Page 1

Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades – janeiro a dezembro de 2012

Relatório Anual de Atividades 2012


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Índice 1. Atividades de formação

5

1.1. Cursos de Formação Científica e Pedagógica de Voluntários/as para Intervenção no Projeto Nacional de Educação Pelos Pares

5

1.2 Ações de formação de docentes

25

1.3 Ações para pais e encarregados de educação

28

1.4 Ações de formação para pessoal técnico

31

1.5. Ações de Formação de voluntariado

32

2. Projetos de prevenção em contexto escolar

35

2.1 Projeto Nacional de Educação pelos Pares

35

2.2 Teatro Universitário de Intervenção

52

2.3 Projetos de Educação em Sexualidade no ensino secundário

53

2.4 Projetos de Educação em Sexualidade e prevenção da infeção VIH/SIDA

57

2.5. Projeto de desenvolvimento de competências pessoais e sociais

61

3. Projetos de prevenção em Centros Educativos da DGRS do Ministério da Justiça

63

4. Projetos de prevenção para crianças e jovens institucionalizados

66

5. Projetos de prevenção em Estabelecimentos Prisionais

67

6. Projetos de prevenção

70

7. Campanhas de prevenção

72

8. Ações de carácter institucional e sociocultural

85

9. Atividade científica

92

10. Acompanhamento e supervisão de estágios curriculares

98

11. Assistência psicológica, social e ético-jurídica

100

12. Candidaturas a financiamento de novos projetos

101

13. Formação contínua de docentes e psicóloga da Fundação

107

14. Estabelecimento de parcerias

119

NOTAS FINAIS

111

AGRADECIMENTO

112

i


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

INTRODUÇÃO Este relatório apresenta o conjunto dos projetos e atividades desenvolvidos pelas Delegações Delegações/CAOJ da Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” durante o ano de 2012. Na generalidade, foram concretizados as metas e objetivos inscritos no Plano de Atividades, nas áreas da formação, da prevenção e do apoio psicossocial. Conjugando esforços com diversas entidades, designadamente com os Ministérios da Educação e Ciência, Ministério da Saúde, Direção-Geral de Reinserção Social, Direção-Geral dos Serviços Prisionais e Autarquias, desenvolveu projetos de prevenção e Intervenção ajustados a contextos sociais diversificados. As diversas Delegações/CAOJ alargaram a sua ação a mais escolas e instituições, abrangendo um número crescente de jovens, docentes, técnicos profissionais de reinserção social e pais e encarregados de educação. Esta ampliação do campo de ação só tem sido possível com o apoio do Ministério de Educação e Ciência que garante a mobilidade dos docentes integrados nas várias Delegações da Fundação. Docentes, psicólogas e jovens em regime de voluntariado nas Delegações da Fundação deram continuidade ao Projeto Nacional de Educação pelos Pares “Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA”, incentivando os jovens a compreenderem as dimensões biológica, psicológica, afetiva, social e cultural da sexualidade. Estimularam-nos a colocarem dúvidas, a refletirem em conjunto, a tomarem decisões sobre a forma de viverem plenamente a sua sexualidade, tendo em consideração valores pessoais, familiares e sociais e o conhecimento científico a que tiveram acesso. As equipas das diversas Delegações/CAOJ deram continuidade aos projetos em curso e desenharam novas ações, para responderem a novas necessidades. As várias Delegações/CAOJ desenvolveram a sua intervenção em Escolas, Centros Educativos da DGRS, Lares de Jovens, bairros sociais e Estabelecimentos Prisionais, junto de adolescentes e adultos de ambos os sexos, ajudando-os a desenvolverem competências pessoais e sociais, elucidando-os sobre o VIH/SIDA, orientando-os na tomada de decisões sobre os relacionamentos e vivência da sexualidade No domínio da Formação, para além dos Cursos de Formação Científica e Pedagógica para Voluntários do Ensino Superior, no sentido de implementarem as atividades do Projeto Nacional de Educação pelos Pares, realizaram-se ações de formação para estudantes, docentes, técnicos de ação educativa e de reinserção social, animadores culturais, pais, mães e encarregados de Educação. No quadro das parcerias com instituições públicas, a Fundação tem sido um parceiro incansável do Estado Português na implementação de medidas de combate à infeção VIH/SIDA enquadradas quer na legislação nacional, quer em diretrizes comunitárias e recomendações internacionais. Em todos os seus projetos, a Fundação incorpora os princípios subjacentes às políticas públicas de saúde e educação, numa perspetiva de prevenção, integração, orientação para a ação e mudança de atitudes. Nesse sentido, promove o respeito pelos direitos humanos nos campos da saúde e sexualidade.

3


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A diversidade de contextos e de pessoas abrangidas por estes projetos e atividades tem permitido uma melhor compreensão das situações de vulnerabilidade ao risco na população jovem e a consciência da necessidade de uma intervenção integrada, o mais cedo possível, ao nível da educação, apoio social, aconselhamento e orientação. No domínio do apoio a pessoas seropositivas e seus familiares, as ações visaram a promoção da reintegração socioprofissional, o apoio, aconselhamento, orientação e encaminhamento de utentes através da “LINHA DE ATENDIMENTO”, número verde 800213140. Sempre que se justificou, promoveu-se a atribuição de bens materiais angariados pela Fundação. Salienta-se a importância do projeto “Entre famílias com a Diferença” que abrange essencialmente as famílias portadoras do vírus da Sida, bem como, algumas crianças infetadas, promovendo a educação para a adesão ao tratamento antirretrovírico e respectivo apoio, e monitorização da toma da medicação. No âmbito do apoio a trabalhadoras do sexo, destacamos a relevância que o projeto “Vida Segura” tem tido a prevenção da Sida e das IST, bem como, no diagnóstico precoce do VIH. Pela sua importância social e educacional, os projetos que a Fundação desenvolve em escolas públicas e privadas do ensino básico e secundário, em centros educativos da Direção-Geral de Reinserção Social, em Estabelecimentos Prisionais, em instituições de acolhimento de jovens, em instituições do ensino superior e na comunidade, têm merecido um bom acolhimento de todos os intervenientes. Suportados em trabalho voluntário de jovens do ensino superior, que com esta experiência ganham maturidade cívica e promovem a coesão social, estes projetos constituem a missão que a Fundação abraçou e quer intensa de significado.

4


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

1. ATIVIDADES DE FORMAÇÃO 1.1. CURSOS DE FORMAÇÃO CIENTÍFICA E PEDAGÓGICA DE VOLUNTÁRIOS/AS PARA INTERVENÇÃO NO PROJETO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PELOS PARES DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa Curso de Formação Científica O Curso de Formação Científica teve lugar no dia 10 de novembro

de

2012

na

Faculdade de Medicina da Universidade

de

Lisboa

(Auditório Egas Moniz), em Parceria com a Associação Nacional de Estudantes de Medicina. Teve incidência em temáticas ligadas à saúde, sexualidade,

VIH/SIDA

e

prevenção de comportamentos de risco. As conferências foram proferidas por especialistas das áreas da Medicina, Ética e investigação

Biomédica,

Psicologia,

Educação,

Intervenção Social e Segurança. Estiveram presentes 61 jovens universitários, dos quais 33 se revelaram

interessados

em

integrar as BUI no Projeto Nacional de Educação pelos Pares. Destes jovens, apenas 50

preencheram

Questionário

de

o

Satisfação

aplicado no final o curso.

5


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Os resultados obtidos encontram-se sistematizados nos gráficos abaixo apresentados, onde estão expressas as opiniões dos jovens.

Os objetivos foram atingidos? N=50

0 0%

0 0%

2 4%

14 28%

0 0 0% 0%

A ação correspondeu às 4 expectativas?

8%

10 20%

1 2

2

3

3

4 34 68%

Duração adequada

4

36 72%

NS

Metodologia adequada

1

Relacionamento entre jovens

NS

Organização eficiente

Lista das conferências:

Q7 Q8

A Escola, o Voluntariado e a Educação pelos Pares na Luta Contra a Sida Sexualidade e Construção da Identidade na Adolescência

Q9

Métodos Contracetivos e Gravidez na Adolescência

Q10

Questões Ético-Jurídicas associadas ao VIH/SIDA

Q11

Sexualidade na Adolescência VIH/SIDA e outras IST – Questões atuais e Novos Desafios

Q12 Q13

Igualdade de Género

Q14

Riscos associados ao Consumo de Drogas e Álcool

Q15

Perigos da Internet (não se realizou)

Tendo em conta os resultados obtidos, pode concluir-se que para a maioria dos jovens os objetivos da formação foram atingidos e o curso correspondeu às suas expectativas. No que concerne aos itens ligados à organização da formação, pode verificar-se que a maioria considerou a metodologia muito adequada, a organização bastante eficiente, o relacionamento entre os jovens foi considerado bom e muito bom. A

6


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 duração da formação adequada. Finalmente, quanto às diferentes conferências a que tiveram oportunidade de assistir, pode dizer-se que todas tiveram uma avaliação bastante positiva. Destacaram-se, no entanto, as comunicações sobre os temas Igualdade de Género, Sexualidade na Adolescência, Métodos Contracetivos e Gravidez na Adolescência e Sexualidade e Construção da Identidade na Adolescência, por terem sido aquelas que mais jovens classificaram com nível 4. Relativamente às questões, abertas solicitou-se aos participantes que indicassem dois aspetos positivos e dois aspetos menos positivos da formação. Entre os aspetos positivos enumerados destacam-se os seguintes:                 

Interação entre oradores e público Palestras dinâmicas Variedade de temas abordados Espaço para colocar questões e abertura em questões consideradas tabu Oradores com grande capacidade de cativar e de comunicar com a descontração necessárias para desmistificarem alguns temas Forma de exposição clara e sucinta sobre todos os pontos fundamentais Informação não excessiva e apresentada de maneira atraente Aquisição de conhecimentos sobre sexualidade Informação direta dirigida “nua e crua” Temas muito interessantes e importantes para a formação, quer pessoal quer profissional Facilidade em colocar os voluntários à vontade Respeito pela opinião dos outros Estímulo à realização do voluntariado Boa organização Bom ambiente com espaço de discussão Duração adequada das conferências Boa comida no coffee-break

Quanto a aspetos menos positivos indicados salientam-se:               

Pouco tempo para debater os temas satisfatoriamente Questionários Muito tempo de formação Duração da formação insuficiente Atraso de algumas sessões Falta de tempo para aprofundar alguns temas Pouco tempo para cada apresentação (seria interessante ter menos temas, mas mais tempo para explorar cada um) Ausência de um orador Coffee-Break sem café Realização num sábado Algumas conferências não foram muito úteis Hora de almoço foi um bocadinho reduzida Barulho de fundo Faltou abordar o tema da violência, bullying Algumas apresentações foram monótonas ou “a despachar”

7


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Apresentam-se, seguidamente, algumas fotografias captadas durante a formação científica.

Cursos de Formação Pedagógica No ano de 2012 realizaram quatro cursos de formação pedagógica para jovens voluntários que participam no PNEP: duas durante o ano letivo de 2011/2012 (6 e 9 de janeiro e 10 e 11 de abril de 2012 – ambas com o mesmo programa) e duas já no ano letivo de 2012/13 (17 de novembro e 12 de dezembro de 2012). Todos os cursos tiveram lugar na sede da Fundação Portuguesa “A Comunidade contra a SIDA”, tendo as três primeiras decorrido das 9 e as 19 horas e a última das 14 às 18 horas. Os cursos foram ministrados pela equipa de docentes do CAOJ de Lisboa. Os referentes ao ano letivo 2011/2012, pelas docentes Celeste Santos, Gabriela Fonseca e Geraldina Bettencourt e os referentes ao ano letivo 2012/2013, pelas docentes Gabriela Fonseca, Geraldina Bettencourt, Marta Mateus, Paula Costa e Vanda Delgado. Os cursos tiveram como principal objetivo preparar os jovens para a sua intervenção nas escolas, reproduzindo/dinamizando as principais dinâmicas de grupo aplicadas nas turmas, em função dos temas a tratar, e debatendo/explicando a importância de cada estratégia utilizada. Neste contexto, conforme programas abaixo apresentados, foram realizadas atividades práticas no âmbito dos seguintes temas: relações interpessoais, sentimentos e emoções, comunicação, autoestima, assertividade, tomada de decisão, conceito de sexualidade, corpo: aparelho reprodutor, métodos contracetivos, gravidez na adolescência, VIH/SIDA e outras IST e comportamentos de risco associados à sexualidade. As metodologias utilizadas consistiram em dinâmicas de grupo, tais como: jogos pedagógicos, debates, role-play, chuvas de ideias e caixa de dúvidas.

8


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Nos cursos que tiveram lugar em janeiro e abril de 2012 participaram 19 jovens, 15 do sexo feminino e 4 do sexo masculino.

No final de cada curso aplicou-se um questionário, no qual se solicitava que na escala de 1 (Nada) a 5 (Muito), os jovens indicassem a sua opinião sobre o interesse e utilidade desta formação; as estratégias inovadoras utilizadas; o grau de conforto sentido na aplicação das estratégias; as suas expectativas; o relacionamento entre os participantes; a organização e duração da formação e a avaliação global. Foi ainda pedido que indicassem os dois aspetos mais positivos e os dois menos positivos e dessem sugestões ou fizessem comentários, se assim o entendessem. Os resultados encontram-se organizados nos seguintes gráficos:

9


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

De acordo com os resultados, pode verificar-se que de um modo geral, os jovens consideraram a formação de grande interesse e utilidade e as estratégias utilizadas bastante inovadoras. A esmagadora maioria dos jovens sentiu-se confortável ou muito confortável durante a aplicação das estratégicas e consideraram o relacionamento entre os participantes, bom a muito bom. Pode ainda concluir-se que esta formação foi largamente ao encontro das expectativas destes jovens voluntários e que estava bem organizada.

A duração da formação

3

Avaliação global

Adequada 16

14

5

Insuficiente Excessiva 1 (Ins.)

2 (Suf.)

3 (Boa) 4 (M. Boa)

5 Excelente)

Relativamente à duração da formação, a maioria dos participantes (84,2%) considerou-a adequada. Apenas 3 jovens entenderam a duração como insuficiente. Quanto à avaliação global, pode concluir-se que os jovens consideraram o curso de formação pedagógica muito bom (nível 4) a excelente (nível 5). No questionário de avaliação foram apontados os aspetos positivos e menos positivos e sugestões/comentários. As respostas a estes itens foram interpretadas, agrupadas e registadas nos quadros que se apresentam a seguir:

Aspetos mais positivos da ação de formação Referências Comunicação participativa/cooperação entre todos os intervenientes Diálogo aberto e partilha de informação/experiências À vontade e boa disposição dos formadores Pertinência dos conteúdos Desenvolvimento de competências dos formandos

Frequência 7 7 4 6 3

Aspetos menos positivos da ação de formação Referências Pouco tempo de formação Deficiente gestão do tempo Horários e dias da formação (fim de semana) Exploração pouco aprofundada a nível científico Condições da sala de formação

Frequência 3 3 2 4 1

10


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Sugestões e Comentários Sugestões/Comentários  Procurar dividir o tempo de formação em dias diferentes, que não ocupem todo o fim-de- semana.  Sugiro algumas ações pontuais para debater assuntos no âmbito das reflexões a fazer com os jovens.  Falar de temas como onde se podem fazer os testes, fatores psicológicos de se ser seropositivo/ter SIDA.  Algum material poderia ter sido fornecido antes da sessão.  Achei muito interessante e de extrema utilidade quer na aplicação nas sessões com os jovens, quer mesmo para minha própria informação.

No curso de formação que teve lugar no dia 17 de novembro de 2012 participaram 23 jovens, 8 do sexo masculino e 15 do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 18 e os 23 anos e cujas temáticas abordadas constam do programa que se apresenta.

11


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

No início foi aplicado um questionário constituído por 4 questões abertas. Na primeira, era solicitado que indicassem três motivos para aderir ao Projeto Nacional de Educação pelos Pares; na segunda, que referissem três resultados que esperavam atingir com o desenvolvimento do Programa Sexualidade e Prevenção da Sida; na terceira, que indicassem três dúvidas ou receios que têm relativamente à formação pela qual vão ser responsáveis; e, por último, que indicassem de entre as áreas de formação do Programa aquelas em que necessitam de obter mais informação ou formação. Seguidamente apresentam-se os resultados sistematizados relativamente a cada uma das questões. Relativamente à primeira questão, destacam-se alguns dos aspetos mais referidos: ajudar os jovens a ter acesso a informação sobre VIH e prevenção de outras IST; querer participar em projetos de voluntariado;

obter enriquecimento pessoal e profissional; fazer parte de um projeto interessante e contribuir para a alteração de comportamentos e mentalidades. Exemplos:  “Para mim o voluntariado é sempre enriquecedor.”  “Aderi porque acho um tema importante para se falar com os jovens.”  “Para ajudar e informar os jovens educando-os acerca de comportamentos de risco.”  “Para levar a alteração de comportamentos e nas mentalidades dos jovens.”  “Para transmitir informações/ideias que nunca me foram transmitidas em contexto escolar.”

12


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Os resultados da segunda questão apontam para aspetos diversificados e muito pertinentes, salientando-se os seguintes: promoção de comportamentos sexuais saudáveis; consciencialização para uma maior sensibilização acerca da sexualidade; ajudar os jovens quanto às suas dúvidas sobre educação sexual e SIDA e em termos pessoais; poder ajudar os jovens a compreender melhor a sua sexualidade; desenvolver conhecimentos acerca do tema e desenvolver as capacidades de interação com os jovens, de comunicação, educativa e de trabalho de grupo. Exemplos: - “ Conseguir ajudar jovens quanto às suas dúvidas sobre educação sexual e SIDA.”  “Conseguir desenvolver a minha capacidade de interação com os jovens.”  “Ensinar e aprender com os jovens.”  “Desenvolver as minhas competências sociais e contribuir para a minha formação pessoal.”  “Ajudar na promoção de uma sexualidade segura.”  “ Contribuir para um melhor esclarecimento dos jovens que conduzam a ações mais ponderadas.”  “Desmistificar alguns conceitos que possam fazer parte das dúvidas que os jovens têm acerca de sexualidade.”

No que diz respeito às dúvidas e receios indicados na terceira questão foram mencionados os seguintes: não conseguir esclarecer as dúvidas dos jovens/alunos; não conseguir transmitir as ideias de forma adequada ou apelativa; medo que os jovens/alunos não sejam recetivos ao projeto; medo de não conseguir alcançar os resultados esperados; receio de não conseguir pôr os alunos à vontade; receio em abordar as questões ético-religiosas que possam surgir. Finalmente, no que concerne à última questão, os voluntários e voluntárias indicaram os aspetos relativos à pedagogia, sexualidade, promoção de competências, contracetivos, VIH/SIDA e resolução de problemas. No final da formação aplicou-se o questionário de opinião já descrito anteriormente. Dos 23 jovens envolvidos houve um que não o preencheu.

A Formação… 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0%

5 4 3 2 1

13


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 .Relativamente à duração da formação, a maioria dos e das participantes (81,8%) considerou-a adequada. Apenas duas respostas (9,1%) consideraram a duração insuficiente e outras duas (9,1%) excessiva.

Duração da Formação 9.1% 9.1% Adequada Insuficiente Excessiva 81.8%

De acordo com o gráfico, pode verificar-se que, de um modo geral, os e as participantes também consideraram a formação de grande interesse e utilidade e as estratégias utilizadas bastante inovadoras. A esmagadora maioria sentiu-se confortável ou muito confortável durante a aplicação das estratégicas e consideraram o relacionamento entre os e as participantes, bom ou muito bom. Pode ainda concluir-se que esta formação foi ao encontro das expectativas iniciais e que estava bem organizada.

Quanto à avaliação global, pode concluir-se que os jovens consideraram a formação pedagógica boa (nível 4) ou muito boa (nível 5).

Avaliação Global 0

0 1 22.7%

2 3 4

77.3%

5

Os aspetos mais positivos e menos positivos e as sugestões ou comentários são apresentados nos quadros seguintes: Aspetos mais positivos da formação pedagógica Aspetos indicados Preparação para estar com os alunos, familiarizando com as metodologias usadas. Aprendizagem de conhecimentos.

Frequência 7 7

14


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Dinamismo/forma interativa de comunicar e tratar os assuntos. Experimentação do que vai ser depois experienciado pelos alunos. Ajudar no desenvolvimento da autoestima. Interação entre voluntários. Facilidade em colocar os participantes à vontade. Possibilidade de aprender e colocar dúvidas e serem respondidas. Os jogos /atividades desenvolvidas. Proximidade entre formadores e voluntários. Interesse e utilidade dos temas abordados. Contato com quem tem interesses semelhantes. Possibilidade de vir a concretizar estratégias profícuas. Ter havido muita cooperação. Ter havido muita comunicação.

6 4 3 2 2 2 2 2 2 1 1 1 1

Aspetos menos positivos da formação pedagógica Aspetos indicados Duração da formação insuficiente. Duração da formação ligeiramente excessiva. Necessidade de alguns conteúdos terem sido mais cimentados. Faltou a desconstrução de mitos de populações “especiais”. Demasiada informação em pouco tempo. Pouco tempo dedicado na resposta às questões colocadas na “Caixa de Dúvidas”.

Frequência 3 3 2 1 1 1

Sugestões/Comentários deixadas pelos participantes Sugestões/Comentários - “Foi muito bom!” - “Adorei o convívio e o à vontade das pessoas.” - “Talvez dividir a formação em dois meio dias.”

Seguidamente, apresentam-se algumas fotografias tiradas durante o curso:

15


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Finalmente, no curso de formação pedagógica que teve lugar no dia 12 de dezembro de 2012 participaram 15 jovens, 1 do sexo masculino e 14 do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 18 e os 26 anos. Frequentam cursos de Medicina (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa), Psicologia (Universidade Lusófona), Comunicação (Universidade Lusófona), Reabilitação Psicomotora (Faculdade de Motricidade Humana), Dietética e Nutrição (Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa) e Análises Clínicas e Saúde Pública (Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa). A origem académica dos e das participantes foi semelhante à verificada nas nos outros cursos de formação pedagógica.

16


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 No final da formação aplicou-se um questionário para recolha de opiniões e avaliação do grau de satisfação. Os resultados obtidos encontram-se sistematizados seguidamente.

A Formação… 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0%

5 4 3 2 1

Relativamente à duração da formação, a maioria dos participantes (86,7%) considerou-a adequada. Apenas 2 jovens (13,3%) consideraram a duração insuficiente, por ter sido realizada apenas numa tarde.

Duração da Formação 0.0% 13.3% Adequada Insuficiente 86.7%

Excessiva

De acordo com os resultados presentes na gráfico, pode verificar-se que, de um modo geral, os e as jovens participantes consideraram a formação de grande interesse, utilidade e com estratégias bastante inovadoras. A esmagadora maioria sentiu-se confortável ou muito confortável durante a aplicação das estratégicas e consideraram o relacionamento entre os participantes, bom ou muito bom. Pode ainda concluir-se que esta formação correspondeu às expectativas e que estava muito bem organizada.

