Page 1

Centro de Reabilitação Lucy Montoro deve ser inaugurado em breve A instituição recebeu a visita da secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência o Estado de São Paulo, Dra. Linamara Battistella

Ano VIII / Nº 105 - Junho/Julho - 2010

Página 7

Saiba mais

Equipe americana

sobre o

de cirurgia

aleitamento

pediátrica

materno

volta ao HB

páginas 7 e 8

página 6


Editorial

Iniciamos mais um semestre... O primeiro semestre de 2010 já chegou ao fim e percebemos que nos meses de junho e julho tivemos muitos acontecimentos bons como a segunda vinda de uma equipe americana ao HB para operar crianças com problemas cardíacos, campanha para incentivo ao aleitamento materno, a visita da Dra. Linamara Battistella na finalização das obras do Centro de Reabilitação Lucy Montoro, o reajuste salarial para os funcionários, reformas importantes em nosso Ambulatório de Especialidades, parceria com o Instituto Ronald Mc Donald para arrecadar verba destinada à ala de quimioterapia e transplante de medula óssea. Também ficamos orgulhosos de saber que nossa Instituição Funfarme/Famerp/ HB colaborou para que a Sociedade Brasileira de Dermatologia entrasse para o Livro dos Recordes Mundial e que a equipe Ding Down, formada por profissionais da nossa instituição conseguiu pelo segundo ano consecutivo celebrar o dia da pessoa com Síndrome de Down. Também tivemos uma notícia ruim, lamentamos a morte do Secretário de Saúde do Estado, Dr. Barradas Barata, que tanto colaborou para a saúde no Brasil e também sempre apoiou nossa instituição. Podemos perceber que nossa equipe está tendo muito mais entrosamento com o sistema MV e que cada vez mais percebem que o sistema só veio para facilitar nosso trabalho e garantir mais segurança de informação para todos os nossos colaboradores e pacientes. Em nosso Hemocentro o assunto foi a colaboração do Corpo de Bombeiros em mais um campanha “Bombeiro Sangue Bom”, que este ano bateu recorde de doações de bolsas de sangue e contribui para o aumento de cadastro para doação de medula óssea. Aproveitamos para parabenizar nossos funcionários por todas as iniciativas durante o processo de informatização do hospital que está caminhando muito bem e também durante as campanhas, como a do MC Dia Feliz, em que todos abraçaram a mesma causa e contribuíram muito para a venda de tickets e acessórios, assim podemos investir mais em nossa Instituição e proporcionar um atendimento mais confortável aos nossos pacientes.

Dr. Horácio José Ramalho Diretor Executivo - Funfarme

Expediente Informativo Fundação Faculdade Regional de Medicina ano VIII / Nº 105 Junho/Julho de 2010 Diretor Administrativo: Dr. Jorge Fares Diretor-Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho Produção Editorial: Intermídia Publicações

2

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Hemocentro

Cartas

Fone: (17) 3353 2083 Site: www.intermidiariopreto.com.br e-mail: intermidia@intermidiariopreto.com.br Jornalista Responsável: Mtb 24.527 Fotos: Intermídia / Colaboradores Impressão: Gráfica Fotogravura Rio Preto Fone: (17) 3016-4000

Agradecimento A Diretoria do Hospital de Base

Prezados Senhores, Quero agradecer toda a diretoria deste conceituado hospital, aos médicos, aos enfermeiros, aos atendentes, as senhoras da refeição, pelo excelente tratamento que foi me dado no período em que fiquei internado neste hospital. Em cada nascer do sol e em cada por cada paciente tem a certeza de uma nova vida. Agradeço a todos pelo carinho, pela dedicação e pela comunhão. Que Deus abençoe a todos ricamente. Joel Tavares São José do Rio Preto

À equipe de enfermagem do 3º andar, Fran e Léo, médicos da UTI 7º andar e todos os médicos e enfermeiros. Muito obrigado a todos pelo carinho com que trataram meu filho; hoje ele está normal depois do traumatismo craniano, voltou a trabalhar com projetos e graças a Deus está muito bem. Obrigada também ao senhor Daniel do SAC, à Dra. Ana Paula (psicóloga), meu muito obrigado! Dirce Reghi

Agora Victor tem saúde

Querido Dr Ulisses Croti, O motivo do contato é tão somente deixálo informado que o pequeno Vitor Emanuel que vós e sua equipe realizaram cirurgia de DATVP em 17 de junho do ano passado,está saudável e forte já com 1 ano e três meses,falando e correndo pra todo lado,já fizemos 2 retornos após a cirurgia,sendo que o 1º foi em São José do Rio Preto em outubro de 2009 com os Drs. Marcelo e André Bodini e a última com a Dra. Mirna de Souza em Goiânia no mês de maio passado e ambos os resultados dos exames foram totalmente corretos. Só temos a agradecer a vossa pessoa pela atenção nos dada, e curar nosso caçulinha; que Deus possa sempre iluminar você e sua equipe para que outros familiares possam ter a felicidade de encontrar um profissional do seu gabarito,e com a sua simplicidade e objetividade, parabéns pelo transplante realizado meses atrás que acompanhei a repercussão via internet e pelo canal Globo News. Grande abraço e daqui um tempo levaremos o Vitor para visitar vocês aí em SJRP. Baltazar Martins Rocha (Paraiso do Tocantins-To)

