Page 1

FUNFARME n

o

t

í

c

i

a

s

i a r t a e u q o n i s n e e d a i c n ê l e c Ex

Ano XIV / Nº 180 - Fevereiro - 2017

ionais das s is f o r p s n e v 5 novos jo 5 4 a nto e s e a m d a r in o -v s im a r o p b a rofissional, Fundação dá ip lt u m , a in ic 1 a med Páginas 10 e 1 . o t residências d n e m a o iç aperfe


Revista Funfarme

Editorial

Mais fatos que reafirmam nossa relevância Cada edição da Revista evidencia o quanto a Funfarme cresce, se desenvolve e se firma como instituição referência em assistência, em formação e aprimoramento de profissionais e em pesquisa. Nesta que você lê fatos importantes só reforçam esta posição de destaque de nossa fundação. Iniciamos há poucos dias os nossos programas de residência médica, multiprofissional, aprimoramento e aperfeiçoamento, seguramente um dos maiores do Estado de São Paulo, recebendo 455 jovens recém-formados. A cada ano, aumenta o número de candidatos às vagas dos programas, inclusive estrangeiros. É enorme a importância deles para que o complexo hospitalar possa atender aos mais de 2 milhões de habitantes de nossa região, sem falar dos muitos provenientes de todas as regiões do Brasil atraídos pela qualidade de nossos serviços, aliada à alta tecnologia de que dispomos. A notícia na página seguinte, certamente, orgulha a toda nossa comunidade por vemos uma das publicações médicas de maior prestígio no mundo reconhecer e dar destaque ao ineditismo e relevância de estudo sobre a zika realizado pela Funfarme e Famerp. Foi a primeira vez no mundo que o caso é relatado. Além da repercussão internacional, o que deixa todos muito felizes é o fato do estudo ser

resultado de um grande trabalho coletivo, que envolveu profissionais de várias especialidades e setores da Fundação e da Faculdade. Temos que destaca também que este primeiro relato de transplantados com o vírus zika foi possível, sobretudo, porque há um estreito relacionamento entre as áreas clínica e de pesquisa. Foi no hospital que os médicos diagnosticaram o vírus nos quatro pacientes, descoberta que estimulou o estudo científico. E este certamente será objeto de aulas na nossa faculdade. É o tripé Assistência – Ensino – Pesquisa funcionando em sua plenitude. E para que este gigantesco complexo hospitalar, de pesquisa e ensino continue crescendo de forma sustentável e buscando sempre a excelência em todos os campos é imprescindível que tudo o que fazemos o façamos com qualidade. Daí a importância do processo, iniciado em fevereiro, que visa obtermos a Acreditação ONA de Qualidade da Saúde. Ao ler a reportagem das páginas 4 e 5, em particular, os depoimentos das colaboradoras que formam a Comissão de Acreditação, você certamente entenderá os benefícios que este processo trará para cada um de nós, profissionais da Funfarme, e para nossa instituição. Depende de cada um de nós para a Fundação obter a ONA. Por isso, estamos certos do sucesso, pois sabemos que vamos contar com seu empenho e participação. Como sempre.

Diretoria Funfarme

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) Ano XIV/ Nº 180 Fevereiro - 2017 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico do HB: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira • Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca

2

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

• Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Luiz Sérgio Ronchi • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Diretor do HCM: Dr. Antônio C. T. Gusson • Vice-Diretora do HCM Dra. Eloísa Galão • Diretor Clínico do HCM: Dr. Paulo Poiati Junior

• Vice-Diretor Clínico do HCM: Dr. Wagner Vicensoto • Diretor Técnico do HCM: Gustavo Henrique de Oliveira Produção Editorial: Intermídia Comunicação Empresarial Telefone: 17 3011-5435 Jornalista responsável: MTB 24.527 Jornalistas: Fernanda Martinazzi e Carlos Cristal Estagiário: Marina Biaso Diagramação: Roger Goulart Impressão: Gráfica Fotogravura Rio Preto Tiragem: 2000 exemplares


Revista Funfarme

Funfarme/Famerp ganha capa de importante revista médica internacional Pela primeira vez, um estudo de uma equipe da Funfarme/Famerp ganha a capa de uma das mais importantes publicações médicas internacionais, sendo também tema de seu editorial. A edição deste mês do American Journal of Transplantation, a publicação de maior prestígio do mundo na área de transplantes, traz na capa o estudo de médicos da Funfarme que resultou na primeira descrição feita no mundo de diagnóstico do vírus zika em pacientes transplantados. O artigo relata o diagnóstico da presença do vírus em dois pacientes transplantados renais e dois transplantados hepáticos feito pelas equipes do Laboratório de Virologia da Famerp e dos Serviços de Transplante Renal e Hepático do HB, o que deu início ao estudo para analisar a manifestação e característica do vírus e suas consequências para a saúde dos pacientes.

Estudo mostra que zika é doença grave Havia quase que um consenso de que a zika era uma doença que gerava sintomas mais brandos do que a dengue e tinha rápida recuperação. Esta verdade (paradigma) foi derrubada pelo estudo da Funfarme/Famerp, que já havia sido publicado pela edição on-line do American Journal of Transplantation, no final do ano passado. Os médicos constataram nos quatro pacientes um vírus mais agressivo e cujos sintomas resultantes em nada se pareciam com os da dengue, como era consenso até então. “Concluímos que o vírus zika é grave, o que levou os quatro transplantados a terem doenças sistêmicas impactantes, motivo das internações hospitalares”, ressaltou o virologista Maurício Nogueira.

