Page 1

FUNFARME n

o

t

Ano XIV / Nº 181 - Março - 2017

í

c

i

a

s

A partir da esquerda, Drs. João Fernando Picollo (vice-diretor do HB), Amália Tieco (diretora do HB), Jorge Fares (diretor executivo da Funfarme), Luiz Sergio Ronchi (vice-diretor executivo da Funfarme), Leila Borim (diretora do HCM) e Maria Lúcia Veloso (vice-diretora do HCM)

Novas Diretorias assumem Funfarme, HB e HCM para gestão 2017/2022 Páginas 6 e 7


Revista Funfarme

Editorial

Despedida e gratidão Foi com muita honra que dirigimos esse gigantesco Complexo Hospitalar por dois mandatos - 8 anos. Todos juntos, pensamos ideias que poderíamos pôr em prática. Fizemos questão de trabalharmos em gestão compartilhada e democrática; ouvindo a todos! Nesses anos foram centenas de obras, reformas e construções. Novos prédios foram criando formas e aparecendo no meio dessa cidade chamada Funfarme: HCM, 2 unidades Lucy Montoro, novo ICA, nova extensão do Ambulatório, novo prédio do refeitório/faturamento e Lactário, os dois novos Blocos C e D – que abrigará a radioterapia e outros setores e tantas transformações. Além da aquisição de inúmeros equipamentos, com as tecnologias mais avançadas da medicina. São tantas mudanças que nós mesmos ficamos espantados ao andar pelos corredores e unidades. A maior prova disso é a tecnologia e informatização que temos hoje. Não há na história desse país uma Instituição desse porte que tenha se informatizado de uma só vez, como fizemos. Mas, o mais importante disso tudo foi ver a evolução, mudança na mentalidade, na autoestima e o crescimento pessoal e profissional de todos que aqui trabalham. Centenas de treinamentos, cursos, workshops, simpósios, congressos foram e são promovidos pela Funfarme visando o aprimoramento e mais aquisição de conhecimento de nossos colaboradores e de outras instituições. Com parceiras com instituições de ensino superior, ampliamos as oportunidades para nossos colaboradores fazerem cursos de graduação e pós-graduação para tornarem-se profissionais mais qualificados e buscarem a ascenção em nossa Fundação. Todos vocês foram protagonistas dessa verdadeira revolução e tenho certeza de que terão orgulho de contá-la para seus amigos, filhos e netos. Os pilares fundamentais, que são a assistência muldisciplinar, o ensino e pesquisa, estão restaurados, sólidos e em pleno desenvolvimento. Nosso Centro Integrado de Pesquisa, em seus pouco mais de 5 anos, consolidou-se

como um dos mais respeitados e produtivos do Brasil. Não permitiremos retrocessos e não faremos concessões que ameacem o que construímos com tanto sacrifício. É impensável que, no futuro, os poderes públicos, federal e estadual não nos proporcionem financiamento adequado e contínuo para mantermos nossa estabilidade administrativa. Se valeu à pena? Como valeu! Mostramos que é possível fazer um SUS que dá certo, onde cada centavo investido é bem aplicado e proporciona atendimento de qualidade e com dignidade aos nossos pacientes. A palavra que a nossa Diretoria quer expressar é GRATIDÃO, pois nada teria sido possível sem a ajuda de vocês, colaboradores comprometidos, responsáveis e dedicados, que juntos deram as mãos e embarcaram em nosso sonho de proporcionar uma Funfarme melhor, um complexo hospitalar que hoje, sem sombra de dúvidas, é um dos melhores do país! Queremos agradecer a cada diretor de Unidade, docentes, curadoria, residentes, superintendentes, gestores/ líderes, cada voluntário e cada colaborador - do mais graduado ao mais humilde funcionário. Temos orgulho de ter trabalhado com todos vocês. O desafio não termina por aqui. Agora tem continuidade com as novas Diretorias, com Dr. Jorge Fares e Luiz Sergio Ronchi, na Diretoria Executiva da Funfarme; Dra. Amália e Dr. Picolo, na Diretoria do HB; e Dras. Leila Borim e Maria Lucia Barcellos Veloso, à frente da Diretoria do HCM, além dos nossos diretores clínicos, técnicos e da Famerp, com Dr. Dulcimar e Dr. Cury. Desejamos todo sucesso a eles e contamos com o apoio de vocês para que a nova gestão prospere e tenha muitas realizações. Viva a utopia do sonho que acalentamos em transformar nossa Instituição! Viva a vitória de um SUS digno, humano e de alta eficiência. Agradecemos a todos e que Deus nos proteja nessa nova etapa!

Dr. Horácio José Ramalho Diretor Executivo da Funfarme gestão 2008/2017

Dr. José Luís Esteves Francisco Vice-Diretor Executivo Funfarme gestão 20008/2017

Expediente Gestão 2008/2017 Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) Ano XIV/ Nº 181 Março - 2017 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico do HB: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira • Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca 2

Funfarme Notícias - Março - 2017

• Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Luiz Sérgio Ronchi • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Diretor do HCM: Dr. Antônio C. T. Gusson • Vice-Diretora do HCM Dra. Eloísa Galão • Diretor Clínico do HCM: Dr. Paulo Poiati Junior

• Vice-Diretor Clínico do HCM: Dr. Wagner Vicensoto • Diretor Técnico do HCM: Gustavo Henrique de Oliveira Produção Editorial: Intermídia Comunicação Empresarial Telefone: 17 3011-5435 Jornalista responsável: MTB 24.527 Jornalistas: Fernanda Martinazzi e Carlos Cristal Estagiário: Marina Biaso Diagramação: Roger Goulart Impressão: Gráfica Fotogravura Rio Preto Tiragem: 2000 exemplares


Revista Funfarme

Hospital de Base conquista Selo Hospital Amigo do Idoso Após desenvolver um plano de ações para aperfeiçoar o atendimento à população idosa, o HB conquistou, no dia de 3 abril, o selo Inicial “Hospital Amigo do Idoso”. Trata-se de importante reconhecimento da qualidade do atendimento e serviços prestados aos idosos, que representam 38% do número de atendimentos de emergência

Integrantes do Comitê Gestor do Idoso, junto com Cláudia Fló (ao centro, de vestido estampado), coordenadora da Saúde do Idoso do Governo do Estado de São Paulo

e internação no hospital. “Agrademos o empenho de todos os envolvidos nessa conquista. Demos um passo significativo em atenção aos nossos idosos. Não vamos parar por aqui. Queremos um serviço de saúde cada vez melhor”, disse a superintendente assistencial da Funfarme, Maria Regina Jabur.

