Issuu on Google+


2


Futurália 2014: em defesa da educação, da ciência e do progresso Manuel Heitor Prof. Catedrático no Instituto Superior Técnico e Presidente da Comissão Consultiva da Futurália

Passados 40 anos da Revolução de Abril e quase 30 anos da integração europeia, será que sabemos questionar as condições para a modernização contínua e progressiva de Portugal e dos portugueses? De facto, esta questão continua central a um debate que continua polarizado entre as perspectivas utilitarista - que valoriza a relevância económica da educação e da ciência, e cultural - que salienta valores de independência face aos “mercados”. É nossa convicção que esta polarização do debate é estéril e que a análise deve centrar-se no desenvolvimento da capacidade de aprendermos colectivamente, certamente sempre com mais educação, mais ciência e mais inovação, conciliando os méritos das duas posições. É, de facto, num contexto de grande oportunidade que devem ser encarados, mais do que nunca, os desafios com que nos enfrentamos. Hoje, em Portugal, cerca de 1 em cada 3 cidadãos com 20 anos frequenta o ensino superior. O sistema de ensino modernizou-se e Portugal aproximouse da média europeia em termos da produção científica referenciada internacionalmente. O numero de investigadores atinge os níveis médios da OCDE, com cerca de 9 investigadores por mil habitantes, com quase tantas mulheres como homens na Ciência e com a formação dos cientistas portugueses a fazer-se de forma cada vez mais internacionalizada. Para progredir, como sociedade desenvolvida e culta, e como economia viável, dinâmica e baseada na aprendizagem, Portugal tem de continuar a apostar na educação, nas suas instituições e redes internacionais de educação e ciência e, de uma

forma geral, no seu desenvolvimento científico e tecnológico. A Futurália 2014 deixa assim a todos os jovens uma mensagem de esperança e de confiança no futuro, sobretudo, no futuro do conhecimento. O esforço de aprender vale sempre a pena. Nas últimas décadas, finalmente, a sociedade portuguesa conseguiu o que parecia impossível há 40 anos: chamar à educação e á pratica científica jovens de todos os grupos sociais, dando oportunidades a raparigas e rapazes para aprenderem mais e garantir o progresso através do conhecimento. Aprender mais será sempre a única saída para as desconfianças e incertezas que crescentemente se têm instalado entre os mais jovens. É neste contexto que a Futurália é também uma mensagem de confiança na qualidade do nosso ensino superior e nas nossas instituições científicas, aonde é possível aprender e estudar a níveis de referencia internacional. Urge continuar a apostar na abertura da base social do ensino superior, assim como no decréscimo do abandono escolar precoce, e no reforço das nossa capacidade de produzir e difundir novo conhecimento ao melhor nível internacional. Os avanços consideráveis já realizados em Portugal nessa área num passado recente devem-nos responsabilizar que ainda há muito trabalho a fazer. O aumento da base social de apoio do ensino superior não compete com a qualidade do sistema e é preciso continuar a trabalhar no investimento dos dois processos. Mais estudantes e melhor ensino. Mais ciência e melhor ciência.

3


COMISSÃO CONSULTIVA FUTURÁLIA 2014 Presidente da Comissão Consultiva Prof. Dr. Manuel Heitor Prof. Catedrático no Instituto Superior Técnico

Membros da Comissão Consultiva Dr. Miguel Copetto Em representação do Presidente da Associação Portuguesa do Ensino Superior e Privado Dra. Lídia Praça Em representação do Presidente do Instituo Português do Desporto e Juventude Engº Gonçalo Amorim Coordenador do AUDAX (Building Global Innovators) Prof. Dr. Luís Manuel Vicente Ferreirra Presidente do Instituto Politécnico de Lisboa Dr. Jean Barroca Consultor do Banco Mundial Engº Franz J. Kaltner Director da Lusotechnip Prof. Dr. António Rendas Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas

4

Francisco Miranda Coordenador de “O Nosso Spot” Prof. Dr. Miguel Cruz Vogal CD do IAPMEI Dr. Pedro Janela CEO do WY Group Dra. Ana Paula Filipe Em representação do Presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional Dra. Graça Fonseca Vereadora da Economia, Inovação e Modernização em representação do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa Prof. Dr. Gonçalo Xufre Silva ANQEP - Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional


! EDUCAÇÃO DA O VALOR Alunos, Pais e Activos têm, ao longo dos anos, procurado o Certame com um objectivo comum: contactar directamente com Instituições de Ensino de forma a obterem informações específicas sobre o futuro académico e profissional. Deste modo, a organização da Futurália, em conjunto com as Entidades ligadas ao sector da Educação e Formação, pretende continuar a demonstrar que o conhecimento não é um bem acessório, evidenciando a importância da qualificação e da flexibilidade de competências.

