Issuu on Google+

K Capa ENSINO PROFISSIONAL_Layout 1 5/17/13 10:08 AM Page 1

apresenta

com o apoio

GUIA DO ENSINO PROFISSIONAL ed. 2013/2014 Edição especial da revista FORUM ESTUDANTE | distribuição gratuita – NÃO PODE SER VENDIDO | disponível em pdf em www.forum.pt • Ano IV • Anual • 2013

sabe tudo sobre...

Razões para ingressar no ensino profissional

Aprendizagem à tua medida Escola Profissional Gustave Eiffel Ao serviço da educação Desafia as tuas competências! Escola Profissional Val do Rio Um ensino de qualidade


VK Dolce Vita_Layout 1 5/16/13 3:10 PM Page 2


01 Intro_Layout 1 5/17/13 1:48 PM Page 1

índice

Guia do Ensino Profissional 2013 [ 1 ]

02 5 Razões para ingressar no ensino profissional Já alguma vez pensaste em entrar no ensino profissional? Se sim, provavelmente já andaste a pesquisar as suas vantagens ou a pedir a opinião dos teus amigos e familiares. Se não, tens aqui a oportunidade de descobrires que te dá competências para enfrentares o mercado de trabalho. A Forum Estudante apresenta-te as principais razões para escolheres um curso profissional. 04 Como funciona o ensino profissional? O ensino profissional destina-se aos jovens que pretendem um ensino com uma forte vertente prática e que, ao mesmo tempo, lhes permita ingressar rapidamente no mercado de trabalho. Nós vamos dar-te a conhecer a metodologia e a avaliação do ensino profissional. 06 Aprendizagem à tua medida! Os Cursos de Aprendizagem são para quem quer prosseguir os estudos com uma vertente mais prática e totalmente direcionada para o mercado de trabalho. O Guia do Ensino Profissional dá-te a conhecer aqui, este tipo de formação, que te confere dupla certificação, profissional e escolar. 08 Pensa numa profissão e escolhe um curso! Quando escolhes um curso profissionalizante optas, desde logo, por uma área profissional onde te imaginas a trabalhar um dia, mesmo que, de imediato, o teu objetivo seja o prosseguimento de estudos de nível superior. 10 Entrevista a Gonçalo Xufre Silva O presidente da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional.

FICHA TÉCNICA

Edição especial da Revista FORUM ESTUDANTE

WWW.FORUM.PT PROPRIEDADE E PRODUÇÃO DE Press Forum, Comunicação Social, SA CAPITAL SOCIAL 60.000,00¤ NIF: 502 981 512 PERIODICIDADE Anual DEPÓSITO LEGAL N.º 510787/91 Isento de registo ao abrigo do Decreto Regulamentar n.º 8/99 de 9 de Junho, artº 12ª, nº 1 a)

SEDE Tv. das Pedras Negras, nº 1 - 4º 1100-404 Lisboa Tel.: 21 885 47 30 - Fax: 21 887 76 66 E-mail: rfe@forum.pt Site: www.forum.pt DIREÇÃO Gonçalo Gil DESIGN Miguel Rocha REDAÇÃO Barbara Magalhães Diana Teixeira Sara Alves CONTACTO COM INSTITUIÇÕES Paula Ribeiro PUBLICIDADE Tel.: 218 854 730 Vanessa Neto vanessa.neto@forum.pt DISTRIBUIÇÃO Vitor Silva vitor.silva@forum.pt PRODUÇÃO Estrada Consiglieri Pedroso, 90 Queluz de Baixo 2730-053 BARCARENA www.lisgrafica.pt TIRAGEM 20.000 ex.

13 Escola Profissional Gustave Eiffel Com 24 anos de existência, a Escola Profissional Gustave Eiffel dá aos alunos uma oferta diversificada que vai das ciências sociais às tecnologias, em seis polos diferentes: Queluz, Amadora (Venteira e Venda Nova), Entroncamento, Lumiar e Arruda dos Vinhos. 30 Grupo Rumos Com quatro escolas de ensino profissional – Profitecla, Escola Digital, Escola Profissional Ruiz Costa e a Escola Profissional de Braga, o Grupo Rumos está espalhado por todo o país e além fronteiras. 34 Escola Profissional Val do Rio Desde 1989, a Escola Profissional Val do Rio (EPVR) já formou milhares de alunos, com ótimas perspetivas de emprego. Com um ensino técnico de qualidade e profissionais de excelência nas diversas áreas, a escola prepara cidadãos competentes, aptos para enfrentarem o mercado de trabalho com o melhor desempenho. 38 Desafia as tuas competências! Para ser um bom profissional, não basta ter técnica. Descobre aqui algumas das competições onde podes pôr à prova as tuas competências. 40 Próxima paragem... ensino superior Estudar numa universidade é também uma opção para os alunos do ensino profissional. Depois de acabares o curso, poderás prosseguir os teus estudos no ensino superior. Para isso terás de escolher o curso que mais se adequa aos teus interesses, concorrer e esperar pelo resultado. Para melhor perceberes este processo de candidatura, a Forum Estudante dá-te uma ajuda.


02a3 Razões para Ingressar no Ensino Profissional_Layout 1 5/16/13 6:25 PM Page 2

[ 2 ] Guia do Ensino Profissional 2013

5

RAZÕES

PARA INGRESSAR NO ENSINO PROFISSIONAL Texto de Sara Alves

Já alguma vez pensaste em entrar no ensino profissional? Se sim, provavelmente já andaste a pesquisar as suas vantagens ou a pedir a opinião dos teus amigos e familiares. Se não, tens aqui a oportunidade de descobrires um ensino que te dá competências para enfrentares o mercado de trabalho. A Forum Estudante apresenta-te as principais razões para escolheres um curso profissional.

1

Forte vertente prática Se ingressares num curso profissional poderás ter a oportunidade de realizar um estágio. A componente prática em contexto de trabalho integre na estrutura curricular dos cursos, permite-te trabalhar numa empresa, entrando em contacto pela primeira vez com o mundo laboral, antes sequer de aceder ao ensino superior. Por isso se tirares um curso mais prático, poderás vir a ter mais vantagens na procura de emprego.

2 “Foi uma forma que encontrei para acabar o secundário sem fazer os exames nacionais e tenho a oportunidade de entrar diretamente para o mundo do trabalho.” Inês Silva Aluna do 3º ano curso profissional

Cursos orientados para uma área específica Contrariamente aos cursos científicohumanísticos, que estão agrupados em quatro áreas abrangentes (Ciências e Tecnologias, Línguas e Humanidades, Artes Visuais e Ciências Sócioeconómicas), os cursos profissionais são muito mais direcionados para uma vertente específica. Ao te especializares e adquires ferramentas de um determinado saber, mais facilmente reunirás as condições para

3

Possibilidade de entrada direta no mercado de trabalho Após realizar o curso profissional já estás apto para iniciar a tua vida ativa numa empresa. A aprendizagem que o ensino profissional te oferece dá-te uma boa preparação e desenvolve as tuas


02a3 Razões para Ingressar no Ensino Profissional_Layout 1 5/16/13 6:26 PM Page 3

Guia do Ensino Profissional 2013 [ 3 ]

competências para o exercício de uma profissão. A par com a formação teórica, o curso tem uma forte ligação com o setor empresarial. Por isso se tirares um curso profissional, poderás vir a ter mais oportunidade quando procurares trabalho.

4

Diversidade de cursos para todas as idades Existe uma ampla variedade de cursos no âmbito do ensino profissional, disponíveis para alunos desde os 15 até aos 24 anos.

Os cursos profissionais, ministrados em escolas profissionais ou escolas secundárias, quer públicas quer privadas, são dirigidos aos alunos que conluíram o 9º ano de escolaridade. Por sua vez, os cursos de aprendizagem, lecionados pelos Centros de Formação do IEFP, são direcionados aos estudantes que têm o 9º ano e são complementares ou alternativos ao ensino tradicional secundário. Já os CEF, cursos de educação e formação, têm como objetivo colmatar o abandono escolar, dando a oportunidade a qualquer pessoa, com idade compreendida entre os 15 e os 24 anos e que tenha frequentado a escola, de tirar um curso e não desistir por completo dos seus estudos. Por último os cursos de ensino artístico especializado para jovens detentores do 9º ano, que querem seguir uma formação específica na área das artes. Estes cursos são lecionados em instituições públicas, privadas e cooperativas. Estes cursos permitem integrar mais estudantes no tecido empresarial, melhorando assim os níves de empregabilidade.

5

PUB

Dupla Certificação Ao tirares um curso profissional ficas com uma dupla certificação. Ou seja, se no final do 12º ano, quiseres entrar no mercado de trabalho, já tens formação especializada na área que escolheste. Por outro lado, se quiseres prosseguir os estudos e entrar para a faculdade, também podes fazê-lo, pois o curso dáte equivalência ao 12º ano. Ao terminares o teu curso, as tuas habilitações passam a ter dois acrescentos, nomeadamente a cerificação profissional, sendo possível trabalhares na especialidade que te formaste, e o diploma do nível 4 de

“Eu escolhi o ensino profissional, porque para além de puder ter uma saída muito mais especifica, é mais prático. Os cursos profissionais preparam-te melhor para o mercado de trabalho. Dentro do curso, também tive a oportunidade de realizar um estágio, que é um ponto essencial da formação porque ficamos aptos para o mundo do trabalho.” Patrícia Sesmaria Aluna do 3º ano curso profissional

qualificação, correspondente ao 12º ano. Como vês, existem imensas vantagens no ensino profissional e uma grande variedade de cursos para diversas idades. Por isso reflete sobre estas razões e decide qual será o melhor percurso para o teu futuro.


04a5 Metodologia_Layout 1 5/16/13 6:24 PM Page 4

[ 4 ] Guia do Ensino Profissional 2013

COMO FUNCIONA o ensino profissional? O ensino profissional destina-se aos jovens que pretendem um ensino com uma forte vertente prática e que, ao mesmo tempo, lhes permita ingressar rapidamente no mercado de trabalho. Nós vamos dar-te a conhecer a metodologia e a avaliação do ensino profissional. Texto de Bárbara Magalhães Os cursos profissionais têm a duração de três anos, totalizando 3100 horas, as quais são distribuídas pelas componentes sociocultural, científica, técnica e formação em contexto de trabalho. Cada componente está organizada em disciplinas, que por sua vez se dividem por módulos. Os módulos consistem em unidades de aprendizagem autónomas e integradas que permitem ao aluno adquirir um conjunto de conhecimentos e competências através de experiências e atividades. Ao longo do curso, os alunos desenvolvem projetos de caráter unidisciplinar ou pluridisciplinar e além disso, todos os cursos englobam uma Prova de Aptidão Profissional (PAP) e uma Formação em Contexto de Trabalho (FCT).

Regime de avaliação Para validar as competências e conhecimentos adquiridos pelos alunos, é fundamental que seja efetuada a avaliação ao longo do curso. No âmbito do ensino profissional, a avaliação incide sobre as aprendizagens previstas nas quatro componentes de formação. Visto que a organização curricular destes cursos está estruturada por módulos, a avaliação é também processada módulo a módulo. A avaliação assume um caráter diagnóstico, formativo e sumativo. A avaliação formativa é contínua e sistémica, além de ter uma função diagnóstica, permitindo ao professor, ao aluno e ao encarregado de educação obter informação sobre o desenvolvimento das aprendizagens, de modo a definir e ajustar os processos e estratégias. Por ourto lado, a avaliação sumativa classifica as

aprendizagens e competências adquiridas pelos alunos no final de cada módulo. A avaliação expressa-se numa escala de 0 a 20, sendo que para a aprovação o aluno deve obter uma classificação mínima de 10 valores. Mas o que é a PAP? No último ano do curso, os alunos desenvolvem a PAP, a qual requer uma apresentação e discussão pública perante um júri, onde se evidenciam os conhecimentos e competências adquiridas ao longo do curso. A PAP caracteriza-se pelo seu caráter transdisciplinar demonstrativo de saberes e competências profissionais, que os alunos adquirem ao longo do curso. Esta prova resulta num projeto individual, porém poderá ser desenvolvido em equipa desde que seja visível o contributo individual


04a5 Metodologia_Layout 1 5/16/13 6:24 PM Page 5

Guia do Ensino Profissional 2013 [ 5 ]

PAP os alunos que obtenham um classificação igual ou superior a 10 valores, numa escala de 0 a 20. Além disso, importa referir que não é possível solicitar recurso sobre as decisões do júri. Estagiar numa empresa durante o curso... Tal como te dissemos logo de início, os cursos profissionais apostam fortemente na vertente prática, a qual se designa por

equivale a um estágio, já que se realiza no seio de uma empresa pública ou privada na fase final do curso. Cabe ao diretor da escola propor o aluno a estágio numa determinada empresa, considerando todos os fatores que permitam perspetivar a sua correta inserção na entidade de acolhimento. No final da FCT, o aluno deverá apresentar um relatório final de estágio, o qual será submetido a avaliação. Este relatório será

No último ano do curso, os alunos desenvolvem a PAP, a qual requer uma apresentação e discussão pública perante um júri, onde se evidenciam os conhecimentos e competências adquiridas ao longo do curso. Formação em Contexto de Trabalho. A FCT resulta num conjunto de atividades, de âmbito profissional, desenvolvidas sob a coordenação e acompanhamento da escola e pressupõem a aquisição e o desenvolvimento de competências técnicas, relacionais e organizacionais. Esta vertente dos cursos profissionais

apreciado e discutido, conjuntamente com o aluno, o professor orientador e o tutor da empresa onde se realizou o estágio. O aluno é aprovado se obtiver uma classificação igual ou superior a 10, numa escala de 0 a 20. Mas caso o aluno não tenha aproveitamento na FCT, terá de repetir o estágio.

