Page 1

COGITÁRE WEB MUDANÇAS CONECTIVIDADE

MULTIMÍDIA

APLICACÃO

VÍCIOS TRANSPORTE

STATUS

COMPUTADOR

SMARTPHONES

DIVERSÃO

VÍDEOS

CRIANÇAS

MUSICA

DOWNLOADS

REFÚGIO PROGRAMAÇÃO

ENTRETENIMENTO

EDUCAÇÃ

TRANSFERÊNCIAS

NAVEGAÇÃO

PERSONALIDADE

SITES

ARTE ÁUDIO

CONTEÚDO

INTERATIVIDADE

TABLETS

GRANDE QUANTIDADE DE

ONLINE

MUDANÇAS SOCIAIS

RELACIONADO

FACEBOOK

XYZ

SOCIOLOGIA

MODERNO GLOBALIZAÇAO

TWITTER CLÁSSICO

RAPIDEZ

REDES SOCIAIS DIFERENTE SOLIDÃO

LAZER DADOS

SEDENTARISMO

NOVO

INOVAR

CONCEITO

Internet

DEPENDÊNCIA EDUCAÇÃO POPULARIDADE NOVA GERAÇÃO TRABALHO PENSAR

COMODIDADE SOCIEDADE

EMPREGOS ACESSIBILIDADE


E DI TO RIAL

EQUIPE

Viviane Simoda Beatriz Pollyak Gabriela Melo Filipe Borges Beatriz Reis

Quando foram estipulados os temas para o interdisciplinar,

não se sabia ao certo qual escolher, eis que Social Change

se tornou uma escolha bem interessante. Ok. Mas o que é Social Change a final? Na tradução “ao pé da letra” é mudança social, mas mudança em qual sentido? Preferiuse abordar a internet e todas as transformações ocasionandas por ela, desde o seu surgimento. Tais mudanças, benéficas ou não, foram de grande importância, pois mudaram toda uma sociedade. A sociologia é a ciência que estuda a sociedade. Procurou-se criar uma ordem “cronológica” nas matérias, partindo do tema mais conceitual e clássico até atingir o tema mais moderno. Utilizou-se como inspiração o estilo vintage e clássico conciliado a um estilo atual e uma paleta de cores neutras. A Redação.


SUMÁRIO

Sociologia Clássica A Nova Condição da Sociedade Conectividade Mudanças Comportamentais Infográfico - Conectados Geração XY Referências

04 06 10 12 14 16 18


SOCIOLOGIA Por Beatriz Reis

Os primeiros registros da história da humanidade já constatam a necessidade do homem se organizar em grupo. Tal fenômeno motivou o advento da Sociologia Clássica. Antes mesmo do positivismo, na Grécia Antiga Aristóteles já tinha sua percepção de que “o homem é um ser social” e isso não mudou muito. Mas, tal perspectiva adotou nuances cientificas como a Revolução Industrial. Eis que surge após, definitivamente, o que hoje conhecemos como Sociologia Clássica. Está tinha como objetivo explicar e investigar a vida social, que passava por muitas transformações. Nesse contexto três pensadores merecem destaque e são considerados os pais da Sociologia moderna: Karl Marx, Max Webber e Émile Durkheim.

1. Emile Durkheim Funda o positivismo que tem as seguintes características: através do Fato Social, que é o objeto,se manifesta em três características da sociedade. O Geral, sendo algo que acontece em toda sociedade, Coercivo, as pessoas que vivem em uma sociedade precisam de regras e se não cumpri-las são punidas e o Externo, você vivendo ou não na sociedade ela sempre vai existir. Uma de suas frases referente à educação é: A sociedade e casa meio social particular determinam o ideal que a educação realiza.”

