Page 1

Ano X / Nº 133 Janeiro 2013

Lucy Montoro supera expectativas e destaca-se entre as unidades do Estado Gestão eficiente e profissionais bem qualificados levam Centro de Reabilitação a realizar número de atendimentos acima do previsto Páginas 06 e 07


Editorial

As máquinas não podem parar

Sumário Transplantes e captação em 2012

03

n

Departamento Jurídico do HB

04

n

Treinamento MVL

05

n

J Hawilla visita HB

05

n

Especial Lucy Montoro

06

n

Profissional ganha prêmio de dança

07

n

Ambulatório em 2012

n

ICA é avaliado

n

Retrospectiva HB 2012

n

Perfil: Francisca do Centro Cirúrgico

14

bloco C – que ampliará nosso setor de radiologia e imagem, a

n

Sinalização nos corredores do HB

14

transformação da Semi-intensiva, no 5º andar, nova Hemodinâ-

Depto. de Cardiologia é credenciado

Estamos em constante evolução e por isso o ano de 2012 foi marcado por transformações em nossa instituição. Várias obras foram iniciadas com o objetivo de proporcionar mais conforto

n

e comodidade para os pacientes e um melhor ambiente de trabalho para nossos colaboradores. Outras obras foram iniciadas para conseguir atender a demanda que recebemos diariamente,

EDITORIAL

seja para uma cirurgia, uma simples internação ou um atendimento de alta complexidade. Entre os novos ambientes e adequações que iniciaram no úl-

timo ano, podemos citar a Endoscopia – no pavimento térreo, P.O.I., no 5º andar, o Centro Cirúrgico, UTI, no 7º andar, o

mica, entre outras. As obras não ficaram restritas ao Hospital de Base. No Ambu-

pacientes, devido ao grande fluxo diário. No Materno Infantil, todas as adaptações foram realizadas, e as obras de retaguarda, como novo refeitório e cozinha, lavanderia e Central de Esterilização, estão a todo vapor. E a nossa nova biblioteca? Ali teve um trabalho conjunto de

toda a comunidade HB. Foram utilizadas mais do que tinta e decoração. Houve a colaboração de todos com doações de livros, revistas e demais exemplares. Um belo espaço que incentiva a cultura e forma um cidadão cheio de conhecimento. Sabemos que muitas vezes o barulho e a sujeira de uma obra

incomodam muito e alteram nosso ritmo de trabalho. Temos ciência disso e fazemos o máximo para minimizar o transtorno, mas é algo inevitável e que resultará em um melhor ambiente para nós e nossos clientes. Por isso, aproveitamos para agradecer a todos pela paciência e colaboração e lembrar que mudanças e transformações, em um complexo hospitalar como o nosso, são essenciais e se tornam peças do nosso dia a dia e todos vocês fazem parte da história destas transformações.

Diretoria Funfarme/HB

02 Revista do HB - Janeiro - 2013

10 11-13

n

15

n

HB vira redação de vestibular

15

n

Agradecimentos dos usuários

16

latório, podemos destacar a reforma da Ortopedia e também do setor da Bariátrica, que tanto vai ajudar no atendimento aos

08 e 09

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME) Ano X / Nº 133 - Janeiro - 2013 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretor Administrativo HB: Dr. Newton Bordin Júnior • Diretor Clínico: Dr. Jorge Adas Dib • Vice-Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo • Diretor Técnico: Dr. Helencar Ignácio • Vice-diretor técnico: Dr. Helder Sanchez • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Produção Editorial: Intermídia Publicações – Fone: 17- 3353-2083 • Jornalista Responsável: MTB: 24.527 • Produção: Luis Fernando Neves • Diagramação: Roger Goulart • Impressão: Fotogravura Rio Preto • Tiragem: 2000 exemplares


Doações e transplantes

HB encerra 2012 com 230 transplantes realizados O HB realizou 230 cirurgias de transplantes de órgãos e tecidos em 2012. Córnea lidera o ranking com 92 procedimentos, seguido de rim (83), fígado (26), medula (23), pâncreas (3) e coração (3). A instituição realiza este procedimento desde 1990 e está prestes a alcançar a marca de 3.500 pacientes transplantados. Um dos pacientes beneficiados com o transplante foi Sr. Edivaldo, que quase perdeu a vida, porém sempre acreditava que um dia conseguiria “renascer”. Encontrou esta nova oportunidade em um uma doação de órgãos, que resultou em seu transplante. “Eu tive uma complicação devido a diabetes, quase perdi a vida. Mas, por sorte, o pior não aconteceu. Estou vivo, estou feliz. Tenho uma nova chance de vida”, conclui ele.

