Page 1

PLANO DE ACTIVIDADES E ORÇAMENTO PREVISIONAL

2008


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

1-INTRODUÇÃO

2 - PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2008 2.1 - ACÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO, INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO

3

5 5

2.2 - DESENVOLVIMENTO DE PROJECTOS DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

15

2.3 - ACÇÕES DE ASSISTÊNCIA PSICOLÓGICA, SOCIAL E ÉTICO-JURÍDICA

35

2.4 - ACTIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

39

2.5 - REALIZAÇÃO DE REUNIÕES CIENTÍFICAS

39

2.6 - ACTIVIDADES DE COOPERAÇÃO LOCO-REGIONAL

41

2.7 - ACTIVIDADES DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

45

3 – ORÇAMENTO PREVISIONAL PARA 2008

46

4 – AGRADECIMENTOS

47

2


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

1- INTRODUÇÃO A Epidemia da SIDA tomou a amplitude de uma crise Mundial! É dos maiores desafios no que respeita ao desenvolvimento e ao progresso social. Nos países mais atingidos por este flagelo, a epidemia chega mesmo a apagar décadas de crescimento, destruindo a economia, ameaçando a segurança e destabilizando as sociedades! A SIDA continua a ser um problema de saúde pública, e sabe-se, hoje, que a via mais comum de transmissão do VIH é a sexual. Assim, mais do que informar, é necessário Educar as populações para que compreendam e sintam a necessidade de alterarem comportamentos no sentido de viver em pleno e de forma saudável a sua sexualidade. A Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA” tem, desde a sua criação, privilegiado as actividades de Prevenção da infecção VIH/SIDA, sem descurar as acções de sensibilização, informação e formação, a assistência a Infectados e Afectados pelo VIH/SIDA, as actividades de investigação, a realização de reuniões científicas e ainda a cooperação com outras instituições a nível nacional e internacional. Na área das acções de sensibilização, informação e formação, a Fundação propõe-se continuar as acções de formação de jovens universitários e mediadores de Bairro para as acções de Educação pelos Pares a realizar em Escolas Secundárias e Bairros Sociais, criando os Pares (BEI) para as escolas do 1º Ciclo. As acções de Educação pelos Pares continuarão no ano de 2008 nas Escolas de Benfica, Alfragide, Cacém, Cascais, Loures, Oeiras, Lisboa, Amadora, Carcavelos e Cascais e no Bairro da Boavista, e nas Juntas de Freguesia de Benfica, Santos – o – Velho, na Junta de Freguesia da Ajuda (4 bairros) para além de outras escolas e Bairros no Porto, Coimbra e Setúbal. Continuaremos o recrutamento e formação de jovens universitários em Lisboa, Porto, Coimbra e Setúbal, beneficiando nesta acções a prevenção da SIDA, IST, Alcoolismo, Toxicodependência e Gravidez não desejada nos próprios estabelecimentos universitários donde provêm os Voluntários. A Fundação continuará com acções de formação para Pais e Encarregados de Educação através das sessões de “Café com Saber e Sabor” e “Café para Pais”, às 6as feira à noite e aos Sábados de manhã, acções que tanto êxito tem tido. Nas suas acções a Fundação não deixará de intervir na formação de Técnicos de Educação e da Área da Saúde, contributo indispensável para alargar o leque de intervenções na Educação para a Saúde e na Prevenção da SIDA. Nesta linha de formação a Fundação irá privilegiar as acções de sensibilização e formação de Professores do Ensino Básico e Secundário, tal como tem feito em anos anteriores.

3


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Todas estas acções serão desenvolvidas regionalmente pelas diferentes Delegações de Lisboa, Porto, Coimbra, Setúbal, Vila Real e Madeira. A Fundação irá em 2008 continuar o seu Projecto de Teatro-Debate através do “Teatro Universitário de Intervenção” (TUI) na zona da Grande Lisboa, formando o “Teatro Escolar de Intervenção (TEI), através dos Pares formados nas Escolas Secundárias, procurando angariar meios que lhe permitam intensificar este projecto, que tão útil se tem revelado na sensibilização dos jovens, a nível nacional, formando o TUI no CAOJ de Coimbra e do Porto. Uma outra área de intervenção será a realização de Reuniões Científicas prevendo-se a realização de Jornadas e Simpósios em Lisboa, Porto, Coimbra, Setúbal e Funchal. Finalmente continuaremos o apoio a filhos de Mães Seropositivas em Campos de Férias organizadas em colaboração, e o apoio a infectados e suas famílias tanto a nível geral como a nível prisional, bem como intensificar o Projecto desta Fundação nos Centros Educativos de Coimbra, Lisboa e Porto e Centros de Promoção Juvenil. Iremos dar continuidade ao apoio à linha tefónica de atendimento, número verde 800 21 31 40, para Jovens, Pais e Infectados e Afectados pelo VIH/SIDA e seu respectivo aconselhamento psicossocial e jurídico legal, áreas estas de extrema importância numa Organização Não Governamental como a F.P.C.C.Sida e que ao longo destes anos se tem intensificado de uma forma contínua e estruturada em parcerias. Este projecto da “Comunidade Contra a Sida” só é viável se contarmos com o apoio de todos, e em especial dos Voluntários que o tornam realidade. Inscreva-se como Voluntário(a) na Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida” e passe a fazer parte da nossa Equipa, abraçando, no tempo disponível, causas como esta que VALORIZAM A QUALIDADE DE VIDA DE TODOS, assumindo ao mesmo tempo a liberdade de intervir, de cooperar e de contribuir para uma Sociedade melhor! Aos Mecenas e às Entidades e Instituições nossas parceiras, a Fundação espera continuar a receber apoios adequados para a concretização das suas tarefas de interesse público nas áreas de Educação para a Saúde e para a Sexualidade e em particular no combate à SIDA e às suas consequências sócio e familiares.

Dra. Filomena Frazão de Aguiar Presidente do Conselho de Administração

4


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

2 - PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2008 2.1 - ACÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO, INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO

DELEGAÇÃO DE LISBOA FORMAÇÃO DE PARES E EDUCAÇÃO PELOS PARES a) Escolas do Ensino Básico e Secundário No âmbito do CAOJ de Lisboa, continuarão a realizar-se acções de sensibilização, informação e formação na área da Educação para a Saúde. Assume particular relevância a continuidade do Projecto de Educação pelos Pares, através do apoio a prestar às escolas já envolvidas no projecto, quer no âmbito de desenvolvimento de competências pessoais e sociais quer no da prevenção da transmissão do VIH, das DST e ainda na prevenção de consumos tóxicos. Tendo em consideração o recrutamento de voluntários para a constituição das BUI (Brigadas de Universitários de Intervenção), já realizado em 2007 (Outubro e Novembro) o CAOJ de Lisboa propõe-se divulgar o projecto e apresentar propostas de intervenção noutras escolas da cidade de Lisboa, tendo como objectivo apoiar o desenvolvimento dos respectivos Planos Curriculares de Escola e de Turma na área da Educação Sexual.

