Page 1

nº 07 ano 3 - 2017

“NÃO HÁ PLANO MELHOR QUE OS FUNDOS DE PENSÃO” Renato Follador, especialista em Previdência

CONHEÇA SEUS INVESTIMENTOS

PROGRAMA DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA

NOVA ANÁLISE DE PAGAMENTO

Prevenildo é o novo mascote da campanha de educação financeira

Pioneirismo da Fundação Copel é destaque em órgão do Ministério da Saúde

Conheça as principais mudanças


PREVIDÊNCIA

Editorial

O DESAFIO DO PRESENTE É

PENSAR NO FUTURO

ÍNDICE

Imagine que você faz parte de um grupo privilegiado com cerca de outras 13 milhões de pessoas. Esse é o número de brasileiros que possuem previdência privada no Brasil. Os participantes dos fundos de pensão são ainda menores e, por isso, é tão importante difundir esse segmento. Tanto a previdência privada, quanto a pública enfrentam desafios. De um lado discute-se a necessidade de uma reforma para manutenção dos benefícios dos futuros aposentados, do outro manter a solidez dos planos previdenciários e a longevidade dos beneficiários. Esse tema complexo e ainda pouco conhecido é a caixa preta da sociedade. E tem mobilizado o governo, trabalhadores e sociedade civil. Com todas as pontas amarradas é preciso atuar na difusão do conhecimento e ao estímulo à poupança previdenciária para viabilizar uma transição da vida laborativa para a aposentadoria mais tranquila. Tendo em vista que a cada novo governo mudanças são propostas sobre o tema no sistema público, a revista Toda Vida se propõe a esclarecer a importância em priorizar os investimentos para o futuro e o lugar certo para fazê-lo. Estudos apontam que dos 34 milhões de aposentados no país, apenas 1% tem renda suficiente para manter os gastos mensais sem precisar trabalhar ou receber auxílio de familiares e 66% recebem apenas 1 salário mínimo do benefício público. A pergunta central à quem não deseja fazer parte de estatísticas tão negativas é: que atitude você tem tomado hoje para garantir estabilidade financeira na sua aposentadoria? Pensando nisso que a Fundação Copel tem centrado seus esforços para levar aos participantes, e também à sociedade, campanhas de educação previdenciária. E você participante precisa ficar atento aos desdobramentos do assunto para entender que as decisões tomadas hoje impactam na construção do seu amanhã. O grande desafio, portanto, é antecipar-se ao para conquistar dias tranquilos na aposentadoria. A tarefa inicial é destinar parte do seu tempo para conhecer com mais profundidade o tema e esta edição da Revista Toda Vida foi estruturada para mostrar qual é o caminho mais seguro para garantir bons frutos futuros.

EXPEDIENTE

INVESTIMENTOS

Lindolfo Zimmer Presidente

12

Conheça seus Investimentos: Você conhece, investe e confia

14

Investir no futuro: A hora certa é agora

17

Imposto de Renda: Conheça o benefício para quem investe em previdência

José Carlos Lakoski Diretor Financeiro Claudia Cristina Cardoso de Lima Diretora de Administração e Seguridade Priscila Grein Orreda Gerente do Departamento de Comunicação e Relacionamento

05

Entrevista Renato Follador “Não há plano melhor que os fundos de pensão”

07

Previdência: o plano é olhar para o futuro

09

Fundo de pensão: segurança e rentabilidade em seus investimentos

10

2017: Um novo plano, mais melhorias

SAúde 20

Programa de Atenção Farmacêutica é reconhecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar

23

A vida fora da empresa: novas habilidades e bem-estar

Romiana Oyama Coordenação Editorial Amanda Burda Revisão de texto Contenido Projeto Gráfico e Editoração Marcos Lins Direção de Criação Leila Paula Maria Sandra Gonçalves Reportagens

NOVIDADES 26

Atenção Primária: a Fundação Copel prioriza saúde e qualidade de vida

28

Nova análise de pagamento: conheça as principais mudanças

29

Espaço Transparência: a gestão da FC nas suas mãos

30

A Fundação Copel ouve você

BEM-ESTAR 33

Por um ambiente de trabalho diverso

36

Respeito à vida

38

O mundo só muda para quem se atreve a transformá-lo


Previdência

Previdência ENTREVISTA

“NÃO HÁ PLANO MELHOR QUE OS FUNDOS DE PENSÃO”

1 05

Entrevista Renato Follador “Não há plano melhor que os fundos de pensão”

07

Previdência: o plano é olhar para o futuro

09

Fundo de pensão Segurança e rentabilidade em seus investimentos

10

2017: Um novo plano, mais melhorias

Para Renato Follador, especialista em previdência, o modelo da Fundação Copel é ainda mais atraente por garantir, de saída, 100% de rentabilidade

F Para Follador, todo trabalhador deve ter um plano de previdência privada.

ormado em engenharia civil e em administração de empresas, com MBA em alta direção de empresas pela ESADE, de Barcelona, Renato Follador é um consultor em previdência com 30 anos de experiência no ramo. Por isso, seu nome vem sempre à mente quando se deseja ter informação precisa sobre o assunto. Defensor da educação previdenciária, o especialista já foi secretário da Previdência do Paraná, além de ter criado e implantado diversos fundos de pensão, entre eles a Fibra, destinado aos funcionários brasileiros da Itaipu Binacional, que geriu por algum tempo. Nesta entrevista exclusiva à reportagem de Toda Vida, Follador comenta a proposta de Reforma da Previdência do Governo Federal e ressalta a importância da previdência privada para todos os trabalhadores.

5


Toda Vida- Qual sua avaliação sobre a proposta de Reforma da Previdência?

6

Previdência

Toda Vida- E por que a previdência no Brasil está nessa situação? Em quais aspectos o sistema poderia melhorar?