Campanha Bombeiro Sangue Bom tem recorde de doação No mês de julho foi realizado no Hemocentro a Campanha “Bombeiro Sangue Bom 2010”, uma parceria entre a Funfarme e Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo. A campanha, que acontece anualmente, visa reunir bombeiros para alcançar o maior número possível de doadores de sangue durante o mês da campanha. Esta foi a sétima edição e bateu recorde no número de doadores de sangue, no ano passado o Hemocentro recebeu 493 bolsas de sangue, já neste ano foram 924 doações em Rio Preto e mais 520 doações em Catanduva, resultando num total de 1444 doadores. “Esse número é maravilhoso, já que no mês de julho aumenta-se muito o número de acidentes nas rodovias, por ser período de férias, sem esquecer que neste mês também se comemora o Dia do Bombeiro”, afirma a assistente social do Hemocentro, Andresa Lopes. A iniciativa é motivada por uma competição interna nas unidades do Corpo de Bombeiros visando levar o maior número de pessoas para doar sangue. A unidade vencedora recebe o troféu de posse transitória “Bombeiro Sangue Bom”. “Nossa expectativa é que eles façam mais uma campanha durante o ano, damos preferência para o final do ano, que também é um mês com muitos acidentes”, diz Dra. Roberta Fachini.

Foram mais de 1000 doações entre Rio Preto e Catanduva

Bombeiros durante doação de sangue

Falecimento de Barradas Barata: uma perda para a saúde brasileira Barradas era Secretário da Saúde do Estado de São Paulo e foi um dos fundadores do Sistema Único de Saúde No mês de julho todo o povo brasileiro lamentou a morte do Secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata, um homem a serviço da Saúde. Médico sanitarista, Barradas Barata foi um dos fundadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele se formou pela Santa Casa de São Paulo em 1976. Dois anos depois se especializou em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Ocupou o cargo de assessor dos ex-ministros de Saúde Adib Janete e José Serra e foi chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, na gestão do ex-prefeito Mário Covas e Secretário Adjunto de Saúde nos governos Mario Covas e Geraldo Alckmin. Assumiu a Secretaria Estadual de Saúde em janeiro de 2003 onde permaneceu até sua morte. O secretário visitou nossa instituição por algumas vezes sempre trazendo seu apoio e incentivo. Revista do HB - Junho/Julho 2010

3


Projeto Social

Projeto Social

Vendas de reciclagem do HB é revertido para funcionários

Rafael (a esquerda), Francine e Mateus compõem a equipe do Serviço Social RH

Auxílio Funeral

Pensando no bem-estar de seu funcionário a diretoria da Funfarme nesta gestão incentivou o projeto que destina o dinheiro arrecadado com a venda de materiais recicláveis de todas as unidades do Hospital de Base para o Fundo de Auxílio ao Funcionário Funfarme, executado pelo Serviço social do RH. O Fundo de Auxílio é destinado aos funcionários em situação de vulnerabilidade social, que apresentem renda familiar de até três salários mínimos. Engloba-se auxílio funeral, cesta-básica, auxílio para tratamento de saúde e outros auxílios financeiros, como incêndios, tempestades, desemprego na família. O funcionário tem realmente que estar precisando de um auxílio, para isso é feito um relatório social e uma avaliação sócio-econômica deste funcionário e toda esta situação declarada deve ser comprovada através de documentação solicitada pela Assistente Social. “É um trabalho muito bonito, porque vem da reciclagem que todos participam, e as pessoas que nos procuram realmente estão precisando de ajuda. Já trabalhei em outro hospital e esse dinheiro da venda de reciclagem não vai para projetos que auxiliam seus funcionários”, diz Francine Galvani, assistente social. Para agendar um horário no Serviço Social do RH ou saber mais sobre o projeto é só ligar no ramal 1706 ou 1373 e conversar com Francine, Matheus ou Rafael. No mês de junho e julho, 16 funcionários receberam a ajuda, foram cestas básicas, leite integral, material para construção de muro e leite Pregomin. “Lembro que estamos trabalhando com a política de atendimento social espontâneo, ou seja, o colaborador que tem a iniciativa de solicitar auxílio. Ressalto que os atendimentos têm aumentado gradativamente. Existem algumas situações que não foram concedidos, pois se trata de endividamento por consumo excessivo de coisas materiais supérfluas”,

