Page 1

“ Ano X / Nº 128 Agosto - 2012

Geraldo Alckmin, Governador do Estado de São Paulo

Em visita ao HB, o Governador Geraldo Alckmin anuncia investimentos, ladeado pelo Diretor Executivo da Funfarme, Dr. Horácio Ramalho, e o Diretor Administrativo do HB, Dr. Jorge Fares

Estado libera R$ 25 milhões para modernização do HB Pág. 6 e 7

Não tem no Brasil um hospital com a excelência e o baixo custo do HOSPITAL DE BASE DE RIO PRETO. É o melhor custo-benefício. O mesmo argumento vale para a FAMERP. É o dinheiro público mais bem empregado.


Editorial

Investimento em hospital universitário

Sumário Editorial

02

n

SIPAT 2012

03

n

Arquivo Geral e Perfil

04

n

Novo SVO

05

n

Investimento na Saúde

n

Educação Alimentar

08

n

Equipe TO

09

n

CIP: Trabalho Científico

10

n

Prevenção com medicamentos

10

n

Munhoz e Mariano

11

n

NHE

12

n

Toda a comunidade HB recebeu com grande alegria a notícia sobre o projeto do Governo do Estado de São Paulo que irá revitalizar e modernizar os hospitais de ensino e universitários. Nesta primeira etapa do projeto, a Secretaria de Saúde do Estado liberou R$25 milhões, que serão investidos para modernizar nossa instituição, que vai desde a compra de equipamentos até reformas, construções e ampliações.

EDITORIAL

Nossa instituição atende uma região que abrange 102 municípios,

com uma população de 2 milhões de habitantes, resultando muitas vezes em falta de leitos de emergência, enfermaria e UTI; limitações de exames de alta complexidade e vagas no Centro Cirúrgico. Esse importante investimento assegura a ampliação do nosso

atendimento, modernização de salas e novos equipamentos, que resultam em um atendimento mais rápido e humanizado. Além disso, todos ficaram lisonjeados com as palavras do Gover-

06 e 07

nador do Estado de São Paulo, Dr. Geraldo Alckmin, que disse no dia 25 de agosto, em quanto anunciava o valor da verba, que “Não tem no Brasil, um hospital com a excelência e o baixo custo do

Expediente

HOSPITAL DE BASE DE RIO PRETO. É o melhor custo-benefício .

Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME)

O mesmo argumento vale para as Faculdades de Medicina e Enfermagem. É o dinheiro mais bem empregado. Este trabalho que vem

sendo desenvolvido pelo Governador do Estado, Geraldo Alckmin, pelo Secretário de Estado da Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri e pelo secretário de Estado da Saúde em exercício, José Manoel de Camargo Teixeira é essencial para prestarmos um bom serviço para a população e preparar futuros médicos e enfermeiros com o que há de mais moderno em saúde.

Diretoria Funfarme/HB

02 Revista do HB - Agosto - 2012

Ano X / Nº 127 Julho - 2012 • Diretoria da Funfarme/HB: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luis E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo HB: Dr. Jorge Fares Vice-Diretor Administrativo HB: Dr. Newton Bordin Júnior • Diretor Clínico: Dr. Jorge Adas Dib • Vice-Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo • Diretor Técnico: Dr. Helencar Ignácio

• Vice-diretor técnico: Dr. Helder Sanchez • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Produção Editorial: Intermídia Publicações – 17- 3353-2083 • Jornalista Responsável: MTB: 24.527 • Produção: Luis Fernando Neves • Diagramação: Roger Goulart • Colaboração: Camila Galvão • Impressão: Fotogravura Rio Preto • Tiragem: 2000 exemplares


