Page 1

Págs. 8 e 9

Funfarme anuncia obras que concluirão Hospital Infantil e Maternidade

Ano X / Nº 122 - Fevereiro 2012

Anoni Estúdio

Funcionários usam transporte alternativo Bolsas de estudos 2012

Págs. 06 e 07

Págs. 14 e 15

Sambaralho completa 40 anos Pág. 16


Editorial

Sumário Iniciam obras de conclusão do Hospital Infantil e Maternidade

EDITORIAL

Nesta edição de fevereiro da Revista do HB, abordamos o início das modificações na obra do Hospital Infantil e Maternidade, falamos sobre o investimento do Governo, pela Secretaria de Saúde, as alterações do projeto e os benefícios que o hospital trará para nossa região. Também mencionamos os colaboradores contemplados com bolsas de estudos integrais e parciais, afinal, a instituição considera importante a atualização e o crescimento profissional. Um funcionário bem qualificado tem mais chances de crescimento e satisfação no trabalho. Destacamos ainda alguns comentários em nossas redes sociais. Felicitações e demonstrações de gratidão pelo serviço prestado no HB. Relatos emocionantes como o do paciente Wilson Donega que realizou um transplante de fígado há 1 ano e 5 meses. Alguns investimentos recentes também estão nesta edição da revista, além do resultado da última edição do Dia Clean, realizado em dezembro. Na página “Perfil”, vocês vão conhecer um pouco mais sobre a história de duas funcionárias que estão há muito tempo na instituição. São histórias reais e emocionantes. No início do mês de março, os residentes, estagiários e aprimorandos, de 2012, receberam as boas vindas e as orientações de conduta, confira algumas fotos no interior da revista. Conheça também um pouco mais sobre a história do Sambaralho, que completou 40 anos em fevereiro e saiba como perder calorias e se exercitar com a bicicleta na vinda ao trabalho. Na próxima edição iremos abordar o Dia Mundial do Rim, algumas inaugurações na instituição e muito mais.

Dr. Horácio José Ramalho – Diretor Executivo Funfarme/HB Dr. Jorge Fares – Diretor Administrativo HB

02 Revista do HB - Fevereiro - 2012

n

Editorial

02

n

Novos aparelhos de Ultrassom

03

n

Novo Asfalto

03 10

Semana de Integração FunfarmeFamerp n Resultado Dia Clean

n

n

05 05

Dispositivo de segurança

n

Eu vou de Bicicleta

06 a 07

n

Obras de Conclusão

08 e 09

n

Curso de Técnicos em Enfermagem

10 e 11 12

Recados no Facebook do HB

n

n

13

Perfil

Contemplados com Bolsa de Estudos n 40 anos de Sambaralho n

14 e 15 16

Expediente

Informativo Fundação Faculdade Regional de Medicina Ano X / Nº 122 Fevereiro - 2012 • Diretor Executivo Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luis E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo HB: Dr. Jorge Fares Vice-Diretor Administrativo HB: Dr. Newton Bordin Júnior • Diretor Clínico: Dr. Jorge Adas Dib • Vice-Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo • Diretor Técnico: Dr. He-

lencar Ignácio • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Produção Editorial: Intermídia Publicações – 17- 3353-2083 • Jornalista Responsável: MTB: 24.527 • Produção: Luis Fernando Neves • Diagramação: Roger Goulart • Colaboração: Camila Galvão • Impressão: Fotogravura Rio Preto • Tiragem: 2000 exemplares


Investimento

Hospital de Base de Rio Preto adquire três ultrassons de última geração O HB adquiriu três aparelhos de ultrassom de última geração, que oferecem aos médicos condições de realizarem procedimentos com mais precisão e segurança. O HB investiu R$ 465 mil para importar os equipamentos, utilizados nas UTIs, centro cirúrgico e emergência. Os ultrassons NanoMaxx são um sistema de ecografia portátil, totalmente digital, para aplicações específicas de alto desempenho. “Por mês são realizadas 70 punções venosas no centro cirúrgico. O ultrassom trouxe qualidade, segurança e eficácia. O uso desse aparelho virou protocolo, quando o paciente chega e tem que passar por uma punção, usamos o ultrassom, que resulta em mais tranquilidade para o paciente e para o médico”, diz Dra. Amália Tieco Sabbag, anestesista. O equipamento permite que o médico visualize as estruturas internas do corpo em imagens em duas dimensões (2D), exibidas num monitor. Para isso, basta ao médico passar sobre a superfície do corpo o transdutor (peça similar a um leitor de código de barras). O ultrassom pesa apenas três quilos, permitindo que seja transportado com facilidade e rapidez.

