Page 1

Instituto Lucy Montoro de Rio Preto ganha equipamentos de robótica para reabilitação de pessoas com deficiência Ano X / Nº 139 - Julho 2013

Robôs foram entregues pelo governador Geraldo Alckmin (foto abaixo), no dia 27 de julho, exatos dois anos após o início das atividades do Lucy Montoro em Rio Preto Página 3

O produtor rural Orlando Tarme se exercita no robô InMotion 3, orientado pela terapeuta ocupacional Alice Gomes Gonçalves

Foto: Sérgio Menezes

Dr. Horácio, governador Alckmin, Dra. Regina e secretária Linamara cortam bolo com o símbolo do Lucy Montoro


Editorial

Profissionalismo de cada funcionário leva à excelência da Funfarme

Sumário 03 e 04

n

Lucy Montoro ganha robôs

n

Vencedores

n

CIP faz aumentar pesquisas

06 e 07

n

Aprimorando atrai alunos

08 e 09

n

Profissões comemoram seu Dia

10 e 11

n

Meu Setor: farmácias satélites

12

n

Cadeirante ganha concurso de dança

13

n

Dr. Braile toma posse na AMSP

14

n

Médicos destacam-se em Congresso

14

n

Perfil: homenagem aos pais

15

n

Grupo de cuidadores do ICA

16

n

Grupo de hemofílicos

17

n

Dia contra acidentes de trabalho

18

n

Protesto Médico

18

tório de Especialidades, Instituto do Câncer, Hemocentro

n

Cirurgia inédita no HB

19

e Lucy Montoro.

n

NHE: influenza

20

Ao entregarem os equipamentos de robótica InMotion para o Instituto de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto, o governador do Estado, Geraldo Alckmin, e a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Battistella, fizeram questão de ressaltar o “trabalho maravilhoso” realizado por nossa equipe, nestes dois primeiros anos de atividades da Unidade. Não por acaso, o Lucy Montoro, administrado pela Funfarme, foi a primeira Unidade da Rede do interior do Estado a receber os robôs. Durante a cerimônia de entrega dos equipamentos, no dia 27 de julho, não só o governador e a secretária de Estado, mas diversas autoridades enfatizaram a qualidade do atendimento e a excelência da Medicina oferecidos pelo complexo formado pelo Hospital de Base, Ambula-

05

No dia 11 de outubro, o Hospital da Criança e Maternidade será inaugurado e passa a integrar este que é um dos maiores complexos hospitalares do Estado de São Paulo. Todas estas conquistas ocorrem porque cada um dos mais de 4.000 funcionários dedica-se com extremo profissionalismo para a Funfarme e seu complexo hospitalar se consolidem como referência em Saúde para o Estado de São Paulo e Brasil. Diretoria Funfarme/HB

Ajude-nos a fazer a Revista do HB Se você tem ideia de reportagem a ser feita pela Revista do HB, por favor, envie sua sugestão para comunicacao@hospitaldebase.com.br e/ou imprensa@hospitaldebase.com.br ou fale com a Assessoria de Imprensa do Hospital de Base pelos ramais 1838 e 1496. A sugestão será analisada pela Área de Comunicação e a Diretoria da Funfarme. hospitaldebase.com.br 02 Revista do HB - Julho - 2013

HospitaldeBaseRioPreto

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME) Ano X / Nº 139 - Julho - 2013 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira • Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca • Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire Produção Editorial: Intermídia Publicações Telefone: 17 3353-2083 Jornalista responsável: MTB: 24.527 Estagiária: Daiane Oliveira Diagramação: Roger Goulart Impressão: Fotogravura Rio Preto Tiragem: 2000 exemplares


Complexo Funfarme O ótimo trabalho desempenhado pela equipe do Instituto de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto fez com que se destaca entre as unidades do Estado e merecesse o reconhecimento do Governo do Estado de São Paulo. Como consequência, a Unidade administrada pela Funfarme foi a primeira do interior paulista a receber duas unidades do InMotion, equipamento de robótica que estimula a movimentação dos membros superiores. Os robôs foram entregues pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin, e pela secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, em cerimônia, no dia 27 de julho. “Em Rio Preto, contamos com uma equipe maravilhosa, que faz com que os objetivos do Instituto Lucy Montoro sejam concretizados”, declarou o governador. A secretária enfatizou que os equipamentos reforçam o caráter científico, de pesquisa e assistência do Instituto, oferecendo ainda mais atendimento com qualidade aos pacientes. “Proporcionar cidadania às pessoas com deficiência resulta em mais desenvolvimento para a sociedade e o Estado”, declarou Linamara. A tecnologia está disponível na América Latina apenas nas unidades da Rede Lucy Montoro. Desenvolvidos pelo conceituado Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), o InMotion 2 (movimento para o punho) e o InMotion 3 (movimento de cotovelo e ombro) foram testados pelos principais centros médicos em todo o mundo durante 10 anos. Tais equipamentos são indicados especialmente para pacientes que sofreram Acidente Vascular Encefálico (AVE), Esclerose Múltipla, Paralisia Cerebral, entre outras.

Rio Preto é a primeira unidade do Lucy Montoro do interior a receber os robôs

“É bom demais ter estes robôs aqui. Vou melhorar ainda mais meus movimentos e ter mais autonomia, independência.” Leandro Valério de Jesus, paciente tetraplégico, na foto, junto com o governador

O InMotion 2, equipamento de robótica que estimula a movimentação dos punhos Governador Alckmin fala observado por diretores da Funfarme, Hospital de Base, Famerp e autoridades

110.000

O governador Alckmin fez questão de tirar uma foto com alguns funcionários do Lucy Montoro de Rio Preto

atendimentos foram realizados pelo Instituto Lucy Montoro de Rio Preto nestes dois anos Revista do HB - Julho - 2013

03


Complexo Funfarme

Lucy Montoro completa dois anos e supera todas as metas Os equipamentos de robótica são entregues ao Instituto de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto exatos dois anos de sua inauguração, no dia 28 de julho de 2011. Neste período, a Unidade rio-pretense superou todas as expectativas, consolidando-se como um dos principais centros de reabilitação de pessoas com deficiência do país. Na próxima edição da Revista do HB, um balanço completo destes dois anos. Secretária Liliamara mostra o robô ao governador do Estado, ao prefeito de Rio Preto, Valdomiro Lopes, e ao deputado Orlando Bolçone

