Page 1

Política Tony Gel prestes a deixar o DEM Respeito dessa possibilidade de o DEM se dissolver, o democrata defendeu que não se posicionou ainda Wagner Santos Diante da grande queda do DEM nas urnas, o deputado Tony Gel, que de acordo com informações dos bastidores, estaria junto com sua esposa, a ex-deputada Miriam Lacerda, com a intenção de deixar a legenda, disse que o próprio partido deve passar por uma discussão sobre o futuro. Segundo ele, somente depois da disputa final é que há de se pensar nisso. “É claro que o partido perdeu muita musculatura, e que é preciso repensar algumas coisas. Se vai se fundir a um partido ‘A’ ou ‘B’, ou se continuará. É uma discussão que será feita, somente depois do segundo turno”, afirmou em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, ontem. A respeito dessa possibilidade de o DEM se dissolver, o democrata defendeu que não se posicionou ainda. “Prefiro aguardar o momento que deveremos se reunir, assim como a Miriam também fará a parte dela para que a gente possa dar nossa parcela de colaboração”, declarou. Mesmo sem negar, nem afirmar se sai ou não, Gel destacou que a possibilidade de o DEM vencer a eleição em Salvador (BA), pode contar pontos a favor da manutenção”, disse. Outra questão que ele tratou foi acerca das eleições de 2014. Gel, mesmo sendo oposição ao Governo Eduardo Campos (PSB), declarou que votaria no socialista para presidente. “Sempre dissemos que ele faz um governo arrumado. Um governo que não é 100%, porque ninguém é 100%, mas que avançou na atração dos empreendimentos. E tendo em vista os quadros que estão sendo colocados e a reeleição de Dilma, Não tenho dúvida que o melhor nome é o de Eduardo Campos”, admitiu.

Folha de Pernambuco - PE 23/10/2012 - 07:51 Colunas Folha Política Bate chapa Renata Bezerra de Melo Embora cerca de 30 parlamentares tenham subscrevido documento de apoio à recondução de Guilherme Uchoa e de João Fernando Coutinho à presidência da Alepe, e primeira-secretaria, respectivamente, há uma parcela restante dos 49 deputados acreditando que haverá bate chapa, inclusive para primeirasecretaria. Nessa lista de possibilidades de disputas, cogitadas nas coxias, entram ainda a 3ª e a 4ª secretarias. A terceira, hoje, é ocupada por Henrique Queiroz (PR) que, em tese, cederia a vaga para o correligionário Sebastião Oliveira. Só que Rodrigo Novaes (PSD), pelo fato de o PSD contabilizar quatro parlamentares na Casa, poderia concorrer com Sebastião, segundo comenta-se nos subterrâneos. Fora isso, Marcantônio Dourado, do PTB, atual 1º vice-presidente, não subscreveu ainda o documento apoiando a transferência do cargo para o correligionário Júlio Cavalcanti. Há de se considerar ainda que o presidente estadual do PTC, Eriberto Medeiros, já manifestou insatisfação com a ideia de deixar seu espaço, na 4ª secretaria, para Everaldo Cabral, do PSD, sendo a favor da manutenção do PTC no comando. A conferir. Trânsito - Com o fim da eleição, no Recife, para o DEM, o presidente estadual da sigla, Mendonça Filho, tem tido mais flexibilidade para conversar com lideranças de campos opostos. Ontem pela manhã, esteve no escritório do senador Armando Monteiro (PTB). O petebista registrou apenas que eles “são amigos e têm estado sempre juntos”. Na semana passada, atendendo telefonema do senador Jarbas Vasconcelos, o dirigente democrata também esteve no gabinete do peeemedebista, em Brasília. De Geraldo para Serra A pernambucana Hermanos, responsável pelas redes sociais na campanha de Geraldo Julio, acabou contratada para trabalhar, no segundo turno, com o prefeiturável do PSDB, José Serra. É deles a produção do aplicativo para o Facebook, Angry Haddad, paródia do famoso Angry Bird. Ontem, o PT conseguiu tirar o jogo do ar - mostrava José Dirceu, Haddad e Maluf como birds que destruiam obras em SP. Check-up em São Paulo Claudiano Martins Filho embarca, amanhã, para São Paulo. Vai fazer uma visita ao presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, que lá está internado, desde a sexta-feira, para realização de exames, depois que alguns nódulos foram localizados em seus pulmões. A previsão é de que Sérgio retorne ao Recife já na próxima terça. Ensaiando No Recife, os parlamentares tucanos aguardam o retorno de Guerra para bater o martelo nas vagas que o PSDB ocupará a partir de 2013 na Alepe. Claudiano Martins Filho está cotado para 2º vice-presidente no lugar de Edson Vieira. Ontem, o parlamentar passou parte da sessão na mesa, trocando impressões com Marcantônio Dourado. Lideranças Líder da oposição, Antônio Moraes já informou aos colegas que não