SIPAT 2012

Revista do HB - Agosto - 2012

03


Meu Setor

HB estrutura Departamento de Arquivo Geral

Guardar documentos nem sempre é uma tarefa fácil, o que exige, sobretudo, organização detalhada e senso de importância, já que perdê-los pode trazer graves consequências. É comum as pessoas terem dificuldade em localizar documentos no momento em que mais precisam e para instituições grandes como o HB, a organização e a fácil localização de um documento é essencial para garantir a consecução de seus objetivos. Pensando nisso, a direção da Funfarme criou um departamento de Arquivo Geral que fica localizado fora da instituição para guardar todos os tipos de documentos que vai desde prontuários médicos e arquivos inativos até registros de departamento pessoal, pedidos de exames, blocos, laudos, lâminas patológicas, exames radiológicos, processos jurídicos e ofícios, entre outros. O setor foi planejado para facilitar a localização e organização dos documentos, para isso, tudo é registrado em sistema. A adoção de técnicas arquivísticas adequadas permite não apenas a localização eficiente da informação desejada, mas também a economia de recursos para a insEquipe do Arquivo Geral tituição. A equipe, que é composta por 1 encarregado, 1 auxiliar administrativo e 1 menor aprendiz, faz a organização dos documentos e cadastro e depois os guarda nos locais previamente selecionados pelo sistema; quando o documento é solicitado, o próprio sistema faz uma busca e indica onde o documento foi armazenado. Encontrado, o arquivo é enviado por transporte ou digitalizado e enviado por e-mail. A equipe é composta por 3 pessoas, sendo 1 encarregado, 1 auxiliar administrativo e 1 menor aprendiz. Muitos documentos já estão sendo digitalizados e armazenados em arquivos virtuais, acompanhando assim a modernização desta área e proporcionando mais segurança e agilidade.

“26 anos no Raios-x”

Eduardo Castilho, técnico em raios-X veio trabalhar no HB em uma época em que todos não acreditavam no futuro da instituição. “Quando entrei aqui no HB pra trabalhar poucas pessoas acreditavam na evolução da instituição, hoje esse hospital se tornou uma potencia”, conta. Há 26 anos ele trabalha no setor de raios-X. Acompanhou todas as mudanças e adequações que o setor passou. “Antigamente o raios-X ficava no térreo, depois passou a ser no subsolo, otimizando o fluxo de atendimento dos pacientes” conta. Eduardo se orgulha muito de evolução do setor. “A aparelhagem antiga era horrível, vivia quebrando tínhamos que criar alternativas pra realizar os exames, hoje a realidade é outra, os equipamentos melhoraram muito e em breve novos chegarão”, diz o técnico. As lembranças do passado também são muitas, Eduardo se lembra da crise que o hospital passou na década de 80 e sobre o quanto que ele lutou junto com outros funcionários para não fechar a instituição. “A crise que o HB passou foi uma prova de fogo pra todos nós que trabalhávamos aqui na época, lutei e lutarei quantas vezes for preciso” conta. Casado e pai de uma filha, Eduardo é referência para os recém contratados do setor. “Conheço todo mundo, o dom de transmitir conhecimento é muito importante, somos uma família, passo a maior parte do meu dia aqui com eles”, diz Eduardo.

04 Revista do HB - Agosto - 2012


Novo SVO

Rio Preto tem novo Serviço de Verificação de Óbitos A cidade realiza mais de 100 autópsias e necropsias por mês O Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) da Famerp foi reinaugurado no dia 10 de agosto, na Faculdade de Medicina. A Funfarme (Fundação Faculdade Regional de Medicina), através do Governo Federal, investiu mais de R$500.000,00 em obras e equipamentos. Entre eles, nova câmara fria com capacidade para 6 corpos, balança eletrônica digital, nova mesa de autópsia e alarme de temperatura. O novo espaço ganha o nome do Professor Dr. Aluyzio de Mendonça Costa, profissional tão importante na história da medicina de Rio Preto. Ele foi professor da Famerp desde a 1ª turma de Medicina e ficou muito emocionado com a singela homenagem. Autoridades como Deputado Orlando Bolçone, Dr. Pedro Teixeira – presidente do Cremesp, Dr. Manoel Carlos Libânio dos Santos – IML Rio Preto, Dr. Horácio José Ramalho – Diretor Executivo Funfarme/HB, Dr. Dulcimar – vice-diretor da Famerp e Dr. Jorge Fares -Diretor Administrativo HB - marcaram presença. “Esta modernização nos permite melhorar cada vez mais a conservação do corpo, o que resulta em laudos cada vez mais precisos”, explica o engenheiro Rodrigo. Na cidade são realizadas mais de 100 autópsias todos os meses, sendo cerca de 60 no SVO e 50 no Instituto Médico Legal (IML). O SVO é referência para toda a região, ou seja, para 101 municípios e realiza autópsias de morte natural de causa desconhecida e doenças compulsórias a esclarecer, como Dengue e H1N1. “É muito importante termos um Serviço de Verificação de Óbitos bem equipado e moderno, isto contribui na qualidade do trabalho de nossos colaboradores e dos laudos”, conclui Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme/HB.