“Iniciei o tratamento no Lucy Montoro em janeiro deste ano e fiquei muito feliz por ver a super-estrutura que o instituto nos oferece. Agora, temos estes robôs que vão ajudar muito no meu tratamento. É uma supresa muito boa!” Felipe Eduardo de Jesus, na foto, utilizando o robô Pacientes do Lucy Montoro surpreenderam a todos ao formarem um coral e cantarem

Hospital da Criança e Maternidade srá inaugurado dia 11 de outubro e recebe mais uma verba R$ 5 milhões Durante a visita ao Instituto Lucy Montoro, o governador Geraldo Alckmin anunciou que o Hospital da Criança e Maternidade (HCM) será inaugurado no dia 11 de outubro, às 10 horas, e que serão liberados R$ 5 milhões iniciais para a aquisição de equipamentos e mobiliário para a instituição, que será um dos mais modernos e bem estruturados centros médicos do Brasil. O HCM terá oito andares, além de térreo e subsolo, 81 leitos de UTI (14 deles para neonatal), 33 de pediatria, 10 para oncologia pediátrica e 20 para internação de pacientes do Lucy Montoro, num total de 204 leitos. Ocupará uma área de 18 mil metros quadrados.

04 Revista do HB - Julho - 2013


Sua carreira

Colaboradores deixam a zona de conforto para crescer na carreira, na Funfarme “Só fica parado quem quer”, afirma, com sabedoria, a ex-auxiliar de limpeza Sirlene Quirino da Silva, um dos quatro funcionários que demonstram, com suas histórias, que podemos crescer profissionalmente e sermos felizes e realizados com o nosso trabalho. Por iniciativa própria, eles buscaram o melhor para suas carreiras. Nas próximas edições da Revista do HB, outras histórias virão...

Durante as férias, a bioquímica Zilda Fátima da Costa Silva foi chamada pela Dra. Maria Gabriela de Lucca, coordenadora do Laboratório Central, para um desafio: implantar o Setor de Técnicas Especiais. Em breve, o Setor entra em operação, o que demonstra a capacidade daquela atendente de laboratório que, 24 anos atrás, foi contratada pelo HB. “Voltei a estudar aos 39 anos porque vi que experiência só não basta. Formação é importante. Todos tempos oportunidades, mas temos que buscar nosso crescimento.”

O HB permite que os funcionários encontrem também a ascensão na carreira através da mudança de setor. Nove anos atrás, Débora Marquetto Del Arco iniciou sua carreira na Emergência do SUS como auxiliar de serviço. Teve a iniciativa de inscrever-se para um recrutamento interno. “Fiz prova e dinâmica e conquistei uma promoção como auxiliar financeiro. Agora, farei curso superior na área de finanças ou exatas. Sei que tenho mais oportunidades para crescer, não vou parar.”

A história de Robson de Pádua Ribeiro é a mais ilustrativa do quanto é possível crescer profissionalmente na Funfarme. Em 1996, ingressou como auxiliar de serviços no Setor de Controle e Frequência. Cinco anos depois, foi transferido para Setor Financeiro e promovido a auxiliar de tesouraria. Em 2003, nova promoção, para tesoureiro. Passados cinco anos, Robson chegou ao cargo de superintendente financeiro. A receita para trilhar este caminho conjuga determinação com estudo. “Tive que me privar de muitas coisas, inclusive a companhia da família, para cursar contabilidade. Depois cursei o curso superior de gestão financeira e duas pós-graduações. Em 2014, farei outra.”

No terceiro andar do SUS, todos admiram a auxiliar de enfermagem Sirlene Quirino da Silva (na foto, segurando a bandeja), a mais nova integrante da equipe. Em 2005, ela foi contratada pelo HB como auxiliar de limpeza. Dois anos depois, foi promovida a copeira e auxiliar de cozinha. Não se satisfez. “Corri atrás e consegui do hospital uma bolsa de estudos para fazer o curso de técnica de enfermagem. Estou felicíssima. O HB nos dá oportunidade. Vou fazer faculdade, o céu é o limite.”

Revista do HB - Julho - 2013

05


HB - Ensino e pesquisa

Dois anos após ser inaugurado, 200

Antes do CIP 150

faz dobrar número de pesquisas na Funfarme

Depois do CIP

100

50

159 76 Estudos

Em agosto, o Centro Integrado de Pesquisa (CIP) completa dois anos de existência, consolidando-se como um dos maiores centros integrados de pesquisas básicas e clínicas da América Latina. Os números confirmam ter sido correta a decisão da Funfarme de criar uma estrutura que proporcionasse aos profissionais da instituição o pleno desenvolvimento da pesquisa. Em todos os aspectos, os números mais que dobraram, após a inauguração do CIP (veja quadro acima). O total de estudos realizados pelo Hospital de Base/Famerp saltou de 76, antes do Centro, para 159, aumento de 109%. O salto foi ainda mais expressivo no total de pesquisadores: quase 170%. A ótima infra-estrutura do Centro Integrado no segundo andar do HB estimulou também mais especialidades médicas a investirem em pesquisa. Se antes do CIP, eram 13 especialidades, hoje são 30, aumento de 130%. Atualmente, o CIP participa de 48 estudos clínicos em parceria com instituições nacionais e internacionais nas mais diversas especialidades (Cardiologia, Terapia Intensiva, Endocrinologia, Oncologia, Hematologia, Reumatologia, Pneumologia, Infectologia, Hepatologia, Neurologia, Ortopedia, Dermatologia, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia Geral e Urologia).

35 13 Investigadores

13

30

Especialidades

Estudo exige total dedicação do pesquisador Se você quer empreender ou participar de uma pesquisa, saiba que a dedicação é extrema, total. Como a pesquisa envolve a saúde, a vida de pacientes, o pesquisador deve estar à disposição 24 horas por dia, 365 dias no ano, esteja onde estiver.

Rigor é extremo O rigor para realizar uma pesquisa é extremo e não poderia ser diferente, visto que resultará em medicamento que será utilizado por milhões de pessoas mundo afora. Para iniciar um estudo, o pesquisador tem que submetê-lo ao Comitê de Ética e Pesquisa da instituição. A provado, segue para a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), do Ministério da Saúde, e Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O estudo só começa quando recebe o sinal verde das três instâncias.

