Page 1

Página 12 reportagem

A REVISTA DOS COLABORADORES DO GRUPO

N#2 - Dezembro 2011

CGB: no coração da rocha, o perfeito domínio de um mineral indispensável

Página 4 Dossiê

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:

QUANDO OS EFEITOS DE MODA APAGAM O COMPROMISSO

Página 19 em destaque A Direção, Tesouraria e Financiamentos


Grupo Roullier C.F.P.R. 57, boulevard Jules Verger 35800 DINARD Tél.: +33 (0)2 99 20 67 20 Fax: +33 (0)2 99 20 65 01 www.roullier.com Concepção/Redação/Maquete: Direção de Comunicação do Grupo Roullier Potion Magique - Rennes Tradução: Caractères et Caetera N° ISSN: em curso Editor: Grupo Roullier

2

Diretor da publicação: Henri Boyer Chefe de redação: Delphine Dorison Fotos: Pascal Helleu (páginas 2, 11, 16, 18 e 19) Marc Josse (páginas 12 e 13), Jacques Torregano (página 9), fototeca Roullier

2

011 está terminando, e como todo final do ano, chegamos ao momento dos balanços.

Mais uma vez, foi um ano rico em acontecimentos que permitiu demonstrar que desenvolvimentos e desempenhos não são palavras em vão no Grupo Roullier.

Dois anos depois de termos conhecido uma crise sem precedentes, podemos, de fato, estar orgulhosos pois recolhemos não somente os frutos da nossa tenacidade mas conseguimos também e sobretudo provar que o nosso espírito empreendedor é o motor do nosso sucesso. 2011 é, aliás, o ano da consagração da nossa estratégia no estrangeiro, com 70% dos resultados realizados além das fronteiras de França. (Ainda em 2004, as percentagens eram inversas!) Prova de que os investimentos humanos, industriais e financeiros a favor do crescimento internacional são opções estratégicas e indispensáveis. Esta dinâmica deve, claro, mais do que nunca, continuar e acelerar. O ano de 2012 abriga-nos assim, a todos os níveis do Grupo e no seio de todas as atividades, tanto na França como no estrangeiro, a fazer do desenvolvimento uma prioridade absoluta. Prevê-se igualmente um ano de 2012 rico e ambicioso! Desejo a todos, bem como aos seus familiares e amigos, os meus sinceros votos de boas festas.

Henri Boyer

Presidente da Comissão Executiva


A REVISTA DOS COLABORADORES DO GRUPO ROULLIER

DOSSIÊ i n é d i t o

PARA DESCOBRIR NA PÁGINAS 14 > 15

N#2 - Dezembro 2011

EM DESTAQUE

INICIATIVAS A Direção Tesouraria e Financiamentos PÁGINA 19

Desenvolvimento Sustentável, quando os efeitos de moda apagam o compromisso PÁGINAS 4 > 9

Pesquisa e Desenvolvimento

• Uma assistência completa para os colaboradores em deslocamento profissional e os expatriados • O Grupo distinguido pelo seu desenvolvimento PÁGINAS 16 > 17

RETRATO • Inovação: um centro mundial brevemente em Saint-Malo • HELIOS, apoiado pelo Fundo Único Interministerial • Top-Phos®: rumo à Europa! PÁGINAS 10 > 11

REPORTAGEM

CGB: no coração da rocha, o perfeito domínio de um mineral indispensável PÁGINAS 12 > 13

José Maria Garcia-Mina, quando o genoma da pesquisa cruza o espírito visionário PÁGINA 18

O GRUPO

• TIMAC Agro Itália, um aniversário sob o signo de novas ambições… • Certificações: Qualidade-Segurança-Ambiente: As instalações de Lodosa obtiveram as certificações ISO 9001 e 14001 Hypred Argentina S.A. obteve a certificação ISO 9001 • TIMAC Agro România festejou os seus 5 anos: um balanço decididamente virado para o futuro • TIMAB ao encontro dos seus clientes • Pesquisa de jovens talentos para carreiras audazes PÁGINAS 20 > 23

3


DOSSIÊ

Desenvolvimento Sustentável,

4

quando os efeitos de moda apagam o compromisso «Responder às necessidades da humanidade sem comprometer as chances das gerações futuras»… Uma ideia decididamente incontestável mas que alguns, devido a uma visão restritiva, não hesitam em transformar em verdadeiro dogma. É porém uma definição comum admitida pelo Desenvolvimento Sustentável. Mas para além do slogan de marketing, o que se esconde realmente por trás deste conceito desviado do seu sentido? Entre grandes discursos e ações concretas, o Grupo Roullier fez a sua escolha… desde 1959!


5

N#2 - Dezembro 2011

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER


DOSSIÊ

Desenvolvimento Sustentável, quando os efeitos de moda apagam o compromisso

6

Foi nos anos 1960 que o conceito emergiu, quando as preocupações ambientalistas surgiam cada vez mais evidentes.

Estados, empresas, ONGs, coletividades locais, economistas, ecologistas e mídias ávidas por assuntos sensacionalistas… todos pedem «Desenvolvimento Sustentável» quando cada um deles lhe dá no entanto uma definição diferente… Não é, por conseguinte, fácil encontrar o seu caminho nos meandros de uma controvérsia alimentada por acusações e preocupantes desvios. Mas o que significa isso realmente?

ambientalistas se tornavam cada vez mais evidentes em relação aos modos de desenvolvimento industrial. Pouco a pouco, a noção

Formalizado em 1987, no relatório da Assembleia-geral da ONU, é nos anos 1960 que o conceito emergiu quando as preocupações

foi enriquecendo. Esta perspectiva aplica-se ao crescimento econômico e é reconsiderada em escala mundial para assumir os aspectos

ambientais e sociais de um mundo globalizado. Mas esta definição nem sempre é aplicada, parecendo que se instala um relativo consenso segundo o qual o conceito de Desenvolvimento Sustentável implicaria em culpar os atores do desenvolvimento econômico (ver afirmações de Claude Allègre, página 9). O consenso veiculado pelos excessos dos guardiões do ecologicamente correto, que viram no termo um vetor das suas ideologias. Os temas ligados ao Desenvolvimento Sustentável, embora numerosos, são abordados de maneira redutora.