Autoridades visitam as novas instalações

equipe SVO

Você sabia? Que é para o Serviço de Verificação de Óbitos que vão as pessoas com morte suspeita de Dengue, H1N1, Leishmaniose e outras doenças de notificação compulsória? Amostras serão retiradas e enviadas para os institutos especializados, com finalidade de esclarecer a causa da morte.

Colaboradores prestigiam o evento Revista do HB - Agosto - 2012

05


Investimento e Modernização

Saúde libera R$ 25 milhões para modernização do HB Recursos fazem parte do Projeto de Modernização dos Hospitais Universitários A Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo liberou no dia 25 de agosto, R$ 25 milhões em investimentos para a modernização do Hospital de Base. O recurso será investido em compra de equipamentos, obras, reformas e ampliações. Serão adquiridos novos e modernos aparelhos como ressonância magnética, tomografia computadorizada, raios-x digital, ultrassom e cardioversores. “São investimentos importantes e expressivos, que irão assegurar a ampliação da assistência e instalações modernas, dentro do princípio de regionalização do atendimento em saúde, que é um dos nossos principais objetivos”, afirma o secretário de Estado da Saúde em exercício, José Manoel de Camargo Teixeira. Dr. Horácio José Ramalho explica que esta verba é essencial para melhorar o atendimento prestado aos pacientes do Noroeste Paulista. “Nós atendemos uma região de 102 municípios, com cerca de 2 milhões de habitantes e estamos sempre em busca de oferecer uma melhor estrutura, com equipamentos modernos, que resultam em um melhor atendimento, porém o que a gente produz só dá para pagar as nossas contas e são investimentos como estes que possibilitam melhorias”. O Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin esteve presente na

“Esse investimento é extremamente importante e vai permitir à instituição solucionar diversos problemas crônicos existentes, tais como limitações de determinados exames mais complexos, mais tecnologia no centro cirúrgico, melhoria da emergência e adequação de vagas na UTI” Dr. Jorge Fares, Diretor Administrativo HB

06 Revista do HB - Agosto - 2012

unidade para anunciar o investimento e não poupou elogios à instituição. “Não tem no Brasil, um hospital com a excelência e o baixo custo do HOSPITAL DE BASE DE RIO PRETO. É o melhor custo-benefício . O mesmo argumento vale para as Faculdades de Medicina e Enfermagem. É o dinheiro mais bem empregado”, concluiu o governador. Dr. Humberto Liedtke Junior, diretor geral da Famerp, explica a importância deste recurso para a formação dos estudantes de Medicina e enfermagem. “Novos equipamentos vão contribuir ainda mais para aprimorar a formação dos estudantes de medicina e enfermagem. É no HB que os futuros profissionais vivenciam na prática situações que tomam conhecimento em sala de aula. Investimento que traz benefício em dobro para a população”, conclui.

“O investimento no hospital universitário e, o papel de extrema importância que o secretário de estado da Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri, vem desenvolvendo com o nosso hospital, está sendo fundamental para melhorarmos a qualificação dos futuros médicos e enfermeiros e oferecer o que há de mais moderno e com qualidade para nossa população” Dr. Humberto Liedtke Júnior, Diretor Geral da Famerp


Investimento e Modernização

Resumo do Projeto de Revitalização e modernização do HB Ampliação e adequação da Emergência (área de 3.554 m2) Atualmente com média de 5.000 atendimentos por mês, a emergência do Hospital de Base funciona com política “vaga zero” e participa das redes de atendimento padronizado para acidente vascular cerebral (AVC), doenças cardíacas, traumas, entre outras ocorrências. “A ampliação possibilitará ao HB oferecer um ambiente ainda mais acolhedor e humanizado, além de permitir atender 20% mais pacientes do que atualmente”, afirma Dr. Horácio José Ramalho, Diretor-Executivo da Funfarme. Principais equipamentos a serem adquiridos: sistema de monitorização para pacientes, ventiladores pulmonares para transporte, cardioversores, macas especiais, entre outros. Prazo de obra: 12 meses

“A gente recebe um grande número de pacientes de toda região e isso resulta em falta de espaço físico, por isso temos que adequar essa realidade que vivemos hoje. Com mais espaço físico e novos equipamentos, teremos melhores condições de trabalho, com atenção ao atendimento humanizado.”. Dr. Paulo Espada