PUB

de cada elemento. Para a sua concretização, é necessário que a PAP seja desenvolvida sob a orientação e acompanhamento permanente do professor ou técnico orientador, contando ainda com a colaboração dos professores das áreas técnicas do curso. O desenvolvimento da PAP compreende três momentos fundamentais: planificação e aprovação da proposta de projeto; desenvolvimento do relatório do projeto; apresentação e defesa. Desenvolvida ao longo do último ano, a PAP encontra-se sujeita a uma calendarização específica, elaborada pelo aluno com o seu orientador, a qual deve indicar todos os procedimentos a seguir, prazos a cumprir e os critérios de avaliação da mesma. Relativamente à avaliação da PAP, o júri tem em consideração alguns critérios determinantes, tais como a concretização do projeto; a aprendizagem global com sucesso e relevante para a inserção do aluno na vida ativa; o empenho e o profissionalismo na conceção e implementação do projeto; a qualidade e interesse do que foi produzido para a atividade económica do setor em causa; a qualidade e o interesse da apresentação. Deste modo, consideram-se aprovados na

Work Experience Programmes - Reino UNIDO TRABALHO REMUNERADO EM HOTELARIA E RESTAURAÇÃO ESTÁGIOS NÃO REMUNERADOS EM VÁRIOS SETORES DE ATIVIDADE

› Graduate Internship – Nível 3 de Inglês avançado, mínimo 16 semanas a partir dos 21 anos (Pode receber alguma retribuição) – vai depender da experiencia profissional)

WORK EXPERIENCE PROGRAMMES

PROGRAMAS DE TRABALHO REMUNERADO EM HOTELARIA E RESTAURAÇÃO

Um conjunto de programas de trabalho remunerado ou de estágios não remunerados no Reino Unido para cidadãos da UE a partir dos 18 anos. Todos eles exigem um conhecimento prévio de Inglês a um nível intermédio. Os candidatos com fraco nível de Inglês podem começar por frequentar um curso de Inglês no Reino Unido. O salário-base é o salário mínimo por hora no Reino Unido.

(Hospitality Employment programme) Este programa destina-se mais especificamente a quem procura obter prática de trabalho no ramo da Hotelaria. A colocação proporciona aos participantes o salário mínimo nacional bem como alojamento e alimentação a preços subsidiados. As colocações neste programa podem ocorrer em qualquer ponto do Reino Unido. A colocação é garantida por um período mínimo de 16 semanas e o máximo de 12 meses. O participante poderá assim juntar algum dinheiro, podendo no regresso ao seu país pedir um reembolso de impostos.

Centros de Colocação Os Centros de Londres e Eastbourne prestam aos participantes todo o apoio de que irão necessitar.

Twin Certificate of Achievement É um diploma que será passado a todos os participantes em qualquer destes programas.

Companhias com que trabalhamos Trabalhamos com milhares de companhias. Há companhias britânicas, outras internacionais, dos mais variados ramos de actividade. Também trabalhamos com Hotéis e Estâncias de Turismo.

Professional Development Programme Qualquer participante num dos programas anteriores pode candidatar-se a este diploma passado pelo Institute of Leadership & Management (ILM) of Este programa inclui 35 horas de estudo sobre temas como: › Como funcionam as organizações; Serviço ao cliente; Procedimentos e códigos de prática; Segurança no local de trabalho; Protecção de dados; Procedimentos de emergência; Códigos de comportamento; Comunicação; Controle do temperamento e muitos outros.

PROGRAMAS DE ESTÁGIOS Estes programas procuram ir ao encontro dos objectivos dos participantes de todas as idades. No primeiro dia é providenciada uma preparação aos participantes, que são acompanhados ao longo de todo o estágio. Há vários tipos de Programas de Estágio, a saber: › General Internship – Nível 1 de Inglês mais baixo, mínimo de 2 semanas, a partir dos 16 anos. › Intermediate Internship – Nível 2 de Inglês intermédio, mínimo de 3 semanas, a partir dos 18 anos.

Para mais informações: MultiWay Av. E.U.A., nº 100 – 13º Frt • 1700-179 Lisboa 21 813 25 35 - Fax: 21 815 46 88 Tm: 9651704 91; Tm: 936346790; Tm: 918157427 E-mail: multiway@multiway.org

Os participantes neste programa recebem durante um ano todo o apoio em termos de recursos e serviços por parte do ILM. Estes certificados tem um custo extra de £95.00


06a7 Aprendizagem à tua medida_Layout 1 5/16/13 5:47 PM Page 6

[ 6 ] Guia do Ensino Profissional 2013

APRENDIZAGEM À TUA MEDIDA! Os Cursos de Aprendizagem são para quem quer prosseguir os estudos com uma vertente mais prática e totalmente direcionada para o mercado de trabalho. O Guia do Ensino Profissional dá-te a conhecer aqui, este tipo de formação, que te confere dupla certificação, profissional e escolar.

O que são? Os Cursos de Aprendizagem consistem em cursos de formação profissional inicial que têm como objectivo preparar os jovens sem nível secundário de formação escolar para integrarem o mercado de trabalho, melhorando assim os níveis de empregabilidade.

Erikson Silva tirou o curso de Técnico de Cozinha/Pastelaria. Está atualmente a trabalhar no hotel Merriot e diz à Forum Estudante que “Optei por um curso de aprendizagem, porque não sabia o que iria fazer depois de ter terminado o ano escolar anterior e inscrevi-me no Centro de Emprego para fazer alguma formação. Encontrei este curso que me agradou e ai tudo começou. Em termos técnicos aprende-se aquilo que a escola pode ensinar, pois é com o tempo que se vai adquirindo mais conhecimento, trabalhando dia a dia. Mas o essencial da teoria, que é a base de tudo, adquire-se n o centro de formação. Tive oportunidade, através da escola, de poder estagiar em grandes hotéis e com os melhores Chef´s, e dessa forma é mais fácil mostrar o nosso talento, aquilo de que somos capazes. Hoje trabalho em dois dos três hotéis em que estagiei, graças ao curso de Aprendizagem.”

As 4 componentes Esta modalidade de formação orienta-se por quatro componentes (sociocultural, científica, tecnológica e prática em contexto de trabalho), as quais visam diferentes dimensões do saber integradas em estruturas curriculares com uma via profissionalizante.

Sociocultural Reforça competências académicas, sociais e profissionais de forma a desenvolver capacidades de autonomia, iniciativa, trabalho de equipa e resolução de problemas, isto para facilitar a adaptação a diversos contextos de trabalho.

Científica Refere-se à aprendizagem de domínios de natureza científica que fundamentam as tecnologias num sentido transdisciplinar e transversal, ou seja, permite a aquisição de competências essenciais para o exercício de determinada profissão.

Tecnológica Permite dotar os formandos de ferramentas tecnológicas para que sejam capazes de desenvolver actividades práticas e resolução de problemas inerentes a determinada profissão.

Prática em contexto de trabalho É semelhante à realização de um estágio, uma vez que se realiza numa empresa e o principal objectivo é consolidar as competências adquiridas ao longo da formação através da realização actividades práticas no seio de determinada profissão.


06a7 Aprendizagem à tua medida_Layout 1 5/16/13 5:48 PM Page 7

Guia do Ensino Profissional 2013 [ 7 ]

Cá e lá Como já reparaste estes cursos funcionam em alternância, ou seja, as componentes mais teóricas decorrem no Centro de Formação Profissional, enquanto a componente prática desenrola-se numa empresa que pode ser sugerida por ti, porém a decisão final é do Centro de Formação Profissional.

O IEFP dá-te apoio! A duração destes cursos é de 2800 a 3700 horas e, por cada período igual ou superior a 1200 horas podes ter direito a 22 dias úteis de férias. Se frequentares um Curso de Aprendizagem poderás receber alguns apoios relativamente à formação, como uma bolsa de profissionalização, um subsídio de refeição, bem como uma ajuda com as despesas de transporte. Vezes dois Ao concluíres o Curso de Aprendizagem com aproveitamento, ficas com uma dupla certificação, ou seja, recebes um certificado que te atribui qualificação profissional de nível 4, e qualificação escolar equivalente ao 12º ano. Esta certificação permite-te ingressar no ensino superior, se esse for o teu desejo.

PUB

Quem pode frequentar? Se tens até 24 anos inclusive e tens o 3º ciclo do ensino básico completo (9º ano) ou se não tens o ensino secundário concluído, podes inscrever-te num curso de aprendizagem. Dirige-te ao Centro de Emprego e Formação Profissional mais próximo de ti e informa-te.

Sónia Veríssimo recorda o ano de 2003, em que se sentiu “cansada de «empregos forçados» que não davam motivação, eram instáveis e mal remunerados”. Optou pelo curso de aprendizagem “Técnico da Qualidade” que foi realizado no CINCORK. Sónia garante que “as competências técnicas e sociais adquiridas ao longo do curso, permitiram-me uma resposta rápida e eficaz quanto ao meu desempenho. Aprendi a ser metódica e organizada, com capacidade de auto crítica e auto avaliação”. O facto de os cursos de aprendizagem serem vocacionados para o mundo real das empresas, facilitou muito a entrada de Sónia no mercado de trabalho. “As empresas, são cada vez mais exigentes e optam por admitir técnicos de qualificação intermédia, pois estes são dotados de formação abrangente, tanto teórica como, principalmente, prática.” Sónia Veríssimo terminou o curso em 2006 e permaneceu na empresa onde efetuou estágio até 2007. Nessa altura, conta, “fui contratada por outra empresa e atualmente continuo a exercer funções na minha área de formação”.


08a9 Escolhe um Curso_Layout 1 5/17/13 9:49 AM Page 8

[ 8 ] Guia do Ensino Profissional 2013

PENSA NUMA PROFISSテグ

e escolhe um curso!

Quando escolhes um curso profissionalizante optas, desde logo, por uma テ。rea profissional onde te imaginas a trabalhar um dia, mesmo que, de imediato, o teu objetivo seja o prosseguimento de estudos de nテュvel superior.


08a9 Escolhe um Curso_Layout 1 5/17/13 9:49 AM Page 9

Guia do Ensino Profissional 2013 [ 9 ]

Ora isto pressupõe que a tua escolha tenha por base o que se faz nessa profissão. Então como deves escolher se não tens mais do que uma vaga ideia do que a mesma implica? Tens várias hipóteses. Ou procuras conhecer alguém que já trabalhe nessa área ou então consultas o Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ), disponível em www.catalogo.anqep.gov.pt. Consultar o Catálogo No CNQ há duas áreas que te interessam, ambas na entrada “Consulta do Catálogo”: a do Perfil Profissional e a dos Referenciais de Formação. Na primeira, encontras informação sobre o conjunto de atividades associadas à profissão que escolheste bem como aos saberes, saberes-fazer e saberes-ser necessários ao exercício da mesma. Na segunda, tens tudo o que está associado à formação que dará acesso a essa profissão. Sendo uma formação obrigatoriamente de dupla certificação, encontrarás os referenciais da componente de formação de base (a componente mais geral do curso) e ainda os da componente de formação tecnológica, organizadas em unidades de formação de curta duração (UFCD), capitalizáveis e certificáveis de forma autónoma. Ou seja, cada unidade, só por si, gerará uma certificação, caso não possas concluir todas, por algum motivo, de uma só vez. Dedica algum do teu tempo a pesquisar bem tudo o que tens ao teu dispor, pois a escolha do curso certo, aquele que mais se adequa a ti e àquilo que queres fazer no futuro, é a mais importante que tens pela frente e vale a pena decidires bem e com ponderação. Afinal, é o teu futuro que está em jogo. Cursos Profissionais O ensino profissional é a opção perfeita para aqueles que pretendem integrar rapidamente o mercado de trabalho. Os cursos profissionais destinam-se a alunos que tenham terminado o 9º ano. Com uma duração de três anos, estes cursos estão orientados para a prática de uma profissão específica. Ao terminares o teu curso profissional, ficas automaticamente com o secundário

concluído e além disso tens certificação profissional de nível 4 segundo o Quadro Nacional de Qualificações (QNQ). Como estes cursos são orientados para a prática, incluem um estágio, o que significa que no último ano do curso podes estagiar numa empresa durante algum tempo. No final do curso terás de realizar a Prova de Aptidão Profissional (PAP), que consiste num projeto desenvolvido ao longo do 3.ºano e que aborda várias disciplinas do curso e que é avaliado por um júri. Cursos de Aprendizagem Os Cursos de Aprendizagem consistem numa formação profissional inicial, que tem como objetivo preparar os jovens sem nível secundário de formação escolar para integrarem o mercado de trabalho, melhorando assim os níveis de empregabilidade. Os Cursos de Aprendizagem orientam-se por quatro componentes (sociocultural, científica, tecnológica e prática em contexto de trabalho), as quais visam diferentes dimensões do saber, integradas em estruturas curriculares com uma via profissionalizante. Estes cursos funcionam em alternância, ou seja, as componentes mais teóricas decorrem no Centro de Formação Profissional, enquanto que a componente prática desenrola-se numa empresa que pode ser sugerida por ti, porém a decisão final é do Centro de Formação Profissional. Ao concluíres com aproveitamento o Curso de Aprendizagem ficas com uma certificação dupla, ou seja, receberás uma certificação profissional, a qual te permite exercer a profissão em que te especializaste. Além disso, ficas com um diploma de nível 4 de qualificação (correspondente ao 12º ano), o que significa que se quiseres prolongar os teus estudos para o ensino superior, após concluíres o Curso de Aprendizagem, poderás fazê-lo. Cursos de Educação e Formação (CEF) Um dos grandes problemas da educação em Portugal é o abandono escolar. Para enfrentar este problema, os Cursos de Educação e Formação

dão-te a oportunidade de completares a escolaridade obrigatória, além de permitir o prosseguimento de estudos, através da aquisição de competências a nível sociocultural, científico, tecnológico e prático. Com este curso poderás adquirir desde o nível 1 ao 7 do QNQ, consoante o grau de ensino. Os CEF destinam-se a pessoas com idade igual ou superior a 15 anos, com habilitações escolares desde o 1.º ciclo ao ensino secundário, completos ou incompletos. Estes cursos são ministrados em escolas públicas, privadas, cooperativas ou ainda nos Centros de Formação Profissional do IEFP. Cursos de Ensino Artístico Especializado Se tens uma vocação artística e queres dar-lhe um seguimento mais sério, os cursos de Ensino Artístico Especializado são indicados para ti. Estes cursos são equivalentes ao ensino secundário, com especialização artística em três áreas: Artes Visuais e Audiovisuais, Dança e Música. Destinados a alunos com o ensino básico concluído, estes cursos são ministrados em escolas de ensino artístico públicas, privadas ou cooperativas. Além disso, ao concluíres o teu curso de Ensino Artístico Especializado ficas com o nível 4 do QNQ. Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Os CET são cursos pós-secundários não superiores, que têm como principal objetivo a profissionalização de técnicos competentes, que respondam aos desafios do mercado de trabalho. O plano curricular enquadra três componentes principais, nomeadamente a formação geral e científica, tecnológica e formação em contexto de trabalho. Estas especializações destinam-se a alunos que conluiram ou frequentaram o 12º ano e também para quem já obteve um Diploma de Especialização Tecnológica (DET) ou de Ensino Superior e queira requalificar-se profissionalmente noutra área de interesse.