Além de ações que o já vem desenvolvendo ao longo dos anos para manter oferecer atendimento cada vez mais humanizado ao idoso, o HB irá adotar as seguintes medidas nos próximos seis meses: • Inserir ações voltadas ao idoso no planejamento do Hospital; • Implantar o plano de acessibilidade com foco nas necessidades dos idosos;

• Oferecer educação permanente em envelhecimento e saúde do idoso para toda a equipe; • Identificar e incluir as necessidades dos idosos nas ações de humanização; • Aprimorar as boas práticas na assistência, priorizando os aspectos de segurança e conforto necessários ao atendimento da população idosa.

Novas normas Compliance: Funfarme implanta código de conduta ética e manual de relacionamento com fornecedores e representantes e corpo clínico Nas empresas, Compliance é o conjunto de disciplinas implantados para fazer cumprir as normas legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio e para as atividades, bem como evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer. Pensando nisso, a Funfarme implantou seu código de conduta ética para os colaborares e o manual de relacionamento com fornecedores e representantes comerciais e corpo clínico. O manual de relacionamento foi inserido em todos os contratos vigentes com a Instituição e ressalta que “a Funfarme assegura um modelo operacional em que os diversos aspectos de suas atividades, como o processo de compras, os modelos de remuneração, as iniciativas de redução de custos, a gestão do acesso à saúde, a proteção da privacidade e a segurança do paciente, a gestão do relacionamento com médi-

cos, indústria, governo e operadoras de planos de saúde, entre outros, atendam aos mais elevados padrões éticos, sendo exercidos com lisura e responsabilidade. As premissas de transparência e integridade são condições essenciais para o cumprimento das atividades juntamente com seu corpo clínico e colaboradores, adotando integralmente os princípios éticos e a intolerância com qualquer forma de desvio de conduta e corrupção”. O manual de conduta também segue os padrões de ética e modelos de gestão baseados na transparência e lisura e acrescenta outros pontos a serem seguidos como: Comprometimento da liderança gerencial e uma política anticorrupção claramente articulada; realização de treinamentos e educação eficazes; Desenvolvimento de linhas eficazes de comunicação (incluindo uma opção para realizar relatos anônimos); Realização de avaliações de riscos, monitoramento e auditoria interna; entre outros.

Instituição homenageia décadas de serviços prestados por colaboradores em despedida

Os manuais estão disponíveis em: http://www.hospitaldebase.com.br/transparencia-funfarme Funfarme Notícias - Março - 2017

3


Revista Funfarme

HB ganha ala especializada no atendimento a pacientes com AVC, doença que mais mata no Brasil No dia 23 de março, a Funfarme inaugurou a Unidade de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral (AVC), localizada no HB, especializada nos cuidados a este tipo de doença, já que a agilidade no atendimento é fundamental para a melhor ou total recuperação do paciente. A Unidade recebeu o nome do Dr. Waldir Antonio Tognola, neurologista da Fundação e professor emérito da Famerp. O grande diferencial da Unidade é oferecer à população de de Rio Preto e Dr. Waldir Tognola enfatizou que a instituição tem de trabalhar região, pelo SUS, a terapia trompara criar um atendimento de excelência dentro da própria realidade bolítica (ou trombólise), método e não copiar outros modelos. O grande desafio é entender as que pode reverter o quadro clínecessidades dos pacientes e devolver em forma de assistência e saúde. nico do AVC. Foram investidos R$ Demanda e ampliação 200 mil, recursos próprios da Fundação, em mobiliáA demanda é grande. São inrios, obra e infraestrutura. ternados no Hospital de Base 74 A Unidade possui 10 nopacientes, em média, por mês vos leitos na Emergência com AVC, dos quais, 70% são do SUS do HB, ocupando com AVC isquêmico. De acordo área de 350 m², com equicom o Ministério da Saúde, o AVC pe multiprofissional espeé a principal causa de morte e incializada e especialmente capacidade no país. Ante a estes dedicada a pacientes com números, o objetivo da Diretoria AVC. São dois médicos (sudo HB é investir mais no setor pervisor e residente - este para que, futuramente, amplie-se à disposição 24 horas), a capacidade para 18 leitos. cinco enfermeiros (um supervisor e 4 clínicos) e Juntamente com o Dr. Tognola, estabelecemos uma integração 10 técnicos, estes trabalhando também em escala de 24 horas), entre a neurologia e a neurocirurgia. Creio que somos um dos fisioterapeutas (24h), nutricioúnicos serviços do país em que as duas especialidades trabalham nistas e fonoaudiólogos. O paunidas, com reuniões semanais. Aprendi muito com ele e essa ciente que chegar ao HB com os homenagem é mais que justa. sintomas será internado sob os cuidados da equipe e ficará em Dr. Antonio Ronaldo Spotti, chefe do Departamento de Ciências Neurológicas observação por até 48 horas.

Com a crise da Saúde no Brasil, vemos hospitais fechando. Trabalhamos na contramão deste cenário. Hoje, entregamos mais um setor que só trará benefícios à população. É mais um serviço do qual certamente também nos tornaremos referência. Dr. Horácio José Ramalho, na cerimônia de inauguração

4

Funfarme Notícias - Março - 2017

Entenda a terapia trombolítica Trata-se de uma injeção de medicação específica que desobstrui o vaso sanguíneo, podendo reverter o AVC, quando aplicada nas primeiras 4h30 após a manifestação inicial dos sintomas. O procedimento é indicado apenas para os AVCs isquêmicos.

Saiba + sobre o AVC Existem dois tipos de Acidente Vascular Cerebral. Um deles ocorre a partir da obstrução de um vaso sanguíneo cerebral (isquêmico) e o outro, pela ruptura dele (hemorrágico).


Revista Funfarme

Nova Emergência Obstétrica oferece atendimento ainda melhor e humanizado a gestantes O HCM inaugurou, no dia 22 de março, sua Emergência Obstétrica, com recursos próprios da Funfarme. Foram investidos R$ 340 mil em equipamentos, mobiliário e construção civil, em área de 400 metros quadrados. A unidade, uma das maiores do Estado, possui 13 leitos, três para o pronto-atendimento, e 10 na área de observação. Além de contar com todos os equipamentos necessários a uma emergência, sendo os mais modernos disponíveis, o novo setor do HCM foi planejado para oferecer às gestantes ambiente agradável e confortável, totalmente climatizado A nova emergência tem acesso próprio para ambulâncias, permitindo mais agilidade no atendimento.

O complexo é um exemplo nacional de atendimento SUS. O que se faz nesta Fundação é invejável. Entregamos mais um setor, humanizado e especialidade de qualidade. Todos profissionais que vêm de fora ficam impressionados com o que fazemos aqui. E nada disso seria possível se não fosse o comprometimento de cada um de vocês com o trabalho aqui desenvolvido e com a população que atendemos.

