Page 1

Ano X / Nº 129 Setembro - 2012

Sipat amplia temática, aborda aspectos social, emocional, pessoal e de convivência e obtém adesão e aprovação dos colaboradores

Sipat

2012

Editorial à pág. 2 e págs. 12 e 13


Editorial

Sumário

Uma nova SIPAT

n

A grande maioria das pessoas desconhece que a realização

Editorial

02

n

Lucy Montoro completa 1 ano

03

n

Meu Setor: Central de Exames

04

n

Prioridade a aparelhos calibrados

05

n

Leilão arrecada R$ 42 mil

06

n

Painéis de monitoramento

06

n

HB investe em acessibilidade

07

n

Mutirão acaba com fila de espera

07

n

Semana de Doação de Orgãos

08 e 09

n

Outubro Rosa

10 e 11

n

19ª Sipat

12 e 13

n

Dia da Secretária

14

n

Perfil: “Seu Carlos”

15

n

Congresso de Cirurgia Geral

15

n

NHE - saiba sobre a turberculose

16

da SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho é uma exigência da Lei, e as Empresas são obrigadas a realizar esse evento, pelo menos no papel. Quase todas as empresas cumprem a lei fazendo nessa semana apenas algumas palestras exclusivas sobre acidentes de trabalho, abordando aspectos exclusivamente técnicos. Desde o ano passado, por sugestão do Dr. Horácio, nosso

EDITORIAL

Diretor Executivo, foi tentado modificar o enfoque técnico da SIPAT para abordar aspectos da parte social, emocional, pessoal e de convivência dos funcionários, ao invés de apenas “ensinar” não sofrer acidentes. E realmente foi um sucesso essa mudança, que se repetiu

neste ano. Assim como no ano passado, as palestras bastante elogiadas

foram voltadas para temas de desenvolvimento e convívio humano, assim como a necessidade do lazer, com aulas de dança, postura corporal, meditação e relaxamento. As peças teatrais, dos dois anos, foram de sucesso absoluto.

Além do fato de permitir a vários funcionários, pela primeira vez, na vida entrar num teatro e assistir uma encenação teatral, os temas atingiram diretamente a alma e o comportamento de cada um que lá compareceu. Fomos bastante elogiados por essas inovações, mas quem

merece os elogios são as várias pessoas que deram tudo de si para que essa semana fosse uma SIPAT diferente. Essa semana deveria se chamar “Semana Interna de Promo-

ção e Atenção ao Trabalhador”, pois foi esse nosso objetivo e sabemos que foi alcançado. Nossos sinceros agradecimentos ao pessoal da CIPA, ao Re-

cursos Humanos, aos Técnicos de Segurança do Trabalho, à Hotelaria e a todos os Voluntários e Colaboradores, sem os quais o evento não teria alcançado o sucesso que atingiu. E com a colaboração de todos, com certeza, no próximo ano, teremos uma SIPAT ainda mais animada e com maior número de participantes. Obrigado! Dr. Paulo Nakaoski Coordenador de DP e RH/FUNFARME

Vem

aí...

NOVEMBRO AZUL

mês de prevenção ao câncer de próstata. A guardem! 02 Revista do HB - Setembro - 2012

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME) Ano X / Nº 129 Setembro- 2012 • Diretoria da Funfarme/HB: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luis E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretor Administrativo HB: Dr. Newton Bordin Júnior • Diretor Clínico: Dr. Jorge Adas Dib • Vice-Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo • Diretor Técnico: Dr. Helencar Ignácio • Vice-diretor técnico: Dr. Helder Sanchez • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Produção Editorial: Intermídia Publicações – Fone: 17- 3353-2083 • Jornalista Responsável: MTB: 24.527 • Produção: Luis Fernando Neves • Diagramação: Roger Goulart • Colaboração: Camila Galvão • Impressão: Fotogravura Rio Preto • Tiragem: 2000 exemplares


Lucy Montoro

Rede Lucy Montoro comemora 1 ano de atividades em Rio Preto

Mais de 40 mil atendimentos foram realizados neste período No dia 12 de setembro, o Centro de Reabilitação Lucy Montoro comemorou 1 ano de atividades em prol dos pacientes com deficiência física e doenças potencialmente incapacitantes. Neste período mais de 40 mil atendimentos foram prestados a pacientes da região de Rio Preto, Araçatuba e Barretos. Dra. Regina ressalta que é notável e gratificante o desenvolvimento dos pacientes com o tratamento. “Toda equipe fica muito feliz com cada pequeno avanço no tratamento de nossos pacientes. A vitória e superação deles também é uma vitória nossa. Temos como objetivo dar condições à pessoa com deficiência de ser efetivamente inserida na sociedade e no mercado de trabalho, a partir do desenvolvimento de suas habilidades e potencialidades, proporcionado pela reabilitação multidisciplinar”, conclui ela. Os pacientes presentes na data da comemoração dançaram e deram um show, levando a mensagem de alegria e perseverança a todos os presentes.