A ajuda que caiu dos céus Sorrisos de gratidão e palavras de conforto é assim que encontramos algumas das funcionárias que foram beneficiadas pelo projeto, como elas mesmo dizem, nos momentos que mais precisavam de uma “luz no fim do túnel”. Para Sandra Regina Pereira, auxiliar do Laboratório Central de Hematologia, esta ajuda veio dos céus. Com muito trabalho Sandra paga as prestações da sua casa financiada, mas infelizmente não conseguiu construir um muro para a proteção da residência, com o marido passando por alguns problemas de saúde, ela teve que mudar sua rotina. Ela que sai bem cedo para o trabalho e a noite ficava no hospital para auxiliar o esposo, tomou um grande susto, como a casa não tinha proteção, por algumas vezes ela era surpreendida ao chegar e ver sua casa assaltada. Tudo o que pagara com muito esforço era levado pelos marginais. No auge de seu desespero ela recorreu a diretoria do Hospital. “Eu não sabia mais o que fazer, e consegui ajuda através do Recursos Humanos aqui do HB”, diz Sandra. Com o dinheiro do Fundo Social foi fornecido todo o material para a construção do Muro, garantindo assim a proteção necessária para ela que está há 22 anos no HB. “Estou imensamente feliz, não esperava tanto, fui beneficiada no momento que mais precisei na minha vida”, conclui Sandra, com

um largo sorriso. E quando você recebe a notícia de que seu filho precisa de um leite especial e pior esta lata é cara. Foi assim com Ana Paula Chagas, funcionária do setor de Expurgo do Laboratório Central, que após algumas idas ao pediatra, pois sua filha não ganhava peso, ela descobriu que a criança tinha alergia das proteínas do leite de vaca, então ela tentou o leite de soja, mas também não surgiu efeito, o único que deu certo era o Leite de lata Pregomin, com valor aproximado de R$160,00 cada lata. “Eu apavorei,

como vou sustentar minha filha, sendo que tenho mais um filho de 7 anos, tem que dar comida e roupa pra ele também, não posso deixar minha filha ficar doente, já tenho outras contas, não tenho como pegar financiamento. O que fazer?”, essa era a indagação de Ana Paula. Foi quando uma amiga do setor lhe sugeriu que ela deveria procurar a assistente social Francine, no prédio do RH, e foi lá que ela conseguiu 9 latas de Pergaminho o suficiente para esperar a ação na Farmácia de Alto Custo, que saiu no dia 05 de agosto. “Minha filha já está ficando até gordinha”, brinca Ana Paula.

Ana Paula Chagas recorreu ao Serviço Social para comprar as latas de leite para sua filha

Funcionário Solteiro: mãe, pai e irmãos solteiros residentes no mesmo domicílio Funcionário Casado: cônjuge e filhos

Auxílio para tratamento saúde Serão analisadas as patologias e a forma de auxílio de acordo com cada caso

Auxílio Social Desemprego na família Separação Conjugais Complicação de Saúde Falecimento Tragédias ambientais

4

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Sandra Regina Pereira agradece a ajuda recebida

Marilda é funcionária da lavanderia do HB há 5 anos e diz que na hora que precisou de um auxílio não teve receios de recorrer ao Serviço Social e espera que muitos funcionários que precisam, façam o mesmo.

Revista do HB - Junho/Julho 2010

5


Conhecimento

Lucy Montoro

HB recebe segunda visita de americanos para realizar cirurgias cardíacas em crianças Visita integra intercâmbio com a ONG Children’s HeartLink e já resultou em melhorias no Serviço de Cirurgia Cardíaca Pediátrica do HB Nove meses depois da primeira visita de intercâmbio de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, entre outros americanos, a ONG Children’s HeartLink e o Hospital de Base receberam, nos dias 20 a 25 de junho, a segunda estada de uma equipe americana em nosso meio para troca de conhecimento com a equipe do Serviço de Cirurgia Cardíaca Pediátrica da instituição. Desta vez, foram profissionais do “The Children’s Heart Clinic”, do “Children’s Hospitals and Clinics of Minnesota” e uma enfermeira da “Mayo Clinic”, que já esteve conosco na primeira visita. Todos trabalham em Minneapolis, a cidade com maior população do estado de Minnesota. Como na primeira visita, acompanharam e participaram de cirurgias cardíacas pediátricas.

Na primeira visita, o HB recebeu uma equipe exclusiva da Mayo Clinic. O HB é a primeira instituição da América do Sul a desenvolver parceria com a ONG americana. “A Children’s HeartLink ajuda no desenvolvimento de Serviços de cirurgia cardíaca pediátrica em todo o mundo. Trata-se de uma instituição reconhecidamente importante na área que contribui para o aprimoramento do atendimento às crianças com problemas cardíacos” , afirma o cirurgião Prof. Dr. Ulisses Alexandre Croti, Chefe do Serviço de Cirurgia Cardíaca Pediátrica do HB. Desta vez foram operadas 4 crianças, sendo 3 do interior de São Paulo e uma de Mato Grosso, as crianças se recuperam bem da cirurgia.

