Page 1


OBJETIVOS ∂ garantir a segurança alimentar ∂ oferecer um serviço profissional personalizado ∂ atender às exigências sanitárias

RDC 216 - considera a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações de controle sanitário na área de alimentos visando a proteção à saúde da população.


CONSULTORIA NUTRICIONAL ∂ análise e avaliação do local ∂ auxílio no desenvolvimento de idéias, soluções e processos ∂ tem tempo determinado Adequar as empresas à legislação sanitária, implementando as boas práticas de controle da qualidade alimentar, que visa uma melhoria da segurança e qualidade dos produtos, serviços e processos.


ASSESSORIA NUTRICIONAL ∂ assistência técnica especializada contínua

∂ planejamento, execução e supervisão dos trabalhos desenvolvidos

Adequação do cliente aos parâmetros fixados na legislação e garantia da qualidade do produto, com auxílio ou não na regularização junto aos órgãos fiscalizadores.


RESPONSABILIDADE TECNICA ∂ responsabilidade pelas atividades desenvolvidas

∂ planejamento ∂ supervisão ∂ garantia de qualidade A Lei nº 6.437, de 20.08.77 e o Decreto nº 77.052, de 19.01.76, estabelecem a necessidade da responsabilidade técnica (responsável pela qualidade e segurança do produto perante os órgãos de vigilância em saúde).


ELABORACAO MANUAL DE BOAS PRATICAS

∂ elaboração do Manual de Boas Práticas - documento que descreve o trabalho executado no estabelecimento e a forma correta de fazê-lo ∂ adequação das legislações vigentes Item obrigatório exigido pela Vigilância Sanitária.


ELABORACAO DE POPs ∂ elaboração de Procedimentos Operacionais Padronizados

∂ adequação das legislações vigentes ∂ padronização de processos

∂ minimiza riscos e desvios de qualidade Item obrigatório exigido pela Vigilância Sanitária.


IMPLANTACAO DE BOAS PRATICAS ∂ adequar os processos ∂ corrigir falhas

∂ reduzir riscos de contaminação ∂ comprovação de qualidade

O Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação, aprovado pela RDC nº 216, abrange as condutas que devem ser adotadas nos serviços de alimentação, a fim de garantir as condições higiênico-sanitárias do alimento preparado.


AVALIACAO DE FORNECEDORES ∂ avaliar fornecedores ∂ visitas técnicas

∂ verificar se os produtos possuem qualidade em manipulação A Vigilância Sanitária preconiza que os serviços de alimentação

devem avaliar e selecionar seus fornecedores de matériasprimas, ingredientes e embalagens, assim como o transporte desses insumos.


ELABORACAO DE CARDAPIOS ∂ elaborar cardápios de acordo com as necessidades do cliente

∂ determinar o que será produzido ∂ identificar matérias primas necessárias A elaboração do cardápio é uma atividade importante pois é o ponto de partida para o planejamento de compras, satisfação dos comensais e composição dos custos, além de ser imprescindível no acompanhamento nutricional dos clientes.


CAPACITACAO DE MANIPULADORES ∂ treinar os colaboradores ∂ adequar a manipulação de alimentos ∂ corrigir práticas de conduta ∂ evitar riscos de contaminação

∂ atender legislações vigentes Item obrigatório exigido pela Vigilância Sanitária.


TREINAMENTOS, CURSOS E PALESTRAS

∂ treinamentos sobre diversos temas

∂ foco em Segurança Alimentar

Conscientizar e capacitar os manipuladores a fim de garantir a oferta de alimentos seguros em qualidade, sabor e propriedades nutricionais.


FICHAS TECNICAS ∂ padronizar receitas ∂ manter a qualidade dos pratos

∂ reduzir custos ∂ evitar desperdícios ∂ garantir o sucesso operacional Facilitar a elaboração das preparações e garantir a qualidade e constante dos produtos oferecidos.


ADEQUACAO DO LAYOUT

∂ adequar estrutura física ∂ realizar dimensionamento de equipamentos e utensílios ∂ melhorar o fluxo de produção ∂ aumentar a produtividade O “layout” deve ser compatível com o fluxo operacional, as etapas desenvolvidas, o ambiente representado pelas áreas de trabalho, tudo a fim de garantir o preparo dos alimentos sem riscos de contaminação cruzada e assegurar condições higiênicas favoráveis.


ROTULAGEM NUTRICIONAL ∂ adequar informações nutricionais do produto

∂ cálculo nutricional do produto ∂ regularização das legislações vigentes Item necessário e obrigatório em alimentos industrializados para orientar pessoas com alergias, intolerâncias ou deficiências alimentares.


NUTRICAO ESCOLAR ∂ elaboração de cardápios ∂ capacitação de funcionários ∂ orientação nos controles de qualidade ∂ implantação de projetos e oficinas saudáveis ∂ educação nutricional ∂ acompanhamento nutricional ∂ orientações para os pais e professores Organizar, direcionar e supervisionar ações de alimentação e nutrição em creches e escolas, conforme a lei federal 8.234/1991.


APRESENTAÇÃO PAULA AKEMI ∂ Graduada em Nutrição pela Universidade Católica Dom Bosco, conclusão em dezembro/ 2012 ∂ Pós-graduada em Vigilância Sanitária e Gestão de Alimentos pela Faculdade Estadual de Educação e Letras de Paranavaí, conclusão em dezembro/2015.

VIVIAN ALARCON ∂ Graduada em Nutrição pela Universidade Católica Dom Bosco, conclusão em dezembro/ 2012 ∂ Pós-graduada em Vigilância Sanitária e Qualidade de Alimentos pela Universidade Estácio de Sá, conclusão em abril/2014.


CONTATOS Paula Akemi Nutricionista - CRN3 38.209 67 98205.4449

Vivian Alarcon Nutricionista - CRN3 38.210 67 99618.2307

foodsegurancaalimentar@gmail.com

Portfolio (2)  
Advertisement