“Quando eu soube que precisaria de transplante fiquei inseguro, mas graças a Deus deu tudo certo. Agora eu tenho um novo rim. Acabaram as sessões de hemodiálise. Fico mais tranquilo, mais feliz e com as esperanças renovadas.” Edivaldo Oliveira, transplantado de rim

Sr. Edivaldo externa o carinho que sente pela equipe de transplante

Doação de múltiplos órgãos cresce 45% na região Número de captação de córneas cresce e chega a 170 doadores em 2012

O Serviço de Procura de Órgãos e Tecidos do HB (SPOT) registrou um aumento de 45% na captação de múltiplos órgãos em nossa região. Em 2011, 22 famílias que aceitaram a doação de órgãos. Já em 2012, 32 famílias que disseram sim a este ato de amor ao próximo. Outra boa notícia é o aumento de 46% no número de captação de córneas. Em 2011, foram 116 doações, saltando para 170, em 2012. Para o coordenador do Serviço de Procura de Órgãos, Dr. João Fernando Pícollo, a população está cada vez mais informada e isso faz com que aumente as doações. “A população brasileira já é solidária e gosta de ajudar o próximo, mas agora ela está mais informada e isso reflete nos números. Outro ponto positivo é o trabalho que estamos desenvolvendo junto aos hospitais de nossa região, incentivando a notificação do potencial doador”, conclui Dr. Picollo.

Dr. Picollo e James com as enfermeiras de Jales

Revista do HB - Janeiro - 2013

03


Meu Setor

A nova estrutura do Departamento Jurídico A Funfarme (Fundação Faculdade Regional de Medicina) possui cerca de 4.200 funcionários, prestando atendimento médico a mais de 2.500 pessoas por dia. Uma instituição deste porte não poderia deixar de contar com uma estrutura jurídica própria. Reestruturado recentemente, o Departamento Jurídico possui quatro advogados, sendo dois atuantes na área cível e dois na área trabalhista. Mas, ao contrário do que possa parecer, a atuação destes profissionais não se limita somente a defender ações contra a Funfarme, mas sim atuar de maneira preventiva para que situações que coloquem a instituição em risco sejam evitadas. Na área cível, os advogados Luiz Roberto Loraschi e Renato Giaviti atuam na redação e avaliação de contratos comerciais e de prestação de serviço, observando toda a documentação pertinente e as exigências legais da entidade. Também participam nas áreas tributária e fiscal, acompanhando todas as alterações das legislações específicas. Não são apenas ações de indenização, existem também as de procedimento cirúrgico, fornecimento de medicamentos ou de equipamentos específicos e apresentação de documentos relacionados a pacientes como, por exemplo, os prontuários. Na área trabalhista, não é somente na defesa jurídica da instituição que as advogadas Marcela Kilter e Patrícia Nemer atuam. Elas acompanham todas as mudanças na legislação do trabalho e as aplicam junto ao Departamento de Pessoal e Recursos Humanos, emitem pareceres em situações duvidosas na relação de trabalho dos funcionários e avaliam as medidas administrativas a serem tomadas em casos de problemas no exercício da função dos funcionários. Auxiliando e secretariando todos esses trabalhos, o Departamento Jurídico conta com a colaboração da estudante de direito, Débora Cristina Alves, que ocupa o cargo de auxiliar jurídica. O Departamento Jurídico, como um todo, também interage com todos os demais setores do hospital, orientando, tirando dúvidas e estando à disposição para qualquer consulta de qualquer área.

Da esquerda para a direita: Dr. Paulo Nakaoski, Dr. Luiz Loraschi, Dr. Renato Giaviti, Débora, Dra Patrícia Nemer e Marcela Kilter

04 Revista do HB - Janeiro - 2013


HB e a comunidade

Empresário da TV TEM e Rede Bom Dia e promotor de justiça visitam HB J. Hawilla, proprietário da rede de emissoras TV TEM e da Rede Bom Dia de jornais, e o promotor Paulo Humberto visitaram as instalações do Hospital de Base no dia 25 de janeiro. Acompanhados por Diretores e médicos da instituição, Hawilla e Dr. Paulo Humberto conheceram alguns dos setores que fazem o HB uma instituição referência em Saúde, como o Serviço de Transplantes de Órgãos e Tecidos e UTIs, além da Emergência e Pronto Atendimento. Eles confessaram ter ficado surpresos com os números do hospital, como os mais de 40.00 atendimentos mês, as mais de 3.000 cirurgias e o prestígio que o HB e a Faculdade de Medicina desfrutam hoje, atraindo estudantes e profissionais de todo o país. Além dos veículos de comunicação, Hawilla, natural de Rio Preto, é, dono da Traffic, uma das principais empresas de marketing esportivo do Brasil.

