Page 1

O JORNAL DA REGIÃO DO SÃO FRANCISCO Criado em 18/02/2004 • Fundador: Antônio Galdino Paulo Afonso-BA • Edição de Março de 2019 • Ano XV • Número 181

www.folhasertaneja.com.br

Rio São Francisco de irrigação e os grandiosos projetos de piscicultura em tanques-rede produzindo milhões de toneladas de peixes que precisam ser alimentados e esses alimentos, se juntam aos dejetos dos próprios peixes e criam matéria orgânica que podem gerar plantas como as baronesas, dizem os especialistas... E o que se pode fazer para não deixar morrer este que é o único rio brasileiro, o “rio da unidade nacional”? Páginas 2, 4 e 6

Paulo Afonso terá Centro Março, de Terapia Oncológica Foto: Antônio Galdino

Uma grande expectativa tem animado os pauloafonsinos com o anúncio da inauguração, dia 5 de abril de uma Clínica Oncológica em Paulo Afonso. É que hoje, centenas de pessoas que tem problemas de câncer precisam se deslocar para outros centros e, tanto sofrem nas longas viagens como na estadia fora de casa. O Núcleo Vida, criado pelo pauloafonsino Abraão Costa que volta à sua cidade, promete melhorar muito a vida desses pacientes. Página 3

Por conta do Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, intensa programação foi realizada na cidade, nas escolas, na prefeitura, na OAB, na Academia de

Mulher

Letras, nos hospitais, as mulheres tiveram momentos de homenagem e de aprendizagem em um mês pleno, Março, Mulher. Foto: Negrito

Como sofre o rio São Francisco. A ganância de muitos, pela riqueza desenfreada ou pelo poder vêm lhe matando aos poucos. Um longo e caríssimo projeto de transposição, como projeto político, não levou em conta as próprias promessas de governo de cuidar primeiro da revitalização do rio. O assoreamento é enorme. A mata ciliar deu lugar aos pastos e projetos de grandes fazendas. Centenas de cidades jogam seus esgotos diretamente no rio, assim como o lixo, e tudo que não presta. Há ainda os grandes projetos

Foto: Antônio Galdino

"Até aqui nos ajudou o Senhor" (I Sm 7:12)

Página 6

Chesf realiza Seminário sobre Segurança de Barragens em Paulo Afonso Página 4

ALPA participa do Dia da Poesia no Boteco do CPA Página 5

Raffael di Oliveira faz o filme O Cavaleiro das estrelas Página 9


2 A

Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

EDITORIAL

Mensagem às Mulheres

São Francisco, um rio que morre... Há uma preocupação geral dos brasileiros com a situação da enorme quantidade de barragens no Brasil sem qualquer tipo de fiscalização. E os nordestinos já se preocupam também com as que existem em Minas Gerais e que estão correndo o risco de estourar e sair matando gente e a natureza num raio de centenas, milhares de quilômetros, alcançando até regiões distantes como as terras sertanejas de Paulo Afonso, destruindo a vida no rio São Francisco. Cegos e surdos estão muitos e há muito tempo, porque já há muito que o rio São Francisco vem sendo morto pelo descaso dos governantes, pela ganância de outros muitos, pelas mazelas dos seus moradores ribeirinhos, pela transposição de suas águas, sem que o governo federal desse a mínima atenção às suas próprias promessas de um amplo e definitivo projeto de revitalização. E isso há muitas dezenas de anos. Chegou a se anunciar que 14 ministérios do governo brasileiros estariam empenhados em vários projetos de revitalização deste rio. Mais uma promessa que escondia outros interesses. Agora, levantam-se alguns preocupados com a lama de Brumadinho e, mais aqui em nossa região, pelos estragos ao meio ambiente e à economia por conta da enorme proliferação das plantas baronesas que invadem todo o leito do nosso amado rio São Francisco. Mas ninguém quer olhar para as suas mazelas, para o seu umbigo. Há quem prefira encontrar culpa no outro e a preocupação foca nas pro-

messas de grandes investimentos para a aquisição de máquinas especiais para a retirada da milhares de toneladas de plantas de suas áreas de interesse e não estudar a fundo o que provocou isso tudo e atacar o problema em suas raízes. Fala-se então que o problema é a presença de esgotos de mais de quinhentas localidades, in natura, no leito do rio. E, porque, não se cuidou disse com seriedade desde muitos anos atrás? Há quem assegure que isso pode acontecer mas que a o problema não é em todo o rio e que a proliferação de baronesas se deve ao excesso de tanques redes em determinados trechos do rio que recebe grande quantidade de matéria orgânica da ração dada aos peixes, dos dejetos dos próprios milhões de peixes e daqueles alevinos que morrem e que também são matéria orgânica. E na defesa dessa tese, me trouxeram um exemplo e um questionamento. O exemplo, me disseram, “o lago do Belvedere, na Chesf, que fornece água para alimentar três grandes usinas hidrelétricas, só começou a ter as baronesas quando ali foi instalado uma grande piscicultura, de uma empresa multinacional, e hoje, quase a metade do lago está tomado pelas baronesas, especialmente nas proximidades da piscicultura ali existente.” E o questionamento: porque não se analisa a situação do rio em vários trechos para se tirar essa dúvida? Na audiência pública que se fez em Paulo Afonso no final de Março – dia 29, no Memorial Chesf – houve, mais uma vez, muitas promes-

