Page 1

Especial

Dia dos Pais Págs 6 e 7

Ano X / Nº 127 Julho - 2012

2 1 3 4

6 7 5

1 - Cristiano da Dip com seu bebê / 2 - Luciano da Ucor com o filho Luís Othávio / 3 - Mauricio do Ambulatório com seu bebê / 4 - O pediatra Márcio Sigilló e suas filhas Giovanna, Giorgia, Giuliana e Rafaella / 5 - Farmacêutico Adriano do Alto Custo com o filho Miguel / 6 - Leandro do Departamento de material ortopédico com as filhas / 7 - Lairton do Compras com os filhos Clara e Miguel


Editorial

12 de agosto: Dia dos Pais... No dia 12 de agosto celebramos o dia dos pais,

Sumário Editorial

02

n

Atualização Cadastral

03

n

Meu Setor: Emergência Convênio

04

n

Simpósio CIP

05

n

Especial Dia dos Pais

n

Dispensação de Medicamentos

08

n

Agradecimentos

09

n

Evento Ministério

10

n

Bombeiro Sangue Bom

10

n

Doação de Órgãos

11

n

Perfil

11

n

NHE Coqueluxe

12

n

uma data para lembrarmos daquela pessoa que tanto amamos e refletirmos nosso verdadeiro papel de pai. Temos que lembrar que ser pai é mais do que somente cumprir um papel dentro da família e da sociedade.

EDITORIAL

Ser pai é aceitar as responsabilidades que ultrapas-

sam o limite de suas forças, mas mesmo arquejado pelo peso que o sufoca, se ergue empedernido e supera, sempre lutando e alcança a vitória. Ser pai é além de educar, é estar constantemen-

te ao lado de seus filhos, abdicando muitas vezes de responsabilidades para desfrutar um jogo de bola, brincar de carrinhos, empinar pipas, andar de mãos dadas...

Para ser pai, não precisa necessariamente ser ho-

06 e 07

mem e muito menos ser pai biológico, o verdadeiro pai é aquele que cumpre o papel nos seus mais profundos sentimentos. Parabéns a todos os nossos colaboradores que sa-

bem como exercer com grandeza o papel de pai, que educa e ama incondicionalmente seus filhos. Nesta edição aproveitamos para registrar os últi-

Expediente

mos eventos, simpósios e atualizações que tiveram na

Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME)

instituição, além de informações sobre saúde e uma singela homenagem ao dia dos pais. Lembrando que as fotos exibidas nesta edição são de colaboradores da Funfarme que enviaram suas fotos para à assessoria de imprensa, por isso, fiquem sempre atentos a Intranet. E lembrem-se, em setembro haverá a 19ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho.

Diretoria Funfarme/HB

02 Revista do HB - Julho - 2012

Ano X / Nº 127 Julho - 2012 • Diretoria da Funfarme/HB: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luis E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo HB: Dr. Jorge Fares Vice-Diretor Administrativo HB: Dr. Newton Bordin Júnior • Diretor Clínico: Dr. Jorge Adas Dib • Vice-Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo • Diretor Técnico: Dr. Helencar Ignácio • Vice-diretor técnico: Dr. Hel-

der Sanchez • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Produção Editorial: Intermídia Publicações – 17- 3353-2083 • Jornalista Responsável: MTB: 24.527 • Produção: Luis Fernando Neves • Diagramação: Roger Goulart • Colaboração: Camila Galvão • Impressão: Fotogravura Rio Preto • Tiragem: 2000 exemplares


recadastramento

HB dá início a programa de recadastramento

Documentos necessários para o Recadastramento - Nº do CPF - Nº do RG, órgão expedidor e data expedição - Comprovante de endereço - Nº título eleitoral, zona e seção - Nº carteira de trabalho, série e data expedição - Nº CNH, categoria, data expedição e data vencimento (somente para as funções que exigem a utilização de veículos) - Tipo de conselho, nº registro e situação (para as funções vinculadas a conselhos, ex: CRM, COREN, CRF, etc) - Informações sobre outro emprego atual (empresa, cargo, data início e horário) - Informações sobre dependentes (nome, data nascimento, sexo, grau parentesco, CPF) - Informações os empregos nos últimos 5 anos (empresa, cargo, data ínicio/fim e motivo da saída) Atenção funcionários FUNFARME, o recadastramento deverá ser feito até o dia 31 de agosto!

