Page 1

Ano X / Nº 143 - Novembro 2013

Uma instituição que já nasce grande! Pg. 10 a 14


Editorial

Mudança para o Hospital da Criança e Maternidade ficará na história

EDITORIAL

A história da Funfarme vem sendo construída, sobretudo, pela superação de enormes desafios, transpostos graças à tenacidade, dedicação e profissionalismo de nossos funcionários. Em novembro de 2013, nossa fundação comemorou uma nova conquista: o início de atividades do Hospital da Criança e Maternidade. Para abrir suas portas para os milhões de habitantes de nossa região, foi preciso, mais uma vez, que nossa comunidade se unisse para vencer mais um desafio: em uma operação talvez inédita na história do país, funcionários da Funfarme uniram-se para, antes do raiar do dia 15 de novembro – um feriado, é importante salientar – iniciarem a transferência de 90 pacientes do HB para o HCM, muitos deles inspirando extremo cuidado. Vinte eram recém-nascidos prematuros, transportados em suas incubadoras. Menos de 28 horas depois, já na manhã de 16 de novembro, todos os pacientes estavam internados no Hospital da Criança e Maternidades, sãos e salvos. Não houve sequer um registro de intercorrência, felizmente. Cansados, porém felizes e orgulhosos, funcionários se cumprimentavam e comemoravam o feito. Jornais, rádios, TVs e sites de notícias acompanharam de perto a transferência, registrando momentos ímpares, como o nascimento de Felipe, o primeiro bebê. O sucesso da megaoperação transcorrida nos dias 15 e 16 é resultado da conjunção de diversos fatores: semanas de planejamento minuciosamente elaborado, envolvendo lideranças e profissionais de vários setores da fundação, como médicos, enfermeiros, engenheiros e demais profissionais da Saúde, TI, hotelaria, administração, segurança, entre muitos outros, e o profundo envolvimento de funcionários de toda a instituição. Como já disse anteriormente, as Diretorias do Hospital da Criança e Maternidade e da Funfarme têm plena consciência de que a instituição não está 100% pronta. Há muito o que fazer. Aliás, diariamente, temos a sensação de que há sempre algo a fazer mais no Hospital de Base, ambulatório, ICA, hemocentro, enfim, em cada uma de nossas instituições. Mas é assim mesmo. Esta sensação de obra inconclusa advém do fato de nós nunca estarmos satisfeitos por termos a certeza de que podemos oferecer sempre mais e melhor à população de nossa região. Muito obrigado, um feliz Natal para você e sua família e um 2014 repleto de realizações. Diretoria Funfarme/HB

São os votos de todo complexo da Funfarme/Famerp 02 Revista do HB - Novembro - 2013

Sumário n

HB e Famerp publicam 1º livro

03

n

Neuro: ano de resultados positivos

04

n

Inscrições abertas para Prêmio

05

n

Funfarme/Famerp têm novo portal

06

n

Hemocentro recebe várias atrações

07

n

HB fala de pacientes terminais

08

n

Otorrino: 1º lugar em Congresso

09

n

HCM: Entusiasmo no novo hospital

10 a 14

n

Hemodiálise sorteia árvore natalina

15

n

Biblioteca do HB completa um ano

n

Perfis e Cartas e Agradecimentos

18

n

Profissionais do mês

19

n

Campanha Novembro Azul

20

16 a 17

Expediente Informativo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (FUNFARME) Ano X / Nº 143 - Novembro - 2013 • Diretor Executivo da Funfarme: Dr. Horácio José Ramalho • Vice-Diretor Executivo Funfarme: Dr. José Luís E. Francisco • Coordenador de RH e DP: Dr. Paulo Nakaoski • Diretor Administrativo do HB: Dr. Jorge Fares • Vice-Diretora Administrativa do HB: Dra. Amália Tieco R. Sabbag • Diretor Clínico: Dr. João Fernando Picollo de Oliveira • Vice-Diretor Clínico: Dr. William José Duca • Diretor Técnico: Dr. Paulo Nogueira • Vice-Diretor Técnico: Dr. Maurício de Nassau Machado • Diretor do Hemocentro: Dr. Octávio Ricci Júnior • Diretor do Ambulatório: Dr. Aldenis Borim • Diretora do Lucy Montoro: Dra. Regina Chueire • Diretoria de Transição do HCM: Dr. Antônio Carlos Tonelli Gusson e Dra. Eloísa Galão Produção Editorial: Intermídia Publicações Telefone: 17 3353-2083 Jornalista responsável: MTB 24.527 Jornalista: Fernanda Martinazzi Estagiária: Juliana Elias Diagramação: Roger Goulart Impressão: Fotogravura Rio Preto Tiragem: 2000 exemplares


Funfarme – referência em pesquisa

Médicos ex-alunos laçam o primeiro livro na área médica da história da Funfarme

Dr. Horácio discursa na abertura do coquetel, evento realizado para lançamento do livro

