Page 1

MAIS

VIVA

SAÚDE + BELEZA + QUALIDADE DE VIDA

www.maisviva.com.br

Julho 2013

PIMENTA

a mais nova arma contra enxaqueca

Entrevista Especial

Blogueira Mimis conta como perdeu 33 Kg em 10 meses

PILATES Corpo malhado sem musculação

MAQUIAGEM

SONO

Aprenda a higienizar o rosto

Os benefícios de dormir bem


MAIS

VIVA

Shutterstock

Viver com saúde e qualidade de vida, consumindo alimentos saudáveis e praticando atividade física passou a ser um objetivo e uma busca constante do ser humano. Apesar da correria do dia-a-dia, precisamos investir em nós e buscarmos a felicidade. Ser MAIS VIVA é isso, é sentirse bem, sentir-se bonita, leve, valorizada e amada.


09

23

15

18 26 28 08

10

4

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA


Cuidar 06 Tempo frio exige mais cuidados com a pele 08 Cabelos com luzes 09 Higienização antes da maquiagem

Alimentar 10 Pimenta: a mais nova arma contra a

enxaqueca 14 Oito benfícios da maçã 15 Razões para não excluir o pão da sua dieta 16 Infográfico: A importância das cores na alimentação

Bem-estar 18 Entrevista Especial: blogueira Mimis

conta como perdeu 33 Kg em 10 meses

Movimentar 24 Pilates: corpo malhado sem musculação 26 Força no pedal

Bem-viver 28 Dormir bem MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

5


Cuidados com a pele Tempo frio exige mais

Por Carolina Maris

A

quele banho quente e demorado depois de um dia tenso de trabalho é relaxante e irresistível nos dias frios, mas, por outro lado, pode ressecar a pele e contribuir para o surgimento da dermatite seborréica, a caspa. Algumas dicas para manter a pele saudável mesmo no frio são diminuir o tempo e a temperatura da água, abusar do hidratante, tomar bastante líquido e continuar aplicando o protetor solar, já que os raios ultravioletas UVA estão presentes em qualquer estação. No entanto, a maior preocupação deve ser mesmo com o banho quente, que é o inimigo número 1 da pele e do cabelo, maltratando até as unhas, que ficam mais quebradiças. O banhoquente estimula a oleosidade no couro cabeludo e origina a caspa, temida por todas as mulheres. “A água quente também resseca o comprimento do fio e isso pesa mais para quem tem química no cabelo, como tintura ou escova progressiva”, explica a médica do Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas (HC), Karin Helmer. Para não ficar com aquele cabelo escorrido, pesado e com a aparência de que está sujo, ela orienta tomar banhos mais

6

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA


Shutterstock

Cuidar

rápidos e com água morna e evitar os xampus de tratamento, como o anti-frizz. “Esses produtos têm muito silicone e fazem uma superhidratação na raiz, deixando o cabelo oleoso. O ideal é usar um xampu neutro ou de uso frequente e condicionador só no comprimento do cabelo, independentemente do tipo de cabelo, seja seco ou oleoso”, recomenda. Já a dermatologista da Paraná Clínicas, Cristhiane Likes Mischiatti, lembra que os xampus ideais são os hipoalergênicos, pois os que contêm álcool causam desidratação. “A temperatura e o vento frio por si só descamam a pele que é prejudicada ainda mais com os banhos quentes”, explica. Sabonete neutro e hidratante no pós-banho são fundamentais para manter a pele saudável. No frio, as áreas do

corpo que merecem mais atenção são as dobras, como virilha, axila, cotovelos e entre os dedos. Se você sentir que a pele repuxa, o sabonete está agredindo a sua pele e causando o chamado “efeito rebote”, retirando em excesso a oleosidade natural da pele. Para compensar, as glândulas produzem mais sebo. Quem tem pele seca, deve evitar lavar o rosto com sabonetes, mas cremes de limpeza estão liberados. Aliás, hidrante é sempre indicado, seja em creme ou loção. Os melhores são aqueles que contêm ureia em sua fórmula, segundo Karin. Quem tem pele oleosa, pode comprar hidratantes oil-free. No frio, doses generosas de creme são recomendadas. “Pode passar bastante hidratante nas mãos e pele em geral. O ideal é aplicar todos os dias, principalmente

após o banho”, diz Cristhiane. Quem usa mais água, como donas de casa e cozinheiras, deve sempre usar um hidratante após cada lavada. “O detergente deixa as mãos ressecadas”, explica Christiane. Já quem tem o hábito de lavar as mãos com frequência, deve carregar um tubinho de creme na bolsa. Por sua vez, óleos corporais perfumados não têm muito efeito. “O óleo é fácil de espalhar, mas não faz hidratação profunda. Ele não consegue penetrar e não ajuda nada”, diz Karin. Também é importante tomar bastante líquido para eliminar as toxinas. “Em média, devemos tomar dois litros por dia. Beber água ainda melhora a incidência de celulite”, diz. Protetor solar é outro produto fundamental, pois mantém a pele saudável e hidratada, principalmente no rosto. MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

7


Cabelos Luzes

Shutterstock

com

Alguns cuidados importantes para deixar os cabelos loiros sempre brilhosos e bem hidratados Por Eduarda Quadros

D

eixar os cabelos loiros já passou pela cabeça da maioria das mulheres, seja com luzes, mechas, californianas, balaiagem. O tom realça a beleza feminina e chama a atenção, mas manter um cabelo clareado saudável exige trabalho. O dermatologista Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo, explica que todo processo de descoloração é agressivo.”Todas as cutículas do cabelo são abertas e têm as suas moléculas de melanina hiper oxigenadas durante a tintura”, afirma. Por isso, as mechas merecem cuidados redobrados. Antes da descoloração, o ideal é fazer uma hipernutrição do fio e aproveitar a ida ao salão para aparar as pontas. Fazendo isso, você já minimiza bastante os danos.

8

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

Hidratar sempre! É recomendável fazer uma hidratação profunda no salão a cada 30 dias para repor as proteínas e os aminoácidos, além de reconstruir partes danificadas. A cada 15 dias, uma alternativa prática são hidratações feitas em casa, que complementam a hidratação do salão. Usar um condicionador ácido, que neutraliza o pH mais alcalino do cabelo descolorido, alterado pelo pó descolorante e a água oxigenada. Evitar secadores e chapinhas é um bom caminho para a preservação da fibra capilar. Mas se não conseguir fugir completamente deles, passe antes um bom protetor térmico. No dia a dia, aplique sérum. Além de proteger os fios das agressões ex-

ternas, ele dá brilho, mantém a cor radiante e ainda nutre os cabelos. Use e abuse dos cosméticos com silicone. Eles formam um filme protetor ao redor do fio evitando que ele seja ainda mais agredido. Além disso, deixa o toque macio e dá um brilho relativamente incrível. Tratamentos como cauterização e queratinização também são muito eficazes para a restauração e manutenção do brilho dos cabelos com mechas, além de fortificá-los com a ajuda dos agentes reconstrutores. Na hora da praia e piscina, proteja os fios ao máximo com o uso de protetor solar capilar e barreira física, como chapéus e guarda-sol.