O Desenvolvimento Sustentável, um compromisso tomado desde a gênese do Grupo

S França A fábrica TIMAC da zona industrial de Saint-Malo foi premiada «Troféu de Prata da Excelência Industrial» graças ao desempenho da sua ferramenta de produção, do seu interesse na sua relação com os clientes e colaboradores bem como à sua ação a favor do ambiente.

S Espanha O polo de Lodosa está equipado com uma unidade de depuração de efluentes gasosos oriundos do granulador e do secador. Este equipamento permite à TIMAC Agro España ir além da regulamentação, tratando das rejeições atmosféricas.

S França A BiotechMarine conduz uma ação para conservar as células estaminais das plantas marinhas de que necessita. Um meio de preservar os recursos naturais, garantindo ao mesmo tempo o abastecimento de matérias-primas, a sua atividade e os empregos.

S América Latina A Roullier Latino implementou um centro de formação que visa promover o desenvolvimento das competências dos funcionários. Criado em 2010, recebe os comerciais e o pessoal administrativo das empresas TIMAC Agro na Argentina, no Paraguai e Uruguai.

S Brasil A TIMAC Agro Brasil e a sua unidade de Maceió empreenderam a análise de 6 em 6 meses da qualidade do ar ambiente nas imediações da fábrica. Assim, graças aos resultados obtidos, a sociedade garante na permanência o domínio do seu impacto ambiental.


A noção se deixa progressivamente confiscar por um pensamento conveniente. «As empresas evidenciaram rapidamente uma perigosa alternativa: falam sobre o Desenvolvimento Sustentável ou podem ser acusadas de greenwashing*, ou elas ignoram, arriscando a crítica de não considerarem a sociedade em que vivem», explica o economista e especialista do Desenvolvimento Sustentável, François-Dominique Vivien. O Grupo Roullier, precursor de uma agricultura sensata Longe dos jogos de retórica, adotamos voluntariamente uma outra atitude, preferindo um otimismo voluntário ao pessimismo ambiental. Para o nosso Grupo, as ações valem muito mais do que longos discursos. Sem formular e, sobretudo, sem exibi-lo, o Desenvolvimento Sustentável faz parte dos nossos genes desde o início da aventura. Os nossos valores éticos e a escolha das nossas atividades inscrevem-se, desde sempre, em uma dinâmica de interesse público. Esta é o motor da paixão de empreender que levou Daniel Roullier, há mais de 50 anos, a ser o percursor de uma agricultura sensata na qual ninguém acreditava. Escolher a vida e o

S Alemanha TIMAC Agro Deutschland organiza campanhas de certificação dos seus ATC para se tornar conselheiro especializado em fertilizantes. Esta formação os prepara para a intensificação das exigências em matéria de segurança dos produtos agrônomos e da proteção do meio ambiente.

crescimento, permitindo que a planta se desenvolva. Desde ai, já enfrentava não só seus contemporâneos mas também os seus concorrentes. A vida em vez da destruição: a diferença não era de léxico. Já era ética! Cada atividade do nosso Grupo contribui para transmitir esta filosofia conduzindo ações a nível local. Sejam elas através de iniciativas de certificação, de melhoria dos produtos passando pela implementação de medidas de poupança de energia ou ainda pelo acompanhamento dos funcionários nas suas evoluções profissionais, cada filial está diariamente empenhada. Os exemplos são múltiplos e afluem em todos os ramos do tríptico que caracteriza o Desenvolvimento Sustentável: VAE, cogeração, P&D, ISO 9001, 14000 ou 26000, melhoria dos processos, utilização dos recursos locais, escolha das matérias-primas… É graças a este painel de iniciativas que se teceu a política global do nosso Grupo, concreta e ao mesmo tempo empenhada.

A política global do nosso Grupo deve, para ser perene, assentar um crescimento econômico adaptado.

Paradoxos nas medidas tomadas pelos atores econômicos Quando hoje é de bom-tom comunicar sobre as políticas de Desenvolvimento Sustentável nas empresas e, em especial, no campo da ecologia, o nosso Grupo torna relativa esta prática. Ao recusar mediar o nosso empenho para fazer disso um trunfo de comunicação, a nossa mensagem é clara: nós não consideramos o

Tais iniciativas empreendedoras, para serem perenes, devem ser sustentadas por um crescimento econômico adaptado. É o que temos seguido, conduzindo uma diversificação voluntarista das nossas atividades, um de-

S França A Hypred, como signatária do Compromisso de Progresso das Indústrias Químicas, implementa uma iniciativa contínua de proteção do ambiente e melhoria da segurança.

S Brasil A unidade de Maceió (TIMAC Agro Brasil) implementou bacias de retenção visando tratar e reciclar a água utilizada no processo industrial.

senvolvimento constante e uma internacionalização respeitosa das problemáticas locais. O nosso Grupo guardou sempre uma dimensão humana no seu crescimento posicionando o homem no centro das suas decisões estratégicas. Uma tradição que se perpetua, mesmo face a cenários extremos. É assim que em 2009, no período de um ano que se assistiu à perda de metade do volume de negócios, a escolha foi feita, graças ao nosso sistema de ações familiares e independentes, de preservar os homens e o patrimônio industrial, não fechando nenhuma fábrica. A iniciativa era decididamente mais pragmática que teórica e é esta a essência do que nós chamamos de Desenvolvimento Sustentável: um crescimento em segurança ou perenidade, emprego conservação das bases fundadoras coabitam.

(continuação página 8)

S Internacional No âmbito do projeto Hypred Green para o respeito do ambiente, as sociedades Hypred propõem aos seus clientes serviços de acompanhamento com vista a otimizar os seus serviços.

N#2 - Dezembro 2011

S França Desde 2003 que o Grupo equipou a maioria das suas fábricas de Agropecuária na França como a nível internacional, de geradores de ar quente a biomassa.

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER

7


DOSSIÊ

O Grupo posiciona o homem no centro das suas decisões estratégicas.

Desenvolvimento Sustentável, quando os efeitos de moda apagam o compromisso

(continuação da página 6)

Desenvolvimento Sustentável como uma limitação, as iniciativas enganadoras não tem motivo de existência.

S França A Agriva acolhe pessoas com deficiências para lhes propor a descoberta das suas atividades e acompanhálas na sua conversão profissional. Aqui, Françoise P. se interessa pela televenda.

