Page 1

FUNFARME n

o

t

í

c

i

a

s

Ano XIII / Nº 169 - Fevereiro - 2016

são entregues pela Funfarme a seus colaboradores e a profissionais de empresas terceirizadas; esta foi uma das iniciativas que levaram a Fundação a conquistar prêmio nacional Páginas 8 e 9


Revista Funfarme

Editorial

Parceria para crescer ainda mais Qualquer organização, seja ela empresa, entidade, clube ou uma instituição de saúde, precisa estabelecer com seus colaboradores uma relação de troca, de via de mão dupla para que possa crescer. A organização cria o ambiente propício para seus colaboradores avançarem em suas carreiras, tornarem-se melhores profissionais e estes, por sua vez, estando mais capacitados e motivados, com certeza irão ajudar a organização a avançar, a destacar-se em seu setor. Esta edição da Revista traz exemplos de que relação entre nossa fundação e nós, colaboradores, existe. É certo que precisamos melhorá-la, estreitá-la ainda mais. Mas avançamos, e isso é o que importa. Como instituição de ensino e formadora de profissionais na área da Saúde, a Funfarme/Famerp naturalmente valoriza – e muito! – a educação. E tem demonstrado isso ao investir na entrega de mais de 2.000 kits escolares a seus colaboradores e aos das empresas terceirizadas que prestam serviço à instituição. Destina também bolsas de estudos para colaboradores realizarem o sonho de fazer uma faculdade ou um curso de especialização. Mas para dedicar-se com qualidade à sua forma-

ção acadêmica e profissional, nosso colaborador precisa estar bem mentalmente e fisicamente. Para ajudá-lo, instituímos o Projeto Bem Estar e Qualidade de Vida no Trabalho, aprimorando as ações que visam a prevenção de doenças e outros distúrbios que possam atingir nossos profissionais e, quando doentes, ajudá-los a se tratar. Na outra via, nossos profissionais ajudam a Funfarme a crescer desempenhando suas atividades de forma produtiva e eficiente, sendo participativos. Temos certeza, no entanto, de vocês podem mais. Por isso, recentemente, convocamos as lideranças da fundação para que pensem, ajam e mobilizem suas equipes no grande esforço de vencermos a atual crise por que passa o Brasil e sairmos dela melhores, mais fortes e a oferecer um serviço de saúde ainda melhor, como merece a população. Nas páginas 4 e 5, você verá que seus colegas do Serviço de Nutrição e Dietética já vêm colhendo ótimos resultados em termos de eficiência e redução de custos. É um entre muitos exemplos espalhados por nossa fundação. Mas podemos mais, muito mais! Só depende de nós. Está feito o convite!

Diretoria Funfarme

Ministério da Educação avalia programas de Residência Médica da Funfarme/Famerp Avaliadores da Conselho Nacional de Residência Médica (CNRM), órgão do Ministério da Educação, MEC, visitaram, no dia 21 de janeiro, a Funfarme, para analisar os Programas de Residência Médica da instituição. Na reunião estiveram presentes os diretores da Coreme, HB e do Hospital da Criança e Maternidade, Hemocentro e Famerp. O coordenador da Coreme da Funfarme/Famerp, Dr. Emerson Quintino, explanou que “atualmente, o complexo disponibiliza mais de 60 programas de residência, entre acesso direto, especialidades e áreas de atuação e tem 471 médicos inscritos”. O diretor da Famerp, Dr. Dulcimar Donizeti, falou aos avaliadores sobre as diretrizes da educação da instituição. “O ensino praticado aqui preza pela qualidade e excelência. Procuramos

oferecer a melhor estrutura, nos campos teórico e prático, para o aprendizado deles e, consequentemente, dar um melhor atendimento a pacientes e acompanhantes”, disse. Ao final do encontro, os representantes do CNRM visitaram diversas áreas do complexo e avaliaram a parte burocrática dos programas. O cirurgião geral e membro da comissão avaliadora, Dr. Maurício Godinho, afirmou que se impressionou com a infraestrutura das instituições. O resultado da análise sai nos próximos meses.

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) Ano XIII/ Nº 169 - Fevereiro - 2016 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico do HB: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira • Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca 2

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

• Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Diretor do HCM: Dr. Antônio C. T. Gusson • Vice-Diretora do HCM Dra. Eloísa Galão • Diretor Clínico do HCM: Dr. Paulo Poiati Junior • Vice-Diretor Clínico do HCM:

Dr. Wagner Vicensoto • Diretor Técnico do HCM: Carlos Henrique Demarchi • Vice-Diretor Técnico do HCM Gustavo Henrique de Oliveira Produção Editorial: Intermídia Comunicação Empresarial Telefone: 17 3011-5435 Jornalista responsável: MTB 24.527 Jornalista: Fernanda Martinazzi Estagiário: Carlos Cristal Diagramação: Roger Goulart Impressão: Gráfica BomGraf Tiragem: 2000 exemplares