06 Revista do HB - Julho - 2013

“Já fui acordado de madrugada, em outro país, durante as férias, para ajudar a resolver questões da pesquisa. Temos que estar envolvidos de corpo, mente e alma.” Dr. Gustavo Girotto, investigador do CIP/Oncologia


HB - Ensino e pesquisa

Pesquisas elevam qualidade da Funfarme em várias frentes Mais do que seus 19 funcionários, 35 pesquisadores e 320 pacientes que participam dos estudos, a existência do CIP beneficia toda a comunidade do complexo Funfarme/HB/Famerp. Dra. Lilia Nigro Maia, Diretora Médica do CIP, relaciona quatro entre muitos benefícios:

1) as pesquisas trazem recursos financeiros para a fundação; 2) melhora a assistência aos pacientes, pois, durante a a realização dos estudos de tratamentos e medicamentos, são revistas e corrigidas as práticas dos profissionais de saúde; 3) as pesquisas geram informação rigorosamente controlada, segura e confiável; 4) aumentam os níveis de qualidade e exigências do trabalho dos profissionais envolvidos nos estudos, o que se reflete no dia a dia do HB e da Famerp.

“O CIP gera conhecimento em todo a Fundação, otimiza a prática clínica e faz com que a Funfarme seja reconhecida como referência nacional e internacional em pesquisa nas diversas áreas da saúde”, declara Dra. Lilia, que lembra, no entanto, que pesquisas já são realizadas no complexo há 15 anos em parceria com renomadas universidades como a Harvard, Duke University, McMaster University, Mayo Clinic, Cleveland Clinic, entre outras.

Diretores, funcionários e alguns dos investigadores do Centro Integrado de Pesquisa

Pesquisas beneficiam não só pacientes que participam delas, como também muitos outros atendidos pelo HB A bula do remédio que lemos é o resultado final de todas as pesquisas daquele medicamento. Todos sabemos o quanto somos favorecidos pelo trabalho silencioso, imperceptível, meticuloso dos pesquisadores. Temos um estudo conduzido pelo CIP do HB/Famerp que ilustra muito bem isso. Desde 2010, o CIP vem participando de um estudo clínico em pacientes portadores de tumor neuroendócrino que apresentam síndrome carcinóide, cujos sintomas mais comuns são diarréia, rubor facial e perda de peso, podendo levar à morte. Deste estudo, quatro pessoas participaram, “Ficamos muito felizes por vermos mas outros 10 pacientes do SUS do que os pacientes que participam Hospital de Base foram beneficiados, dos estudos clínicos em cardiologia têm total confiança em nossas pois o laboratório, reconhecendo a propostas de tratamento, pois têm qualidade da infra-estrutura e dos pesquisadores do CIP, decidiu doar certeza de nossa dedicação para o 10 tratamentos completos até o má- correto diagnóstico, a decisão pelo ximo benefício possível para estes tratamento com mais benefícios do que riscos e a constante atualipacientes. Detalhe: o medicamento é zação a respeito dos avanços em tão caro que não há cobertura pelo Cardiologia.” SUS, o que em última análise, ajuda a Dr. Marcelo Nakazone, salvar mais vidas! Diretor Científ ico do CIP Revista do HB - Julho - 2013

07


HB - Referência em Ensino

Excelência do Programa de Aperfeiçoamento/ Aprimoramento atrai cada vez mais alunos O Programa de Aperfeiçoamento/Aprimoramento do Hospital de Base é um curso de habilitação prática oferecida a recém-formados na área da saúde. Com tradição no ensino, a Funfarmeiniciou seu Programa em 1981, abrindo vagas apenas para Enfermagem. Após firmar um convênio com a Secretaria de Saúde, por meio da Fundap – Fundação do Desenvolvimento Administrativo do Estado de São Paulo –, em 1992, o Programa aumentou sua abrangência. Hoje, além de 27 vagas para enfermeiros, são oferecidas 68 vagas em sete áreas diferentes (veja infográfico na próxima página). Neste ano, 36 alunos ingressaram no Programa com bolsas da Fundap. Já a Funfarme disponibilizou 78 vagas. “Para dar um ensino de qualidade, prezando pelo bem estar do paciente e pela excelência no atendimento, a estrutura do hospital pede mais profissionais qualificados e é isso que o HB oferece nos programas de Aperfeiçoamento/Aprimoramento”, explica Dr. Horácio José Ramalho, Diretor Executivo da Funfarme. Os cursos mais concorridos este ano foram Psicologia (31 candidatos para sete vagas) e Fisoterapia (34 vagas para 69 candidatos). A maioria dos cursos tem um ano de duração, com excessão ser Psicologia da Saúde e Serviço Social, que são de dois anos. Os cursos são intensos, com carga horária de 40 horas semanais, na qual 80% é composta de atividades práticas supervisionadas e 20% de teoria. Todos os cursos são remunerados e desde que foram instituídos, o Programa já formou 1.415 aprimorandos.

Ex-aprimoranda Fabiane lidera hoje uma equipe de 110 funcionários

"Quando me formei, fui aprovada em mais de um curso de Aperfeiçoamento/Aprimoramento e, por diversos motivos, optei pelo HB. O que mais gostei no Programa é o caráter interdisciplinar que ele tem. Nós da nutrição trabalhamos em equipe e, portanto, temos de aprender a gerir outros profissionais como copeiros, cozinheiros e administradores, por exemplo. Outra razão foi que eu tinha certeza de que poderia fazer carreira aqui no Hospital de Base. Comecei como nutricionista e hoje coordeno o setor. É uma realização pessoal e profissional!" Fabiane Regina Guimarães de Oliveira Coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética

"Vim de Uberlândia para Rio Preto com o intuito de cursar uma pós-graduação na Famerp e soube do Programa de Aprimoramento. Decidi fazer esse Programa e depois queria desenvolver pesquisas. Mas, achei o trabalho hospitalar fascinante e gostei muito da estrutura do HB e, então, optei por ficar. Queria fugir do atendimento individual que se costuma fazer em consultórios e, por ter demonstrado interesse, me chamaram para coordenar o Serviço de Psicologia, no final de 2011. Gosto muito de trabalhar aqui, principalmente pela diversidade de atendimentos que prestamos." Randolfo dos Santos Júnior, Chefe do Serviço de Psicologia do HB

08 Revista do HB - Julho - 2013

Randolfo atende cerca de 15 pessoas na semana, além das visitas às enfermagens


HB - Referência em Ensino

Bolsas oferecidas pelo Aprimoramento/Aperfeiçoamento 2013* *Não incluso Enfermagem

