Page 1

FUNFARME n

o

t

í

c

i

a

s

Ano XIII / Nº 166 - Outubro - 2015

Humaniz Ação Ter o ambiente cada vez mais acolhedor para todos usuários e os mais de 4.000 colaboradores é o desafio diário da Funfarme Páginas 12 e 13

A humanização é um dos pilares de sustentação da Funfarme e vem proporcionando grandes benefícios na relação médico-paciente. Dr. Picollo, diretor clínico do HB

Acredito que a humanização influencia na recuperação e tratamento do paciente a partir do momento que ele se sente mais próximo do seu ambiente domiciliar. Melissa Andreoli Botelho, Enfermeira da Emergência do HB

Me sinto em casa. Sempre monitorada pela equipe de profissionais e acolhida por todos ao meu redor. Thais Elaine da Silva, paciente do HB


Revista Funfarme

Editorial

O desafio da Humanização Nos últimos anos, a Funfarme e seu complexo hospitalar têm se empenhado para disseminar e consolidar entre seus colaboradores os conceitos da Humanização, levando-os a praticá-los diariamente para tornar o ambiente hospitalar o mais acolhedor possível para eles mesmos e para pacientes, acompanhantes e todos que frequentam nossa instituição. Não é um desafio restrito a nossas “quatro paredes”. Ciente de sua relevância na área da Sáude, como maior complexo hospitalar e de ensino a Funfarme têm também promovido vários eventos em que reúne representantes de hospitais, santas casas, demais instituições e órgãos públicos

da Saúde para discutirem ações que promovam a Política de Humanização em nossa região, melhorando o atendimento prestado à população. Um destes muitos encontros e exemplo de ações humanizadoras são o foco das matérias das páginas 12 e 13 desta Revista. São iniciativas que envolvem o trabalho de dezenas de pessoas ou simplesmente um voluntário da comunidade, caso do músico Silvio. O hospital humanizado é o resultado da soma de todas as iniciativas, muitas imperceptíveis na correria do dia-a-dia, mas tão relevantes quanto as grandiosas. Convidamos você a colaborar para tornar a Funfarme uma instituição cada vez mais humana.

Dr. Horácio José Ramalho - Diretor Executivo da Funfarme

Câmaras de quatro municípios parabenizam o HB pela qualidade dos serviços prestados à população As Câmaras Municipais das cidades de Embaúba, Pedranópolis, Bálsamo e Novo Horizonte, todas englobadas no atendimento da Funfarme, prestaram homenagem à Fundação por meio de documento de Moção de Aplauso e Reconhecimento. O intuito foi enaltecer a qualidade dos serviços de saúde prestados pela instituição a estas comunidades. Todos os membros do Conselho e Diretorias da Funfarme, HB, HCM, Ambulatório, Hemocentro e Lucy Montoro foram citados no documento como forma de agradecimento.

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) Ano XIII/ Nº 166 - Outubro - 2015 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico do HB: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira 2

Funfarme Notícias - Outubro - 2015

• Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca • Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Diretoria do HCM: Dr. Antônio C. T. Gusson e Dra. Eloísa Galão • Diretor Clínico do HCM:

Dr. Paulo Poiati Junior • Vice-Diretor Clínico do HCM: Dr. Wagner Vicensoto Produção Editorial: Intermídia Comunicação Empresarial Telefone: 17 3011-5435 Jornalista responsável: MTB 24.527 Jornalista: Fernanda Martinazzi Estagiário: Carlos Cristal Diagramação: Roger Goulart Impressão: Gráfica São Sebastião Tiragem: 2000 exemplares


Revista Funfarme

Médica da Funfarme recebe o prêmio de “Pôster MédicoResidente", por estar entre os 10 melhores trabalhos científicos do país O trabalho da residente da patologia da Funfarme, Dra. Eveline Brandão Madeira, ficou entre os dez primeiros colocados no 30° Congresso Brasileiro de Patologia, realizado São Paulo dos dias 29 de outubro a 1º de novembro. No total, concorreram 545 estudos. A médica recebeu o prêmio de “Pôster Médico-Residente”, com o trabalho “Características Histológicas e Imuno-Histoquímicas de Biópsias de Medula Óssea no Diagnóstico de Mieloma Múltiplo”. O mieloma múltiplo é o segundo câncer hematológico que mais acomete pessoas e, com o estudo, estes pacientes ganharam ainda mais rapidez, qualidade e segurança no atendimento. “Nosso objetivo foi avaliar as características histológicas e imuno-histoquímicas dos nossos casos de biópsias de medula óssea com diagnóstico de mieloma múltiplo confirmado clínico-laboratorialmente, entre 2010 e 2014, totalizando 42 casos”, explicou Dra. Eveline. Todas as atividades foram supervisionadas e orientadas pela Dra. Célia S. de Jesus Fazzio.