Revista Funfarme

Central de Altas e Setor de Internações Eletivas do HB são unificados e passam a atender em novo e amplo espaço Desde dia 3 de fevereiro, a Central de Altas e Setor de Internações Eletivas do Sistema Único de Saúde (SUS) do Hospital de Base (HB) passaram a atender ao público em novo e amplo espaço, oferecendo mais conforto aos usuários. O espaço dispõe de ar condicionado, televisão e lanche à disposição dos usuários e acompanhantes. Antes, o Setor de Internações Eletivas localizava-se no estacionamento do hospital e a Central de Altas, no hall da emergência do SUS. Segundo a superintendente Assistencial da Funfarme, Maria Regina Jabur, a unificação em um mesmo espaço permite maior interação entre os setores, a reorganização de alguns processos, como a alta de pacientes acamados, possibilitando melhorar

Para mais conforto, os usuários têm ar-condicionado para climatizar o ambiente

ainda mais a comunicação entre profissionais de ambulâncias municipais e o hospital. “Mobilizamos todas as equipes que envolvem altas e internações e mudamos a comunicação visual, para orientar melhor a todos. O intuito é tornar o atendimento ainda mais ágil, seguro, confortável e eficaz”, afirmou Maria Regina. O diretor do HB, Dr. Jorge Fares, destaca que a unificação dos dois setores atende ao objetivo da Funfarme de cada vez mais oferecer o melhor atendimento à população. “O HB segue investindo em melhorias para seus pacientes e usuários. A qualidade nos serviços prestados e o confor-

Nova central está no corredor da T.I. e tem espaço mais amplo

to são princípios da instituição e, por isso, nossas prioridades.” O acesso ao espaço da Central de Altas e Setor de Internações Eletivas é pela rampa da Hemodiálise e Quimioterapia. O horário de atendimento continua de segunda à sexta-feira, das 6h às 16h.

Como passatempo, uma TV foi disponibilizada para os usuários

Pacientes e acompanhantes têm café e água à disposição na sala de espera

A entrada e a saída do setor ficam na rampa da Quimioterapia e o Setor tem estacionamento próprio para as ambulâncias

Eu me sinto muito bem aqui. Já fiquei internado 12 dias este ano e gostei muito desta sala, do atendimento e das equipes. Ismaelito Suzart Machado, usuário, 68 anos Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

3


Revista Funfarme

Diretoria mobiliza gestores e equipes a Diante da crise econômica por que passa o país (com previsão de continuar durante 2016) e da restrição de verbas e investimentos públicos na Saúde, que obviamente incluem a Funfarme, a Diretoria não perdeu tempo e realizou uma reunião com 130 gestores das áreas administrativa, assistencial e de apoio

de todas as unidades da fundação. A eles, a Diretoria transmitiu voto de confiança de que têm plena capacidade de, cada um seu setor e mobilizando suas equipes, colaborar para fazer mais e melhor com menos. Em resumo, tornar a Funfarme uma instituição ainda mais eficiente.

Diretoria da Funfarme reúne-se com 130 gestores da fundação, no anfiteatro do Hospital de Base

Nossa instituição já teve um ano difícil em 2015, mas está claro que 2016 pode ser ainda pior. A Funfarme, no entanto, já mostrou que, mesmo nas adversidades, continua a crescer e oferecer serviços e atendimentos cada vez melhores à população. Este nosso desafio continua. Dr. Horácio Ramalho, diretorexecutivo da Funfarme, dando o tom do que seria a reunião: misto de choque de realidade, mas com dose de otimismo

Não há alternativa para nós. A crise que o Brasil atravessa e a redução de verbas e investimentos pelos governos federal e estadual só nos deixam uma saída: buscarmos fazer o mesmo ou mais ainda com menos. É neste momento de grandes dificuldades que temos que nos superar, mostrar o quanto somos capazes. Dr. Jorge Fares, diretor administrativo do Hospital de Base, continuando, a resumir o cenário

Na Funfarme, precisa haver menos corporativismo e mais cooperativismo, ou seja, nós devemos perceber que dependemos uns dos outros e precisamos uns dos outros. Cada setor, cada área deve ajudar o outro porque estamos todos interligados. Para a corrente ser forte e resistir à tormenta, todos os elos devem ser fortes. Osmar Silva, superintente administrativo da Funfarme, enquanto apresentava aos gestores alguns conceitos e ideias que podem ajudar a promover mudanças visando otimizar os recursos e buscar maior eficiência

4

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016


Revista Funfarme

colaborarem para vencermos o ano difícil

Sim! Podemos... ... ser mais eficientes ... otimizar nossos recursos ... ser menos corporativistas ... ser mais cooperativos ... enfim, ser ainda melhores

Mostre o que VOCÊ faz para a Funfarme ser MELHOR! A partir desta edição da Revista Funfarme, você e sua equipe terão um espaço para mostrar o que estão fazendo para reduzir custos, aproveitar melhor os recursos e colaborar para que a Funfarme seja cada vez melhor. Veja o exemplp do Serviço de Nutrição e Dietética.