5


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Desenvolvimento das Actividades Quadro 1 – resumo das actividades Tipo

Formação

Designação

Cursos técnicocientíficos

Público-alvo

100

Calendarização

Recursos

Local

de horas

Humanos

Janeiro a Dezembro

1

Voluntários

16

Formadores

(8hx2)

convidados

Universitários

Formação

Cursos técnicopedagógicos

60

Janeiro, Abril e

Voluntários BUI/BEI

Formação

Teatro - Debate

TUI TEI

Novembro

42

2

José Heitor

30 (TUI)

Liliana Paulos

CAOJ

Janeiro, Abril e 3

Filomena P. e

(14hx3)

Novembro

4

40 (TEI)

CAOJ, Escola, … 10 Formação

Encontro Nacional TUI

Formação

Sexualidade, VIH, IST

Prevenção

“Educação pelos Pares”

voluntários

4,5,6 Janeiro

150Jovens

Janeiro a Dezembro

Professores

Escolas, E.Prisional

Técnicos

Sintra, Comunidade

80Reclusos

“Vida e Paz” …

4 T 9º ano

(3º ano)

25 5

90m por sessão

Liliana Paulos Anabela L. Cátia Greg. Professores

Janeiro a Junho

A definir por

BEI

(ver quadro 2)

cada escola

prof. Escola prof. CAOJ

Prevenção

“Sexualidade e

10 T 7º ano

Prevenção VIH/SIDA”

2T 8º ano

Janeiro a Junho (ver quadro 3)

13h 30m por Turma

1 T 9º ano

Prevenção

“Estrela – sinergia dos

2 salas pré-escolar

afectos”

Janeiro a Junho

9h por Turma

(ver quadro 4) 2 T 1ºciclo

BUI/ BEI prof. Escola prof. CAOJ

Voluntários prof./educ. escola prof. CAOJ

1

Em data e local a confirmar Datas a combinar com os voluntários 3 Número de formandos a confirmar após recrutamento para ambas as situações 4 Datas a combinar com os voluntários 5 Em data e local a confirmar 2

6


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Tipo

Designação

Prevenção

“Conhecer

a

Público-alvo

Sida,

“Conhecer

a

Recursos

Local

de horas

Humanos

Dezembro (ver quadro 5)

Aprender para Intervir

Prevenção

Janeiro a Jovens bairros Jovens IEFP

Decidir pela Vida”

Calendarização

Sida,

Pais e

Decidir pela Vida”

1 por trimestre

Técnicos

CAOJ e outros

(conforme o nº grupos) 1h 30m por sessão

Anabela L. Cátia Greg. Liliana Paulos

Anabela L.

8 (2hx 4)

Cátia Greg.

Café com saber e sabor

Formandos Prevenção

“Conhecer

a

Sida,

Comunidade

1 por trimestre

Social

Ruas da cidade

Decidir pela Vida”

Anabela L.

8 (2hx 4)

Cátia Greg. Liliana P

Ao Encontro…

Prevenção

“Em tempo de Sida, Educar para a Vida”

Jovens dos C. Educativos

Janeiro a Dezembro, nos Centros Educ.

(conforme o nº grupos) 1h 30m por sessão

BUI/TUI Anabela L. Cátia Greg. Liliana P

1h 30m por sessão

TUI / TEI

Ao longo do ano Prevenção

Teatro – debate

800Jovens

6

50adultos Prevenção

Participação/Animação

Jovens e

de eventos.

Adultos

Escolas Outros locais Datas e locais a confirmar, conforme solicitaçoes

Presença permanente durante a Feira

TUI Profs CAOJ Voluntários

Quadro 2 – escolas no 3º ano do Projecto “Educação pelos Pares”

Escola

Localização

BEI

EB 2, 3 Bº Padre Cruz

Lisboa, Benfica

9

ES Ferreira Dias

Sintra, Cacém

9ºA

EB 2, 3 S. Julião da Barra

Oeiras

ES Ferreira Dias

Sintra, Cacém

10º

6

Turma –alvo

7ºB

8ºE

Número estimado, de acordo com as representações realizadas em 2007

7


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

b) Bairros Sociais / Juntas de Freguesia Em estreita colaboração com os técnicos locais, o CAOJ desenvolverá o Projecto de Educação pelos Pares, e realizará a formação de jovens monitores: Ø em Lisboa, nos bairros das freguesias de Santos-o-Velho e da Ajuda, tendo como alvo os jovens em situação de abandono escolar e/ou que já se não encontram no sistema educativo; Ø em Cascais, na Junta de Freguesia de S. Domingos de Rana, sendo alvo os jovens da comunidade moldava, As actividades de Prevenção integram o Desenvolvimento de Competências Pessoais e Sociais e a Educação para a Saúde e Sexualidade, tendo como objectivo prioritário a prevenção de comportamentos de risco, de modo a evitar o aumento da transmissão da SIDA e outras IST, a gravidez não desejada, e os consumos tóxicos. Continuar-se-á a apoiar as actividades de Educação pelos Pares que se desenvolvem no Centro Comunitário dos Lóios, disponibilizando um estagiário de psicologia, e apoio técnico de um psicólogo ao serviço do CAOJ. No âmbito do protocolo com a Câmara Municipal de Lisboa, o CAOJ alargará a sua intervenção a outros bairros da cidade, a seleccionar em parceria com a autarquia. c) Centro de Promoção Juvenil A intervenção, junto de meninas que se encontram à guarda do Centro, organiza-se em parceria com os responsáveis pela instituição. Actua-se na Prevenção de comportamentos

de

risco,

desenvolvimento

de

competências,

formação

em

sexualidade, VIH/SIDA e consumos. Tratando-se de um público alvo em situação de grande vulnerabilidade, para além das actividades de Educação pelos Pares (Prevenção), disponibilizam-se os serviços de Apoio e Aconselhamento.

8


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

FORMAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS Realização de Cursos de Formação para os Jovens Voluntários, recrutados em estabelecimentos do ensino superior, tendo em vista a sua capacitação para o trabalho a realizar nas escolas e nos bairros quer como elementos de BUI quer de TUI. Ø Cursos de Formação Técnico – Científica, integrando conteúdos adequados à intervenção como “pares educadores” Ø Cursos de Formação Pedagógica, integrando actividades que visam promover a aquisição de competências adequados à intervenção como “pares educadores” Ø Actividades de formação contínua, no decurso do efectivo desenvolvimento do Projecto de “Educação pelos Pares” A formação intensiva é prestada por especialistas na área da saúde e na do desenvolvimenento de competências e tem como destinatários os elementos das BUI e TUI. Para o TUI haverá ainda formação técnica em Teatro-Debate. A formação contínua é prestada pelos técnicos em funções no CAOJ, professores e psicólogos, por solicitação dos formandos, ou por iniciativa dos formadores, na preparação das sessões de intervenção e/ou na sequência da avaliação realizada após a realização das sessões. OUTRAS FORMAÇÕES Ø Acções

de

Sensibilização

nas

áreas

da

Sexualidade,

Consumos

e

Competências Sociais e Pessoais, nas escolas, para alunos do Ensino Básico e do Ensino Secundário; Ø Acções de Formação para Auxiliares de Acção Educativa; Ø Cursos de Formação para Pais e Encarregados de Educação, nas escolas, bairros e Juntas de Freguesia; Ø Acções de Formação para professores das escolas acima identificadas Ø Cursos de Formação Intensiva e Contínua para Jovens Monitores de Bairros; 9


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Ø Cursos de Formação para Atendimento e Aconselhamento na Área da Saúde dos Adolescentes; Ø Formação/Acompanhamento

(pelo

Núcleo

de

Acompanhamento

e

Aconselhamento) de Estágios curriculares de Psicologia e de Política Social FORMAÇÃO INTERNA Acções de formação contínua dos técnicos, dos estagiários e outros nas áreas da Sexualidade, Infecções Sexualmente Transmissíveis e Consumos.

DELEGAÇÃO DE SETÚBAL

• Formação de Brigadas Universitárias para Setúbal; • Formação de Brigadas Universitárias para Almada; • Formação para Professores; • Debates sobre temáticas relacionadas com a Sexualidade e a SIDA; • Formação para Encarregados de Educação; • Café para Pais; • Acções de informação de rua; • Mês da Juventude; • Dinamizar sessões com TUI; • Diversas formações em Associações, Prisões e Instituições.

10


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

DELEGAÇÃO DE COIMBRA

No âmbito do Projecto CAOJ Coimbra: §

Organização de campanhas de sensibilização em Coimbra, para a prevenção do VIH/SIDA, em contextos (in)formais, dando continuidade ao lema: “ Em Tempo de SIDA, Educar para a VIDA”.

§

Organização de Sessões de formação destinadas a professores, alunos, auxiliares de acção educativa e pais/encarregados de educação, no âmbito da Educação para a Saúde: Prevenção de Comportamentos de Risco, com especialistas convidados, de acordo com as temáticas a abordar.

§

Formação Científica e Pedagógica de jovens voluntários do Ensino Superior e constituição das BUI.

§

Participação da equipa do CAOJ em acções de formação.

§

Actuações do Teatro Universitário de Intervenção (TUI), em resposta a solicitações que venham a ser feitas ao CAOJ Coimbra.