Intercâmbio já resulta em melhorias do Serviço do HB O primeiro intercâmbio entre americanos e brasileiros em nossa cidade já promoveu melhorias no atendimento às crianças com problemas no coração realizadas pelo Serviço de Cirurgia Cardíaca Pediátrica do HB. Por sugestão dos médicos da Mayo Clinic, instituição que enviou o grupo em setembro de 2009, o Hospital de Base enviou para treinamento em cateterismo intervencionista em coração de crianças, o médico da equipe Dr. André Bodini, que foi para Porto Alegre onde deverá permanecer por 2 anos. Foram introduzidas no arsenal de medicamentos outras substâncias que não utilizávamos em determinadas situações, que estão sendo utilizadas e demonstraram bons resultados. O HB adquiriu 3 equipamentos para serem utilizados durante a operação, melhorando a qualidade de controle dos parâmetros nos momentos em que o coração e os pulmões estão parados. Estes matérias totalizaram mais de R$ 50.000,00 investidos. Outra conseqüência do intercâmbio foi a participação das enfermeiras do Serviço de Cirurgia Cardíaca Pediátrica do HB em um curso promovido pelo Hospital da Universidade de Boston. As aulas ocorrem uma vez por mês e, via internet, por um sistema de vídeoconferência. Participam desse projeto várias instituições de saúde de todo o mundo, onde se procura padronizar o atendimento às crianças com defeitos no coração. “Esta parceria tem um grande valor para nós, que somos um hospital-escola e também referência nessa especialidade”, afirma o Prof. Dr. Ulisses Alexandre Croti. O HB é considerado referência na área de cirurgia cardíaca pediátrica. Desde 2002, quando o Prof. Dr. Ulisses chegou à instituição a convite do Prof. Dr. Domingo Braile, foram realizadas mais de 2000 operações, o que significa dizer que em média são operadas mais de 20 crianças / mês. Aproximadamente 88% das operações são realizadas pelo SUS.

6

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Instituto de Reabilitação Lucy Montoro deverá ser inaugurado ainda este ano Nos dias 16 e 17 de julho, uma unidade móvel do Centro de Reabilitação Lucy Montoro esteve instalada no Ambulatório de Especialidades do HB e atendeu cerca de 70 pessoas. Durante a vinda da unidade móvel, os diretores, o superintendente, e engenheiros do HB e Dra. Regina Chueire receberam a secretária dos direitos da pessoa com deficiência do Estado de São Paulo, Dra. Linamara Battistella, que têm em sua carência vasta experiência em trabalhos com pessoas com deficiência. Dra. Linamara veio conferir a fase final da obra do Centro de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto e ficou muito contente com o resultado encontrado. O Instituto de Reabilitação Lucy Montoro, que deve ser inaugurado ainda neste segundo semestre, será uma filial com atendimento totalmente voltado para o deficiente

físico, em todas as áreas da saúde, com especialidades como: fisiatras, psicólogas, assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, profissionais em educação física, nutricionistas, equipados com o que tem de mais moderno para a reabilitação do paciente. Serão equipamentos vindos de Israel e Estados Unidos. “Nessa filial, o deficiente não precisará ser transportado para vários lugares, pois terá todo o respaldo para sua reabilitação, pois tudo estará em um só lugar”, diz Dr.ª Regina Chueire. No Instituto, serão atendidos pacientes com sequelas ortopédicas, lesões medulares, amputações, doenças neurológicas e sequelas de TCE, (Traumatismo Craniano Encefálico). O Instituto estará instalado no térreo onde funcionará seu ambulatório e também no 8º andar, onde ficarão os leitos de internação. “Nossa cidade e região, infelizmente, tem recordes em acidentes automobilísticos, com a vinda do Instituto, os pacientes com sequelas terão atendimento especializado”, afirma Dra. Regina Chueire. Na Oficina Ortopédica será fornecido gratuitamente, de acordo com condições socioeconô-

micas, todo equipamento necessário para a reintegração do deficiente na sociedade, como cadeiras de rodas, próteses, órteses. “Como o Instituto é uma rede, trabalharemos em conexão com outras unidades em todo o Estado e, o que tiver de mais moderno, será mandado pra cá, e vice-versa”, explica Dra. Regina. Aqui no Estado serão apenas três Institutos, para atendimentos de alta complexidade, o de Rio Preto, São Paulo e Ribeirão Preto. Centros que ficam em Marilia, Presidente Prudente, Santos e São Jose dos Campos e ambulatórios nas cidades de Fernandópolis, Peruíbe, Jundiaí, entre outras. “Estou na FAMERP há mais de 20 anos, a vinda do Instituto pra cá, me deixa muito feliz, pois era o que faltava para a faculdade estar completa, além de proporcionar a melhoria do atendimento aos nossos pacientes”, conta Drª Regina. “Já estamos na fase de compra de equipamentos e temos total apoio da diretoria do HB, como Dr. Horário, Dr. Jorge, Paulo Ricardo, além da equipe da engenharia como Maria José e Rodrigo. Acreditamos que, até o final do ano as obras sejam finalizadas”, conclui Dra. Regina. Revista do HB - Junho/Julho 2010

7


Aleitamento Materno

A

HB participa da semana de aleitamento mundial Na primeira semana de agosto foi comemorada, em todo o mundo, a semana do aleitamento materno, com o objetivo de explicar para todas as atuais e futuras mães que o leito materno é o melhor alimento para o bebê e tira várias dúvidas e mitos. Em Rio Preto o evento contou com a colaboração do HB, Famerp e Secretaria de Saúde, que organizaram passeatas, exposições e palestras. Os pediatras do HB, Dra. Maria Carolina de Conte Coelho e Dr. Daigo Toma explicam que nenhum composto alimentar substitui o leite materno, pois é ele que fornece as primeiras células de defesa do bebê, é através dele que aumenta o afeto mãe e bebê, entre várias vantagens. O que precisa ser tirado é o mito. “A mulher tem que entender que o que faz os seios caírem é o tempo, o peso dos seios; é a lei da gravidade e não a amamentação”, diz Dra. Maria Carolina A UNICEF calcula que um milhão e meio de crianças morrem por ano por falta de aleitamento materno. E não pense que é somente nos países do terceiro mundo. Mesmo nos países industrializados muitas mortes poderiam ser evitadas com o aleitamento materno. Segunda a Secretaria de Saúde de Rio Preto, na cidade, o índice de aleitamento