A presença na capa da publicação americana ratifica a Fundação como referência em pesquisa de ponta no Brasil e no exterior e para médicos do mundo todo. Mais importante é a repercussão que o estudo ganha e que poderá contribuir para o melhor diagnóstico e tratamento destes pacientes em todos os continentes. Dr. Horácio Ramalho, diretor executivo da Funfarme e co-autor do artigo

Autores do artigo • Virologistas Ana Carolina Terzian e Maurício Nogueira • Infectologista Cássia Fernanda Estofolete • Gastroenterologista Edla Mascarin do Vale • Hepatologistas e cirurgiões Rita Cássia da Silva e Renato Silva • Nefrologistas Horácio José Ramalho, Ida Maria Maximina Fernandes Charpiot e Mario Abbud Filho • Biólogo Nikos Vasilakis, pesquisador do Centro de Biodefesa e Doenças Infecciosas Emergentes da Faculdade de Medicina da Universidade do Texas (EUA)

O artigo evidencia para a comunidade científica internacional que a Fundação está empenhada em realizar pesquisa desta doença que hoje preocupa governos nos cinco continentes. Dr. Mario Abbud Filho, diretor do Centro Interdepartamental de Transplantes de Órgãos e Tecidos (Cintrans) do HB e co-autor

O ineditismo do estudo demonstra que a instituição sustenta-se no tripé assistência – docência – ciência, fundamental para a formação de profissionais da Saúde e que deve pautar toda a nossa carreira. Dr. Renato Silva, chefe da Unidade de Transplante de Fígado/Intestino do HB e co-autor Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

3


Revista Funfarme

Funfarme inicia processo para obter a Acreditação ONA de Qualidade da Saúde

O diretor executivo da Funfarme, Dr. Horácio Ramalho, e os superintendentes Maria Regina Jabur (assistencial) e Robson Pádua (financeiro) foram algumas das lideranças da Fundação que participaram da reunião com os avaliadores do IBES

A Funfarme é referência na Saúde, mas busca a melhoria contínua da qualidade da assistência prestada, de seus serviços e da gestão de suas unidades e setores. Em fevereiro, a Fundação deu importante passo para rever e aprimorar a gestão e os processos de trabalho em todas as unidades ao iniciar o processo que visa obter a certificação de qualidade da ONA – Organização Nacional da Acreditação. No dia 14 de fevereiro, cinco avaliadores da instituição acreditadora IBES (Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde) reuniram-se com 120 lideranças da Funfarme para explicar as etapas do processo, que irá mobilizar todos os 4.200 colaboradores da fundação, além das empresas terceirizadas e prestadoras de serviço para a Fundação. Concluída a reunião, os avaliadores, acompanhados pela Comissão da ONA (saiba mais na próxima página) começaram a percorrer os hospitais e demais unidades do complexo, o que se estendeu até o dia 17 de fevereiro.

Saiba o que é a ONA A ONA é uma entidade não governamental e sem fins lucrativos que certifica a qualidade de serviços de saúde no Brasil, com foco na segurança do paciente. Saiba mais acessando www.ona.org.br.

O processo para obtermos a Acreditação ONA irá durar meses, durante os quais iremos rever processos e implantar novos, enfim, aprimorar todos os nossos procedimentos, o que resultará em crescimento profissional para todos nós e a melhoria da qualidade dos serviços prestados por nós à população. Maria Regina Lourenço Jabur, superintendente assistencial da Funfarme

A reunião com os avaliadores do IBES, aberta pelo Dr. Horácio Ramalho, lotou os anfiteatros do mezanino e o da Radiologia, onde dezenas de lideranças participaram via teleconferência 4

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017


Revista Funfarme

Comissão é formada para coordenar o processo Oito colaboradoras foram escaladas pela Diretoria para formar a Comissão ONA-Funfarme, com a missão de coordenar o processo de avaliação e mudanças necessárias para obter-se a Acreditação. Alari Furlan – enfermeira do HCM Ana Paula Augusto Valverde – enfermeira do 6º andar SUS Isabela Shumaher Frutuoso – enfermeira da UTI 7º Convênio Márcia Valéria Caldeira Lopes – enfermeira do Setor de Qualidade Mariana Lorijola Coltro – enfermeira do Hemocentro Marilza Guerra – supervisora do Setor de Radiologia Michelle Achcar – enfermeira do Centro Cirúrgico – HCM Patrícia Iara Jordão – enfermeira do Ambulatório

É gratificante trabalhar numa instituição que se preocupa em garantir a qualidade da assistência. Este processo é uma busca voluntária pela excelência dos nossos serviços através da padronização dos processos e de abordagens educativas. O objetivo é se antecipar e evitar problemas que comprometam a segurança do paciente e dos profissionais, transmitindo confiança e credibilidade aos clientes internos, externos e à sociedade. Integrar a comissão e acompanhar os avaliadores está sendo um privilégio, pois passamos a conhecer melhor toda a estrutura organizacional e o processo gerencial na qual estamos inseridos. Ana Paula Augusto Valverde – enfermeira do 6º andar SUS

A iniciativa da Diretoria da Funfarme de buscar o selo de empresa acreditada pela ONA demonstra a preocupação que a Instituição tem com a qualidade da assistência prestada e com a segurança do paciente, o que a coloca em uma posição diferenciada entre outras instituições de saúde. Fazer parte deste processo traz crescimento pessoal e profissional, pois conceitos e processos são revistos e melhorados. Mariana Lorijola Coltro supervisora de Enfermagem do Hemocentro

Durante um dos dias de visita aos setores do complexo hospitalar, os avaliadores foram fotografados com as integrantes da Comissão ONA - Funfarme, a superintendente assistencial da fundação, Maria Regina Jabur, e a gerente administrativa do HCM, Gianna Matheus

O processo de acreditação ONA veio somar forças com os objetivos da instituição. A visita dos avaliadores trouxe uma reflexão ampla, com abordagem mais sistemática dos resultados e maior interação entre os diversos processos da nossa organização. Com certeza, a busca pela certificação trará muitos ganhos para nossa Funfarme e toda comunidade que utiliza nossos serviços. Márcia Lopes – enfermeira do Setor de Qualidade

É um orgulho fazer parte da Comissão, pois, além de aprendermos muito, é satisfatório ver todos envolvidos em prol de um único objetivo em busca de melhorias, aprendizado e qualidade do serviço, que é nosso foco. Sabemos que deverá haver muito envolvimento e esforço de todos os colaboradores, mas vimos já na visita de avaliação o entusiasmo das equipes mobilizadas e vamos motivá-los cada dia para que, no futuro, possamos deixar um legado e dizer que a Funfarme possui acreditação e é uma das melhores instituições de saúde do país. Marilza Guerra – supervisora da Radiologia

Participar da Comissão para obtenção da Acreditação ONA é uma oportunidade única, de muito crescimento profissional, refletindo numa busca constante de uma assistência segura e de qualidade dentro da Instituição, desde as visitas com os avaliadores até as discussões de melhorias a serem implementadas. Com o empenho de todos, com certeza seremos acreditados!