§

Organização de um Encontro Nacional de Jovens voluntários/as dos CAOJ’s.

§

Organização de uma formação específica em Teatro – Debate dirigida às/aos voluntárias/os.

11


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

DELEGAÇÃO DO PORTO

- Formação específica da equipa, com a participação em acções de Formação, Seminários, Congressos, Workshops, etc. - Formação específica aos professores destacados a 50%. - Formação específica a professores em geral pela equipa do CAOJ. - Formação a pais e encarregados de educação pela equipa do CAOJ. - Formação específica a auxiliares de acção educativa pela equipa do CAOJ. - Formação pedagógica específica a novos voluntários universitários pela equipa do CAOJ. - Formação pedagógica específica a antigos voluntários universitários pela equipa do CAOJ. - Formação científica específica a voluntários estudantes universitários pela equipa do CAOJ.

DELEGAÇÃO DE VILA REAL - Acções de formação sobre a problemática do VIH/ SIDA dirigidas aos sargentos e oficiais do Regimento de Infantaria 13 (2 acções com 12 horas cada cuja data ainda não está agendada); - Acções de formação sobre a problemática do VIH/ SIDA dirigidas a recrutas do Regimento de Infantaria 13 (3 acções com 12 horas cada cuja data ainda não está agendada); - Acções de formação sobre a problemática do VIH/ SIDA dirigidas a jovens estudantes do Colégio da Boavista em Vila Real (1 acção de 6 horas para três turmas do 9º ano); - Acções de sensibilização sobre a problemática do VIH/ SIDA dirigidas a reclusos do Estabelecimento Prisional de Vila Real (1 acção de 6 horas dirigida à população reclusa masculina e 1 acção também de 6 horas dirigida à população reclusa feminina); 12


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

- Acções de formação sobre a problemática do VIH/ SIDA dirigidas a jovens do Lar de meninas da Santa Casa da Misericórdia de Vila Real (com o objectivo de que as jovens formadas sejam no futuro o veículo de formação dos seus pares) – Acção de formação com a duração de 12 horas e monitorização do processo de formação de pares; (...)

Poderão ser posteriormente agendadas outras acções, se houver solicitações

nesse sentido.

DELEGAÇÃO DA MADEIRA

I – NÚCLEO DE FORMAÇÃO Área de Intervenção

Acções Acções de sensibilização, (in) formação;

Educação para a Saúde

“Prevenir Hoje, Amanhã Pode Ser Tarde”7. “Crescer a Saber”8; “(In) formar Para Melhor Actuar9;

Desenvolvimento pessoal e social C.S.I. – Comportamento Seguro e Informado; “A Brincar a Brincar… Aprende-se!”; “Juventude Sem Riscos”; 10 Educação de pares

Brigadas Universitárias de Intervenção; “Vem Tomar Café Connosco”;

Formação de voluntários

Curso de voluntários

7

Continuidade do projecto iniciado em 2002; Continuidade do projecto iniciado em 2006; 9 Continuidade do projecto iniciado em 2007; 10 Continuidade do projecto iniciado em 2004; 8

13


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Acções de sensibilização, (in) formação11 Comunidade em geral. Sensibilizar o público-alvo para a prevenção dos comportamentos de riscos associados ao VIH/SIDA, bem como noutras temáticas envolventes. VIH/SIDA; Comportamentos de risco; Sexualidade; Planeamento Familiar; Prevenção dos comportamentos aditivos. Intervenção em grupo apoiado em métodos activos que promovam uma aprendizagem interactiva e cooperativa. 1Técnico com formação em ciências sociais. Computador, Vídeo projector, VHS/DVD, TV, Quadro. Aplicação de um questionário final, avaliativo dos conhecimentos adquiridos ao longo da sessão.

Curso de Voluntários Professores, auxiliares de educação e técnicos de áreas sociais. 1 Curso com 16 Horas de formação. Sede da Delegação Madeira da F.P.C.C. SIDA. Formar o público-alvo na área da prevenção dos comportamentos de riscos associados ao VIH/SIDA. Proporcionar ao grupo alvo formação científica e pedagógica no domínio da Educação para a Saúde e para a Sexualidade; Aumentar o nível de conhecimentos gerais relativamente a comportamentos de risco associados ao VIH/SIDA; 11

As acções serão programadas conforme as solicitações por parte das entidades públicas e privadas.

14


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Aumentar o nível de conhecimentos gerais sobre as vias de transmissão do VIH/SIDA e métodos de prevenção. Intervenção em grupo apoiado em métodos activos que promovam uma aprendizagem interactiva e cooperativa. Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD, TV, Quadro, … 5 Formadores com formação em ciências sociais. Aplicação de um questionário inicial, diagnóstico das necessidades formativas dos formandos; Aplicação de um questionário final, avaliativo dos conhecimentos adquiridos ao longo das sessões; Aplicação de inquérito que visa medir o grau de satisfação dos participantes.

2.2 - DESENVOLVIMENTO DE PROJECTOS DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

DELEGAÇÃO DE LISBOA

O CAOJ de Lisboa pretende dar continuidade aos Projectos de Prevenção e de Formação promovidos pela Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a SIDA”, em escolas, bairros sociais, Centros Educativos, Instituições que acolhem crianças e adolescentes em risco social, e em estabelecimentos prisionais. No âmbito da Prevenção, na sequência das orientações do Ministério da Educação, será desenvolvido o Programa Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA, concebido por este CAOJ em 2007, no âmbito do Projecto Nacional de Educação pelos Pares, para apoiar as escolas a integrarem nos seus Projectos Educativos a “educação para a saúde, para a sexualidade e para os afectos” 12.

12

(Despacho 2506/2007 – Gabinete do Secretário de Estado da Educação)

15


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

O Programa visa contribuir “para a aquisição de competências por parte da comunidade escolar, que lhe permitam confrontar-se confiada e positivamente consigo própria e, bem assim, fazer escolhas individuais, conscientes e responsáveis, estimulando um espírito crítico e construtivo, verdadeiro pressuposto do exercício de uma cidadania activa”13 “Estrela – sinergia dos afectos” continuará a ser desenvolvido em salas do ensino pré-escolar e em turmas do 1º ciclo, com o apoio de voluntários formados em psicologia, sob a supervisão dos professores do CAOJ e em estreita colaboração com os educadores/professores das crianças. O projecto “Conhecer a Sida, Decidir pela Vida”, continuará a ser desenvolvido no meio social, com actividades que visam a diminuição da infecção VIH/SIDA, através do desenvolvimento de competências pessoais e sociais e da difusão de informação que promova a adopção de comportamentos sexuais seguros. Projecto TUI, Teatro – Debate, concepção, encenação e apresentação de uma nova peça nas Escolas e nos Bairros, com o intuito de despoletar uma reflexão em torno das questões ligadas à sexualidade; “Café com Saber e Sabor” a realizar mensalmente a partir de Março, em locais disponibilizados pela autarquia de Lisboa, dirigido a pais dos jovens dos bairros que são alvo da intervenção da “Educação pelos Pares”

13

(Despacho interno de 27 Setembro 2006, Secretário de Estado da Educação)

16


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Desenvolvimento do Programa “Sexualidade e Prevenção VIH/SIDA”

Escola

Localização

Turma - alunos

Área curricular

EB 2, 3 Bº Padre Cruz

Lisboa, Benfica

7ºC

Área Projecto

ES José Gomes Ferreira

Lisboa, Benfica

7º1

Área Projecto

ES José Gomes Ferreira

Lisboa, Benfica

9º 4

Área Projecto

EB 2,3 Marqª de Alorna

Lisboa

7º (a designar)

Área Projecto

EB2,3 Vasco Santana

Lisboa, Odivelas

7ºD

Área Projecto

ES Aquilino Ribeiro

Oeiras

8ºC

Área Projecto

ES Camilo Castelo Branco

Oeiras, Carnaxide

7ºC

Área Projecto

ES Camilo Castelo Branco

Oeiras, Carnaxide

7ºD

Área Projecto

EB2,3 Sophia M. Breyner

Oeiras, Carnaxide

7ºB

Área Projecto

ES Carcavelos

Carcavelos

8ºA

Área Projecto

EB2,3 Galopim de Carvalho

Sintra, Queluz

7ºB

Área Projecto

ES Artur Gonçalves

Torres Novas

7º (a designar)