Os médicos ex-alunos da Famerp Rômulo Augusto dos Santos, Emerson Cestari Marinho e Renata Gonçalves Campos lançaram o “Manual de Condutas Práticas em Endocrinologia e Metabologia”, em coquetel, no dia 18 de novembro, no anfiteatro do Hospital de Base. Diretores do HB/Funfarme/Famerp, que estiveram presentes no evento, enfatizaram que a obra é a primeira

de muitas a serem lançadas. Também compareceram na comemoração professores e alunos da faculade, colegas médicos e familiares dos autores. “Estamos muito orgulhosos por vencermos este desafio de publicar um livro que, acreditamos, será muito útil para os residentes de medicina. E pensar que o livro nasceu de um pedacinho de papel com um esboço de ideia do Emerson”, lembrou Dr. Rômulo. Pela primeira vez, pesquisador do Para o diretor-executivo da FunCIP – HB/Funfarme representa o Brasil farme, Dr. Horáem comitê de estudo internacional cio José Ramalho, o livro Dr. Gustavo Girotto, investigador e oncologista do é resultado concreto da Centro Integrado de Pesquisas (CIP) do Hospital de produção científica, uma Base, foi convidado para ser o representante do Bra- das principais vertentes sil em um Comitê Diretivo do Estudo Multicêntrico da Funfarme/Famerp/ Internacional em Câncer de Ovário. O trabalho será HB, ao lado da pesquisa conduzido pelo “European Network of Gynaecological e assistência. Oncological Trial Groups”. Esta é a primeira vez que “Estamos muito felium profissional do CIP participa deste tipo de pesquisa. zes com a obra. Temos muitos profissionais de saúde altamente capacitados, que poderão lançar outros livros importantes não só para seus colegas, como também para a comunidade”, declarou o Dr. Horácio. Para o Dr. Antonio Carlos Pires, chefe da

Disciplina de Endocrinologia e Metabologia da Famerp/HB, o livro é uma mostra de que a instituição ultrapassa suas fronteiras e ganha o mundo. “O livro é muito valioso como auxílio aos colegas no diagnóstico das patologias, baseado na extensa experiência dos profissionais de nosso hospital, que é um centro de referência”, declarou. O manual é dividido em nove partes e trata de temas como neuroendocrinologia, doenças tireoidianas, doenças das adrenais, e pâncreas endócrino, metabolismo lipídico e obesidade; gônodas, distúrbios do crescimento e desenvolvimento, doenças osteo-metabólicas, distúrbios endocrinológicos na gestação e emergências em endocrinologia. Revista do HB - Novembro - 2013

03


Equipe da neurocirurgia comemora resultados positivos das mudanças feitas na Emergência

CRÉDITO: PEGN – 2009

Aprimoramento de Getão

Dr. Ângelo Maset é o responsável pela equipe de neurocirurgia e pela reestruturação dos processos na Emergência

Dr. Dionei Morais (segundo, a partir da direita) e alguns dos integrantes da equipe da Neurocirurgia do Hospital de Base

Após um ano, a equipe do Departamento de Neurocirurgia comemora os resultados positivos, obtidos a partir de mudanças implementadas na estrutura e nos procedimentos do setor, sobretudo na Emergência. “Estamos muito felizes por constatarmos que as mudanças permitiram a maior integração do Departamento com outras áreas do hospital e o melhor atendimento aos pacientes e seus familiares”, afirmou Dr. Dionei. Uma das mudanças é a manutenção de, pelo menos, três profissionais

24 horas por dia na emergência, sendo sempre um neurocirurgião, um residente 3 ou 4 e um residente 1. “Com isso, os pacientes são atendidos com mais rapidez, colaborando para um melhor resultado”, afirma Dr. Ângelo Maset, coordenador do Departamento no setor. Na emergência, a equipe agora possui uma sala, com secretária e infra-estrutura, o que permite maior integração entre seus médicos e residentes e destes com colegas de outras especialidades.

O atendimento aos familiares de pacientes, sobretudo numa especialidade em que os casos são por vezes muito delicados, foi aprimorado. O horário foi alterado das 8h para após as 10h30, quando os médicos já visitaram seus pacientes no hospital e tem mais tempo e tranquilidade para atender estes familiares. “Eles não precisam f icar mais esperando. A conversa é marcada com antecedência, benef iciando nós, médicos, e os familiares”, conclui Dr. Maset.

Mudança de procedimentos faz índice de infecção no implante de DVE cair pela metade Simples mudanças de procedimentos e maior atenção a outras questões foram suficientes para reduzir pela metade, em apenas três meses, o índice de infecção de um dos procedimentos mais realizados pela neurocirurgia: o implante de DVE (derivação ventricular externa). O sucesso da iniciativa resultou num manual, enviado à Sociedade Brasileira de Neurocirurgia para receber seu aval e que será disponibilizado para qualquer instituição de saúde do país. Mudar ou rever procedimentos foi simples, mas exigiu a mobilização de todos os profissionais envolvidos. O projeto começou em junho passado, com o treinamento 04 Revista do HB - Novembro - 2013

de 360 enfermeiros e 15 residentes, com aulas teóricas e práticas, foram revistos o passo a passo do implante de DVE e todas as ações relacionadas antes e depois do procedimento. “Reavaliamos desde o implante em si até simples atos como, por exemplo, lavar as mãos duas vezes e usar dois pares de luvas para realizá-lo”, explicou Dr. Maset. Os novos procedimentos e a técnica cirúrgica foram disponibilizados em banners afixados em diversos pontos e na intranet para serem consultados a qualquer tempo. Dr. Dionei ressalta que já nos aproximamos dos índices de infecção tidos como aceitáveis nas melhores instituições internacionais e o projeto está sendo refinado para tal.


Funfarme – referência em pesquisa

Inscrições para o Prêmio de Incentivo à Pesquisa estão abertas

1º Prêmio Hospital de Base FUNFARME/FAMERP de Incentivo a Pesquisa

Atenção, residentes! Estão abertas as inscrições para o 1º Prêmio de Incentivo à Pesquisa, promovido pela Funfarme/Famerp. Para participar, o médico residente deve ter publicado ou apresentado artigo científico durante o ano de 2013. Em janeiro próximo, serão conhecidos os autores dos dois melhores trabalhos, sendo que o primeiro receberá 1.500 reais e o segundo, um tablet. De acordo com Dr. Emerson Quintino, coordenador da Coreme, o prêmio é destinado aos melhores trabalhos científicos produzidos. “O objetivo é incentivar a pesquisa e premiar o médico que tenha contribuído significativamente para a medicina”, completa. Para o diretor executivo da Funfarme, Dr. Horácio Ramalho, o prêmio é uma maneira de reconhecer o trabalho dos médicos residentes. “É uma iniciativa importante da instituição, além de reconhecer o profissional da saúde, também colaboramos para a área da pesquisa”, acrescenta.

