Issuu on Google+

23/05/2014

Atitude

1ª edição!

Um jeito de se casar sem tantos gastos

As Origens secretas do esmalte

Distribuição gratuita somente para estudantes inteligentes

O Make ideal para a pele negra

E mais: Como o Universo Feminino pode ser maravilhoso! UNIP Editora


Índice Editorial.........................................pág.3 Maquiagem para pele negra ...........................................pág. 4 Comportamento um casamento sem gastos..................................pág. 5 Moda A origem dos Esmaltes.......................................pág. 6 Lady Lopes e o Universo Feminino...........pág.8

Expediente Diagramação Aline Josino Moreira (B06AJJ-7) Redação Eli dos Santos (B0626B-1) Lady Lopes da Silva (A9899I-3) Cristianne Emy Suenaga (B05GIH-6) Esmalte seco


Bagmania

Editorial

Bolsa de Mulher Todos os olhares se voltam para uma mulher quando o assunto é o que nós carregamos dentro da bolsa. A bolsa feminina é o nosso universo à parte. Ela é pessoal, é intransferível. É onde guardamos os nossos maiores segredos: de beleza, de saúde, dinheiro e etc.. A revista ATITUDE é a sua bolsa! Estaremos com você na fila do banco, no ônibus e em todo lugar. A revista ATITUDE é um guia prático e contemporâneo, que foi feito para ajudar a mulher atual, repleta de compromissos, que trabalha, malha, estuda e namora. A revista ATITUDE vai orientar nas escolhas básicas do dia a dia, desde a cor do esmalte até a decoração da festa. Na ATITUDE, você vai encontrar os segredos dos cabelos das estrelas. A maquiagem perfeita para um happy hour com o boymagia. A moda em seu estilo mais atraente. Dicas de beleza que vão da cabeça até a bainha. Sempre oferecendo às nossas leitoras este acesso a uma literatura de boa qualidade e a edições bem cuidadas com todo o carinho que só nós sabemos dar.

Este é um convite oficial de toda a equipe da Revista Atitude!

Mulheres

Boa Leitura!

3


BFotoNews

Maquiagem

Naturalmente mais bonita, viçosa, e sem tantas linhas de expressão, a pele negra fica hidratada e radiante com alguns poucos cuidados. É mito afirmar que existe um tipo de maquiagem específica para a pele negra. A gama de cosméticos é infinita e não há limite de cores. Tudo vai depender da proposta ou do look que a mulher deseja usar. “A maquiagem é como uma roupa. Você deve se sentir confortável!”, afirma a maquiadora do salão Blend, em São Paulo, Joana D’Arc. Existem, é claro, cores que combinam melhor com este tipo de pele e que trazem muita sofisticação, como, por exemplo, os tons quentes. No entanto, isso não é uma regra! A mulher negra poder usar e abusar de todas as cores!

Make me

Beleza sem limites Quando o assunto é maquiagem, a pele negra pode tudo!

- À noite, para dar dramaticidade ao olhar, o lápis preto deve ser usado na parte interna dos olhos, especificamente na linha d’água. E não esqueça de caprichar na máscara de cílios! - Na boca, a ideia é continuar transitando pelos tons quentes como o marrom. Na pele negra, esta tonalidade ficará “cor de boca” e o resultado será uma boca mais leve. À noite, opte pela cor ameixa ou bordô. Trarão impacto e sofisticação aos lábios, sem ficar extravagante; -O blush deve ser contornado, e pode ser usado um tom mais escuro que a pele, como os terracotas. Se optar pelo rosa, prefira os tons mais quentes. - O iluminador arremata o make trazendo sofisticação e luminosidade. Aplique nas têmporas, formando uma letra C. “As grandes marcas de cosméticos redescobriram os lábios, cada vez há mais cores de batons diferentes ou batons já conhecidos com mais nuances de cor, o que favorece bastante a pele negra”, garante Joana. Agora, é só colocar tudo em prática e arrasar!

