GRAVAÇÃO DE MATRIZ A matriz para rotogravura é um cilindro que pode ser confeccionado em aço ou ferro, podendo ser oco ou maciço. Este cilindro recebe pelo processo de galvanização outras camadas metálicas, tendo cada uma as seguintes funções: - De níquel: permite a aderência do cobre ao ferro ou aço. - Cobre base: determina a espessura final do cilindro - Cobre camisa: parte removível da matriz onde é feita a gravação da imagem a ser impressa - Cromo: utilizado para aumentar a durabilidade do cilindro.

IMPRESSÃO Na rotogravura, usa-se cilindros micro-perfurados que passam a tinta diretamente para o papel por pressão. Usando várias unidades de impressão, trabalhando em conjunto, pode-se imprimir frente e verso do papel numa única operação, em várias folhas que farão a composição de jornal ou revista. 25


FORNECEDORES PIRAQUรŠ

EDITORA ABRIL

Centro Empresarial Mourisco Praia de Botafogo, 501 - Botafo- R. Leopoldino de Oliveira, 335 go, Rio de Janeiro - RJ, 22250-911 Turiaรงu, Rio de Janeiro RJ, 21360-060

26


APLICAÇÃO NA PUBLICIDADE A publicidade utiliza muito desta técnica de impressão imprimindo em embalagens de produtos de vários tipos de materiais. A rotogravura também faz parte do processo editorial da revista Veja e da producão de cigarro.

27


BIBLIOGRAFIA: https://www.fespabrasil.com.br/pt/segmentos/serigrafia https://www.printi.com.br/blog/o-que-e-serigrafia http://grafica.abril.com.br/rotogravura.php https://cardquali.com/rotogravura/ https://www.youtube.com/watch?v=Z4uym-gJvec https://www.youtube.com/watch?v=PGTUlSlnAPE

28


FLEXOGRAFIA

29


CONCEITOS & PROCESSO DE CARACTERÍSTICAS IMPRESSÃO A Flexografia é classificada como um processo relevográfico de impressão direta, ou seja, a tinta é distribuída em uma matriz de borracha e tal matriz passa o desenho para o suporte

Trata-se de um processo de impressão direta, rotativo que emprega pranchas ou fôrmas de borracha ou polímero (clichês) em alto relêvo e tintas líquidas de secagem rápida que aderem à grande maioria dos suportes.

É um processo muito utilizado na impressão de embalagens. Atualmente sua aplicação se estendeu a outros produtos gráficos tais como: livros, jornais, revistas, tecidos, papelão, cartão corrugado, etiquetas, papel de parede, envelopes, sacos, sacolas, etc.

O processo de impressão conhecido como Anilina, começou na Alemanha e é anterior a 1920. Em 1951, foi adaptado o nome de Flexografia nos E.U.A. por uma questão de marketing.

A Flexografia é mais econômica que a rotogravura ou o offset em As matrizes flexográficas podem grandes tiragens. Além disso, oferece uma diversi- ser constituídas de borracha ou fotopolímero. Têm vários dade de oferta nos suportes. formatos e resistem a muitas impressões. Essas matrizes são geradas por entalhe manual, vulcanização (no caso da borracha) ou revelação fotográfica (fotopolímero).

30


por cilindros que o direcionam para cada grupo impressor. Ao rolo tomador de tinta denominamos Anilox. As tintas para impressão flexográfica se caracterizam em dois tipos, dependendo da aplicação. Em caso de suportes não absorventes como plásticos, utiliza-se tinta a base de solvente. Quando imprimimos em papel ou papelão utiliza-se tinta a base de água.

É uma impressão ideal para grandes tiragens e pode ser feita em diversos suportes. A quantidade de cores é ampla, podendo imprimir de 1 à 6 cores simultaneamente, sendo na escala Europa (CMYK) ou cores especiais.