Melhor Publcação ou Apresentação por Médicos Residentes ano de 2013 Os 2 melhores trabalhos serão Premiados 1º lugar: R$ 1.500,00 2º lugar: 1 tablet Inscrições: 18/11 a 18/12/2013 Local: Coreme - FAMERP Premiação: Janeiro/2014

As inscrições devem ser feitas na Coreme, até o dia 18 de dezembro Participe! Para concorrer ao prêmio é necessário estar atuando nos programas de residência médica da Funfarme/Famerp, além de ter publicado ou apresentado artigo em congresso esse ano.

Onde entregar seu material Três cópias da publicação ou do resumo ampliado do trabalho devem ser entregues na COREME, em um envelope identificado com o nome do residente e a área de atuação.

Dermatologia é a especialidade mais disputada na prova de Residência Médica da Funfarme/Famerp A Funfarme/Famerp realizou, nos dias 19 e 20 de novembro, a primeira fase de provas do Processo Seletivo dos Programas de Residência Médica. Foram 985 inscritos, este ano, em 51 especialidades da me-

dicina. Os programas com o maior número de candidatos foram Clínica Médica, com 183, e cirurgia Geral, com 117. Apesar disso, a área mais concorrida foi a dermatologia (21.3 candidatos/vaga).

O resultado do Processo Seletivo sai no dia 15 de janeiro e será publicado no site da Famerp (www. famerp.br). A data provável para as matrículas é de 29 a 31 de janeiro de 2014.

A primeira etapa do Processo aconteceu nos dias 19 e 20 de novembro Revista do HB - Novembro - 2013

05


Funfarme na web

Portal científico da Funfarme/Famerp já está no ar

Instituição conta agora com um portal destinado à área da saúde Foi lançado no último mês, pela Funfarme/Famerp, o Portal Científico. A página é destinada à publicação de artigos, além de ser um canal informativo, que conta com notícias e enquetes relacionadas à área da saúde. O portal foi criado pela Funfarme. Para publicar no site, o médico ou residente deve procurar o chefe da sua especialidade e encaminhar o conteúdo, que será avaliado e posteriormente inserido na web. O endereço do portal é www.portalcientif icohb.com.br. Também é possível acessar o link, através do site do Hospital de Base.

“Hoje, a internet é um dos principais canais de comunicação. Ter um portal científico significa a possibilidade de compartilhar dados importantes para a área de saúde, trocar e divulgar informações de interesse da comunidade acadêmica de maneira ágil.” Dulcimar Donizeti de Souza, Diretor Geral da Famerp

“É a primeira ação da instituição nesse sentido e de extrema importância, pois irá funcionar como um site de busca, informação e principalmente de atualização para os profissionais. Além de possuir um caráter multidisciplinar.” Drª. Suzana Lobo, diretora da junta de pesquisa da Famerp 06 Revista do HB - Novembro - 2013

“O site pode ser, sem dúvida, um instrumento de buscas, com caráter informativo e de orientação para que os profissionais da área tenham acesso aos materiais publicados e desenvolvam novos projetos para publicação.” Dr. Moacir Fernandes de Godoy, Chefe da hemodinâmica do departamento de cardiologia

“O Portal irá agregar conhecimento, contribuindo assim, para toda a comunidade cientifica, médica e acadêmica.” Dr. Emerson Quintino, coordenador da Coreme

“O portal científico é uma oportunidade para compartilhar informações relevantes à área da ciência.” Dr. Horácio Ramalho, diretor executivo da Funfarme

“O portal científico é uma nova ferramenta disponível aos médicos e residentes do HB que vai permitir maior integração e troca de informações dentro das especialidades. Esperamos que a sua utilização possa superar nossas expectativas como um novo meio de atualização médica.” Dr. Maurício Machado, Cardiologista chefe do HB


Dia do Doador Voluntário de Sangue

Entretenimento com compromisso

Diário da Região - 4/12/2013

Na última semana de novembro, o Hemocentro ficou bastante animado. A administração preparou diversas atividades especiais para atrair a população. A iniciativa faz parte de uma campanha nacional de incentivo à doação, sempre realizada na semana do Dia do Doador Voluntário de Sangue (25.11). Foram feitas apresentações de dança, de músicas (voz e violão e instrumentais) e mágica. A estudante Krisly Dark foi surpreendida quando chegou ao Hemocentro e garante que o ambiente ficou mais descontraído. “Adorei as atrações, a programação está ótima, a gente fica mais relaxada assistindo aos artistas enquanto espera pra fazer a doação”, afirma. De acordo com a responsável pelo setor de captação, Luciana Ferreira, com o fim do ano, a demanda por sangue pode aumentar. Em termos de coleta, a ação foi um sucesso. Se comparada com a semana imediatamente anterior a da campanha (18 a 24 de novembro), “o número de bolsas de sangue no período cresceu 30%”, pontua Luciana.