Ao lado e abaixo, poltronas ergonômicas e leitos com modernos equipamentos, todos necessários ao funcionamento de uma emergência

A exemplo de todos os setores inaugurados nos últimos 8 anos, a Emergência possui instalações modernas, agradáveis e decoradas, o que confere um acolhimento humanizado

Dr. Horácio Ramalho,

Dra. Lola é homenageada A nova Emergência Obstétrica recebeu o nome da médica obstetra Dra. Eloísa Galão ou Dra. Lola, como todos a conhecem no complexo hospitalar Funfarme. Emocionada, ela agradeceu: “Nem posso dizer que trabalho, porque faço tudo com amor. Vocês, que vieram de diversos setores, aqui presentes, acompanham a realização de mais um sonho. Vocês não são apenas colegas de trabalho, são uma família para mim. É uma honra poder dividir este momento com todos.” Funfarme Notícias - Março - 2017

5


Revista Funfarme

Novos diretores da Funfarme, HB e HCM tomam

Cerimônia de posse aconteceu na Famerp e reuniu autoridades locais e da instiuição

Dr. Jorge Fares e Dr. Luiz Sergio Ronchi foram eleitos, respectivamente, diretor executivo e vice-diretor executivo da Funfarme para o mandato de quatro anos (2017/2021). Os dois foram escolhidos, por unanimidade, pelos membros do Conselho Consultivo da Fundação. O grande desafio desses novos diretores é dar continuidade ao trabalho feito por seus antecessores, os Drs. Horácio Ramalho e José Luis Esteves, que estiveram à frente da instituição por oito anos. O presidente do Conselho de Administração da Funfarme, Dr. Dulcimar Donizeti de Souza e o promotor Sérgio Clementino pediram que fosse registrado “voto de louvor” pela administração moderna, eficiente, transparente e extremamente honesta que tem sido realizada na Fundação.

Estou certo de que podemos ser ainda mais eficientes e econômicos para que possamos oferecer à população serviços cada vez melhores. Ressalto ainda que a harmonia com a Famerp irá se manter. Dr. Jorge Fares, diretor executivo da Funfarme

Funfarme Diretor Executivo – Dr. Jorge Fares Médico clínico geral formado pela Famerp, é especialista em Clínica Médica pela USP e mestre em Ciências da Saúde pela Famerp, da qual é professor. Com grande experiência em administrar, ocupa cargos de liderança na Fundação desde os anos 90.

Vice-Diretor Executivo – Dr. Luiz Sergio Ronchi Médico cirurgião e coloproctologista formado e especialista pela Famerp, da qual faz parte do Serviço de Coloproctologia. Também foi diretor adjunto de alunos e coordenador da 3ª Série Médica da Faculdade. Desde o final do ano passado, era o diretor do Ambulatório Geral de Especialidades.

6

Funfarme Notícias - Março - 2017

A partir da esquerda, o promotor de justiça Sérgio Clementino, Dr. Dulcimar Donizeti, Dr. Jorge Fares e o Dr. Luiz Sérgio Ronchi


Revista Funfarme

posse para mandato de quatro anos (2017/2021) Também foram eleitos os diretores clínicos do HB e administrativos do HCM e Hospital de Base. Dra. Amália Tieco da Rocha Sabbag e Dr. João Fernando Picollo de Oliveira assumiram a administração do HB. Já os Drs. Alceu Chueire e Valdeci Hélio a diretoria clínica do hospital. No HCM, as médicas Leila Neves Borim e Maria Lúcia Veloso foram eleitas diretora e vice, respectivamente, da administração do HCM. A eleição para a Diretoria Clínica do Hospital da Criança acontece em agosto.

Hospital de Base

A partir da esquerda, Drs. Picollo (vice HB), Amália (diretora HB), Maria Lúcia (Vice HCM), Leila (Diretora do HCM), Hélio (vice clínico do HB) e Alceu (Diretor Clínico do HB)

Diretora Administrativa – Dra. Amália Tieco da Rocha Sabbag Médica anestesista formada e especialista pela Famerp, instituição na qual cursa mestrado em anestesia cardíaca. Foi, nos últimos quatro anos, vice-diretora administrativa do Hospital de Base, no qual também foi chefe do Centro Cirúrgico.

Vice-Diretor Administrativo – Dr. João Fernando Picollo de Oliveira Médico formado pela Faculdade de Medicina de Valença (RJ), especialista em nefrologia e mestre em Ciências da Saúde pela Famerp, instituição da qual também é professor. Exerceu, nos últimos quatro anos, o cargo de Diretor Clínico do HB e é coordenador da Organização de Procura de Órgãos (OPO) do hospital.

Diretor Clínico – Dr. Alceu Gomes Chueire Médico formado e especialista em Ortopedia e Tarumatologia pela PUC de SP. Mestre e doutor em Ortopedia e Traumatologia, com Livre Docência pela Famerp. É chefe da Disciplina de Ortopedia e do Grupo de Quadril da Funfarme/Famerp. Preside o Comitê de Ética Médica do HB.

Vice-Diretor Clínico – Dr. Valdeci Hélio Floriano Médico formado pela Universidade São Francisco (Bragança Paulista –SP), especialista em neurorradiologia e doutor em Ciências da Saúde pela Famerp, instituição da qual é preceptor da Residência Médica em Radiologia. Foi chefe do Serviço de Imagem do HB e, atualmente, é membro do Comitê de Ética Médica da Famerp.

Hospital da Criança e Maternidade Diretora Administrativa – Dra. Leila Neves Bastos Borim Médica oncologista pediátrica e mestre Ciências da Saúde pela Famerp, instituição da qual é professora. Tem doutorado em Ciências pela USP. Foi Chefe do Departamento de Pediatria da Famerp.

Vice-Diretora Administrativa – Dra. Maria Lúcia Luiz Barcelos Veloso Médica ginecologista e obstetra formada e com mestrado em Ciências da Saúde pela Famerp, da qual é professora assistente e sub-chefe da Disciplina de Obstetrícia.

Esta diretoria espera dar continuidade a assistência e prestação de serviços à comunidade, dando sequência ao que foi planejado a longo prazo para este hospital. Dra. Leila Borim, diretora do HCM

Agradeço a confiança e a oportunidade do desafio de continuar levando o nome do HB como referência em excelência na saúde, conto com a colaboração de todos para uma gestão de realizações e sucesso!!! Dra. Amália Tieco, diretora do HB Funfarme Notícias - Março - 2017

7


Revista Funfarme

Aparelho UTI do 7° andar permite recebe novo aplicar equipamento anestesia de ultrassom enquanto paciente Mais um investimento em tecnologia pela Fundação, a UTI do faz 7° andar dispõe de novo aparelho portátil de ultrassom, o Sanosite ressonância M Turbo, que fornece informações ainda mais precisas e seguras durante procedimentos como, por exemplo, a passagem de catéter venoso central e exames do pulmão e abdômen. Além da precisão e segurança e imagens de alta definição, por ser móvel, o equipamento permite que os exames sejam feitos no leito, evitando que o paciente tenha que se deslocar para realizá-lo. Conforto e comodidade para o paciente e mais agilidade no atendimento dos profissionais da UTI. Enfermeiros e médicos da unidade fizeram treinamento para aprender a utilizar o ultrassom e extrair dele o máximo de informações disponibilizadas.