S Argentina A Hypred desenvolveu, em colaboração com a P&D, premissas que permitem que as suas fábricas como, por exemplo, a Hypred Argentina, utilizem matérias-primas locais. Esta iniciativa reduz fortemente os transportes entre Dinard (França) e as outras implantações.

8

S França A Halieutis lançou o primeiro peixe panado oriundo do comércio justo bretão, o que lhe valeu o Troféu Regional do Desenvolvimento Sustentável 2010.

S França Criada pela Agriplas, a Ecopac é uma embalagem que corresponde a 4 critérios importantes do Grenelle do ambiente (redução dos detritos, segurança, higiene e rastreabilidade).

Romênia A fundação TIMAC Agro România foi criada em 2009 para o desenvolvimento da agricultura no interior do país. A sua missão consiste em reforçar a cooperação entre a pesquisa romena e aquela do Grupo. Ela apoia igualmente os estudantes da fileira do seu projeto.

S França A TIMAC dá a oportunidade aos colaboradores voluntários para valorizar as suas competências através da VAE (Validação dos Conhecimentos e da Experiência).

De fato, notam-se bem os paradoxos nas ações conduzidas pelos atores econômicos em matéria de Desenvolvimento Sustentável. As empresas, que reivindicam os seus «esforços» na matéria, integram o pressuposto de que uma empresa deve «se forçar» para desenvolver o respeito pelas regras éticas. Elas veiculam delas próprias a imagem de culpa que desejamos que ela tenha. Prontas para aproveitar a onda das tendências, elas fazem passar a mensagem ao mesmo tempo em que a privam do seu sentido. O nosso Grupo prefere prosseguir o rumo que traçou e implementar os meios do seu próprio voluntarismo. É por isso que desde 1959 que investimentos incessantemente na Investigação e no Desenvolvimento, observando o ninho da criação de riqueza para as gerações futuras. Uma forte política de inovação orientada para a elaboração e a comercialização de novos produtos, bem como para a valorização dos recursos naturais terrestres e marítimos. O nosso Grupo tem os meios para as suas ambições, possui os seus próprios laboratórios e participa em múltiplas parcerias científicas com organismos e universidades. Um novo centro de P&D internacional, na ponta da tecnologia, está assim nascendo em Saint-Malo. O nosso Grupo

afirma a sua vontade de atuar ao serviço dos indivíduos e da terra alimentadora, otimizando constantemente os seus modos de produção Prova disto, são os nossos importantes investimentos no nosso capital industrial para integrar com respeito cada fábrica no seu ambiente, continuando a aperfeiçoar os processos. Preservar a nossa participação familiar no capital Esta dinâmica é conduzida pelo Grupo com constância numa visão em longo prazo. A sua participação familiar no capital ímpar garante-lhe uma independência em relação às flutuações e às pressões dos mercados financeiros.

Uma política de inovação forte de valorização dos recursos naturais Em uma sociedade em movimento, o Desenvolvimento Sustentável corre o risco de ser deixado na prateleira das boas intenções, incapazes de tocar à realidade. Em tal contexto, a iniciativa do Grupo em tomar, sempre e com determinação, a direção do desenvolvimento na segurança para ele próprio, mas também para as populações e os recursos que o rodeiam, torna-se assim essencial. Esta força nos fará mais fortes para enfrentar as urgências. Alguns fizeram a escolha da especulação dos problemas, nós optamos em resolvê-los.

*Por greenwashing ou ecobranqueamento, é denunciada uma atitude que consiste em satisfazer mais um alvo do que em adotar uma verdadeira postura.


Claude Allègre nos corredores do Institut physique du Globe, em Paris.

Palavra de especialista

Claude Allègre O que se critica mais dos defensores do

Como se explica que para alguns, o

A incoerência. Alguns deles são fortemente remunerados para darem conferências, outros se deslocam de avião, ou mesmo em helicóptero, o veículo mais poluente da Europa. A restrição de gases de efeito de estufa parece que é para os outros e para amanhã!

decrescimento?

Desenvolvimento Sustentável e da ecologia?

Pode resumir, na sua opinião, a ideologia deles?

Eles não confiam no homem. Os problemas que enfrentamos hoje só podem ser resolvidos se o homem continuar o seu desenvolvimento. É, aliás, a ideia de base do Desenvolvimento Sustentável que não é apenas uma reflexão sobre o ambiente mas que considera o desenvolvimento, isto é, o crescimento. Mas os ecologistas deixaram de lado o termo desenvolvimento para ampliarem o de sustentável. Isto porque, para eles, tudo o que é natural é bom; tudo o que modifica a natureza é, então, mau. Mas como deixar de lado a luta que o homem liderou contra a natureza hostil para se desenvolver, se alojar, conseguir se alimentar pela caça e pela criação? Aliás, não é por acaso que as duas categorias mais criticadas pelos ecologistas são os caçadores e os agricultores. Eles representam o primeiro estado desta conquista do homem sobre a natureza. Paradoxalmente, amamos o planeta mas detestamos o mundo, gostamos da natureza mas não gostamos dos homens!

Claude Allègre é especialista em geoquímica. Diretor do Institut physique du Globe, autor de numerosas obras sobre questões ecológicas* e, como membro da academia de ciências, as suas tomadas de posição são com frequência contra os defensores do Desenvolvimento Sustentável. Para este número de Inside, ele nos confia a sua concepção de Desenvolvimento Sustentável.

Desenvolvimento Sustentável seja sinônimo de

Porque para aqueles que defendem o decrescimento e o empobrecimento dos países ocidentais atualmente são os mesmo que, há 30 anos, escreviam os livros de economia marxista. Penso, ao contrário, que é fabricando o crescimento que podemos enfrentar os desafios de amanhã. A minha posição em relação à taxa de carbono, por exemplo, quis dizer que era uma iniciativa catastrófica para o nosso país, pois seria inútil climaticamente, injusta socialmente e nociva economicamente. Não é punindo que avançaremos. É incitando a economia a se adaptar.

9

Um grande grupo industrial pode se preocupar com o Desenvolvimento Sustentável?

