Page 1

Funfarme inaugura o HLAB, um dos melhores laboratórios do Estado de São Paulo Ano X / Nº 131 Novembro - 2012

Páginas 08 e 09

Localizado na avenida Bady Bassitt, o HLAB faz a coleta dos exames, depois enviados para análise no Laboratório Central do HB. A novo unidade atende todas as áreas da patologia clínica / medicina laboratorial; na foto ao lado, durante a inauguração, a engenheira Maria José, Dr. Dulcimar, Dr. Horácio Ramalho, Dra. Maria Gabriela, Dr.

Jorge Fares e Dr. Paulo Nakaoski


Editorial

HB contribui para Rio Preto ser a 2ª melhor cidade para se viver Rio Preto é a segunda melhor cidade para se viver no Brasil. Foi o que concluiu a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) na edição 2012 do Índice Firjan de Desenvol-

Sumário Editorial

02

n

Eleição da CIPA

03

n

Encontro do Grupo de Curativos

04

n

Novo aparelho da otorrino

05

n

Evento sobre farmácia clínica

05

n

Cuidados no pós-operatório

06

n

Colaboradores do HB candidatos

07

n

Inauguração do HLAB

n

Semana do doador de sangue

10

n

Mutirão de câncer de pele

11

n

Perfil dos menores aprendizes

12

n

Primeiro mês do novo site HB

13

n

Biblioteca já tem 1.700 obras

14

n

Confraternização da Avohb

15

n

NHE: cuidado com a dengue!

16

n

vimento Municipal (IFDM), estudo sério e bem fundamentado. É a posição mais alta que Rio Preto alcançou desde que o índice começou a ser divulgado, em 2000.

EDITORIAL

Nós, rio-pretenses, sabemos que há muito a melhorar em

vários setores de nossa cidade, mas temos que concordar que moramos, sim, numa das cidades de melhor qualidade de vida do Brasil. E nós, colaboradores do complexo Funfarme / Hospital de Base / Famerp, temos ainda mais razões para nos orgulhar, pois sabemos – e o índice Firjan ressalta isto – que a área da saúde é um dos grandes responsáveis por elevar Rio Preto à segunda melhor cidade para se viver no Brasil. Ok, sabemos que há vários problemas na área da saúde. Mas

é certo também que avançamos, sobretudo em nosso complexo hospitalar. Somos um dos maiores do Brasil, referência em transplantes, Aids, neurologia, trauma e cardiologia, entre outras áreas. Temos a melhor maternidade do Estado de São Paulo, de acordo com opinião dos usuários do SUS. Como hospital universitário, estamos alicerçados na Famerp, eleita uma das melhores faculdades do país, o que resulta na formação de médicos e enfermeiros capacitados a oferecer o melhor a seus pacientes. Na retaguarda dos médicos e enfermeiros, temos milhares

de profissionais que se empenham cotidianamente para que o Hospital de Base mereça sempre o status de centro de referência em medicina em nosso Estado. Aliados à qualidade dos profissionais do HB, estão os inúme-

ros investimentos em todas as áreas de nosso complexo que, nos últimos três anos, ultrapassam os R$ ___ milhões e que, nos próximos três anos, se somarão outros R$ 70 milhões. Este valor é fruto da inclusão do HB no Programa de Revitalização e Modernização dos Hospitais de Ensino Público do Estado, iniciado em 2012 e que, nos próximos três anos, proporcionará investimentos em infra-estrutura e equipamentos. Reafirmo: sabemos que os desafios são grandes – para o nosso complexo hospitalar e para São José do Rio Preto. Mas temos motivos de sobra para estarmos bastante otimistas e vislumbrar um belo 2013.

A Diretoria

02 Revista do HB - Novembro - 2012

08 e 09

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME) Ano X / Nº 131 Novembro - 2012 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretor Administrativo HB: Dr. Newton Bordin Júnior • Diretor Clínico: Dr. Jorge Adas Dib • Vice-Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo • Diretor Técnico: Dr. Helencar Ignácio • Vice-diretor técnico: Dr. Helder Sanchez • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Produção Editorial: Intermídia Publicações – Fone: 17- 3353-2083 • Jornalista Responsável: MTB: 24.527 • Produção: Luis Fernando Neves • Diagramação: Roger Goulart • Impressão: Fotogravura Rio Preto • Tiragem: 2000 exemplares


Segurança do Colaborador

CIPA elege seus novos representantes Tomou posse no dia 14 de novembro a nova gestão da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Foram eleitos pelos empregados, 18 dos 26 candidatos. Pela diretoria do Hospital de Base, foram indicados 17 representantes. Diretor:

