Page 1

R E V I S TA Ano 1 | Edição 1 | junho/2013

Brasília e o futuro

Brasília


EVO K E 

2

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

3

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


REVISTA

Brasília

Diretor de Jornalismo Estevão Damázio

A Revista EVOKE, preocupa-se com as questões ambientais e sociais, utiliza papeis com

Diretor Comercial e Marketing JR. Félix

certificação Forest Stewardship Council na impressão deste material. A certificação FSC

Editora Executiva Fernanda Tallarico

garante que a matéria-prima é proveniente de florestas manejadas

Executivo de Contas Jason Mendes

de forma ecologicamente

Jornalista Responsável André Kauric

Impresso na Gráfica.... - Certificada

correta, socialmente justa e economicamente viável. na Cadeia de Custodia - FSC.

Colunistas Alan Lucena, Geraldo Tardam Johil Carvalho Juliana Mendes Luíza Diener Ricardo Teixeira, Weimar Pettengil Jornalistas André Kauric Deborah Trevizan

www.revistaevoke.com.br

Editora de Arte e Projeto Gráfico Patricia Porto Revisão Cecília Fujita

Tiragem 50 mil exemplares

Fotografia Rodrigo Lopes

Circulação e Distribuição a Contratar

Capa Kazuo Okubo

Impressão e Acabamento Gráfica Executiva

Endereço CLSW 301 Bloco B, sala 101 Ed. Avenida Shopping Sudoeste Brasília-DF Telefone: (61) 3435-1014 Fale com a Evoke Comentários, sugestões, críticas opinião, informações.: revistaevoke@gmail.com


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


REVISTA

Brasília

Ano 1 | Edição 1 | junho/2013

12

Envelhecimento acompanhado de atividade física afia o cérebro Artigo - Ricardo Teixeira

16

Sônia Hess de Souza, Presidente da DUDALINA Perfil

22

Brasília e o Futuro Capa

28

Montanha à baixo Turismo

34

Festa B de Bruna: 2 aninhos Aniversário

41

Ellen Oléria Entrevista


46

Destempero na Medida Gatronomia

54

Falta de sono altera o funcionamento de genes, aponta estudo Bem Estar

60

Pensar demais antes de agir pode levar à estagnação Comportamento

64

Empreendedores na Educação Educação

70

ECONOMIA - Concentre-se no mercado e invista na bolsa Economia

74

Use tênis com estilo... Moda


EVO K E  Editorial

Brasília e o Futuro

A

nálise do impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais.A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos

8

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

Estevão Damazio

Diretor de Jornalismo


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

9

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E 

10

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

11

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E  ARTIGO

ENVELHECIMENTO acompanhado de atividade física afia o cérebro

RICARDO TEIXEIRA Jornalista

Caminhada e natação diminuem os riscos de transtorno cognitivo leve

É

bastante comum vermos pessoas colocando a culpa de suas queixas de memória no cérebro que não é mais jovem. Na verdade, oenvelhecimento cerebral normal provoca apenas discretas mudanças no desempenho cognitivo após os 50-60 anos de idade, muitas vezes só detectáveis através de testes rigorosos. Na maioria das vezes, porém, as queixas de memória têm mais relação com quadros de ansiedade, depressão, transtornos do sono e o estresse do dia-a-dia do que com doenças cerebrais propriamente ditas.

funções cognitivas preservadas, sem que isso atrapalhe de forma expressiva suas atividades diárias. Outros apresentam uma variante em que a memória é preservada enquanto outras funções estão acometidas. Nem todas as pessoas que apresentam transtorno cognitivo leve apresentarão demência no futuro, mas a maioria apresentará sim. A cada ano, cerca de 10-15% de idosos com diagnóstico de transtorno cognitivo leve receberá o diagnóstico de demência, comparado a 1-2% para idosos sem o problema.

Infelizmente, algumas pessoas à medida que envelhecem começam a ter queixas de memória de forma mais intensa, podendo evoluir para a demência. A definição de demência é o acometimento de diversas dimensões do pensamento que chega a comprometer a capacidade de um indivíduo em realizar suas atividades habituais. Entre o envelhecimento cerebral normal e a demência, podemos encontrar pessoas que estão no meio do caminho, e essa é uma condição chamada de transtorno cognitivo leve.

No segundo estudo, pesquisadores da Universidade de Washington ofereceram um programa de atividade física para 33 idosos com o diagnóstico de transtorno cognitivo leve com média de idade de 70 anos. Uma parte dos idosos recebeu um treinamento aeróbico intenso, de 45-60 minutos por dia, enquanto outra parte realizava apenas alongamento supervisionado, sem elevação da freqüência cardíaca. Após seis meses de treinamento, aqueles que foram submetidos à atividade física intensa apresentaram melhora das funções cognitivas quando comparados ao grupo que ficou restrito ao alongamento. E os efeitos positivos foram ainda mais significativos entre as mulheres, o que

Idosos com transtorno cognitivo leve costumam apresentar dificuldades significativas de memória com outras

12

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

pode ser explicado por diferentes efeitos no metabolismo das mulheres, como foi demonstrado na produção e utilização de insulina, glicose e hormônio cortisol. Já conhecemos uma série de efeitos positivos da atividade física sobre o funcionamento do cérebro, mas vale lembrar também da questão comportamental, já que bons hábitos costumam atrair outros. Indivíduos envolvidos em programas regulares de atividade física têm mais chance de se alimentar melhor, de ficar longe dos excessos e hábitos prejudiciais à saúde e de seguir as orientações médicas. 