Sobra de alimentos nas copas do HB e HCM diminui 86% Em novembro de 2015, o Serviço de Nutrição e Dietética padronizou as colheres de porcionar os alimentos (como mostra foto ao lado) nas copas do HB e HCM. Além disso, no dia anterior é informada à cozinha a quantidade de alimentos a ser produzida, evitando assim desperdício. Reduziram de 44 para 6 quilos a sobra dos pacientes do Convênio do HB, mas querem mais! A meta é chegar a 3 quilos.

E a sobra das marmitas tem redução de até 40% O desafio é o mesmo nos três locais de distribuição – HB SUS, convênio e HCM: diminuir as sobras de marmitas. Os motivos são vários: reserva de refeição, dieta zero, alta, acompanhante que não está na hora do almoço e recusa do paciente. As medidas iniciais foram: melhoria das dietas hipossódicas, não fazer reserva e não produzir marmitas para pacientes que não estão internados (emergência, triagem). Estes recebem após ter-

minarem os andares, pois sempre há sobras. A próxima medida será a entrega de uma ficha para o acompanhante entregar no horário das refeições. Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

5


Revista Funfarme

Novo setor voltado para saúde e bem estar do colaborador é criado na instituição

A equipe é formada pelos profissionais Dr. Gerardo Araujo Filho (psiquiatria), Graziella Andressa S. Paula (T.O.), Eliane Dionísio, Tânia Carvalho (psicólogas) e Dr. José Bernardo Ferreira (médico do trabalho)

A saúde dos colaboradores, em seu amplo sentido - portanto não só física, mas também emocional e psicossocial - é uma das maiores preocupações da Fundação. Pensando nisto, a Funfarme criou o Setor Bem Estar e Qualidade de Vida no Trabalho, com profissionais capacitados e especializados. Todas as ações serão realizadas com devida privacidade e comodidade. O intuito é trabalhar em dois aspectos: prevenção e tratamento. Para isso, diversas ações foram desenvolvidas para melhorar o ambiente e a convivência no trabalho, prevenindo acidentes ou lesões, aprimorando a postura durante e depois das atividades laborais, dar apoio psicológico e psiquiátrico a colaboradores e recolocar de maneira supervisionada e adequadamente aqueles profissionais afastados por motivos de saúde, quando possível. A equipe irá trabalhar em quatro distintas frentes, farão uma pré-avaliação com os colaboradores que precisarem e os encaminharão para o serviço adequaA vivência e o trabalho num hospital envolvem do ao tratamento. dimensões humanas que podem ser afetadas pela O encaminhamento à equipe poderá ser espontârotina. O que a Fundação pretende é dar ainda mais neo, por indicação dos chefes de setores e por meio saúde aos nossos colaboradores. Trabalharemos do resultado das avaliações realizadas pelos profissiopautados pela privacidade de atendimento, visando a nais do Projeto.

qualidade de vida do nosso profissional.

Dr. Horácio Ramalho, diretor executivo da Funfarme

6

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016


Revista Funfarme

Psicologia

Psiquiatria

O trabalho nesta área será voltado à saúde psicossocial e emocional do colaborador em seu ambiente de trabalho. Depois de ser avaliado pelas psicólogas do Projeto, caso seja constatada a necessidade de acompanhamento de um profissional específico da área, elas encaminharão o colaborador para uma instituição parceira (dentro da instituição ou com outros profissionais conveniados a planos de saúde, ou ainda, para serviços de atendimento à comunidade). Outra proposta trazida nesta área são treinamentos que desenvolvam habilidades de vida, feitos em cinco encontros. Neles, alguns focos que serão trabalhados como: relacionamento interpessoal, controle de estresse e ansiedade entre outros.

Atuando em conjunto com a Psicologia, o médico psiquiatra Dr. Gerardo Araujo Filho irá receber os pacientes que vierem encaminhados das psicólogas. As atividades ocorrem todas as segundas-feiras à tarde, no Ambulatório de Psiquiatria da FAMERP/FUNFARME, destinado exclusivamente aos colaboradores. A equipe da Psicologia se encarrega de realizar o agendamento antecipado dos pacientes previamente avaliados, ou o funcionário pode agendar pessoalmente a consulta no Setor. Os pacientes poderão ser acompanhados no ambulatório pela equipe da Psiquiatria ou serem encaminhados para serviços de referência de acordo com as suas necessidades.