Cuidar

Higienização antes da 2

Maquiagem T

odas as mulheres desejam estar sempre bonitas, e para isso usam diversos cosméticos, como maquiagens, cremes, etc. Entretanto, poucas costumam tomar todos os cuidados necessários, que não se resumem apenas a tirar a maquiagem antes de dormir. É fundamental higienizar a pele também antes de se maquiar. Um dos problemas mais temidos quando se faz maquiagem, é ficar com os poros dilatados. Eles retêm a maquiagem e o rosto fica com uma aparência envelhecida. Evitar que isso aconteça é muito simples, basta higienizar a pele antes. Pode parecer um pequeno detalhe, mas fazer a maquiagem com a pele limpa dá uma grande diferença no resultado, ela irá durar por mais tempo e ficará

Por Ana Maria

muito mais bonita. Antes de escolher os produtos para higienizar, é importante saber qual o seu tipo de pele, para não acabar agravando problemas como oleosidade ou ressecamento. Além de usar hidratante antes de se maquiar, tente reaplicá-lo durante a manhã e a tarde nos finais de semana. Quanto mais hidratante você usar, mais macia e saudável será a sua pele. Viver uma vida saudável também irá ajudar a ter uma pele bonita. Evite o cigarro, bebidas em excesso, e durma sempre o suficiente. A maioria dos dermatologistas afirma que é indispensável ter pelo menos 8 horas de sono por noite para ter uma pele saudável e com aparência jovem.

3

4

Compre um produto de limpeza facial adequado para a sua pele, sem álcool e suave. Procure por produtos de limpeza que tenham ingredientes simples e que não irão danificar a sua pele.

Se sua pele é seca, procure um produto com pH baixo (4 ou 5). Se sua pele é oleosa ou com acne, escolha um produto com pH mais alto (6 ou 7). Isso vai ajudar a sua pele a eliminar as bactérias.

Shutterstock

1

Lave a pele do rosto e pescoço suavemente. Faça pequenos movimentos circulares, comece no pescoço, e depois vá para o rosto. Não se esqueça da testa e dos pontos na frente das orelhas.

Lave o rosto e o pescoço completamente, até que nenhum resíduo de sabão permaneça.

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

9


Pimenta

a mais nova arma contra enxaqueca por Edson Arantes

10

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA


Alimentar

produz medicamento à base de pimenta com este objetivo. Para testar a tese, os pesquisadores injetaram o medicamento sob a pele de voluntários. O resultado foi o bloqueio de um vasodilatador, que promove o aumento do fluxo sanguíneo, amenizando o incômodo. Até o momento, não existem remédios capazes de evitar ou curar a enxaqueca, apenas paliativos que atuam na diminuição da dor quando ela se instala. O tratamento mais moderno para a doença inclui o triptano, que contrai os vasos sanguíneos para aliviar a dor e o inchaço, mas ele não evita que surjam novas crises e só pode ser administrado em pacientes que já sofrem com o problema. A aplicação de toxina botulínica nas têmporas também já é utilizada como prevenção para enxaqueca, mas só é indicada em casos graves.

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

11

Shutterstock

A

dor de cabeça já se tornou sua companheira diária? Conhecido como enxaqueca, o problema persistente e incômodo pode ter sua solução na cozinha. De acordo com pesquisadores da Universidade da California, o óleo de pimenta é capaz de amenizar a dor de cabeça quando entra em contato com a pele das têmporas. Presente na pimenta, a capsaicina é responsável pelo efeito benéfico e pode estar presente em medicamentos para evitar e tratar o problema. A descoberta já está sendo transformada em medicamentoEm teoria, a enxaqueca é causada pela dilatação dos vasos sanguíneos. Sendo assim, bloqueando um receptor cerebral, relacionado com a mensagem de dor de cabeça, seria possível amenizar e até mesmo tratar a enxaqueca. Uma empresa farmacêutica já


Pesquisadores do mundo todo não param de descobrir que a pimenta, tanto do gênero piper (pimenta-do-reino) como do capsicum (pimenta vermelha), tem qualidades farmacológicas importantes. Segundo o médico homeopata Marcio Bontempo, autor do livro Pimenta e seus Benefícios à Saúde, além dos princípios ativos capsaicina e piperina, o condimento é muito rico em vitaminas A, E e C, ácido fólico, zinco e potássio. Tem, por isso, fortes propriedades antioxidantes e protetores do DNA celular. Também contém bioflavonóides, pigmentos vegetais que previnem o câncer.

“Óleo é capaz de reestabelecer o fluxo sanguíneo na região afetada” Graças a essas vantagens, a planta já está classificada como alimento funcional, o que significa que, além de seus nutrientes, possui componentes que promovem e preservam a saúde. Hoje ela é usada como matéria-prima para vários remédios que aliviam dores musculares e reumatismo, desordens gastrintestinais e na prevenção de arteriosclerose. Apesar disso, muitas pessoas ainda têm receio de consumi-la, pois acreditam que possa causar mais mal do que bem. Se você é uma delas, saiba que diversos estudos recentes têm revelado que a pimenta não é um veneno nem mesmo para quem tem hemorróidas, gastrite ou hipertensão. Como tudo na vida, é necessário que o nosso consumo seja consciente. Se ingerimos pimenta em demasia provavelmente teremos efeitos que em nada se assemelharão a benefícios.

12

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

OUTRAS DOENÇAS QUE A PIMENTA CURA E PREVINE BAIXA IMUNIDADE A pimenta tem sido aplicada em diversas partes do mundo no combate à aids com resultados promissores. CÃNCER Pesquisas nos Estados Unidos apontam a capacidade da capsaicina de inibir o crescimento de células de tumor maligno na próstata, sem causar toxicidade. Outro grupo de cientistas tratou seres humanos portadores de tumores pancreáticos malignos com doses desse mesmo princípio ativo. Depois de algum tempo constataram que houve redução de 50% dos tumores, sem afetação das células pancreáticas saudáveis ou efeitos colaterais. Já em Taiwan os médicos observaram a morte de células cancerosas do esôfago. DEPRESSÃO A ingestão da iguaria aumenta a liberação de noradrenalina e adrenalina, responsáveis pelo nosso estado de alerta, que está associado também à melhora do ânimo em pessoas que estão bem deprimidas. ESQUISTOSSOMOSE A cubebina, extraída de um tipo de pimenta asiática, foi usada em uma substância semi-sintética por cientistas da Universidade de Franca e da Universidade de São Paulo. Depois do tratamento (que tem baixa toxicidade e, por isso, é mais seguro), a doença em cobaias foi eliminada. FERIDAS ABERTAS É anti-séptica, analgésica, cicatrizante e anti-hemorrágica quando o seu

pó é colocado diretamente sobre a pele machucada. GRIPE E RESFRIADOS Tanto para o tratamento quanto para a prevenção dessas doenças, é comum recomendar a ingestão de uma pequena pimenta malagueta por dia, como se fosse uma pílula. INFECÇÕES O alimento combate as bactérias, já que tem poder bacteriostático e bactericida, e não prejudica o sistema de defesa ou imunológico. HEMORRÓIDAS A capsaicina tem poder cicatrizante e já existem remédios com pimenta para o uso tópico.. MALES DO CORAÇÃO A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos. Ela contém componentes anticoagulantes que ajudam na desobstrução dos vasos sanguíneos e ativam a circulação arterial. OBESIDADE Consumida nas refeições, ela estimula o organismo a diminuir o apetite nas seguintes, dando sensação de saciedade. Um estudo revelou que a pimenta derrete os estoques de energia acumulados em forma de gordura corporal. Além disso, aumenta a temperatura (termogênese) e, para dissipá-la, o organismo gasta muito mais calorias. As pesquisas indicam que cada grama queima 45 calorias, em média.