4

Para finalizar a tríade da materialismo histórico, comp pela qual os bens de produç as condições socioeconômi a moral e os costumes (sup o materialismo dialético ser históricas. Dessa forma, no contradições, os homens pa adequar às novas demandas


A CLÁSSICA 2. Max Webber Diferente da teoria de Durkheim, Webber acreditava que na sociedade era necessário interpretar o sentido que as pessoas dão as suas próprias atitudes. Afirmava que existiam Ações Sociais para orientar a sociedade. Fizemos uma lista com as definic’oes de cada uma, confira abaixo. • ação social racional com relação afins - ser comportado e ganhar um prêmio por isso, é onde as pessoas buscam apenas resultados. • ação social com relação a valores não comer carne na semana santa, ou seja, ações orientadas por determinados valores • ação social afetiva - as ações são orientadas pelas emoções de cada um, como ter ciúmes de um amigo. • ação social tradicional - são ações orientadas pelos hábitos e costumes, como votar sempre no mesmo político. Basicamente, Webber procurava através do meio racional “entender o sentido, a motivação e os padrões das ações humanas.”

3. Karl Marx

a sociologia podemos citar Karl Marx. Este afirmava que “por meio do chamado preenderiam que as sociedades humanas viabilizam suas relações a partir da forma ção são distribuídos entre os seus integrantes”. Basicamente, Marx observou que icas (infraestrutura) acabavam determinando como a cultura, o regime político, perestrutura) se configurariam. Além disso, o pensamento marxista alega que ria uma das molas propulsoras fundamentais que alimentam as transformações momento em que um sistema econômico passa a expor os seus problemas e assam a refletir e lutar por novas formas de ordenação que possam se s. Marx fala da sociedade que é influenciada por meio socio econômicos.


A NOVA CON SOCIE Estamos acostumados com a

internet, sabemos como ela participa do nosso dia a dia e como influencia as gerações, mas além disso, deu uma nova condição a sociedade, objeto de estudo da sociologia e antropologia, mas não é de hoje que isso acontece. Desde os primórdios o homem se organiza em sociedades, indivíduos que vivem em conjunto e de forma organizada. Sabemos também que a sociedade esta sujeita a condições que o estado nacional limita, o que caracteriza um espaço geográfico. Mas atualmente, com os avanços tecnológicos essa sociedade se expande além do estado, pessoas de diferentes lugares do

6

mundo se conectam, partilhando de suas culturas, muitas vezes saindo das condições dadas pela sociedade em que esta inserida, se desconectando do local geográfico onde vive ou até acrescentando a ele. E então, nesse ambiente onde se expande as fronteiras entre o global e o local, mesmo ainda estando nos primeiros passos da “era da informação” traz muitas expectativas e receios, partindo para um ambiente ainda amorfo para a sociologia. Então como analisar este processo? Isso faz com que esse objeto de estudo da sociologia e da antropologia tome novas formas, sendo preciso reinterpretar o que até agora os sociólogos analisaram como sociedade


NDIÇÃO DA EDADE Por Filipe Borges

fechada do estado nacional, onde, segundo Max Weber, o estado deveria ter o controle social. A partir daí é preciso aceitar essa globalidade e ter uma visão cosmopolita, analisar a sociedade com uma experiência cultural “desterritorializada”, pois foi de certa forma, eliminada a barreira do espaço. Uma sociologia cosmopolita vê o globo como uma reunião de culturas distintas e separadas, por isso temos de saber que isso não é uma evolução que abrange cunho global. Atualmente, apenas 35% da população mundial tem acesso à Internet. Segundo a União Internacional de Telecomunicações (UIT). Coisa que está se alterando rapidamente. Assim,

estamos analisando onde a internet instaurou-se e fez sua “revolução”. A internet surgiu mudando a forma de organização de sociedade, de tal forma que é diretamente comparável a revolução dos transportes que ocorreu no século XIX, ou seja, o transporte ferroviário, o veículo sobre trilhos que permitia transportar passageiros e bens a grandes distancias, em tempo relativamente curto e preços mais baixos. Os investimentos em ferrovias possibilitaram integração e desenvolvimento entre alguns países. Expandindo mercados, promovendo a função econômica de integração entre sociedades que produzem bens


