Issuu on Google+


Ficha Técnica SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL: CASO FIAT – PROJETO “ÁRVORE DA VIDA”

LINHA DE PESQUISA: Sustentabilidade e Responsabilidade Social SUBTEMA: Sustentabilidade e Responsabilidade Social: Caso Fiat – Projeto “Árvore da Vida” Palavras-chave: Fiat Automóveis S.A.; Sustentabilidade; Responsabilidade Social Equipe PPL (Pessoas, Planeta, Lucros)1 FRANÇA, Amanda Carolina dos Santos de MENAGUALE, Ane Caroline Ferreira OLIVEIRA, Franklin de CONCEIÇÃO, Kleber da LIMA, Layla Jeniffer Alves Rocha de MARTINS CRUZ, Nadja Mirian da Orientação2 Coorientação3

AGRADECIMENTOS

Agradecemos primeiramente a Deus, que nos fornece todos os dias a força para continuar; somos gratos também a nossos pais e familiares que nunca deixam de acreditar em nosso potencial e sempre nos incentivam a prosseguir; à professora Mary Márcia, nosso “Anjo da Guarda” durante toda a elaboração desta pesquisa; e aos demais professores, por responderem prontamente as necessidades da equipe. Deixamos, também, nosso agradecimento aos antigos membros da PPL, que hoje, infelizmente, não fazem mais parte da equipe.

1

Graduandos do curso de Administração de Empresas - 1° ciclo, módulo B, da UNA/ MG - e-mail: Turma ADM UNA <adm.turma1b@yahoo.com.br> 2 ALVES, Mary Márcia, Litt. D. 3 FILHO, Normando Martins, PhD.; JARBAS, Flamarion, Mest.; MOREIRA, Renata, Mª.; PONGELUPE, Fernando Tadeu, Dr.


CARTA AO LEITOR Caro leitor, este artigo, Sustentabilidade e Responsabilidade Social: Caso Fiat - Projeto “Árvore da Vida”, suportado por um relatório anual; desenvolvido em Word® versão 2010, aplicativo Microsoft®, como Trabalho Interdisciplinar Dirigido II, do Bacharelado em Administração, da Faculdade UNA de Contagem, objetiva estudar como a Fiat Automóveis S/A, por meio do projeto “Árvore da Vida”, beneficia a sociedade onde se insere, avaliando seu impacto na região de Betim/MG. Para isso, fez-se Pesquisa Documental com dados restritos “a documentos, escritos ou não, constituindo o que se denomina de fontes primárias (Marconi, 2007). O tratamento dos dados, quanti e qualitativo, apresentou-os dados, obedecendo à classificação dos resultados materiais da pesquisa; já a pesquisa qualitativa buscou o estudo das semelhanças e diferenças entre diversos grupos para melhor compreensão (LAKATOS; MARCONI, 2007) do problema aqui desenvolvido. Como procedimentos, a pesquisa baseou-se no relatório anual do projeto e coleta de dados com pesquisa de campo, entrevistas com gestores do projeto (colaboradores Fiat e coordenadores) e beneficiários (comunidade e alunos das oficinas), registrados por imagens fotográficas. Entrevistas foram feitas por três questionários estruturados (APÊNDICES A e B), que seguiu um roteiro previamente estabelecido de perguntas pré-determinadas, conforme o plano (LAKATOS; MARCONI, 2007) traçado; e um semiestruturado (APÊNDICE C), como forma de explorar mais amplamente a questão, com algumas perguntas não padronizadas, em que os entrevistados tiveram a liberdade para desenvolver cada situação na qualquer direção que consideraram adequada. (MARCONI; LAKATOS, 2008). Isso, em interdisciplinaridade com Contabilidade Geral, na análise da lei incentivo à cultura e os benefícios obtidos pela empresa através desta. Estatística, na mensuração de dados quantitativos e qualitativos e elaboração de gráficos representativos; Macroeconomia, nas análises sobre o impacto do projeto sobre a sociedade, ampliando o conhecimento e capacitação profissional, e Sociedade e Cultura, no vínculo social entre empresa e comunidade, compreendendo as pessoas no nível individual e coletivo, por meio do projeto. Tudo, demonstrando que políticas de desenvolvimento social da empresa denotam ação efetiva de sustentabilidade e responsabilidade social. Boa leitura!


Apresentando a pesquisa A menos que modifiquemos a nossa maneira de pensar, não seremos capazes de resolver os problemas causados pela forma como nos acostumamos a ver o mundo. Albert Einstein

EDITORIAL Este estudo é elaborado com o intuito de proporcionar a discussão de temas e propostas relacionadas ao conceito de sustentabilidade, e também a aplicabilidade destas de um ponto de vista econômico. Com isto, espera-se apresentar e desenvolver o subtema supracitado, aprovado pela equipe de professores do módulo, e reconhecer e aplicar habilidades dentro da área da Administração. O consumo acelerado e as exigências relacionadas aos recursos naturais trazem consequências que podem prejudicar planeta e o bem-estar social. Dentro desse contexto, empresas se veem praticamente intimadas a adotar práticas que melhorem a imagem corporativa frente ao mercado e aos consumidores. Nesse sentido, há diferentes formas de se promover e praticar ideias sustentáveis e de cidadania que garantam um presente e um futuro de metas saudáveis do ponto de vista social, econômico-financeiro e ambiental. Nesse aspecto é que se propõe o estudo da sustentabilidade e da responsabilidade social na Fiat Automóveis S/A, doravante denominada Fiat Automóveis, em interdisciplinaridade com a Macroeconomia, a Contabilidade Geral, a Sociedade e Cultura e a Estatística Aplicada. Com o objetivo principal de estudar como a empresa, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está

inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG, foi preciso apresentar o projeto, mensurando seu impacto na região e analisar o Relatório de relacionamento com a comunidade, da Fiat Automóveis como um instrumento de evidenciação de resultados do projeto “Árvore da Vida”. A importância da proposta está no fato de que o projeto escolhido é um Case de Sucesso reconhecido por suas políticas sustentáveis, favorecendo a elaboração e aplicabilidade futuras de propostas neste ramo e a exata mensuração do impacto da ação do gênero para as empresas em geral e sua região. Seu diferencial consiste em entender como a Fiat Automóveis define sua postura de investimento no âmbito social e cultural, de forma que seja economicamente viável, com dados que comprovem e justifiquem a eficácia do projeto. Isto é, perceber alterações na perspectiva profissional, através de cursos profissionalizantes, na sociedade e na cultura com a formação de uma consciência sustentável para com os recursos repassados pela empresa. Então, pergunta-se: Como o projeto “Árvore da Vida” da Fiat Automóveis beneficia a comunidade da região de Betim/MG na qual está inserido?