Indivíduos envolvidos em programas regulares de atividade física têm mais chance de se alimentar melhor e de ficar longe dos excessos.

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

13


EVO K E 

UM MONUMEN

AO BEM ES

14

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


MENTO

M ESTAR

UNIDADE SUDOESTE SIG Quadra 08 Lote 2045 CEP 70610-480 Brasília-DF

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

15


EVO K E  PERFIL

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

16

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


Sônia Hess de Souza, Presidente da DUDALINA TEXTO Fernanda Tallarico

DESDE 2003, quando Sônia Hess de Souza assumiu a presidência da empresa, os movimentos da Dudalina passaram a ser muito bem calculados. De lá para cá, a empresa iniciou a produção de calças e malhas, deixou de ser totalmente masculina para lançar uma linha voltada para as mulheres, mas “sem frufrus”, como Sônia gosta de dizer. Agora, a marca parte para o projeto mais ambicioso de sua história: consolidar sua presença no varejo. Depois de abrir seis lojas em shoppings e aeroportos, a empresa vai inaugurar sua primeira loja de rua e até 2015 planeja ter 60 pontos de venda espalhados pelo País. “Estamos em um processo

IMAGEM Patricia Porto

de transformação, migrando da indústria para o varejo”, diz Sônia à DINHEIRO. A empresa planeja um limite de 60 lojas. A transformação da indústria em uma marca de prestígio não é uma tarefa tão simples assim. A empresa teve de contratar a empresa especializada em varejo, a FranchiseStore, para auxiliar no novo processo. “A maior dificuldade foi um possível conflito com os canais de vendas nos quais já atuamos e são nossos parceiros há anos. Temos muito cuidado e preocupação com isso”, diz Rui Hess de Souza, diretor de varejo da Dudalina. “Só montamos loja onde os nossos parceiros não têm JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

17


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E  PERFIL

Estamos em um processo de transformação, migrando da indústria para o varejo.

” Sônia Hess de Souza

pontos de venda.” O caminho é muito parecido com o de outras grifes que partiram para o varejo. A italiana Ermenegildo Zegna, por exemplo, era apenas uma fabricante de tecidos quando decidiu abrir sua primeira loja na década de 1980 – setenta anos depois de sua fundação. Isso permitiu à empresa cobrar mais por seus produtos e valorizar a marca com uma rede de 550 lojas em 86 países. Detalhe: 70% de seu faturamento de 870,6 milhões de euros é fruto de sua operação no varejo. Outras marcas brasileiras (leia quadro), como Hering, Lupo, Hope e Puket, fizeram o mesmo. “É uma estratégia que tem dado resultados bastante positivos, fortalecendo as

18

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

grifes”, diz Sylvio Mandel, consultor e presidente da Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX). “São poucas as fabricantes que conseguiram se manter no mercado de camisas, como a Dudalina. Ela mostrará ainda mais o seu nome ao apostar no varejo”, diz Mandel. Hoje, a companhia, dona de quatro fábricas, vende produtos sob as marcas Individual, que foca o cliente mais abastado, Base, voltada para o público mais jovem, e Dudalina, com camisas clássicas. As peças da fabricante são comercializadas em mais de 1,8 mil pontos de venda de terceiros espalhados pelo País. Cerca de 20% do que a empresa produz é voltado para linhas específicas de famosas grifes, como

Brooksfield, Via Veneto, Daslu e Zara. As exportações, por sua vez, somam uma média de 200 mil camisas por mês para 50 países. Mas, se os planos de atuar com força total no varejo derem certo, o perfil das vendas da empresa mudará completamente. Se hoje a Dudalina comercializa 5% de suas peças em lojas próprias, a meta é chegar a pelo menos 30% em cinco anos. Um número que, definitivamente, transformará a vida de Sônia Hess. “Planejo me aposentar em cinco anos, participando apenas do conselho da empresa, mas não sei se conseguirei.”


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

19


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E 

20

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

21


EVO K E  CAPA

Brasília IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

e o futuro

22

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

23


IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS

EVO K E  CAPA

BRASÍLIA TEM MAIS FUTURO do que passado. Esta afirmativa pode parecer um paradoxo, pois Brasília tem um longo passado, uma tradição com mais de dois séculos, desde o Brasil Colônia, pelas pregações e pelos sonhos nativistas de Tiradentes, Bonifácio, Hipólito, Varnhagen e tantos outros brasileiros clarividentes. No Império e na República, muitos lutaram pelo ideal de ter o Brasil uma Capital no interior central do País. Outros, sonharam que a nova Capital seria um pólo irradiador de desenvolvimento sócio-econômicocultural para todo o Centro-Oeste e o grande Norte. Até profetizaram o surgimento, na novel cidade, de uma