17


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Quanto à avaliação global, pode concluir-se que a maioria dos jovens considerou a formação pedagógica muito boa (nível 5).

Avaliação Global 0

0

1 20.0%

2 3

80.0%

4 5

Os aspetos mais positivos e menos positivos, bem como as sugestões e comentários salientados pelos/as jovens, encontram-se enumerados nos quadros seguintes:

Aspetos mais positivos da formação pedagógica Aspetos indicados Elevada interação entre os voluntários e as professoras. Clima de total abertura. Esclarecimento de dúvidas. Esclarecimento quanto ao modo de interação com os alunos. Ambiente muito confortável. Dinamismo que existiu ao longo de toda a formação. Dinâmicas utilizadas. Diversidade de atividades. Clareza de comunicação das professoras. Participação ativa dos participantes. Conhecer outros voluntários. Preparação para as sessões com os alunos. Perceber a importância da educação sexual.

Frequência 4 4 3 3 3 3 2 2 2 1 1 1 1

Aspetos menos positivos da formação pedagógica Aspetos indicados

Frequência

Duração da formação insuficiente. Não ter havido tempo suficiente para ver os contracetivos com calma. Timidez dos participantes. Apenas existir um voluntário do sexo masculino entre os participantes e assim haver visões e pontos de vista praticamente só femininos.

2 1 1 1

Sugestões/Comentários deixadas pelos participantes Sugestões/Comentários - “Bom projeto!” - “Gostei muito da formação e até superou as expectativas.” - “Adorei ” - “Gostei muito.”

18


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Em seguida, apresentam-se algumas fotografias que ilustram momentos do curso de formação pedagógica.

Globalmente verificou-se um grau de satisfação elevado relativamente aos cursos de formação pedagógica realizados, tendo também sido referida a forte componente prática que muito contribuiu para a superação das expectativas. Foi gratificante o entusiasmo e o elevado grau de empenho, participação e cooperação dos voluntários e voluntárias, bem como as relações interpessoais que começaram a construirse, fundamentais para o desenvolvimento do trabalho das BUI nas escolas. Face à avaliação muito positiva feita pelo conjunto de participantes, as formadoras consideraram alcançados os objetivos dos cursos de formação pedagógica, os quais foram complementados, de forma contínua, nos momentos de preparação, planificação e reflexão das intervenções nas turmas das escolas onde se desenvolve o Projeto de Educação pelos Pares. Com estes cursos completou-se o processo de formação dos voluntários e voluntárias, que lhes permite integrar as BUI e realizar, junto de jovens das escolas e centros educativos que estabelecem protocolos de colaboração com o CAOJ, as atividades do programa “Sexualidade e Prevenção do VIH/SIDA”.

19


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto Curso de Formação Científica Realizou-se a 8 de novembro de 2012 no Auditório da Fundação Manuel António da Mota. O Curso contou com a colaboração de especialistas das áreas da Medicina (Infeciologia, GinecologiaObstetrícia, Psiquiatria, Medicina Legal), Bioética, Educação, Psicologia, Segurança e Enfermagem. Foram palestrantes convidados: Prof. Doutor Mota Miranda, Profª. Doutora Teresa Vilaça, Prof. Doutor. António Pacheco Palha, Dra. Eufémia Ribeiro, Prof. Doutor José Pinto da Costa, Prof. Doutor Rui Nunes e Dra. Conceição Maia. Participaram 50 estudantes de Psicologia, Educação Social, Direito, Enfermagem e outros cursos.

20


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Curso de Formação Pedagógica

Teve lugar no dia 9 de novembro de 2012 no Auditório da Fundação Manuel António da Mota (entidade parceira). O Curso foi dinamizado pela equipa docente e psicóloga do CAOJ do Porto (Laura Aguiar, Tânia Moinhos, Maria João Carvalho, Sandra Fernandes e Raquel Oliveira) sob a coordenação da Professora Doutora Teresa Vilaça). Participaram 45 estudantes de Psicologia, Educação Social, Direito, Enfermagem e outros cursos

O Curso foi avaliado pelo grupo de participantes, tendo sido sublinhada a qualidade, clareza, objetividade e pertinência das comunicações, bem como das sessões teórico-práticas dinamizadas pelas professoras e psicóloga do CAOJ, relativamente às estratégias e metodologias adotadas pelo Projeto Nacional de Educação pelos Pares em contexto escolar.

21


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra

Curso de Formação Científica e Pedagógica Teve lugar nos dias 17 e 24 de outubro de 2012 no Auditório da Escola Superior de Educação de Coimbra, Parceria com o Gabinete de Apoio ao Aluno da ESEC. A formação científica teve o contributo de especialistas das áreas da Medicina, Direito e Educação e abordou os seguintes temas: Infeção VIH/SIDA e outras IST; Sexualidade, Saúde e Educação; Aspetos Ético-Legais do VIH/SIDA; Consumo e dependência do álcool; Gravidez na adolescência; Velhas e novas dependências; A importância do voluntariado e da educação pelos pares na luta contra a SIDA. O Curso envolveu 15 estudantes da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra, da Universidade de Coimbra e do Instituto Miguel Torga. A formação pedagógica foi dinamizada pela equipa de docentes da Delegação/CAOJ (Mestre Fernando M. Marques, Mestre Dulce Folhas, Mestre Sílvia Portugal e Drª. Paula Vilaça) sob a supervisão da Profª. Doutora Filomena Teixeira. As sessões centraram-se nos seguintes temas: o PNEP; crenças e atitudes sobre a sexualidade e o VIH/SIDA; desenvolvimento de competências pessoais e sociais; sexualidade e género; expressões da sexualidade e orientação sexual. Em termos metodológicos, utilizaram-se jogos e dinâmicas de grupo.

22


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Na última sessão de formação foram constituídas Brigadas Universitárias de Intervenção e planificadas Sessões semanais de trabalho com a equipa docente do CAOJ para preparação e reflexão das atividades de intervenção nas escolas parceiras do Projeto de Educação pelos Pares.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal Recrutamento e formação de voluntariado No início do mês de outubro foram realizados contactos com o Instituto Politécnico de Setúbal: Escola Superior de Educação e Escola Superior de Saúde, com o objetivo de apresentar e divulgar o Projeto Educação pelos Pares e realizar ações de recrutamento de voluntários. Foram também estabelecidos contactos com todas as BUI do ano anterior de forma a dar continuidade aos projetos anteriormente desenvolvidos. 23


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Nos dias 13 e 15 de novembro realizaram-se ações de recrutamento na Escola Superior de Educação, no Curso do Ensino Básico, Curso Animador Sociocultural e Curso de Desporto. No decorrer das referidas ações, foram os presentes sensibilizados para as questões relativas à promoção e educação para a saúde e para a importância da educação pelos pares na área da sexualidade e do VIH/SIDA. Mais uma vez a adesão ao projeto foi enorme, inscrevendo-se cerca de 80 voluntários, apesar das dificuldades encontradas na cedência de espaço adequado para a formação pedagógica.

1º Curso Pedagógica

de

Formação

O jornal Setubalense publicou uma notícia sobre os cursos de formação científica e pedagógica no dia 24 de dezembro de 2012:

30 de Novembro e 7 de Dezembro de 2012 Escola Secundária Sebastião da Gama Casa da Baía Realizaram o curso 15 jovens do ensino superior. 2º Curso Pedagógica

de

Formação

14 e 15 de Dezembro de 2012 Casa da Baía Realizaram o curso 29 jovens do ensino superior.

24


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Na sequência deste curso de formação pedagógica, constituíram-se 17 Brigadas Universitárias de Intervenção para implementar o PNEP nas escolas, durante o ano letivo de 2012/2013.

1.2. AÇÕES DE FORMAÇÃO DE DOCENTES DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto No Curso de Formação Científica e Pedagógica de voluntários/as para intervenção no PNEP, realizado nos dias 8 e 9 de novembro de 2012, também contemplámos inscrições para docentes das Escolas Parceiras, pelo que tivemos a participação de duas professoras.

No dia 20 de julho de 2012 realizou-se um Seminário sobre "Investigação e Práticas em Educação em Sexualidade" destinado a professoras, técnicas e voluntários universitários da Delegação do Porto/ CAOJ. O seminário decorreu no Auditório da Fundação Manuel António da Mota, no Porto. Programa:

25


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 09.30 - Abertura Dra. Filomena Frazão de Aguiar (Presidente da Fundação Portuguesa” A Comunidade contra a Sida”) 10.00h - 11.00h- História da sexualidade Professor Doutor Paulo Rennes Marçal Ribeiro (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, Departamento de Psicologia da Educação). 11.00h - 12.00h- Género e Sexualidade Professora Doutora Célia Rossi (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Departamento de Educação - Instituto de Biociências). 12.00h - 13.00h- Perspetivas internacionais da educação em sexualidade orientada para a ação Professora Doutora Teresa Vilaça (Coordenadora Científica do CAOJ do Porto - Universidade do Minho, Instituto de Educação).

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra No dia 25 de janeiro, realizou-se a Oficina de formação “Educação em Sexualidade e Prevenção da Infeção VIH/SIDA na Escola: Atividades e Recursos” destinada a Diretores(as) de Turma do 2º e 3º CEB, do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas, em Coimbra. Esta oficina de formação abordou os seguintes temas: enamoramento e amor; violência no namoro; sexualidade e género; prevenção da infeção VIH/SIDA. Como suporte da formação foi elaborado um guião com dinâmicas e atividades para utilização em contexto pedagógico. Participaram 33 docentes. A avaliação incidiu sobre as diversas componentes da oficina de formação e teve uma elevada adesão dos participantes como se pode ver no gráfico: Oficina de Formação "Educação em Sexualidade e Prevenção da Infeção VIH/SIDA na Escola: Atividades e Recursos" 100%

50%

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Martim de Freitas

5 4

0%

3 2 1

26


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 No dia 23 de outubro de 2012, realizou-se a Oficina de formação “Educação Sexual na Escola: atividades e recursos” destinada a docentes do 2º e 3º ciclo do Agrupamento de Escolas Drª. Maria Alice Gouveia, em Coimbra. A oficina teve a participação de 19 docentes. Em articulação com a direção do Centro Educativo dos Olivais da Direção Geral de Reinserção Social, o CAOJ de Coimbra realizou, durante o ano de 2012, duas sessões de formação para docentes: A primeira decorreu em 14 de março de 2012, sobre "Sexualidade e Prevenção do VIH/SIDA", tendo participado 13 professores. A segunda realizou-se em 31 de outubro de 2012, sobre “Educação em sexualidade e prevenção da infeção VIH/SIDA em jovens adolescentes”. A oficina teve a participação de 10 docentes. A avaliação incidiu num questionário com questões abertas e fechadas, estas últimas usando uma escala de 1 a 5. Nas questões abertas foram sinalizados aspetos positivos e propostas de melhoria:

Aspetos positivos da formação “Temas interessantes” “Comunicação” “Abordagem a situações práticas” “A informação transmitida foi clara” “Informação atualizada” “Dinâmicas” “Esclarecimento a nível pessoal de alguns aspetos (DST)” S/R

O que modificaria nesta formação “A duração” “A duração. Foi pouco tempo de formação para tantos temas a abordar” “A durabilidade da formação (muito curta), para um tema tão complexo” “Repartida por mais dias com um tema em cada” “Mais tempo para a discussão” “Nada” S/R

Frequência 4 2 1 1 1 1 1 3

Frequência 2 1 1 1 1 1 2

27


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Oficina de Formação de docentes “Educação em sexualidade e prevenção da infeção VIH/SIDA em jovens adolescentes” Centro Educativo dos Olivais 31 de outubro de 2012

10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 Organização

Duração

Temas

Relação Comunicação pedagógica S/R

1

2

3

4

Recursos

Dinâmicas

Interação entre participantes

5

1.3. AÇÕES PARA PAIS, MÃES E ENC. DE EDUCAÇÃO DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa

No dia 8 de outubro, pelas 18 horas, realizou-se na ES/3 Pedro Nunes, uma sessão de esclarecimento para Pais e Encarregados de Educação dos alunos das turmas do 7º ano, com o objetivo de dar cumprimento à solicitação da Direção da Escola de contextualizar a introdução do Projeto Sexualidade e Prevenção do VIH/Sida nessas turmas nas aulas de Formação Cívica. Durante a referida sessão, na qual compareceram 4 Encarregados de Educação, procedeu-se à apresentação da equipa do CAOJ que ia intervir na Escola, da Coordenadora Científica do CAOJ Lisboa, Profª Dra. Isabel Chagas e do projeto, tendo sido esclarecidas todas as dúvidas que surgiram. No dia 20 de outubro de 2012, a convite da Coordenadora da Educação para a Saúde Anabela Dias, as docentes Dina Bettencourt e Gabriela Fonseca realizaram um encontro para pais e Encarregados de Educação na Escola Secundária Ferreira Dias, intitulado “Junta-te a nós” (2ª edição), com o objetivo de divulgar as atividades do CAOJ, no âmbito do Projeto de Educação pelos Pares, e de refletir sobre questões de Sexualidade, Prevenção do VIH/Sida e adolescência. O encontro teve a duração aproximada de 3horas e 30 minutos, contou com a presença de 9 pais de alunos envolvidos no projeto e nele foram debatidos os seguintes aspetos: (i) trabalho que desenvolvem

28


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 como voluntários do ensino secundário nas turmas da escola; (ii) conceito de sexualidade; (iii) questões colocadas pelos jovens no âmbito deste tema. O referido encontro foi considerado bastante positivo pelos pais presentes, conforme se pode verificar nos seguintes testemunhos: 

“Se puderem façam mais vezes. É excelente, uma coordenadora e grupo de formadoras excelentes! Bom projeto e boa sorte!”.

“ Sugiro a convocação de todos os pais e não só os representantes”.

“Deve-se continuar a desenvolver esta atividade, estão no bom caminho, parabéns.”

“ Repetir com outras abordagens.”

“Voltar a fazer novo encontro para desenvolver os assuntos que ficaram pendentes.”

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto “Café para Pais” Com o objetivo de tornar a intervenção do CAOJ mais consistente, organizaram-se tertúlias para pais, que decorreram, este ano, em 3 das escolas parceiras: Escola

Data

Tema

Convidado

E.B. 2, 3 da Areosa

16 de março 2012

“Prevenção do Tabagismo”

Mestre Cristiana Moreira Mestre Sara Silva

E.B. 2,3 Manoel de Oliveira

18 de maio 2012

“”Comunicação na adolescência”

Pais do grupo de pais que recebeu o projeto “Educação pelos pares” na escola em 10 sessões

Profissional e Centro de Estudo e Trabalho da Pedra

16 de maio de 2012

«A importância do Projeto Nacional de Educação pelos Pares”

Dra. Maria João Ferreira Dra. Raquel Oliveira

Estas tertúlias são dinamizadas por um especialista convidado. O objetivo foi criar um momento de diálogo, discussão e reflexão que contribua para que a comunicação entre pais e filhos seja promotora de estilos de vida saudáveis. Este é um espaço que permitiu esclarecer questões relacionadas com a educação e desenvolvimento dos filhos, a partilha de experiências, dúvidas, angústias e a reflexão sobre possíveis caminhos de resolução dos problemas. Deste modo, esta atividade surgiu como um complemento ao Projeto Nacional de Educação pelos Pares, alargando a reflexão das temáticas de promoção para a saúde aos diversos agentes educativos: pais, docentes e pessoal não docente.

29


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra

Sessão para Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas, em Coimbra Em articulação com a Direção do Agrupamento e a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola EB 2,3 Martim de Freitas, a Delegação de Coimbra/CAOJ realizou uma sessão de reflexão e debate sobre Educação Sexual que decorreu na modalidade de Oficina de Formação e contou com a participação de 20 pais e encarregados de educação. A sessão decorreu no dia 11 de Janeiro de 2012 e incidiu sobre o tema “Educação sexual na Adolescência”. A dinamização foi da responsabilidade da Coordenadora da Delegação de Coimbra/CAOJ, Professora Doutora Filomena Teixeira e do Mestre Fernando M. Marques. Durante a sessão foram abordados os seguintes temas: - A minha meia bola: sexualidade, amor, género e orientação sexual - As várias dimensões da sexualidade - Direitos sexuais e homofobia: a escala de tolerância de Olsson - A puberdade - Sexualidade e media: a hipersexualização do espaço público - Violência de género - Prevenção da infeção VIH/SIDA

Delegação da Madeira

Formação Parental – “Arrumar a Vida” Público-alvo: Objetivos:

Parceiros: N.º de formandos N.º de sessões N.º de horas

Famílias residentes no Complexo Habitacional de Santo Amaro, beneficiárias do Rendimento Social de Inserção. - Proporcionar, através da (In) formação, a melhoria e o desenvolvimento de competências parentais, sociais e pessoais, com vista a promoção de estilos de vida saudáveis. - Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos. Projeto Capacitar, desenvolvido pela Sociohabita – Câmara Municipal do Funchal 18 29 58

30


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

1.4. AÇÕES DE FORMAÇÃO PARA PESSOAL TÉCNICO DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto Formação “SIm viDA”

Este projeto foi aprovado pela Coordenação Nacional para a Infeção VIH/SIDA e teve início em Fevereiro de 2009. No presente ano letivo, o Projeto concluiu a sexta e sétima edições, tendo como objetivo promover a formação na área das IST, especificamente sobre o VIH/SIDA , para técnicos que trabalham junto de população infetada e/ou afetada pelo VIH. A formação Sim Vida visa ainda sensibilizar os técnicos para um tratamento isento, digno e não-discriminatório do doente. Pretende-se, assim, uma maior satisfação e eficácia destes técnicos no seu trabalho, promovendo a informação e a prevenção. Esta Formação destina-se a qualquer técnico que lide com pessoas infetadas ou afetadas pelo VIH/SIDA, seja em contexto hospitalar, social ou educativo. No total já se prestou formação a 107 pessoas. São objetivos específicos deste curso: - Dotar os formandos de conhecimentos acerca as IST, nomeadamente o VIH/SIDA; - Promover estratégias de prevenção e intervenção com pessoas infetadas e/ou afetadas pelo VIH/SIDA; - Promover a aceitação e não-discriminação das pessoas infetadas e/ou afetadas pelo VIH/SIDA; - Diminuir as repercussões psicológicas nos técnicos e stress ocupacional associado.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra

Ação de Formação para Técnicos de Reinserção Social Em parceria com a direção do Centro Educativo dos Olivais da Direção Geral de Reinserção Social, realizou-se, no dia 20 de março de 2012, uma sessão de formação sobre "Os Jovens, a Sexualidade e a Prevenção da Infeção VIH/SIDA", dinamizada pela equipa de docentes da Delegação/CAOJ e destinada a técnicos profissionais de reinserção social. Participaram 10 técnicos do CEO.

31


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

1.5. AÇÕES DE FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa

Formação para Voluntariado Internacional e Regiões Autónomas A Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e o Grupo de Ação Social do Centro Universitário Padre António Vieira (GASNova) desenvolvem projetos meritórios de voluntariado nacional e internacional com o objetivo de proporcionar, solidariamente, informação e formação em diversas áreas relacionadas com a saúde e qualidade de vida às populações locais. A delegação/CAOJ teve o privilégio de ser convidado como entidade formadora na área da Educação para a Saúde e Sexualidade, o que permitiu proporcionar a estes jovens ferramentas que contribuam para a melhoria das suas intervenções. Foram quatro os grupos em formação: três da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (dois grupos do Projeto Move-te e um grupo do Projeto Medicina + Perto) e um grupo do Centro Universitário Padre António Vieira, num total de sessenta e sete formandos.

Grupos

Data

Local de voluntariado

Sessões

Nº de alunos

Move-te

27 de março

Moçambique

1

21

Medicina +Perto

18 de maio

Madeira

1

12

GASNova

22 de maio

Moçambique

1

20

Medicina +Perto

6 de junho

Moçambique

1

14

Do

plano

da

sessão

destacamos, para além de alguns conhecimentos sobre metodologias aplicadas na educação pelos pares, a realização

de

baseadas

sobretudo

pedagógicos,

dinâmicas

seguidos

em de

ativas jogos uma

reflexão cuidada e participada por todos os presentes. Importante, ainda, uma sistematização dos elementos fundamentais a reter e algumas hipóteses de adaptação aos diferentes contextos de intervenção.

32


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Nos gráficos e quadros a seguir reproduzidos, apresentam-se os dados recolhidos na formação dos 14 voluntários (5 do sexo masculino e 9 do sexo feminino) do projeto Medicina Mais Perto, constituindo-se como amostra exemplificativa e representativa dos questionários aplicados.

33


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

O que mais gostei…

Freq.

Da organização da formação, ótimo método didático

5

Dos jogos/da interatividade

6

Do à vontade e clareza das formadoras e do espírito de equipa criado

5

Esclarecer dúvidas/momento informativo

3

Ferramentas possíveis de comunicação

2

Discussão informal

2

Não respondeu

1

O que menos gostei…

Freq.

Nada

2

Demasiado extenso Pouca adequação ao contexto deste projeto, não obstante as ferramentas serem universais A segunda parte foi muito expositiva

1

Não houve pausa para desentorpecer as pernas

1

Não poderem ter sido mais horas de formação

1

Limitação de tempo

1

Não respondeu

6

1 1

De um modo geral, pode dizer-se que os participantes gostaram muito da formação, tendo a sua avaliação global sido muito positiva. A esmagadora maioria considerou-a interessante e útil; referiram ter-se sentido mais esclarecidos e à vontade para falar sobre os temas e colocar questões. Quanto à relação com os colegas consideraram que contribuiu para a melhorar e para facilitar um melhor conhecimento deles.

Formação de Voluntários do Projeto “Boomerang” No dia 13 de novembro de 2012, realizou-se uma ação de formação para alunos voluntários da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa do projeto “Boomerang”, a pedido do coordenador do projeto, Miguel Ângelo, do Departamento de Saúde Pública, Reprodutiva e SIDA da Associação de Estudantes da Faculdade. Na ação de formação que se realizou no Auditório Professor Doutor Sílvio Rebelo Alves, estiveram presentes 97 alunos. A duração foi de 1h30, o tempo exato que os voluntários têm para realizar uma sessão numa turma da sua escola secundária de origem. A intervenção aspira abordar o tema “Prática de uma sexualidade segura”, pelo que pretendeu-se que os voluntários experimentassem as atividades a dinamizar com jovens mais novos. Os jogos versavam o conceito de sexualidade, o VIH/SIDA, as vias de infeção, as formas de nos protegemos e os comportamentos de risco associados à pressão dos pares.