A Direção-Geral da Educação (DGE) estará presente na Futuralia 2014 com o objetivo de prestar informação sobre as ofertas educativas do sistema de ensino e, também, de contribuir para a consciencialização da importância da educação e da formação para o futuro dos jovens e da sociedade.

ipação da DGE c ti r a p a d a m le O prender para na Futuralia é: A ro construir o futu O stand da DGE integra áreas de demonstração/ experimentação no âmbito dos Cursos CientíficoHumanísticos do Ensino Secundário, dos Recursos Educativos Digitais e de informação/exploração da diversidade de alternativas do sistema educativo e formativo, destinadas a alunos, professores, encarregados de educação e outros agentes educativos. No palco Multiusos da Futuralia estão previstas apresentações no âmbito do desporto escolar, das necessidades educativas especiais e da educação para a cidadania.

5


ENSINO SECUNDÁRIO ENSINO PÓS-SECUNDÁRIODE ADULTOS EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO Depois do 9º ano é altura da prova dos 9. Prosseguir os estudos no secundário ou optar por um curso profissional? Não há uma resposta certa ou errada! O objectivo é dar a conhecer aos alunos variados percursos de formação, informando-os, com detalhe, da mais valia de cada uma das opções em termos académicos, profissionais e pessoais.

ais fission o r P s a l - Esco as o lóg ic n c e T las - Esco e resas d p m E ros e - Cent ção For ma om ções c i u t i t s ão as In - O utr s de For maç Oferta

! S O D O T A R A P A IR E F A UM o. ã ç a c fi li a u q e R a n r ta s o p A da vida, Educação e Formação ao longo Num claro apoio e promoção à fissional stra de cursos de Formação Pro a Futurália apresenta uma mo bém, -Licenciados e Activos têm, tam de e Ensino Superior, onde Recém ria na requalificação e na melho papel de destaque. Esta aposta itividade para o crescimento da compet competências é factor essencial pessoal. para uma contínua valorização e empregabilidade, bem como

6


Face ao atual contexto socioeconómico e a uma sociedade cada vez mais competitiva e exigente, em que as inovações tecnológicas impõem uma atualização constante dos conhecimentos adquiridos e, os profissionais, principalmente, os jovens são confrontados com cenários que os obrigam a (re) pensar sobre decisões que pareciam representar soluções definitivas para um percurso profissional estável e de sucesso, é necessário estar preparado não só para gerir as expetativas criadas, mas também as oportunidades de trabalho e os desafios profissionais com que, no dia-a-dia são confrontados. A capacidade de iniciar e (re) iniciar a atividade profissional, a qual assegura, por um lado, a subsistência económica e por outro, a satisfação pessoal é algo que não pode ser descurado e tem de constituir um objetivo de cada individuo. Esta constante adaptação consiste num desafio difícil que, para ser vencido, deve aliar esperança, força de vontade e aposta em novas competências e qualificações reconhecidas e solicitadas pelo mercado de trabalho. A presença do IEFP, enquanto serviço publico responsável pela implementação dos programas e medidas de apoio ao emprego e/ou na formação profissional, num evento vocacionado para a educação, formação profissional e empregabilidade reveste-se do maior significativo, o qual assume maior relevância numa conjuntura em que a melhoria dos níveis de qualificação da população ativa é um fator estratégico para sustentar a renovação de um modelo de desenvolvimento, baseado na inovação e no conhecimento, que assegure a modernização do modelo competitivo