Revista do HB - Setembro - 2012

03


Meu Setor

Central de Exames oferece atendimento de qualidade aos clientes e chance de crescimento profissional a seus colaboradores

O movimento é intenso mas, como em todo o HB, os colaboradores dedicam-se com profissionalismo ao atendimento aos clientes que procuram a Central de Exames. Um número dá a dimensão do quanto o setor é solicitado: em média de 2.200 exames são agendados por mês. As atribuições da Central vão mais além. Suas colaboradoras: - confirmam agenda via telefone; - abrem atendimentos particulares via sistema para todos os exames do hospital, exceto laboratório, hemodinâmica e urodinâmica; - informam preparo do exame e valores para o paciente; - autorizam guias de exames dos convênios; - agendam exames agendados como ressonância magnética, tomografia, ultrassom, entre outros. É na Central também que os exames são en-

“Ainda era auxiliar de serviços quando fui convidada a coordenar a Central de Agendamento e Entrega de Exames. Sabia que viria pela frente um grande desafio em minha carreira e assim foi! Alguns funcionários eram novos no setor, vindos de setores com objetivos totalmente diferentes de atendimento, como: copa, limpeza, centro cirúrgico e anestesia; mas com muito treinamento e empenho, conseguimos, todos juntos, adequar o setor e o atendimento, e assim recebemos muitos elogios. Com o passar do tempo conseguimos melho-

04 Revista do HB - Setembro - 2012

tregues, em média, 5.600 por mês. Entre os exames, estão: • Diagnóstico por Imagem de internados, emergência e eletivos de convênios (somente ressonância eletivo SUS); • Exames eletivos de Cardiologia – SUS e convênios e internados convênios; • Exames eletivos de Neurologia – SUS e convênios e internados convênios; • Teste do pezinho de convênios; • Exames eletivos e internados da Anatomia Patológica – convênios; • Exames eletivos da Oftalmologia – SUS e convênios; • Exames eletivos e internados da Endoscopia – convênios; • Exames de imagem realizados na Emergência/Internação-Convênios; • Exames de laboratório.

rias no setor, as quais tornaram o trabalho mais prático e organizado; de um modo geral cito a implantação da MV. Depois de dois anos de muito trabalho e de ter encarado este desafio, fui convidada a assumir o cargo de supervisora do Depto. de Imagem, onde estou atualmente. A experiência adquirida à frente da Central de Exames foi muito gratificante e fundamental para ocupar o cargo em que me encontro, bem como me auxiliou a escolher a saúde como área de especialização que estou cursando hoje.” Gianna Mateus

Adriana Santana - iniciou no HB como copeira em junho de 2000. Em abril de 2009, foi promovida a auxiliar de serviços e, graças a sua dedicação, em 2011 recebeu nova promoção e tornou-se líder de equipe.

Paula da Silva - em maio de 2011, ocupou uma vaga temporária por 6 meses, quando contrato de temporária foi prorrogado por mais 6 meses e, em maio de 2012, foi efetivada.

Ivani Ferreira - ingressou como estagiária em setembro de 2008, sendo efetivada em novembro de 2009.

Mariana Dias - iniciou como estagiária em setembro de 2009, sendo efetivada em fevereiro de 2011.


Eficiência em gestão hospitalar

HB prioriza a importância da calibração e segurança de aparelhos médicos e hospitalares Profissionais do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo estiveram presentes no HB em setembro para calibrar os aparelhos médicos e hospitalares, proporcionando mais segurança aos pacientes e aos profissionais. Segurança é primordial em ambientes de saúde. Por isso, com a evolução tecnológica dos equipamentos médicos, a manutenção periódica garantindo a integridade desses recursos torna-se cada vez mais necessária. É lei que todos os equipamentos de medição ou aferição sejam calibrados regularmente, porém isso passa despercebido por várias empresas e por seus usuários. A Calibração tem como objetivo verificar se os valores medidos ou setados nos equipamentos médicos estão dentro da tolerância determinada tal serviço é indispensável para a garantia e a segurança dos processos que envolvem equipamentos médico-hospitalares. “A vida de um paciente não pode ser colocada em risco por causa de um erro de calibração e, apesar de ser lei, muitas instituições descumprem esta ordem e proporcionam riscos desnecessários aos seus pacientes”, afirma o engenheiro Rodrigo Plazas.