Renato Follador - Quando se planeja uma Renato Follador - A previdência privada dá cerreforma da previdência é preciso levar em conta to no mundo inteiro graças à aplicação do fator as carências, a fórmula de cálculo e a fórmula de previdenciário, que é a fórmula que retrata o equilíreajuste do benefício. No caso das carências, por brio financeiro e atuarial. E é um princípio dos funexemplo, é óbvio que é preciso fixar uma idade mídos de pensão, como no caso da Fundação Copel. nima. Hoje a idade média para aposentadoria enAcredito que democratizar o acesso à previdência tre os países da Organização para a Cooperação privada é uma das alternativas para melhorar o sise Desenvolvimento Econômico (OCDE), entidade tema. Por exemplo, todo trabalhador formalmente global do qual o Brasil faz parte, é de 64,5 anos. A registrado poderia destinar recursos do Fundo de idade mínima de 65 anos é prudente tanto para hoGarantia do Tempo de Serviço (FGTS) para um funmens quanto para mulheres. Mas acredito que dedo de previdência. veria existir uma diferenciação, no que diz respeito ao tempo de contribuição, de mulheres e homens. Toda Vida- Hoje, 99% dos empregados das Em função da dupla jornada patrocinadoras participam as mulheres deveriam trabado fundo de previdência da lhar cinco anos a menos, por “Mais de dois Fundação Copel. No modeexemplo. terços da poupança lo adotado, cada R$ 1 real investido pelo trabalhador Toda Vida- Como vai previdenciária vêm é seguido de mais R$ 1 por funcionar a regra de transidos juros. E em parte das patrocinadoras. ção dos trabalhadores que previdência há dois Com a sua experiência, o seestão próximos da aposennhor vê no mercado outros tadoria, caso a proposta da fatores fundamentais: planos com um retorno tão reforma seja aprovada? tempo e dinheiro. grande, de 100% de rentabiRenato Follador - Há Quanto mais se tem lidade? pessoas que já cumpriram as um, menos se precisa Renato Follador - A adecarências e que, mesmo sem do outro.” são é voluntária e a empresa terem pedido aposentadoria está dobrando o dinheiro, ainda, têm o direito adquirido garantindo 100% de rentabilisob a luz da legislação atual. dade. É só entender um pouquinho de aritmética E há também a expectativa de direito para aqueles básica para ver que ficar de fora é um péssimo neque estão no meio do caminho. A regra de trangócio. A relação 1 por 1 adotada pelas patrocinasição como está proposta valerá apenas para hodoras é correta tecnicamente, totalmente justa e mens com mais de 50 anos e mulheres com mais representa um benefício excepcional para o trabade 45. Por exemplo: digamos que há dois trabalhalhador. Isso não existe no mercado financeiro. Além dores a um ano da aposentadoria caso a reforma disso, por serem os fundos de pensão entidades entre em vigor, um deles com 49 anos 11 meses sem fins lucrativos, toda a rentabilidade do investie 29 dias, outro 50 anos. O que já completou 50 mento é revertida para as cotas dos participantes. anos trabalharia um ano e meio e se aposentaria. É diferente quando se escolhe um PGBL ou VGBL O outro, por uma questão de um ou dois dias, tede banco, onde há risco e altas taxas de adminisria de trabalhar mais 15 anos para se aposentar aos tração para remunerar os acionistas e as forças de 65 de idade. Isso afetaria negativamente alguns travendas. Analiso centenas de planos por mês, para balhadores. Acredito no modelo em que todos os pessoas que me consultam para saber se o plano que já ingressaram no mercado de trabalho teriam é bom, se rende bem e etc. Não há plano melhor a alteração de 50% do tempo que falta hoje para se que os fundos de pensão. Nunca vi. E isso pelo fato aposentar. de que toda rentabilidade é transferida para a cota do segurado.

PREVIDÊNCIA, O PLANO É OLHAR PARA O FUTURO

A

s alterações nas normas dos planos previdenciários ocorrem em virtude das mudanças socioeconômicas no país. Não foi diferente com a previdência da Fundação Copel ao migrar do Plano Unificado para o Plano III, único vigente hoje na entidade. O Unificado, extinto em 1998, tem como característica o benefício definido e está diretamente ligado ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), pois trata-se de um complemento ao benefício público. Em contrapartida, o atual remunera conforme a contribuição do participante e é autônomo à previdência pública. O empregado irá se aposentar com a soma que investiu ao longo da carreira e as contribuições podem variar de 2% a 12% do salário, além das outras aplicações como aportes e contribuições extras. A Diretora de Administração e Seguridade, Claudia Cristina C. de Lima explica que caso a proposta de reforma na previdência seja aprovada, nada muda para quem aderiu ao Plano III. “O que gere a Fundação Copel, mesmo com a reforma, é o regulamento do plano, segundo premissas e regras mínimas do plano que o empregado aderiu”, explica. Para os participantes do Plano Unificado a

“É essencial que todos entendam a previdência para aproveitar todos os benefícios da Fundação Copel”

regra continua a mesma, ou seja, como são geridos como complemento à previdência pública, se aprovadas as novas regras os participantes desse modelo serão impactados pelos ajustes. Para quem planeja uma aposentadoria tranquila e sem preocupações, há ainda a possibilidade de fazer aportes e contribuições extras. Esses recursos, que podem ser injetados na poupança previdenciária, podem vir, por exemplo, de parte do décimo terceiro ou das bonificações por participação nos lucros. O ex-conselheiro do Conselho Regional de Economia do Paraná (Corecon) e do Conselho Federal de Economia (Confecon), o economista Daniel Poit entende que o modelo da Fundação Copel é o melhor negócio do mundo em parâmetros previdenciários e reforça as vantagens do modelo. “É como se o seu salário, dentro do valor que será investido, fosse dobrado”. Vale destacar que não existe no mercado externo – seja em cooperativas de crédito ou bancos privados - um modelo de previdência que renda de imediato o dobro do valor. O rendimento para essas instituições se resume aos juros do mercado sobre o montante que o participante investe.

7


Previdência

A FUNDAÇÃO SE PREOCUPA COM O SEU FUTURO. E VOCÊ?

TIPOS DE CONTRIBUIÇÃO

Conscientizar o participante. É isso que a Fundação Copel faz sempre que um novo empregado começa a atuar em uma das patrocinadoras. A partir de um calendário mensal, com atividades de educação previdenciária entre outras ações que fazem parte do Programa Viva Tranquilo, a entidade apresenta todas as informações sobre o plano de previdência. Uma delas diz respeito às formas de contribuição, como os aportes, que têm papel fundamental no investimento, pois o saldo na aposentadoria será maior. Em 2016 a Fundação Copel bateu recordes importantes nessa modalidade. “É fundamental que todos os empregados entendam como funciona a previdência. Dessa forma eles não deixam passar as boas oportunidades de investir em uma aposentadoria estável e tranquila”, orienta Claudia Cristina C. de Lima, Diretora de Administração e Seguridade da Fundação. Confira a evolução dos aportes em 2016.

Contribuição Normal Salários até R$3.694,40: 2% ou 4%. Salários acima de R$3.694,40: 2 ou 4% nessa faixa (até os R$ 3.694,40) mais 12% sobre a diferença do valor do salário total. Para os dois casos a patrocinadora aplica 100% do valor investido pelo participante.

Contribuição Extra Mensal O empregado define qual o valor ou percentual que deseja aplicar além da contribuição normal. Para esse caso não há contrapartida da patrocinadora.

Aportes Pode ser realizado a qualquer momento por meio de recursos de participação nos lucros ou décimo terceiro, por exemplo. Nesse caso não há a contrapartida da patrocinadora no investimento. No entanto engorda a poupança previdenciária.

APORTES 2016 NO PLANO III Total de aportes

141 8

Portal Fundação Copel Faça uma simulação no portal e veja a diferença nas suas aplicações.

24%

aumento em relação a 2015

Valor dos aportes

R$

1.965 28% M I L H Õ E S

aumento em relação a 2015

FUNDO DE PENSÃO SEGURANÇA E RENTABILIDADE EM SEUS INVESTIMENTOS Para especialistas os planos de previdência de fundo de pensão são os melhores do mercado e todo participante precisa entender minimamente o sistema