Dr. Eveline ao lado de seu trabalho, classificado entre os dez melhores do Congresso

Aluna da Famerp é premiada em Congresso Brasileiro de Transplante

A doutoranda em biologia pela Famerp Camila Mazeti com o diploma do prêmio durante o Congresso; ao lado direito, Dr. Mario Abudd, orientador do trabalho

A Famerp foi destaque durante o Congresso Brasileiro de Transplante, realizado em outubro, em Gramado (RS). A aluna de doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde Camila Montoro Mazeti, juntamente com a equipe do Laboratório de Imunologia e Transplante Experimental (LITEX), recebeu o Prêmio Emil Sabbaga. Orientado pelo Prof. Dr. Mário Abbud Filho e coorientado pela Profª Drª Heloisa Cristina Caldas, o estudo avaliou o perfil molecular que ocorre em rins transplantados “não ideais” ou com critérios estendidos (DCE). “Esse tipo de pesquisa visa traduzir os resultados obtidos dentro do laboratório em aplicações clínicas que beneficiem as pessoas”, explica o Prof. Dr. Mario Abbud. “Esses rins, doados por pessoas idosas não eram usados antigamente. Hoje descobrimos que são fundamentais para reduzir a escassez de órgãos e podem ser transplantados sem problemas para o receptor também mais idoso, por exemplo”, finaliza. Paralelamente, o LITEX desenvolve um trabalho inédito no mundo em parceria com o Núcleo de Terapia Celular e Molecular da USP de São Paulo, onde as chamadas células-tronco pluripotentes induzidas (iPS), criadas em laboratório, são capazes de retardar a progressão da Doença Renal Crônica.

Funfarme Notícias - Outubro - 2015

3


Revista Funfarme

Minutos que valem a

VIDA

Eficiência e Agilidade do Centro de Dor Torácica do HB resultam em minutos que salvam vidas 11 anos depois de instituir o Centro de Dor Torácica (CDT) na Emergência, o HB comemora números e resultados que mostram que o objetivo da implantação deste serviço foi alcançado, que é: oferecer o mais rápido e eficaz atendimento a pacientes com este sintoma, salvando-lhes as vidas.

Alguns profissionais de vários setores do HB que integram o Centro de Dor Torácica e colaboram para seus ótimos resultados; ao centro, com estetoscópio, o coordenador do CDT, Dr. Fernando Bruetto

É a vitória de todos os colaboradores da Emergência e dos demais colegas das outras áreas e serviços do hospital que nos dão apoio. Isso só foi possível porque houve a mobilização de todos, desde os perteiros, recepcionistas, colaboradores da área administrativa até os médicos e profissionais de enfermagem. Dr. Fernando Bruetto Rodrigues, coordenador do CDT

mais de 85.000 pessoas morrem por ano vítimas de infarto, a segunda principal causa de mortes no Brasil

Fonte: Revista Exame 4

Funfarme Notícias - Outubro - 2015


Revista Funfarme

Resultados do HB são iguais ou melhores a grandes centros médicos do mundo Vejam os números e indicadores obtidos pelo Centro de Dor Torácica com o empenho e profissionalismo de todos os profissionais do HB De 1.062 pacientes com dor torácica atendidos pelo HB, entre julho de 2012 e fevereiro de 2014, apenas 2 pacientes voltaram ao hospital reclamando do mesmo sintoma, após serem atendidos. Ou seja, no HB apenas 0,2% dos pacientes retornaram Nos Estados Unidos, o percentural de retorno é de 5,3% dos pacientes No Canadá, 5% dos pacientes retornam após passarem pelo hospital. Na Inglaterra, chega a 6% o percentual de retorno Fontes: dados do Registro ACOS (Alemanha), Estudo GRACE (realizado em 14 países) e Estudo OASIS (41 países).

O Centro de Dor Torácica possibilitou maior participação de toda a equipe multidisciplinar. Sentimos que todos os profissionais envolveram-se mais para que o atendimento ficasse ainda mais rápido e melhor. Dra. Adriana Camargo Oliveira

As residentes da cardiologia Adriana e Caroline, junto ao painel que mostra o fluxograma de atendimento de pacientes com dor no peito

As causas de dor torácica são múltiplas e com vários níveis de gravidade. Por isso foi fundamental o trabalho do Centro de Dor Torácica de criar uma estratégia organizada e eficiente de assistência médica na sala de emergência, incluindo diagnóstico e tratamento.

Dona de casa tem vida salva Aos 60 anos, a dona de casa Maria Angélica Lopes, moradora de Monte Aprazível, exibia ótima saúde, quando, de repente, começou a sentir dores na mandíbula, que se prolongaram pelos braços. Por sorte, na semana anterior, ela havia lido um artigo sobre infarto. Rapidamente, tomou um comprimido de AAS e foi levada pela filha ao hospital local e, de lá, encaminhada ao HB. Dona Maria Angélica vivenciou assim a agilidade no atendimento da emergência, resultado do trabalho de anos do Centro de Dor Torácica. “Além de extremamente rápidos, os médicos e enfermeiros, enfim, todos deram grande atenção e carinho. Sou muito grata.”

Dra. Caroline Oliveira Funfarme Notícias - Outubro - 2015

5


Revista Funfarme

Comitê gestor unifica processos e informações do Faturamento num mesmo ambiente

Equipe de profissionais do faturamento; a esquerda, em pé, Drs. José Luis, Vanessa e o superintendente financeiro Robson de Pádua (camisa rosa)

Em meados deste ano, um Comitê Gestor foi criado para solucionar problemas comunicacionais e de processos, originado da fragmentação do setor de Faturamento na Funfarme. Formado pelos médicos Drs. José Luis Esteves Francisco, Vanessa Batigalia e o superintendente financeiro, Robson de Pádua, o Comitê buscou “uma maneira de sociabilizar as informações, otimizar e a unificar os trabalhos”, explicou Robson. Para isto, os colaboradores dos 12 departamentos que envolvem

alguma atividade de faturamento passaram por capacitação. Desta maneira, eliminou-se a especialização em processos: SUS, Convênio, Internação, Ambulatório, OPME e etc. A partir das mudanças e do aprendizado, criou-se o Núcleo de Faturamento, no qual os profissionais são plenamente capazes de realizar qualquer atividade do setor, sem especialização em determinados processos. Ainda mais agora que todos se encontram no mesmo espaço físico: no andar superior da cozinha e refeitório.