Área Projecto

ES Artur Gonçalves

Torres Novas

7º (a designar)

Área Projecto

ES Ferreira Dias

Sintra, Cacém

7ºC

Área Projecto

ES Ferreira Dias

Sintra, Cacém

8ºE

Área Projecto

ES Ferreira Dias

Sintra, Cacém

7ºB

Área Projecto

Desenvolvimento do Projecto “Estrela”

Agrupamento de Escolas

JI/Escola

Nº Crianças

Nº Sessões

40

12x 60m

25

12x60m

25

12x60m

JI Nossa Sra. de Fátima Marquesa d’Alorna

Salas 1 e 2 Escola Nº 167

Bº Padre Cruz

1 T – 3º ano Escola Nº 118

Paula Vicente

1T – 2º ano

17


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Desenvolvimento do Projecto “Conhecer a Sida, Decidir pela Vida”

Bairro/Instituição

Bº Casalinho da Ajuda e

Localização JF Ajuda

Bº 6 de Maio

Bº das Açucenas

JF Ajuda

Público-Alvo

Actividades

12 jovens

“Aprender para Intervir”

Pais e técnicos da

“Café com saber e sabor”

Junta

“Ao encontro …”

12 jovens

“Aprender para Intervir” “Ao encontro …”

Lar de Acolhimento

JF S. Domingos de

10jovens- grupo A

Casa do Lago

Benfica

6jovens- grupoB

Lar de Acolhimento

JF S. Domingos de

8jovens

Madre Teresa de Saldanha

Benfica

“Aprender para Intervir”

“Aprender para Intervir” “Aprender para Intervir”

Bº Quinta dos Barros

JF S. Domingos de

15jovens

Benfica

“Café com saber e sabor” “Ao encontro …”

Bº da Boavista

JF Benfica

10jovens

“Aprender para Intervir”

Centro Promoção Juvenil

JF de Santa Isabel

8jovens

“Aprender para Intervir”

Centro de Formação

IEFP - Alverca

20 jovens CEF

“Aprender para Intervir”

Desenvolvimento do Projecto “Conhecer a Sida, Decidir pela Vida”

Centro Educativo Padre António Oliveira

Localização Oeiras, Caxias

Público-Alvo 12 jovens

Áreas de Intervenção Desenvolvimento pessoal e social Formação e Educação para a

Navarro Paiva

Lisboa

16 jovens

Sexualidade Prevenção da infecção VIH/SIDA e

Belavista

Lisboa

12 jovens

outras IST

18


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

“Tertúlias CAOJianas” – encontros de formação inter-pares, a desenvolver com os técnicos das instituições parceiras, envolvidos nos Projectos desenvolvidos pelo CAOJ. Pretende-se realizar pelo menos 3 encontros, em que para além da partilha de conhecimentos e informação, será avaliada a dinâmica das actividades dos projectos e redefinida a linha estratégica a seguir, caso se justifique. A animação das tertúlias é da responsabilidade da Dr.ª Anabela Lopes e da Dr.ª Cátia Gregório “TIL – teatro de intervenção local” – a partir do 2º semestre, pretende-se apoiar a constituição de grupos de teatro nos bairros, e eventualmente nos Centros Educativos, segundo a metodologia de teatro-debate, e posteriormente a sua formação em técnicas de representação, sob a responsabilidade da Dr.ª Liliana Paulos. Implementação do Projecto de Prevenção “Livre de Riscos”, candidatura a Fundos do ADIS (ainda à espera de avaliação da CNLCS), a desenvolver-se no Estabelecimento Prisional de Sintra.

DELEGAÇÃO DE SETÚBAL

Projecto CAOJ (Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens) , “Educação pelos Pares”; • Constituição de um grupo de teatro debate (TUI); • Constituição das Brigadas Universitárias de Intervenção (BUI) que actuarão nas seguintes escolas:

Escola Secundária Sebastião da Gama;

Escola Secundária D. João II;

Escola Básica 2,3 Luisa Todi;

Escola 2/3 Secundária da Bela Vista;

Escola 2/3 Secundária Lima de Freitas;

Escola B 2/3 do Bocage; 19


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Escola Secundária D. Manuel Martins;

Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão.

⇒ Implementação do Projecto de Educação Parental “Espaço da Família”, com fundos da Fundação Calouste Gulbenkian (ainda á espera de resposta orçamental); ⇒ Implementação do Projecto de Promoção e Educação para a Saúde “Conheçer a SIDA, Educar para a VIDA”; candidatura a Fundos do ADIS (ainda à espera de resposta orçamental).

DELEGAÇÃO DE COIMBRA

No âmbito do Projecto CAOJ Coimbra: §

Continuação da implementação do Projecto Nacional de “Educação pelos Pares” nas Escolas do 3º Ciclo do Ensino Básico:

§

Produção de materiais de apoio às sessões das BUI nas Escolas onde o Projecto Nacional de “Educação pelos Pares” está a ser implementado e no Centro Educativo dos Olivais.

§

Elaboração de Maletas Pedagógicas contendo materiais de apoio à intervenção em projectos de “Educação pelos Pares”, para posterior publicação.

DELEGAÇÃO DA REGIÃO NORTE •

Desenvolvimento do Programa Nacional de Educação pelos Pares em meio escolar;

20


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Projecto de Intervenção no Estabelecimento Prisional Especial de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos;

Projecto de intervenção no Centro de Reinserção Social do Porto – Centro Educativo de Santo António;

Projecto de intervenção no Lar de Mães Adolescentes da ACISJF;

Projecto de intervenção no Lar de Jovens Adolescentes da ACISJF;

Projecto de intervenção no Lar de S. Miguel;

Dinamização de actividades em contexto escolar no âmbito da Promoção e Educação para a Saúde.

DELEGAÇÃO DE VILA REAL

-

Colaboração com todas as Câmaras do Distrito de Vila Real em projectos de Educação para a Saúde.

DELEGAÇÃO DA MADEIRA

Projecto: “Prevenir Hoje, Amanhã Pode Ser Tarde” Público-alvo:

Comunidade escolar, reclusa e em geral.

Duração:

16 Horas por cada curso 1 Curso na Escola Secundária de Santa Cruz

Local de realização:

2 Cursos no Estabelecimento Prisional do Funchal. 3 Cursos na Sede da Delegação Madeira VIH/SIDA;

Conteúdos:

Comportamentos de risco; Sexualidade;

14

Calendarização14

Fevereiro Março Abril Maio Junho Setembro

As datas apresentadas estão sujeitas a alterações.

21


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Planeamento Familiar; Prevenção dos comportamentos aditivos. Sensibilizar o público-alvo para a prevenção dos Objectivo geral:

comportamentos

de

riscos

associados

ao

VIH/SIDA, bem como noutras problemáticas envolventes Aumentar o nível de conhecimentos gerais relativamente a comportamentos de risco associados ao VIH/SIDA; Aumentar o nível de conhecimentos gerais sobre as vias de transmissão do VIH/SIDA e métodos de prevenção;

Objectivos específicos:

Aumentar o nível de conhecimentos gerais sobre os métodos contraceptivos e formas de planeamento familiar; Aumentar a capacidade de dizer não a actividades ou situações com cariz disruptivo que levem ao consumo de estupefacientes. Intervenção em grupo apoiado em métodos

Metodologias

activos

que

promovam

uma

aprendizagem

interactiva e cooperativa. Humanos Recursos

5 Formadores com formação em ciências sociais. Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD;

Materiais

TV, Quadro, etc. Aplicação

de

um

questionário

inicial,

diagnóstico das necessidades formativas dos formandos; Indicadores de avaliação:

Aplicação de um questionário final, avaliativo dos conhecimentos adquiridos ao longo das sessões; Questionário que visa medir o grau de satisfação dos beneficiários das acções.

