Page 1

FUNFARME Ano XII / Nº 151 - Agosto - 2014

Vitória do trabalho em equipe! 43 dias depois de se submeter à cirurgia inédita no Brasil, a bebê Ingrid Raphaella teve alta do Hospital da Criança e Maternidade Página 3

Pais deixam o Hospital da Criança e Maternidade levando a bebê Ingrid Raphaella, acompanhados por Drs. Humberto Liedtke, Marcilali Gonçalves, Paulo César Nakaoski, Antônio Carlos Gusson e Dra. Eneida Maria Vieira


Funfarme

Editorial

O sucesso da equipe deve prevalecer sempre No dia 10 de setembro, o Hospital da Criança e Maternidade deu alta para a bebê Ingrid Raphaella, então com 43 dias de vida. Todo paciente que deixa nosso complexo hospitalar bem é uma vitória para todos, afinal, é para isso que os mais de 4.000 colaboradores da Funfarme trabalham. A história de Ingrid, no entanto, é especial, pois proporcionou à nossa Fundação realizar um procedimento cirúrgico inédito no Brasil e, consequentemente, ser destaque na imprensa nacional. Mais do que por a instituição sob holofotes, a história de Ingrid, no entanto, serviu para evidenciar algo muito importante para a Funfarme e que deve ser exercitado diuturnamente por todos nós: o senso de equipe. Desde o instante em que a cirurgia foi concluída, os vários integrantes do numeroso grupo envolvido fizeram questão de ressaltar o papel fundamental de cada profissional para o sucesso do caso. Os cirurgiões têm plena consciência do quanto foi importante o acompanhamento da equi-

pe de diagnóstico por imagem, ginecologistas, enfermeiros e outros profissionais nos meses que precederam a cirurgia. Estes, por sua vez, parabenizaram os obstetras, cirurgiões, anestesistas e demais profissionais que atuaram durante os não mais que 30 minutos que envolveram a cesárea e a cirurgia para correção da gastrosquise, com a recém-nascida ainda ligada à mãe pelo cordão umbilical. Às vésperas da alta hospitalar, todos fizeram questão de frisar, desta vez, o belo trabalho das equipes da UTI neonatal e da pediatria. Ao deixar o HCM, a jovem Ana Catarina, mãe de Ingrid, fazia questão de destacar aos jornalistas o quanto estava feliz não só com o bem estar do bebê, mas também com o atendimento dispensado por todos os profissionais. Interessante que, ao fazê-lo, a mãe não fez menção a nenhum profissional especificamente. Agradeceu, sim, a todos, indistintamente. Assim deve ser. A soma de todos deve sempre prevalecer.

Diretoria da Funfarme

Sumário Trabalho em equipe: Ingrid recebe alta do HCM

03

Novo serviço de transplante de pulmão

07

Novo Serviço de Reumatologia Pediátrica do HCM

12

Assessoria Científica completa 10 anos

04

Treinamento para aprendizes e estagiários

09

Mutirão de hemorroida adianta fila de cirurgias

15

Voluntários realizam leilões em prol do HB

05

Novo tratamento com Fenol no Lucy Montoro

10

Veja como ficaram árvores plantadas há um ano

18

Ministério da Saúde elogia Funfarme

06

Robôs auxiliam em reabilitação de pacientes

11

NHE: Siba um pouco mais sobre o vírus Ebola

20

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) Ano XII/ Nº 151 - Agosto - 2014 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: 2

Funfarme Notícias - Agosto 2014

Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira • Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca • Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire

• Diretoria de Transição do HCM: Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson e Dra. Eloísa Galão Produção Editorial: Intermídia Publicações Telefone: 17 3353-2083 Jornalista responsável: MTB 24.527 Jornalista: Fernanda Martinazzi Estagiários: Thiago Silva e Carlos Cristal Diagramação: Roger Goulart Impressão: Fotogravura Rio Preto Tiragem: 2000 exemplares


Hospital da Criança e Maternidade

Ingrid Raphaella recebe alta após 43 dias e equipes do HCM comemoram sucesso da cirurgia inédita no país Com cerca de 50 cm e pesando 2,215 Kg, a bebê Ingrid Raphaella recebeu alta do Hospital da Criança e Maternidade (HCM) em 10 de setembro, 43 dias depois de ser submetida à cirurgia inédita no Brasil na qual foi corrigido defeito de abertura na parede em seu abdômen (gastrosquise). A equipe multidisciplinar do HCM comemora o sucesso absoluto desta primeira cirurgia feita no país, no dia 28 de julho passado. Segundo o Dr. Antônio Carlos Gusson, Diretor Pediátrico da instituição, Ingrid está com o peso ideal e não apresenta nenhum trauma pós-cirúrgico, terá apenas que retornar ao hospital para exames rotineiros. Ingrid deixou a instituição acompanhada pelo pai, Davyd Fernando Casemiro e a mãe Ana Catarina Vitorino da Silva.

À esquerda, os pais, Davyd e Ana Carolina com a bebê em seu colo. O avô da bebê, Paulo Vitorino da Silva, abraçado à Maria Margarida da Silva, avó, e ao tio, Kauê da Silva. A alta foi acompanhada pelo Diretor do HCM, Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson (ao fundo) e pelas residentes da pediatria, Dras. Rafaella Ribeiro e Natália Aono (de óculos)

‘’A recuperação da Ingrid foi um sucesso total. A bebê passará por alguns exames mensais para monitorarmos ela de perto, mas ela está ótima, toda a equipe médica envolvida está de parabéns.’’ Dr. Antônio Carlos Gusson

‘’Estou muito feliz, após esses 43 dias esta é a primeira vez que minha filha vai conhecer nossa casa. A família está toda reunida esperando a gente chegar.’’ Ana Catarina, mãe da bebê

Trabalho em equipe Após 35 dias na UTI Neonatal, Ingrid foi para o quarto. Lá, foi mimada pela avó Maria Margarida da Silva (à esq) e mãe, Ana Catarina

No dia 28 de julho, Ingrid nasceu com uma gastrosquise, defeito de abertura na parede abdominal. Segundos depois de ser retirada do ventre e ainda ligada pelo cordão umbilical à mãe, a estudante Ana Catarina Vitorino da Silva, de 15 anos, Ingrid - que nasceu com 1,556 quilos e 40 cm - foi operada pela equipe do HCM e pelo cirurgião pediátrico Javier Svetliza, que desenvolveu a nova técnica cirúrgica e a realizou, pela primeira vez, no Brasil. Foi feito um verdadeiro trabalho em equipe para corrigir o problema com sucesso. Primeiramente o médico interdepartamental de medicina fetal do HCM, Dr. Gustavo de Oliveira, detectou a complicação por meio de exames ultrassonográficos, permitindo que os médicos pudessem programar a cirurgia com tranquilidade.