FUNDAP

FUNFARME

30

30

20

20

15

15 27

As primorandas de nutrição clínica

6 1

Terapia Ocupacional

3

2

Serviço Social

2

Psicologia da Saúde

3

Nutrição Clínica

4

5

Fonoaudiologia Hospitalar

Nutrição Clínica

Fonoaudiologia Hospitalar

Fisioterapia

1

7

Fisioterapia

5

Serviço Social

7

Psicologia da Saúde

5

10

Farmácia Hospitalar

10

As primorandas de farmácia

Os aprimorandos de fisiotetrapia

As aprimorandas de fonoaudiologia hospitalar

Os primorandos de psicologia da saúde

Os aprimorandos do serviço social Revista do HB - Julho - 2013

09


Dia a Dia no HB

6 profissões comemor

Agradecemos a todos pelo excelente desempenho de suas funç 27 DE AGOSTO

Dia do Psicólogo

3 DE AGOSTO

Dia da Copeira

16 DE AGOSTO

Dia do Profissional de Almoxarifado

11 DE AGOSTO

Dia do Advogado

10 Revista do HB - Julho - 2013


ram seu Dia em agosto

ções e pela dedicação à nossa instituição. Parabéns pelo seu Dia! 31 DE AGOSTO

Dia do Nutricionista

18 DE AGOSTO

Dia do Estagiário

Revista do HB - Julho - 2013

11


Meu setor

Farmácias satélites garantem segurança e agilidade no atendimento a pacientes internados Para garantir um atendimento seguro e eficaz aos pacientes internados, o Hospital de Base utiliza o sistema de farmácia hospitalar satélite. No total, são oito farmácias localizadas em pontos estratégicos e cada uma responde às demandas da unidade de internação e sala cirúrgica a qual é subordinada. “A vantagem desse tipo de organização é a descentralização que agiliza os serviços farmacêuticos promovendo rapidez no sistema de distribuição de medicamentos e materiais”, explica Helga Tamara Agostino, Coordenadora do Serviço de Farmácia do HB. Todas elas funcionam 24 horas e contam com uma equipe de 105 funcionários - 74 auxiliares/técnicos, 24 auxiliares administrativos e sete farmacêuticos - que trabalham para atender às prescrições, às solicitações de médicos e enfermeiros e dispensando kits e materiais para cirurgias agendadas e emergenciais. Ao todo, 720 leitos do hospital são assistidos pelas farmácias satélites. Em 2010, foi implantado o sistema MV e informatizado todo o serviço farmacêutico incluindo também como sistema de segurança a dispensação com palmtops. Todo medicamento hospitalar tem um código de barras que permite rastrear por lote e validade todos os itens utilizados no tratamento do paciente internado. “O sistema possibilita maior segurança na dispensação, agilidade no atendimento e evita o retrabalho”, afirma Helga.

Equipe das farmácias satélites da manhã

Profissionais da farmácia do centro cirúrgico

Equipe da farmácia do centro cirúrgico

Profissionais da farmácias satélites da tarde Revista do do HB HB -- Março Julho --2013 2013 12 12 Revista

Vivian Cássia Miron (6° e 7° andar), Daniela Costa Prates (Emergência), Helga Tâmara Agostinho (coordenadora do Serviço de Farmácia), Fábio Henrique Miranda (CO/OPME), Franscielli da Silva Moreira (3° andar), Andressa da Conceição Rossi (Cobertura) e Luci Nari Zorzin Marcon (5° andar)


HB e a comunidade

Cadeirantes do Lucy Montoro levam troféu de melhor apresentação de dança no Jeca Fest O grupo de dança de cadeirantes do Centro de Reabilitação Lucy Montoro, coordenado pelo professor de dança Guto Rodrigues, levou o troféu de melhor grupo de dança do dia 22 do Jeca Fest. Foram 15 grupos participantes por dia e a cada dia 1 vencedor. Os quatro vencedores do festival irão disputar a final durante o Arraial do Estoril, no dia 15 de agosto, no Recinto de Exposições. As pacientes e bailarinas Paula Alfenas Ramos de 12 anos e a veterana Maria Elza Amorim apresentaram, junto com o professor Guto Rodrigues, coreografia que emocionou a todos que estavam no evento. “Quando percebi, estavam todos em silêncio. Fiquei maravilhado com a reação das pessoas”, lembra Guto. Para a Diretora do Lucy Montoro, Dra. Regina Chueire, o troféu mostra que a pessoa com deficiência, depois de um processo de reabilitação, tem a mesma qualidade de vida e competência que uma sem deficiência. “Este processo de ressocialização da pessoa com deficiência, durante a reabilitação, tem como objetivo estimular e mostrar que eles são capazes de colher os mesmos frutos que a pessoa sem deficiência” enfatiza Regina. O Jeca Fest é um tradicional festival que premia duplas sertanejas. Neste ano, devido ao número de inscrições de grupos de dança, a organização decidiu mudar a premiação. O show dos intervalos ficou por conta dos cantores sertanejos, enquanto os grupos de dança se revezaram na apresentação principal.

Biblioteca

O COLECIONADOR DE LÁGRIMAS De Augusto Cury

Um professor especialista em nazismo e II Guerra Mundial, começa a ter insônia e pesadelos, como se estive vivendo as atrocidades do Nazismo. A partir disso o passado passa a ser vivo para ele. Seu reconhecimento como grande historiador faz com que receba um convite de cientistas alemães, que pesquisam uma máquina complexa, financiada pelas forças armadas e que usa a teoria da relatividade e da quântica para conseguir viajar no tempo. O convite então se torna claro: tudo o que os alemães querem é alguém com competência suficiente para voltar no tempo, matar Hitler e mudar a história. Conseguiria ele chegar à infância do ditador e assassiná-lo. Faria ele esta atrocidade?

COMER, REZAR E AMAR

De Elizabeth Gilbert

Quando completou 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo que uma mulher americana moderna, bem-educada e ambiciosa deveria querer um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso. Mas não se sentia feliz: acabou pedindo divórcio e caindo em depressão. “Comer, Rezar, Amar” é o relato da autora sobre o ano que passou viajando ao redor do mundo em busca de sua recuperação pessoal.

COMO EU VEJO O MUNDO

De Albert Einstein

Dra. Regina Chueire e o professor de dança Guto exibem o troféu conquistado pelas cadeirantes

Einstein trata dos problemas fundamentais do ser humano - nos campos social, político, econômico e cultural - e torna clara sua posição diante deles: a de um sábio radicalmente consciente de que, sem a liberdade de ser e agir, o homem, por mais que conheça e possua, não é nada.