2600

metros de asfalto Foi executada a pavimentação de 2600 metros de asfalto na parte interior da área do Hospital de Base. O novo asfalto proporciona maior qualidade de trajeto aos pacientes que recebem alta hospitalar. “Com o asfalto, o paciente não precisa mais enfrentar trepidações e nem os caminhões de carga e descarga. Além disso, facilita o trabalho dos operacionais de serviço de apoio e menores aprendizes”, diz a engenheira Maria José. Outro ponto importante é a questão higiênica, o novo asfalto é muito mais fácil e rápido de ser higienizado.

Revista do HB - Fevereiro - 2012

03


Integração Funfarme – Famerp

Carta Gostaríamos de parabenizar a equipe de cozinheiras pelas refeições que estão sendo preparadas para o nosso plantão noturno, estão muito gostosas e bem temperadas e também pelas frutas da sobremesa.

Parabéns! Equipe da UTI geral SUS, plantão par.

Famerp e Funfarme realizam a semana de integração Do dia 01 ao dia 08 de março aconteceu a XVII Integração de residentes, aprimorandos e aperfeiçoandos da Famerp e Funfarme. A abertura contou com os membros da diretoria da faculdade e hospital e da Coreme e Coaprimo. Durante as palestras, os convidados conheceram um pouco do complexo Famerp-Funfarme-HB e discutiram temas importantes como: vigilância em saúde, relação médico x paciente, preenchimento de um atestado de óbito, humanização em saúde, prontuário médico, o papel da Sociedade de Medicina e Cirurgia, profilaxia e responsabilidade civil e criminal do médico.

04 Revista do HB - Fevereiro - 2012

Fotos: Simei Brito


Divulgação de Resultado

Resultado Dia Clean Em Dezembro foi realizada mais uma edição do Dia Clean, que contou com a colaboração dos funcionários de todo o complexo Funfarme/HB. Confira quais foram os melhores colocados e em que posição seu setor ficou no ranking de pontuação.

Segurança

em primeiro lugar

Com o trabalho conjunto de três áreas, elétrica, mecânica e serralheria foi elaborado um dispositivo de segurança para a centrífuga de roupas da lavanderia. Este dispositivo é 100% seguro. É composto de uma fechadura eletrônica que emite sinal para o detector de movimento que habilita ou desabilita a trava. O eletricista Willian Silva dos Anjos, o funcionário Valter Antônio Maria do setor de mecânica e o serralheiro Adalto Santos Paes foram os responsáveis pela elaboração do dispositivo que além de segurança para o funcionário possui tecnologia de ponta. Revista do HB - Fevereiro - 2012

05


DE B

V EU

Saúde

E BICICLETA...

ICICLETA...

OU D

As consequências do sedentarismo para a saúde incluem várias doenças, entra as mais conhecidas, o diabetes, a hipertensão,o sobrepeso, a obesidade, a osteoporose e até diversos tipos de câncer, além de um impacto na saúde mental, diminuindo a auto-estima, o bem estar, a sociabilidade, aumentando a ansiedade, o estresse e até depressão. Foi pensando nisso que alguns funcionários do HB resolveram abandonar de vez a vida sedentária e seus automóveis.

“O correto é adequar a atividade física a sua rotina, e não o contrário. Ir trabalhar de bicicleta é um exemplo muito bom de que é possível fazer exercícios sem alterar o nosso dia a dia.”

Incentivada pelo marido que é personal trainer Paula Marcela Candido, auxiliar de DP, a princípio não gostou muito da ideia do seu companheiro. “Achava que não tinha nada a ver eu vir de bicicleta para o trabalho”, conta Paula. Mas, depois de muita insistência e de um bicicleta nova, Paula finalmente cedeu aos pedidos do seu marido e há 3 anos vem trabalhar de bicicleta. “No começo chegava sem fôlego e muito cansada, hoje tudo mudou, não consigo vir trabalhar de outra maneira”, conta a auxiliar de DP. Por dia ela pedala aproximadamente 8Km e todo final de semana sai para pedalar na companhia do marido. Para inserir a atividade física na sua rotina, ela deixa o uniforme em seu armário. Quando chega vai ao banheiro, troca de roupa e trabalha normalmente, no final do expediente a rotina se repete. “Sempre deixo minhas coisas organizadas, é só chegar e se trocar é rapidinho” conta Paula.