24

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

nova civilização para o Brasil. Três Constituições determinaram Brasília e três Comissões escolheram o local no Planalto Central, em Goiás. Num momento de luz, um homem de fé e vontade inquebrantáveis, o Presidente Juscelino Kubitschek, cumprindo o desejo de muitas gerações de brasileiros, construiu e inaugurou, a 21 de abril de 1960, a nova Capital Federal, Brasília, nos altiplanos do Brasil Central. Homens simples, quase rudes, retirantes do Nordeste, de Goiás, de Minas e outras partes do País, fugiram da seca e da falta de oportunidades para, sem quase qualificação de mão-de-obra, lançar-se à epopéia de Brasília e construir palácios admiráveis, belos

edifícios residenciais, avenidas, eixos monumentais etc, entregando pronta e acabada o que a imprensa mundial classificou de “A Obra do Século” e o filósofo francês André Malraux chamou de “ A Capital da Esperança.” Assim, gente do Norte, do Leste, do Sul e do Oeste, repetindo o feito dos fugitivos do deserto, na Antigüidade, acorreu à terra prometida e, no Planalto goiano, edificou Brasília, a nova Capital do Brasil. Construíram, também, famílias, numa mistura integradora e numa miscigenação de tipos étnicos os mais diversos - nortistas com gaúchos, mineiros com cearenses, goianos com cariocas etc etc. Surge, daí, de uniões conjugais,


de relacionamentos, de mistura de costumes e tradições, um novo tipo étnico miscigenado e com todas as cores nacionais: a integração sócioracial brasileira. O homem síntese, o homem de Brasília, que desponta ao longo dos primeiros quarenta anos de vida da cidade-Capital. Isto, num tempo de quarenta anos, o que faz lembrar a caminhada de Moisés e seu povo para a formação da terra prometida, na Antigüidade. E este homem síntese, o brasiliense, com o aconselhamento de pioneiros predestinados que edificaram a cidade e a sustentaram, naturalmente com a assistência de entidades superiores, constrói nos momentos iniciais do Terceiro Milênio, as perspectivas

alvissareiras de um futuro promissor para que se cumpra a profecia e implante-se no interior planaltino, a partir de Brasília, os fundamentos de uma nova civilização, já antevista por brasileiros clarividentes e pelo sonho profético do padre salesiano Dom Bosco. Assim, pelo pensamento construtivo e pela evolução moral e espiritual, esta nova geração nascida no Planalto Central brasileiro, este homem brasiliense, este homem síntese nacional, fará de Brasília a Capital do Terceiro Milênio, revelação esta que me foi feita, coincidentemente, pelo Presidente Juscelino Kubitschek dias antes do seu falecimento, em 1976.

Será uma riqueza inconcebível, na visão de Dom Bosco. A cultura e os valores morais se agigantarão! A ganância pelo poder e pelo ouro não predominará mais. Os corruptos, os hipócritas, os maus não terão mais vez na política, na economia, na cultura. A preocupação maior será o bem comum. A consciência evolutiva de cada um definirá melhor os direitos e as responsabilidades na construção da justiça social e da paz entre os humanos. O pensamento positivo e a virtude prevalecerão sobre a matéria e sobre o vício. A cada um da nossa geração cumpre realizar uma parcela desta missão civilizadora. Sinta-se motivado e convidado JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

25


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E 

26

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

27


EVO K E  TURISMO

28

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


MONTANHA a baixo

Brasilienses adoram esquiar. Além de pistas de esqui resorts, spas e baladas compõem o cenario das férias no inverno.

TEXTO Fernanda Tallarico

NUNCA É DEMAIS LEMBRAR o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa uma abertura para a melhoria dos relacionamentos verticais entre

IMAGEM Patricia Porto

as hierarquias. Do mesmo modo, a revolução dos costumes estende o alcance e a importância do processo. O que temos que ter sempre em mente é que o início da atividade geral de formação de atitudes ainda não demonstrou convincentemente que vai participar na mudança das novas proposições. No mundo atual, o fenômeno da Internet preparanos para enfrentar situações atípicas decorrentes de todos os recursos funcionais envolvidos. Por conseguinte, o aumento do diálogo entre os diferentes setores produtivos garante a contribuição de um grupo importante na determinação dos níveis de motivação departamental. Todavia, a execução dos pontos. JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

29


EVO K E  TURISMO

Chamonix e Courchevel são as mais procuradas. Ótima pedida para férias em família

IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS

Obriga à análise do impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado

30

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema

de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa uma abertura para a melhoria dos relacionamentos verticais entre as hierarquias. Do mesmo modo, a revolução dos costumes estende o alcance e a importância do processo. O que temos que ter sempre em mente é que o início.


Megeve e Val D`lsere são as escolhas de esqiadores mais experientes,

A análise do impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado

maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema

de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa uma abertura para a melhoria dos relacionamentos verticais entre as hierarquias. Do mesmo modo, a revolução dos costumes estende o alcance e a importância do processo. O que temos que ter sempre em mente é início da atividade. JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

31


EVO K E  TURISMO

Obriga à análise do impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado

32

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema

de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa uma abertura para a melhoria dos relacionamentos verticais entre as hierarquias. Do mesmo modo, a revolução dos costumes estende o alcance e a importância do processo. O que temos que ter sempre em mente é que o início.


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

33

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E  ANIVERSÁRIO

Festa B de Bruna: 2 aninhos

IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS

34

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


No último dia 12 de março, a blogueiraIza Garcia recebeu familiares e amigos para comemorar o 2º aniversario da filha Bruna. TEXTO Fernanda Tallarico

IMAGEM Patricia Porto

NO ÚLTIMO DIA 12 de março, a blogueiraIza Garcia recebeu familiares e amigos para comemorar o 2º aniversario da filha Bruna. O tema da festa foi “B de Bruna”. Os principais itens de decoração da festa começavam com B… de Bruna: bailarina, balão, babados, biscoitos, bombons, bolinha de sabão, bicicleta, borboleta… e tudo aconteceu ao som de bossa-nova! “Apesar de muito trabalho envolvido nos preparativos dessa festa,o resultado final foi incrível: uma festa surpreendentemente decorada e muito agradável”, destacouIza.