O empresário J. Hawilla (ao centro, de óculos) e o promotor Paulo Humberto (de barba ao fundo) são acompanhados por diretores e médicos em visita ao hospital, no final de janeiro

Profissionais do HB se reúnem com representantes da região para apresentar novas propostas para o atendimento ambulatorial Colaboradores da instituição reuniram-se com representantes dos municípios pertencentes à DRS XV, Unidades Prisionais - IPA, CDP, CRF e CPP - e DRS de Araçatuba, Barretos e Araraquara, no dia 12 de dezembro, para aplicar um treinamento que visa estreitar o relacionamento entre o HB e estas instituições clientes. O anfiteatro do mezanino lotou com os 120 pessoas participantes, superando as expectativas dos organizadores. “Apresentamos o programa WEBCAS, da empresa LICITEC, parceira do HB desde a implantação das solicitações para agendamentos de consultas via web e agora desenvolvido para solicitações de exames de acordo com as obrigatoriedades do SUS e exigências internas do serviço”, explicou Rosemary Teixeira, líder de Setor, no Ambulatório. Segundo Rosemary, o sistema proporcionará o conhecimento da demanda interna de exames gerados através de consultas ambulatoriais, permitindo estabelecer parâmetros para análise e busca de resolutividade. “Os municípios terão a possibilidade de inserir as solicitações de exames gerados externamente de acordo com o bolsão oferecido todo final de mês, evitando perdas, extravios e transportes de pastas e tornando o serviço mais organizado e eficiente”, concluiu Rosemary. Revista do HB - Janeiro - 2013

05


Gestão

Instituto Lucy Montoro supera metas e garante eficiência nos tratamentos A instituição realiza uma média de 150 atendimentos por dia

O Instituto de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto superou as expectativas e fechou o balanço das atividades de 2012 com saldo muito positivo. Os atendimentos e procedimentos foram muito além do previsto. Os números mostram a dedicação de toda a equipe em prol da reabilitação dos pacientes. A instituição tinha uma previsão de realizar 4.915 consultas médicas, mas realizou uma quantidade bem acima da média: 6.584 pacientes, ou seja, 1.669 a mais do o programado. A equipe multidisciplinar, que envolve fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, preparadores físicos, enfermeiros e assistentes sociais, deu um show. Segundo a Dra. Regina Chueire, diretora da unidade, ultrapassar a previsão é resultado de um trabalho organizado e bem feito por toda a equipe e de uma boa avaliação e negociação com os fornecedores. “No ano de 2012, era esperada a compra de 744 materiais que auxiliam os deficientes, como próteses, órteses, cadeiras de banho e meios de locomoção, e nós conseguimos adquirir 1.367 equipamentos”, conta Dra. Regina. O Lucy Montoro também realizou, no ano passado, 839 aplicações de toxina botulínica em pessoas com deficiência, procedimento terapêutico que ajuda no desenvolvimento do músculo atrofiado. Fez também 483 oficinas de dança e 219 atividades educativas. “Mais do que números, estes dados representam esperança e alegria aos pacientes que aprendem a recomeçar e superar suas limitações”, finaliza Dra. Regina Chueire.

06 Revista do HB - Janeiro - 2013

Mais de 150 atendimentos por dia 1669 consultas a mais do que o programado A equipe multidisciplinar atendeu mais do 1000% do previsto 1.367 doações de equipamentos e materiais de auxílio aos deficientes

483 oficinas de danças

219 atividades educativas


Gestão

Depoimentos

Alex Brasileiro de Souza

Márcio dos Anjos Borges No dia 10 de dezembro de 2011, Márcio foi a um posto com amigos para assistir a uma partida de futebol. Após o jogo, sofreu um grave acidente quando retornava de moto para casa. Colidiu com um carro e perde os movimentos das pernas. Com apenas 22 anos, Márcio ficou na cama sem conseguir se mover. Logo depois do acidente, foi encaminhado ao Lucy Montoro, onde começou a reabilitação. Hoje, um ano e um mês após o acidente, Márcio já consegue ficar em pé.

Alex sofreu uma lesão na medula após um acidente de moto, há 2 anos. Perdeu os movimentos das pernas e passou a morar com a mãe, em Rio Preto, para poder fazer o tratamento. Alex trabalhava na academia do pai, em Jales. Durante o período terapia no Lucy Montoro, ele buscou por esportes que eram adaptados à sua nova condição. Foi então que descobriu o “handbike”, uma bicicleta pedalada com as mãos. Apaixonado por atividades físicas, Alex teve o apoio dos profissionais do Lucy para ganhar condicionamento físico e equilíbrio para poder praticar esportes.