Os resultados foram excelentes. A ideia era esta mesma com as modificações. O Comitê tem o intuito de continuar tomando decisões estratégicas, discutindo novos processos e acompanhar os serviços prestados por esta área. Estamos aqui para auxiliá-los. Dr. José Luis Esteves, membro do Comitê Gestor

Ferramenta de T.I. melhora comunicação e agiliza resolução de entraves A equipe da T.I desenvolveu, especialmente para o novo Núcleo de Faturamento, uma ferramenta que integra comunicação e todos os processos. O documento que antes era acessível apenas para um subsetor, agora fica disponível a todos os funcionários do Núcleo, por meio do novo instrumento, chamado de HBIs.

Já que o espaço físico foi unificado, achamos coerente que os diferentes programas também estivessem num mesmo espaço virtual. Isto permitiu agilização na comunicação e resolução de impasses. Flávio Bardella, Analista de Sistema e criador do HBIS 6

Funfarme Notícias - Outubro - 2015


Revista Funfarme

Profissionais do secretariado agora são parte do Núcleo de Faturamento Os mais de 450 integrantes do secretariado da instituição passaram a fazer parte dos processos de faturamento. Sob a supervisão da Iraci Calsavara, estes colaboradores desempenham papel fundamental na hora de transformar o atendimento em receita. “São eles agora que organizam as documentações via sistema. Cada arquivo é feito de um jeito e é neste momento que o faturamento começa. Eles que dão o pontapé inicial”, afirma Iraci.

Vejo o serviço com um quebracabeça. Cada funcionário é uma peça e para que se tenha uma imagem completa, todos precisam trabalhar integradamente para que a finalização tenha êxito. Dra. Vanessa Batigalia, integrante do Comitê e gestora do Núcleo de Faturamento

Em pé, Iraci Calsavara é responsável pelo secretariado e Maria Aparecida Barbosa da Silva, que coordena o novo setor

A integração dos setores em um espaço físico adequado, com chefias e colaboradores, melhora o fluxo das informações, fornecendo subsídios que contribuem para um bom desempenho profissional, conhecimento das atividades desenvolvidas, melhorando o convívio e otimizando o trabalho. Na foto, Adriana Garcia, analista de faturamento

Hoje, o Núcleo ocupa um espaço de 450m² e conta com mais de 50 colaboradores Funfarme Notícias - Outubro - 2015

7


CROSS

Revista Funfarme

CENTRAL DE REGULAÇÃO DE OFERTAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

Funfarme implanta sistema de regulação de garante mais agilidade e transparência Acostumada a moldar-se à tecnologia e atenta aos novos mecanismos disponíveis na saúde, a Funfarme adotou o sistema CROSS (Central de Regulação de Ofertas de Serviço de Saúde), ferramenta online de gestão de serviços da saúde pública para transparecer, de fato, a real situação de leitos, atendimentos ambulatoriais e de urgência e emergência em todas as unidades de saúde do Estado de São Paulo. Criado pela Secretaria da Saúde, o sistema tem como principais objetivos facilitar ações voltadas para regulação ambulatorial, agilizar transferências entre unidades de saúde da região, ou até mesmo no atendimento pré-hospitalar, neste caso, assegurando que o paciente (socorrido pelo Samu) encontre uma unidade que possua reais condições de atendê-lo, desde médicos especialistas a leitos disponíveis. Recentemente, a Funfarme havia instaurado programa ambulatorial semelhante, o WEBcas, financiado pela instituição há cinco anos, porém os arquivos não eram fornecidos ao Estado, daí a necessidade de implantar a ferramenta CROSS.

Ao centro, Jéferson Custódio, profissional responsável pelos treinamentos da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo com as lideranças e diretores da Funfarme

No sistema, ficam armazenadas informações de todas as unidades hospitalares atualizadas em tempo real, permitindo assim mapeamento das especialidades atendidas e da capacidade de atendimento de cada hospital.

Colaboradoras do setor de gerenciamento de leitos da instituição que gerenciam vagas, exames e cirurgias, garantindo agilidade nos procedimentos

8

Funfarme Notícias - Outubro - 2015


CROSS

Revista Funfarme

CENTRAL DE REGULAÇÃO DE OFERTAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

consultas e atendimento via CROSS, que nos serviços prestados à população CROSS proporcionou mais transparência nos relatórios enviados à Secretaria de Saúde Dentro do sistema foi criado espaço para que dados sejam enviados à Secretaria de Saúde, periodicamente, com relatórios baseados em todos os atendimentos registrados no sistema, número de vagas para internação, especialidades atendidas, números de consultas, exames e médicos especialistas.