Não somente pode, mas deve. Fazer indústria por si só, não é mau, contrariamente às ideias veiculadas nos últimos anos. Basta acompanhá-la sob uma ética de medidas que são fáceis de tomar, como, por exemplo, não poluir os rios, organizar a gestão dos seus detritos, lutar contra as poluições. É o que alguns já fazem. É preciso saber que as iniciativas vão aliás, gerar emprego criando, por exemplo, novas atividades. Deixamos então de estar no decrescimento, justamente, mas no desenvolvimento.

*Ma vérité sur la planète, Paris, Pocket, 2008. A impostura climática, Paris, Plon, 2010.

N#2 - Dezembro 2011

«Os ecologistas deixaram de lado o termo desenvolvimento para ampliarem o de sustentável.»

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER


Pesquisa e Desenvolvimento É cinquenta anos depois da construção do primeiro edifício do Grupo Roullier e no mesmo local, nos cais de Saint-Malo, que será brevemente edificado o centro mundial de Pesquisa e Desenvolvimento.

10

Concebido para se tornar um cruzamento das competências, nas áreas dos adubos, dos detergentes, da nutrição animal e das algas, este local de excelência irá favorecer o desenvolvimento de parcerias científicas com os maiores pesquisadores e universitários do mundo. O local, mostra dos nossos know-hows, será igualmente concebido para receber clientes e parceiros, lhes reservando um percurso de visita dedicado. Será colocada ao dispor das diferentes entidades do Grupo uma sala de conferências para a organização de eventos específicos. Em matéria de construção, foi selecionado o arquiteto Jean-Pierre Meignan de Rennes, que trabalha em estreita colaboração com a Direção do Grupo. «Este centro estará na ponta da tecnologia explica Jean-François Rémond, coordenador do projeto. Nós nos inspiramos no que se faz de melhor. Estão programadas várias identificações no seio de universidades que dispõem de infraestruturas comparáveis, para levar em conta todas as limitações ligadas à presença de laboratórios e estufas.» A concepção arquitetural será validada no final deste ano.

Inovação: um centro mundial brevemente em Saint-Malo

Os congressos da P&D A P&D do Grupo participou no 2º simpósio de ciências do solo, realizado no Paraguai no passado mês de agosto. Mais de 500 profissionais, pesquisadores e produtores da América

do Sul assistiram a este encontro. O seu objetivo: abordar as problemáticas e os progressos em ciências do solo e partilhar as experiências dos atores do setor. O Doutor Javier

Erro, investigador no seio do Grupo, apresentou os estudos realizados para desenvolver o Top-Phos®. As nossas equipes de P&D aproveitaram igualmente para dialogar com

Andre Zabini, o novo responsável P&D da Roullier Latino e definir os eixos de pesquisa aptos a responderem da melhor forma aos desafios da agricultura sul-americana.


HELIOS, apoiado pelo Fundo Único Interministerial O projeto colaborativo HELIOS acabou de ser selecionado pelo Fundo Único Interministerial que financia os projetos de pesquisa aplicada incidindo sobre o desenvolvimento de produtos ou de serviços. O objetivo de HELIOS con-

siste em desenvolver novos bioativos de origem marinha para lutar contra as plantas parasitas da cultura (orobanches). Estes parasitas causam danos importantes que podem resultar na destruição total da cultura, em especial na orla medi-

O projeto Hélios pretende encontrar soluções eficazes para combater as plantas parasitas, denominadas orobanches.

Redes P&D

terrânica e do Mar Negro. As nossas equipes se associaram à Maïsadour, sementeira europeia, à Universidade de Nantes e ao CETIOM (Centro técnico de oleaginosas e do cânhamo industrial) para propor soluções eficazes para as problemáticas dos agricultores. As algas e as plantas marinhas para estas pesquisas são cultivadas e colhidas pela nossa filial Setalg. Este projeto constituirá também a ocasião para preparar o desenvolvimento de novos produtos para estimular a nutrição e a fisiologia da planta.

Top-Phos®: rumo à Europa!

As equipes P&D aderem aos polos de competitividade VEGEPOLYS e indústrias Agro-Recursos

>

O polo VEGEPOLYS reúne docentes, doutorandos, pesquisadores e empresas ao redor dos projetos de criação de vegetais especializados, que respeitam a saúde e o ambiente. O vegetal especializado é uma cultura de enorme de mais-valia, que necessita da utilização de técnicas de produção especiais ou de tecnologias específicas. O polo Indústrias Agro-Recursos reúne os atores da Pesquisa, do Ensino e da Indústria em torno de um eixo comum: valorizar os vegetais de uma forma diferente da alimentação. Com estas novas colaborações, os nossos pesquisadores favorecem as oportunidades de desenvolvimento e de competitividade do Grupo no setor das culturas especializadas e da valorização dos ingredientes vegetais.

>

Os ensaios do Top-Phos® em campo ou em câmara de cultura mostram uma influência direta no desenvolvimento das raízes.

O Top-Phos®, este produto inovador que apresentamos no último número de Inside, tinha sido elaborado e experimentado com sucesso na América do Sul. Elaborado pelas nossas equipes de Pesquisa e Desenvolvimento, o TopPhos® é um adubo que confere uma melhor dispo-

nibilidade do fósforo para otimizar os rendimentos. Concretamente, permite manter uma maior biodisponibilidade do fósforo ao nível das raízes das plantas. Após dois anos de ensaios na Europa, os resultados do Top-Phos® são hoje satisfatórios e prometedores. As

entidades TIMAC Agro na Itália, Espanha, Romênia e Polônia vão agora realizar os ensaios nas suas próprias culturas. O objetivo desta fase reside em confirmar a eficácia do produto e obter a sua homologação para o seu lançamento, na Europa, previsto para 2013.

N#2 - Dezembro 2011

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER

11


REPORTAGEM

No coração da rocha o perfeito domínio do mineral indispensável

A Billy, no Calvados (França), a empresa CGB, integrada na atividade de Produtos industriais do Grupo, extrai, todos os dias, em média, 1 500 toneladas de carbonato de cálcio. Encontro com uma equipe em contato com a matéria-prima…

12

O polo de extração e de transformação da CGB dispõe de uma capacidade de produção de carbonato de cálcio de 250 000 toneladas por ano.