sas, afirmações responsabilizando os esgotos e outras que geraram discórdia, como a do representante da Chesf que disse, para desconforto e discordância de outros, que a hidrelétrica que se instalou na região há 71 anos, só atuaria no processo de retirada das baronesas se isso viesse a atrapalhar o seu projeto de produção de energia hidrelétrica. Em Paulo Afonso, as baronesas estão, em grande quantidade, no Reservatório Delmiro Gouveia, que tem a capacidade de armazenar 26 milhões de metros cúbicos de água que vão movimentar as Usinas Paulo Afonso 1, 2 e 3, no Reservatório de Moxotó, com a capacidade de armazenar 1 bilhão e 100 milhões de metros cúbicos da água que vai para a Usina Apolônio Sales, para o reservatório Delmiro Gouveia e, pelo Canal da Usina PA4, chega ao Reservatório da Usina PA4 que tem a capacidade de armazenar 125 milhões de metros cúbicos de água para movimentar esta que é a maior das usinas de Paulo Afonso produzindo sozinha, mais que o dobro de todas as outras juntas. Só para se ter uma ideia, a Prefeitura de Paulo Afonso já tirou, só das baronesas que se acumulam na Prainha de Paulo Afonso, que fica neste Lago da Usina Paulo Afonso 4, mais de 30 toneladas de plantas cada vez que elas chegam ali e a situação é tão grave que o Ministério Público proibiu o uso desse espaço turístico para banhos. O homem, pela ganância, de poder ou de riquezas, está matando o rio São Francisco.

Corte de árvores na barragem A garupa da moto, a muda e o socorro da polícia Francisco Nery Júnior Membro da ALPA – Cadeira 18

E lá ia ela atracada à tenra e colossal muda. Na sua cabeça – pude ler de relance ao prosseguirmos lado a lado na via bem cuidada de Paulo Afonso -, a imponente árvore, dádiva de Deus; sombra, frutos e consolo muito bem descritos pelo poeta. Proativa e otimista, era isso que via. Aliás, que antevia. A nossa personagem excedia na tarefa de gerente da Natureza. Na garupa da moto, apoiada no tenaz motoboy, embaixo do sol abrasador, a brisa, em contrapartida, alisava-lhe os cabelos soltos ao vento.

Os dentes brancos de satisfação completavam o quadro de prazer e felicidade. Não sei para onde ia, nem exatamente onde plantou a muda de árvore. A certeza, pelo descrito, é que plantou. Há outros tantos que preservam (e quero crer entre eles o leitor). Foi o caso, li no site, da limpeza do pé da barragem de Moxotó. Se pela Chesf ou pela Prefeitura, não sei. Não interessa. Cumpriam o seu dever e deviam estar seguindo diretrizes técnicas de segurança. Cortavam algumas árvores.

EXPEDIENTE Rua da Concórdia, 555-B - Gal. Dutra - Chesf Tel/fax: (75) 3282.0046 - CEP: 48607-240 Paulo Afonso - Bahia E-mail: professor.gal@gmail.com

O JORNAL DA REGIÃO DO SÃO FRANCISCO

Acesse nosso site: www.folhasertaneja.com.br Diretor Antônio Galdino Secretário de Redação Ricardo da Costa

Os textos assinados não representam necessariamente a opinião do jornal, sendo da responsabilidade dos seus autores.

Colaboradores desta edição Edson Mendes, Francisco Nery, Vitor Batista dos Santos e Juliana Ribeiro dos Santos Costa Diagramação Admilson Gomes

Fotos Antônio Galdino, Negrito e Alisson Impressão Editora Fonte Viva

Li, mais adiante, que moradores ou vizinhos assustados – o corte de uma árvore assusta! – chamaram a polícia. A derrubada de uma árvore sem razão lógica assusta. Ou o leitor não se lembra que o oxigênio que mantém a nossa vida é fornecido por elas? Não prossegui na leitura. Para a nossa crônica, a conversa vai de bom tamanho. Fica o belo exemplo dos moradores do pé da barragem. Belo exemplo de comprometimento e de responsabilidade comunitária.