Parabéns equipe Semi – 5° Andar “Ciléia, quero PARABENIZAR sua equipe de enfermagem da SEMI pela eficiência dos cuidados preventivos de UPP para os pacientes Ailton Cesar Aono, Sara Venâncio Ferreira e Benedito Roberto dos Santos, pacientes da Neurocirurgia, que estiveram internados em estado grave na UTI e agora estão na SEMI já há alguns dias e ainda permanecem com pele íntegra. Por favor, parabenize sua equipe e continuem assim! Abraço.” Carla Simão – Enfermeira da equipe da Neurologia e Grupo de Curativo

Dra. Andréa, com a paciente Catarina, que está há 3 meses na semi e não teve úlcera por pressão Revista do HB - Setembro - 2012

05


Tecnologia / Solidariedade

TI do HB inova e implanta painéis de monitoramento Visando à pró-atividade no atendimento do suporte, a Área de TI do HB implantou painéis para o monitoramento da infraestrutura de rede e servidores. São 2 painéis que monitoram, em tempo real, o funcionamento dos servidores e dos switchs de rede. Segundo Miguel Freddi, Gestor de TI, esse monitoramento permite que a equipe de suporte identifique, de forma rápida e prática, quais equipamentos deixaram de funcionar perfeitamente. “Como a sala de servidores fica isolada, quando algum servidor saia fora de operação, os colaboradores do Suporte somente tinham conhecimento quando recebiam a reclamação de algum setor. Agora com o monitoramento em tempo real, o pessoal con-

Um leilão organizado na cidade de Potirendaba arrecadou R$ 42.355,55, doados ao Hospital de Base. Os potirendabanos deram verdadeiro exemplo de solidariedade ao colaborarem de várias formas para o êxito do evento. Teve quem preferiu arrematar, houve doação de dinheiro, de produtos para serem leiloados, enfim, a cidade inteira se uniu em prol do HB. O Diretor Executivo do Hospital de Base, Dr. Horácio José Ramalho, recebeu os organizadores, que fizeram questão de entregar o cheque pessoalmente. “O município de Potirendaba está de parabéns por essa iniciativa e espero que as outras cidades sigam o exemplo”, afirmou Dr. Horácio.

segue identificar, de imediato, quando algum servidor ou switch de rede fica fora de operação, ou seja, passamos a ter uma ação pró-ativa e não reativa”, explica Miguel. O sistema implantado é de plataforma livre, ou seja, não tem nenhum custo para o hospital e o funcionamento é bastante simples. “O painel mostra os servidores e switchs de rede instalados na cor verde e, quando ocorre algum problema, a cor muda para vermelho, identificando a existência de algum problema no equipamento”, relata Vinicius Figueiredo, Supervisor de TI do HB. Com esse sistema de monitoramento, a tendência é que o suporte fique mais ágil, reduzindo o tempo de parada dos equipamentos.

Potirendaba realiza leilão e doa o dinheiro arrecado para o HB

Organizadores do leilão entregam cheque de R$ 42 mil à Diretoria do Hospital de Base

06 Revista do HB - Setembro - 2012


Eficiência em gestão hospitalar

HB investe em acessibilidade

Não enxergar, não ouvir ou depender de uma cadeira de rodas para se locomover é extremamente difícil. Se comunicar com as pessoas em lugares públicos também, como pedir informação sem ouvir e sem falar? Como saber se o elevador está no andar certo sem enxergar o número? Como subir uma calçada sem acesso específico para cadeirante? A falta de acessibilidade não atrapalha somente o trânsito dessas pessoas a determinados lugares. Ela compromete sobretudo o convívio social. Pensando nisso, as equipes da engenharia, hotelaria e Sesmt do HB convidaram, no dia 12 de setembro, deficientes motores, auditivos e visuais para percorrerem os principais acessos do Hospital de Base. O intuito desta ação foi apontar, de forma eficaz, os principais obstáculos enfrentados por eles no prédio da instituição para, com isso, serem feitas mudanças visando a acessibilidade. Pisos táteis, corrimãos e informações em braile foram algumas das sugestões. Os convidados foram enfáticos quanto à importância desta ação. Todos disseram que a maioria dos lugares não são apropriados, causando transtornos e até mesmo acidentes. É o HB pensando no bem estar de todos!