Objetivos Objetivo geral Estudar como a empresa Fiat Automóveis, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG. Objetivos específicos Foram estabelecidos os seguintes objetivos específicos para se atingir o objetivo geral: 

Apresentar o projeto “Árvore da Vida” da Fiat Automóveis, mensurando o impacto da ação do projeto na Fiat Automóveis e na região de Betim/MG.

Analisar o relatório de relacionamento com a comunidade da Fiat Automóveis como um instrumento de evidenciação de resultados do projeto “Árvore da Vida”.

Aspectos Metodológicos A partir dos propósitos pré-definidos de pesquisa, apresentam-se abaixo os aspectos metodológicos aqui envolvidos: 

Objeto da pesquisa: Projeto Social “Árvore da Vida” Fiat Automóveis.

Método de coleta de dados: Pesquisa Documental. O método, segundo Marconi (2007, p.176), resume-se a dados restritos “a documentos, escritos ou não, constituindo o que se denomina de fontes primárias. Estas podem ser feitas no momento em que o fato ou fenômeno ocorre, ou depois” . Também serão feitas a pesquisa bibliográfica e em campo.

Tratamento dos dados: Quanti e qualitativamente. Segundo Lakatos e Marconi (2001, p.153) a análise quantitativa é um método estatístico sistemático, de apresentar os dados, obedecendo “à classificação dos objetos ou materiais da pesquisa”; já a pesquisa qualitativa afirma-se sobre a tese de que “o estudo das semelhanças e diferenças entre diversos grupos, sociedades ou povos contribui para uma melhor compreensão do comportamento humano”. (LAKATOS; MARCONI, 2007, p.107).

Procedimentos de pesquisa: em interdisciplinaridade com a Macroeconomia, a Estatística, a Sociedade e Cultura e a Contabilidade Geral, a pesquisa científica será


baseada no relatório anual do projeto e a partir de coleta de dados com pesquisa de campo, entrevistas com gestores do projeto (colaboradores Fiat e coordenadores) e beneficiários, alunos das oficinas, e registros por imagens fotográficas. A entrevista será feita por dois questionários estruturados (APÊNDICES A e B), segundo o qual “o entrevistador segue um roteiro previamente estabelecido; as perguntas feitas ao indivíduo são pré-determinadas. Ela se realiza de acordo com um formulário elaborado e é efetuada de preferência com pessoas selecionadas de acordo com um plano.” (LAKATOS; MARCONI, 2007 p.199). E um semiestruturado (APÊNDICE C), ou seja, com algumas perguntas fechadas e outras não padronizadas. O entrevistado tem liberdade para desenvolver cada situação em qualquer direção que considere adequada. É uma forma de poder explorar mais amplamente uma questão. Em geral, as perguntas são abertas e podem ser respondidas dentro de uma conversação informal. (MARCONI; LAKATOS, 2008, p.82)


Breves Reflexões Teóricas Segundo Araújo Junior (2011, s/p.), o “desenvolvimento sustentável é hoje um objetivo global, envolvendo organizações não governamentais, empresas privadas, governos e a sociedade em geral”. Para ele, a construção de “processos sustentáveis implica em realizar, sistematicamente, ações que visam não só a preservar os ecossistemas e a biodiversidade”. Eles implicariam, também, na melhora das “condições socioeconômicas das comunidades nas quais a organização está inserida”. Na busca de desenvolvimento econômico, empresas incorporam às suas práticas administrativas ações que considerem tais princípios da Sustentabilidade. Nesse contexto, a sustentabilidade, de acordo com Andrew W. Savitz com (2007, p.50), se manifestou “de início sob a forma de filantropia, na década de 1920, conforme se constata pelas fundações caritativas criadas pelos grandes capitalistas John D. Rockefelder, Henry Ford e Andrew Carnegie”. Para o autor, isso após “construírem enormes impérios de negócios – não raro recorrendo a métodos competitivos por muitos considerados questionáveis sob o ponto de vista ético”. Conforme explica, “hoje, no mundo dos negócios, o resultado financeiro não é o único nem mesmo o mais importante critério de avaliação do sucesso”. Ou seja, os “executivos também devem levar em conta os impactos sociais, econômicos e ambientais sobre qualquer participante com algum interesse no desempenho da organização” (SAVITZ, 2007, p.22).


Segundo o referido autor (2007, p.3), “sustentabilidade é gestão do negócio de maneira a promover o crescimento e gerar lucro”. Para tanto, reconhece e facilita “a realização das aspirações econômicas e não econômicas das pessoas de quem a empresa depende, dentro e fora da organização”. Dentro deste contexto a “sustentabilidade se transformou em mote de ampla gama de causas sociais e ambientais, sobretudo no mundo dos negócios”. Denota–se neste meio “uma ideia poderosa e objetiva: empresa sustentável é aquela que gera lucro para os acionistas, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente” e, além, “melhora a vida das pessoas com quem mantém interações” (SAVITZ, 2007, p.2). Elkington (2007, p.4), por sua vez, “sugere que as empresas avaliem o sucesso não só com base no desempenho financeiro (geralmente expresso em termos de lucro, retorno sobre o investimento – ROI, ou valor para acionistas)”, mas façam isso “também sob o ponto de vista de seu impacto sobre a sociedade em que atua”. Um modo muito eficaz de captar essa conexão é o conceito de Tríplice Resultado, descrito por John Elkington (2007, p.5), conforme QUADRO 1, a seguir: QUADRO 1 - Tríplice Resultado Econômicos Vendas, lucro, ROI Impostos pagos Fluxos monetários Criação de empregos TOTAL

Ambientais Qualidade do ar Qualidade da água Uso de energia Geração de resíduos TOTAL

Sociais Práticas trabalhistas Impactos sobre a comunidade Direitos humanos Responsabilidade pelos produtos TOTAL

FONTE: SAVITZ, 2007

Para Sachs (2008, p.53), “de modo geral, o objetivo deveria ser o do estabelecimento de um aproveitamento racional e ecologicamente sustentável da natureza em benefício das populações locais”. Dessa forma, induzi-las “a incorporar a preocupação com a conservação da biodiversidade aos seus próprios interesses, como um componente de estratégia de desenvolvimento”. Decorre disso, “a necessidade de se adotar padrões negociados a contratuais de gestão da biodiversidade”, completa. Ao receber o prêmio de empresa eleita a melhor do setor de veículos e apontada como a melhor nas categorias Responsabilidade Social e Meio Ambiente do ranking o presidente da FIAT na América Latina, Cledorvino Belini diz: - “Não se tem desenvolvimento econômico sem responsabilidade social das empresas”.


Para a Fiat, os programas de responsabilidade social só têm resultados positivos para a sociedade se forem realizados de forma autêntica, se estiverem incorporados à estratégia da empresa e se o investimento social for motivado pela promoção da cidadania. Assim temos feito no Árvore da vida, uma iniciativa da Fiat junto à comunidade vizinha à nossa fábrica, em Betim, que começou há cinco anos e hoje tem uma presença consolidada”. (FIAT, 2009, p.102).