Revista Revista do HB do -HB Fevereiro - Julho - 2013

13


HB e a comunidade

Prof. Dr. Domingo Marcolino Braile toma posse da cadeira nº 48 da Academia de Medicina de São Paulo Em sessão solene, realizada no dia 11 de julho, o Professor Doutor Domingo Marcolino Braile foi condecorado como imortal da A cademia de Medicina de São Paulo. Professor Emérito e ex-diretor da Pós-Graduação da Famerp - Faculdade Estadual de Medicina de Rio Preto, Dr. Braile tomou posse da cadeira nº 48, cujos patronos são os Drs. Dante Pazzanese e Hudson Hübrer França, em solenidade na Sociedade de Medicina e Cirurgia de Rio Preto. “O título, mais que merecido, é o reconhecimento por todo o caminho que Dr. Braile percorreu em sua carreira e por toda contribuição que deu para a medicina. Altruísta e visionário, foi um dos fundadores da nossa Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp). Professor emérito, pesquisador e cientista fez e faz história como um dos nomes mais importantes da área médica de São José do Rio Preto e do nosso país”, afirmou Dr. Dulcimar Donizeti de Souza, Diretor Geral da Famerp.

Dr. Domingo Braile recebe diploma das mãos dos Drs. Mário Santoro Junior, secretário Adoc da Academia de Medicina de São Paulo (à esq.) e Affonso Renato Meira, Presidente da Academia de Medicina de São Paulo

Médicos da Funfarme/HB/Famerp são destaques no Congresso Paulista de Neurologia Dois médicos do Hospital de Base e professores da Famerp foram destaques durante o IX Congresso Paulista de Neurologia realizado pela Associação Paulista de Medicina, no final de junho, no Guarujá. Dr. Waldir Tognola ocupou a presidência de honra do Congresso, um dos mais importantes eventos científicos desta especialidade no Brasil, e proferiu a conferência de abertura, cujo tema foi “Neurologia: meio século”. Já Dr. João Aris Kouyoumdjian conquistou o primeiro lugar de trabalho científico do evento, entre 132 projetos apresentados por profissionais de inúmeras instituições, entre elas, USP, Unicamp, Unifesp e Unesp.

Dr. Waldir Tognola (ao centro, de terno e gravata azul) e Dr. João Aris (ao centro, de blazer), durante o Congresso de Neurologia

14 Revista do HB - Julho - 2013


Dia a dia no HB

Para refletir

Utopias Medicinais Desde a infância a escolha da carreira é uma pergunta frequente de todos os pais, tios, avós e professores . Toda criança, em algum momento da sua vida, quer ser jogador de futebol, cantor de Rock, policial ou médico. É lindo o brilho nos olhos dos pais quanto veem que seu filho, pelo menos por alguns instantes, pensou em ser doutor, logo vislumbram um cuidador respeitado pela sabedoria, um curador de doenças, um mago dos medicamentos, ou um simples ser humano, talvez com um quê a mais de humano, que se dedicará a salvar e diminuir as aflições do próximo. Em alguns momentos a criança diz que será presidente, então os progenitores têm a epifania de deleitar no pensamento de um líder que mudará o país, que mostrará a justiça e a igualdade e ficará para toda a eternidade nas lembranças da história de forma concreta e límpida. Hoje, tais visões se confundem. Os pais já não mais sonham com tanto brilho, se preocupam com mudanças e temem pelo futuro dos devaneios de seus filhos. Questionam-se sobre o tempo de dedicação exclusiva em estudos e começam , nesses últimos dias, a desestimularem o futuro do sacerdotes da vida. Também não os querem mais como líderes, pois percebem que pequenas palavras dadas por eles, podem mutilar multidões. Como é possível voltar a sonhar? Como voltar a trazer luz para uma das profissões mais antigas do mundo? Seria necessários novos Hipocrates? Ou necessários menos Hipócritas? Eis uma nova questão. Porque é tão difícil assumir um erro e corrigi-lo? Porque não se pode investir na saúde do povo? Na medicina preventiva? Nas novas tecnologias? Porque não é possível rever conceitos e construir novas verdades, construir carreiras e fortes pilares nos mais longínquos lugares? Vamos aproveitar o momento, responder as velhas perguntas, acordar o sentimento infantil e deixar a mostra o sentimento recluso e sobreposto pelos interperes da vida e escolhas profissionais. Junte-se a nós! Dr. Danilo Fernando Martins – residente em clínica médica e representante dos residentes do HB Esta coluna dedica-se a ideias e informações que nos tornem pessoas e profissionais melhores. Para participar, envie e-mail à imprensa@hospitaldebase.com.br e imprensa2@hospitaldebase.com.br.

Ser PAI é

A vida nunca foi fácil para o técnico de enfermagem Alicio Camargo de Matos, UTI 7°Geral. Começou a trabalhar bem jovem para ajudar a mãe a cuidar de crianças deixadas por seus familiares que não tinham condição de criá-las. Apesar das dificuldades, um sonho sempre pulsava em seu coração: o de conhecer seu pai. Como o sonho não poderia se concretizar, pois o pai morrera quando Alicio ainda era bebê, ele transformou esta decepção em um sentimento paterno latente. Com 17 anos, quis adotar uma das crianças que sua mãe cuidava, mas, por causa da pouca idade, não pode. Sua mãe então conseguiu, judicialmente, a guarda da pequena Fernanda. Anos mais tarde Fernanda, já adulta, engravidou. Deu a luz a uma linda bebe chamada Gabriele. Por causa das adversidades da vida, Fernanda não conseguiria criar Gabriele e, então, Alicio viu uma nova oportunidade de realizar seu sonho. Recebeu a guarda parcial de Gabriele há 11 anos e agora, cheio de orgulho, é pai e dos bem “coruja”.