Equipe da cardiologia do HB realiza mutirão e acaba com a fila de espera para realização do protocolo de risco cirúrgico A partir de outubro, entrará em vigor o novo protocolo de risco cirúrgico, que orienta sobre como avaliar o paciente e os exames necessários antes da cirurgia. A fila do ambulatório para protocolar e marcar os exames era de cerca de três meses. Para reduzir o tempo de espera, a enfermaria da cardiologia clínica realizou um mutirão, no qual 150 pacientes foram atendidos em três semanas. Para o cardiologista Gilmar Greque, esta ação foi muito importante. “Duas coisas são fundamentais no mutirão: todos passam a falar a mesma língua e somente os pacientes que realmente necessitam realizam os exames”, afirmou. Depois desta iniciativa, o paciente é protocolado em, no máximo, 15 dias.

Revista do HB - Setembro - 2012

07


Semana de Doação de Órgãos

A Semana em que se comemora a VIDA

Como ocorre há 12 anos, para marcar o Dia Nacional da Doação de Órgãos (27 de setembro), o Hospital de Base promoveu a Semana de Doação de Órgãos, de 24 a 28 de setembro, para festejar a saúde de seus pacientes transplantados, conscientizar a sociedade sobre a importância da doação e mostrar que este ato oferece ao transplantado a oportunidade de ter uma vida normal.

Um jogo onde só há vencedores E como ocorre desde a primeira Semana, o HB promoveu o jogo de futsal em que só houve vencedores, na noite do dia 26 de setembro, no ginásio da Faculdade de Medicina de Rio Preto. A partida opôs pacientes transplantados e médicos da Área de Transplantes da instituição e atraiu cerca de 300 pessoas, entre médicos, enfermeiros, psicólogos, alunos de medicina, transplantados e seus amigos e familiares. “Não é um simples jogo de futsal, mas sim uma maneira diferente de comemorar a vida e lembrar a importância da doação de órgãos”, ressaltou Dr. Renato Silva, chefe do Serviço de Transplante de Fígado. Wilson José Donegá, de 57 anos, e sua esposa, Ana Maria, não conseguiam conter a emoção, pois esta foi a primeira partida da qual ele participou, após ter se submetido ao transplante de fígado há dois anos. Já Rildo José Alves, receptor de um rim do irmão em 1996, dedica seus gols ao seu

“herói” doador. “Fiz o transplante há 16 anos e de lá pra cá voltei a ter qualidade de vida. Posso viajar, beber água e até correr. Quando faço um gol dedico para o meu irmão, quem me doou o órgão e salvou minha vida”, afirmou Rildo. O evento foi aberto pela Batorada Vaca Magra, a bateria da

Geovana, transplantada de rim, presenteou Dra. Ida

08 Revista do HB - Setembro - 2012

Famerp, que brindou o público com um espetáculo de percussão. No intervalo da partida, pacientes prestaram homenagem aos médicos da Área de Transplantes com presentes. Momento de emoção foi quando Dr. Wilson, um senhor que teve o coração transplantado há 26 anos pelo ci-

Dr. Willian recebeu flores de Aparecida, transplantada de fígado

rurgião cardíaco Eurícledes de Jesus Zerbini, referência mundial e já falecido, leu a “oração do doador”. Uma noite que vai permanecer na memória dos participantes por muito tempo.

Dr. Wilson presenteia Dr. Renato Silva


Semana de Doação de Órgãos

Em poucas palavras,

a emoção do renascer

“Participar deste jogo é uma dádiva de Deus e prova de que existe vida após a morte, afinal, estou aqui com o fígado de outra pessoa, cuja família demonstrou o quanto é humana.” Silvio Pereira de Oliveira, com a esposa, Sueli, e os filhos, Sofia e João Victor

“É maravilhoso. Há cinco anos aguardava pelo órgão e, durante este tempo, estava na arquibancada querendo muito estar aqui um dia. Realizei meu sonho.” Wilson José Donegá, ao lado da esposa, Ana Maria