Edson Mendes Membro da ALPA – Cadeira 26 edsonmal@uol.com.br

Pensamentos, palavras e obras são artifícios que utilizamos, todos os dias, para erguer e sustentar a aventura da vida. Neste dia de hoje, que chamamos Dia das Mulheres, todos fazemos uma pausa para homenageá-las e fazer declarações de amor. Mas ainda hoje, no fim da noite, nossos pensamentos se voltarão para amanhã, e amanhã, oh!, amanhã voltaremos a falar de outras coisas e nossas obras virão a contradizer, intermitentemente, o que os lábios dizem agora... Por que agimos assim, se sabemos que é pela causa das mulheres que a causa dos homens se estabelece, e a partir deste princípio e desta união se impôs o conceito de humanidade que finalmente hoje nos distingue dos brutos? Os brutos também amam, dizem, mas quando amam se humanizam, e esta humanização, enfim de todos, será impossível sem as mulheres, que nos ensinam, todos os dias, lições de unidade e de bondade e de verdade, reunidas sob o manto da beleza, signo maior da existência. A beleza salvará o mundo, disse Dostoievsky. O que é bom não é mau,

o que é falso não é verdadeiro. A vida só será plena, e íntegra, quando se estabelece a harmonia entre palavras, pensamentos e obras. E a esta harmonia, sob luz divina, soma-se a beleza, posto que aquilo que é perfeito precisa ser, necessariamente, belo, bom e verdadeiro. A vida, portanto, precisa ser boa, verdadeira - e bela, sine qua non. É pensando, pois, na doçura e na acidez, no ar e no mar, na terra e no céu, no sal e no sol, que meu coração, transformado em pássaro, voa de tão longe para dizer a vocês, mulheres de Paulo Afonso, o quanto as amo, o quanto as admiro, o quanto sou grato, e comigo todos os filhos desta terra que vocês ajudaram a construir com amor, perseverança e fé. Com apreço, afeto, estima e consideração faço este bilhete, que em meu nome, e de todos que me acompanhem, peço que aceitem como prova de gratidão, e que, mesmo singelo e humilde, é hoje, em seu dia, e será, para sempre, nossa definitiva Declaração de Amor. Recife, 10 de março de 2019

A presença dos Jesuítas no Brasil: 470 anos Os jesuítas, religiosos da Companhia de Jesus, fundada em 1534, por Santo Inácio de Loyola, com a missão de estabelecer uma relação justa com Deus e com os outros. No princípio da ordem enfrentaram a contrarreforma. Sendo eles os grandes responsáveis por combater os ideais protestantes. Pode-se dizer que a companhia de Jesus é uma ordem religiosa que teve significativa importância na Reforma Católica garantindo a expansão do cristianismo/ catolicismo e ampliando o número de fiéis no Novo Mundo. Os Jesuítas tinham como objetivo primordial a propagação da fé cristã, ou seja, teriam de catequisar e converter os “infiéis”, tendo como foco principal os nativos. Em contrapartida, na Europa a finalidade da Companhia de Jesus era evitar que o protestantismo que até então vinha ganhando força se propagasse. Os primeiros Jesuítas chegaram ao Brasil no século XVI, mais precisamente em 29 de março de 1549, juntamente com o primeiro Governador Geral do Brasil, Tomé de Sousa. Padre Manuel da Nóbrega, com seus demais companheiros, chegam a estas terras, com todo o desejo de missão outrora pregada por Inácio. Os companheiros de Jesus, desembarcaram no Arraial do Pereira, na baia de Todos os Santos. Local hoje denominado como Praia do Porto da Barra. Diversas edificações registram a presença da Companhia na Bahia, dentre elas, a Igreja da Graça, Igreja da Ajuda (antiga Sé de Palha), o Solar Ferrão (antigo seminário de N.S da Conceição), a Quinta do Tanque (Arquivo Público do Estado), e a Catedral Basílica, que juntamente com a faculdade de Medicina, formavam o Colégio de Jesus. Os Jesuítas administraram as principais instituições de ensino da época, tendo em vista que, para que os nativos fossem evangelizados era preciso que estes soubessem a língua portuguesa para assim poderem acompanhar os ensinamentos da religião católica, portanto, fazia-se necessária à construção de espaços apropriados para tal, sendo então construídas várias missões e colégios em diversos territórios do Brasil. Vale destacar que os Jesuítas além dos nativos, também ensinavam aos filhos dos senhores de engenhos e dos colo-