34


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

2. PROJETOS DE PREVENÇÃO EM CONTEXTO ESCOLAR 2.1. PROJETO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PELOS PARES “SEXUALIDADE E PREVENÇÃO VIH/SIDA” O Projeto Nacional de Educação Pelos Pares (PNEP) “Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA” foi desenhado pela Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” (FPCCSIDA) para responder aos desafios da Educação para a Saúde e prevenção de comportamentos sexuais de risco em populações jovens. A urgência da promoção de estilos de vida saudável, associada à valorização de práticas de cidadania ativa e solidária em meios juvenis, é partilhada por todos os que compreendem a complexidade dos fatores individuais e sociais relacionados com as dinâmicas da infeção VIH/SIDA outras Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST), adições, violência no namoro, gravidez na adolescência, doenças do foro alimentar, isolamento social e criminalidade. A infeção VIH/SIDA é reconhecida internacionalmente como uma ameaça ao desenvolvimento social e económico das populações e, como tal, tem sido encarada em Portugal onde constitui uma prioridade no Plano Nacional de Saúde e um dos programas prioritários definidos pelo XIX Governo Constitucional (Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA, 2012). A infeção VIH/SIDA atinge cada vez mais populações jovens e diversificadas. Segundo a ONUSIDA (2008), aproximadamente 6000 jovens são infetados diariamente pelo VIH. Cerca de 75% da mortalidade associada ao VIH/SIDA, em Portugal, verifica-se entre os 25-34 anos (Ministério da Saúde, 2004). Dados mais recentes sobre algumas das características da infeção por VIH em Portugal, mostram uma realidade preocupante e a necessitar de programas alargados de prevenção: “No espaço da Europa Ocidental, Portugal continua a apresentar das mais elevadas incidências de infeção por VIH, apesar de se observar uma tendência favorável de descida no número de novos casos (1941 diagnosticados em 2007 e 1518 diagnosticados em 2010). Do total acumulado de 41086 casos notificados ao Núcleo de Vigilância Laboratorial de Doenças Infeciosas, 38,7% corresponderam a utilizadores de drogas, 42,9% a transmissão heterossexual, 13,5% a transmissão homossexual e 0,8 a transmissão mãe-filho. Do total acumulado de 16906 casos de SIDA, 82,5% ocorreram no grupo etário dos 20 aos 49 anos e 19,1% ocorreram em mulheres, neste caso com uma frequência progressivamente crescente” (Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA, 2012). A dinâmica da infeção VIH/SIDA é um fenómeno complexo, onde as crenças, atitudes e comportamentos individuais se tornam fatores de risco, para além de indutores de estigma e discriminação. Reduzir a sua incidência, implica intervir para aumentar os fatores de resiliência e proteção (Matos & Gaspar, 2005). Por estas e outras razões, a importância da educação em sexualidade, num quadro de educação para a saúde e direitos humanos, é hoje reconhecida pelas mais diversas instância internacionais, com as quais o nosso país se articula. De facto, a sexualidade promove um diálogo essencial entre o ser humano e a cultura.

35


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental. A opção por fazer incidir o projeto numa faixa etária maioritariamente situada entre os 11 e os 15 anos assenta na necessidade de instituir um diálogo autêntico entre as ruturas da puberdade e adolescência que afetam as identidades juvenis e os valores de referência ancorados nas sociedades democráticas. A adolescência é o período do desenvolvimento humano em que se operam as transformações que permitem atingir a maturidade física, psíquica e social que caracterizam o adulto. É o tempo em que a sexualidade mais interpela a pessoa. Sujeito pressionado pela mudança, o adolescente mostra-se, em geral, aberto a novas experiências, sensível à influência grupal, permeável aos fluxos de identidade, aderente a fenómenos mediáticos de ídolos do espetáculo, passível de se submergir nas redes tecnológicas virtuais. Mas também se entusiasma com causas sociais e humanitárias e se alegra com a possibilidade de intervir, ativamente, no seu processo de aprendizagem e no desenvolvimento das relações interpessoais quando lhe é dada a oportunidade de se envolver, exprimir ou criar, em liberdade e respeito. A Educação pelos Pares é uma estratégia pedagógica reconhecida e utilizada internacionalmente em projetos de promoção da saúde, designadamente naqueles que apelam ao voluntariado juvenil e se destinam à prevenção da infeção VIH/SIDA. A sua aplicação em meio escolar tem mostrado que os educadores de pares têm muitas vezes vantagem sobre os agentes educativos com estatuto diferente (docentes, pais…) porque são vistos como mais credíveis, uma vez que jovens de idades próximas, quando devidamente preparados, exercem influência positiva na formação dos seus pares (Svenson, 2001; Strange 2002; Dias, 2006). Com base nestes fundamentos, o PNEP traduz-se na implementação de um programa de educação em sexualidade, prevenção da infeção VIH/SIDA e outras IST, baseado no desenvolvimento de competências pessoais e sociais. Está no terreno desde 2003, numa rede crescente de escolas públicas dos Distritos de Lisboa, Porto, Coimbra e Setúbal, em parceria com o Ministério da Educação. As equipas responsáveis pela sua concretização estão organizadas em Centros de Aconselhamento e Orientação de Jovens (CAOJ), constituídas por docentes, psicólogas e estudantes do ensino superior em regime de voluntariado. O projeto desenvolve-se num período de três anos correspondente à duração do 3º Ciclo do Ensino Básico (7º, 8º e 9º anos). Baseia-se no trabalho de turma e decorre no tempo lectivo das áreas curriculares não disciplinares de Formação Cívica ou Área de Projeto. Consta de 12 sessões temáticas - sendo a última de Teatro-Debate - preparadas pelos jovens voluntários do ensino superior supervisionados pelos docentes do CAOJ. O trabalho em sala de aula é articulado com o Diretor de Turma. Os jovens voluntários frequentam primeiramente dois cursos da responsabilidade da FPCCSIDA – um de formação científica, outro de formação pedagógica. O curso de formação científica envolve especialistas das áreas de Medicina, Direito, Ciências da Educação e Psicologia. Os assuntos abordados incidem sobre a infeção VIH/SIDA e outras IST; questões éticojurídicas associadas à infeção VIH/SIDA; novas e velhas adições; violência de género e abuso sexual; bullying; educação em sexualidade; educação pelos pares e voluntariado. O curso de formação pedagógica mobiliza as

36


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 coordenadoras, docentes e psicólogas da delegação/CAOJ e incide sobre competências pessoais e sociais, dinâmicas de grupo, teatro-debate, educação pelos pares, pedagogia da sexualidade e prevenção da infecção VIH/SIDA. Após este percurso de formação, os jovens voluntários organizam-se em Brigadas Universitárias de Intervenção (BUI) constituídas por 3 a 5 elementos para intervir nas escolas e turmas do 7º, 8º e 9º ano que lhe ficarem adstritas, sob a supervisão de docentes da delegação/ CAOJ. Um grupo é ainda responsável pela dinamização do Teatro Universitário de Intervenção (TUI). No último ano do projeto, nas turmas do 9º ano, as BUI criam as Brigadas Escolares de Intervenção (BEI), constituídas pelos alunos integrados no projeto desde o 7º ano, que irão intervir em turmas de colegas mais novos, tornando-se, assim, também, educadores de pares. Pretendendo o envolvimento direto dos adolescentes em todo o processo privilegia-se a utilização de metodologias ativas e participativas. A reflexão é o ponto alto das dinâmicas, pois é o momento em que se faz a avaliação das atividades, se levantam problemas e se formulam hipóteses sobre como os superar. Numa primeira fase, os alunos partilham sentimentos, emoções e impressões vividos durante a sessão, iniciando, depois, um percurso reflexivo a partir de questões previamente preparadas pelos “pares educadores”. O importante é que os jovens fortaleçam as suas competências pessoais e sociais e tomem consciência dos comportamentos de risco associados à sexualidade. Numa perspetiva global, entende-se que uma estratégia eficaz para potenciar comportamentos e estilos de vida mais saudáveis apela ao desenvolvimento de capacidades reflexivas que ajude a questionar, a argumentar, a comunicar assertivamente e a tomar decisões fundamentadas, com base numa ética de responsabilidade e respeito pelo outro. No âmbito do projeto e em função da dinâmica de cada escola parceira, o CAOJ realiza ainda oficinas de formação de professores(as), atividades dirigidas às famílias - como o Café para Pais - e aconselhamento psicopedagógico aos Gabinetes de Apoio ao Aluno. O PNEP é monitorizado, em cada ano de implementação, por instrumentos de planificação (cronograma temático das sessões em cada ano de escolaridade; intervenientes e calendarização; plano de sessão das BUI e lista de presenças dos alunos) e de avaliação (inquérito aos jovens voluntários durante a formação – questionário sobre conhecimentos e atitudes face ao VIH/SIDA [pré e pós-teste] e questionário de opinião sobre a formação científica e pedagógica; inquérito aos jovens voluntários organizados em BUI – questionário inicial de expectativas para o projeto, questionário de opinião sobre o projeto e diário de bordo de cada sessão; inquérito aos alunos - questionário “Eu e os outros” [pré e pós-teste], questionário “Sexualidade e SIDA [parte I e II] e diário de bordo; inquérito aos diretores de turma/professores da escola envolvidos – questionário inicial e final; portfólio e relatório dos docentes). No final de cada ano letivo é elaborado um relatório de desenvolvimento e no final de cada ciclo de três anos é elaborado um relatório global de execução do projeto.

37


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa Deu-se continuidade ao desenvolvimento do PNEP, em diferentes escolas do distrito de Lisboa, com a intervenção de BUI, sempre que possível. Os dados de execução constam dos seguintes quadros: Ano letivo de 2011/2012 [até junho de 2012] PNEP - 3º ciclo do ensino básico 7º ano

Escolas EB 2,3 Pedro Santarém Escola Secundária José Gomes Ferreira EB 2,3, Francisco Arruda EB 2,3 Almeida Garrett EB 2,3 S. Vicente EB2,3 Vasco da Gama Escola Secundária Eça de Queiroz EB 2,3 S. Julião da Barra Escola Secundária Amélia Rey Colaço Escola Secundária Rainha D. Leonor EB 2,3 Sophia de Mello Breyner Andresen Escola Secundária Camilo Castelo Branco Escola Secundária Prof. José Augusto Lucas EB 2,3 Santo António-Parede Total

Nº turmas

Nº alunos

3 1 1

61 28 19

2 2

56 49

2

57

1 2 1 15

24 52 20 366

Total de turmas Total alunos/as

8º ano Nº turmas

Nº alunos

1

28

1 1

15 26

1 1 1

21 27 28

1

13

1 1 9

28 26 212

Nº BUI 2 2 1 1 1 3 1 1 2 1 2 1 18

Nº sessões realizadas 45’

90’

27 18 9 8 8 15 28 9 7 15 9 9 29 18 127

72

24 578

PNEP - 2º ciclo do ensino básico 5º ano

Escolas EB 2,3 S. Vicente Escola Secundária Amélia Rey Colaço EB 2,3 Santo António-Parede Total

6º ano

Nº turmas

Nº alunos

1

20

1 2

26 46

Total de turmas Total alunos/as

Nº turmas

Nº alunos

1 3 4

25 80 105

Nº Nº sessões BUI realizadas 8 1 9 2 34 3 51

6 151

Ano letivo de 2012/2013 [até dezembro de 2012] PNEP - 3º ciclo do ensino básico Escolas Escola Secundária de Pedro Nunes Escola Secundária Eça de Queiroz Escola Secundária Prof. José Augusto Lucas EB 2,3 Santo António-Parede Total

7º ano Nº turmas

Nº alunos

4 1

112 26

5

138

Total de turmas

8º ano Nº turmas

Nº alunos

1 1 1 3

28 16 18 62

Nº BUI 4 4

Nº sessões realizadas 45’

90’

16 18 10 9 37

16

8

38


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Total alunos/as

200

PNEP - 2º ciclo do ensino básico 5º ano

Escolas

Nº turmas

6º ano

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

1 1

18 18

EB 2,3 Santo António-Parede Total Total de turmas Total alunos/as

Nº Nº sessões BUI realizadas 8 8

1 18

PNEP - Escolas com BEI - Brigadas Escolares de Intervenção

Ano Letivo 2011/12 [até junho de 2012]

Turma

Nº de BEI

Sessões

Turmas – alvo

9º 5ª 10º 1ª 10º 3ª 12º 4ª 10º H1

6 6 6 9 18 (6*3)

9 (45’) 9 (45’) 9 (45’) 9 (45’) 9 (45’)

7ª 2ª 7ª 4ª 7º 3ª 7º 1ª 7º C, 7º D, 8º B

5

45

45

7

Escola

Turma

Nº de BEI

Sessões

Turmas – alvo

EB 2,3 Vasco da Gama Escola Secundária Eça de Queirós Escola Secundária José Gomes Ferreira EB 2,3 Pedro Santarém EB 2,3 de S. Vicente EB 2,3 Santo António – Parede Escola Secundária José Augusto Lucas EB 2,3 S. Julião da Barra EB 2,3 Sophia de Mello Breyner Andresen

9º A 9º A 9º 1ª 9º 3ª 9º A 9º J 9º C 9º B CEF

9 9 9 8 9 10 7 10 18

* * * * * * * * *

7º B 7º D 7º 1ª 7º 6ª 7º B 5º F 7º D 7º A 5º B

9

89

-

9

Escola

Escola Secundária José Gomes Ferreira Escola Secundária Eça de Queirós

Total

2 Escolas

Ano Letivo 2012/13 [até dezembro de 2012]

Total

9 Escolas

* Estão previstas 9 sessões de 45’ que terão lugar nas turmas-alvo definidas durante o 2º Período.

39


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto No que concerne à implementação do PNEP nas Escolas parceiras, no ano letivo 2011/2012, formaram-se BUI cujo número de elementos variou entre 1 a 3 elementos. Ano letivo de 2011/2012 PNEP – 3º ciclo do ensino básico e ensino secundário Escolas Agrupamento de Escolas António Nobre E.B. 2, 3 da Areosa E.B. 2,3 de Júlio Saul Dias E.B. 2, 3 de Santiago - Custóias E.B. 2, 3 Nicolau Nasoni E.B. 2,3 Manoel de Oliveira E.B. 2, 3 Valadares Total

7º ano

8º ano

10º ano

11º ano

Nº Nº Nº Nº Nº Nº Nº Nº turmas alunos turmas alunos turmas alunos turmas alunos

1 1 3

21 22 72

1

25

1

29

1

24

1 1 2 2 7

24 21 37 45 152

1

29

1

24

Total de turmas Total alunos/as

17 380

3

60

8

175

Nº Nº sessões BUI realizadas 4 1 3 1 5 14

Tratamento Estatístico dos Questionário “Sexualidade e SIDA”

No sentido de se avaliar as necessidades de formação dos alunos ao nível da “Sexualidade e VIH/SIDA”, solicitou-se aos alunos do 7º e 8º ano o preenchimento desses questionários, assim como o questionário “Eu e os Outros”. Os dados dos questionários foram tratados por toda a equipa da delegação/ CAOJ Porto.

PNEP - Escolas com BEI - Brigadas Escolares de Intervenção Relativamente à intervenção das BEI, no ano letivo 2011/12, na Escola Básica 2, 3 da Areosa as voluntárias da turma do 9ºC constituíram uma BEI. Num primeiro momento, esta participou numa apresentação da sua autoria sobre a temática “Prevenção do Tabagismo” a colegas da escola não integrados no PNEP, seguida de debate. De uma forma simples e oportuna foram levantando questões que suscitaram a intervenção do público-alvo na resolução dos problemas que enunciaram. Num segundo momentos fizeram esse tipo de intervenção do consumo de tabaco, continuada, a toda a comunidade escolar. Na Escola Básica 2,3 de Santiago de Custóias foi constituída uma BEI com 9 elementos, da turma do 9ºA que elaborou pequenos vídeos sobre sexualidade e comportamentos de risco. Esses trabalhos foram apresentados a outros alunos de uma forma muito positiva. As atividades dinamizadas pela BEI do 9ºA contribuíram para divulgar o Gabinete de Apoio ao Aluno e incentivar a sua frequência por parte dos alunos mais novos, ao longo do ano letivo. Esta BEI, através das

40


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 atividades que dinamizou, funcionou como um “modelo positivo” para os alunos mais novos indo, assim, ao encontro de uma das Metas Prioritárias do Plano Anual de Atividades do Agrupamento (“Estimular atitudes e comportamentos dos alunos respeitadores das regras de convivência e promotoras da sua formação integral”). Na Escola Manoel de Oliveira, todos os alunos das 3 turmas do 9º ano estiveram envolvidas no projeto, formando grupos BEI ou TEI (Teatro Escolar de Intervenção) e ainda grupos auxiliares de BEI ou TEI. Cada grupo BEI ou TEI foi autor de uma sessão ou duas de ”Educação pelos Pares: Sexualidade e Prevenção do VIH/SIDA” desenvolvida em turmas de 6º e 9º ano D, não envolvidas no PNEP. No 9ºA, o conteúdo de cada sessão é de seguida apresentado: 1ª sessão: 1- apresentação sobre drogas, seguido de reflexão, 2- jogo de tabuleiro (criado pela BEI) sobre IST, o qual foi doado à Fundação; filme “Gravidez na adolescência” (em que os atores e realizadores são os elementos da BEI), seguido de reflexão; filme “violência no namoro e violação” seguido de reflexão; 2ª sessão: 1- apresentação sobre violência seguida de reflexão; 2- jogo da glória com questões sobre a violência. Para além das dinâmicas acima referidas, a turma esteve envolvida na festa de Natal das crianças dos Hospitais Maria Pia e S. João (dia 3 de dezembro), na festa dos quadros de Honra da escola (dia 7 de dezembro) e nas múltiplas atividades do Parlamento de Jovens, cujo projeto na escola ficou parceiro do PNEP. No 9º B formaram-se uma BEI e uma TEI. A sessão planeada pela BEI teve a seguinte sequência: 1 - apresentação sobre dependências, 2- dinâmica “quando bebemos, ficamos assim…” seguida de reflexão. A sessão levada a cabo pela TEI baseou-se numa peça de teatro sobre gravidez na adolescência/IST seguida de reflexão. Em relação ao 9ºC, formaram-se 3 BEI e todas realizaram um filme e promoveram debate e reflexão. As temáticas abordadas foram: “drogas”, “viciado na internet” e “gravidez na adolescência”. O Quadro seguinte sumaria os trabalhos e intervenções realizadas.

Escola

E.B. 2,3 da Areosa do Agrupamento de Escolas António Nobre

Secundária/3 António Nobre

Turma

Nº de BEI

Nº de Sessões

9º C

1

6

11ºLH3

4

6

4 E.B. 2,3 Manoel de Oliveira

9ºA

16

Turma – alvo Temas tratados e Trabalho apresentado TRABALHO APRESENTADO: 1º Momento de formação: - apresentação de um Powerpoint às turmas do 7º ano. 2º Momento de formação: - sensibilização a toda a escola até ao fim do ano, no âmbito do tema escolhido. TEMA TRATADO: “PREVENÇÃO DO TABAGISMO” TRABALHOS APRESENTADOS no dia 23 de fevereiro aos alunos do 11ºLH2: - Desdobrável sobre Métodos Contracetivos - apresentação em Powerpoint sobre as IST`s/SIDA - Entrevista sobre as IST/SIDA (apresentação de dados) - Curta-metragem sobre as mudanças na Adolescência TEMA TRATADO: “Atitudes face à Educação Sexual” TRABALHOS APRESENTADOS pelas BEI: - apresentação em powerpoint - jogo de tabuleiro - filme “Gravidez na adolescência” - filme “violência no namoro” Ações de formação aos alunos A toda a escola na festa dos quadros de honra TEMA TRATADO: “Sexualidade e Prevenção do VIH/Sida”, “Gravidez na Adolescência” e “Violência no namoro”

41


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Escola

Turma

Nº de BEI

Nº de Sessões

9ºB

1 BEI 1 TEI

16

E.B. 2,3 Manoel de Oliveira

9ºC

3

10

E.B. 2, 3 de Santiago - Custóias

9ºA

1

3

Turma – alvo Temas tratados e Trabalho apresentado TRABALHOS APRESENTADOS - apresentação em powerpoint sobre “Dependências” - Dinâmicas interativas - Peça de teatro sobre “Gravidez na adolescência/IST pelo TEI Teatro Escolar de Intervenção para os alunos dos 6º anos e 9ºD. TEMAS TRATADOS: “Gravidez na adolescência” e “IST/SIDA” “Toxicodependências” TRABALHOS APRESENTADOS Elaboração de três filmes para alunos dos 6º anos e 9ºD. TEMAS TRATADOS “Drogas” “Viciado na internet” “Gravidez na adolescência” “Parentalidade e responsabilidade” TRABALHO APRESENTADO Apresentação de pequenos vídeos no “Café para Pais” Formação aos alunos do 5º e 6º anos TEMA TRATADO: “Sexualidade e comportamentos de risco”

Materiais produzidos

42


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

43


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra No ano letivo de 2011/2012, o Projeto de Educação pelos Pares “Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA” foi desenvolvido em 29 turmas de escolas do concelho de Coimbra. Com base no trabalho conjunto da equipa de docentes da delegação/CAOJ e das Brigadas Universitárias de Intervenção, o projeto incentiva os jovens a compreenderem as dimensões biológica, psicossocial, cultural e ética da sexualidade, estimulandoos a colocarem dúvidas, a refletirem em conjunto e a tomarem decisões sobre os seus projetos de vida. Isto, tendo em consideração tanto os valores pessoais, familiares e sociais, como a informação científica a que têm acesso para a compreensão dos problemas associados a comportamentos de risco. Os quadros abaixo apresentam os seguintes indicadores de execução do Projeto Nacional de Educação: número de escolas, número de turmas, número de alunos, número de BUI, número de sessões realizadas, concretização do programa previsto para o 1º e 2º ano de intervenção, número de BEI constituídas no 3º ano de intervenção, trabalhos realizados pelas BEI, número de sessões realizadas pelas BEI em outras turmas, e desenvolvimento de outras atividades. Ano letivo de 2011/2012 [até junho de 2012] PNEP – 3º ciclo do ensino básico 7º ano

8º ano

9º ano

Escolas

Nº turmas

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

Nº BUI

EB 2,3 Martim de Freitas EB 2,3 Silva Gaio EB 2,3 Rainha Santa Isabel Escola Secundária José Falcão Totais

4 2 4 3

91 33 72 65

3 2 1 3

68 34 26 59

1 2 4

27 37 88

7 4 5 6

Nº sessões realizadas 93 64 66 109

13

261

9

187

7

152

22

332

Total de turmas Total alunos/as

29 600

Ano letivo de 2012/2013 [até dezembro de 2012] Houve um aumento do número de turmas (+7 turmas) e da população escolar (+174 estudantes) envolvida no PNEP. PNEP – 3º ciclo do ensino básico 7º ano

8º ano

9º ano

Escolas

Nº turmas

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

Nº BUI

Nº sessões realizadas até dez. 2012

EB 2,3 Martim de Freitas EB 2,3 Silva Gaio EB 2,3 Rainha Santa Isabel Escola Secundária José Falcão Totais

3 4 3 3

66 57 73 66

4 3 4 3

80 54 82 82

3 2 1 3

68 40 26 80

7 4 6 3

26 29 24 13

13

262

14

298

9

214

20

92

Total de turmas Total alunos/as

36 774

44


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

PNEP - Escolas com BEI - Brigadas Escolares de Intervenção O processo de constituição e formação das Brigadas Escolares de Intervenção decorreu segundo modelos diferenciados, em função das dinâmicas das escolas e turmas. A maior parte das BEI foram dinamizadas de acordo com o cronograma de desenvolvimento do projeto. A intervenção das BEI decorre, normalmente, em turmas de outros anos de escolaridade, realizandose, pelo menos, uma sessão por BEI. Pontualmente, por dificuldades de programação da escola, algumas BEI fizeram a preparação e apresentação dos trabalhos na sua turma. No ano letivo de 2011/2012, o projeto integrou 7 turmas do 9º ano de escolaridade. De acordo com o programa previsto foram constituídas 32 BEI com a seguinte distribuição por escola:

Escola

Público-alvo Ano e nº de turma alunos(as)

Número de BEI

Nº de sessões de preparação

Nº de sessões de intervenção

EB 2,3 Martim de Freitas

9º C

27

7

2

7

EB 2,3 Poeta Manuel da Silva Gaio

9º A

17

4

5

4

EB 2,3 Poeta Manuel da Silva Gaio Escola Secundária José Falcão

9º B

20

5

3

4

9º 1

19

5

4

5

Escola Secundária José Falcão

9º 2

26

5

4

5

Escola Secundária José Falcão

9º 3

21

5

3

6

Escola Secundária José Falcão

9º 4

22

1

9

1(*)

7

152

32

30

35

Total (*) Esta

Turma criou uma peça de teatro que gravou em vídeo para utilização posterior em sessões do projeto.