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

35


IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS

EVO K E  ANIVERSÁRIO

 36

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


“Eu já quis ser “médica de crianças”, pipoqueira, boleira e costureira.Já fiz curso de inglês, de italiano, castelhano, mas só falo português.Formei em Direito, me especializei em Ciência Política, gosto muito de trabalhar e hoje também sou blogueira.Em 2010, me tornei mãe e me realizei plenamente ao descobrir algo para ser a vida inteira”. PefilIza Garcia

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

37


EVO K E 

38

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

39


EVO K E  ENTREVISTA

Ellen Oléria

40

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


Ellen Oléria fala sobre sucesso, vida pessoal e diz que não teme ser esquecida.

C

om um jeito manso, Ellen Oléria vai mostrando que é uma artista nata. Formada em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília, a música entrou na sua vida desde cedo, por influência do pai e dos irmãos músicos. Desde então, mesmo quando não apostava no som como uma carreira profissional, a música nunca mais a deixou. O sucesso chegou antes do The Voice Brasil, mas foi o programa que deu a projeção que Ellen precisava. Mesmo com a fama repentina, ela mantém os pés no chão. Prefere acreditar que isso é uma oportunidade, mas que terá que batalhar para fazer valer a pena o esforço. Esquecimento? Não, ela não tem medo, pois sempre esteve “na pista para jogo” e continua trabalhando muito. Da equipe do baiano Carlinhos Brown, Oléria conta que Salvador mora no

seu coração e que ela já se sente parte do cenário da cidade. Nesta entrevista, ela contou um pouco mais de sua trajetória, pretensões, desejos, expectativas. Falou também sobre a homossexualidade, o passado e a fama. Você começou sua carreira musical com 16 anos. Você teve influência de quem? Acho que o cenário todo acaba influenciando. Além da própria música em si mesma, que sempre foi uma parte muito presente do meu dia a dia - tenho um pai músico, meu irmão é músico, minha irmã é cantora também. Então, além da música que chega pelo rádio, pelos vizinhos, pelas vizinhas, o povo dentro de casa sempre foi muito da produção musical.•. Vo c ê t e v e d i f i c u l d a d e para começar sua carreira? JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

41


EVO K E  ENTREVISTA

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

acabou acompanhando essa minha trajetória, mesmo em espetáculos teatrais. Quando a gente ia circular com um espetáculo, nas horas vagas, depois de um dia de função, eu dava canjas nos bares e restaurantes onde a gente estava. A música acabou falando muito alto e atendi a essa demanda também, porque nunca deixei de tocar. Só comecei a trazer isso para outras esferas mesmo, que foi efetivamente pensar isso como uma profissão.

42

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

Como você começou a cantar profissionalmente?

Você fez parte de duas bandas, a Pret.utu e a Soatá. Você continua ou pretende continuar a dar seguimento a esses projetos?

Foi uma coisa muito natural. A partir do momento em que a gente entende que a produção da gente pode ser um meio de subsistência também, a gente começa a pensar em fazer disso o nosso dia. Mas de fato eu fugi muito de pensar a música como profissão. Demorei muito mesmo. Inclusive pensei em tudo, menos isso. Sempre achei que eu podia levar a música como algo paralelo. Mas a música, desde que chegou para mim, nunca me abandonou. Mesmo quando eu pensei em fazer cinema e não tive possibilidades, porque não tinha um curso de cinema em universidade pública na minha região e se fosse pago a gente não tinha condição de fazer, eu procurei artes cênicas para ficar dentro da música. E a música

Na verdade é assim. A Pret.utu é a banda que acompanha meu projeto autoral. Então, eu, como Ellen Oléria, me apresento desde 2005 acompanhada da bandaPret. utu. O Pedro Martins na guitarra, o Célio Maciel na bateria, Felipe Viegas no teclado, Leo Barbosa na percussão e hoje nós estamos com Sandro Jadão no baixo, porque a nossa baixista Paula Sindres está de licença maternidade. Ela acabou de ter um bebezinho, o Camilo, e não veio para Salvador. O Sandro Jadão é nosso parceiro também há algum tempo. A banda Soatá já é uma outra relação. Eu sou a cantora da banda, toco instrumentos de corda, de percussão. Somos uma banda que mistura ritmos amazônicos com rock ‘n’ roll. E sim, espero que


a gente tenha a possibilidade de continuar nesse laboratório. Desde 2006 nós estamos juntos. A gente gravou um disco que está em fase de pós-produção, estamos mixando, vamos masterizar logo. Acho que é bacana a gente ter espaços para explorar a nossa diversidade musical. Você já era conhecida antes do The Voice Brasil. Chegou a fazer show de abertura de grandes cantores como Milton Nascimento e Lenine. Como foi a decisão de entrar no programa? Na verdade, a carreira de quem vive de uma maneira independente do grande mercado fonográfico, de uma cena underground, tem se deparado com essa instabilidade na carreira. É um mês em que dá tudo certo e três meses de seca. Eu nunca fiquei sem trabalho, mas muitas vezes fiquei sem recurso. Sempre tive muito trabalho para fazer. Fui, durante esse tempo todo, a gestora do meu projeto autoral. Fiquei pensando mesmo, não nas facilidades, porque acho que a gente não espera isso no caminho. A gente sabe que a vida é dura para todo mundo em qualquer segmento. A gente precisa batalhar. Mas a minha ideia era pensar isso como uma grande vitrine, uma possibilidade de mostrar [o trabalho] para um público maior, de uma maneira mais imediata,