A equipe do meu setor percebeu já a grande importância deste processo. Com o auxílio dos avaliadores, poderemos melhorar nossos serviços e aprender novos processos. Será um orgulho trabalhar em um hospital com certificação ONA.

Michelle Achcar - supervisora do Centro Cirúrgico do HCM

Patrícia Iara Jordão - Ambulatório Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

5


Revista Funfarme

Residentes são 1º e 3º colocados no Exame Nacional da Anestesiologia

Durante jantar, André recebe placa de prata, mesma homenagem prestada a Victor

A qualidade do ensino da Residência Médica da Funfarme/Hospital de Base e o nível de seus alunos foram mais uma vez evidenciadas. Os residentes da Anestesiologia do HB Victor Costa Nuevo (foto acima) e André Duarte da Costa foram, respectivamente, primeiro e terceiro colocados no Exame Nacional da Sociedade Brasileira desta especialidade médica, realizado em dezembro passado. Em jantar de encerramento da Residência, este mês, o Serviço de Anestesiologia do HB presenteou os dois jovens médicos com placas de prata em reconhecimento ao desempenho no Exame Nacional. A Residência encerrou-se mês passado e André (na foto, com sua placa) já retornou para Natal, sua cidade de origem. Natural de Fernandópolis, Victor permanece atuando no HB, feliz com a conquista no Exame Nacional e pela perspectiva de começar sua carreira de anestesiologista, atendendo gente de sua cidade, de sua região. Sobre o primeiro lugar, ele comenta: “É emocionante! Valeu à pena tanta dedicação, estudo e trabalho. A Residência do HB é de alto nível. Ótimos professores e praticamos intensamente, pois o volume de cirurgias é enorme”, declarou Victor.

Ex-residente do HB realiza 1º transplante renal intervivos do Hospital Mario Palmério, em MG Fabiano Bichuette Custodio, ex-residente da Nefrologia do HB, realizou, em janeiro, o 1º transplante renal intervivos do Hospital Universitário Mário Palmério (HUMP), da Universidade de Uberaba (UNIUBE), onde é coordenador da Área de

Transplantes Renais. Além dele, Dra. Mariana Salomão, também ex-residente do HB, integra a equipe. Durante seus dois anos de residência na Funfarme, Dr. Fábio acompanhou 200 transplantes renais, adultos e pediátricos, publicou dois artigos

O HB é o hospital mais completo e impressionante que já conheci, é um 'oásis' na saúde pública brasileira. Todos os exames complementares e opções terapêuticas possíveis nos eram disponibilizados. Tive a oportunidade de voltar lá há seis meses e parece que o HB é imune à crise e à dificuldade, crescendo e se desenvolvendo cada vez mais. Dr. Fabiano Custodio

6

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

em revistas internacionais e teve três apresentações em congressos brasileiros. Ele garante que a vivência no Serviço de Nefrologia foi importante para a carreira profissional.


Revista Funfarme

Sorteio de bolsas de estudo

Um dia... um trabalho preciso e... o recomeço de 14 vidas Em evento raro, num só dia, HB e HCM recuperam órgãos e tecidos de três doadores que puderam beneficiar 14 pessoas

Todos os profissionais dos hospitais empenham-se ao máximo para que possamos salvas muitas vidas e em respeito e consideração pelo gesto de grandeza dos pais, irmãos, filhos, enfim dos familiares desses doadores. Dr. João Fernando Picollo Oliveira, coordenador da OPO

Captações envolveram mais dois hospitais de SP Os procedimentos cirúrgicos envolveram também médicos do Instituto do Coração (Incor) de São Paulo, para onde foram levados os pulmões da moça, e do Hospital Bandeirantes, também da capital paulista, destino do fígado e um dos rins da menina.

Luta contra o tempo Há um limite de horas para cada órgão seja recuperado e transplantado. Caso contrário, pode acontecer a perda dele. Veja alguns casos:

Fígado Pulmão

6 horas

Rins

12 horas

30 horas

Centro de referência de transplante de órgãos e tecidos no Estado de São Paulo, o complexo da Funfarme viveu, em 3 de fevereiro, um dia raro em seus quase 40 anos de existência. Numa demonstração do mais puro altruísmo, três famílias de cidades da região, mesmo vivendo a enorme dor da perda de entes queridos, aceitaram doar os órgãos e tecidos deles, o que ofereceu a chance de beneficiar 14 pessoas que aguardavam por eles na fila de transplantes. Os doadores foram uma moça de 25 anos, de Guapiaçu, um rapaz de 23 anos, de Guaraci, e uma menina de 12 anos, de José Bonifácio. A moça, vítima de acidente de moto, pode doar os pulmões, fígado, córneas, rins e ossos (fêmur e tíbia). Após sofrer um AVC, o rapaz não resistiu e doou os rins. A criança morreu em decorrência de infecção no cérebro e doou o fígado, rins e córneas. Para que todos os procedimentos fossem realizados com precisão, mais de 60 profissionais do HB, do HCM e da OPO foram mobilizados. As equipes de vários Serviços do HB e HCM trabalharam para que as famílias concordassem com as doações e para que as cirurgias fossem realizadas com sucesso. Gestos deste moradores de Guapiaçu, Guaraci e José Bonifácio, assim como a conscientização cada vez maior da população, aliados ao trabalho de profissionais dos hospitais é que fazem com que a região de Rio Preto tenha a média de 25 doadores de órgãos e tecidos por milhão de habitantes, quase o dobro da média do Brasil (14 doadores/milhão).

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

7


Revista Funfarme

Centro de Ensino da Famerp recebe o nome do Prof. Dr. José Francisco Gandolfi Em reconhecimento aos anos de dedicação à Fundação, o Prof. Dr. José Francisco Gandolfi foi o escolhido para dar nome ao recém-inaugurado Centro de Ensino, Treinamento, Extensão e Pesquisa (CETEP) da Famerp. Aluno da primeira turma da faculdade, iniciada em 1968, o cirurgião José Francisco Gandolfi era o seu diretor num dos momentos mais importantes da sua história: a estadualização da instituição, em 1994. “O objetivo da nossa faculdade é crescer cada vez mais, oferecer ensino superior de qualidade e servir à população. Dr. Gandolfi ajudou a construir essa filosofia e muito contribuiu para o status que alcançamos hoje”, afirmou o diretor-executivo da Funfarme, Dr. Horácio Ramalho.