da nossa economia e promova uma cidadania de participação. Associada a esta forte componente de qualificação profissional, a formação profissional contribui de forma muito positiva para combater a exclusão social, na medida em que promove a socialização e, consequentemente, a manutenção de hábitos pessoais e sociais, debilitados quando o período de afastamento dos meios de trabalho é alargado. É neste reconhecimento que a formação profissional constitui-se como uma das prioridades do IEFP, a qual representa, também, uma resposta de qualificação que promove a empregabilidade. E, é neste contexto, com o objetivo de contribuir positivamente para minimizar o esforço individual na obtenção de respostas que satisfaçam este tipo de necessidades dos adultos e dos jovens, que o IEFP marca presença nesta edição da FUTURÁLIA: “ Uma Feira para todos”, disponibilizando um conjunto de informação sobre programas e medidas de emprego e formação profissional, nomeadamente, quais as áreas de formação e saídas profissionais prioritárias, os cursos de formação disponíveis, como conjugar conhecimentos teóricos com competências desenvolvidas no posto de trabalho, vantagens em frequentar um estágio profissional ou, ainda, como criar o seu próprio emprego ou empresa. Serão, também, realizadas demonstrações “ao vivo” de atividades representativas de saídas profissionais, possibilitando ao visitante o contato direto com a atividade formativa desenvolvida em várias unidades e formação.

7


O primeiro Curso de Especialização Tecnológica em Turismo de Ar Livre, concebido pela APECATE Associação de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos e organizado pelo Turismo de Portugal, I.P., é pioneiro a nível europeu e arrancou este ano letivo nas Escolas de Hotelaria e Turismo geridas pelo Turismo de Portugal. Dirigido a jovens com o ensino secundário, este curso com a duração de 16 meses preparará os alunos para a organização de programas e atividades de animação turística em outdoor, em cumprimento das regras de segurança e boas práticas da atividade, contribuindo para a sustentabilidade ambiental do turismo ativo. No final do curso, o setor da animação turística beneficiará de profissionais habilitados a conceber, planear, organizar e acompanhar programas de atividades de ar livre de natureza turística - como

8

canoagem e rafting, bicicleta, manobras com cordas, escalada, tiro com arco, paintball, birdwatching, caminhadas e outras atividades pedestres. Para a organização este curso, contamos com a colaboração de mais de 50 empresas de animação turística com as quais já foram celebrados Protocolos para a realização de estágios, assim como a parceria com diferentes Universidades que já procederam ao reconhecimento de unidades com vista ao prosseguimento de estudos superiores. No final do curso, o setor da animação turística beneficiará de profissionais habilitados a conceber, planear, organizar e acompanhar programas de atividades de ar livre de natureza turística - como canoagem e rafting, bicicleta, manobras com cordas, escalada, tiro com arco, paintball, birdwatching, caminhadas e outras atividades pedestres.


Educação: uma bússola para o futuro Dra. Lídia Praça Vogal do Instituto Português do Desporto e Juventude e membro da Comissão Consultiva da Futurália

Nos novos desafios que se põem às gerações mais novas a Educação tem, um papel importante a desempenhar. Como preceituava Jacques Delors, a educação deve transmitir, de forma maciça e eficaz, cada vez mais saberes e saber-fazer evolutivos, adaptados ao mundo moderno, criando aquilo que são as bases das competências do futuro. É neste contexto que um certame como a Futurália tem uma enorme importância. A abertura das fronteiras económicas e financeiras, instrumentalizada pelas novas tecnologias da informação, domina as redes de comunicação e a interdependência não cessa de aumentar, criando dificuldades e apresentando desafios que urgem ultrapassar e dominar.

tarefa que cabe à educação. Educação e formação que servirão de bússola num mundo complexo e agitado como o de hoje, que apesar de todo o desenvolvimento e progresso, nos afeta a todos.

Encontrar saídas no emaranhado de informação em que os tempos modernos nos submergem é uma

É para isso que serve a FUTURÁLIA!

Para as novas gerações é importante que a esperança assente na criação de um espaço que resulta da sua capacidade de transformar o progresso dos conhecimentos em inovações geradoras de novas empresas e de novos empregos. Este espaço deve ser concebido como uma “plataforma giratória” na vida de cada um: é nessa altura que os jovens devem poder decidir em função dos seus gostos e aptidões; é aí, também, que podem adquirir as capacidades que os levem a ter pleno sucesso na vida de adultos.

9


ENSINO SUPERIOR EM PORTUGAL des ersi da - Univ os itécnic l o P s ituto - Ins t itutos e Inst s a l o - Esc ores Superi es que d a d i t o e En ações e Estud - Fund em Bolsas d conced

10

A Futurália coloca à disposição a maior oferta nacional de entidades de Ensino Superior que se adapta a diferentes expectativas, ambições e qualificações. A FUTURÁLIA dá as boas-vindas a uma mostra de casos, debates, boas práticas, exemplos que são já realidade, incentivando a inovação pedagógica, colocando o aluno/formando no centro do processo, através do suporte aprimorado de experiências e novas soluções de aprendizagem, tais como e-learning, recursos educacionais abertos, MOOCs, contextos personalizados de aprendizagem, jogos digitais e gamificação, social learning, mobile learning, enfim aprendizagem sustentada em tecnologia.