dor

de não poder

Enquanto muitas mães preferem não amamentar o filho pensando na estética, a auxiliar de serviços do HB, Roselange de Paula Dias, ainda chora ao contar que há 12 anos quando nasceu seu filho Victor ela não pode realizar o sonho de amamentar. Ele nasceu prematuro e o médico indicou que por este motivo ele deveria tomar compostos alimentares que substituem o leito materno. Hoje seu filho está grande e forte e ela é feliz por ser mãe, mas mesmo assim não consegue esquecer este momento que ela considera que seria único e especial em sua vida. Único e especial também é como define este momento a secretária do setor de Trauma, Luciene Jianoti, ela que tem um filho de 9 anos e agora com um bebê de 6 meses, conta o drama vivido. Quando ela teve o primeiro filho, Danilo, ela amamentou normalmente, já quando ela estava grávida do segundo filho, Guilherme o susto foi grande, depois do primeiro parto ela colocou prótese de silicone nos seio e por isso tinha receio de que não conseguiria amamentar. “O alívio foi grande quando percebi que o leite saia normalmente, em nenhum momento eu pensei em prótese ou estética, pois é um momento nobre entre mãe e filho, é um elo inexplicável”, diz Luciene.

materno exclusivo até o sexto mês de vida da criança dobrou nos últimos 10 anos. Em 2001, 18,1% das crianças até um ano de vida haviam sido amamentadas exclusivamente com leite materno até o sexto mês de vida. Em 2009, quando foi realizada a pesquisa que acontece a cada dois anos, o índice saltou para 36%. O crescimento do número de mães que amamentam os filhos com leite materno exclusivamente até o sexto mês de vida está ligado à queda na redução da mortalidade infantil no município. No ano passado, Rio Preto teve o menor índice de mortalidade da história, 8,49.

• A mãe que amamenta sente-se mais segura e menos ansiosa; • Amamentar faz queimar calorias e por isso ajuda a mulher a voltar, mais depressa, ao peso que tinha antes de engravidar; • Ajuda o útero a regressar ao seu tamanho normal mais rapidamente; • A perda de sangue depois do parto acaba mais cedo; • A amamentação protege do cancro da mama que surge antes da menopausa; • A amamentação protege do cancro do ovário; • A amamentação protege da osteoporose; • A amamentação exclusiva protege da anemia (deficiência de ferro). • As mulheres que amamentam demoram mais tempo para ter menstruações, por isso as suas reservas de ferro não diminuem com a hemorragia mensal; • Amamentar é muito prático! Não é necessário esterilizar e preparar biberões. • Não é necessário levantar-se de noite para preparar o biberão.

Luciene com os filhos Danilo (a esquerda) e Guilherme

Banco de Leite Humano de Rio Preto precisa de doadores

Outras vantagens do leite materno para o bebê:

8

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Agora Rose sorri ao ver o filho esbanjar saúde

Já Ana Paula não teve problemas e nem drama, a telefonista do HB amamentou seu filho que hoje tem 9 anos, por 2 anos e meio. “Ele já era grande e queria mamar ainda no peito, e eu deixava porque sabia que era um alimento saudável e insubstituível”. Além de amamentar o filho, ela que tinha muito leite, ainda conseguiu doar um pouco de leite para um primo que tinha nascido e a mãe não tinha leite. “Eu incentivo toda mulher a doar, não tive problemas com estética e hoje meu filho está um touro”.

Amamentar tem vantagens também para a mãe:

• Melhora o desenvolvimento mental do bebê; • É mais facilmente digerido; • Amamentar promove o estabelecimento de uma ligação emocional, muito forte e precoce, entre a mãe e a criança, designada tecnicamente por vínculo afetivo. Atualmente, sabe-se que um vínculo afetivo sólido facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com as outras pessoas; • O ato de mamar ao peito melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes.

amamentar

A telefonista Ana Paula com o filho que mamou até os dois anos e meio

Já que citamos a importância do leito materno, não podemos deixar de pensar nas mães que não têm leite após o parto para alimentar o filho, elas recorrem então ao Banco de Leite Humano, onde outras mães com fartura de leite fazem suas doações.

Em Rio Preto, o Banco de Leite Humano distribuiu uma média de 6 litros de leite por semana, porém a ideal seriam 40 litros. Mais de 1000 famílias já foram beneficiadas, este número poderia ser bem maior se houvesse mais doações.