A flexografia é bem versátil e econômica, mas apresenta algumas limitações de qualidade. Um exemplo é o fenômeno “Squash” – espalhamento da tinta. Esse fenômeno se dá pelo tipo de matriz de impressão que é bastante flexível. A reprodução detalhada de meios tons (fotos, degradês) fica prejudicada. Aplicações

A maioria dos suportes para impressão são configurados na forma de bobina, caracterizando o tipo de impressora como rotativa. O que muda é a distribuição dos grupos impressores. Em máquinas tipo satélite o suporte passa em um grande rolo de contrapressão, onde os rolos entintadores estão distribuídos em seu entorn No sistema torre o suporte passa

Embalagem (Rígidas, semi-rígidas e flexíveis), papel de presente, sacos, etiquetas adesivas, impressos de segurança e rótulos Mosaicos e ladrilhos. 31


PUBLICIDADE

A Vp possui um dos mais avançados sistemas de impressão flexográfica, que dispõe de tecnologia para impressão de rótulos e etiquetas de até 8 cores. Imagine o poder da impressão composta de CMYK mais quatro cores especiais ou ainda hot stamp e serigrafia em vários substratos.

Uma característica muito importante da flexografia para a publicidade é o fato de este processo imprimir em uma ampla gama de materiais (ásperos, lisos, mais absorventes, alumínio, entre outros. Como benefícios de seu uso podemos destacar também a alta tiragem da matriz, que pode imprimir 1 milhão de cópias sem que o material perca a qualidade. E também a velocidade de produção, sendo que algumas máquinas podem imprimir até mil metros por minuto, o que otimiza o tempo de produção em grande escala.

Telefone: (31) 3244-3000 Endereço: Rua Belmiro de Almeida, 318 - São Cristóvão - Belo Horizonte - MG

Multipla Adesivos, Rótulos e Etiquetas

FORNECEDORES VP Laser

A Multipla possui em seu parque industrial um espaço reservado somente à fabricação de rótulos. Telefone: (21) 3887-7100 / 31052526 Endereço: Rua Drumond, 105, Olaria - Rio de Janeiro - RJ 32


Rio Novo Embalagens

Há mais de treze anos, a Rio Novo Embalagens desenvolve embalagens para seus clientes. Telefone: (14) 3711-3400 Endereço: R. Luís Scarceli, 60 - Jardim Paineiras, Avaré - SP, 18706-280

33


BIBLIOGRAFIA Processos Grรกficos; SENAI-RJ 2006 https://pt.wikipedia.org/wiki/Johannes_Gutenberg http://aprendergrafica.blogspot.com.br/2009/07/cronologia-da-evolucao-das-artes.html

34


IMPRESSÃO DIGITAL

35


HISTÓRICO A história da impressão digital é bastante curta se comparada a história dos outros tipos de impressão. Ela surgiu no final do século 20 e foi evoluindo, tornando possível uma impressão rápida e de qualidade, sendo atualmente um doa métodos mais comuns de impresão utilizada. A impressão digital deriva-se da xerografia, distinguindo-se dela pelo fato de que a entrada de dados é feita digitalmente, e não pela reprodução de um original em papel. Existem dois tipos de impressão digital:

IMPRESSÃO A LASER

JATO DE TINTA

36


LINHA DO TEMPO

1454

600 A.D

1473

Gutenberg inventa a primeira Os antigos chineses, depois da Willian Caxton produziu o livro The invenção da tinta e papel, usavam prensa com tipos móveis de metal Recuyeel of the Histories of Troye” blocos de madeira para imprimir o primeiro livro de inglês a ser impresso

Séc. 15 à 17

A mídia da impressão começa a se expandir pela Europa

Início Séc. 19

Invenção da impressora a vapor por Friedrich Gottlob

1796

O Austríaco Alois Senefelder inventa o processo de litografia

Séc. 19

Criação da cromolitografia por Godefroy Engelmann, primeira tentativa de imprimir padrões multicolor

2013

1500 Cerca de 15 milhões de livros já haviam sido impressos

Séc. 20

A impressão tipográfica rotativa foi a que tornou os jornais mais acessíveis para todas as classes sociais

Final Séc. 20

Os antigos chineses, depois da A impressão digital revoluciona o invenção da tinta e papel, usavam mundo por não precisar substituir blocos de madeira para imprimir as chapas

37


MAS PORQUE IMPRESSÃO DIGITAL? Os entusiastas da impressão digital preveêm que ela se tornará o processo hegemônico de impressão em duas ou três décadas, devido as suas inúmeras vantagens, como:

CUSTO-BENEFÍCIO PARA POUCAS TIRAGENS A impressão digital elimina grande parte do processo tradicional, que consistia no acerto das máquinas, o que garante um ótimo custo-benefício para impressões em pequenas tiragens.