STUDY ABROAD Estreias internacionais na Futurália Czech Technical University (República Checa), Fundacia Edukacyjna Perspektywy (Polónia), Jacobs University (Alemanha), KEA - School of Design and Technology (Dinamarca), são algumas das instituições que marcam presença pela primeira vez no salão português. O programa “ACP - American Corners Portugal”, administrado pela Embaixada dos Estados Unidos da América, também se estreia na Futurália, bem como a University College Birmigham (Inglaterra), instituição que o Top Chef Gordon Ramsey classifica como “a Ferrari dos colégios de Catering”. Vindos também de Inglaterra marcam também presença a Anglia Ruskin University, de Cambridge, e ainda a London South Bank University, a Bedfordshire University e a Bath Spa University, representadas através da OK Estudante – Vermilion Group Ltd.. Para além de outras Instituições com presença habitual tais como; Agencias Académicas, Embaixadas, Institutos de Línguas, Agencias de Intercâmbios/Estágios e Entidades Estrangeiras com representação em Portugal.

Pensar fora estudar fora da caixa, do rectângu São vários os lo. países repres entad os na Futuráli

a…

11


Academy Cube - A única plataforma integrada de eLearning e recrutamento desenvolvida por grandes empresas europeias para melhorar a força laboral do futuro e oferecer oportunidades a talentos motivados. Aproxima estudantes, licenciados e profissionais em busca de emprego às empresas que procuram talento. Com a Academy Cube, as universidades e as empresas líderes de mercado oferecem cursos na maioria das tendências atuais como, por exemplo, Tecnologia, Engenharia e Big Data para, assim, alinhar as suas competências com as necessidades da indústria moderna. Enquanto obtém formação, o seu perfil é estudado e avaliado por recrutadores em toda a União Europeia que procuram talentos em todo o mundo, cujas competências correspondam às suas necessidades. Enquanto se forma e procura um emprego, os empregos procuram-no a si.

Os documentos Europass permitem apresentar as suas qualificações e competências de uma forma clara e facilmente compreensível na Europa. Crie o seu portfolio europeu através da obtenção dos documentos Europass CV; Europass Passaporte de Línguas; Europass-Mobilidade; Europass Suplemento ao Diploma e Europass Suplemento ao Certificado – www.europass.proalv.pt

12


s a u g ín L e d o r t n o c En e Culturas Encontro de línguas e Culturas - Uma tarde dedicada ao Poetry SLAM, contanto com SLAMERS reconhecidos internacionalmente e 4 escolas secundárias em competição. O SLAM FEST é organizado pelo Institut Français du Portugal com o apoio do grupo artístico Lab.I.O

SLAMFEST - Festa

da francofonia na

Futurália

Inside|Outside Futurália 2014

teractivo - Uma Teatro Inglês In turália constante na Fu

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, responsável pela dinamização do Corner ACP na Futurália, agrupado sob o lema “Non-mainstream Cultures Desenhado especificamente para o ambiente e o formato da Futurália, o projecto foi estruturado em torno do conceito INSIDE|OUTSIDE e da ambivalência de leituras.Um conjunto de eventos de curta duração, sempre inspirados na matriz cultural americana que incluirão, entre outros, música, artes plásticas e gráficas, dança e performance. Os protagonistas serão, fundamentalmente, jovens universitários cujo percurso académico se cruza, mistura e muitas vezes confunde com interesses pessoais e percursos profissionais.