Conforme citação

anterior,

a responsabilidade é componente estratégico

de

desenvolvimento e possui ações que devem ser evidenciadas. Nesse sentido, tem-se o Balanço Social. Balanço Social “tem como foco demonstrar publicamente que a intenção da organização não é somente a geração de lucros com um fim em si mesmo, mas o desempenho social”. Dessa forma “é obtido através do compromisso e da responsabilidade para com a sociedade, por meio da prestação de contas do seu desempenho sobre o uso e a apropriação de recursos que originalmente não lhe pertenciam”. Um meio de dar “à transparência de suas ações no exercício da responsabilidade social corporativa (RSC), trazendo informações qualitativas e quantitativas”. (ZARPELON, 2006, s/p.) 3.1 O Caso FIAT

FIAT é acrônimo de Fabbrica Italiana Automobili Torino (Fábrica Italiana Automobilística de Turim), e significa “faça-se” em Latim. Fundada, em 11 de Julho de 1899 por Giovanni Agnelli, seu centro de atividades industriais está na Itália, porém atua através de subsidiárias em 61 países, com 1063 unidades que empregam 223.000 pessoas, 111 mil das quais fora da Itália (FIAT Institucional, 2012, s/p.). Segundo site da montadora, “no Brasil, a Fiat hoje lidera a produção e as vendas no mercado do país, tornando-se a mais importante unidade produtora fora da Itália”. Localizada “em Betim (MG), desde 1976, a Fiat Automóveis tem capacidade produtiva para até 800 mil veículos por ano”. Em constante expansão “a empresa está em meio a um importante ciclo de investimentos de R$ 10 bilhões entre 2011 e 2014, que ampliará a capacidade da fábrica de Betim para 950 mil unidades anuais”. A Fiat anunciou ao fim de 2010 um investimento “na implantação de sua segunda fábrica de automóveis no País, situada em Goiana, Pernambuco, que terá capacidade para produzir até 250 mil unidades por ano”. (FIAT Institucional, 2012, s/p.) Cledorvino Belini (FIAT Institucional, 2012, p.2) afirma o sucesso da implantação da empresa em Betim (MG) “onde se consolidou como sinônimo de inovação e liderança”. Há 36 anos no Brasil, “ocupa lugar central na cultura organizacional da Fiat”, revelando-se “uma


empresa humanizada, preocupada com o bem estar de seus funcionários, com a utilização responsável dos recursos” e “com o desenvolvimento nas questões sociais do país, com o compromisso de exercer um papel que ultrapassa o da esfera econômica”, conforme explica seu presidente. Sua conduta se afirma com a “postura adotada” que “vai ao encontro de um novo paradigma empresarial”. Concepção em que “as empresas, como integrantes das sociedades onde estão inseridas, veem-se diante de desafios ambientais e sociais que não podem mais ser negligenciados” apenas “em nome da maximização dos ganhos”. Assim, a Fiat se preocupa em promover ações voltadas para o resgate da cidadania da pessoa humana, “resultados econômicos só são válidos quando conjugados com a criação de uma sociedade mais justa e democrática”. Nesse sentido, uma “profunda mudança” estaria “em curso na sociedade e no mundo dos negócios” e, para ele, a Fiat Automóveis tem “não apenas o orgulho”, mas “o compromisso de fazer parte dela”. (FIAT, 2012, p.2). O Projeto “Árvore da Vida” Dentro dos princípios Fiat, referenciados acima, insere-se o projeto “Árvore da Vida”. Segundo Marco Antônio Lage (apud FIAT, 2012, p.3), o projeto foi implantado em Jardim Teresópolis, no ano de 2004, com o objetivo principal de “promover a inclusão social através do protagonismo e do desenvolvimento social, econômico e cultural da comunidade”. A estratégia traçada pelo programa leva à comunidade ações baseadas em três eixos: atividades socioeducativas, geração de emprego e renda e fortalecimento da comunidade. Essas ações têm sempre como foco principal as crianças e jovens, e seus núcleos de relacionamento, como a família, a escola e a própria comunidade. O percurso socioeducativo “é formado por oficinas de percussão, canto, esporte e atividades de formação humana, que atendem jovens de 12 a 15 anos”. Além de oferecer “aos pais e parentes dos participantes que frequentam o projeto, assim como pessoas da comunidade em geral o curso supletivo”. O projeto ainda disponibiliza uma “assistente social responsável por oferecer atendimento às famílias, realizados mensalmente ou por demanda”. (FIAT, 2012, p.8). O eixo de Geração de Trabalho e Renda realiza atividades que melhoram as condições de empregabilidade, a partir de cursos de capacitação profissional e encaminhamento ao mercado de trabalho. Este eixo “tem como objeto auxiliar jovens a partir de 15 anos na conquista das


primeiras oportunidades profissionais, constituído pelo Programa Menor Aprendiz”. Oferece ainda estímulo ao empreendedorismo – “GRT, o programa de Empreendedorismo, de apoio a pequenos empreendedores locais, e a cooperativa social do programa Árvore da Vida, a Cooperárvore (FIAT, 2012, p.8)”. O eixo de Fortalecimento da Comunidade reúne as instituições locais para que juntas busquem melhorias para a comunidade. Além disso, “são oferecidas consultorias específicas para as instituições, organização gerencial, formalização e organização de estatuto”, encontra-se ainda “apoio a regularização junto aos órgãos municipais para o correto funcionamento”. .(FIAT, 2012, p.9) Segundo a Fiat (2012, p.13), entre 2004 a 2012, já foram beneficiados mais de 14 mil moradores. Acreditamos que apenas o homem é capaz de modificar sua história. Trabalhamos para que aqueles que dos nossos projetos participam tenham a oportunidade de trilhar esse caminho. (LAGE, 2012, p.3)

Para a Fiat (2012), Ao atuar nos pilares que exercem influência sobre esses jovens/família, educadores e lideranças do bairro – o programa se converte em catalisador de uma transformação integral na comunidade, promovendo desenvolvimento humano, social e econômico por meio de ações de educação, capacitação, cultura, saúde e lazer. (FIAT, 2012, p.8)


Discutindo Resultados A fim de estudar como a empresa Fiat Automóveis, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG, formulou-se um questionário de 3 (três) perguntas, dirigido a beneficiados e aplicado em 8 de Abril de 2013. O universo de 60 (sessenta) respondentes, entre os quais entre os quais 54,44% (cinquenta e quatro vírgula quarenta e quatro) do sexo feminino e 45,56% (quarenta e cinco vírgula cinquenta e seis), masculino, conforme GRÁF. 1 e 2 possui respondentes com idades não informadas 34,44% (trinta e quatro vírgula quarenta e quatro); entre16-25 anos ,26,67% (vinte e seis virgula sessenta e sete); entre 26-35 anos, 17,77% (dezessete virgula setenta e sete); entre 36-50, 13,33% (treze virgula trinta e três), entre 0-15, 5,56% (cinco virgula cinquenta e seis) e com 50 ou mais, 2,22% (dois virgula vinte e dois) cf.: GRÁF. 3.

