a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

. Julho | 2017 . Nº 04

IN F O R M A T IV O SEMANA DA DIVERSIDADE Durante a semana do dia 24 a 28 de julho, aproximadamente 330 aprendizes participaram da a 2ª edição da Semana da Diversidade, promovida pelo Fórum de Erradicação e Combate ao Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador (Fectipa-MG), em parceria com a Superintendência Regional do Trabalho em Minas Gerais (SRTMG). Durante os cinco dias de evento, especialistas debateram questões sociais, étnico-raciais, culturais, religiosas e de gênero. A iniciativa foi concebida com o propósito de contribuir para a conscientização dos jovens aprendizes que integram o fórum e qualificar as discussões sobre a importância da inclusão e do respeito às diferenças. Durante toda a semana, os debates foram conduzidos por profissionais e especialistas ligados às diferentes áreas relacionadas aos temas trabalhados. No primeiro dia, foi abordada a questão da diversidade social. Neste dia, foi apresentada uma análise histórica sobre o perfil do trabalhador brasileiro, comparando as aspirações de cada geração e seus desafios, com a visão de crescimento dos colaboradores. Chamou-se atenção, principalmente, para o fato de que os jovens aprendizes vivenciam, assim como os demais trabalhadores, uma época de grandes mudanças na legislação trabalhista e precisam acompanhá-las, na tentativa de construírem carreiras profissionais satisfatórias e de conhecerem e buscarem seus direitos.

Os debates que envolvem a diversidade de gênero foram realizados na terça-feira e, nessa temática, os palestrantes compartilharam suas experiências, de maneira a motivar o debate. Os assuntos abordados trataram de questões sobre a identidade de gênero, a orientação sexual, a libido, o sexo biológico, entre outros. Várias foram as dúvidas expostas pelos jovens, proporcionando um imenso aprendizado, que refletiu no autoconhecimento, na família, nos grupos sociais, no respeito, na adaptação, e em diversas outras questões. Na quarta, foi a vez de se falar sobre a diversidade religiosa. Líderes religiosos/espirituais mostraram caminhos e propuseram reflexões acerca de cada doutrina apresentada (catolicismo, protestantismo, espiritismo e umbanda), permitindo mais esclarecimentos sobre os tipos de religião e os preconceitos envolvidos. Os participantes puderam realizar perguntas e contribuíram de forma significativa com a temática. A diversidade cultural foi tratada na quinta-feira e moralidade, ética, leis religiosas, estilos de vida, fé e sistemas de crença resumem os tópicos discutidos ao longo do dia. Além disso, foram realizadas discussões acerca do conjunto de estruturas culturais presentes na sociedade atual, além de perspectivas de mundo, que estabelecem a espiritualidade e seus valores, bem como suas origens no universo. Os jovens aprendizes ampliaram ideias e conceitos na esfera cultural.


. Julho | 2017 . Nº 04 .

Por fim, fechando a Semana da Diversidade deste ano, falou-se da diversidade étnico-racial, na sextafeira. Neste último dia do evento, enfatizou-se a importância de as pessoas discutirem acerca do racismo e das cotas raciais, inclusive a aceitação ou a recusa das cotas sociais foi o que intensificou as manifestações da plateia. De acordo com a coordenadora do Fectipa, Elvira Cosendey, a ideia é ampliar o debate abordando a diversidade em seus diferentes graus. “Recebemos cerca de 3 mil jovens. O encontro foi oportuno para uma discussão qualificada sobre temas polêmicos e que permeiam a realidade de exclusão que ainda vivemos e é urgente o envolvimento dos jovens no assunto”, afirma. A Semana da Diversidade possibilitou aos aprendizes obter um conhecimento amplo sobre diversidade em suas várias formas, permitindo-lhes entender melhor o contexto social em que vivem. Além disso, a Semana da Diversidade proporcionou o convívio com os jovens de outras instituições, e, com isso, a troca de experiências. Essa mudança de formato, essa saída da sala de aula também é algo atrativo para os jovens, contribuindo para a sua formação teórica e para a experimentação de vivências que os tornam mais preparados para o mercado de trabalho e para a vida. Para o aprendiz Gustavo Hilarino de Souza Silva, foram muito ricas as reflexões propostas e trocas de experiências proporcionadas pelo evento. Segundo o jovem, “a contemporaneidade nos permite a pluralidade social e evidencia o contexto da diversidade vigente, que, em breve conceituação, é o reflexo das múltiplas identidades, cores e sabores presentes na nossa sociedade. Respeito é palavra de ordem e a visibilidade dessas questões é imprescindível para as relações contemporâneas”, ressalta.


. Julho | 2017 . Nº 04 .

MÓDULO INTRODUTÓRIO

TRABALHO EM EQUIPE Os aprendizes que iniciaram o contrato de aprendizagem no mês de julho desenvolveram trabalhos com o intuito de chegarem às empresas mais preparados. Os temas tratados foram: “desenvolvimento pessoal”, “qualidade no atendimento” e “mercado de trabalho”. Os assuntos desenvolvidos exploraram a capacidade de cada jovem através de apresentações de trabalhos, atividades individuais e em equipe, além de reflexões e discussões acerca dos temas, tendo sempre o foco nas formações cidadã e profissional.