Vantagens para os colaboradores da Funfarme

Informatização

Com a implantação do CROSS transparecemos nossos dados e estrutura na execução dos serviços prestados à Secretaria do Estado, visando sempre o melhor atendimento e a satisfação da população. Fátima Teixeira, coordenadora do setor de gerenciamento de cotas e agendas da Funfarme

Treinamento e capacitação

Colaboradores recebem primeiras instruções do Sistema CROSS em treinamento ministrado pelo profissional Jeferson Custódio, da Secretaria da Saúde

Durante todo o mês de setembro e outubro, profissionais da instituição foram habilitados para abertura das agendas, emissão de relatórios via CROSS. Para garantir a acessibilidade, um profissional da Secretária ministrou treinamentos a todos envolvidos nas regulamentações. “O sistema conta com a maior padronização dos processos, como também transparência nas ações e comodidade e facilidade para todos os envolvidos, desde os colaboradores da Funfarme, quanto das unidades dos municípios da DRS XV, pacientes e até o Estado, que poderá acompanhar de perto o dia a dia das unidades e suas maiores necessidades”, comentou o responsável pelos treinamentos da Secretaria do Estado, Jeferson Custódio. Funfarme Notícias - Outubro - 2015

9


Revista Funfarme

Da esquerda para a direita, Drs. Raquel e Gustavo, Luciana Domingues abraçada ao filho Guilherme e ao esposo Vilmar e os pais de Rayan (que não está na foto), dona Elisabete Bueno e Darci dos Santos

HB implanta stents e molas em aneurismas cerebrais de jovens, mesmo sem reembolso financeiro do SUS

Dois adolescentes de 14 anos, que corriam risco de morte por terem um aneurisma (dilatação) em uma artéria nominada basilar, situada na base do crânio e de extrema importância para a manutenção do fluxo sanguíneo para o cérebro, foram salvos graças à resolução da Diretoria do HB, que decidiu pelo implante de stents e molas, mesmo sem o reembolso financeiro do SUS (Sistema Único de Saúde). Moradores de Cosmorama, os adolescentes Guilherme Lázaro de Souza e Rayan Pereira dos Santos tiveram sorte morarem próximos a Rio Preto e do HB, um dos poucos centros do Brasil a ter uma equipe médica com conhecimento para realizar cirurgias deste tipo de aneurisma, que atinge 1 em cada 2.000 jovens, e equipamentos de alta tecnologia - um angiógrafo dotado do software road mapping 3D, que permite ver o aneurisma e todas as estruturas em três dimensões e com grande riqueza de detalhes. Os procedimentos cirúrgicos e o pós-operatório envolveram dezenas de profissionais da neurocirurgia, neuropediatria, neurorradiologia, UTI, enfermagem, fisioterapia, entre outras áreas do hospital.

Os aneurismas, dilatações em uma artéria, são classificados em pequenos, médios, grandes e gigantes. Quanto maior, maiores são o risco de rompimento e a compressão, consequentemente, a possibilidade de lesões neurológicas ou morte.

Os pais de Rayan, que não pode estar presente na reunião, disseram-se aliviados em morar perto de Rio Preto e do HB

Dra. Raquel Trovo Hidalgo, neurorradiologista que atendeu os dois jovens, explica como ocorre este tipo de problema e a magnitude de um aneurisma.

A Funfarme e seu complexo hospitalar existem para promover a saúde e salvar vidas. A decisão pela compra foi imediata, pois não tínhamos tempo e os pacientes corriam risco. Esperamos que em breve esses procedimentos de alto custo e de enorme impacto em sua resolução sejam incluídos pelo Ministério de Saúde no rol dos financiados pelo SUS. Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme 10 Funfarme Notícias - Outubro - 2015

As condições de Guilherme, atendido antes de Rayan, eram bem mais graves. Há um ano, após cair do cavalo e bater com a cabeça fortemente no chão, Guilherme começou a ter os movimentos dos olhos, braços e pernas, fala e a capacidade de deglutição seriamente comprometidos. “Sofremos muito porque ele tinha grande risco de morrer, mas entregamos a Deus e aos médicos, e eles foram maravilhosos”, disse o pai, Vilmar.


Revista Funfarme

Mulheres da Quimioterapia e do ICA ganham dia de beleza em comemoração ao Outubro Rosa

O mês de outubro na Funfarme foi marcado pela dedicação da instituição na conscientização sobre os riscos do câncer de mama, o de maior incidência no país entre as mulheres. A Campanha “Outubro Rosa” proporcionou às pacientes em tratamento na quimioterapia e no ICA, nos dias 22 e 23, dias de belezas, com direito a maquiagem e distribuição de lenços, fruto de parceria entre a Funfarme, centros acadêmicos de cosméticas e salões de beleza.

Comecei meu tratamento só há dois meses e ainda estou me habituando à quimioterapia. Todos me tratam super bem sempre e, com esta ação, sintome mais alegre e confiante no tratamento.

200 exames de mamografias agendados

Roseli dos Santos, paciente da Quimioterapia

Colaboradores vestem cores da campanha Alguns setores da instituição se organizaram e aderiram camisetas alusivas à data para fortalecer a importância da prevenção no ambiente de trabalho.

Secretárias do Mezanino

Outra atitude da Funfarme foi conceder exames de mamografia, principal indicador da doença, às colaboradoras que ainda não haviam feito neste ano. No mês de outubro foram abertas as inscrições e 200 colaboradoras foram agendadas. A previsão é de que até o final do ano todas façam os exames.

Núcleo de Faturamento

Funfarme Notícias - Outubro - 2015 11


Revista Funfarme

Os princípios éticos da humanização devem nortear a gestão das instituições, como ocorre na Funfarme e seus hospitais. Eliana Ribas, coordenadora da Política de Humanização da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo

A Funfarme realizou, no dia 3 de outubro, o 2º Encontro de Humanização, para o qual recebeu representantes de hospitais, santas casas e demais instituições de saúde da região. Com as presenças da coordenadora da Política de Humanização da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, Eliana Ribas, e da diretora da Divisão Regional de Saúde (DRS XV), Claudia Monteiro, os profissionais discutiram ações para disseminar e consolidar processos e ações que resultem em atendimento com cada vez mais qualidade para a população.