Gráfico 1: Sexo (Número de Indivíduos) FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Gráfico 2: Sexo (em porcentagem) FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.


Grรกfico 3: Idade FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primรกrios.

Grรกfico 4: Tempo na Localidade (em meses) FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primรกrios.


A grande maioria, 78,89% (setenta e oito vírgula oitenta e nove), está há mais de 5 (cinco) anos na localidade (GRÁF.4), entre os quais 53,33% (cinquenta e três virgula trinta e três) participam de atividades sociais e comunitárias - foram citados projetos de fundo religioso e também o projeto “Fica Vivo” (GRÁF.5) - e 46,67% (quarenta e seis vírgula sessenta e sete) possuem Ensino Médio Completo (GRÁF. 6).

Gráfico 5: Participação em Atividades Sociais FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Gráfico 6: Escolaridade FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.


Gráfico 7: Grau de Satisfação FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Ao se investigar o grau de satisfação com o Projeto Árvore da Vida, a grande maioria 56,67% (cinquenta e seis vírgula sessenta e sete) diz estar muito satisfeita, contra 21,11% (vinte e um vírgula onze) que afirmam desconhecer o projeto (GRÁF. 7).

Gráfico 8: Efeitos do Árvore da Vida FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.


Entre o percentual de satisfeitos, 47,88% (quarenta e sete vírgula oitenta e oito) afirmam que o Projeto Árvore da Vida mais teria ajudado na procura de um emprego/estágio; 30,99% (trinta vírgula noventa e nove) disseram que ajudou como fonte de conhecimento e cultura; 18,31% (dezoito vírgula trinta e um), no comportamento em casa e com amigos e 2,81% (dois vírgula oitenta e um), nas notas na escola.

Gráfico 9: Expectativa Pós-Árvore da Vida FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

A expectativa após concluir a participação no Projeto Árvore da Vida é a de conseguir um bom emprego na opinião da maioria esmagadora da população pesquisada - 70,42% (setenta vírgula quarenta e dois). 11,26% (onze vírgula vinte e seis) gostariam de alavancar seu conhecimento pessoal; 7,04% (sete vírgula zero quatro), de conseguir bolsa/vaga para curso técnico ou faculdade; 7,04% (sete vírgula zero quatro), de participar de outros projetos do gênero e 4,22% (quatro vírgula vinte e dois), ainda não definiram. Empresa sustentável é aquela que gera lucro para os acionistas, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a vida das pessoas com quem interage (SAVITZ, 2007). Assim, sustentabilidade engloba grande variedade de causas socioambientais, no mundo dos negócios. Diante disso, pode-se dizer que o Projeto Árvore da Vida, além de satisfazer as expectativas da comunidade em relação a planos e projetos futuros, como por exemplo, conseguir um bom emprego, também auxilia a alavancar o conhecimento dos beneficiados como


um todo. A Fiat, portanto, causa um impacto na sociedade em se insere, apesar de 21,11% (vinte e um vírgula onze) demonstrar desconhecimento sobre ele. Da mesma forma, formulou-se um questionário de 4 (quatro) perguntas, dirigido a colaboradores Fiat e aplicado em 8 de abril de 2013 a um universo de 40 (quarenta) respondentes. Com ele busca-se mensurar o impacto da ação do mesmo na região de Betim/MG, conhecendo suas políticas de desenvolvimento social. Entre os entrevistados, 98,44% (noventa e oito vírgula quarenta e quatro) conhecem o Projeto Árvore da Vida e apenas 1,56% (um vírgula cinquenta e seis) afirmam já terem ouvido falar, mas não saberem do que se trata (GRÁF. 10). Entre os que conhecem 59,38% (cinquenta e nove vírgula trinta e oito) já visitaram algumas oficinas (GRÁF. 11), e 70,31% seriam voluntários em alguma delas, sendo que 9,37% (nove vírgula trinta e sete) só participariam como voluntários, caso houvesse algum apoio da empresa mantenedora (GRÁF.12), ou seja, precisariam de algum incentivo por parte da empresa para realizar esse tipo de trabalho, talvez por falta de conhecimento sobre a responsabilidade social que “seria” princípio da empresa.

Gráfico 10: Conhecimento sobre o Projeto FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.


Gráfico 11: Visitas ao Projeto FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Gráfico 12: Disponibilidade ao Voluntariado FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Tendo em vista que sustentabilidade é a gestão do negócio, visando ao crescimento e geração de lucro, à realização das aspirações econômicas e não econômicas das pessoas de quem a empresa depende, torna-se objeto indispensável em seu cotidiano (SAVITZ, 2007). O grau de conhecimento por parte dos funcionários acerca do projeto não é totalmente satisfatória (cf. GRÁF.10). De alguma forma seria importante que os colaboradores se engajassem ou tomassem conhecimento das estratégias da empresa em maior proporção, uma vez que se trata de um


projeto cujo mantenedor é a entidade a que prestam seus serviços e que tem como objetivo trazer benefícios à comunidade como um todo.

Gráfico 13: Perspectivas sobre o Projeto – Parte 1 FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

84,38% (oitenta e quatro vírgula trinta e oito) dos funcionários concordam que após a inserção do projeto na comunidade, o desenvolvimento e a inclusão social dos moradores aumentaram devido aos benefícios, oportunidades e conhecimentos adquiridos pelos participantes do projeto, outros 7,81% (sete vírgula oitenta e um) concordam, desde que aliados a outros fatores. Para que o desenvolvimento sustentável seja alcançado é necessário o envolvimento de organizações não governamentais, empresas privadas, governos e a sociedade em geral (ARAÚJO JUNIOR, 2011). Mesmo que o projeto consiga trazer inclusão social e desenvolvimento à comunidade, seriam necessários outros mecanismos para melhor resultado, nesse sentido, e não só o projeto em si (cf. GRÁF. 13). Enfim, formulou-se um questionário de 9 (nove) perguntas, dirigido aos alunos do projeto e aplicado no período entre 12 e 13 abril de 2013 a um universo de 153 (Cento e cinquenta e três) respondentes, para mensurar, comparativamente, o impacto de sua ação na região de Betim/MG e conhecendo suas políticas de desenvolvimento social. Foram 45% (quarenta e cinco) estudantes do sexo feminino e 55% (cinquenta e cinco), masculino (GRÁF.14), com idades até 15 anos, em sua totalidade.