10a12 presidente ANQ_Layout 1 5/16/13 5:55 PM Page 10

[ 10 ] Guia do Ensino Profissional 2013

Entrevista a Gonçalo Xufre Silva

“SÃO CURSOS QUE DÃO MAIS POSSIBILIDADES DE ESCOLHA AOS JOVENS” Gonçalo Xufre Silva é presidente da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional e esteve à conversa com a Forum Estudante sobre este tipo de ensino. Texto de Diana Teixeira Fotos de Gonçalo Gil Que mais-valia oferece o ensino profissional? Aquilo que é para nós a acessão da palavra profissional, são todas as modalidades de formação para jovens que têm duas certificações no final: tem uma certificação escolar, que pode ser do 9º ou 12ºano e tem a certificação profissional. Tipicamente, as pessoas quando falam do ensino profissional associam aos cursos profissionais que são dados nas escolas secundárias públicas e nas escolas profissionais privadas mas há mais modalidades: há também a aprendizagem que é dada pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, há os cursos de Educação e Formação de Jovens. Portanto, tem [o ensino profissional] estas

duas componentes: a da certificação escolar – o aluno que frequenta o ensino profissional secundário tem o 12ºano, faz um curso de 12ºano e sai com uma qualificação profissional que lhe permite inserir no mercado de trabalho. Essa é a grande vantagem, é a grande mais-valia dos cursos de ensino profissional porque, em alternativa a estes, há os cursos cientifico-humanísticos que são aqueles que até há pouco tempo, a esmagadora maioria dos alunos seguia – digo até há pouco tempo porque agora já temos quase 50% dos alunos a escolher outro tipo de ofertas e em que, no 12ºano, os alunos têm uma preparação científica muito forte para prosseguimento de estudos no ensino superior. O que faz com que esses alunos tenham uma dificuldade se não forem para o ensino superior: O mercado de trabalho não consegue dar-lhes soluções de empregabilidade.

A grande depressão do desemprego jovem aos 18/19 anos está exatamente nos alunos que fizeram os cursos cientificohumanísticos. Portanto, esta é a grande vantagem: é que se o jovem, aos 18/19 anos pretender inserir-se no mercado de trabalho esta formação dá-lhe esta possibilidade e depois também lhe permite, se ele assim entender, ou mais tarde já na vida ativa, que ele concilie a vida profissional com a vida académica. Nós estamos convencidos que são cursos que dão mais possibilidades de escolha aos jovens do que os cientifico-humanísticos. Nota alguma evolução a nível de aceitação e valorização deste tipo de ensino? A aceitação está centrada neste momento em dois pontos: um - estamos a viver numa


10a12 presidente ANQ_Layout 1 5/16/13 5:55 PM Page 11

Guia do Ensino Profissional 2013 [ 11 ]

situação difícil em termos de empregabilidade, nomeadamente para os jovens e como tal, essas ofertas passaram a ser olhadas como uma solução a ter em conta naquilo que eles procuram. Portanto, já não é visto como uma alternativa mas começa a ser visto como escolha que permite essa solução e por outro lado, a valorização vem muito da confiança que as pessoas têm no sistema. Em 2008, com a abertura dos cursos dentro das escolas secundárias da rede pública, essa valorização ainda ficou reconhecida porque foram as próprias entidades da rede pública, em que todos confiam, a abrir este tipo de ofertas. Isso teve um impacto positivo no reconhecimento por parte dos alunos, dos méritos destes cursos. Faltava agora a outra componente que estamos a trabalhar: quando elas [escolas secundárias] abriram em grande quantidade nem todas abriram com as melhores condições do ponto de vista dos recursos humanos que era necessário ter e do ponto de vista das saídas profissionais que faziam sentido ou

um pensamento estratégico, criar um enquadramento cruzativo para todas estas ofertas que não são claras para todas as pessoas, tentando não uniformizar. Porque as diferenças são positivas e as especificidades são importantes. Muitas vezes tenta-se ver a diferença entre a aprendizagem que é ministrada no Instituto de Emprego e Formação Profissional e os cursos profissionais que são ministrados nas escolas secundárias. Eles têm bastantes semelhanças e bastantes diferenças: nós achamos que essas diferenças não se fazem tanto sentir por serem ministrados no Instituto Emprego e Formação Profissional ou nas escolas secundárias mas fazem muito mais sentido em função do tipo de curso. Há cursos em que é preciso investir de maneira diferente na componente de formação tecnológica e na formação de contexto de trabalho. Um curso de metalomecânica deve ter, possivelmente, uma componente em contexto de trabalho acrescida e diferente que, por exemplo, um curso de comércio. O ensino profissional

que são entidades que têm uma vocação própria para pôr em diálogo as escolas e as empresas a nível de concelho, a nível regional. Estas entidades deverão ser sempre tuteladas e coordenadas pela agência, para dar este tipo de informação e de encaminhamento aos jovens neste tipo de ofertas que, pela sua diversidade, podem ser confusas. Estão previstas algumas alterações ao ensino no profissional para o próximo ano letivo? Em termos da uniformização, o que nós gostaríamos era tornar isto mais claro, reforçando uma das componentes que é fundamental: a formação em contexto de trabalho. Não é uma preocupação de Portugal, o ensino profissional é neste momento visto como estratégico a nível europeu. As formações em contexto de trabalho não podem ser vistas apenas como experiência em contexto de trabalho, têm que estar perfeitamente integradas dentro

“(…) o ensino profissional é neste momento visto como estratégico a nível europeu.”

os recursos técnicos que necessitavam para dar formação de qualidade. Portanto, o que estamos a trabalhar, neste novo ciclo, é reforçar a qualidade por um lado, mas garantir que as ofertas façam sentido para os alunos – naquilo que são as suas expetativas de formação mas que também façam sentido para o tecido empresarial, que pode ser nacional mas também pode ser regional/local – as necessidades do Algarve não são as mesmas de Trás-osMontes. Temos que ter esta componente regional associada às ofertas e que elas façam sentido para estes dois públicos-alvo deste tipo de curso. Qual o papel e a importância da ANQEP? A ANQEP tem este trabalho da valorização e, neste momento, estamos a encetar como

com os vários cursos, vai ter especificidades diferentes quer em termos regionais quer a ver com as ofertas e com os setores que estamos a falar. O outro instrumento tem a ver com os Centros para a Qualificação e Ensino Profissional que nós esperamos estarem operacionais em setembro. Sucedem aos centros de novas oportunidades. Os Centros para a Qualificação e Ensino Profissional também vão ter o público adulto mas a novidade é a abertura aos jovens. Essencialmente nas componentes da organização, da informação e do encaminhamento dentro destas ofertas. Queremos ter uma rede que estará espalhada por vários tipos de instituições: nos polos, nos centros de formações. Vamos procurar que as câmaras tenham aqui um papel importante porque achamos

daquilo que são os planos curriculares e os objetivos pedagógicos, científicos e técnicos de cada curso. Aquilo que o aluno for aprender numa empresa tem que complementar claramente aquilo que ele aprendeu em ambiente escolar, não é simplesmente para o aluno passar dois ou três meses numa empresa. Quero que estes cursos também tenham um rigor a nível da formação de base e geral, porque queremos que os alunos tenham um conjunto de competências que são esperadas que existam quando tenham 18 anos e querem ser cidadãos de pleno exercício na sociedade. Não podemos abdicar desta componente formativa geral dos cursos. Por outro lado, também se quer que estes cursos permitam o prosseguimento dos estudos: o que está neste momento a ser


10a12 presidente ANQ_Layout 1 5/16/13 5:55 PM Page 12

[ 12 ] Guia do Ensino Profissional 2013

delineado é um procedimento de estudos, orientado também para o ensino superior que devia ter um cariz profissional – o ensino superior politécnico. Se essa clarificação existir e se esse encaminhamento existir, estes alunos podem e devem tirar as suas licenciaturas e os seus mestrados dentro de áreas técnicas que têm a ver com a sua formação profissional. Isto tudo num sistema que tem que ter capacidade de permeabilidade, ou seja, este sistema também tem que estar delineado de modo a que o aluno se possa arrepender do curso e possa passar para um outro sem ter que voltar atrás. Portanto, também estamos a trabalhar naquilo que chamamos a modelação dos cursos através de um

conjunto com o sistema educativo, pelas empresas e pelos parceiros sociais. Ou seja, é um instrumento que é desenhado em conjunto por todos os interessados neste tipo de ensino e por isso, estratégico para a agência, para os cursos profissionais. A nível europeu como está colocado o ensino profissional português? Há duas europas: a Europa dos países do sul e a Europa dos países do norte que têm culturas diferentes e que, no caso da formação e do ensino profissional têm características que essas culturas fizeram vincar ao longo do tempo. Um jovem, quando começa um curso

que os alunos também necessitam de ter. Nós não temos cá tradição de empresas fazerem planos de ensino e de formação. As empresas acolhem os alunos em períodos de estágio em função das solicitações. Há aqui uma organização que temos que fazer para reforçar a tal componente de formação em contexto de trabalho. É aproximarmos um pouco, dentro daquilo que é a nossa filosofia, da nossa tradição e daquilo que é o nosso tecido empresarial às formações em contexto de trabalho que são dadas nos países do norte. No entanto Portugal tem, no caso do ensino profissional, uma vantagem que eu não vejo na maioria dos outros países: o catálogo é

“Nós não temos cá tradição de empresas fazerem planos de ensino e de formação. As empresas acolhem os alunos em períodos de estágio em função das solicitações.”

sistema de créditos, em que a formação seja modular e flexível, seja capitalizável ao longo dos tempos. Há um trabalho grande que é referenciar para cursos profissionais, que é a grande fatia destes cursos para os jovens, a um instrumento que a agência tem que é o Catálogo Nacional para a Qualificações: onde estão todas as qualificações profissionais e formações associadas a essas qualificações e os referenciais de formação. Está estruturado em módulos, o que quer dizer que permite a quem a frequente, ir capitalizando as suas formações tornando mais flexíveis os percursos, tornando mais fácil a mobilidade, seja geográfica ou entre qualificações. Por outro lado, o catálogo é desenhado em

profissional nos países do norte da Europa, nomeadamente na Alemanha, na Áustria ou Holanda, é como se tivesse um contrato de trabalho numa empresa. O seu processo de ensino e de formação faz parte do seu início no mercado de trabalho. Nos países do sul não: o ensino profissional é visto como um sistema de ensino centrado na escola que depois dará entrada no mercado de trabalho. Quando se fala, nos últimos tempos, em ensino dual é disto que se está a falar. O ensino dual vem do all sistem alemão, um sistema de ensino que não está centrado na escola, está centrado nas empresas. As empresas organizaram-se e têm um sistema de formação que depois é complementada pela escola nas tais componentes gerais

um instrumento que foi criado e que é essencialmente uma plataforma de diálogo entre as escolas e as empresas e os parceiros sociais, aqui entendidos também como os sindicatos ou confederações empresariais. Esta forma de articular a oferta do modo como nós temos o catálogo desenhado e os conselhos setoriais que gerem o catálogo para as várias qualificações está a tentar ser seguida por outros países. A União Europeia, neste momento, começa a falar daquilo que se chama os conceitos setoriais europeus, onde está a tentar implementar algo que nós já cá temos a funcionar e muito bem. Portanto, aí estamos um passo à frente: o diálogo entre o que a sociedade necessita e o que o sistema educativo deve dar.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/16/13 8:10 PM Page I

ESCOLA PROFISSIONAL w w w. g u s t a v e e i ff e l . p t

PROCURA-NOS NO FACEBOOK


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:23 PM Page II

gustave eiffel

OFERTA FORMATIVA Ensino Profissional - 12º Ano Cursos de Nível 4 Construção Civil e Engenharia Civil • Técnico de Construção Civil - Medições e Orçamentos • Técnico de Construção Civil - Condução de Obra Eletrónica e Automação • Técnico de Eletrónica, Automação e Comando • Técnico de Mecatrónica • Técnico de Eletrónica e Telecomunicações Eletricidade e Energia • Técnico de Energias Renováveis Trabalho Social e Orientação • Animador Sociocultural Serviço de Apoio a Crianças e Jovens • Técnico de Apoio à Infância Design • Técnico de Design Gestão e Administração • Técnico de Gestão Audiovisuais e Produção dos Media • Técnico de Multimédia • Técnico de Animação 2D3D • Técnico de Audiovisuais

Marketing e Publicidade • Técnico de Comunicação – Marketing, Relações Públicas e Publicidade Segurança e Higiene no Trabalho • Técnico de Higiene e Segurança do Trabalho e Ambiente Proteção de Pessoas e Bens • Técnico de Proteção Civil Ciências Informáticas • Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos • Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Desporto • Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Hotelaria e Turismo • Técnico de Turismo • Técnico de Restaurante / Bar • Técnico de Cozinha/Pastelaria Metalurgia e Metalomecânica • Técnico de Manutenção Industrial Saúde • Técnico Auxiliar de Saúde História e Arqueologia • Técnico de Recuperação do Património Edificado

Cursos de Educação e Formação (CEF) • Instalação e Operação de Sistemas Informáticos • Instalação e Reparação de Computadores • Práticas de Ação Educativa • Práticas Técnico-Comerciais • Serralharia Mecânica • Serviço de Mesa • Cozinha • Geriatria

publireportagem

[ II ] www.gustaveeiffel.pt


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 11:51 AM Page III

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ III ]

Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Cursos de Nível 5 • Proteção Civil e Socorro Cursos de Aprendizagem Cursos de Nível 4 • Técnico de Desenho de Construção Civil • Técnico de Maquinação e Programação CNC • Técnico de Eletrónica e Telecomunicações • Técnico de Instalações Elétricas • Técnico de Eletrotecnia • Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores • Técnico de Sistemas Solares Fotovoltaicos • Técnico de Mecatrónica • Técnico Comercial Formações Modulares Certificadas • Construção Civil e Engenharia Civil • Formação de Base • Comércio • Secretariado e Trabalho Administrativo • Serviço de Apoio a Crianças e Bens • Serviço de Transportes • Segurança e Higiene no Trabalho • Proteção de Pessoas e Bens • Eletricidade e Energia • Ciências Informáticas

Organizamos cursos de formação e workshops à medida das necessidades.