“As pessoas precisam ter coragem e arriscar. Pedalar é um vício é só experimentar para não largar mais.”

Longe de uma vida sedentária, Eduardo Barbosa dos Santos, técnico em segurança do trabalho, sempre caminhava na represa, quando certo dia começou a observar as pessoas que andavam de bicicleta. Depois disso ele passou a observar que alguns funcionários do HB também faziam do ato de pedalar uma rotina, a partir daí ele resolveu encarar o desafio de deixar o carro na garagem. Tomada a decisão, ele comprou um bicicleta. “Quando contei para a minha mãe que eu ia trabalhar de bicicleta ela me chamou de louco”, conta Eduardo. “No começo eu quase desisti, minhas pernas doíam muito, mais persisti e agora é muito prazeroso” conta o técnico. Ele pedala há 2 meses, já perdeu 4,5Kg e empresta seu carro para a namorada ir trabalhar. “Não penso mais em usar meu carro”, conclui Eduardo.

Para o servente de pedreiro, Mateus Gonçalves dos Santos, pedalar é mais que um hábito saudável, é uma lei. “Não uso nenhum outro meio de transporte, faço tudo de bicicleta” conta Mateus. “Além da bicicleta ser um meio de se locomover prático, ela me ajuda a manter meu peso e sempre me deixa disposto” conta o servente que há 6 anos vem pedalando para o HB.

“Bicicleta pra mim é tudo, me ajuda em todos os aspectos. Com ela eu emagreço, meu coração continua saudável e não tenho nenhum gasto.”

06 Revista do HB - Fevereiro - 2012


Há um ano e meio Wilson dos Santos Gonçalves, técnico em raio-x, vem trabalhar de bicicleta. Incentivado por um amigo, ele resolveu de uma vez por todas abandonar o carro na garagem e sair do sedentarismo. “Quando resolvi comprar uma bicicleta e mudar minha rotina, todo mundo dizia que eu estava ficando louco”, conta Wilson aos risos. Quando começou a pedalar as dificuldades eram enormes. “Eu não tinha resistência física nenhuma, só não desisti porque eu trabalho na área de saúde e sei da importância de exercitar. “Pra mim pedalar faz bem para o meu corpo e para a minha alma”, conta o técnico em raio- X. Depois de superados os primeiros obstáculos tudo melhorou, seu condicionamento físico e sua saúde ganharam um novo fôlego a agora ele já pedala aproximadamente 28Km por dia. “Além de vir trabalhar de bicicleta, eu resolvo toda a minha vida com ela, praticamente não uso mais o meu carro.” conta Wilson. “Primeiro temos que pensar em nós, na nossa saúde. Depois é só tomar iniciativa.”

Quais os benefícios de vir de bicicleta para o trabalho? Tempo Quem pedala para o trabalho descobre que economiza tempo. Pode até ser mais rápido do que ir de carro. Além disso, o uso da bicicleta evita perder tempo preso no trânsito e à procura de vaga para estacionar. Como pedalar é um ótimo exercício, diminui a necessidade de se ter mais espeço na agenda diária para frequentar uma academia, por exemplo.

Economia Boa forma e saúde Exercitar-se é saudável. Pedalar pode ser um ótimo exercício cardiovascular, além de proporcionar benefícios para a circulação e o tônus muscular de suas pernas. Andar de bicicleta é um atividade física de baixo impacto, o que significa que é um bom exercício com baixo risco de lesões. Incluir exercícios em sua rotina diária o colocará em forma de modo mais fácil e prazeroso.

Bem-estar mental Pedalar é diversão! Andando de bicicleta o sangue é melhor bombeado para o cérebro. Ao chegar ao trabalho, um sensação de paz e tranquilidade invade sua mente. É a endorfina atuando muito mais enquanto você se exercita.

Após o investimento inicial na compra da bicicleta e dos equipamentos (tranca, capacete, luvas), pedala passa a ser o modo mais barato de transporte na cidade. Além da economia de comsbustível, a manutenção de rotina custa muito menos que os gastos com um automóvel. E você mesmo pode aprender a dar conta de boa parte desta manutenção.