O céu da Normandia está azul neste dia de outubro, o que parece agradar a Bernard Jeanne, responsável pela produção do polo. «A chuva é o nosso inimigo, comenta, quando mais úmido estiver o produto mais gás nós consumimos. Estamos assim tão dependentes

da meteorologia como os agricultores.» A equipe de CGB explora o carbonato de cálcio, este calcário terrestre, assim designado para distingui-lo do seu equivalente marinho, o maerl. Cavados a céu aberto, os extratos do mineral branco se estendem em 33 hecta-

As oportunidades do calcário terrestre Mineral totalmente natural, o carbonato de cálcio destina-se a três setores diferentes. A metade das vendas da carreira de Billy vão para a TIMAB, que comercializa este calcário de qualidade muito boa para uma

produção de alimentos e do complementos nutricionais para os animais. 40 % da exploração é destinada às correções. O calcário permite reduzir a taxa de acidez e assim favorecer a fertilidade.

A terra da bretanha consome muito. 10 % das vendas são por fim destinadas à indústria. O carbonato de cálcio entra na composição dos cimentos. É um excelente material para nivelar os solos.

res. «Em 2010, a Prefeitura concedeu uma autorização para 20 anos, declara Xavier De Monti, Diretor-geral da CGB, e temos a capacidade de extrair durante ainda mais 30.» Autonomia e segurança da cadeia de abastecimento Ao adquirir este polo em 2003, o Grupo reforçou a sua presença na extração de matérias-primas. Os minerais permanecem essenciais para a fabricação de produtos de consumo corrente. A sua exploração garante assim constantes oportunidades econômicas. O acesso direto a este recurso permite garantir a segurança dos nossos abastecimentos e limitar o impacto das subidas de preços das matérias-primas. «Se o preço dispara,


Operação de controle antes da passagem do carbonato de cálcio pelo secador.

Da esquerda para à direita, Bernard Jeanne, responsável de Produção do Polo e Xavier de Monti, Diretor-geral da CGB.

A pilotagem das instalações da fábrica é assegurada a partir de um posto comandado informatizado.

“Aqui o cálcio é macio. A 30 km daqui, os outros nos invejam.” nós não ficamos expostos a isso. Somos autônomos e dominamos todas as etapas da cadeia de produção», explica Xavier de Monti. A extração na carreira é realizada com uma pá de 85 toneladas, uma das únicas duas pás da Hitachi em França! A CGB evita assim os tiros de explosivos, demasiado arriscados. «Aqui o cálcio é macio. A 30 km daqui, os outros nos invejam», sublinha Xavier de Monti. Nesse dia, Maxime Samson está a comandar a pá e verte o cálcio para o contentor do caminhão. Irá, em seguida, conduzir o engenho para descarregar o seu conteúdo na zona de britagem. Cédric Broult retoma a tarefa e mistura diferentes qualidades de calcário, antes de colocá-las na britadora onde a matéria integra o processo industrial. Da extração à exploração, a transfor-

N#2 - Dezembro 2011

mação do calcário é feita por operações mecânicas. A passagem para a fábrica permite fracioná-lo, para que se destine a uma produção imediata. O ciclo de transformação muito curto representa uma indiscutível vantagem para o controlo dos custos de exploração e, por conseguinte, para a rentabilidade do produto. O Grupo prossegue assim o desenvolvimento das suas atividades, na segurança. A transformação da matéria-prima Na sua entrada no circuito da fábrica, o calcário é enviado para um secador. Depois de estar seco, as pedras maiores são enviadas para o triturador para serem ainda reduzidas. Este é constituído por dois motores de uma tonelada que acionam dois rotores com 20 martelos cada um. A totalidade passa depois através de um calibrador para constituir várias qualidades de produtos em função dos tamanhos. Cada tamanho corresponde a um uso e responde às necessidades de um cliente específico. Reduzido ao estado de pó, o calcário destina-se à correção. Os blocos mais grossos vão para a indústria das obras públicas. Resta a granulometria média reservada à nutrição animal. Da extração até à aplicação ao solo, às vezes, bastam algumas horas. São 13 horas no percurso. Uma equipe pára. Uma outra a sucede até às 20 horas. Este é o ritmo invariável das equipes da CGB, na carreira de Billy.

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER

13


i n é d i t o

Setalg, os recursos ao serviço da excelência

14

Um mar azul à perder de vista, uma península verdejante… será descoberta aqui a reserva de matérias-primas da Setalg. A península de Pleubian, na Bretanha, acolhe desde 1985 as equipes administrativas e industriais da empresa especializada na valorização de produtos naturais. Uma situação excepcional que, com maré baixa, desvenda a sua razão de existir: o primeiro campo de algas da Europa onde mais de 800 espécies coabitam.

De fato, a Setalg é o fornecedor incontornável de ingredientes naturais marinhos graças à ferramenta industrial eficiente e a uma P&D de ponta. A empresa propõe assim ingredientes de origem marinha (algas, halófitos) e animal (óleos e farinhas de peixes e crustáceos) para aplicações em cosmética, agroalimentares, agricultura e nutrição animal. Um precioso know-how que responde às necessidades mais exigentes na matéria.


15

N#2 - Dezembro 2011

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER


INICIATIVAS

Uma assistência completa para os colaboradores em deslocamento profissional e os expatriados A Direção Risk Management do Grupo reforça a assistência dos colaboradores em deslocamento profissional ou residindo de maneira permanente no estrangeiro para conceber uma solução integrada, acessível em todo o mundo.

16

«Além das questões sanitárias, as situações de insegurança ligadas, por exemplo, às catástrofes naturais ou aos fenômenos de instabilidade política fazem igualmente parte das problemáticas, levando em conta a proteção dos nossos trabalhadores em deslocamento ou expatriados», explica Dario Giannerini, Diretor Risk Management do Grupo. A Direção Risk Management, responsável pela identificação, a análise e a gestão dos riscos, decidiu, em colaboração com a Direção dos Recursos Humanos, completar a assistência médica do Grupo com um componente de segurança.

Dario Giannerini junto da sua equipe: Cédrick Hermann, Muriel Mancel, Guillaume Drouot.