13


Como se cria o bichinho do emprendedor? Era uma vez um miúdo a quem o Pai Natal trouxe um computador ZX Spectrum num Natal de 1985. Esse miúdo vivia no Porto e há muito sonhava com a vontade de “brincar” com uma destas máquinas fantásticas. Nesta fantástica máquina, jogou os seus primeiros jogos de F1. Com 48kB de RAM e 3,5MHz, ou seja, menos vinte e uma mil vezes poderoso que um iphone 5 de bolso (21.166,7 para ser preciso), programava música e desenhava circunferências entre outros desenhos técnicos. Com 12 anos apenas, este miúdo auto-iniciou-se, como tantos outros em programação em (Sinclair) BASIC. Estávamos em 1984 e tal como outros tantos (foram vendidas 5 milhões de unidades em todo mundo), abria-se um fantástico mundo novo de possibilidades nunca antes vistas. Nesse mesmo ano, Steve Jobs lança o seu primeiro Macintosh. Um certo dia o miúdo chega a casa e é desafiado por um vizinho que morava no mesmo prédio - então responsável por uma sociedade recém criada de locação mobiliária (vulgo leasing), desafia o miúdo a desenhar e conceber um jogo de computador como material de merchandising para aliciar novos clientes. O miúdo, que então brincava com automóveis telecomandados, legos e utilizava abundantemente plasticina para “kitar” as suas criações, põe mãos à obra. O miúdo não descansa até entregar um detalhado caderno de encargos de um jogo de rally que incluía vários “screenshots” com as principais cenas do jogo, opções, cores, modelos das viaturas, entre vários algoritmos entre etapas do jogo. Poucas semanas depois, o miúdo entrega o trabalho ao vizinho, que rapidamente se entusiasma com a proposta entregue e que propõe pagar-lhe não em dinheiro, mas em acções da empresa onde trabalha. O preço acordado tinha sido 10 contos (na moeda antiga 10.000$00), na altura uma quantia muito significativa de dinheiro. Mas o vizinho faz uma proposta ao miúdo: em vez de lhe pagar em dinheiro, paga-lhe em 2 acções com valor nominal de 10 contos da então empresa que dirigia de locação mobiliária. O miúdo, que gostava de brincar com o seu computador, com carrinhos e plasticina, gostava igualmente de seguir a bolsa cujas cotações passavam na RTP1 por altura do jornal da tarde que, com o pai em casa a controlar o comando remoto não podia deixar de assistir. Bom este miúdo agora via-se com um proposta extremamente tentadora nas mãos: ou aceitar hoje 10 contos ou investir esse capital sem garantia de retorno futuro. Mas o miúdo que sempre tinha sido educado a acreditar na curiosidade e em assumir riscos calculados, não hesitou. Aceitou ser “pago” em duas acções da referida empresa. Em finais de 1986, um grande número de empresas faz subscrições públicas e entra na Bolsa. Algumas emissões tornam-se famosas como as da Marconi, BPI, Crisal, Sofinloc e Inapa. Assim, o número de empresas cotadas aumenta para cerca de 40. Os volumes aumentam e uma onda de euforia atinge a Bolsa, a partir de Outubro. No entanto, antes de fins de 1986, pode-se dizer que só os visionários ou os loucos investiam na Bolsa. Alguns investidores de longo prazo muito bem sucedidos compraram Marconi a 200$00 em 1982 e venderam-nas a mais de 20 contos na alta de 1987, conseguindo multiplicar o capital mais de 200 vezes. O miúdo aceita, mas contrapropõe que como parte integrante do acordo o seu vizinho ficasse responsável pela “tutela” das acções (os seus pais não sabiam deste seu primeiro negócio), e que este apenas tinha ordem de as vender quando estas duplicassem de valor. Passados cerca de 3 meses, as acções tinham mais do que duplicado o seu valor e o vizinho entrega ao miúdo a módica quantia de 20 contos. O miúdo ficou, naturalmente, muito feliz. Com esse dinheiro orgulhosamente abriu a sua primeira conta bancária com o seu pai. Reinvestiu e continuou a ver o seu capital a crescer desde então. Este miúdo sou eu, Gonçalo Amorim, Engenheiro Mecânico, hoje com 40 anos, que hoje gere um programa de comercialização de novas tecnologias. Este programa, desenvolvido em parceria com o programa MIT Portugal, Building Global Innovators.