“O sucesso deve ser compartilhado por todas as equipes envolvidas. Todos que trabalharam no pré e no pós-operatório têm parte do mérito de ver a Ingrid se recuperando da melhor forma possível e indo para casa.” Equipe de enfermagem que auxiliou nos cuidados da bebê despediu-se dos pais (ao centro) e da criança

Dr. Humberto Liedtke, cirirgião pediátrico que operou a bebê junto com o Dr. Javier Svetliza Funfarme Notícias - Agosto 2014

3


Dr. Batigália e as secretárias Cláudia (esquerda) e Renata

Funfarme

Assessoria Científica da Funfarme completa 10 anos, nos quais já deu suporte a mais de 2.000 pesquisas A pesquisa, um dos três principais alicerces da Funfarme/Famerp (assistência e ensino completam o tripé de sustentação), comemora os 10 anos de atividades da Assessoria Científica da fundação. Instituído em 2004, o setor, conduzido primeiramente pelo Dr. Moacir Fernandes de Godoy e, desde 2008, pelo Dr. Fernando Batigália, desempenha papel fundamental de consultoria e suporte aos médicos e demais profissionais de saúde que conduzem pesquisas na instituição. Os números levantados até o início de agosto demonstram o quanto a Assessoria Científica é atuante (veja quadro ao lado). Por ela, passam todos os tipos de pesquisas em curso na Funfarme: - trabalhos de iniciação científica; - pesquisas de pós-graduação lato sensu e stricto sensu; - trabalhos de conclusão dos cursos de alunos de graduação da Funfarme e de instituições que mantêm convênio com a fundação; - e projetos financiados pela indústria farmacêutica. Na Assessoria, pesquisadores encontram um parceiro importante que lhes esclarece sobre todas as exigências e cuidados relativos à produção

Coaprimo

científica, o que envolve desde a ética da pesquisa, passando pela metodologia e o rigor e as normas técnicas de apresentação e exposição da pesquisa, dentre muitos outros aspectos. “É um trabalho exaustivo, mas prazeroso, pois percebemos que nossos colegas têm ciência do quanto a Assessoria Científica pode colaborar para que desenvolvam pesquisas intra-institucionais”, afirma Dr. Batigalia, responsável pelo setor que, pela sua importância estratégica, reporta-se diretamente à Diretoria Executiva da Funfarme. Em média, a cada dia, um novo projeto de pesquisa chega à Assessoria. Para conseguir acompanhar com critério e eficácia tanta produção científica, Dr. Batigalia conta com o apoio das secretárias Cláudia e Renata, da Diretoria Executiva. Integração total com toda a Funfarme O empenho dos três, no entanto, não seria suficiente para acompanhar todas as pesquisas, não fosse a implantação de um eficiente sistema que interliga a Assessoria Científica a todos os setores da Funfarme envolvidos de alguma forma na produção científica (veja quadro abaixo).

Diretoria Executiva

Coreme

2.132 pesquisas foram avaliadas pela Assessoria desde 2004, quando iniciou suas atividades.

271 pesquisas fazem parte de estudos multicêntricos, ou seja, nos quais a Funfarme realiza junto com outras instituições do mundo. Centro Integrado de Pesquisa Dr. Batigalia destaca como um dos momentos importantes destes 10 anos a implementação do Centro Integrado de Pesquisa Funfarme/Famerp – CIP, considerado um dos cinco melhores da América Latina e do qual a Assessoria participa do Comitê Gestor.

Centro Integrado de Pesquisa – CIP

Laboratório Central

HCM ASSESSORIA CIENTÍFICA DA FUNFARME

Assessoria Jurídica Faturamento convênio Gerência de Enfermagem

Radiologia

Assessoria de Imprensa

Tesouraria Setor de Tecnologia da Informação

CEP Famerp SAC

Pesquisadores falam da Assessoria “É enorme o respaldo que a Assessoria Científica nos dá. São sempre prestativos, nos esclarecendo e orientando sobre a condução da pesquisa, inclusive a parte burocrática. Se não fosse a Assessoria, não sei como seria para fazer a pesquisa.” Dr. Gustavo Marcatto, residente 2 da Cirurgia Geral 4

Funfarme Notícias - Agosto 2014

“Sem a Assessoria de Pesquisa, não conseguiríamos realizar o nosso trabalho e teríamos dificuldades para obter a aprovação do Conselho de Ética da instituição. A assessoria nos deu um suporte fundamental para iniciarmos a pesquisa e conduzi-la dentro das normas técnicas.” Dr. Lander Calais, residente 3 da Ortopedia

“A Assessoria facilita muito o nosso trabalho, inclusive promovendo a ligação entre a Famerp e os hospitais. Ela nos orienta sobretudo nas questões burocráticas, o que nos dá tranquilidade para focarmos a pesquisa em si.” Dr. José Fernando Vilela Martin, chefe do Departamento de Medicina 1 da Famerp


Funfarme

Moradores de Nipoã e Potirendaba apresentam arrecadação dos leilões em prol da Funfarme As comunidades das cidades da região atendida pela Funfarme vêm demonstrando, de várias formas, o reconhecimento pelos serviços prestados pelos hospitais à população. Uma das principais maneiras de externar esta gratidão é promover leilões cuja renda é revertida à Fundação. Foi o que fizeram os moradores de Nipoã e Potirendaba, cujos representantes estiveram, no HB, respectivamente, nos dias 21 de agosto e 4 de setembro, para comunicar à Diretoria o balanço dos leilões. Para viabilizá-los, centenas de moradores mobilizam-se e obtêm doações de animais, roupas, utensílios domésticos e alimentos para serem leiloados em evento que reúne toda a comunidade. ‘’Ficamos muito felizes com o reconhecimento dos cidadãos. Isso nos motiva a melhorar ainda mais a infra-estrutura, serviços e atendimento em nossos hospitais. Em nome de todos os colaboradores, agradeço os moradores de Nipoã e Potirendaba’’, disse Dr. Horácio Ramalho, diretor-executivo da Funfarme.