Revista do HB - Novembro - 2013

07


Eventos

HB realiza IV Simpósio de Segurança do Paciente

12ª Turma de medicina realiza encontro após 19 anos de formados

Prevenir! Esta palavra sintetiza o que predominou nas palestras do IV Simpósio de Segurança do Paciente, realizado pelo polo de Segurança de enfermagem de Rio Preto, ligado à REBRAENSP – Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente. O evento aconteceu no anfiteatro Fleury, no dia 07 de novembro. Este intercâmbio não é fato isolado, como enfatiza a coordenadora do polo de Rio Preto e superintendente assistencial da Funfarme, Maria Regina Lourenço Jabur. “Enfermeiros de diversas instituições reúnem-se bimestralmente para discutir estratégias de segurança do paciente. Durante as reuniões, trocamos experiências e, posteriormente, aplicamos nas nossas instituições hospitalares e de saúde co-

letiva”, explica. Durante o Simpósio, foi divulgado o Programa Nacional de Segurança do Paciente, instituído recentemente pelo Ministério da Saúde. Além do programa, os participantes falaram também das estratégias para a realização de cirurgias seguras. O simpósio teve como palestrantes Drª Fernanda Gimenes de Sousa, professora de enfermagem da USP de Ribeirão Preto e membro da REBRAENSP; Cléber Aparecido de Oliveira, enfermeiro do Setor de Gerência de Riscos do Hospital de Base, Elisabete Tedokon, enfermeira do Setor de Gerência de Riscos do Hospital Escola Emílio Carlos, de Catanduva, e Marcus Vinicius de Oliveira, conselheiro e segundo secretário do Coren-SP.

Após 19 anos, turma reuniu-se na escada do mezanino para fotografar o reencontro

Com o objetivo de rever os companheiros de classe e resgatar gostosas lembranças, os alunos da 12ª turma de medicina da Famerp, formada em 1994, promoveram um encontro no dia 1º de novembro, no HB. Cerca de 50 médicos e alguns de seus professores à época estiveram presentes na confraternização. “Optamos por realizar o encontro no HB para que os ex-alunos pudessem conferir a evolução do hospital e da faculdade, pois muitos não voltavam à instituição há 19 anos”, disse Drª. Ana Paula, Bogdan, organizadora do encontro, junto com Drª. Amália Tieco e Dr. Neto Perezzi.

Estudos do HB/Famerp são primeiros colocados no 43º Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia A equipe da Liga de Otorrino da Famerp/ Funfarme conseguiu o primeiro lugar em dois estudos desenvolvidos por médicos e residentes do HB no 43º Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia, que aconteceu em novembro. Os autores dos trabalhos Dra. Larissa Fabri e Dr. Bruno Mendes no evento que aconteceu em São Paulo, no premiados são: Larissa Palácio de Convenções do Anhembi Fabbri, Rafael de Paula e Silva Felici de Souza, Bruno Aparecido dos Santos Mendes, Flavia Bertonha Cunha, Gabriela Ricci Lima Luz, Claudia Pereira Maniglia, José Victor Maniglia 08 Revista do HB - Novembro - 2013

Da esq. para dir. (à frente): Dr. Padovani, Dra. Francini Páuda (camisa estampada), Dra. Daniela Monteiro e Dr. Atílio Fernandes. Ao fundo, Dr. Diego Vasconcelos, Dr. Tiago Nakamoto e Dr. José Eduardo Pinheiro

Tratamento de infecções das vias aéreas superiores é tema de encontro no HB Especialista em diagnósticos de infecções, Dra. Francini Pádua, otorrinolaringologista da Unifesp, esteve no HB, no último mês, para falar sobre diversos tratamentos das infecções das vias aéreas superiores. O encontro aconteceu no mezanino do hospital, com o intuito de atualizar os médicos sobre o tema em questão. Estiveram presentes na reunião representantes dos Departamentos de Pediatria e de Otorrinolaringologia do Hospital de Base.

Fotografia: Xavier Neto

Profissionais de várias instituições reunidos no auditório Fleury para discutirem estratégias que garantam a segurança do paciente


Eventos

I Simpósio de Cuidados Paliativos

promovido pelo HB lota anfiteatro Fleury

Dr. Toshio Chiba, em sua palestra, contou suas experiências no ICESP Mais de 200 profissionais estiveram no evento

Nos dias 21 e 22 de novembro, aconteceu o I Simpósio de Cuidados Paliativos, promovido pelo Hospital de Base de Rio Preto. As mais de 200 vagas disponibilizadas para funcionários da saúde já haviam se esgotado três dias antes do prazo final de inscrição. Dra. Anielli Nakazone, coordenadora do serviço de Cuidados Paliativos do HB e uma das organizadoras do evento, destacou que “o sucesso do Simpósio se deu pela qualidade das palestras e discussões e também pelo número de ouvintes alcançado”. O encontro aconteceu no auditório Fleury, da Famerp. Estiveram presentes na abertura oficial, os Drs. Jorge Fares, Diretor Administrativo do HB, e João Fernando Picollo, Diretor Clínico. Eles ressaltaram a importância de se manter um setor deste na instituição e que a Diretoria busca novos investimentos na área. Com o tema “Cuidados Paliativos - Definição e Experiência”, o primeiro a dar palestra foi o geriatra e

Comissão organizadora do Simpósio

Chefe dos Cuidados Paliativos do Instituto do Câncer de São Paulo (ICESP), Dr. Toshio Chiba. “O assunto ainda é tabu. No entanto, os profissionais que trabalham na área têm de entender as necessidades do paciente e lidar melhor com a situação. Só assim o paciente terminal terá dignidade no atendimento”, frisou Chiba. Ainda no primeiro dia de evento, falaram outros dois médicos do ICESP, Drs. Milena Reis e Valmir Cedotti. Já no segundo dia, foram realizadas quatro mesas redondas com os temas “Experiência de serviço: Barretos, ICESP (enfermaria e UTI) e HB”, “Aspectos psicológicos e espirituais do paciente terminal”, Hipodermóclise: indicações e restrições” e “Ética e Morte”. “As pessoas estão mostrando um interesse maior pelo assunto, procurando se informar e isso é muito importante”, finaliza Dra. Patricia Cury, médica do setor de Cuidados Paliativos e uma das coordenadoras do evento.