Serviço de Procura de Órgãos registra aumento de 9% nas doações

1 d 8

O Serviço de Procura de Órgãos e Tecidos do HB (SPOT) comemora o aumento de 9% nas doações de órgãos e tecidos na região de Rio Preto em relação ao ano anterior. De janeiro a agosto de 2012 foram registradas 183 doações, contra 167 no mesmo período de 2011. Houve aumento também de transplantes de órgãos e tecidos (8%). De janeiro a agosto de 2012 foram realizados 173, contra 160 no mesmo período de 2011. Para Dr. João Fernando Picolo, coordenador do SPOT-HB, o aumento é a recompensa do trabalho que uma enorme equipe multidisciplinar desenvolve na região. “Estamos empenhados em levar a informação sobre a captação de órgãos a todos os hospitais de nossa região, dando cursos e treinamentos, além de tirar dúvidas da população”, explica Dr. Picolo. Para ele a população está mais consciente e mais bem informada e isto reflete na aceitação em um momento de dor. “A informação é a maior amiga da doação. Toda vez que a população é corretamente informada, os transplantes aumentam. A mídia tem papel fundamental neste processo. Uma família bem informada quebra barreiras e salva vidas”, afirma Dr. Picolo.

oa 3 no çõe an s o

Revista do HB - Setembro - 2012

09


Outubro Rosa

ICA concentra esforços para alertar funcionárias do HB sobre o câncer de mama Pelo segundo ano consecutivo, médicos e funcionários do Instituto do Câncer do HB, participam do Outubro Rosa, um evento internacional que visa orientar todas as mulheres sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama com o auxílio da mamografia. Para garantir o sucesso desta conscientização em massa, uma equipe foi montada e, desde junho, estratégias discutidas e estudadas com o intuito de alcançar o maior número possível de funcionárias do HB com mais de 40 anos. A instituição conta com aproximadamente 800 funcionárias nesta faixa etária. Em outubro, estão sendo distribuídos brindes e equipes percorrem o hospital convidando e orientando as funcionárias sobre a importância da mamografia. Ações como estas sempre foram realizadas pela equipe do ICA que, desde 2000, já realizou nove campanhas externas, cinco delas voltada para a prevenção do câncer de mama e quatro para a prevenção do câncer de colo de útero. “Promovemos campanhas no terminal rodoviário, calçadão e shopping” conta a psicóloga Ana Márcia. A partir de 2011, a equipe Outubro Rosa passou a concentrar todas as suas forças na conscientização interna, realizando mais de 50 mamografias entre as funcionárias. Com uma equipe engajada dessas, alguém duvida que o Outubro Rosa 2012 será um sucesso?

Fiquem atentas! Toda mulher deve ficar atenta à sua saúde. Mesmo com mil coisas pra fazer, é preciso desacelerar pelo menos uma vez por mês, logo após o ciclo menstrual, para fazer o auto-exame das mamas. Gestos simples como este auxiliam no diagnóstico e na prevenção da doença. Também é muito importante, principalmente para as mulheres acima de 40 anos, realizar a mamografia anualmente, pois é capaz de detectar tumores menores de um centímetro. O câncer de mama é o mais temido pelas mulheres devido a sua alta frequência e, sobretudo, pelos efeitos que afetam diretamente a sua imagem e sexualidade. Este é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo.

Como prevenir o câncer de mama Você sabia? • Auto-exame mensal • Exame clínico anual • Mamografia • Hábitos saudáveis de vida

10 Revista do HB - Setembro - 2012

Segundo a Lei 11.664 de 2009, todas as mulheres têm direito a mamografia a partir dos 40 anos.


Outubro Rosa

“A campanha serve para desmistificar. O foco é a prevenção do câncer de mama com a realização do exame de mamografia em nossas mulheres.”

“Outubro é o mês voltado a concientização rosa e valorização da saúde da mama! Se toque sempre, faça a sua mamografia agora! Ame a vida!” Solange Fernandes - Líder de setor

Lilian Dias – Assistente Social do ICA

“A campanha outubro rosa é um alerta para nossas funcionárias que não realizaram o exame de mamografia no último ano e também um canal mais prático para o agendamento e realização do exame, que é fundamental para prevenção.”

“O Outubro Rosa no Hospital de Base é um evento interno que visa à conscientização da importância da mamografia após os 40 anos.” Dra. Silvia Perea - Mastologista ICA

Gianna Matheus - Supervisora do setor de radiologia

“A diretoria da Funfarme incentiva suas funcionárias com mais de 40 anos a realizar sua prevenção do câncer de mama com mamografia anual, isto é muito importante.” Dr. José Lus Esteves - Mastologista e vice-diretor da Funfarme

“Nossa atenção no dia a dia está sempre voltada ao próximo, precisamos nos cuidar mais. As funcionárias devem se conscientizar para valorizar a sua própria saúde, este é o foco do Outubro Rosa.”