No início de 2011, quando o processo estava em preparação, surgiram fenômenos de instabilidade nos países do Magreb. A prioridade consistiu em garantir a proteção do pessoal e dos expatriados da fábrica TIMAB, em Gabès, na Tunísia. O Grupo acionou então esta nova assistência. A Direção Risk Management pilotou assim a operação de evacuação das famílias expatriadas. Garantiu também a ssegurança dos colaboradores no local. local Uma vigilância permanente

Foram divulgadas informações práticas sob a forma de um kit pelos serviços de Recursos Humanos.

Este novo nov dispositivo garante uma vigilân vigilância permanente dos deslocame camentos e das situações de risco n no mundo. «Pudemos assim ava avaliar os eventos, transmitir as recomendações às pessoas presentes prese nas zonas em questão e intervir ra rapidamente, se necessário», acrescenta D Dario Giannerini. Todos os colaboradores têm agora acesso a uma assistência de segurança em

“Nós podemos avaliar os eventos e intervir rapidamente, se necessário.” complemento ao componente médico a partir de um único número de telefone: +33 (0)1 41 85 83 59. Em paralelo, a plataforma www.eamysafepass.com foi implementada para dar informações úteis em matéria de segurança e de saúde em relação ao seu destino. Ao preencher os seus contatos e a sua viagem neste site, será diretamente avisado e assistido em caso de urgência. Este dispositivo responde a uma exigência essencial para o Grupo: garantir uma segurança ideal aos seus colaboradores em deslocamento, e àqueles que estão presentes nas suas instalações.


O Grupo distinto pelo seu desenvolvimento Acabamos assim de ser eleitos «grupo francês que melhor conseguiu a internacionalização nos últimos 20 anos» por Capital, a célebre revista econômica francesa. O Grupo figura no topo da classificação de um palmar composto por empresas tais como LVMH, Orange, Air-France-KLM ou ainda o grupo Accor. Nesta ocasião, Henri Boyer, Presidente da Comissão Executiva, foi entrevistado sobre os seus bons resultados. A aventura continua, cada vez mais empreendedora. O Grupo,em perpétua emulação, distingue-se todos os dias graças aos desafios que se fixa e às proezas que realiza.

Desde a sua criação que o Grupo conduz uma política de desenvolvimento voluntarista. Este modelo de crescimento torna-se agora uma figura de referência.

Comprovação através destes dados-chave:

275 200

É o volume em toneladas de adubo entregues por TIMAC Agro Brasil em finais de outubro 2011, ou seja, um aumento dos volumes de 45% com relação a outubro de 2008*. Um crescimento principalmente apoiado pelo desempenho de 5 redes, Paraná, Candeias, São Paulo, Maceió e Goiás, que assistiram à progressão clara das suas vendas.

32 %

É a percentagem do aumento do volume de vendas realizado pela TIMAC Agro Romênia. 50 500 toneladas foram assim entregues até final de outubro.

2 820

É a média em toneladas de adubo realizadas por cada Adjunto Técnico-Comercial na Bulgária, até o final de setembro. Isso representa mais de 2,8 vezes as vendas médias realizadas pela ATC em um ano. Os volumes fornecidos, tal como o resultado econômico da TIMAC Agro na Bulgária, ultrapassaram o dobro entre outubro de 2008 e outubro de 2011.

21

9235 É o volume em toneladas de vendas de magnésia cáustica destinadas à nutrição animal nos Estados Unidos, até o final de outubro de 2011. Um início prometedor para a chegada, muito recente, deste produto ao mercado americano

É o número de ATCs recrutados para as nossas implantações nos Países Bálticos, no espaço de um ano. Com 10 ATC para a Lituânia, 6 para a Letônia e 5 para a Estônia. Isto, para responder ao desenvolvimento da atividade nestas regiões.

*2008 é utilizado como um ano de referência para as atividades de Agropecuária do Grupo.

N#2 - Dezembro 2011

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER

17


R E T R AT O

José Maria Garcia-Mina

Quando o genoma da pesquisa se cruza com o espírito visionário

18

José Maria Garcia-Mina é Diretor Adjunto para a Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo, é também professor associado em química agrícola da Universidade de Navarra. Após 25 anos de pesquisas assíduas no seio do Grupo, ele confessa que ainda trabalha «por paixão» … Três gerações de pesquisadores, é o que nos evoca José Maria Garcia-Mina quando nos conta a sua aventura no seio do Grupo: «Antes de mais foi o meu pai que dirigiu o laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento Inabonos, em Pamplona. Depois, o meu pai em 1986, após a aquisição da compra da empresa por Daniel Roullier, encontrou o seu lugar nesta tradição familiar.» A paixão da pesquisa em 3 gerações Ele insiste igualmente numa das particularidades próprias ao desenvolvimento do nosso Grupo: «Após a aquisição, Daniel Roullier nos deu muita coragem, força, poder e autonomia para desenvolvermos este laboratório de P&D. Não é habitual: quando uma empresa é comprada na Espanha, em geral, é para fechar e abrir uma outra. Mas ele, ao contrário, soube insuflar a energia necessária para o nosso desenvolvimento e perenizar a nossa atividade nas suas particularidades.» O laboratório de Pamplona José Maria Garcia-Mina interessa-se às especificidades dos solos nos países mediterrânicos nomeadamente os solos calcários por oposição aos solos continentais mais ácidos «conquistar os novos mercados». José Maria Garcia-Mina, explica-nos que

não se deve «fazer pesquisa apenas para fazer pesquisa e que não serve para nada ganhar prêmios Nobel se a P&D não tem uma verdadeira utilidade.» Prefere assim utilizar os seus bons resultados para «permitir que o Grupo se desenvolva na Espanha, na Itália e África por exemplo, e criar produtos inovadores.» 25 anos de fidelidade «A coisa mais importante para nós é conhecer as necessidades dos agricultores», assim José Maria Garcia-Mina nos explica que a sua equipe «muito reativa e muito próxima das forças comerciais», acontece frequentemente que «a equipe de P&D se desloca diretamente aos campos para determinar as necessidades dos agricultores.» Depois «é feita uma pesquisa aprofundada para criar um produto ainda mais inovador do que tudo aquilo que já existe no mercado.» José Maria Garcia-Mina insiste no método: «esta capacidade em ser inovador caracteriza bem o espírito da P&D Roullier. Quando pensamos em um produto, pensamos na sua aplicabilidade com um custo bastante acessível para que possa ser rentável ao ser colocado no mercado. Para isso, os processos industriais devem ser bem conhecidos e os meus 25 anos de presença me permitem dominar também este fator.» Por fim, José Maria Garcia-Mina faz alusão ao seu entusiasmo «se deixarmos de ter vontade em fazer as coisas, significa que ficamos secos e sem alma.» Aliás, ele adora a ideia de ter de continuar a sua atividade até aos 65 anos «com a idade da reforma adiada»… a história de uma vida.