Os trabalhos desenvolvidos pelas BEI incidiram nos seguintes temas:

Relações Interpessoais Sexualidade na adolescência Comportamentos de risco

45


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Conceção e contraceção VIH/SIDA: prevenção e transmissão Infeções sexualmente transmissíveis

Avaliação do PNEP Apresenta-se, de seguida, uma compilação dos dados de avaliação do PNEP pelos intervenientes mais diretos: estudantes, voluntários/as e docentes. Os dados apresentados são essencialmente descritivos e qualitativos e foram recolhidos nos questionários aplicados às Brigadas Universitárias de Intervenção, aos docentes das Turmas e às Brigadas Escolares de Intervenção (BEI), bem como nos Diários de Bordo dos alunos e alunas das turmas onde decorreram as sessões do projeto. Procurou-se, nesta fase, manter a singularidade das opiniões de todos os participantes de forma a evidenciar a perceção das várias dimensões do projeto, o grau de satisfação dos destinatários e o seu impacto na mudança de atitudes. A diversidade dos contextos humanos e organizacionais em que se desenvolve o PNEP contribui para a emergência de soluções locais, respeitando as subjetividades na abordagem dos temas do programa e a complexidade das suas formas de apropriação. Face aos dados de execução e aos resultados de avaliação, o envolvimento de jovens estudantes do ensino superior no Projeto Nacional de Educação pelos Pares resultou em ganhos de conhecimento e desenvolvimento de competências, bem como em maior acuidade na perceção de vulnerabilidades e de comportamentos de risco ao nível da saúde e sexualidade. Avaliação da intervenção das BEI A intervenção das BEI foi objeto de avaliação interna e externa. A avaliação realizada pelos alunos e alunas que integraram as BEI recaiu sobre todo o trabalho desenvolvido e baseou-se num questionário ou Diário de Bordo. O questionário inclui, no primeiro item, cinco parâmetros de avaliação sobre as sessões de preparação, abrangendo expetativas, aprendizagens, comunicação e impacto pessoal, aos quais se aplica uma escala. Os restantes itens são constituídos por três questões abertas para avaliar o grau de adesão e o sentido crítico: o que mais gostei, o que menos gostei e sugestões para melhorar o projeto. Na avaliação das BEI do 9º B da Escola EB 2,3 Silva Gaio utilizou-se um Diário de Bordo incidindo sobre as seguintes dimensões: planificação, cooperação, participação, desempenho e reflexão. A avaliação feita pelos alunos das turmas onde decorreram as sessões das BEI baseou-se em questionário idêntico, mas sem a última questão aberta. Os resultados da avaliação da intervenção das BEI em cada escola e turma constam do Relatório enviado ao Ministério da Educação e Ciência em julho de 2012.

46


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal A equipa da delegação/CAOJ de Setúbal estabeleceu contactos e realizou reuniões com diversas escolas, com a finalidade de apresentar o Projeto de Educação Pelos Pares “Sexualidade e Prevenção do VIH/SIDA” e auscultar o interesse das mesmas na sua implementação ou da sua continuidade. Neste sentido, foram realizadas reuniões com as seguintes escolas: - Escola Secundária D. Manuel Martins; - Escola Secundária de Sebastião da Gama; - Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage; - Escola 2/3 de Azeitão - Agrupamento Vertical de Escolas Lima de Freitas; - Escola Secundária do Bocage - Escola Secundária de Santo André - Barreiro Foram celebrados Protocolos de colaboração entre a Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” e Escolas parceiras do PNEP.

Ano letivo de 2011/2012 [até junho de 2012] PNEP – 3º ciclo do ensino básico 7º ano

8º ano

Escolas

Nº turmas

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

Nº BUI

Escola Secundária de Sebastião Gama Escola Secundária do Bocage Escola Secundária D. Manuel Martins Escola Secundária 2,3 Lima de Freitas Escola Básica 2,3 Barbosa du Bocage Totais

6 2 3 2 5

156 47 79 54 107

4 5

106 141

3

73

6 7 2 2 3

Nº sessões realizadas 89 71 31 23 57

18

443

12

320

20

271

Total de turmas Total alunos/as

30 763

Avaliação da “ Educação pelos Pares” Em resultado de alterações legislativas, no ano letivo de 2011/2012, as áreas curriculares não disciplinares de Área de Projeto e Estudo Acompanhado já não fazem parte do currículo do 3º ciclo do ensino básico pelo que apenas a área de Formação Cívica esteve disponível para o projeto. Este facto levantou alguns inconvenientes de horários, uma vez que existem atividades que necessitam de mais tempo. Alguns professores cederam o seu tempo de aula para a realização desse tipo de atividades, tornando-se de certa forma uma mais-valia uma vez que mais docentes se envolveram no PNEP. Verificou-se alguma dificuldade

47


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 na implementação do 2º e 3º ano de intervenção em algumas escolas, já que apenas 3 turmas tiveram continuidade do ano anterior e foi implementado um projeto de 3º ano, com a formação de uma BEI. No que respeita às BUI, optou-se por reduzir o número de elementos, por duas razões: primeiro, de modo a assegurarem um maior número de turmas; em segundo lugar, uma vez que as aulas passaram a ser de 45 minutos, o tempo de intervenção de cada elemento foi reduzido. Importa realçar a criatividade, o empenho, o dinamismo e o sentido de responsabilidade, demonstrado pelos jovens universitários, que em regime de voluntariado colaboraram com a delegação/CAOJ de Setúbal, bem como a qualidade do trabalho que desenvolveram nas turmas onde foram implementados os projetos As suas expectativas iniciais eram muito grandes e prendiam-se essencialmente com a aquisição de mais e importantes conhecimentos sobre a Sexualidade e a infeção VIH/SIDA. Nos seus questionários finais revelaram terem visto as suas expectativas alcançadas, terem adquirido mais conhecimentos e um maior à-vontade ao abordar estes assuntos com os seus jovens pares. Foi também constituída uma BEI de 4 jovens do 9ºano que intervieram numa turma de 7ºano de uma outra escola. Esta intervenção foi muito positiva e gratificante para todas as partes. Quanto às escolas onde o projeto foi implementado, estas salientaram a qualidade das sessões, pela forma como as temáticas foram abordadas, a importância dos alunos desenvolverem/fortalecerem um conjunto de competências pessoais e sociais e apropriarem-se de conhecimentos fundamentais para a sua formação e construção da identidade. Os professores responsáveis pelas turmas revelaram ter observado uma melhoria nas relações interpessoais entre os alunos da turma e atribuíram esse facto às atividades de desenvolvimento de competências pessoais e sociais realizadas nas primeiras sessões. Destacaram ainda a importância de dar continuidade ao projeto e manifestaram interesse na sua implementação noutras turmas, no próximo ano letivo. O PNEP foi também apresentado e aceite pelos Encarregados de Educação, na Reunião de Pais com o Diretor de Turma, passando a fazer assim parte do Projeto de Educação Sexual da turma, de acordo com a Lei nº 60/2009. Alunos e alunas consideraram ter desenvolvido a sua capacidade reflexiva, de respeito pelo outro, de questionar e argumentar, bem como a sua assertividade. Referem, igualmente, a importância de ficarem a conhecer melhor os seus colegas de turma, os seus gostos, as suas qualidades e a forma como pensam. Consideraram que as sessões permitiram a consciencialização da importância da melhoria dos seus relacionamentos afetivos com a comunidade escolar. Salientaram ainda o facto de terem adquirido novos conhecimentos relacionados com as temáticas abordadas – Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA - e terem tomado consciência da importância da prevenção dos comportamentos de risco quando associada à sexualidade. Entre tantas outras afirmações, estes resultados demonstram bem que se conseguiu passar a mensagem e que estes jovens tiveram a oportunidade de aprender e refletir sobre todos estes aspetos tão importantes para a sua vida presente e futura.

48


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Em termos de balanço final pode considerar-se o PNEP como bastante positivo, denotando-se um fortalecimento das competências pessoais e sociais dos alunos e uma melhoria do seu nível de informação na área da Educação para a Saúde e para a Sexualidade e na prevenção da SIDA e outras IST, o que certamente os ajudará a fazer opções por “caminhos” mais consonantes com o bem-estar e o respeito por si e pelos outros. Materiais produzidos

49


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

50


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Delegação da Madeira

Educação de Pares As BUI – Brigadas Universitárias de Intervenção são constituídas por um grupo de estudantes universitários, que se dedicam à promoção e educação para a Saúde, através de intervenções em escolas e outras instituições da comunidade. As BUI assentam numa ação sistemática, científica e pedagogicamente sustentada por jovens educadores a outros jovens e nas potencialidades desta formação para a prevenção dos comportamentos de risco. Projeto: BUI – “Brigadas Universitárias de Intervenção” Brigadas Universitárias de Intervenção Estudantes universitários Jovens dos Cursos de Educação Público-alvo: Formativa do Estabelecimento Educativo Público-alvo da intervenção: Vila Mar – Ano letivo 2011/2012. - Intervir na formação de educadores de pares

Objetivos:

Parceiro: N.º de formandos N.º de sessões N.º de horas

Fase da intervenção com o público-alvo: - Dotar o público-alvo de conhecimentos e instrumentos de modo a serem capazes de gerir situações de risco, no âmbito da sexualidade e das IST; - Aumentar as competências cognitivas, afetivas, relacionais e comportamentais ao nível da vivência individual e da atitude perante a comunidade; - Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos acerca do tema; - Refletir acerca da construção de projetos de vida mais conscientes e responsáveis; - Combater a discriminação face aos portadores do vírus do VIH e de outras sexualmente transmissíveis; - Alertar para as consequências mais frequentes da gravidez na adolescência; Estabelecimento Vila Mar 13 23 46

51


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

2.2 TEATRO UNIVERSITÁRIO DE INTERVENÇÃO

DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa No ano letivo 2012/2013, ao longo do 1º Período, na Escola Secundária José Gomes Ferreira, a professora Rita Martins, em colaboração com a professora da delegação/CAOJ Gabriela Fonseca, formaram um grupo de Teatro Escolar de Intervenção (TEI) com a turma 10º 2ª e já se realizaram 4 sessões para preparação da peça. A apresentação às turmas do agrupamento está calendarizada para o final do 2ºP e 3ºP.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Porto

Em 2012, o TUI da delegação/CAOJ do Porto integrou 4 estudantes do curso de Psicologia, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto; uma estudante de Ciências Farmacêuticas da Universidade do Porto; uma enfermeira; uma professora destacada e uma psicóloga da Delegação da Fundação da Região Norte (no papel de Curinga). Uma das peças apresentada pelo TUI da delegação/CAOJ Porto intitulou-se “Abre a pestana!”, na qual se abordam temáticas como o bullying, a discriminação pela infeção VIH/SIDA e a violência no namoro. O quadro seguinte apresenta as datas, local e público-alvo das intervenções do TUI. Data

Local

30 Abril de 2012

Escola de Segunda Oportunidade

Público Alunos do 9º ano 1 turma do 7º ano 2 turmas do 8º ano 4 turmas do 8º ano 4 turmas do 7º ano 3 turmas do 7ºano

7 de Maio de 2012

Escola EB 2,3 da Areosa

15 e 22 de Maio de 2012

Escola Secundária de Rio Tinto

21 de Maio de 2012

Escola EB 2,3 Júlio Saúl Dias

29 de Maio de 2012

Escola EB 2,3 Manoel de Oliveira

3 turmas do 8º ano

4 de Dezembro de 2012

Escola EB 2,3 Vila d´Este

3 turmas de 8º ano

52


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra No ano lectivo de 2011/12 foram elaborados textos para uma peça de teatro‐debate com o título “Vida há só uma, não estragues a tua!”. Realizaram‐se sessões de trabalho e ensaios durante o ano letivo de 2011/2012. O TUI foi dinamizado pelo grupo de estagiários de Animação Socioeducativa com a colaboração do professor Fernando M. Marques da delegação/CAOJ. No ano letivo de 2012/2013 foi constituído um Teatro Escolar de Intervenção na Escola EB 2,3 Rainha Santa Isabel, numa turma do 8º ano de Currículo alternativo que começou a ensaiar uma peça sobre o abuso sexual de menores “A História de Manuela”.

2.3 PROJETOS DE EDUCAÇÃO EM SEXUALIDADE NO ENSINO SECUNDÁRIO DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa Projeto de formação intensiva de Brigadas Escolares de Intervenção Este modelo de formação tem como principal objetivo preparar os alunos e alunas para intervirem como BEI junto de colegas mais novos, na prevenção da infeção VIH/sida. As escolas envolvidas, turmas, número de alunos e número de sessões, são apresentadas nos dois quadros abaixo.

Ano Letivo 2011/12 [Jan a jun de 2012] Turma

Nº de alunos

Nº de sessões

Escola Secundária José Gomes Ferreira

10º3ª

28

9

Escola Secundária Eça de Queirós

10ºH1

28

9

Escola Secundária António Gedeão

10ºB

29

9

3

85

27

Turma

Nº alunos

Nº de sessões

10º2ª

28

4*

10º8ª

29

11

2

57

15

Escola

Total

3 Escolas

Ano Letivo 2012/13 [Set a dez de 2012] Escola

Escola Secundária José Gomes Ferreira Total

1 Escola

* A turma do 10º 2ª está a preparar a atividade com a Diretora de Turma e por isso ainda só se realizaram 4 sessões. A apresentação às turmas do agrupamento do TEIU está calendarizada para o final do 2ºP e 3ºP.

53


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Adicionalmente foi realizada, no dia 27 de outubro de 2012, uma ação de formação para 17 estudantes do ensino secundário da Escola Secundária Ferreira Dias, no Cacém, a pedido da Coordenadora de Educação para a Saúde, que formarão o grupo das Brigadas Escolares de Intervenção (BEI) na referida escola, no âmbito do Projeto de Educação pelos Pares Sexualidade – Prevenção do VIH/Sida. Durante a ação de formação que teve a duração de 8 horas, desenvolveram-se atividades com recurso a metodologias ativas sobre os seguintes temas: comunicação; autoestima; assertividade e tomada de decisão; conceito de sexualidade; comportamentos de risco e infeções sexualmente transmissíveis; VIH/sida. Explicou-se ainda como organizar, planear e dinamizar uma sessão. O balanço desta formação, feito pelos alunos, foi bastante positivo, conforme se pode ver nos gráficos que se apresentam a seguir.

Expetativas

Interesse

10

10

5

5

0 1

2

3

4

13

15

13

15

4 0

0

0

1

2

3

0

5

4

5

Avaliação Global 17

20 15 10 5

0

0

0

0

0 1

2

3

4

5

De um modo geral, pode dizer-se que os alunos consideraram a formação muito interessante, que foi ao encontro das suas expectativas e que gostaram muito de ter participado nela.

Apoio ao Projeto de Educação pelos Pares na Escola Secundária Ferreira Dias – Cacém A Escola Secundária Ferreira Dias criou condições para desenvolver localmente um Projeto de Educação Pelos Pares, nomeando uma coordenadora e integrando alunos do ensino secundário como voluntários. Estudantes e docentes têm recebido formação da parte da delegação/CAOJ que também deu

54


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 apoio na organização do cronograma de intervenção das BEI. O projeto envolve diversas turmas do ensino básico.

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto

Ação de prevenção no Colégio D. Dinis No dia 26 de Abril, foi dinamizada neste estabelecimento de ensino, e a pedido da Professora Doutora Isabel Torres, uma ação de formação integrada nas atividades de “Promoção da saúde/sexualidade Estilos de vida saudável”. Teve o carácter de workshop e foi desenvolvido num período de noventa minutos. As dinâmicas foram dirigidas a 21 alunos e alunas do 10º ano, do curso de Ciências e Tecnologias e a 19 estudantes de Ciências Socioeconómicas e Humanidades. Ação de prevenção na Escola Secundária Tomás Pelayo - Santo Tirso

No dia 20 de Março, foi dinamizada neste estabelecimento de ensino uma sessão de formação integrada nas atividades de “Prevenção do VIH/SIDA - Estilos de vida saudável”. Teve o carácter de workshop desenvolvido para 2 grupos num período de noventa minutos cada. As dinâmicas foram dirigidas a 50 alunos do 10º ano e do 11ºano do curso de Ciências e Tecnologias e a 50 alunos de Ciências Socioeconómicas e Humanidades. Os professores acompanhantes das turmas e os membros do Conselho Diretivo presentes agradeceram e reconheceram a importância desta formação.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra Projeto de Educação Sexual na Escola Secundária Infanta D. Maria No quadro de uma parceria entre a delegação/CAOJ de Coimbra e a Escola Secundária Infanta D. Maria, está a ser implementado um projeto de Educação Sexual em quatro turmas do 10º e 11º ano. Durante o ano letivo de 2012/2013, a equipa docente e de formação da delegação/CAOJ dinamiza 5 sessões de 90 minutos. Durante o primeiro período, foram realizadas 2 sessões por turma, onde foram abordados os temas previstos: 1) “sexualidade e contraceção”; 2) "Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade e da paternidade da gravidez na adolescência”.

55


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 10º ano

Escolas Escola Secundária Infanta D. Maria Totais

11º ano

Nº turmas

Nº alunos

Nº turmas

Nº alunos

2 2

54 54

2 2

52 52

Total de turmas Total alunos/as

Nº sessões realizadas 8 8

4 106

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal Projeto de Educação Sexual em Escolas Secundárias A delegação/CAOJ implementou Projetos de Educação Sexual destinados, prioritariamente, a jovens do ensino secundário, com 3 a 4 sessões de 90 minutos ou 6 a 8 sessões de 45 minutos. Foi sentida pelas escolas a necessidade de formação de jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 18 anos a frequentar o 9º ano e o ensino secundário. Trata-se de um período da adolescência em que têm acesso a muita informação e julgam “já saber tudo”, mas muitas dúvidas e crenças pairam à sua volta. Ajudá-los a controlar as emoções e a “arrumar” as ideias torna-se importante para não viverem a sua sexualidade de forma desintegrada das respetivas vivências afetivas. Muitos destes jovens já iniciaram a vida sexual mas nem sempre com sentido de prevenção. Nas sessões, proporcionou-se um clima que permitiu a discussão franca e construtiva entre ambos os sexos e valorizou-se um contexto de responsabilização e respeito pelas diferenças. Incentivou-se a consciencialização da importância de uma vida sexual responsável e sem riscos, preservando a saúde e aprendendo a saber dizer não a pressões emocionais e sexuais. Os e as jovens revelaram que os conhecimentos adquiridos foram importantes para a sua formação, contribuindo para a consciência da importância da prevenção dos comportamentos de risco associados à sexualidade. Esta intervenção mostrou-se perfeitamente adequada ao determinado na atual legislação referente à concretização da Educação Sexual no ensino secundário. A distribuição do número de turmas, alunos e anos de escolaridade abrangidos pelos Projetos de Educação Sexual que a delegação/CAOJ de Setúbal desenvolveu em escolas secundárias no ano letivo de 2011/2012, consta do quadro seguinte: Escolas Escola Secundária de Sebastião Gama Escola Secundária do Bocage Escola Secundária D. Manuel Martins Escola Secundária 2,3 Lima de Freitas Secundária Santo André‐ Barreiro Totais

9º ano

10º ano

11º ano

12º ano

8 4 4 2 7 25

5 4 4

134 102 67

2 3 1

46 69 20

13

303

1 7

21 156

Nº sessões Nº Nº Nº Nº Nº Nº Nº Nº realizadas turmas alunos turmas alunos turmas alunos turmas alunos

1 1

27 28

2

55

Total de turmas Total alunos/as

221 105 99 54 174 653

88 72 39 9 50 258

47 1157

56


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

2.4 PROJETOS DE EDUCAÇÃO EM SEXUALIDADE E PREVENÇÃO DA INFEÇÃO VIH/SIDA DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa Projetos de curta duração Estes projetos de prevenção realizaram-se em 4 sessões com a duração de 90 minutos, foram dinamizados pelos docentes da delegação/CAOJ, com recurso a metodologias ativas, jogos pedagógicos e formação interpares, tendo-se seguido as linhas gerais do Programa “Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA”, com as adaptações adequadas à duração e ao contexto de formação.

