Issuu on Google+

REF.:

Travessia São Sebastião - Ilhabela

Excelentíssimo Senhor Promotor de Justiça de São Sebastião - SP

Senhor Promotor,

Vimos por meio deste requerimento,

mostrar a atual situação que se

encontra a Travessia São Sebastião - IIhabela, e, pedir providências cabíveis.

o modus

operandi da travessia vem sendo alterado desde o final do ano

passado, de uma forma que privilegia carros, em detrimento

de pedestres.

Através do Capitão da Marinha da Delegacia dos Portos de São Sebastião, foram criadas novas "regras" para os pedestres. Mascaradas da prerrogativa de segurança aos usuários a pé, tratam-se de normas que estão segregando socialmente o serviço de travessia. Ao analisar ponto à ponto as mudanças, vê-se claramente tal situação. Em primeiro plano, os pedestres foram obrigados a permanecer em apenas UM LADO da embarcação,

ficando

o outro lado vazio, ou, para os usuários

motorizados sentarem-se confortavelmente. Em seguida, mudou-se a ordem de entrada na balsa, primeiro entram os carros - privilégio de quem tem o poder aquisitivo maior - para em seguida ser liberado aos pedestres

(cuja maioria são pessoas de baixa renda, idosos,

crianças, deficientes, entre outros).


A segregação é clara, priori de quem paga, chega primeiro escolhe o assento, se não sobrar assento, azar da população a pé. Na saída para IIhabela, existem dois caminhos, pela direita, onde existe uma passarela que passa sobre a água e dá acesso aos táxis. Na esquerda, onde há cobertura, e proteção contra intempéries. A passagem da direita foi obstruída por uma catraca de uma via apenas - só para quem desce à ilha impedindo o acesso para quem tem qualquer tipo de necessidade especial, e para quem quiser embarcar na balsa no sentido São Sebastião. Os horários das balsas, de 30 em 30 minutos, das 6hOO às OOhOOe de 1h em 1h na madrugada, diversas reclamações pela terceirizada

não são respeitados. Como se pode averiguar em

de usuários. O tratamento

dispensado

aos pedestres

da DERSA, a Internacional Marítima é de doer. Tratam as

pessoas da pior maneira possível, enquanto os usuários de carros são tratados como Lordes. Nas balsas existem limites de carros e pedestres estipulados e afixados para todos verem. Mas não é isso que ocorre na realidade. Sob o comando dó Capitão da Marinha, a balsa FB-14 NÃO leva pedestres, apesar de ter uma capacidade para tal. E, quando a fila da balsa está grande, saem balsas SEM pedestres,

contrariando

o direito de ir e vir do cidadão

que não possui

automotor. A situação está no limite de uma revolta popular. Ontem, dia 24 de fevereiro, estudantes

pararam a travessia em protesto, pela balsa sair sem

horário, e, sem levar pedestres. É sabido que 18hOO e 18h30 uma quantidade considerável de estudantes atravessam ao continente para estudarem todos os dias, mas infelizmente

a DERSA

não atua no sentido

de otimizar

este

processo. A DERSA, empresa que terceiriza seus serviços de travessia, está muito aquém

do

desejado

corporativistas,

para

que debocham

insatisfações dos usuários.

uma

empresa

pública,

de reclamações,

sendo

seus

fiscais

e, não levam adiante as


A situação das balsas na travessia é extremamente

precária. Apenas o

refugo de Santos é mandado pra cá. Balsas velhas, como a Valda, e "novas" como a FB-29 e FB-30, e, a de maior capacidade, a FB-25, estão totalmente sucateadas. Enquanto ouvimos promessas do Governador - que sempre vem de helicóptero, e, nunca deve ter atravessado

na balsa - de que melhorias

virão. Anos se passam, e nada vem, apenas sucata de Santos. As balsas não estão adaptadas aos usuários pedestres, seus assentos são horríveis, sem qualquer anatomia. Quem senta fica com dor nas costas, porque existe uma barra de ferro que não se deixa encostar as costas adequadamente.

o Capitão

da Marinha atravessa todos os dias para São Sebastião com

seu motorista pela manhã. Sempre entra primeiro na balsa, não pega fila, não sabe a humilhação que os usuários vem passando ultimamente, ou, finge que não quer ver. Ainda,

mas

não menos

importante,

quando

há SHOWS

em São

Sebastião, a balsa vai lotada só com pedestres. Por quê quando tem show, pode ir além da capacidade de pedestres? Em anexo

segue

links

extraídos

de redes

sociais,

e, notícias

e

entrevistas do representante da Marinha em São Sebastião. Diante

do

exposto,

considerando

que

os

fatos

acima

narrados

caracterizam, em tese, ofensa à Constituição Brasileira, e a moral, requere-se ao Ministério Público que sejam tomadas as providências cabíveis.

São Sebastião, 25 de janeiro de 2014

Francisco André Santiago Michelino RG. 21.329.123-X R. Antonia Silva Santana, 112 cs2 Portinho, IIhabela - SP


~ IMPRENSA LIVRE QUARTA-FEIRA, 29 DE JANEIRO DE 2014 -

'.

-

--

~ -~Com a palavra,

--',..,.

-

-

o LEITOR t

11111

t

11

ti

t

111111'111

t

Como cidadã ilhabelense e caiçara deixo aqui minha indignação com o Dersa ou sei lá, o capitão dos portos! Já viram a situação que os pedestres estão passando na balsa? Quando entramos na balsa como pedestre, somos "encurralados", para um determinado local que não podemos sair de lá e se sair leva bronca dos funcionários do Dersa, ou seja, foi criado diversas "regras" novas na travessia! Ainda neste sol, o lado que ficamos encurralados é a parte do sol. nem para terem o bom senso e virarem a balsa. Onde dizem que é preocupação na segurança dos travessantes a pé, eles estão é mascarando uma discriminação social para com os mesmos. Situação degradante e humilhante, tanto aos funcionários da Dersa, quanto aos pedestres, um não respeita o outro.Os funcionários não sabem nem o porquê, mas manda irmos para o determinado local.Enquanto isso cadê a melhoria na travessia? Cadê o investimento em melhorias nas balsas? Nem vou mencionar o valor que pagamos ao entrar em nossa cidade, quando saímos de carro, isso vou pularlO barulho é tremendo, a demora é muita. No livro do saudoso Nivaldo Sirnões diz que a travessia se faz em 15 minutos. Hoje tá levando mais de 30. As pessoas conversam gritando porque não dá nem para conversar, sei _lá quantos decibéis!

" s


Tanto qúe os funcionários tem proteção auditiva e nós não, claro!E ainda dizem qu etão preocupados com nossa segurança!A balsa 29, então, demora mais tempoque se uma pessoa fosse nadando!Não podemos aceitar isso sem fazer nada!!!Uma pessoa que põe regras e nem têm lei! Isso pode? Passar humilhação e ainda perder o ônibus porque a balsa não atraca enquanto todos não "estiverem encurralados um por cima do outro" por que não há espaço para todos ficarem ali???Chega! Temos que por um basta nisso, não podemos aceitar sem fazer nada! Jaqueline palrnejane IIhabela

......................

'I


Balsailhabela