“O Outubro Rosa é a lembrança de que as mulheres acima de 40 anos devem fazer a mamografia anual, onde a grande maioria não terá nenhuma anormalidade.” Dr. Newton Bordin – Chefe da Unidade de Mastologia e Oncologia Ginecológica do ICA

“O Outubro Rosa é importante para a conscientização das funcionárias do HB quanto à realização da mamografia anual para a detecção precoce do câncer de mama.” Dr. Alexandre Bíscaro - mastologista

Ana Márcia - psicóloga ICA Revista do HB - Setembro - 2012

11


19ª SIPAT

Semana para desen Do dia 17 a 21 de setembro aconteceu a 19º Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho, com o tema “SIPAT com você”. Os participantes contaram com mini cursos, palestras e uma peça teatral com a companhia Toque de Areia, da capital paulista. Para muitos, estar em um teatro foi um sonho realizado. Para outros, a oportunidade de repensar a vida profissional. A peça transmitiu uma mensagem importante à platéia: que muitas pessoas não crescem profissionalmente por estarem acomodadas; outras só querem reclamar e há aquelas que se sentem perseguidas e só enxergam o lado negativo das coisas. Para finalizar, membros da Diretoria e da CIPA realizaram o sorteio de diversos brindes, entre eles TV de plasma, bicicletas e notebook.

SIPAT

12 Revista do HB - Setembro - 2012


19ª SIPAT

nvolver o ser humano em sua plenitude

“Eu demorei para acreditar que eu tinha sido sorteada. Não faz nem um mês que comecei a trabalhar no HB. Fiquei muito feliz! Ações como esta motivam muito o funcionário.” Sheila dos Santos Fernandes, auxiliar de enfermagem televisão de 42 polegadas

Neste f inal de gestão à frente da CIPA, e depois de ter recebido tanto estímulo e apoio da Diretoria do HB e de cada funcionário dessa ilustre e harmoniosa empresa que é o Hospital de Base, não poderia deixar de, mais uma vez, me reportar a todos, Diretoria e pares da jornada, para deixar explícito o meu agradecimento a cada participante. Ressalto que muito sensibilizou sentir o pleno envolvimento de cada um nas causas abraçadas pela empresa. Esse empenho revela o nível de consciência de todos, que não se limitam a realizar seu trabalho, mas que vão além, aderindo com entusiasmo a cada projeto lançado pela empresa. E posso concluir af irmando que, no Hospital de Bas e, cada Bandeira empunhada em prol de uma causa nobre conta com o apoio incondicional de todos. Obrigado, Reinaldo Dalur de Souza Presidente da CIPA

“Fiquei surpreso por ter sido sorteado. O notebook vai me ajudar muito nos estudos.” Marcos Rodrigo Santos de Oliveira, operacional notebook

”É o segundo ano consecutivo que sou sorteada na SIPAT! ” Delazir Fontes de Almeida administrativo do Ambulatório home theater

Revista do HB - Setembro - 2012

13


Secretárias

Exemplos de competência! No dia 30 de setembro é comemorado o Dia da Secretária, profissionais indispensáveis no nosso dia a dia. Elas atendem diariamente inúmeros telefonemas, resolvem um turbilhão de problemas e atendem tanto pacientes quanto médicos, tudo isso, ao mesmo tempo. Ao andar pelo hospital notamos facilmente a sua importância, afinal, são elas que estão dispostas a nos orientar sempre que precisamos. Obrigada e parabéns pelo seu dia!

“Gosto muito do que faço. Adoro lidar com o público e com a parte burocrática que a profissão exige. Não me vejo fazendo outra coisa.” Marlene de Lourdes Lenzi Cardoso – Secretária do Subsolo

“Gosto muito do contato com o paciente que a profissão me proporciona. A parte humana de ser secretária é o que mais me encanta, afinal, não servimos só para atender telefone e mexer com papel.” Lidiane Carla Bueno – Secretária do Subsolo

“Ser secretária é ter muita responsabilidade e aprender sempre. Adoro a minha profissão.” Aparecida Bernadinelli Rossini – Secretária da UTI 7° andar convênio.

“Trabalho como secretárias há 15 anos. É uma função que exige competência e honestidade diariamente.” Ildete dos Santos Costa Bueno – Secretária da UTI 7° andar SUS

“Trabalho há 6 anos como secretária. Adoro conversar com as pessoas, orientar. É uma profissão que me permite fazer tudo o que eu gosto.” Josiane Caila Bastão – Secretária do 4° andar.

“Gosto muito de ser secretária, profissão que exerço há 20 anos. Não me vejo fazendo outra coisa.” Ivanir Rosa da Silva – Secretária do 8° andar.