Gráfico 14: Sexo FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Gráfico 15: Contribuições do Projeto (visão dos alunos) FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Ao se investigar qual a principal contribuição trazida pelo projeto, 48,73% (Quarenta e oito, vírgula setenta e três) afirmaram ser o conhecimento; 20,81% (vinte virgula oitenta e um), as novas possibilidades de emprego; 19,80% (dezenove virgula oitenta), o convívio social e


aproximação com demais moradores do bairro e os 12,50% (doze vírgula cinco) restantes, o comportamento e nas notas escolares (cf. GRÁF. 15). Sabendo que o objetivo principal do projeto é promover a inclusão, o desenvolvimento social, econômico e cultural da comunidade (FIAT, 2012), o projeto tem feito seu papel de forma eficiente, tendo em vista que os resultados esperados pela comunidade (cf. GRÁF. 7, 8 e 9) e pelos colaboradores da Fiat (cf. GRÁF.13). Isso se reflete na opinião dos alunos, por terem sido influenciados de maneira positiva, ao afirmarem que conhecimento e novas possibilidades de emprego são adquiridos com sua permanência no Árvore da Vida.

Gráfico 16: Pontos Fortes do Projeto (visão dos alunos) FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Durante a permanecia no projeto, o que mais agradou a 48,61% (quarenta e oito virgula sessenta e um) dos estudantes foram as oficinas e atividades externas, 12,29% (doze virgula vinte e nove) citaram a estrutura e 35,75% (trinta e cinco virgula setenta e cinco), os instrutores e a equipe em geral (GRÁF. 16) e mais de 98% dos entrevistados hoje, indicariam o projeto aos seus amigos e familiares como sendo uma fonte de conhecimento e cultura.


Gráfico 17: Motivos para Participação no Projeto FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Além disso, corroborando os dados anteriores, 32,61% (trinta e dois virgula sessenta e um) citou a possibilidade de obter novos conhecimentos cultura como razão para haver realizado a inscrição para participar do projeto, sendo que 60,87% (sessenta virgula oitenta e sete) mencionaram a possibilidade de conseguir um emprego e 6,52% (seis virgula cinquenta e dois) para obter maior interação com os demais moradores do bairro. Como se viu, elaborar processos sustentáveis implica em ações para melhoria de condições socioeconômicas da comunidade (ARAÚJO JUNIOR, 2011) e a existência do Árvore da Vida e outros projetos (cf. GRÁF. 5), trazem tais melhorias, pois exercem papel importante no interesse em adquirir e usufruir de benefícios como os cursos oferecidos pela ISVOR e pelo SENAI.


Gráfico 18: Informações sobre Parceiros FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

Gráfico 19: Vagas e Estágios FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

95,42% (noventa e cinco virgula quarenta e dois) sabem que a empresa que mantém o projeto, contra 4,58% (quatro virgula cinquenta e oito) que não sabem (GRÁF.18) e 89,54% (oitenta e nove virgula cinquenta e quatro) acreditam em uma possível contratação, mesmo que para estágio, por parte da empresa mantenedora (GRÁF. 19). Entretanto, 81,70% (oitenta e um


virgula setenta) da amostra investigada conhecem alguém que foi contratado pela empresa (GRÁF. 20).

Gráfico 20: Resultados Visíveis FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.


Não se pode caracterizar a inserção de beneficiários no quadro de funcionários da empresa; porém, é valido ressaltar que o objetivo principal do Árvore da Vida é promover, de fato, a inclusão social, por meio do protagonismo e do desenvolvimento social, econômico e cultural da comunidade (FIAT, 2012). Assim, a avaliação sobre o projeto é positiva, haja vista 64,05% (sessenta e quatro vírgula zero cinco) o classificam como “Ótimo”; 22,86% (vinte e dois virgula oitenta e seis) como “Muito bom” e 11,77% (onze virgula setenta e sete) como “Bom” (cf.: GRÁF. 21). Alem de que 37,25%

sugeriram a ampliação do projeto para haja mais vagas e para que mais pessoas

possam participar, também pediram aumento da carga horária e maior variedades de oficinas como artes, artes marciais, danças e outras.

Gráfico 21: Avaliação do projeto – Visão dos Alunos FONTE: desenvolvido pela equipe PPL, dados primários.

É saudável que corporações avaliem seu desempenho não só com base nos resultados financeiros, mas façam isso também sob o ponto de vista de seu impacto sobre a sociedade em que atua (ELKINGTON, 2007). Fazendo isto, sua imagem melhora e sua avaliação será positiva. O Projeto Árvore da Vida possui avaliação 98% positiva na amostra pesquisada. Considerando-se os termos utilizados na questão, os resultados obtidos na região de Betim/MG, demonstram que o projeto traz expectativas futuras para seus participantes e até mesmo resgata sua dignidade,


oportunizando-os a traçar novos projetos de vida e fazer com que sua realidade mude de maneira benéfica. Através da pesquisa de campo e da pesquisa documental obtivemos os dados complementares a nossa pesquisa, nos quais podemos perceber a progressão nos índices de aprovação escolar dos alunos do projeto (GRÁF. 22), em 2004 o índice de aprovação era de 71%, chegando a 96% em 2011, e a 97% em 2012.

Gráfico 22: Índice de aprovação escolar – Alunos do Projeto FONTE: Projeto Arvore da Vida.

Podemos denotar também a redução no atraso escolar (GRÁF. 23), e a redução do numero de indivíduos sem ensino fundamental completo (GRÁF. 24), ressaltamos que este dado se refere a população acima de 15 anos de idade.


Gráfico 23: Atraso Escolar – Moradores da comunidade FONTE: Monitoramento Fundação AVSI/CDM – dados diretos e secundários – 2010/2011.

Gráfico 24: População sem Ensino Fundamental FONTE: Monitoramento Fundação AVSI/CDM – dados diretos e secundários – 2010/2011.

Outra modificação percebida foi a redução da taxa de desemprego na faixa etária entre 16 e 24 anos (GRÁF. 25), faixa essa que é diretamente afetada pelo projeto, podemos observar também o aumento no numero de indivíduos com vinculo formal de trabalho (GRÁF. 26).


Gráfico 25: Taxa de desemprego – Entre 16 e 24 Anos FONTE: Monitoramento Fundação AVSI/CDM – dados diretos e secundários – 2010/2011.

Gráfico 26: Moradores com vínculo formal de trabalho FONTE: Monitoramento Fundação AVSI/CDM – dados diretos e secundários – 2010/2011.