“Foi um baque quando eu soube que não andaria. Uma rasteira da vida. Mas, graças ao Lucy, eu voltei a ter esperança, pois os resultados me proporcionam isso.”

“Graças ao Lucy, eu recuperei muita coisa e agora meus movimentos estão bem melhores. Eu só tenho a agradecer a todos os profissionais de todos os setores.”

José Damião dos Santos Silva A dificuldade acompanha Damião desde criança. Diagnosticado com paralisia cerebral, o garoto de 15 anos vive uma luta diária para superar-se. Antes de começar o tratamento no Lucy, Damião teve que fazer uma cirurgia (8 de março de 2012) para liberar o tendão atrofiado. Após 4 meses, começou a fazer a fisioterapia e, por causa da operação, ele sentia muita dor. Foi uma batalha, mas conseguiu vencer. Agora Damião deixou a cadeira de rodas e anda com o apoio de muletas. Ele tem esperança... esperança não... certeza de andará sozinho. “Todos são muito legais aqui e me ajudaram a superar o medo e a dor. Valeu cada puxão de orelha, cada esforço, cada lágrima. Graças a Deus, estou bem melhor.”

Grupo de dança do Centro de Reabilitação Lucy Montoro é premiado pela Secretaria de Estado da Cultura “Como a arte pode ajudar a pessoa com deficiência?”. Este foi o questionamento levantado pelo concurso promovido pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Assessoria de Cultura Para Gêneros e Etnias. Realizado no dia 11 de dezembro de 2012, na Sala São Paulo, no prédio da Secretaria de Cultura, o concurso premiou os 17 melhores projetos de inclusão pela arte do Estado de São Paulo. Foram escolhidos projetos de artes plásticas, teatro, artesanato, música, literatura e dança. Apesar de a premiação abranger todo o Estado, o destaque ficou mesmo para a dança com cadeiras de roda. O projeto “Dança inclusiva” do prof. Guto Rodrigues e da fisiatra Dra. Regina Chueire, ficou com uma fatia do livro “Pela arte que se inclui”, lançado no mesmo dia. “Foi uma honra pode fazer parte desse projeto de tamanha importância. Não foi fácil para nós a caminhada, mas o reconhecimento é gratificante”, disse o professor.

Revista do HB - Janeiro - 2013

07


Retrospectiva 2012

Melhorias no Ambulatório em 2012 Abertura de agenda exclusiva e priorizada para funcionários e parentes em primeiro grau (pai, mãe, filhos e cônjuges). Implantação do programa ‘Webcas’ desenvolvido para solicitações de exames gerados sem disponibilidade de vagas. O paciente fica em fila de espera eletrônica e quando agendado, o município visualiza o agendamento e a entrega do protocolo com preparo necessário para o paciente, eliminando a retenção de papéis no setor e o contato via telefone para comunicação do agendamento.

Abertura de horários noturnos e realizações de mutirões de Ressonância com Sedação para redução da fila de espera e agilidade na conclusão do diagnóstico. Realização do mutirão de Risco Cirúrgico para liberação de pacientes aguardando procedimentos cirúrgicos.

Criação e padronização da “Guia de Interconsulta Eletrônica” dando ao médico a possibilidade de encaminhar a outra especialidade e permitindo ao paciente um agendamento interno.

Extensão das agendas de retornos ambulatoriais e exames por um ano, evitando que o paciente retorne à origem sem o devido agendamento.

Criação da sala de parada cardiorrespiratória com três carrinhos completos de parada, inclusive um especial para pacientes pediátricos.

Mudança da farmácia de dispensação de medicamentos para a Rua Bernardino de Campos, com diminuição do número de pessoas em circulação nas dependências do ambulatório.

Substituição gradativa (60% concluída) de ventiladores antigos por modernos de parede e terceirização para elaboração de um projeto para instalação de ar condicionado em todo ambulatório.

08 Revista do HB - Janeiro - 2013

Aluguel do Instituto dos Cegos (ao lado do ambulatório) para ampliação do número de salas de atendimento com projeto aprovado para 27 consultórios, sala de espera para 178 pacientes, sala de reunião, além de um setor de fisioterapia amplo e com aparelhos de última geração para todas as especialidades.


Retrospectiva 2012 Início da reforma e padronização de consultórios do ambulatório, começando pelos consultórios da cirurgia, por exigência do ministério da saúde e da vigilância sanitária para a manutenção da pactuação da cirurgia da obesidade e da pediatria.

Desenvolvimento de um programa de auditoria eletrônica para os auditores de faturamento do ambulatório do SUS, dispensando o uso de papeis, desde a solicitação até a aprovação do exame ou procedimento (em fase de implantação). Atualização e modernização de todo parque da tecnologia de informação do ambulatório, tornando seu uso mais rápido e eficiente.

