Page 5

NOROESTE

17

SEXTA-FEIRA, 14 DE JULHO DE 2017

Empreender tendo a

inovação tecnológica como aliada

P

or meio da tecnologia muitos processos podem ser automatizados e padronizados, a fim de diminuir custos e alcançar melhorias. São vários os desafios que as pequenas e micro empresas enfrentam para inovar, acessar conhecimento e incorporar novas tecnologias. Muitas vezes a chave para a inovação é melhorar a gestão de pessoas ou capacitar a equipe, trazendo conhecimento para o negócio. A equipe é, sem dúvida, o maior capital que uma empresa dispõe para vencer os desafios. Os profissionais atuam, quando bem preparados e dirigidos, como agentes da mudança da cultura da empresa e aceleradores de inovações em produto, processo, marketing e gestão. Uma empresa pode ter recursos financeiros e tradição no mercado, mas se não tiver bons recursos humanos, o processo de inovação não ocorre. Interagir com fontes de conhecimento é outra condição importante para uma empresa inovar e incorporar novas tecnologias. Há uma série de possibilidades as quais a empresa pode acessar o conhecimento necessário para implementar a inovação. Isso é possível por meio de parceiras com centros e institutos de pesquisas e universidades, por exemplo. Conforme Claudiomiro Reis, Gestor de Políticas Públicas nas Regionais Noroeste e Centro, do Sebrae, procurar o órgão ou então universidades e instituições de pesquisa é um importante passo. Ele aponta que também são ambientes ricos em informações os Arranjos Produtivos Locais (APLs) e as incubadoras, assim como algumas organizações não governamentais e consultorias especializadas voltadas para a inovação. Feiras, congressos, palestras e artigos são outros recursos que o empresário pode usar para acessar o conhecimento. A organização da empresa deve atender às exigências do mercado e às necessidades dos clientes. “O empreendedor tem que

A

ser ágil nas decisões e implementações de modo a não perder o momento exato da inovação, sob risco de ser alijada do mercado. Deve ter ainda uma estrutura organizacional enxuta e recursos humanos multifuncionais, com isso terá flexibilidade para rapidamente atender o mercado na sua busca contínua pelo novo, mais barato e com melhor desempenho”, orienta. O próprio Sebrae, em seu site, destaca que, para enfrentar todos esses desafios, o papel da direção da empresa é fundamental. Ela deve criar e manter um ambiente propício à inovação, desenvolver e investir em recursos humanos, abrir contatos com fontes de conhecimento e estabelecer parcerias com clientes, fornecedores e concorrentes. A direção ainda deve ser empreendedora e ter visão de longo prazo, capacidade de lidar com o risco e clara percepção de ameaças e oportunidade do negócio. Com essas características, os donos de negócio poderão implementar melhorias nos seus produtos e serviços.

O que é cirurgia de cabeça e pescoço?

Cirurgia de Cabeça e Pescoço é uma especialidade cirúrgica que trata principalmente dos tumores benignos e malignos da região da face, câncer de pele, pálpebras, fossas nasais, seios paranasais, boca, faringe, laringe, traquéia, tireóide, paratireoides, glândulas salivares, cisto tireoglosso, tecidos moles do pescoço, nódulos cervicais e tumores do couro cabeludo. É uma especialidade regulamentada e reconhecida pela associação médica brasileira e dela também faz parte uma área de atuação (sub-especialidade) a Cirurgia CRÂNIOMAXILOFACIAL, a qual trata as doenças do esqueleto crânio-facial como o Lábio Leporino, Fenda Palatina, Distúrbios da ATM (Articulação Temporomandibular) e fraturas na região da face. Entre os procedimentos diagnósticos realizados pelo cirurgião de cabeça e pescoço está a faringolaringoscopia, que examina, avalia, e permite a realização de biopsias na laringe e faringe. Já entre as cirurgias mais comumente realizadas estão a tireoidectomia, tumores das glândulas, tumores de boca e da laringe; além da retirada de nódulos linfáticos no pescoço (ínguas) que são usados para o diagnóstico de linfomas entre outras patologias. O dia 27 de julho foi escolhido para ser o dia de prevenção e conscientização do Câncer de Cabeça e Pescoço. Sendo todo o mês de julho chamado de JULHO VERDE, para alertar e conscientizar sobre os de

risco da doença, seus sintomas e diagnóstico. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer) durante o ano de 2016 a estimativas das taxas brutas de incidência por 100 mil habitantes e do número de casos novos de câncer, segundo sexo e localização primária ( o local do inicio do câncer) foi: Cavidade oral 11.140 em homens e 4.350 em mulheres, Laringe 6.360 em homens e 990 em mulheres, Tireóide 1.090 nos homens e 5.870 nas mulheres; isto sem mencionar os cânceres em outras regiões da cabeça e do pescoço e os cânceres de pele melanomas ou não-melanomas. É um câncer com uma grande incidência e apesar dessa grande incidência ainda é pouco conhecido, o que dificulta o diagnóstico precoce e a cura, dificultando a qualidade de vida dos pacientes, pois muitas vezes eles já chegam ao consultório em estágio avançado da doença. Os maiores fatores de risco são tabagismo e alcoolismo, outros fatores são: a exposição a vírus como o HPV, a exposição ambiental sem uso de protetor solar, exposição a radiação, exposição ocupacional, má higiene oral, mal hábitos alimentares, chimarrão e bebidas muito quente, predisposição genética. Os principais sintomas e sinais são: nódulos que crescem rapidamente, associados a dor e ou rouquidão, alterações na voz, sensação de espinho e dor na garganta, dificuldade de engolir, aftas que não cicatrizam por mais de 15 dias, nódulos ou verrugas na língua que dói e não

somem, manchas brancas na mucosa oral, dores no ouvido, sangramentos nasais, manchas e pintas na pele. Ao aparecimento de qualquer um destes sinais e sintomas procure um cirurgião de Cabeça e Pescoço. Quanto mais cedo diagnosticar-se o câncer, maior a chance de cura e menores as sequelas do tratamento. O tratamento deve ser individualizado, levando em consideração o estágio, localização anatômica, tamanho do tumor, histologia e dados do paciente como: idade, condição geral, ocupação e hábitos. Em muitas vezes e dependendo o caso se descoberto cedo e realizado logo a cirurgia o paciente já tem a cura, em outros casos além da cirurgia pode haver a necessidade de quimioterapia e/ou radioterapia. Doutor Elvis Ricardo Pierre Dornelles, natural de Santa Maria, é medico cirurgião de Cabeça e Pescoço há mais de 20 anos, se formou na Universidade Federal de Santa Maria em medicina onde também realizou residência em Cirurgia Geral, após fez residência em Cabeça e Pescoço na Santa Casa da Misericórdia em Porto Alegre, já a especialização em Cirurgia Bucomaxilofacial em São Paulo e especialização em cirurgia da tireóide na Argentina, entre outros cursos no Brasil e na Europa. Durante anos vem se dedicando ao diagnóstico e ao tratamento do câncer de Cabeça e Pescoço, e há 8 anos está morando em Santa Rosa e atendendo toda a região Noroeste.

Empreendedorismo Jornal Noroeste  

Mais do que nunca, a palavra de ordem na atualidade é Inovar. Empreendedores têm este conceito bem presente a fim de que possam enfrentar cr...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you