Médico do Trabalho O médico responsável está realizando gradualmente um levantamento de maiores causas de afastamento em todos os setores da instituição para criar um panorama da atual situação de cada lugar. A partir do estudo, o médico irá traçar estratégias para tratar e prevenir profissionais de setores onde determinadas comorbidades estão mais presentes, encaminhando o colaborador para o serviço especializado no ambulatório ou para convênios, se for o caso.

Bem Estar e Qualidade de Vida no Trabalho

Terapia Ocupacional O trabalho nesta área será auxiliar no mapeamento das principais causas de afastamentos, principalmente aqueles decorrentes de D.O.R.T – Doenças Osteoarticulares Relacionadas ao Trabalho. A profissional Graziella irá desenvolver diversas ações nos Setores da instituição para melhorias quanto à postura, à padronização de equipamentos e adaptações ergonômicas, bem como auxiliar na readaptação de pessoas no retorno laboral pós–afastamento, trabalhando de maneira holística (visão geral de um panorama).

Ramal: 1558

E-mail: qualidadedevida@ hospitaldebase.com.br Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

7


Revista Funfarme

Funfarme entrega 2.100 a seus colaboradores

A Funfarme iniciou, no dia 5 de janeiro, a entrega de 2.100 kits escolares a filhos de colaboradores, menores aprendizes e estagiários e, pelo segundo ano consecutivo, também a filhos de funcionários de empresas que prestam serviço

à fundação (terceirizadas). Neste período, 6 anos, foram entregues mais de 10.700 kits, cujo impacto positivo na educação das crianças e jovens e no orçamento familiar dos colaboradores foi um dos motivos da conquista pela Funfarme

3

do Prêmio Referências da Saúde, concedido ano passado pela Live Healthcare, um dos mais respeitados grupos de mídia especializados no setor da Saúde no Brasil. Veja a seguir alguns depoimentos de beneficiados.

Nestes seis anos, o investimento nas aquisições dos kits foi de quase 1 milhão de reais.

3

Somente este ano foram destinados 170 mil reais para o benefício.

3

O kit escolar representa economia, já que seu custo é de cerca de 150 reais no comércio.

3

8

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

Cada kit reúne mochila, estojo, cadernos, lápis de cor, réguas, maços de papéis, entre outros materiais.


Revista Funfarme

Os beneficiados Se comprar material para um filho já é difícil, imagina para 4, como é o caso da telefonista Ketlyn Gaudino Silva. “Com meus quatro filhos na escola, o material escolar deles iam ficar no mínimo em 800 reais, muita coisa ia ficar para trás. Além de serem completos, os kits são de ótima qualidade”, comentou a telefonista

Indiretamente, a iniciativa da Funfarme beneficia outras crianças que não os filhos de seus colaboradores. Como todo ano, eles têm renovados os materiais escolares como, por exemplo, mochila e estojo, e doam os usados no ano passado, ainda em ótimo estado de conservação, para seus colegas. É o que ocorre com a filha de 10 anos da colaboradora Ana Lúcia Chiarelli, do Setor de Métodos Gráficos. “Além da alegria por ganhar tudo novinho, ela fica superfeliz porque pode doar os outros a uma amiguinha”, conta Ana Lúcia.

O Kit escolar para o menor aprendiz Thyago Vitor de Castro, 16 anos, que está há oito meses na instituição, e em seu primeiro emprego, o material escolar foi fundamental, em um ano aparentemente difícil. “Apesar de ser meu último ano do ensino médio, o kit ajudou e muito para o orçamento familiar em casa, esse ano as coisas não estão nada fácil. Nunca imaginei que em meu primeiro emprego já teria esse tipo de benefício”, comentou Thyago, que pretende cursar medicina, assim que se formar.

Apesar de ser o primeiro ano em que Gabriel Oliveira, estagiário da Hotelaria, retira seu próprio kit escolar, não é a primeira vez que recebe o benefício. A mãe de Gabriel, Marleide Jesus Freitas, é colaboradora há mais de 10 anos e já retirou o material nos anos anteriores para o filho. “Acho os itens e materiais de excelente qualidade. Não sei há muito tempo o que é comprar uma mochila, lápis, borracha e etc. Tenho coisas ainda de anos anteriores”, conta Gabriel.

Funfarme Notícias - Fevereiro- 2016

9


Revista Funfarme

Membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho são empossados para gestão de 2016 Foi instaurada, no dia 15 de janeiro, a nova Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho da Funfarme, em cerimônia que empossou membros eleitos e indicados para a gestão do ano de 2016. Presente na Funfarme há 22 anos, a CIPA visa à prevenção de acidentes e a busca pela qualidade de vida e melhores condições de trabalho aos colaboradores. Por indicação da diretoria, quem assumiu o cargo de presidente foi a enfermeira Márcia Regina Camilo, vice-presidente na gestão anterior. Apesar do novo desafio, ela acredita que “a experiência adquirida me ajudará na administração como presidente”. Ainda compondo a comissão, como vice-presidente, o profissional do Departamento Pessoal, Wesley Moraes dos Santos, eleito pelos colaboradores da Funfarme.