O Banco de Leite Humano de Rio Preto está localizado na Avenida dos Estudantes, 1.886, no Jardim Aeroporto. De segunda a sexta-feira, o serviço funciona das 7 às 17 horas e aos sábados, das 8 às 14 horas. O telefone para informações é o (17) 3214-3422. Revista do HB - Junho/Julho 2010

9


Boletim RH/DP

Ambulatório

Resultados do acordo coletivo com o sindicato da saúde No final do mes de junho foi finalizado o processo de Acordo Coletivo de Trabalho entre a FUNFARME e o Sindicato da Saúde. Foram longas as negociações, não por causa dos índices de reajuste, mas sim em virtude serem discutidos vários outros aspectos legais que não existiam nos acordos anteriores e que deveriam estar claros neste e nos próximos acordos, para dar segurança tanto para a Instituição quanto para seus funcionários. Algumas das vantagens para os funcionários da FUNFARME comparadas com outros Hospitais, podem ser vistas no quadro comparativo ao lado: Em relação à cesta básica, os hospitais que concedem mensalmente, além de fornecerem em alimentos, descontam da cesta qualquer punição ou falta. Outros concedem apenas uma cesta de Natal ao final do ano. Ao invés de receber por estagiário recebido como fazem outros hospitais, a Fundação negocia a concessão de bolsas para seus funcionários com a Faculdade de origem. Foi criado um Fundo de Auxilio Financeiro para os funcionários com situação financeira delicada, em virtude de eventos inesperados ou doenças na família. Com estas explicações, podemos afirmar, com absoluta certeza, que a FUNFARME paga os melhores salários do interior

de São Paulo, assim como concede um dos maiores vale refeição do Brasil. Quanto aos demais beneficio sociais, é necessário ressaltar que somos uma Fundação filantrópica, sem fins lucrativos, e que pertence a todos que nela trabalham. Portanto, dar condições cada vez dignas para os pacientes do SUS e também para os que aqui trabalham é bem mais que uma obrigação. È nosso objetivo.

A Central de Pós-Consulta do Ambulatório de Especialidades do HB foi reformada e reformulada para melhor atender os pacientes do Sistema Único de Saúde. O ambiente já não é mais o mesmo, o sistema também não, até o número de funcionários foi ampliado, com isso é possível agilizar o atendimento e proporcionar mais conforto. “Agora o paciente sai da consulta e passa até nossa central, aqui ele já sai com o retorno e também com os exames agendados, com isso evitamos a peregrinação de pacientes pelo Ambulatório”, diz a supervisora Resemary Teixeira. Outra novidade está relacionada aos funcionários, agora todos têm que saber o serviço em geral, desde abrir uma ficha até agendamento de exames. “Antes os funcionários eram dividos por função, agora todos têm que fazer de tudo, pois quando falta um ou alguém tira férias não ficamos com o time desfalcado”, diz Rosemary. O período para marcarmos retornos e exames no sistema foi estendido para até 6 meses, desse modo o paciente que precisa de um retorno daqui 4 meses já pode sair com o mesmo agendado, antigamente esse agendamento poderia ser feito até no máximo 2 meses. O atendimento é para todas as especialidades ambulatórias, respeitando o número de pactuação. O ambiente agora conta com TVs de LCD com filme educativo, sistema de ventilação e painel eletrônico de senhas, através desta senha o paciente pode aguardar a sua vez sentado e sem tumulto. Nos últimos dias as senhas do painel ultrapassaram 500 atendimentos diários, com uma porcentagem de 25% de senhas prioritárias. “Ainda teremos algumas mudanças, estamos recebendo algumas sugestões, o Dr. Aldenis Borin está realizando alguns estudos para ver o que pode ser melhorado ainda, mas pelo que percebemos os pacientes já aprovaram as mudanças”, afirmam os funcionários.

Agilidade no atendimento ambulatorial

Ala de agendamento do Ambulatório conta com uma equipe maior e nova estrutura

Por Dr. Paulo Nakaoski

Atenção Colaboradores

v

Novo canal de comunicação HB A partir de 01 de setembro fica estipulado o uso da INTRANET como o meio de comunicação oficial da instituição Todos os colaboradores devem estar com seu cadastro concluído. Mais informações: ramal 1401 e 1402 10

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Mais conforto: agora todos os pacientes aguardam sentados por sua vez Revista do HB - Junho/Julho 2010

11


Ding Down

Profissionais do HB comemoram o Dia Municipal da Pessoa com Síndrome de Down Depois de muita luta, a equipe Ding Down, formada por profissionais de diversas áreas da saúde do HB e Famerp, conseguiu uma data no calendário comemorativo da cidade para conscientizar a população sobre a importância do conhecimento sobre a Síndrome de Down: 11 de agosto, Dia Municipal da pessoa com Síndrome de Down. Ainda há muito preconceito e falta de informação sobre a síndrome de Down, um evento genético natural e universal que está presente em todas as raças e classes sociais. Um deles é considerá-la uma doença. Não é correto dizer que uma pessoa sofre de, é vítima de, padece ou é acometida por síndrome de Down. O correto seria dizer que a pessoa tem ou nasceu com síndrome de Down. “Uma data para refletirmos sobre a inclusão social, não temos pesquisas que aponte dados sobre a Síndrome de Down em nossa região, este tipo de estudo é essencial para acompanharmos a vida de um paciente com esta síndrome”, afirma Dra. Lana Cristina Bianchi. Há poucas décadas um filho com Síndrome de Down era objeto de preocupações – e algumas vezes de vergonha – da família, vivendo não raro em reclusão, aguardando um fim que se considerava próximo, pois os portadores de SD podem ter maior risco de sofrer defeitos cardíacos congênitos, doença do refluxo gastroesofágico, otites recorrentes, apnéia de sono obstrutiva e disfunções da glândula tireóide. Graças aos avanços da medicina e a grupos, como o Ding Down, a expectativa de vida dos portadores de SD aumentou muito, isto é um motivo especial para comemoração