Centro de Qualificação de Ativos GUSTAVE EIFFEL Formação para Motoristas TRANSPORTE EM TÁXI • Formação de Motoristas de Táxi \\ Tipo I \\ Tipo II • Formação para a Renovação de Certificado de Motorista de Táxi (à distância) TRANSPORTE COLETIVO DE CRIANÇAS • Formação Inicial de Motorista de Transporte Coletivo de Crianças • Formação Complementar de Motorista de Transporte Coletivo de Crianças TRANSPORTE DE MERCADORIAS E PASSAGEIROS, FORMAÇÃO P/ TÉCNICOS • Formação de Motoristas de Pesados de Mercadorias • Formação de Motoristas de Pesados de Passageiros Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação em SHT • Técnico de Segurança e Higiene do Trabalho – CAP 4 • Técnico Superior de Segurança e Higiene do Trabalho – CAP 6 Formação em Telecomunicações • Formação p/ Engenheiros e Engenheiros Técnicos • Formação de Projeto e Instalação ITED-B • Formação de Projeto e Instalação ITUR • Formação p/ Técnicos • Formação Habilitante de Instalador ITED • Formação Habilitante de Instalador ITUR Exames ECDL (Carta Europeia de Condução em Informática) Preparação para os exames ECDL Outros Cursos/Formações: • Informática • PublicSpeaker • Conceção e Gestão da Formação • Conceção de Instalações Elétricas • Projetos de Instalações Elétricas • Sistemas Fotovoltaicos • Projetistas de Sistemas Fotovoltaicos • TET - Trabalhos em Tensão • Riscos Elétricos • AutoCAD • Programação de Autómatos • Regime Jurídico da Informação na Internet • Novo Código do Trabalho • Primeiros Socorros • Formação Inicial de Inglês para Motoristas


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:03 PM Page IV

gustave eiffel publireportagem

[ IV ] www.gustaveeiffel.pt

Amadora (sede) A lecionar desde 2001, o polo da Amadora (sede), situado na Venda Nova, tem atualmente 441 alunos. Para além das salas teóricas, existe uma sala destinada a cada curso, onde os alunos, em aulas práticas, contactam com equipamentos e materiais que irão, no futuro, fazer parte da sua rotina de trabalho. O Centro de Recursos Ferreira Cardoso é um espaço de estudo, com materiais de apoio e computadores e onde os alunos tratam de assuntos relacionados com a ação social escolar. A sala do aluno é um local de lazer e convívio, equipada com micro ondas que permite aquecer e tomar as refeições. O bar dispõe de refeições confecionadas diariamente e mesmo em frente há um espaço ao ar livre, decorado por alunos do curso Técnico de Design, onde se encontram mesas para jogar pingue-pongue. São diversas as iniciativas organizadas pela escola em que os alunos podem participar: recolha de alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome e para o Banco Alimentar interno da escola, projetos internacionais como por exemplo o Make it Possible, sessões de trabalho sobre os objetivos do Milénio da ONU e ações sobre Empreendedorismo através dos projetos A Empresa e Life Choices Today. As comemorações do Ano Europeu dos Cidadãos também já estão agendadas.

Lisboa (Lumiar)

Amadora (centro) Este polo abriu em 1990 e fica situado na Venteira, onde frequentam 350 alunos. O edifício é centenário e foi reabilitado no início de funcionamento da EPGE. Ali funcionou, em tempos, um dos externatos mais antigos da Amadora. Para além das salas teóricas, tem também sete laboratórios de Informática e um dedicado à Física e Química. No Centro de Recursos os alunos dispõem de um espaço para estudo, com acesso a materiais de apoio, como livros, revistas e internet. O acompanhamento dos alunos é feito por duas técnicas que os poderão ajudar nos trabalhos a realizar. Alunos e professores podem usufruir da esplanada, do bar/refeitório e de um espaço ao ar livre. Há também um campo de jogos, utilizado sobretudo na disciplina de Educação Física mas também em atividades extracurriculares.

A funcionar desde 2007, frequentam atualmente o polo do Lumiar 619 alunos. Para além de salas de aula teóricas, existem salas práticas/laboratórios, onde os alunos aplicam os conhecimentos. São disso exemplo, os Laboratórios de Informática, Energias Renováveis, Construção Civil e Estaleiro, Proteção Civil e Higiene e Segurança no Trabalho, Expressão Plástica e Expressão Corporal e Dramática. Para a prática física, quer em contexto de aula, quer extracurricular, os alunos dispõem de um ginásio e balneários associados. Há ainda um Centro de Recursos que permite estudar, fazer pesquisas na internet, realizar trabalhos e tratar de assuntos da ação social escolar. O bar e o refeitório, para além de servirem refeições, têm micro ondas para os que trazem comida de casa. Os funcionários ou alunos que têm filhos pequenos podem deixá-los entregues numa Sala de Acolhimento destinada às crianças. E porque nos preocupamos com as questões ecológicas e ambientais criámos uma horta biológica, mantida e acarinhada por todos.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:04 PM Page V

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ V ]

CONTACTOS Sede: Amadora/Venda Nova Rua Elias Garcia, 29 2700-312 Amadora Tel: 214 996 440 Fax: 214 996 449 direccao@gustaveeiffel.pt secretaria.vn@gustaveeiffel.pt

Polo da Amadora (centro) Rua Luís de Camões, 4 e 6 2700-535 Amadora Tel: 214 987 950 Fax: 214 987 970 secretaria.amd@gustaveeiffel.pt

Polo de Queluz Rua César de Oliveira, 15 2745-091 Queluz Tel: 214 362 524 Fax: 214 364 577 secretaria.qlz@gustaveeiffel.pt

Polo do Entroncamento Campus escolar do Entroncamento Av. D. Afonso Henriques 2330-519 Entroncamento Tel: 249 717 055 Fax: 249 719 862 secretaria.ent@gustaveeiffel.pt secretaria.ent2@gustaveeiffel.pt

Polo do Lumiar Alameda das Linhas de Torres, nº 179, Campus Universitário do ISEC 1750-142 Lisboa Tel: 210 100 328 Fax: 210 936 406 secretaria.lum@gustaveeiffel.pt

Polo de Arruda dos Vinhos Quinta da Ponte e Costa Edifício da Agrocamprest - 1º andar 2630-370 Arruda dos Vinhos Tel: 263 978 900 Fax: 263 978 903 secretaria.av@gustaveeiffel.pt

Entroncamento A EPGE do Entroncamento, atualmente com dois polos, iniciou o seu funcionamento em 1991 num antigo edifício que foi reabilitado no início desta atividade e outro, mais recente, a funcionar desde 2004 e que está sedeado num Campus Escolar. Ao todo, os dois polos têm, presentemente, 301 alunos. Em ambos os polos há uma secretaria, salas de aulas teóricas, de informática e de formação para aulas práticas. Há também um gimnodesportivo com balneários e um auditório com capacidade para cerca de 280 pessoas. Existem várias oficinas/laboratórios para as aulas práticas, onde os alunos, dispõem de serralharia, mecânica, química e física, eletrónica digital, automação, soldadura, equipamento de CNC e instalações elétricas, assim como o laboratório de desenho técnico em estirador. Para além de maquinaria, aparelhos, ferramentas e muitos outros materiais, existe também, em cada oficina, uma área mais dedicada à parte teórica, o que permite aliar as duas componentes da formação. Funcionários, professores e alunos dispõem de cafetaria, Centro de Recursos e espaços de lazer e convívio ao ar livre.

Arruda dos vinhos O polo de Arruda dos Vinhos é o mais recente. Iniciou a sua atividade em 2008. A nível de infraestruturas, este polo funciona num Pavilhão Multiusos e no Edifício da Agrocamprest. As instalações têm salas de aulas teóricas, dois Laboratórios de Multimédia, uma sala de hardware e duas salas de Informática. Frequentam, atualmente, esta escola 198 alunos. Ao longo do ano letivo são variadas as atividades realizadas e as comemorações tais como o Dia da Multimédia ou o Dia da Animação Sociocultural. O Dia da Criança é organizado em colaboração com o agrupamento de escolas e envolve toda a comunidade escolar. O projeto PRND13 da autoria de professores e alunos da escola tem merecido a atenção de muita gente. Trata-se de um veículo movido a baterias com um processo de carregamento feito com base numa estação solar de carregamento.

Queluz É o polo mais antigo, com 24 anos de existência. Iniciou o seu funcionamento em 1989. Atualmente, frequentam-no 134 alunos. É, segundo alunos e professores, o polo mais familiar e acolhedor por ser o de menores dimensões. Para além das salas teóricas, existem 3 laboratórios de Informática e um Centro de Recursos, onde os alunos têm acesso quer a material bibliográfico quer a computadores com ligação à internet. Para além de espaços dedicados ao estudo, o polo de Queluz dispõe de átrios de convívio e num deles há também computadores com internet. Ao longo do ano letivo, desenvolvem-se diversos projetos e atividades que promovem o enriquecimento de várias competências. São disso exemplo os concursos de Fotografia e Poesia, as festas temáticas do Natal, Carnaval, Páscoa e comemoração de efemérides. A reciclagem e exposição de computadores, um dos projetos desenvolvidos, integra-se na defesa e proteção do ambiente. Transformam-se equipamentos informáticos, já sem utilidade, em objetos com novas funções.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:24 PM Page VI

gustave eiffel publireportagem

[ VI ] www.gustaveeiffel.pt

Arruda dos Vinhos Dia Mundial da Criança Todos os anos, o polo de Arruda dos Vinhos organiza uma temática transversal a todos os cursos, de modo a dinamizar o Dia Mundial da Criança, no Agrupamento de Escolas de Arruda dos Vinhos. A temática deste ano será a “Walt Disney”.

sabias que...?

Amadora (sede) Cidadão Eiffel Dia da Multimédia Um dia reservado a palestras, exposição de trabalhos e workshops com vários convidados de todas as áreas relacionadas com a Multimédia: sonoplastia, vídeo, fotografia e web. Promove-se também a criatividade e a partilha de saberes, abrindo horizontes a novas áreas de interesse.

Torres de Ouro Prémios que reconhecem as qualidades e atitudes de alunos, docentes e não docentes, como a pontualidade e a assiduidade, ou que desenvolveram trabalhos que se distinguiram pela sua excelência.

Clube de cidadania que pretende melhorar a progressão escolar e pessoal dos alunos, aumentar a participação dos elementos da comunidade educativa bem como a sua consciencialização e responsabilidade sociais. Assenta em cinco áreas chave: Voluntariado, Ambiente, União Europeia, Direitos Humanos, Território, Património e Saúde. Este clube desenvolve diversas ações de solidariedade social: recolha de alimentos, formação, atividades em parceria com instituições, entre outras.

Semana da Educação Física Semana realizada anualmente com atividades que promovem a prática do Desporto Escolar e que motivam e despertam para a importância da atividade física. Fazem-se caminhadas, torneios, jogos diversos e convidam-se figuras relacionadas com o Desporto para dinamizarem algumas palestras.

Concursos de Criatividade concursos que incentivam o trabalho em equipa.

Projeto PRND13 É um projeto inovador que consta de um veículo movido a baterias em que todo o processo de carregamento é feito com base numa estação solar de carregamento. O veículo está dotado de um sistema de vídeo que transmite imagem e som para uma estação recetora que pode ser um computador, um tablet, ou um telemóvel. Este projeto foi feito no âmbito do Curso de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos. O seu desenvolvimento realiza-se em atividades extracurriculares no Clube das Tecnologias.

Queluz

Semana Musicada Uma vez por mês, o Centro de Recursos dá música à comunidade escolar nesta Semana Musicada.

Eletroclínica Este projeto que funciona na sala de hardware de informática, com os alunos do curso de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos permite, em simultâneo, a consolidação das aprendizagens e a reparação de computadores. O arranjo do equipamento é feito gratuitamente para a comunidade local.

Concurso de Fotografia De forma a explorar a criatividade dos alunos e de toda a comunidade educativa, promovendo a integração e motivação de todos, organiza-se anualmente um concurso de Fotografia. Todos os trabalhos apresentados são expostos e é atribuído um prémio ao vencedor.

Todos os prémios que a escola ganha e atribui aos seus alunos são colocados no Expositor de Méritos.

Reciclagem de computadores Integrando a temática da proteção do ambiente e reciclagem, com aprendizagens em contexto escolar, transformam-se equipamentos informáticos diversos, em objetos com novas funções. Promove-se a criatividade e põem-se em prática vários saberes.

Music4all É uma atividade que possibilita que os alunos treinem os seus talentos musicais e de dança. Em grupo, criam coreografias com música ao vivo para depois apresentar à comunidade escolar ou para o exterior, em representação da escola.

Semana dos Talentos Duas vezes, durante o ano letivo, os alunos podem apresentar e vender os trabalhos que resultam das suas habilidades: bijuteria personalizada, materiais reciclados e aproveitados, entre outros.

Aluno m0dulo Reconhece e atribui um prémio, por período letivo, aos alunos que tenham zero módulos em atraso.

Ao comemorarmos os dias festivos, os pais e toda a família dos alunos são convidados a participar em workshops, ou outras ações relacionados com as atividades que se desenvolvem na escola.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:25 PM Page VII

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ VII ]

Entroncamento Adoção de oliveiras Aos alunos de cada turma foi atribuída uma oliveira do jardim do Campus Escolar. Juntamente com os Orientadores Educativos de Turma, e mediante assinatura de Termo de Responsabilidade, os alunos assumiram a guarda e a responsabilidade sobre as árvores, quanto à sua manutenção, preservação e dinamização dos espaços envolventes.

Amadora Centro Canguru Matemático sem Fronteiras 2013 Neste concurso, que envolve 47 países e mais de cinco milhões de alunos de todo o mundo, participaram este ano 45 alunos da escola.

Lumiar O polo de Lisboa, no Lumiar, está localizado num espaço que, no passado, era um quartel militar da Escola Prática de Administração Militar;

A escola do Lumiar está inserida num Campus Escolar e partilha o espaço com algumas instituições universitárias, nomeadamente o Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC) e o Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos (IPA).

Dia do Nariz Vermelho

Expo Línguas EPGE Com o objetivo de promover o contacto com diferentes línguas, Francês, Inglês, Alemão e Espanhol esta iniciativa envolveu todos os alunos. Realizaram-se várias ações, como por exemplo visitas aos laboratórios, exposições, atividades desportivas, pinturas, entre outras.

