Issuu on Google+


Autores: Rita Coelho Nº5 Filipa Cardoso Nº17 Inês Cruz Nº22 Marta Dias Nº27 12ºB

Disciplina: Biologia

Professora: Rosa Simões

Escola Secundária de Albufeira

Albufeira, 25 de Fevereiro de 2013

2


Índice  Introdução

Pág. 4

 OGM, Dúvida Populacional e Verdade Científica

Pág.5

 Conclusão

Pág. 9

 Webgrafia e Bibliografia

Pág. 10

3


Transgénicos, uma realidade permanente Os organismos geneticamente modificados (OGMs) ou transgénicos, frutos da engenharia genética criada pela Biotecnologia, dizem respeito a organismos cujo código genético é alterado pela introdução de novos genes. Este processo é possível pela utilização de enzimas que quebram a cadeia de DNA permitindo a inserção de novos segmentos de DNA de outros organismos no organismo inicial. O principal objetivo desta mutação prende-se com a obtenção de organismos com características novas e melhoradas em relação ao original. Uma significativa diversidade de vantagens, em termos económicos e de produção agrícola, faz com que progrida a investigação e a comercialização de produtos geneticamente modificados. No entanto, as suas desvantagens no que toca ao impacto na saúde pública e ao impacto ambiental, leva-nos a pensar “ Será que devemos permitir o contínuo desenvolvimento dos OGMs e a sua introdução na nossa alimentação, no nosso meio de vida, colocando em risco a segurança e o equilíbrio do ecossistema?”. É necessário analisar esta questão para definirmos qual o rumo que queremos dar à nossa qualidade de vida.

1- Esta imagem diz respeito ao processo de produção dos OGMs

2- Esta imagem diz respeito ao processo de formação de maçãs resistente aos bolores a partir de genes da cebola. 4


OGM, Dúvida Populacional e Verdade Científica Com o objetivo de perceber o conhecimento e a forma como a sociedade encara o avanço da tecnologia e o cultivo bem como a produção de alimentos transgénicos, efetuámos um estudo. A partir de questões feitas a um número restrito de indivíduos constatou-se primeiramente que um significativo número desconhece o significado do conceito e portanto a sua incidência a nível mundial. Os restantes 30 indivíduos apresentam alguns conhecimentos acerca dos transgénicos que existem atualmente e sobre o organismo geneticamente modificado mais produzido no mundo: Quais são os produtos transgénicos que sabe que existem atualmente no mundo? 13

15 10

11

9 5

5

0

0

Algodão

Colza

0 Soja

Milho

Outros

Não sei

 Gráfico 1 Qual a planta transgénica mais cultivada no mundo? 20

16 9

10

4

0 Milho

Soja

Não sei

 Gráfico 2 Na realidade dados da indústria relativos a 2011 referem que a soja é o transgénico mais produzido no mundo (ocupa 47% da área total cultivada com transgénicos), seguida pelo milho transgénico (32%), pelo algodão transgénico (15%) e pela colza transgénica (5%). No entanto o cultivo de flores, beterraba, alfafa e algumas outras espécies transgénicas somam menos de 1% da área total. Verifica-se então que os indivíduos estão mais informados acerca do milho transgénico do que em relação à soja, talvez por ser alvo constante de diversas notícias: A infindável 'polémica OGM' Um estudo científico que relaciona o milho transgénico com o aparecimento de cancro despertou mais dúvidas do que certezas "O método científico é o pior dos sistemas com exceção de todos os outros." Proferida a propósito da democracia, por Winston Churchill, a frase pode ser adaptada ao protocolo que rege a atividade científica e que se baseia em seis passos: formular uma pergunta; fazer investigação; construir uma hipótese; testar a hipótese, através de uma experiência; analisar os dados e comunicar os resultados. Apesar de rigoroso, não é infalível. A última polémica envolve milho transgénico, opositores ao seu cultivo e uma experiência que relaciona o seu consumo com a incidência de cancro. Há dias, Gilles-Eric Séralini, da Universidade de Caen, em França, apresentou um estudo segundo o qual ratos alimentados com milho 5