Dr. Eudes Quintino, ministrou palestra sobre ética e morte Revista do HB - Novembro - 2013

09


Hospital da Criança e Maternidade

Que trabalho fantástico! Acompanhe, foto a foto, a transferência da primeira paciente, a RN Ana Juliah Vitória Belo Ferreira, para o Hospital da Criança e Maternidade Na manhã do dia 16 de novembro de 2013, médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde e de áreas de apoio se olhavam com um misto de alívio, intensa alegria e sentimento de “dever cumprido”. Após 28 horas de uma operação jamais vista na história da Saúde no Brasil, 90 recém-nascidos, bebês e gestantes – alguns de alto risco – foram transferidos do Hospital de Base para o Hospital da Criança e Maternidade. As centenas de reuniões de preparação, as seguidas simulações de transporte de pacientes feitas nas semanas anteriores e as centenas de checagens e rechecagens para que tudo estivesse funcionando, tudo valeu à pena quando, já na manhã do dia 15 de novembro, o Hospital da Criança e Maternidade começou a funcionar, a partir das 6 horas e, 1 hora e 9 minutos depois, recebeu o primeiro paciente transferido, o RN Ana Juliah Vitória Belo Ferreira, de 30 semanas e meia e 975 gramas (veja as fotos do transporte acima e na outra página). E assim foi ao longo do dia com outros RNs e bebês, crianças e gestantes. Por volta das 10 horas da manhã do dia 16, todos os pacientes já estavam internados no HCM. “Foi um trabalho primoroso, que vai ficar na história da instituição e de Rio Preto”, disse Dr. Horácio José Ramalho, diretor executivo da Funfarme. “E tudo graças ao empenho dos funcionários do Hospital de Base e do Hospital da Criança e Maternidade, que se envolveram de corpo e alma nesta grande operação. Muito obrigado a todos”, agradeceu Dr. José Luís Esteves Francisco, vice-diretor executivo da Funfarme.

10 Revista do HB - Novembro - 2013

“Logo no primeiro dia de mudança, realizamos também a primeira cirurgia no HCM! Sinal que tudo correu como o planejado”. Michele Ribeiro Achcar, enfermeira do Centro Cirúrgico pediátrico, há 03 anos na instituição.

“Emocionei-me muito com mudança! É claro que fica a dade do HB, mas estou feliz novo local de trabalho”.

Lucia Maria de Godoy, auxiliar administrativa da enfermaria da pediatria, há 18 anos trabalha na

“Fiquei muito empolgada com a mudança. No HCM as condições de trabalho do funcionário melhoraram e a qualidade nos atendimentos aos pacientes também”. Juciléia Braga, auxiliar de enfermagem do setor de ginecologia, há um 1 ano e cinco meses na instituição.

Médicas e enfermeiras comemoram va chegada de Ana Juliah à UTI Neonatal do HCM; o sucesso repetiu-se no transporte de todos os pacientes entre os dois hospitais

“Durante a semana da mudança a ansiedade tomou conta. A expectativa era que desse tudo certo e assim aconteceu”.

Karina Luiz Machado neo-natal, há 10


!

Hospital da Criança e Maternidade

Funcionários se envolvem de corpo e alma e fazem megaoperação de mudança dos pacientes para o Hospital da Criança e Maternidade acontecer de maneira irrepreensível

a saucom o

a instituição.

o Rodello, funcionária da UTI 0 anos na instituição.


Hospital da Criança e Maternidade

Funcionários demonstram alegria e “É uma criança linda que nasceu”, afirma a auxiliar administrativa Lira Almeida (foto abaixo), referindo-se ao hospital. Após 21 anos trabalhando no Hospital de Base, Lira resume o sentimento de todos os funcionários que se transferiram para a nova instituição. “O Hospital de Base é a nossa vida, lembranças que guardaremos para sempre com muito carinho. Mas temos um hospital ótimo, com uma super-estrutura, o que nos deixa muito felizes”, completou Lira. Nesta e na próxima página, as imagens de alguns dos funcionários e equipes de diversos setores do Hospital da Criança e Maternidade. Sucesso a todos neste novo desafio!

Revista do do HB HB -- Novembro Março - 2013 - 2013 12 12 Revista

Logomarca do HCM é atualizada A logomarca do Hospital da Criança e Maternidade passou por uma revisão, em que foi introduzida uma novidade, um detalhe bastante emblemático para a instituição. Para ficar ainda mais evidente que as “pernas” da letra H representam a mãe e o filho, a “perna” maior, em perspectiva, ganhou uma saliente barriguinha e seio, emprestando-lhe as graciosas linhas de uma gestante.

HCM

Hospital da Criança e Maternidade


Hospital da Crianรงa e Maternidade

entusiasmo no novo hospital

Revista RevistadodoHB HB- Novembro - Fevereiro - 2013

13


Hospital da Criança e Maternidade

Colaboradores se emocionam ao fechar a porta do Centro Obstétrico do HB pela última vez Após 16 anos de funcionamento, o Centro Obstétrico do HB fechou as portas em momento dominado pela emoção. Alguns dos funcionários mais antigos fizeram questão de trancarem a porta juntos. A enfermeira Lásara Magnani, há 12 anos no CO, disse, entre lágrimas: “Vai restar a saudade do HB, mas o orgulho de fazer parte de um novo hospital é único.” Leia Mônica Rodrigues, técnica em enfermagem, completou: “Acompanhei o funcionamento desde o começo, por isso, fechar as portas foi tão marcante. Mas senti a mudança como uma renovação, quando o ambiente de trabalho nos faz bem, consequentemente, atendemos melhor o paciente.”