S

obre a imagem dos fundos de pensão no mercado financeiro, o economista Daniel Poit é categórico: “As normas do Banco Central para as administradoras de previdência estão bem mais rígidas. Isso quer dizer que a administração é profissional e, consequentemente, o risco é menor”. No passado algumas instituições fizeram má gestão dos fundos de pensões, o que manchou a imagem das entidades. O especialista em previdência, Renato Follador explica que o modelo é seguro. “Vamos imaginar um cenário hipotético de uma patrocinadora quebrar. O empregado perde o seu emprego, mas absolutamente nada acontecerá à Fundação Copel. Isso porque administrativamente elas não têm relação alguma”. No Brasil, a regulamentação é atenta à diversificação e impede a concentração de investimentos e há limites para aplicar dinheiro na própria empresa. Follador orienta sobre a importância de o participante exercer seu direito de fiscalizar. Todo fundo de pensão tem suas obrigações e compromissos com os investimentos dos seus participantes. Afinal, essa dinâmica é composta pelas diretrizes e pela regulamentação e fiscalização dos órgãos competentes. Mas e você, participante? Tem cuidado do seu investimento? Vamos

imaginar uma máquina e que para ela funcionar são necessárias três forças: a entidade (a Fundação Copel); o órgão regulador (Previc); o participante (você, investidor). É preciso entender que o papel do empregado no fundo de pensão não se resume a contribuir, é preciso participar e mais importante, entender como funciona. O dinheiro é seu, a Fundação Copel apenas administra. Para Poit, participar e conhecer o processo de investimento aonde o dinheiro está sendo aplicado robustece o sistema, tornando-o cada vez mais legítimo e gerando cada vez mais responsabilidade para os gestores. O economista considera dois fatores principais que impedem o brasileiros de poupar para o futuro: falta de esclarecimentos sobre o assunto e alto custo nas taxas de administração. “Não existe nenhum outro país na América do Sul que tenham taxas tão altas quanto as nossas”, esclarece. No entanto, a taxa administrativa que a Fundação Copel aplica é de 0,46% ao ano, a menor do mercado previdenciário. Entre as instituições privadas essa taxa pode variar de 0,8 até 4% ao ano. Todas as informações sobre previdência estão disponíveis no portal da Fundação Copel. No Espaço Transparência é possível acessar todos os dados de investimentos realizados pela entidade, os resultados e tirar dúvidas através da campanha Conheça seus Investimentos.

Na foto acima: para Poit quanto mais o empregado participa, mais robusto fica o sistema previdenciário da Fundação Copel.

9


2

UM NOVO PLANO,

MELHORIAS A Diretoria da Fundação Copel trabalha em um novo modelo de plano previdenciário com foco em estratégia de mercado financeiro A Fundação Copel, sempre em busca de aprimorar a prestação desse serviço, está trabalhando na construção de um novo plano neste ano. Ainda em fase de estudo, o projeto visa realizar duas principais mudanças: alteração no perfil de investimento e no tipo de contribuição. Claudia Cristina C. de Lima, Diretora de Administração e Seguridade explica que no novo modelo as contribuições são ajustadas e de acordo com a idade do participante as aplicações da Fundação Copel irão variar dentro dos perfis de mercado - arrojado, moderado e conservador. Para os empregados em início de carreira, o valor mensal será menor e os recursos investidos de maneira mais arrojada. Ao longo da carreira, conforme a idade do empregado aumente, o perfil de investimento irá transitar do moderado ao conservador. Em resumo, eleva-se a idade e o valor da contribuição também. Nesse sentido o método fica claro: investe-se os menores valores em contas de alto e médio risco no início da carreira e, ao fim da vida laboral, investe-se mais volume com menor risco. “Isso tudo faz parte de uma estratégia para que ao final dos seus 30 anos de contribuição o empregado alcance o que almejou”, esclarece. A idade também é outra mudança. Enquanto no Plano III a idade mínima para se aposentar pelo fundo de pensão é aos 45 anos, no novo plano será aos 55 anos. Apesar de o Plano IV estar em fase de estruturação pela Diretoria da Fundação fica claro o objetivo da entidade em respeitar o ciclo de vida de todos os participantes.

ENTENDA OS

PERFIS DE INVESTIMENTO

10

ARROJADO

MODERADO

CONSERVADOR

A hora de arriscar é quando se é jovem, certo? Então esse é o momento ideal de apostar todas as fichas e garantir um bom retorno financeiro dos seus investimentos.

A segurança e a rentabilidade andam juntas, mas corre-se alguns riscos para que o dinheiro renda mais.

Aposentadoria à vista! Segurança e menor risco. O momento pede mais precaução na hora de investir, mas o volume aplicado precisa ser maior.

INVESTIMENTOS 12

Conheça seus Investimentos: Você conhece, investe e confia.

14

Investir no futuro: A hora certa é agora.

17

Imposto de Renda: Conheça benefício fiscal para quem investe em previdência


Investimentos

2016: ANO DE SALDO POSITIVO

O Diretor reforça que a campanha visa estimular os empregados a entenderem melhor o sistema financeiro previdenciário.

CONHEÇA SEUS INVESTIMENTOS: VOCÊ CONHECE, INVESTE E CONFIA A nova campanha de educação financeira e previdenciária mostra a preocupação da Fundação Copel com o futuro dos participantes

P 12

revenildo e Benê fazem parte da nova campanha de educação financeira da Fundação Copel. Apresentado em vídeos explicativos sobre os investimentos previdenciários da Fundação, o personagem Prevenildo ajuda Benê, empregado que tem algumas dúvidas sobre os processos de investimentos previdenciários. O Diretor Financeiro da Fundação Copel, José Carlos Lakoski ressalta que as campanhas de educação financeira e previdenciária são fundamentais para estimular os empregados a conhecer minimamente os investimentos, tendo em vista que estes irão garantir o benefício futuro dos participantes. O mote da campanha é tratar de conceitos básicos sobre o sistema financeiro, de regras e processo dos investimentos com linguagem lúdica e animação. “Queremos que todos tenham mais confiança e segurança na estrutura e nos processos e, consequentemente, nos investimentos da Fundação Copel”.

Apesar da instabilidade político-econômica no país, as rentabilidades dos investimentos dos planos previdenciários (Unificado e Plano III) administrados pela Fundação Copel foram excelentes e superaram com folga as metas atuariais (valor mínimo que o fundo precisa render para cumprir com todos os seus compromissos futuros). Quem

garante é o Diretor Financeiro da Fundação Copel, José Carlos Lakoski. O destaque em termos de rentabilidade foi o resultado relevante de 20% obtido na parcela Capitalização do Plano III (participantes ativos). Lakoski ressalta a importância de uma Política de Investimentos e decisões assertivas em aplicações de longo prazo.

RESULTADOS PLANO III CAPITALIZAÇÃO

PLANO III MUTUALISMO

PLANO III UNIFICADO

recursos dos participantes que são ativos

recursos dos participantes aposentados

recursos dos aposentados

DE AUMENTO

DE AUMENTO

DE AUMENTO

20% 17% 14% PROSAÚDE recursos dos participantes que são ativos

17%

DE AUMENTO

} 15% PECÚLIO

recursos dos participantes que são ativos

o maior dos últimos dez anos

DE AUMENTO

INVESTIMENTOS DA FUNDAÇÃO COPEL REGISTRARAM CRESCIMENTO DE

950 milhões EM RELAÇÃO A 2015

13


Investimentos

INVESTIR NO FUTURO: A HORA CERTA É AGORA

E

mpregado do Departamento de Benefícios Previdenciários da Fundação Copel, Hélio Wistuba não esconde o entusiasmo quando o assunto são as possibilidades de garantir um bom futuro com o plano de previdência. E não faz segredo para quem busca resultado semelhante. Acompanhe a história do empregado que está diante da possibilidade de aposentar com renda 32% maior à que tem hoje.

“É um ganho fantástico. Com a previdência vai aparecer de fato a minha qualidade de vida. E vou poder aproveitar, usufruindo de um benefício conquistado ao longo da minha carreira.”

#5 Então, começou a fazer contribuições extras e alguns aportes ao longo da carreira.

Na Fundação, Hélio passou a entender melhor o sistema de previdências e percebeu que se aumentasse o valor do investimento poderia ter um benefício melhor na aposentadoria.

#3

#2 Sem entender muito como funcionava o sistema, contribuía apenas o mínimo, 2% do salário.

#7

ria A p o s entad o

#4

Depois de 20 anos de carreira na patrocinadora, Hélio começou a trabalhar no Departamento de Benefícios Previdenciários da Fundação Copel.