geneticamente modificado para resistir a um herbicida tinham mais e maiores tumores mamários do que aqueles que ingeriam milho normal. Jornais e revistas de todo o mundo fizeram capa com imagens dos ratos, deformados por bolas enormes. Os opositores do cultivo de organismos geneticamente modificados, vulgo OGM, aproveitaram o novo argumento para voltar a exigir a proibição destes alimentos introduzidos, em Portugal, em 2005. Mas as críticas ao artigo de Séralini, publicado na revista científica Food and Chemical Toxicology, também não demoraram a aparecer. A revista Newscientist, por exemplo, elencou uma série de razões que acabam com a razão de Séralini, assumido ativista anti-OGM: os ratos usados pela sua equipa têm tendência para desenvolver tumores mamários; foram omitidos os dados relativos ao número de cancros no grupo de controlo apenas 20, para 80 ratos de teste. As ferramentas estatísticas utilizadas também foram criticadas, bem como o facto de Séralini e a sua equipa terem impedido que jornalistas submetessem o artigo à apreciação de outros investigadores. "Já é a sétima história-bomba que sai", contabiliza José Feijó, investigador do Instituto Gulbenkian de Ciência e especialista em Biologia Vegetal. "As outras não sobreviveram muito tempo, algumas nem um mês, e quer-me parecer que não vai ser esta a fazer a diferença." Nos EUA, 94% da soja e 72% do milho são de origem transgénica. Até agora, não há qualquer registo de aumento de doenças em pessoas ou animais que os consomem. Setembro de 2012 in Visão

3- Esta figura diz respeito a ratos alimentados com milho transgénico e consequentes tumores. A partir desta notícia conclui-se que de facto existe uma dúvida constante acerca das vantagens e dos riscos do consumo de transgénicos uma vez que ao alterarem o código genético podem ou não modificar a expressão e funcionalidade normal das proteínas. Tal facto foi alvo de um estudo realizado por duas universidades italianas: “ 43 Proteínas Quem não ouviu já dizer que os transgénicos são iguais à planta original mais uma única proteína, a transgénica? Pois bem, nada poderia estar mais longe da verdade. Um trabalho realizado por equipas de duas universidades italianas revelou que, no caso do milho transgénico MON 810 (o mesmo que é cultivado em Portugal), a manipulação genética introduz uma profusão de alterações, para além de acrescentar a proteína nova propriamente dita. Foram detectadas mudanças nos níveis de expressão de 43 proteínas! Estas alterações - totalmente inesperadas - são atribuídas pelos cientistas ao processo de introdução do transgene. Um pouco como uma bomba atira estilhaços, também a entrada do transgene cria interferências em muitos outros pontos do genoma. Isto não prova que este transgénico represente um risco para a saúde, note-se, mas certamente prova que é claramente diferente da variedade de controlo. E isso é precisamente o que 6


a indústria e a EFSA (Autoridade Europeia de Segurança Alimentar) se recusam a admitir. Eis o artigo: Proteomics as a Complementary Tool for Identifying Unintended Side Effects Occurring in Transgenic Maize Seeds As a Result of Genetic Modifications.” Setembro 2010

4- Esta figura diz respeito ao processo de tradução que leva à formação da proteína. Em relação à opinião dos indivíduos: Os transgénicos são seguros? 19

20

9 1

0 Sim

Não

Não sei

 Gráfico 3 

Consumiremos alimentos transgénicos sem saber?

Existe uma quantidade diversificada de alimentos que contém transgénicos que colocamos à nossa mesa sem nos apercebermos: Produtos

Presença de OGM

Aspartame

Adoçante feito em laboratório através da manipulação de vários compostos. Presente em refrigerantes, iogurtes, chocolates etc.

Exemplos

5- Refrigerantes

Óleos

Produzidos a partir de soja geneticamente modificada. 6- Óleo

7


Amido de milho

Extraídos do milho, grande parte deste grão produzido do mundo é geneticamente modificado. 7- Amido de milho

Margarina

Utiliza gorduras vegetais purificadas e hidrogenadas extraídas de plantas transgénicas. 8- Margarina

Leite de vaca

Salsicha

Soja e derivados

A somatropina bovina (BST) é uma forma geneticamente modificada de hormona de crescimento bovino que provoca um aumento da produção de leite.

9- Leite de Vaca

É uma mistura de produtos e subprodutos de origem animal, mas muitas marcas usam soja e xaropes de milho geneticamente modificados.