está de olho na liderança da oposição, função que deve ser assumida por Daniel Coelho, que saiu da eleição para prefeito com 250 mil votos. Moraes, então, deve ficar com a liderança do PSDB. Mas todas essas costuras só serão amarradas com o aval de Sérgio Guerra. Curtas Substituto - Outro cargo que deve ir ao debate é a presidência da Comissão de Agricultura, hoje ocupada por Claudiano Martins. Como ele está cotado para ocupar a segunda vice-presidência, no lugar de Edson Vieira, a cadeira vai ficar vaga. O DEM... - O deputado federal Augusto Coutinho recebe, hoje, em Brasília, das mãos d presidente Dilma Rousseff a Ordem do Mérito Aeronáutico, na categoria Grande-Oficial. ...e Dilma - Esta é a maior comenda entregue pela Força Aérea Brasileira e destaca quem tem prestado serviços relevantes ou notáveis ao país ou se distinguido no exercício de sua profissão. Poupança obrigatória - Depois que a OAB manifestou-se contra o corte de 10% na remuneração de comissionados, em Jaboatão, o secretário de Assuntos Jurídicos sapecou: “Trata-se de um empréstimo compulsório!”. E devolve como?

Folha de Pernambuco - PE 23/10/2012 - 07:54 Colunas Esplanada Adams & mulher tributarista no STF Leandro Mazzini com Vasconcelo Quadros (interino) Zé bravinho Continua a polêmica do projeto 4470, que autoriza a partidos novos o direito a fundo partidário só após participar de eleições. O deputado Sílvio Costa (PTB-PE) esbravejou pela proposta na reunião de líderes. ‘É que ele quer fundar partido’, brincou um. PEN e PSD PEN e PSD, fundados este ano, já abocanharam bom naco do fundo. Daí a tentativa de mudança da lei. ‘Tenho direito a uns trocadinhos’, disse o presidente do PEN à coluna. No ar Emerson Fittipaldi lançará uma linha de helicópteros com seu nome. Fechou parceria com a italiana Agusta, para edição limitada do chamado Ferrari dos Ares. Ponto final Hugo Chávez anunciou seis novos ministros de seu novo mandato pelo Twitter. É o espaço da liberdade de expressão na Venezuela: seus 144 caracteres Com Vinícius Tavares, Marcos Seabra e Adelina Vasconcelos

JC Online - PE 23/10/2012 - 05:30 Política PSDB já reivindica a liderança da oposição Com seis deputados, a maior bancada da oposição, tucanos querem manter liderança do bloco e indicam que não vão apoiar a 3ª reeleição de Uchoa para a presidência Ayrton Maciel Com a chapa da próxima mesa diretora (2013-2015) já articulada e a terceira reeleição do presidente Guilherme Uchoa (PDT) e do primeiro secretário João Fernando Coutinho (PSB) pelo governador Eduardo Campos (PSB), a bancada do PSDB na Assembleia Legislativa quer se reunir, ainda esta semana, com o líder estadual e presidente nacional da legenda - formalmente o maior da oposição -, deputado federal Sérgio Guerra, para definir posição sobre apoiar ou não a recondução à mesa, o próximo líder do partido e a manutenção da liderança do bloco oposicionista. Depois da assinatura, semana passada, de mais de 30 dos 49 deputados da Casa em documento de endosso à reeleição de Uchoa e Coutinho, o tucano e ex-candidato a prefeito do Recife, Daniel Coelho, segundo colocado no pleito, revelou que o PSDB não fechou posição sobre a recondução e que pode votar contra o quarto mandato. Daniel disse que ele próprio, Betinho Gomes e Antônio Moraes não assinaram, nem Claudiano Martins Filho, Carlos Santana e Edson Vieira tinham informado da adesão. “O PSDB ainda vai tomar posição. Se alguém assinou e o partido fechar posição contra, vai ter de acatar”, alertou. Por outro lado, o governista PTC, com dois deputados, mantém a decisão de reivindicar a permanência na 4ª secretaria, ocupada Eriberto Medeiros. Na composição articulada entre Uchoa, Coutinho e o governo, o cargo passaria para o PSD, o mais novo partido, e seria ocupada por Everaldo Cabral. “Isso precisa ser discutido com todas as bancadas. A lista assinada foi em apoio à reeleição de Uchoa e Coutinho. Os demais cargos não foram discutidos (seriam disputados)”, voltou a protestar Ricardo Costa. Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 07:40