14

Gonçalo Amorim Director Executivo do Building Global Innovators (BG) e Membro da omissão consultiva da Futurália Nunca me esqueci desta importante lição dada por um vizinho. Uma lição simples, mas que me marcou para a vida e da qual me recordo quase todos os dias quando acordo: da importância de termos “mentores” na nossa vida e do impacto que tal pode ter no nosso futuro. O mesmo se aplica a um bom professor de ciências, ou educação visual ou história, cujo potencial de acção pode moldar um empreendedor ou outro perfil. A verdadeira “fábrica” sociocultural é feita disto. Portugal precisa de acreditar que mais pode ser feito, que estamos muito mais em controlo do nosso destino do que julgamos. Que não estamos confinados à realidade que nos rodeia, que podemos e devemos ser curiosos, ter a oportunidade de arriscar e, claro falhar. Desde os 12 anos nunca mais perdi a vontade de criar. Criar e investir no futuro, procurar um futuro sempre melhor do que o passado, para mim e para todos aqueles que me rodeiam. Na verdade é isso que me impele. Hoje sinto-me obrigado a “devolver” esta experiência única que tive sorte de ter vivido e a qual procuro “valorizar”, permitindo que através do trabalho que hoje desenvolvo, contribuir para um “fantástico mundo novo de possibilidades nunca antes vistas”. Os empreendedores criam e arriscam num ciclo imparável até alcançarem o sucesso, no meio de muita resistência, adversidade e “ruído”. Mas quando vêm uma oportunidade, não hesitam. Hoje vivemos num mundo extraordinariamente competitivo e as ferramentas ao dispor dos empreendedores são muitas, as barreiras à entrada nunca foram tão baixas. Mas os riscos não são por isso menores. Comefeito,ocontextoglobalactual,definidopelarápidadisseminação de informação, rápida mudança das dinâmicas de mercado, baixas barreiras à entrada, ampla dispersão do conhecimento e talento distribuídos globalmente e mercados intrinsecamente interligados, é agora a realidade de empreendedores de base tecnológica. A noção de construção de clusters regionais e concebidos de forma “top down”, principalmente com o apoio dos governos, pode ser uma condição útil mas não suficiente. Bem longe disso. Este novo cenário permite que os empreendedores “tech” de hoje operem em colaboração “virtual” com outros e também com grandes empresas em todo o mundo. Esta rápida e dinâmica interacção dá oportunidades únicas num melhor mapeamento dos problemas reais que precisam ser resolvidos por exemplo, em grandes empresas. Por outro lado as grande empresas - reconhecendo que o ciclo metabólico do desenvolvimento empresarial interno não tem só por si a capacidade de acompanhar as dinâmicas e necessidades de mercado, desenvolvem agressivas políticas de “open innovation” ou inovação aberta, procurando abrir-se ao mundo envolvente em processos de co-criação, crowdsourcing entre outras ferramentas colaborativas. Bem consciente desde o início deste novo paradigma, a aceleradora Luso-Americana “Building Global Innovators” ou BGI oferece oportunidades sem precedentes. Uma delas é o facto da rede que oferece permitir aos seus empreendedores a olhar para a concorrência a nível global e não apenas local, mas ao mesmo tempo conceber estratégias locais sobre como lidar com o mercado. E isso não é fácil. Exige uma rede única de mentes (leia-se mentores), perfis experientes e alinhados com um objectivo comum: criação e valor.


INSERÇÃO NA VIDA ACTIVA EMPREGABILIDADE E EMPREENDEDORISMO “Mãos à Obra!” Teoria/Prática, Educação/Acção - conceitos inseparáveis! A Futurália tem apostado, ao longo das últimas edições, na criação de um espaço próprio de informação e apresentação de soluções para a problemática do desemprego e para a crescente necessidade de requalificação de Recém-licenciados e Activos.

YA HARD 5.0 - Bem vindos a este grande desafio! Chegou o momento de serem postos à prova…o sucesso deste desafio apenas depende de vocês. A vossa capacidade de gestão de tempo, de comunicação e audácia e vão estar em jogo, e o vosso sucesso depende delas.

Sessão de Pitching Em três minutos, ser capaz de projectar de si próprio uma imagem positiva, genuína e convincente para empregadores e especialistas

Talking Café Irá ajudar os jovens em fase de inserção na vida ativa, desemprego ou transição de carreira a valorizar a sua imagem pessoal , profissional e a empregabilidade, através de uma utilização eficaz de diversas técnicas, ferramentas e redes sociais.

Empreendedorismo Digital Procuras novos desafios profissionais ou queres lançar o teu projeto online? Descobre qual a melhor estratégia digital e define um plano orientado para resultados. Começa já a trabalhar na tua nova ideia!

15


DREAM CONF. A DreamConf - uma experiência que permitirá a todos aqueles que nela participem ter uma visão integral de como abordar os desafios actuais, de forma a ter um futuro pleno de realizações, baseando-se nos testemunhos de quem atingiu o sucesso, apostando e desenvolvendo essencialmente uma paixão. A DreamConf apostará num conceito inovador de conferência. Aos participantes será oferecida uma experiência sensorial e interactiva da qual se sentirão parte integrante e activa desde o primeiro minuto, apelando á sua participação. A vertente performativa estará bastante presente com a oportunidade de assistirem a vários momentos de actuações dos seus artistas preferidos e várias manifestações de arte a decorrer durante a conferência. Para o desenvolvimento deste conceito a organização garantiu já a parceria com uma equipa de animação especializada, capaz de articular e promover todos estes conteúdos durante a realização da acção.