e acho que o papel da TV é esse mesmo, atualizar imediatamente de uma maneira massiva informações, tradições, contradições. A minha ideia era essa, chegar em um grande público e mostrar a música. Acabei sendo agraciada no percurso com a vitória dentro do processo, apesar de acreditar mesmo que ninguém saiu derrotado do processo, porque todo mundo teve a oportunidade de mostrar seu projeto, seu trabalho no The Voice. Mas fui agraciada em dinheiro, além do carro que recebi ou virei a receber (risos). Acho que esse é o grande ponto do programa, ter encontrado pessoas. Acredito que a rede também é muito importante. Sempre pensei a música dentro desse partilhamento de economia solidária. A gente não anda só. Precisa mesmo se articular, precisa da ajuda das pessoas pra botar a música na estrada e mantê-la na estrada. Eu acho que o programa deu pra mim o que eu fui procurar, que é essa visibilidade. Você foi escolhida pelos quatro técnicos. Os quatro viraram a cadeira para você e aplaudiram de pé sua audição às escuras. Por que você escolheu Carlinhos Brown? Foi por ter um estilo parecido com o dele ou pela capacidade artística? Cada artista ali tem a sua impressão digital na música popular brasileira. Cada um, cada

uma, com seu jeitinho. Acho que eu venho também com o meu tempero próprio. Mas sim, de fato acho que esteticamente, até pela trajetória também, me identifico muito com Carlinhos Brown. E já por ter apreciado a produção dele de uma maneira muito intensa em outras épocas da minha vida, achei que ia ser um encontro bem bacana. Mas de fato, vou dizer pra você que acho que estaria muito bem acompanhada por qualquer uma daquelas figuras ali. Daniel é um gentleman, um doce. O Lulu, eu acho que é mesmo um dos grandes representantes da nossa música pop. E a Claudinha arrebanha multidões por onde ela passa. Acho que estaria muito bem acompanhada e cada um deles teria algo muito magnífico para compartilhar comigo e vice-versa. Acho que fui bem feliz na escolha do Brown porque saí vitoriosa nesse sentido. Estive com ele no Sarau du Brown agora e a cada dia que passa eu vejo que ele é essa figura que se apresenta mesmo a primeira vista. Um cara apaixonado pelo que faz. Como vencedora do The Voice, você irá ser contratada por uma grande gravadora. Você acha que isso poderá mudar de alguma forma o seu estilo musical? Não, eu acho que a música não pode ser vista com rigidez. Eu acho que a gente precisa mesmo a cada

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

43


EVO K E  ENTREVISTA

momento se flexibilizar. Eu acho que a música tem a ver com isso, flexibilidade mesmo. Não posso engessar a minha produção ou achar que o que fiz até agora na minha caminhada é determinante e definitivo para o que vem. Estou super disponível para escutar as vozes dessas pessoas que eu sei que são qualificadas para me assessorar, me orientar. Vou escutar. Acho que é tempo de experimentar também. Não estou com o coração fechado para nada. Acho que estou na pista para jogo. Vamos ver o que dá. Vamos conversar, vamos produzir, vamos criar. E acho que estou muito bem acompanhada mesmo, bem assistida. A Globo, na sua participação

44

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

Acredito que as instituições, todas elas, existem para nos atender e não o contrário. A gente não existe para atender as instituições, elas estão para nos atender, nos representar. Acredito que toda instituição é feita por pessoas e eu sou mais uma. Estava de passagem, com data marcada para sair da instituição. Eu acredito que as pessoas da instituição espelham também os seus lugares, as pessoas com quem se articulam. Fui tratada com muito respeito pelos profissionais que encontrei dentro do processo. De fato, acho até interessante que tenha havido toda essa repercussão do que para mim é, de fato, algo natural. Acho que todo mundo se relaciona afetivamente. Acho que nada foi feito de uma maneira inadequada. Acho que tudo foi muito pontual e atendeu e espelhou a realidade. Acho que me vejo assim também, naturalmente. Você pretende se engajar futuramente em alguma causal homossexual?

Acho que sou engajada no sentido de ser e representar o que sou, tudo o que sou. Então trago comigo essas marcas no meu corpo. São várias marcas, como as rugas que já começam a desenhar o meu rosto. Essas são marcas também que me significam como pessoa, como ser vivente. Eu falei da passagem pela instituição e estou de passagem também pela vida. Espero que nessa passagem eu possa fazer o melhor possível. Então se é para o bem, espero estar sempre engajada positivamente. O que mudou da Ellen Oléria de antes e depois do The Voice Brasil? Com relação à fama, porque todo lugar que você chega agora causa o maior alvoroço. Acho que o que muda são as oportunidades, as portas abertas. Eu costumo dizer e tenho dito que o The Voice Brasil foi um portal e atrás desse portal mágico eu encontrei portas abertas, várias portas abertas e muitas oportunidades.. Acho que isso muda e é muito bom pra gente que busca isso, que está querendo mostrar o nosso som, o talento, fazer o nosso trabalho honestamente e compartilhar o que a gente tem recebido. Isso mudou as possibilidades de lugares onde eu posso apresentar o meu som e mostrar meu talento como contora.

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

do The Voice, assumiu diante das câmeras a relação entre duas mulheres. Se referiam como “a namorada de Ellen”. Você acha que a sua participação foi importante para ajudar o brasileiro a ver essa relação com maior naturalidade?