Política O Rafael que virou “Eriberto” Débora Duque Da Redação Rafael Acioli Medeiros é mais um dos 15 vereadores que irão estrear na Câmara do Recife a partir de janeiro do ano que vem. Mas não estranhe se não lembrar de ter visto seu nome nas peças publicitárias espalhadas pelas ruas durante o período eleitoral. Na campanha, ele preferiu se “transformar” em Eriberto Rafael. Colocou seu nome verdadeiro em segundo plano para priorizar o do pai: Eriberto Medeiros, deputado estadual, presidente do PTC e ex-vereador. O objetivo da troca, segundo o próprio, foi “agregar”. Isto é, não desperdiçar o patrimônio eleitoral já adquirido pelo pai que exerce o segundo mandato na Assembleia Legislativa. Em 2010, Eriberto conseguiu 37 mil votos no Estado. Neste ano, o filho conquistou 7.952 votos no Recife. Boa parte deles oriundos da sétima zona eleitoral (Cordeiro, Madalena, Iputinga), reduto de Eriberto. Rafael reconhece que a participação do pai foi decisiva para sua vitória. “Ele deu uma força muito grande porque ele já tinha uma base eleitoral. Como eu já estava inserido no grupo dele, foi muito positivo para mim”, admite. Ele garante, no entanto, que a iniciativa de lançar-se candidato foi exclusivamente sua. O novo vereador chegou a ensaiar disputar o pleito de 2008, mas só decidiu ingressar na vida política após a última campanha do pai. Foi quando disse ter tomado “gosto” pela carreira. A responsabilidade de carregar um sobrenome político, no entanto, não o assusta. “Não sinto que haverá uma cobrança muito grande só porque sou filho de político. Não vou carregar um peso maior. Todo mundo tem obrigação de fazer um bom mandato”, assinala. Aos 24 anos, Rafael será um dos vereadores mais jovens da Câmara. Formado em Biomedicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e em via de concluir o mestrado na mesma área, ele pretende direcionar seu mandato para a área da saúde. Não sabe ainda, no entanto, o teor das propostas que irá apresentar. “Vou sentar para elaborar direito, ver os projetos de lei que já existem e atuar mais fortemente nessa área, já que tenho maior afinidade. Mas não vou ficar restrito a isso”, ressalta.

Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 07:28 Política PSDB já reivindica a liderança da oposição Com seis deputados, a maior bancada da oposição, tucanos querem manter liderança do bloco e indicam que não vão apoiar a 3ª reeleição de Uchoa para a presidência Ayrton Maciel Com a chapa da próxima mesa diretora (2013-2015) já articulada e a terceira reeleição do president Guilherme Uchoa (PDT) e do 1º secretário João Fernando Coutinho (PSB) pelo governador Eduardo Campos (PSB), a bancada do PSDB na Assembleia Legislativa quer se reunir, esta semana, com o líder estadual e presidente nacional da legenda - a maior da oposição -, deputado federal Sérgio Guerra, para definir posição sobre apoiar ou não a recondução à mesa, o próximo líder do partido e a manutenção da liderança do bloco oposicionista. Após a assinatura, semana passada, de mais de 30 dos 49 deputados da Casa em documento de endosso à reeleição de Uchoa e Coutinho, o tucano e ex-candidato a prefeito do Recife, Daniel Coelho, segundo colocado no pleito, revelou, ontem, que o PSDB não fechou posição sobre a recondução e que pode votar contra o quarto mandato. Daniel disse que ele próprio, Betinho Gomes e Antônio Moraes não assinaram, nem Claudiano Martins Filho, Carlos Santana e Edson Vieira tinham informado da adesão. “O PSDB ainda vai tomar posição. Se alguém assinou e o partido fechar posição contra, vai ter de acatar”, alertou. Cada vez menor na Casa, a oposição diminuiu de dez para nove deputados, com a adesão do PMDB à base do governo estadual, levando seu único parlamentar, Gustavo Negromonte. Com seis deputados, o PSDB vai reivindicar a continuidade na liderança (o DEM tem dois e o PMN tem um), há dois anos ocupada por Antônio Moraes. Para a renovação da mesa da Casa – a eleição para o biênio 2013-2015 está marcada para 3 de dezembro –, o partido optou por indicar Claudiano Martins Filho para substituir Edson Vieira na 2ª vice-presidência. “Moraes não fez questão. Vamos nos reunir com Sérgio Guerra para o partido indicar o seu líder e o nome para a liderança da oposição”, revelou Claudiano. “Não tem clima de disputa no PSDB, que tem uma bancada muito maior. Por isso, deve manter a liderança. Reivindiquei isso há dois, quando estava no PV. Mas será uma decisão do grupo. É uma questão interna e de composição de partido”, acrescentou Daniel.


Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 07:30 Política Emendas à LOA chegam a 4,7 mil Segundo colocado é Cleiton Collins (PSC), autor de 495 emendas, seguido por Claudiano Martins Filho (PSDB) com 24 A.M Com o prazo para apresentação de emendas parlamentares terminando amanhã (24), a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2013 – encaminhada pelo governo à Assembleia Legislativa – recebeu, até ontem, 4.728 propostas modificativas apresentadas pelo deputados no sistema eletrônico de protocolo da Assistência Legislativa. Pelo número de propostas apresentadas, a previsão é que a produção parlamentar fique abaixo do recorde de 2012, quando a LOA recebeu 12.529 emendas. O campeão em emendas, até o momento, é o deputado Ricardo Costa (PTC), que protocolou 4.135 das 4.728 no sistema. O segundo colocado é Cleiton Collins (PSC), autor de 495 emendas, seguido por Claudiano Martins Filho (PSDB) com 24. Cada deputado dispõe, hoje, de R$ 1 milhão do orçamento anual para emendas (R$ 49 milhões reservados na LOA). Do total, já chegaram numeradas à Comissão de Finanças 2.380 emendas (após análise contra duplicidade). Todas são modificativas. Deputados não podem apresentar emendas aditivas (criar despesas). “O orçamento caminha para a municipalização em razão das dificuldades (redução do FPM), com sub-ações. Cada emenda é uma sub-ação. Se ultrapassar R$ 1 milhão, o deputado tem que ir buscar em orçamentos de secretarias do Executivo”, explica o coordenador da Comissão, Osman Frazão.

Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 09:02 Colunas Dia a Dia Os abusos dos eventos na orla Da Redação Gilson Machado engrossa o cordão dos muitos moradores de Boa Viagem que tiveram seu único dia de descanso na semana subtraído, em função de mais um evento na Avenida. Domingo, às 7h, trios afinavam instrumentos nas alturas, sem nenhum respeito à lei do silêncio. Não é de hoje que a coluna O frei Damião da Silva recebe o título de cidadão pernambucano, dia 29, às 18h, na Alepe. Proposição de João Fernando Coutinho.

Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 07:23 Colunas Pinga-Fogo Um compromisso de todos Da Redação Em função do aumento de denúncias de desvios de água potável, fornecida por carros-pipa para abastecer os 115 municípios castigados pela seca em Pernambuco, o governo decidiu montar uma rede de controle com a sociedade civil. Os moradores das cidades afetadas do Sertão e do Agreste estão sendo chamados para acompanhar o trajeto dos caminhões. No interior, prefeitos e vereadores interferem nos roteiros para atender aos pedidos dos aliados políticos. É justamente isso que o Estado quer evitar. A partir desta semana, o governo coloca um computador em cada conselho de desenvolvimento municipal com o programa do GPS que está instalado nos caminhões. Lá, a população pode ser treinada para participar voluntariamente da fiscalização. Essa rede de controle estimula a sociedade civil a praticar a política de forma mais ampla, aquela que faz referência a tudo o que se relaciona à cidade, onde a vida acontece, e a tudo o que é público. A população precisa deixar de reclamar e sair de sua zona de conforto. Além do mais, o governo também precisa firmar acordos com os seus aliados. Até porque dos 184 prefeitos eleitos este ano, 144 estão vinculados a partidos que estão na base do Palácio. Na verdade, esse compromisso transcende à questão partidária , deveria estar acima de interesses privados e