Recentemente, ao consultar o benefício público no INSS, descobriu que apesar dos 36 anos de contribuição ao longo da carreira, não chegou a atingir o teto do benefício.

Faltando apenas dois anos para se aposentar, a partir dos investimentos ao longo da carreira, Hélio já poderia ter renda equivalente a

132% do salário atual.

#8 O esforço e o planejamento, em conjunto com o investimento da patrocinadora, permitiram que Hélio conquiste uma aposentadoria tranquila.

#9 As atitudes de Hélio ao longo da carreira mostram que enquanto a previdência pública terá um papel mais complementar em relação ao benefício, o investimento na poupança previdenciária que permitirá uma aposentadoria tranquila para o empregado.

E VOCÊ, O QUE VAI SER QUANDO SE APOSENTAR?

#1

14

Hélio Wistuba iniciou a carreira na patrocinadora Copel há 36 anos. E percebeu logo no início das atividades laborativas que os colegas, a época, se aposentavam sem se preocupar muito com a renda complementar.

15


Investimentos

O CAMINHO DAS PEDRAS Para Hélio Wistuba, planejamento é a palavra-chave. “No futuro, ninguém se arrependerá”, aconselha. O empregado conta em três passos o que fez para garantir bons frutos na aposentadoria.

Passo 1 Cuide da sua educação financeira Hélio Wistuba aposta no programa de educação financeira e previdenciária da Fundação, estrelado pelo personagem Prevenildo, para despertar o desejo de planejar o futuro e de constatar a vantagem de poupar hoje de olho em um amanhã seguro. “Há 15 anos, já tarde, comecei a investir mais na previdência depois de vir para a Fundação e buscar mais informação”, conta. Informar-se é fundamental.

Passo 2 Aproveite a garantia de paridade Até o limite de 4%, a Copel dobra a contribuição do participante. Para Hélio Wistuba é um desperdício não aproveitar esse investimento com 100% de retorno, sem precedentes no mercado financeiro. Aos que puderem, ele sugere ainda contribuições acima desse porcentual. Wistuba faz hoje contribuições equivalentes a 17% de sua renda.

Passo 3 Procure fazer aportes extras O décimo-terceiro salário, o terço das férias ou algum outro ganho adicional são, uma boa maneira de obter recursos para os aportes extras que elevam o volume poupado e o valor de benefícios futuros. “Na Fundação Copel, temos o maior fundo do Sul do país. Não tenho medo de investir aqui”, estimula Wistuba. Vale lembrar que investimentos em previdência que correspondam a até 12% do salário bruto podem ser abatidos do Imposto de Renda.

16

INVESTIR EM PREVIDÊNCIA: QUANTO MAIS JOVEM, MELHOR. O especialista em previdência, Renato Follador reforça que em previdência há dois fatores fundamentais: tempo e dinheiro. “Quanto mais se tem um, menos se precisa do outro”, sentencia. Depois de 35 anos, 26% da aposentadoria é dinheiro que saiu do próprio bolso participante sob a forma de contribuições mensais. Outros 5% são incentivos tributários do governo. E incríveis 69% vêm dos juros do mercado. “O que significa isso? Que, em condições idênticas (tempo de contribuição, valor do benefício e idade), sai mais barato mensalmente para quem começa cedo”, orienta. Há cinco meses na Fundação Copel, Bruno Montes da Silva Santos, 20 anos, segue as recomendações à risca. “É meu primeiro emprego e estou satisfeito em poder começar a planejar meu futuro. Todos falam que é ótimo começar cedo”, destaca, explicando que tem optado pela contribuição de 4%. Embora seja estudante de Economia na PUC Paraná, Bruno nunca havia pensado no assunto antes de receber informações sobre previdência da Fundação Copel. “Mais adiante penso também em fazer aportes extras”, planeja.

IMPOSTO DE RENDA:

CONHEÇA O BENEFÍCIO FISCAL PARA QUEM INVESTE EM PREVIDÊNCIA Com a declaração anual de IR é possível pagar menos imposto e investir mais na poupança previdenciária.

O

Imposto de Renda (IR) cobrado pelo Governo Federal sobre os ganhos das pessoas é descontado todos os meses do salário e dos demais rendimentos tributáveis. Uma vez por ano é preciso enviar à Receita Federal a declaração indicando seus rendimentos e despesas do ano anterior. Com base nisso, a Receita calcula se cada contribuinte tem dinheiro a pagar ou a receber. Mas para quem investe em previdência - utilizando a modalidade completa no momento da declaração - os valores aplicados ao longo do ano na poupança previdenciária tem dedução, o que reduz a base de cálculo do imposto a ser pago. Com isso as chances de restituição (valor que é devolvido ao bolso do contribuinte) podem aumentar e também diminui o saldo a pagar para a Receita Federal.

17


COMO FUNCIONA NA PRÁTICA

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

NO FINAL DAS CONTAS

18

Antes de escolher entre a declaração simples ou completa, o primeiro passo é saber se o total de gastos do ano anterior (INSS, saúde, educação etc), somados ao investimento em previdência privada superam 20% da renda total. Se a resposta for sim, o mais indicado é fazer a declaração completa. A vantagem é dupla, pois o valor investido na previdência para garantir uma aposentadoria tranquila é deduzido das despesas do ano: menos a pagar para o Leão e mais para investir no seu bolso. A declaração simples é ideal para quem não tem muitas despesas a deduzir, o abatimento padrão é de 20% com teto máximo de R$ 16.754,34.

3

1. Há limite de 12% da renda tributável para o investimento em previdência privada. 2. Caso ao longo do ano o percentual do investimento à previdência tenha ficado na casa dos 4% da renda, por exemplo, a diferença, 8%, pode ser aplicada ainda no mês de dezembro do ano em questão para aproveitar o benefício fiscal. (Esse cálculo deverá ser feito no mês de novembro do ano anterior da declaração). 3. Somente planos como o da Fundação Copel podem ser deduzidos na declaração do IR.

Mesmo fazendo uso do benefício fiscal toda pessoa que tem um plano previdenciário irá pagar os impostos sobre a previdência. O que acontece em resumo: ela é adiada. Mas ainda sim a vantagem nessa modalidade é evidente. Hoje o imposto sobre a renda é de 27,5%, enquanto no resgate pode ser de 10% após 10 anos de investimento. Uma economia de 17,5% do valor aplicado na poupança previdenciária.

S

A Ú

20

Programa de Atenção Farmacêutica é reconhecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar

23

A vida fora da empresa: novas habilidades e bem-estar

D

E


Saúde

PROGRAMA DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA É RECONHECIDO PELA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR Cuidado no tratamento e motivação dos beneficiários são as chaves do projeto nascido há mais de três anos na entidade

O

Programa de Atenção Farmacêutica da Fundação Copel teve início em 2013 e atende mensalmente doentes crônicos beneficiários dos Planos de Saúde com o acompanhamento de farmacêuticos que os ajudam a organizar a aplicação de medicamentos e manter a motivação em alta. Em novembro, o reconhecimento foi além, com a aprovação junto à Agência Nacional de Saúde Suplementar, órgão do Ministério da Saúde respon-

20

sável por garantir o interesse público na assistência. “Percebemos que 99% das pessoas atendidas mostram-se satisfeitas e se sentem amparadas e cuidadas”, afirma Vanessa Haffner da Silva Oliveira, que viu o projeto nascer. Vanessa e Carlos Machado, Gerente do Departamento de Gestão e Regulação à Saúde contam aqui um pouco mais sobre o programa que atualmente ajuda mais de 1.200 beneficiários e que agora tem reconhecimento nacional.