Alimentar

REUMATISMO, ARTRITE E ARTROSE Recomenda-se a aplicação de compressas quentes ou frias nas articulações, feitas com 250 gramas de pimenta vermelha socada e misturada a uma pasta de purê de inhame. Use uma vez ao dia até a melhora .

Shutterstock

MALES DO CORAÇÃO A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos. Ela contém componentes anticoagulantes que ajudam na desobstrução dos vasos sanguíneos e ativam a circulação arterial. PRESSÃO ALTA Como tem propriedades vasodilatadoras, ajuda a regularizar a pressão arterial. Quem coloca a pimenta no dia-a-dia está levando, além de tempero, uma série de medicamentos naturais: analgésico, antiinflamatório, xarope, vitaminas – benefícios que os povos primitivos descobriram há milhares de anos que agora estão sendo comprovados pela ciência. Uma pesquisa recém-concluída na Faculdade de Nutrição da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) comprovou que a pimenta diminui mesmo o risco de doenças cardiovasculares, maior causa de mortes no Brasil. Por duas semanas, um grupo de ratinhos recebeu, todos os dias, uma pequena dose de extrato de pimenta-dedo-demoça, a mais consumida no país. No fim do período, sangue foi coletado e comparado com o de ratinhos que não receberam a pimenta. O resultado impressionou os pesquisadores. “Nós tivemos uma redução bastante significativa, em torno de 45%, do colesterol total desses animais. Uma redução do colesterol total, tanto em humanos quanto em cobaias, mostra que há um risco menor do desenvolvimento de doença arterial coronariana ou aterosclerose”, diz a nutricionista da PUC-RS Márcia Keller .

RECEITA COM PIMENTA PImenta no Azeite de Oliva 1 xícara (chá) de azeite de oliva extravirgem 2 dentes de alho picados 1 colher (chá) de suco de limão pimentas selecionadas à sua escolha Retire as sementes e os talos das pimentas. Frite o alho no azeite até ficar levemente dourado. Coloque as pimentas em um vidro de

conserva, deixando um espaço livre de 2 cm. Aqueça 1 xícara (chá) de azeite a 300o C. Enfie o cabo de uma colher no meio das pimentas e abra um buraco. Despeje o azeite quente lentamente, para que penetre. Complete o pote com azeite até atingir 0,5 cm da boca e tampe bem firme. Deixe esfriar naturalmente. Conserve na geladeira.

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

13


Oito Maçã benefícios da

Por Carlos Eduardo

Previne problemas respiratórios

Segundo a revista Heath, comer pelo menos cinco maçãs por dia pode melhorar a função pulmonar. Provavelmente graças a um antioxidante chamado quercetina encontrada na pele de maçãs, cebolas e tomates, informou a BBC. E os benefícios para respiração não param por aí: um estudo de 2007 descobriu que as mulheres que comem muito dessa fruta são menos propensas a ter filhos com asma.w

Diminui o colesterol

Uma maçã média possui aproximadamente quatro gramas de fibra. Uma parte disso está na forma de pectina, um tipo de fibra solúvel que tem sido associada a redução dos níveis do colesterol ruim.

Mantém você saciado

A presença de fibras na maçã também faz com que ela deixe você saciado por mais tempo sem que precise consumir muitas calorias (95 em uma fruta média). O nosso corpo demora mais para digerir fibras complexas do que matérias simples como açúcar ou cereais refinados.

Ajuda a manter você magro

Um componente da casca de uma maçã, onde também se concentra a maior parta das fibras, é algo chamado ácido ursólico, que está relacionado a um risco menor de obesidade, segundo um recente estudo feito com ratos. Isso porque ele aumenta a queima de calorias e o desenvolvimento de músculos e massa magra.

Combate resfriados

Embora não chegue a ser tão eficiente quanto a laranja, a maçã é considerada uma boa fonte de vitamina C, que fortalece o sistema imunológico. Uma fruta média possui cerca de oito miligramas dessa substância, o que equivale a cerca de 14 % da ingestão diária recomendada.

Pode combater câncer

Diminui o risco de diabetes

Um estudo publicado em 2012 no American Journal of Clinical Nutrition descobriu que as maçãs, bem como pêras e amoras, estavam ligados a um risco menor de desenvolver diabetes tipo 2 por causa de uma classe de antioxidantes, antocianinas, que são também responsáveis ​​para pela coloração frutas e vegetais.

14

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

Melhora as funções cerebrais

Segundo o Good Housekeeping, a fruta tem sido associada a um aumento na produção de acetilcolina, que se comunica entre as células nervosas. Isso faz com que a maçã possa ajudar a memória e diminuir as chances de desenvolver Alzheimer.

Em 2004, uma pesquisa francesa descobriu que uma substância da maçã é capaz de ajudar na prevenção ao câncer de cólon. Um novo estudo, realizado em Cornell, EUA, em 2007, encontrou compostos adicionais, chamados triterpenóides, que parecem lutar contra o câncer de cólon, fígado e mama.


Alimentar

Razões para não excluir o

PÃO

da sua dieta

O

pão muitas vezes é visto como vilão, especialmente durante dietas. Porém, de acordo com o site Female First, a Federação das Padarias dos Estados Unidos lançou uma campanha que ressalta os benefícios do pão em nossa vida cotidiana. Apesar das calorias, esse alimento também aparece como uma ótima fonte de nutrientes. “Apesar de pão com um elevado teor nutricional, é muitas vezes a primeira coisa que eu vejo excluída das dietas

Shutterstock

Por Lucia Figueiredo

das pessoas quando eles querem perder peso. Embora a maioria das pessoas pense que pão é igual a carboidratos, ele, na verdade, também nos dá proteína, juntamente com uma grande variedade de minerais. Ela ainda possui cálcio, ferro, para não mencionar uma grande variedade de vitaminas e fibras”, defende a nutricionista Amanda Ursell. Segundo a especialista, há muitos mitos ao redor o consumo de carboidratos e do pão. Nos últimos anos o consumo

desse alimento vem caindo, enquanto os índices de obesidade aumentam. Apesar dos benefícios o pão é realmente calórico por isso deve ser consumido com moderação, mas não cortado da dieta. De acordo com a especialista, a variedade integral é a melhor opção, já que é mais fácil de digerir e possui carboidratos mais complexos, sendo ideal para quem quer controlar o peso.

Receita Saudável | Pink Sandwich - 1 lata de atum (pode usar sardinha também) - 2 colheres cheias de queijo cottage (pode usar uma de requeijão light se não tiver o cottage em casa) - 1 xícara de beterraba ralada - pimenta do reino moída (opcional) - 1 colher de sopa cheia de chia

Misture todos os ingredientes e use no seu sanduíche, torradinha, salada e o que mais você quiser inventar Utiliza-se 1/3 da porção no sanduíche É uma mistura super magra e deliciosa

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

15


16

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA


Alimentar

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

17


meses:

M

33

ichelle Franzoni, autora do ‘Blog da Mimis’, mudou o corpo e o estilo de vida com reeducação alimentar e exercícios. Com uma barriga digna de capa de revista e pernas com músculos definidos, Michelle Franzoni, de 35 anos, fica tímida ao posar de short e top para as câmeras. Em fotos recentes publicadas no Facebook e Instagram, mal dá para imaginar que Michelle saltou de um manequim 48 para 38 entre setembro de 2011 e julho de 2012.