Foto: Simei Adonis de Brito/Famerp

Sinto-me muito grato pelo reconhecimento, afinal, esse Centro de Habilidades é um passo importante e um grande benefício para a formação dos alunos da Famerp.

Feliz e orgulhoso por ver seu nome na placa de inauguração do CETEP, Dr. Gandolfi (terno cinza) é cumprimentado pelo prefeito Edinho Araujo

José Francisco Gandolfi, cirurgião gostroenterologista

HCM ganha sinalização que facilita trânsito de usuários Comunicação que facilite o acesso rápido de pacientes e usuários à instituição é fundamental. Para isso, a Funfarme instalou três marquises e seis totens que identificam os acessos ao Instituto Lucy Montoro e HCM e da recepção principal, Emergência Pediátrica e Setor de Ultrassom do hospital. Os benefícios do investimento foram percebidos, sobretudo, pelos colaboradores que atuam nas recepções, como Joelma Lima, do Setor de Ultrassom do HCM. “Frequentemente, as pessoas nos perguntavam sobre como chegar aos setores. Com as placas, é raro agora a pessoa ficar perdida”, constatou Joelma.

As marquises e totens do HCM integram o Projeto de Comunicação Visual da Funfarme, que tem por objetivo facilitar a localização das Unidades, setores e serviços do complexo hospitalar

Vaticano pede a países para combaterem tráfico de órgãos Do encontro que teve a participação do médico da Funfarme/HB Mário Abbud Filho como um dos dois representantes do Brasil, o Vaticano publicou uma declaração em que recomenda aos governos, os ministérios da saúde, os sistemas judiciários, os líderes religiosos, as associações profissionais de saúde e o público em geral a condenarem o tráfico de seres humanos com a finalidade de remoção de órgãos e tráfico de órgãos e 8

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

os reconhecerem como “crimes contra a humanidade”, como conceituou o Papa Francisco. A Cúpula sobre Tráfico de Órgãos e Turismo de Transplantes foi promovida pelo Vaticano, nos dias 7 e 8 de fevereiro, com a participação de 75 médicos, juristas, representantes de ONGs internacionais e da imprensa de quase o mesmo número de países. O encontro transcorreu em clima tenso, pois contou com representantes da China, Nigé-

ria, Indonésia, Colômbia, Filipinas e Irã, países alvos de denúncias de tráfico de órgãos e tecidos por ONGs e instituições internacionais. Para Dr. Mário Abbud, o documento do Vaticano se junta às declarações de Helsinque e de Istambul, que condenam crimes contra a humanidade e o tráfico de órgãos e tecidos como importante forma de pressão sobre os países que os praticam e para dar mais visibilidade à esta triste realidade.


Revista Funfarme

ACONTECEU

HCM promove 1º Simpósio Neonatal e traz principais atualidades no tratamento para recém-nascidos

Em discurso de abertura, Dr. Horácio Ramalho ressaltou a importância de eventos científicos para o sucesso do tratamento neonatal

Referência no tratamento de recém-nascidos, especialmente os prematuros, o Hospital da Criança e Maternidade de Rio Preto (HCM) realizou, neste sábado, 18 de fevereiro, o 1º Simpósio Neonatal da instituição. O intuito foi o de debater as principais atualidades na especialidade e, para isso, trouxe autoridades nacionais no assunto. Na cerimônia de abertura, o diretor executivo da Funfarme, Dr. Horácio Ramalho, ressaltou a importância de eventos científicos para o sucesso do tratamento neonatal. “A iniciativa de vocês só reforça o compromisso que a Fundação tem com o aprimoramento do ensino. Principalmente quando falamos dos cuidados com o recém-nascido, uma área que evoluiu imensamente nos últimos anos e da qual nos tornamos referência na região. ” Já o diretor do HCM, Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson, resgatou a trajetória da Neonatologia da Fundação e destacou a importância da atuação multidisciplinar nos cuidados com o recém-nascido. “Não são só médicos e residentes que construíram e deram à especialidade a importância que ela tem hoje na instituição, mas também os profissionais da saúde, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, fonoaudiólogos, nutricionistaS e terapeutas ocupacionais que se dedicam diariamente a estes bebês”. Dra. Marina Teles, médica da UTI Neonatal do HCM e a presidente do Simpósio, mostrou um panorama da história da especialidade na Funfarme. Desta maneira, a neonatologista abriu caminho para outros grandes nomes proferirem palestra. Um desses casos foi a médica Profª. Drª. Roseli Calil, da Unicamp, que ministrou aula sobre protocolo de cuidados com a pele do recém-nascido. Tal instrumento, atualmente, é usado na UTI Neonatal do HCM. Também palestrou o médico Sérgio Tadeu Marba, Professor Titular do Departamento de Pediatria da FCM/UNICAMP e da Divisão de Neonatologia Hospital da Mulher da mesma Universidade. Ele abordou o Método Canguru. O Simpósio contou também com a presença de uma das fundadoras da UTI Neonatal no complexo, Dra. Marciali Gonçalves, e da atual coordenadora deste Serviço no HCM, Dra. Maria Carmem Lunardi Monteiro de Carvalho.

Agradeço o apoio e o reconhecimento de todas as diretorias. Sem o suporte desta instituição, não seriam possíveis nem a realização deste evento e nem o desenvolvimento desta especialidade. Dra. Maria Carmem Lunardi Monteiro de Carvalho, coordenadora da UTI Neonatal do HCM

A enfermeira Vanessa Esteves (à esquerda), que palestrou sobre alta qualificada, e Dra. Marina receberam presente do moderador, o fisioterapeuta Alexandre Troncoso, ao final de suas aulas Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

9


Revista Funfarme

Fundação recebe 455 novos profissionais

Como em todos os anos, diretores das instituições da Fundação, HB, HCM, líderes e autoridades locais prestigiaram a integração dos residentes, no Centro de Convenções da Famerp