Reinaldo Dalur de Souza

Vice-diretor:

Eder Luiz Pavan Pinhabel

Secretária:

Renata de Paula G. F. Suttini

Secretária substituta:

Juciléia Soares da Silva

Ações de prevenção na segurança do trabalho apontam queda após 5 meses Com o objetivo de reduzir o número de acidentes com perfurações, foram implantados no Hospital de Base, sentinelas com a função de verificar se o profissional estava trabalhando de forma adequada. Os acidentes com objetos perfurantes acontecem, pois o descarte desses materiais não é feito corretamente assim como a troca descuidado de agulhas e o recolhimento de objetos cortantes. Depois da ação, o número de acidentes caiu pela metade. (ver gráfico) Outro acidente que preocupa a equipe da CIPA é o de trajeto. Esse tipo de ocorrência é caracterizado pelas lesões sofridas pelos trabalhadores no trajeto de casa para o trabalho, ou, do trabalho para casa. De Janeiro à Maio, o número de acidentes de trajeto atingiu 1,68% dos funcionários do hospital.

Pode não parecer muito, mas se olharmos no gráfico, percebemos que a situação não é tão simples assim. Por isso, palestras foram realizadas no mês de maio, para ensinar direção defensiva aos funcionários que vêm trabalhar de moto (porque estes estão mais expostos a acidentes graves). O gráfico aponta queda após a palestra de direção defensiva, porém em agosto, esse número volta a subir. Segun-

do a técnica em segurança, Renata de Paula, do Sesmt, isso aconteceu devido a negligencia de alguns funcionários que optaram em não participar da palestra. Ela ainda afirma que o número de acidentes cresce nos meses de abril e maio, pois todos os funcionários estão trabalhando, ao contrário dos meses de janeiro e fevereiro,quando muitos estão de férias.

Revista do HB - Novembro - 2012

03


Gestão do HB

Hospital de Base e Famerp sediam Simpósio regional que visa aprimorar a segurança do paciente O Hospital de Base e a Famerp – Faculdade de Medicina de Rio Preto estão recebendo nesta quinta-feira, 8 de novembro, o 3º Simpósio de Segurança do Paciente – Pólo São José do Rio Preto. O anfiteatro da Famerp ficou lotado com a presença de 200 representantes de hospitais e secretarias municipais de Saúde dos 101 municípios da DRS XV (Divisão Regional de Saúde) e estudantes de graduação e nível técnico de enfermagem. O Simpósio é a oportunidade para as instituições apresentarem suas iniciativas de sucesso que visam ampliar a segurança dos pacientes. “Além de ser uma valiosa troca de experiências, o Simpósio tem por objetivo estimular as instituições que não possuem planos de segurança do paciente a adotá-los”, afirma a enfermeira Maria Regina Jabur Superintendente Assistencial do Hospital de Base. Desde 2006, o HB possui indicadores de segurança do paciente, fundamentais para que suas lideranças da enfermagem revejam sistematicamente os processos e atitudes no atendimento ao paciente, reduzindo ao máximo os riscos. O Simpósio contou com a presença do conselheiro efetivo Ramon Moraes, do Conselho Regional de Enfermagem (Coren) do Estado de São Paulo, que afirmou ser fundamental iniciativas como esta do Pólo de São José do Rio Preto de promover o evento. Moraes informou que o Coren está construindo indicadores de qualidade, que irão servir como referência para os hospitais e demais instituições de saúde e de ensino no que tange o atendimento aos pacientes.

04 Revista do HB - Novembro - 2012

Vera ito Abe, coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente de Votuporanga, Maria Regina Lourenço Jabur, superintendente assistencial do HB, o conselheiro do Coren Ramon Moraes e Adriana Bianch, coordenadora do Núcleo de Catanduva


Gestão do HB / Tecnologia

Novo aparelho, o videotoscópio, permite Otorrino fazer melhor O setor de Otorrinolaringologia do Ambulatório ganhou um novo aparelho para ajudar no atendimento dos pacientes. O videotoscópio é um aparelho moderno que serve para auxiliar os médicos na hora de realizar a otoscopia. “Esse aparelho é muito importante e vai facilitar muito na hora da realização da

otoscopia. Com ele, as imagens obtidas durante o exame podem ser gravadas e ampliada, diferentemente do otoscópio, que só possibilitava ao médico a avaliação das imagens”, explica o residente Rael Lucas Matimoto, do setor de Otorrino. “Além disso, o otoscópio não nos dá tantos detalhes. Com esse equipamento novo, podemos jogar as imagens para uma televisão, ampliar e checar mais a fundo para dar diagnósticos mais precisos, já que esse é um exame de rotina”, disse o médico. O aparelho é novidade no hospital, e segundo Rael, geralmente é equipado apenas em clínicas particulares. “Eu desconhe-