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

45


EVO K E  GASTRONOMIA

46

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


DESTEMPERO na medida TEXTO Fernanda Tallarico

PERCEPÇÃO DAS DIFICULDADES a c a r r e t a u m p r o ce s s o d e reformulação e modernização dos conhecimentos estratégicos para atingir a excelência. Evidentemente, o comprometimento entre as equipes desafia a capacidade de equalização das diretrizes de desenvolvimento para o futuro. Pe n s a n d o m a i s a l o n g o prazo, o acompanhamento das preferências de consumo estimula a padronização das condições inegavelmente apropriadas. O empenho em analisar a determinação clara de objetivos aponta para a melhoria dos índices pretendidos. Acima de tudo, é fundamental ressaltar que a constante divulgação

Jovens Chefs da cidade mostram todo seu talento IMAGEM Patricia Porto

das informações talvez venha a ressaltar a relatividade das diversas correntes de pensamento. A nível organizacional, a valorização de fatores subjetivos obstaculiza a apreciação da importância do investimento em reciclagem técnica. Assim mesmo, o surgimento do comércio virtual faz parte de um processo de gerenciamento do orçamento setorial. Podemos já vislumbrar o modo pelo qual a estrutura atual da organização auxilia a preparação e a composição dos procedimentos normalmente adotados. Todas estas questões, devidamente ponderadas, levantam dúvidas sobre se o julgamento imparcial das eventualidades deve passar por modificações JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

47


Juan Mari mostra porque é merecedordo Prêmio mais cobiçado do mundo gastronômico

A análise do impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado

48

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema

IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS

EVO K E  GASTRONOMIA


 1) Batalas ao modo do Chef 2) Especial de peixe 3) Torta de bacalhau ao molho branco e tomate seco 4) Cubos de Peixe com especiarias

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

49


EVO K E  GASTRONOMIA

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

Segredos dos Chefs Chá verde, Chá branco, Chá vermelho, Casca de laranja amarga, Fucus, Carqueja, Mate.

Impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado maximiza as possibilidades por

50

conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema de formação de quadros que

corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa uma abertura para a melhoria dos relacionamentos verticais entre as hierarquias. Do mesmo modo, a revolução dos costumes estende o alcance e a importância do processo. O que temos que ter sempre em mente é que o início da atividade geral de formação de atitudes .

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

IMAGEM


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

51


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E 

52

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

53


EVO K E  BEM ESTAR

Falta de sono altera o funcionamento de genes, aponta estudo TEXTO Fernanda Tallarico

54

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

IMAGEM Patricia Porto


JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

55


EVO K E  BEM ESTAR

Impacto na saúde Dormir poucas horas por noite pode ter impacto negativo na saúde

A FALTA DE SONO altera o funcionamento de centenas de genes relacionados com a inflamação, o sistema imunológico e a resposta do corpo ao estresse, revelou um estudo britânico publicado nesta terça-feira nos Estados Unidos. Outros estudos já tinham demonstrado que a falta de sono pode estar relacionada com a obesidade, as doenças cardíacas e deficiências cognitivas, mas não se conhecia o mecanismo molecular, informaram os autores da pesquisa publicada nas Atas da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS). Para este estudo, os cientistas, entre eles Carla Möller-Levet, da Escola de Ciências Médicas da Universidade de Surrey (Reino Unido), recrutaram 26 voluntários.

56

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

Eles deviam dormir menos de seis horas por noite durante uma semana e mais de nove horas por noite durante a semana seguinte. Para um adulto, uma noite normal de sono tem de sete a oito horas. Depois de cada uma destas duas semanas, foi extraída uma amostra de sangue de cada participante. Uma análise do ácido ribonucleico (ARN), molécula quimicamente muito similar ao DNA, mostrou que a falta de sono causou efeitos no funcionamento de 711 genes. Além disso, o número de genes cuja atividade está normalmente no máximo durante todo o dia passou de 1.855 para 1.481, debilitando-se a amplitude da expressão de outros genes. Os cientistas também descobriram que o número total de genes afetados pela falta de sono.


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

57

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E 

58

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

59

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E  COMPORTAMENTO

60

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


Pensar demais antes de agir pode levar à estagnação TEXTO Fernanda Tallarico

ESTARMOS SEMPRE ANTENADOS, e m b u s c a co n s t a n t e p o r informações, é uma cobrança da vida moderna. Aparentemente, quanto mais conhecimento adquirimos, mais bem preparados estamos para enfrentar situações desafiadoras. Por outro lado, o excesso de considerações pode prejudicar o impulso humano fundamental: a ação. “Raciocinar demais diante das situações é uma tentativa de dominar todas as possibilidades e efeitos das nossas decisões. Só que, com isto, diminui a nossa capacidade de ação e podemos ter dificuldade para encontrar soluções criativas”, explica a psicóloga Elisa Villela, doutora em desenvolvimento

humano pela USP. Assim, pensar menos pode permitir a descoberta de saídas mais inovadoras para os mesmos problemas, o que só é possível quando acessamos um conhecimento previamente adquirido, que alguns especialistas chamam de intuição. Em linhas gerais, a reflexão pode e deve ser o primeiro passo para a tomada de atitude. No entanto, se ela começar a bloquear os movimentos e provocar estagnação, também pode sugerir uma insegurança sobre o próprio potencial, que precisa ser investigada com mais cuidado. “Algumas pessoas postergam decisões por acreditarem que o repertório de informações que

IMAGEM Patricia Porto

possuem nunca é suficiente”, alerta a doutora em psicologia clínica Maria Elisabeth Montagna, professora da PUC de São Paulo. O ponto de equilíbrio A solução, portanto, não é deixar de pensar antes de agir, mas, na medida do possível, conciliar impulsividade e raciocínio. “Em determinadas situações, é importante se dar ao direito de agir num ímpeto. Tomar decisões e assumir determinados comportamentos pode implicar em se permitir ser agressivo, mas não no sentido destrutivo. Estamos falando daquela agressividade vital que todos nós precisamos para delimitar nosso espaço no mundo”, defende Elisa. JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