políticos. Infelizmente não é isso que está acontecendo. Oposição pequena e barulhenta Priscila Krause apresentou emenda à LOA fixando um teto de 10% para Geraldo Julio mexer no orçamento sem pedir autorização dos vereadores. Tudo para “não deixar a Câmara fora do debate sobre futuras mudanças na distribuição de verbas na PCR”. O projeto enviado por João da Costa eleva o teto para 15%. Comenta-se que Geraldo quer ampliar para 20%. Batizado Geraldo Julio não definiu o modelo de participação dos 14 partidos no governo. Mas já abriu diálogo com os seus presidentes. Almoçam na próxima semana. A divisão de cargos entra no cardápio? Reforço Na Alepe, a Comissão de Finanças vota hoje projeto que aumenta em 2,51% os salários do governador, do vice e dos secretários. Ainda vai ao plenário. Se passar, vigora com efeito retroativo a julho. Na Compesa, impera a lei do silêncio Depois da polêmica da PPP na campanha, ninguém comenta mais nada. Informação só com “ok” oficial. Todos estão sendo monitorados. É incrível, mas é a pura verdade O Estado autorizou ontem o afastamento de servidores para disputar a eleição, que ocorreu há 17 dias. É a velocidade da notícia. Opinião sobre o mensalão “Um dos principais pilares de um regime democrático é a Justiça. Para o cidadão acreditar nas instituições, ele precisa ter o sentimento de que a lei é igual para todos. Pela primeira vez na história do Brasil, isso está acontecendo, com o julgamento do mensalão. A ação do Poder Judiciário está rompendo com a percepção de que as leis são feitas apenas para punir os mais pobres." Raul Henry, deputado federal pelo PMDB. Com a palavra, o leitor O drama da seca é ainda mais cruel “Quase todos os carros-pipa contratados são indicações políticas e estão em nome de laranjas. Essa prática não é somente dos atuais governos, vem de outros também”. José Valter de Lavor, agrônomo, Recife. Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 07:31 Política Tony Gel e Miriam de saída do DEM “O partido tem que ter vitórias, ter quadros, ganhar eleições. Quando isso não acontece há motivos para que haja uma reformulação, uma mudança” Da Redação Diante do cenário de enfraquecimento político do DEM e da derrota de sua esposa, Miriam Lacerda (DEM), na disputa pela Prefeitura em Caruaru, o deputado estadual Tony Gel (DEM) sinalizou, ontem, que sua permanência no partido está com os dias contados. Embora tenha garantido que pretende aguardar uma decisão da Executiva nacional para, só então, traçar seu rumo político, ele declarou que a legenda necessita passar por uma “reformulação” e antecipou seu apoio a uma eventual candidatura do governador Eduardo Campos (PSB) à presidência da República em 2014. “O partido tem que ter vitórias, ter quadros, ganhar eleições. Quando isso não acontece há motivos para que haja uma reformulação, uma mudança”, disse, em entrevista à Rádio Folha. Sua intenção é definir seu futuro partidário até o fina deste ano. Entre as alternativas, ele citou o PMDB, liderado pelo senador Jarbas Vasconcelos (PMDB). “Não haveria dificuldades. Mas há muitas conjunturas”, afirmou. Mesmo integrando, oficialmente, a bancada de oposição ao governo do Estado na Assembleia Legislativa, Tony Gel disse que Eduardo Campos é o melhor “quadro” para disputar a próxima eleição presidencial. “Essa é uma questão que eu já colocava antes do período eleitoral. Se ele for candidato a presidente, eu e Miriam iremos votar nele por uma questão de pernambucanidade. Apesar de sermos adversários, sempre dissemos que ele faz um governo arrumado”, declarou. Jornal do Commercio - PE 23/10/2012 - 08:09 Colunas Repórter JC Discurso nacional Da Redação O governador Eduardo Campos (PSB) já tem pronto um discurso de interesse nacional: a formulação de um novo pacto federativo. Tema que ele já conversa com empresários e formadores de opinião no Sudeste ou em conferências. A Constituição de 1988 caminha para os 25 anos desfigurada e descaracterizada através de mais de 70 emendas e inúmeros artigos que sequer entraram em vigor pela falta de lei complementar. No Brasil, como diz Eduardo, há excesso de leis, resoluções e circulares. E a situação gera conflitos que só uma minirreforma constitucional poderia eliminar. Enquanto isso, a União centraliza grande parte da arrecadação, Estados brigam entre si pela guerra fiscal (ICMS) e grande parte dos municípios sobrevive dos repasses do FPM e governo central. Daí a urgência desse pacto federativo defendido pelo governador de Pernambuco, que almeja ser Presidente da República. Lixo e esgoto em Ipojuca Prefeito eleito de Ipojuca, Carlos Santana (PSDB/foto) confirmou ontem que quer saber do