Amigo do meio ambiente Bicicletas não utilizam combustíveis fósseis, não aumentam o efeito estufa, não emitem poluentes como monóxido de carbono, não contribuem para os altos índices de problemas respiratórios e não poluem as águas. O combustível? É aquilo que você come no café da manhã. Com a matéria-prima necessária para fabricar apenas um carro, poder ser produzidas várias bicicletas. Revista do HB - Fevereiro - 2012

07


HOSPITAL INFANTIL

HOSPITAL INFANTIL

Referência em Saúde

08 Revista do HB - Fevereiro - 2012

Funfarme inicia obr o Hospital Infantil


as que finalizam e Maternidade Anoni Estúdio

As obras que concluem o novo Hospital Infantil e Maternidade, administrado pela Funfarme, começaram na segunda quinzena de março, com previsão de serem concluídas até dezembro próximo. Para a realização das obras, o Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria de Saúde, disponibilizou R$ 26,8 milhões. A princípio o Hospital, que atenderá exclusivamente pacientes do SUS, seria referência somente para crianças, mas o Governo do Estado decidiu estendê-lo também para o atendimento às gestantes, assim, a obra precisou ser modificada. Concluído, o Hospital Infantil e Maternidade será um dos um dos maiores e mais modernos do Brasil. A Funfarme fará a construção da Central de Materiais e Esterilização, projeto inovador, totalmente automatizado, que possibilitará atividades mais precisas e sustentáveis, em uma área de 900 metros quadrados. A obra compreende também as novas cozinha e lavanderia, uma passarela de 180 metros de extensão, que ligará os dois hospitais, a ampliação da capacidade do parque de resíduos e a instalação de geradores de energia. A lavanderia terá sistema de aquecimento solar, portanto, sustentável, e equipamentos modernos que permitirão aumentar de 4,5 toneladas para 7 toneladas a quantidade de roupas lavadas, atendendo adequadamente as três instituições. O parque de resíduos, considerado modelo pelo Governo do Estado, terá a capacidade de processamento ampliada de 1 para 2 toneladas/dia. Segundo o diretor executivo da Funfarme, Dr. Horácio José Ramalho, o Hospital Infantil e Maternidade será um dos maiores do Brasil, ocupando uma área com mais de 18 mil metros quadrados, com 8 andares, além de térreo e subsolo. A instituição terá 81 leitos de UTI, sendo 42 leitos neo e semineonatal, 23 leitos de UTI cardiopediátrica e 16 leitos de UTI pediátrica, 33 leitos de maternidade (Ginecologia e Obstetrícia), 70 leitos de pediatria e 20 leitos de internação para o Centro de Reabilitação Lucy Montoro, totalizando 204 leitos e, a exemplo do Hospital de Base, será referência para atendimentos de média e alta complexidade. Revista do HB - Fevereiro - 2012

09


Complementação Acadêmica

Curso gratuito formará técnicos em enfermagem Candidatos devem ter certificação reconhecida de auxiliar de enfermagem

Uma parceria da Funfarme com o SENAC proporcionará a complementação acadêmica de 60 funcionários da instituição. Desde o dia 05 de março, 2 turmas de 30 alunos estão tendo aulas no curso de Técnico de Enfermagem, que é realizado dentro da instituição. O curso tem duração de 9 meses e o público-alvo são auxiliares de enfermagem da instituição que estejam em atividade nas áreas que são mais complexas de cuidados, como centro cirúrgico, UTI, emergência, hemodiálise, hemodinâmica, pronto atendimento e unidade de transplantes. Nos últimos meses, mais de 400 profissionais da instituição foram promovidos de auxiliar para técnico de enfermagem, resultando em uma valorização pessoal e profissional para o colaborador. “Quando iniciamos em um curso, principalmente na área da saúde, devemos saber que é a primeira, de várias especializações que teremos de ter. Temos sempre que estar atualizando nossos conhecimentos”, conclui Maria Regina Jabour, Gerente Administrativa.

10 Revista do HB - Fevereiro - 2012


“Eu particularmente fico muito feliz de ver nossos profissionais se atualizando. Novos conhecimentos são sempre tão importantes, principalmente com a tecnologia que está em constante mudança”, Maria Regina, Gerente Administrativa.

Funcionário há 20 anos do HB, Brenão, que a princípio era atendente, foi contemplado com um bolsa de estudos para o curso de Auxiliar de Enfermagem em 1996. Fez o curso, se aprimorou e passou a trabalhar na UTI pediátrica. Hoje, 15 anos depois, Brenão ganhou outra bolsa, desta vez para Técnico em Enfermagem. “Ganhei a bolsa de estudos, o material e os livros, não tenho palavras para agradecer o HB. Tudo o que sei devo ao hospital”, conta o futuro técnico em enfermagem.