22


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Projecto: “Crescer a Saber” Crianças e jovens dos concelhos de Câmara de Lobos e Funchal. Turma do 4º ano A Escola EB1/ PE do Tanque

Turma do 4º ano B Turma do 4º ano C Turma de 2º ano

Escola EB1/ PE do Pedregal

Turma de 3º ano Turma de 4º ano

Escola do 2º e 3º Turma de 5º ano F Ciclos da Torre Semanal (Sessões de 90m). Sede da Delegação Madeira Escola EB1/ PE do Pedregal Escola do 2º e 3º Ciclos da Torre Dotar as crianças de conhecimentos e instrumentos, de modo a serem capazes de gerir situações de risco. Promover competências de comunicação; Desenvolver na criança a autoconfiança, de forma a interagir positivamente com o meio; Fomentar a auto-estima, valorizando os seus comportamentos mais assertivos e adequados; Desenvolver na criança a capacidade para se exprimir revelando pensamentos, sentimentos e acções adequadas a diferentes contextos sociais; Aumentar as competências cognitivas, afectivas, relacionais e comportamentais ao nível da vivência individual e da atitude perante a comunidade, através do universo teatral (de jogos de improvisação, expressão corporal, como utilizar a voz, interpretação e leitura de textos); Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos; Criar um trabalho de grupo a partir de dinâmicas / jogos dramáticos explorados no projecto. Intervenção de grupo através do treino de competências pessoais e sociais; Trabalho social pedagógico apoiado em técnicas expositivas e Metodologias

activas, onde se privilegiou as actividades que envolveram a discussão partilhada de casos e situações específicas de cada tema. Através

desta metodologia a criança explorará as

23


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

vertentes emotivas, cognitivas e comportamental, com vista ao desenvolvimento de uma qualidade de vida que passa pela resposta adequada a diferentes situações sociais. Humanos Recursos

3 Técnicos com formação em ciências sociais. Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD, TV, quadro, papel,

Materiais

marcadores, … Promover competências ao nível da: A assiduidade; A pontualidade; A comunicação; A linguagem; A assertividade;

Resultados previstos

Estilos de vida; Cuidados pessoais; Relação com o outro; Responsabilidade pessoal e social. Após cada tema efectuar a avaliação do mesmo, através da realização de trabalhos práticos, que permitam medir a boa compreensão dos mesmos e a mudança de comportamento. Aplicação de inquéritos de avaliação inicial, contínua e final. Aplicação de inquérito que visa medir o grau de satisfação dos participantes;

Indicadores de avaliação:

Pela observação directa da mudança de comportamentos; Pela assiduidade; Pela avaliação do perfil comportamental; Pela participação activa; Pela motivação.

24


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Projecto: “(In)Formar Para Melhor Actuar”15 Público-alvo:

Alunos do 3º Ciclo que frequentam o ensino

Calendarização

recorrente no Centro Comunitário da Nogueira.

Frequência:

Semanal (Sessões de 90m).

Local de realização:

Centro Comunitário da Nogueira. Proporcionar, através da (In) Formação a melhoria

Objectivo geral:

e o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, com vista a promoção de estilos de vida saudáveis. Proporcionar aos formandos um espaço para que descubram as suas necessidades (in) formativas e de desenvolvimento pessoal; relativamente a situações de risco; Promover

o

treino

de

comportamentos,

atitudes em relação a determinadas situações, com vista a aquisição e consolidação de competências pessoais e sociais; Proporcionar aos formandos comportamentos Objectivos específicos:

mais funcionais e adequados às diferentes

Ano lectivo 2007 /2008.

Aumentar o nível de conhecimentos gerais

situações, facultando propostas alternativas quer em termos de atitudes quer em termos de comportamentos de risco; Desenvolver

o

comportamento

comunicação

assertiva,

a

e

a

empatia,

a

cooperação e o respeito pelos outros; Melhoria

das

relações

interpessoais

dos

formandos, concomitantemente ao aumento da frequência da assertividade; Fortalecer o sentimento de pertença a um 15

Este projecto encontra-se enquadrado no Modelo de Intervenção Comunitária para o Complexo Habitacional da Nogueira, promovido pelo Centro de Segurança Social da Madeira, no qual esta Delegação se associou enquanto entidade parceira.

25


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

grupo

para

potenciar

a

prática

de

comportamentos saudáveis. Intervenção de grupo através do treino de competências pessoais e sociais; Trabalho Metodologias

social

pedagógico

apoiado

em

técnicas expositivas e activas, privilegiando as actividades

que

envolvam

a

discussão

partilhada de casos e situações específicas de cada tema. Humanos 2 Técnicos com formação em ciências sociais. Recursos

Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD, TV, Materiais

quadro, … Realização de dinâmicas de grupo que promovam a interacção entre os diferentes formandos e/ou com o formador: discussão em grupo, debates, “brainstorming”, estudo de

Estratégias

casos, entre outras; Visionamento de filmes educativos; Elaboração e exposição de trabalhos sobre os temas trabalhados; Actividades realizadas no exterior. Promover competências ao nível da: A assiduidade; A pontualidade; A comunicação; A linguagem;

Resultados previstos

A assertividade; Estilos de vida; Cuidados pessoais; Relação com o outro; Responsabilidade pessoal e social.

Indicadores de avaliação:

Aplicação de inquéritos de avaliação

26


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

inicial, contínua e final; Aplicação de inquérito que visa medir o grau de satisfação dos participantes; Pela observação directa da mudança de comportamentos; Pela assiduidade; Pela

avaliação

do

perfil

comportamental. Pela participação activa; Pela motivação.

Projecto: “C.S.I. - Comportamento Seguro e Informado” Público-alvo:

13 Alunos Curso Profissional de Técnico de Electricista de Instalação

Frequência:

Semanal (Sessões de 90m).

Local de realização:

Escola Básica e Secundária de Santa Cruz

Calendarização

Proporcionar, através da (In) Formação a melhoria e o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, com vista a promoção de estilos de vida saudáveis. Proporcionar aos formandos um espaço para que descubram as suas necessidades (in) formativas e de desenvolvimento pessoal; Aumentar o nível de conhecimentos gerais relativamente a situações de risco; Objectivos específicos:

Promover o treino de comportamentos, atitudes

Ano lectivo 2007 /2008.

Objectivo geral:

em relação a determinadas situações, com vista a aquisição e consolidação de competências pessoais e sociais; Proporcionar aos formandos comportamentos mais funcionais e adequados às diferentes

27


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

situações, facultando propostas alternativas quer em termos de atitudes quer em termos de comportamentos de risco; Desenvolver o comportamento e a comunicação assertiva, a empatia, a cooperação e o respeito pelos outros; Melhoria

das

relações

interpessoais

dos

formandos, concomitantemente ao aumento da frequência da assertividade; Fortalecer o sentimento de pertença a um grupo para potenciar a prática de comportamentos saudáveis. Intervenção de grupo através do treino de competências pessoais e sociais; Trabalho Metodologias

social

pedagógico

apoiado

em

técnicas expositivas e activas, privilegiando as actividades

que

envolvam

a

discussão

partilhada de casos e situações específicas de cada tema. Humanos 1 Técnicos com formação em ciências sociais. Recursos

Materiais Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD, TV, quadro, …

Estratégias

Construção de materiais lúdicos /pedagógicos. Promover competências ao nível da: A assiduidade; A pontualidade; A comunicação;

Resultados previstos

A linguagem; A assertividade; Estilos de vida; Cuidados pessoais; Relação com o outro;

28


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Responsabilidade pessoal e social; Aplicação de inquéritos de avaliação inicial, contínua e final; Aplicação de inquérito que visa medir o grau de satisfação dos participantes; Pela observação directa da mudança de Indicadores de avaliação:

comportamentos; Pela assiduidade; Pela

avaliação

do

perfil

comportamental. Pela participação activa; Pela motivação.

Projecto: “A Brincar a Brincar … Aprende-se” Público-alvo:

Crianças e adolescentes (dos 6 aos 12 anos).

Local de realização:

Sede da Delegação da Madeira F. P. C. C. SIDA.

Objectivo geral:

Promoção de estilos de vida saudáveis.