Acompanhados por João Evaristo da Silva, presidente da ASFF, os moradores de Nipoã Sebastião Rossetti, Silvério Claudino e Luís Fernando Veronizi foram recebidos pelo diretor-executivo da Funfarme, Dr. Horácio Ramalho, o vice-diretor, José Luis Esteves, e o superintendente financeiro da Fundação, Robson de Pádua

Os moradores de Potirendaba Renivaldo José da Silva, o “Borná”, Anita Martins, Reginaldo Carlos Teixeira, Omair Bento de Almeida, Devanir Reino, Sílvio Lopes, Marco Antônio e Flávio Daniel Alves, com Dr. Horácio, o diretoradministrativo do HB, Dr. Jorge Fares, e Robson

A Fundação Faculdade Regional de Medicina de Rio Preto (Funfarme) foi contemplada com o prêmio de R$ 200 mil no sorteio de agosto da Nota Fiscal Paulista, realizado pela Secretaria da Fazenda. Os cheques simbólicos da extração especial foram entregues aos contemplados no dia 27 de agosto, pelo secretário da Fazenda, Andrea Calabi, e o secretário adjunto, Philippe Duchateau.

Funfarme Notícias - Agosto 2014

5


Funfarme

Ministério da Saúde elogia Funfarme por qualidade de projetos para obter verbas federais A disputa por verbas públicas na saúde é uma luta atroz e que, muitas vezes, arrasta-se por meses. Ciente de que pequenos erros ou omissões de dados podem retardar ainda mais este longo e penoso processo, a Funfarme tem se empenhado para ser cada vez mais eficiente, precisa e correta na apresentação de seus projetos e pedidos de verbas em todas as esferas públicas. E o esmero tem sido recompensado. Nos últimos meses, a Fundação recebeu ofícios da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde que, espontaneamente, reconhece e elogia a exatidão e qualidade dos projetos (veja trecho de um dos pareceres abaixo). Foi o que aconteceu na liberação de verbas no total de R$ 342 mil para a aquisição de vários equipamentos, em que o Ministério da Saúde fez questão de ressaltar que a documentação apresentada pela Funfarme tem o “padrão de qualidade, eficiência e eficácia” que se espera encontrar em outras execuções de convênios com a fundação. “Foi uma grata surpresa para nós, reconhecimento ao trabalho feito por dezenas de colaboradores de vários setores da Funfarme, não só os da Área Financeira”, afirmou Robson de Pádua Ribeiro, superintendente financeiro da instituição. Os equipamentos já resultam em benefícios para os colaboradores do Hemocentro e HB e para os pacientes. ‘’Foi uma grande conquista! No caso do analisador automático, por exemplo, a instituição possuía apenas um aparelho. Com a aquisição de mais um, conseguimos agilizar e realizar maior número de exames’’, afirma Aparecida de Fátima, bioquímica do Hemocentro. Já a bióloga Maria Vendramini explica os benefícios da aquisição das novas câmaras de conservação. “Conseguimos armazenar mais agentes e bolsas de sangue. Outra vantagem importante é que, nestas câmaras, a temperatura não oscila, diferentemente dos outros refrigeradores.”

Descongelador de plasma

6

Funfarme Notícias - Agosto 2014

Selador de tubo portátil

Veja o que foi adquirido com a última verba aprovada

Câmara de conservação

Para o Hemocentro • 6 câmaras de conservação de agentes e sangue • 8 seladores de tubos portáteis • 4 descongeladoras de plasma • 1 analisador automático de células sanguíneas, que realiza o hemograma, ou seja, a contagem das células nos exames

Para o Hospital de Base 2 aspiradores de vapor 3 colposcópios 2 bisturis

Analisador automático


Hospital de Base

Serviço de Transplante de Pulmão está pronto para fazer cirurgias, só à espera do aval do Ministério da Saúde O Serviço de Transplante de Pulmão do Hospital de Base está prestes a ser o quinto do Brasil a entrar em atividade. O processo com o pedido de autorização para funcionamento está sob análise do Ministério da Saúde, mas, exceção ao transplante, a equipe multidisciplinar já está atuando desde 2012, tendo atualmente sob acompanhamento 15 pacientes. “A expectativa pelo sinal verde do Ministério é enorme, pois temos tudo pronto: uma equipe completa e infra-estrutura ideal para realizarmos os transplantes”, afirma o cirurgião torácico Henrique Nietmann, que integra a equipe médica do Serviço junto com os médicos pneumologistas Rafael Musolino e Marlova Caramori, esta na condição de consultora junto à Funfarme. Além dos três profissionais, o Serviço reúne numeroso time multidisciplinar, formado por médicos infectologistas, anestesiologistas e intensivistas, fisioterapeutas, equipe de enfermagem, nutricionistas e assistentes sociais. Dr. Henrique Nietmann iniciou o projeto de implantação do Serviço, em 2012, amparado em conhecimento e experiência adquiridos no Hospital da Universidade de Toronto, no Canadá, onde foi realizado o primeiro

Equipe multidisciplinar do Serviço, estrutura existente em somente 4 centros no Brasil

um centro de reabilitação, no segundo andar. Dr. Rafael Musolino explica que, enquanto aguarda pelo aval do Ministério da Saúde, os 10 profissionais do Serviço fazem um acompanhamento ambulatorial e médico de cada paciente para assegurarem o seu bem estar e as melhores condições físicas e psicológicas. No centro de reabilitação, por exemplo, eles fazem exercícios orientados para melhorarem o condicionamento físico e a capacidade respiratória. “São requisitos fundamentais para que, ao receberem o pulmão, terem a melhor recuperação pós-cirúrgica possível”, salienta Dr. Musolino.

transplante de pulmão no mundo, em 1986, e considerado um dos principais centros de referências neste procedimento. Dra. Marlova também atuou no hospital canadense e participou da reestruturação do Serviço de Transplante de Pulmão do Incor, onde depois ficou por 10 anos. O Hospital de Base dispõe de todos os setores e especialidades necessárias antes, durante e depois do transplante: o oitavo andar inteiro dedicado a este procedimento, centro cirúrgico moderno, serviços de medicina intensiva, de diagnósticos por imagem e de hemodinâmica, laboratórios de imunologia e microbiologia, além de

Veja porque é tão importante que o Serviço de Transplante de Pulmão do HB inicie logo suas atividades

4

• Só existem instituições que fazem este transplante em todo o país. As reuniões mensais são a oportunidade para serem esclarececidas dúvidas sobre a cirurgia, o que tranquiliza todos

2

equipes multidisciplinares no • E só há Brasil capacitadas a fazer o transplante. •

1 ano e meio é o tempo médio de espe-

100 pessoas esperam por um pulmão,

ra por um órgão.

somente no Estado de São Paulo.