Escola EB 2,3 S. Vicente

Alvo

Nº Alunos

Nº de sessões

8ºB

21

4

CEF

19

4

8ºE

18

4

9ºD

14

4

9ºC

29

4

9ºG

21

4

6

122

24

EB 2,3 Sophia de Melo Breyner Andreson

Escola Secundária António Gedeão - Almada

Total

3 Escolas

Intervenções pontuais Por solicitação de escolas sem possibilidade de intervenções mais prolongadas, A delegação/CAOJ realizou ações de prevenção da infeção VIH/sida em diversas turmas, como se mostra no quadro: Escola EB 2,3 Patrício Prazeres Escola Secundária Gomes Ferreira EB 2,3 da Pontinha Total

3 Escolas

Turmas

Nº de alunos

Nº de sessões

7º A, B, C, D e PCA 8º A, B, C e CEF 9º A, B, C

223

6

11º5ª

28

1

27

1

13

278

8

57


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra

Projeto Enfrentar o VIH/SIDA O projeto “Enfrentar o VIH/SIDA” surge da necessidade de responder a solicitações das Escolas da região centro e de sensibilizar para práticas de prevenção de comportamentos de risco em jovens do ensino básico e secundário não envolvidos no Projeto Nacional de Educação Pelos Pares. As sessões têm a duração de 90 minutos. Enfrentar o VIH/sida Percurso temático 1. O VIH/SIDA: uma realidade incontornável - Factos e números - Projetos e expetativas 2. Conhecer o VIH/SIDA - Como age o vírus? - Como se transmite o VIH? - Como se sobrevive com a doença? 3. Enfrentar o VIH/SIDA - Onde fazer o teste do VIH? - Aspetos clínicos da doença: diagnóstico e tratamento - Aspetos sociais da doença: estigma e discriminação 4. Fintar o VIH/SIDA - Calcula os riscos - Protege-te - Ama em segurança - Mantém-te informado(a) - Comunica com os teus pares - Não esqueças a amizade e a solidariedade

Como se pode ver no quadro-síntese da intervenção realizada no ano de 2012, as escolas abrangidas pertencem aos concelhos de Coimbra, Penacova, Oliveira do Hospital e Pombal.

Escola Agrupamento de Escolas de Penacova

Data da sessão Janeiro Fevereiro

Escola EB 2,3 Martim de Freitas, Coimbra

Março

Escola Básica 2,3 Guia, Pombal Escola EB 2,3 Alice Gouveia, Coimbra

Março Abril

Escola EB 2,3 de Lagares da Beira

Abril

Escola EB 2,3 Rainha Santa Isabel

Dezembro

Ano Turma 6º ano 8º ano 8º ano 7º ano 9º ano 9º ano 5º ano 6º ano 7º ano 8º ano 9º ano 9º ano

Nº Alunos 35 23 62 82 73 83 25 24 24 22 21 58

58


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Escola

Data da sessão

Escola EB 2,3 Martim de Freitas, Coimbra

Dezembro

Agrupamento de Escolas de Penacova

Dezembro Total de turmas Total alunos/as

Ano Turma 9º ano 6º ano 9º ano

Nº Alunos 72 90 77

44 771

Projeto Prevenção do VIH/SIDA na Comunidade Escolar A Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” - Delegação da Região Centro é membro da Rede Social do Concelho de Coimbra e tem assento no Conselho Local de Ação Social (CLAS). No âmbito do 1º Plano de Desenvolvimento Social 2010-2013, a delegação/CAOJ Coimbra participou em 16 reuniões de planificação e implementação do Plano de Ação 2011/2012, dos eixos Saúde e Crianças e Jovens. Esteve ainda presente nas reuniões plenárias do CLAS. Relativamente ao Eixo de intervenção Saúde, a Fundação é entidade parceira do Projeto ”VIH/SIDA - Prevenção Junto da Comunidade Escolar” destinado a jovens a frequentar o 9º ano de escolaridade em escolas do Concelho de Coimbra. O projeto tem como objetivo a realização de ações de formação, sensibilização e prevenção de comportamentos sexuais de risco na comunidade escolar. A delegação/CAOJ de Coimbra foi responsável pelo desenho e implementação da Ação 1 – “Enfrentar o VIH/SIDA”. A duração de cada sessão é de 90 minutos para melhor se adaptar aos tempos letivos do currículo escolar. A primeira fase de implementação do projeto iniciou-se em 19 de outubro de 2011, com 3 escolas. O projeto teve continuidade em 2012, com a segunda fase, envolvendo mais 3 escolas, tendo a delegação/CAOJ de Coimbra dinamizado durante o ano as seguintes sessões: Data da sessão Janeiro Novembro Dezembro Dezembro

Escola Escola Básica 2,3 de Ceira Escola EB 2,3 Maria Alice Gouveia Escola EB 2,3 de Taveiro Escola EB 2,3 Eugénio de Castro Total de turmas Total alunos/as

Turmas 2 4 3 4

Nº de alunos(as) 27 74 47 85

13 233

59


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Projeto Prevenção de maus tratos e aproximações abusivas O projeto “Prevenção de maus tratos e aproximações abusivas” resulta de um pedido formulado pela Escola Secundária Martinho Árias, de Soure, para formação de alunos do 7º ano de escolaridade. A delegação/CAOJ de Coimbra desenhou um projeto de intervenção específico, nele incluindo também questões relacionadas com a prevenção da infeção VIH/SIDA. Foram realizadas 6 sessões com a duração de 90 minutos cada, dinamizadas pela equipa docente da delegação/CAOJ de Coimbra. Prevenção de maus tratos e aproximações abusivas Percurso temático 1. Dinâmica “O que vemos à nossa volta” – tipos e formas de violência sobre crianças e jovens. 2. Abuso sexual 3. Dinâmica “Jogo dos casos” – situações de abuso sexual, como identificar e reagir? 4. Dinâmica “Os segredos” – bons segredos e maus segredos. 5. Dinâmica “A história da Manuela” – caso de abuso sexual: como enfrentar a situação e que soluções procurar. 6. Basta de violência! É preciso ter os olhos bem abertos; é preciso saber avaliar as intenções de quem se quer aproximar de nós e nos pede algo; é preciso denunciar os agressores e abusadores e apoiar as vítimas.

Escola

Datas

Ano

Nº Alunos

Escola Martinho Áreas, Soure

11 de Maio

7º ano

103

Total de turmas Total alunos/as

6 103

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal

Foram realizadas ações de sensibilização de curta duração sobre o tema Sexualidade e Prevenção - VIH/SIDA. Escola

Data

Turmas

Escola 2/3 du Bocage

24 Abril

9º ano

60


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Delegação da Madeira

Ações de formação e sensibilização Objetivos: - Sensibilizar o público-alvo para a prevenção dos comportamentos de riscos associados ao VIH/SIDA, bem como noutras temáticas envolventes.

Conteúdos:

N.º de formandos N.º de sessões N.º de horas

- VIH/SIDA; - Comportamentos de risco; - Sexualidade; - Planeamento Familiar; - Prevenção dos comportamentos aditivos. 180 12 24

Projeto “Prevenir Hoje, Amanhã Pode Ser Tarde” Jovens do Centro Educativo da Madeira Alunos do Ensino Recorrente da Escola Básica de Câmara de Lobos Objetivos: Dotar os voluntários de conhecimentos científicos, tendo em vista a sua integração na bolsa de voluntários desta Delegação.

Público-alvo

- Aumentar o nível de conhecimentos gerais relativamente a comportamentos de risco associados ao VIH/SIDA, vias de transmissão e métodos de prevenção; - Aumentar o nível de conhecimentos gerais sobre os métodos contracetivos e formas de planeamento familiar; - Aumentar a capacidade de dizer não a atividades ou situações com cariz disruptivo que levem ao consumo de estupefacientes. N.º de formandos 13 Nº sessões O curso terá a duração de 10 sessões N.º de horas 20

61


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 2.5 PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PESSOAIS E SOCIAIS Delegação da Madeira Projeto de intervenção na área do desenvolvimento pessoal e social, que pretende estimular na criança/jovem determinadas aptidões pessoais e sociais, consideradas fundamentais para um crescimento saudável e harmonioso. Para tal, procura adotar as estratégias mais adequadas ao público-alvo (crianças e jovens dos 7 aos 15 anos), nomeadamente atividades lúdico-pedagógicas, realizadas em contexto escolar. Projeto: “Crescer a Saber” Escola EB1/ PE do Pedregal

Turma de 3º ano Turma de 4º ano

Turma do 4º ano A Turma do 4º ano B Público-alvo Turma do 4º ano C Escola EB1/ PE do Tanque Turma do 3º ano A Turma do 3º ano B Turma do 3º ano C - Proporcionar, através da (In) Formação a melhoria e o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, com vista a promoção de estilos de vida saudáveis - Dotar as crianças de conhecimentos e instrumentos, de modo a serem capazes de gerir situações de risco. - Promover competências de comunicação; Objetivos: - Desenvolver na criança a autoconfiança, de forma a interagir positivamente com o meio; - Fomentar a autoestima, valorizando os seus comportamentos mais assertivos e adequados; - Desenvolver na criança a capacidade para se exprimir revelando pensamentos, sentimentos e ações adequadas a diferentes contextos sociais; - Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos; - Criar um trabalho de grupo a partir de dinâmicas/jogos dramáticos explorados no projeto.

Nº de formandos: 81

Nº sessões: 108

Nº de horas: 216

Projecto “C.S.I – São Roque” Público-alvo Alunos/as das turmas de 7º ano da Escola Básica e Secundária de S. Roque - Proporcionar aos formandos um espaço para que descubram as suas necessidades (in) formativas e de desenvolvimento pessoal; - Aumentar o nível de conhecimentos gerais relativamente a situações de risco; - Promover o treino de comportamentos, atitudes em relação a determinadas situações, com vista a aquisição e consolidação de competências pessoais e sociais; Objetivos: - Desenvolver o comportamento e a comunicação assertiva, a empatia, a cooperação e o respeito pelos outros; - Melhoria das relações interpessoais dos formandos, concomitantemente ao aumento da frequência da assertividade; - Fortalecer o sentimento de pertença a um grupo para potenciar a prática de comportamentos saudáveis.

Nº de alunos/as: 48

Nº sessões: 25

Nº de horas: 50

62


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

3. PROJETOS DE PREVENÇÃO EM CENTROS EDUCATIVOS DA DGRS DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa

No primeiro período do ano letivo 2012/13, deu-se continuidade à parceria com o Centro Educativo Navarro Paiva com o Projeto “Sexualidade e Prevenção do VIH/SIDA”, cujo público-alvo são jovens entre os 14 e os 24 anos, sob medidas tutelares educativas de internamento, em situação de risco social, através do qual se promove a Educação para a Saúde Afetivo – Sexual e se prepararam para serem “pares educadores” nas suas comunidades. Instituição

Nº Alunos

Nº sessões 90’

1º Período

Centro Educativo Navarro Paiva

10 7

4 4

Outubro Dezembro

Total de turmas Total alunos/as

2 17

As sessões são dinamizadas pela equipa de docentes da delegação/CAOJ através de dinâmicas de grupo idênticas às utilizadas nas escolas, foram abordados os seguintes temas: conhecimento interpessoal; emoções; sexualidade: conceito e preconceito, valores e crenças; comunicação; afetos; autoestima; corpo sexuado; higiene; métodos contracetivos; gravidez não planeada; VIH/SIDA e outras IST. Aplicou-se igualmente a caixa das dúvidas.

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto

A delegação/CAOJ deu continuidade à parceria com o Centro Educativo de Santo António, dinamizando a sua intervenção com a colaboração de um grupo de voluntários constituído em BUI.

Instituição

Público-alvo

Nº elementos da BUI

Nº de sessões

Centro Educativo de Santo António

12 jovens institucionalizados em regime fechado e semi-aberto

3

12

63


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

DELEGAÇÃO/CAOJ da Coimbra Projeto em “Tempo de SIDA Educar para a VIDA” A delegação/CAOJ de Coimbra mantém, desde 2006, a sua parceria com o Centro Educativo dos Olivais, onde apoia jovens institucionalizados a cumprir medidas tutelares educativas. O Projeto “Em Tempo de SIDA Educar para a VIDA” é um projeto que utiliza a metodologia de Educação pelos Pares e que visa o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, a promoção da saúde, a prevenção da infeção VIH/SIDA e de outros riscos associados a alguns comportamentos sexuais, orientando-os para a tomada de decisões refletidas e responsáveis com vista à adoção de estilos de vida saudáveis. Em 2012, o planeamento das sessões foi objeto de reuniões preparatórias com a Diretora e Diretor Pedagógico do CEO e a sua execução articulada com a equipa pedagógica da instituição. A intervenção abrangeu 5 turmas (do regime aberto e fechado), com base nos seguintes objetivos: i) Promover o fortalecimento das competências pessoais e sociais; ii) Desenvolver o conceito de sexualidade no quadro dos relacionamentos interpessoais; iii) Estimular a prevenção de comportamentos de risco no âmbito da sexualidade; iv) Explorar conteúdos relacionados com a vivência da sexualidade e a prevenção da infeção VIH/SIDA.

Em todas as turmas foram abordados os temas previstos. Nas turmas de Jardinagem B2 (turma A), Marcenaria e Operador de Manutenção Hoteleira realizou-se uma 4ª sessão para conclusão do programa e esclarecimento de dúvidas. Quadro-síntese da execução do projeto - 2012 Turmas Turma A - Jardinagem Turma B - Jardinagem Marcenaria Operador de Manutenção Hoteleira Regime Fechado 5

Nº de jovens 5 5 8 8 9 35

Nº de sessões 4 3 4 4 3 18

Nº de elementos da BUI 2 2 3 4 3 -

Durantes os meses de outubro e novembro realizaram-se reuniões com a direção do CEO e a equipa docente para planificação da intervenção no ano de 2013. Foram definidos objetivos, temas a abordar e calendarização das sessões. Aumentou ligeiramente o número de jovens a envolver no projeto, mantendo-se o mesmo número de turmas. A equipa de docentes da delegação/CAOJ esteve presente na festa de Natal da Instituição.

64


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Planificação do projeto no CEO - 2013 - Identificar, compreender e integrar harmoniosamente as diferentes dimensões da sexualidade no desenvolvimento pessoal. - Compreender a importância dos vínculos afetivos no relacionamento interpessoal, num quadro de respeito pelas identidades e diferenças. - Desenvolver o sentido crítico pela análise de crenças, estereótipos e papéis de género veiculados pelos media, em matéria de sexualidade. - Reduzir vulnerabilidades a situações de risco. - Promover atitudes de responsabilidade individual e coletiva dirigidas para a promoção da saúde e prevenção de comportamentos sexuais de risco.

Objetivos:

1. Puberdade e adolescência: mudanças e expetativas.

Temas a abordar: 2. Relacionamentos: afetos sociais e afetos sexuais. 3. Comportamentos de risco: violência, abuso, gravidez precoce e IST. - Questionário sobre crenças e conhecimentos acerca do VIH/SIDA - Questionário final a jovens e docentes.

Avaliação:

Calendarização da intervenção no CEO - 2013 Curso turmas

Nº alunos

Nº de sessões

Dia da semana

Horário

Datas

Jardinagem

6

3

2ªfeira

08.30h-10.00h

Manutenção Hoteleira

8

3

2ªfeira

10.30h-12.30h

Marcenaria

8

3

3ªfeira

08.30h-10.00h

Mesa

8

3

4ªfeira

08.30h-10.00h

Instalador de computadores

8

3

4ªfeira

14.30h-16.00h

4/2/13 18/2/13 25/2/13 4/2/13 18/2/13 25/2/13 5/2/13 19/2/13 26/2/13 6/2/13 20/2/13 27/2/13 6/2/13 20/2/13 27/2/13

38

15

Total

65


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

4. PROJETOS DE PREVENÇÃO PARA CRIANÇAS E JOVENS INSITUCIONALIZADOS DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto Com vista ao alargamento das ações de prevenção do VIH/SIDA, bem como à crescente ação da Fundação no campo mais vasto da Educação para a Saúde, foi mantido o contato com outras Instituições para além das escolas. A população-alvo deste Programa são jovens institucionalizados que apresentam uma maior vulnerabilidade para situações e comportamentos de risco, uma vez que provém de meios socioeconómicos na sua maioria desfavorecidos e desestruturados, onde geralmente a organização e suporte familiar e social são muito fracos, havendo maiores lacunas ao nível da informação e educação, fatores que influem negativamente na adoção de comportamentos que promovam estilos de vida saudáveis. Foram implementadas sessões nas seguintes Instituições.

Instituição

Nº de jovens

Nº de sessões

Nº elementos BUI

Centro Juvenil de Campanhã – Pólo Vila do Conde

12

12

2

1º grupo - 6 rapazes

10

2

2º grupo- 8 rapazes

10

4

6

5

3

32

37

CrescerSer da APDMF Grupo de jovens do Bairro de Aldoar Total

Existe, por parte destas Instituições, uma abertura e vontade em manter a parceria com a delegação/ CAOJ, dada a sua importância. Houve uma recetividade muito positiva ao Programa desenvolvido, tendo técnicos e jovens manifestado o desejo de dar continuidade às atividades. O interesse e importância da continuidade do trabalho

66


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

5. PROJETOS DE PREVENÇÃO EM ESTABELECIMENTOS PRISIONAIS

DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa A delegação/CAOJ realizou uma ação de sensibilização para reclusos sobre o tema “Sexualidade, Comportamentos de Risco e Infeções Sexualmente Transmissíveis”.

Nº participantes

Nº de sessões

Estabelecimento Prisional de Sintra

18

6

Estabelecimento Prisional da Carregueira

50

1

68

7

Instituição

Total

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto A delegação/CAOJ do Porto deu continuidade, em 2012, à intervenção que tem realizado no Estabelecimento prisional de Santa Cruz do Bispo. Algumas sessões foram dinamizadas pelas docentes do CAOJ e as destinadas a reclusas tiveram ainda a participação de jovens organizadas em BUI. Instituição

Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo

Estabelecimento Prisional Especial de Santa Cruz do Bispo

Nº de participantes

Nº de sessões

11 Regime comum 10 Regime comum 9 Regime comum 12 Reclusos da Casa de Sto. André 17 Reclusas estrangeiras

1 workshop de 90 min 1 workshop de 90 min 1 workshop de 90 min 1 workshop de 90 min

16

Reclusas Total

59

Nº elementos BUI -

10

1

10

3

24

67


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra Projeto de prevenção em meio prisional Na fase de elaboração de projetos de candidatura ao programa ADIS/SIDA, a equipa da delegação/CAOJ de Coimbra participou em reuniões com a Subdiretora do Estabelecimento Prisional de Coimbra e, posteriormente com a Assistente Social, para desenhar o projeto e planificar a intervenção a realizar entre dezembro de 2012 e fevereiro de 2013. A vulnerabilidade das populações prisionais, que a

baixa escolarização e a exposição a culturas de risco tende a agravar, motivou o desenho do projeto “Sexualidade, comportamentos de risco e prevenção do VIH/SIDA” para reclusos do Estabelecimento Prisional de Coimbra. A primeira sessão realizou-se em dezembro com 12 reclusos.

Projeto

Sexualidade, comportamentos de risco e prevenção do VIH/SIDA

Áreas de intervenção VIH/SIDA, IST, sexualidade, saúde, Direitos Humanos Objetivos

- Melhorar a capacidade para identificar crenças e preconceitos sobre VIH/SIDA. - Aprofundar conhecimentos sobre vias de transmissão e formas de prevenção da infeção VIH/SIDA - Promover atitudes de responsabilidade individual e coletiva, dirigidas para a promoção da saúde e prevenção de comportamentos sexuais de risco. - Reduzir vulnerabilidades a situações de risco. - Diminuir o estigma e a discriminação das pessoas que vivem com o VIH.

Público-alvo

Reclusos do Estabelecimento prisional de Coimbra (EPC)

Entidades Parceiras

EPC - Projeto “Educação para a saúde e promoção de estilos de vida saudáveis”

Frequência e duração 3 sessões de 90 minutos Calendarização

Dezembro2012-fevereiro2013

Local de realização

Sala no Estabelecimento Prisional de Coimbra

Recursos humanos

Docentes da delegação/CAOJ de Coimbra

Resultados previstos - Melhoria dos conhecimentos sobre prevenção de comportamentos sexuais de risco - Melhoria dos conhecimentos sobre vias de transmissão e formas de prevenção da infeção VIH/SIDA e outras IST - Melhoria da capacidade para identificar crenças e preconceitos sobre sexualidade e VIH/SIDA - Aumento da sensibilidade para a perceção de situações de vulnerabilidade pessoal e social Avaliação

Questionário final de avaliação das sessões Relatório da intervenção

68


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Delegação da Madeira

PROJETO: “ENTRE PORTAS” Público-alvo Local

Objetivos

Conteúdos

Indicadores de avaliação

Parcerias Nº formandos: 17

Reclusos do Estabelecimento Prisional do Funchal; Jovens institucionalizados no Centro Educativo da Madeira. Estabelecimento Prisional do Funchal - Sensibilizar o público-alvo para a prevenção dos comportamentos de riscos associados ao VIH/SIDA, bem como noutras problemáticas envolventes. - Aumentar o nível de conhecimentos gerais relativamente a comportamentos de risco associados ao VIH/SIDA, vias de transmissão e métodos de prevenção; - Aumentar o nível de conhecimentos gerais sobre os métodos contracetivos e formas de planeamento familiar; - Aumentar a capacidade de dizer não a atividades ou situações com cariz disruptivo que levem ao consumo de estupefacientes. VIH/SIDA; Comportamentos de risco; Sexualidade; Planeamento Familiar; Prevenção dos comportamentos aditivos. Aplicação de um questionário inicial, diagnóstico das necessidades formativas dos formandos; Aplicação de um questionário final, avaliativo dos conhecimentos adquiridos ao longo das sessões; - Estabelecimento Prisional do Encaminhamento de formandos ;Provimento e adequação dos recursos Funchal necessários para execução do projeto. - Centro Educativo do Funchal

Nº sessões: 6

Nº de horas: 12

69


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

6. PROJETOS DE INTERVENÇÃO DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal Projeto Vida Segura Projeto financiado pela CNLS no programa ADIS/SIDA. Está a decorrer desde o início de 2011 e termina no final de 2014. Indicadores de avaliação e dados de execução: 1. Identificação do número de ações de informação/sensibilização realizadas e o número de beneficiários. - Neste ano do projeto foi realizada uma ação de informação/sensibilização a 1 enfermeira do Centro de Saúde do Seixal e a 2 técnicas da Ação Social da Câmara Municipal do Seixal. 2. N.º de utentes abrangidos no processo de outreaching. - No decorrer do projeto já foram identificados 58 “trabalhadores/as do sexo”, sendo 51 mulheres e 7 homens. Nos dois anos do Projeto Vida Segura intervimos com 48 mulheres. 3. N.º de questionários aplicados. - No decorrer do projeto foram aplicados 31questionários. 4. Número de pessoas em acompanhamento psicológico. - Na total foram acompanhadas 9 pessoas. 5. N.º de preservativos, saquetas de gel lubrificante e materiais informativos distribuídos. - Durante o decorrer do ano de 2012 foram distribuídos cerca de 640 kits, o que corresponde a 25000 preservativos, 690 panfletos. Distribuímos ainda cerca de 600 saquetas de gel lubrificante. 6. Número de saídas em outreaching. - Foram realizadas 62 saídas durante o ano de 2012: 23 no primeiro semestre, 39 no segundo semestre 7. Atividade de rastreio VIH e aconselhamento pré e pós-teste. - Foram realizados 33 testes, pelos Médicos do Mundo, através do PREVIH. De forma a não sobrepor recursos, e por não existir nenhum novo elemento no terreno, optámos por não realizar nenhum teste, tendo os resultados sido partilhados com a nossa equipa.