A campanha do nariz vermelho realizada pelos alunos do Curso de Técnico de ComunicaçãoMarketing, Relações Públicas e Publicidade, sensibilizou-os para o trabalho desenvolvido nos hospitais, pelos Doutores Palhaços ,e, ao mesmo tempo, contribuiu-se para a missão da Associação.

Sala de Acolhimento das Camélias Os funcionários ou alunos que têm filhos pequenos podem deixá-los entregues numa Sala de Acolhimento destinada às crianças. Este espaço, com condições excecionais de frequência, recebe crianças até aos 5 anos.

Clube de SSHT_EPGE Sensibilizar e alertar a comunidade escolar e extraescolar para as boas práticas de higiene, saúde e segurança no trabalho através de palestras, ações de formação e outras atividades.

Os alunos do 2º ano do curso de Técnico de Energias Renováveis estão a construir um painel solar, a partir de células fotovoltaicas, com o objetivo de o utilizar na iluminação do Campus Escolar.

Projeto Gerações em Movimento

Dia Mundial do Consumidor Através de um Peddy Paper, os alunos aplicaram e avaliaram os seus conhecimentos sobre o tema do consumidor, respondendo a um questionário dinamizado e cedido pela DecoJovem, da Amadora.

Este projeto pretende unir a comunidade escolar através da responsabilidade social, sensibilizando toda a comunidade, local e regional, para o interesse e a importância da convivência entre diferentes gerações. Este projeto é da autoria dos alunos do Curso Profissional de Técnico de Comunicação – Marketing, Relações Públicas e Publicidade.

EPGE On Job Training@ Os alunos põem em prática as suas aprendizagens, em locais de trabalho e nas empresas. Integrados em equipas, começam a lidar com ferramentas, equipamentos e softwares, relacionam-se com diferentes metodologias e interiorizam as regras e as exigências do quotidiano profissional.

Ao Centro de Recursos da escola foi dado o nome de Fernando Pessoa, como forma de homenagear aquele grande poeta português.

Programa Eco Escolas

3ª Edição do Concurso Florestal Europeu Com a participação neste concurso, os alunos Daniela Machado, Igor Torres e Marcos Folgado ficaram entre os seis primeiros lugares do Concurso Florestal Europeu YPEF – YOUNG PEOPLE IN EUROPEAN FORESTS.

Faça-se Justiça Esta iniciativa organizada pela revista Forum Estudante e que se destina a alunos que frequentem o ensino básico e secundário, do 9º ao 12ºano, pretende desenvolver várias competências como a argumentação ou a participação cívica, através da simulação de um julgamento. A EPGE apresentou este ano um caso de bullying.

A escola tem recebido todos os anos a Bandeira Verde, atribuída pelo Programa Eco Escolas, como prémio pelas iniciativas e práticas ecológicas que têm vindo a ser implementadas. A horta biológica, também no âmbito do Programa Eco Escolas, é um projeto desenvolvido há três anos por alunos e professores, que a mantêm e acarinham.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/16/13 8:12 PM Page VIII

gustave eiffel

CURSO

publireportagem

[ VIII ] www.gustaveeiffel.pt

Costumas desmontar objetos e tentar perceber como funcionam? Gostavas de saber construir e programar circuitos e aparelhos? Conhece aqui o curso de Técnico de Eletrónica Automação e Comando! Texto de Diana Teixeira Este curso, que funciona no polo da Amadora (sede), na Venda Nova, tem três vertentes importantes: “a automação, o controlo e a robótica. A vertente da robótica é muito específica da nossa escola e está muito

desenvolvida” - explicou o professor Sérgio Rebelo, coordenador do curso. Ao concluir este curso, o aluno poderá trabalhar em instalação, manutenção, suporte e desenvolvimento de sistemas eletrónicos, mais especificamente nas seguintes funções: montar e desmontar

equipamentos eletrónicos em instalações industriais, fazer manutenção preventiva em equipamentos industriais, operar com instrumentos de medida e controlo, trabalhar com sistemas informáticos no controlo de produção e auxiliar em projetos de sistemas automatizados de controlo de produção.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:10 PM Page IX

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ IX ]

turma 304

Braço Robótico

A ideia inicial do aluno Ivo Fradique era aperfeiçoar um braço que já existia na escola mas, porque se revelou impossível, teve que construir o braço de raiz. A parte mecânica, ligada à estrutura física já está pronta. Agora Ivo está a tratar da programação eletrónica para que o robô consiga apanhar objetos e colocá-los em vários locais e a várias velocidades.

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “Sempre me fascinou desmontar e perceber o funcionamento dos objetos. Estava indeciso entre vir para um curso profissional ou seguir pelo agrupamento de ciências no ensino secundário. Acabei por optar por este, embora ser mais difícil seguir para o ensino superior. Mas valeu a pena!” O QUE QUERES FAZER NO FUTURO? “No futuro, gostava de tirar a licenciatura em Eletrónica e Computadores, no ISEL, mas também estou a concorrer para o Berlin Calling, da Siemens. Se vencer o concurso irei para a Alemanha estudar. É uma oportunidade muito boa”.

turma 331 A EPGE iniciou este curso há vários anos, tendo obtido alguma notoriedade entre as entidades com quem estabelece parcerias e protocolos de estágio. Exemplo disso é a ausência de currículos de alunos diplomados no Centro de Recursos. É prática desta escola acompanhar os alunos que terminam a formação, através dos Técnicos dos nossos Centros de Recursos, que mantém atualizados os contactos e os currículos dos alunos. Procura-se saber se os alunos já diplomados se encontram a trabalhar no sentido de os ajudar a entrar no mercado de trabalho. “Neste momento não

tenho nenhum aluno para estágio profissional, não quero dizer com isto que a empregabilidade é de 100% mas é bastante elevada”, afirma o coordenador do curso.Tiago Matos, aluno da turma 304 e um dos autores do carro telecomandado por joystick [ver caixa], contou à Forum Estudante: “entrei no curso porque não tinha a certeza se queria ir para a universidade e, por outro lado, pelo meu gosto pela área das tecnologias”. Tiago está no 3.º ano e gostava de prosseguir os estudos, ou numa licenciatura ou num Curso de Especialização Tecnológica ligado a esta área.

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “Desde criança sempre me interessei por tecnologia e por ver os brinquedos por dentro. Com 16 anos, trabalhei em eletricidade, no Brasil. A minha mãe, que já morava em Portugal, disse-me que cá haveria mais oportunidades na área que eu queria. Então vim para Portugal e falaram-me neste curso. Achei que gostaria porque envolve eletricidade e tecnologias.” O QUE QUERES FAZER NO FUTURO? “No final do curso, pretendo fazer o estágio. Se for possível gostava de lá ficar e mais tarde abrir o meu próprio negócio no Brasil e depois expandi-lo”.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:11 PM Page X

gustave eiffel publireportagem

[ X ] www.gustaveeiffel.pt

Carro telecomandado

João e Tiago queriam construir um carro. Inspiraram-se num vídeo de um rapaz que construiu um carro semelhante ao seu mas menos elaborado. Arranjaram um carrinho de compras para a estrutura . Neste momento estão a programar o joystick para o conseguir pôr a funcionar através de uma fonte de alimentação autónoma.

EFACEC n Siemens n Zetes Burótica n Acciona Faclity Services n Ildefonso Velez - Indústria Metalomecânica n Ceteleva n Prosegur n

Sérgio Rebelo é o professor que dá a maior parte das disciplinas práticas: Eletrónica, Sistemas digitais e Automação e Comando. No entanto, o professor destaca Automação e Comando como a formação mais importante, em que os alunos começam por aprender sobre os relés eletromecânicos, que são ainda utilizados em algumas indústrias, seguindo-se a componente

penso eu, é pouco trabalhada e aqui é uma componente muito forte”. A programação de microcontroladores como hardwins ou microchips é “uma valência importante porque serve para construir aqueles projetos que os alunos gostam mais”, contou Sérgio Rebelo sublinhando que a escola já ganhou alguns prémios internacionais com projetos desenvolvidos nesta área.

pneumática e hidráulica e terminando com a programação de autómatos. “A escola tem um autómato antigo e, com ele, os alunos constroem alguns circuitos mais elaborados” – explicou o professor. Nesta disciplina, aprendem “tudo o que passa por programar esses autómatos, construir alguns circuitos e estruturas para depois serem postos em funcionamento”. Sistemas Digitais é uma disciplina que tem surpreendido o professor pela positiva: “esta área é uma vertente que nas outras escolas,

Para além destas áreas específicas, há também as disciplinas ligadas à área sociocultural e científica, transversais a outros cursos de ensino profissional. João Santos, o outro autor do carro telecomandado por joystick [ver caixa] e da mesma turma que Tiago, falou com a Forum Estudante sobre o seu percurso: “Entrei para o curso um bocado por acaso e aprendi a gostar da área da eletrónica e da robótica”. No futuro, João pretende seguir os estudos no ensino superior.

Berlin Calling

Este programa de estágios, promovido pela Siemens, proporciona aos participantes uma experiência profissional na Alemanha, país onde se situa a sede da empresa. A Siemens pretende que os alunos apliquem os seus conhecimentos em eletrónica e mecatrónica e, ao mesmo tempo, desenvolvam competências linguísticas em inglês e alemão. Em Portugal é selecionada apenas uma pessoa, por ano, para este programa.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:12 PM Page XI

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ XI ]

CURSO

O mundo das telecomunicações fascina-te? Queres saber como funcionam as televisões, rádios ou modems de internet? Este é o curso ideal para ti! Texto de Diana Teixeira As telecomunicações e a eletrónica são “áreas em constante evolução”, disse à Forum Estudante o professor Carlos Costa, coordenador do Curso Profissional de Técnico de Eletrónica e Telecomunicações (TET), que é lecionado no polo Amadora (Sede) situado na Venda Nova, da Escola

Profissional Gustave Eiffel (EPGE). Telemóveis, rádios, routers, modems e outros aparelhos relacionados com a comunicação são instrumentos de trabalho ao longo dos três anos de curso, no qual o aluno irá aprender a construi-los, programá-los, perceber e corrigir o que pode correr mal e como melhorar o seu funcionamento. Na vertente mais

eletrónica, os alunos vão conhecer os vários equipamentos e processos que lhes permitirão trabalhar em empresas de manutenção ou produção deste tipo de equipamentos. “Hoje em dia um técnico, para além de saber fazer, também tem de saber porque o faz. Tem que ter e desenvolver a capacidade de executar os trabalhos”, disse Carlos Costa.

n EPOC n Primetec n New Vision


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/16/13 8:13 PM Page XII

gustave eiffel publireportagem

[ XII ] www.gustaveeiffel.pt

Para além de coordenador de curso, Carlos Costa é também professor das disciplinas de Eletrónica e de Sistemas Digitais. Na primeira, para além da parte teórica são estudados os diversos componentes eletrónicos, tais como resistências e condensadores, díodos e transístores e diversos circuitos eletrónicos como amplificadores, filtros rádio transmissores. Aprendem como estes equipamentos se montam e descobrem outros como “circuitos retirados de revistas da especialidade, quer em placas de ensaio, quer, com recurso aos ferros de soldar, em placas de circuito impresso realizadas pelos

próprios alunos”, contou o professor. No módulo de Sistemas Digitais, como explicou Carlos Costa, “são lecionadas matérias como Álgebra de Boole e Funções Lógicas que permitem compreender os flip-flops, contadores, registos, memórias e como trabalhar com microcontroladores”. Nos módulos mais específicos, os alunos têm oportunidade de desenvolver alguns projetos. Existem, em simultâneo, as componentes científica e sociocultural, que são transversais a todos os cursos do ensino profissional, “uma vez que os alunos precisam de várias áreas de conhecimento como a matemática, o português e o

inglês”, esclarece Carlos Costa. No 2.º ano do curso, os alunos têm que realizar o Projeto Tecnológico (PT) em que exploram a componente de Eletrónica e, na Prova de Aptidão Profissional (PAP) desenvolvida durante o 3.º ano do curso, têm que realizar algo no âmbito das Telecomunicações. No final do curso, o aluno deverá estar apto para exercer funções, em instalação, utilização, manutenção e reparação de materiais e equipamentos eletrónicos de telecomunicações, bem como ter conhecimentos no que diz respeito às normas de higiene e segurança necessárias para cada trabalho.

turma 333

turma 333

turma 333

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “Eu acredito que, na vida, temos que ter pelo menos duas opções. O que eu quero mesmo é ir para o exército, a eletrónica é apenas uma alternativa”.

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? Sempre gostei de eletricidade e das telecomunicações e entrei para o curso para ter mais conhecimento nesta área”.

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “As telecomunicações sempre me interessaram: a televisão, os telemóveis, os computadores. Tinha curiosidade e queria perceber como funcionavam”.

O QUE GOSTAS MAIS? “A disciplina de que mais gosto é Sistemas Digitais. Nas aulas práticas tenho hipótese de trabalhar no meu Projeto Tecnológico, um carro telecomandado. Eu já tinha a carroçaria, mas tudo o resto fiz de raiz”.

O QUE MAIS GOSTAS? O curso está a corresponder às minhas expetativas. Posso criar os meus próprios projetos, pô-los a funcionar e ter sucesso com eles”.

O QUE GOSTAS MAIS? “Prefiro a prática, mas sem a teoria não há essa parte. O que prefiro é criar programas para microcontroladores”.

O QUE GOSTAVAS DE FAZER NO FUTURO? “Gostava de ir para a universidade, tirar a licenciatura e trabalhar um dia na Siemens”.

O QUE GOSTAVAS DE FAZER NO FUTURO? “Quero continuar os estudos na área das comunicações, consoante consiga ficar no local de estágio ou não”.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/16/13 8:13 PM Page XIII

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ XIII ]

Construção de circuitos binários

Este exercício permitiu aos alunos testar o funcionamento de circuitos mais complexos e feitos por eles. Um dos circuitos realizados é um mostrador de código binário BCD com o respetivo display de 7 segmentos.

Gestão de um elevador

Este sistema pretende criar a gestão de funcionamento de um elevador, através da programação de um microcontrolador, de forma a conseguir a gestão mais eficiente no atendimento das chamadas de elevador e nas paragens nos diversos pisos. Este Projeto Tecnológico contempla ainda um conjunto de sensores para detetar a posição e o piso onde se encontra o elevador e os vários controladores para acionar o motor e as portas do elevador.