VISITA GUIADA: MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS No dia 20 de julho, 42 aprendizes participaram de visita guiada ao Museu de Artes e Ofícios (MAO), localizado na Praça da Estação. Durante a visita, com duração aproximada 1h e 30min, os aprendizes puderam conhecer a história de diversas profissões, como Ofícios de Transporte, Ambulantes, do Comércio, de Mineração, do Fogo, da Madeira, da Cerâmica, da Lapidação e Ourivesaria, do Couro, da Terra, da Conservação e Transformação de Alimentos, do Fio e do Tecido e o Jardim das Energias. O objetivo da visita ao MAO é possibilitar aos aprendizes a oportunidade de serem envolvidos em projetos culturais fora do ambiente escolar, o que lhes permite expandir suas fronteiras diárias e ampliar seus conhecimentos. O Museu de Artes e Ofícios é um espaço cultural inteiramente dedicado ao trabalho do período pré-industrial no País. O espaço cultural abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e dos ofícios do Brasil. É um lugar de encontro do trabalhador consigo mesmo, com sua história e com o seu tempo. A visita elucidou as mudanças das profissões ao longo da história, demonstrando como um ofício era passado de geração em geração e expondo as transformações das ocupações ao longo do tempo, a exemplo do dentista e suas ferramentas de trabalho.


. Julho | 2017 . Nº 04 .

MÓDULO DE ACESSIBILIDADE

MITOS E VERDADES

No dia 5 de julho, 33 aprendizes apresentaram trabalhos acerca dos temas: ‘terceira idade’, ‘obesidade’ e ‘deficiências física, intelectual, auditiva e visual’. Divididos em equipes, os jovens construíram árvores com ilustrações condizentes com os assuntos e cada equipe formulou frases para que as outras pudessem julgá-las como “mito” ou “verdade”. A atividade proporcionou um processo de aprendizagem dinâmico e repleto de discussões, deixando ainda mais evidentes as figuras da pessoa com deficiência e da pessoa com mobilidade reduzida, tão importantes para o módulo de “acessibilidade”.

“O módulo foi muito edificante pra minha vida profissional e para a construção do meu caráter também. Experimentei situações que me aproximaram das tarefas cotidianas de uma pessoa com deficiência. Aprendi a valorizar quem sou e a entender as diferenças, me colocando no lugar do outro.”

João Victor Rezende (aprendiz)

A COMUNICAÇÃO EM LIBRAS O Módulo de Acessibilidade também permitiu aos aprendizes o desenvolvimento de exercícios utilizando a Língua Brasileira de Sinais. No dia 13 de julho, 38 aprendizes desenvolveram o assunto através da datilologia (alfabeto manual dos surdos) e do librário (um baralho de 54 cartas que revelam alguns sinais). Ao longo da atividade, os jovens foram desafiados a manter a comunicação por meio de classificadores gestuais, aprenderam algumas palavras e reconheceram a importância da Libras.

‘‘ANJO DA GUARDA’’ Ainda neste módulo, os aprendizes experimentaram ficar sem o sentido da visão na dinâmica “anjo da guarda”. A atividade foi conduzida pelos educadores de modo que foi decidido previamente um caminho a ser percorrido e, em dupla, cada aprendiz assumiu um papel na tarefa, enquanto um agiu como condutor, o outro foi com os olhos vendados, confiando seus passos na condução do colega. Em sala de aula, os jovens pontuaram as dificuldades identificadas e ressaltaram a autonomia que os deficientes visuais precisam desenvolver para realizar as ações do cotidiano.


. Julho | 2017 . Nº 04 .

MUNDO JOVEM III MÓDULO DE ACESSIBILIDADE

AÇÃO VOLUNTÁRIA

PALESTRANTE COMPARTILHA EXPERIÊNCIA COM OS APRENDIZES No dia 18 de julho, o palestrante Marcus Vinícios da Silva, deficiente visual, compareceu à Fundação CDL Pró-Criança para compartilhar com 70 aprendizes um pouco de sua trajetória. Na ocasião, os jovens tiveram a oportunidade de conhecer a rotina e os desafios de um cego. O palestrante abordou situações do seu cotidiano e apresentou equipamentos e acessórios que facilitam suas tarefas no dia a dia, como o reglete, um capítulo da bíblia em braile, a bengala, entre outros. Marcus ainda cantou e tocou violão para todos os participantes.