30%

Drs. Henrique e Marlova transmitem informações aos pacientes do Serviço e seus familiares, em reuniões mensais

•Diminuiu o número de transplantes no Brasil, nos primeiros seis meses deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Funfarme Notícias - Agosto 2014

7


Funfarme

EM BUSCA DE MAIS QUALIDADE DE VIDA para colaboradores e lideranças

Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida no trabalho, a Funfarme criou um novo setor, chamado de Projetos Especiais em RH. As atividades deste departamento iniciaram-se no dia 7 de agosto. O projeto visa o desenvolvimento de competências em diversos outros setores da instituição e trabalha principalmente com os gestores. A intenção é melhorar as habilidades dos colaboradores, deixando o ambiente de trabalho e a convivência

mais saudáveis. “As mudanças esperadas virão a médio e longo prazo, mas já começamos a ver os primeiros resultados no comportamento dos participantes. É um trabalho de formiguinha mesmo” afirma Cristiane Bussolote, gestora de Recursos Humanos da Funfarme. O projeto consiste em vários treinamentos, que acontecem às segundas, terças e quintas, no 4º andar do HB, na ala do Convênio.

Plano de Ação do Projeto de Estratégia em RH

O diagrama mostra a estratégia e todos os campos de atuação do projeto para obter melhor qualidade de vida no trabalho 8

Funfarme Notícias - Agosto 2014


Funfarme

JOVENS APRENDIZES E ESTAGIARIOS

Nos dias 13 e 14 de agosto, foi realizado, com os mais de 60 jovens aprendizes e estagiários da Funfarme, um treinamento de integração, com o objetivo de instruí-los sobre suas responsabilidades e mostrar o quanto são importantes para a instituição. Para alguns desses jovens, a Funfarme é a primeira experiência profissional e grande oportunidade.

Apesar de Francielle da Silva Gomes ter apenas 16 anos, ela já sabe bem o que pretende fazer ao se formar no ensino médio: cursar enfermagem! Francielle conta que o dia a dia na instituição fez com que sua escolha se tornasse mais fácil.

Aluna do curso tecnológico em Gestão de Recursos Humanos, Ana Paula, 33 anos, tem conciência da importância do atual momento da vida, pois sabe que o estágio é um passo fundamental para inserir-se no mercado de trabalho, o mais cedo possível.

Ivan de Sousa Junior trabalha na Funfarme há quase um ano e meio. Com 17 anos, o estudante é um dos menores aprendizes que está há mais tempo na instituição. O próximo passo para Ivan, agora, é ingressar em uma faculdade, segundo ele, de Engenharia Civil.

‘’A instituição funciona como grande alavanca para maioria desses jovens. Temos vários casos de estagiários e jovens aprendizes que decidiram seu futuro profissional aqui na instituição. Sem dúvida é uma etapa muito importante para todos.’’ Cristiane Midori, responsável pelo Setor de Recursos Humanos da Funfarme

Funfarme Notícias - Agosto 2014

9


Instituto Lucy Montoro

Novo tratamento diminui dor e espasmos na reabilitação do paciente A Unidade de Rio Preto do Instituto Lucy Montoro começou a realizar, no dia 15 de agosto, um novo tratamento que diminui dor e espasmos em pacientes com debilidade motora. O método baseia-se em utilizar eletroestimuladores para localizar o ponto original da tensão muscular e, ali, injetar o fenol - substância que auxilia no relaxamento dos músculos afetados. “A intenção é reduzir os espasmos da estrutura. Isto irá permitir a diminuição dos movimentos indesejados, muitas vezes dolorosos, sem alterar a capacidade motora não atingida pela doença, evitando cirurgias desnecessárias.”

Segundo Musse, cada aplicação do medicamento dura em média nove meses, proporcionando ao paciente, nesse período, maior relaxamento da musculatura envolvida

O método foi apresentado aos profissionais do Lucy Montoro pelo fisiatra Carlos Musse, presidente da Associação Brasileira de Fisiatria

Dra. Regina Chueire, diretora da unidade

O que é Fenol Fenol é um medicamento que quando aplicado sobre nervos motores tem o objetivo de controlar (reduzir) os espasmos e dores indesejáveis de pacientes que sofreram traumas motores.

Músico rio-pretense doa instrumentos para terapia do Instituto Lucy Montoro Os pacientes do Lucy Montoro, participantes das aulas de terapia musical, tiveram uma grata surpresa em agosto. Eles receberam a doação de quatro novos instrumentos de percussão (dois pandeirose dois surdos de samba), gesto do Mestre Boca, como é conhecido o músico e artesão de instrumentos José Cunha. ‘’Iniciativas como esta do Mestre Boca são sempre bem-vindas”, ressaltou Clodoaldo Canizza, professorde percussão do Lucy Montoro. A terapia musical é uma das diversas oficinas que o Instituto ministra visando o desenvolvimento e o bem estar dos pacientes. Além de estimular os músculos, melhorando a coordenação motora, as aulas colaboram para estimular a autoestima. Iniciada em julho deste ano, a terapia conta com 20 alunos hoje. 10

Funfarme Notícias - Agosto 2014


Instituto Lucy Montoro A terapeuta ocupacional Francine Duarte, com os pacientes Leandro e Ana Carolina

Robôs ajudam pacientes a vencer desafios e realizar sonhos Um ano depois da instalação de robôs no Instituto Lucy Montoro, integrado à Funfarme, os profissionais da Unidade e, sobretudo, os pacientes tratados com a ajuda das máquinas comemoram as conquistas. Ações banais para a imensa maioria das pessoas – como pegar um objeto, escrever ou pintar –, mas conquistas incalculáveis, indescritíveis para os pacientes do Lucy Montoro. É o caso de Leandro de Jesus, 26 anos, um dos primeiros a utilizar os robôs, que tem como meta voltar a dirigir. ’’Consigo realizar melhor os movimentos nos meus membros superiores, percebi também um aumento na minha força, estou me esforçando bastante e acredito que em breve volto a dirigir’’, afirmou Leandro. Para alcançá-las, 40 pacientes contam como poderosos aliados para estimular os movimentos de seus braços e mãos com os equipamentos de robótica, disponíveis na América Latina apenas nas unidades da Rede Lucy Montoro. Os robôs auxiliam na realização de movimentos de cotovelos, punhos e ombros. Outro benefício do tratamento é que, a cada 80 repetições, o robô, comandado por um computador, analisa a sequência dos movimentos,possibilitando ao terapeuta acompanhá-los e avalia-los melhor.