70


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Projeto Entre Famílias com a Diferença Projeto financiado pela CNLS no programa ADIS/SIDA. Está a decorrer desde o início de 2011 e termina no final de 2013. Indicadores de avaliação e dados de execução: 1. Identificação do número de ações de informação/sensibilização realizadas, quantificação e caracterização dos beneficiários: - Na totalidade do projeto foram realizadas 17 ações. Foi necessário repetir algumas das formações aos parceiros. Os beneficiários são, na sua maioria, os técnicos superiores da entidade. 2. Nº de pessoas que compõem o grupo alvo identificado e de que formas foram identificadas. - Na totalidade estamos a intervir diretamente com 8 agregados, compostos por 36 elementos e 19 crianças. Apenas um agregado procurou os nossos serviços diretamente. Os restantes 7 agregados foram encaminhados pelas entidades parceiras. 3. N.º de sessões de educação parental e respetivos destinatários: - Foram realizadas, na totalidade do projeto, 79 sessões de Educação Parental aos 8 agregados que estamos a acompanhar. 4. N.º de pessoas em acompanhamento psicológico: - Durante todo o projeto já realizámos acompanhamento psicológico a 27 utentes do projeto. 5. N.º de pessoas abrangidos em apoio jurídico: - Durante todo o projeto já foi prestado aconselhamento jurídico a 11 pessoas, das quais 5 surgiram neste ano.

71


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

7. CAMPANHAS DE PREVENÇÃO DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa No âmbito da Comemoração do Dia Mundial de Luta contra a Sida (1 dezembro), a equipa da delegação/CAOJ promoveu, no dia 30 de novembro, duas sessões de esclarecimento, de 45 minutos cada, na Escola Básica 2,3 de Santo António - Parede, para um total de 101 alunos, de 4 turmas (duas do 2ºCiclo e duas do 3º Ciclo), não abrangidas pelo Projeto de Educação pelos Pares. Nessas sessões, debateu-se a diferença entre VIH e SIDA, as vias de transmissão do VIH e as formas de prevenção. Realizou-se ainda um jogo pedagógico.

No final, a maioria dos alunos veio agradecer a nossa presença e referiram ter gostado muito da sessão, o que para nós foi muito gratificante.

Ainda no âmbito da Comemoração do Dia Mundial de Luta contra a Sida, a equipa da delegação/ CAOJ promoveu, também no dia 30 de novembro, em parceria com a Casa da Cultura - Núcleo da Junta de Freguesia da Ajuda - uma atividade com seniores que frequentam a instituição. Participaram 8 seniores e durante duas horas, através de dinâmicas de grupo com partilha de experiências de vida, foram abordados e debatidos os seguintes temas: sexualidade nas várias gerações, relação entre a sexualidade e o VIH, informação sobre a infeção e prevenção da infeção do vírus. Realizou-se inicialmente um quebra-gelo para apresentação dos participantes e depois o jogo “Chuva de Ideias”, ligado ao conceito de sexualidade e o jogo

72


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 “3 papelinhos importantes”, relacionado com o VIH/SIDA. Os participantes consideraram a sessão interessante, útil e gostaram da forma descontraída como se trataram os temas. Referiram também que ficaram mais esclarecidos.

O Fórum da Rede Social de Lisboa 2012 é um evento de divulgação e partilha da Rede Social de Lisboa, criado em 2006, do qual a Fundação faz parte, conjuntamente com mais de cerca de 320 entidades autarquias, entidades ou organismos do setor público, IPSS, ONG e outras associações e fundações. Sendo o Fórum um espaço de encontro para dar a conhecer a Rede Social de Lisboa junto dos cidadãos e de outras instituições promove várias iniciativas das quais se destacam o Fórum da Rede Social Participar para Agir que decorreu na FIL de 5 a 9 de dezembro. Participámos na 15ª Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social de Lisboa, realizada no dia 5 de dezembro, e estivemos presentes, nos dias 6, 7 e 8 de dezembro, na “Feira”, onde se deu a conhecer a missão e os objetivos da Fundação nas diversas áreas de intervenção onde atua. A delegação/CAOJ participou no debate aberto sobre questões relevantes para o voluntariado no contexto atual, promovido pelo Banco de Voluntariado para a Cidade de Lisboa, no dia 5 de dezembro, pelas 20h30, na FIL, no âmbito da Celebração do Dia Internacional dos Voluntários.

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto Lançamento de Inteiro-Postal e Carimbo da Fundação em parceria com os Correios de Portugal A cerimónia de lançamento de um Inteiro Postal e Carimbo com os logotipos da Fundação Portuguesa "A Comunidade Contra a SIDA" e dos CTT - Correios de Portugal, decorreu no dia 12 de Dezembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Coimbra. A iniciativa foi organizada pela delegação/CAOJ

73


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 do Porto em colaboração com a delegação/CAOJ de Coimbra. O Postal inclui uma mensagem de alerta para os comportamentos sexuais de risco, assinalando uma nova Campanha Nacional de Prevenção do VIH/SIDA promovida pela Fundação. A cerimónia foi acolhida pela Câmara Municipal de Coimbra, entidade com a qual a FPCCSIDA desde há muito colabora em projetos de educação para a saúde, sexualidade e prevenção da infeção VIH/SIDA. A CMC esteve representada pela Dra. Maria João Castelo-Branco, vereadora do Desenvolvimento Social e Família, que elogiou a iniciativa e o trabalho realizado pela Fundação, realçando a importância desta campanha. A Dra. Manuela Portugal, Diretora do Serviço ao Cliente do Centro dos CTT - Correios de Portugal, congratulou-se por esta parceria com a FPCCSIDA e assinalou a importância das iniciativas que valorizam a responsabilidade social das empresas e organizações. Por fim, a Dra. Filomena Frazão de Aguiar, Presidente do Conselho de Administração da Fundação, agradeceu a parceria dos CTT e a boa colaboração que tem havido com a Câmara Municipal de Coimbra e outras instituições presentes na cerimónia (Escola EB 2,3 Silva Gaio, Escola EB 2,3 Martim de Freitas, Escola Secundária José Falcão, Estabelecimento Prisional de Coimbra, Centro Educativo dos Olivais e Universidade de Coimbra). Lembrou a urgência das campanhas de prevenção da infeção por VIH e ressaltou o trabalho sistemático e continuado que o Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens da Fundação realiza no Concelho de Coimbra junto da população escolar, universitária e reclusa.

A obliteração do Inteiro Postal e Carimbo realizou-se ainda com a presença de Filomena Valente, responsável da Área de Coimbra dos CTT, de filatelistas, colecionadores, representante da delegação/CAOJ do Porto, equipa da delegação/CAOJ de Coimbra, técnicos da CMC e membros da Rede Social do Concelho de Coimbra.

Feira da Saúde na Universidade Católica do Porto No dia 20 de Novembro de 2012, o CAOJ Porto esteve presente na Feira da Saúde na Universidade Católica do Porto Campus Foz do Douro, numa iniciativa do Instituto de Ciências da Saúde do Porto, com uma campanha de prevenção da infeção VIH/SIDA e “Banquinha da Fundação”, para apresentar os Projetos mais relevantes e amplificar a bolsa de voluntariado e apoios.

74


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Em Comemoração do Dia Mundial da Luta Contra a SIDA, foi levada a cabo uma Campanha de Sensibilização/Prevenção do VIH/SIDA na rádio Nova Era, através de um Concurso de Fotografia, Vídeo, Desenho, Prosa ou Poesia. O vencedor desta 2ª edição do concurso foi Ricardo Correia, 38 anos, da Maia, com o texto “Fantasmas”, sendo premiado com a oferta de uma noite para duas pessoas com pequenoalmoço no Tiara Park Atlantic Porto, entidade parceira da iniciativa.

Lançamento de uma coleção de pacotes de açúcar, em parceria com a Delta Cafés, com desenhos e mensagens sobre o VIH/SIDA elaborados por jovens de escolas e instituições parceiras da Fundação. Esta Campanha Nacional de Prevenção do VIH/SIDA decorreu durante o último trimestre de 2012.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra A delegação/CAOJ de Coimbra realizou várias campanhas de prevenção da infeção VIH/SIDA com distribuição de preservativos, algumas delas em parceria com outras entidades.

Campanha do Dia dos Namorados Para comemorar o Dia dos Namorados e sensibilizar para a prevenção de comportamentos de risco nas relações amorosas, o Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens realizou uma campanha na Escola Secundária José Falcão, em Coimbra. A iniciativa envolveu estagiárias do Curso de Animação Socioeducativa da ESEC e voluntárias do Projeto Nacional de Educação pelos Pares que está a ser implementado na Escola em todas as turmas do 3º Ciclo do Ensino Básico. As atividades destinaram-se a prevenir atitudes de risco no campo da sexualidade e das relações de namoro, alertando para a necessidade de comportamentos sexuais seguros e relacionamentos saudáveis.

75


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Campanha de Prevenção VIH/SIDA na ESEC – dia 26 de abril de 2012 A delegação/CAOJ promoveu mais uma campanha de prevenção da infeção VIH/SIDA na Escola Superior de Educação de Coimbra. A iniciativa, desenvolvida pela estagiária Marina Domingues, teve a colaboração do CAD - Centro de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH/SIDA - e da Associação de Estudantes da ESEC. As estagiárias Laura Neves e Cláudia Ferreira e o estagiário Diogo Pinho colaboraram na dinamização das atividades realizadas ao longo do dia.

76


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

FPCCSIDA na Queima das Fitas de Coimbra – dia 8 de maio de 2012 A Fundação Portuguesa "A Comunidade Contra a SIDA" participou no projeto de sensibilização para a prevenção de comportamentos de risco em contexto recreativo Há Noites Assim que decorreu na Semana da Queima das Fitas de Coimbra, entre os dias 4 e 11 de Maio.

O projeto envolveu uma parceria entre a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra e a Rede Social do Concelho de Coimbra. A intervenção da delegação/CAOJ de Coimbra realizou-se no dia 8 de Maio. As estagiárias Cláudia Ferreira, Laura Neves e Marina Domingues e o estagiário Diogo Pinho, com o apoio da

77


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 professora Ana Filipa Alegre, estiveram em vários ponto do recinto da Queima das Fitas a sensibilizar para a prevenção da infeção VIH/SIDA e a distribuir folhetos para que os e as jovens pudessem ter acesso gratuito e informado a preservativos masculinos ou femininos. O balanço foi bastante positivo, dada a taxa de adesão e as felicitações recebidas pela iniciativa.

Montagem do stand do projeto

Durante a noite foram distribuídos folhetos de prevenção e 800 preservativos fornecidos à Fundação pela Coordenação para a Infeção VIH/Sida.

Dia Mundial de Luta Contra a Sida – dezembro de 2012

FAZ O TEU PIN! - campanha de prevenção no ensino superior A delegação de Coimbra da FPCCSIDA, através do Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens de Coimbra promoveu mais uma campanha de prevenção da infeção VIH/SIDA junto de estudantes

78


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 do ensino superior, para sinalizar o Dia Mundial de Luta Contra a Sida. Foi com o slogan “FAZ O TEU PIN!” que Rafael Martins e Mónica Ribau - voluntários no Projeto Nacional de Educação pelos Pares - animaram os claustros da Escola Superior de Educação de Coimbra, desafiando os e as colegas a criarem as suas próprias mensagens. Durante a intervenção foram distribuídos preservativos e material informativo sobre o VIH/Sida.

79


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

80


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

FAZ O TEU PIN! - Campanha de prevenção no ensino básico e secundário O slogan “FAZ O TEU PIN!” foi o mote da campanha de sensibilização à prevenção do VIH/Sida que o Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens de Coimbra lançou nas Escolas onde implementa o Projeto Nacional de Educação pelos Pares. Integrada nas atividades do Dia Mundial de Luta contra a Sida, a campanha sensibilizou estudantes do 3º ciclo do ensino básico para a necessidade de atitudes esclarecidas e responsáveis que permitam prevenir a infeção VIH/Sida e apoiar as pessoas afetadas, sem estigma e discriminação. Alunos e alunas responderam ao desafio com empatia e criatividade, evidenciando consciência cívica e vontade de intervir em processos de mudança positiva da realidade.

81


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

SEMANA DE LUTA CONTRA A SIDA - Rede Social do Concelho de Coimbra

O grupo de trabalho Saúde “VIH/Sida” da Rede Social do Concelho de Coimbra, constituído pela ANAJovem,

Associação

para

o

Planeamento Familiar, ARS Centro (Centro

de

Aconselhamento

Diagnóstico), Cáritas Diocesana de Coimbra, Fundação Portuguesa “A Comunidade

Contra

a

Sida” e

Saúde em Português, promoveu uma

série

de

iniciativas

para

assinalar o Dia Mundial de Luta Contra a Sida, com o apoio dos SMTUC, dos Cafés FEB e da Alere.

82


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A semana de luta contra a sida decorreu de 28 de novembro a 4 de dezembro e a delegação/CAOJ de Coimbra participou em diversas iniciativas dando ênfase à sua campanha “Em tempo de Sida, educar para a vida”.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal No âmbito do Dia Mundial da Luta Contra a SIDA, a delegação/CAOJ de Setúbal, uma vez que se encontrava em formação pedagógica, dinamizou com os voluntários universitários diversas atividades, tais como a realização de um cartaz de mensagens, distribuição de laços e sensibilização e aprofundamento das temáticas.

83


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

A delegação/CAOJ de Setúbal participou ainda na Semana da Saúde na Escola EB 2/3 do Bocage dinamizando o dia destinado ao VIH/SIDA (24 de Abril), através de uma banca com atividades diversas e realizou no mesmo dia uma sessão de sensibilização sobre o VIH/SIDA, destinado a alunos de 9º ano.

Delegação da Madeira

ampanhas de sensibilização Objetivo Nº de campanhas realizadas

Sensibilizar o público-alvo para a prevenção do VIH/SIDA. 5

84


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

8. AÇÕES DE CARÁCTER INSTITUCIONAL E SOCIOCULTURAL DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa

Ações de divulgação e recrutamento de voluntários Para além de contatos telefónicos e por email a equipa da delegação/CAOJ ainda participou em reuniões com o Banco de Voluntariado da CM e com as associações de estudantes das Faculdades de Farmácia, Medicina, Direito e Enfermagem, para além de encontros que tiveram como objetivo a divulgação do projeto PNEP e o recrutamento de voluntários para a intervenção junto das escolas parceiras. Foi feita divulgação do projeto de educação pelos pares nas seguintes instituições: Universidade Autónoma de Lisboa, Universidade Lusófona; Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa; Faculdade de Medicina da Universidade Nova de Lisboa; Escola Superior de Educação de Lisboa; Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa; Escola Superior de Saúde de Lisboa. Participação na Feira do Voluntariado “Oportunidades para Colaborar” da Universidade Lusófona, que decorreu no dia 20 de novembro de 2012, no Auditório Agostinho da Silva. Com o intuito de recrutar voluntários para o PNEP, fez-se uma breve apresentação de 30 minutos do programa “Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA”, durante a qual se descreveram, em traços gerais, a missão e os objetivos da Fundação e se explicou o âmbito de implementação do referido programa junto das escolas. Estiveram presentes 24

85


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 alunos, tendo, desta iniciativa, resultado a inscrição de seis voluntários que fizeram a formação pedagógica no dia 12 de dezembro de 2012, na sede da Fundação. Reuniões com instituições parceiras Realização de reuniões da equipa da delegação/CAOJ Lisboa com as Escolas parceiras no Projeto de Educação pelos Pares, para programação das atividades para o 2º e 3º Períodos do ano letivo 2011/2012 e para organização do ano letivo 2012/2013. Realização de reuniões com os Diretores dos Centros Educativos Navarro Paiva e Padre António de Oliveira, com o objetivo de organizar a implementação do Projeto “Conhecer a Sida, Decidir pela Vida”, com os jovens institucionalizados (Setembro). Realização de uma reunião com o Grupo MOVE-TE da Associação de Estudantes de Medicina (Setembro). Realização de reuniões com a Associação de Estudantes de Medicina da Universidade de Lisboa, com o objetivo de organizar a Formação Científica que teve lugar em novembro. Participação em reuniões do Fórum Nacional da Sociedade Civil para o VIH/SIDA na Direção Geral de Saúde. Participação na 6ª Sessão Plenária do Grupo Comunitário da Alta de Lisboa para tomar conhecimento do dinamismo local e do seu trabalho em rede (Julho). Participação numa reunião para constituição da Federação de IPSS da Saúde (Outubro). Participação na Reunião de Preparação para a participação das diversas entidades na Fórum da Rede Social 2012 (Outubro). Participação na sessão de apresentação pública do Relatório das Nações Unidas, na Sala do Senado da Assembleia da República (Novembro). Realização de três reuniões com a Universidade Sénior, a fim de organizar a implementação do Projeto “Sexualidades” (Outubro e Novembro). Realização de três reuniões com Junta de Freguesia da Ajuda, a fim de organizar a intervenção programada no âmbito da comemoração do dia 1 de dezembro, Dia Mundial Contra a SIDA, com a Casa da Cultura. Nessa intervenção pretendeu-se sensibilizar para a prevenção da infeção VIH/SIDA e para a discriminação das pessoas seropositivas (Outubro e Novembro). Participação na sessão plenária da Comissão Social de Freguesia de Santos-o-Velho, com o objetivo de assistir à apresentação da intervenção de arte-terapia com idosos e à avaliação do plano de ação 2012 (Dezembro).

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto

86


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Festa de Natal A Festa de Natal “Lanche dos Afetos” do Projeto “Crianças, filhas de mães seropositivas” realizou-se no dia 15 de dezembro (sábado, pelas 15h30m) na Escola Básica Manoel de Oliveira, Aldoar, Matosinhos. Teve como finalidade proporcionar convívio e partilha de experiências às famílias que vivem com VIH/SIDA, bem como a entrega de roupas, brinquedos e material didático. Participaram crianças, jovens e famílias seropositivas ao VIH/SIDA dos Hospitais Maria Pia e S. João do Porto, num total de 80 pessoas. A equipa da delegação/CAOJ Porto realizou a organização do evento e angariou patrocínios para as prendas das crianças e jovens. A animação foi desenvolvida pelas voluntárias e estagiárias da delegação/CAOJ e por uma das família que fez acompanhamento/animação musical e Karaoke.

Ações de Voluntariado Foram realizados dois peditórios, em dias distintos, um no dia 20 de Outubro, iniciativa da Câmara Municipal do Porto, intitulada “Liga-te ao Porto, Sê Solidário”, na Baixa da cidade (Rua de Santa Catarina). O outro, no dia 1 de Dezembro, no Shopping Center Parque Nascente (Rio Tinto, Porto). Neles participaram a Dra. Laura Aguiar, a Dra. Raquel Oliveira, a Dra. Maria João Carvalho e a Dra. Tânia Moinhos, juntamente com mais 7 voluntárias. Feira de Voluntariado Organizada pelo Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária, Núcleo do Porto (ISU), na Escola Superior de Educação do Porto. Promoveu-se a divulgação do voluntariado desenvolvido na Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA”, tendo-se recorrido à distribuição de flyers de divulgação do projeto e uma apresentação digital, incluindo a organização de uma banca com diverso material informativo. Feira da Saúde Intitulada «Viver a Foz com Saúde», foi organizada pela Junta de Freguesia da Foz do Douro, na Universidade Católica - Pólo da Foz, no dia 19 de Maio. Para o evento foi concebida uma banca de divulgação das diferentes valências oferecidas pela Fundação, apresentação do Projeto Nacional de Educação pelos Pares (com projeção de um filme realizado no âmbito do projeto (cujos personagens são elementos de uma BEI da Escola Básica 2,3 de Manoel de Oliveira) e foi dada a possibilidade de participação em jogos interativos criados pelos jovens da instituição “CrescerSer”. Celebração do dia Mundial do Voluntário (5 de Dezembro)

87


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A delegação/CAOJ Integrou a iniciativa promovida pelo Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, Matosinhos, para agradecimento do contributo dado pelas instituições parceiras e que são voluntárias. Jantar Solidário, Parceria entre a Fundação e a Confraria do Mar Iniciativa levada a cabo no dia 30 de novembro, em Lavra, Perafita. Pretendeu-se dar a conhecer a Fundação, a sua missão, projetos. Foram dados esclarecimentos a todos os que nos solicitaram durante o jantar e cedidos contatos, flyers, panfletos e brindes. Foram igualmente recolhidos donativos. Eleição dos Voluntários do CAOJ do Porto no ano letivo 2011/2012 Realizou-se durante a Festa de Natal “Lanche dos Afetos”, no dia 15 de Dezembro de 2012, e teve como finalidade proporcionar a partilha de experiências e saberes entre os voluntários e o agradecimento ao trabalho desenvolvido no âmbito do Projeto Nacional de Educação pelos Pares. Foram 4 os vencedores.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra Participação na Rede Social do Concelho de Coimbra A Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” é membro da Rede Social do Concelho de Coimbra e tem assento no Conselho Local de Ação Social (CLAS). No âmbito do 1º Plano de Desenvolvimento Social 2010-2013, a delegação/CAOJ Coimbra participou em reuniões plenárias, bem como de planificação e implementação do Plano de Ação 2012, dos eixos Saúde e Crianças e Jovens. Relativamente ao eixo de intervenção Saúde, a delegação/CAOJ de Coimbra foi responsável pela dinamização da ação 1, do Projeto ”VIH/SIDA - Prevenção Junto da Comunidade Escolar”, destinado a jovens a frequentar o 9º ano de escolaridade em escolas do Concelho de Coimbra. Participou ainda, como entidade parceira no projeto de prevenção de comportamentos de risco na Queima das Fitas da Universidade de Coimbra “Há Noites Assim” e na Semana de Luta Contra a Sida promovida pela Rede Social do Concelho de Coimbra. No âmbito do eixo de intervenção Crianças e Jovens, a delegação/CAOJ dinamizou uma oficina sobre Sexualidade e Prevenção de comportamentos de risco no II Encontro de Crianças e Jovens do Município de Coimbra que se concretizou no dia 5 de dezembro de 2012, no Agrupamento de Escolas Rainha Santa Isabel Nesta oficina participaram 12 crianças a frequentar o 6º ano de escolaridade. Reuniões com instituições parceiras

88


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A delegação/CAOJ participou em diversas reuniões com instituições parceiras, no âmbito dos acordos de colaboração estabelecidos: - Reunião com a direção do Centro Educativo dos Olivais da DGRS, em 8 outubro e 30 de novembro para desenho e planificação do projeto em 2012; - Reunião no Estabelecimento Prisional de Coimbra, em 15 de outubro, com a Assistente Social para preparar a intervenção num grupo de reclusos; - Reunião no Hospital Pediátrico com a equipa do projeto “A Brincar também se aprende”, para delinear as atividades a desenvolver pela Fundação, em 23 de novembro; - Reunião com a Direção da Escola Secundária Infanta D. Maria, para implementação do Projeto de Educação Sexual na Escola, em 8 de outubro; - Reuniões com a direção das escolas e coordenadoras de educação para a saúde envolvidas no Projeto Nacional de Educação pelos Pares, para preparar o desenvolvimento do projeto no ano letivo de 2012/2013 (EB 2,3 Martim de Freitas, dia 21 de setembro; EB 2,3 Rainha Santa Isabel, dia 20 de setembro; Escola Secundária Jaime Cortesão e EB2,3 Silva Gaio, dia 8 de outubro; Escola Secundária José Falcão;

Outras atividades -Organização dos encontros intrafamiliares do Projeto “Crianças, Filas, de mães seropositivas do Hospital Pediátrico do Coimbra. - Participação na Festa de Natal do Centro Educativo dos Olivais da Direção Geral de Reinserção Social. - Organização de um convívio de basquetebol na Escola EB 2,3 Rainha Santa Isabel, no dia 12 de Março de 2012, com a participação de atletas de competição, designadamente o jogador internacional Marco Gonçalves da Académica de Coimbra. A iniciativa foi desenvolvida com a turma D do 7º ano, pelo grupo de estágio e voluntários da delegação/CAOJ, do Projeto de Educação pelos Pares.