Médicos do Ambulatório já estão utilizando o novo equipamento

Equipe da Otorrino do Ambulatório do HB

ço qualquer hospital da região que possua esse aparelho. E é um aparelho importante, principalmente por permitir que o próprio paciente veja as imagens, e também na educação dos médicos que estão se formando. Esse é o fator fundamental, para quem está aprendendo, esse aparelho possui uma característica muito importante para estudos. Com certeza teremos uma melhora significativa tanto nessa área, quanto no atendimento aos pacientes”, conclui. O preço médio do aparelho é de R$ 2.500. Uma sala está sendo reservada para o equipamento no Ambulatório, no setor de Otorrinolaringologia, e a previsão é de que já esteja em funcionamento até o começo do ano que vem.

Palestra marca estudos para implantação da “farmácia clínica” Farmacêuticos do HB assistem a palestra de Caravante

O Setor da Farmácia do Hospital de Base realizou, em novembro, a palestra “Tendência da Farmácia Clínica Hospitalar”, evento que serviu de base para estudo de possível implantação de um grupo multidisciplinar de trabalho, chamado “farmácia clínica”. O tema foi apresentado pelo farmacêutico e professor Francisco Caravante Jr. para 16 farmacêuticos de diversos setores do HB. “Para desenvolver esse projeto, é necessário entender a importância deste trabalho e capacitar o profissional farmacêutico, assuntos abordados na palestra”, explicou a responsável técnica da Farmácia do HB, Helga Tâmara Agostinho. A farmácia clínica tem a função de avaliar o melhor tratamento para o paciente, juntamente com a equipe multidisciplinar de saúde. Este objetivo é alcançado através da análise de prescrições, realizando-se recomendações terapêuticas específicas, monitorando a resposta dos pacientes à terapia medicamentosa, fornecendo informações sobre medicamentos e otimizando a farmacoterapia. Dessa forma, obtém-se o uso racional de medicamentos.

Dr. Horácio Ramalho dá boas-vindas ao farmacêutico Francisco Caravante Jr.

Revista do HB - Novembro - 2012

05


Bem estar dos pacientes

Empenho da enfermagem faz com que paciente de 180 quilos tenha recuperação sem traumas

O serviço de enfermagem do Hospital de Base conseguiu um resultado inédito neste último mês. Os cuidados bem sucedidos no pós-operatório permitiram que o paciente Joaquim José Flor, mesmo pesando mais de 180 quilos, tivesse uma recuperação cada dia mais satisfatória. A situação de Joaquim era muito delicada. Ele foi submetido a uma cirurgia bariátrica (redução de estômago) e, por causa de sua condição física (obesidade mórbida – deu entrada no hospital pesando 184 kg), exigia cuidados redobrados. Este quadro delicado justifica a satisfação da equipe de enfermagem do HB ante aos resultados obtidos no atendimento a Joaquim. Para os cuidados pós-operatórios de Joaquim, uma equipe de enfermeiros ficou à disposição para os serviços necessários. O peso do paciente exigia total atenção de todos eles. Para

evitar o surgimento de úlceras na pele, a equipe precisava mudá-lo de posição várias vezes ao dia. Para que a pele dele não rompesse, era necessário hidratá-lo. “Tanto o paciente quanto nós estamos muito felizes por termos mantido o Joaquim sem problemas comum a pacientes com seu perfil” disse a enfermeira Liscarla Sanchez. “Isso é fruto do comprometimento e profissionalismo de todos, afinal, o mais importante é zelarmos pela saúde do paciente, acima de qualquer dificuldade que tenhamos”, completou.

Internada, aluna da Famerp é a primeira a receber mensagem via site do HB Vítima de um acidente automobilístico, a estudante de medicina da Famerp Marianne Kramer foi a primeira a experimentar a emoção da novidade que o Hospital de Base está oferecendo a seus clientes, a partir deste mês. Em seu leito do hospital, Marianne recebeu uma mensagem impressa da filha Maria Luísa, que mora em São Paulo. As palavras da pequenina Maria Luísa, de 4 anos, chegaram à mãe graças ao novo canal de comunicação que o Hospital de Base disponibiliza na página de abertura do seu site. É só clicar em “Mensagem ao Paciente” para a pessoa enviar votos de pronta recuperação ao seu amigo/familiar internado no Hospital de Base. A mensagem é impressa num papel de carta especialmente criado para este fim e entregue ao paciente. Foi o que fez Maria Luísa ao escrever:

