Page 1

1. Adeus Você 2. Do sétimo andar 3. Despedida 4. Outro Alguém 5. Pouco que sobrou

6. Sem ter você 7. Horizonte distante 8. Todo caranaval tem seu fim 9. Assim Será 10. Dois Barcos

Produzido por Rodrigo Castanho e Rafael Ramos Direção artística: João Augusto Gravado no estúdio Midas - São Paulo Técnicos de gravação: Lampadinha e Paulinho Anhaia Assistentes de estúdio: Ivan Dizioli e Sérfio Panda Mixado por Jerry Mapier no Andora Studios - Los Angeles Assistente de mixagem: Rob Brill Masterizado por Ricardo Garcia no Magic Master - Rio de Janeiro Banda: Marcelo Camelo – vocais, guitarra e baixo Rodrigo Amarante – vocais, guitarra e baixo Rodrigo Barba – bateria Bruno Medina – teclado Projeto gráfico e diagramação: Francielle Franco Leticia Notargiacomo


ADEUS VOCÊ Adeus você Eu hoje vou pro lado de lá Eu tô levando tudo de mim Que é pra não ter razão pra chorar Vê se te alimenta E não pensa que eu fui por não te amar Cuida do teu Pra que ninguém te jogue no chão Procure dividir-se em alguém Procure-me em qualquer confusão Levanta e te sustenta E não pensa que eu fui por não te amar Quero ver você maior, meu bem Pra que minha vida siga adiante

Adeus você Não venha mais me negacear Teu choro não me faz desistir Teu riso não me faz reclinar Acalma essa tormenta E se aguenta, que eu vou pro meu lugar É bom Às vezes se perder Sem ter por que Sem ter razão É um dom Saber envaidecer Por si Saber mudar de tom Quero não saber de cor, também Pra que minha vida siga adiante

ASSIM SERÁ

DOIS BARCOS

Assim que quer, assim será Eu vou pra não voltar Toma este anel que é pra anular O céu, o sol e o mar Eu não queria ir assim Tão triste, triste Vem dizer adeus ao que restou de quem um dia foi feliz

Quem bater primeiro à dobra do mar Dá de lá bandeira qualquer Aponta pra fé e rema

Há de encontrar um encantador Um novo ou velho amor Vai te levar leve a vagar Prum lar de fina-flor E você vai ser mais feliz Longe de mim, por isso Eu vou mas não me peça pra amar outra mulher que não você Vou mas não me peça pra amar outra mulher que não Sei que seu fel, fenecerá Em nome de nós dois A chuva do céu, se encerrará Pra ver nosso depois Como vai ser ruim demais Olhar o tempo, ir sem Ver os seus abraços, seus sorrisos ou suas rimas de amor

É, pode ser que a maré não vire Pode ser do vento vir contra o cais E se já não sinto os teus sinais Pode ser da vida acostumar Será, Morena? Sobre estar só, eu sei Nos mares por onde andei Devagar dedicou-se mais o acaso a se esconder E agora o amanhã, cadê? Doce o mar, perdeu no meu cantar Só eu sei Nos mares por onde andei Devagar dedicou-se mais o acaso a se esconder E agora o amanhã, cadê?


OUTRO ALGUÉM

POUCO QUE SOBROU

SEM TER VOCÊ

HORIZONTE DISTANTE

Não dá mais pra mim Pra eu poder viver aqui Sem ter a ti Não dava pra prever Que eu não ia mais te ter Não dava pra saber Que ia me deixar Me trocar por

Eu cansei de ser assim Não posso mais levar Se tudo é tão ruim Por onde eu devo ir? A vida vai seguir Ninguém vai reparar Aqui neste lugar Eu acho que acabou Mas eu vou cantar pra não cair Fingindo ser alguém Que vive assim de bem

Alegria é olhar pro teu sorriso E ter você sempre ao meu lado Alegria é estar junto a você E poder ser seu namorado, o seu namorado

Por onde vou guiar O olhar que não enxerga mais Dá-me luz, ó Deus do tempo Dá-me luz, ó Deus do tempo Nesse momento menor Pr’eu saber seu redor

Outro alguém Outro alguém Olho para trás A ver a alegria que Você não foi capaz De me causar Penso neste tempo Que passei sem perceber Que não queria mais E hoje estás com Outro alguém

Eu não sei por onde você foi Só resta me entregar Cansei de procurar O pouco que sobrou Eu tinha algum amor Eu era bem melhor Mas tudo deu um nó E a vida se perdeu Se existe Deus em agonia Manda essa cavalaria Que hoje a fé me abandonou

Meu amor não se vá eu sofro tanto sem ter você Eu sofro tanto sem ter você Alegria é olhar pra sua boca E poder ver sua pele macia Alegria é poder olhar seus olhos E dizer que será sempre minha, será sempre minha Meu amor não se vá eu sofro tanto sem ter você Eu sofro tanto sem ter você Sem ter você Sem ter você Eu sofro tanto sem o seu amor

A gente quer ver Horizonte distante A gente quer ver Horizonte distante Aprumar Através eu vi Só o amor é luz E há de estar daqui Até alto e amanhã Quem fica com o tempo Eu faço dele meu E não me falta o passo, coração E não me falta o passo, coração Avante A gente quer ver Horizonte distante A gente quer ver Horizonte distante Aprumar


TODO CARNAVAL TEM SEU FIM Todo dia um ninguém josé acorda já deitado Todo dia ainda de pé o zé dorme acordado Todo dia o dia não quer raiar o sol do dia Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado De que o dia insiste em nascer Mas o dia insiste em nascer Pra ver deitar o novo Toda rosa é rosa porque assim ela é chamada Toda Bossa é nova e você não liga se é usada Todo o carnaval tem seu fim Todo o carnaval tem seu fim E é o fim, e é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz, Deixa eu pintar o meu nariz(2x) Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco Toda escolha é feita por quem acorda já deitado Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado E pinta o estandarte de azul E põe suas estrelas no azul Pra que mudar? Deixa eu brincar de ser feliz, Deixa eu pintar o meu nariz Deixa eu brincar de ser feliz, Deixa eu pintar o meu nariz

DO SÉTIMO ANDAR

DESPEDIDA

Fiz aquele anúncio e ninguém viu Pus em quase todo lugar a foto mais bonita que eu fiz, você olhando pra mim

Eu não sou daqui também marinheiro Mas eu venho de longe E ainda do lado de trás da terra além da missão comprida Vim só dar despedida

Alto aqui do sétimo andar longe, eu via você e a luz desperdiçada de manhã num copo de café Deus sabe o que quis foi te proteger do perigo maior, que é você E eu sei que parece o que não se diz o seu caso é o tempo passar Quem fala é o doutor Parece que foi ontem, eu fiz aquele chá de habu pra te curar da tosse do chulé pra te botar de pé E foi difícil ter que te levar àquele lugar Como é que hoje se diz? Você não quis ficar Os poucos que viram você aqui me disseram que mal você não faz E se eu numa esquina qualquer te vir será que você vai fugir? Se você for, eu vou correr Se for, eu vou

Filho de sol poente Quando teima em passear desce de sal nos olhos doente de voltar Filho de sol poente Quando teima em passear desce de sal nos olhos doente da falta que sente do mar Vim só dar despedida

Projeto Gráfico - CD Los Hermanos (3/3)  

Trabalho realizado na disciplina de Design Publicitário I. (Faculdade de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, PUCRS). 2013/1