Calendarização

Desenvolver na criança a autoconfiança, de forma a interagir positivamente com o meio; Fomentar a auto-estima, valorizando os seus comportamentos mais assertivos e adequados; Desenvolver na criança a capacidade para se exprimir revelando pensamentos, sentimentos Objectivos específicos:

e acções adequadas a diferentes contextos sociais; Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos;

1 de Agosto a 14 de Setembro de 2008

Promover competências de comunicação;

Criar um trabalho de grupo a partir de dinâmicas / jogos dramáticos explorados no projecto.

29


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Intervenção em grupo apoiado em métodos activos Metodologias

que promovam uma aprendizagem interactiva e cooperativa; 3 Técnicos com formação em ciências sociais.

Recursos

Humanos Diferentes materiais necessários para a concepção Materiais de materiais lúdicos/pedagógicos. Questionário diagnóstico e final (competências e conhecimentos); Questionários intermédios que visam identificar

Indicadores de avaliação:

tendências

na

mudança

de

atitudes

e

comportamentos; Aplicação de inquérito que visa medir o grau de satisfação dos participantes.

Projecto – “Juventude Sem Riscos” Público-alvo: Duração Local de realização: Objectivo geral:

Jovens da Região Autónoma da Madeira, com idades compreendidas entre os 14 e os 25 anos. 12 Horas de formação realizadas ao fim de semana. Centros de Juventude da Madeira. Adoptar a vertente lúdica e de convívio como forma de prevenir comportamentos de risco. Dotar

os

jovens

de

conhecimentos

e

instrumentos de modo a serem capazes de gerir situações de risco no âmbito da sexualidade; Esclarecer questões, desmistificar crenças e

Aumentar

Janeiro Março Maio Junho

estereótipos; Objectivos específicos:

Calendarização

as

competências

cognitivas,

Outubro

afectivas, relacionais e comportamentais ao nível da vivência individual e da atitude perante a comunidade; Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos acerca do tema;

30


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Proporcionar a formação de grupo de pares, de modo a serem os próprios jovens a transmitir conhecimentos e a orientar outros jovens no seu contexto real de vida; Reflectir acerca da construção de projectos de vida mais conscientes e responsáveis; Combater a discriminação face aos portadores do vírus do VIH e de outras sexualmente transmissíveis; Alertar para as consequências mais frequentes da gravidez na adolescência; Informar acerca das instituições que intervêm directamente nestas áreas; Aumentar o nível de consciência social e promover o sentimento de solidariedade entre os jovens. Intervenção em grupo apoiado em métodos Metodologias

activos

que

promovam

uma

aprendizagem

interactiva e cooperativa. 3 Técnicos com formação em ciências sociais; Humanos Recursos

2 Voluntários Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD,

Materiais

TV, Quadro. Aplicação

de

um

questionário

inicial,

diagnóstico das necessidades formativas dos formandos; Indicadores de avaliação:

Aplicação de um questionário final, avaliativo dos conhecimentos adquiridos ao longo das sessões; Aplicação de inquérito que visa medir o grau de satisfação dos participantes.

31


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Projecto – “Brigadas Universitária de Intervenção” As BUI – Brigadas Universitárias de Intervenção serão constituídas por um grupo de estudantes universitários, que se dedicarão à promoção e educação para a Saúde, através de intervenções em escolas e outras instituições da comunidade. As BUI assentarão num acção sistemática, científica e pedagogicamente sustentada por jovens educadores a outros jovens e nas potencialidades desta formação para a prevenção dos comportamentos de risco.

Público-alvo:

Brigadas de intervenção

Estudantes universitários

Calendarização

Público-alvo da intervenção Alunos do 3º Ciclo Duração Local de realização: Objectivo geral:

Semanal (sessões 90 minutos). Escolas da R.A.M. e instituições da comunidade, conforme a solicitação. Intervir na formação de educadores de pares; 1ª FASE – PREPARAÇÃO Proporcionar aos jovens voluntários do Ensino Superior formação científica e pedagógica no Sexualidade e das IST’s, com vista à constituição de brigadas - as BUI - que por sua vez irão participar na formação dos jovens do 3º ciclo do

Objectivos específicos:

Ensino Básico; Produzir materiais educativos específicos para

Ano lectivo de 2008

domínio da Educação para a Saúde, da

intervenção nesta área. 2.ª FASE - INTERVENÇÃO Dotar os jovens de conhecimentos e instrumentos de modo a serem capazes de gerir situações de risco, no âmbito da sexualidade e das IST`s; Aumentar as competências cognitivas, afectivas, relacionais e comportamentais ao nível da vivência individual e da atitude perante a

32


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

comunidade; Criar um espaço de partilha de experiências e troca de conhecimentos acerca do tema; Reflectir acerca da construção de projectos de vida mais conscientes e responsáveis; Combater a discriminação face aos portadores do vírus do VIH e de outras sexualmente transmissíveis; Alertar para as consequências mais frequentes da gravidez na adolescência; Aumentar o nível de consciência social e promover o sentimento de solidariedade entre os jovens. Intervenção em grupo apoiado em métodos activos Metodologias

que promovam uma aprendizagem interactiva e cooperativa. 1 Coordenador;

Humanos

3 Técnicos com formação em ciências sociais; 3 Brigadas (composta 3 elementos cada).

Recursos

Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD, TV, Materiais

Quadro.

Projecto – “Vem Tomar Café Connosco” Público-alvo: Objectivo geral:

Jovens migrantes e filhos de migrantes, dos 15 aos 28 anos. Criar, em simultâneo, um espaço de convívio e de reflexão/debate acerca de temas do nosso quotidiano. Associando sempre a vertente lúdica/convívio à vertente (in) formativa,

Objectivos específicos:

este projecto terá como objectivos: Criar um espaço de partilha de experiências e trocas de conhecimentos acerca dos temas abordados; 33


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Promover o acesso à (in)formação ao público-alvo, ultrapassando a discriminação/preconceito e reforçando a integração deste; Promover a coesão social e igualdade de oportunidades para

TODOS

através do trabalho directo com os migrantes; Reflectir sobre as causas de exclusão social para facilitar a inclusão dos participantes; Desenvolver esforços para a prevenção de preconceitos e para o encorajamento da interculturalidade, respeito e compreensão mútua; Realçar as diferenças interculturais como riqueza e não como obstáculo ao entendimento e à colaboração; Desencadear no público-alvo o sentimento de pertença ao local envolvente; Proporcionar aos jovens as condições emocionais para lidar com a resiliência; Adoptar a vertente lúdica e de convívio como forma de prevenir comportamentos de risco; Aumentar o nível de consciência social e promover o sentimento de solidariedade entre os jovens. Intervenção de grupo Metodologias

Trabalho social pedagógico

34


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

2.3 - ACÇÕES DE ASSISTÊNCIA PSICOLÓGICA, SOCIAL E ÉTICO-JURÍDICA

DELEGAÇÃO DE LISBOA

Núcleo de Apoio e Aconselhamento Ø Aconselhamento e/ou apoio psicológico individual a adolescentes e pais, professores e outros técnicos, para esclarecimento de dúvidas, relacionadas com a saúde, o desenvolvimento psicossexual, e o relacionamento interpessoal. Ø Aconselhamento para pequenos grupos de jovens, encaminhados por instituições Ø Apoio psicológico individual a pessoas infectadas e afectadas pelo VIH, ao cuidado da “Comunidade Vida e Paz” Ø Grupos de inter-ajuda com utentes seropositivos da Comunidade Vida e Paz Ø Apoio psicossocial a pessoas infectadas ou com SIDA, com vista à sua reinserção social e laboral, encaminhadas para o CAOJ por técnicos de outros serviços Ø Aconselhamento e orientação, através do telefone, a público indiferenciado, que recorre ao CAOJ através do número verde Ø Festa de Natal, organização de actividades destinadas a crianças filhas de mães seropositivas, utentes dos hospitais Santa Maria em Lisboa, Pediátrico de Coimbra, S. João e D. Maria do Porto.

35


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

DELEGAÇÃO DE SETÚBAL

• Continuação do desenvolvimento do Gabinete de Apoio e Aconselhamento a Jovens; • Continuação do desenvolvimento do Gabinete de Apoio e Aconselhamento a Portadores do HIV e família; • Encaminhamento de casos para Apoio Social e Ético-Jurídico de acordo com o protocolo com a Câmara Municipal Setúbal a utentes da Delegação.