Transportados em carrinhos de metal, os aparelhos de anestesia eram proibidos dentro da ressonância magnética, o que limitava a realização do exame em pacientes que necessitam de sedação. Não mais! O HB adquiriu novo aparelho de anestesia específico para uso durante o exame de ressonância. O carrinho é feito de materiais que não são atraídos pelo campo magnético do aparelho de ressonância, afastando risco de acidente. A médica anestesista do hospital, Dra. Amália Tieco, ressalta ser uma importante aquisição. “Podemos agora aplicar a anestesia durante o exame de ressonância, o que antes era inviável para muitos pacientes, causando-lhes desconforto. Este é mais um exemplo do quanto a nossa instituição preocupa-se em oferecer um atendimento cada vez mais qualificado.”

Novo ultrassom possibilita realizar elastografia Em março, o Setor de Ultrassonografia recebeu um novo aparelho, o Phillips Affiniti 70, que tem como diferencial a realização do exame de elastografia shear waves (ondas de cisalhamento), técnica de diagnóstico por imagem que detecta o grau de rigidez do tecido analisado. O mesmo equipamento realiza exames de ultrassonografia e Doppler, detectando também nódulos e selecionando as áreas do parênquima a serem avaliadas. “Utilizada principalmente para avaliar alterações no fígado, de nódulos e doenças hepáticas crônicas, a elastografia tem como principal vantagem diminuir o número de biópsias. Além de ser mais econômico, o exame permite, de maneira não invasiva, indolor e sem riscos para o paciente, avaliar o grau de fibrose hepática, fundamental para a decisão terapêutica”, explica a médica radiologista Dra. Divanei A. Bottaro Criado, chefe do Setor de Ultrassonografia do HB. A elastografia, que tem o benefício de não causar dor, pode ser utilizada também para analisar tireóide, mamas, glândulas salivares, linfonodos, pâncreas, baço, testículos e próstata.

O ultrassom emite ondas sonoras que refletem o grau de rigidez do tecido avaliado, mensurado em escala numérica ou de cores por um programa acoplado ao equipamento

8

Funfarme Notícias - Março - 2017


Revista Funfarme

Colaboradores veem na instituição chance de crescimento profissional Faz parte da cultura organizacional da Funfarme estimular os colaboradores a investirem em si próprios para crescerem dentro da instituição. São inúmeros os recrutamentos internos, processos seletivos e promoções, sobretudo nos últimos anos. Nesta página, você conhece as histórias de alguns colegas que tiveram o empenho e a dedicação recompensados com promoções ou remanejamentos.

“O desafio de assumir um novo setor pode parecer algo assustador no início, mas é recompensador. São passos que precisamos dar para alcançar nossos objetivos profissionais”, disse Joseane de Souza, responsável pelas portarias e recepções do HCM. Joseane ingressou na instituição, em 2010, como telefonista. Em agosto de 2015, participou do processo de remanejamento interno e hoje lidera 48 colegas. “O importante é sempre nos mantermos atentos e dispostos a aproveitar as oportunidades que surgem. Meu próximo passo é fazer pós-graduação em administração hospitalar”, revelou.

Promovemos um espírito de autodesenvolvimento, estimulando todos na Instituição à busca constante do crescimento profissional. Cristiane Midori, responsável pelo Setor de Recursos Humanos da Funfarme

Jonas Mazzeti começou na Funfarme, em 2015, como porteiro dos convênios. Bastou apenas um ano para aproveitar um recrutamento interno e participar de processo seletivo para conquistar o cargo de auxiliar administrativo do Ambulatório. “Foi algo essencial na minha vida. Além da carga horária ser mais compatível como meus compromissos, o recrutamento aconteceu no mesmo período que minha esposa ficou desempregada e tive que assumir todas as despesas.” Maria Eugênia sempre sonhou em ser farmacêutica. Em 2012, teve seu sonho realizado quando começou a trabalhar na farmácia da emergência do HB. Através dessa conquista, pôde continuar seus estudos e hoje é pós-graduada em farmacologia clínica. Porém, o processo não foi fácil. Maria passou por um recrutamento interno, no qual havia apenas uma vaga e foi a selecionada. Hoje, ela deixa uma dica importante para quem está pensando em começar na área: é fundamental fazer primeiramente um curso técnico, pois assim você pode ter uma noção melhor do trabalho no dia a dia e decidir sobre que futuro seguir. Ela acrescenta, ainda, que a satisfação em fazer parte de uma área tão importante é a melhor parte de seu trabalho e, assim, pode cuidadosamente ajudar muitas pessoas. Funfarme Notícias - Março - 2017

9


Revista Funfarme

Artigo

A importância da gestão da qualidade com foco na segurança do paciente Profa. Dra. Lúcia Marinilza Beccaria

A gestão da qualidade com foco na segurança do paciente tem impactado de forma positiva e demonstrado que os bons resultados ocorrem com a criação e manutenção de cultura de segurança entre os profissionais, por meio da integração dos grupos envolvidos direta e indiretamente com a assistência ao paciente. A segurança do paciente é um dos atributos da qualidade dos serviços de saúde e está diretamente envolvida com o cumprimento das necessidades e expectativas dos usuários. Um serviço de saúde não pode ter qualidade se os riscos de dano ao paciente não estiverem reduzidos e controlados. Um hospital com boa reputação deve trabalhar com cultura de segurança e deve, portanto, encorajar os clientes a pensar que ele funciona como um território vigiado. Cada colaborador em seu lugar, trabalhando de acordo com os procedimentos operacionais padrões, atento ao fato de que, se algum deslize ocorrer, ele será notificado, analisado e corrigido. Os hospitais devem se basear em indicadores assistenciais para manter transparência nos processos de trabalho e auxiliar na melhoria da assistência à saúde, cumprindo as seis metas internacionais de segurança: 1. identificação do paciente; 2. comunicação entre os profissionais; 3. prescrição e administração de me-

dicamentos; 4. cirurgia segura; 5. higiene de mãos; 6. risco de queda e lesão por pressão. A gestão da segurança deve adotar políticas, procedimentos, condutas e recursos na avaliação e monitoramento de riscos que afetam a segurança à saúde humana, ao profissional, ao ambiente e à imagem de processos de trabalho, gerando uma não conformidade, ou seja, o não atendimento a um requisito, poden-

do ser erro, defeito ou falha. Todo evento que ocorre com um paciente deve gerar uma análise e um desfecho, ou seja, uma conclusão sobre o que aconteceu. A gestão de risco em saúde pode ser preditivo, quando é feito observação direta e mapeamento de riscos; pró-ativo, quando existe pesquisa de cultura de