Vitor Batista dos Santos Juliana Ribeiro dos Santos Costa nizadores, uma educação pautada na disciplina em que apreendiam a ler e escrever, bem como os ensinamentos religiosos. As missões jesuíticas além da catequização objetivava também um processo de aculturação. Ou seja, fazer com que os “gentios” muitos seminômades, mudassem seus costumes e passassem a viver conforme os hábitos e valores dos europeus com moradia fixa, dentre outros aspectos socioeconômicos. Destarte, os Jesuítas conseguiram que muitos nativos se estabelecessem nas missões e produzissem alimentos não apenas para consumo próprio das missões, mas também como fonte de renda através do comércio do excedente. O estabelecimento dos nativos nas missões fez com que os Jesuítas entrassem em conflitos com colonizadores que viam nos indígenas uma forma de tirar proveito com a escravização e encontravam nas missões um empecilho para tal, tendo em vista que as missões transformaram-se em espaços territoriais “protegidos” das investidas dos colonos. Os padres da missão jesuítica documentaram através de cartas informações em que relatam sobre suas vivências entre os índios e colonos, conversões dos infiéis, milagres, construções de Igrejas, expedições realizadas, perigos enfrentados e etc. Os Jesuítas por volta do século XVIII foram expulsos dos territórios de domínio Português pelo Marquês de Pombal. Sendo restaurada a Companhia, quarenta e um anos depois. Fizeram parte da Companhia de Jesus e da História do Brasil, o padre Antônio Vieira, João de Azpilcueta Navarro e José de Anchieta, O Grande Apostolo do Brasil, entre outros. Os Jesuítas participaram e contribuíram diretamente com o cenário histórico, religioso, econômico e educacional do Brasil. Neste ano comemoram-se os 470 anos das Missões Jesuíticas no Brasil, fato que corrobora que a herança Jesuítica ainda se encontra presente na memória e na vida atual de nossa sociedade para a Ad maiorem Dei gloriam ("Para a maior glória de Deus")


Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

A3

Há anos que o município de Paulo Afonso se ressente da necessidade de atendimento especializado na prevenção do câncer e no tratamento que exija o uso de quimioterapias e radioterapias. O tratamento tem que ser feito fora de Paulo Afonso em clínicas especializadas no Recife, Salvador e Aracaju, principalmente o que traz grandes desconfortos para os pacientes e familiares, além de grandes custos para o município que leva estes pacientes para tratamento fora do domicílio (TFD). O empresário Abraão Costa, pauloafonsino, retorna a Paulo Afonso com o objetivo de instalar no município uma clínica especializada em tratamento de doenças oncológicas, o Núcleo Vida, que está sendo montada com o que há de mais moderno nessa área e vai contar com o trabalho de médicos e profissionais especialistas nesta área e já deve iniciar o seu funcionamento no início do mês de abril deste ano. O investimento tem chamado a atenção da área médica e o prefeito Luiz de Deus, que também é médico esteve visitando as instalações dessa nova clínica. E o prefeito ali esteve, no dia 18 de março, acompanhado de assessores

Fotos: Antônio Galdino

Paulo Afonso terá Centro de Terapia Oncológica. Abraão Costa, fundador do Núcleo Vida, esteve na Câmara falando do projeto

Núcleo Vida - Centro de Terapia Oncológica - atrás da Prefeitura

como o Secretário de Saúde, Ivaldo Sales Júnior e Luiz Humberto, administrador do Bairro Tancredo Neves e outros bairros. Com ele também estava a filha Dra. Carlina Barbosa de Deus, especialista muito respeitada na área de ultrassonografia em Paulo Afonso.

Abraão Costa - Diretor do Núcleo Vida

Abraão Alves Costa informou ao prefeito e seus acompanhantes que “estamos trazendo para cá, para dar o atendimento no Centro Oncológico, os melhores médicos da equipe, um grupo de médicos que está muito estimulado a atender bem qualquer pessoa, pois possuem um padrão de atendimento muito elevado. Estaremos aqui não apenas para atender as pessoas doentes, mas para educar na detecção precoce de tumores”, finalizou. Para o prefeito, a clínica representa uma nova realidade para Paulo Afonso e região. “Este aqui é um centro da mais alta importância, especialmente para os portadores de doenças oncológicas porque terão a oportunidade de realizar o tratamento em sua cidade, com todos os recursos necessários. Parabenizamos

aos idealizadores por trazerem esse projeto”, frisou o prefeito. O vereador Marconi Daniel convidou o empresário Abraão Costa para apresentar o seu projeto na Câmara Municipal de Paulo Afonso. Ali, ele falou da grandiosidade desse projeto que numa segunda etapa terá um hospital voltado para esse tratamento do câncer, com leitos de UTI e tudo isso já deverá estar funcionando em Janeiro de 2022. Abraão disse que esse projeto, todo esse investimento que ele faz com outros conceituados profissionais desta área da medicina que estarão morando em Paulo Afonso onde já se encontram foi o resultado de uma experiência pessoal quando, também ele, teve que passar por um tratamento rigoroso para vencer esta doença e afirmou que o seu objetivo é transformar Paulo Afonso em um centro regional de prevenção e tratamento do câncer referência de qualidade e que em nada ficará devendo aos grandes hospitais que atuam nesta área. Abraão Costa fez todo um detalhamento do processo e durante cerca de 2 horas respondeu a todos os questionamentos dos vereadores, tendo sido aplaudido pelo público e por todos os presentes várias deles durante a sua explanação