Tetraplégica em decorrência de acidente de moto há 10 anos, Ana Carolina de Oliveira da Silva, 30 anos, nutria grande paixão por pintar, mas a atividade era pouco viável até um ano e meio atrás. “Minha filha pintava, mas não da maneira que queria”, lembra a mãe, Malvina Lúcia Soares de Oliveira. A perspectiva de vida mudou ao descobrirem o Centro de Reabilitação Lucy Montoro, em Rio Preto. “Fiz só fisioterapia durante muitos anos, mas, ao vir para o Lucy Montoro, tive novas oportunidades, avanços, minha coordenação motora melhorou bastante e, meus quadros também”, diz Ana, contendo a emoção.

‘’Com a ajuda da tecnologia, é possível aumentar o número das séries e dos exercícios executados, ao contrário das terapias convencionais, pois os aparelhos diminuem a dificuldade dos pacientes de realizar os movimentos, tornando a terapia mais eficaz e menos cansativa.’’ Francine Duarte, terapeuta ocupaciona, responsável pela Área de Robótica da Unidade de Rio Preto do Instituto Lucy Montoro. Camila Scobar, Francine, Cristiane Pereirinha e Alice Gonçalves, as quatro tarapeutas ocupacionais da unidade Rio Preto, capacitadas a trabalhar com os robôs Funfarme Notícias - Agosto 2014

11


Hospital da Criança e Maternidade

Primeiro evento do novo Serviço de Reumatologia Pediátrica é um sucesso

A equipe do recém-implantada Reumatologia Pediátrica da Funfarme/HCM/Famerp teve a grata satisfação de atestar o prestígio do Serviço ao realizar a sua I Jornada, no dia 9 de agosto. O anfiteatro da Faculdade ficou praticamente lotado, reunindo residentes, aprimorandos/aperfeiçoando e médicos, entre mais de 150 profissionais de saúde. Além de ter sido oportunidade para apresentar o novo Serviço, a Jornada proporcionou a discussão de temas como os cuidados com o paciente infanto-juvenil, patologias reumáticas e a relevânciado diagnóstico precoce parase evitar ou reduzirpossíveis sequelas e deformidades, todos enfocados em palestras e mesa-redonda. O Serviço iniciou suas atividades em maio e atende atualmente 15 crianças.

Dr. Antônio Carlos Gusson (em pé) fala, observado por Dra. Gecilmara e Dr. Roberto Acayaba, para um anfiteatro lotado de profissionais de saúde, durante a Jornada

“Este encontro é a forma de coroar o início do nosso Serviço.”

“Estava muito esperançoso de termos o Serviço. O sonho tornou-se realidade.”

Dra. Gecilmara Pileggi, responsável pelo novo serviço de Reumatologia Pediátrica do HCM/Famerp

Dr. Roberto Acayaba de Toledo, chefe do Serviço Reumatologia para Adultos da Funfarme/ Famerp

“Queremos que os 2 milhões de moradores da região nos vejam como referência em tratamento multidisciplinar e de qualidade.” Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson, diretor do HCM e chefe do Departamento de Pediatria e Cirurgia Pediátrica da Famerp

Nova sala de coleta de leite oferece conforto a pacientes do HCM Já nos primeiros dias de vida, o leite materno é fundamental para o desenvolvimento da criança. Ciente disso e para facilitar o contato da mãe e o recém-nascido, com ainda mais conforto, o Hospital da Criança e Maternidade inaugurou, no dia 4 de agosto, a salade coleta de leite materno. Instalada no segundo andar, a sala oferece condições para que as mães retirem o leite a ser dado a seus bebês internados e receber orientações dos médicos e enfermeiras sobre a forma correta de amamentação. A sala possui três cadeiras confortáveis, duas bombas de ordenha e freezer para armazenar até 30 frascos de leite (meio litro cada). “Semanalmente,o conteúdo é enviado ao Banco de Leite Humano do

ONG mundial doa mantas com temas divertidos a crianças do HCM 12

Funfarme Notícias - Agosto 2014

A sala funciona todos os dias da semana

município, onde é pasteurizado e retorna ao hospital para alimentar as crianças internadas na UTI neonatal”, explicou a enfermeira Samanta Volpi, responsável pelo setor. A unidade brasileira da ONG internacional Love Quilts entregou, em agosto, mantas aos pacientes do HCM, Ana Júlia Ciampone, 3 anos, e Cesar de Oliveira Barbosa, 13. As mantas são personalizadas com os temas prediletos deles: ela, da turma do Cocoricó, e ele, de carros.


Funfarme

Colaboradora, faça seu exame de mama!

Agende já a sua mamografia entre os dias 26 de setembro a 10 de outubro pelo ramal 5171. Os exames serão realizados nas colaboradoras com mais de 40 anos e que não o fizeram ainda este ano. Não fique de fora!

Obrigada por tudo SHL. To chegando equipe da Costura! Rosângela,sentada ao centro, com suas companheiras do novo setor

Após 14 anos de dedicação ao setor de limpeza terminal na UTI, a colaboradora Rosângela Barbarotti vai agora se aventurar na costura. Rô do terminal, como é conhecida pelos corredores do HB, terá que deixar o setor onde, ao longo de todo esse tempo, fez tantas amizades que fica impossível enumerá-las. “Durante todo esse tempo muita gente entrou e saiu na minha vida profissional aqui dentro. Fiz amizades que vão desde

faxineiros até médicos. Graças a Deus, sempre me dei bem com todos eles” contou Rô, com um sorriso escancarado no rosto. Rosângela disse ainda que a mudança de setor se fez necessária, pois o corpo já não suporta mais os esforços da função exercida anteriormente. “Não tenho mais idade pra isso” brincou Rô, que ainda complementou, em tom um pouco mais sério: “Eu amo o que faço, mas me preocupo

muito. Tenho medo de não conseguir manter a eficiência de sempre.” Rô trabalhará no Setor de Costura, para o qual já havia tentado uma vaga, sem sucesso. Mas sua insistência acabou lhe rendendo uma oportunidade de emprego através de uma empresa que terceirizava o serviço de limpeza do HB. Após sentir a necessidade de mudança de setor, Rosângela soube que haveria um recrutamento interno para uma o setor de costura.