Sistema de gravação e reprodução de voz

Neste Projeto Tecnológico, que está a ser desenvolvido este ano, há um sistema de gravação de voz que permite memorizar algumas mensagens de voz e reproduzi-las posteriormente. Uma das versões deste trabalho utiliza um microfone para recolha de som, um conversor analógico digital, um conversor digital analógico, uma memória RAM FLASH para guardar e o andar de amplificação final para obter um volume de som adequado. A outra versão utiliza um microcontrolador que efetua a conversão do som analógico para o formato digital e a gravação em memória.

Carro telecomandado através de comando sensorial

Este projeto tecnológico pretende ser um sistema de rádio que possa comandar, num carro, 4 ações diferentes: andar para a frente e para trás, virar para a esquerda e para a direita, acender luzes e apitar. Não se pretende um veículo com sensores, que acompanha a parede ou uma linha no chão nem que se desvie de obstáculos, nem um carrorádio comandado que se pode comprar nas lojas. Ao inclinar o comando mais para a frente, o carro acelera e avança e inclinando para a esquerda, o carro vira.

Projeto pisca-pisca

Os alunos executaram um pequeno circuito eletrónico para oferecer no Dia da Mãe. Um dos circuitos consta de um íman pisca-pisca que se coloca na porta do frigorífico e que pretende chamar a atenção da mãe para os novos recados.


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/17/13 12:29 PM Page XIV

gustave eiffel

CURSO

publireportagem

[ XIV ] www.gustaveeiffel.pt

Queres saber como funcionam as máquinas industriais? Gostavas de trabalhar nesta área? A Mecatrónica pode ser a tua escolha! Texto de Diana Teixeira A Mecatrónica engloba várias componentes do trabalho industrial, tais como mecânica, serralharia, eletricidade, eletrónica e robótica. “Já lá vai o tempo em que era só o eletricista que ia fazer manutenção, agora é preciso alguém com formação em mecatrónica ” – contou à Forum o professor

Laboratório de Programação CNC

Carlos Gaio, coordenador do curso no polo do Entroncamento da Escola Profissional Gustave Eiffel [EPGE]. Metrologia, processos de fabrico, maquinação convencional, tecnologia dos materiais, CNC, torneamento, materiais, programação e práticas de mecânica são alguns dos conteúdos que os alunos aprendem nas disciplinas de Aplicações de

Mecatrónica, Tecnologia de Mecatrónica e Formação em Contexto de Trabalho. Sérgio Henriques é professor destes módulos práticos que ensinam “várias componentes técnicas do curso e preparam os alunos para o mundo de trabalho”. Os alunos podem também realizar montagens de instalações elétricas, automatismos eletromecânicos e máquinas elétricas, que

Diogo Calafate, André Gomes, Carlos Gaio e Ricardo Morais (da esquerda para a direita)

Trabalho em laboratório


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/16/13 8:13 PM Page XV

gustave eiffel www.gustaveeiffel.pt [ XV ]

turma 303

turma 303

turma 303

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “Porque tem uma boa saída para o mercado de trabalho e engloba as áreas que eu mais gosto”.

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “Escolhi este curso porque abrange as áreas de mecânica e esquemas elétricos, que são áreas que sempre me seduziram”.

PORQUE ESCOLHESTE ESTE CURSO? “Esta não foi a minha primeira opção. O que eu queria mesmo era o curso de instalações elétricas mas esse curso só havia em Lisboa, então optei por este, mas não me arrependi nada. Gosto muito das áreas que o curso abrange”.

O QUE GOSTAS MAIS NO CURSO? “O que eu mais gosto é criar projetos com dedicação e, no final, ver esse esforço recompensado pelo funcionamento desses mesmos projetos”.

O QUE GOSTAS MAIS NO CURSO? “Das disciplinas práticas em que, todos os dias, aprendemos coisas novas e nos preparam para o trabalho”.

O QUE PRETENDES FAZER PROFISSIONALMENTE? “Pretendo arranjar trabalho na área da eletrónica ou eletricidade, mas também continuar os meus estudos, possivelmente tirar um CET e seguir para uma licenciatura”.

O QUE PRETENDES FAZER PROFISSIONALMENTE? “Pretendo seguir a área da manutenção industrial, enriquecer os meus conhecimentos através de outras formações na área de automação e, possivelmente, tirar um CET nessa área”.

Professor Nuno Ferreira

são componentes dos módulos de Aplicações Mecatrónica, Tecnologia Mecatrónica e Formação em Contexto de Trabalho – lecionados por Jorge Fernandes. O professor de Automação e Robótica, Nuno Ferreira, é o responsável por ensinar aos alunos como se elabora o projeto e a execução de sistemas automatizados, manutenção preventiva e curativa, ampliação e melhoria de equipamentos industriais pois, como refere, esta é “uma das áreas fundamentais na indústria. Com a

evolução tecnológica, cada vez mais as máquinas e equipamentos são automatizadas”. Para além da vertente prática, que desafia os conhecimentos dos alunos, existem também disciplinas de caráter sociocultural e científico, transversais a outros cursos do ensino profissional. No 2.ºano os alunos têm que realizar o Projeto Tecnológico (PT) em que aplicam os saberes adquiridos ao longo do curso e que os preparam para a Prova de Aptidão Profissional (PAP), requisito indispensável e

O QUE GOSTAS MAIS NO CURSO? “A parte de instalações elétricas, automação e robótica”. O QUE PRETENDES FAZER PROFISSIONALMENTE? “Seguir a área de manutenção de fábricas e, quando estiver mais estável com o meu emprego, tirar um CET nesta área”.

Professor Jorge Fernandes

Professor Sérgio Henriques

n Empresas de metalúrgica n Empresas de metalomecânica n Empresas de eletrónica n Empresas de material de transporte n Indústrias de fabrico de produtos metálicos n Indústrias de máquinas e equipamentos


13a28 Gustave Eiffel_Layout 1 5/16/13 8:14 PM Page XVI

gustave eiffel publireportagem

[ XVI ] www.gustaveeiffel.pt

Máquina de ensacar automatizada

O projeto tem como público alvo os pequenos produtores, que poderão embalar os seus produtos, farinhas, açúcar, areia, chá , ou outros , com um investimento acessível tendo em conta as suas produções. O funcionamento da máquina é automatizado, o que proporciona um processo em série de enchimento e selagem. O utilizador da máquina só precisa de colocar os sacos na passadeira e retirá-los, no final, já selados.” Esta PAP foi desenvolvida no ano de 2011/2012 por André Monteiro.

Rachador de lenha hidráulico

Esta PAP está a ser desenvolvida este ano letivo e surge da evolução do PT (Projeto Tecnológico) de Ricardo Morais e André Diogo. Tem o objetivo de rachar lenha, num curto espaço de tempo, facilitando a tarefa de quem a utilize sendo também menos dispendioso. Este projeto terá ainda um controlo por autómato programável e um tabuleiro para carregar os troncos para o rachador.

essencial para terminar o curso. Depois de concluído o curso com sucesso, os alunos poderão trabalhar na área industrial, quer na parte de instalação de equipamentos quer na de manutenção, “que, geralmente, é para onde os meus alunos são mais solicitados, nos estágios”, diz Carlos Gaio. Empresas de metalúrgica,

Maquete de palco de concertos de música

Pivot de rega

metalomecânica, eletrónica e indústrias de fabrico de produtos metálicos, máquinas e equipamentos ou de material de transporte são algumas das instituições onde um técnico de Mecatrónica pode trabalhar. Se não arranjam trabalho logo que finalizam o curso, os alunos podem deixar o currículo no Centro de Recursos da

EPGE. Como explica Carlos Gaio: “Nós fazemos, digamos, um serviço pós-venda. Os alunos podem vir sempre aqui e nós dizemos-lhes «olha aqui esta oferta: vens cá fazer o teu currículo, ou mesmo atualizá-lo e até podes preparar-te para a entrevista»”.

Esta PAP, que será apresentada este ano, é a evolução do PT de Diogo Calafate, desenvolvido no ano letivo passado: um palco musical, ao qual está a ser acrescentada uma pista de dança e um ecrã de LEDs para animações. Quando se inicia a música, o som passa do amplificador para os altifalantes. Dois fios ligados na entrada do amplificador e que o ligam ao microcontrolador, numa entrada analógica, permitindo que quando se ligue a música, a programação dos LEDs também comece.

Este projeto foi desenvolvido por Filipe Sequeira e Gustavo António na sua PAP, no ano 2011/2012. Este sistema utiliza uma rega em “meia-lua”. No extremo da torre há um sensor de fim de curso, que permite desligar o sistema automaticamente, fazendo parar o motor das rodas e a bomba de água. Assim, é possível diminuir o consumo de água e aumentar o nível de produção e crescimento das culturas.


PUB

PUB

PUB

29 pub_Layout 1 5/17/13 9:57 AM Page 29


30a33 Rumos_Layout 1 5/16/13 5:49 PM Page 30

grupo rumos

Escola Profissional Ruiz Costa CONTACTOS: Tel. Geral: 22 995 77 35 Tlm: 93 531 08 00 E-mail: info@ruizcosta.edu.pt MORADA: Rua Brito Capelo, 688 4450-068 Matosinhos

www.ruizcosta.edu.pt

Cursos › Desenho Digital 3D › Gestão de Equipamentos Informáticos › Gestão e Programação de Sistemas Informáticos › Eletrónica Automação e Comando

Escola Profissional Ruiz Costa

Prepara o teu futuro! A Escola Profissional Ruiz Costa, em Matosinhos, abriu as candidaturas para os Cursos Profissionais de nível 4, para o ano letivo 2013/2014. Esta escola que integra atualmente o Grupo Rumos vai ter disponível no próximo ano letivo quatro cursos, com destaque para o novo de Eletrónica, Automação e Comando, além dos que já compunham anteriormente a oferta como Desenho Digital 3D, Gestão de Equipamentos Informáticos e Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Em 2012, a Escola Profissional Ruiz Costa recebeu, o estatuto PME Líder atribuído pelo IAPMEI. Todos estes cursos são gratuitos e têm atribuição de subsídios. As inscrições são limitadas às vagas disponíveis. Todos terão a duração de 3.100 horas, distribuídas por três anos. Os alunos destes cursos têm no 2º e último ano a possibilidade de realizar um estágio de três meses em empresas parceiras. A abertura das candidaturas, e em particular com a apresentação do novo curso de Eletrónica, Automação e Comando é para a Escola Profissional Ruiz Costa, uma forma privilegiada de receber nas suas instalações futuros alunos e encarregados de educação que desta forma poderão conhecer a escola, as instalações e toda a comunidade educativa.

As instalações da Escola Ruiz Costa, situadas no centro de Matosinhos, foram também alvo de significativas melhorias e ampliação de forma a oferecer aos alunos as melhores condições de ensino com recurso aos mais recentes equipamentos didáticos e tecnológicos. A escola Ruiz Costa está situada no centro de Matosinhos, na Rua Brito Capelo, junto ao Metro. Já passaram pela Escola Profissional Ruiz Costa várias centenas de alunos que hoje estão integrados em empresas desenvolvendo a sua atividade com base nos conhecimentos e nas competências adquiridos ao longo do curso. O modelo de formação desenvolvido na Escola Profissional Ruiz Costa centra-se no Aluno e no acompanhamento do eu projeto pessoal através de um professor orientador. A Ruiz Costa tem como objetivo fundamental o ensino profissional na área da Informática e Gestão de Sistemas com vista à satisfação das necessidades do tecido empresarial local. Os cursos disponíveis destinam-se a Jovens que tenham terminado a escolaridade mínima obrigatória (9º ano completo) e com idade não superior a 19 anos (à data de início do ano escolar) que procuram obter um diploma de ensino secundário (12º completo) e um certificado de qualificação

profissional de nível 4, através de um ensino prático e voltado para o mundo do trabalho. Núcleos de Competências - Oficina de Manutenção de Equipamentos Informáticos Assumindo-se a eRC como uma escola de referência no ensino da informática no Concelho de Matosinhos, consciente do seu valor e sentindo a responsabilidade da importância que pode ter para a comunidade local, assumiu o desafio de criar um Núcleo de Competências (NC) designado por Oficina de Manutenção de Equipamentos Informáticos nas instalações da escola. Este Núcleo de Competências é constituído por equipas formadas essencialmente por alunos do curso de Gestão de Equipamentos Informáticos, com competências para resolver problemas com quailquer tipo de equipamentos, nomeadamente reparações, instalações, configurações, serviços de back-up, diagnóstico de avarias, aconselhamento informático ou outros. Situado num laboratório da eRC, dedicado para este fim e completamente equipado com as mais modernas ferramentas, este serviço pode ser usado por toda a comunidade escolar, pela restante população do Concelho bem como empresas e Instituições. As inscrições podem ser feitas presencialmente na secretaria da escola ou online em www.ruizcosta.edu.pt

publireportagem publireportagem

[ 30 ] www.ruizcosta.edu.pt


30a33 Rumos_Layout 1 5/16/13 5:49 PM Page 31

grupo rumos www.profitecla.pt [ 31 ]

Escola Profissional Profitecla PORTO (Sede) Edifício Profitecla, Largo Mompilher, 22 4050-392 PORTO Tel: 222 063 000 Tlm: 935 309 851 LISBOA Av. 5 Outubro, 146 – 4º e 5º Pisos 1050-061 Lisboa Tel: 217 930 911 Tlm: 969 366 823

Escola Profissional Profitecla

Uma escola de referência! Com origem em 1989, a Escola Profissional Profitecla integra atualmente o Grupo Rumos. Com sede no Porto, têm polos em Lisboa, Coimbra, Viseu, Braga, Guimarães e Barcelos. Em 2012, a Profitecla recebeu pelo segundo ano consecutivo, o estatuto PME Líder atribuído pelo IAPMEI. Em 2013 foi a vez de obter o estatuto de PME Excelência, tornando-se a 1ª escola em Portugal a conseguir este reconhecimento. A Escola Profissional Profitecla abriu as candidaturas aos Cursos Profissionais de nível 4 nos seus sete polos localizados em várias regiões do país. A oferta é constituída por 10 cursos disponíveis para o próximo ano letivo de 2013/14. Todos estes cursos são gratuitos e têm atribuição de subsídios. As candidaturas a nível nacional para as vagas do próximo ano letivo já estão abertas e os candidatos podem inscrever-se nos cursos de Restauração, Turismo, Receção em Turismo e Hotelaria, Secretariado, Serviços Jurídicos, Auxiliar de Saúde, Comunicação, Gestão, Fotografia e Organização de Eventos. Todos os cursos profissionais têm a duração de 3.100 horas, distribuídos por três anos letivos. No segundo e último ano de formação os alunos podem realizar um estágio em empresas locais e nacionais parceiras das escolas Profitecla. O modelo de formação desenvolvido pela Profitecla centra-se no Aluno e no acompanhamento do seu projeto pessoal através de um professor orientador. Promove desta forma um tipo de ensino que proporciona aos alunos uma informação concreta sobre a realidade do mundo do trabalho.