A humanização tem que ser afirmada diariamente, internalizada na instituição de saúde, envolvendo não só os colaboradores, mas os pacientes e familiares. Dr. Horácio Ramalho, Diretor executivo da Funfarme

Diretora da Divisão Regional de Saúde (DRS XV), Claudia Monteiro

12 Funfarme Notícias - Outubro - 2015


Revista Funfarme

Projeto Música na Funfarme encanta colaboradores, pacientes e acompanhantes

O Grupo de Trabalho da Humanização organizou série de eventos musicais para colaboradores, pacientes e acompanhantes, no dia 30 de setembro, em diversos pontos do complexo, trazendo emoção e alegria.

Saiba mais sobre o GTH da Funfarme O tamanha do complexo Funfarme, com seus mais de 4.000 funcionários, impõe o desafio desta prática diária e da disseminação dos princípios da humanização por toda a instituição. Para buscar este exercício diário, a Funfarme possui, desde 2000, o GTH, composto de 20 integrantes, entre enfermeiras, assistentes sociais, psicólogas, gestores da fundação e usuários. Uma das atrações foi o coral de alunos da Associação de Pais Amigos Excepcionais (APAE). O grupo animou e encantou o público na Emergência do HB. Logo após, a cantora Raquel Salmazo apresentou-se.

O músico Sílvio levou clássicos do MPB aos pacientes e acompanhantes no Ambulatório, Lucy Montoro e HCM.

No refeitório, músicos voluntários se apresentaram durante o período de almoço dos colaboradores. “Em meio à correria do nosso dia a dia de trabalho, tivemos um tempo para reflexão e para desacelerar um pouco a rotina”, comentou o médico residente do Lucy Montoro, Pedro Tovo.

A música é uma forma de humanização. Ela consegue amenizar a apreensão de um paciente que está no ambiente hospitalar. As canções unem bem-estar, satisfação, conforto e alegria, para colaboradores. Ana Maria Rondina, coordenadora do Grupo

Funfarme Notícias - Outubro - 2015 13


Revista Funfarme

Semana especial O B-boy Rica (de bermuda) levantou o anfiteatro do HCM com aula de Breakdance No dia 7 de outubro, a Associação dos Amigos da Criança com Câncer ou Cardiopatia (AMICC) entregou caminhões e bonecas às crianças internadas.

A contadora de histórias Tatiana transportou as crianças para um mundo de fantasia por meio de seus enredos mágicos O Hospital da Criança e Maternidade recheou o mês de outubro com atividades comemorativas em alusão ao Dia das Crianças. O dia 12 foi especial para os pacientes do hospital, pois diversas ações alegraram e animaram os pequenos que passaram o feriado prolongado internados na instituição. Houve animação infantil, entrega de brinquedos,

Também em 7 de outubro, a alunos da Engenharia Civil da Unirp trouxe alegria ao HCM, distribuindo brinquedos

A banda Polaris Kids fez apresentação musical no Hall do 7º andar. A vocalista Haline Arantes encantou a todos com sua voz

A Unimed de Votuporanga presenteou com naninhas os pacientes da quimioterapia do HCM 14 Funfarme Notícias - Outubro - 2015

A ONG Serviço Social da Redentora fez doação de fraldas e mantas para crianças e bebês hospitalizados

Linaldo e Lonólio entretiveram a todos com suas palhaçadas durante contação de histórias, no dia 15 de outubro


Revista Funfarme

comemora o Dia das Crianças Drs. Antônio Carlos Tonelli Gusson, diretor do HCM, e Amália Tieco, vice-diretora do HB, em momento de descontração na abertura do evento, no dia 12

Com muita diversão, os palhaços da Croc Croc pintaram os pequenos pacientes, deixando o dia deles mais colorido

contação de histórias e aula de Hip Hop. Em cerimônia de abertura, o diretor do HCM, Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson ressaltou a importância de se pensar em eventos deste tipo. “Fazemos ações como essas para amenizar a passagem destas crianças por aqui e para poder devolvê-las saudáveis e felizes a suas casas”. Confira nas fotos como foram as outras atividades desenvolvidas no mês de outubro.

De forma voluntária e para alegrar os dias dos pacientes hospitalizados, Cidinha Tedeschi (de rosa) doou naninhas à instituição

Passatempo virtual A ONG Estrela-Guia visitou os 6º e 7º andares do HCM, no dia 9 de outubro, distribuindo brinquedos e sorrisos

Voluntárias do grupo Operação Alegria trouxeram a contadora de histórias Daniela; a ação foi pura risada e diversão Ao fundo, o colaborador Miguel Freddi, com os filhos Luma e Enzo (ajoelhado) entregando os tablets ao paciente

Os filhos do gestor da T.I. da Funfarme, Miguel Freddi, doaram, no dia 15 de outubro, dois tablets a crianças que passam por quimioterapia no HCM. Luma e Enzo Freddi não usavam mais os dispositivos e, numa ação solidária, doaram para o setor no intuito de alegrar mais o dia a dia destas crianças em tratamento.