AGILIDADE NO PROCESSO Como não é necessária a preparação e troca de chapas, assim como ajuste do maquinário para cada demanda, há ganho de tempo na produção.

FÁCIL MANIPULAÇÃO PRÉ IMPRESSÃO Por ser um processo digital, é muito mais prático fazer quaisquer alterações no documento, devido aos aplicativos de edição

38


APLICAÇÕES NA PUBLICIDADE Considerando as vantagens deste modo de impressão, podemos dizer que sua praticidade é essencial para a publicidade. Para fazer mídias out of home, como cartazes e busdoors, a impressão digital é uma boa escolha, devido a baixa tiragem. Design de embalagens são interessantes na forma de impressão digital, já que é possível fazer uma impressão teste de baixo custo, antes de selecionar o definitivo, além de se poder modificar de maneira fácil e rápida características sem atrapalhar muito o prazo. Projetos de PDV para demonstrar produtos também podem ser feitos desta maneira. No mundo da estamparia, por exemplo, é possível fazer pelo método de sublimação uma camiseta de maneira prática e rápida. A empresa Touts, criada para poder promover designers e seus desenhos, faz por meio da impressão digital camisetas na hora para o cliente. Além disso, eles produzem: canecas, moletons, quadros, almofadas e canecas com este modelo de impressão, por ser rápida e possível de fazer diversos modelos de estampas diferentes.

MÍDIAS OUT OF HOME

39


DESIGN DE EMBALAGENS

MATERIAIS DE PDV

ESTAMPARIA

40


COMO É ESSE PROCESSO? Existem dois tipos de impressão digital mais utilizados nas gráficas e no mercado da comunicação atualmente, sendo eles o chamado Jato de Tinta e a impressão a Laser. Na impressão a Laser, as tintas em estado seco são as mais conhecidas e sua passagem para o substrato se dá quando uma fonte de luz incide no tambor. O tambor é carregado positivamente e um laser “desenha” a imagem que se quer descarregando essas áreas. Em seguida, o toner carregado positivamente, adere às regiões sem carga e forma a imagem no tambor que é transferida para o papel. Já na impressão por jato de tinta, as tintas se encontram no estado líquido e sua passagem para o substrato se dá com a projeção de pequenas gotas de tintas diretamente sobre ele. A forma e o tipo da tinta empregada podem variar de acordo com tecnologia do equipamento. As impressoras são dotadas de cabeças de impressão, onde são originados os jatos de tinta que formam a imagem no substrato. Apesar de utilizar as mesmas cores da impressão a laser, algumas impressoras jato de tinta já empregam cores adicionais (cores especiais) para aumentar a qualidade de impressão.

41


BIBLIOGRAFIA https://www.tecmundo.com.br/infografico/3066-como-funciona-uma-impressora-a-laser-.htm http://www.formacerta.com.br/blog/a-evolucao-da-impressao-digital/ https://www.impressorajato.com.br/vantagens-e-desvantagens-das-impressoras-laser-e-jato-de-tinta https://www.tecmundo.com.br/impressora/106131-impressora-laser-jato-tinta-opcao-certa-voce.htm https://www.tecmundo.com.br/impressora-3d/38826-como-funciona-uma-impressora-3d-ilustracao-.htm https://pt.wikipedia.org/wiki/Impress%C3%A3o_3D https://www.tecmundo.com.br/impresso ra-3d/39647-20-perguntas-e-respostas-sobre-impressoras-3d.htm https://super.abril.com.br/tecnologia/a-revolucao-das-impressoras-3d/ https://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2016/11/designer-cria-proteses-de-titanio-com-impressora-3d.html http://ciclovivo.com.br/arq-urb/arquitetura/casa-e-feita-em-impressora-3d-com-residuos-de-construcao http://n2midia.com.br/2018/03/16/vantagens-da-impressao-grafica-digital/ 42


ACABAMENTOS GRÁFICOS

43


O QUE SÃO ACABAMENTOS GRÁFICOS? Acabamento gráfico é um processo de finalização de um produto feito em uma gráfica. Ele pode transformar um simples material impresso em algo envolvente que seja capaz de chamar a atenção e, se for o caso, vender mais. Quando pensamos sobre o que

é acabamento gráfico, estamos pensando, antes de tudo, em uma questão estética. Com diferentes recursos a seu dispor, o acabamento gráfico é um processo que precisa ser efetuado com cuidado e pelas mãos de um profissional.