06 Revista do HB - Novembro - 2012

“Oi mamãe. Estou todas as noites rezando para o papai do céu pela sua rápida recuperação. Estou muito bem, lidando com a sua ausência com muita maturidade, sei que você me ama do tamanho da distância da terra à lua, ida e volta. Beijinhos.” Aluna da Famerp Marianne Kramer lê mensagem da f ilha enviada pelo site do HB


HB e a comunidade

5 colaboradores contam a experiência de serem candidatos a vereador O Hospital de Base de Rio Preto exerce um papel fundamental na Saúde e na vida de Rio Preto e Região, sendo o centro de referência para 101 municípios. Natural então que o hospital tivesse, entre seus mais de 4.000 colaboradores, candidatos nas eleições municipais. Nas de 2012, foram cinco candidatos a vereador que exerceram o direito de querer representar suas comunidades no legislativo municipal. Marco Henrique Beiga ou Marquinhos Beiga, como é conhecido o colaborador do Serviço de Arquivo Médico, foi o único eleito, para a Câmara de Uchoa. Beiga e seus quatro colegas, que tentaram ser vereador em Rio Preto, contam um pouco das lições que extraíram das eleições.

Claudio Ribeiro, auxiliar de enfermagem do Serviço de Transplantes Trabalho na saúde há 20 anos e concluí que a única maneira que teria para ajudar a melhorar a saúde seria ser candidato, a começar pela Câmara dos Vereadores. No dia a dia da campanha, conheci várias histórias e as necessidades dos pacientes. Vi, com alegria, que muita gente ainda acredita que políticos podem fazer o bem à população. Vale a pena por ter a sensação de que pode melhorar a vida de muita gente. A gradeço a todos que me apoiaram,que acreditaram em minhas palavras e no trabalho realizado durante os três meses de campanha..

Alexandre Troncoso, fisioterapeuta Tenho plena convicção de termos realizados uma campanha p ro p o s i t i v a , ética e, acima de tudo, honesta. Penso que pessoas do bem devem participar da política da cidade, não só como candidatos, mas também como colaboradores. Só assim conseguiremos reivindicar o que realmente é necessário para a comunidade. Encerrei a campanha da forma como entrei: limpo e feliz. Feliz por ter conhecido muitas pessoas e por aprender que a confiança não se compra, se conquista. Meu muito obrigado e Feliz Natal e um Ano de 2013 cheio de paz, saúde e sabedoria.

Brasilina Mafei, do Laboratório de Genética R e s o l vi entrar na política para exercer mais minha cidadania. Fui a reuniões do partido e tive contato com muitos políticos expressivos da nossa cidade. Observei que muitos dos problemas sociais não dependem apenas da boa vontade dos políticos, mas envolve toda uma parte burocrática, difícil de ser alcançada. Durante a campanha, deparei-me com a falta de patrocínio maior, com minha inexperiência e acabei me frustrando. Não bastou a minha vontade para ter uma cidade melhor. Contudo, agradeço as pessoas que depositaram sua confiança em mim.

Cléa Rodrigues, professora do Curso de Enfermagem da Famerp

Marcos Henrique P.F. Beiga, colaborador do Same – Serviço de Arquivo Médico

Logo após a apuração, agradeci nas redes sociais o apoio nas urnas e venho agradecendo até os dias de hoje, pois são 745 eleitores que merecem meu respeito, por acreditar em nosso sonho. Recebi o carinho das pessoas amigas, dos colegas de trabalho, dos conhecidos, mas receber o carinho de pessoas que só me viram pela TV foi gratificante, pois eles expressaram um carinho enorme por mim. Conheci muitas pessoas, fiz novos amigos. A prendi muito da boa política: retidão, ética e respeito aos cidadãos. O sonho de ser representante no legislativo não findou. Quero contribuir com o desenvolvimento da nossa cidade.

Venho da eleição 2008, em que, mesmo sem êxito, continuei meu trabalho social com a população de Uchoa. Quando se tem um objetivo, ele não pode ser esquecido e só lembrado a cada quatro anos. Minha campanha foi feita durante estes anos ajudando as pessoas. Antes não tinha muito interesse em política, mas percebi que, se fizesse parte do governo da cidade, poderia ajudar ainda. Fiz uma campanha limpa, honesta e fui o 3º mais votado, com 383 votos. A gora só me resta arregaçar as mangas e trabalhar! A gradeço a Deus, aos eleitores e aos companheiros de trabalho do HB.