Perfis de beneficiários

Comodidade e custo menor

Há dois perfis de beneficiários que podem participar do Programa de Atenção Farmacêutica. O primeiro deles é o de pessoas com doenças crônicas menos comprometedoras, que bem tratadas não provocam grande perda na qualidade de vida dos portadores, como o diabetes, dislipidemia e a pressão alta. O segundo perfil abrange pacientes com patologias mais severas, como câncer, associadas a tratamentos de alta complexidade e com maiores riscos.

O terceiro tripé do programa - ao lado do acompanhamento e da análise de interação medicamentosa - é a redução de custos dos medicamentos. A Fundação Copel entrega em domicílio parte dos remédios, excetuando-se aqueles cujo envio é restrito por lei. Além da comodidade, a partir de eventuais casos de escassez e sobra de medicamentos, fica mais fácil para o farmacêutico saber se o paciente está seguindo o tratamento à risca.

Avaliação holística

Programa pioneiro na ANS

Os farmacêuticos do programa acompanham as receitas e os medicamentos receitados para o beneficiário. A situação de cada um é vista como um todo, de modo a neutralizar possíveis consequências negativas de tratamentos fragmentados, conduzidos por diferentes especialistas, com múltiplos medicamentos. Quando há interação medicamentosa entre as várias prescrições, o beneficiário e o último prescritor são alertados sobre as interações e seus riscos.

Para a Fundação Copel, é um grande orgulho manter o primeiro Programa de Atenção Farmacêutica registrado na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) como iniciativa de medicina preventiva. O programa foi aprovado em novembro de 2016 como forma de validação do trabalho desenvolvido pela Fundação.

Apoio a cada indivíduo Além de analisar todo o histórico médico de cada beneficiário, o programa também acompanha a evolução do tratamento, suas reações adversas e a capacidade de cada paciente para bem gerenciar a administração dos medicamentos. Informação é a chave para que cada indivíduo siga com seu tratamento sem interrupções.

Planos para 2017 De acordo com a área da saúde da Fundação Copel, a ideia é investir cada vez mais em medicina preventiva. “Gostamos de pensar em saúde; não em doença. A área é muito dinâmica, a gente se vê diante de diversas necessidades, muitas delas urgentes”, destaca Carlos. “O melhor de atuar nessa área de saúde é perceber que graças a algumas ações as pessoas não adoecem. Muitas vezes, com pouco investimento vemos grandes resultados”, completa Vanessa.

Para o gerente do departamento, Carlos Machado, investir em saúde preventiva melhora a qualidade de vida de todos os beneficiários 21


O PROGRAMA EM 2016 Beneficiados pelo Programa “Tenho 62 anos. Sou hipertensa e tenho glaucoma. Preciso tomar seis medicamentos e o programa me manda todos eles. Tem me ajudado muito. Os atendentes, que me ligam todo mês, e a enfermeira, são anjos na minha vida, pois recentemente perdi uma filha e eles sempre têm uma palavra de consolo para mim.”

Lueci Maria Pinto da Silva, dependente do Plano de Saúde, mora em Ponta Grossa.

“Eu me sinto privilegiada com esse atendimento. Sempre ligam para saber se estou precisando dos remédios e são muito gentis. Como já tive câncer, precisava usar quase dez medicamentos durante meu tratamento e recebia todos em casa. Hoje estou curada, mas uso o serviço ainda para minha hipertensão, tireoide e o estômago.”

Zilda Valério Martins da Fonseca, mora em Maringá.

”Sou copeliano aposentado há 20 anos. Minha esposa e eu somos beneficiados pelo programa. Usamos 4 ou 5 medicamentos cada um e fazemos a solicitação pela internet. Não temos nada para reclamar do serviço, é excelente.”

22

1920 1202 91

NOVAS HABILIDADES E BEM-ESTAR vidas ativas com patologias crônicas, diabetes, hipertensão, dislipidemia e outras, que somadas podem trazer grandes riscos à saúde com patologias graves como câncer

Meio de aquisição dos medicamentos

62%

retiram os medicamentos em farmácias da rede credenciada

34%

mesclam entre a retirada na rede credenciada e recebimento em casa

3% 0,6%

recebem somente em casa outros

Adesão a tratamentos contínuos no ano Percentual comparativo entre os participantes que fazem tratamento das doenças citadas com e sem o monitoramento do programa. No caso dos beneficiados que não são acompanhados, todos têm acesso a compra dos medicamentos na rede credenciada. Acompanhados pelo programa

Conheça histórias inspiradoras de empregados que aprenderam a equilibrar as tarefas diárias com novas habilidades e sabem aproveitar cada minuto do tempo livre

DUPLA JORNADA: UM NOVO SABOR NO DIA A DIA O que você faz no seu tempo livre? Há quem priorize o lazer, o esporte e o descanso. Mas trabalhar em outra atividade também pode ser prazeroso. É com motivação que Renata Maria Andrade Ribeiro, na Copel há mais de 20 anos, chega em seu ateliê para produzir doces e bolos, atividade que começou como uma brincadeira. “Eu fazia alguns doces caseiros para os colegas e eles me incentivaram a vender”. Quando começou a trabalhar na Central de Mercado e Capitais (CMC) e a atuar no Programa de Pré-Aposentadoria (PPA), Renata recebeu encomendas dos colegas, chegando a fazer 5 bolos em poucos meses. “Era algo que eu gostava muito de fazer”. Ao resolver fazer do hobby um negócio, Renata conseguiu concretizar em 3 anos o projeto inicialmente previsto para 5 anos. Apesar da jornada estendida, ela se sente feliz em atuar tanto na Copel quanto em seu ateliê. O atendimento à clientela varia de acordo com a disponibilidade após o trabalho na Copel, que ela valoriza ainda mais por ter lhe dado a possibilidade de abrir a própria empresa. “Hoje o meu processo criativo está no ateliê e o meu equilíbrio entre essas duas atividades me mantém bem. Futuramente, pretendo viver dessa paixão”, planeja.

NÃO acompanhados pelo programa

Diabetes

71%

37%

Hipertensão

73%

44%

Mário Alves da Silva e Mathilde da Silva, moradores de Curitiba.

A VIDA FORA DA EMPRESA:

Saúde

Renata encontrou na rotina de trabalho na Copel e no ateliê a medida certa para viver bem.

DANÇA: LAZER E COMPETIÇÃO Os benefícios que as atividades físicas exercem no corpo e na mente já são comprovados pela medicina, mas é cada vez mais comum a profissionalização de práticas que foram iniciadas apenas como esporte. Esse é o exemplo de Everton Siqueira Madruga, 29 anos, que atua no departamento de cobrança da Copel. “Eu desde muito novo era admirador do Michael Jackson e queria dançar como ele”. O copeliano pratica Hip Hop há 11 anos e se divide entre a dança como lazer e profissionalmente. Já participou do grupo Street Extreme e está há um ano na Companhia Pyramid. Os ensaios para os campeonatos são duas vezes por semana, sendo 4 horas e meia ao dia, ensaia a mesma quantidade por hobby, além das atividades de musculação para manter o condicionamento físico. No ano passado a companhia que ele integra representou o Brasil no World Hip Hop Dance Championship, em Las Vegas, nos Estados Unidos, em uma competição com mais de 36 países. No Brasil conquistou em 2016 o 2º lugar do RioH2K (Festival Internacional de Danças Urbanas). Everton comenta que a rotina de trabalho no setor de cobrança é uma missão que demanda muita atenção, o que gera cansaço ao longo do dia, mas tem na dança uma grande ajuda para descarregar as energias acumuladas no trabalho. “Quando eu danço as horas passam muito rápido e além de ajudar a minha saúde, pois eu passo o dia todo sentado, ajudam no equilíbrio da minha mente”, avalia.

