Issuu on Google+

centro de referência comunitária

VÓ ISOLINA apresentação Este é um projeto independente elaborado em decorrência de um diagnóstico e anteprojeto arquitetônico, realizados através de metodologia participativa, em conjunto com a comunidade da Vila de Nossa Senhora dos Remédios de Mogol, ou Vila do Mogol, entre agosto de 2013 e março de 2014. O Centro de Referência Vó Isolina é um espaço para servir à comunidade da Vila do Mogol, incentivando e dando suporte à sua organização, assim como ao desenvolvimento de um turismo consciente e comunitário.

A VILA DO MOGOL localização

A Vila do Mogol se localiza na área rural do Distrito Sede do município de Lima Duarte, na Zona da Mata mineira. O município possui uma posição estratégica, por estar a 300km de Belo Horizonte, a 251km do Rio de Janeiro e a 60km de Juiz de Fora, pólo regional. Está a 728m de altitude com terras na Serra da Mantiqueira e nos Planaltos e encostas Dissecadas do Leste de Minas. A população de Lima Duarte corresponde a pouco mais de 16 mil habitantes, sendo que na zona rural estão 14,7% desta população. A Vila do Mogol se situa a aproximadamente 20 km do perímetro urbano de Lima Duarte. A via de acesso é precária, com estrada de terra e alguns trechos com inclinação considerável, que dificultam o acesso de veículos. A via acompanha um ribeirão por um vale na base da encosta da Serra do Ibitipoca, onde o núcleo urbano está inserido.

situação atual histórico Lima Duarte é um dos povoados mais antigos de Minas, com referências datadas de 1692. Sua origem é semelhante à de muitas outras cidades mineiras, com estabelecimento de colonos e comerciantes a beira das estradas que davam para as minerações, onde se formou um núcleo que posteriormente se desenvolveu dando origem ao município. Apenas em 1884, Lima Duarte passa à categoria de cidade. Mas o apogeu do ouro não teve grande duração, tendo as reservas auríferas se esgotado. Três ou quatro décadas depois, a população dedicava-se à pecuária e à lavoura do café e da cana de açúcar, atividade econômica que perdurou ate os fins do século passado. O povoado de Mogol tem sua origem na exploração do ouro no século XVIII. A existência do povoado já era mencionada em 1780, no relatório do Cabo de Esquadra José Delgado Motta, que relaciona posseiros em torno de seus ribeirões. A sua primeira capela data do inicio da povoação, substituída, em 1885, por outra igreja, hoje em dia tombada pelo Conselho Deliberativo Municipal de Patrimônio Cultural de Lima Duarte e principal referência da Vila do Mogol.

O Centro de Referência Comunitária Vó Isolina surgiu como resposta à necessidade de se afirmar e m a te r i a l i z a r o s c o n c e i to s d e comunidade, identidade, de reunião e união dos moradores do Mogol. Coloca-se como uma forma de se incentivar a organização comunitária, garantindo assim, a participação dos moradores nos espaços democráticos existentes e nas decisões políticas relacionadas à realidade local. A população organizada passa a ter um papel ativo nas políticas públicas, cobrando e realizando atitudes que garantam seus direitos.

o centro de referência comunitária

Hoje, Lima Duarte tem como principal atividade econômica a agropecuária, porém com olhos e esforços voltados para o turismo, devido ao seu patrimônio cultural vasto e significativo e de seu patrimônio ambiental, que conta com montanhas, cachoeiras, grutas, fauna e flora. Por outro lado, a topografia acidentada restringe a maior parte da produção agropecuária na Região dos Vales e Morros, uma região de menores altitudes localizada mais ao centro do município, e que compreende também o entorno da Vila do Mogol. A Região dos Vales e Morros, atualmente, não conta com equipamentos turísticos e não conta com rotas e planejamento turístico direcionados especificamente para esta região. Atualmente, vemos acontecer nesta região remanescências do êxodo rural, pela falta de equipamentos públicos e de serviços, de oportunidades de emprego e acesso dificultado. Alguns povoados já estão abandonados, como o povoado de “Grota Funda”, e outros já se vêem ameaçados ao abandono, como é o caso da Vila do Mogol, onde a população hoje gira em torno de 20 pessoas, ou 7 famílias.