Revista do HB - Fevereiro - 2012

11


MĂ­dias Sociais

12 Revista do HB - Fevereiro - 2012


Perfil

“ O amor que eu tenho pela minha casa eu tenho pelo HB”

Aurora de Freitas Gasparini trabalha há 24 anos no HB. Desde quando ela era jovem trabalhava como costureira. “Já estava cansada de trabalhar com costura quando certo dia resolvi entregar um currículo no HB para trabalhar na copa, mas, só tinha vaga para o setor da costura, ainda bem, porque eu amo o que eu faço”, conta Aurora. Quando ela entrou no HB, o fluxo de pacientes era menor e o ambiente era bem diferente do atual. “Aqui onde hoje é a costura era tudo eucalipto, tinha quatro quiosques que usávamos para almoçar e conversar com os colegas de serviço”, lembra a costureira aos risos. Todo esse tempo trabalhando aqui no HB fez nascer em Aurora um enorme carinho pelo hospital e pelo setor que trabalha. “Cuido daqui como se fosse minha casa, se eu vejo luz acessa, apago; se alguma amiga minha precisa de mim eu corro ajudar. Amo esse lugar, amo as pessoas que trabalham comigo”, conta. No ano de 2004 Aurora quebrou o braço e ficou nove meses afastada. “Foi muito ruim não poder trabalhar, chorava todos os dias de saudades”, diz. “Sempre que penso no Hospital de Base me emociono, porque foi daqui de dentro que eu tirei o sustento de toda minha família”, conta. Há 2 anos para se aposentar a costureira já sente saudades do trabalho. “Só não continuo a trabalhar depois de aposentar porque realmente não pode”, conta Aurora aos risos.

“A minha família é o HB” Há 26 anos, Neide Aparecida dos Santos entrava para o quadro de funcionários do HB. “Quando entrei aqui, não tinha asfalto, vinha para o hospital com dois pares de sapatos, usava um e assim que chegava colocava o outro de tanta terra que tinha no meio do caminho” conta Neide aos risos. Casada há 20 anos e mãe de 4 filhos, a auxiliar de enfermagem já superou vários desafios. Entre eles, um câncer na tireoide descoberto em 2008. “Graças a minha família e principalmente graças aos meus amigos de trabalho eu venci essa luta”, agradece Neide. Um outro desafio foi um acidente automobilístico que ela sofreu há 17 anos e mais uma vez seus amigos do HB entraram em ação e lhe deram o maior apoio. “Todas as pessoas, sem exceção, me ajudaram. Sou muito grata a todos”. Sempre muito atenciosa com as pessoas, todo o Ambulatório a conhece. “Já passei por todos os setores, conheço cada cantinho desse lugar, amo todo mundo”, conta Neide. Mas, para quem pensa que toda essa atenção é só para os funcionários, se engana, Neide também recebe carinho de seus pacientes. “Sou extremamente apegada aos meus pacientes, me dedico 100% a eles”, conta auxiliar de enfermagem. O segredo da alegria de Neidinha, como é carinhosamente conhecida, está na oração. Todos os dias, assim que sobra um tempinho, ela pega sua bíblia nas mãos e ora por todos seus pacientes, amigos de serviço e por sua família. “Tenho Deus comigo o tempo todo, rezo por todos sempre”, conta.

Revista do HB - Fevereiro - 2012

13


Educação Corporativa

Funfarme contempla 96 funcionários com bolsas de estudo A Funfarme, em parceria com Instituições de Ensino de Rio Preto e Mirassol, beneficiou este ano 96 colaboradores com bolsas de desconto ou integrais. O benefício faz parte do programa de Educação Coorporativa da instituição, que visa o crescimento profissional de seus funcionários. O programa mostra a responsabilidade social, visto que, ele permite o desenvolvimento não só da empresa, mas também da integração social do profissional, ao favorecer o crescimento e desenvolvimento de habilidades nos aspectos, cognoscitivos, políticos e sociais. Para usufruir do benefício, primeiro, o funcionário precisa optar por um curso na área da saúde ou administrativo, visando um crescimento profissional dentro da empresa, depois ele passa pelas etapas de avaliação. O processo é realizado em 4 etapas, com avaliação de conhecimentos gerais, entrevista comportamental, avaliação do gestor e avaliação do prontuário do funcionário. “Nós investimento em nossos colaboradores, visando um cres-

cimento profissional e um retorno em forma de conhecimento para agregar valor à instituição”, afirma Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme. Foram distribuídas 29 bolsas para nível técnico e 67 para o nível superior. O benefício para os funcionários que estão cursando o nível superior varia de acordo com a avaliação final e é válido por 12 meses, após este período, o funcionário pode participar novamente do processo e conquistar mais 12 meses. Para os funcionários que estão cursando o nível técnico a bolsa é integral durante todo o período do curso. Este ano, o processo de seleção de bolsistas passou por reformulações com o objetivo de beneficiar mais colaboradores, com melhor qualidade. No processo anterior, só quem já estava estudando poderia participar. Hoje o funcionário já sabe se conquistou o benefício antes mesmo do início das aulas - Uma segurança a mais no orçamento familiar.