Funfarme Notícias - Outubro - 2015 15


Revista Funfarme

O HCM tornou-se a primeira instituição de saúde da região a utilizar atividade assistida por cães junto aos pacientes. No dia 21 de outubro, as crianças internadas no 6º e 7º andares puderam estar com os cães Lola (Golden Retriever) e Linda (Coker Spaniel) durante uma hora, acompanhados por pais, familiares, enfermeiras e pelas profissionais do Grupo Cão Afeto, a terapeuta ocupacional e psicanalista Laura Torrezan e a psicóloga Laís Milani, responsável pelos animais. Os encontros com as crianças acontecerão, inicialmente, uma vez por mês, com uma hora de duração. Crianças que não puderem deixar o leito também podem participar, mediante permissão do médico responsável. As profissionais irão com os cachorros de menor porte até o quarto do paciente. A reação das crianças e seus familiares comprovou o quanto esta atividade é benéfica a eles. Enquanto a filha Bianca, de 7 anos, divertia-se com a Golden Retriever, a decoradora Gisele Salton, de 41 anos, fotografava para enviar à família. “É uma ideia ótima. Veja a alegria de minha filha. Ela tem uma cadelinha, mas não pode conviver com ela por causa da doença. Tenho certeza que ela voltará melhor para o quarto”, disse Gisele, moradora de Nhandeara. Além de Lola e Linda, participam da atividade os cães Mel (Yorkshire) e Bud (sem raça definida e único macho do grupo).

HCM passa a adotar atividade assistida por cães no atendimento a seus pacientes

A tranquila Lola da raça Golden Retiever

HCM se preparou para introduzir a atividade Para introduzir a atividade com cães, o HCM e seus profissionais se prepararam com o rigor característico do centro de referência em pediatria e obstetrícia e hospital de ensino que é. Nos dias 14 e 16 de setembro, cerca de 100 colaboradores do hospital receberam treinamento e orientações sobre o projeto.

Benefícios da atividade com cães

16 Funfarme Notícias - Outubro - 2015

O contato de pacientes com cães promove o bem-estar, a inclusão social, melhora na ambiência hospitalar, auxilia a coordenação motora dos pacientes e na sensibilização de crianças em relação aos tratamentos, segundo a psicóloga Laís. O diretor administrativo do HCM, Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson, ressalta que a atividade irá agregar muito ao atendimento humanizado que a Funfarme já oferece. “Queremos trazer ainda mais dignidade e humanização ao nosso atendimento. A presença dos cães promoverá distração e alívio aos nossos pacientes durante a permanência no hospital”, afirmou.


Em Dia Mundial do Livro, Funfarme promove o 1º Troca Troca de Livros

Revista Funfarme

Acompanhantes folheiam livros enquanto esperam na Emergência do SUS

Nos dias 29 e 30 de outubro e 3 e 4 de novembro, a Funfarme realizou sua primeira troca de livros. O Projeto visa o incentivo à leitura e a troca de exemplares entre pacientes, acompanhantes e colaboradores da instituição. Além disso, renovar o acervo da Biblioteca do HB. No total, foram 278 unidades permutadas e 132 doações feitas. “Selecionamos grandes nomes das literaturas nacionais e internacionais. Queremos oferecer uma leitura de qualidade. E o mais impressionante é que os títulos que recebemos também eram bons”, comentou Cristiane Midori, coordenadora dos Recursos Humanos.

Paixão pela leitura Stefanie de Souza (à direita na foto), de 20 anos, auxiliar administrativa do HB, conta que a troca foi essencial para sua coleção. “Eu sou uma apaixonada por livros. Trouxe alguns de casa para trocar e me surpreendi com a quantidade e a variedade dos livros que encontrei disponíveis para a troca”, comentou Stefanie.

Dia Na cio nal do Livro

O primeiro dia da ação foi escolhido em função da data. Em 29 de outubro é comemorado o Dia Nacional do Livro. O projeto cultural será realizado duas vezes por ano e em dois períodos diferentes. A Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo possui acervo de mais de 3.500 obras literárias, não médicas. São livros de ficção, bibliografias, autoajuda, literaturas nacional, internacional e infantil, entre outros.

5º Dia 93 livros

2º Dia 84 livros

1º Dia 34 livros

3º Dia 67 livros

Funfarme Notícias - Outubro - 2015 17


Revista Funfarme

HB contará nova técnica cirúrgica para tratar incontinência urinária O HB irá adotar uma nova técnica cirúrgica para tratar a incontinência urinária em pacientes pós-tratamento de câncer de próstata. A nova técnica, na qual uma tela sintética é posicionada abaixo da uretra, oferece ao paciente mais qualidade de vida. Para passar a ser realizada, a equipe do Serviço de Urologia do Hospital de Base recebeu, na no dia 19 de outubro, Dr. Luis Gustavo de Oliveira, (na foto, segundo da esquerda para direita) professor assistente da Disciplina de Urologia da Faculdade da Santa Casa de São Paulo, que realizou duas cirurgias e ensinou a técnica aos profissionais do HB. A incontinência urinária é um problema que acomete de 5 a 10% dos pacientes que já tiveram câncer de próstata.

Caminhão-sala traz palestras sobre infecções em UTIs à população e colaboradores Com foco em prevenção de infecções nas UTIs, a Funfarme recebeu, no dia 29 de setembro, um caminhão que vira sala de aula, com equipamentos e televisores para abordar diversos temas sobre infecções em UTIs. As palestras foram dadas por profissionais da Funfarme para equipes multidisciplinares da saúde e também acompanhantes de pacientes que estavam nas UTIs.