Fomenta o respeito pelo Aluno, como personalidade com direito a critérios próprios de aprendizagem, a percursos educativos diferenciados, e a formas de avaliação individualizadas. A Escola dispõe de um Departamento de Colocações e Estágios que visa a integração dos jovens e o seu acompanhamento na vida ativa, apoiando a participação em estágios bem como a procura de outras formas de contacto com o mercado de trabalho regional, nacional ou internacional. Os cursos da Profitecla são dirigidos a jovens com 9º ano de escolaridade e idade não superior a 19 anos (à data de início do ano escolar). Após terminado o curso, os alunos obtém um Diploma de Qualificação Profissional de nível 4 e diploma de Estudos Secundários (12º ano) que permite o normal acesso ao Ensino Superior. Tem sido realizado um esforço de forma a tornar a oferta formativa dos 7 polos ainda mais completa, diversificada e adequada às tendências do mercado, garantindo uma oferta educacional total e abrangente, graças à vasta cobertura geográfica nacional, que garante a formação técnica mais adequada tendo em conta os requisitos do mercado de trabalho. À semelhança de anos anteriores, a Profitecla espera uma grande procura nos cursos que disponibiliza, pelo que aconselha a inscrição atempada uma vez que as vagas por turma são limitadas. As inscrições podem ser feitas presencialmente nas secretarias das escolas e online em www.profitecla.pt

COIMBRA Ladeira das Alpenduradas, Lote B2, Porta 1/2. 3030-167 Coimbra Tel: 239 714 101 Tlm: 969 362 180 BRAGA Rua Sta. Margarida, 8. 4710-306 Braga Tel: 253 279 993 Tlm: 969 362 327 BARCELOS Rua Doutor Manuel Pais, 124 4750-317 Barcelos Tel: 253 815 301 Tlm: 969 362 166 GUIMARÃES Estádio D. Afonso Henriques, Porta nº 8 Rua de S. Gonçalo. 4810-525 Guimarães Tel: 253 516 945 Tlm: 969 364 033 VISEU Avenida Infante D. Henrique, 76 3514-507 Viseu Tel: 232 435 892 Tlm: 969 362 119

www.profitecla.pt

Cursos › Auxiliar de Saúde - Porto › Comunicação - Marketing, Relações Públicas e Publicidade - Porto › Desenho de Calçado e Marroquinaria - Guimarães › Fotografia - Barcelos e Porto › Gestão - Porto › Instalações Elétricas - Coimbra › Organização de Eventos - Coimbra e Lisboa › Receção em Turismo e Hotelaria - Barcelos, Coimbra, Guimarães, Lisboa, Viseu › Restauração – variante restaurante/bar - Barcelos, Braga, Coimbra, Guimarães, Lisboa, Porto, Viseu › Secretariado - Barcelos, Porto › Serviços Jurídicos - Barcelos, Guimarães › Turismo - Braga, Coimbra, Guimarães, Lisboa, Porto, Viseu


30a33 Rumos_Layout 1 5/16/13 5:49 PM Page 32

grupo rumos

Escola Profissional Digital CONTACTOS: Telefone: 217824120 Fax: 217824121 e-maill: info@escoladigital.com MORADA: Campo Grande, nº 56 1700-093 LISBOA

www.escoladigital.com

Cursos

Escola Profissional Digital

› Multimédia › Vídeo › Animação 2D e 3D › Fotografia › Desenho Digital 3D › Gestão de Equipamentos Informáticos › Informática de Gestão › Gestão e Programação de Sistemas Informáticos › Eletrónica Automação e Comando › Eletrónica e Telecomunicações

Tecnologia, inovação e criatividade Criada a 1 de Janeiro de 2000, a Escola Profissional de Tecnologia Digital tem como principal objectivo dotar os seus alunos com as competências culturais, científicas e técnicas que lhes permitam iniciar uma carreira profissional adequada às necessidades do mercado de trabalho na sua área específica de qualificação e que os prepare para enfrentar as exigências de uma formação científica e/o técnica mais avançadas, seja no âmbito universitário, seja no âmbito profissional.

Informáticos, Gestão de Equipamentos Informáticos, Informática de Gestão, Multimédia, Fotografia, Animação 2D e 3D, Desenho Digital 3D, Eletrónica e Telecomunicações e Eletrónica, Vídeo, Automação e Comando.

A Escola Digital apresenta 10 Cursos para alunos que finalizam agora o 9º Ano de escolaridade. Estes Cursos têm duração de 3 anos e dão equivalência ao 12º ano, com um Certificado Profissional da União Europeia - Nível IV. Os Cursos estão isentos de propinas e no final de cada curso o aluno tem a oportunidade de fazer um estágio nacional ou internacional numa Empresa parceira da Escola Digital na área profissional respeitamente ao curso que frequentaram.

Para os alunos da área de Informática, a Escola reforça a Oferta com a possibilidade dos alunos obterem uma tripla certificação: Escolar, Profissional e Cisco. Com este estatuto, a Escola Digital reforça as suas competências técnicas numa área fortemente requisitada pelo mercado de trabalho. Com a Academia Cisco, a Escola Digital passa a oferecer aos seus alunos o acesso ao currículo de formação Cisco e a possibilidade de obtenção da sua certificação CCNA, o que constitui um factor de diferenciação do aluno, tendo em conta o elevado reconhecimento e procura de mercado por parte das empresas empregadoras deste perfil.

As inscrições para o próximo ano letivo já estão abertas e os candidatos podem inscrever-se nos cursos de Gestão e Programação de Sistemas

Para fazer uma pré-inscrição basta aceder a www.escoladigital.com, escolher o Curso em que está interessado e preencher o formulário de inscrição.

publireportagem

[ 32 ] www.escoladigital.com


30a33 Rumos_Layout 1 5/16/13 5:49 PM Page 33

grupo rumos www.epb.pt [ 33 ]

Escola Profissional de Braga CONTACTOS: Tel: +351 253 203 860 Fax: +351 253 203 869 e-mail: epb@epb.pt MORADA: Rua Augusto Veloso N.º 140 4705-082 Braga

www.epb.pt

Cursos

Escola Profissional de Braga

Assistente Dentário; Auxiliar de Saúde; Design Gráfico; Eletrónica, Automação e Comando; Eletrotecnia; Frio e Climatização; Gestão; Gestão e Programação de Sistemas Informáticos; Marketing; Mecatrónica; Multimédia; Secretariado

Inovação e competência A EPB: génese, desenvolvimento, natureza e população-alvo Criada em 29 de setembro de 1989, a EPB — Escola Profissional de Braga, integra atualmente o Grupo Rumos. Desde a sua génese, a EPB está profundamente marcada pelo imperativo da elevação da qualificação profissional como resposta às necessidades de desenvolvimento de Braga (cidade, concelho e distrito). Com pouco mais de 500 alunos, integrados em 27 turmas, a EPB é uma escola com uma cultura de proximidade, exigência e rigor, sempre assente num forte dinamismo e na necessidade de conjugar todas as energias em torno do seu projeto educativo que se pretende de grande credibilidade e qualidade pedagógica e institucional. Oferta formativa da epb: um registo predominantemente tecnológico A sua atividade educativa e formativa, tutelada pelo Ministério da Educação, tem incidido, predominantemente, na população juvenil e em cursos profissionais, com duração de 3 anos, que conferem uma qualificação profissional de nível 4 e o 12º ano de escolaridade como certificação escolar. Uma escola aberta às instituições sociais, económicas e educativas A EPB é uma instituição em estreita interação com o tecido económico e social. Tem estabelecidas parcerias com mais de 400 entidades que, anualmente, recebem os alunos do 2º e 3º anos, no período de formação em contexto de trabalho/estágio.

Uma escola com espírito transnacional A EPB tem participado em diversos programas comunitários, promovendo a dimensão transnacional da formação. Através destes projetos muitos alunos têm podido beneficiar de algumas experiências enriquecedoras pela sua participação em programas de colocação em estágios em empresas estrangeiras. Uma escola de iniciativas e projetos Ao longo de cada ano letivo do percurso escolar dos alunos são concebidos e implementados projetos de diversa natureza, dentro e fora de portas, com o objetivo de desenvolver competências técnicas, relacionais e organizacionais, abrindo perspetivas à experimentação dos saberes e consolidação das aprendizagens. Neste propósito de impulsionar experiências capazes de promover o desenvolvimento de comportamentos e de atitudes facilitadores da inserção no mundo do trabalho, em muito contribuem, também, as inúmeras visitas organizadas a empresas e outros organismos relacionados com a área de formação/vida profissional, os workshops desenvolvidos ao longo do ano letivo sobre o mercado de trabalho, as palestras e testemunhos de profissionais das diversas áreas de formação. Uma escola que premeia. Uma escola premiada. Com o objetivo de motivar os alunos para o sucesso escolar e profissional e premiar o bom desempenho, a EPB destaca, anualmente, os melhores alunos, através da atribuição de prémios de mérito escolar e menções honrosas.

Do mesmo modo, a EPB tem sido destacada inúmeras vezes pelo desempenho dos seus alunos em participações e iniciativas promovidas por outras entidades. Refira-se a título ilustrativo os 1ºs lugares no Campeonato Nacional da Matemática, em 2012 e no Projeto Multidisciplinar, de educação para o empreendedorismo, no mesmo ano; a conceção das Mascotes da CEJ 2012 e do Campeonato Mundial de Andebol Escolar, 2010; entre tantos outros. Refira-se, ainda, a participação com lugares de relevado destaque, desde 2007, no concurso nacional e internacional de robótica. EPB nas competições nacionais e internacionais de Robótica: 9º lugar no Festival Mundial de Robótica, México, 2012; 4 segundos lugares e 1 menção honrosa no Festival Nacional de Robótica; 2012; 1º lugar no Festival Mundial de Robótica, Istambul, 2011; 2º lugar no Festival Nacional de Robótica, 2011; 1º lugar no Festival Nacional de Robótica e carimba passaporte para Singapura, 2010; 3º lugar no Festival Mundial de Robótica, Graz, Áustria, 2009; 1º lugar no Festival Nacional de Robótica, 2009; 3º lugar no Festival Nacional de Robótica, 2008; 3º lugar no Festival Mundial de Robótica (Festival Robocup); Atlanta, EUA, 2007; Vice-campeã no Festival Nacional de Robótica, 2007 A EPB espera uma grande procura nos cursos que promove, e sugere a inscrição atempada, considerando o número limite de vagas por turma. As inscrições podem ser feitas presencialmente na secretaria da escola e online em www.epb.pt.


34a36 Val do Rio_Layout 1 5/16/13 6:21 PM Page 34

ValdoRio publireportagem

[ 34 ] www.valdorio.net

www.valdorio.net

Fachada da escola, Oeiras

Auditório

Escola Profissional Val do Rio

Um ensino de qualidade adaptado ao mercado de trabalho Desde 1989, a Escola Profissional Val do Rio (EPVR) já formou milhares de alunos, com ótimas perspetivas de emprego. Com um ensino técnico de qualidade e profissionais de excelência nas diversas áreas, a escola prepara cidadãos competentes, aptos para enfrentarem o mercado de trabalho com o melhor desempenho. João Paulo Esquível, professor e membro fundador deste projeto educativo, falou-nos sobre a razão pela qual a EPVR é um escola única e empreendedora. “O sucesso desta escola fundamenta-se na participação coordenada de um quadro de professores em áreas profissionais específicas que respeitam, simultaneamente, exigências de um sistema educativo oficializado e as estruturas empresariais, capazes de avaliar saberes técnicos e de reconhecer perfis fundamentais para o exercício profissional no contexto de um tecido empresarial.”

A preocupação com o futuro profissional dos alunos é um alicerce fundamental na sua formação, por isso a EPVR proporciona os melhores estágios e acompanha com dedicação o percurso dos seus estudantes. Esta é uma escola profissional diferente de todas as outras, pois valoriza e potencia o talento dos seus alunos, tendo sempre em consideração o seu futuro e a construção de uma carreira de sucesso.  O projeto educativo A Escola Profissional Val do Rio (EPVR)

assenta em quatro pilares, que são os seus valores fundamentais, nomeadamente o caráter humanista e personalista, a gestão privada, a sua ligação ao tecido empresarial e os programas internacionais. Em primeiro lugar, a EPVR é um estabelecimento de ensino em que cada aluno, professor e funcionário é considerado único. Os estudantes têm o privilégio de serem acompanhados por professores, que os apoiam em cada etapa do seu percurso escolar e pessoal. Quem frequenta a EPVR tem a oportunidade de assistir a aulas de Ética Social e Profissional, que apontam caminhos e escolhas individuais, baseadas nos valores humanos universais. Para além da vertente humana, a EPVR gere com sucesso o financiamento atribuído pelo Ministério da Educação e Ciência, em prol do progresso dos seus alunos, adquirindo equipamentos e software de alta qualidade, utilizados pelo mercado de trabalho atual. A sua gestão privada bem sucedida permite que a escola possa trazer os melhores profissionais para junto dos seus alunos, de modo a poderem transmitir, na primeira pessoa, o seu conhecimento. A EPVR está também ligada às empresas mais conceituadas do mercado. Este

contacto direto com o mundo laboral é uma mais-valia para os alunos desta escola, pois podem ter a oportunidade de realizar estágios curriculares na sua área de estudo, aumentar o seu nível de empregabilidade e aprender sobre a realidade profissional, mesmo antes de começarem a trabalhar. As Provas de Aptidão Profissional são avaliadas não só por professores, mas também por representantes de empresas, que têm uma visão atual sobre as necessidades de mercado. A aposta nos programas internacionais é um dos principais elementos diferenciadores, para quem estuda na Escola Profissional Val do Rio. Com o mercado cada vez mais globalizado, é vantajoso para o aluno diversificar a sua formação, investindo no intercâmbio escolar noutros países. Esta experiência internacional não só enriquece o currículo, mas também abre novos horizontes e perspetivas tanto para alunos como para professores. A oferta formativa O projeto escolar desenvolvido pela EP Val do Rio pretende colmatar as lacunas formativas nas áreas da comunicação gráfica, promovendo laços com


34a36 Val do Rio_Layout 1 5/16/13 6:21 PM Page 35

ValdoRio www.valdorio.net [ 35 ]

Tomás Fernandes

Estúdio

interlocutores educativos e profissionais representativos deste sector. Fiel a este princípio, a oferta educativa alargou-se a novas áreas específicas relacionadas com a produção de conteúdos de comunicação, como é o caso do curso de vídeo, de multimédia e da formação em 3D, ou na manutenção e criação de suportes técnicos, presentes nos cursos de telecomunicações e gestão de equipamentos informáticos. Atenta a uma sociedade civil com carência de profissionais na vertente dos cuidados de saúde e socialização, a escola também se empenhou em desenvolver as áreas de apoio à infância, apoio psicossocial e auxiliar de saúde, expandindo, deste modo, a sua oferta formativa.