‘Café e Ação’ reúne prefeito, secretária de Educação e gestores de escolas e creches O evento teve como objetivo estreitar os laços entre aos diretores escolares e o prefeito

A manhã desta quarta-feira (27) foi marcada com o encontro do prefeito Luiz de Deus, a secretária de Educação Elza Brito e gestores das 61 escolas municipais e seis creches. O ‘Café e Ação – Unindo forças e fortalecendo a gestão’ foi realizado na Escola Vinícius de Moraes, no Bairro Jardim Bahia, e teve como objetivo estreitar os laços entre aos diretores escolares e o prefeito.

No encontro, a importância da dinâmica e empenho por parte de todos que compõem uma escola, foi um dos temas abordados. Durante a sua fala, o prefeito falou da relevãncia do papel desenvolvido pelos gestores escolares. “A vida não tem sentido quando não tirarmos parte

do nosso tempo para ajudar o próximo. Estamos sempre em constante evolução. São vocês que constroem o amanhã da nossa cidade e tornam a vida da nossa sociedade alegre e com esperança de dias melhores”, afirma o prefeito Luiz de Deus. A secretária Elza Brito falou sobre o início das suas atividades na secretaria e ressaltou a importância do trabalho em equipe para que as conquistas possam acontecer. “A gestão é como uma orquestra que precisa ser or-

Av. Landulfo Alves, 276 | Centro | Paulo Afonso-BA Tel.: (75) 3281.3030 | E-mail: ferrageiropa@ferrageiro.com.br

denada. E esse momento é de reflexão, pois cada um tem uma importância muito grande nesse conjunto. Assim, o trabalho vai crescendo e ganhando cada vez mais corpo a cada dia”, ressaltou Elza. O subsecretário de Educação, Pedro Gomes, apresentou um panorama das atividades desenvolvidas pela Seduc. Ao todo, a rede municipal de ensino abriga aproximadamente 17 mil alunos e a Secretaria de Educação (Seduc) conta 1.531 servidores. Participaram do evento a Chefe de Gabinete, Cíntia Rosena e os secretários de Administração, Hermes Benzota Júnior; de Saúde, Ivaldo Sales Júnior; de Turismo, Indústria e Comércio, Regivaldo Coriolano; de Agricultura e Aquicultura, Jandirson Campos Torres e o Administrador do BTN, Luiz Humberto.

e durante os questionamentos que respondeu e afirmou que as instalações do Núcleo Vida – Clínica de Terapia Oncológica, com os mais modernos equipamentos e uma equipe de renomados médicos e profissionais desta área, estarão sendo inauguradas no dia 5 de abril, uma sexta-feira e já no dia 8 de abril, segunda-feira, estará funcionando regularmente e que o seu desejo é funcionar atendendo a convênios de planos de saúde e especialmente aos pacientes pelo SUS e “todos os pacientes receberão o mesmo e igual atendimento sempre com a melhor qualidade”. O vereador Marconi Daniel, responsável por trazer o empresário Abraão Costa à Câmara dos Vereadores justificou o motivo do convite: “Só quem convive de perto com pessoas em tratamento

dessa doença sabe o quanto Paulo Afonso ganhará com esse Centro Oncológico. Aproveito para parabenizar o prefeito pela sua sensibilidade.” Disse Marconi Daniel. Todos os vereadores usaram da palavra para levantar questionamentos e elogiaram e aplaudiram o empresário pela iniciativa. Também o presidente do Legislativo, Pedro Macário Neto (PP) depois de agradecer ao empresário pelos esclarecimentos que fez e pela sua “brilhante iniciativa” disse ainda que “a inauguração desse Centro Oncológico é uma das maiores conquistas dos últimos anos para Paulo Afonso”. A Clínica de Terapia Oncológica - Núcleo Vida está instalada na Rua Floriano Peixoto, rua por trás da Prefeitura de Paulo Afonso.

Núcleo Vida

Vereadores votam mais de 500 requerimentos na 3ª sessão pós-recesso A terceira sessão da Câmara Municipal de Paulo Afonso foi marcada por um número: 535 requerimentos. Acumulados após mais de um mês sem sessões devido ao recesso, os documentos foram aprovados e agora seguem para o Executivo. Os vereadores analisaram e votaram na manhã desta sexta-feira, 28, em sessão excepcionalmente antecipada em virtude do período carnavalesco. Entre os requerimentos e indicações da pauta, a maioria está relacionada a pedidos de serviços de manutenção, reforço na sinalização de trânsito, melhoria na iluminação pública e segurança. No bolo de requerimentos aprovados na sexta-feira, foi possível detectar casos de