14 Revista do HB - Novembro - 2013

Felipe, de Paulo de Faria, foi o primeiro a nascer

“É uma maravilha! Parece mais um hotel cinco estrelas do que um hospital”, afirmou a professora Kadge Buzatto Huaixon, enquanto olhava em volta ao entrar no Hospital da Criança e Maternidade para ser a primeira gestante a ter seu filho na nova instituição. O impacto e a emoção experimentados por Kadge foram os mesmos que os de seu marido, Frank, que confessa ter ficado assustado ao saber que seriam transferidos para outro hospital, mas depois foi só elogios: “É tudo muito bonito, novinho. Tivemos sorte de ele nascer neste dia”, comemorou. Felipe nasceu, às 10h30, com 2,8 quilos e 47 centímetros, para ficar na história do Hospital da Criança e Maternidade e da Funfarme.


Natal

Funcionários e pacientes da Hemodiálise montam árvore de natal União, solidariedade, compartilhar ações e emoções. Imbuídos deste espírito, funcionários, pacientes e acompanhantes deram ares natalinos ao setor de Hemodiálise do Hospital de Base. Desde o dia 13 de novembro, uma árvore de natal foi colocada na sala de espera do lugar e os enfeites do pinheiro foram trazidos voluntariamente por quem faz tratamento. No entanto, mais do que embelezar, a ideia é motivar e inspirar todos aqueles que frequentam o setor semanalmente. A ação surpreendeu às organizadoras. Ana Cristina Gouveia, enfermeira da Hemodiálise, querendo melhorar o ambiente, reproduziu um trabalho desenvolvido em outra instituição de saúde. “Achamos que só ficaria entre pessoas mais ativas. Mas a coisa foi contagiante. Até pacientes acamados se empolgaram”, afirma Ana Cristina. “O foco não está no custo. Pedimos para que cada um trouxesse de casa um enfeite que não usava mais e o ajeitasse no pinheiro. Agora ele está assim, lindo, repleto de todo tipo de artigo natalino”, explica a Psicóloga do setor, Leny Gonçalves Ferreira. No total, contribuíram 46 pessoas. Todos os envolvidos na ação participaram de um sorteio. O ganhador levou para casa, nada menos, nada mais, que a própria árvore de Natal. O premiado foi seu Sebastião Vilela do Nascimento, paciente da Hemodiálise.

“União nós sempre tivemos, mas com a árvore tudo fica mais feliz”

“Gostaria de ganhar o sorteio, pois nunca tive uma árvore de Natal” Maria de Fátima da Silva – paciente

Leda dos Santos Ricardi acompanhante

O sorteio foi realizado no dia 3 de dezembro, na sala de espera da Hemodiálise.

Leny e Ana Cristina batalharam para que o projeto existisse

Na sala de espera, a turma de hemodiálise unida e esperançosa em levar a árvore para casa Revista do HB - Novembro - 2013

15


Cultura

Biblioteca do HB completa 1 ano A biblioteca fica aberta de segunda à quinta-feira, das 7h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h30, exceto sexta-feira, quando funciona até as 16h30.

2.785

às 1.050 obras que compunham o acer vo na livros cadastrados, inauguração da um aumento de biblioteca. 157% em relação

390

A partir da esquerda, a bibliotecária Jaqueline, Cleide, Sirlei e Yuri

ários, funcion dos, ran aprimo es e t e resid n e s o n alu s m rara cadast rios. suá como u

3.231

s

empréstimo para usuários.

817

livros foram emprestados a pacientes, entre abril, quando começaram os empréstimos para as pessoas internadas no hospital, e setembro.

16 Revista do HB - Novembro - 2013

Em novembro, a Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo completa um ano de atividades e, a julgar pelos números abaixo, já mostrou o quanto é importante como espaço de lazer e disseminador de cultura e conhecimento para a comunidade da Funfarme e pacientes e acompanhantes do Hospital de Base. A comunidade não só da Funfarme, mas de Rio Preto, retribuiu o presente dado em novembro de 2012. A biblioteca foi inaugurada já com expressivo acervo de 1.050 livros, que foi ampliado em mais de 150%. Como era de se esperar, os livros tornaram-se valiosas companhias para muitos pacientes do HB. Rogério Moreira, paciente da hemodiálise, faz empréstimo regularmente na biblioteca. De maio até setembro, “degustou” sete livros. Sergio Arnould, em tratamento na oncologia, também é um assíduo frequentador, retirando livros e revistas e também contribuindo com novas obras. Para a bibliotecária responsável, Jaqueline Batista da Silva, o primeiro ano superou as expectativas. “O movimento vem aumentando sempre, sobretudo o de pacientes e acompanhantes. Fico muito feliz por poder trabalhar com o que amo e oferecer conhecimento, cultura e lazer a tanta gente”, diz Jaqueline.

Leitores falam de “seu” espaço com carinho “Comecei a trabalhar na Funfarme em dezembro e fiquei surpreso e muito feliz por termos uma biblioteca. Perdi a conta de quantos livros já peguei.”

“Aqui, a gente amplia nosso conhecimento sem custo algum. Sempre levo livros para minha filha. Assim, ela aprende e melhora de vida.”

“Este espaço é maravilhoso, deixa o conhecimento mais próximo de nós.”