18

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

quilos a menos Por Cristiane Tortoni

Tanto que, ao começar o processo de emagrecimento, nem ela acreditava que conquistaria curvas que virariam estímulo para outras mulheres. Michelle apostou em uma dieta balanceada combinada com exercíciosterapia e homeopatia para controlar a ansiedade e evitar o efeito sanfona. “Eu sabia que podia emagrecer, tinha certeza, mas sabia também que poderia voltar a engordar”, contou ela, que era acostumada a ganhar alguns quilos no inverno e correr para a academia.

Pedro Dias

10


Bem-estar

Você sempre foi gordinha ou teve algum momento na vida em que começou a ganhar peso? Michelle Franzoni: Sempre tive problema com a balança. Foi a vida inteira, desde criança. Eu tinha um corpo normal, nada espetacular, mas todo inverno eu engordava uns quilos e aí escondia embaixo da roupa, e no verão emagrecia um pouquinho, mas sempre tive gordura localizada. Mesmo quando emagrecia, nunca tive o corpo que tinha hoje. Olhava aquelas modelos, corpo de revista, e achava irreal. Nunca almejei ter porque pra mim as pessoas nasciam assim, né? Mas aí tive problemas emocionais e de estresse e engordei muito, mais de 30 kg em um ano. Foi muito rápido. Eu sempre fui muito descolada e enturmada, mas naqueles três anos eu sumi porque eu não me reconhecia. Sempre descontei minha ansiedade na comida, além de que minha cultura alimentar familiar era muito forte. Ninguém liga e fala “vamos dar uma volta?” ou “vamos passear?’. É sempre “vamos comer? Vem aqui em casa, tem churrasco”. Então eu cresci no meio disso. Quanto você pesava na época? Nessa época eu não sabia nem quantos quilos eu estava, porque eu não me pesava. Quando eu comecei a dieta, estava um pouco mais magra, com 98 kg, mas eu acredito que eu já tenha pesado uns 105 kg. Eu falo que emagreci a partir dos 98 kg porque foi o que eu pesei na balança. Agora eu tenho 65 kg para 1,70 de altura. Qual a parte mais difícil dessa fase? Nesses três anos que engordei muito foi muito ruim porque eu não me reconhecia no espelho. Uma coisa eu acho que é a pessoa sempre ter sido gorda e outra é a pessoa engordar de repente. Eu não me aceitava. Além dos problemas que eu tive externos, o ganho de peso

piorou tudo. Você entra no ciclo: você tem um problema e come, aí você engorda e continua com problema e come mais ainda. Virei aquela pessoa em um ano, que eu pensava: ‘quem é essa?’. Não tirava fotos. As fotos que eu tenho da época são durante uma viagem com a minha irmã. Eu batia foto dela e aí, por insistência, eu deixava ela tirar algumas minhas. E quando você decidiu emagrecer?. Eu estava em Paris, no auge do peso,

“Eu não só emagreci, mas mudei meu estilo de vida.” e comecei a emagrecer porque eu caminhava muito. Embora não tivesse mudado a alimentação, fazia exercícios. Quando eu cheguei no Brasil, me olhei e pensei “tô magra”. Nunca tinha me pesado mais. Subi na balança e ainda estava com 92 kg. Aí fiz uma dieta naquele meio tempo, fui para 85 kg, mas quando comecei a fazer minha tese de doutorado engordei tudo novamente. Quando eu cheguei no Brasil, me olhei e pensei “tô magra”. Nunca tinha me pesado mais. Subi na balança e ainda estava com 92 kg. Aí fiz uma dieta naquele meio tempo, fui para 85 kg, mas quando comecei a fazer minha tese de doutorado engordei tudo novamente. Em 2011, eu e meu marido começamos a pensar em ter filhos. Meu principal objetivo não foi só emagrecer, mas eu

queria ser a pessoa que eu era antes de engordar. Nunca achei que pudesse ter o corpo melhor, só que eu queria ter outro padrão alimentar. Seu marido te acompanhou na dieta? Ele entrou no ritmo também. Ele faz dieta para ganhar massa magra porque o metabolismo dele é muito rápido. Ele é magro e não engorda de jeito nenhum. Quando ele entrou na família era aquela comilança, mas aí eu falei que não era isso o que eu queria. Queria uma vida saudável, correr atrás das crianças, ter disposição. Hoje eu tenho 35 anos, não 20. Se você já é obesa com 30/40 anos, e começa uma nova família, como será? Como foi o processo de emagrecimento? Eu sabia que podia emagrecer, tinha certeza, mas sabia também que poderia voltar a engordar. Aí a primeira coisa que eu fiz foi procurar terapia para controlar a ansiedade. Sabia que meu problema era emocional e se eu não cuidasse disso, ia engordar de novo. Aí eu faço psicoterapia e na época também procurei uma médica homeopata para um tratamento para controlar a ansiedade, mas não acreditava muito. Queria fazer um tratamento natural e falei: “nem vou tomar remédio para não mascarar”. Então pensei em fazer um tratamento homeopático pra ansiedade e foi super legal. Funcionou muito. Como era sua alimentação antes? Antes eu acordava e não conseguia tomar café da manhã porque não tinha o hábito e ficava enjoada. Só conseguia comer 1h30 ou 2h depois, um ou dois pães brancos com queijo e presunto. No almoço era arroz, feijão, carne e batata e o jantar era um repeteco do almoço. Nessa época também não tinha nada integral na minha alimentação e eu não seguia a regra de comer de três em três horas. Todas essas coisas começaram a mudar aos poucos. MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

19


Pedro Dias

E o que mudou na sua alimentação? Eu sempre fiz dieta. Sabia fazer dieta. A gente não come certo porque não quer, né? Eu achava que nem precisava de uma nutricionista, mas pensei que era mais um profissional que estaria ali, dando estímulo, e foi super legal. O que mudou na alimentação foram os grãos integrais, as carnes magras, mais legumes. Hoje meu prato tem muitos legumes, um carboidrato ou dois e uma carne magra. Eu tirei toda a gordura e cozinho totalmente sem óleo. Se eu usar óleo pra 1% das coisas que eu faço é muito. Acho que o segredo é a escolha de alimentos. Na época de emagrecimento, ingeria 1.200 calorias por dia e fazia exercícios. E, claro, todo fim de semana tinha direito a um doce e uma refeição livre. Já começava a segunda pensando nisso, era um evento. Quais exercícios você praticava? Eu já tinha bicicleta em casa pra ir ao mercado e adorava andar. Eu ia no médico de bike, no supermercado de bike, na academia de bike e hoje eu faço isso tranquilamente. Pra pegar o carro é um tormento. No início, quase 100 kg em cima da bicicleta era difícil, mas nos 10 primeiros dias eu comecei a ver que minha disposição estava melhor e comecei a notar resultado na balança. Logo nos 15 dias depois de começar a dieta, tomei coragem e fui para a academia fazer musculação. Foi duro. Tem avaliação, roupa para comprar e toda aquela coisa, mas escolhi uma calça preta, uma camiseta bem larga e fui. Sempre fiz exercícios, mas não com frequência. Com que frequência você fazia exercícios na época de emagrecimento? Como atividade física, eu comecei pedalando 40 minutos todos os dias. Aí eu comecei a gostar e fui aumentando. No final da dieta mesmo eu fazia 30 ou 40 km todos os dias em uma hora

20

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

A Blogueira Mimis, antes da sua dieta, com 33 kg a mais

e meia ou duas horas. Junto com isso, fazia um treino pesado na academia, cinco vezes por semana por 45 minutos. Mas eu não indico tudo isso, não precisa. Eu acho que se pedalar 40 min a uma hora já é suficiente para perder peso consideravelmente.