Confira as dicas exclusivas da maquiadora: - Como todas as peles, a negra não pode fugir à regra: o passo a passo dos cuidados diários com a limpeza, tonificação e hidratação é essencial; - Com relação à maquiagem, o método a ser adotado é igual para todos os tipos de pele: Primer, base, corretivo e pó; Durante o dia, esfume os olhos com um lápis marrom intenso; - A sombra perfeita para a pele negra é a canela. Além de sofisticada, esta cor não tem exageros no brilho e proporciona uma leve textura acetinada deixando a pele com um aspecto naturalmente suave. As sombras dourada e bronze também ficam lindas na pele negra, colorindo e iluminando o rosto;

“Não existe um produto específico para esse tipo de pele”

4


Comportamento

A nova moda dos mini weddings

Uma festa íntima e econômica

Para organizar a festa sem deixar de fora pessoas importantes, o casal deve começar os preparativos tão logo marcar a data do casamento: começando pela lista de convidados. Aliás, a lista é sempre um problema. Os pais querendo convidar aquele amigo da família que você não vê há anos ou o parente que vai reclamar que não recebeu o convite. Os noivos precisam ter em mente que o casamento é deles, deixar de convidar alguém não é deselegante. Com o casamento realizado no primeiro dia do verão (em dezembro do ano passado), o ponto alto da festa foi a cerimônia civil, conta a noiva. “Graças a Juíza de Paz, que celebrou com tamanha sensibilidade nosso pequeno ritual” diz Priscila. O casal não deve esquecer-se dos outros itens importantes da lista de preparativos: o figurino dos noivos, o cardápio da recepção, a decoração da festa, as lembrancinhas para os convidados. Para a noiva, o vestido do casamento é de suma importância, porém há diversas maneiras de se baratear esse item: alugar um vestido, reformar aquele que sua mãe usou no casamento dela. “Adoro acompanhar as provinhas das noivas... Fazer o que ama é maravilhoso!”, afirma o cerimonialista Vanderlei. O cardápio da recepção deve utilizar fornecedores da sua região, aproveitando as frutas e alimentos da estação e não desperdiçando absolutamente nada. Quanto à decoração da festa, se um dos noivos for adepto de trabalhos manuais, os enfeites das mesas, os seguradores de guadanapos e os arranjos de flores podem ser feitos artesanalmente.

Toda mulher sonha em subir ao altar com uma superprodução: véu, grinalda, grande festa, muitos convidados. No entanto, hoje em dia, com a atribulação cotidiana e os altos custos dos casamentos tradicionais, muitas noivas estão optando por uma cerimônia mais íntima, conhecida como mini wedding. O mini wedding torna a ocasião especialmente personalizada. Pode ser apenas uma benção religiosa seguida de um petit comitté, uma celebração civil seguida de uma recepção. Além de todo o charme de uma festa íntima, o mini wedding é um grande aliado para as noivas mais econômicas. Normalmente, a cerimônia ocorre em espaços aconchegantes e singulares. Em um ‘mini casamento’ (tradução de mini wedding) a lista de convidados pode chegar a 50 pessoas, o que reduz enormemente os custos com a festa. Com o dinheiro que restar o casal pode investir em alguns outros sonhos.

Neste tipo de festa, os menores detalhes são os mais importantes

5


Moda DE SUPÉRFLUO A NECESSIDADE

SAIBA COMO OS ESMALTES SURGIRAM E COMO ASCENDERAM NO MERCADO BRASILEIRO

Até pouco tempo atrás, as mulheres brasileiras

O esmalte, antes considerado supérfluo, pela sua infinidade de cores e acabamentos lançados, ganhou o título de "necessário", isto é, agora pertence ao seleto grupo de itens indispensáveis à beleza e à higiene da mulher.

só usavam esmaltes claros ou vermelhos. Hoje, a quantidade de esmaltes disponíveis no mercado é praticamente infinita. Além da imensa variedade de cores, os acabamentos também ganharam novas versões: foscos, brilhantes e fluorescentes.

Confira abaixo, uma linha do tempo que explica alguns truques ancestrais para dar uma cor diferente às unhas enquanto a indústria dos cosméticos ainda não havia nascido.

Antiguidade

Esmalteria Primitiva Século XIX

Aline Josino Moreira RA: B06AJJ-7

Acredita-se que o hábito de pintar as unhas tenha se iniciado em 3.500 a.C., no Egito Antigo, onde as rainhas usavam pétalas de flores esmagadas para conseguir tons vermelhos e escuros, como o rubi, a cor favorita de Nefertiti. Para as servas, só era permitida a cor preta, extraída da henna. Em 3 a.C., essa moda se intensifica na China, preservando o viés de distinção social. Só que os materiais utilizados são soluções de prata, ovos e mel, para tons brilhantes e metálicos. Durante séculos, não se ouviu falar em esmalte. As mulheres mantinham as unhas polidas, curtas e perfumadas com óleos, preservando uma aparência recatada. Os únicos produtos que lhes davam um pouco de cor eram cremes de curta duração, como o Hyglo.