Consolidada como uma das mais importantes instituições de ensino e de serviço da Saúde do país, a Funfarme, recebeu, na manhã de 2 de março, 455 novos residentes de medicina, aprimorandos, aperfeiçoandos e residentes multiprofissionais de enfermagem, terapia ocupacional, assistência social, fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia, farmácia e nutrição. A reunião aconteceu no novo Centro de Convenções da Famerp e recebeu diretores das instituições da Fundação, HB, HCM, líderes e autoridades locais, como o assessor da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Preto e docente da Fundação, Dr. Aldenis Borim (representando o secretário de Saúde, Dr. Eleuses Paiva) e Sonia Maria Olhas Gouvêa, da Delegacia Regional de Saúde, (DRS XV). Dr. Dulcimar Donizeti de Souza, diretor geral da Faculdade de Medicina, Famerp, abriu a cerimônia dando as boas-vindas aos jovens profissionais. Apresentando a pujança do complexo hospitalar do qual já fazem parte, Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme, mostrou números da instituição e falou sobre a evolução que estes novos alunos ajudam a traçar. “Estabelecemos aqui o compromisso de fazer nossas instituições avançarem cada dia mais, como tem acontecido nos últimos 8 anos. Vocês são a força motriz da Fundação. Sejam bem-vindos”. O total de residentes médicos, aperfeiçoandos, aprimorandos e residentes multiprofissionais pode mudar, pois há ainda algumas vagas a preencher. Em 2017, a expectativa é que Funfarme receba, além dos 270 novos médicos residentes, 54 profissionais de aprimoramento, 63 de aperfeiçoamento e 68 de residência multiprofissional. 10 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

Especialidades mais disputadas (candidatos/vaga) dermatologia neurocirurgia

24,5

25

oftalmologia e otorrinolaringologia

19

Psicologia e fisioterapia atraem Entre os multiprofissionais, houve uma mudança no interesse. A enfermagem, que sempre, foi a mais concorrida, cedeu lugar a psicologia e fisioterapia, as áreas mais procuradas em 2017.


Revista Funfarme

Qualidade de ensino e complexo hospitalar atraem até estrangeiros Filho de pai boliviano e mãe brasileira, o médico Danilo Borges, deixou seu país de origem, após graduar-se em medicina lá. Escolheu a nefrologia do HB para completar sua formação “Acredito que aqui há mais excelência no ensino médico do que na Bolívia. Quando fiz clínica geral numa instituição da região, fui muito incentivado a vir para cá. Estou muito feliz pela escolha.”

Escolhi a Funfarme para fazer minha residência em neurocirurgia porque queria adquirir experiências em uma instituição com qualidade de atendimento, que oferecesse boa infraestrutura de trabalho e tivesse grande fluxo de pacientes, além de ficar em uma cidade acolhedora, como Rio Preto. André Salotto Rocha, de Cachoeiro do Itampemirim (ES) e residente em neurocirurgia

O reconhecimento à qualidade do ensino oferecida pela Funfarme, sua infraestrutura hospitalar e a experiência prática que oferece aos residentes chega a todo o Brasil e transpõe até suasfronteiras, atraindo jovens médicos de outros estados e países, como o capixaba André e o boliviano Danilo.

Premiação Além de oferecer qualidade de ensino, a Funfarme fomenta a educação através do incentivo às pesquisas. Há três anos a instituição oferece prêmios aos profissionais que publicam os melhores trabalhos acadêmicos em congressos e revistas científicas. Veja abaixo quem foram os ganhadores desse ano. • Mariana Pimentel Pastor, na área de cardiologia • Pedro Paulo Polotto, em conjunto com a estudante do sexto anos da Famerp, Bianca Ozima, para trabalho da Urologia • Welton Augusto da Silva Barbosa, por área da terapia ocupacional • Alline de Souza Galdino, por pesquisa em fonoaudióloga • Larissa Bombarda, por trabalho em terapia ocupacional

mais candidatos Sempre ouvi meus professores falarem bem do corpo docente daqui, da estrutura que oferece a seus profissionais e da variedade de serviços que dispõe aos seus pacientes. Gabriela Antonio Fontes, aprimoranda da Fisioterapia Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017 11


Revista Funfarme

Tecnologia moderna a favor da segurança do paciente e de colaboradores

As autoclaves a vapor são exemplo de alta tecnologia presente no CME; Elas funcionam como uma ‘panela de pressão’, chegam a pouco mais de 130° célsius, eliminando assim qualquer micro-organismo presente nos materiais

Diz-se que algo estéril é aquilo que está completamente livre de microorganismos. Para garantir materiais nestas condições - fundamentais em locais como o Centro Cirúrgico - a Funfarme investe massivamente em sua Central de Material e Esterilizado (CME). A CME é considerada um setor de

apoio aos demais e, hoje, conta com uma equipe de 69 colaboradores, entre enfermeiros, auxiliares administrativos e auxiliares de enfermagem. “Nosso objetivo é garantir a qualidade da limpeza, desinfecção e esterilização dos materiais da Fundação antes do uso no paciente”, explica a líder do setor, enfermeira Flávia

Azambuja Oliveira. A Central dá suporte a todas as instituições do complexo e realiza mais de 32 mil esterilizações por mês. Tal número só é possível graças aos investimentos feitos nos últimos 3 anos em seu moderno parque tecnológico e que somam mais de 7 milhões de reais.

Parque tecnológico de destaque A tecnologia em equipamentos adquirida nos últimos anos faz da Central de Material Esterilizado uma das mais modernas do Brasil, encontrando unidade equivalente somente no Hospital das Clínicas, em São Paulo. A Funfame, por exemplo, é a única instituição da América Latina a ter uma central com duas lavadoras tipo Cart Washers (esta foto). Veja quais equipamentos que compõem o setor: • 2 lavadoras de carrinhos (Cart Washer) • 4 termodesinfectadoras • 7 autoclaves a vapor • 1 autoclave Sterrad • 3 lavadoras ultrassônicas

12 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017


Revista Funfarme

Entenda como funciona a CME

Nesta página, você vai acompanhar o passo-a-passo de um dos processos de desinfecção e esterilização, feitos na Central. Os modernos equipamentos proporcionam mais segurança ao colaborador e, sobretudo, para os pacientes operados no centro cirúrgico. Os equipamentos são monitorados através de indicadores físicos, químicos e biológicos.

Os materiais estéreis são usados em procedimentos, no Centro Cirúrgico (C.C.)

Após utilizados, os itens são transportados em elevador exclusivo do CC para a CME.