Revista do HB - Novembro - 2012

07


Gestão do HB

Funfarme inaugura o HLAB, um dos m Para oferecer melhor atendimento e serviços à população, a Funfarme inaugurou, no dia 6 de dezembro, o HLAB, desde já referência em medicina laboratorial na região Noroeste de São Paulo, cuja infra-estrutura e profissionais equipara-se a dos principais laboratórios da capital paulista e Estado. Localizado na avenida Bady Bassitt, centro de Rio Preto, o HLAB faz a coleta dos exames, depois enviados para análise no Laboratório Central do HB. O HLAB possui infra-estrutura e equipe técnica comparáveis às instituições referências do Estado, como o Laboratório Albert Einstein e o Salomão Zoppi. “Inclusive, realizamos visitas técnicas a estes dois laboratórios antes de iniciarmos o projeto do HLAB”, contou Dra. Maria Gabriela de Lucca, médica coordenadora do HLAB e do Laboratório Central. O HLAB realiza uma enorme gama de exames, atendendo todas as áreas da patologia clínica / medicina laboratorial, como bioquímica, imunologia, hematologia, hemostasia, urinálise, parasitologia, microbiologia, exames especializados em gastroenterologia, líquidos orgânicos e biologia molecular. Para a comodidade dos pacientes, o HLAB oferece o serviço de coleta de exames de análises clínicas na casa ou local de trabalho. Sua equipe é composta por profissionais da saúde, entre médicos, biomédicos, bioquímicos, biólogos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e técnicos de laboratório. “É nossa prioridade atender o cliente com humanização e excelência técnica, produzindo resultados que sejam de real utilidade para o correto diagnóstico, prognóstico, acompanhamento da terapia e prevenção de doenças”, afirma Dra. Maria Gabriela. “Além disso, vamos promover a formação, a qualificação e o aperfeiçoamento técnico de profissionais desta área”, completou. O HLAB atende usuários de planos de saúde e particulares. O atendimento aos usuários do SUS continua a ser feito no Hospital de Base de Rio Preto, credenciado ao Sistema para esta finalidade.

Sala de coleta infantil

Hall de atendimento e sala de espera

Corredor de acesso a 15 salas de coleta

Cafeteria

08 Revista do HB - Novembro - 2012

Sala de triagem dos materiais coletados

Fraldário


Gestão do HB

mais modernos laboratórios do Estado

Recepção

Sala de coleta de exames especiais

Sala de coleta para portador de mobilidade reduzida

Sala de coleta de esperma Revista do HB - Novembro - 2012

09


Hemocentro

Semana do doador faz dobrar movimento no hemocentro ntre os dias Rio Preto, e e d o tr n ce o se certif ise no Hem , voltava e ia o st su m Quem entr as u vava ngue. Isso ovembro, le letora de sa co e ad id n u 19 e 25 de n é 25), a ma a mesmo nu oador (o Dia av D st o e d e a u q an r m ca de, dua Se mba, de pago comemorar sa a e ar d p s , o e p u u rq aprepo xe gr ntre par a se ocentro trou ve m e e d h o ça d an e d ip de equ ais do é companhia mocentro m at e h e O ja ! e o an ad rt lt pla se eu resu mana, em to barulho d rante esta Se sentarem. Tan vimento de doadores du mo que dobrou o 10% no núoutr as. a ma queda de ão u o d ra st gi compar aç recupera, havíamos re a do Doador, an m Se a “Em outubro m co vel pelo ores. A gora, eir a, responsá ad rr o e d F e a d an ci ro e u nciom uL sempre, os fu r” ”, comemoro e o u m q o o C st . e o o tr s n mo moce azer acontece tação do He ar am par a “f h n e par a p setor de cap m e se sse ampliada centro o fo m e to h n e o d im s d nário e aten que escala d a demanda. e permitir am e o aum nto d iv ss re p x e o atender

Cantores e dança de ventre foram algumas das atrações durante a Semana do Doador

Corintianos e palmeirenses unidos? É possível? SIM. Torcidas se mobilizam para doar sangue

900s

pessoa m comparecera o tr n ao hemoce para doar sangue.

824 p

essoas estavam e m condições no mome nto de doar.

10 Revista do HB - Novembro - 2012

Primeiro foi a vez dos torcedores do Corinthians. Com o lema “Corintiano Sangue Bom”, eles convidaram a torcida alvinegra para comparecer no dia 10 de novembro ao Hemocentro para doar. No dia 1º de dezembro foi a vez dos palmeirenses. “Sangue Verde” foi o nome escolhido para a campanha que, a exemplo do que ocorreu na ação do arquirival, não teve só a presença dos torcedores do Palmeiras. Um corintiano e um são paulino também apareceram para ajudar. É isso aí. A rivalidade salutar fica para os estádios.