TIPOS DE ACABAMENTOS Laminação; Verniz; Corte e vinco; Hot stamping;

Bordas arredondadas; Relevo; Refile;

44


LAMINAÇÃO A laminação é o processo de “encapar” o impresso com uma camada de plástico adesivo. A maior vantagem da laminação é o aumento da durabilidade e resistência do material. Existem dois tipo de Laminação: Laminação com brilho: Recomendado para impressos com muitas cores e imagens, pois o efeito brilhante gera cores mais vivas. Laminação fosca: Recomendado para impressos com muitos textos. Evite laminar papéis mais finos (de menor gramatura), pois a laminação pode causar curvatura no papel.

45


VERNIZ E UV LOCALIZADO

O verniz é uma tinta transparente de alto brilho que gera um aspecto sofisticado e profissional aos impressos. Por este motivo é muito utilizado em cartões de visita, cardápios de luxo e capas de livros. O efeito do verniz é muito parecido com a laminação, porém, o verniz tem duas grandes vantagens: Pode ser aplicado em papéis de gramaturas baixas (mais finos) e pode ser aplicado em partes específicas do impresso. O verniz UV localizado é um dos acabamentos gráficos mais usados na indústria. Sua aplicação mais popular é a laminação fosca no fundo com detalhes em verniz localizado. Essa união gera um contraste muito bonito entre as cores brilhantes e foscas, deixando o impresso muito profissional, sofisticado e atraente.

46


CORTE O corte é o acabamento gráfico feito para moldar papéis conforme a necessidade, criando formatos personalizados. É muito usado para confeccionar caixas e embalagens personalizadas. Para isso são usados metais pré-moldados, chamados de “facas”, ou equipamentos a laser. As facas são montadas exclusivamente para cada formato.

VINCO

Vincos são marcações feitas no papel. Essas marcações servem como “linhas-guia” para que os papéis possam ser dobrados. Sem os vincos, as dobras irão acabar com a qualidade do seu impresso.As fibras dos papéis são muito sensíveis, e os vincos impedem que elas sejam danificadas no processo de dobra. Os vincos também servem para criar outros efeitos estéticos. O custo é baixo, sendo muito utilizado em folders, convites e cardápios.

47


HOT STAMPING

O hot stamping é muito parecido com o verniz UV localizado, a diferença é que no hot stamping, como o nome já diz, a transferência da “estampa” é feita através de calor. Apesar de ser encontrado em diversas cores, as mais comuns são prata e dourado.

Relevo

O relevo é perfeito para criar uma sensação diferenciada ao toque, agregando sofisticação ao impresso. Entre as opções, você pode escolher entre o relevo alto ou profundo. Esse tipo de acabamento não pode ser aplicado em qualquer tipo de papel. É preciso que a gramatura do papel seja maior que 180g. Por isso, é muito utilizado em convites e cartões de visita, onde as gramaturas tendem a ser maiores. 48


BORDA ARREDONDADA A borda arredondada é um acabamento simples, e não precisa ser feito com as tradicionais facas, hoje em dia existem outros equipamentos que produzem esse tipo de acabamento com custos mais baixos. Lembrando que não é obrigatório arredondar os quatro cantos, você pode optar um, dois ou três cantos separadamente.

Refile Refile é um corte reto, feito através de uma guilhotina. A principal função deste acabamento é garantir que os lotes de impressos terão as mesmas proporções. O refile é um acabamento básico e essencial. Esse processo não gera nenhum tipo de diferencial ao impresso.

Borda Arredondada

Refile

49


FORNECEDORES Ezipa- R. Mal. Aguiar, 121 - Benfica, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 3890-1542 AR facas- R. Ana Neri, 1.140 - Rocha, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 3277-3632 Sir Speedy Centro- R. Da Alfândega, 90 B- Centro - Rio de Janeiro. Telefone: (21) 2507.3780 ArteCriação- R. Maia de Lacerda, 719 - Estácio, Rio de Janeiro. Telefone: (21) 2273-8324

BIBLIOGRAFIA http://helioprint.com.br/blog/tipos-de-acabamentos-graficos/ http://bgd.com.br/o-que-e-acabamento-grafico/

50


51

Os tipos de impressão  
Os tipos de impressão  
Advertisement