Yuri Khauan, menor aprendiz do Setor de Compras

Cleide de Fátima dos Santos, auxiliar de lavanderia

Sirlei Miranda, do Faturamento do SUS


Cultura

O homenageado Dr. José Paulo Cipullo sempre foi amante dos livros. Há 40 anos na instituição, a biblioteca do HB hoje leva o seu nome. Dr. Cipullo chegou a arrecadar mais de 200 exemplares para compor o acervo do local. “O livro desperta a imaginação do leitor. A leitura tem que ser estimulada e a biblioteca do HB cumpre esse papel ao disponibilizar os livros para os seus funcionários, médicos e pacientes”, explica.

Biblioteca móvel Há 06 meses a biblioteca itinerante circula pelos corredores do HB, levando literatura aos pacientes, acompanhantes e funcionários da instituição. Elaine Cristina da Paz está internada no HB em tratamento e já pegou dois livros. “Assim que descobri que havia uma biblioteca móvel no Hospital solicitei um livro de poesia. Desenvolvi o hábito de leitura graças à minha filha e hoje o livro se tornou um ótimo companheiro”, disse.

Além da realidade Maria da Conceição está há alguns dias no Hospital, em companhia do seu pai, Luiz Felix da Silva, de 76 anos, que está internado. Ela já efetuou dois empréstimos na biblioteca do HB e lê para ocupar melhor o tempo. “Gosto de ler para o meu pai, levando ele para outra realidade, assim o tempo passa mais rápido”, declara Maria.

Colaboradores da Funfarme que mais pegaram livros na biblioteca são premiados Com o objetivo de incentivar a leitura, a Diretoria da Funfarme – Fundação Faculdade Regional de Medicina, premiou no início do mês, os três funcionários que mais pegaram livros na Biblioteca do Hospital de Base nesse primeiro ano de funcionamento. Cada um recebeu um vale, no valor de R$ 100, para realizar compras em uma rede nacional de livrarias. Yuri Pessoa, menor aprendiz do setor de compras, foi o colaborador que mais efetuou empréstimos, retirando 51 livros. Rochele Cristina Klunck, do setor de faturamento, retirou 37 exemplares e Vanessa da Cruz Yllana, auxiliar de enfermagem, pegou 28 livros. A premiação faz parte das comemorações do primeiro ano da Biblioteca Dr. José Paulo Cipullo.

“Fiquei surpresa com a premiação, não esperava ser uma das funcionárias que mais lê na instituição. Vou fazer bom uso do meu vale.” Rochele Klunck, auxiliar de faturamento da Funfarme

“Sempre passava em frente à biblioteca do HB e um dia resolvi entrar, fiz o cadastro e nunca mais parei de pegar livros.” Vanessa Yllana, enfermeira da Funfarme

“Para me levar até a biblioteca a chefe do meu setor pediu ajuda para carregar algumas caixas e quando chegamos ao local veio a surpresa: fui premiado com um vale compras. Fiquei muito feliz, com o prêmio vou poder aumentar o meu acervo de livros pessoal”, Yuri Pessoa, menor aprendiz do setor de compras da Funfarme

Revista do HB - Novembro - 2013

17


Perfis

Funcionárias do HB se emocionam ao falar sobre a profissão Em meio a milhares de funcionários, Eulália Barbosa da Silva se destaca por sua simpatia e entusiasmo. Há 25 anos, a auxiliar de limpeza, conhecida no Hospital de Base como Lála, percorre os corredores da instituição com seu carrinho de faxina. “Cuido de deixar tudo limpo, para que as pessoas tenham um ambiente de trabalho agradável”. Com um sorriso sempre presente no rosto, a profissional não se deixa abater pela rotina diária e afirma: “gosto de fazer o que faço”. Entre um setor e outro ela conversa com funcionários e cultiva amizades: “ando pelo hospital e vou cumprimentando todo mundo. As pessoas até brincam dizendo que eu pareço ‘política’”. Fora do expediente, Eulália se ocupa com o seu maior hobby: costurar! Em sua casa, a mulher montou um ateliê, onde cria e reforma roupas, o que possibilita que ela tire uma renda extra. “Gosto demais de trabalhar no HB, assim como também gosto de costurar, por isso concilio os dois serviços e sigo feliz”, explica.

Para Vera Lucia da Costa o dia começa cedo, às 04 da manha ela já está de pé. Com uma rotina diária, há 27 anos, a auxiliar de cozinha do Hospital de Base apanha um ônibus no bairro onde mora e segue para a instituição, onde inicia suas atividades às 06 horas. A funcionária fala com alegria nos olhos sobre o gosto que tem pelo que faz e declara ter conquistado muitos amigos durante o tempo de trabalho. “Somos uma família aqui no setor, e não poderia ser diferente, são tantos anos de serviço que a gente acaba se apegando”, explica. Apesar das dificuldades do dia a dia, ela se considera uma pessoa feliz e completa. Em meio à correria, ela concilia o trabalho com a prática de serviços assistenciais. “Eu e um

grupo de amigos sempre realizamos campanhas, montamos cestas básicas ou prestamos algum tipo de serviço ao próximo”, explica. Após o expediente ela segue para casa, no lar é ela quem cuida dos serviços domésticos, inclusive os desenvolvidos na cozinha e confessa: sempre quando entra algum prato novo para o cardápio do HB ela copia a receita, e em casa faz para a sua família.

HB e você - Agradecimentos Obrigado, muito obrigado pelo tratamento que recebi quando estive internado,a todos os profissionais que trabalham para que nos tivéssemos um período menos doloroso,obrigado pelo carinho, pela competência e pela paciência.