14 Revista do HB - Setembro - 2012


Perfil / evento científico

Sabedoria e experiência no volante Carlos Mattis Neto, 66 anos, mais conhecido como “Seu Carlos”, ingressou na Funfarme em 1987, sendo o 267º funcionário contratado pela instituição. Portanto, 2012 é um ano especialíssimo para Seu Carlos, pois, como ele faz questão de dizer, “comemora as “Bodas de Prata - 25 anos de casamento com o HB”. “Naquela época tinha uma Kombi 86, zero quilômetro. Com ela eu viajava muito pela instituição. Todo serviço era eu quem fazia. Por muito tempo, eu fui o único motorista”, conta ele, não escondendo o orgulho. O primeiro registro de Carlos foi aos 14 anos, em uma carteira de trabalho para menores. Hoje, soma mais de 50 anos de registro profissional. Ele lembra que, há uns 12 anos, quase morreu em um incêndio numa lanchonete que existia na instituição. “Começou a pegar fogo e eu queria ajudar todos a saírem. Quando me dei conta, já estava sozinho e o fogo tinha ocupado tudo. Comecei a passar mal, mas, por Deus, tive a ideia de quebrar o vidro e pular. Logo, meu amigo Genivaldo chegou com a ambulância para me socorrer. Ele queria me ajudar o mais rápido possível e chegou me derrubar”, conta, aos risos. Não foram só sustos como este que impuseram desafios ao motorista. Seu Carlos enfrentou com muita garra nada menos

do que uma complicação no abdômen, uma ponte de safena e uma cirurgia no rim e conta que recebeu todo o apoio da instituição e dos amigos. “Sempre fui atendido e fiz cirurgias aqui. Gosto dos médicos e só aceito ser atendido no HB. Tenho confiança nestes profissionais”, afirma e emenda: “O HB é minha vida, afinal, passei mais tempo aqui do que em minha casa.” Amigos lembram que, na época em que o HB passou por dificuldades financeiras, Seu Carlos muitas vezes, por iniciativa própria, adiantou pagamentos de mercadorias do próprio bolso para o hospital não perder o prestígio e não deixar de ter a matéria-prima necessária. “Amo esta instituição. Faria tudo de novo. Não penso em parar. Aqui, me sinto útil, me faz bem”, conclui Seu Carlos.

Famerp e HB promovem Congresso Internacional de Cirurgia Geral Do dia 19 a 21 de setembro, os principais nomes da área da medicina cirúrgica do Brasil estiveram reunidos em Rio Preto para discutir e revisar os temas mais atuais e importantes da cirurgia geral. Um dos destaques foi a cirurgia robótica abdominal, discutida pelo Dr. Antônio Macedo, do Hospital Sírio Libanês. Outro assunto que chamou a atenção foi o tratamento paliativo endoscópico na disfagia maligna, um tipo de prótese que é colocada para o paciente conseguir engolir a comida. O assunto foi abordado pelo médico chileno Mario Anselmi. “O congresso é muito importante para a instituição e a comunidade médica, pois proporciona a troca experiências, a discutissão de novas ideias, práticas e avanços de tratamentos, aumentando a qualidade das cirurgias e pós-cirurgias”, disse o Dr. Renato Silva e Dr. Mario Anselmi, convidado internacional do congresso de cirurgia presidente do congresso, Dr. Renato Silva. Revista do HB - Setembro - 2012

15


NHE

Saiba sobre a Tuberculose Antigamente muitos doentes por tuberculose morriam, pois não existia tratamento eficaz. Hoje se sabe que a tuberculose é curável, desde que faça o tratamento correto. No entanto, apesar de existirem meios de prevenção, diagnóstico e tratamento eficazes, ainda morrem aproximadamente 3 milhões de pessoas por ano no mundo. No Brasil, são notificados anualmente cerca de 80 a 90 mil casos novos, e aproximadamente 20% destes ocorrem no Estado de São Paulo. Estima-se que 20% dos doentes não são descobertos pelo Sistema de Saúde e continuam sem tratamento, espalhando a doença pela população. O que é Tuberculose? A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa que atinge principalmente os pulmões. Em 1882 o médico alemão Robert Koch conseguiu identificar o microrganismo causador da doença que é Mycobacterium tuberculosis, conhecida como Bacilo de Koch (B.K.). É uma doença contagiosa, passa de uma pessoa para outra, atinge principalmente os pulmões, mas pode ocorrer em outras partes do nosso corpo, como nos gânglios, rins, ossos, intestinos e meninges. A transmissão da TB se faz quando o bacilo penetra no organismo ao respirar, através de minúsculas gotículas liberadas no ar com a bactéria, liberadas através da tosse, fala ou espirro do indivíduo doente. Nem todas as pessoas que entram em contato com o bacilo adoecem, o organismo pode resistir e a pessoa não desenvolve a doença. Pode ocorrer de o indivíduo adoecer anos mais tarde, se estiver enfraquecida pelo cansaço físico, alcoolismo ou por outras doenças, como AIDS, diabetes, etc. O sinal mais frequente da tuberculose pulmonar é a tosse persistente por mais de 3 semanas, também pode apresentar febre, emagrecimento, fraqueza, perda de apetite, suores noturnos, dores no peito e nas costas, escarro com sangue. Quando o