“Nosso sonho é aumentar e modernizar cada vez mais a emergência, para assim, melhorarmos o atendimento prestado.”, Dra. Fernanda Quintino

Ampliação e adequação das UTIs (área de 1.390 m2) Referência para todo o Noroeste Paulista, as UTIs do Hospital de Base ampliarão o número de leitos de 101 para 123, ao mesmo tempo em que ocorrerá a adequação dos 101 já existentes. Estas unidades oferecem suporte fundamental a todas as áreas em que o HB é referência, como trauma, cardiologia, neurocirurgia, vascular, transplantes e cirurgias de alta complexidade. Principais equipamentos a serem adquiridos: ventiladores pulmonares; estativas (suporte de instalações centralizadas de gases medicinais e equipamentos), camas elétricas especiais e centrais de monitorização de pacientes, Prazo de obra: 18 meses

“Com este recurso teremos aumento no número de leitos e de mais espaços entre eles, o que resulta em mais conforto e mais humanização, além da reforma da UTI da Neurocirurgia. Vivemos sempre no sufoco, em busca de vaga na UTI. Temos que refletir que esse aumento de internações em UTI está acontecendo no Brasil todo, pois há um aumento na expectativa de vida e isso resulta em uma maior quantidade de pessoas idosas e também há aumento de cirurgias de alta complexidade.” Dra. Suzana Lobo

Construção do Centro de Diagnósticos por Imagem (área de 7.500 m2) Ampliar e centralizar o Centro de Diagnósticos por Imagem da Instituição permitirá o aumento do número de exames dos atuais 23.000 para 40.000 mensais, além de oferecer atendimento ainda mais humanizado aos pacientes. Principais equipamentos a serem adquiridos: ressonância magnética, tomografia computadorizada, raios X digital e aparelhos de ultrassom. Prazo da obra: 24 meses

O investimento possibilitará agilizar o atendimento aos pacientes, melhorar a qualidade de imagem e consequentemente gerar um diagnóstico mais preciso”. Prof. Dr. Marcos Pontes Muniz, Gianna Matheus

Gianna e Dr. Marcos Pontes

Ampliação e reformulação do Centro Cirúrgico (área de 2.700 m2)

Dra. Amália mostra nova portas eletrônicas com leitor de mãos

Nova sala de recuperação

“Vamos aumentar a qualidade do serviço prestado à comunidade e dar mais segurança ao médico e pacientes, com instalação de senhas inteligentes e aparelhos modernos. Será um Centro Cirúrgico de alta tecnologia; alto padrão, único em nossa região.” Dra. Amália Tieco

A ampliação e a reformulação do setor vão possibilitar maior produtividade e segurança aos pacientes e usuários através da mais alta tecnologia em equipamentos hospitalares (salas integradas, equipamentos seguros e eficientes). Ao final das obras, o Hospital de Base terá um dos centros cirúrgicos mais modernos e bem equipados do interior paulista, com 27 salas, o que vai permitir o aumento de 2.200 para 3.500 cirurgias por mês. Principais equipamentos a serem adquiridos: racks para vídeo cirurgia com ópticas especiais, mesas cirúrgicas, aparelhos de anestesia, focos cirúrgicos com tecnologia LED e estativas (suporte de instalações centralizadas de gases medicinais e equipamentos). Prazo da obra: 12 meses Revista do HB - Agosto - 2012

07


Grupo de Educação Alimentar

Perder peso e ganhar saúde

Grupo reunido e motivado

Todo mundo sabe que a obesidade é um mal, que a cada dia que passa acomete mais e mais pessoas. Hipertensão arterial e diabetes são alguns exemplos de doenças que a obesidade ocasiona. Pensando em todos esses perigos, a equipe de nutrição do HB criou o grupo Viva Saudável, que visa orientar os colaboradores sobre a importância de inserir no nosso dia a dia hábitos saudáveis. No dia 17 de agosto, o grupo Viva Saudável realizou uma triagem com os funcionários que estavam acima do peso. Formando assim, grupos de orientação. Inicialmente foram formados dois grupos de 15 funcionários. Os encontros acon-

tecem no anfiteatro da emergência SUS, as sextas-feiras das 11 as 12h, a cada 20 dias. Na primeira reunião a equipe foi apresentada e os objetivos do grupo foram expostos. Os 10 passos para uma alimentação saudável foram discutidos e dúvidas foram esclarecidas. Em todos os encontros os participantes serão pesados para verificar a evolução do seu peso. O grupo terá também a participação de psicólogos e fisioterapeutas, para auxiliar num melhor resultado, orientando sobre a prática de atividade física e do controle de ansiedade e compulsão alimentar.