Casa O Ferrageiro nasceu em Santana do Ipanema/ AL em 1922 e desde os anos de 1970 sua filial de Paulo Afonso ajuda este município a crescer.

documentos repetidos, em que, por exemplo, o mesmo vereador protocola mais de uma indicação para solicitar operação tapa buracos na mesma rua, citando o ponto exato de cada buraco em cada requerimento, quando poderia ser apontado em uma única indicação. De acordo com o secretário de Administração, Hermes Benzota de Carvalho Júnior, todos os requerimentos e indicações são protocolados na prefeitura, percorrem as secretarias para elaboração de respostas, que assinadas pelos secretários e depois enviadas à Câmara, onde também são protocoladas. No caso dos requerimentos, o prazo legal para a resposta é de 15 dias. (Texto:Luiz Brito DRT/BA 3.913)


4 A

Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

Chesf realiza Seminário sobre Segurança de Barragens em Paulo Afonso Cumprindo as atividades do Plano de Ação de Emergência (PAE), a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) realizou hoje (26), em Paulo Afonso, na Bahia, mais um seminário para tratar sobre o tema Segurança de Barragens. Os encontros têm o objetivo de dialogar com representantes de municípios e com a Defesa Civil dos estados relacionados aos empreendimentos de geração da Companhia em Alagoas, Sergipe, Bahia, Pernambuco, Piauí e Maranhão. Na reunião, realizada nesta terça-feira, em Paulo Afonso, também participaram os secretários de Meio Ambiente do município de Delmiro Gouveia e os de Administração e de Infraestrutura da Prefeitura de Paulo Afonso. O gerente da Regional da Empresa, Elerson Carlos da Silva, e o superintendente de Engenharia

os participantes, especialmente para os representantes da Defesa Civil que elogiaram a iniciativa da Empresa”. A programação seguiu com apresentações técnicas, ministradas pelos engenheiros Clécio Barbosa, Guilherme Peplau e Patrícia Neves, que falaram sobre as características das barragens hidrelétricas, com explicações sobre sua estrutura e sistema de mo-

de Geração, Douglas Balduíno, abriram a reunião falando das especificidades da região. Por videoconferência, os diretores de Operação, João Franklin, e o de Engenharia e Construção, Roberto Pordeus, destacaram a importância dos temas para a Empresa e para as comunidades envolvidas.

Segundo Balduíno, “por questões geográficas e históricas, Paulo Afonso tem características bastante especificas. A cidade possui barragens no seu entorno e, por isso, é preciso esclarecer à população de como tudo funciona minuciosamente para trazer a tranquilidade necessária e a compreensão de que

nitoramento, mostrando como a Empresa vem cumprindo com todas as normas e realizando, sistematicamente, manutenções, avaliações e inspeções em suas instalações. (Paulo da Silva Pereira ppereira@chesf.gov.br.) Mais informações: (81) 3229-3415 / 3412 / 2818; (81) 99738-0879 / (81) 99918-9717 / (81) 99767-2993

a Chesf está cumprindo o seu papel de manter a segurança de seus empreendimentos e, principalmente, das pessoas que vivem na região”. O diretor de Operação, João Franklin, avaliou a reunião como “muito proveitosa e esclarecedora à medida que trouxe elucidações importantes para

Audiência Pública discute agressão ambiental ao rio São Francisco

Prefeito Luiz de Deus na audiência pública sobre rio São Francisco

A vulnerabilidade ambiental do rio São Francisco foi tema de audiência pública realizada, na sexta-feira, 25, pelas Câmaras Municipais de Paulo e Glória e a Peixe SF. A cerimônia contou com grande presença de público. Foram ouvidos representantes do Comitê da bacia do Baixo São Francisco, do território de Itaparica BA/PE, Uneb Campis VIII, Instituto agronômica de Pernambuco, ICMBio, CHESF, EMBASA entre outros. De acordo com a representante da Secretaria de Aquicultura e pesca do Ministério da Agricultura e pecuária, Juliana Lopes, ressaltou estava alí para defender a psicultura e que os maiores responsáveis pelo problema das baronesas estão na falta de saneamento básico e de tratamento dos esgotos ao longo do rio. Por seu expediente, o prefeito de Paulo Afonso, Luiz de Deus (PSD), lamentou a ausência de técnicos no evento. Outras informações relevantes do encontro: - O Senador por Alagoas, Rodrigo Cunha irá encaminhar para a Comissão de Defesa do Consumidor e a Comissão do Desenvolvimento Regional uma audiência conjunta sobre o tema no Senado Federal;