A padronização tem como objetivo aumento das salas de espera, eliminando os corredores. Reforma dos consultórios com mesas e divãs novos, cadeiras adequadas para médicos e pacientes, mudança do piso, rebaixamento de teto, colocação de painéis de chamada, aumento da aeração e utilização de cores leves.

Elaboração do projeto e início da reforma da ala da ortopedia com consultórios e salas de esperas exclusivas para a psicologia, terapia ocupacional e assistência social, além de aumento de três consultórios para a ortopedia, ampliação e adequação da sala de espera para o tipo de paciente atendido e construção de um anfiteatro multidisciplinar.

Troca de bebedores de jato d’água (pouco higiênicos) por purificadores de água com copos descartáveis para pacientes, médicos e funcionários.

Redução drástica de papéis arquivados desnecessariamente, através da conscientização e reuniões com os diversos setores.

Em construção Construção de almoxarifado com estoque de materiais exclusivo para o ambulatório e controle de pacientes. Construção da ala administrativa.

Implantação de painéis de chamada de pacientes por senha em todas as salas de espera da clínica médica, laboratório de coleta e ICA e aquisição para os demais setores.

Projeto de ampliação do Instituto do Câncer-HB até a Rua Raul Silva, com 33 salas de atendimento, três salas de procedimentos, salas de reuniões e sala de espera para 250 pessoas.

Revista do HB - Janeiro - 2013

09


Pesquisa de satisfação

Pacientes e acompanhantes aprovam os serviços do Instituto do Câncer O Instituto do Câncer (ICA) do HB realizou pesquisa de satisfação com seus usuários, ouvindo quem utiliza o serviço e pode ter uma visão diferenciada. Os pacientes e seus acompanhantes avaliaram desde a recepção até o atendimento médico, passando por equipes multidisciplinares, limpeza e até voluntários. O resultado da pesquisa retrata a qualidade do atendimento oferecido pelos profissionais do ICA à população.

Veja o percentual de clientes que consideram excelente ou bom o atendimento de cada setor do ICA • Recepção e internação: 97% dos clientes ouvidos consideram excelente ou bom • Enfermagem: 95% • Atendimento médico: 95% • Serviço Social: 79% • Psicologia: 95% • Terapia Ocupacional: 100% • Nutrição: 100%

“Fui diagnosticado com câncer de reto há 3 anos, e, no mesmo instante, comecei o tratamento no ICA. Apesar de estar abalado, o apoio da minha família foi essencial para que eu seguisse em frente. Aqui no Instituto, eu encontrei uma equipe humana, que me trata com respeito e dá todo o suporte emocional que a gente precisa. Eu só tenho a agradecer.”

• Trabalho dos Voluntários: 100% • Limpeza do ambiente: 97%

Antônio de Souza Filho, 55 anos

Você recomendaria o serviço do Instituto do Câncer a parentes ou amigos?

100% disseram “Sim, eu recomendaria.

“Descobri que tinha câncer há 8 meses. Fui encaminhada para o ICA e comecei a fazer o tratamento. Devido ao câncer que ficava no meu intestino, perdi uma parte do órgão. Mas, graças a Deus, eu fui atendida por uma equipe maravilhosa, com pessoas totalmente preparadas para atender as necessidades de quem sofre com a doença. Estou no final do tratamento e estou muito agradecida a todos.” Aparecida Luciana Garçon , 42 anos

10 Revista do HB - Janeiro - 2013


Retrospectiva 2012

Resumo do HB em 2012

Janeiro

• 1249 kits escolares entregues: 880 funcionários beneficiados. • HB realiza a 1ª captação de Pulmão da história da instituição e anuncia que terá o serviço de transplante de pulmão em breve.

Fevereiro Abril

• HB adquire 3 ultrassons de última geração: O investimento no valor de R$465 mil traz qualidade, segurança e eficácia aos profissionais do Centro Cirúrgico e Emergência • HB contempla 96 colaboradores com bolsas de estudo em nível superior e técnico.

• Lucy Montoro entrega mais de 50 cadeiras de rodas e banho para pacientes com deficiência física e motora.