À esquerda a ex-presidente da Cipa, Samantha Melara, Dr. Horácio Ramalho, diretor da Funfarme e a nova presidente, Márcia Regina Camilo

É importante que a CIPA se envolva com a instituição, não somente na prevenção de acidentes, mas também com sugestões de melhorias em todos os setores que trabalham, auxiliando na gestão da Funfarme. Dr. Horácio Ramalho, diretor executivo da Funfarme 10 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

A relação de todos os colaboradores membros da CIPA 2016 você encontra na Intranet, na área de "Notícias Internas".


Revista Funfarme

Procedimentos puncionados serão auxiliados por novo ultrassom guiado O HCM adquiriu seu primeiro ultrassom guiado e os médicos e profissionais da enfermagem já receberam o treinamento para usarem o equipamento. O moderno aparelho auxilia em procedimentos puncionados, dando maior segurança ao paciente, pois permite melhor visualização da veia na inserção de cateteres centrais, biópsias e etc, e aumenta a precisão nos exames. A aula sobre o novo Ultrassom foi dada pelo técnico da empresa que forneceu o equipamento, Enrique Domingos, nos dias 25 e 26 de janeiro. As profissionais Andreza da Rocha, Hotelaria, e Cristine Midori, do RH, esclarecem dúvida no curso

Colaboradores do Ambulatório recebem treinamento em Procedimento Operacional Padrão Cerca de 130 colaboradores do Ambulatório receberam treinamento em POP - Procedimento Operacional Padrão, nos dias 2, 3 e 4 de fevereiro. A ferramenta consiste em criar um passo a passo com a descrição das atividades desenvolvidas em cada área, com intuito de padronizar os processos de trabalho. As profissionais da Hotelaria, Andreza Rocha e Silvia Kawata ministraram as palestras e o curso faz parte de um trabalho de médio prazo de capacitação dos funcionários do Ambulatório.

Profissionais da enfermagem do HCM durante o treinamento

Setor de Endoscopia ganha certificação de Centro de Ensino e Treinamento pela Sobed O Setor de Endoscopia da Funfarme conta com mais uma vantagem. Após ser certificado como Centro de Ensino e Treinamento (CET), os médicos residentes da área não precisarão mais prestar prova prática para ganharem título de especialistas pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed), apenas teórica. “Toda parte prática exigida pela Sobed para ganhar a especialização pode ser adquirida por instituições consideradas pela Sociedade como CET. Isso só mostra a excelência no ensino e a qualidade de atendimento que oferecemos aqui no Setor”, explica o médico responsável pela Endoscopia do HB, Dr. Francisco Arantes.

Segundo dia de treinamento com os menores aprendizes e estagiários

Equipe de médicos e residentes da Endoscopia com o certificado

Estagiários e menores aprendizes recebem curso em Excel como forma aprimoramento A Funfarme ofereceu um curso de aprimoramento em Excel a todos seus estagiários e menores aprendizes. As aulas foram ministradas pelo profissional Fábio de Oliveira e tem o intuito de aperfeiçoar o conhecimento na ferramenta, melhorando o desempenho e atuação dos alunos nas suas práticas diárias no trabalho. O curso aconteceu nos dias 4 e 11 de fevereiro. Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016 11


Revista Funfarme

Cupons para concorrer a Maverick doado por paciente da TMO esgotam-se em apenas 40 dias O nobre gesto de Seu José da Silva Nascimento, militar aposentado e paciente do Setor de Transplante de Medula Óssea (TMO) do Hospital de Base (HB) de Rio Preto que morreu o ano passado, espalhou-se pela região e alcançou âmbito nacional. Todos os dez mil cupons para o sorteio do Maverick de 74 esgotaram-se 40 dias após o início da divulgação desta ação solidária, no dia 15 de dezembro de 2015. O carro foi doado pelo militar à instituição com o intuito de ter a renda do sorteio totalmente revertida à TMO. No total, foram arrecadados 150 mil reais. Após engajamento de colaboradores da instituição e ampla veiculação na mídia, a sociedade apoiou à ideia e participou em peso da ação. A Fundação Faculdade Regional de Medicina, Funfarme, recebeu pedidos de compra dos números para o sorteio de todos os estados do Brasil e até internacionais. Toda ação foi idealizada pela Fundação e tomou grandes proporções. O diretor administrativo do HB, Dr. Jorge Fares, ressalta que o prêmio chama muito a atenção, mas que a participação da população foi fundamental para o sucesso da campanha. “Atitudes como estas nos ajudam a incrementar ainda mais a qualidade de atendimento. A população e o envolvimento de todos os colaboradores para que desse certo foram os grandes destaques desta ação”, finaliza o diretor.