“A coisa mais importante para mim é conhecer as necessidades dos agricultores.”


Em destaque

A Direção Tesouraria e Financiamentos

Éric Dudognon, Diretor Tesouraria e Financiamentos do Grupo (no centro) rodeado de sua equipe: Céline Frémond, Christophe Daniel, Aurélie Lavoute-Peuvrel, Éric De Foucault, Delphine Sébire, Patricia Dal Cin, Ludovic Leissus e Nathalie Lévêque.

A Direção Tesouraria e Financiamentos do Grupo, sediada em Dinard, constitui uma atividade estratégica para garantir a solidez financeira e assentar, através de uma rigorosa gestão dos serviços financeiros (câmbio, taxa, liquidez e contrapartida), o nosso desenvolvimento na segurança. A Direção, composta por nove pessoas, está estruturada em dois polos complementares. A célula «Riscos e Compromissos» constitui de alguma forma «a sala de mercados» responsável por identificar os riscos financeiro e por tratar junto dos nossos bancos das operações mais adequadas para gerir os riscos. Na totalidade do perímetro, o polo negocia e seleciona os investimentos. Vela também pelo respeito dos equilíbrios entre os nossos compromissos bancários e as operações confiadas a cada estabelecimento de forma a preservar a prazo as relações de qualidade que fomentamos com os nossos parceiros. A equipe «Cash Management e Sistemas de Tesouraria» tem por responsabilidade garantir a segurança dos fluxos e a conformidade das transações financeiras à

escala do Grupo. «Esta verificação permanente e essencial, explica Éric Dudognon, Diretor Tesouraria e Financiamentos. A complexidade e a variedade dos produtos tratados exigem esta organização específica: uma parte da equipe negocia e trata as operações, a outra, indissociável de importância idêntica, verifica e as confirma junto do banco. Apenas esta fiabilidade no controle e na gestão das transações realizadas nos permite tratar previamente e com serenidade as operações.» A segurança dos

“A integridade e a transparência dos membros da equipe são também essenciais para as suas competências técnicas.” pagamentos e a fiabilidade das operações financeiras comunicadas à Direção geral e às filiais dependem das ferramentas de tesouraria igualmente administradas pela equipe.

N#2 - Dezembro 2011

Como função de suporte, o serviço é igualmente responsável por animar a rede de tesourarias das filiais, que são internas aos clientes e transmissores operacionais. Este propõe assessoria e assistência no dia a dia. Para estas missões, a Direção Tesouraria e Financiamentos se apóia em parceiros financeiros. O Grupo conserva hoje relações privilegiadas com numerosos bancos na França e a nível internacional. A comunicação junto dos organismos é assim uma missão essencial do serviço. Estas relações de confiança são construídas a longo prazo e são capitais para o nosso crescimento. «Quando o nosso Grupo se implanta em um novo país, este beneficia assim de condições financeiras reservadas às melhores contrapartidas. Ao tomar em consideração uma relação global há anos conservada, o banco nos concede de fato um serviço de qualidade a tarifas preferenciais aos quais não poderíamos aspirar se fossemos apenas julgados aos limites desta nova implantação. A solidez do nosso Grupo e o respeito incondicional dos nossos compromissos desde a origem, nos confere relativamente aos nossos parceiros uma forte credibilidade e a segurança de obter as condições mais vantajosas.»

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER

19


O GRUPO

TIMAC Agro Itália, um aniversário sob o signo de novas ambições…

20

A TIMAC Agro Itália, celebrou este ano, os seus 20 anos de existência. Um aniversário sob o signo da ambição e do desenvolvimento para a filial italiana. Uma oportunidade para que a empresa crie o evento e comunique os seus valores: um desenvolvimento constante, a inovação e o serviço clientes. As celebrações repartiramA totalidade dos colaboradores da TIMAC Agro Itália reuniu-se na Sicília para celebrar este evento. se por vários meses. A convenção dos colaboradores No programa: conferência de imprensa e eventos diversos A convenção de TIMAC Agro Itália, que se realizou a 22 e 23 de setembro últimos, em função dos públicos. na Sicília, reuniu 200 colaboradores. Henri Boyer e Bertrand Totel saudaram, durante a sua intervenção, o compromisso das equipes. Incitaram também os colaboradores a um desenvolvimento consequente e perene.

As jornadas de portas abertas No mês de maio, os polos industriais de Ripalta e de Barletta abriram as suas portas ao grande público. A oportunidade para dar a descobrir a muitos as diferentes etapas da produção dos adubos, as iniciativas ligadas à qualidade, à saúde, à segurança e ao ambiente destas fábricas recentemente certificadas ISO 9000 e 14000. Coletividades locais, residentes, famílias: mais de 1000 pessoas se deslocaram e adoraram com a experiência.

O público pôde descobrir as diferentes unidades dos polos de Barletta e Ripalta durante as portas abertas.

A viagem clientes Para fechar este ano excepcional, a empresa convidou 100 dos seus clientes mais importantes em Portugal, no início de outubro os convidados descobriram os produtos específicos que fizeram a força das filiais portuguesa e italiana. Os especialistas do Grupo, mas também especialistas externos detalharam as apresentações encorajando assim a partilha de experiências.

E s t e s e ve n t o s co n s t i t u í ram a oportunidade de dar a conhecer a todas as ambições da filial italiana: duplicar as quotas de mercado para os produtos fixos, alargar as equipes comercias até 2012 recrutando uma centena

de colaboradores suplementares e reforçar a exportação para os países mediterrânicos. «O setor agrícola oferece enormes oportunidades e a TIMAC Agro Itália dispõe dos trunfos indispensáveis para se desenvolver» declarou Éric de

Saint-Lager, Patrão da zona Itália. São perspectivas de futuro ambiciosas sublinhadas pelo grupo Cerved (líder italiano na área dos estudos de mercado), que lhe concederam o título de «Company to Watch 2011» para o setor agrícola.