Março

• Novas instalações no Ambulatório: Nova cozinha, refeitório e sala de convivência dos funcionários. • Novo setor: Central de documentação, instalada no prédio administrativo do HB – o “Poupatempo” do SUS. • HB é incluído no programa eficiência energética da CPFL • HB inaugura Serviço de Cuidados Paliativos em 23 de março

• Unidade Semi-intensiva: nasce um novo setor: Novo ambiente, novo clima e transformação total, essas são as palavras que definem o novo setor que ocupa o lugar da antiga Unidade Intermediária. Inaugurado em abril, o setor é divido em cuidados neurológicos, paliativos e gerais. Revista do HB - Janeiro - 2013

11


Retrospectiva 2012

• Centro de Reabilitação Lucy • HB ganha o prêmio Montoro avalia 500 pacien“Hospitais mais lindos tes de toda a região de Rio do Brasil”, ficando entre Preto, Araçatuba e Barretos os 12 hospitais mais para produção e doação de votados no concurso órteses e próteses. promovido pela empre- • HB reestrutura setor de sa Bionexo do Brasil. raios-x do Ambulatório e troca aparelho obsoleto por um digital.

• HB cria “Time de Resposta Rápida” – Um grupo criado para prevenir paradas cardiorrespiratórias. Visa reduzir as complicações e mortalidade nos pacientes hospitalizados por meio da detecção precoce dos sinais de risco.

Maio • HB é eleito, pelo Ministério da Saúde, “nível A” em transplantes e com isso conseguiu um aumento de 60% em repasse para este procedimento.

Junho

Agosto • Funfarme e Famerp reestruturam Serviço de Verificação de Óbitos – A instituição investiu mais de R$500.000,00 em equipamentos e nova estrutura. O serviço realiza mais de 100 autópsias por mês.

• Estado libera R$25 milhões para projeto de revitalização e modernização do HB. 12 Revista do HB - Janeiro - 2013

• HB reestrutura Arquivo Geral – Em novas instalações, com ventilação e espaço adequado; os arquivos começam a ser digitalizados.


Retrospectiva 2012

• HB e Senac formam 47 novos técnicos de enfermagem: Parceria proporcionou atualização profissional e promoção na instituição.

Dezembro

• HB realiza culto ecumênico de natal: Profissionais e visitantes participaram de uma celebração para agradecer pelo ano e pedir paz e amor em 2013.

• HB inaugura novo portal com objetivo de facilitar a comunicação e a informação de seus usuários.

Novembro

• HB inaugura Laboratório HLab. A nova unidade atende as áreas da patologia clínica e medicina laboratorial. Já é considerado um dos melhores laboratórios do Brasil.

Setembro • Rede Lucy Montoro comemora 1 ano de atividades com mais de 40 mil atendimentos prestados aos pacientes da região. • HB investe em acessibilidade – Profissionais do HB ouviram deficientes físicos para investir em melhorias de acessibilidade no prédio da instituição.

• HB realizou mutirão de cálculo renal com procedimento inédito na instituição.

• HB inaugura biblioteca literária: Com objetivo de incentivar a leitura e a cultura, a instituição inaugurou uma biblioteca com mais de 1000 obras.

• HB é premiado como o “Hospital que mais notifica doadores de órgãos no interior”, pela Secretaria de Saúde do Estado.

Outubro

Revista do HB - Janeiro - 2013

13


Perfil

De professora de história e geografia a enfermeira Francisca, mais conhecida como Chica do Centro Cirúrgico, iniciou a vida profissional como professora de história e geografia em uma cidade vizinha, mas se apaixonou pela enfermagem, através da irmã, que fazia faculdade na área. Não pensou duas vezes, começou a estudar para prestar o vestibular da Famerp. Estudou intensamente durante 6 meses e atingiu seu objetivo, entrou na IV turma de enfermagem, da Faculdade de Medicina de Rio Preto. Ela conta que no início não foi fácil, por muitas vezes teve de comer marmita fria, pois não tinha dinheiro para comprar comida. “A faculdade era em tempo integral. Eu tinha uma motinha, mas a gasolina só dava pra ir e voltar, não tinha como almoçar em casa e aqui não tinha como esquentar. Então eu trazia a comida e comia ela fria. Eu tinha um sonho e não era isso que iria me atrapalhar”, conta ela. Mesmo com tantas dificuldades, ela nem pensava em desistir e sabia que com muito esforço e dedicação atingiria todos seus objetivos e um deles era trabalhar no Centro Cirúrgico do HB. “No estagio da faculdade eu me apaixonei pelo serviço do Centro Cirúrgico, quando me formei prestei a prova para aprimoranda deste setor, era o que eu queria, o que eu tinha me identificado. Passei, fiz 2 anos de aprimoramento, fui contratada e estou até hoje aqui. Firme e feliz”, diz. Ela comenta que nunca reclamou de um plantão, nem “Na época da faculdade mesmo no Natal ou Ano Novo e que isso faz parte da profisde enfermagem eu comia são; vem trabalhar feliz. No centro cirúrgico, ela está sempre marmita fria, no intervalo ativa, correndo para lá e pra cá. “Para ser enfermeira a pessoa precisa amar o que faz. Nós de turno. Não tinha dinheiro trabalhamos com vida, nossa agilidade e bom desempenho, pra comprar e não tinha principalmente no Centro Cirúrgico, pode salvar um paciente. onde esquentar, mas valeu Nunca venho trabalhar de mau humor e nem reclamo de a pena, hoje, quando eu plantão. Faz parte da minha profissão e eu amo o que faço”, lembro, dou risada” ressalta. Francisca conclui dizendo que se pudesse voltar no tempo faria tudo outra vez e que hoje se sente realizada profissionalmente e pessoalmente.