Em nome de toda comunidade Funfarme/HB, estamos realmente gratos, primeiramente pela atitude de Seu José e, depois, pela adesão da população ao sorteio. Vamos atender ao último pedido dele e investir na TMO, deixando o lugar como ele gostaria, ou seja, o lugar ainda melhor para os pacientes como ele. Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme

Relembrando Em um ato de solidariedade, seu José da Silva Nascimento tomou a decisão de deixar seu parceiro de estrada de 40 anos, um Ford Maverick de 1974, para a instituição que o acolheu e o tratou em um difícil momento de sua vida, a luta contra um câncer. A intenção do ex-militar é que o carro fosse sorteado e a renda revertida ao setor de TMO, último desejo em vida dele que familiares e HB resolveram atender.

12 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

Essas e outras histórias você pode acompanhar no nosso canal do Youtube, ou no site do HB, na área “TV Funfarme”.

link: http://bit.ly/21xyOY7


Revista Funfarme

Eles também querem o Mavecão? O slogan de propaganda utilizado na década de 70 do Maverick no Brasil tinha os seguintes dizeres “Maverick, para você gostar dele basta chegar perto”, e foi exatamente assim que aconteceu com o modelo estacionado em frente ao hospital. Esgotados em pouco tempo, os números da ação solidária foram espalhados por todo o Brasil, como vimos na página anterior. Destas centenas de pessoas que torcem para ganhar o carrão, alguns compradores reservam ótimas histórias de sua relação com o modelo Maverick, confira na página abaixo.

Trabalhando mais de 23 anos na linha de produção da Ford, em São Bernardo dos Campos, Seu José Joda, de 70 anos, participou da montagem de centenas de Mavericks, quando trabalhou de supervisor na linha de produção do veículo. Apesar de ter acompanhado de perto a montagem do carrão, seu José nunca teve um Maveco, mas sonha desta vez conseguir o feito.

O Maverick será sorteado dia 26 de março

O último contato de Ednaldo de Paula com um Maverick foi há décadas. Ele conta que um tio teve um e, mesmo ainda criança, sonhava um dia comprar um também. O tempo passou e Ednaldo havia se esquecido da promessa que fez a ele mesmo. Vendo jornal, conheceu a história do carro e resolveu concorrer.

Eu tenho tudo a ver com esse carro, inclusive nasci no ano em que o antigo dono o comprou, em 1976. Acho que mereço ganhar. Ednaldo de Paula, Confeitero

Quando começamos a produzir o carro aqui no Brasil percebemos o quão diferente eram as peças e tamanha qualidade nos acessórios e itens de série. De fato, é um carro diferente. Nunca consegui ter um, quem sabe desta vez. José Joda, aposentado

Amigo de longa data do antigo dono do carro, Seu Carlos Martinez, também policial aposentado, tinha carinho todo especial pelo amigo e foi pego de surpresa quando viu o carro sendo sorteado.

Eu e o José trabalhamos juntos em 64. Eu como guarda mirim e ele como policial, no transito de Olímpia. Em pouco tempo viramos amigos. Nos últimos anos, a distância nos separou um pouco, e fazia uns três que eu não o via. Me assustei quando descobri que tinha morrido. Prestei minhas condolências e resolvi ajudar também na causa, participando do sorteio. Carlos Martinez, aposentado Funfarme Notícias -Fevereiro - 2016 13


Revista Funfarme

Pacientes da Oncologia Infantil são surpreendidos com Carnaval

A festa contou com a confecção de máscaras e muita brincadeira

Com direito a confetes, serpentinas e músicas típicas, a equipe multidisciplinar do HCM e o grupo de voluntárias “Amigas de Cuca”, formado por ex-pacientes da oncologia, realizaram o 1º Carnaval para as crianças e acompanhantes da oncologia infantil do HCM, no dia 2 de fevereiro. Com a parceria dos voluntários, o HCM está sempre envolvendo pacientes e acompanhantes nas datas comemorativas do ano, como o Carnaval, e estas iniciativas beneficiam a todos, sobretudo os que ficam muito tempo internados. É o caso de Diego dos Santos (foto ao lado), de 3 anos, há oito meses em tratamento no HCM . “Diego já participou das festinhas de Natal. Ele adora essa interação da equipe e sempre nos pergunta quando vai ter algo novo. Estes eventos são muito positivos e ajudam bastante ele enfrentar o tratamento”, comentou o pai, Rafael de Castro.