Tribunal de Contas do Estado se foi legal a assinatura do novo contrato no valor de R$ 77 milhões, para a coleta do lixo, pelo prefeito Pedro Serafim (PDT), que paralisou as obras de saneamento em Porto de Galinhas, o cartão-postal de Pernambuco. Mensalão Para o ministro relator Joaquim Barbosa, “a prática de formação de quadrilha por pessoas que usam terno e gravata traz desassossego que é ainda maior dos que consagram a prática dos crimes de sangue”. Cachoeira A CPI do Cachoeira ganha mais seis meses para encerrar seus trabalhos, apesar da pressão de grupo de parlamentares que deseja o seu fim. “Temos de encontrar, ainda, os braços da Delta”, espera Sílvio Costa (PTB). Oposição O deputado estadual Daniel Coelho (PSDB) se credencia na Assembleia Legislativa: “Depois da eleição já trouxemos de volta a discussão sobre a PPP da Compesa”, conta. Situação Enquanto articula sua reeleição à mesa diretora da Câmara dos Deputados, Inocêncio Oliveira (PR) serve de ponte entre prefeitos eleitos e o governador Eduardo Campos (PSB). Com a palavra, o leitor Cadê as creches, prefeito? Parece que construir uma creche requer uma engenharia sofisticada demais, visto o tempo que demanda para o projeto sair do papel. MARIA CLÁUDIA GUEDES – RECIFE Política Daniel ainda espera apoio do PT sobre PPP da Compesa Coelho, novamente, esclareceu não ser contrário às PPPs. Contudo, o parlamentar mostrou-se opositor ao modelo proposto pelo Estado José Accioly

Divulgação Passadas as eleições municipais, o deputado estadual Daniel Coelho (PSDB) voltou a fazer novo aceno ao PT para, juntos, reascenderem a discussão em torno da Parceria-Público-Privada (PPP) do esgotamento sanitário da Compesa na Alepe. Em entrevista à Rádio JC/CBN, nesta segunda-feira (22), o tucano disse esperar que os petistas tomem posição sobre o assunto, não restringindo o debate do tema somente no período eleitoral, encabeçado pelo ex-candidato a prefeito do Recife, o senador Humberto Costa. Coelho reiterou a importância de debater o tema na Alepe, embora a questão não esteja na ordem do dia da Casa. “No processo eleitoral esse assunto foi levantado e não por nós, quem levantou foi o PT. Por isso, inclusive, eu espero que o PT não trate esse assunto somente em eleição. Que ele nos ajude agora, também, nessas discussões na Assembleia. Não quero de forma alguma ficar falando sozinho sobre esse assunto”, disparou o tucano. Daniel Coelho, novamente, esclareceu não ser contrário às PPPs. Contudo, o parlamentar mostrou-se opositor ao modelo proposto pelo Estado. “Já lá atrás eu estava muito preocupado com dois fatores em relação a esse contrato: primeiro em relação a um déficit que realmente fica nas contas da Compesa, de quase 15%, o que pode acarretar num aumento da conta. E segundo é que esse contrato com a empresa privada não garante que serão saneadas as áreas de difícil acesso, as áreas de morro e as áreas mais pobres da cidade”, ponderou o deputado.