Pacientes terão auxílio de sinalizações coloridas para se localizarem

Maria Francisca de Souza Lima se formou na 4ª turma de enfermagem da Famerp e atua no Centro Cirúrgico do HB desde o tempo de aprimoranda em 1998.

Com o objetivo de humanizar e facilitar o acesso dos clientes, familiares e visitantes aos serviços do HB, o Setor de Hotelaria, em parceria com a Superintendência Assistencial, realizou o projeto de sinalização de piso. “Utilizamos as cores amarelo, azul e vermelho, iniciando nas principais entradas de acesso à portaria - próxima à catraca dos funcionários, no piso subsolo e na portaria da entrada da quimioterapia e hemodiálise, no piso térreo”, explicaram Andreza e Silvia, responsáveis pela Hotelaria. Segundo elas, a sinalização de piso foi instalada com o propósito de direcionar os clientes aos serviços mais utilizados do hospital, que possuem maior movimentação e procura e onde foi constatada maior dificuldade de localização e acessos. Assim, pacientes e visitantes localizam os setores seguindo as linhas coloridas Andreza e no chão e através das numeraSilvia mostram ções de corredores específia sinalização cos. colorida no chão e nas paredes dos corredores

14 Revista do HB - Janeiro - 2013


Prata da Casa

Entrevista com Dr. Fernando Batigália vira tema de redação em vestibular de medicina A matéria “Corpo virtual substitui cadáver em aulas”, com Dr. Fernando Batigália, publicada no jornal Diário da Região, em agosto de 2012, foi o tema proposto da redação do vestibular da Faculdade de Medicina de Jundiaí, realizado pela Vunesp, em dezembro passado. A matéria explica que corpos virtuais e modelos de órgãos humanos em isopor são algumas das alternativas para driblar a falta de cadáveres em aulas de anatomia nas faculdades de medicina brasileiras e mostra que Rio Preto segue o mesmo caminho. Isto porque a oferta de corpos cai enquanto a criação de novos cursos cresce em todo o país. Só em Rio Preto, duas instituições foram abertas, com 160 vagas. “Fiquei muito feliz com este tema, porque foi uma oportunidade para rediscutir as estratégias de ensino e de aprendizado em medicina, uma vez que é uma realidade a aprovação desenfreada de cursos de medicina no Brasil”, disse Dr. Batigália.

Departamento de Cardiologia é credenciado pela SBC Em dezembro, o Hospital de Base recebeu a visita de diretores da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) Pedro Sarsky e Nelson Siqueira de Moraes que, após reunião com integrantes do Departamento de Cardiologia do HB, propuseram o credenciamento da residência em Cardiologia. Os diretores da SBC avaliaram todos os setores envolvidos com a cardiologia: enfermagem, UTI’s, centro de pesquisa, corpo decente e materiais didáticos. A Comissão Julgadora do Título de Especialidade em Cardiologia aprovou, no dia 2 de janeiro, o credenciamento da residência na especialização de cardiologia. Segundo o documento de aprovação, serão disponibilizadas 4 vagas de especialização em cardiologia por ano. De acordo com a I Diretriz da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Processos e Competências para a Formação em Cardiologia no Brasil, todos os estágios credenciados deverão oferecer pré-requisito de 2 anos em Clínica Médica, sendo que esta especialidade também deverá ser credenciada pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica ou Comissão Nacional de Residência Médica. Dr. José Carlos Aidar Ayoub e a Dra. Maria Helena Sardilli acompanharam os colegas da SBC durante a avaliação. Segundo a Dra. Maria Helena, eles ficaram “impressionados” com o trabalho feito pelo Departamento de Cardiologia. Para os residentes, o credenciamento significa vantagens na hora de obter o título de especialização, além do prestígio que é conferido à Faculdade de Medicina de Rio Preto e ao Hospital de Base.

“Isso prova que todos os elementos trouxeram resultados positivos. Estamos felizes por nossos residentes e com sentimento de dever cumprido.” Dr. José Carlos Aidar Ayoub, Diretor do Departamento de Cardiologia do HB

Revista do HB - Janeiro - 2013

15


Agradecimentos Obrigado por tudo

Obrigado pela vida do meu filho Obrigada HB pela vida do meu filho! Em especial a UTI Pediátrica e a todos os profissionais que cuidaram dele (ele foi diagnosticado com sepse ); e vocês cuidaram dele e hoje ele é um menino lindo e forte e já esta com 2 meses e meio.............. OBRIGADA!