Profissionais do HCM recebem instruções quanto aos direito dos pacientes

No dia 21 de janeiro, Dr. Luiz Loraschi, advogado da Funfarme, abordou os direitos dos pacientes e as implicações jurídicas que podem acarretar transtornos à instituição e aos próprios profissionais, em palestra no anfiteatro do HCM. 14 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

Artesãs entregam naninhas no HCM

Com a ajuda da comunidade de Mirassolândia, as artesãs Tânia Souza (centro) e Tarine Souza Silva (à direita), mãe e filha, confeccionaram lindas “naninhas” para entregarem às crianças internadas no HCM, no dia 7 de janeiro. “Foi a primeira vez que minha família se voluntaria a um hospital, saímos muito contente e com o desejo de voltar em breve”, afirmou Tânia Souza.


Revista Funfarme

Setor de Hemodiálise busca na humanização maneiras de confortar pacientes O desenvolvimento de atividades humanizadoras durante as sessões de hemodiálise pode representar retorno muito positivo aos pacientes. É o que busca, de forma criativa, o Setor na Funfarme. Durante o ano, voluntários e colaboradores se propõem a organizar eventos a fim de deixar o ambiente mais agradável. Confira dois exemplos:

Festa surpresa no Setor

Músicos voluntários Grupo de voluntário se apresentou no dia 29 de janeiro, levando, através da música clássica, melodias para relaxar os pacientes enquanto realizam a diálise.

A paciente Laryssa Gonçalves Paixão foi surpreendida, no dia 21 de janeiro, em seu aniversário de 15 anos. Com direito a bolo e balões, Laryssa agradeceu, emocionada, a festa surpresa preparada pelo setor. “A gente passa tanto tempo aqui que acaba criando amizade com todos. Agradeço de coração o que o pessoal proporcionou em meu aniversário”, comentou.

Eterno agradecimento Colaboradores da DIP recebem festa de despedida Vilma Domingos e Nilton Pedroso receberam festa de despedida, no dia 2 de fevereiro, em agradecimento e reconhecimento aos anos de trabalho prestados na instituição. Em cerimônia, ambos receberam placas da diretoria e dos antigos colegas.

Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016 15


Revista Funfarme

ZIKA VÍRUS

O que é o vírus Zika? É um arbovírus do gênero Flavivírus, família Flaviviridae. Foi isolado pela primeira vez em macacos em Uganda, na floresta Zika em 1947, por este motivo sua denominação. Embora a primeira evidência de infecção humana pelo vírus Zika tenha ocorrido em 1952, a comunidade internacional somente passou a reconhecer o potencial epidêmico do vírus Zika a partir de 2005. Não havia sido relatado anteriormente a possível associação do vírus Zika com a ocorrência de microcefalia. Até o momento, são conhecidas e descritas duas linhagens deste vírus,uma africana e outra asiática. Como é transmitido? É por meio da picada do mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da Dengue e Chikungunya. Em relação às demais vias de transmissão, a identificação do vírus em líquido amniótico indica que este atravessa a barreira transplacentária, sendo esta a via de maior importância devido ao risco de dano ao embrião.A identificação do vírus na urina, leite materno, saliva e sêmen pode ter efeito prático apenas no diagnóstico da doença. Por isso, não significa que essas vias sejam importantes para a transmissão do vírus para outra pessoa. No caso de identificação no sêmen, ocorreu apenas um caso descrito nos Estados Unidos da América e a doença não pode ser classificada como sexualmente transmissível. Sinais e sintomas - É uma doença viral autolimitada na maioria das vezes, caracterizada por febre baixa (menor do que 38,5°C) ou ausência de febre, acompanhada de exantema maculopapular (manchas vermelhas pelo corpo), dor muscular leve, dor nas articulações de intensidade leve a moderada, frequente observação de edema nas articulações de intensidade leve, prurido e conjuntivite não purulenta em grande parte dos casos. Em comparação aos de outras doenças exantemáticas (dengue, chikungunya e sarampo), incluem um quadro exantemático mais acentuado e hiperemia conjuntival, sem alteração significativa na contagem de leucócitos e plaquetas. A doença evolui de forma benigna na maioria dos casos, sendo que a maior parte deles (80%) não apresenta sinais e sintomas. Estes quando apresentados geralmente desaparecem espontaneamente após 3-7 dias. Contudo, hoje já se reconhece a relação da infecção por Zika vírus com o aumento de casos de microcefalia e também com síndrome neurológica, como a Síndrome de Guillain-Barré. Diagnóstico- Não há, teste sorológico (IgM e IgG) disponível, restringindo-se apenas na identificação do vírus por PCR (Reação de cadeia de polimerase) em tempo real de amostras de soro ou plasma colhidos até o 3º dia após início dos sintomas. Tratamento - O tratamento é sintomático, baseado no uso de analgésicos (paracetamol ou dipirona) para o controle da febre e manejo da dor, e anti-histamínicos no caso de erupções pruriginosas. Não se recomenda o uso de anti-inflamatórios, em função do risco aumentado de complicações hemorrágicas descritas nas infecções por outros flavivírus. Vacina - Não há vacina para prevenir contra infecção pelo vírus Zika. Medidas de Controle - Como a principal via de transmissão é o vetor Aedes Aegypti, as medidas de prevenção e controle são as mesmas já adotadas para a Dengue e Chikungunya, tais como eliminação de possíveis criadouros, uso de roupas que minimizem a exposição da pele e uso de repelentes. Tendo em vista as várias lacunas ainda existentes no conhecimento acerca da infecção pelo vírus Zika, sua patogenicidade, as características clínicas e potenciais complicações decorrentes da infecção causada por esse agente, é de extrema importância o apoio e empenho de todos os profissionais e instituições de saúde para que adotem as recomendações para manejo clínico conforme o preconizado no protocolo vigente e para que notifiquem toda situação que se enquadrar nas definições de casos vigentes, assim como algum fato não descrito que julgue relevante a ser considerado pela saúde pública e Referências Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Protocolo de vigilância e resposta à ocorrência de microcefalia. 2016. Disponível em: <http://portalsaude.saude.gov.br/images/ pdf/2016/janeiro/22/microcefalia-protocolo-de-vigilancia-e-resposta-v1-3-22jan2016.pdf> Acesso em 06/02/2016. Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Centro de Vigilância Epidemiológica. Informe técnico 01: Vigilância das microcefalias relacionadas à infecção pelo vírus Zika. 2015. Disponível em: <http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/zoo/informes/IF0115_Zika.pdf> Acesso em 06/02/2016