Recebidos na CME, os itens são prélavados na Sala de Expurgo e levados às termosdesinfectadoras.

Em seguida, os itens são separados em conjuntos.

Retirado da autoclave, cada item recebe etiqueta com data, hora e lote de esterilização. Os itens são armazenados, em pacotes, em estantes.

Em conjuntos, vão para as autoclaves.

O material estéril desce para o C.C., por meio de um elevador exclusivo

De acordo com os pedidos do C.C., são montados kits específicos para cada tipo de cirurgia. Cada item enviado ao C.C. é registrado antes no sistema informatizado para controle.

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017 13


Revista Funfarme

Grupo multiprofissional estimula e orienta mães sobre amamentação ACONTECEU

Ao constatar que muitas pacientes interrompem o aleitamento materno, o HCM criou o Grupo de Amamentação, equipe multiprofissional formada por 19 colaboradores que orientam mães com dificuldade para amamentar. “Percebemos que a insegurança ou a produção insuficiente de leite são as causas mais frequentes do abandono. Isso geralmente ocorre porque as mães não sabem a forma correta de amamentar ou o bebê tem dificuldade de sugar o leite”, explica a enfermeira e coordenadora do grupo Samanta Liliane Volpi. A equipe visita as pacientes que estão no hospital três vezes na semana e atende mães que já receberam alta hospitalar na Sala de Amamentação, que funciona 24 horas. Após seis meses de existência, o grupo mostrou-se iniciativa importante para a saúde de centenas de mães e bebês, e têm atendido uma média de 250 mães ao mês.

Da esquerda para a direita, a nutricionista Tainá Silva, a enfermeira Lilian Barucci, a coordenadora do grupo Samanta Volpi, a fonoaudióloga Aline Maia e a psicóloga Hélida Marques

Crislei Bueno de Souza, mãe das gêmeas Isabella e Sophia, é um exemplo de paciente que passou por dificuldades na amamentação das filhas, mas resolveu ser persistente e seguir as orientações do Grupo. “As dicas que recebi fizeram toda a diferença, pois no começo não sabia se estava fazendo algo errado durante a amamentação. Hoje, quando vejo minhas meninas saudáveis, me sinto agradecida por todo o acolhimento que recebi”, diz Crislei.

Crislei recebe orientação da enfermeira do grupo Renata Pereira Rezende

RH homenageia profissionais pelo seu dia Para celebrar a data comemorativa de cada profissão, a equipe de Recursos Humanos tem preparado encontros com atividades e dinâmicas que discutem temas importantes para a rotina de cada grupo de colaboradores da Funfarme. O projeto teve início no dia 20 de janeiro, com o Dia do Farmacêutico e, desde então, já foram comemorados os dias do profissional da Lavanderia (27/01) e da Manutenção Geral (22/02). “Nossa intenção é que os colaboradores possam se reunir para celebrarem juntos o seu dia e terem um momento de motivação para a vida pessoal e profissional”, diz a supervisora do RH, Cristiane Midori.

As atividades com os profissionais da Lavanderia envolveram a “Boa Comunicação”

Profissionais da farmácia receberam orientações sobre “A importância da prática do elogio” no seu dia de comemoração

Confira mais fotos sobre o evento na intranet. 14 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

Reflexões sobre a importância de encarar os desafios da vida foi a temática abordada com os colaboradores da Manutenção Geral


Revista Funfarme

ACONTECEU

12º Encontro encerra programa de Aprimoramento e Aperfeiçoamento da Funfarme Para encerrar mais um ciclo do programa de Aprimoramento e Aperfeiçoamento da Famerp/Funfarme, foi realizado, no dia 21 de fevereiro, o 12º Encontro Interdisciplinar, com os jovens que participaram do projeto no ano de 2016. Além dos trabalhos apresentados e expostos (86 pôsteres e 7 temas livres), a psicóloga e supervisora do RH, Cristiano Midori, falou sobre os desafios que possivelmente os profissionais terão agora no mercado de trabalho.

HCM faz dinâmica em grupo para aprimorar a habilidade de relacionamento interpessoal Como encerramento do programa “Você Faz a Diferença na Funfarme”, o HCM promoveu, em fevereiro, uma dinâmica com seus colaboradores cujo objetivo foi fornecer a eles conhecimento para que aprimorem o relacionamento interpessoal no trabalho.

Profissionais discutem os distúrbios do sono, que atingem 40% da população mundial Ter uma boa noite de sono é uma necessidade fisiológica que, quando não atendida, pode causar vários problemas de saúde. A realidade, no entanto, é que 40% da população mundial não dormem bem ou, simplesmente, não dormem, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Este número mostra a relevância do 1º Simpósio de Distúrbios do Sono, cuja organização empenhou-se para reunir profissionais de várias áreas da Saúde, no Hospital de Base. E os organizadores conseguiram, motivo de comemoração do neurocirurgião Darley Paulo Fernandes (foto acima), do corpo clínico do HB. “Existem vários tipos de distúrbios de sono, o que torna extremamente importante a participação de profissionais de outras especialidades da saúde para o diagnóstico e tratamento correto deles”, afirmou Dr. Darley, um dos palestrantes do evento junto com Dra. Fabiani Honorato, Dr. Matheus de Campos e Dra. Camila Leia Monteiro.

Um dos métodos de diagnóstico de distúrbios do sono mais eficazes é a Polissonografia, oferecido pelo SUS na Região Noroeste do Estado unicamente pelo HB.

Você sabia?

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017 15


Revista Funfarme

ACONTECEU

Eleições ASFF A Chapa Ação foi eleita para administrar a ASFF pelos próximos quatro anos. “Agradeço o apoio de toda comunidade Funfarme e, agora, mãos à obra. Queremos fazer uma gestão com a colaboração e ideias de todos associados. As portas estão sempre abertas para recebermos sugestões”, afirmou a nova presidente, Claudia Imbá, secretária da Diretoria da Funfarme.

Número de votos Chapa Ação: 449

Chapa Renova: 226

Brancos e nulos: 9

Total de votos: 684

‘Boa Comunicação’ é tema de palestra proferida pelo RH Os colaboradores da Área de Atendimento, da emergência do SUS, receberam, em fevereiro, treinamento sobre a importância da comunicação no trabalho e o quanto a forma de se expressar interfere no entendimento do que se quer dizer. As aulas foram realizadas em dois dias, 13 e 20, com um total de 80 participantes.