61


EVO K E  COMPORTAMENTO

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

O excesso de considerações pode prejudicar o impulso humano fundamental: a ação

Para conseguir agir dessa maneira, a psicóloga explica que maturidade e um bom nível de autoconhecimento são essenciais. Com isso, é possível atender aos próprios desejos sem perder o contato com a realidade. “Em alguns casos, pode ser benéfico pensar um pouco menos e adotar comportamentos emocionais, independente das consequências não tão positivas a médio e longo prazo”, afirma Reginaldo do Carmo Aguiar, psicólogo especialista em terapia comportamental. “Isso não significa ser inconsequente, mas ter ideias e pensamentos flexíveis, aceitando que erros fazem parte da vida”, acrescenta.

62

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

A intuição a seu favor Na hora de decidir também vale tirar proveito da intuição, ou seja, aquela sensação que nos aparece repentinamente trazendo uma certeza íntima sobre a validade de determinada atitude, mesmo quando somos incapazes de explicá-la de forma objetiva. “A intuição é a habilidade d e p r o ce s s a r i n fo r m a çõ e s inconscientemente, sem a intervenção do raciocínio lógico. Ela se desenvolve por meio de experiências e memórias acumuladas no decorrer da vida”, define a psicóloga Katia Rech, do Centro de Desenvolvimento da

Intuição e Criatividade. É como se tudo o que você viveu e aprendeu fosse arquivado e, quando é necessário, estas informações se organizam e surgem à mente num insight, sem que você consiga identificar os passos que levaram até a essa ideia. “Nunca temos certeza absoluta a respeito de uma intuição e, por isto, tendemos a descartá-las sem verificar sua veracidade e aplicação”, declara Katia. Segundo a especialista, quando há pouca informação disponível e é necessário tomar uma decisão, esta capacidade pode ser mais útil do que questionar-se a certeza. 


O jeito gaúcho de fazer churrasco Macios, suculentos, quase derretendo ao corte da faca. Retirados direto do fogo com aquele cheiro irresistível e uma textura de dar água na boca. Os melhores cortes de carne do mundo estão aqui.

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

63

www.fogodechao.com.br IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E  EDUCAÇÃO

64

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


Empreendedores da educação Empreendedores da educação

Quem são as pessoas que estão tentando mudar a educação por meio da tecnologia

TEXTO Fernanda Tallarico

SÃO MUITAS AS INICIATIVAS que visam melhorar a qualidade da educação brasileira. Longe de ser um tema que se restringe aos especialistas da área, a educação tem despertado o interesse de profissionais de diferentes segmentos que querem unir os negócios à vontade de transformar a educação. Modificar o modelo educacional que conhecemos hoje, por meio da tecnologia, é o principal objetivo desses novos empreendedores. Na última quinta-feira (31), quatro deles apresentaram suas propostas na mesa “Empreendedores pela educação”, na CampusParty, em São Paulo.

IMAGEM Patricia Porto

“Acreditamos que com o advento da tecnologia tudo mudou. A forma como trabalhamos e trocamos informações. Mas o aprendizado ainda não conseguiu utilizar tudo que a tecnologia tem para oferecer”, defendeu Thaís Suzuki, da Geekie, abrindo as discussões do painel. A Geekie é uma empresa que aposta no ensino adaptativo e, para isso, conta com a ajuda de algoritmos para traçar o perfil dos alunos que utilizam a plataforma, da mesma forma que sites como Google, Facebook e Amazon identificam as características de seus usuários. A ideia é que a partir dessas informações o professor possa planejar a apresentação de JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

65


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E  EDUCAÇÃO

conteúdos e exercícios que melhor se adaptem a cada estudante. Já para Camila Haddad, fundadora da startup Cinese, a educação hoje não forma empreendedores, pois adota um modelo que não permite que os alunos sejam protagonistas da aprendizagem. A mestre em desenvolvimento sustentável, que se considera em um momento de “desescolarização”, encontrou no crowdlearning uma opção diferente do modelo tradicional professoraluno. O Cinese afirma que qualquer um pode ensinar e propõe que as pessoas compartilhem seus conhecimentos por meio dos

66

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

encontros promovidos pelo site. “Quanto mais gente compartilhando o que sabe, melhor”, acredita Camila. Entusiasta da tecnologia, Samir Iásbek fundou o Qranio.com, site de jogos educativos. O mineiro conta que nunca gostou de estudar, mas sempre teve prazer em aprender. Por isso decidiu criar uma plataforma que permitisse que os jovens aprendessem se divertindo. A fórmula encontrada foram os jogos de perguntas e respostas de conhecimentos gerais, onde o usuário pode escolher uma categoria específica e trocar os pontos acumulados por prêmios

reais. O objetivo da startup está longe de ser a substituição do ensino formal pelos games: “a ideia é que os jovens joguem fora da sala de aula, no metrô, ou na espera de uma consulta médica”, explica Iásbek. Outra empresa presente no evento era a Veduca, portal que disponibiliza videoaulas de diversas universidades do mundo, como Harvard, Stanford, Yale, Princeton, USP, Unesp e Unicamp. Com mais de 5 mil aulas e parte do material legendado em português, o site, que ainda não completou um ano, já atingiu a marca de 1,3 milhão