segurança, mapeamento de riscos, análise preliminar de risco. Análise de modos de falha e seus efeitos, auditoria de processos e clínica e reativo, quando possui notificações de eventos, ferramentas de gatilhos, ouvidoria, revisão de prontuários, comissões de óbitos e ações jurídicas. A cultura da segurança deve acontecer de cima para baixo em toda instituição e a análise e monitoramento de eventos deve ocorrer de forma multidisciplinar. Todo evento deve gerar um plano de ação, viável, de acordo com a realidade de cada serviço. A gestão da segurança exige comissão de qualidade e segurança do paciente com membros permanentes, de forma oficializada, com participação da direção. Na Funfarme / Hospital de Base / HCM, as atividades de gestão da qualidade focadas na dimensão da segurança foram implantadas de forma integrada desde 2010. Os processos instaurados por meio do planejamento da segurança foram monitorados pela gerência de risco e, uma vez identificados os problemas, foram implementadas medidas corretivas por meio de ciclos contínuos de avaliação e melhoria. A importância da gestão da segurança é focar na solução de problemas identificados, implantação sistemática de boas práticas e monitoramento dos processos de trabalho, favorecendo a cultura de segurança e clima favorável entre os profissionais envolvidos.

Profa. Dra. Lúcia Marinilza Beccaria é Docente e Diretora de Extensão da Famerp

10 Funfarme Notícias - Março - 2017


Revista Funfarme

Aquisição de aparelho permite realizar exames em transplantados na Funfarme Dra. Maria Gabriela de Lucca, especialista em patologia clínica e diretora do Laboratório Central do HB com Dras. Andréia Febba (a segunda da esquerda para a direita) e Fernanda Ronchi (à direita), nefrologistas do Departamento de Medicina da Unifesp que vieram à Funfarme/Famerp dar treinamento sobre o HPLC para Zilda Fatima Da Costa Silva (à direita de Andréia) e Maria Rogeria Prado, bioquímicas do laboratório do HB

A Funfarme adquiriu o aparelho de Cromatografia Líquida de Alta Performance (HPLC), que possibilitará realizar a dosagem do Everolimus, imunodepressor para pacientes transplantados. Com a realização desse exame, as amostras dos pacientes, antes encaminhadas a laboratórios da capital paulista, passam a ser avaliadas no laboratório de multiusuários da Famerp, permitindo que os pacientes recebam mais rapidamente o resultado. O equipamento, de fabricação japonesa, está em fase de validação e vai permitir ampliar e realizar outros exames na Instituição.

Funfarme profissionaliza área que organiza visitas técnicas em seu complexo hospitalar Devido ao aumento crescente do interesse de instituições em conhecer o complexo hospitalar, a Funfarme profissionalizou o setor que agenda e organiza as visitas técnicas à instituição. A Fundação definiu uma série de requisitos e informações que devem ser preenchidos antes pela instituição solicitante para que a visita seja aprovada e ocorra de forma adequada. A instituição encontra todas as informações ao acessar o campo VISITA TÉCNICA, criado no site do HB. O acesso via site facilita o relacionamento da Fundação, sendo importante ante ao aumento da demanda. Só no ano passado, a Fundação recebeu 74 solicitações de visita de instituições de Rio Preto e de mais de 19 municípios do Estado de São Paulo e de outros Estados (quadro ao lado). Destas, 66 visitas se concretizaram. As visitas técnicas ao complexo Funfarme têm como objetivo colaborar na formação de profissionais da área da saúde e de alunos de instituições de ensino, destaca a Fundação na área de seu site dedicada a este atendimento. Elas duram, em média, duas horas, podendo ser estendida um pouco mais. Os visitantes buscam ter contato com a estrutura, os processos e as soluções adotadas na Funfarme e suas unidades e cujos resultados positivos repercutem no Setor da Saúde. Posteriormente, procuram adotar ou adaptá-las em suas instituições.

VISITANTES EM 2016

Cidade de origem

Número de instituições

Adolfo Araçatuba Barretos Botucatu Catanduva Fernandópolis Franca Frutal Jales Jaú Maringá Matão Mirassol Monte Aprazível Passos Ribeirão Preto Rio Preto Tabapuã Tanabi Votuporanga

1 2 2 1 1 5 1 1 3 2 1 1 1 7 1 3 34 2 2 3 74

Depoimento de um visitante Já iniciamos o projeto de criar estações de tratamentos de resíduos em nossas unidades da Associação e não poderíamos deixar de compartilhar esta felicidade com todos vocês da Funfarme. Isso foi possível graças à troca de conhecimento e experiência que tivemos em nossa visita ao complexo da Fundação. Antônio Coelho Barroqueiro, gerente de Engenharia e Sustentabilidade da Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC), uma das instituições que já visitaram a Funfarme

O que fazer para visitar a Funfarme No lado direito do site www.hospitaldebase.com.br, clique na aba Visita Técnica. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (17) 3201-5000, ramal 1688. Funfarme Notícias - Março - 2017 11


Revista Funfarme

Teste do ezinho é feito agora 48 horas após o nascimento O HCM implantou nova dinâmica de realização do teste do pezinho, fundamental para a descoberta de diversas doenças graves em bebês. Agora, o teste em recém-nascidos internados pelo SUS é feito logo após as primeiras 48 horas do nascimento, e não mais 3 a 6 dias depois, o que exigia que a mãe retornasse ao hospital. “A mudança oferece mais conforto às mães, que não precisam mais deslocar-se de suas cidades de origem para o filho fazer o exame, e segurança para os recém-nascidos, que não saem à rua nestes primeiros dias em que estão mais suscetíveis a contrair doenças”, explica a técnica em enfermagem Patrícia Vilela Vieira de Paula, responsável pelo teste • Fenilcetonúria • Hiperplasia • Hipotireoidismo adrenal do pezinho na instituição. congênito congênita • Fibrose cística Passados dois dias, prestes • Anemia falciforme • Deficiência de a receber alta, mãe e bebê rebiotinidase cebem a visita da técnica em enfermagem para colher o material. Semanalmente, o HCM realiza cerca de 30 testes.

Doenças detectadas pelo teste

A avó, Maria Inês Rossi Cardoso, acalma o pequeno Thomas, enquanto a técnica em enfermagem Patrícia colhe o exame

Simpósio de Disfagia reúne fonoaudiólogos e alunos da especialidade A Funfarme realizou, no dia 25 de março, o 1° Simpósio de Disfagia para cerca de 60 fonoaudiólogos e estudantes da região. “A disfagia é um sintoma decorrente de vários tipos de doenças e envolve vários profissionais para seu diagnóstico e tratamento, dentre eles, fonoaudiólogos. Daí a importância de prepararmos os profissionais para lidar com pacientes com este transtorno em seus municípios de origem”, disse a fonoaudióloga Magali Orate. José Ribamar do Nascimento Junior, diretor do Instituto de Gerenciamento em Deglutição (IGD), falou sobre “Gerenciamento de risco e impacto do protocolo de broncoaspiração” e “Atualidades em reabilitação das disfagias orofaríngeas”

Capacitando profissionais de toda a região Com 80 inscritos, o Simpósio atraiu, em sua maioria, fonoaudiólogos da região, como Nazima Simonato, de Votuporanga (SP). Para ela, “o evento foi uma iniciativa muito importante, pois a disfagia é uma área em franca expansão, e a Funfarme nos deu a oportunidade de adquirir conhecimentos com profissionais que dominam tanto o assunto”.