Nuno Delgado

Sara Paço

Nuno Mesquita

Gonçalo Silva Rita Pires e João Dinis

DJ – Ride

Wilson Paiva

Cleia Almeida

Marta Fernandes

Joana Rocha

Francisco Miranda

16


VOLUNTARIADO NA FUTURália Associação Gap Year Portugal

Queres crescer com experiências diferentes, fazer voluntariado, conhecer novas culturas e viajar? Para o ano, faz um Gap Year e muda a tua vida para sempre! A AGYP- Associação Gap Year Portugal, presente na Futurália pela primeira vez, estará lá para te dar a conhecer o conceito de Gap Year e provar que também tu podes fazer um. De que é que estás à espera para viveres a experiência mais enriquecedora da tua vida? Começa o teu Gap Year na Futurália, a AGYP ajudar-te-á a planeá-lo da melhor forma.

GASNova

A GASNova - Grupo de Acção Social - desenvolve projectos de voluntariado nacional e internacional na área da cooperação para o desenvolvimento em Portugal e países de língua oficial Portuguesa (PALOPs). Acreditam que os jovens são um factor chave na criação de soluções sustentáveis para os problemas do Mundo e vêm até à Futurália demonstrar que são uma escola de participação cívica, de voluntariado e de empreendedorismo social.

Acreditamos na força das relações humanas enquanto agentes de mudança positiva no mundo. O nosso objectivo é que cada voluntário d’O Nosso Spot tenha o seu próprio projecto social individual e focado na realização dos sonhos do seu mentorando, daí nasce o nosso lema: O Nosso Spot - Um Voluntário, um Jovem, um Projecto. Cada voluntário poderá escolher dois tipos de processos de mentoria, assumindo...

A Futurália nesta edição associou-se à Fundação Make-AWish Portugal, uma IPSS que tem como missão realizar os desejos de crianças e jovens, dos 3 aos 18 anos, com doenças que colocam em risco a sua vida, levando-lhes um momento de força, alegria e esperança. Juntos vamos chegar até mais crianças!

17


Workshop “SciCamp - Ciência ia l á r u t u F a n ” a id t r e iv D Se queres ficar a conhecer o que são Campos de Ciência, e como podes participar nas atividades desses Campos, participa no workshop “SciCamp - Ciência Divertida”! Vais ficar a conhecer o projeto europeu SciCamp - Science Holiday Camps in Europe, que visa estabelecer uma rede europeia de campos de ciência e promover o intercâmbio de boas práticas. Esta é uma oportunidade para te informares sobre o Campo de Ciência “32º EJC-Encontro Juvenil de Ciência”, organizado pela AJC – Associação Juvenil de Ciência, uma atividade única de jovens para jovens, a ter lugar em Aveiro, de 20 a 27 de Julho de 2014. Os campos de ciência são uma resposta possível à falta de interesse dos jovens pela Ciência, Tecnologia, Matemática e Engenharia (STEM), tentando envolvê-los em questões científicas e ajudá-los a desenvolver uma atitude positiva em relação a essas matérias.

A Fundação da Juventude é uma Instituição Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública, cuja missão é a promoção da integração dos jovens na vida activa e profissional através dos seus projectos, actividades e acções. A sua actividade assenta em cinco Vectores Estratégicos: Formação Profissional, Emprego e Empreendedorismo, Cidadania e Voluntariado, Criatividade e Inovação, Ciência e Tecnologia.