DELEGAÇÃO DE COIMBRA

Atendimento/ encaminhamento (sempre que necessário) de jovens adolescentes – esclarecimento, apoio e aconselhamento relativo a problemáticas relacionadas com a sua saúde, sexualidade e/ou relacionamento interpessoal.

DELEGAÇÃO DO PORTO

Apoio ao Projecto Crianças Filhas de Mães Seropositivas dos Hospitais de S. João e Maria Pia.

DELEGAÇÃO DE VILA REAL •

Será disponibilizada assistência Psicológica a infectados e afectados pelo VIH pela Psicóloga do Centro de Atendimento a Jovens (também colaboradora da Fundação Portuguesa a Comunidade Contra a SIDA), sendo este atendimento de cariz voluntário; 36


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

DELEGAÇÃO DA MADEIRA Gabinete de Apoio, Aconselhamento e Encaminhamento Público-alvo:

População em geral.

Frequência

6 Horas semanais.

Local de realização:

Sede da Delegação Madeira da F. P. C.C. SIDA. Diagnosticar situações-problemas, de modo a elaborar estratégias e desenvolver acções tendentes a melhorar genericamente as condições de vida; Assessorar e aconselhar os clientes do gabinete com vista à satisfação de necessidades sociais e à resolução de problemas, designadamente através da informação sobre os factores geradores dos problemas, os direitos, os recursos e serviços disponíveis e as acções a desenvolver para encontrarem os recursos necessários; Proceder e garantir uma articulação qualificada, através da conjugação de esforços dos vários intervenientes internos e externos;

Objectivos específicos:

Proceder ao encaminhamento para recursos existentes na comunidade, que satisfaçam as necessidades de bem-estar e de participação social dos clientes do gabinete; Intervir numa perspectiva dinâmica que permita prevenir situações de risco que possam conduzir a caminhos de exclusão social; Mediar as relações entre os clientes do gabinete e as entidades detentoras de recursos, por exemplo entidades empregadoras, serviços de saúde e segurança social; Impulsionar acções com potencial para desenvolver culturalmente a comunidade do Bairro Social de Santo Amaro, fomentando a participação activa na construção de estratégias e procedimentos adequados à satisfação das suas necessidades.

37


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Metodologia de Relação de Ajuda. Procurar-se-á intervir segundo e seguindo o método de intervenção social de ajuda à pessoa que se caracteriza por um método dinâmico de troca entre o técnico e o cliente, apoiando-se sobre as capacidades deste último. Metodologias

Este tipo de intervenção visa a transformação da situação do cliente, procurando criar e potenciar as condições para que o próprio cliente se constitua como actor no processo de mudança social. A intervenção social de ajuda à pessoa visa potenciar a autonomia dos clientes e atingir a plena inserção social.

Recursos

Humanos 1 Técnico Superior de Serviço Social. Materiais Sala

Indicadores de avaliação:

Nível de adesão ao gabinete Avaliação das mudanças sociais atingidas.

38


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

2.4 - ACTIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

DELEGAÇÃO DE LISBOA

− Continuação do Projecto de Investigação sobre Educação pelos Pares na Prevenção da SIDA, Toxicodependência em Escolas do Ensino Básico e Secundário.

DELEGAÇÃO DE COIMBRA

§

Continuação do Projecto “Em Tempo de SIDA, Educar para a Vida, no Cento Educativo dos Olivais – nova candidatura a apresentar ao Programa ADIS/SIDA.

2.5- REALIZAÇÃO DE REUNIÕES CIENTÍFICAS

DELEGAÇÃO DE SETÚBAL

• Formação Científica de Brigadas de Intervenção

DELEGAÇÃO DE COIMBRA No âmbito do Projecto CAOJ Coimbra:

• Apoio a realização do Congresso sobre Aspectos Médico-Legais na Infecção VIH/SIDA, e realizar no Auditório dos HUC, em Março de 2008.

39


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

DELEGAÇÃO DE MADEIRA Encontro Científico e Formativo Estarão previstos a realização de dois encontros formativos:

Calendarização

Realização de um encontro (designação por 1º definir), no âmbito das celebrações do Dia

8 de Março

Mundial da Mulher. Tema

Realização de um encontro cientifico e 2º

formativo. O tema será posteriormente definido, conforme as orientações da ONU/ SIDA para o

Dezembro

ano em curso. Público-alvo:

População em geral;

Local de realização:

A designar.

Objectivo geral

Recursos

Promover um encontro de especialistas que abordem as temáticas relativas à problemática da Sida.

Humanos

Aproximadamente 2 Prelectores.

Materiais

Sala, computador, vídeo projector, VHS/DVD, TV, Quadro, …

Indicadores de avaliação:

Nível de adesão ao encontro científico.

40


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

2.6 - ACTIVIDADES DE COOPERAÇÃO LOCO-REGIONAL

DELEGAÇÃO DE LISBOA

Estabelecimento de protocolo de parceria com a Direcção Geral da Reinserção Social, no âmbito da Prevenção da infecção VIH/SIDA Desenvolvimento do Projecto de parceria com a Associação Nacional de Estudantes de Medicina, cujos destinatários são voluntários das Escolas Médicas, com a finalidade de apoiar o CAOJ na intervenção junto de crianças e jovens em contexto escolar e não escolar Participação na “Feira da Saúde” promovida pela Câmara Municipal de Oeiras Organização da “Festa de Natal” para crianças infectadas ou afectadas pelo VIH/SIDA Organização e dinamização de Actividades no âmbito da Luta Contra a SIDA, em 1 de Dezembro e outras datas que venham a ser consideradas oportunas

DELEGAÇÃO DE SETÚBAL

Protocolo de Colaboração com Associações de Pais;

Protocolo de Colaboração com a Câmara Municipal Setúbal;

Protocolo de Colaboração com o Instituto Politécnico de Setúbal;

Proposta de Protocolo de Colaboração com a Ordem dos Advogados;

Participação em Tertúlias;

Realização de Jornadas de Educação Pelos Pares, em colaboração com Câmara Municipal Setúbal.

Participação em Actividades Locais e Regionais a pedido das entidades envolvidas.

41


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Angariação de fundos através da receita de espectáculos e de eventos desportivos, e reverter para a Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida”.

DELEGAÇÃO DE COIMBRA

§

Participação, no âmbito da Rede Social /CLAS- área de intervenção “Saúde”, na concretização do Plano de acção, para 2008.

§

Celebração de Protocolos de colaboração entre a Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida” e Instituições locais e/ou Regionais.

§

Participação em actividades/eventos organizados pela Câmara Municipal de Coimbra ou outras entidades.

DELEGAÇÃO DO PORTO

• Estabelecimento de parcerias e protocolos entre a Fundação e outras Instituições; • Integração de Estágios; • Intervenção Comunitária: “Em tempos de Sida, Queimódromo pela Vida”.

42


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

DELEGAÇÃO DE VILA REAL

Ø

Cooperação com a Comissão Distrital de Vila Real em todos os eventos e acções levadas a cabo pela mesma (sobre as quais daremos conta à medida que forem acontecendo, pois neste momento não está nada programado);

Ø

Colaboração com o Centro de Aconselhamento e Detecção Precoce do VIH de Vila Real, em todas as actividades de divulgação do mesmo.

DELEGAÇÃO DA MADEIRA PROTOCOLOS DE COLABORAÇÃO Secretaria Regional dos Assuntos Sociais ò

Direcção Regional do Planeamento e Saúde Pública

A Secretaria Regional dos Assuntos Sociais pretende estabelecer, novamente, com a Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra A SIDA”, um Contrato – Programa, no qual atribuirá um apoio financeiro para a realização das actividades da Delegação Madeira, num prazo a fixar. A Delegação Madeira estabelecerá, uma vez mais, com a JSD o protocolo de colaboração, no qual a primeira comprometer-se-á a

JSD

formar os militantes do referido partido, nas várias problemáticas

Juventude Social

envolventes ao VIH/SIDA. Por sua vez, à JSD compete a selecção dos

Democrata

formandos para as sessões de esclarecimentos, bem como colaborará com esta Delegação na realização de eventos e / ou actividades na Região Autónoma da Madeira.