Considerações Finais O mundo passa por transformações que trazem consequências que podem prejudicar o bem-estar social. Nesse contexto, empresas se veem praticamente intimadas a adotar práticas que melhorem sua imagem corporativa frente ao mercado e aos consumidores, com diferentes formas de se promover e praticar a cidadania, garantindo metas saudáveis do ponto de vista socioambiental e econômico-financeiro. Nesse aspecto, aqui se propôs o estudo da sustentabilidade e da responsabilidade social na Fiat Automóveis S/A, doravante denominada Fiat Automóveis, traçando como objetivo principal estudar como a empresa, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG. Para isso, fez-se Pesquisa Documental com dados restritos “a documentos, escritos ou não, constituindo o que se denomina de fontes primárias (Marconi, 2007). O tratamento dos dados, quanti e qualitativo, apresentaram-os dados, obedecendo à classificação dos resultados materiais da pesquisa; já a pesquisa qualitativa buscou o estudo das semelhanças e diferenças entre diversos grupos para melhor compreensão (LAKATOS; MARCONI, 2007) do problema aqui desenvolvido. Como procedimentos, a pesquisa baseou-se no relatório anual do projeto e coleta de dados com pesquisa de campo, entrevistas com gestores do projeto (colaboradores Fiat e coordenadores) e beneficiários (comunidade e alunos das oficinas), registrados por imagens fotográficas. Entrevistas foram feitas por três questionários estruturados (APÊNDICES A, B), que seguiu um roteiro previamente estabelecido de perguntas pré-determinadas, conforme o plano (LAKATOS; MARCONI, 2007) traçado; e um semiestruturado (APÊNDICE C), como forma de explorar mais amplamente a questão, com algumas perguntas não padronizadas, em que os entrevistados tiveram a liberdade para desenvolver cada situação na qualquer direção que consideraram adequadas. (MARCONI; LAKATOS, 2008). Tudo, em interdisciplinaridade com Contabilidade Geral, análise de incentivo à cultura e os benefícios obtidos pela empresa através desta, Estatística, na mensuração de dados quantitativos e qualitativos e elaboração de gráficos representativos, Macroeconomia, nas análises sobre o impacto do projeto sobre a sociedade, ampliando o conhecimento e capacitação profissional, e Sociedade e Cultura, no que diz respeito ao vínculo social entre a empresa e a comunidade, compreendendo as pessoas tanto individualmente quanto coletivamente, por meio do projeto.


A importância da proposta está no fato de entender como a Fiat Automóveis define sua postura de investimento no âmbito social e cultural, de forma que seja economicamente viável, com dados que comprovem e justifiquem a eficácia do projeto. Isto é, perceber alterações na perspectiva profissional, através de cursos profissionalizantes, na sociedade e na cultura com a formação de uma consciência sustentável para com os recursos repassados pela empresa. Assim, foram estabelecidos objetivos específicos para se atingir o objetivo geral, cujos resultados se relacionam a seguir. Ao se apresentar o projeto “Árvore da Vida”, mensurando o impacto da ação do projeto e na região de Betim/MG, viu-se que o projeto tem feito seu papel de forma eficiente, tendo em vista que os resultados esperados pela comunidade e pelos colaboradores da Fiat, tem se refletido na opinião dos alunos, por terem sido influenciados de maneira positiva ao afirmarem que conhecimento e novas possibilidades de emprego são adquiridos através de sua permanência no projeto. Ao se analisar o relatório de relacionamento com a comunidade da Fiat Automóveis como um instrumento de evidenciação de resultados do projeto “Árvore da Vida”, pode-se dizer que o Projeto Árvore da Vida satisfaz as expectativas da comunidade em relação aos planos e projetos futuros, como por exemplo, conseguir um bom emprego. Também os ajuda a alavancar seu conhecimento como um todo. Entretanto, estes dados são dados primários, conseguidos por meio de entrevistas e pesquisas na comunidade, pois a empresa não fornece ou não divulga Balanço Social, o que é um contrassenso com os princípios de Responsabilidade Social, uma vez que outras empresas de grande porte o divulgam, a Fiat Automóveis deveria emitir este documento a fim de conscientizar a sociedade e servir de exemplo a outras corporações sobre a importância do papel das empresas no desenvolvimento global, considerando os três pilares da sustentabilidade: ambiental, econômico e social, que é o aqui se trata. Portanto, responder como o projeto “Árvore da Vida” da Fiat Automóveis beneficia a comunidade da região de Betim/MG na qual está inserido significa perceber alterações na perspectiva profissional, através de cursos profissionalizantes, na sociedade e na cultura com a formação de uma consciência sustentável para com os recursos repassados pela empresa. Políticas de desenvolvimento social da empresa que denotam sua ação efetiva dentro dos princípios de Sustentabilidade e de Responsabilidade Social.


RESUMEN Este artículo, Sostenibilidad y Responsabilidad Social: El caso Fiat - Proyecto " Árbol de la Vida", con el apoyo de un informe anual, elaborado en Word ® versión 2010, aplicación Microsoft ®, como Trabajo interdisciplinario Dirigida II, del Licenciado en Administración de Empresas de la Facultad de UNA Contagem, tiene como objetivo estudiar cómo Fiat S / A, a través del proyecto "Árbol de la Vida", beneficia a la sociedad en la que opera, evaluando su impacto en la región de Betim / MG. Para ello, se hizo Investigación Documental con datos limitados "a los documentos, escritos o de otro tipo, que constituyen lo que se llama fuentes primarias (Marconi, 2007). Los datos, cuantitativos y cualitativos, se presentan, de acuerdo con los resultados de la clasificación de los materiales de investigación, mientras que la investigación cualitativa tuvo como objetivo estudiar las similitudes y diferencias entre los distintos grupos para una mejor comprensión (Lakatos, Marconi, 2007) del problema aquí desarrollado. Como procedimientos, la investigación se basó en el informe anual del proyecto y recolección de datos con la investigación de campo, entrevistas con directores de proyecto (empleados Fiat y coordinadores) y los beneficiarios (estudiantes y talleres comunitarios), registrado por las imágenes fotográficas. Las entrevistas fueron realizadas por tres cuestionarios estructurados (Anexos A y B), con una rutina previamente establecida de preguntas predeterminadas, conforme un plan (Lakatos, Marconi, 2007) trazado y semiestructurado (ANEXO C) para explotar ampliamente el tema, con algunas preguntas abiertas, en las que los encuestados tenían libertad para desarrollar cada situación, en cualquier dirección que considerasen oportuna (Marconi, Lakatos, 2008). Ello, en interdisciplinariedad con Contabilidad General, en el análisis de la ley de fomento a la cultura y los beneficios obtenidos por la empresa a través de este; Estadística, en la medición de los datos cuantitativos y cualitativos y representación en gráficos; Macroeconomía, en el análisis del impacto del proyecto sobre la sociedad, la ampliación de los conocimientos y habilidades profesionales; y Sociedad y Cultura, respecto del vínculo social entre la empresa y de la comunidad, incluyendo a las personas, tanto individual como colectivamente, a través del proyecto. Todo, para demostrar que las políticas de desarrollo de la acción eficaz de la empresa denotan la sostenibilidad y la responsabilidad social. Palabras-clave: Fiat Automóveis S.A.; Sustentabilidade; Responsabilidade Social ABSTRACT This article, Sustainability and Social Responsibility: Should Fiat - Project "Tree of Life", supported by an annual report; developed in Word ® 2010 version, Microsoft ® application, as Interdisciplinary Directed II, Bachelor of Business Administration, Faculty of UNA Contagem, aims to study how the Fiat S / A, through the project "Tree of Life" benefits society in which it operates, assessing its impact on the region Betim / MG. For this, he became Documentary Research with restricted data "to documents, written or otherwise, constituting what is called primary sources (Marconi, 2007). The data, quantitative and qualitative data presented, according to the classification results of research materials, whereas qualitative research aimed to study the similarities and differences between various groups for better understanding (Lakatos; MARCONI, 2007) the problem here developed. As procedures, the research was based on the annual report of the project and data collection with field research, interviews with project managers (employees Fiat and coordinators) and beneficiaries (students and community workshops), recorded by photographic images. Interviews were conducted by three structured questionnaires (Appendices A and B), which followed a previously established routine of pre-determined questions, as the plan (Lakatos; MARCONI, 2007) traced, and semistructured (APPENDIX C) as a way of exploring broaden the issue, with some non-standard questions, where respondents had the freedom to develop each situation in whatever direction they considered appropriate. (MARCONI, Lakatos, 2008). This, interdisciplinary with General Accounting, analysis of the law encourage culture and the benefits gained by the company through this. Statistics, in the measurement of quantitative and qualitative data and graphing representative, Macroeconomics, in the analyzes of the project's impact on society, expanding the knowledge and professional skills, Society and Culture, with regard to the social bond between the company and the community, including people both individually and collectively, through the project. Everything, demonstrating that the development policies of the company effective action denote sustainability and social responsibility. Keywords: Fiat Automóveis S.A.; Sustentabilidade; Responsabilidade Social