Quando você começou a notar diferença no corpo? Eu notava diferença de semana a semana. Nas primeiras semanas você perde muiot líquido, então dá pra ver muita diferença. Depois começa a dar uma etabilizada e fica mais demorado.


Pedro Dias

Bem-estar

E como você conseguiu “vencer” a flacidez? A questão da pele eu atribuo à genética mesmo. O exercício ajuda? Pode ser. Mas eu acho que é a genética. Minha família é toda assim. Minha mãe é gordinha, mas a gente não consegue beliscar ela de tão durinha. Eu era assim, gordinha e durinha. É a massa muscular mesmo. As pessoas falam: “nossa, você tem 65 kg e é assim, mas eu tenho 65 kg e sou muito gordinha”. Mas você fez lipoaspiração ou alguma outra cirurgia durante o processo? Não, até porque não tem jeito. Ela [lipoaspiração] tira gordura localizada, mas não vai lipar a pessoa inteira. A única cirurgia que eu fiz no processo foi colocar silicone. Eu tinha prótese nos seios já há 10 anos e como emagreci muito, nem isso adiantou. Aí eu aumentei um pouco a prótese ano passado, pra 340 ml.

A Blogueira Mimis, após perder os 33 kg

Além de terapia e homeopatia, você fez algum tipo de massagem ou drenagem? Não. Na verdade, eu até fiz drenagem por um mês e meio, mas só isso. Logo parei. Tudo foi com muito exercício e alimentação correta e saudável. Muito força de vontade.

Você toma algum remédio ou suplemento? As meninas geralmente se impressionam muito com a minha pele firme e sempre perguntam se eu tomo colágeno, mas não. Eu nunca tomei. Eu só tomo suplemento de proteína, nada além disso.

Você cortou alguma coisa do cardápio? Não. Não deixo de comer nada que eu gosto. Adoro culinária, adoro gastronomia. A gente frequenta restaurantes maravilhosos, eu vou lá e peço, mas no outro dia eu compenso. Meu marido é gaúcho, antes a gente fazia churrasco todo fim de semana, agora não é com a mesma frequência e as carnes também mudaram. A gente faz uma fraldinha, um franguinho. Eu adaptei tudo, churrasco, feijoada… Mas se eu vou num restaurante e estou a fim de comer pato, que é gordo, eu como. Mas no outro dia vou pedalar. Qual foi a parte mais difícil do processo de emagrecimento? Na primeira fase a gente tem que recusar alguns convites, não tem jeito. Ou você tem um autocontrole muito grande pra ir em tudo e não comer nada. Mas mesmo assim as pessoas ficam te incentivando. As pessoas não entendiam que eu não podia provar. Eu sabia

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

21


que se eu comesse um chocolate fora de hora eu ia querer mais. Hoje eu tenho controle, mas antes eu não tinha. E no seu blog você diz que não existe dieta mágica ou shake emagrecedor, mas por algum momento você recorreu a essas alternativas? Eu já experimentei shakes quando era muito adolescente, logo que lançaram os primeiros produtos, mas sempre acreditei que a alimentação tem que ser equilibrada, nunca substituir por refeição. Gosto muito de cozinhar e acho que o segredo é adaptar receitas. Ninguém consegue fazer dieta radical e viver de shake o ano todo. Você tinha celulite? A celulite sumiu. Eu tinha bastante. Uma pessoa com 100 kg tem celulite em tudo. E mesmo antes, sem ser gordinha, como eu sempre tive muita gordura aqui embaixo, sempre tive bundão e coxão, a celulite sempre vem. Eu tinha muita celulite na bunda porque é onde eu mais tinha gordura. O baixo percentual de gordura diminui a celulite, a alimentação que tu faz também. Eu noto que se eu for ficar menstruada ou comer alguma coisa diferente, ela aparece. Celulite é alimentação e hormonal, mas o baixo percentual de gordura fez com que elas sumissem. E as estrias? As estrias continuam nos mesmos lugares de sempre. Eu comecei a ter na adolescência, com esse emagrece e engorda e elas seguem aí. Mas eu estou sempre bronzeadinha e aí esconde. Como é a dieta para manter o peso? Da dieta de emagrecimento, o que muda pra hoje é a quantidade. Só. Não tem nada diferente. Para manter eu ingeria 1.200 calorias e hoje posso 2.000. Hoje eu faço 1h30 de exercício quando eu pedalo, mas não

22

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

passo três horas na academia. Agora eu não pedalo mais tanto, não tenho mais muito esse negócio de “eu tenho que pedalar”. Se não der, não deu. Eu equilibro com a alimentação. Não que eu não coma besteira. Por exemplo, se eu for num restaurante eu até como uma massa. Como seu marido viu a mudança? Meu marido me conheceu normal, não assim. Eu engordei do lado dele.

“Isso é reflexo simplesmente dos meus hábitos alimentares” Ele nunca pediu para eu fazer dieta, sempre me respeitou. E quando eu resolvi emagrecer foi um processo. Eu falei: “ó, preciso da tua ajuda”. Foi bom pra dieta. Eu não daria conta de fazer uma comida especial pra mim e fazer outra coisa pra ele. Ou muda, ou vai comer comida gorda fora. Dá pra adaptar. Dá pra fazer uma comida gostosa que seja saudável. Ele pode comer em maior quantidade. Nessa proposta de mudança de estilo de vida, a família tem que estar junto. Sua vida sexual mudou depois de emagrecer? Ah, melhora tudo. Principalmente eu que nunca me aceitei gordinha. Me olhava no espelho e não me reconhecia.

O que mudou na sua vida? Mudou tudo. Com o blog mudou muito mais. Mudou autoestima, o controle, o equilíbrio. Eu tinha consciência do que o que eu vivia não era normal. Hoje eu vejo que minha vida é normal Quem me vê acha que eu não como chocolate e não tenho vida social, mas eu tenho equilíbrio. Me alimento saudável e tenho ocasiões. Tenho orgulho de ter uma vida equilibrada. Minha disposição também mudou, energia, tudo isso é fantástico. E outra coisa que impressiona é que uma pessoa que sempre brigou com a balança hoje tem um corpo que as pessoas querem ter. É incrível. Eu tive problemas alimentares, de ansiedade, fui obesa por três anos e hoje as pessoas me veem como inspiração. Além disso, fico muito feliz em poder ajudar tanta gente. Quem me vê acha que eu não como chocolate e não tenho vida social, mas eu tenho equilíbrio. Me alimento saudável e tenho ocasiões. Tenho orgulho de ter uma vida equilibrada. Minha disposição também mudou, energia, tudo isso é fantástico. E outra coisa que impressiona é que uma pessoa que sempre brigou com a balança hoje tem um corpo que as pessoas querem ter. É incrível. Eu tive problemas alimentares, de ansiedade, fui obesa por três anos e hoje as pessoas me veem como inspiração. Além disso, fico muito feliz em poder ajudar tanta gente. Seu estilo de se vestir mudou? Mudou quando eu estava gorda. Eu usava 48, então era muito difícil comprar roupa. Você muda o estilo, tem que usar bata, roupa larga, é muito ruim. Hoje uso 38. Você teve alguma inspiração para emagrecer? Não. As pessoas sempre me perguntam isso, mas eu não seguia nenhum blog. Como eu nunca almejei um corpo, acho


Bem-estar

muito lindo hoje que as meninas se inspirem em mim. O que eu pesquisava na internet não eram blogs, mas receita de alimentos, exercícios.