Blog de Jamildo – PE 22/10/2012 - 15:29 Política Daniel Coelho cobra mais médicos a Eduardo Campos, em programa de rádio Médico especialista está inexistente tanto na rede municipal quanto na rede estadual de saúde Da Redação Alguns trechos da entrevista que o deputado estadual Daniel Coelho concedeu à rádio JC/CBN, na manhã desta segunda-feira. Críticas ao governo Eduardo Campos “Todo governo erra e acerta. Por mais que o governo seja bem avaliado, sempre vão haver erros, sempre vão haver equívocos. Da mesma forma, até um governo mal avaliado acerta de vez em quando. Eu não gosto de ter essa visão da política de que meu adversário só está errando e eu só estou acertando. Por exemplo, na área de saúde. Foram


feitas novas unidades de saúde, UPAs e hospitais, e a gente tem que achar que isso é positivo. Agora, o funcionamento dessas unidades, aí sim, temos um problema grave, hoje. Isso está identificado em todas as pesquisas: a população está insatisfeita com o sistema de saúde que nós temos no Estado. A gente caminhando pela cidade, fazer campanha dentro desse processo eleitoral que acabei de participar, a gente vê uma grande preocupação da população com a quantidade de profissionais. Você tem uma unidade nova de saúde, mas chega lá e não tem um médico, ou tem um médico e a fila é enorme. O médico especialista está inexistente tanto na rede municipal quanto na rede estadual de saúde. O grande desafio do governo do Estado nesses próximos dois anos, já que conseguiu dotar o nosso Estado de novas unidades de saúde, é fazer com que elas funcionem corretamente, ampliar a quantidade de profissionais e, para ampliar a quantidade de profissionais, algumas medidas de gestão têm que ser feitas. Há um problema no Brasil da quantidade de médicos, então temos que fazer com que os médicos que nós temos tenham mais condições e mais eficiência no atendimento. E aí é o ponto onde a gente avança, podendo fazer um sistema de informatização na saúde. Isso é extremamente importante e é a medida existente em outros Estados que estão com uma situação um pouco melhor que a nossa. Temos outros desafios. As estradas no interior do Estado estão completamente acabadas, precisamos recuperar a grande maioria delas, principalmente quando a gente vai distanciando da cidade do Recife. Os desafios são muitos e vai caber à oposição fazer a cobrança, esperando, claro, que o governo acerte e consiga dar soluções a essas demandas que são tão importantes pra nossa população.” Diário de Pernambuco Online – PE 22/10/2012 - 15:08 Política Comitiva visita "locais de memória" da Ditadura Militar no Recife Encontro acontece pela primeira vez no Brasil e já passou pelas capitais do Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre Rebeca Buarque A secretária de Direitos Humanos do Recife, Amparo Araújo, recebeu nesta segunda-feira (22) uma comitiva de autoridades nacionais e internacionais para conhecer o trabalho dedicado à memória das vítimas da ditadura militar na capital e visitar os locais dedicados a este trabalho. Entre os presentes estavam a ex-ministra da Cultura do Chile e diretora do Museu da Memória e dos Direitos Humanos, Marcia Scantlebury, o ex-relator especial para o direito à educação da ONU, Vernor Muñoz, o secretário executivo de Justiça e Direitos Humanos do governo de Pernambuco, Paulo Moraes, e André Lázaro, da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO). "Essa campanha é fundamental para esse momento que estamos vivendo. Ela dá visibilidade a esse trabalho de "memória. É uma apelo para que as testemunhas de crimes da ditadura desabafem. O Brasil precisa saber que o silêncio não é obrigatório", pontuou Amparo. O encontro acontece pela primeira vez no Brasil e já passou pelas capitais do Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Em Recife, a comitiva vai visitar a antiga casa de detenção, agora Casa da Cultura, a Assembléia Legislativa (Alepe), o Monumento Tortura Nunca Mais, o Palácio do Governo, da Justiça, o Teatro Santa Isabel e a Praça da República. Durante a tarde, o grupo participará do Ciclo de Debates Direitos Humanos, justiça e memória, com o tema "Memória, história e verdade: a luta pelos direitos humanos no Brasil e na América Latina", juntamente com a ministra da Secretaria de Direitos Humanos e Segurança Cidadã do Recife (SDHSC). O encontro, que é gratuito, acontece no auditório G1, na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Diário de Pernambuco Online – PE 22/10/2012 - 13:40 Política Tucano defende o papel da oposição na Assembleia Legislativa Investimento previsto pelo Grupo Bertin era de R$ 2 billhões Tércio Amaral