indivíduo apresentar tais sintomas, o mesmo deverá procurar atendimento médico, e realizar os exames específicos para o diagnóstico. Como a tuberculose ocorre em outros órgãos, os sintomas variam conforme a área atingida. Um quadro nutricional melhor aumenta-se a resistência do organismo ao entrar em contato com o bacilo, diminuindo o risco de adoecer. Portanto as condições de vida favorecem na prevenção de casos novos de tuberculose. Existem medidas preventivas individuais, entre elas a vacina da BCG ao nascer, prevenindo formas graves da TB meníngea em crianças.

Algumas Dúvidas sobre a TB: Pneumonia ou gripe mal curadas podem causar a tuberculose? Não. A tuberculose é causada pelo “bacilo de Koch”, e não tem “ligação” com a pneumonia, gripe e a exposição à friagem. Todo paciente com tuberculose pode transmitir a doença? Não, apenas os pacientes com a doença pulmonar e bacilíferos, ou seja, aqueles que eliminem o “bacilo de Koch” no ar. A TB em outras partes do corpo não é transmitida, porque os bacilos de Koch não são eliminados pela tosse. Os doentes de TB que já estão em tratamento superior a 15 dias não oferecem perigo de contágio. As pessoas que moram com um paciente com tuberculose podem pegar a doença? Sim. A fonte de transmissão da TB é o doente, que elimina bacilos pela tosse, fala e espirro. Por isto as pessoas que convivem com ele, principalmente na mesma casa, antes do início do tratamento correto, são aquelas que têm maior risco de desenvolver a doença. É preciso separar copos, talheres, pratos e outros utensílios do paciente com tuberculose? Não, estes não transmitem o “bacilo de Koch”, porque a transmissão é feita pelo ar, pela respiração. Que exames são necessários para diagnosticar a tuberculose?

Quem apresentar tosse por 3 ou mais semanas deverá procurar a Unidade de Saúde mais próxima de sua residência, para ser avaliado por um médico e fazer o exame do escarro (baciloscopia). Este exame é muito importante porque permite descobrir aqueles doentes que eliminam os bacilos e que são, portanto, fonte de transmissão. O paciente com tuberculose precisa fazer o teste da aids? É recomendável que seja realizado o teste de AIDS (chamado ELISA anti-HIV), desde que o paciente CONCORDE em fazer. É importante conversar com o médico da Unidade de Saúde para que sejam esclarecidas todas as dúvidas em relação ao teste de AIDS. A tuberculose tem cura? Sim, desde que siga corretamente o tratamento e as orientações da equipe dos profissionais de saúde responsáveis pelo acompanhamento. A tuberculose pode matar? Sim, caso não tratado adequadamente. Ao abandonar o tratamento, possibilita o sur-

R

io

gimento de bacilos resistentes a medicação, dificultando o tratamento e podendo levar à morte. O paciente com tuberculose pode trabalhar? Sim. O afastamento do trabalho vai depender das suas condições físicas. Em geral, recomenda-se que o paciente se mantenha afastado de suas atividades por 15 a 30 dias após o início do tratamento, período em que habitualmente deixa de ser fonte de infecção. Como saber se a tuberculose está curada? Somente o médico pode avaliar se o doente está curado ou não. O paciente melhora após um mês de tratamento, desaparecendo a febre, melhora o apetite, ganho de peso, porém o tratamento adequado dura em torno de 6 meses.

o

et

Pr

Fonte: FI/NHE-HB

A Tuberculose é uma doença de notificação compulsória. NOTIFIQUE O NHE/HB/FAMERP - Ramal 1380 16 Revista do HB - Setembro - 2012

Revista hb setembro 2012  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you