“Ser pai é investir tempo no cuidado com a saúde, na educação e nos sonhos dos filhos. Ser pai, para mim, é a coisa mais importante do mundo. Faço de tudo para ela.” O técnico de enfermagem Alicio e sua filha, Gabriele

População de Nipoã arrecada em leilão e quermesse R$ 30 mil, doados ao Hospital de Base O Hospital de Base de Rio Preto vivenciou, na manhã do dia 17 de julho, mais uma demonstração do carinho das comunidades da região, às quais presta atendimento e esmera-se para oferecer Saúde de qualidade. Os cidadãos da cidade de Nipoã Sebastião Rossetti, Silvério Claudino e Marciel Oliveira estiveram com o diretor-executivo da Funfarme, Dr. Horácio José Ramalho, o diretor administrativo do HB, Dr. Jorge Fares, e o superintendente financeiro da Funfarme, Robson de Pádua, para entregar um cheque de R$ 30.050,00, doados ao hospital. O dinheiro é resultado da iniciativa de um grupo de nipoenses, que promoveram uma quermesse, um show de prêmios e um leilão de gado nos dias 1º e 16 de junho, na Praça da Matriz. Os eventos resultaram na arrecadação de R$ 34.150,00, dos quais foram descontados R$ 4.100,00 para financiar as despesas de organização. Os produtores de Nipoã doaram 30 cabeças de gado e empresários e comerciantes contribuíram com utensílios, equipamentos e outros objetos para o show de prêmios. “Em nome dos mais de 4.000 funcionários do complexo Funfarme/Hospital de Base/ Faculdade de Medicina e dos pacientes, agradeço esta bela iniciativa da população de Nipoã”, disse Dr. Horácio. “Este reconhecimento é que nos estimula a nos empenhar cada vez mais para atender da melhor maneira possível a população”, acrescentou Dr. Jorge Fares. Na foto, João Evaristo da Silva, presidente da Associação dos Funcionários da Funfarme, Sebastião Rossetti, Dr. Horácio Ramalho, Silvério Claudino, Dr. Jorge Fares, Robson de Pádua e Marciel Oliveira Revista do HB - Julho - 2013

15


Grupo de cuidadores

É preciso cuidar de quem cuida!

A psicóloga Michelle Teles Tourounoglou e a assistente social Stella Grigolette conduzindo o grupo de cuidadores de doentes de câncer Vencer o câncer ou conviver com ele requer uma força imensa não só para os pacientes, mas também para os cuidadores, pessoas iluminadas que abraçam, apoiam, dão suporte e carinho aos pacientes. Imagine os sentimentos que são gerados: incerteza, angústia, tristeza, preocupação, e tantos outros que formam uma sombra na frágil vida humana. Em 2008, um grupo multidisciplinar entendeu que era chegada a hora de fazer algo a mais por estas pessoas que não somente o tratamento da doença em si. Era hora de cuidar também de quem cuida delas. Em uma sala, as portas ficam abertas para quem quiser entrar. Todas as quartas-feiras, às 13 horas, psicólogos e assistentes sociais coordenam um bate papo entre as pessoas que aceitaram a difícil e digna tarefa de ser um cuidador. “Durante os encontros orientamos sobre os direitos do doente de câncer, instruímos os acompanhantes sobre os cuidados que eles devem ter consigo mesmo também. Aconselhamos a todos que dividam suas tarefas entre todos os familiares

Rosilene Gonçalves, técnica de enfermagem, é cuidadora

16 Revista do HB - Julho - 2013

“Queremos valorizar o trabalho dos cuidadores e mostrar que eles também precisam de cuidados”

para que não sobrecarregue uma única pessoa”, explica a assistente social e coordenadora do grupo Stella Grigolet te. Olhares curiosos e atentos demonstram a insegurança vivida por cada um dos acompanhantes. Alguns minutos de Michelle Teles, conversa e alguns deles se sentem a vontade para expressar o que sentem. Napsicóloga do ICA tal Pedressi foi acompanhar a esposa e mais um consulta. Durante o grupo, ele não conteve a emoção e deu uma palavra de apoio aos que estavam começando a passar por aquela situação. “Os psicólogos e assistentes sociais são essenciais para nos fazer entender o que estamos sentindo no íntimo do nosso ser e a descobrir como lidar com a nova condição” afirma Pedressi. O psicólogo coordenador do grupo Randolfo dos Santos Junior afirma que Natal Pedressi e sua esposa durante o grupo é possível identificar as participam do grupo de cuidadores necessidades de cada acompanhante e assim o trabalho dos assistentes sociais e psicólogos se torna mais eficiente. A técnica de enfermagem Rosilene Gonçalves veio acompanhar uma amiga O psicólogo de trabalho. Na empresa onde ela trabaRandolfo ea lha todos dividem a carga da colega. “O assistente social que eles dizem aqui no grupo é verdade. Lílian são os O apoio das pessoas próximas é muito coordenadores importante para o doente. É um incentido grupo vo”, diz Rosilene. de cuidadores


Cuidados hemofílicos

Hemocentro de Rio Preto cria grupo de apoio a cuidadores de pacientes hemofílicos O Hemocentro de Rio Preto iniciou em dezembro o grupo de apoio aos cuidadores de paciente hemofílicos. Com reuniões às primeiras sextas-feiras do mês, o grupo tem como objetivo capacitar o tratador nos cuidados da pessoa enferma. Durante as reuniões, os cuidadores podem interagir entre si, tirar dúvidas com os especialistas presentes, além de serem orientados sobre os cuidados com os portadores de hemofilia. Os encontros têm duração de uma hora. O idealizador do grupo, Dr. Jandir Nicacio - hematologista do Hemocentro de Rio Preto -, explica que houve um aumento de 70% na procura do serviço desde o início dos encontros. “A grande dificuldade do tratamento é a aceitação da família. Portanto, introduzimos, por

Dr. Jandir Nicássio e enfermeira Carla Carolina

meio do grupo, o núcleo familiar na participação direta do processo”. A doença está ligada ao sexo, atingindo apenas os homens. A maneira mais eficaz de se tratar a hemofilia é a profilaxia, ou seja, fazer a transfusão do fator ausente no sangue do portador antes do problema. Enfermeira há um ano e meio no Hemocentro, Carla Carolina Martinelli assumiu as atividades do grupo há dois meses. “Depois das palestras, alguns dos hemofílicos estão aptos a realizar a autoinfusões do fator”. Através de vídeos e dinâmicas em grupo, os cuidadores são instruídos sobre a melhor maneira de cuidar de uma

pessoa hemifílica. “Me desenvolvi com as palestras. Sei mais sobre a doença e como cuidar dele [se referindo ao marido que é hemofílico]”, diz Maria Lopes de Oliveira, uma das cuidadoras. O portador de hemofilia, Maicon Alexandre Reis Medeiros, 19 anos, vem toda semana fazer sua profilaxia e conta que também se beneficiou com o grupo: “Evolui. Entendi que posso fazer qualquer coisa, se tiver precaução”. O grupo é aberto a todos os cuidadores de hemofílicos que quiserem participar. As coordenadoras são a psicóloga Vanessa e a assistente social Rodriane do HB. “para participar, basta ter interesse e trazer....”, afirma Vanessa ou Rodriane.