Apesar da amizade e parceria política entre o governador Eduardo Campos (PSB) e nomes do PSDB, como deputado federal Sérgio Guerra e o senador de Minas Gerais Aécio Neves, Daniel Coelho sinaliza que seu partido deverá manter uma postura “independente” do contexto nacional no estado. O tucano, em entrevista a uma rádio local nesta segunda-feira, declarou que, apesar do bom momento na economia, Pernambuco enfrenta problemas graves nas áreas de saúde e de transporte. “As estradas no interior do Estado estão completamente acabadas, precisamos recuperar a grande maioria delas, principalmente quando a gente vai distanciando da cidade do Recife. Os desafios são muitos e vai caber à oposição fazer a cobrança, esperando, claro, que o governo acerte e consiga dar soluções a essas demandas que são tão importantes pra nossa população”, criticou. O parlamentar lembrou das críticas do grupo quando ainda pertencia aos quadros do Partido Verde (PV) no estado contra a instalação da que seria a maior usina termoelétrica do mundo na cidade do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. O investimento previsto pelo Grupo Bertin era de R$ 2 billhões. “A oposição hoje, formalmente, tem nove integrantes, de um total de 49. O intuito da oposição é debater, questionar, apresentar caminhos e, às vezes até, vencer o governo, mas vencer no argumento. Por exemplo, quando a gente fez o debate sobre a energia nuclear ou a usina a óleo que queria se fazer no Cabo, era um debate onde a gente não tinha número. Mas através do argumento, conseguimos convencer o governo”, considerou.

Diário de Pernambuco Online – PE 22/10/2012 - 13:41 Política Daniel Coelho diz que continua na oposição ao governador Eduardo Campos Deputado também destacou a importância de se discutir as PPPs da Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa) Tércio Amaral Para quem esperava um PSDB moderado dentro da Assembleia Legislativa de Pernambuco em 2013, pode mudar de opinião. Apesar da “aliança branca” entre os tucanos e socialistas no estado, o partido não quer perder os frutos conquistados nesta eleição do Recife, no qual conquistou a segunda colocação nas urnas com a candidatura do deputado estadual Daniel Coelho. O parlamentar, em entrevista a uma rádio local nesta segunda-feira, defendeu a “força da oposição”, e destacou quais os principais pontos que o grupo poderá rebater no próximo ano: as Parcerias Público Privadas da Compesa (PPPs) e as condições do sistema de saúde do estado. “Todo governo erra e acerta. Por mais que o governo seja bem avaliado, sempre vão haver erros, sempre vão haver equívocos. Por exemplo, na área de saúde foram feitas novas unidades de saúde, UPAs e hospitais, e a gente tem que achar que isso é positivo. Agora, o funcionamento dessas unidades, aí sim, temos um problema grave, hoje. Isso está identificado em todas as pesquisas: a população está insatisfeita com o sistema de saúde que nós temos no Estado”, criticou. O deputado também destacou a importância de se discutir as PPPs da Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa). Durante a campanha eleitoral no Recife, o tema foi levantado pelo candidato e senador Humberto Costa (PT). A tese do petista é que, com as parcerias, haveria um aumento da conta de água e o estado daria para a iniciativa privada a única parte da estatal que gera lucros. “Depois da eleição já trouxemos de volta a discussão sobre a Compesa, a PPP da Compesa, que preocupou muita gente durante a campanha, a possibilidade de uma empresa privada aumentar a conta d’água ou até fazer um contrato que não beneficie à população carente. Essa é uma pauta que a oposição tem que abraçar e aprofundar”, destacou.

ALEPE NA IMPRENSA - 23.10.2012  

CLIPPING ALEPE NA IMPRENSA