18


O Instituto Português do Desporto e Juventude garante mais uma vez sua presença neste certame, como organismo que apoia e dinamiza as políticas públicas para a juventude, através da adoção de medidas de estímulo à participação cívica dos jovens em atividades sociais, económicas, culturais e educativas. Está presente no certame através de um espaço informativo, de aconselhamento e de interação com os jovens e outros utentes da feira. Serão dinamizadas atividades e abordagens de relação e de proximidade com o público visitante, tendo como objetivo fundamental informar e aconselhar os jovens, enquanto cidadãos, de maneira a contribuir para a sua capacitação e empoderamento. Ou seja, de maneira a contribuir para que possam, de forma mais informada e consciente, elaborar os seus próprios projetos de vida e participarem também, ativamente, na construção de projetos coletivos e sociais. Neste espaço serão promovidos e divulgados programas e iniciativas destinados a responder às necessidades específicas dos jovens, cobrindo áreas diversas e de interesse para os mesmos, desde a educação não formal à formação, do emprego e empreendedorismo à ocupação de tempos livres, e também de temáticas como voluntariado, mobilidade internacional e desporto. O IPDJ privilegiará neste certame a divulgação das oportunidades de participação de jovens de todo o país em ações de voluntariado jovem, atividades de tempos livres durante o período de férias e oportunidades nas áreas da empregabilidade, empreendedorismo e mobilidade internacional.

Destes, destacamos a dinamização da Plataforma Garantia Jovem, que pretende, de uma forma interativa, dar uma resposta à elevada taxa de desemprego dos jovens. Destina-se a jovens com menos de 30 anos de idade, que não estejam a trabalhar, a estudar, em formação ou em estágio. É um compromisso para que, gradualmente, e num prazo de 4 meses, jovens nesta situação obtenham, uma vez aqui inscritos, uma oferta, da parte da entidade que gere a área referenciada pelo jovem, aquando da inscrição. Daremos também especial relevo à divulgação do recémlançado Programa ERASMUS+, o novo programa europeu de apoio à educação, formação, juventude e desporto para 2014 – 2020, sobretudo no que diz respeito às vertentes Juventude e Desporto do Programa. De referenciar que este novo programa é potenciador de oportunidades de mobilidade na Europa e não só, no âmbito de atividades como: intercâmbios juvenis, voluntariado de âmbito europeu, organização de encontros, criação de redes, estabelecimento de parcerias, etc. Destina-se sobretudo a jovens (individualmente), associações juvenis, federações de juventude e federações desportivas e outras organizações. O IPDJ privilegiará também a divulgação de informação no âmbito da Eurodesk, Rede europeia de informação para jovens, e dará a conhecer todas as oportunidades a ela associadas, nomeadamente subvenções, programas, estágios, prémios e cursos. A educação pela saúde, e a promoção de estilos de vida saudáveis marcarão também presença.

Estarão também a decorrer as inscrições para o Programa de Ocupação de Tempos Livres (OTL) e para o Programa Férias em Movimento.

A promoção da prática da marcha e corrida como fator de promoção de hábitos saudáveis de vida, estará representado por um programa já reconhecido pelo público em geral, o Programa Nacional de Marcha e Corrida.

Por outro lado, sendo as áreas relacionadas com o emprego, a empregabilidade, o empreendedorismo e a formação dos jovens as mais prementes na sociedade portuguesa, o IPDJ privilegiará a informação e comunicação dos seguintes programas e iniciativas, nestas áreas:

As sessões para a prática da marcha e da corrida estão disponíveis em centenas de municípios por todo o país, são abertas ao público em geral, não carecem de qualquer pagamento ou inscrição prévia e serão, sempre, enquadradas por técnicos especializados.

>• >• >• >•

Também estarão presentes no espaço IPDJ alguns atletas de renome. No espaço IPDJ haverá também surpresas de última hora, que surpreenderão os visitantes!

Plataforma Garantia Jovem Rede de Perceção e Gestão de Negócios (RPGN) FINICIA Jovem Concurso INOVA

Todos os serviços de informação e de aconselhamento em áreas de interesse para os jovens podem, após este certame, ser encontrados no IPDJ, numa das 48 Lojas PONTO JA, e também no Portal da Juventude (http://juventude.gov.pt/ ), ou via redes sociais onde este Portal está presente.

19


20


21


22


23


INFORMAÇÃO GERAL Datas e Horários:   Dias 26, 27 e 28 Março 10H00 / 19H00 Dia 29 Março (Sábado) 11H00 / 20H00 Gabinete Futurália Tel.: +351 21 892 15 00 Fax: +351 21 892 15 55 e-mail: futuralia@aip.pt Gabinete de Imprensa Tel.: +351 21 892 15 27 Fax: +351 21 892 15 12 e-mail: filpress@aip.pt

Morada: Feira Internacional de Lisboa Rua do Bojador, Parque das Nações, 1998-010 Lisboa, Portugal Futurália Online: www.futuralia.fil.pt

24


Futurália 2014