No dia 19 de julho, 38 aprendizes que estão encerrando seus contratos no PET realizaram uma ação voluntária na instituição de longa permanência para idosos Casa Santa Zita. A atividade foi conduzida pelos próprios jovens, que entregaram pacotes de fraldas geriátricas, arrecadadas ao longo do módulo, e realizaram trocas de cartas, com o intuito de integrar diferentes gerações, promovendo diálogos afetivos. A ação proporcionou a elevação da autoestima das idosas, que puderam transmitir conhecimento através de suas histórias, criando laços com os jovens. Durante as leituras, os jovens e as idosas cantaram canções e encerraram a visita com um breve momento de oração e abraços calorosos.

OFICINA DE INTEGRAÇÃO E HABILIDADES No dia 27 de julho, 70 aprendizes, dentre os quais estavam jovens em encerramento de contrato e jovens que estão entrando agora no Programa, construíram e desenvolveram uma “Oficina de Habilidades”, no Centro de Referência da Juventude – CRJ. Os jovens realizaram dinâmicas, raciocínios lógicos, músicas e várias tarefas que integraram ambas as turmas do módulo Mundo Jovem III.


. Julho | 2017 . Nº 04 .

MUNDO JOVEM III

MARKETING PESSOAL No dia 5 de julho, 74 aprendizes do módulo Mundo Jovem III participaram de uma palestra no teatro da Biblioteca Estadual Luiz de Bessa com a professora da UFMG e consultora de imagem, moda e estilo Cibele Ramos Lima. A palestra abordou a importância do marketing pessoal no mercado de trabalho, com dicas de postura, traje adequado, linguagem, aceitação de críticas, etc. Ao final da palestra foi aberto um momento para perguntas e os jovens puderam esclarecer todas as suas dúvidas sobre o tema.

MÓDULO DE INFORMÁTICA BÁSICA E CORPORATIVA

O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA DE TRABALHO

Durante todo o mês de julho, 67 aprendizes dos contratos de 6 horas/dia desenvolveram o módulo de Informática. Entre os assuntos trabalhados destacam-se: Windows, Word, Excel, Power Point, Paint, internet, além de temas como ética e cuidados na Web. Os jovens também realizaram cursos online (EAD), buscando agregar certificações ao curso de aprendizagem. Ao longo das tarefas, os aprendizes reconheceram a importância e a forma adequada ao enviar e-mails no âmbito profissional. A atividade que se destacou pelo capricho e empenho dos jovens foi a construção do memorial, uma oportunidade que eles tiveram para contar um pouco das suas histórias e de suas famílias, e de sua trajetória dentro do Programa Educação e Trabalho (PET).

INCLUSÃO DIGITAL Ainda no módulo de Informática, os aprendizes participaram, no dia 24 de julho, de uma palestra no Espaço Cento-e-Quatro. O tema proposto foi o “Sinal Digital”, que revelou as implicações previstas para a sociedade com a inclusão digital. Além disso, eles receberam orientações sobre a aquisição do aparelho conversor digital para televisão, disponibilizado pelo Governo Federal por meio do Programa Seja Digital. Ao final da ação, os jovens foram desafiados a formarem grupos e apresentarem, em forma de vídeo, cartaz ou encenação, a importância do tema abordado.


. Julho | 2017 . Nº 04 .

ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES

PALESTRA ‘TIO FLÁVIO CULTURAL’

No dia 12 de julho, 431 aprendizes vivenciaram um dia de emoção, diversão e, principalmente, reflexão proporcionados pelo palestrante Tio Flávio, que apresentou pessoas que enfrentam desafios para sobreviver e ainda assim conseguem perceber o valor da vida nos gestos mais simples. A palestra, realizada no Centro de Referência da Juventude – CRJ, enfatizou a necessidade de os jovens tentarem sempre serem pessoas melhores, de buscarem conexão com energias positivas e de reclamarem menos das situações diárias, dando valor àquilo que possuem de bom em suas vidas.

“Lição de moral é a expressão correta para caracterizar a palestra do Tio Flávio. As palavras dele me fizeram refletir sobre a minha vida e perceber que amar e ser prestativo é essencial para que o mundo melhore. Além disso, pude perceber o quanto é importante darmos valor para aquilo que temos hoje; acho que todos nós precisamos de aprender a reclamarmos menos e sermos mais gratos.”

Vitória Dias (Aprendiz)

AJUDE A MELHORAR A VIDA DE MILHARES DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES:

APOIE OS PROJETOS SOCIAIS DA FUNDAÇÃO CDL PRÓ-CRIANÇA! FAÇA SUA DOAÇÃO:

SEJA VOLUNTÁRIO:

Banco do Brasil

Caixa Econômica Federal

Agência 3494-0 | Conta 4639-6

Agência 0094 | Conta 501.875-4 | Operação 003

Envie um e-mail para marianne.policarpo@fundacaocdl-bh.org.br

www.fundacaocdl-bh.org.br

Av. João Pinheiro, 495 / 7º andar - Funcionários - BH/MG

(31) 3249-1791

F-Cdl Pró-Criança

company/fundação-cdl-pró-criança

@fcdlprocrianca

@FundacaoCDLBH

Fundação CDL Pró-Criança

Profile for Fundação CDL Pró-Criança

Julho  

Julho  

Advertisement