Secretaria Regional

No sentido de implementar um novo Modelo de Intervenção

dos Assuntos Sociais

Comunitária no Complexo Habitacional da Nogueira, na Camacha, o

-

Centro de Segurança Social da Madeira reuniu um conjunto de

Centro de Segurança

parceiros, com vista a uma intervenção multidisciplinar e intersectorial 43


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

Social da Madeira

para uma acção mais eficaz e concertada. Neste campo, esta Delegação prestará o seu contributo através da continuação do projecto: (In)formar Para Melhor Actuar”, no qual pretende promover o treino de competências pessoais e sociais junto dos alunos do 3º ciclo do ensino recorrente.

PARCERIAS Projecto/acções

Entidade parceira Secretaria

Brigadas Universitárias de Intervenção

Regional

Contributo dos parceiros da

Divulgação do projecto;

Educação

Selecção dos estabelecimentos

Estabelecimento Vila Mar

de ensino;

Estabelecimento Prisional do

Provimento e adequação dos

Funchal

recursos

necessários

para

execução do projecto. Divulgação do projecto; “Juventude Sem Riscos”

Direcção Regional da Juventude

Estadia e transporte dos jovens e formadores para os Centros de Juventude da RAM.

Juventude Social Democrata; “Prevenir Hoje, Amanhã Pode ser Tarde”

“Crescer a Saber”

Estabelecimento Prisional do Funchal;

Encaminhamento

Escola Básica e Secundária de

formandos;

Santa Cruz.

Provimento e adequação dos

Escola EP/1 do Pedregal;

recursos

Escola EP/1 do Tanque;

execução do projecto.

necessários

dos

para

Escola do 1º e 2ºCiclos da Torre.

“ (In)formar Para Melhor Actuar”

Centro

Comunitário

da

Nogueira.

44


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

“C.S.I. – Comportamento Seguro e Informado”

Escola Básica e Secundária de Santa Cruz. Direcção

Regional

da

Juventude; “Vem Tomar Café Connosco”

Serviço

de

Divulgação do projecto; Encaminhamento dos

Estrangeiros

e

formandos;

Fronteiras;

Provimento e adequação dos

Associação das Comunidades

recursos

Madeirenses.

execução do projecto.

necessários

para

2.7 - ACTIVIDADES DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

SEDE E DELEGAÇÕES

- Desenvolvimento de actividades de cooperação internacional, nomeadamente pela participação em acções de formação de ONG’s internacionais, intercâmbio de material gráfico e audiovisual de informação e prevenção e formação de voluntários e elaboração de candidaturas a programas internacionais, ou comunitários junto da Assembleia Geral das Nações Unidas para a reunião de implementação de compromissos sobre o HIV/SIDA.

45


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

3 – ORÇAMENTO PREVISIONAL PARA 2008 Fundação Portuguesa "A Comunidade Contra a SIDA" ORÇAMENTO DE CUSTOS E PROVEITOS CUSTOS TOTAL

Fornecimentos e serviços externos Custos com o pessoal Remunerações Outros Amortizações do exercício Provisões do exercício Impostos Outros juros e custos similares Custos e perdas extraordinárias Resultado líquido do exercício

250.000,00 53.000,00 42.000,00 11.000,00 30.000,00 0,00 50,00 700,00 5.000,00 14.250,00

PROVEITOS TOTAL

Subsídios à exploração Memorial Trust C.M.L. C.M.P. Minisrério da Educação C.N.L.C.S. Outros Outros juros e proveitos similares Proveitos e ganhos extraordinários Donativos em espécie Donativos em dinheio

200.000,00

3.000,00 150.000,00

Resumo: Resultados operacionais Resultados financeiros Resultados correntes Resultados extraordinários Resultados antes de impostos Resultado líquido do exercício

-133.050,00 2.300,00 -130.750,00 145.000,00 14.250,00 14.250,00

46


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

4 – AGRADECIMENTOS A Fundação Portuguesa “A Comunidade Contra a Sida” agradece aos seguintes Mecenas: v J.B.

FERNANDES

MEMORIAL

TRUST

-

FUNDAÇÃO

ROCKFELLER v Alegria Seguros, Sociedade de Mediação, Lda. v ARS Centro v Baunilha Bourbon, Lda. v Bom Fumo, Lda. v Bristol – Myers Squibb Farmacêutica Portuguesa, S.A. v Câmara Municipal de Câmara de Lobos v Câmara Municipal de Coimbra v Câmara Municipal do Funchal v CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA v Câmara Municipal de Loures v Câmara Municipal de Oeiras v Câmara Municipal de Setúbal v Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia v Casa de Acolhimento Temporário “Casa do Lago” v Casa de Acolhimento Temporário “Centro de Promoção Juvenil” v Centro Educativo Padre António Oliveira v Centro Educativo Navarro Paiva v Centro Educativo da Bela Vista v Centro Educativo dos Olivais – Coimbra v Centro Regional de Alcoologia do Porto v Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional do Norte v Companhia Portuguesa de Hipermercados, S.A. 47


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

v COORDENAÇÃO NACIONAL PARA A INFECÇÃO VIH/SIDA v Comunidade Vida e Paz v Creatives RAM v Cruz Vermelha Portuguesa v Delta Cafés v Direcção Geral de Reinserção Social v Dupla DP – Design e Gestão Publicitária, Lda. v Efacec Capital v El Corte Inglés – Grandes Armazéns, S.A. v Electro Atlântico, Lda. v Empresa Diário de Notícias, Lda. v Escola Superior de Educação de Coimbra v Escola Básica e Secundária Padre Manuel Álvares v Escola Secundária Artur Gonçalves v Estabelecimento Prisional de Sintra v Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa – Departamento de Imunologia v Fundação Engenheiro António de Almeida v Fundação para o Desenvolvimento Social do Porto v FUNDAÇÃO PORTUGAL TELECOM v Gilead Sciences, Lda. v GlaxoSmithKline - Produtos Farmacêuticos, Lda. v Governo Civil do Porto v Governo Regional da Madeira v GUI – Grupo Universitário de Intervenção v Hospitais da Universidade de Coimbra v Hospital Pediátrico de Coimbra – Consulta de Infecciologia Pediátrica v Hotel Ipanema Park v Hotel Lisboa Plaza 48


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

v Hotel Tivoli Lisboa v Hotel Tryp Coimbra v Imprime – Serigrafia e Artes Gráficas, Lda. v Imprimeri – Tratamento de Imagem, Lda. v Instituto da Droga e Toxicodependência v Instituto Politécnico de Coimbra v Instituto Português da Juventude v Intyme Ltd v Isaura & Santos, Lda. v Junta de Freguesia da Ajuda v Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica v Junta de Freguesia de Santa Maria de Belém – Rede Social v KFC v KPMG v Ldl, Exploração Bares, Snack Bares e Esplanadas, Lda. v Le Meridien Park Atlantic Lisboa e Porto v Le Meridien Penina Golf & Resort v Madeira Regency Palace v Merck Sharp & Dohme, Lda. v MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO v MINISTÉRIO DA SAÚDE v MISERICÓRDIA DE SETÚBAL v Nestlé Portugal, S.A. v OFCEP – Office Centre Portugal, Lda. v Pizza – Hut de Setúbal v Rede Nacional de Expressos v Rede Social de Coimbra v Renex – Rede Nacional de Transportes, Lda. v Restaurante D. Duarte Dois v Roche Farma – Química 49


Plano de Actividades e Orçamento Previsional para 2008

v Schering – Plough Farma, Lda. v Schweppes v Sixty Portugal, Unipessoal, Lda. v Sociedade Água do Luso v Sub - Região de Saúde de Coimbra v TEF – Teatro Experimental do Funchal v Tipocor – Publicidade & Artes Gráficas, Lda. v Última Ideia – Representações Têxteis e Serviços de Moda, S.A. v Universidade Católica Portuguesa – Porto v ZT Two Image – Comércio de Calçado, S.A.

50

Plano Anual de Atividades - 2008  
Plano Anual de Atividades - 2008  
Advertisement