HB e a comunidade

Em ação preventiva do câncer de pele,

66% das pessoas apresentaA Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp e o Hospital de Base realizaram, no dia 24 de novembro, a campanha contra o câncer de pele. O balanço mostra o quanto é importante esta iniciativa das duas instituições. Foram atendidas 412 pessoas, das quais, 271 (66% do total) tinham algum indício que as colocam no grupo de risco. As pessoas foram atendidas por médicos e estudantes da Famerp, em tendas montadas na Praça Rui Barbosa, durante seis horas. Foram fornecidos mais de 144 encaminhamentos para agendamento de consultas no serviço do HB, contendo inclusive indicação de biópsia e até remoção cirúrgica. Enquanto aguardavam atendimento, as pessoas receberam informações sobre a doença. “O câncer de pele é o tipo mais frequente no país. Isto acontece porque grande parte da população brasileira tem descendência europeia, fato que aumenta as chances de lesões na pele por causa da sensibilidade”, explicou Dr. João Roberto Antônio.

412 pacientes atendidos 240 foram homens = 58% do total 172 foram mulheres = 42% do total pessoas disseram que se expõe ao sol com prote 105 ção solar = 25.5% do total pessoas foram diagnosticadas com neoplasias de 50 pele = 12% do total foram diagnosticadas com lesões pré-malignas = 74 18% do total

Boa Notícia

A pesar de ser recorrente, o câncer de pele tem cura. Mas, para isso, é fundamental fazer o diagnóstico precoce. A o perceber manchas escamosas, que sangram ou coçam ou feridas que não cicatrizam durante um período de quatro dias, procure um dermatologista. Revista do HB - Novembro - 2012

11


Gestão do HB

Pesquisa revela o perfil dos

menores aprendizes no HB

Um levantamento de dados realizado pelo Departamento de Recursos Humanos da instituição traçou o perfil dos menores aprendizes que fazem parte do seu quadro de colaboradores. O levantamento tem a finalidade de conhecer as aspirações e inspirações de 59 menores aprendizes, de 16 a 18 anos, que atuam no HB; sendo composto por 15 mulheres e 45 homens. Com estes dados o RH pode diagnosticar as necessidades profissionais e pessoais dos mesmos e desenvolver projetos de responsabilidade social na formação destes jovens, como é o caso da “Gincana do Conhecimento” abordado na última edição da revista. Para a surpresa de muitos, os dados revelam que 73% dos aprendizes auxiliam na composição de renda familiar, ou seja, contribuem para as despesas da casa. Um dado que surpreende um pouco: somente 6% destes jovens dizem ocupar o tempo ocioso com jogos eletrônicos. Outro dado mostra a realidade no Brasil, apenas 6% dizem ler nas horas vagas. A maioria gosta de música, passeios e curtir com os amigos. Um fator relevante é que 100% almejam continuar estudando, porém 48% não têm definido a área profissional que se identifica. Dos entrevistados, 96% enxergam totalmente ou parcialmente oportunidade de crescimento dentro da empresa e se sentem valorizados pelos encarregados. Estes dados são fundamentais para as diretrizes na orientação profissional destes jovens e sua inserção no mercado de trabalho.

12 Revista do HB - Novembro - 2012


Tecnologia

Reformulação faz total de visitantes do site do HB aumentar 11% em novembro Nos primeiros 30 dias de exposição do novo site do Hospital de Base, lançado no início de novembro, o número de visitantes aumentou 11%, saltando de 17.065, em outubro, para 18.942 internautas, no período compreendido entre os dias 6 de novembro e 5 de dezembro. O aumento naturalmente reflete o interesse despertado pelo novo site, mais moderno, fácil de navegar e com mais informações e serviços. Metade das visitas ao site (9.613) originaram-se do município de Rio Preto e região, 2.960 foram de moradores de Ribeirão Preto e 1.082, provenientes da capital paulistas. Mas o Hospital de Base e, por conseguinte, seu site não são alvos de interesse apenas da população do Estado de São Paulo. Consultas surgem de todos os 26 Estados brasileiros e o Distrito Federal. Os acessos, no entanto, vão além das fronteiras nacionais. Em novembro, o site do HB foi visitado por cidadãos de oito países: Estados Unidos, Portugal, Reino Unido, Argentina, Bolívia, Canadá e Alemanha. Somente do território americano, foram 40 acessos.

44.422

visualizações de páginas do site do HB foram feitas entre os dias 6 de novembro e 5 de dezembro.