10- Salsichas

70% da sua produção mundial é geneticamente modificada. 9 – Leite de soja

Opinião dos indivíduos: Existem produtos que usam ingredientes transgénicos à venda no nosso hipermercado? 30

24

20 10

0

5

0 Sim

Não

Não sei

 Gráfico 4 8


Transgénicos, um avanço científico e melhoria da qualidade de vida ou uma sucessiva catástrofe global? Atendendo à questão e baseando-nos também na opinião dos indivíduos inqueridos concluímos que uma grande parte é contra a comercialização dos transgénicos, comprovado no seguinte gráfico: Não sei; 4 Sim; 4

Não; 21

 Gráfico 5 Isto significa que 4 dos indivíduos concordam com a comercialização, logo com o desenvolvimento da produção dos OGMs, ou seja no fundo concordam com a progressão da investigação da Biotecnologia nesta vertente visto que a humanidade progride em simultâneo com o desenvolvimento tecnológico, sendo que a Biotecnologia pode solucionar problemas como a fome a partir do arroz transgénico e o controlo das pragas. A oposição de 21 dos indivíduos bem como a nossa deve-se aos potenciais riscos associados à sua produção, sendo que segundo a Rede Europeia de Cientistas pela Responsabilidade Social e Ambiental, a partir de uma declaração que 297 cientistas assinaram, não existem provas que os organismos geneticamente modificados sejam seguros. A sua produção pode converter-se num ciclo vicioso que tanto afeta as espécies alvo, como as não-alvo, tendo repercussões nos ciclos biogeoquímicos, afetando a dinâmica dos ecossistemas. Deste modo é importante estarmos atentos à sua evolução, aos impactos negativos, aos problemas que se poderão eventualmente solucionar, não comprometendo o equilíbrio global. A informação da população é fundamental, pois nem todos os indivíduos se encontram bem informados acerca dos transgénicos. Nós já fizemos a nossa escolha, somos a favor da produção agrícola biológica e decidimos assinar petições contra a produção de transgénicos, porque a escolha é de todos!

Algumas das petições assinadas:  Contra a Libertação no Ambiente de Organismos Transgénicos http://naturlink.sapo.pt/article.aspx?menuid=20&cid=7322&bl=1  Insectos transgénicos? Não, obrigado http://www.petitiononline.com/TakNakGM/petition.html  Abaixo assinado contra os transgénicos na alimentação http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N26075  Por uma ciência ao serviço da sociedade http://sciencescitoyennes.org/open-letter-eu-research/ 9


Bibliografia 

Ribeiro, E. et al. (2013). 12 BIO DESAFIOS. (1ªedição). ASA

Webgrafia 

GREEN SAVERS. (2013).7 alimentos transgénicos que consumimos sem saber. Recuperado

em

17

de

Fevereiro

de

2014,

de

http://greensavers.sapo.pt/2013/11/12/7-alimentos-transgenicos-queconsumimos-sem-saber/ 

Visão Verde. (2012). A infindável ‘polémica OGM’. Recuperado em 18 de Fevereiro de 2014, de http://visao.sapo.pt/a-infindavel-polemica-ogm=f688653

Transgénicos Fora, Plataforma por uma agricultura sustentável. 43 Proteínas. Recuperado

em

18

de

Fevereiro

de

2014,

de

http://stopogm.net/content/43proteinas 

Transgénicos Fora, Plataforma por uma agricultura sustentável. Perguntas Mais Frequentes. Recuperado em 19 de Fevereiro de 2014, de http://stopogm.net/faqs

European Network of Scientists for Social and Environmental Responsibility. (2013). 297 scientists and experts agree GMOs not proven safe. Recuperado em 18 de Fevereiro de 2014, de http://www.ensser.org/media/0713/

SlideShare. (2010).Transgénicos. Recuperado em 20 de Fevereiro de 2014, de http://www.slideshare.net/esas/transgnicos-5459398

Infopédia. (2003). Transgénicos: Sim ou Não?. Recuperado em 20 de Fevereiro de 2014, de http://www.infopedia.pt/$transgenicos-sim-ounao;jsessionid=MHFPDTXh1jCbJsaWc6BdXA__