Com o intuito de deixar todos os dados cadastrais atualizados, a TI do HB criou um programa que auxilia na atualização das informações cadastrais, tanto dos pacientes quanto dos funcionários. “Um cadastro atualizado agiliza o trabalho do faturamento, que tem prazos para entregar as contas médicas, do serviço social e do serviço de óbito que tem que entrar em contato com familiares para fazer atestado de óbito, do centro de pesquisa e do hemocentro na captura de pacientes para estudos e doação de sangue, entre outros”, diz Miguel Freddi, gestor de TI. O recadastramento dos funcionários da FUNFARME, exceto os Residentes, Estagiários e Aprimorandos, deve ser feito até o dia 31 de agosto e tem como objetivo principal a atualização das informações cadastrais como endereços, telefones, e-mail, dependentes, empregos anteriores ,etc. Para atualizar o cadastro do paciente é importante validar os dados no momento do atendimento como por exemplo: endereço, bairro, CEP, telefone, data nascimento, CPF e CNS. Esta atualização é fundamental não só para a localização do paciente mas também para o faturamento das contas junto ao SUS/Convênios e para a emissão de Notas Fiscais Eletrônicas. “O papel das recepcionistas é de fundamental importância para manter o cadastro dos pacientes atualizados, pois isso evita impactos nos demais setores que dependem dessas informações para o fechamento de contas e contato com os pacientes”, diz Miguel Freddi. O programa de recadastramento está instalado em alguns micros indicados pelas chefias dos departamentos e também na sala de conforto dos funcionários.

Revista do HB - Julho - 2012

03


Meu Setor

e

Emergência Convênio Internação

Localizada na entrada principal do HB, a emergência do convênio conta com 112 profissionais que prezam diariamente pelo bem estar do paciente. Nos últimos dois anos a emergência passou por várias mudanças, otimizando e aumentando em 23% o número de atendimentos nos primeiros seis meses deste ano. A sala de espera que antes era a mesma tanto para a internação quanto para a emergência, foi dividida e separada por cores, cadeiras marrons para internação e bege para emergência, organizando assim o fluxo de pacientes. “Todas essas mudanças otimizaram o espaço trazendo conforto para os clientes e para os funcionários” conta Marilza Silveira, líder de setor da recepção convênio. Todos os funcionários da administração receberam treinamento para aperfeiçoar o atendimento ao cliente. “Dentro de uma emergência os problemas são constantes, mas o nosso foco é voltado para o bem-estar do paciente, é para ele que trabalhamos” diz a médica Ana Paula Bogdan, coordenadora geral da emergência. Todos os plantonistas recebem treinamentos periódicos sobre atendimentos emergenciais, priorizando sempre a capacitação e a atualização dos profissionais. Este treinamento é ministrado pelos coordenadores médicos Dr. Gilmar Greque e Dra. Fernanda Quintino.

04 Revista do HB - Julho - 2012


CIP

O Centro Integrado de Pesquisa (CIP), da Funfarme (Hospital de Base/Famerp) realizou, no dia 3 de agosto de 2012, o I São José Do Rio Preto Neuroendocrine Tumours Symposium, encontro inédito, na cidade, de palestrantes de excelência no manejo dos tumores neuroendócrinos. O simpósio teve como objetivo promover a disseminação dos mais modernos conceitos praticados pela oncologia translacional na cura dos tumores neuroendócrinos, oferecendo importantes ferramentas diagnósticas e os tratamentos mais adequados aos pacientes brasileiros. “O simpósio reuniu renomados médicos do Brasil e do Exterior gerando um estimulante debate do manejo de tumores neuroendócrinos, visando oferecer tratamentos mais adequados aos pacientes brasileiros”, conta o Dr. Gustavo Giroto.