“Uma vaga apareceu e houve outra seleção. Tive sorte desta vez.” Ela faz questão de agradecer os amigos que fez em sua trajetória até aqui. “Agradeço a todos do 7º andar, transplante de medula, UCOR, pós-operatório, transplante de fígado e da UTI neonatal. Começo novo ciclo, em que espero fazer mais amizades e com certeza desempenhar um bom trabalho. Tenho muito orgulho de trabalhar na Funfarme.” Funfarme Notícias - Agosto 2014

13


Hospital de Base

Chance agarrada com unhas e dentes

Perfil

Quando recebeu uma oportunidade de estágio na Famerp, Jucelea Soares da Silva, ou simplesmente Léa, como é chamada carinhosamente por todos, já ingressou determinada a permanecer na instituição onde vislumbrava a oportunidade de exercer os conhecimentos da Administração, faculdade que cursava à época. O empenho foi recompensado apenas 10 meses depois com a efetivação. “Meu contrato de estágio era de apenas um ano, o que cria uma tensão grande. É preciso, no entanto, ter sorte e, perto do fim do estágio, cobri as férias de uma colaboradora, avaliaram bem meu trabalho e fui efetivada como auxiliar de serviços” lembra Léa. A conquista do emprego tem valor ainda maior dados os desafios da então jovem de 20 anos que havia deixado a casa dos pais, em Mendonça, para obter o diploma de curso superior na Rio Preto de mais de 300 mil habitantes. “Morei numa república, mas a saudade dos pais e de casa era inevitável.” Léa então buscou minimizar a saudade com a determinação no novo emprego e, assim, após trabalhar na Famerp, foi promovida à secretária executiva da Área de Recursos Humanos, na atual gestão. Traço característico da personalidade de Léa é envolver-se com iniciativas que beneficiam os grupos do qual participa. Não é diferente na Funfarme, onde ela integra a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), já há quatro anos, e é a atual vice-presidente, além da Comissão de Eventos da fundação. “Sinto muito orgulho de trabalhar numa instituição do tamanho e da importância da Funfarme, onde tive minha primeira oportunidade de emprego, fui reconhecida pela dedicação e me ofereceram oportunidades de crescimento profissional” disse a secretária. Para manter cabeça e corpo em harmonia, Léa entrega-se à corrida ou caminhada e adora viajar com amigos, principalmente para as cidades litorâneas. Mas nada é melhor para recarregar as energias do que refugiar-se em Mendonça, junto à família e os amigos de infância.

Perfil

Trabalho e Dedicação

Trabalho e dedicação. Estas são as palavras que resumem a vida da colaboradora Renata Fleming Suttini de 38 anos. Atuando no mesmo setor desde que foi contratada, em 2001, Renata conhece como poucos a rotina de trabalho no SESMT da instituição. Conhecida por todos, os companheiros de trabalho rasgam elogios à colaboradora. ‘’Ela é sempre muito empenhada em realizar as funções das melhores maneiras possíveis, uma irmã para mim aqui dentro’’, conta Aldeci Rodrigues, com quem Renata trabalha há 13 anos. Além do cargo desempenhado como técnica em segurança no trabalho, atualmente ela também é presidente da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) da Funfarme. E se engana quem pensa que a colaboradora não encontra tempo para cuidar da casa e família. Renata 14

Funfarme Notícias - Agosto 2014

é casada e mãe de dois filhos, Joaquim de seis anos, e Pedro de três. Apaixonada desde sempre por fotografia, a técnica tem como hobbie registrar quase todos os momentos de sua vida. Um dos mais marcantes foi em 2007, quando descobriu que estava grávida, dois meses após voltar da Argentina com o marido Carlos Sérgio. A colaboradora conta que os 27 dias da viagem, ouvindo só espanhol, contribuíram para a origem do nome do primeiro filho. Assistindo a um filme, ela escutou o nome ‘Joaquim’ e, desde então, predestinou ao garoto. Ao todo, a jornada de motocicleta rendeu ao casal mais de 10.500 mil quilômetros de estradas, 15 culturas e cidades diferentes e o garotinho Joaquim, de seis anos de idade.


Hospital de Base

Biblioteca

Mutirão de hemorroida realiza em 1 dia o número de cirurgias de 2 meses

A dança do universo De Marcelo Gleiser

O que aconteceu no momento da Criação? Houve um instante determinado em que o Universo que nos rodeia surgiu? Essas questões são tão antigas como a própria humanidade. Muitos procuram resposta nos mitos e na religião. Outros, nas teorias científicas. Em A Dança do Universo, o físico brasileiro Marcelo Gleiser, professor de física e astronomia do Dartmouth College e pesquisador premiado no Brasil e nos Estados Unidos, mostra em linguagem clara que esses dois enfoques não são tão distantes quanto imaginamos, apresentando versões de diversas culturas para o mistério da Criação, até desembocar na explicação da ciência moderna para a origem do Universo. Prêmio Jabuti 1998 de Melhor Ensaio e Biografia, 70 mil exemplares vendidos.

Uma lição inesquecível De Laura Schroff

Com licença, senhora. Tem uma moeda? Tô com fome. Manhattan, Nova York, 1986. Foi assim que começou essa história no mínimo improvável. Ela, uma diretora comercial bem-sucedida de 35 anos no auge da carreira. Ele, um garotinho negro de onze anos que sobrevivia pedindo esmolas na rua. Cada um seguia sua vida em mundos geograficamente próximos, mas completamente distantes um do outro. Até que algo inexplicável, uma espécie de fio invisível, os une de maneira permanente. E a vida deles – essa vida que, de formas distintas, já parecia tão consolidada e firme tanto para ela quanto para ele – mudará para sempre. Como eles nunca poderiam imaginar.