Tabela 1 - Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (DNC), notificadas no NHE na FUNFARME (Ambulatório, HB e HCM) no mês de janeiro de 2016.

Atenção Pelo fato da possibilidade da associação do aumento da ocorrência da microcefalia e o vírus Zika, há necessidade de monitoramento de todo caso de gestante, em qualquer idade gestacional, que desenvolva exantema, sendo obrigatória a notificação e coleta de exames para pesquisa do Virus Zika e a exclusão de outras possíves causas de microcefalia. Todo Recém-nascido com microcefalia, com medição do perímetro cefálico abaixo do percentil 3, segundo a curva de Fenton, de acordo com a idade gestacional ou nascido vivo com 37 semanas ou mais de idade gestacional com perímento cefálico menor 32 cm, segundo as referências da OMS para sexo também devem ser investigados e acompanhados para segundo o protocolo Vigilância da Microcefalia relacionada á Zika da Secretaria do Estado de São Paulo. Alerta Dengue - Os números de casos suspeitos de DENGUE notificados pelo município de São José do Rio Preto, no período de 01 de janeiro a 16 de fevereiro de 2016, são de 4677 casos e destes, 463 foram notificados pelo NHE/HB. Dados levantados no Sistema SINAN_Dengue online, atualizado no dia 16/02/2016 às 14:11 horas, dados provisórios sujeitos à alterações. Lembrando aspectos importantes: - Doença de notificação compulsória. - Diagnóstico específico: Até 3º dia de sintomas: NS-1 e RT PCR. Após 6ºdia de sintomas: sorologia (ELISA IgM ou teste rápido IgG/IgM) (conforme MS e SES/SP/2015). Atenção para sinais de alarme: dor abdominal intensa e contínua, ou dor a palpação do abdômen, vômitos persistentes, acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural,pericárdico), sangramento de mucosas, letargia ou irritabilidade,hipotensão postural (lipotímia), hepatomegalia maior do que 2 cm e aumento progressivo do hematócrito. Informes Técnicos relacionados as Doenças de Notificação Compulsória no site da FUNFARME Acesse: http://www.hospitaldebase.com.br/nhe

Fonte: SINANnet-SINANweb-FIN-FII-NHE/HB/FUNFARME *Dados provisórios, investigações em andamento, levantamento até dia 16/02/2016. - **SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) internados Not. (notificados) Conf.(confirmados) Segundo informações disponibilizadas no último Boletim - Data de Cadastro: 17/02/2016 as 11:02:06 alterado em 17/02/2016 às 17:02:01 divulgado no portal da saúde/MS pelo endereço eletrônico http://portalsaude.saude. gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/22202-microcefalia-casos-em-investigacao-chegam-a-3-935-no-pais - O número de casos notificados de microcefalia no país chegam a 3.935, destes, 508 já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central e 837 foram descartados. O Ministério da Saúde e os estados investigam casos suspeitos de microcefalia em todo o país. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (17/02) aponta, também, que 508 casos já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central, sugestivos de infecção congênita.

ZIKA e demais Doenças de Notificação Compulsória - NHE/HB – Ramais 1380 e 1837 de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30. Sábado Domingo e Feriados ligar no GVE SJRP telefone 3227- 8814 das 7:00 às 18:00 horas Obs: ocorrências noturnas devem ser informadas pela manhã. 16 Funfarme Notícias - Fevereiro - 2016

Revista Funfarme - Fevereiro 2016