A previsão de acompanhamento é de seis meses, porém se os objetivos não forem atingidos o colaborador poderá continuar participando, desde que tenha uma boa adesão. O grupo é coordenado pelas nutricionistas Fabiane e Camila que ao longo dos encontros incentivarão os integrantes a consumirem alimentos saudáveis oferecendo aos integrantes preparações naturais para estimular os bons hábitos. Caso algum funcionário tenha interesse em participar, poderá entrar em contato com as nutricionistas Fabiane ou Camila nos ramais 1411 ou 1579 para verificar a disponibilidade do grupo.

Um exemplo de força de vontade

Colaboradora Fátima durante o expediente

08 Revista do HB - Agosto - 2012

Tímida, esforçada e muito dedicada, é assim que Fátima Maria dos Santos é reconhecida pelos seus amigos de trabalho. Amigos estes de longa data, afinal Fátima já está há 31 anos trabalhando no HB. Quando ela entregou seu currículo, a princípio foi chamada para trabalhar no setor de limpeza, onde ficou por oito anos. Então ela soube que havia uma vaga para trabalhar no banco de sangue. “Assim que eu soube da vaga demonstrei interesse e graças a Deus deu tudo certo” conta Fátima. Para facilitar a transferência, Fátima se formou em auxiliar de enfermagem. Depois da vaga no banco de sangue ser conquistada ela continuou se dedicando a profissão.“Já cheguei a viajar pro Mato Grosso só pra colher sangue pra suprir a demando aqui do hospital” conta. Com a inauguração do hemocentro em julho de 2012, Fátima passou a integrar a equipe de fracionamento de bolsas. “Amo o que eu faço, quando a minha aposentadoria sair eu vou sentir muita falta daqui” diz. Guerreira no serviço e em casa. Mesmo enfrentando várias dificuldades em casa, com sua mãe e seu irmão doentes além de um filho pra criar, Fátima nunca deixou que seus problemas pessoais interferissem na sua vida profissional. “Gosto muito dos meus amigos de trabalho, formei uma segunda família aqui” conta com os olhos cheios d’água.


Equipe Premiada

Equipe de TO do HB é destaque em Simpósio

Com o trabalho intitulado “Qualidade de vida e sobrecarga dos cuidadores de pacientes com epilepsia” as terapeutas ocupacionais Natalia Molinari, Vania Paulino e Mayra Bianchin ficaram em primeiro lugar dentre os 15 trabalhos apresentados no 4° Simpósio de Terapia Ocupacional – Saúde Mental e suas interfaces que ocorreu entre os dias 02 e 05 de julho de 2012 na UNESP – Campus de Marília. “Avaliamos por um ano os cuidadores durante as consultas, foi um trabalho detalhado e muito importante” conta Mayra. Para a elaboração do trabalho a equipe contou com o apoio da médica Lucia Helena Marques responsável pelo ambulatório de Epilepsia do HB. Parabéns!

Carta de Agradecimento Meu nome é Valério Graciano, nasci em Rio Preto em 31 de outubro de 1960, porém logo quando criança eu e a minha família mudamos para a capital São Paulo. Em 1988, após morar em Londres, conheci e casei com uma gaúcha, onde vivi até 2011; minha família toda é de São José do Rio Preto. Resumindo, estava eu na linda represa que possuímos em nossa cidade e por uma “molecagem” resolvi subir em uma árvore para pegar uma semente pra levar ao Sul. Escorreguei de uma altura de 4 metros. Resultado: fratura no calcâneo, estraçalhando totalmente o meu tornozelo. Imediatamente chamei o Samu que em 5 minutos chegou onde eu estava. Levaram-me para o Hospital de Base onde fui rigorosamente examinado com o maior profissionalismo e delicadeza. Foi diagnosticado que deveria passar por procedimento, ou seja, eu tinha que operar para colocar placas e pinos no pé. E isto foi feito, o pós operatório (dolorido) porém sempre muito bem atendido por todos, amenizaram a minha dor. Hoje eu vou sempre na UPA Jaguaré para curativos, ou a UBS Jaguaré para retirar remédios contra dores e ataduras, etc. Sempre muito bem atendido. Como rio pretense, posso falar a todos que tenho ORGULHO do tratamento dado aos pacientes e necessitados deste órgão. Parabéns e continuem assim. Muito obrigado. Valério Graciano.