Profissionais exibem satisfação pelo sucesso do primeiro mutirão de cirurgia de hemorroida

O Hospital de Base realizou, no dia 30 de agosto, mais um mutirão de cirurgias, desta vez, em pacientes com hemorroida. Mais de 20 profissionais de várias especialidades mobilizaram-se para fazer 15 cirurgias, número equivalente ao de dois meses de procedimentos pelo SUS. Este mutirão, o primeiro para operar esta inflamação nas veias do intestino, reduziu em quase dois meses a fila de espera por esta cirurgia. “A fila de espera

ainda não foi zerada, mas pelo menos adiantamos os procedimentos, realizamos praticamente o dobro da expectativa mensal em somente um sábado”, destacou a enfermeira Priscila Buck, gestora do Centro Cirúrgico. Dra. Geni Satomi, proctologista e coordenadora do mutirão, explicou o critério para escolha dos 15 pacientes: “Priorizamos os pacientes que apresentavam estado um pouco mais avançado , em que as veias inflamadas eram externas.”

AVOHB recebe mais de 800 produtos de higiene pessoal A Associação dos Voluntários do Hospital de Base (AVOHB) recebeu no dia 28 de agosto, uma doação de mais de 800 produtos de higiene pessoal, 300 itens de limpeza, 1.080 rolos de papel higiênico, além de 303 toalhas de banho e diversas roupas e chinelos. Os itens foram arrecadados e doados, pelo segundo ano consecutivo, pela ONG Natal Sorridente, de Uchoa.

"Este montante irá ajudar por mais de um ano diversos pacientes e acompanhantes do SUS que passarão pelo complexo. Nós ficamos muito gratos e certamente todos que forem beneficiados também", agradece dona Heloísa Siqueira, presidente da AVOHB. Funfarme Notícias - Agosto 2014

15


Funfarme

Profissionais do mês

3 de setembro – Dia do Biólogo A Funfarme conta atualmente com 18 biólogos trabalhando no Hemocentro, Laboratório Central do Hospital de Base, CIP (Centro Integrado de Pesquisas) e Laboratório Hlab, localizado na Avenida Bady Bassit. Os profissionais realizam diversos tipos de procedimentos como tipagem sanguínea, testes para doenças, coletas e análises clínicas de materiais, além de pesquisas laboratoriais.

16

Funfarme Notícias - Agosto 2014


Funfarme

Seu pensamento constrói o seu Futuro!!! “Somos todos 100% responsáveis por nossas experiências. Cada pensamento que temos está criando nosso futuro. O ponto do poder está sempre no momento presente. Todos sofrem de culpa e ódio voltados contra si próprios. A frase-chave de todos é: “Não sou bom o bastante”. É apenas um pensamento, e um pensamento pode ser modificado. Ressentimento, crítica e culpa são os padrões mais prejudiciais. A liberação do ressentimento pode remover até o câncer. Quando realmente amamos a nós mesmos, tudo na vida funciona. Devemos nos libertar do passado e perdoar a todos. Devemos estar dispostos a começar a aprender a nos amar. A auto-aprovação e a auto-aceitação no agora são a chave para mudanças positivas. Cada uma das chamadas “doenças” em nosso corpo são criadas por nós”.

1º de Setembro - Dia do Educador Físico Quatro educadores atuam na Unidade do Instituto Lucy Montoro, com o objetivo de, através de exercícios ministrados especificamente ao tipo de patologia e perfil do paciente, promover o fortalecimento dos músculos, a resistência cardiovascular e a flexibilidade. O trabalho dos educadores físicos complementa a fisioterapia e, no Lucy Montoro, é realizado somente em pacientes adultos paraplégicos, hemiplégicos ou amputados.

Os educadores físicos Marcelo Jamil Humsi e Matheus Augusto Martins

Profissionais do mês

Para refletir

As educadoras físicas Rosana Gobi Bruetto e Lidia Liberato Rocha

27 de Setembro – Dia do Encanador O trabalho do encanador quase sempre passa despercebido. Infelizmente, só chama a atenção justamente quando há o vazamento. É justamente para evitá-los, mantendo a rede em ordem, e realizar instalações e melhorias que a Funfarme conta com um time de quatro encanadores.

Autor: Louise L. Hay. Sugestão enviada pelo colaborador Lucas Eduardo Pazetto, enfermeiro no CIP Esta coluna dedica-se a ideias e informações que nos tornem pessoas e profissionais melhores. Para participar, envie e-mail a imprensa@hospitaldebase. com.br e imprensa2@hospitaldebase. com.br.

Os encanadores Gilmar Benedito, Vanderlei Rossi e Wagner Camarini

Funfarme Notícias - Agosto 2014

17


Hospital de Base

21 de setembro - Dia da Árvore É com gestos simples, como manter uma torneira fechada, evitar o desperdício de papel, apagar uma lâmpada e plantar uma árvore, que cada um colabora para a preservação do meio ambiente. Às vésperas do Dia da Árvore, a Revista Funfarme quis saber qual o destino das mudas doadas pela Fundação a seus colaboradores, em campanha realizada, no Dia do Meio Ambiente, emjunho do ano passado. Confiram!

Um ano depois de ganharem mudas de árvores da Funfarme, colaboradores mostram como elas estão hoje

A pitangueira escolhida por Renata, presidente da CIPA, cresce na calçada, em frente à sua casa. Árvore frutífera, ela pode chegar aos12 metros de altura, oferecendo valiosa sombra.

Ao plantar em sua chácara, na cidade de Zacarias, a muda de oiti, Fátima, do Setor de Gerenciamento de Cotas eAgendas, contou logo com um forte aliado na missão de cuidar da árvore e vê-la crescer. O filho, Leonardo, 13 anos,revelou ser um jovem consciente e acompanha de perto o crescimento da planta. 18

Funfarme Notícias - Agosto 2014

A secretária Léa Soares plantou mudas de flamboyant, farinha seca, pata de vaca e abiu na casa dos pais, em Mendonça. “As árvores ornamentam e melhoram a qualidade do ar, fornecendo sombra, oxigênio e sensação de bem-estar. Plantar uma árvore é jeito simples de proteger o meio ambiente, além de embelezar, nos fornecendo flores e frutos. O planeta agradece.”