A equipe que trabalha neste Hospital esta de parabéns. Minha mãe está internada aí e só tenho a agradecer a todos, principalmente à equipe de cardiologia. Que Deus abençoa a todos. Até a próxima.

Quero agradecer, de coração, a todos os enfermeiros do posto 2, do 6andar, que cuidaram do meu marido, Emersom Ricardo Ipolito, com muita dedicação. Nossa, eles são maravilhosos. Que Deus abençoe abundantemente a todos vocês que trabalham com muita competência e muito carinho... Só tenho a agradecer, hoje e sempre. O meu muito obrigado.

Erich Hans Geyer – Barretos – SP

Celia Alves de Paula – Orindiúva – SP

Silvana Cristina Leute Ipolito – S. J. Rio Preto

18 Revista do HB - Novembro - 2013


Profissionais do mês

Parabéns aos nossos Fonoaudiólogos e Engenheiros Dia do Fonoaudiólogo

Para refletir

Ciência, espiritualidade e saúde

9 de dezembro A fonoaudiologia da Funfarme conta com 27 profissionais da área, sendo seis aprimorandas e três residentes. Os serviços oferecidos pela equipe vão desde aprendizagem correta de amamentação (no HCM) até exames audiológicos e reabilitação de fala e linguagem (Ambulatório de Especialidade e Instituto Lucy Montoro).

Dia do Engenheiro 11 de dezembro Rodrigo Plazas, Abílio Martins Jr e Maria José Zeituni formam a equipe de engenheiros da Fundação. Respectivamente, eles trabalham nas áreas de Clínica, Elétrica e Civil. Esta última, conta com três estagiários que auxiliam nos projetos desenvolvidos para a Funfarme.

Diante de uma doença, inúmeras pessoas recorram à religião e à espiritualidade para realizar o enfrentamento de tais situações; os valores e as crenças de cada indivíduo servem, em amplo aspecto, para elevar a autoestima, prover significância aos acontecimentos vividos, possibilitar conforto emocional e sentimento de esperança. Apoiadas na religião, algumas pessoas acreditam ter um auxílio extra: A FÉ! Entretanto, quando falamos em religião, espiritualidade e fé, não podemos desconsiderar que “mecanismos sobrenaturais” podem estar envolvidos; porém, cientificamente falando, o sobrenatural é algo que não pode ser provado nem refutado. O fato é que, nas últimas duas décadas, alguns estudos têm demonstrado que as pessoas que possuem fé, independentemente de religião, têm uma chance maior de cura quando comparada àquelas que não a possuem. Atualmente, há muita discussão sobre o papel das temáticas supramencionadas na saúde e há cada vez mais estudos confirmando que as crenças e as práticas religiosas têm efeitos positivos sobre o enfrentamento e a velocidade de remissão de alguns distúrbios, principalmente emocionais. Um número maior de pesquisas é necessário e, enquanto aguardamos e produzimos esses estudos, programas de suporte espiritual/religioso podem ser implementados como forma de enfrentamento de inúmeras doenças. “A ciência sem religião é incompleta; a religião sem ciência é cega...” Albert Einstein Osvaldo Lourenço da Silva Júnior – Enfermeiro coordenador de estudos clínicos do CIP Esta coluna dedica-se a ideias e informações que nos tornem pessoas e profissionais melhores. Para participar, envie e-mail à imprensa@hospitaldebase.com.br e imprensa2@hospitaldebase.com.br.

Revista do HB - Novembro - 2013

19


Campanha Novembro Azul

ICA celebra novembro azul

Equipe de colaboradores da área da saúde e administrativa, responsáveis pela campanha no ICA

O Instituto do Câncer de Rio Preto (ICA) aderiu ao Novembro Azul, campanha de combate ao câncer de próstata, em 2011. Daquele ano até o final de 2012, o número de diagnósticos da doença registrados no ICA aumentou 33%. Até outubro deste ano, já foram computados mais de 5100 atendimentos com a constatação do carcinoma. De acordo com o Dr. José Carlos Mesquita, chefe da urologia no ICA, “nestes três anos, cresceu também a quantidade de pessoas que procuram por cuidados e, portanto, essa elevação nos números; Mais pacientes, mais diagnósticos e maiores as possibilidades de trata-

mento”, explica. Houve um grande avanço nesta área médica, a técnica cirúrgica também evoluiu bastante e, por conta disso, o índice de incontinência urinária em pacientes operados, hoje, não passa de 3%. Além disso, é possível fazer intervenções cirúrgicas em homens acima de 75 anos diagnosticados com o câncer. “Quando a expectativa de vida, nesta faixa etária, é maior que 10 anos, conseguimos operá-los, o que dá mais dignidade ao doente”, afirma Dr. Mesquita. Uma das ações do Novembro Azul foi ministrar palestras em diversas empresas da região.

Na saúde e na doença Emocionada, Dra. Ana Márcia Cunha, anestesista do HB, conta que perdeu o chão quando recebeu a notícia que seu pai, Hugo Rodrigues da Cunha, tinha câncer de próstata. O primeiro nódulo foi descoberto aos 70 anos. Depois de dez anos de tratamento no ICA, um segundo tumor foi encontrado. “Ele nunca tomou remédio para nada. De repente, tinha de tomar medicamentos contra o carcinoma”, desabafou Dra. Ana Márcia. Hoje, aos 86 anos, Hugo segue bem e é acompanhado de perto pela filha e pela equipe do ICA.

Dra. Ana Márcia Cunha sempre foi apegada ao pai. Nas fotos, ela e Hugo Cunha em diferentes fases da vida

20 Revista do HB - Novembro - 2013

11 revista hb novembro 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you