Século XX Em 1925, uma fórmula experimental de tintura para carros dá origem a uma solução semelhante ao esmalte que conhecemos hoje. As primeiras marcas tinham uma fórmula bem liquida e da cor rosa claro. Em 1932, a empresa Revlon desenvolveu uma textura cremosa e que permitia uma paleta de cores mais variadas.

Fontes:www.historiadomundo.com.br/curiosidades/historiadoesmalte.htm; lcg-esmalterapia.blogspot.com.br/p/historia-do-esmalte.html

6

As responsáveis pela popularização do produto foram as estrelas de Hollywood, em especial, Rita Hayworth.

Do Ano

Intensif unhas p como de pedraria é feita a imagens unhas e passam um dos mais c amplam dos e c apenas p design d mados d “esmalte


Moda Mais detalhes de uma história escrita pelas mãos de várias mulheres (e alguns homens!) O esmalte tem história e, conforme o dito popular, “não nasceu ontem". Em 3500 a.C., pintar as unhas era uma vaidade que estava diretamente ligada ao poder. Cleópatra já pintava suas unhas de vermelho-escuro, mas Nefertiti preferia a cor de rubi (a maneira como elas obtinham essas diferenças de tonalidade está no quadro da página anterior). As chinesas usavam tintas à base de prata, por isso a predominância das cores metálicas apenas alguns milênios depois das egípcias. As romanas apenas poliam as suas unhas com materiais abrasivos para não parecerem vaidosas, algo condenável para os costumes de sua época.

Apenas no século XX, o esmalte, como o conhecemos hoje, foi descoberto. As principais adeptas do novo material foram, de imediato, as estrelas de cinema de Hollywood. Em 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon investiram na produção de uma variedade maior de cores além de uma nova fórmula para que o resultado fosse mais duradouro. Eles abriram as portas para a criação de outras empresas que vieram para atender a essa mesma demanda e encrementar cada vez mais os cuidaos com as unhas.

Intensifica-se o uso de unhas postiças, assim como de aplicações de pedrarias e adesivos. Já é feita a impressão de imagens digitais sobre unhas e os esmaltes passam de supérfluo a um dos itens de moda mais cobiçados. São amplamente colecionados e criam-se salões apenas para cuidados e design de unhas, chamados de “nailbar” ou “esmalterias”.

EsmaltGallery

Do Ano 2000 até Hoje

A demanda aumenta no

Brasil cada vez mais...

popuam as , em

Voltando aos dias atuais... Um dado importante, é que em abril de 2010 foram vendidas 65,8 milhões de unidades de esmaltes em todo o Brasil, segundo dados da Nielsen. O volume de vendas aumentou em 17,8%, se comparado às obtidas em 2009. As cifras bateram a casa dos 330,7 milhões de reais. Conforme a ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosmética), o fator crucial para explicar esta crescente procura por esmaltes no Brasil, é a ascensão das classes C e D. O Brasil é o segundo maior consumidor de esmaltes no mundo, perdendo somente para os Estados Unidos, segundo dados da Euromonitor. Fica evidente que os esmaltes não são mais considerados itens supérfluos. Mas são, ao invés disso, itens com enorme poder sobre a economia brasileira.

7


Lady Lopes

Lady

Universo Feminino: abarrotado, maravilhoso e muito complexo!