- O Deputado Federal, Mário Negromonte Jr (PP), assumiu compromisso de alocar recursos via emenda parlamentar individual para aquisição de hidrotratores para retirada das baronesas - O Deputado estadual, Inácio Loyola irá representar na Assembleia Legislativa de Alagoas a discussão do tema; - a Comissão especial de incentivo ao desenvolvimento da Política estadual da aquicultura na Assembleia Legislativa de Pernambuco estará reunida em Petrolândia no próximo dia 25 de abril e o tema das baronesas terá pauta específica, - Os prefeitos Luiz de Deus (Paulo Afonso) David Cavalcanti (Glória), Goretti Varjão (Jatobá), Janielma Rodrigues (Petrolândia) e Bernardo Maniçoba (Itacuruba) deverão antecipar o retorno da Marcha dos prefeitos que acontece em Brasília de 08 a 11 de abril para estarem presentes na audiência pública do dia 11 com o ministério público Federal e estadual. Ao término da reunião, o Presidente Peixe SF, Anttonio Almeida Junior, deu os seguintes encaminhamentos: 1 - realização de uma audiência ampliada, no dia 11 de abril, em local a ser informado

(provavelmente no auditório da Justiça Federal em Paulo Afonso), com as participações do Ministério Público Federal e dos estados de Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe, Comitê da Bahia Hidrográfica do Rio São Francisco, organizações da sociedade civil e agentes públicos. A comissão criada para organização da audiência pública já terá sua primeira reunião na tarde desta segunda-feira, (01/04), na sala de reuniões da Câmara de Vereadores de Paulo Afonso. Fazem parte da comissão representantes das Câmaras e Prefeituras de Paulo Afonso e de Gloria, Peixe SF, Agendha, Território Itaparica, Bahia Pesca e a consultoria Segurança Ambiental; Já a reunião com os demais órgãos do PPP será na quarta-feira, 03 de abril, a partir das 08h, na Cãmara de paulo Afonso. 2 - Elaboração de projeto de investimento a ser encaminhado à CHESF para investimentos na retirada das baronesas; 3 - Elaboração de proposta de PPP entre a Peixe SF, Chesf, Prefeituras e governos Estaduais e Federal para aquisição de hidrotratores e a manutenção e operação dos equipamentos para retirada das baronesas, com recursos de emendas parlamentares individuais e de bancadas. 4 - promoção de gestão política e institucional junto aos deputados estaduais e federais, senadores e governadores para destinação de recursos estaduais e federais para consolidar a Parceria Público Privada da Peixe SF e Prefeituras do futuro Consórcio Interestadual Ambiental do Rio São Francisco.


Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

A5

Academia de Letras de Paulo Afonso abre o Ano Acadêmico 2019 com homenagens às mulheres e lançamento de livros As sete Marias da ALPA

ALPA e outras mulheres especiais de Paulo Afonso, apresentação de poesias e músicas e o lançamento do livro Cultura Popular – Patrimônio a serviço do Turismo, do escritor e professor Alcilvandes Santanta e o relançamento dos livros Janelas da Alma, de Socorro Araújo (Marajana) e Traços de Mim, de Socorro Mendonça. Edson Mendes, membro correspondente da ALPA, morador do Recife, enviou uma tocante mensagem para as mulheres. Jovelina Ramalho, professora, escritora, poetisa da ALPA, foi homenageada e homenageou a todos cantando uma linda canção de amor, acompanhada pelo músico Raffael di Oliveira. Jovelina Ramalho também apresentou palestra sobre o poeta baiano Antônio de Castro Alves, que nasceu em 14 de Março, considerado o Dia da Poesia, em sua homenagem.

Professor Antônio Galdino, presidente da ALPA

te de 12 de Março pela Academia de Letras e pelo poeta Marcos Antônio, também da ALPA, que lhes ofereceu exemplar do livro Jardim de Árida Poesia, de sua autoria. Jovelina Maria Ramalho da Silva Maria da Glória Lira Maria Gorette Moreira Mª do Socorro Araújo Nascimento Maria Socorro de Mendonça Gomes Maria Cleonice de Souza Vergne Maria Telma Barbosa Aciole de Lima

Homenagem da ALPA às Mulheres Especiais Certamente que Paulo Afonso possui muitas mulheres especiais. Nesse momento a Academia de Letras de Paulo Afonso decidiu homenagear estas: - Professora WILMA EUGÊNIA DE OLIVEIRA pelo pioneirismo na educação na Vila Poty, na Escola Evangélica Antônio Balbino ainda em 1955, que deu origem ao Grupo Sete de Setembro. - Advogada MARIA DO SOCORRO LEITE ROLIM (OAB) - pelo seu trabalho na OAB de Paulo Afonso, sendo eleita sua presidente por três

mandatos consecutivos. - Empresária ADEILDA DE MOURA CARVALHO XAVIER (Loja Brisa) - pioneira no comércio de Paulo Afonso e na Ascopa. - Pedagoga EDVALDA PEREIRA TORRES LINS AROUCHA (AGENDHA) pelo seu trabalho com as mulheres da área rural, as chamadas mulheres catingueiras e participação na luta pela criação da Delegacia Especial de Atendimento á Mulher - DEAM. - Professora MARIA LÚCIA DO NASCIMENTO