Sala de informática

Oferta Formativa, nível IV: › Eletrónica e Telecomunicações – o futuro das comunicações globais › Gestão de Equipamentos Informáticos – os sistemas informáticos e as redes na palma da tua mão › Desenho Digital 3D – o fascinante mundo virtual da modelação › Multimédia – o admirável mundo da produção digital › Vídeo – o mundo mediático da TV e media › Design e Produção Gráfica – o criativo mundo gráfico e da ilustração › Auxiliar de Saúde – o edificante mundo dos cuidados de saúde › Apoio Psicossocial – a dignidade e o mérito da ajuda à comunidade › Apoio à infância – o maravilhoso mundo da educação infantil

O moderador do canal www.youtube/valdorioskate e antigo aluno de Vídeo explica a razão por ter optado pela EPVR. “Sempre tive comigo uma câmara de filmar e sempre fiz curtas com os meus amigos, por isso era nisto que tinha que apostar. Foi numa rápida pesquisa na net que encontrei a EPVR e para aí fui! Foi fácil adaptar-me ao sistema de módulos do ensino profissional, basta fazê-los bem e não deixar nenhum para trás. Depois claro, é faltar o menos possível, porque neste tipo de ensino prático uma aula perdida pode ser um erro crasso. Os professores na Val do Rio foram um ponto forte no meu curso, com eles pude descobrir aquilo que mais gostava de fazer e como fazê-lo. Estiveram sempre presentes para me ajudar e com uma grande atitude. Com um formato de ensino prático e objetivo, quem procura acabar o 12º e ao mesmo tempo ter todo o “know-how” técnico de uma certa área, posso dizer que a Val do Rio é a escola indicada!” Os pais do Tomás Fernandes apoiaram incondicionalmente a decisão de o seu filho ingressar na EPVR e recomendam a todos os jovens. “A evolução do Tomás foi exponencial a partir do momento em que ingressou na Escola Val do Rio. Isto é nada mais, nada menos do que o fruto de um grupo de docentes interessado, entusiasmado, que gosta daquilo que faz e consegue transmitir isso mesmo aos seus estudantes. Se acrescentarmos os conteúdos interessantes do curso, reúnem-se todas as condições para o sucesso dos alunos. A EPVR funciona lindamente e os alunos não são só “mais um”. Há um interesse genuíno no sucesso individual de cada um, como estudante e como pessoa. A comunicação com os pais é excelente e de facto não temos nenhum reparo a fazer. Estamos 100% satisfeitos com a escola.”


34a36 Val do Rio_Layout 1 5/16/13 6:21 PM Page 36

ValdoRio publireportagem

[ 36 ] www.valdorio.net

Conceição Novo, colaboradora há mais de 15 anos na EPVR, integra a alma deste projeto e acredita nos valores desta instituição: “O projeto onde trabalho é aliciante, porque o principal objetivo da EPVR é formar pessoas, não só com vista ao mundo do trabalho, como também e, em especial, ao seu desenvolvimento pessoal e espiritual, visto que é uma escola de inspiração cristã.”

A Tutoria, uma educação personalizada A Escola Profissional Val do Rio procura estimular de forma singular as capacidades dos seus alunos, por meio da Tutoria. Esta é uma modalidade de apoio pedagógico, imprescindível para a construção do percurso de aprendizagem dos estudantes, permitindo a articulação de várias atividades escolares, a consciencialização de uma cultura organizacional e o seu papel no contexto familiar, profissional e social. Sem o exercício da tutoria, torna-se muito difícil uma orientação personalizada para as necessidades e anseios particulares dos alunos e estabelecimento de objetivos pessoais, que promove e contribui para a sua confiança pessoal.

Porque escolher?

Um projeto de sucesso, Valdorioskate A EPVR é palco de vários projetos, que são fruto da criatividade e espírito empreendedor dos seus alunos. É o caso de Tomás Fernandes, antigo aluno de vídeo e moderador do canal YouTube –

António Pinto leite apadrinha Compromisso Ético António Pinto Leite, presidente da ACEGE (Associação Cristã de Empresários e Gestores), veio à Escola Val do Rio dar uma palestra aos alunos finalistas do polo de Oeiras sobre o seu livro O Amor como Critério de Gestão, publicado o ano passado pela Principia. Partindo do pressuposto que nos negócios, tal como na vida privada, o amor como base das relações cria uma sociedade melhor e uma economia crescente, o livro enumera um conjunto

valdorioskate, que realizou um trabalho bem sucedido dedicado ao mundo do skate. Um sonho tornado realidade graças ao apoio da Escola Profissional Val do Rio. “O Val do Rio Skate Channel, começou

de princípios para a criação e manutenção de empresas sustentáveis. Seguiu-se o Compromisso Ético dos alunos finalistas, com a respetiva entrega de diplomas, que foi apadrinhado pelo convidado António Pinto Leite. O Compromisso é um decálogo de princípios universais de respeito por si próprio e pelo próximo na vida pessoal, social e profissional, que entronca no conceito de formação integral, um dos pilares do ideário da nossa escola.

numa conversa com o meu professor de Ética e responsável pelo Gabinete de Comunicação e Imagem, Luís Graça, que foi o grande motor inicial desta ideia. Eu expliquei-lhe como adorava skateboard e que o meu sonho era um dia poder ser cameraman de skate. Nunca pensei que este “pequeno” canal fosse chegar tão longe, ainda estamos no começo, mas tentamos fazer a cobertura máxima do skate nacional e lançamos os nossos conteúdos o mais rápido possível. Até agora tem sido a melhor experiência de sempre, eu a filmar skate, o meu sonho!” Escolhe o teu caminho A Escola Profissional Val do Rio tem acompanhado o mercado atual, aceitando os desafios de modo a encontrar as respostas educativas mais consistentes, criativas e apropriadas. O seu principal objetivo é continuar a desempenhar um papel educativo, integrado nas exigências formativas, impostas pelas atividades profissionais e mercado de trabalho. Do estudo de Tecnologias 3D à última geração na área das telecomunicações, a Escola Val do Rio tem nove cursos para ti! Caso ainda não saibas qual a melhor opção para o teu futuro, consulta o site www.valdorio.net e escolhe o teu caminho na Escola Profissional Val do Rio.


37 pub forum_Layout 1 5/17/13 12:21 PM Page 37


38a39 Skills_Layout 1 5/16/13 6:20 PM Page 38

[ 38 ] Guia do Ensino Profissional 2013

Desafia as tuas

competências! Para ser um bom profissional, não basta ter técnica. Descobre aqui algumas das competições onde podes pôr à prova as tuas competências. Texto de Diana Teixeira

O que Portugal já ganhou WORLD SKILLS 25 medalhas de ouro, 53 medalhas de prata, 46 de bronze e 55 menções honrosas EUROSKILLS 22 medalhas de ouro, 19 medalhas de prata, 17 medalhas de bronze e 52 Prémios de Excelência

Se achas que és bom naquilo que fazes e gostavas de mostrá-lo aos outros, o primeiro passo é concorreres à fase regional do Skills Portugal – Campeonato de Profissões. Aí serão apurados os profissionais com melhores competências para o campeonato nacional, onde se decidirá quem participará nas competições Euroskills ou Worldskills. Se tens 17 anos e uma formação profissional, adquirida quer através da escola [curso profissional] quer através de experiência no mercado de trabalho, podes inscrever-te no Campeonato das Profissões e, quem sabe, chegar a uma competição internacional. No caso do Euroskills tens que ter até 25 anos, no ano em que se realiza esta competição e, no caso do WorldSkills, podes participar se tiveres até 22 anos à data do concurso.

Os concorrentes podem representar as respetivas entidades patronais, escolas e centros de formação profissional ou concorrer individualmente. Atenção que as profissões que podem concorrer ao Worldskills e ao Euroskills são diferentes, informa-te! Quer as competições nacionais quer as internacionais decorrem apenas de dois em dois anos, por isso tens que estar atento. Podes pedir informações no Instituto de Emprego e Formação Profissional, que é a entidade representante do Worldskills e Euroskills em Portugal. 2013 é ano de Worldskills, que decorre em Leipzig, na Alemanha, entre os dias 2 e 7 de julho. A próxima competição EuroSkills realizase em 2014, na cidade de Lille (França).

Sites oficiais Para saberes mais consulta os sites oficiais destas competições: skillsportugal.iefp.pt www.worldskills.org www.euroskills.org


PUB

PUB

38a39 Skills_Layout 1 5/16/13 6:20 PM Page 39

facebook.com/forumestudante Faz LIKE na nossa pĂĄgina de Facebook e habilita-te a ganhar montes de prĂŠmios todas as semanas

PUB

I like it!

Oferta Formativa

INSCRIÇÕES

ABERTAS 2013/2014

t5Ă?DOJDPEF(FTUĂ?P t5Ă?DOJDPEF$POUBCJMJEBEF t5Ă?DOJDPEFÂťUJDB0DVMBS t5Ă?DOJDPEF(FTUĂ?PF1SPHSBNBĂŽĂ?P EF4JTUFNBT*OGPSNĂˆUJDPT t5Ă?DOJDPEF&MFUSĂ˜OJDB "VUPNBĂŽĂ?PF$PNBOEP t5Ă?DOJDPEF&MFUSĂ˜OJDBF5FMFDPNVOJDBĂŽĂœFT t5Ă?DOJDPEF.FDBUSĂ˜OJDB t5Ă?DOJDPEF&OFSHJBT3FOPWĂˆWFJT o7BSJBOUF4JTUFNBT4PMBSFT t5Ă?DOJDPEF.BOVUFOĂŽĂ?P*OEVTUSJBM o7BSJBOUF.FDBUSĂ˜OJDB"VUPNĂ˜WFM o7BSJBOUF.BOVUFOĂŽĂ?PEF"FSPOBWFT* t5Ă?DOJDPEF&MFUSPUFDOJB t5Ă?DOJDPEF*OTUBMBĂŽĂœFT&MĂ?USJDBT 

"HVBSEBBVUPSJ[BĂŽĂ?PEP.&

FrequĂŞncia gratuita www.inete.pt ENSINUS ETP


40 E depois do curso profissional?_Layout 1 5/17/13 9:45 AM Page 40

[ 40 ] Guia do Ensino Profissional 2013

Prazos de candidatura Para te dar uma ideia daquilo que te espera ao te candidatares, apresentamos-te o calendário de 2013 para o ingresso ao ensino superior. 17 a 26 de junho Primeira fase dos exames nacionais do ensino secundário 10 de julho Divulgação dos resultados dos exames da primeira fase

PRÓXIMA PARAGEM... ENSINO SUPERIOR Estudar numa universidade é também uma opção para os alunos do ensino profissional. Depois de acabares o curso, poderás prosseguir os teus estudos no ensino superior. Para isso terás de escolher o curso que mais se adequa aos teus interesses, concorrer e esperar pelo resultado. Para melhor perceberes este processo de candidatura, a Forum Estudante dá-te uma ajuda. Texto de Sara Alves Após teres concluído o ensino secundário ou curso profissional com certificação escolar equivalente ao 12º ano, estás apto a entrar no ensino superior. Para além das provas de ingresso, precisas de ter em atenção os pré-requisitos dos cursos a que te candidatas. Se quiseres ingressar numa instituição de ensino público, basta te registares no concurso nacional de acesso ao ensino superior. No caso de ires para uma universidade privada, terás de te informar sobre as condições de acesso da instituição. O que precisas para aceder? Para teres acesso ao ensino superior é necessário que apresentes as provas de ingresso para o curso que pretendes seguir. Para isso terás de fazer os exames nacionais, que correspondem às disciplinas

específicas, para aceder a essa licenciatura. Para além das provas de ingresso, é importante investigares que tipo de prérequisitos são exigidos no teu curso de interesse. Os pré-requisitos são algumas condições adicionais (de natureza física, funcional ou vocacional), que deves cumprir, pois são eliminatórios, isto é, se não os satisfizeres podes ser eliminado do concurso.

Ainda tens dúvidas em relação à faculdade e ao curso que vais concorrer? Passa pelo site forum.pt e podes pesquisar no Salão Virtual da Forum Estudante, as instituições do ensino superior e os cursos da área que mais gostas. Consulta também o nosso Guia Prático do Estudante com todas as informações sobre a oferta letiva das instituições do ensino superior.

11 e 12 de julho Inscrição para a segunda fase dos exames nacionais (prazo único) 17 de julho a 9 de agosto Apresentação das candidaturas à primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior. 16 a 18 de julho Segunda fase da realização dos exames nacionais 1 de agosto Afixação dos resultados da segunda fase 9 de setembro Divulgação dos resultados da primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior. 9 a 20 de setembro Apresentação das candidaturas à segunda fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior. 26 de Setembro Divulgação dos resultados da segunda fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior. De 26 de setembro a 4 de outubro Apresentação da candidatura à terceira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior. 10 de outubro Divulgação dos resultados da terceira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior.


00 VCK_Layout 1 5/16/13 3:12 PM Page 1


00 CK_Layout 1 5/16/13 3:11 PM Page 1


Guia do Ensino Profissional 2013