O Hip Hop na rotina de Everton ajuda a equilibrar o trabalho na Copel com as atividades de dança.

23


NOVIDADES

4 26

Atenção Primária: a Fundação Copel prioriza saúde e qualidade de vida

28

Nova análise de pagamento: conheça as principais mudanças

29

Espaço Transparência: a gestão da Fundação Copel nas suas mãos

30

A Fundação Copel ouve você


Novidades

trícia, pediatria, clínica entre outras. “Ele está apto a atender processos de pequena complexidade, mas com visão ampla do ser humano com ênfase na saúde da família”, esclarece. Tal ação colabora diretamente com a qualidade de vida, pois com a indicação assertiva de qual especialista o empregado deve buscar em casos mais sérios, otimiza o tempo e os gastos com o Plano de Saúde. Além disso contribui para a produção institucional de campanhas de prevenção e de promoção da saúde. Práticas que já fazem parte da rotina da Fundação e que poderão melhorar com a aplicação desse novo conceito de atendimento médico. Inspirado nessas boas práticas que o departamento da Fundação

ATENÇÃO PRIMÁRIA

A FUNDAÇÃO COPEL PRIORIZA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA

Copel está trabalhando para o desenvolvimento do projeto, que irá trazer benefícios imensuráveis à saúde de todos. Para isso o setor precisa seguir alguns passos regulatórios para obter o registro do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Todo programa de atenção primária é multidisciplinar e engloba outros profissionais como psicólogo, nutricionista, educador físico, entre outros. A Fundação Copel, que já realiza outras ações importantes em prol da saúde dos beneficiários, como o acompanhamento de doentes crônicos, o atendimento às gestantes que aderem ao projeto e o programa de atenção farmacêutica, enxerga no novo modelo melhorias indiscutíveis para a saúde de todos.

Dra. Elaine Bregola acredita na qualidade de vida com o tratamento à saúde de forma individualizada.

Programa de Atenção Primária é reconhecido mundialmente pela Organização Mundial da Saúde e trabalha com a mesma premissa da Fundação Copel: investir na saúde dos beneficiários

26

P

romoção de saúde, prevenção de enfermidade e diagnóstico assertivo são apenas algumas vantagens que o Programa de Atenção Primária exerce sobre os beneficiários de empresas que aderem ao sistema. A médica responsável técnica pelos Planos de Saúde da Fundação Copel, Dra. Elaine Carmona de Souza Bregola explica que a essência desse programa é tratar todo empregado e familiar de forma individualizada. “Nesse modelo o médico faz uma avaliação global da pessoa em um consultório dentro da empresa. Isso envolve enten-

der o estilo de vida e hábitos da família - em casa e no trabalho; avaliar a agenda de imunizações; e pequenas consultas a partir das queixas dos empregados e essa ação tem trazido bons resultados em países que aderiram ao conceito”, comenta. Países como Canadá e Reino Unido, adeptos do médico da família, são citados como referência pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e são apresentados como cases de sucesso em conferências mundiais sobre o tema. A partir dessa dinâmica o profissional pode organizar um prontuário completo contribuindo para futuras análises e melhora no atendimento e acompanhamento médico. Dra. Elaine destaca que o profissional que atua nessa área tem capacitação que abrange a obste-

O TRIPÉ DO

BENEFÍCIO Paciente: ter um profissional que conhece o empregado e a família como um todo.

Empregador: terá um empregado com condições boas de saúde.

C

Fundação Copel: sustentabilidade no uso dos recursos destinados à saúde - a economia abrange o empregado também, pois os gastos acarretam na mensalidade do Plano de Saúde. 27


Novidades

NOVA ANÁLISE DE PAGAMENTO: CONHEÇA AS PRINCIPAIS MUDANÇAS Alterações e inclusões de dados na análise de pagamento mensal facilitará a rotina dos participantes

T

odo mês os aposentados e pensionistas recebem os demonstrativos de pagamento e de despesas médicas. Mas tem novidade por aí. A forma, a distribuição e a quantidade de informações foram reformuladas para facilitar o entendimento da análise de pagamento. Segundo o departamento de Comunicação da Fundação Copel, a demanda surgiu em decorrência da Pesquisa Anual de Satisfação e que o objetivo é facilitar a compreensão, além de incluir informações para que os participantes possam acompanhar e administrar com mais exatidão seus vencimentos. Outro ponto importante diz respeito à uniformidade, o acesso às informações será de forma regular, inclusive pela plataforma Mobile - aplicativo para celular da Fundação. Todas as mudanças fazem parte do princípio da entidade, de que o acesso aos dados deve ser transparente para todos. Este trabalho é resultado da reflexão construída sob a percepção do participante, por um grupo de trabalho, constituído pela Fundação Copel. Confira abaixo a lista completa das mudanças:

As informações ficarão mais visíveis com letras maiores e destaque para os valores da mensalidade e coparticipação; No campo para empréstimo será possível acompanhar o número de parcelas a pagar (ex. 01/20); Nas despesas médicas aparecerão o nome do profissional, a data do atendimento, valor e coparticipação; O campo “compra de medicamentos” vai indicar o nome do estabelecimento e dos remédios comprados;

28

Será feita a adaptação dos nomes das descrições (verbas); O valor da mensalidade do plano de saúde será descrito por faixa de idade; Será informado o valor da contribuição da patrocinadora com todos os gastos mensais; Em caso de saldo devedor do plano de saúde, a informação estará descrita.

Para receber o link de acesso à análise de pagamento mensalmente, é necessário cadastrar seu e-mail. Isso pode ser feito através do e-mail fundacao@fcopel.org.br, ou entre em contato com a central de atendimento.

ESPAÇO TRANSPARÊNCIA: A GESTÃO DA FUNDAÇÃO COPEL NAS SUAS MÃOS

S

ervir a todos os participantes é primordial para a Fundação Copel. Por isso, no mês de fevereiro, foi relançado o Espaço Transparência. Por meio dele todos têm acesso aos conteúdos que fazem parte da gestão da Fundação. A demanda surgiu através da Pesquisa Anual de Satisfação de quais pontos poderiam ser aperfeiçoados no portal. Com o intuito de trazer ao participante maior transparência na administração dos recursos financeiros e, tranquilidade na gestão dos planos, o espaço foi desenvolvido para que o participante tenha a melhor experiência no uso da ferramenta. Outras melhorias também estão em curso, como o desempenho do portal em relação à agilidade. Acompanhe todas as novidades do portal. Entre elas:

• REGRAS DE INVESTIMENTO • APLICAÇÃO DE RECURSOS • RESULTADOS • BOLETINS MENSAIS DE INVESTIMENTO • COTAS • CONHEÇA SEUS INVESTIMENTOS • PARTICIPAÇÕES EM ASSEMBLÉIAS GERAIS DE COMPANHIAS 29


Novidades

A FUNDAÇÃO COPEL OUVE VOCÊ

O QUE A FUNDAÇÃO COPEL REPRESENTA? Nos últimos três anos a imagem da Fundação Copel tem mudado para os participantes. Confira ano a ano o que mais marcou os participantes:

A pesquisa de satisfação, aplicada anualmente, tem como principal objetivo identificar pontos de melhoria nos serviços da Fundação Copel

2013

A

SUSTENTABILIDADE

nualmente, participantes da Fundação Copel são entrevistados na Pesquisa de Satisfação, que tem como objetivo ajustar e aprimorar as diretrizes da entidade de acordo com os dados colhidos. Esse é um dos compromissos que a Fundação tem com os participantes de assegurar uma gestão cada vez mais assertiva. O Departamento de Comunicação e Relacionamento, responsável pela análise do relatório, relata que o crescimento tem sido expressivo desde 2012, pois algumas estratégias só puderam ser pensadas e aplicadas graças à pesquisa. E o impacto das ações tem se mostrado cada vez mais significativo para os participantes. Confira os números e a evolução da pesquisa.