Sou neta do Sr. Antonio Lopes Pimenta, que nos deixou no dia 27 de dezembro, queria agradecer a toda a equipe que cuidou dele, porque vocês fizeram o possível para ele melhor, então queria agradecer por tudo. Esses são meus votos de agradecimento a vocês. Gabi Pimenta – via Facebook

Laiane Reis – via Facebook

Carta de agradecimento pela vida de meu filho No dia 12 de outubro do ano passado, após trágico acidente, meu filho de 2 anos deu entrada na UTI pediátrica deste hospital em estado crítico. As primeiras avaliações eram bastante desanimadoras e o prognóstico se mostrava bastante reservado. O tempo ia passando e bravamente meu filho Túlio ia resistindo e após 47 dias de internação na UTI e 4 dias na enfermaria ele receberia alta hospitalar. Estávamos muito abalados emocionalmente com aquele quadro porém o tratamento que recebemos e principalmente meu filho recebeu nos chamou muito a atenção. Desde a portaria, onde os funcionários nos tratavam pelo nome, até os funcionários da UTI, todos demonstraram dedicação pelo trabalho e amor ao próximo num momento tão difícil. A equipe médica chefiada de forma irretocável pela Dra. Maura, a quem serei eternamente grato, demonstrou total domínio do saber médico, dedicação ímpar à profissão, e amor e caridade ao próximo. Deixou-me sem palavras a dedicação da equipe de enfermagem que não sabia o que fazer para nos trazer conforto naquele momento e o amor que dedicavam ao meu filho me deixava tranquilo como se estivesse sendo cuidado por um familiar nos momentos em que não estávamos presentes. Não posso deixar de agradecer à equipe de fonoaudiologia, fisioterapia e terapia ocupacional, assim como a Neurologista Dra Regina Albuquerque, Fisiatra Dra Regina Chueiri, o Endoscopista Dr. Francisco, Dr Gusson, Dr. João da oftalmologia, Dra Luciana (Radiologia), toda a equipe de médicos da UTI pediátrica (Dr Fernando, Dra Marina, Dra Mariana, Dr Marco, Dra Maria Adélia), os residentes da pediatria, neurologia e otorrinolaringologia. Eu e minha esposa somos médicos e já conheci vários hospitais e com certeza não encontrei nada parecido em outros locais. Agradeço a Deus pela vida do meu filho e por ter colocado esses profissionais no meu caminho. Eu aprendi muito como ser humano e como médico. Um grande abraço a todos os profissionais deste Hospital “Fora” de Base! Fernando L. Faria Votuporanga-SP

16 Revista do HB - Janeiro - 2013

Obrigado por tudo equipes do HB Já faz um ano que sofri o acidente, vocês me salvaram. Muito obrigado, nunca vou ter como agradecer. Se alguém se lembrar de mim, me adiciona no Facebook, meu nome é Fernando Rodrigues, de Piracicaba. Meus parabéns por vocês salvarem vidas, eu queria tanto ir até vocês pra agradecer, mas a distancia impede. Que vocês todos tenham um feliz 2012. Um grande abraço, com carinho. Fernando Rodrigues e família– via Facebook

Agradecimento especial Gostaria de agradecer a equipe da clínica médica, ao RH - Dr.Paulo Nakaoski, Cristiane, Rafael e Midori - aos funcionários da emergência, 2º andar e a lavanderia pelo interesse – em especial a Sueleni e Adevania - carinho e a dedicação que tiveram com minha mãe (Leonice Conceição Leoncio), pois a mesma estava internada com uma doença rara chamada síndrome de sheiran. Obrigado a todos. (Ficou internada do dia 23/11/12 a 06/12/12 – 14 dias)

Cilene Regina Leoncio de Souza colaboradora da Lavanderia.

Agradecimento equipe da UTI Pediátrica Minha sobrinha está internada no HB, na UTI, o nome dela é Ana Carolina Paixão, e que esteve em estado gravíssimo, mas graças a DEUS, e aqueles ANJOS (MÉDICOS E ENFERMEIRAS) ela está melhor, gostaria que você transmitisse esta mensagem, de muito obrigado por tudo o que eles fizeram e estão fazendo e que DEUS continue a abençoar aqueles anjos que lá estão para cuidar das pessoas. Muito obrigado, toda a família está muito feliz e agradecida a todos do HB. Que DEUS abençoe a todos. Clelio José de Oliveira

1 revista hb janeiro 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you