REFERÊNCIAS ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à Metodologia do Trabalho Científico: Elaboração de Trabalhos na Graduação. 10 ed. São Paulo: Atlas, 2010. ARAUJO JÚNIOR, José Pires. Os três Pilares da Sustentabilidade. Participação Marta Vaz. Revista Tecnológica Gráfica. São Paulo: Edição 78, 2011. CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos. 2 ed. total. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, ©2010. CHIAVENATO, Idalberto. Administração: Teoria, Processo e Prática. 4 ed. totalmente rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, Campus, 2007. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. 7 ed. totalmente rev. e atual. Rio de Janeiro: Campus, Elsevier, 2004. COMTE-SPONVILLE, André; FERRY, Luc. A Sabedoria dos Modernos: Dez Questões para o nosso Tempo. São Paulo: Martins Fontes, 1999. FIAT. Relatório Fiat: Relacionamento com a Comunidade 2011/2012. Betim: Lastro, 2012. FRANÇA, Júnia L.; VASCONCELOS, Ana Cristina de. Manual para Normalização de Publicações Técnico-Científicas. 8 ed. Belo Horizonte. Editora UFMG, 2007. LACOMBE, Francisco José Masset.; HEILBORN, Gilberto Luiz José. Administração: Princípios e Tendências. 2 ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2008. LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2001. MACHADO, Anna Rachel. (Coord.). Planejar Gêneros Acadêmicos. 3 ed. S.P: Parábola, 2008. MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do Trabalho Científico: Procedimentos Básicos, Pesquisa Bibliográfica, Projeto e Relatório, Publicações e Trabalhos Científicos. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Teoria Geral da Administração: da Revolução Urbana à Revolução Digital. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2006. OLIVEIRA, Silvio Luiz. Sociologia das Organizações: uma Análise do Homem e das Empresas no Ambiente Competitivo. São Paulo: Cengage Learning, ©1999. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO. São Paulo: USP, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, 1997. ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de Estágio e de Pesquisa em Administração: Guia para Estágios, Trabalhos de Conclusão, Dissertações e Estudos de Caso. 3 ed. SP: Atlas, 2005. SACHS, Nancy. Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável. Tradução de Garramos. Rio de Janeiro, 2008 - 3º Reimpressão. Revista Fiat do Brasil. Edição especial – número 98, 2009. SAVITZ, Andrew W. A Empresa Sustentável: o Sucesso é Lucro. Tradução de Afonso Celso da Cunha Serra. 4ª Reimpr. RJ: Elsevier, 2007. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23 ed. SP: Cortez, 2007. SILVA, Reinaldo Oliveira da. Teorias da Administração. SP: Pearson Prentice Hall, 2008. UNA (Centro Universitário UNA) – Núcleo de Trabalhos de Conclusão de Curso. Manual do Trabalho Interdisciplinar Dirigido. Belo Horizonte: Una, 2013. Disponível em: <http://www.una.br>. UNA (Centro Universitário UNA) – Núcleo de Trabalhos de Conclusão de Curso. Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos: Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Belo Horizonte: Centro Universitário UNA, 2013. Disponível em: <http://www.una.br>. ZARPELON, Márcio Ivanov. Gestão e Responsabilidade Social: NBR16.001/SA 8.000. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006.


APÊNDICE A INSTRUMENTO DE PESQUISA - COLETA DE DADOS A fim de estudar como a empresa Fiat Automóveis, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG, formulou-se um questionário de 3 (três) perguntas, dirigido a beneficiados e aplicado em 8 de Abril de 2013 a um universo de 60 (sessenta) respondentes. Lembramos que somos a equipe PPL constituída por estudantes de graduação do curso de Administração da Faculdade Una Contagem e que todas as informações deste trabalho serão abordadas com grande respeito aos princípios éticos da pesquisa científica. Afirmamos, ainda, que sua identidade será preservada e, após o crivo dos professores do curso, em banca examinadora, teremos o prazer em apresentar-lhes os resultados. QUESTÕES Sexo: Feminino: 54,44% Masculino: 45,56% Idade: 5,56% ( ) 0-15 26,67% ( ) 16-25 17,77% ( ) 26-35 13,33% ( ) 36-50 2,22% ( ) 50 ou mais 34,44% ( ) Não informado Há quanto tempo mora na localidade? 6,67% ( ) 1 ano 5,55% ( ) Há mais de 2 anos 78,89% ( ) Há mais de 5 anos 8,88% ( ) Não informado Participa de atividades sociais e comunitárias? 53,33% ( ) Sim 45,56% ( ) Não 1,11% ( ) Não informaram Quais? Projetos de fundo religioso; Projeto “Fica Vivo” Qual sua escolaridade? 14,44% ( ) Ensino Fundamental Incompleto