Diagnóstico diferencial de úlceras é tema de palestra ministrada pelo vascular Dr. André Miquelin Cerca de 40 profissionais da saúde participaram da palestra ministrada pelo médico Dr. André Miquelin, no dia 25 de setembro sobre o tema “Diagnóstico Diferencial das úlceras (não flebostáticas) dos membros inferiores”. Por meio da discussão de casos, o médico destacou possibilidades de se diagnosticar diferentes tipos de úlceras e maneiras de se portar no prognóstico, abordando comportamento do paciente e trabalhos de outras áreas, como o serviço social e psicologia, por exemplo.

Aula sobre nutrivigilância por meio do Telemedicina Cerca de 10 multiprofissionais da saúde participaram de aula sobre “Nutrivigilância de formulações enterais no contexto da segurança do paciente hospitalizado”. A palestra, dada por meio de videoconferência, faz parte do programa da educação continuada oferecida pelo do Ministério da Saúde, o Telemedicina. Kleber Oliveira da Gerência de Riscos explica que “a troca com outras instituições, como o Hospital Universitário Alcides Carneiro, na Paraíba, é uma maneira de agregar conhecimento aos profissionais de ambas localidades”.

18 Funfarme Notícias - Outubro - 2015

Profissionais da Funfarme se aprimorarem sobre o diabetes, enquanto visitantes realizam teste de glicemia em caminhã Doença que atinge 14 milhões de pessoas no Brasil, o diabetes foi o foco de atividades realizadas num caminhão especialmente adaptado para abrigá-las e que ficou estacionado nos dias 5 e 6 de outubro, ao lado do HCM. Enquanto no interior do veículo, profissionais de saúde da Funfarme assistem palestras sobre o diabetes e seus números, o que significa ter bom controle da doença e opções de tratamento, do lado de fora, pacientes e visitantes do complexo hospitalar foram convidados a fazer testes gratuitos de glicemia.


Revista Funfarme

Biblioteca Dicas de livros da “Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo”, situada no térreo do HB. Colaboradores, pacientes e acompanhantes podem retirá-los. Informações no ramal 1843.

On the road De Sal Paradise

Sal Paradise é o narrador de ‘On the road - pé na estrada’. Ele vive com sua tia em Nova Jersey, Estados Unidos, enquanto tenta escrever um livro. Em Nova Iorque, conhece um andarilho de Denver de personalidade magnética chamado Dean Moriarty. Dean é cinco anos mais novo que Sal, mas compartilha o seu amor por literatura, jazz e a ânsia de correr o mundo. Tornam-se amigos e, juntos, atravessam os Estados Unidos, de New Jersey até a Costa Oeste, deparando-se com os mais variados tipos de pessoas, numa jornada que é tanto uma viagem pelo interior de um país pela Rota 66 quanto uma viagem de autoconhecimento - de uma geração assim como dos personagens.

Desvendando os segredos da linguagem corporal Allan e Barbara Pease

Este guia procura ensinar como melhorar os relacionamentos, aumentando a capacidade de comunicação e de entendimento com as pessoas. Além disso, mostra ao leitor como - causar uma impressão positiva nas pessoas; ser bem-sucedido em entrevistas e negociações; saber se uma pessoa está disponível; criar vínculos rapidamente e obter a cooperação de alguém; tornar-se uma pessoa agradável e sociável; saber se uma pessoa está mentindo; ler nas entrelinhas; usar a linguagem corporal para conseguir o que deseja; reconhecer sinais amorosos e jogos de poder.

Meu nome não é Johnny

De João Guilherme Estrella

Meu nome não é Johnny é a biografia de João Guilherme Estrella, jovem bem-nascido da Zona Sul carioca que virou um megafornecedor de drogas nos anos 90. Utilizando recursos ficcionais, Fiuza conta a saga de Estrella num compasso vertiginoso, em ritmo de thriller. A viagem real de um filho da burguesia à elite do tráfico.

Em comemoração ao Dia do Profissional do Secretariado, colaboradores da Funfarme recebem instrução sobre postura corporal

Ginástica Laboral ajuda a melhorar qualidade de vida no trabalho

Deitar de lado, em cima do braço, dormir de barriga para baixo, atender ao telefone e, ao mesmo tempo, digitar. Apesar de passar despercebido, a postura desalinhada dessas atividades pode interferir e muito na qualidade de vida. Isso foi o que disse a terapeuta ocupacional da Funfarme Graziella Paula, em palestra ministrada aos profissionais do secretariado da instituição, no dia 29 de setembro, em comemoração ao dia dos secretários, 30 de setembro. Após a palestra, algumas orientações práticas de exercícios laborais foram passadas para os colaboradores.

Achei o curso muito útil e interessante. A gente nem percebe o quanto dorme errado e a aula me ajudou a lembrar de usar o travesseiro entre as pernas para dormir, por exemplo. Foi muito benéfico. Mirela Alenac, Aux. administrativa da Central de Cadastros

Delegada fala como superar limites diários

Delegada Cristina Helena Santana tira dúvidas dos colaboradores

Ainda como parte das programações, na mesma semana houve palestra proferida pela Dra. Cristina Helena Santana, delegada das delegacias da mulher e do idoso de Rio Preto, que falou sobre superar limites diários e da importância de estarmos bem com nós mesmos.