CIP realiza I Simpósio sobre tumores neuroendócrinos Evento reuniu, pela primeira vez na cidade, os mais renomados especialistas no tratamento da doença

Vem ai a 19ª SIPAT HB De 17 a 21 de setembro

Tema: SIPAT com você! Haverá sorteio de brindes, mini cursos e para encerrar uma peça teatral com a Companhia Toque de Areia de São Paulo. Atenção: As inscrições serão limitadas. Fiquem de olho! Mais informações em breve na Intranet CIPA – SESMT – RH - Diretoria Revista do HB - Julho - 2012

05


Especial Dia dos Pais Gilberto do Banco de Sangue com os filhos

Osmar superintendente e filho Willian Ivair Sesmt e filho Gustavo

Miguel da TI com os filhos Enzo e Luma

Cleber - hemodinamica e seu

S er pai é...

Ser pai é acima de tudo ser o amigo de todas as horas... é estar sempre próximo, acessível, buscando sempre estar presente na vida do filho. Ser pai é uma missão divina, que coloca o ser humano próximo de seu criador, pois assim como o Ser Supremo que nos guia, o pai deve ser o farol dentro da vida de seus filhos, encaminhando-os no difícil trilhar dessa existência. Ser pai é vencer o cansaço de um dia de trabalho e com o coração em festa sentar com o filho para ver um desenho animado, uma prosinha maneira, ouví-lo falar de seus aprendizados de vida, tal como eu ouvi meu filho dizendo a muitos anos atrás, como: “Pai, a “tia” nos ensinou

hoje que primeiro deve estar sempre a obrigação depois a diversão”. Ser pai é vivenciar os gatinhar de seu filho, recordar-se de suas primeiras palavras e muitas vezes gargalhar quanto a palavra dita lhe causa um sobressalto, como : “Pai vamos na putaria”, quanto o seu desejo era dizer : “ Pai vamos na portaria “... sorrisos. Ah... O tempo passa os primeiros passinhos transformam-se em largas passadas e o garoto que um dia era um pirralho hoje lhe ultrapassa a altura. Sim a missão é pesada e difícil, mas a recompensa virá no êxito do filho amado, no despertar e ver o homem que você criou. (trecho do poema de Ailton Carlos)

Fabio assistente administrativo com os filhos guilherme e Livia

Enfermeiro Julio César e a filha Júlia

06 Revista do HB - Julho - 2012

Wanderlei da Quimioterapia com as filhas

Superintenden


Especial Dia dos Pais Edinilson do 3° andar SUS noturno com seu filhão

Rogério da Hemodinâmica com seu filhão

u filho Murilo

nte Robson com a filha Camila

Gilberto da Contabilidade da Famerp e sua filha Julianni

Marcelo Goncalves com a filha Ana

Fabiano do 6° andar SUS com sua filha

Jefferson da Hemodinâmica com o filho Matheus

O colaborador Victor com o pai Marcelo do 3° SUS Revista do HB - Julho - 2012

07


Dispensação de Medicamentos

Farmacêuticos do HB recebem treinamento sobre segurança na dispensação da medicação O ato de dispensar medicamentos requer muita atenção e responsabilidade. Visando a importância deste procedimento 15 farmacêuticos e 132 auxiliares e técnicos de farmácia do HB foram treinados para que erros e reações adversas pudessem ser prevenidos. Para Elga, medidas de prevenção, como barreiras de segurança e de processo, alertam o profissional da área ajudando a evitar erros. A mudança da coloração no rótulo e o alerta no palm são exemplos de barreiras que já estão inclusas na rotina dos profissionais. “É fundamental criar uma cultura, educação e adoção de medidas preventivas nas instituições hospitalares,envolvendo a equipe médica , de enfermagem e farmácia para reduzir eventos adversos com medicações” conta a superintendente Maria Regina Jabur.