Menino transplantado de coração vai para a casa Depois do 141 dias no Hospital de Base de Rio Preto, no dia 5 de julho o menino David Henrique de Bellei teve alta hospitalar, com um novo órgão, saudável e feliz, acompanhado da mãe, Saluelen Fernanda Bellei. No dia 14 de fevereiro, David deu entrada no HB com miocardiopatia dilatada idiopática e, no dia 17 de abril, passou por transplante de coração, o segundo procedimento deste tipo, em criança, na história do hospital. Ao ter alta do Hospital de Base de Rio Preto, David marca uma vitória de luta contra o tempo e a favor da vida, pois as circunstâncias em torno da doação foram desafiadoras. (em pé) Aline Alvez (técnica de enf.), Fabiana Oller (enfermeira), Saluelen e David, Amanda Brito (técnica de enf.), Paula (auxiliar de enf.), Paulo (auxiliar operacional), (sentados) Dra. Karolyne Sanches, Dr. André Bodini, Dra. Daniele Dantas e Sirley Steurer (enfermeira supervisora) Revista do HB - Julho - 2013

17


Sesmt e Cipa

TRABALHO SEGURO

Adesivos alertam para a prevenção de acidentes de trabalho

“A cozinha é um lugar cheio de coisas perigosas. Facas, panelas e comida quente. Se não tomarmos os devidos cuidados, como usar botas, luvas e avental, com certeza iremos nos machucar!” Marina dos Santos, auxiliar de cozinha apoia a campanha de prevenção de acidentes de trabalho

Natalia (técnica de segurança do trabalho), Marcos (Pintor-CIPA), Patricia (radiologia), Isabela (radiologia) e Irma (auxiliar administrativo) A equipe do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança em Medicina do Trabalho) e CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) distribuíram 3 mil adesivos aos funcionários da Funfarme/Hospital de Base no Dia da Prevenção de Acidentes de Trabalho. A ideia de alertar os funcionários sobre práticas que evitam acidentes dentro e fora do hospital foi o que motivou a confecção desses adesivos. “Sabemos da dificuldade dos funcionários em participar de palestras fora do horário do expediente aqui do HB, pois muitos trabalham em outros lugares também”, explica o presidente da CIPA Reinaldo Dalur. “Mas, não vamos deixar de lembrá-los e orientá-los sobre a prevenção de acidentes, pois, queremos minimizar o número de ocorrências alto”, completa Reinaldo. Os adesivos foram distribuídos durante todo o dia nos principais pontos de fluxo de funcionários, na Emergência do SUS, no Ambulatório, e no Hemocentro. O HLAB e a Farmácia de Alto Custo também receberam os adesivos.

Junho de 2012 27 acidentes de trabalho registrados Junho de 2013 24 acidentes de trabalho registrado De janeiro a junho de 2013 119 acidentes de trabalho, sendo 34 acidentes com objetos perfuro cortantes Mais fotos no facebok do HB: www.facebok.com/hospitaldebaseriopreto

Médicos do HB e alunos da Famerp protestam contra corrupção e pedem mais investimentos na saúde pública

Médicos e residentes do HB e alunos da Famerp participaram, em julho, de dois protestos exigindo mudanças na política pública de Saúde, com o aumento dos investimentos no setor correspondentes a 10% do PIB, e a adoção de medidas que permitam o exercício da medicina e a qualificação da assistência. O primeiro protesto, no dia 3, percorreu as ruas da cidade. No segundo ato, dia 18, os manifestantes carregaram um caixão representando o enterro do SUS e fizeram o abraço simbólico do Instituto do Câncer e do Ambulatório de Especialidades.

18 Revista do HB - Julho - 2013


Dia a dia no HB

Colombiano realiza com equipe do HB nova cirurgia de válvula mitral

O Serviço de Cirurgia Cardíaca do Hospital de Base trouxe para a instituição o médico colombiano Dr. Juan Pablo Umãna especialista em cirurgia de correção de válvula mitral e tricúspide, com anel de anuloplastia. No dia 24 de julho, Dr. Juan ministrou aula para cirurgiões cardíacos, cardiologistas clínicos, anestesistas, enfermeiros do centro cirúrgico e UTI e instrumentistas cirúrgicos. Logo após a aula os cirurgiões Dr. Carlos Alberto dos Santos e Dr. Antonio Carlos Brandi acompanhados do médico colombiano foram para o centro cirúrgico para realizar a primeira cirurgia de reparo de válvula mitral com o anel de anuloplastia. No dia 25, os médicos entraram em cirurgia novamente, mas dessa vez para a correção de válvulas mitral e tricúspide. “Essa técnica usada pelo Dr. Juan traz benefícios importantes para a nossa instituição e para o paciente. Com ela nós conseguimos uma recuperação mais rápida, tempo de internação inferior ao procedimento convencional e diminuição do retorno clínico”, explica o cirurgião cardíaco Dr. Carlos Aberto dos Santos. Segundo o cirurgião cardíaco Dr. Antonio Carlos Brandi, esse novo procedimento ampliará as possibilidades de atendimento uma vez que algumas patologias não poderiam ser tratadas com o procedimento convencional.

Dr. Antonio Carlos Brandi, Dr. Carlos Alberto dos Santos, Evelin Souza (Executiva de Vendas Edwards), Simone Fernandes (Gerente Edwards América Latina), Dr. José Luis Esteves, Dr Jorge Fares, Dr. Juan Pablo Umaña (Chefe do Departameto de Cirurgia Cardiovascular da Fundación Cardio-Infantil de Bogotá-Colômbia), Gavin Fride (Vice-Presidente Edwards América Latina).