12

Revista do HB - Junho/Julho 2010

HB e Famerp ajudam SBD a entrar para o Guiness Book A equipe de dermatologia do HB e a Liga de Dermatologia da Famerp colaboraram diretamente para que a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) entrasse para o Guinness World Records, mais conhecido como o Livro dos Recordes. A SBD recebeu a certificação por ter promovido a maior campanha médica do mundo realizada em um único dia e a maior campanha de prevenção ao câncer de pele mundial. A campanha foi realizada no dia 5 de dezembro de 2009 e atendeu mais de 34 mil pessoas em todo Brasil. Em São José do Rio Preto, a campanha foi coordenada pelo dermatologista Prof. Dr. João Roberto Antonio, que na época era presidente da SBD-SP, e foram atendidas 450 pessoas gratuitamente. “Graças à contribuição de todos da Equipe e da Liga de Dermatologia e dos médicos, Rio Preto pôde contribuir com a SBD. O recorde, até então, pertencia à Academia Americana Dermatologia (AAD) e foi superado pelo Brasil”, disse o dermatologista. Para que a SBD conseguisse o recorde foi necessário atender a diversas exigências e organizar a campanha de modo a mantê-la grande e sincronizada em todo o país. A campanha contra o câncer da pele existe há 11 anos, e ao longo de suas edições tornouse cada vez mais organizada, respeitada e reconhecida pela sociedade. Ao todo, a campanha foi realizada em 23 estados brasileiros. No Estado de São Paulo, a regional paulista da entidade mobilizou equipes de dermatologistas que atuaram em 35 postos.

Perfil

Exemplo de determinação Com cegueira crônica, José Roberto Viana trabalha há 22 anos na radiologia do HB José Roberto nasceu na zona rural e sem poder enxergar teve que batalhar muito para alcançar seus objetivos, ele queria estudar, trabalhar e ser independente. Veio para Rio Preto, onde teve que enfrentar as ruas, avenidas, sinaleiros e a sociedade, mas com a ajuda de amigos logo aprendeu a ser independente e conhecer as estratégias para se locomover sem precisar de ajuda. Começou vendendo bilhete de loteria e entrou para a escola, quando terminou os estudos ele sabia que queria mais do que vender bilhetes pela rua, ele foi para São Paulo fazer um curso em técnico de Raio-X e voltou para Rio Preto com a experiência. “O único hospital que me deu chance para mostrar meu potencial e meu trabalho foi o Hospital de Base, que aceitou

com que eu fizesse um teste para técnico de raio-x e assim fui contratado”, diz José Roberto. A sala onde ele trabalha tem que estar sempre escura, a única luz que têm é a de segurança, uma bem fraquinha e vermelha na parede. Parece até ironia, mas não é, José Roberto que sempre enxergou com a ajuda das mãos, faz seu trabalho em um ambiente em que enxergar não faz diferença. A função dele é pegar o filme que foi batido e revelar na Câmara Escura. O que lhe deixa triste é saber que a maioria das empresas não dá oportunidade de trabalho a portadores de deficiência, mesmo com a lei de inclusão e o que lhe preocupa um pouco é a modernidade que muitas vezes tira a vaga de trabalho de tantas pessoas. “Faltam também entidades que pre-

José Roberto durante jornada de trabalho

param as pessoas com algumas necessidades especiais para o mercado de trabalho. Tudo que tenho hoje eu devo ao meu trabalho, ao meu suor, a empresa que proporciona a oportunidade de trabalho”, afirma José Roberto. Hoje ele é independente, casado e tem 1 filho, e tudo isso é motivo de orgulho para ele, que traçou um objetivo e quebrou barreiras.

MC Dia Feliz 2010

Funcionários do HB se organizam para as vendas do MC Dia Feliz Durante os meses de julho e agosto os funcionários venderam tickets, camisetas e bonés Os funcionários da instituição se uniram para abraçar mais uma causa: vender Big Macs para a arrecadação da verba destinada a ala de quimioterapia e transplante de medula óssea do hospital. O MC Dia Feliz acontece uma vez por ano em todo o Brasil e destina o valor arrecadado para instituições com crianças e adolescentes em tratamento de câncer. “A cada ano temos mais pacientes com câncer que precisam de tratamento em nossa quimioterapia e também de transplantes de medula óssea, com isso o espaço para adequar corretamente esses pacientes já ficou muito pequeno, precisamos aumentar a

sala de quimioterapia e também de transplante de medula óssea, dando mais conforto aos pacientes”, afirma Dr. Otávio Ricci Junior, hematologista. Em 13 anos de existência, o setor de transplantes de medula óssea do HB já realizou mais de 370 procedimentos e com isso muitas vidas foram salvas. Já o setor de quimioterapia atende cerca de 1000 pacientes, entre crianças, jovens e adultos com câncer, além de mais de 800 que fazem uso de medicação no setor. “O McDia Feliz é importantíssimo para as pessoas, como meu filho, pois está claro que os recursos públicos não são suficientes para oferecerem o tratamento adequado para ele e todas as pessoas que precisam de tratamento”, diz Darlan Sebastião Pinheiro, pai de Felipe Daniel Oliveira Pinheiro, de 8 anos, que faz tratamento de câncer infantil no Hospital de Base. Há um mês, Darlan mudou-se de Teresina, no Piauí, para Rio Preto em busca de um melhor tratamento num centro de referência, como o HB. O Mc dia Feliz foi realizado no dia 28 de agosto e em breve todos poderão conferir os valores arrecadados.