89


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Página Web da Fundação A manutenção e gestão da página web da Fundação - www.fpccsida.org.pt

foi da

responsabilidade do professor Fernando M. Marques da delegação/CAOJ de Coimbra.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal Reuniões com instituições parceiras

Reunião na Câmara Municipal de Palmela, no dia 7 de Fevereiro de 2012, para divulgação dos projetos da Fundação. Reunião na Câmara Municipal de Setúbal, no âmbito da produção de materiais informativos em Romeno, para o projeto VIDA SEGURA, no dia 23 de novembro de 2012; Reuniões do CLAS a 30 de março e 26 de outubro de 2012;

Outras atividades

Participação na inauguração da creche/Jardim de Infância “Voar Mais Alto”, da Associação Batista Shalom, no dia 1 de junho de 2012. Participação na apresentação do novo Diretor do Fórum Luísa Todi, nos Paços do Concelho de Setúbal, em 9 de Julho de 2012. Reunião no Novotel de Setúbal, com o objetivo de promover uma parceria sociocultural, no dia 17 de dezembro de 2012.

Delegação da Madeira Projetos desenvolvidos Projeto “A Brincar a Brincar… Aprende-se” Projeto de promoção de estilos de vida saudáveis, desenvolvido durante as férias de Verão

90


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 (julho e agosto) Público-alvo

Crianças e jovens dos 6 aos 14 anos residentes em St. Amaro. - Promover competências de comunicação; - Desenvolver na criança a autoconfiança, de forma a interagir positivamente com o meio; - Fomentar a autoestima, valorizando os seus comportamentos mais assertivos e adequados; Objetivos - Desenvolver na criança a capacidade para se exprimir revelando pensamentos, sentimentos e ações adequadas a diferentes contextos sociais; - Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos; - Criar um trabalho de grupo a partir de dinâmicas e jogos dramáticos explorados no projeto. Nº de crianças e jovens: 18 Nº de Sessões: 28 Nº de Horas: 84

Projeto: “Menino ou Menina?” Este projeto de promoção de estilos de vida saudáveis consiste na realização de atividades lúdico-pedagógicas durante os meses de julho, agosto e setembro. Crianças dos 5 aos 12 anos que frequentam o complexo Balnear da Ponta Gorda Complexo Balnear da Ponta Gorda e Centro Comunitário Music@arte – Local de realização Santo Amaro - Alertar para situações de risco ao nível da saúde; Objetivos - Esclarecer as crianças sobre as diferenças de género; - Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos; - Contribuir para melhoria do comportamento do público-alvo na utilização do espaço balnear. Parcerias Empresa Frente Mar N.º de formandos: 60 N.º de Sessões: 10 N.º de Horas: 20 Público-alvo

Dia Internacional da Mulher

91


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A Delegação da Madeira da Fundação Portuguesa "A Comunidade Contra a SIDA" realizou um convívio para assinalar o Dia 8 de Março Dia Internacional da Mulher.

9. ATIVIDADE CIENTÍFICA Comunicações e publicações em conferências, jornadas, congressos, seminários e outras reuniões científicas DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa Comunicações orais Chagas, I. (2012). A Importância do Voluntariado no Projeto Nacional de Educação pelos Pares. Comunicação apresentada em novembro, no II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual, realizado em Araraquara, Brasil. Posters Aguiar, F; Bettencourt, G.; Costa, P.; Delgado, V.; Fonseca, G.; Mateus, M.; Chagas, I. (2012). Projeto Nacional de Educação pelos Pares com Jovens Institucionalizados. Poster apresentado em novembro, no II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual em Araraquara, Brasil. Artigos

92


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Aguiar, F; Bettencourt, G.; Costa, P.; Delgado, V.; Fonseca, G.; Mateus, M.; Chagas, I. (2012). A Importância do Voluntariado no Projeto Nacional de Educação pelos Pares. II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual em Araraquara, Brasil (aguarda publicação).

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto Comunicações orais - “Livre de riscos”: Projeto de Prevenção em meio Prisional. Comunicação oral realizada no 1º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos Portugueses, dia 20 de abril, em Lisboa. - Apresentação do Projeto “Educação pelos Pares: Sexualidade e Prevenção do VIH/Sida”, no 1º Encontro Nacional de Voluntários em Meio Prisional. - Conferência nas I Jornadas de Promoção e Educação para a Saúde, realizadas no Instituto Politécnico de Viana do Castelo, dia 9 de novembro de 2012, intitulada “Resultados do Projeto Nacional de Educação pelos Pares da Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida” – Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens do Porto”. - Conferência na ACCESS Conference ”Drug users in custody: learning the lessons”, realizada em Milão, Itália, no dia 5 de Outubro de 2012, intitulada “Prevention of Drug use In a Women´s Prison”. Posters

- Apresentação de Poster no II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual, realizado em Araraquara, Brasil, nos dias 15 a 17 de Novembro de 2012. O poster intitulou-se “Avaliação do Projeto Nacional de Educação Pelos Pares (PNEP) do Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens do Porto (CAOJ) - A Perspetiva das Professoras Acompanhantes do PNEP”. - Apresentação de Poster no XI Congresso Nacional de Doenças Infeciosas e Microbiologia Clínica & IX Congresso Nacional sobre Sida, decorrido no Hotel Sheraton, no Porto, nos dias 12 a 15 de dezembro de 2012. O poster intitulou-se “Prevenção do VIH/Sida no Estabelecimento Prisional Especial de Santa Cruz do Bispo”. Workshops - Realização de uma Workshop sobre o VIH/SIDA, na Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis, dia 25 de Outubro, organizado pela ANEM (Associação Nacional de Estudantes de Medicina). - Realização de uma Workshop sobre “Educação para a Saúde nas escolas” no Congresso de Humanização dos Cuidados de Saúde, dia 18 de Novembro, nas instalações do ICBAS e organizado pela ANEM.

93


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Entrevistas - Entrevista com a Dra. Filomena Frazão de Aguiar na Revista Dica da Semana, na semana que antecedeu o dia mundial de luta contra a SIDA.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra Comunicações orais Frazão de Aguiar, F.; Folhas, D.; Portugal, S. (2012). O Projeto Nacional de Educação pelos Pares na promoção da educação em sexualidade. Reflexões e debates sobre as práticas educativas na promoção da saúde sexual. Comunicação apresentada na I Conferência Online de Educação Sexual, organizada pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa e em parceria com UNESP, UDESC, GSEX, GeiSexT e EDUSEX nos dias 2, 3 e 4 de Maio. Folhas, D.; Portugal, S.; Alegre, A. (2012). Prevenir em Educação Sexual - as infeções e comportamentos de risco. Comunicação oral apresentada no Seminário Construindo um caminho… comportamentos de risco, motivos, efeitos e prevenção, organizado pela CARITAS Diocesana de Coimbra em parceria com a Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, no dia 8 de Fevereiro, na Pampilhosa da Serra. [Comunicação a convite da CARITAS Diocesana de Coimbra]. Marques, F.; Vilaça, P. (2012). Educação em Sexualidade e Prevenção de Comportamentos de Risco - O CAOJ da FPCCSIDA, comunicação apresentada, a convite, no Painel “Como prevenir em Educação Sexual?” integrado nas Jornadas Temáticas “Construindo um Caminho… Comportamentos de Risco. Motivos, efeitos e Prevenção”, organizadas pela Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere, Cáritas Diocesana de Coimbra e Agrupamento de Escolas Pedro Ferreira, realizadas no dia 10 de Março de 2012. Marques, F.; Neves, L. (2012). “O Projeto Nacional de Educação pelos Pares da FPCCSIDA – a intervenção do CAOJ de Coimbra”. Comunicação apresentada no III Seminário de Educação pelos Pares, organizado pela Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Coimbra, que decorreu nos dias 12 e 13 de Abril. A delegação/CAOJ de Coimbra participou no painel "Partilha de experiências no âmbito da Educação pelos Pares", que decorreu no dia 13 de Abril. Este ano, o Seminário centrou-se no tema "Crescer e envelhecer saudável", integrando-se assim nas comemorações do Dia Mundial da Saúde.

94


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Fernando M. Marques e Laura Neves [Estagiária do CAOJ de Coimbra]

Marques, F. (2012). A Educação Sexual e as Questões de Género, comunicação apresentada, a convite, na I Conferência Online de Educação Sexual - I COES, que decorreu nos dias 2, 3 e 4 de Maio de 2012, organizada pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa em parceria com a UNESP, UDESC, GSEX, GeiSexT e EDUSEX. Teixeira, F. (2012). A formação de Professores/as e a Educação Sexual na Escola. Palestra apresentada, a convite, na I Conferência Online de Educação Sexual - I COES, que decorreu nos dias 2, 3 e 4 de Maio de 2012, organizada pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa em parceria organizada pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa em parceria com a UNESP, UDESC, GSEX, GeiSexT e EDUSEX. Aguiar, F.; Folhas.; Portugal.(2012). O Projeto Nacional de Educação pelos Pares na Promoção da Educação em Sexualidade. Reflexões e Debates sobre as Práticas Educativas na Promoção da Saúde Sexual . Comunicação apresentada, a convite, na I Conferência Online de Educação Sexual –I COES, que decorreu nos dias 2,3,e 4 de Maio de 2012,m organizada pelo Instituto de Edcação da Universidade de Lisboa em parceria com a UNESP, GSEX, GeiSex e EDUSEX.

Posters Frazão de Aguiar, F.; Marques, Fernando M.; Folhas, D.; Portugal. S.; Vilaça, P.; Alegre, A.; Teixeira, F. (2012). Crenças e Atitudes sobre o VIH/SIDA em Jovens Adolescentes. Poster apresentado no II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual, realizado em Araraquara, Brasil, nos dias 15 a 17 de Novembro de 2012.

95


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

Publicações Teixeira, F. ; Marques F. M. (2012). A Educação em Sexualidade e os media. Revista ELO, 19, 15-21 (ISBN:97296465). Rabello, S.; Caldeira, A. M.; Teixeira, F. (2012). Os artefactos dos média na educação em sexualidade. Revista Exedra, 6, 71-79 (ISSN: 1646-9526). Participação na organização de Congressos, Jornadas, Cursos e Seminários A equipa da delegação/CAOJ de Coimbra participou na Conferência Online de Educação Sexual – I COES, e a sua coordenadora, Filomena Teixeira, integrou a Comissão Científica da mesma que decorreu nos dias 2, 3 e 4 de Maio de 2012, organizada pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa em parceria com a UNESP, UDESC, GSEX, GeiSexT e EDUSEX.

96


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A delegação/CAOJ de Coimbra foi convidado para ser Membro da Comissão Organizadora e da Comissão Científica do II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual: Pesquisas, intervenções e direitos, a realizar de 15 a 18 de Novembro de 2012, na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara, Estado de S. Paulo, Brasil. Participação em Projetos de Investigação A Coordenadora da delegação/CAOJ Coimbra, Professora Doutora Filomena Teixeira, é membro efetivo do Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF) da Universidade de Aveiro, onde é responsável pelo projeto de Investigação "Sexualidade e género no discurso dos media: implicações sócio educacionais e desenvolvimento de uma alternativa na formação de professores(as)", em curso desde 2008. Neste projeto participam outros elementos da delegação/CAOJ de Coimbra. Dinamização de Seminários Folhas, D. (2012). “Sexualidade e género nos Morangos com Açúcar”. Seminário dinamizado no âmbito da unidade curricular Sexualidade, Saúde, Cultura e Media do mestrado em Educação para a Saúde, da Escola Superior de Educação de Coimbra, organizado pela Profª. Doutora Filomena Teixeira, no dia 16 de Março. Marques, F. M. (2012). “Sexualidade e género na publicidade”. Seminário dinamizado no âmbito da unidade curricular Sexualidade, Saúde, Cultura e Media do mestrado em Educação para a Saúde, da ESEC, organizado pela Profª. Doutora Filomena Teixeira no dia 3 de Março. Portugal, S. (2012). “Estereótipos de género no videojogo The Sims 3”. Seminário dinamizado no âmbito da unidade curricular Sexualidade, Saúde, Cultura e Media do mestrado em Educação para a Saúde, da ESEC, organizado pela Profª. Doutora Filomena Teixeira, no dia 10 de Março. Conceção e realização de Oficina de Formação de Professores A Delegação de Coimbra foi responsável pelo desenho da Oficina de formação de professores/as “Sexualidade e género nos media: desafios éticos e educacionais”, com a duração de 50h, creditada pelo Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua por um período de 3 anos. Esta oficina foi desenhada no âmbito do Projeto de investigação Sexualidade e género no discurso dos media, promovida pela Universidade de Aveiro/CIDTFF e UINFOC. A sua primeira edição realizou-se na ESEC, de 30 de Novembro de 2011 a 30 de Janeiro de 2012. Os docentes da delegação/CAOJ Mestre Fernando M. Marques, Mestre Dulce Folhas e Mestre Sílvia Portugal integraram a equipa de formação como formadores acreditados.

97


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal

Poster Apresentação do Poster do Projeto Vida Segura, na Cimeira do Doente, organizada pela Abbott em Lisboa, nos dias 26 e 27 de outubro de 2012

10. ACOMPANHAMENTO E SUPERVISÃO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto

Psicologia Clínica e Psicologia da Educação – Universidade Lusíada Foi dada continuidade ao protocolo com a Universidade Lusíada no que concerne a estágios curriculares de Psicologia. Durante o 1º semestre estava estabelecido o estágio da aluna Susete Vilela, de Psicologia da Educação, com duração total de 1120 horas, que foi dispensada após 3 meses de estágio por dificuldade no cumprimento das tarefas solicitadas. Para o ano letivo 2012/2013 foi renovado protocolo com a Universidade Lusíada e foi dado início ao estágio curricular de Psicologia Clínica, com duração total de 900 horas, das alunas Mónica Silva, Filipa Mendes e Maria Elisa Gonçalves.

98


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Psicologia da Justiça e Psicologia Clínica e da Saúde – Instituto Superior da Maia Para o mesmo ano letivo foi realizado protocolo com o Instituto Superior da Maia para estágio curricular em Psicologia da Justiça da aluna Joana Martins e para estágio curricular em Psicologia Clínica e da Saúde da aluna Margarida Coutinho. Ambos os estágios têm a duração mínima de 250 horas.

Todas as estagiárias supracitadas integraram as BUI no Projeto Nacional de Educação pelos Pares, em escolas e Instituições do Porto e colaboraram na elaboração de material pedagógico. Estes estágios foram supervisionados pela Dra. Raquel Oliveira, Psicóloga da Delegação da Região Norte da Fundação.

Marketing – Instituto Politécnico de Administração e Marketing

Pela primeira vez, foi estabelecido protocolo com o Instituto Politécnico de Administração e Marketing (IPAM) de Matosinhos. Durante 3 meses, entre 1 de março e 1 de junho, fez estágio na Delegação a aluna Laura Costa do curso de Marketing, com o objetivo de divulgar e projetar a Fundação, estabelecer novas parcerias e repensar as existentes, promover eventos e realizar a gestão da comunicação. Este estágio foi supervisionado pela Dra. Laura Aguiar e Dra. Tânia Moinhos, docentes da delegação/CAOJ do Porto.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra Animação Socioeducativa – Escola Superior de Educação de Coimbra No ano letivo de 2011/2012, quatro estudantes do 3º ano da Licenciatura em Animação Socioeducativa da Escola Superior de Educação de Coimbra realizaram o Estágio Curricular no Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens de Coimbra, sob Supervisão da Coordenadora da delegação/CAOJ, e acompanhamento das docentes do CAOJ, tendo desenvolvido os seguintes projetos: - Marina Domingues – “Mais vale uma atitude correta do que uma vida limitada” - Cláudia Ferreira – “Educar comportamentos… melhorar atitudes” - Laura Neves – “Manda embora a SIDA… protege a tua vida! - Diogo Pinho – “De pequenino é que se torce o pepino” No âmbito destes projetos de estágio foram produzidos diversos jogos e materiais pedagógicos: - Maleta pedagógica digital [CD-ROM] - Jogo “Porquê tanta diferença” [puzzle]

99


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 - Atividade “Pássaro dos sentimentos”

No ano letivo de 2012/2013, o aluno Rafael Martins do 3º ano da Licenciatura em Animação Socioeducativa da ESEC realiza o seu estágio curricular na delegação/CAOJ sob Supervisão da Coordenadora da delegação/CAOJ de Coimbra e docente destacado.

11. ASSISTÊNCIA PSICOLÓGICA, SOCIAL E ÉTICO-JURÍDICA DELEGAÇÕES/ CAOJ Atendimento Presencial Continua a ser um dos objetivos do Núcleo de Aconselhamento do CAOJ constituir-se como um centro integrado de intervenção junto das necessidades dos jovens de Lisboa, Porto, Coimbra, Setúbal e da Madeira, onde a FPCCSIDA têm as suas delegações. Na sequência do trabalho desenvolvido nas escolas, verifica-se que os elementos das brigadas se vêm defrontados com situações de risco e de instabilidade psicológica e emocional por parte dos alunos participantes nas suas atividades, para os quais não têm capacidade de resposta. Neste sentido, os alunos são encaminhados para o Núcleo de Apoio e Aconselhamento (NAA) dos diferentes delegações/CAOJ. Quer nas delegações/CAOJ quer na Sede, as psicólogas da Fundação prestaram apoio psicológico e psicoterapêutico a utentes que apresentavam diferentes problemáticas.

100


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Foram acompanhados durante o ano de 2012 um total de 485 famílias (140, na Sede em Lisboa, 120 na delegação da região norte, 125 na delegação da região centro e 100 na delegação do distrito de Setúbal). Foi igualmente prestado apoio jurídico a 209 utentes e seus familiares (67 em Lisboa, 53 no Porto, 42 em Coimbra e 47 em Setúbal). Aos adolescentes e jovens, orientados para a delegação/CAOJ pelos técnicos das Escolas por apresentarem comportamentos disruptivos, dificuldades de relacionamento com adultos e mesmo com os seus pares, foi prestado apoio psicológico individual, na delegação/CAOJ. Foram atendidos 94 em Lisboa (56 rapazes e 38 raparigas); 115 no Porto (70 rapazes e 45 raparigas); em Coimbra, 53 (30 rapazes e 23 raparigas) e em Setúbal 97 (60 rapazes e 37 raparigas), com idades entre os 6 e os 18 anos, tendo-se constatado terem familiares próximos com historial de toxicodependência. No caso dos adultos com idades entre os 20 e os 80 anos, foram atendidos em Lisboa, 45 utentes (25 do sexo feminino e 20 do sexo masculino), 35 no Porto (20 do sexo feminino e 15 do sexo masculino), 71 em Coimbra (59 do sexo feminino e 12 do sexo masculino) e 30 em Setúbal (20 do sexo feminino e 10 do sexo masculino). A 145 utentes não infetados pelo VIH/Sida, mas afetados, foi prestado apoio psicológico, com a duração média de 25 sessões por utente (40 em Lisboa, 56 no Porto, 25 em Coimbra e 24 em Setúbal). A 80 dos utentes foi prestado Aconselhamento, 25 consultas pré teste e 15 pós teste.

Aconselhamento e Orientação via telefónica Registaram-se 607 aconselhamentos, a utentes entre os 18 e os 80 anos, com uma prevalência maior de indivíduos do sexo masculino. Na maioria dos aconselhamentos, os utentes procuravam informação sobre as vias de transmissão do VIH, quais os sintomas e a possibilidade de estarem infetados, bem como, algumas explicações relativamente a resultados dos testes.