Outro dia estava pensan-

do... Se tivesse a oportunidade de viver outra vida, eu ia querer nascer mulher novamente. Tenho a impressão de que vou passar por essa vida sem ter tempo o suficiente para poder experimentar a infinidade de esmaltes que existe em um Nail Bar ou que não vou conseguir usar todos os pares de sapatos das minhas grifes preferidas. Pois é, ser mulher não é lá uma das tarefas mais fáceis! Temos tantas vontades e tantos anseios que não conseguimos nem mensurá-los. Acredito que a vontade de uma mulher é maior que qualquer outra sensação que existe no universo. Se colocarmos uma coisa na cabeça, não há quem faça tirar aquela ideia dali. Quando uma mulher realmente quer alguma coisa, ela não mede esforços para alcançar – e isso vale para a tudo, seja para o lado afetivo, financeiro ou social. Eu me lembro que, na minha infância, quando queria muito alguma coisa, o meu pai insistia em não querer me dar; mas, quando uma mulher realmente quer alguma coisa, a paciência dela chega a ser igual à de um monge budista. E era isso que eu fazia, depois de fazer inúmeras cenas de pura interpretação teatral, dignas do Oscar, não passava mais que seis meses para ser contemplada com aquele brinquedinho que tanto queria. Claro que minha persistência ajudava, mas prefiro acreditar que o todo meu charme era o que fazia o coração do meu pai derreter. Entrando na adolescência, já não adiantava mais encenar. Quando queria muito algo, meu pai falava que quando eu estivesse trabalhando, eu comprava. Dito e feito. Quando não conseguia juntar aqueles míseros trocadinhos da minha mesada, ia anotando tudo o que queria em um caderninho. Quando consegui meu primeiro emprego, aí realizei todos os meus sonhos em uma única ida ao shopping num sábado à tarde. Gastei todo o meu salário! Hoje, olho para o passado e dou risada. Poderia ter os pés mais fincados no chão e não ter gastado todo o meu suado dinheirinho de uma única vez. Mas, a recordação que vem a cabeça, é de como fui feliz naquele dia realizando todos os meus desejos. Isso me faz lembrar uma música que minha mãe sempre escutava: “Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi”. O universo feminino funciona exatamente no compasso dessa música. Nós, mulheres, somos movidas pela paixão, pelos desejos, pelas vontades. As emoções vão sempre à nossa frente, e somos guiadas por elas. Por isso, é que eu digo: “quando uma mulher quer alguma coisa,

ela atropela a razão e age só pela emoção” – é o que os homens chamariam de impulso, mas não é! Claro que mulheres são impulsivas, como qualquer outro ser humano. Mas diante daquela bolsa, que ela já está “namorando” há mais de uma semana em uma vitrine de shopping, o que era impulsividade, virou necessidade. O cérebro de uma mulher não tem limite de espaço, é impressionante como conseguimos pensar e organizar um monte de coisas ao mesmo tempo. Tenho uma lista gigante de coisas que quero e já imaginei exatamente como e quando irei usá-las. Essa pequena wish list pode mudar toda a rotina de qualquer mulher. De manhã, a primeira tarefa do dia, e a mais complicada, é a hora de vestir para sair. Pode ser para ir trabalhar, levar o filho na escola, ir à academia ou até no supermercado. O inferno surge de repente na nossa frente. A escolha da roupa define como será o dia de uma mulher. Se ela estiver com preguiça, ou não esta muito disposta para pensar em uma combinação perfeita, pode ter certeza que alguma coisa não irá muito bem. Todas as coisas criadas há séculos para rechear o universo feminino, não foram à toa. Nossas ancestrais, as rainhas da idade média, por exemplo, eram cercadas de tantos mimos e adornos, que sua soberania se afirmava ali. Quanto mais bonita e mais cercada de objetos femininos, mais forte era o seu poder, maior era o seu reino, e mais liderança ela tinha sobre todo o seu povo. Para uma mulher se sentir confiante e capaz de todas as coisas, os acessórios são os aliados perfeitos. Eles comprovadamente cumprem o seu papel de alicerce para que todo esse “poder’ apareça. Assim como as rainhas que viviam cercadas de jóias e pedras preciosas, a mulher de hoje, tem um infinidade de mimos que as fazem se sentir, mais fortes, mais poderosas e mais determinadas. Um exemplo disso é como a indústria de esmaltes alavancou nos últimos 10 anos. Até o final dos anos 90 as mulheres estavam acostumadas a pintar suas unhas somente com aquele esmalte vermelho básico, já usado por nossas mães e avós, ou com aqueles esmaltes clarinhos, que nem apareciam direito nas unhas. Hoje, mais de uma década depois, o esmalte é um poderoso acessório feminino que ostenta poder e sofisticação e sua infinidade de cores só existe graças àquela vontade que relatei anteriormente, de que, quando uma mulher realmente quer alguma coisa, ela consegue.

8


Revista atitude d