Barreiras de segurança e de processo que já estão sendo utilizadas no HB • Armazenamento adequado na farmácia, com identificação de cores e medicações potencialmente perigosas • Ter prescrição eletrônica; • Dispensação através do palm top que bloqueia o envio incorreto, ou seja, não permite dispensar o que não esta prescrito; • Não dispensar medicamentos através de ordens verbais.

08 Revista do HB - Julho - 2012


Agradecimentos

HB: Um hospital que cuida de pacientes e funcionários Gostaria de agradecer primeiramente a Deus, por colocar em nosso caminho anjos disfarçados de médicos, enfermeiros, técnicos, auxiliares, copeiras, porteiros e demais profissionais que em um momento de aflição nos acolheram com todo profissionalismo e carinho. Em especial ao Dr. Paulo Poiati, Dr. Daniel Miquelim e as enfermeiras Mariana Danda e Patrícia Jordão. Em nome do João Pedro, meu sobrinho, e de toda a nossa família eu agradeço de todo o meu coração a dedicação de cada um de vocês. Muito Obrigada.

Neide Aparecida - Auxiliar de Enfermagem do Ambulatório

um drama familiar acometeu a minha família. Por questões pessoais não vou expor o fato aqui, o que eu quero expor é o meu agradecimento e a minha gratidão a essas pessoas, que são verdadeiros anjos na minha vida: Cristiane Bussolote do RH, a Rosana do RH, ao Dr. Paulo Nakaoski, ao Dr. VaElis Regina de Oliveira, auxiliar de enfermagem lentin e a Enfermeira Edna, Ligia Foi em um momento muito difícil Sequini e a Celina. Muito obrigada minha vida, que eu encontrei aju- da por todo apoio que vocês me da de onde eu menos esperava. Sou deram, serei eternamente grata a funcionária do HB há 10 anos e em todos. Nunca recebi tanto carinho meio há 4 mil funcionários eu acha- e atenção como recebi de vocês. va que ninguém nem sequer sabia Que Deus devolva em dobro todo da minha existência. Até o dia que o bem que me fizeram.

Revista do HB - Julho - 2012

09


Viva Saudável

Profissionais do HB discutem a importância das Tecnologias em Saúde Investir em tecnologia na área da saúde é fundamental para o avanço da medicina no atendimento a população. Os gestores em saúde necessitam de informações coerentes sobre os benefícios, os riscos e os custos das tecnologias e seu impacto sobre os serviços de saúde, para apoiar a tomada de decisão com relação à incorporação ou abandono de tecnologias. Pensando nisso, a diretoria da Funfarme/ HB convidou as profissionais Dra. Evelinda Trindade e a enfermeira Andrea Zanberlan para proferir uma palestra no dia 26 de julho, na instituição e detaber a ação e criação dos NATS Paulistas (Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde). Nesse contexto, ferramenta essencial é a Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS), processo abrangente que avalia os impactos clínicos, sociais e econômicos da utilização das tecnologias em saúde, emergentes ou já existentes, desde a pesquisa e desenvolvimento até a obsolescência. Para isso, investigam-se efetividade, segurança, custos e custo-efetividade das tecnologias, entre outros indicadores. “Esse trabalho é muito importante, temos como benefício a participação em

rede estadual de vários estudos relacionados às novas tecnologias. Nos possibilita trabalhar em rede com outros hospitais importantes - como HC São Paulo, Incor, Unicamp. Unesp Botucatu - e trazer conhecimento técnico e intercâmbio de informações importantes para nossa administração”, comenta o engenheiro Rodrigo Plazas. Para Dra. Gislaine Fusco, esta Avaliação de Tecnologias em Saúde é muito importante, principalmente no âmbito do SUS, pois surgem materiais médicos, equipamentos médicos, medicamentos, procedimentos entre outros e é necessária avaliação criteriosa sobre sua efetividade e a relação custo x benefício desta nova tecnologia. “As novas tecnologias que surgem não estão na tabela SUS e, desta forma, não tem ressarcimento pelo governo. A partir de um Parecer Técnico Científico elaborado pelo NATS, esta nova tecnologia poderá até ser inserida na tabela SUS por exemplo. As tecnologias chegam sempre primeiro que o dinheiro”, conclui Rodrigo.