diferentes entre si. No momento em que se instaurou uma rede ferroviária, passou a existir um sistema,houve uma revolução. Com a Internet não foi diferente, um sistema técnico global que, sendo o fundamento dos mercados de capital e da produção, assim como da política e inclusive de novas formas de vida cotidiana, cria novas condições para a sociedade. As pessoas daquela época estavam para as ferrovias exatamente como nós estamos para a atual Internet. Ludwig Bornes, um jornalista e satirista alemão escreveu em uma carta no século XIX, em Paris: “Que bom será quando nós tivermos estrada de ferro, pois eu poderei viajar de Berlim, a Paris em 24 horas” – imagine! Mas na época da carruagem, isso significou um desenvolvimento enorme – “se eu embarcar de manhã, no dia seguinte

estarei tomando chá com você”. Nesse pensamento é que estava depositada toda a expectativa da população na época. A internet, favorece a liberdade política, inclusive no sentido de dar uma autonomia ao indivíduo frente as grandes forças políticas, pois o Estado já não tem condições de ordenar essa selva de informações, estimase que a quantidade de informações produzidas na internet entre 1986 a 2007 tenha sido 296 exabytes. Para se ter noção, isso armazenado em CD-s formaria uma pilha que chegaria até a lua. A exigência do controle estatal morre no vazio e a economia, no geral, depende da internet, de modo que a anarquia da Internet acabaria gerando um enorme fortalecimento da democracia. Internet corresponde à revolução do transporte da estrada de ferro; no lugar da revolução industrial, temos as

Que bom será quando nós tivermos estrada de ferro, pois eu poderei viajar de Berlim a Paris em 24 horas.


indústrias de chips, ou seja, as White collar industries, que já não poluem, que já não trasformam grandes quantidades de matéria-prima nem consomem grandes quantidades de energia. Também com a Internet, temos um outro setor do capital, no qual mesmo os mais modestos se arruínam como daytraders ou procuram tornar-se milionários, investindo em future bonds ou coisa que o valha, e isso 24 horas por dia e sem sair de casa, pois ficam diante do computador, comprando e vendendo essas coisas. Portanto, nesses desenvolvimentos, nós temos paralelos com o século XIX, visto que agentes muito parecidos atuaram efetivamente numa transformação social. Como os fundamentos da sociedade vão mudando cada vez mais rápido vão surgindo novas concepções e teorias a respeito. Tendo em vista que ainda estamos nos primeiros passos da “era da informação”, ainda há muitos avanços por vir, ainda temos muitos questionamentos sobre onde esses avanços podem chegar, e até onde isso será benéfico.

9


CONECTI Por Beatriz Pollyak

Definição Conectividade pode ser definida como a capacidade de se conectar, a algo ou a alguém nesse caso vamos focar na internet. Atualmente as redes sociais são globalmente conhecidas, com o avanço da tecnologia está se tornando cada vez mais no ter acesso a elas. Mas até onde vão as consequências dessas novas sociedades? Com a vida corrida do dia a dia ter conectividades pode ser muitas vezes a salvação de alguns problemas. Whatsapp, Wechat, SMS são claros exemplos de rápida e efetiva comunicação.

Aplicabilidade Facebook, Twitter, Tumblr são exemplos de que todo tipo de comunicação tem seus prós e contras. Pelo lado bom podemos destacar a rápida comunicação e o fácil acesso a informações, por outro não tão bom a alta exposição e acesso a falsas informações. Entre outras coisas a conectividade veio com intuito de melhorar a vida de quem á tem, não só para as pessoas que procuram uma distração de seus problemas, mas também para aquelas que a usam para negócios, um claro exemplo disso e a entrevista de emprego que hoje em dia já e feita pela internet. E você, o que acha da conectividade de hoje ?