Abordando o tema de forma clara, compartilhamos algumas dicas simples que poderão melhorar o dia a dia destes profissionais, como alongamento e relaxamento dos músculos. Graziella Paula, Terapeuta Ocupacional Funfarme Notícias - Outubro - 2015 19


Revista Funfarme

Varicela (Catapora) O QUE É? A varicela (catapora) é uma doença infecciosa, altamente contagiosa, causada pelo vírus Varicella-Zoster, geralmente é benigna e autolimitada. Manifesta-se com maior frequência em crianças, com incidência no fim do inverno e início da primavera, sendo comum, neste período, a ocorrência de surtos. Uma vez adquirido o vírus, a pessoa fica imune. No entanto, o vírus permanece latente após a infecção primária em nosso corpo a vida toda e pode ser reativado e causar o Herpes-Zoster, principalmente em adultos e pacientes imunocomprometidos, como portadores de doenças crônicas, neoplasias, AIDS e outras. MANIFESTAÇÕES: Caracterizada por surgimento de exantema de aspecto máculo-papular, que após algumas horas, adquire aspecto vesicular, evoluindo rapidamente para pústulas e, posteriormente, formando crostas em 3 a 4 dias. Pode ocorrer febre moderada e sintomas sistêmicos. Aos primeiros sintomas é necessário procurar um serviço de saúde para avaliação médica e orientação. COMPLICAÇÕES: Podem variar desde infecção secundária das lesões de pele, pneumonia, encefalite, complicações hemorrágicas, hepatite, artrite, Síndrome de Reye, até relatos de infecção invasiva severa por estreptococos do grupo A (GAS), podendo levar a óbito. TRANSMISSÃO: A transmissão pessoa a pessoa ocorre primariamente por contato direto com pacientes com varicela, por disseminação aérea de partículas virais (aerossóis) e, raramente, através de contato com lesões de pele. Indiretamente é transmitida através de objetos contaminados com secreções de vesículas e membranas mucosas de pacientes infectados. VACINA: Em 2013, o Ministério da Saúde introduziu na rotina a vacina tetra viral, que protege contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela, para crianças entre 15 meses e 2 anos de idade que já tenham sido vacinadas com a primeira dose da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).A vacina de Varicela tem suas indicações precisas, levando em conta a situação epidemiológica da doença, por isso não está disponível de forma universal no SUS, porém é disponibilizado pelo CRIE para pacientes em situações especias. NOTIFICAÇÃO: Os surtos de varicela são notificados no SINAN. Recomenda-se monitorar as hospitalizações por varicela e os óbitos relacionados a esse agravo, a fim de acompanhar a tendência do comportamento epidemiológico desta doença. SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA: No Brasil no período entre 2000 a 2013 foram notificados 7.113 casos de varicela, a região Nordeste notificou o maior número com 2097 (29,4%) dos casos, seguindo a região Sudeste com 1.794 (25,2), enquanto a região Centro oeste notificou apenas 993 (13,9%).Em 2013, destaca-se o ano com o maior registro de casos varicela com 857 (12,0%) casos e em 2000 com menor 181 (2,5%).A média de casos notificados neste período foi de 508 casos. ORIENTAÇÕES GERAIS: Para evitar o contágio é necessário restringir a criança ou adulto com catapora de locais públicos até que todas as lesões tenham evoluído para crostas; se internado, o paciente deve permanecer em quarto privativo, em precauções de contato e aerossol; manter cuidados adequados de higiene; pessoas com catapora não devem ter contato com recém-nascidos, mulheres grávidas ou qualquer indivíduo que esteja com a imunidade baixa.

Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (DNC), notificadas no NHE/HB/FUNFARME no período de janeiro a agosto de 2015.

Situação atual de Varicela em São José do Rio Preto, de 01/01/2015 a 22/09/2015. Observou-se 14 surtos de varicela, distribuídos em diversos bairros do município. Sempre a partir do primeiro caso é realizado investigação de comunicantes e bloqueio vacinal, onde segundo indicações a Secretaria de Estado da Saúde libera a vacina de Varicela. Fonte: SINAN_Net-GIVS-VE-SMS_SJRP dados até 22/09/2015

Referências: 1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica. 7. ed., 2009 – Varicela. 4. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009. 2. Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Saúde. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”. Informe técnico Varicela 2010. 3. Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Saúde. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”. Informe Técnico Vacina Sarampo,

Fonte: SINAN Net-FIN-FIE-Planilhas de acompanhamento-Dengue,Influenza online/NHE/HB/FUNFARME *Dados provisórios, investigação em andamento. Dados provisórios até 27/08/2015 Not. (notificados) Conf.(confirmados) ** SRAG internados

A varicela apresenta distribuição mundial. A recomendação para o viajante é a manutenção de seu calendário vacinal em dia. Acesse o site da ANVISA e procure um Centro de Orientação de Viajantes mais próximo para atendimento e emissão do Certificado Internacional de Vacinação. SITE: http://www.anvisa.gov.br/viajante/

Varicela- NOTIFIQUE NHE/FUNFARME - Ramais do NHE/HB – 1380 e 1837 . Segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. HTTP:// www.hospitaldebase.com.br/nhe - À noite, nos finais de semana e feriados, passar FAX no ramal = xxx ou ligar no telefone do plantão da Vigilância Epidemiológica do município de São José do Rio Preto: 17 - 99784-8863 20 Funfarme Notícias - Outubro - 2015

Revista Funfarme Outubro 2015  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you