Fonte das imagens 

Imagem 1: https://www.google.pt/search?q=engenharia+gen%C3%A9tica+produ%C3%A7%C3%A3o+de+transg%C3 %A9nicos&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=4pgIU8zxLXC7AaBzYDQBg&ved=0CAcQ_AUoAQ&biw=1366&bih=630#facrc=_&imgdii=_&imgrc=bKg4zo5FY XC6UM%253A%3BxCTmEE2hWpc0AM%3Bhttp%253A%252F%252Frusp.scielo.br%252Fimg%252Fre vistas%252Frusp%252Fn89%252F11f03.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Frusp.scielo.br%252Fscielo.php %253Fscript%253Dsci_arttext%2526pid%253DS010399892011000200011%2526lng%253Dpt%2526nrm%253Diso%3B741%3B679

10


Imagem 2: https://www.google.pt/search?q=engenharia+gen%C3%A9tica+produ%C3%A7%C3%A3o+de+transg%C3 %A9nicos&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=4pgIU8zxLXC7AaBzYDQBg&ved=0CAcQ_AUoAQ&biw=1366&bih=630#q=como+os+cientistas+modificam+os+a limento&spell=1&tbm=isch&facrc=_&imgdii=_&imgrc=ima3ysPuuttSM%253A%3BapvUYBjSdYrSoM%3Bhttp%253A%252F%252Fbiotrans.ogm.zip.net%252Fimages %252Fmodificacao_dos_alimentos.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fbiotrans.ogm.zip.net%252F%3B2160 %3B724

Imagem 3: http://saojoaquimonline.com.br/saojoaquimdefato/?p=5752

Imagem 4: http://stopogm.net/content/43proteinas

Imagem 5: http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=562350

Imagem 6: http://stopogm.net/conteudo/ogm-venda-lojas-e-supermercados

Imagem 7: https://www.google.pt/search?q=fermento+maizena&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=CpYIUyVBuLP0AXM34D4Bw&ved=0CAcQ_AUoAQ&biw=1366&bih=630#q=amido+de+miho+maizena&tbm =isch&facrc=_&imgdii=_&imgrc=PxDwyRRWrI52AM%253A%3B36w27mIqaSfjTM%3Bhttp%253A%2 52F%252Fwww.cuboazul.com.br%252Fimagem%252Findex%252F3083760%252FG%252Fmaizena.jpg %3Bhttp%253A%252F%252Fwww.cuboazul.com.br%252FAmido-de-Milho-Maizena-500g%252Fprod1555758%252F%3B494%3B478

Imagem 8: https://www.google.pt/search?q=fermento+maizena&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=CpYIUyVBuLP0AXM34D4Bw&ved=0CAcQ_AUoAQ&biw=1366&bih=630#q=planta+margarina&tbm=isch&f acrc=_&imgdii=_&imgrc=7Y8jR_AlFLcrWM%253A%3BnwVgDDkUVh6RAM%3Bhttp%253A%252F %252Fleitao-mamede.com%252Fprodutos%252FFIG7312.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fleitaomamede.com%252Fcatalogo%252Fcatalogo.php%253Fsetor%253D1%2526familia%253D7%2526categor ia%253D48%3B800%3B533

Imagem 9: https://www.google.pt/search?q=salsichas&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=oZYIU7jGA4Oz0QW47Y CoBw&ved=0CAcQ_AUoAQ&biw=1366&bih=630#facrc=_&imgdii=_&imgrc=w_DgPShpQoFIJM%253 A%3BmblS57-cfdEIEM%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.evelinduarte.com.br%252Fwpcontent%252Fuploads%252F2012%252F01%252Fshutterstock_79217059.jpg%3Bhttp%253A%252F%25 2Fwww.evelinduarte.com.br%252F%253Fp%253D891%3B1000%3B695

Imagem 10: https://www.google.pt/search?q=leite+de+soja&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=yJYIU8jcNcHhywPV xYLQAg&sqi=2&ved=0CAcQ_AUoAQ&biw=1366&bih=630#facrc=_&imgdii=_&imgrc=QF4u1jeMS58 TmM%253A%3BcFLRcETwd7WTZM%3Bhttp%253A%252F%252Fdrvictorsorrentino.com.br%252Fwpcontent%252Fuploads%252F2012%252F05%252Fleite-desoja.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fdrvictorsorrentino.com.br%252Fleite-de-soja-de-onde-veio-a-ideiade-que-e-um-alimento-saudavel%252F%3B386%3B354

11


OGM