“ Acreditamos que com o advento da tecnologia tudo mudou. A forma como trabalhamos e trocamos informações. Mas o aprendizado ainda não conseguiu utilizar tudo que a tecnologia tem para oferecer. Thaís Suzuki, da Geekie

de visitantes. “Nós atingimos esse número sem nenhuma publicidade, o que significa que há uma demanda muito grande por aprendizado no Brasil”, aponta Carlos Souza, fundador do portal. Contraponto “Não basta fazermos coisas para a educação, mas sim fazermos com a educação. O que a nossa educação precisa? Como podemos caminhar juntos com quem faz a educação?”, indagou aos convidados a mediadora da mesa Maria Elizabeth de Almeida, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC - SP) e pesquisadora das novas tecnologias em educação. “Tendemos a buscar alguma solução que dê conta do problema rapidamente. Mas não há resposta única para o nosso país. Nada do que foi apresentado aqui serve para todas as situações, mas podem servir para muitas. Por isso temos de ajudar a criar o empreendedorismo em cada contexto”, acrescentou.

A professora acredita que as iniciativas colaboram para romper estruturas organizacionais rígidas e sinalizam um desafio: a abertura do currículo para que as funcionalidades da tecnologia sejam incorporadas, permitindo uma maior participação dos alunos, a autonomia em relação ao aprendizado e o trabalho colaborativo. Como um alerta para os mais crentes na tecnologia como o ponto chave para uma educação de qualidade, Maria Elizabeth frisou ainda que o futuro da educação não está no e-learning, mas na integração do ensino presencial e a distância. “A educação não se faz apenas com a produção de materiais didáticos, ainda que eles sejam excelentes materiais multimídias. A educação se faz pela atividade dos sujeitos. O quanto a educação será olho no olho ou o quanto será a distância será determinado pelas condições e objetivos de cada contexto”, finalizou.  JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

67


EVO K E 

68

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

69

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


EVO K E  ECONOMIA

ECONOMIA Concentre-se no mercado e invista na bolsa TEXTO Fernanda Tallarico

IMAGEM Patricia Porto

OBRIGA À ANÁLISE DO IMPACTO na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições.

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

70

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado

maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão


Obriga à análise do impacto na agilidade decisória. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como a complexidade dos estudos efetuados cumpre um papel essencial na formulação do remanejamento dos quadros funcionais. A prática cotidiana prova que a mobilidade dos capitais internacionais exige a precisão e a definição dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no consenso sobre a necessidade de qualificação facilita a criação das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. As experiências acumuladas demonstram que o novo modelo estrutural aqui preconizado maximiza as possibilidades por conta do fluxo de informações. Por outro lado, o desenvolvimento contínuo de distintas formas de atuação assume importantes posições no estabelecimento dos métodos utilizados na avaliação de resultados. Gostaria de enfatizar que a expansão dos mercados mundiais promove a alavancagem de alternativas às soluções ortodoxas. Neste sentido, a consolidação das estruturas possibilita uma melhor visão global do levantamento das variáveis envolvidas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de

nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa uma abertura para a melhoria dos relacionamentos verticais entre as hierarquias. Do mesmo modo, a revolução dos costumes estende o alcance e a importância do processo.

Evoke é questão de definir o que importa e eliminar o resto

Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que a contínua expansão de nossa atividade afeta positivamente a correta previsão do sistema de formação de quadros que corresponde às necessidades. Não obstante, o entendimento das metas propostas apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção das formas de ação. É importante questionar o quanto o desafiador cenário globalizado pode nos levar a considerar a reestruturação do sistema de participação geral. No entanto, não podemos esquecer que a consulta aos diversos militantes representa JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

71


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E 

UM MONUMEN

AO BEM ES

72

www.uniquefitness.com.br www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


MENTO

M ESTAR

UNIDADE SUDOESTE SIG Quadra 08 Lote 2045 CEP 70610-480 Brasília-DF

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

73


EVO K E  MODA

Use tênis

74

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


com estilo...

JUNHO 2013 ď‚– www.revistaevoke.com.br

75


EVO K E  MODA

USE TÊNIS com estilo TEXTO Fernanda Tallarico

IMAGEM Patricia Porto

Use com estilo o seu tênis e garante um visual fashion!

A REGRA PARA COMBINAR o tênis com o restante do look é criar uma produção confortável, mas sem sair da moda. Para usar tênis com estilo, é preciso invistir em modelos básicos e modernos. Para produções mais discretas, invista em tênis em cores mais neutras, como o branco, cinza, azul marinho e preto. Para quem gosta de brincar com a produção, os modelos coloridos, com estampas, detalhes e tênis no estilo botinha são a melhor opção.

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

76

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

Peças como o bom e velho jeans, legging, meias finas de qualquer material e modelo, são ótimas peças para compor looks com tênis. Para complementar o visual na parte de cima, aposte em blusas sequinhas combinadas com blazers, cardigans, coletes e casacos em dias mais frios.


Moda no Mundo Batons colorem looks de fashionistas em Paris

As tendências de maquiagem que as passarelas têm mostrado para o próximo inverno focam em tons mais fechados para a boca, indo do vinho ao ameixa. Mas, nas ruas de Paris, o público ainda mostra uma preferência por vermelhos vivos, fúcsia e laranja, que têm a vantagem de alegrar as produções mais sóbrias de inverno.  JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br

77


EVO K E 

78

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013


79

JUNHO 2013  www.revistaevoke.com.br IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

EVO K E 

80

www.revistaevoke.com.br  JUNHO 2013

Boneca 03  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you