ÍNDICE GERAL DE SATISFAÇÃO:

93%

Evolução do IGS: 87% (2014) e 89% (2015).

FIDELIDADE E CONFIANÇA:

60%

Evolução: 40% (2014) e 45% (2015). *nível de fidelidade deve ser igual ou maior que 50%.

30

ORGULHO DA MARCA

95% & 98% dos ativos

88%

Evolução: 82,2% (2014) e 84,4% (2015).

dos assistidos

2015

PARA OS ATIVOS: SAÚDE / ASSISTIDOS: SEGURANÇA

2016

PARA OS ATIVOS E ASSISTIDOS: SEGURANÇA

AÇÕES REALIZADAS A PARTIR DA PESQUISA ANUAL DE SATISFAÇÃO •

Mais transparência: o Espaço Transparência foi reestruturado para que as informações fiquem mais acessíveis e fáceis de interpretar;

Campanha Conheça seus Investimentos: tem o objetivo de despertar o interesse e entendimento dos processos de aplicação financeira da Fundação Copel;

OS PRINCIPAIS NÚMEROS DE 2016 IMAGEM E TRANSPARÊNCIA DA FUNDAÇÃO COPEL:

2014

INSTITUIÇÃO SÓLIDA

Divulgação mensal dos valores das cotas;

Aproximação com o participante: intensificação de encontros e palestras, levados pelo Programa Viva Tranquilo e Viva com Saúde;

Agilidade no atendimento: implantado novo sistema CRM e autorizador eletrônico;

Análise de pagamento: mais informações e facilidade na leitura do demonstrativo;

Conteúdo programático de notícias com foco nas dúvidas dos participantes e em Educação Financeira/Previdenciária e Saúde;

Revisão dos processos da Saúde com foco em melhoria do serviço prestado.

31


POR UM AMBIENTE DE TRABALHO

DIVERSO 5 33

Por um ambiente de trabalho diverso

36

Respeito à vida

38

O mundo só muda para quem se atreve a transformá-lo

BEM-estar

Ações que visam o bem-estar de todos os participantes é a premissa da Fundação Copel e suas patrocinadoras.

O

compromisso da Fundação Copel engloba também o público interno, além do respeito aos seus beneficiários e participantes. A conscientização e estímulo de boas práticas de gestão que promovam a igualdade entre homens e mulheres e entre raças no ambiente corporativo é uma delas. Signatária da 6ª edição do programa do Governo Federal, Pró-equidade de Gênero, a entidade visa promover a paridade de oportunidades na empresa. Embora a adesão ao programa seja de forma voluntária, para participar é preciso constituir um comitê e elaborar um plano de ação para dois anos. Algumas atividades já foram executadas em 2016 e continuam ao longo deste ano. Claudia Cristina C. de Lima, Diretora de Administração e Seguridade comenta a importância do papel da entidade nessa causa. “A Fundação Copel possui

33


Bem-estar

em seu quadro funcional 62% de mulheres e com a implantação de ações pelo comitê, a entidade obterá o reconhecimento público de seu compromisso com a igualdade entre mulheres e homens, o que resulta na melhoria contínua do clima organizacional”. Acompanhe a agenda de eventos no portal da Fundação.

Copel defende essa ideia É no ambiente de trabalho que as relações profissionais e pessoais encontram oportunidades para transformar a vida de muitas pessoas. Do seu colega de trabalho da mesa ao lado, às pessoas da comunidade ou até um desconhecido. É nesse ambiente que a Copel desenvolve ações de cidadania, inclusão social e respeito à diversidade de seus empregados por meio do programa Eletricidadania e do Comitê de Diversidade. As plataformas atuais de sustentabilidade valorizam, e reconhecem, cada vez mais as empresas por suas ações que dão retorno à sociedade por meio de voluntariado, inclusão de Pessoas Com Deficiência ou por proporcionar um ambiente salutar e feliz para seus empregados. “O desconhecido provoca o estranhamento e consequentemente o preconceito, por isso nossa função é esclarecer esse tema dentro da empresa”. Foi assim que Karen Lema, do Comitê de Diversidade,

área de Responsabilidade Social da Copel reforçou a preocupação que a empresa tem com a inclusão social e das diversidades do público interno. Criado no início de 2016, para dar suporte às demandas em benefício dos empregados e da sociedade, o setor atende diferentes questões que são pertinentes ao bem-estar social. Logo no início das atividades a primeira demanda que surgiu foi sobre pessoas transsexuais*. A Copel tem três empregados trans que já utilizam o nome social e buscaram na empresa o mesmo reconhecimento. Karen destaca que o primeiro grande aprendizado foi o da empresa. “A pessoa trans não sabia qual era a política interna sobre o assunto, porque até então isso não havia sido discutido internamente, e a Copel avançou muito com isso”. Para atender a solicitação, a equipe do setor foi até algumas instituições representativas para saber mais informações e consultaram a legislação para entender o regimento. Após esse processo houve uma discussão interna para estabelecer as diretrizes para realizar a adequação do nome social ao sistema. Embora o mundo corporativo ainda não tenha o tema bem consolidado, é essencial discutir o assunto. “A discussão às vezes é feita como se no nosso ambiente essas pessoas não existissem, mas elas estão; e são seres sociais. E toda empresa é constituída por pessoas da sociedade” comenta Karen.

CALENDÁRIO CAMINHADA

VIVA COM SAÚDE Confira as datas das próximas caminhadas Viva com Saúde 2017

4 de junho

17 de setembro

8 de outubro

26 de novembro

Caminhadas simultâneas

“A Copel se preocupa com a inclusão social e essa ação é fundamental no meio corporativo para que todos conheçam as diversidades da empresa”. Karen Lema, Comitê de Diversidade da Copel

34

*Pessoa que, por se sentir pertencente ao outro gênero, pode manifestar o desejo de fazer uma cirurgia no seu corpo para mudar de sexo.

PARQUE TINGUI

PARQUE BARIGUI

(Curitiba)

(Curitiba)

PARQUE BARIGUI LAGO MUNICIPAL DE CASCAVEL

(Curitiba)

(Cascavel )

ZERÃO (Londrina)

INSCRIÇÕES PELO E-MAIL:

caminhadafc@fcopel.org.br DADOS PARA INSCRIÇÃO:

nome completo, data de nascimento, RG, CPF e o número da carteirinha

PARQUE INGÁ (Maringá)

PARQUE AMBIENTAL (Ponta Grossa)

35


DEPOIMENTOS

RESPEITO

À VIDA

MAMÃES E AS SALAS DE AMAMENTAÇÃO

O Programa Gestação Saudável da Fundação Copel já atendeu centenas de mamães e apoia a Copel no projeto das salas de apoio à amamentação

”Nunca foi uma opção deixar de amamentar porque voltei ao trabalho, mas na época não havia um local apropriado para esgotar o leite. Eu precisei cuidar de toda a estrutura para o armazenamento. Eu e outras mulheres começamos a solicitar um programa pró-amamentação. Hoje o espaço permite, inclusive, que as mães se aproximem e troquem informações sobre o aleitamento. É muito bom ver o resultado positivo para tantas mulheres da empresa.” Josiane Fernandes de Carvalho, divisão Socioeconômica e Cultural

Desde setembro de 2015 a Fundação Copel atua com o Programa Gestação Saudável e atendeu centenas de beneficiárias durante e após a gestação. Todas as mamães que se cadastram no programa recebem orientações, por telemonitoramento, em todas as fases da gestação e assim que o bebê nasce uma enfermeira obstétrica ajuda, presencialmente, com os primeiros cuidados do recém nascido. Com quase dois anos de atuação, a Fundação já atendeu mais de 350 mulheres e, em parceira com o projeto da Copel, com as Salas de Apoio de Amamentação, a assistente social visita as mamães para conversar sobre a importância do programa, cobertura do plano de saúde e os cuidados com o bebê.

