Page 1

I Nº 4 OUT/DEZ REVISTA DIGITAL - Preservando o meio ambiente ANO Distribuição dirigida

FORNECEDORES

REVISTA

G O V E R N A M E N T A I S

INOVAÇÕES NO SANEAMENTO BÁSICO NESTA EDIÇÃO Água e Tratamento Pavimentação Perfuração Telecomunicações Confira nesta edição

DICAS DE LICITAÇÃO www.fornecedoresgovernamentais.com.br


Editorial

FORNECEDORES REVISTA

G O V ERN A M EN TA I S

Prezado Fornecedor

EXPEDIENTE Diretor Executivo Ely Ramos ely@fornecedoresgovernamentais.com.br

Diretor Comercial Nestor Monteiro nestor@fornecedoresgovernamentais.com.br

Arte e Criação Richard Sakaguchi richard@hyperideias.com.br

Departamento Comercial Gerente de Contas - Patrícia Domingues Gerente de Contas - Ramily Mateó FORNECEDORES GOVERNAMENTAIS – Catálogo Nacional é uma revista dirigida aos ORGÃOS de ADMINISTRAÇÃO PUBLICA MUNICIPAL, ESTADUAL e FEDERAL, mostrando informações sobre produtos, serviços e tecnologias. A Revista Fornecedores Governamentais – Catálogo Nacional é distribuída nominalmente e gratuitamente para os departamentos de compras, diretores de licitações e compras, Secretários de (Obras, Habitação, Saúde, Transporte, Administração, Saneamento e Etc.), Autarquias e prestadores de serviços para administração pública. A Revista Fornecedores Governamentais é uma publicação bimestral da E. R. Pro. Art. Ltda. Rua Cristóvão Bezerra Dantas, 531 Parque Vitória CEP: 02270-010 São Paulo - SP s TEL 11 2679-9160 A Revista Fornecedores Governamentais – Catálogo Nacional não intervirá em questões referentes a marcas e patentes por material de inserção e matéria publicada fornecida pelo anunciante.

Para anunciar ligue: 11 3294-9768 CADASTRE-SE ATRAVÉS DO PORTAL www.fornecedoresgovernamentais.com.br

Revista Fornecedores Governamentais - Catálogo Nacional, é uma publicação trimestral dirigida ao setor Publico. Sua distribuição é controlada e ocorre em todo o território nacional, além de gratuita e entregue apenas a leitores previamente qualificados. As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Revista Fornecedo res Governamentais - Catálogo Nacionall, quaisquer outros envolvidos nessa publicação. As pessoas que não constarem no expediente não têm autorização para falar em nome da Re vista Fornecedores Governamentais - Guia Nacional ou para retirar qualquer tipo de material se não possuírem em seu poder carta em papel timbrado assinada por qualquer pessoa que conste do expediente. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Revista Fornecedores Governamentais - Catálogo Nacional. Revista Fornecedores Governamentais - Catálogo Nacional É uma empresa de comunicação dirigida aos negócios de importantes setores da economia bra sileira: Tecnologia da Informação, Finanças, Repartições Públicas. A Revista Fornecedores Governamentais - Guia Nacional se posiciona, como uma empresa de comunicação, servindo a importantes setores da economia brasileira através de diferentes tipos de mídia. Sua estrutura organizacional e modelo de negócios foram concebidos em linha com os maiores grupos internacionais de Media. As receitas da empresa são formadas pela venda de espaços publicitários em suas publicações impressas, portais na internet, bem como cotas de patrocínio em seus foruns e conferências. O Plano de Expansão da companhia vem sendo desenvolvido por meio da exploração de opor tunidades de crescimento orgânico através do lançamento de novos produtos ao longo dos anos e por aquisições, destacando-se a do setor de Revista Fornecedores Governamentais, com seu Guia Nacional. A Revista Fornecedores Governamentais - Catálogo Nacional, produz e distribui conteúdo de alto valor agregado para audiências previamente qualificadas, integrando comunidades de negócios (compradores e vendedores), por meio dos seguintes tipos de mídia:

ElyRamos PORTAL FORNECEDORES GOVERNAMENTAIS www.fornecedoresgovernamentais.com.br sac@fornecedoresgovernamentais.com.br