“Avaliação e terapia fonoaudiológica na paralisia cerebral” foi o tema da palestra de Viviane Simões do Vale Oliveira, da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), de São Paulo

As especialistas em fononcologia Isabel Cristina Figueiredo, do HB, (à esquerda) e Magda Rodrigues Simões, do Hospital do Câncer de Barretos (à direita) compartilharam suas experiências e desafios na área 12 Funfarme Notícias - Março - 2017

Confira mais sobre o evento no site do HB


Revista Funfarme

Como vem fazendo nos últimos anos, a Funfarme/HB comemorou o Dia Mundial do Rim (9 de março) levando à população informações sobre as doenças renais e como se prevenir. Este ano, a campanha, cujo tema foi “Doença Renal e Obesidade - Estilo de vida saudável para rins saudáveis”, mobilizou profissionais e estudantes da Funfarme/Famerp , que atenderam cerca de 500 pessoas no “Shopping HB”. Foram realizados, gratuitamente, exames de urina, glicemia, aferição da pressão, pesagem, medição da circunferência abdominal e da altura. As pessoas atendidas responderam um questionário com histórico familiar de doenças e hábitos alimentares e físicos e as que apresentaram alteração em seus exames foram aconselhadas a procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para consulta mais detalhada com um médico.

Quanto mais cedo o problema for detectado e o quanto antes começarem as mudanças nos hábitos, alimentares e físicos, mais efetivo será o tratamento e maiores serão as chances de se evitar problemas futuros nos rins, além de se evitar outras doenças. Enfermeira Rita de Cássia Helu Mendonça Ribeiro, professora da Famerp e um dos organizadores da ação

O motorista Bismar Barão Pariz, de 59 anos, aproveitou a campanha para fazer um exame, o que o deixou aliviado. “Não deu nada alterado. Estou muito satisfeito, pois eles explicaram muito bem. Agora sei um pouco mais dos cuidados que devo ter para não afetar meus rins. Essa iniciativa da Faculdade de do Hospital é excelente.”

Com apoio do HB, Rio Preto sedia evento nacional de epilepsia Entre os dias 16 e 18 de março, o HB e a Famerp apoiaram o maior evento de debate e campanhas sobre a Epilepsia do país, o Epibrasil - XV Encontro Nacional de Associações e Grupos de Apoio a Pessoas com Epilepsia. O médico neurologista da Funfarme, Dr. Moacir Borges, foi um dos organizadores da edição deste ano, sediada no Ipê Park Hotel, em Rio Preto.

“Hoje, os portadores da doença, que atinge cerca de três milhões de pessoas no Brasil, contam com benefícios, como medicamentos de alto custo pelo SUS. A discussão e evidenciação do problema neste evento é um

dos motivos para conquistas como esta”, salientou Borges na cerimônia de abertura. A reunião uniu entidades, profissionais, estudantes de medicina e de áreas multidisciplinares da Saúde, bem como pacientes.

O Encontro reuniu lideranças de Rio Preto, da Famerp e representantes de entidades de apoio a pessoas com epilepsia Funfarme Notícias - Março - 2017 13


Revista Funfarme

Meu hospital é lindo e nós mostramos o porquê!

Flávia Santo, 2ª colocada do concurso, recebe certificado do Dr. José Luis

Colaboradores da Funfarme foram convidados a expressar, através da fotografia, como enxergam o complexo hospitalar no qual trabalham. Para estreitar ainda mais o relacionamento entre eles e a fundação, durante os meses de fevereiro e março, foi promovido o Concurso Cultural “Meu Hospital é Lindo e Eu Mostro o Porquê”. No total, 19 fotos foram inscritas para votação e os vencedores foram premiados pelos diretores, em cerimônia, no dia 28 de março. O concurso foi divido em duas fases: um júri técnico, formado por profissionais da área de comunicação, marketing, jornalismo e fotografia escolheu os três primeiros colocados.

Votação via Facebook

14 Funfarme Notícias - Março - 2017

Drs. Horácio Ramalho, Jorge Fares e José Luis Esteves (ao centro) premiam os vencedores do Concurso, Joaquim Silveira, Giovana Lopes , Stefany Ruggiano e Jucelea Soares


Revista Funfarme

Parceria do Lucy Montoro com o HCM proporciona tratamento mais humanizado a crianças com paralisia cerebral Para reduzir as dores e ampliar os movimentos de crianças com paralisia cerebral, a equipe multidisciplinar do Instituto Lucy Montoro aplicar injeções de toxina botulínica e viscossuplementação. O resultado é maior qualidade de vida a estes pequenos pacientes. As várias picadas de injeção, no entanto, são inevitáveis, tornando o tratamento doloroso. Incorformadas, as equipes do Lucy e do HCM uniram-se e passaram a aplicar anestesia via nasal em cada pequenino paciente para só então dar as injeções. Dra. Regina Chueire, diretora do Instituto, comemora o sucesso do trata-

mento com anestesia, que irá atender cerca de 100 crianças nas próximas semanas. “A rigidez muscular, chamada espasticidade, causa muito desconforto e dor. A toxina relaxa a musculatura, diminuindo os efeitos da espasticidade e, consequentemente, oferecendo melhor qualidade de vida à criança.” A médica anestesista Eneida Maria Vieira, por sua vez, não esconde a alegria de poder evitar o incômodo causado pelas picadas. “Era muito doloroso para as crianças, muitas bem pequenas, levarem as injeções, que chegam a mais de dez. É recompensador para todos nós este trabalho.”

Gustavo, com a mãe, Fátima, e as médicas Regina Chueire (à esquerda) e Eneida Maria Vieira (à direita)

Foi uma benção e alívio enorme ver meu filho levar as injeções sem nada sentir. E ainda por cima, servem depois um lanche supergostoso. Fátima dos Santos, mãe do paciente Gustavo

Um dia especial para as mulheres A Funfarme valoriza as conquistas femininas e, para o Dia Internacional da Mulher, preparou várias atividades e mimos para suas colaboradoras e pacientes. Em dois encontros organizados pela equipe de RH, as mulheres da nossa instituição refletiram juntas sobre... ...”Intimidade feminina”, com a psicóloga e sexóloga Maria Cristina Figueiredo As doadoras que passaram pelo Hemocentro foram presenteadas com um “mimo” e ganharam um tratamento de beleza, em agradecimento pelo gesto importante para toda a sociedade.