10


IVIDADE


MUDANÇA

COMPOR foi realizada uma matéria na revista Super Interessante na qual diziam que a interação social com o advento da internet era extremamente benéfica, pois aumentava o campo de comunicação das pessoas, trazendo mais ferramentas. “Se a internet tem algum impacto nas interações sociais, ele é positivo. Para a maioria das pessoas, ela é uma extensão da vida em todos os seus aspectos”, diz o sociólogo Manuel Castells, da Universidade da Califórnia, Estados Unidos, no livro The Internet Galaxy (A galáxia internet, inédito no Brasil, 2002). Temos que levar em conta o fato de que a internet não possuía a abrangência que tem atualmente. Para se ter uma ideia, em 2002, 569 milhões de pessoas tinham acesso

Não

é novidade dizer que os avanços tecnológicos das últimas décadas afetaram profundamente a sociedade. Mas será que todas as mudanças são igualmente positivas? Nesta matéria serão expostos os dois lados da moeda, mas focando nas mudanças comportamentais causadas pelo advento da internet A vida social já não é a mesma depois da internet. Uma pesquisa foi realizada por nós, com 151 pessoas, tirando a margem de erro podemos concluir que grande parte das pessoas passam mais de 5 horas online e a maioria pelo computador. Ou seja, isso mostra que grande parte das pessoas passam bastante tempo conectadas. Há mais ou menos 11 anos atrás

12

pr em ex se

de te po


AS

RTAMENTAIS a computadores, o que equivale a 9.1% da população mundial. Agora em 2013 esse número passou para mais de 2 bilhões de pessoas, estima-se que até o final deste ano, 40% da população mundial estará conectada. Por um lado, a internet trouxe muitos benefícios, como por exemplo: comodidade, horas de lazer, interação com quem está longe e também um meio de socialização

ra quem possui dificuldades m se relacionar. É neste ponto que podemos encontrar divergências, pois tudo em xcesso pode sim afetar negativamente o cotidiano das pessoas; A comodidade, a ensação de prazer e segurança que encontramos na internet pode levar ao vício. Podemos fazer tudo com um simples toque, essa facilidade nos eixou acomodados, preguiçosos, dependentes. Se em 11 anos a ecnologia foi de algo positivo para algo que pudesse desencadear onto negativos... O que acontecerá nos próximos 11 anos?


CONECTADOS Fizemos uma pesquisa online com pessoas de 13 a 52 anos. Confira abaixo o resultado:

Utilizam a internet para..

2

5

passam

42 %

divers茫o

26% falar com

e let

r么 n i c o s m a i s u s

69%

os amigos

computador

21%

estudar

5% trabalhar 14

a

s o d

5%

t


151 pessoas responderam

Ainda assim

28%

5

46%

5

Apenas

2%

m mais de

leu mais de livros esse ano

30min

horas

por dia utilizando a internet

tablet 26 % smartphone

40%

têm medo de perder perder algo como um evento, notícias ou atualizações de status importantes se não ficarem de olho nas redes sociais.

36%

deixaria de fazer alguma coisa ou sair com alguém


GERAÇÃO XY A tualmente é comum de se ver crianças carregando Tablets,

Smartfones e iPods ao invés de brinquedos simples – como peões, jogos de tabuleiro e até bonecos –, por conta de tais tecnologias estarem presentes em seu cotidiano e por possuírem grande facilidade de utilização. A popularização da internet ocorreu gradualmente e a familiarização do público infantil também, chegando a enfrentar o que podemos chamar de escala de utilização – adultos, adolescentes e depois para as crianças. Esta nova geração é chamada de Y, Z.. Sempre haverá mudanças culturais de diversão para os pequenos adultos, é algo natural. Por exemplo, há