2

minutos e 48 segundos é o tempo médio que cada internauta permaneceu navegando pelo site.

Concurso Cultural Site HB premia colaboradora da oftalmologia com um tablet

Valéria Cristina Tobita, enfermeira chefe do centro cirúrgico de oftalmologia, foi a vencedora do concurso cultural, promovido entre todos os colaboradores do HB com o objetivo de estimulá-los a conhecer o novo site do hospital, lançado no início de novembro. Como prêmio, Valéria ganhou um tablet. O formulário de Valéria, com as cinco questões respondidas corretamente, foi sorteado entre os de 470 colegas que participaram do concurso. O sorteio foi realizado na Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo pelo diretor executivo da Funfarme, Dr. Horacio José Ramalho, e o paciente José Alves Neto que, estando coincidentemente na biblioteca, foi convidado a participar. Ao saber o que acontecia, Alves Neto elogiou as iniciativas recentes do Hospital de Base. “Concursos como este são muito importantes para integrar os funcionários do hospital, criando um clima gostoso, de integração entre todos”, disse o paciente. Ele parabenizou também a instituição pela biblioteca. “É um espaço precioso para nós, sobretudo, para quem fica internado muitos dias. Temos aqui lazer e conhecimento.” Valéria respondeu corretamente as cinco questões do concurso, encontradas nas páginas do site do HB. “Achei a ideia do concurso ótima. Fiquei feliz porque consulto o site do HB constantemente, desde o anterior. O novo ficou muito bonito e fácil de navegar”, Valéria recebe tablet disse ela. de Miguel Freddi, gerente da Área de Tecnologia da Informação do HB

Revista do HB - Novembro - 2012

13


HB e a comunidade

70%

Com apenas um mês, biblioteca aumenta acervo em A Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo chegou ao seu primeiro mês “de vida” com resultados prá lá de animadores. O seu acervo aumentou 70%, passando de 1.050 livros cadastrados, no dia da inauguração, para 1.700, em balanço feito no dia 5 de dezembro. “Recebemos algumas doações de pessoas que assistiram ou leram as reportagens”, disse a bibliotecária Jaqueline Batista da Silva. O próprio homenageado, Dr. Cipullo, tem se empenhado e obtidos dezenas de livros. O acadêmcio de medicina Maurício Stédile, um dos coordenadores da biblioteca, conseguiu cerca de 200 livros de vários temas como arte, fotografia, contos, poesias e

biografias. A biblioteca já conta com livros e best sellers recentes como, por exemplo, “Cinquenta tons de cinza”. O número de usuários cadastrados também é relevante, se considerarmos que o espaço é recente. Até o início de dezembro, 62 pessoas haviam se inscrito. A quantidade de empréstimos também foi expressiva: 179 empréstimos, ou seja, média de cinco obras retiradas. A paciente Patrícia Cristina Cavalcante Oliveira ficou muito feliz ao descobrir a biblioteca. “Farei tratamento no Instituto do Câncer e, com certeza, irei frequentar muito a biblioteca, inclusive para a qual farei doações.

Adriali Neves Vieira, 11 anos, e sua mãe, Leonice Neves, são dois dos vários pacientes que já retiraram livros da biblioteca. Em dois dias de internação, Adrieli leu quatro livros. “Que legal! Os pacientes e os acompanhantes têm um passatempo. Achei interessante”, afirmou a menina. A mãe, que pegou uma revista e um livro, disse: “Acho um projeto inteligente. Os pacientes ocupam a cabeça e assim a angustia passa.”

Doar é um barato! Dra. Luciana de Grande, neonatologista do HB, doou cerca de 50 livros de seu acervo e conta, com bastante alegria, a sensação de repartir com outros o prazer da leitura. “Sou leitora compulsiva. Se gostei ou não gostei do livro, leio até o final. Compartilhar livros com outros é muito bom.” Nas próximas edições da revista, publicaremos depoimentos de outros doadores. Aguardem!

14 Revista do HB - Novembro - 2012

Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo” Fone: (17) 3201-5000 ramal: 1843 email: biblioteca@hospitaldebase Catálogo de livros disponível no portal: http://portal.alexandria.com.br/hospitalbase_web/


HB e a comunidade

AVOHB realiza sua

primeira festa de confraternização

Mais do que merecida!

Embora exista desde 1993 e tenha inúmeras razões para comemorar, só agora a AVOHB – Associação dos Voluntários do Hospital de Base realizou a sua primeira festa de confraternização de final de ano. No dia 20 de novembro, com o apoio da Diretoria, da Hotelaria e da Tecnologia da Informação do hospital, os voluntários festejaram as conquistas e o árduo trabalho ao longo de 2012 e, com muita alegria, relembraram a trajetória da Associação. Ainda sob forte emoção, eles traçaram metas para 2013 e ressaltaram a importância de ser voluntário.