Salas de Apoio à Amamentação

36

A primeira Sala Apoio à Amamentação da Copel foi inaugurada em janeiro de 2016. Nesse período de pouco mais de um ano, o projeto tem trazido bons frutos para as mamães. Atualmente, são seis salas para que as mulheres, ao retornarem da licença maternidade, possam esgotar o leite com a finalidade de levá-lo para seus bebês ou doar ao Banco de Leite do Hospital de Clínicas (HC). As salas são reconhecidas pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do Paraná e a última das cinco salas foi inaugurada recentemente, no dia 8 de março, dia Internacional da Mulher. O objetivo

dessa iniciativa é oferecer um espaço para que as mamães tenham privacidade para fazer a ordenha de forma correta e higienizada, contribuindo para a boa saúde de ambos, mãe e bebê, além de apoiar doando o leite excedente. A enfermeira Vera Manica, que atua desde 2013 na área da saúde na Copel, é responsável pelo programa, implantado por demanda das funcionárias. Vera tomou conhecimento de uma norma do Ministério da Saúde que recomenda as salas de apoio em locais de trabalho com mais de 30 mulheres em idade fértil. Com o apoio da Diretoria e o entusiasmo das funcionárias, o programa começou a ser desenvolvido. As salas dispõem de luvas, máscaras e geladeira, além de um espaço para a correta higiene que deve anteceder o esgotamento do leite. As mães ganham também uma bolsa térmica para transportar o leite. Uma vez por semana o Banco de Leite do HC recolhe a produção das que preferem doar. Em 2016 foram doados 23 litros de leite. “É um trabalho fundamental para a saúde das crianças e das mães”, comenta. As salas não são o único apoio às mães copelianas. A Copel hoje é reconhecida como Empresa Cidadã por aderir a lei de incentivo à amamentação, de 2008, que aumenta para seis meses a licença maternidade e por reduzir em 2 horas a jornada de trabalho das nutrizes, estimulando-as a seguir amamentando até que outros alimentos sejam inseridos na dieta no recém-nascido.

“No começo há muita irregularidade do leite e ter um local apropriado para o esgotamento ajudou tanto a minha saúde quanto a do meu filho. Ajudou também na transição para outros alimentos, pois eu não precisei dar leite artificial nesse processo. O sucesso da minha amamentação foi proporcionado pela sala de aleitamento e com isso eu ainda pude ajudar outras crianças doando para o banco de leite. Somos privilegiadas por ter as salas à disposição.”

CONFIRA A LOCALIZAÇÃO DAS SALAS:

KM3 Atuba Londrina Santa Quitéria Padre Agostinho Coronel Dulcídio

Julia Azevedo Santos, area de Meio Ambiente

MAMÃES ATENDIDAS PELO PROGRAMA GESTAÇÃO SAUDÁVEL “Logo no início fiquei na dúvida que fosse dar certo. Mas estava errada, ainda bem! Um ótimo acompanhamento da enfermeira em toda minha gestação, em nenhum momento me deixou com dúvidas sobre os vários momentos que passei mês a mês. Me senti muito acolhida de ter mais uma pessoa me apoiando nessa fase tão linda da minha vida.”

Juliane Dalponte Pereira, mãe de Felipe

“Não tenho o hábito de usar o plano de saúde da Fundação Copel e fiquei surpreso com a atenção dispensada, realmente não esperava tanto empenho até pela pouca informação que tinha sobre o assunto. Não parabenizo apenas aos quais tive contato, mas a todos que fornecem o suporte para que esta qualidade de atendimento seja alcançada”,

Lombardi, pai de Samuel que nasceu prematuro

37


Bem-estar

O M U N D O S Ó M U D A PA R A Q U E M S E AT R E V E A

TRANSFORMÁ-LO Série de vídeos mostra como pequenas ações podem transformar e beneficiar uma comunidade

O

tempo é valioso. Além de evitar desperdiçá-lo, podemos usá-lo para espalhar o bem. Apostando na generosidade, a Copel disponibiliza quatro horas mensais para que os empregados possam atuar em trabalhos voluntários. Desde que o programa foi criado, um edital com o nome das instituições que precisam de voluntários é publicado para que os empregados se candidatem. Nada impede, porém,

38

que o tempo seja cedido para outras ações ou entidades. As histórias inspiradoras de quem faz parte dessa corrente são contadas na série Atreva-se a mudar seu mundo. Nos vídeos, os atores sociais - empregados da Copel - relatam as ações que fazem em prol do bem-estar no ambiente em que vivem. Conheça algumas histórias:

“Nós precisamos valorizar o pequeno agricultor e preservar a vegetação nas propriedades rurais”

“Faz bem para o coração se envolver com trabalho voluntário”

INSPIRA-SE A MUDAR SEU MUNDO O engenheiro florestal Murilo Bardall é voluntáque preservam a vegetação”. rio desde a juventude e encontrou no campo um A copeliana Rakelly Calliari atua desde 2012 na terreno fértil para apoiar a agricultura familiar e a Alma Associação Intercultural de Projetos Sociais, preservação da natureza. O em Londrina. Começou protrabalho é realizado no muduzindo e apresentando o nicípio de Turvo, no sul do programa de rádio web Alma “Este trabalho evidencia Paraná. Para o copeliano, moLondrina e hoje dedica-se às a necessidade de se viver rador de Pinhão, três aspectos tarefas de gestão do projeto, importantes devem ser prioriem comunidade. É isso que que recentemente ganhou zados na agricultura familiar: o Prêmio Ponto de Mídia Lime faz apoiar a agricultura respeito à natureza, a saúde vre, do Ministério da Cultura, no meio rural, buscar e a valorização do estilo de que garantirá a manutenção uma vida mais simples e vida rural. Trabalhando com das atividades em 2017 . “O 70 famílias, ele procura mosmostrar o privilégio que prêmio veio em ótima hora, trar que a preservação de floporque este ano ficamos sem é viver nesse ambiente”, restas nas propriedades rurais o patrocínio municipal. Estaafirma Murilo Bardall. não apenas mantém o equimos mais felizes ainda pelo líbrio do ecossistema, mas reconhecimento e por cumtambém podem gerar renda. prir nosso objetivo de demoSua orientação vai desde a escolha da espécie a cratizar o acesso aos meios de comunicação, proser cultivada até as técnicas de manejo. “Em vez da duzir conteúdos que estão fora da grande mídia e derrubada de florestas, trabalhamos para valorizar fortalecer os laços da cultura popular pela comualgumas práticas ambientais pouco utilizadas, mas nicação”.

39


Revista Toda Vida  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you