16

pouco tempo atrás, as brincadeiras ao ar livre eram indispensáveis para que as crianças se sentissem entretidas. Já atualmente, graças aos rápidos avanços tecnológicos ao redor do mundo, estas crianças cercadas de informações descobriram na internet, um lugar em que se pode exercer livremente a curiosidade e ainda aprender tudo sobre as novidades impostas. Na década de 90, a chegada da internet e das novas tecnologias trouxe fortes mudanças comportamentais, naquele momento uma nova geração surgiu, e que presenciou de perto


a arrancada do mundo digital. E-mails, ferramentas de busca e, principalmente, a possibilidade de interação com outras pessoas sem sair de casa. Formava ali a Geração Y (ou Millennials) que tem como característica ser mais egoísta e autocentrada, porém, ironicamente gosta de compartilhar informações pelas redes sociais. Além disso, essa geração é adepta da rapidez e da instantaneidade. A partir da Y, surge uma nova geração, conhecida por Z (os Digital Natives, ou “nativos digitais” como destaca o publicitário André Oliveira – diretor de Trending, Mapeamento e Análise de Tendências da Box 1824.) Ela pode ser vista como uma intensificação da Y, porém com pequenas características próprias, que podem ser vistas como uma amplificação de alguns comportamentos. “A Geração Z é mais voltada para os games, já que são indivíduos que acompanharam, de certa forma, o forte desenvolvimento dessa indústria nos últimos anos. Ou seja,

esses indivíduos se acostumaram com a lógica dos games, que é muito disseminada na vida deles. Além disso, a competitividade e a colaboração são valores fortes no mundo dos jogos eletrônicos, sendo incorporado no cotidiano dessa geração, que está mais interessada em ‘estar’ do que, efetivamente, em ‘ser’(...) Alguns comportamentos podem estar associados aos jovens, mas outros são sentidos também por outras gerações, como, por exemplo, o Phantom Phone Vibrations, que é a sensação de sentir o telefone vibrando, ou a de que ele pode vibrar a qualquer momento, gerando também um sentimento de ansiedade de estar sempre atento” Apesar do convívio precoce com a tecnologia ser benéfico quanto à aguçar a curiosidade, a absorção de conteúdo e a instantaneidade, as novas gerações podem estar sujeitas a um estresse absurdo e imperceptível, além de certa dependência vital da tecnologia. Estabelecidos os pontos

negativos do excesso tecnológico, os pais, nascidos na geração X, há de manterem o controle sob a criança, mas sem isolá-la do mundo Z em que nasceram. Segundo Teresa Ruas, especializada em desenvolvimento infantil, “negar o convívio e o aprendizado das crianças com os atuais recursos tecnológicos (...) não é aconselhado. Saber lidar com estes recursos faz parte do rol de habilidades e competências que a criança contemporânea deve desenvolver”.

AT&T


REFERÊNCIAS • Sociologia Clássica Disponível online em http://www.slideshare.net/ alisonunes/a-sociologia-de-maxweber Disponível online em http://www.slideshare.net/ profalivia/os-trs-pais-da-sociologia

• A nova condição da sociedade

Disponível online em http://oglobo.globo.com/ciencia/ total-de-informacao-armazenadapela-humanidade-formariapilha-de-cds-ate-depois-dalua-2826495 BECK, Urich. Liberdade ou Capitalismo. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

•Conectividade

Disponível Online em http://www.danielimamura.com. br/index.php/analista-de-midiassociais/ Disponível Online em http://www.dicio.com.br/ conectividade/

• Mudanças comportamentais

CASTELLS, Manuel.The Internet Galaxy, Oxford University Press, 2001 Disponível online em http://super.abril.com.br/ tecnologia/internet-10-anosabalaram-mundo-443350.shtml

• Infográfico Pesquisa autoral

• Geração XY Disponível online em http://redeglobo.globo.com/ globociencia/noticia/2013/10/ veja-caracteristicas-que-marcamgeracoes-baby-boomer-x-y-e-z. html


Com o apoio de:

Cogitáre - Revista Digital  

Revista Digital - Cogitáre Uma nova maneira de ver a sociedade.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you