Michelle, pousando para a Revista Quem. na Praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis, SC

Como surgiu a ideia de fazer um blog? Fiz o blog quando já tinha emagrecido. Aí eu entrei para estudar e vi que o pessoal tinha uns diários de treino. A minha vida sempre foi muito privada. Nunca gostei de me expor, mas entrei no site e falei “ah, vou fazer um diário. Aqui ninguém conhece ninguém”. O login escolhido foi Mimis. Eu tinha uma foto fake lá. No diário da Mimis eu falava de dieta, de treino, fiz muita amizade virtual e as pessoas tanto pediam minha foto que coloquei uma foto da barriga só. Colocar meu rosto no negócio? Eu não! O tal do diário tinha 100 mil views em dois meses. Eu falei “gente, acho que minha vida é interessante”. Aí eu decidi fazer um blog em setembro de 2012 e eu adoro escrever o que eu penso, mas só tinha um problema: eu tinha que me expor. Não adianta botar receitinha, tem que mostrar o rosto e a barriga. Aí perguntei pro meu marido e ele me incentivou. Fui aos poucos. Comecei soltando receita, não falei nem que eu já tinha sido gorda. Então uma semana depois saiu uma foto minha no jornal, eu contei minha história para o jornalista. Curta a FANPAGE e INSTAGRAM @blogdamimis do Blog da Mimis e fique por dentro do mundo saudável

Pedro Dias

Que dica você daria para quem quer começar a emagrecer? O que deu resultado pra mim foi não pensar em emagrecer, mas em mudar o estilo de vida. Porque só emagrecer reflete no corpo, mas muitas vezes a mente não acompanha. Então se voc6e tem o objetivo de ser saudável, vai emagrecer de uma forma surpreendente. Eu nunca pensei que ia ter o corpo que tenho hoje, com 35 anos de idade. Não tinha esse corpo nem com 20. Isso é reflexo simplesmente dos meus hábitos alimentares. Não foi uma luta desesperada atrás da estética.

MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

23


PILATES CORPO MALHADO sem musculação De uma barriga mais definida ao autocontrole, passando por músculos firmes, fortes e alongados, ótima postura, articulações mais saudáveis, melhor capacidade de respiração e maior tolerância ao stress. Ufa! Não é à toa que o pilates conquista novas adeptas a cada dia Por Olga Penteado

R

24

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

tro do limite de cada praticante, diz o professor Carlos Augusto. “Os corpos treinados pelo método são fortes, alongados, flexíveis e saudáveis. A postura melhora muito e os movimentos se tornam elegantes”, garante Alice Becker, instrutora e proprietária do Physio Pilates, estúdio em Salvador (BA). “Lembro de uma ex-aluna que dizia que tinha a sensação de estar percorrendo um salão de baile com roupas fluidas, ainda que estivesse atravessando a faixa de pedestre”, conta Alice. Para quem não gosta do ambiente agitado das academias, pilates é ideal, pois permite um corpo malhado sem puxar ferro. Esse é o caso de Tatiana Tiepolo, que pratica no estúdio Physio Sport Pi-

Adriana Silva

espire e solte todo o ar, sentindo seu abdômen encolher ao máximo — como se o umbigo fosse colar nas costas — e as costelas fechando em direção ao centro. Sua barriga fica retinha, a cintura afina. Pena que dure só até a próxima respiração! Você pode, porém, preservar esse momento mágico para sempre ao praticar o pilates, um método de condicionamento físico criado na Alemanha na década de 20. Seja nos aparelhos inventados por Joseph Pilates — estruturas de madeira e metal, com molas e tiras de couro — como nos movimentos feitos no chão — técnica conhecida por mat pilates —, os músculos são trabalhados duplamente, ou seja, são tonificados e alongados ao mesmo tempo, mas den-

lates, em São Paulo (SP). “Além de músculos mais firmes e bem desenhados, melhorei a postura”, diz ela. SILHUETA NOVA EM TRÊS MESES O relato de Tatiana poderia ser multiplicado por 1200, número de alunos de Teresa Camarão, proprietária de dez estúdios no Rio de Janeiro, cinco deles


Movimentar

Estúdio de Pilates Ana Tancredo, uma boa sugestão para quem mora em Florianópolis

abertos no ano passado. “A técnica dá resultados rápidos e duradouros, por isso está despertando tanto interesse”, diz Teresa. Segundo ela, em dez seções já dá para sentir diferença na flexibilidade. Em três meses, os músculos estão mais definidos e o condicionamento físico tem uma melhora significativa. “A mulher passa a conhecer seu corpo. Percebe

seus limites, mas consegue vencê-los, desenvolvendo o autocontrole”, conta. Tanto em aparelhos como no solo, o pilates é uma ginástica livre de impacto e que respeita a individualidade. “Os aparelhos servem para posicionar as alunas iniciantes e, ao mesmo tempo, para desafiar as experientes. Em grau avançado, por exemplo, a ginástica pode ser feita

em um trapézio acoplado a um dos aparelhos”, diz Vany Giannini, fisioterapeuta e sócia-proprietária do Physio Sport Pilates. No solo, os exercícios exigem ainda mais da praticante, que tem de controlar sozinha o seu corpo. “O trabalho, porém, também pode ser facilitado com o uso de equipamentos como bolas e elásticos”, fala Sandra Tófoli, professora de pilates. MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

25


Força no

PEDAL

Por Yara Achôa

C

om as facilidades da vida moderna, o sedentarismo ganha cada vez mais espaço no dia a dia, gerando ou agravando problemas de saúde. Manter uma dieta equilibrada e introduzir a atividade física na rotina são premissas básicas para ficar longe das doenças. “Exercícios simples, como caminhar ou andar de bicicleta, ajudam a prevenir doenças crônicas como obesidade, colesterol alto e hipertensão ”, diz Mauro Guiselini, professor de educação física do curso de Educação Física do Complexo Educacional FMU, de São Paulo. O ciclismo traz benefícios físicos e emocionais, contribuindo muito para a qualidade de vida. “Como atividade aeróbica, gera perda de peso, ajuda a equilibrar a pressão e os níveis de triglicérides. Também trabalha equilíbrio e confiança, além de relaxar e combater o estresse. Praticada com bom senso e na medida da forma física de cada um, a atividade quase não tem restrições”, completa Marcos Paulo Reis, treinador de corrida e ciclismo, diretor técnico da MPR Assessoria Esportiva, de São Paulo.