10,00% ( ) Ensino Fundamental Completo 18,89% ( ) Ensino Médio Incompleto 46,67% ( ) Ensino Médio Completo 03,33% ( ) Ensino Superior Incompleto 01,11% ( ) Ensino Superior Completo 00,00% ( ) Nunca estudou 05,55% ( ) Outro 1- De acordo com suas experiências, qual seu grau de satisfação com o Projeto Árvore da Vida? 56,67% ( ) Estou muito satisfeito 10,00% ( ) Estou satisfeito 06,67% ( ) Estou parcialmente satisfeito 00,00% ( ) Não estou satisfeito 05,55% ( ) Estou muito insatisfeito 21,11% ( ) Não conhecem o projeto 2- Em sua opinião, em que o Projeto Árvore da Vidamais lhe ajuda ou ajudou? 47,88% ( ) Na procura de um emprego/estágio 02,81% ( ) Nas notas na escola 18,31% ( ) No meu comportamento em casa e com amigos 30,99% ( ) Como fonte de conhecimento e cultura 00,00% ( ) Outros 3- Qual a sua expectativa após concluir sua participação no Projeto Árvore da Vida? 70,42% ( ) Conseguir bom emprego 07,04% ( ) Conseguir bolsa/vaga para curso técnico ou faculdade 07,04% ( ) Participar de outros projetos do gênero 04,22% ( ) Ainda não defini 11,26% ( ) Alavancar meu conhecimento pessoal 00,00% ( ) Outros


APÊNDICE B INSTRUMENTO DE PESQUISA - COLETA DE DADOS A fim de estudar como a empresa Fiat Automóveis, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG, formulou-se um questionário de 4 (quatro) perguntas, dirigido a colaboradores Fiat e aplicado em 8 de abril de 2013 a um universo de 40 (quarenta) respondentes. Com ele busca-semensurar o impacto da ação do mesmo na região de Betim/MG, conhecendo suas políticas de desenvolvimento social. Lembramos que somos a equipe PPL constituída por estudantes de graduação do curso de Administração da Faculdade Una Contagem e que todas as informações deste trabalho serão abordadas com grande respeito aos princípios éticos da pesquisa científica. Afirmamos, ainda, que, após o crivo dos professores do curso, em banca examinadora, teremos o prazer em apresentar-lhes os resultados. QUESTÕES 1- Conheço o Projeto Árvore da Vida. 98,44% ( ) Sim 0,00% ( ) Não 1,56% ( ) Outros: Já ouviu falar, mas não sabe do que se trata 2- Já visitei algumas oficinas do Projeto Árvore da Vida. 59,38% ( ) Sim 39,06% ( ) Não 1,56% ( ) Outro: Visitou atividades externas do projeto 3- Seria voluntário em uma das oficinas do Projeto Árvore da Vida. 70,31% ( ) Sim 20,31% ( ) Não 9,37% ( ) Outros: Só participariam como voluntários caso houvesse algum apoio da empresa mantenedora. 4- Concordo que a implantação do Projeto Árvore da Vida em Betim/MG promove a inclusão social e o desenvolvimento da comunidade. 87,38% ( ) Sim 7,81% ( ) Não 7,81% ( ) Outros: Sim, desde que aliados a outros fatores.


APÊNDICE C INSTRUMENTO DE PESQUISA - COLETA DE DADOS A fim de estudar como a empresa Fiat Automóveis, por meio do projeto “Árvore da Vida”, pode beneficiar a sociedade onde está inserida, avaliando seu impacto na região de Betim/MG, formulou-se um questionário de 9 perguntas, dirigido a alunos do projeto e aplicado no período entre 12 e 13 abril de 2013 a um universo de 17 (dezessete) respondentes. Com ele busca-se apresentar o projeto “Árvore da Vida” da Fiat Automóveis, mensurando o impacto de sua ação na região de Betim/MG e conhecendo suas políticas de desenvolvimento social. Lembramos que somos a equipe PPL constituída por estudantes de graduação do curso de Administração da Faculdade Una Contagem e que todas as informações deste trabalho serão abordadas com grande respeito aos princípios éticos da pesquisa científica. Afirmamos, ainda, que, após o crivo dos professores do curso, em banca examinadora, teremos o prazer em apresentar-lhes os resultados. QUESTÕES Qual seu sexo? 45,10% ( ) Feminino

54,90% ( ) Masculino

Qual sua idade? 100% ( ) 0-15 0,00% ( ) 16-25

0,00% ( ) 26-35 0,00% ( ) 36-50

0,00% ( ) 50 ou mais 0,00% ( ) Não informado

1Para você qual a principal contribuição trazida pelo projeto? 48,73% ( ) Conhecimento 20,81% ( ) Novas possibilidades de emprego 19,80% ( ) Convívio social e aproximação com demais moradores do bairro 12,50% ( ) Em meu comportamento e nas notas escolares 10,66% ( ) Outros 2Durante sua permanecia no projeto, o que mais lhe agradou? 12,29% ( ) Estrutura 35,75% ( ) Instrutores e equipe 48,61% ( ) Oficinas e atividades externas 3,35% ( ) Outros 3Hoje, você indicaria o projeto aos seus amigos e familiares como sendo uma fonte de conhecimento e cultura? 98,69% ( ) Sim 1,31% ( ) Não


4O que te levou a fazer a inscrição para participar do projeto “Árvore da Vida”? 60,87% ( ) Possibilidade de conseguir um emprego 32,61% ( ) Possibilidade de obter novos conhecimentos e cultura 6,52% ( ) Para obter maior interação com os demais moradores do bairro 0,00% ( ) Outros 5Você sabe qual empresa que mantém o projeto? 95,42% ( ) Sim 4,58% ( ) Não

6Você acredita em uma possível contratação, mesmo que para estagio, por parte da empresa que mantém o projeto? 89,54% ( ) Sim 7,84% ( ) Não 2,62( )Não informado 7Você conhece alguém que foi contratado pela empresa? 81,70 % ( ) Sim 18,30% ( ) Não 8Qual sua avaliação sobre o projeto? 64,05% ( ) Ótimo 22,86% ( ) Muito bom 11,77% ( ) Bom 1,32% ( ) Regular 0,00% ( ) Ruim 0,00% ( ) Muito ruim 0,00% ( ) Péssimo 9-

Você tem alguma sugestão a dar para melhorar a atuação do projeto na região?

43,80% Não deram sugestões, alguns elogiaram e outros ate mesmo indicaram 37,25% Sugeriram a ampliação do projeto para haja mais vagas e mais pessoas possam participar, também pediram aumento da carga horária e mais variedades de oficinas como artes, lutas, danças e outras 9,80% Sugeriram a realização de eventos na comunidade, como ruas de lazer, caminhadas, passeatas, em favor do meio ambiente, contra as drogas e conscientizando sobre tais 9,15% Reclamaram da carga horária, dia das aulas e alguns deslizes dos professores


PPL Revista Faculdade Una Contagem Contagem, 2013


Revista PPL