Histórias de amor, carinho, solidariedade, entrega...

Entre uma história e outra, exemplos de amor e carinho, como é o caso é da voluntária Maria do Carmo. No ano de 2000, ela conheceu uma jovem que estava no hospital cuidando da filha que havia nascido com hidrocefalia. Durante esse tempo, essa jovem ficou grávida novamente e im“A responsabilidade possibilitada de cuidar de mais um filho. Ela de estar aqui é, muitas deu sua filha para adoção com uma única vezes, maior do que a exigência: que a mãe adotiva fosse Maria de quem ganha dinheiro do Carmo. Desde então, Maria é mãe de Luiza que hoje tem 12 anos. “Agora fazendo. A recompensa que ela pode me acompanhar nos traaqui é a paz. Você balhos, ela ficou encantada, e disse que faz o bem e recebe quer ser voluntária também”. algo maior ainda.” O trabalho do voluntário no Hospital de Base não se limita a doações. Ele Heloisa Maria se expande à prestação de serviço, cujo Siqueira, presidente principal objeto é o amor. Segundo a preda AVOHB sidente da AVOHB, Heloísa Maria Siqueira, o trabalho voluntário significa entrega.

É SEMPRE BOM SABER! A AVOHB recebe doações de roupas, produtos de higiene pessoal e aparelhos ortopédicos para repassá-los a pacientes e 11.000 acompanhantes. fraldas são produzidas por mês pelos 50 voluntários. 150 São utilizadas pelas crianças lanches são da UTI pediátrica. A fralda distribuídos, foi desenvolvida por uma diariamente, no voluntária, é única no Instituto do Câncer Brasil e foi patenteada.

e ambulatório

Revista do HB - Novembro - 2012

15


NHE

Cuidado!

A dengue pode matar A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 50 e 100 milhões de pessoas se infectem anualmente, em mais de 100 países, de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em consequência da dengue. No Brasil, o Estado de São Paulo tem vivido grandes epidemias de dengue nos últimos 10 anos, com aumento expressivo do número de casos graves e óbitos. Em 2011, em São José do Rio Preto, foram notificados 9.282 casos, sendo confirmados 857 deles.

Saiba mais sobre a dengue A dengue é causada através da picada do mosquito Aedes aegypti, contaminado com o vírus da dengue, causando uma doença com características diversas, desde casos sem sintomas até casos mais graves. Quanto aos sinais e sintomas, é comum o quadro de febre de início abrupto, associada à cefaleia, dor no corpo, náuseas, vômitos, e outros sinais de alarme importantes, como dor abdominal intensa e contínua, hepatomegalia, desconforto respiratório, sangramentos e outros. Os sinais de alarme devem ser rotineiramente pesquisados e os pacientes devem ser

orientados a procurar a assistência médica na ocorrência deles. Atualmente, os exames laboratoriais realizados trata-se do NS1 e sorologia IgM para dengue. O exame NS1 é realizado até o 3º dia do início dos sintomas, onde é possível a identificação de proteínas referentes ao vírus da dengue; e o IgM é colhido a partir do 6º dia do início dos sintomas, identificando anticorpos referentes ao virus. O diagnóstico laboratorial é de extrema importância, sendo fundamental para a confirmação etiológica do caso e seu tratamento adequado, assim como para fundamentar as medidas de prevenção e controle.

Medidas preventivas: Fonte: SINAN-NET/FIE/NHE-HB

• Manter a caixa d’água tampada e sempre limpa; • Eliminar lixo/entulho do quintal, pois são criadouros do mosquito; • Manter as calhas de sua residência limpas, evitando que acumule água parada em dias chuvosos; • Colocar areia nos pratinhos dos vasos de plantas; • Não jogar lixo em terrenos baldios, e comunicar as autoridades quando avistar algum próximo a sua residência; • Manter as latas de descarte de lixo sempre tampadas; Dados epidemiológicos No NHE/HB, em 2012 foram notificados 432 casos suspeitos, sendo 60 confirmados. Segue abaixo série histórica dos casos notificados pelo NHE/HB de 2007 a 2012.

Fonte: SINAN-NET/FIE/NHE-HB

A Dengue é uma doença de notificação compulsória. NOTIFIQUE O NHE/HB/FAMERP - Ramal 1380 16 Revista do HB - Novembro - 2012

Revista hb novembro 2012  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you