Ericson Henrique Tagliari Dias. Está no 3° ano de administração na UNIRP.

“Ajuda muito no orçamento, é uma iniciativa que motiva o funcionário a sempre querer mais conhecimento.”

14 Revista do HB - Fevereiro - 2012

Jéssica Chagas Montoro - Funcionária da hemodiálise. Faz Enfermagem na UNIRP, está no último ano.

“Sinto-me privilegiada por trabalhar em uma empresa que apóia e incentiva o funcionário a realizar sua carreira profissional. Estou muito motivada e agradecida pela contemplação desta bolsa de estudo.”


Wesley Ramios Lourencin. Está no 3° ano de administração na FACERES.

“Esta iniciativa do HB estimula o funcionário a sair em busca de novos conhecimentos, é um investimento muito bom.”

Evelin Carla Lopes. Está no 4° ano de farmácia na UNIRP.

Edilucia Pereia da Silva, Funcionária da UCOR. Cursa Serviço Social na FACERES, está no último ano.

“É muito gratificante para o funcionário receber essa bolsa de estudo. É a realização de um sonho na área profissional. Esta iniciativa do HB contribui para a nossa formação e ajuda muito no orçamento.”

“Ajuda muito no orçamento. É um incentivo muito grande para o funcionário.”

Revista do HB - Fevereiro - 2012

15


Cultura

40 anos de Sambaralho No dia 10 de fevereiro de 2012, pela quadragésima vez, foi festejada a tradicional folia Sambaralho, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. A festa contou com muitos alunos da Medicina da FAMERP e muito apoio de ex-alunos, o que foi fundamental para mais um sucesso. Tudo começou há 40 anos, quando moradores de uma república, que eram estudantes de medicina, resolveram divertir-se nas vésperas do carnaval. Diz “a lenda” que, no meio de um jogo de baralho, esse grupo de estudantes, que hoje são figuras importantes da Saúde de Rio Preto, resolveu que quem perdesse a partida deveria vestir-se de mulher e sair fantasiado pelas ruas. A pequena passeata começou a ocorrer por algumas vezes mais, devido à diversão que a primeira e espontânea brincadeira proporcionou. Eles não contavam com a participação feminina, até que uma menina, amiga do grupo, fantasiou-se e entrou na brincadeira sem que os garotos percebessem. Daí em diante, o embrião do Sambaralho só cresceu e ganhou importância. Tornou-se a festa que abria o carnaval de Rio Preto, com muitos alunos andando travestidos pelas ruas, ou seja, com a participação das meninas vestidas de meninos e os meninos, de menina. A marcha passou a ser organizada

16 Revista do HB - Fevereiro - 2012

pelo Centro Acadêmico Euryclides Zerbini (CAEZ), órgão representativo dos estudantes de Medicina da FAMERP. O evento ganhou um trio elétrico e uma festa que se realiza tradicionalmente no Centro do Professorado Paulista (CPP) de Rio Preto. Na edição deste ano, o CAEZ conseguiu contatar e convidar os membros fundadores do Sambaralho “Recebemos o Dr. Horácio, o Dr. José Pardo Filho e o Dr. Mário Abudd Filho na quadra da faculdade, onde foram entregues homenagens na forma de uma camiseta comemorativa e de um certificado, como símbolo de agradecimento pelo grande patrimônio cultural que nos foi por eles deixado”, diz Gabriela Gouvea Silva – Coordenadora sócio-cultural do CAEZ- graduando do segundo ano de Medicina na Famerp. Após a marcha atrás do trio, debaixo de forte chuva, que não desanimou os foliões, a festa realizada no CPP teve como tema “Alice no País das Maravilhas”, com uma decoração especial e contou com a parceria de empresas como a Impacto Ticomia. Houve também o concurso de fantasias durante a festa, contando com o Dr. Carlos Abib Cury, o Dr. Alcides Pinto de Souza Junior e José Roberto dos Santos, amigo da Medicina FAMERP, para dizer o mínimo, como jurados.

Revista hb fevereiro 2012  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you