Funfarme reforça a importância do direito ao uso do Nome Social A sexóloga e psicóloga Maria Jaqueline (foto), da Famerp, ministrou palestra aos colaboradores sobre o direito e a importância do uso do Nome Social por pessoas trans, o que é garantido pela política adotada desde 2003 pelo SUS. De acordo com ela, trans e travestis têm o direito de utilizar o nome pelo qual preferem ser chamados, em vez do registrado no nascimento e que não reflete sua identidade de gênero. 16

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

Igreja arrecada 2.500 litros de leite A Funfarme recebeu a doação de 2.500 litros de leite, arrecadados em campanha solidária pela Igreja Evangélica Formosa. Foi a primeira ação da igreja em prol da Fundação, mas, se depender dos membros, que fizeram questão de estar presentes na entrega, as atividades serão cada vez mais frequentes. “Acompanhamos a página do facebook do HB e vimos que precisa de doações. A comunidade não mediu esforços para colaborar. De agora em diante, vamos nos esforçar para que essas ações sejam contínuas”, disse Felipe, um dos organizadores da campanha.


Revista Funfarme

Despedidas e agradecimentos Em comum, eles somam muitos... muitos anos de dedicação, empenho e amor pela Fundação. Isabel da Silva, com 28 anos de instituição, Solange Camilo, 23, Zélia Ferreira, 21, Vilma de Brito, 19, Marlene da Silva, 17, e José Bibo, 16, foram os colaboradores que se aposentaram e, em fevereiro, homenageados com placas de prata, entregues por diretores e seus colegas. A eles, nossa eterna gratidão!

Solange Camilo, 23 anos dedicados à Funfarme, não pôde comparecer à Fundação no dia da homenagem, mas já recebeu sua merecida placa

O técnico de enfermagem Jose Bibo, com seus colegas de Centro Cirúrgico

Isabel da Silva Balbino, técnica de enfermagem da Hemodiálise

Vilma de Brito, auxiliar de enfermagem do 4º andar do HB

Marlene da Silva Reis, auxiliar de enfermagem da Hemodinâmica

Zélia Ferreira, auxiliar de limpeza Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017 17


ACONTECEU

Revista Funfarme

Capacitação profissional ao colaborador Funfarme A Fundação reconhece a importância do estudo e apoia a educação contínua de seus colaboradores. Prova disso já são os mais de sete anos consecutivos que a instituição realiza sorteio de bolsas de estudos. Neste ano, foram sorteadas 41 bolsas, entre ensino de níveis técnico e superior. Os descontos são de 100%, 50% e 40%. Na Funfarme há quatro anos, Thiago Luiz decidiu que era hora de se aprimorar e voltar a estudar. Matriculou-se no curso técnico de enfermagem e, para sua surpresa, foi um dos contemplados do programa. “Fico muito feliz que tenha sido sorteado. É o melhor tipo de investimento que a instituição poderia me oferecer”, comemorou o auxiliar operacional da Hemodinâmica.

297 colaboradores se inscreveram para obter a bolsa. Entre 2010 e 2016, foram concedidas 349 bolsas de ensino superior e 193 de cursos técnicos.

Colaborador do Ambulatório é eleito presidente da Câmara de Uchôa O encarregado da Área de Pesquisa Médica do SAME, Marquinhos Beiga, foi eleito no dia 1° de janeiro, por unanimidade, para presidir a Câmara de Uchoa por dois anos. A partir de então, concilia seu trabalho na área da saúde com o exercício político, que desempenha há cinco anos, desde que foi eleito vereador em 2013. Para Marquinhos, a Funfarme foi o espelho para desempenhar sua função no Legislativo municipal. “Muito do que aprendi em 23 anos no Ambulatório do HB foi crucial no meu trabalho como vereador na primeira legislatura e será ainda mais valioso para eu poder implantar minhas propostas e meu modo de trabalho, como presidente da Câmara”, disse Marquinhos.

Marquinhos Beiga, vereador reeleito em 2017, em sessão da Câmara

Nutricionista da Funfarme participa de programa nacional da Globo A nutricionista Renata Pinotti Alves participou, em fevereiro, do Bem Estar, da Rede Globo, um dos programas de maior audiência no horário da manhã da TV brasileira. Os mais de 15 anos dedicados ao estudo das alergias alimentares a fizeram referência no assunto e motivaram o convite do programa para falar sobre a nova legislação que obriga as empresas a informarem aos consumidores a presença de lactose nos rótulos das embalagens de leite. Formada em Nutrição, com mestrado em Nutrição Humana Aplicada, pela USP, Renata possui grande conhecimento e experiência também em nutrição para A entrevista de Renata ao crianças, terapia nutricional enteral, erros inatos do Bem Estar está na página HB na TV, no site do metabolismo e obesidade. Hospital de Base

18 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

No programa, a nutricionista falou sobre as portarias RDC 135/17 e 136/17, que determinam que as indústrias informem a presença de lactose em seus produtos


Revista Funfarme

Biblioteca Dicas de livros da “Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo”, situada no térreo do HB. Colaboradores, pacientes e acompanhantes podem retirá-los. Informações no ramal 1843.

A arte do jogo De Chad Harbach

Henry Skrimshander, a grande aposta do time de beisebol da Westish College, parece destinado ao estrelato na grande liga, até que um arremesso de rotina sai desastrosamente do curso. Como consequência desse erro, o destino de cinco pessoas vira de cabeça para baixo.

Equipe de Cuidados Paliativos realiza sonho de paciente

Blade runner De Philip K. Dick

Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da Terra, permanecendo numa São Francisco decadente, coberta pela poeira radioativa que dizimou animais e plantas.

Mantenha seu cerebro vivo

De Laurence C. Katy e Manning Rubin

Um extraordinário programa de exercícios para o cérebro, baseado nas últimas pesquisas da neurociência. Estimule a produção de nutrientes e desenvolva as células do cérebro, tornando-o mais jovem e forte. O resultado: uma mente capacitada a enfrentar qualquer desafio, quer seja lembrar um nome, aprender um novo programa de computador, ou permanecer criativo no trabalho e em todos os setores de sua vida.