CERTIFICAÇÕES > Qualidade-Segurança-Ambiente:

as instalações de Lodosa obtiveram as certificações ISO 9001 e 14001 TIMAC Agro España acabou de obter as certificações ISO 9001 e 14001 para o seu polo de Lodosa, no País Basco espanhol. Já em 2005, o polo tinha obtido as certificações para a produção dos seus fertilizantes líquidos e hidrossolúveis. Com esta nova etapa, trata-se da totalidade da gama de adubos granulados que se encontra assim certificada. Todos os dias, as unidades conciliam qualidade do processo industrial e respeito pelo ambiente.

Dois colaboradores da TIMAC Agro España controlam a qualidade do produto à saída do granulador.

> Hypred Argentina S.A.

obteve a certificação ISO 9001 Desde a construção do seu polo industrial em 2006 que as e q u i p e s a r g e n t i n a s d a H y p re d colocaram a política QualidadeSegurança-Ambiente no coração

do seu desenvolvimento. A Hypred Argentina ofereceu assim os meios para reforçar o seu posicionamento em um mercado cada vez mais exigente e em constante evolução. As

21

equipes não vão ficar por esta certificação, o objetivo delas reside em responder cada vez melhor aos princípios de excelência industrial veiculados pelo Grupo.

Estas certificações normas internacionais de diretivas precisas: •a norma ISO 9001 define as regras em matéria de qualidade, •a norma ISO 14001 especifica as exigências de assunção das preocupações ambientais da empresa.

A excelência industrial está no coração das preocupações do polo argentino.

N#2 - Dezembro 2011

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER


O GRUPO ANIVERSÁRIO

A TIMAC Agro Romênia festejou os seus 5 anos: um balanço decididamente virado para o futuro UM LIVRO O know-how de Magna através de um livro

22

Já passaram cinco anos desde que a TIMAC Agro se implantou na Romênia. No Hotel Intercontinental de Bucareste, tiveram lugar as primeiras contratações. Desde então, a empresa não parou de crescer.

Os colaboradores pousando na integralidade para demonstrar o evento.

E foi neste mesmo hotel que a emmpresa decidiu festejar o seu quinto to aniversário na presença de mais ais de 100 clientes e 66 colaboradoores. Uma aventura tornada possísível graças às equipes romenas e suas direções. As festividades vieram recompensar o trabalho fornecido e a paixão que o anima. Constituiu também uma oportunidade para evocar os novos objetivos para os próximos cinco anos.

SALÃO

M Magna (Pamplona - Espanha) criou, em ccolaboração com a iilustradora viajante, E Emily Nudd Mitchell, u um livro pedagógico p para todos os tipos de p público sobre a extração in e o tratamento industrial da magnésia. este livro suscitou o interesse da fundação espanhola «Pequeño Deseo» que teve a ideia de distribui-lo às crianças doentes. Esta ação caritativa permite que a Magna reforce o seu empenho junto das instituições e que desperte o público mais jovem para as atividades industriais do seu ambiente econômico.

A TIMAB ao encontro dos seus clientes Era o objetivo das equipes comercias da TIMAB participarem pela primeira vez em dois salões de renome internacional. Em setembro, participaram no «XXII Congreso Latino americano de Avicultura 2011» que se realizou em Buenos Aires, uma feira avícola incontornável e na América Latina na «Saudi Agriculture 2011» em Ryiadh, na Arábia Saudita.

A Saudi Agriculture é uma das maiores exposições agrícolas do Médio Oriente. Todos os anos, cruzam-se nela industriais e institucionais. Trata-se da maior reunião de pessoas da agricultura e um fórum ideal para alcançar os novos produtos e estabelecer novos contatos. Um encontro internacional que não deve faltar nas equipes da TIMAB.

A equipe comercial da TIMAB em Buenos Aires.


REUNIÃO

Henri Boyer com as equipes do Canadá.

Convenção anual William Houde

William Houde (Quebec – Canadá) reuniu os seus colaboradores em setembro pela ocasião da sua convenção anual na presença de Henri Boyer. A oportunidade, para as equipes de voltar nomeadamente aos tempos fortes do ano de 2011, em especial, ao aumento das vendas de certas gamas. A oportunidade, também para definir os objetivos de 2012 e entes para aumentar nesta progressão.

RECURSOS HUMANOS

Pesquisa de jovens talentos para carreiras audazes

Os serviços de Recursos Humanos do Grupo fazem do encontro direto com os jovens talentos uma prioridade no seu modo de contratação. Para isso, os representantes do Grupo participam todos os anos em uma dezena de salões estudantis para apresentarem as suas múltiplas oportunidades aos futuros diplomados das universidades e das grandes escolas. Estes fóruns, em que o Grupo está presente são selecionados em função dos perfis procurados: Escolas de Comércio ou de Engenharia agrícola ou agroalimentar, estruturas de onde provêm já muitos dos nossos colaboradores. De futuro, os Recursos Humanos pretendem desenvolver novas parcerias com estabelecimentos especializados nas áreas ligadas às atividades do Grupo (química, agronomia, etc.). A nossa presença nestes salões é primordial, tanto para encontrar novos talentos como para valorizar a imagem do nosso Grupo.

23

As equipes de Recursos Humanos durante os fóruns escolares.

DESAFIO CONSEGUIDO

Esforços recompensados!

Visita do laboratório CIPAV pelas equipes TIMAC Agro Belux.

A TIMAC Agro Belux e a TIMAC Agro Nederland lançaram o «challenge Biostimulant» aos seus ATC. O desafio consistia em

N#2 - Dezembro 2011

vender 100 000 litros de bioestimulantes e 500 toneladas de adubos Physiostart na primavera. Os comerciais que enfrentaram este desafio com sucesso tiveram o privilégio de participar numa estada organizada na Espanha. No percurso da estada, visitaram a unidade de Lodosa bem como laboratório de CIPAV onde puderam conversar com as equipes. Agora, a sua nova ambição: bater o resultado de 2011!

A REVISTA DOS COLABORADORES GRUPO ROULLIER


PUBLICIDADE

Para a sua saĂşde, coma pelo menos cinco frutas e legumes por dia. www.mangerbouger.fr

Revista Inside Roullier  

Revista Inside Roullier - Dezembro 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you