Revista do HB - Agosto - 2012

09


Cotidiano

CIP incentiva trabalhos científicos

C.E.P. alerta funcionários para os principais cuidados na prevenção de erros de medicação

Nos dias 15 e22 de agosto, 200 pessoas foram até o anfiteatro Fleury, da Famerp, assistir ao I Curso elaborado pelo CIP – Centro Integrado de Pesquisa – intitulado “Como elaborar um projeto científico” ministrado pelo professor doutor Mauricio Nassau Machado, cardiologista do HB, que abordou o tema: elaboração de banco de dados para projetos científicos. Segundo a coordenadora médica do CIP, Dra. Lilia Nigro Maia, toda pesquisa para ser bem feita deve ser bem planejada. “O nosso principal objetivo é incentivar a pesquisa clínica na instituição, por isso, neste curso e nos próximos que virão iremos abordar os temas básicos para a execução de uma boa pesquisa” conta a coordenadora. Embalagens de medicamentos parecidas e medicamentos distintos. Esta é uma das preocupações que acompanham diariamente os profissionais da saúde. Visando evitar possíveis erros o CEP – Centro de Educação Permanente do HB – junto com o superintendente Osmar Silva, convidaram o enfermeiro Dirceu Carrara, representante da empresa Baxter, para ministrar a palestra “Prevenção de erros de medicação e infecções em sistemas de infusão” voltada para os profissionais de enfermagem. “É muito importante conscientizar os profissionais em eventos como este, pois eles são os principais multiplicadores de conhecimentos aqui no hospital”, diz o superintendente Osmar Silva. Ao todo 248 colaboradores participaram do evento, que aconteceu no período da manhã e da tarde. “Eventos como este, fazem parte das estratégias adotadas pelo CEP que visa capacitar nossos profissionais melhorando assim, o atendimento aos usuários”, afirma Ilza Zborowski, supervisora do CEP.

Vem aí Outubro Rosa 2012! Pelo segundo ano consecutivo o Instituto do Câncer do Hospital de Base irá participar do Outubro Rosa, que tem por finalidade principal despertar o interesse dos funcionários para a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, aumentando assim, a expectativa de cura. Participe você também!

Outubro Rosa 2012 – Todos com o coração na mama. 10 Revista do HB - Agosto - 2012


Surpresa após transplante

A dupla Munhoz e Mariano se veste de médico para fazer uma surpresa à fã internada no HB

A história de Geovana Fernanda Dias, de 13 anos, ficou conhecida após o jornal Diário da Região publicar uma matéria contando sobre a história da pequena, que há mais de 9 anos lutava para sobreviver e o sonho de conhecer a dupla mais querida do Brasil no momento. Só que seu novo rim chegou no dia 31 de setembro, faltando poucos dias para o show da dupla na cidade. A pequena não queria perder o show e nem o novo órgão e questionou a equipe médica sobre uma possível alteração de data no transplante, mas não teve jeito, Geovana realizou o transplante, ganhou nova vida e ainda teve uma surpresa. No fim da manhã do dia 06 de setembro, a dupla, que ficou sabendo da história através da mídia, dos jornalistas e da assessoria de imprensa do hospital, chegou ao HB para conhecer a pequena Geovana. Vestiram jalecos e subiram até o quarto. Geovana tinha acabado de receber alta da UTI e ficou emocionada ao ver a dupla. “Eu estava muito feliz por receber um rim e ter chance de ter uma nova vida, mas estava um pouco triste porque hoje é dia do show deles na cidade e eu não podia ir. Não sabia que ia realizar o sonho de conhecer meus ídolos”, diz a pequena fã. “Estou realizado. Não ia ficar tranquilo se não conhecesse a Geovana. Esta é a maior prova de amor”, diz Mariano, ao ficar sabendo que a pequena pediu para adiar o transplante, pois tinha o sonho de vê-los durante o show na cidade.

Notícia invade as redes sociais

A história de Geovana ganhou força nas redes sociais, todos na torcida por um final feliz. Mais de 10.000 pessoas se envolveram e interagiram na página oficial do Hospital de Base, no facebook , que “bombou”, houve um aumento de mais de 2.000% de interação e mais de 17% de novos “fãs”. Todos vibraram e mandaram mensagens ao saber da chegada do cantor no HB. A notícia também estampou a capa dos principais sites de notícias, como do R7, G1 e da Revista Contigo.