VÓ ISOLINA

Considerando o potencial turístico do entorno da Vila do Mogol, o Centro de Referência pretende também incentivar o turismo comunitário, funcionando como ponto de informações e serviços turísticos, gerando empregos e renda. Dessa forma, cria-se uma alternativa ao êxodo rural recente e abandono de vilas rurais, oriundos também da falta de oportunidades para os jovens da região. Além disso, pretende-se que a organização e administração do Centro de Referência sejam realizadas pela própria comunidade, reforçando a idéia do mesmo como instrumento de melhorias comunitárias. Ao unir o turismo e a organização comunitários, o Centro de Referência evita o turismo predatório e agressivo, assim como os efeitos negativos da valorização da área, como a remoção branca de antigos moradores. Dessa forma, valoriza-se a cultura local, e incentiva-se que a renda gerada permaneça entre os moradores, e se converta em melhorias para a vida comum.


o centro de referência comunitária

VÓ ISOLINA projeto arquitetônico

O Centro de Referência Comunitária Vó Isolina reaproveita a antiga escola da Vila do Mogol, atualmente desativada. Seu projeto foi elaborado com a participação da comunidade e sua execução está sendo realizada através de mutirões. O novo espaço contempla uma recepção, salão multiuso, cozinha-escola, arquivo, biblioteca, banheiros de apoio e salas para reunião. Sua reformulação irá contar com a troca do telhado atual de fibro-cimento por um telhado cerâmico, proporcionando maior conforto térmico. Além disso, algumas paredes serão demolidas e construídas, adequando o espaço ao novo programa. O projeto visa também valorizar a sabedoria popular dos construtores da região, incentivando o uso das técnicas passadas de pai para filho.

N

a auto-gestão do espaço Neste projeto, prioriza-se a opinião e participação da comunidade em todas as fases do processo. Esta ação visa criar um sentimento de pertencimento na população local pelos produtos que serão gerados. Desta forma, no futuro, a comunidade se sentirá responsável pela continuidade do trabalho e por zelar por seu próprio território, tendo então instrumentos e conhecimento neste sentido. Em consonância com a proposta inicialmente colocada, o grupo formado por equipe técnica e comunidade chegou à conclusão que a própria população, sendo responsável pela Vila, trabalhará se auto-gerindo, tendo como núcleo e base o Centro de Referencia Comunitária Vó Isolina, um dos produtos deste trabalho. Para garantir que a população esteja preparada para gerir o Centro de Referência, será necessário um trabalho de capacitação intensiva em algumas áreas de atuação, como administração, serviço social e turismo.

orçamento quantidade

item

preço

Areia fina

R$

item

assoalho varanda

TOTAL

R$ 3.225,00

Material de papelaria

Areia grossa

Bolsa Arquiteto 20horas

Areia média

Impressõess

escada varanda

Cimento

R$

Brita

R$

Cal

R$

Tijolo furado

R$

Tijolo maciço

R$

Pedra de Cantaria

R$

Ferragem

R$

Chapéu para manilha 4 polegadas

R$

TOTAL

R$ 440,00

Transporte - Mutirão

esquadrias

TOTAL

R$ 4.460,00

instalações elétricas

TOTAL

R$ 1.174,30

item

TOTAL

R$ 2.260,20

quantidade

preço

R$

Manilha cerâmica 4 polegadas x 0,60m

R$

Tinta azul interna

3 Galões 3,6L

R$

135,00

Prego

R$

Tinta branca externa

6 Galões 3,6L

R$

270,00

Vidros

R$

Tinta branca interna

1 Lata 18L

R$

159,00

Forno metálico

R$

Revestimento cerâmico

8m²

R$

96,00

materias gerais

TOTAL: R$

3.676,15

1 Galão 3,6L

R$

45,00

revestimento paredes

TOTAL: R$

R$

180,00

18un

R$

21.600,00

-

R$

300,00

6 un.

R$

3.000,00

TOTAL:

quantidade

R$ 25.080,00

preço

Telha cerâmica

4275 un.

R$

6.412,50

Madeiramento

-

R$

9.853,65

telhado

Chapa fogão

Tinta azul externa

preço

-

assistência técnica item

instalações hidráulicas

quantidade

valor total:

TOTAL:

R$ 16.266,15

R$57.286,80 total com doações: R$42.735,20

705,00

MUTIRÃO DE ABRIL . demolições . fundação da varanda . construção da base da varanda .

MUTIRÃO DE MAIO . construção do telhado da varanda . destelhamento telhado principal . demolições . finalizar base da varanda

MUTIRÃO DE JUNHO

cronograma

. construção da rampa . construção do telhado principal .

MUTIRÃO DE JULHO . construções alvenaria . instalações hidráulicas . instalações elétricas . esquadrias .

MUTIRÃO DE AGOSTO . revestimento interno . piso. assoalho . escada externa .

MUTIRÃO DE SETEMBRO . pintura . acabamentos .

contato Para maiores informações e contato: gabriela de morais . marina annes . paulo stuart (32) 88065987 . (32) 91308000 . (32) 88257467 praticaarquitetura@gmail.com


Centro de Referência Comunitária Vó Isolina