No centro cirúrgico, Dr. Juan avalia o caso junto aos cirurgiões cardiologistas

HB e você - Agradecimentos “Além de esse ser o melhor hospital do mundo, tem os melhores médico do mundo. Obrigada a equipe do Dr. Francisco Parra. Que Deus te ilumine a todos no Hospital de Base.” Ângela – Mirassol – SP “Hoje completam 4 anos que meu filho passou por uma cirurgia cardíaca com a equipe do Serviço de Cirurgia Cardiovascular Pediátrica e graças a Deus correu tudo bem e ele é uma criança saudável. Agradeço a todos os funcionários do HB, que Deus abençoe todos vocês!” Dayana Mercado Secco “Prezados Senhores. Minha mãe faleceu dia 29/06/2013, mas quero deixar minha gratidão a todos da UTI 7 andar SUS. Quero agradecer pelo carinho, pela dedicação que tiveram com a minha mãe e comigo. Nessa UTI trabalham

ANJOS enviados por Deus. Muito obrigado a todos. Minha mãe chamava WILMA MARIA DE SIQUEIRA.” Carlos Eduardo de Siqueira Angra dos Reis - RJ “Quero agradecer aos funcionários do SAC, o pessoal do centro cirúrgico e os profissionais que realizaram a cirurgia do meu marido, Evaldo Aparecido Angeloni, pelo profissionalismo, atenção e dedicação que desempenharam nos procedimentos realizados e também na atenção pessoal e educação. Muito obrigada a todos. Que Deus os abençoe.” Sandra Maria da Silva São José do Rio Preto - SP “Gostaria de agradecer a toda equipe da Medicina Nuclear pela qual tive o grande prazer de estar durante meu período de estágio no setor, em especial aos biomédicos Kléber, Anelize e Paula que me ensinaram e es-

tiveram comigo. Também quero agradecer a equipe médica pela ótima oportunidade. Vocês tem uma equipe maravilhosa em todos os sentidos! Mais uma vez, obrigado a TODOS!” Osvaldo Mansin Junior São José do Rio Preto – SP “Queremos aqui publicamente deixar o nosso agradecimento a toda a equipe médica, de enfermagem e auxiliares, que trabalham no setor de hemodiálise do Hospital de Base, pela dedicação, carinho e respeito o qual nosso pai o Sr. JORGE FRANCISCO DA COSTA foi tratado durante 7 anos. Obrigado pelo trabalho de todos vocês. Que Deus os abençoe para continuar realizando este trabalho de excelência. Este são agradecimentos de toda família!” Márcia Francisca da Costa Curti Rio Preto - SP

No dia 02 de março de 2005, sofri um acidente de moto, fui socorrida pela competência do SAMU.Fraturei os 2 ossos da perna direito e o fêmur. Fiz várias cirurgias. Coloquei fixador, gaiolas, placas. Perdi 7 centímetros de comprimento. Com a competência de vocês e ajuda de Deus, hoje ando com calçado especial e estou viva. Tudo isso de graça, já pensou? Tudo com muito carinho e dedicação de vocês. Hoje faço tratamento com o grupo de curativos, Câmara Hiperbárica, Vascular, Ortopedia, todos com muita boa vontade. Agradeço os SMS no meu celular, avisando consultas e retornos, não tem como esquecer. Por tudo isso e muito mais, eu não poderia deixar de agradecer todas as profissionais adoráveis que cuidaram e cuidam de mim. Que Deus lhes dê em dobro. Obrigado!” Maria de Lourdes Zanelli dos Reis - Rio Preto - SP Revista do HB - Julho - 2013

19


NHE

Influenza

No HB, de janeiro a 15 de julho de 2013*, tivemos 166 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Destes, foram confirmados 38 por Influenza, sendo que foram a óbito 5 casos (1 caso do sexo masculino e 4 casos do sexo feminino, as idades estão distribuídas nas faixas etárias de 50 a 59 anos (2 casos) e 60 anos e mais (3) quanto ao município de residência, 2 casos são de Mirassol e 3 casos de São José do Rio Preto.

Quantos casos de Influenza foram atendidos no HB? Estamos no período de sazonalidade da influenza. Neste período observa-se a circulação dos vírus sazonais Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e do vírus Influenza B, com diferente intensidade, em todas as regiões brasileiras. Tanto o H1N1 como o H3N2 são vírus sazonais de maior patogenicidade e podem ocasionar maior número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Fonte: SINAN INFLUENZA WEB – NHE-HB *Dados provisórios

Apresentação das notificações realizadas pelo HB/NHE/SINAN Influenza, no período de Janeiro a 15 de julho de 2013 (dados provisórios) Classificação dos casos internados no Hospital de Base com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no período de Janeiro a 15 de julho de 2013

Total de casos notificados com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Hospital de Base e confirmados como Influenza Sazonal A(H1N1), A(H1) e A(H3), distribuidos por mês no período de janeiro a 15 de julho de 2013

Distribuição das Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) confirmadas como Influenza A, distribuídas por faixa etária e subtipo, Hospital de Base - período de janeiro a 15 de julho de 2013*.

ÇÃO ATEN O Brasil possui uma rede de Unidades Sentinelas para vigilância da influenza, distribuídas em serviços de saúde, que monitoram a circulação do vírus influenza, através de casos de Síndrome Gripal (SG) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Em São José do Rio Preto o Serviço Sentinela para Influenza é a UPA Central (Unidade de Pronto Atendimento Central “Dr. Ruy Nazareth”) – Rua Regente Feijó nº 33 – Bairro Vila Ercilia.

*

A SRAG é doença de notificação compulsória -Todo o caso de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizado deve ser notificado (Sinan influenza Web). No HB NOTIFIQUE preenchendo a FICHA DE NOTIFICAÇÃO - SINAN (impresso disponível em cada setor do HB (com a Secretária) ou ligar no ramal=1380 no Núcleo Hospitalar de Epidemiologia.

- VACINA

IMP O

A vacinação anual contra influenza é uma das medidas utilizadas para se prevenir a doença, porque pode ser administrada antes da exposição ao vírus e, é capaz de promover imunidade efetiva e segura durante o período de circulação sazonal do vírus. Devem ser vacinados: crianças de 6 a 23 meses; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; população indígena; pessoas com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas com apresentação da prescrição médica. No HB e FAMERP a Campanha de Vacinação contra Influenza foi realizada nos meses de abril e maio respectivamente.

T RTAN

E

Orientação quanto ao início oportuno do tratamento com Oseltamivir O médico após suspeita clínica deve administrar Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu) para as seguintes situações: - Se indicado pelo Protocolo da Influenza, independente da confirmação dos exames laboratoriais - Para pacientes com fatores de risco para complicações, independente da situação vacinal. OBS: 1 - Protocolo da Influenza está disponível no site HB – Profissionais de Saúde – NHE 2 - O Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu) está disponível nas farmácias do HB e deve ser administrado precocemente.

A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) é doença de notificação compulsória. Todo caso suspeito de SRAG internado no HB deve ser notificado no ramal 1380, no NHE/HB. Fonte: http://portal.saude.gov.br - http://www.cve.saude.sp.gov.br

20 Revista do HB - Julho - 2013

7 revista hb julho 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you