da esquerda para a direita -- Enf. Ilza, Superintendente Maria Regina, Dra. Evelinda Trindade, Eng. Rodrigo, Dra. Andrea Zanberlan, Dra. Gislaine Fusco e Dra. Vanessa Batigália

Dra. Evelinda Trindade e Andrea Zanberlan representantes da Cordenadoria da Secretaria de Saúde

Campanha dos Bombeiros garante 814 bolsas de sangue para o Hemocentro A campanha “Bombeiro Sangue Bom 2012” levou 964 pessoas até o Hemocentro de Rio Preto, 41% a mais do que no ano passado, o que garantiu 814 bolsas de sangue no mês mais crítico do ano. Luciana Ferreira, do Setor de Captação do Hemocentro explica que a campanha foi essencial para manter um estoque de sangue bom durante o mesmo de julho, para ela o número alcançado proporcionou maior tranquilidade no controle do estoque, que cai consideravelmente nos meses de férias e inverno. “A campanha foi muito boa, inclusive dentro das expectativas do Corpo de Bombeiros que buscam superação dos resultados a cada ano. Este ano em relação ao ano passado tivemos aumento de 29,3% no número de candidatos mobilizados pela campanha”, diz Luciana. Segundo Luciana, neste momento o estoque de sangue de nosso Hemocentro está razoável. “No momento estamos precisando de doadores especialmente do tipo sanguíneo O Negativo. Aproveitamos para deixar aqui um convite para que os funcionários doem sangue e ajudem o Hemocentro a continuar salvando vidas”, conclui ela.

10 Revista do HB - Julho - 2012


Perfil

Um Santo na manutenção Santo Ferroni Filho, o famoso Santo da Manutenção, não tem devotos, mas tem duas famílias, uma de sangue e uma no HB. Há 28 anos Santo deixava a cidade de Pirapozinho para passar um final de semana na casa da ti em Rio Preto. Era pra ser mais um final de semana qualquer, mas não foi. A tia de Santo, que trabalhava na Famerp, comentou com ele que tinha uma vaga para vigilante no HB. Ele entregou um currículo e foi chamado; assim começa a história de Santo no HB e em São José do Rio Preto. Trabalhou como vigilante por aproximadamente 1 ano, depois se tornou encarregado do Cartão de Ponto por 9 anos; passou a ser responsável pelo setor de segurança onde ficou por 3 anos e há 15 anos está no comando da Manutenção Geral. “Não tenho o que falar de mal do HB, tudo o que eu tenho, foi aqui que eu conquistei”, conta. Santo acompanhou toda e evolução do HB nesses 28 anos. “Quando entrei para trabalhar no Cartão de Ponto o HB tinha 512 funcionários, nove anos depois quando eu sai já era mais de 1.600, hoje temos cer-

ca de 4 mil”, conta impressionado. Além de acompanhar de perto o crescimento do número de funcionários, Santo acompanhou também o crescimento de todo o complexo HB. “Antigamente tinha espalhado um monte de quiosques e a gente ficava lá jogando dama na hora do almoço. Alem dos quiosques também existiam vários tipos de plantações, ali onde hoje é o estacionamento era tudo plantação. Um dia descobrimos que tinha um ladrão de mandioca, eu e um amigo ficamos de tocaia o dia todo para pegar ele no flagra, e bem na “hora H” recebemos um chamado e tivemos que voltar para o serviço, o ladrão fugiu, mas nunca mais voltou”, conta aos risos. Hoje a logística do trabalho da manutenção é complexa, mas ao mesmo tempo, muitas melhorias aconteceram. “Antigamente a gente tinha que ligar a bomba d’água, e ficar esperando a caixa d’água transbordar para desligá-la, sem contar que de hora em hora tínhamos que ir até a caixa d’água pra verificar o nível, era um

transtorno, hoje as coisas modernizaram” diz Santo. Com tantos anos de casa, Santo cultivou uma verdadeira família dentro da instituição e principalmente em seu setor. Com 22 funcionários sob a sua supervisão ele sempre os orienta sobre a importância do diálogo. “Passo mais tempo com eles do que com a minha família de sangue, temos que estar sempre unidos” conclui ele.