26

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

Bicicleta é um “brinquedo” para a vida inteira. Mais do que momentos de lazer, ela pode proporcionar saúde e boa forma. Para quem não pode, não consegue ou não gosta de correr, por exemplo, pedalar é uma excelente alternativa de exercício aeróbico. “Uma pedalada leve queima cerca de 400 calorias por hora. E, por não causar tanto impacto nas articulações, oferece menos riscos de lesões do que a corrida”, compara Kenny Monteiro, triatleta e professor de ciclismo Cia Athletica, unidade Belém do Pará. QUANTO E ONDE PEDALAR Praticada com bom senso e na medida de forma física de cada um o ciclismo tem poucas restrições. Ainda assim, quem compra uma bicicleta e decide colocá-la em uso sempre fica com a dúvida: como, quanto e onde praticar? Eis a questão. “A rua é um ambiente agradável e mais divertido. O exercício também consegue ser mais completo do que na

Shutterstock

Pedal no Morro da Antena, em Florianópolis, SC


Movimentar

bicicleta ergométrica ou nas aulas de spinning. Pedalando ao ar livre, você estimula mais suas capacidades motoras e de coordenação, como destreza, equilíbrio, reação e ritmo”, argumenta o treinador Marcos Paulo Reis, da MPR Assessoria Esportiva, de São Paulo. Mas é importante lembrar que a rua também envolve riscos. “Nessa modalidade existem aqueles que já caíram e os que vão cair. E tombo no asfalto nunca é pouca coisa. Portanto, é preciso pedalar equipado, atento aos itens de segurança”, reforça Reis. Já a atividade na versão indoor, ao eliminar fatores externos (vento, trajeto acidentado e obstáculos) permite maior concentração e melhor postura na bike. Isso sem falar em motivação e conforto: música; ambiente de temperatura controlada; variação de cargas (velocidade e giro do pedal) e orientação de um instrutor. Como a técnica requerida é mínima, você consegue queimar mais calorias e evita contratempos próprios do ciclismo ao ar livre. Para avaliar sua real motivação em relação à modalidade (antes de investir dinheiro em uma bike) uma boa dica é começar pela bicicleta ergométrica ou pelas aulas de spinning. “Esse trabalho ajudará também a desenvolver lateralidade e coordenação, essenciais para quando você tiver de levar a magrela para encarar as ruas”, diz Reis. O ideal é que praticar a atividade de duas a três vezes por semana, por pelo menos 30 minutos, para desenvolver cadência, encontrar um ritmo. “Para começar, 10 quilômetros a uma velocidade de 20km/h está bom. Com um pouco mais de treino, logo dá para chegar a 30 quilômetros, o que é um excelente treino”, diz Kenny Monteiro, triatleta e professor de ciclismo Cia Athletica, unidade Belém do Pará. É importante não exagerar na intensidade dos exercícios, para evitar o risco de lesões e mal-estar. “A melhor maneira de

se exercitar é de forma leve a moderada”, alerta Mauro Guiselini, professor de educação física do curso de Educação Física do Complexo Educacional FMU, de São Paulo. “Nada melhor do que retomar uma atividade física com um passeio de bike, por exemplo. Vá aos poucos para gostar e dar continuidade à atividade”, completa o consultor Cleber Ricci Anderson, da Anderson Bicicletas de São Paulo. Quando for praticar na rua, escolha locais apropriados, como parques e ciclovias.Prefira pedalar de manhã cedo, quando o fluxo de veículos e pessoas nas ruas é menor. Se for pedalar pelas ruas, planeje a rota antes de sair de casa. “Desenvolva caminhos por dentro dos bairros, evitando avenidas movimentadas. Monte seu próprio circuito”, sugere Anderson.

“Como atividade física ou meio de transporte, a bike proporciona condicionamento físico, equilíbirio e alívio do estresse” A ESCOLHA DA BIKE Se for sua primeira bike e especialmente se você tiver intenção de pedalar pelas ruas, prefira um modelo para mountain bike. “É mais confortável e você tem mais controle sobre ela”, diz Monteiro. “Seja para passeio, para treino ou como transporte, a bicicleta deve ter o mínimo de qualidade (isso não quer dizer necessariamente cara) e estar bem ajustada ao ciclista, até para facilitar a postura

ao guiá-la. Uma bike inadequada pode provocar dores e lesões”, alerta Anderson. Na hora de comprar a bike, é preciso levar em consideração o tamanho do aro e o tipo de pneu. Existem especialistas em “bike fit”, ou seja, eles montam a bicicleta de acordo com o corpo e as necessidades do ciclista. “Escolher uma bicicleta para a prática do ciclismo é como escolher o tênis para a corrida,compara Monteiro. Quem aprende a pedalar na infância nunca mais esquece. Andar de bicicleta é simples, gostoso e uma atividade para todas as fases da vida. É também um excelente exercício aeróbico. “Queima calorias de maneira eficiente, deixa você condicionado e gera muito pouco impacto nas articulações, reduzindo os riscos de lesões”, diz o professor de educação física Marcos Paulo Reis, da MPR Assessoria Esportiva, especialista em corrida, ciclismo e triatlo. A escolha da bicicleta é fundamental para você ter prazer e conforto na atividade. “Independente do tipo que você venha a escolher, ela deve ser adequada ao seu físico. Para isso você precisa saber algumas de suas medidas. Os tamanhos de tronco e pernas é que vão determinar o número do quadro da bike”, explica Marcos Paulo. “A aquisição de uma boa bicicleta, adequada a seu corpo e estilo de vida, é um dos fatores que mais influenciam o gostar de pedalar. No início, você pode optar por um modelo mais simples. Quando ganhar aprimoramento técnico, aí sim pode pensar em uma mais sofisticada. Não tenha vergonha de questionar, pesquisar, estudar o investimento. Teste muitas antes de optar por uma”, aconselha o especialista. Não esqueça os itens de segurança: capacete, sinalizadores, luvas e óculos. Para a bike: bomba de pé para calibrar o pneu, kit de remendos para a câmara, óleo de corrente, luzes dianteira e traseira, garrafinha ou mochila para água, buzina, bagageiro e trava. MAIS VIVA

|

Julho 2013

|

27


Shutterstock

DORMIR BEM

Vá para a cama e se entregue aos sonhos... Por Felipe Ferreira

H

á quem não pestaneje em dizer que dormir é sinônimo de perda de tempo. Trabalho, provas, festas, viagens — motivos (ou desculpas) não faltam para deixar a cama de lado. Mas o corre-corre, culpado pela rejeição ao travesseiro, cobra seu preço. Mais do que uma ilusão, fugir do sono é desferir um golpe no próprio corpo. No último congresso mundial de estudiosos desse assunto, o Sleep, realizado recentemente

28

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

nos Estados Unidos, não restaram dúvidas: além de repor a energia, trata-se de um antídoto contra problemas bem mais graves que as visíveis olheiras. Mas saiba que o descanso não exige apenas oito horas sob os lençóis. Ele requer regularidade — sim, o ideal é adotar um horário para despertar e outro para se deitar. "O sono também não deve ser fragmentado, ou seja, interrompido muitas vezes ao longo da


Bem-viver

noite", avisa o neurologista Rubens Reimão, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Esses cuidados são cruciais para que o organismo relaxe e cumpra tarefas exclusivas da madrugada. "É nesse período que produzimos o hormônio do crescimento, caro à recuperação dos músculos e dos ossos", diz Reimão. E ainda fabricamos a melatonina, que zela pelas células e dá corda no relógio biológico. Bem, não vá bocejar justo agora. Trate de espantar por alguns minutos a vontade de contar carneirinhos e confira o que a ciência tem comprovado sobre os benefícios de pregar os olhos. O ELIXIR DA LONGA VIDA Assim poderia ser definido o sono — e não há exagero nessa afirmação. Um de seus efeitos protetores foi revelado por um estudo apresentado no Sleep. O trabalho acompanhou 5 mil americanos durante oito anos. Os indivíduos que prezaram um bom descanso noturno tornaram- se menos vulneráveis a todo tipo de doença. "As pessoas que dormem menos de seis ou mais de nove horas correm mais risco", conta a líder da pesquisa, Alison Laffan, da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins. Quando falamos em sono, nem sempre quantidade espelha qualidade. Ficar tempo demais debaixo das cobertas pode ser o resultado de uma noite conturbada e não reparadora. "E essa condição aumenta a pressão arterial, favorecendo males cardiovasculares", diz a cientista. EM PAZ COM A BALANÇA A batalha para emagrecer parece invencível? Então avalie como andam suas noites. Existem fortes indícios de que ficar em claro financie essa derrota. "A privação de sono faz cair a produção de leptina, o hormônio da saciedade", afirma o neurologista Luciano Pinto Júnior, presidente da Associação Brasileira do Sono. Quem não apaga como deveria tende a exagerar nas refeições e ainda