Doadora recebe “mimo” da enfermeira responsável pela captação, Bárbara Luzia Esteves

...e “A mulher e seus relacionamentos” com a psicóloga e terapeuta de casais Patrícia Nunes Abbud.

“Servindo quem nos serve” - 135 colaboradoras do SND celebraram o Dia com deliciosos lanches, servidos pela manhã e à tarde em retribuição por todo o carinho e dedicação aos pacientes e funcionários do complexo hospitalar. Funfarme Notícias - Março - 2017 15


Revista Funfarme

HCM participa de projeto com a Turma da Mônica

Em parceria com a Abrale (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia) e com apoio do Instituto Maurício de Souza, o HCM deu início ao Projeto DODÓI, que visa tornar mais humanizado o tratamento e o período de internação das crianças com câncer no Brasil. Para isso, profissionais da saúde especializados em oncologia pediátrica desenvolveram um kit que inclui um boneco da Mônica ou Cebolinha, revistas de atividades lúdicas, cartões de sensações e sentimentos, escala de dor, minikit médico e gibis da Turma da Mônica em que se destaca a personagem Maria (ao lado), uma garotinha que teve câncer e conta como foi sua experiência. Para se integrarem ao projeto, alguns profissionais do HCM fizeram treinamento e capacitação, em São Paulo, e disseminaram o projeto aos colegas da Quimioterapia, UTI e Enfermarias Pediátricas.

Psicóloga do HCM Jéssica Aires ressalta os benefícios do projeto “Por meio de atividades lúdicas, o brincar se torna uma poderosa forma de autoterapia, tornando-se um importante aliado na busca de uma melhor e mais rápida recuperação. Com os bonecos, por exemplo, as crianças podem se imaginar médicas e participar do tratamento do seu companheiro, o que na maioria dos casos incentiva e estimula à criança dar continuidade no tratamento.”

Loja de departamentos em Rio Preto faz campanha “troco solidário” em prol do HCM A loja de departamentos Havan está realizando campanha “Troco Solidário”, no qual incentiva seus clientes a destinar o troco de sua compra (ou parte dele) ao HCM. A campanha acontece até o final de junho, quando o total arrecadado será entregue ao hospital.

16

Funfarme Notícias - Março - 2017

Representantes da Havan foram recepcionados pela gerente administrativa do HCM, Gianna Matheus, E pela gerente de enfermagem, Alari Furlan


Revista Funfarme Dr. Thiago, com o manual de rotina de trabalho, fruto das observações durante o primeiro ano de residência e cuja elaboração durou dois meses

Residente cria manual para auxiliar ingressantes da residência na G.O. O médico R2 da ginecologia e obstetrícia Thiago Kehdy elaborou espontaneamente um manual destinado aos novos residentes da especialidade e que descreve a rotina de cada unidade da área no Ambulatório e no HCM. “Pensei no conteúdo como forma de ajudar os colegas a se situarem na rotina da Funfarme e a iniciarem seu trabalho com mais tranquilidade para atender os pacientes”, diz Thiago. O material reúne informações sobre horários, chefias e funcionamento de cada setor, além de explicações sobre todas as funções e condutas de um R1. A iniciativa foi elogiada pelos colegas. “Assim que iniciamos a residência, eu e todos os R1 recebemos o manual por e-mail e whatsapp, importante para termos melhor noção das atividades que precisamos cumprir e de como funciona a residência”, disse o médico R1 da G.O. Marcelo Moraes.

Batalh S

es da

lidariedade Em atitude solidária, soldados do Tiro de Guerra e da Polícia Militar (PM) de Rio Preto compareceram ao Hemocentro para doar sangue e fazerem o cadastro de doação de medula óssea.

No dia 31 de março, 80 alunos da PM compareceram para fazer doações

... e depois doarem sangue. A ação que aconteceu nos dias 29 e 30 de março teve cobertura da Rede Record

Soldados do Tiro de Guerra ocuparam todas as cadeiras do Hemocentro para se cadastrarem como doadores de medula...

Funfarme Notícias - Março - 2017 17


Revista Funfarme

Sueleni e Wilson despedem-se da instituição depois de mais de duas décadas de dedicação A colaboradora Sueleni Chaves da Silva, da Lavanderia, e o técnico em enfermagem Wilson Motta, da Hemodiálise, deixaram a instituição após, respectivamente, 29 e 21 anos de

serviços. No dia 27 de março, foram homenageados pelas diretorias e lideranças do HB e da Funfarme em café da manhã. A Fundação agradece e enaltece o exemplo dado pelos dois.

Estou feliz por ter contribuído por tanto tempo. Minhas irmãs e eu construímos nossas vidas profissionais aqui. Muito obrigada a todos e ao apoio de todos.

Não posso reclamar das minhas experiências na instituição. Aliás, sempre digo que, se tivesse de começar novamente, escolheria novamente a Funfarme.

Sueleni Chaves da Silva (de preto)

Wilson Motta

Encontros celebram os Dias dos profissionais do SAC, biblioteca e de transporte de pacientes Dando continuidade às atividades comemorativas dos dias de profissão, o RH organizou palestras com dinâmicas de grupo para homenagear os colaboradores que comemoram suas datas no mês de março.

Dia do bibliotecário – 12 de março

Dia do profissional de ouvidoria

16 de março Os profissionais da Biblioteca do HB e do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) foram convidados a comemorar juntos os seus Dias, em 16 de março. No Encontro, eles fizeram dinâmicas de grupo e ouviram uma explanação para refletir sobre “Sonhos - Desejos, Metas, Objetivos e Planos” – a importância de separar os objetivos em pequenas etapas para que os sonhos se tornem mais próximos de serem realizados. Confira 18 Funfarme Notícias - Março - 2017

O Dia do Profissional de Transporte de Pacientes, em 17 de março, foi comemorado pelos 25 colaboradores do HB e HCM que desempenham esta função também com um Encontro, no qual o tema foi “Atenção à Comunicação no Trabalho”, durante o qual eles tiveram a oportunidade de discutirem possibilidades de melhorar o relacionamento com os clientes e compartilhar informações entre eles no ambiente profissional.

mais sobre os eventos na intranet!


Revista Funfarme

Radiologia do HCM faz treinamento sobre comportamento infantil Sete profissionais do Setor de Radiologia do HCM participaram de um treinamento inédito na instituição. Ministrado pelas psicólogas do hospital Duzolina Marques e Hélida Marques, o curso forneceu conhecimento e subsídios para estes profissionais lidarem com a insegurança de pais e pacientes no momento de realizar os exames de imagem. “A criança espelha-se no comportamento dos pais e reage melhor quando percebe que eles confiam, acreditam na equipe que realiza o exame. Portanto, o atendimento desses profissionais não está focado apenas nas crianças, mas nos pais também, que precisam estar bem informados sobre o procedimento a ser feito”, explicou Duzolina. “A mesma atenção deve ser dada à criança, principalmente em ambiente com o qual ela não está acostumada”, completou Hélida.