Dobra o número de doações de órgãos e tecidos na região O número de doações de órgãos e tecidos na região de Rio Preto teve um aumento de 100% no 1° semestre de 2012, se comparado com o mesmo período do ano passado. A informação é da Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do Hospital de Base. No primeiro semestre de 2011, 55 famílias disseram sim a doação, já em 2012 esse número saltou para 111. O número de córneas doadas neste período do ano passado foi de 44, já em 2012 foi de 93 doações, que resultou em um aumento de 111%. Já as doações de múltiplos órgãos saltaram de 11 para 18, um acréscimo de 64%. Segundo o coordenador de captação de órgãos do Hospital de Base este significativo aumento se deve a conscientização da população. “A população está mais consciente e melhor informada e isto reflete na queda nas recusas de doações de órgãos”, diz Dr. Picolo. Ele comenta ainda que no ano passado foi intensificado o trabalho de educação continuada nos hospitais

da região, permitindo que os profissionais identifiquem potenciais doadores. “Queremos continuar com o trabalho de educação continuada dos profissionais de saúde através de aulas expositivas e cursos específicos para detecção e manutenção do potencial doador de órgãos. É fundamental a participação de todos, para difundir todos os passos do processo doação e transplante no país”, conclui Dr. Picolo. Revista do HB - Julho - 2012

11


NHE

COQUELUCHE

1. O que é? É uma doença infecciosa aguda transmissível que compromete o aparelho respiratório (traquéia e brônquios) e se caracteriza por paroxismos de tosse seca.

2. Qual o microrganismo envolvido? Uma bactéria chamada Bordetella pertussis.

3. Quais os sintomas? Acessos de tosse ( 5 a 10 tossidas) em uma única respiração, guincho, protusão da língua, cianose, apnéia e vômitos pós-tosse. Os casos da doença têm aumentado em diversos países, nos últimos anos. O contágio se dá pelo contato direto com a pessoa infectada ou por gotículas eliminadas pelo doente ao tossir, espirrar ou falar. A infecção pode ocorrer em qualquer época do ano e em qualquer fase da vida, mas acomete especialmente as crianças menores de dois anos. Principalmente nas crianças e nos idosos, ela pode evoluir para quadros graves com complicações pulmonares, neurológicas, hemorrágicas e desidratação. De acordo com dados recentes da OMS, houve aumento significativo dos casos de coqueluche em adolescentes e adultos no Brasil. Na América Latina, eles praticamente triplicaram em cinco anos. Casos de coqueluche costumam ser mais raros na vida adulta. Atualmente, a coqueluche vem sendo diagnosticada em profissionais de saúde. Portanto, tosse seca e contínua por mais de duas semanas em jovens e adultos pode ser sinal de que estão infectados pela bactéria Bordetella pertussis, apesar de terem recebido a vacina na infância ou de terem ficado doentes. A coqueluche é conhecida como tosse comprida.

4. Como se transmite? Ao falar, tossir ou espirrar.

5. Como tratar? Com antibioticoterapia , de acordo com a prescrição médica, de preferência a eritromicina por 14 dias sem interrupção. Prescreve-se também medicamentos sintomáticos e, se necessário, medidas de suporte à vida, incluindo internação.

6. Como se prevenir? Vacinação é o principal meio de controle. Crianças até sete anos devem ser vacinadas contra a coqueluche. Fonte: Ministério da Saúde

Fonte: SINAN-NET/FI/NHE-HB

Fonte: SINAN-NET/FI/NHE-HB

A coqueluche é uma doença de notificação compulsória. NOTIFIQUE O NHE/HB/FAMERP - Ramal 1380 12 Revista do HB - Julho - 2012

Revista hb julho 2012