Colaboradores do Paliativo com Viviane e Francisco (acima, da esquerda para a direita), no Hemocentro, quando realizaram o ato que pode salvar até 28 pessoas

Em gesto surpreendente de amor ao próximo, seis colaboradores do Setor de Cuidados Paliativos resolveram doar sangue em homenagem ao paciente Francisco Rodrigues de Souza Junior, impossibilitado de realizar esse sonho em decorrência de seu estado de saúde. A decisão do grupo partiu de um comentário da esposa Viviane Daniela Rodrigues de Souza sobre o desejo que o marido alimenta há anos de realizar uma doação. A partir de então, toda a equipe se mobilizou para que Francisco pudesse ser levado ao Hemocentro para acompanhar o grupo e sua esposa doando sangue por ele. Segundo o psicólogo do Paliativo, Eduardo Santos Miyazaki, “quando Francisco viu que levamos seu sonho a sério, foi gratificante, pois ele percebeu que foi ouvido por todos nós”. “Sempre quis salvar vidas através da doação, como minha esposa faz há nove anos. A equipe me fez sentir importante, acolhido, e tenho muito orgulho do que fizeram por mim”, diz Francisco.

Agradecimentos Gostaria de agradecer ao Hospital de Base pelo atendimento humanizado que meu pai recebeu durante os 50 dias de internação. Desde sua chegada, agradecemos aos profissionais da portaria, aos funcionários e médicos da emergência SUS, que foram exatos no diagnóstico, salvando sua vida. Agora, meu pai está sendo acompanhado pela Hemodiálise, onde todos são acolhedores, educados e humanos. A luta está sendo difícil, mas agradeço a Deus por guiar os médicos e peço que Ele abençoe todos nós.

Eu e minha família estávamos a passeio em Rio Preto quando meu filho não passou bem, então fomos ao HCM. Queria agradecer a equipe de enfermagem, médicos e todos os funcionários do hospital. Fomos muito bem amparados!

Faço questão de registrar meu elogio ao atendimento que minha mãe, Neusa Maria, recebeu no período em que permaneceu no HB. Desde os profissionais da recepção à equipe de enfermagem e médica, de várias especialidades. Me passaram muita tranquilidade e competência em todas as vezes que conversamos. Agradeço de coração.

Priscila Franco - Rio Preto

Guilherme de Moraes – Fronteira, MG

Abrão Teixeira – Barbosa, SP

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017 19


Revista Funfarme

FEBRE AMARELA

Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (DNC), notificadas no NHE/HB/FUNFARME no período de janeiro a fevereiro de 2017.

O que é? É uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por vetores artrópodes. Possui dois ciclos de transmissão: silvestre e urbano. O macaco pode ser reservatório natural. No ciclo urbano, a transmissão ocorre a partir de vetores urbanos (Aedes aegypti) infectados. Não há transmissão de pessoa a pessoa. Quais os sintomas? São: febre, calafrios, cefaléia, lombalgia, prostração, mialgias generalizadas, náuseas e vômitos, com uma evolução clínica de aproximadamente três dias. O vírus pode causar insuficiência hepática e renal, e em suas formas mais graves, cansaço intenso, icterícia, hemorragia e óbito. Qual o tratamento? É apenas sintomático, com assistência ao paciente que deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Casos graves em UTI.

Prevenção A medida de prevenção mais eficaz é a vacinação. Deve ser aplicada em todas as pessoas que moram em locais nos quais foram constatadados a circulação do vírus. O esquema é composto por duas doses (a primeira e reforço). Deve-se administrar uma dose a partir dos nove meses de idade e um reforço aos quatro anos de idade. Devido à situação epidemiológica atual, as doses foram antecipadas para seis meses de idade. Após, as crianças devem tomar novamente a vacina com nove meses e agendar o reforço para quatro anos. Os adultos devem ter duas doses, com intervalo de 10 anos entre cada. É contra-indicada para gestantes e mulheres que estejam amamentando, pessoas imunodeprimidas ou alérgicas aos componentes da vacina ou a gema do ovo.

A vacina está disponível apenas para pacientes e funcionários da FUNFARME, na Sala de Vacina do Ambulatório do HB às terças-feiras, a partir das 7h30 no período da manhã. Nas Unidades Básicas de Saúde a vacina está disponível das 7h às 16h30. Atendimento ampliado das 7h às 20h nas unidades do Jaguaré, Vila Toninho, Parque Industrial, São Deocleciano, Solo Sagrado, Eldorado, Santo Antônio e Vetorazzo. O Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia, dentre elas a vacina contra Febre Amarela, será fornecido a partir de Fevereiro/2017 no Aeroporto Eribelto Manoel do Reino de São José do Rio Preto. Para informações sobre orientações relacionadas ao país de destino o recomendamos ao viajantes consultar o site da ANVISA (www.anvisa.gov.br/ viajante) e da Organização Mudial de Saúde (http://www.who.int/ith/en/). Primatas não humanos Macacos

O que é a vigilância de epizootias? É a vigilância realizada em primatas não humanos (PNH) e consiste essencialmente em captar informações, oportunamente, sobre adoecimento ou morte destes animais, investigando adequadamente esses eventos, com a finalidade de subsidiar a tomada de decisões para a adoção de medidas de prevenção e de controle. Por meio destes dados, visa-se reduzir a morbimortalidade da doença na população humana em áreas afetadas (com transmissão ativa) e ampliadas (áreas adjacentes).

Referências: 1 Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância em saúde. – Febre Amarela. 6. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 812p. 2 Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância de epizootias em primatas não humanos e entomologia aplicada à vigilância da febre amarela. 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 100p.

Fonte: SINANnet-SINANweb-FIN-FII-NHE/HB/HCM/FUNFARME *Dados provisórios, investigações em andamento, levantamento até dia 10/01/2017. Not.(notificados) Conf. (confirmados). Dengue e influenza até 01/03/2017

Doenças de Notificação Compulsória! - NOTIFIQUE NHE/FUNFARME - Ramais do NHE/HB – 1380 e 1837. Segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. www.hospitaldebase.com.br/nhe À noite, nos finais de semana e feriados, o telefone do plantão da Vigilância Epidemiológica do município de São José do Rio Preto é (17) 3227-8814. 20 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2017

Revista hb fevereiro 2017  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you