Revista do HB - Agosto - 2012

11


NHE

Sífilis Congênita pontâneo, morte fetal ou morte perinatal, e estudos indicam que isso ocorre com aproximadamente 40% das crianças infectadas a partir de mães não tratadas. Ao nascer, cerca de 50% não apresentam sintomas, os quais poderão surgir nos primeiros 3 meses de vida, sendo fundamental a triagem sorológica da mãe antes do parto. O diagnóstico pode ser feito através de história clínica, dados epidemiológicos e exame laboratorial. A identificação do Treponema pallidum confirma o diagnóstico. A prova de escolha na rotina é a reação de VDRL. O resultado é dado em diluições, e esse é o método rotineiro de acompanhamento da resposta terapêutica, pois nota-se uma redução progressiva dos títulos. O comprometimento do sistema nervoso é comprovado pelo exame do líquor. O raio X de ossos longos é muito útil como apoio ao diagnóstico da sífilis congênita.

A transmissão vertical da sífilis permanece um grande problema de saúde pública no BraMedidas Preventivas: sil. Das várias doenças que podem ser transmitidas durante o ciclo grávidoO Ministério da Saúde desenvolve -puerperal, a sífilis é a que tem as ações que buscam a eliminação da maiores taxas de transmissão. sífilis congênita, sendo realizadas No Brasil, estudos estimam atividades especiais em materni•Recente: os sintomas aparecem nos primeiros dois anos uma prevalência em gestantes dades, o incentivo a realização de vida, sendo mais comum do primeiro ao terceiro mês. de 1,6% da infecção (2004), do Pré-Natal corretamente, •Tardia: os sintomas aparecem a partir do segundo ano, ocarepresentando cerca de 50 dos testes de VDRL no 1º e sionando deformações de dentes, surdez, alterações oculares, mil parturientes com sífilis 3º trimestre gestacional, do dificuldades de aprendizagem, retardo mental. ativa e uma estimativa de teste sorológico do parcei15 mil crianças nascendo ro, do tratamento adequaDe uma forma geral, as manifestações características da síf ilis são: com sífilis congênita. Desdo das gestantes e parceiros de 1986, a sífilis congênita é infectados. É importante a de notificação compulsória, • Sífilis primária - cancro duro, que poderá passar despercebido na promoção do uso de pretendo sido incluída no SIservativos durante a gravidez mulher quando localizado nas paredes vaginais ou no colo do NAN (Sistema de Informae outras atividades educativas útero, associado, ou não, à gânglios inguinal aumentado; ção de Agravos de Notificano geral. • Sífilis secundária - lesões cutaneomucosas generalizadas, ção). Contudo esta doença é Todo filho de mãe sifilítica gânglios aumentados, entre outras; ainda subnotificada no país. terá sífilis? • Sífilis terciária - lesões cutaneomucosas, alterações

A síf ilis congênita pode ser classif icada em:

O que é sífilis congênita?

neurológicas, alterações cardiovasculares e alterações ósseas e em articulações.

Nem todo filho de mãe sifilítica terá sífilis congênita, cerca de 20% não obtém contaminação.

É uma infecção do feto causada pelo o Treponema pallidum, por via placentária, da gestante infectada ou não tratada. A transmissão faz-se no período fetal a partir do 4º mês de gestação, o treponema ganha os vasos do cordão umbilical e se multiplica rapidamente no feto. Entre os fatores determinantes da transmissão vertical da sífilis, relaciona-se o tempo de exposição do feto ao treponema; estágio da sífilis na mãe; e o tratamento realizado pela gestante infectada, onde a taxa de infecção na transmissão vertical de mulheres não tratadas é de 70 a 100%. Há a possibilidade de transmissão materna na hora do parto, através de lesões genitais maternas, e na amamentação se houver lesão mamária por sífilis. Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de SJRP – Vigilância Epidemiológica, Agosto/12. Uma das consequências da sífilis na gestante é o aborto es-

Fonte: SINAN-NET/FI/NHE-HB

A Sifilis Congênita é uma doença de notificação compulsória. NOTIFIQUE O NHE/HB/FAMERP - Ramal 1380 12 Revista do HB - Agosto - 2012

Revista hb agosto 2012  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you