12. CANDIDATURAS A FINANCIAMENTO DE NOVOS PROJECTOS Delegações da Região Norte, Lisboa e Setúbal Projeto MIMA – Missão Sorriso 1. Enquadramento Em Portugal, a transmissão da infeção VIH/SIDA na criança surge exclusivamente pela via mãe - filho, isto é, pela transmissão vertical. A actualização de conhecimentos nesta área e um conjunto de políticas neste sentido permitiu reduzir drasticamente a probabilidade de infeção através desta via, se existirem os procedimentos adequados durante a gravidez, parto e aleitamento. No entanto, para as crianças que vivem com esta infeção é necessário manter uma boa adesão à terapêutica anti-retrovírica e o mesmo se verifica para as mães. Como em qualquer doença crónica, manter uma boa adesão à terapêutica é algo complexo. O Projeto MIMA surgiu após várias reuniões realizadas com alguns técnicos de saúde dos Hospitais, onde

101


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 salientavam a necessidade de acompanhamento psicológico e promoção da adesão à terapêutica antiretrovírica nas crianças e famílias que vivem com VIH/SIDA. Muitas vezes esta dificuldade na adesão aos tratamentos sente-se nas crianças, mas trabalhar com os pais revela-se fundamental. A realidade varia entre pais que assumem a adesão à terapêutica nos filhos de forma muito consistente, todavia, com eles próprios não o fazem; por outro lado, existem pais em que a culpa da transmissão vertical, e os efeitos secundários da terapêutica anti-retrovírica (TARV) dificultam o assegurar das tomas constantes de medicação. Deste modo, a promoção da adesão à TARV tem como objetivo evitar o aparecimento de resistências víricas. A par destes aspetos médicos, pretende-se proporcionar experiências que potenciem o bem-estar destas crianças, através da realização dos campos de férias e festa de natal. O estigma na criança seropositiva ainda está muito presente, quer no âmbito escolar, quer na comunidade ou na sociedade geral. É fundamental que a criança se sinta apoiada e integrada socialmente. As adversidades enfrentadas pela criança, neste caso, são, ainda hoje causa de exclusão social, impossibilitando a sua integração no processo educacional, sugerindo-se a necessidade de uma intervenção psicopedagógica e clínica eficazes, bem como a intervenção nos contextos escola e comunidade. 2. Objetivos - Promover a aceitação do VIH/SIDA; - Aumentar as interações positivas entre crianças/adolescentes/pais/familiares; - Identificar determinantes de não adesão à terapêutica anti-retroviral (TARV) e às consultas, e promover a adesão ao tratamento nos destinatários do projeto;

3. Público-alvo/beneficiários O Projeto MIMA destina-se a crianças e adolescentes: - 35 são seguidos no Serviço de Pediatria Médica do Hospital de S. João, na maioria do sexo feminino; alguns provêm de famílias monoparentais, outros são adotados. É de salientar maiores dificuldades na adesão à terapêutica no caso de crianças que moram com os pais biológicos; - 38 crianças e adolescentes seguidas no Serviço de Pediatria Médica do Centro Hospitalar do Porto (crianças e adolescentes do antigo Hospital Maria Pia); 4. Descrição sumária O projeto MIMA pretende dar resposta à dificuldade dos Hospitais em proporcionarem acompanhamento psicológico, face ao número escasso de técnicos para um número elevado de doentes , a fim de serem trabalhadas as questões da aceitação da doença e adesão à terapêutica anti-retrovírica em crianças/adolescentes e pais que vivem com a infeção VIH/SIDA. O MIMA pretende ainda proporcionar outros momentos a estas crianças e adolescentes, afastados das rotinas hospitalares, aumentando o convívio

102


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 e partilha de experiências entre estas famílias, visto que a ligação aos outros é um factor de resiliência em qualquer condição. 5. Equipa Técnica - Coordenadora: execução de relatórios do projeto e monitorização ao mesmo; reunião com os parceiros e coordenação dos elementos da equipa técnica; - Psicóloga: implementação das atividades do projeto. 6. Resultados Esperados - Resposta, através do acompanhamento psicológico, a todos os pedidos realizados, quer por parte dos médicos, quer por parte da população-alvo; - Aumentar a aceitação da infeção pelo VIH/SIDA, em todos os destinatários do projeto; - Aumento da adesão à TARV, após a educação para o tratamento, através da realização de grupos psicoterapêuticos, em pelo menos 90% dos destinatários do projeto; - Participação de, pelo menos 90% das crianças e adolescentes alvo do projeto, em atividades como o encontro inter-familias (festa de Natal) e campo de férias. 7. Estratégias de Avaliação - Serão utilizados instrumentos de auto-resposta para medir a aceitação, Questionário de adesão à TARV (traduzido e adaptado de questionário do ACTG) e serão realizadas entrevistas semiestruturadas para avaliar as interações no núcleo familiar. 8. Considerações Éticas Sempre que forem utilizados instrumentos de auto-resposta, será passado um consentimento informado, será assegurada confidencialidade dos dados obtidos, os quais terão unicamente valor coletivo e poderão dar alguns indicadores para se potenciar a intervenção psicológica. O flashmob será realizado com máscaras para que as pessoas não sejam identificadas, além de que neste participarão técnicos e outras pessoas que integraram o projeto e Voluntários da FPCCSIDA, para não surgirem questões ligadas à discriminação.

Projeto + VIDA Candidatura à EDP Solidária 2012 [Candidatura elaborada pela Delegação da Região Norte e de Lisboa] 1. Problema(s) Identificado(s) Um dos problemas nucleares após uma situação de reclusão é a reintegração social dos ex-reclusos. Este problema preocupa quer os agentes atuantes em contexto prisional, quer a sociedade em geral. Grande percentagem de reclusos provém de meios socialmente desfavorecidos, com realidades como a toxicodependência, desemprego, presença de minorias étnicas, "sem abrigo", desfavorecidos social e

103


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 economicamente, trabalhadores do sexo, situações de violência doméstica, etc. Além disso, estas pessoas após cumprimento da pena são alvo de exclusão social pela acumulação de estigmas: ex-recluso e, por vezes, diferente etnia, presença de perturbação mental e seropositividade ao VIH/SIDA. Face a esta realidade, afigura-se de extrema importância uma resposta com base na inclusão social, no aumento de competências pessoais e sociais e capacidades empreendedoras. No que respeita à qualidade de vida dos reclusos, a literatura aponta que maior oferta de trabalho e ocupação seria um fator fundamental para a promoção da qualidade de vida (Picanço, 2000). Por isso, com base nos dez anos de experiência da FPCCSIDA em Projetos de promoção de competências interpessoais, pretende-se aplicar um Programa de Projeto de Vida através do aumento de competências. Da informação recolhida com a Direção e os Serviços Clínicos dos Estabelecimentos Prisionais, os reclusos possuem um baixo nível de competências pessoais, sociais e profissionais, o que justifica intervenção ao nível da promoção de competências que permitam melhor inclusão social, qualidade de vida e capacidades empreendedoras após conclusão da pena. A nível da saúde, 26% dos reclusos tem acompanhamento psicológico/psiquiátrico, 32% padece de doenças infecto-contagiosas e cerca de 25% não tem qualquer apoio do exterior (situações que validam a pertinência do Projeto). O Projeto + VIDA prevê ainda a redução de comportamentos de risco (especialmente a diminuição de taxas de infeção VIH/SIDA) pelo aumento da informação e promoção de competências pessoais e sociais que vão no sentido de melhorar a qualidade de vida e a inclusão social. Para atingir os objetivos supracitados o Projeto utilizará os seguintes métodos e estratégias (ou desenvolverá as seguintes ações): - Realização de 10 sessões (in)formativas, destinadas no máximo a 10 reclusos do regime comum sobre competências de relacionamento interpessoal, gestão das emoções, prevenção do VIH/SIDA, hepatites víricas e tuberculose; - Distribuição de Preservativos e Lubrificantes em locais de acesso fácil e discreto; - Consulta psicológica a Reclusos e apoio jurídico (durante a permanência no EP e após término de pena); - Aplicação do PROGRAMA - Projetos de Vida: apoio individual na definição de objetivos e estratégias necessárias e propícias à Reinserção dos Reclusos na Sociedade (ex. conseguir trabalho, tratar documentação, contactar com equipamentos sociais que resolvam questões sociais, burocráticas, encaminhamento para os Serviços de Saúde Adequados, etc.); este apoio inicia-se 3 meses antes do fim da pena e tem continuidade até 6 meses após o término da pena; - Realização de sessões de aconselhamento com os reclusos que fazem visitas íntimas promovendo a adesão ao preservativo e prevenção da violência doméstica. - Elaboração de material pedagógico com os reclusos, para disseminação da informação na prisão, adequado em termos de língua, cultura e setting prisional.

104


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 - Realização de grupos terapêuticos para promoção de adesão ao tratamento antirretrovírico, com o intuito de melhorar a qualidade de vida; - Realização do Leilão do Empreendedorismo – serão desenhados/construídos vestidos com preservativos e leiloados. As receitas reverterão para o projeto; - Ateliês de teatro, escultura, pintura, música, dança, moda/design – empreendedorismo pela arte, para que os reclusos possam, durante o tempo de reclusão, experimentar áreas onde se sintam bemsucedidos; - Elaboração e Construção do Roteiro para a Vida para entregar aos reclusos antes da sua saída, e que fornecerá informação sobre Serviços de Saúde, Associações de Apoio e Organismos Públicos Relevantes, etc; - Realização de parcerias para aumentar o número de postos de trabalho para os ex-reclusos. 2. População-alvo - Reclusos, pessoas em risco de exclusão social, 2795 pessoas. 3. Área Geográfica do Projeto Concelho de Lisboa e Concelho do Porto 4. Soluções propostas para os problemas identificados. Breve descrição do projeto: De forma a minimizar o risco de exclusão social nos grupos-alvo, iremos desenvolver um programa de redução de riscos após a reclusão (que serão iniciadas em tempo útil, ainda durante o cumprimento da pena) - Programa PROJECTO DE VIDA. Para tal seguiremos as diretrizes defendidas no Programa de Integração Comunitária de Reidy, em que nos focaremos nas seguintes linhas de ação: a) promoção das ligações dos membros da equipa à comunidade que envolve o recluso; b) envolvimento de pessoas/e ou outros profissionais que estejam estrategicamente ligados à comunidade; c) conhecimento aprofundado das necessidades do ex-recluso em processo de integração; d) conhecimento das dificuldades específicas associadas ao contexto vivencial do ex-recluso; e) atenção a questões como necessidade de atualização dos documentos de identificação e transporte; f) acompanhamento das situações ao longo do tempo; trabalho ativo na retaguarda, isto é, não ser a figura que protagoniza a resolução das situações-problema. Para melhorar a qualidade de vida dos reclusos, tentaremos aumentar o insight para a prevenção de comportamentos de risco, aumentar a adesão à terapêutica antiretrovírica. O projeto tem ainda o objetivo de promover a sua ocupação na prisão, através da dinamização de ateliês, que simultaneamente irão aumentar as capacidades empreendedoras. Pretendemos ainda, promover competências pessoais e sociais, para que após saída da prisão, estas pessoas estejam dotadas de competências para a vida, fundamentais para ter uma boa prestação numa entrevista de emprego, para consolidar relações interpessoais, aumentado o apoio social, que pode ser um fator protetor para comportamentos de risco e recidiva.

105


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 O Projeto + VIDA tem o intuito de realizar parcerias com Empresas, as quais atribuem trabalho aos ex-reclusos, sempre com a supervisão da equipa Técnica do Projeto, assim como a própria Fundação que irá conceder-lhes estágios. 5. Resultados Previstos. Descrição dos resultados que esperam alcançar com o projeto. - Melhoria da qualidade de vida nos reclusos, essencialmente no domínio físico, das relações sociais, psicológico, e na preparação da independência; - Promoção da inclusão social, através da preparação para a saída da EP; - Aumento de competências pessoais e sociais nos reclusos; - % de reclusos que beneficiaram de apoio psicológico e jurídico; - Aumento do empreendedorismo; - Produção e distribuição cerca de 2500 exemplares do Roteiro para a Vida (inclui os 5 EP); - Pelo menos 80% dos reclusos conhecem as formas de prevenção da infeção VIH, outras IST e hepatites víricas; - Aumento da adesão à Terapêutica antiretrovírica nos reclusos infetados pelo VIH/SIDA; - Resposta das empresas parceiras à atividade desenvolvida pelos reclusos. 6. Monitorização / Avaliação do Projeto - Questionário WHOQOL, para avaliação da qualidade de vida antes e após a intervenção; - Nº de postos de trabalho concedidos pelas empresas parceiras, nº de sessões realizadas no projeto de vida, questionário de satisfação da empresa perante o trabalho desenvolvido pelo ex-recluso; - Feedback dos Técnicos e Guardas prisionais das atitudes e comportamentos dos reclusos; - Nº de sessões realizadas, registos estatísticos - Nº de reclusos que apresentaram um projeto de vida, integração no mercado de trabalho, ocupações após cumprimento de pena; - Roteiro para a vida; - Questionários para os reclusos, realizado com imagens para integrar as respostas de reclusos analfabetos e evolução positiva nas atitudes face ao comportamento e norma subjetiva, crenças (comportamentais e normativas) e comportamentos dos reclusos evidenciados do pré para o pós-teste; - Nº de reclusos que passaram a aderir à Terapêutica, dados estatísticos. 7. Outros parceiros do projeto. Estabelecimento Prisional de Sintra; Estabelecimento Prisional do Linhó; Direção Geral dos Serviços Prisionais; Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo; Estabelecimento Prisional Especial de Santa Cruz do Bispo.

106


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 8. Duração do Projeto - 12 meses.

Projeto Gerações Candidatura ao Prémio Manuel António da Mota (Mota-Engil) 2012 [candidatura da Delegação da Região Norte e Setúbal]

Esta candidatura integra-se na celebração do ano europeu do envelhecimento ativo e da solidariedade entre gerações.

13. FORMAÇÃO CONTÍNUA DE DOCENTES E PSICÓLOGAS DA FUNDAÇÃO Docentes e Psicólogas das Delegações do CAOJ participaram em Congressos, Workshops e outras Ações de Formação consideradas relevantes para o seu desenvolvimento profissional e para a concretização do Plano de Atividades da Fundação.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa - Envelhecimento e a Sexualidade - 14 de março de 2012, na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa. - A Banalização da Sexualidade - 12 de abril de 2012, na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa. - Ação de Sensibilização sobre Voluntariado - 18 de abril de 2012, promovida pela Câmara Municipal de Oeiras. - A Saúde e as pessoas LGBT: identificar a discriminação, promover a igualdade - 14 de setembro de 2012, promovida pela Associação ILGA Portugal (Gabriela Fonseca).

107


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 - Literacia e Discriminação – VIH/SIDA - 17 de outubro de 2012, promovido pela SER+..

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto Durante o ano de 2012, a equipa da delegação/ CAOJ do Porto participou nas seguintes ações de formação e workshops:

- Formação Científica para Voluntários 2012-2013, realizada na Fundação Manuel António da Mota, dia 9 de novembro de 2012. - Seminário Boas Práticas Interinstitucionais, dia 28 de Junho de 2012, realizado no Auditório da Junta de Freguesia de Ramalde, promovido no âmbito da Rede Social do Porto. - Seminário Gestão de Conflitos na sala de aula, da responsabilidade do Dr. Francisco Pintado e promovido pelo Centro de Formação Porto Ocidental, no dia 5 de Julho de 2012. - Frequência do curso Organizar e gerir voluntários numa instituição organizado pela Universidade Católica, no dia 12 de julho de 2012.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra - Seminário sobre A História da Educação Sexual e a Formação da Cultura Sexual Brasileira, orientada pelo Professor Doutor Paulo Rennes Marçal Ribeiro, da Universidade Estadual de S. Paulo, realizada no dia 17 de Julho, na ESEC. Participaram as docentes Dulce Folhas, Sílvia Portugal, Paula Vilaça e Ana Alegre. - Curso de Formação Científica destinada a Voluntários de Intervenção do Projeto Nacional de Educação pelos Pares, organizado pela delegação/CAOJ de Lisboa, na Faculdade de Medicina de Lisboa, em 19 de novembro. Participação da docente Ana Alegre. - Curso sobre WebQda – software de análise qualitativa, com a duração de 8 horas, realizado na Universidade de Aveiro, nos dias 12 e 19 de setembro de 2011. Participação do professor Fernando M. Marques. - I Conferência Online de Educação Sexual - I COES, que decorreu nos dias 2, 3 e 4 de Maio de 2012, organizada pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa em parceria com a UNESP, UDESC, GSEX, GeiSexT e EDUSEX. Participação do professor Fernando M. Marques. - II Congresso Internacional de Sexualidade e Educação Sexual: Pesquisas, intervenções e direitos, realizado de 15 a 18 de Novembro de 2012, em Araraquara, organizado pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara, Estado de S. Paulo, Brasil. Participação do professor Fernando M. Marques.

DELEGAÇÃO/CAOJ de Setúbal

108


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 A equipa da delegação/CAOJ de Setúbal participou nos seguintes eventos: - Conferência Abraço - VIH/ SIDA os Desafios de Hoje e do Futuro na Fundação Calouste Gulbenkian a 29 de Dezembro de 2012. - Ciclo formativo do DizPositivo A Escola Enquanto Espaço de Prevenção, com a duração total de 35 horas (de Outubro a Dezembro de 2012), promovida pelo Diz Positivo - Cruz Vermelha Portuguesa e Câmara Municipal de Setúbal e desenvolvido pela XNC experienciar. - Representação no Fórum Nacional Álcool e Saúde, organizado pelo IDT no Palácio dos Marqueses da Praia e de Monforte, Loures, no dia 10 de Abril de 2012. - Representação no Fórum Nacional da Sociedade Civil do VIH/SIDA, Lisboa, 13 de Janeiro de 2012. - Congresso sobre Agressores Sexuais, realizado a 15 de Março, no Instituto Superior Ciências da Saúde Egas Moniz. - Participação no Estudo de Discriminação no Trabalho em infetados pelo VIH/Sida, realizado pela Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. - Participação na Cimeira do Doente, organizado pela Abbott em Lisboa, nos dias 26 e 27 de Outubro de 2012.

14. ESTABELECIMENTO DE PARCERIAS Tendo como objetivo o aumento da divulgação das atividades da Fundação, a diversificação do público-alvo, a angariação de voluntários e de fundos, foram renovadas e/ou estabelecidas as seguintes parcerias:

DELEGAÇÃO/CAOJ de Lisboa Associação Nacional de Estudantes de Medicina Banco Local de Voluntariado de Lisboa Banco Local de Voluntariado de Oeiras Câmara Municipal de Lisboa Câmara Municipal de Oeiras Escola Superior de Educação de Lisboa Escola Superior de Enfermagem Calouste Gulbenkian Escola Superior de Tecnologias de Saúde de Lisboa Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Lisboa

109


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Faculdade de Motricidade Humana Fundação PT Hotel Tiara Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Junta de Freguesia da Ajuda Junta de Freguesia de Benfica Universidade Autónoma da Lisboa Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

DELEGAÇÃO/CAOJ do Porto AXA Seguros Banco Local de Voluntariado de Vila do Conde e de Matosinhos Confraria do Mar CTT, Correios de Portugal ESAD de Matosinhos - Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos Instituto Superior da Maia JATinteiros Metro do Porto Rádio Nova Era TVU: Televisão da Universidade do Porto

DELEGAÇÃO/CAOJ de Coimbra Administração Regional de Saúde do Centro Câmara Municipal de Coimbra Centro Educativo dos Olivais da DGRS Escola EB 2,3 Dr.ª Alice Gouveia Escola EB 2,3 Martim de Freitas Escola EB 2,3 Rainha Santa Isabel Escola EB 2,3 Silva Gaio Escola Secundária Infanta D. Maria Escola Secundária José Falcão Escola Superior de Educação de Coimbra

110


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Estabelecimento Prisional de Coimbra Universidade de Coimbra

NOTAS FINAIS A apresentação sucinta que se faz neste Relatório, dos projetos e atividades desenvolvidos pelas Delegações e equipas do CAOJ durante o ano 2012, acompanhados dos indicadores de execução, mostra bem a importância social e educacional da missão assumida pela Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA”. O número e diversidade de pessoas envolvidas nas atividades de prevenção, apoio e aconselhamento, em especial crianças e jovens, a rede de instituições parceiras, os profissionais implicados e os resultados alcançados, têm contribuído para uma maior compreensão dos fatores sociais e pessoais determinantes na infeção VIH/Sida. Assim, a identificação de vulnerabilidades socioculturais, bem como de crenças e preconceitos que são prevalecentes em diversas situações e comportamentos de risco associados ao VIH/SIDA, tem contribuído para o desenho de estratégicas de intervenção direcionadas para a mudança de atitudes. É com este conhecimento, dinâmico por natureza, obtido no campo científico e no terreno social, que a Fundação desenvolve o seu trabalho, com uma exigência constante de procura de qualidade na intervenção, eficácia nos resultados e de eficiência na gestão dos recursos disponíveis. Sabemos, pela experiência acumulada, que o aumento da consciência cívica aliado ao imperativo de

111


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 promoção da saúde na comunidade é uma condição essencial para o desenvolvimento e bem-estar social. Mas alcançar este objetivo obriga a uma maior sinergia de saberes, esforços e recursos, que só a mudança de expetativas e práticas sociais pode alcançar. Dando continuidade aos seus projetos e atividades, a Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” tudo fará para que a saúde e os direitos humanos continuem a fazer parte das prioridades de

desenvolvimento da sociedade portuguesa.

AGRADECIMENTOS A Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” agradece a todas as instituições e pessoas que colaboraram diretamente ou criaram condições favoráveis à realização dos seus projetos e atividades ao longo do ano de 2012. Em especial, cumpre-nos mencionar: Administração Regional de Saúde de Coimbra Agrupamento de Centros de Saúde de Alentejo Litoral Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa do Bocage ANEM AXA Seguros Câmara Municipal de Coimbra Câmara Municipal de Grândola Câmara Municipal de Lisboa Câmara Municipal de Oeiras Câmara Municipal de Setúbal Câmara Municipal do Porto Casa da Baia Casas de Acolhimento Temporário onde se desenvolvem projetos CAOJ Centro de Recursos Sociais do Porto

112


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Centro Educativo dos Olivais Centro Educativo Navarro Paiva (Benfica) Centro Educativo Padre António Oliveira (Caxias) Centro Educativo Santo António Comissão de Voluntariado da Universidade do Porto Coordenação Nacional para a Infeção VIH/SIDA CTT: Correios de Portugal Delta Cafés Direção Regional de Lisboa e Vale do Tejo Direção-Geral de Administração Escolar Direção-Geral de Saúde Direcção-Geral de Reinserção Social ESAD: Escola Superior de Arte e Design – Matosinhos Escola Secundária Infanta D. Maria Escola Secundária Sebastião da Gama Escola Superior de Educação de Lisboa Escola Superior de Educação de Setúbal Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra Escola Superior de Enfermagem Calouste Gulbenkian Escola Superior de Tecnologias de Saúde de Lisboa Escolas, docentes e alunos envolvidos no Projeto Nacional de Educação pelos Pares Especialistas que participaram no Curso de Formação Científica de Voluntários Estabelecimento Prisional de Coimbra Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Faculdade de Motricidade Humana Fundação Manuel António da Mota Fundação PT Ginásios VivaFit (Porto e Matosinhos) Governo Regional da Madeira Hello Kitty Hotéis Tiara Lisboa e Porto Hotel Esperança Hotel Lisboa Plaza Hotel Tivoli Lisboa Instituto Português da Juventude – Setúbal Instituto Superior da Maia Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas IPAM: Instituto Politécnico de Administração e Marketing do Porto J.B. Fernandes Memorial Trust - Fundação Rockfeller Jovens voluntários do ensino superior das BUI, do TUI, do TEI e das BEI Junta de Freguesia da Ajuda Junta de Freguesia de Benfica Metro do Porto Ministério da Educação e Ciência Ministério da Saúde Miss Sixty Mota Engil Novotel Secretaria Regional de Educação e Cultura

113


Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” Relatório de Atividades de 2012 Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Secretaria Regional dos Recursos Humanos Segmento de Mercado Soporcel TVU: Televisão da Universidade (Porto) Universidade Autónoma da Lisboa Universidade Católica Portuguesa Universidade de Coimbra Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Lisboa, 28 de fevereiro de 2013

O Conselho de Administração da FPCCSIDA

114

Relatório Anual de Atividades - 2012  
Relatório Anual de Atividades - 2012  
Advertisement