tem pouca disposição para se exercitar. O excesso de peso, aliás, costuma ser acompanhado pela apneia, distúrbio marcado por roncos e interrupções na respiração durante a noite. "Cerca de 50% dos obesos sofrem dessa doença, que contribui para perpetuar os quilos a mais", diz a cardiologista Germana Linhares, da Universidade Federal do Ceará. XÔ, DIABETE! Há alguns anos a insônia é acusada de incentivar esse mal. Um estudo da Universidade do Estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, encontrou uma nova prova dessa perigosa ligação: pacientes insones — que têm dificuldades para adormecer ou manter o sono — estão mais sujeitos ao diabete tipo 2. Outro trabalho realizado em solo ianque, também discutido no Sleep, concluiu que tanto dormir de mais como de menos prepara o terreno para o transtorno. Embora nem todos os mecanismos para justificar esse elo tenham sido decifrados, os especialistas creem que a privação de sono — intencional ou patológica — atrapalhe a ação da insulina, o hormônio que leva o açúcar para dentro das células. Esse seria o primeiro passo para o desenvolvimento do mal do sangue doce. DNA RESGUARDADO O código genético é o primeiro da fila a sofrer retaliações pelas noites maldormidas. Para calcular até que ponto as unidades do genoma se alteram devido a esse serão às avessas, pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) submeteram um grupo de ratos a uma experiência. Eles impediram que os bichinhos chegassem ao estágio mais profundo do sono, a fase REM, durante quatro dias. "Ao analisar mais tarde o cérebro dos animais, notamos mudanças nas expressões de genes ligados à manutenção da atividade celular e à proteção contra radicais livres", conta

Camila Guindalini, uma das autoras. É provável ainda que tais modificações tenham ocorrido em outros cantos do corpo. Mas o que aconteceria se, depois desse suplício, os ratos pudessem repousar por 24 horas? Camila e os colegas fizeram o teste. "Apenas 62% dos genes alterados voltaram ao normal", diz. Agora, a equipe já analisa o impacto da carência do sono REM em seres humanos. Apesar de ser possível restabelecer o DNA após um final de semana em claro, esse caminho se torna sem volta quando a privação de sono é contínua. Afinal, isso pode corroborar mutações, transformações irreversíveis nos genes que estão por trás de males degenerativos. CABEÇA NOTA 10 Esta é para você convencer seu filho a largar o computador e ir para a cama antes da meia-noite. Segundo um trabalho da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, um sono de qualidade aprimora o desempenho acadêmico. Após avaliar 56 adolescentes, os pesquisadores observaram que quem dormia pouco ou acordava muito ao longo da noite teve as notas mais baixas em disciplinas como matemática e línguas. "O repouso fragmentado é prejudicial porque impede de chegar aos estágios mais profundos do sono", diz a biomédica Deborah Suchecki, da Unifesp. A especialista está finalizando um estudo com achados semelhantes. "Animais que aprendem uma tarefa e são privados de sono têm uma pior performance quando vão realizá-la", conta. "Mas, se os deixamos dormir, sua atuação é tão boa quanto a dos animais que não são desprovidos de descanso." IDEIAS A MIL Há dias em que quebramos a cabeça para resolver um problema e, após horas extenuantes, não conseguimos dar cabo dele. Daí, basta uma bela adormeMAIS VIVA

|

Julho 2013

|

29


cida para na manhã seguinte cumprir a tarefa em minutos. Ora, dormir é um remédio para a criatividade. Quem assina embaixo é a expert em sono Sara Mednick, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, que acaba de mensurar esse potencial. "Descobrimos que a fase REM, aquela em que sonhamos, melhora em até 40% a habilidade de solucionar questões que exigem nosso lado criativo", conta. "Isso porque nesse estágio ocorrem associações entre ideias que antes estavam desconexas", explica Mednick. "Durante os sonhos, o cérebro processa os eventos do dia e se prepara para resolvê-los", comenta Deborah Suchecki. EM PROL DA MEMÓRIA Todos já devem ter ouvido falar que dormir bem é fundamental para a consolidação das lembranças. Isso é fato. Mas uma pesquisa apresentada no Sleep pela Universidade Harvard, atesta que ela faz toda a diferença na hora de selecionar o que é mais relevante guardar para o futuro. “À noite o cérebro reprocessa as informações e passa a armazenar a memória”, afirma a neurologista Suzana Schonwald, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. “Ele realiza uma espécie de transferência de arquivos”, compara. Esse serviço permite escolher e fixar as recordações que conservaremos para o resto da vida. PODER ANTICÂNCER A calada da noite é um momento ímpar para que as forças de defesa se organizem e estejam aptas a desarticular tumores o mais cedo possível. Quando estamos aconchegados no travesseiro, nosso corpo libera substâncias que participam direta ou indiretamente dessa missão. A melatonina, por exemplo, ativa linhas de combate contra os radicais livres que lesam o DNA. Como ela é fabricada depois que o sol se põe, é vital que não troquemos a noite pelo dia.

30

|

Julho 2013

|

MAIS VIVA

Melhores posições para dormir Para obter um bom descanso você não deve somente se deitar em sua cama e fechar seus olhos, para desfrutar de um sono agradável você precisa se acomodar em sua cama de forma que seu corpo fique totalmente relaxado, eliminando a tensão nos músculos.

DORMIR DE COSTAS Dormir de costas é uma das posições mais corretas, essa posição relaxa suas costas, pescoço e articulações, e para reduzir o ronco, mas ainda assim, existem outras formas corretas de dormir, por isso, dependendo da sua situação, é aconselhável que você escolha a posição mais confortável e saudável.

DORMIR DE BRUÇOS Esta posição é geralmente a menos recomendada, pois embora possa parecer conveniente para muitos, essa posição causa muito esforço para a coluna e pescoço. O estranho é que, se você dormir de bruços, provavelmente não vai sentir qualquer desconforto imediato, mas ao longo do tempo vão surgir dor e até mesmo problemas na coluna vertebral.

DORMIR EM POSIÇÃO FETAL Essa posíção não é aconselhável, pois ela causa dores nas articulações e cólicas durante à noite. Além disso, essa posição impede que você respire corretamente durante à noite, reduzindo o fluxo de oxigênio.


Todas por uma vida MAIS SAUDĂ VEL Todas MAIS VIVAs

Adriana Silva


MAIS

VIVA

DIRETORA SUPERINTENDENTE DIRETORA DE NÚCLEO DIRETORA DE REDAÇÃO EDITORA DE ARTE REPÓRTER DESIGNERS ASSISTENTE DE COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA COLABORARAM NESTA EDIÇÃO CTI EDITORES

Elaine Borges Maria Cláudia Moser Ana Luiza Correa Eduarda Sewald Carlos Eduardo Silva Gabriela Menegazzo | Carlos Paiva Silvana Maria Salvi Ana Cláudia Perez | Rudnei Klaus | Patricia Ribeiro Paulo Simon | Ana Maria Haff | Deiwis Bento Salomão Dias | Marcos Ritz | Sabrina Ferraz

Revista Mais Viva  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you