Comissão organizadora durante abertura oficial do MC Dia Feliz Revista do HB - Junho/Julho 2010

13


Social

Campanha Você Salvando Vidas traz R$42 mil pro HB No dia 03 de agosto, a comissão que organizou o leilão de gados em Potirendaba, em abril deste ano, entregou para a diretoria do HB a renda arrecadada no valor de R$42 mil reais. Este dinheiro será revertido para as melhorias das alas dos pacientes que são atendidos pelo Sistema Único de Saúde. E no dia 19 de setembro acontece mais um Show de Prêmios em prol do HB, desta vez, integrantes da campanha Você Salvando Vidas desembarca na cidade de Planalto.

Congressos e Simpósios Os profissionais do HB estão sempre em busca de aprimoramento prova disso são os congressos e simpósios que participam durante o decorrer do ano.

Uma mulher de Fibra

Encontro de Mestres No dia 30 de julho, Dr. Antônio Bozolla, Chefe da Cirurgia Plástica do HB, recebeu Dr. Carlos Del Pino Roxo, Chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Geral de Andaraí, no Rio de Janeiro, para uma troca de experiência com os residentes do HB. Os dois realizaram duas cirurgias plásticas de pós bariátrica e pós queimadura e ainda realizou uma aula para expor seu casos mais complexos na área.

Exemplo de Solidariedade

O assunto em Mirassol durante a Copa do Mundo não foi a participação do Brasil, mas sim um fusquinha todo decorado com as cores verde e amarelo que torcia pela seleção e ao mesmo tempo arrecadava leite para doar ao Hospital de Base. Por iniciativa própria José Carlos Peres fez uma campanha em Mirassol e arrecadou mais de 300 litros de leite durante o mês de junho e entregou para o HB. Isto sim é um exemplo de solidariedade.

Residentes do HB iniciam curso extracurricular

Nos meses de junho e julho, o Prof. Dr. Alceu Gomes Chueire, esteve em São Paulo participando dos cursos: “A Cirurgia do Quadril no Brasil e na França 2010” no IOT (Instituto de Ortopedia e Traumatologia), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina, e “Princípios em Antroplastia no Quadril”, promovido pelo Pavilhão Fernandinho Simonsen, do DOT da Santa Casa de São Paulo. Também participou do simpósio “Novos Métodos de profilaxia do TEV nas cirurgias ortopédicas de grande porte” que aconteceu no dia 21/07, aqui na cidade, onde foi palestrante. Isto mostra o interesse de nosso corpo clínico em oferecer cada vez mais serviços de ponta. O Prof. Dr. Guaracy Carvalho Filho, esteve no mês de junho aprimorando seus conhecimentos, participou do 23º Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Estado de São Paulo e também do IX Congresso Brasileiro de Ortopedia Pediátrica, que aconteceu em Campos do Jordão. O presidente da Sociedade de Medicina de Rio Preto, Dr. Helencar Ignácio foi para São Paulo onde também participou do Congresso de Ortopedia na cidade e também marcou presença no Congresso Brasileiro. Ainda deu tempo de viajar para Brasília, onde marcou presença no XII Encontro Nacional de Entidades Medidas, representando a classe riopretense.

14

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Nos últimos dias a única médica mulher da equipe de Urologia do HB, Dra. Ana Paula Bogdan, comemorou seu título de Doutora pela Universidade de São Paulo da cidade de Ribeirão Preto. Toda equipe do HB e Famerp a parabeniza por esta grande conquista.

No mês de agosto os residentes do Hospital de Base/ Famerp iniciaram a grade do curso extracurricular exigida pela Comissão Nacional de Residentes, que inclui Bioética, Bioestatística, Metodologia de Pesquisa, Epidemiologia e Ética Médica. “É muito importante para complementar uma formação como médico e ao mesmo tempo como ser humano, como cidadão”, afirma Dra. Regina Godoy, coordenadora da CORE-

ME da Faculdade de Medicina de Rio Preto. Neste ano o curso será oferecido para os alunos que estão concluindo a residência e o melhor é que ele valerá como crédito para mestrado. “Não queremos formar profissionais bons de técnica, porém sem ética, sem cidadania, queremos um profissional completo”, conclui Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme. Revista do HB - Junho/Julho 2010

15


Comemoração

Festa Junina Nos meses de junho e julho alguns setores do HB se reuniram para comemorar a tradicional festa caipira. Bolos, doces e achocolatado fizeram parte do cardápio.

Durante a Copa do Mundo os funcionários, que não foram para suas casas, puderam assistir os jogos do Brasil no Espaço Funcionário e no Espaço Santander. Confiram algumas fotos:

16

Revista do HB - Junho/Julho 2010

Revista hb junho julho 2010  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you