Biblioteca Dicas de livros da “Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo”, situada no térreo do HB. Colaboradores, pacientes e acompanhantes podem retirá-los. Informações no ramal 1843.

A luz através da janela De Lucinda Riley

A 2ª Guerra Mundial deixou muitos destroços e segredos familiares principalmente na família de Emilie De La Martinières. Quando sua mãe falece, deixa um castelo para ela, que fica devastada e quer vender tudo para voltar à rotina de veterinária. Entretanto, apaixona-se por Sebastian Carruthers que a ajuda a cuidar da documentação e a consola nos momentos mais difíceis. Contudo, a vida que Emily pensa estar começando bem, trará surpresas e revelações do presente e do passado de toda uma geração.

Brincando com fogo De Gordon Ransay

Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da Terra, permanecendo numa São Francisco decadente, coberta pela poeira radioativa que dizimou animais e plantas.

Cartas Entre Amigos De Fábio de Melo e Gabriel Chalita

As indagações do mundo real e a da própria vida diária levaram os amigos Gabriel Chalita e padre Fábio de Melo a se corresponderem por cartas escritas à mão. Dessa troca surgiram respostas para muitas questões que a sociedade ainda espera. As reflexões de cada autor trazem ao leitor referências de textos escritos em outras épocas, que dialogam com qualquer situação do mundo contemporâneo em que vivemos.

Agradecimentos “Por cinco dias minha esposa esteve internada no HB para fazer uma angioplastia e fiquei como acompanhante. Quero parabenizar toda a equipe que nos atendeu, desde o setor de emergências, enfermeiras, atendentes, todo o pessoal do 6º andar e a equipe cirúrgica. Fomos tratados por todos com competência e educação, e não há nada que eu possa dizer sobre mal atendimento. Muito obrigado a todos pelo serviço prestado.” Miguel Peleskei

“A equipe está de parabéns! Fui muito bem atendida desde a recepção, enfermagem, profissionais de limpeza e, por fim, pelos os médicos. Todos são muito atenciosos e passam as informações corretamente, de forma clara. As instalações são muito limpas e o atendimento é nota 10 na Emergência da Ginecologia e Obstetrícia e no 3º andar do HCM” Beatriz Marques Messias

“Sem comentários. O atendimento do HCM é maravilhoso, desde a recepção, copa, limpeza, até a enfermagem e médicos. Minha filha de um ano ficou internada com pneumonia e quase foi para a UTI. Ficamos na emergência e depois no sétimo andar, pelo SUS. Mesmo com a emergência cheia o atendimento foi perfeito e humanizado. Muito obrigada mesmo! Vocês salvaram a minha filha e me deram total apoio nos dias que passei aí. Parabéns, de coração, à administração e a todos os funcionários.” Paula Bomfim Funfarme Notícias - Março - 2017 19


Revista Funfarme

CAXUMBA

Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (DNC), notificadas no NHE/HB/FUNFARME no período de janeiro a março de 2017.

Caracterizada principalmente pelo aumento das glândulas parótidas. Surtos de caxumba podem ocorrer por adaptação do vírus, coberturas heterogêneas e falhas vacinais primárias e secundárias, que são responsáveis pela manutenção da cadeia de transmissão. Qual o modo de transmissão? A caxumba é transmitida pelo contato direto do indivíduo suscetível com a pessoa infectada por meio de gotículas de secreção da orofaringe. O período de incubação é de 16 a 18 dias, mas os casos podem ocorrer de 12 a 25 dias após a exposição. A recomendação de isolamento social com afastamento das atividades habituais é de 5 dias após o início do edema da parótida. No entanto, o vírus foi isolado na saliva 7 dias antes e até 8 dias após o início da inflamação. Quais os sintomas? Aumento das glândulas parótidas, febre, calafrios, dores à mastigação e ingestão de líquidos ácidos, cefaléia. Nos casos graves, a caxumba pode causar surdez, meningite e, raramente, levar à morte. Após a puberdade, pode causar inflamação e inchaço doloroso dos testículos (orquiepididimite) nos homens ou dos ovários (ooforite) nas mulheres podendo levar à esterilidade.

Qual o tratamento? É apenas sintomático, com assistência ao paciente que deve permanecer em repouso com reposição de líquidos. A prevenção mais eficaz é a vacinação aos 12 e 15 meses de vida, conforme Programa Nacional de Imunização. Caso uma pessoa seja afetada, ela não deve comparecer à escola ou ao trabalho durante nove dias após início da doença. É preciso, ainda, desinfectar os objetos contaminados como secreções orofaríngeas do paciente. Em situações de surto é indicada a vacinação de bloqueio, sendo recomendada para pessoas suscetíveis (que nunca tiveram a doença e com esquema vacinal incompleto) e que mantiveram Fonte: SINANnet-SINANweb-FIN-FII-NHE/HB/ contato direto com pessoas infectadas. A vacina é contra-indicada para gestantes, pessoas imunodeprimidas ou alérgicas aos componentes da vacina ou a gema do ovo. Referências: 1 Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância em saúde. – Parotidite infecciosa. – Brasília: Ministério da Saúde, 812 p., 2016. 2 Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual de normas e procedimento para vacinação.– Brasília: Ministério da Saúde, 176p., 2014. 3 São Paulo. Secretaria de Estado da Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica. Informe técnico, surtos de caxumba: atualização na vacinação de bloqueio. – São Paulo Secretaria de Estado da Saúde, Abril, 4 p., 2016.

No município de S. J. Rio Preto, no ano de 2017, foi confirmado um surto de parotidite (HB/FUNFARME). Ações de vigilância com bloqueio vacinal foram realizadas em mais de 20 casos isolados em instituições do município (SMS-VE,2017).

HCM/FUNFARME *Dados provisórios, investigações em andamento, levantamento até dia 10/01/2017. Not.(notificados) Conf.(confirmados). Dengue e influenza até 03/04/2017

Calendário de Vacinação para Profissionais de Saúde

Na FUNFARME a vacina está disponível apenas para pacientes e colaboradores, na Sala de Vacina do Ambulatório do HB às terças-feiras, a partir das 7h30 no período da manhã.

Doenças de Notificação Compulsória! - NOTIFIQUE NHE/FUNFARME - Ramais do NHE/HB – 1380 e 1837. Segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. www.hospitaldebase.com.br/nhe À noite, nos finais de semana e feriados, o telefone do plantão da Vigilância Epidemiológica do município de São José do Rio Preto é (17) 3227-8814. 20 Funfarme Notícias - Março - 2017

Revista hb março 2017  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you