Hospital de Base

DP: sempre pronto nas horas boas e difíceis

Acima colaboradores do Departamento Pessoal da Funfarme. Ao lado, colaboradores responsáveis polo serviço de contratação

Cartão de Ponto registra o entra-e-sai de cada colaborador

Os colaboradores passam dias, anos, décadas na instituição e, muitas vezes, só se dão conta do quanto foi duradoura esta relação quando encaram o tempo eternizado na carteira de trabalho. Pois, para a equipe do Cartão de Ponto, esta relação é muito mais palpável, afinal cabe a eles garantir que seja registrada dia-a-dia. Integrante do Departamento Pessoal, o Cartão de Ponto controla o horário de entrada e de saída dos colaboradores e as horas extras. A seus colaboradores também é dado o privilégio de presenciarem, diariamente, um momento prazeroso e inesquecível para a maioria dos colaboradores. “Nós tiramos a foto do colaborador, produzimos o crachá e o entregamos. Afora raras exceções, percebemos sempre a alegria no rosto do colega no momento que vê o crachá pela primeira vez”, conta Emerson Rodrigues da Silva, responsável pelo setor. Recentemente, a Funfarme adquiriu uma impressora que emite o crachá na hora, agilizando o processo, antes feito por empresa terceirizada que demandava dias para entregar o documento.

Por ser o responsável pela admissão e desligamento, dois momentos cruciais na relação entre a Funfarme e o colaborador, as funções do Departamento de Pessoal geralmente se restrigem a estas duas atividades, na visão da grande maioria dos colaboradores. O dia-a-dia do DP, no entanto, vai muito mais além. Além de conduzir a parte burocrática da contratação e desligamento, o DP estrutura toda a folha de pagamento da fundação e zela pelo cumprimento das obrigações trabalhistas por parte da instituição e de cada um dos mais de 4.000 colaboradores, responsabilidade e tanto! “Além da burocracia da entrada e saída de colaboradores, calculamos os impostos a serem recolhidos, como INSS, FGTS e contribuições sindicais. É um trabalho que merece muita concentração e responsabilidade”, salienta Adriana Cestari, colaboradora há 20 anos e uma das responsáveis pelo Departamento. O DP recebe o colaborador que passa antes pelo recrutamento e seleção de pessoal, conduzido pela Área de Recursos Humanos. Providencia seu registro no livro de colaboradores, preenche a carteira de trabalho e solicita o cartão de benefício do vale-alimentação, além da abertura da conta bancária para o recebimento do salário. Os impostos descontados em folha de pagamento são calculados e conferidos também pela equipe, assim como férias e horas extras. No ato de desligamento o setor faz toda a parte de rescisão contratual, realizando cálculos de férias proporcionais, FGTS e 13º salário. Nos próximos dias, duas contratações conduzidas pelo DP tem um caráter especial para seus15 colaboradores. Adriana explica: “Estamos reforçando nossa equipe com mais dois integrantes. A Funfarme está crescendo e, com ela, nossas demandas. Precisamos destes dois novos colaboradores para manter a eficiência.” Os mais de 4.000 colegas agradecem. Funfarme Notícias - Agosto 2014

19


Funfarme

NÚCLEO HOSPITALAR DE EPIDEMIOLOGIA NHE/FUNFAME/FAMERP

Ebola, emergência internacional!

O que é? É uma infecção viral de início súbito, com febre, cefaleia, fraqueza, diarreia, vômitos, dor abdominal, inapetência, odinofagia e manifestações hemorrágicas, que em 60% dos casos podem evoluir para a morte.

História do Vírus Ebola e um pouco mais...

O vírus Ebola surgiu foi em 1976, no Zaire/Congo) próximo do Rio Ebola. Há quatro subespécies identificadas que têm causado doenças nos seres humanos: Ebola, Sudão, Taï Forest e Bundibugyo. O Zaire apresenta a maior letalidade (acima de 60% dos casos diagnosticado). Na África, os surtos provavelmente originam-se quando pessoas têm contato ou manuseiam a carne crua de chimpanzés, gorilas infectados, morcegos, macacos, antílopes florestais e porcos-espinhos encontrados doentes ou mortos ou na floresta. Não há tratamento ou vacina específicos, Utiliza-se medidas de suporte com terapia intensiva, que consiste em hidratar o paciente, manter seus níveis de oxigênio e pressão sanguínea e tratar quaisquer infecções. Medidas devem ser tomadas diante de um caso suspeito: isolamento do caso suspeito em quarto privativo e adotar medidas de prevenção e controle de Infecção Relacionada à Assistência a Saúde/ANVISA).

Quando suspeitar? Em indivíduos procedentes, nos últimos 21 dias, de país com transmissão atual de Ebola (Libéria, Guiné, Serra Leoa e Nigéria) que apresente febre de início súbito, podendo ser acompanhada de sinais de hemorragia, como: diarreia sanguinolenta, gengivorragia, enterorregia, hemorragias internas, sinas purpúricos e hematúria. Os casos prováveis são de viajantes ou profissionais de saúde provenientes desses países e que apresentem histórico de contato com pessoa doente, participação em funerais ou rituais fúnebres de pessoas com suspeita da doença ou contato com animais doentes ou mortos. O diagnóstico é difícil porque os primeiros sintomas são comuns. O diagnóstico definitivo é realizado em um Laboratório de Referência que são dotados de ambiente NB4, que realizam isolamento do vírus, detectando o seu RNA ou proteínas, ou detectando no sangue da pessoa os anticorpos do vírus.

Número de casos de Doenças de Notificação Compulsória na FUNFARME de jan e ago/2014 (NHE/HB/FUNFARME)

CASOS DE DOENÇA POR VÍRUS EBOLA

Ebola é uma doença de notificação compulsória imediata. Todo caso suspeito, se atendido no Hospital de base da FUNFARME, deve ser notificado imediatamente ao Núcleo de Vigilância Epidemiológico no ramal 1380, que notificará a Vigilância Epidemiológica do município, do Estado e à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

NÚCLEO HOSPITALAR DE EPIDEMIOLOGIA NHE/FUNFAME/FAMERP

20

Ramais do NHE/HB – 1380 e 1837 – http://www.hospitaldebase.com.br/nhe Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. À noite, nos finais de semana e feriados, o telefone do plantão da Vigilância Epidemiológica municipal está disponível com a telefonista do Hospital de Base.

Funfarme Notícias - Agosto 2014

Revista hb agosto 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you