INOVAÇÕES NO SANEAMENTO BÁSICO Membranas de dessalinização, nano-materiais para descontaminação, métodos para desinfetar sem agentes oxidantes, são algumas das inovadoras técnicas que trazem esperança para um futuro onde haja acesso à água potável em todo o mundo. Nesta quinta-feira se comemora o Dia Mundial da Água, que hoje falta para mais de um bilhão de seres humanos, número esse que pode aumentar no futuro devido às mudanças climáticas e à demanda crescente da população mundial. A celebração, que foi antecipada dois dias por conta das festividades da Páscoa, aponta como atualmente um terço da humanidade vive sem acesso a água potável, e, consequentemente, 25 mil pessoas, principalmente crianças, morrem por dia. A produção de água potável utiliza técnicas que consomem muita energia, recorre a agentes químicos que muitas vezes são tóxicos ou exige das empresas investimentos gigantescos em infra-estrutura. A principal reserva que permitirá que a humanidade beba, lave e cultive, continua sendo a água salgada, que representa mais de 97% dos recursos hídricos, incluindo as geleiras. Novos processos de dessalinização foram desenvolvidos para substituir a destilação, técnica antiga e que exige muita energia. Atualmente, o método que promete maiores resultados é a osmose inversa, que consiste em separar o sal da água com ajuda de uma membrana semipermeável. A água salgada é comprimida contra uma membrana com poros minúsculos. As membranas são muito eficientes e permitem filtrar enormes quantidades de água, cada vez mais rápido. 'Em termos energéticos, transportar água a longas distâncias sai caro, nos Estados Unidos, são gastos de 5% a 15% de eletricidade no oeste do país para fazer isso', afirmou à AFP Mark Shannon, diretor do Centro de Materiais Avançados para a Purificação da Água, da Universidade de Illinois. Outra alternativa, é a utilização da água da chuva e de água usada, técnica em desenvolvimento na Europa. O problema é a descontaminação da água, que, quando doce, deve ser tratada por causa de agentes patogênicos. 'São muitos os componentes tóxicos na água, os tratamentos químicos são muito caros e acarretam outros problemas', apontou. Materiais nano-estruturados devem muito ao progresso nessa área, assim como raios ultravioletas, que transformam e incorporam substâncias tóxicasAs membranas são muito eficientes e permitem filtrar enormes quantidades de água, cada vez mais rápido. 'Em termos energéticos, transportar água a longas distâncias sai caro, nos Estados Unidos são gastos de 5% a 15% de eletricidade no oeste do país para fazer isso', afirmou à AFP Mark Shannon, diretor do Centro de Materiais Avançados para a Purificação da Água, da Universidade de Illinois. Outra alternativa, é a utilização da água da chuva e de água usada, técnica em desenvolvimento na Europa. Experimentos realizados na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP comprovaram que a utilização de ozônio, ácido peracético, ou um processo combinado envolvendo ozônio e cloro, podem ser alternativas ao uso do cloro na desinfecção de água para consumo humano. Segundo as pesquisas, essas substâncias têm, em maior ou menor escala, poder de oxidação e inativação de bactérias, protozoários e vírus, e são apropriadas para tratamentos com essa finalidade. Segundo a engenheira Jeanette Beber de Souza, o uso de cloro na desinfecção da água é muito comum no Brasil. "Desde a década de 70, estudos internacionais mostram que o cloro em contato com águas que contém certos tipos de matéria orgânica pode produzir subprodutos com potencial cancerígeno", alerta a pesquisadora, que testou os três desinfetantes em sua pesquisa de doutorado. "Na Europa o ozônio é muito utilizado. No Brasil ainda não é viável devido aos altos custos, entre outros fatores", informa. Para analisar a eficácia dos diferentes desinfetantes, Jeanette "preparou" uma água em condições especiais. "Tratamos a água para retirar previamente todos os possíveis microorganismos. Assim, podíamos acrescentar na quantidade desejada aqueles que seriam usados para os testes e termos controle sobre o experimento", explica. Foram usados nos testes a bactéria Escherichia coli, o vírus colifagos e a bactéria esporulada, indicadora de protozoários Clostridium perfringens.

Os microrganismos foram cultivados em um meio de cultura (material nutritivo no qual eles se multiplicam) e adicionados à água ao mesmo tempo. Esse procedimento permite verificar a atuação de cada produto num ambiente com microrganismos de diferente natureza. Resultados eficientes Jeanette conta que o cloro agiu melhor sobre vírus e bactérias, o ozônio foi mais eficaz contra os vírus e o processo combinado mostrou maior eficiência contra protozoários. O ácido peracético foi bastante efetivo contra os três tipos de organismos. "Os resultados apresentados pelo ácido peracético são bastante interessantes, pois ele não é comumente usado no tratamento de água para consumo humano", informa a pesquisadora. "Até hoje, o produto é praticamente destinado apenas ao tratamento de efluentes e nas indústrias farmacêutica, médica e alimentícia." Uma das vantagens que ela atribuiu ao ácido é que ele não reagiu com a matéria orgânica presente no meio de cultura, como o cloro.


AGUA TRATAMENTO

PAVIMENTAÇÃO

PERFIRAÇÃO

INOVAÇÃO NO SANEAMENTO BÁSICO Membranas de dessalinização, nano-materiais para descontaminação, métodos para desinfetar sem agentes oxidantes, são algumas das inovadoras técnicas que trazem esperança para um futuro onde haja acesso à água potável em todo o mundo.


Revista Fornecedores Governamentais - Catálogo Nacional  
Revista Fornecedores Governamentais - Catálogo Nacional  

Cadastro Nacional de Fornecedores Governamentais

Advertisement