FEITOZA – pelo seu projeto Aventureiros da Leitura que estimula estudantes da Escola Municipal Manoel Nascimento Neto, do BTN à leitura e produção literária. - Professora MARILEIDE QUEIROZ (Col. Montessori) - pelo trabalho no ensino infantil/fundamental e médio, no Colégio Montessori que, de pequena escola infantil se transformou em colégio de referência na região. - Vereadora LEDA MARIA ROCHA ARAÚJO CHAVES - pela atuação como vereadora,

especialmente voltada para as mulheres mais carentes e a área social do município de Paulo Afonso. - Professora LIZETTE ALVES DOS SANTOS – dois motivos: vereadora pioneira da primeira legislatura de Paulo Afonso e pelo trabalho desenvolvido com a educação na zona rural no mandato do 1º prefeito de Paulo Afonso, Sr. Otaviano Leandro de Morais, que deu condições de funcionamento à Escola do Povoado Juá, a primeira do Município, hoje Escola General Argus Lima.

Wilma Eugenia de Oliveira

Maria do Socorro Leite Rolim

Adeilda de Moura Carvalho Xavier

Edvalda Pereira Torres Lins Aroucha

Maria Lúcia do Nascimento Feitoza

Marileide Queioróz

Leda Maria Rocha Araújo Chaves

Lizette Alves dos Santos

Fotos: Negrito

Dia 12 de Março de 2019, foi uma agradável e marcante noite para os membros da ALPA – Academia de Letras de Paulo Afonso e para a sociedade pauloafonsina e da região. Tudo aconteceu na Câmara Municipal de Paulo Afonso, gentilmente cedida pelo seu presidente, Vereador Pedro Macário Neto, que foi representado no evento pelo vereador Mário Galinho. Presentes o vereador Jean Roubert, que também é membro da ALPA e a vereadora Leda Chaves que foi homenageada pela Academia de Letras. Nesta noite foi realizada a sessão de Abertura do Ano Acadêmico da ALPA, sob a direção do presidente da ALPA, professor, escritor e jornalista Antônio Galdino da Silva. O evento comemorou o Dia da Poesia (14 de Março) e o Dia Internacional da Mulher (8 de Março) com expressiva homenagem às mulheres da

A Academia de Letras de Paulo Afonso tem em seu quadro sete mulheres e todas elas se chamam Maria. Coube ao poeta e acadêmico da ALPA Jotalunas Rodrigues conduzir a cerimônia de homenagem às mulheres da ALPA que receberam flores e uma mensagem que lhe foram entregues pelos homens imortais da ALPA. As sete Marias da ALPA foram homenageadas na noi-

ALPA participa do Dia da Poesia no Boteco do CPA Dia 14 de Março, a convite de Jorge Henrique, presidente da Associação Cultural Amigos de Francisco e administrador do Espaço Cultural Boteco, no Clube Paulo Afonso, a ALPA participou das comemorações do Dia da Poesia ali realizado no dia do aniversário do poeta baiano Antônio de Castro Alves. Além do presidente da ALPA, o professor e escritor Antônio Galdino que falou sobre a importância desse evento cultural, vários outros membros da ALPA estiveram nesse movimentado evento. Jovelina Ramalho fez breve palestra sobre o poeta Castro Alves, tema de uma monografia defendida pela poetisa da ALPA. Alcilvandes Santana fez o lançamento do seu novo

Fotos: Divulgação

- a iniciativa de Jorge Henrique foi um grande sucesso –

Jorge Henrique (do Boteco) e Antônio Galdino e Jovelina Ramalho (da ALPA)

livro – Cultura Popular – patrimônio a serviço do turismo, que trata do grande potencial do turismo religioso no município de Santa Brígida terra de Pedro Batista e Madrinha Dodô, também personagens de outros livros do professor Alcilvandes.

Também o Professor e poeta Ivus Leal, recém chegado de Aracaju onde esteve lançando o seu livro Versos Bonitos de Amor, na Livraria Escariz, trouxe esse seu livro para o evento. Outros da ALPA que marcaram presença foram Jotalunas, Luiz Ru-

ben, Gorette Moreira, João de Também participaram estu- França, apresentou algumas Sousa Lima, Fernando Mota, dantes do Curso de Letras da de suas obras neste evento. Sebastião Leandro de Morais, Fasete, estudantes Colégio Hilson Costa é o autor dos Estadual Reis Magalhães, da grandes painéis que estão no uma boa representação. O presidente da ALPA con- cidade de Glória. auditório do Memorial Chesf versou com o presidente da Edilson Vieira, dançari- em Paulo Afonso e outros nas Academia de Letras de Jequié, no, cantor e ator apresentou Usinas PA-4 e Hidrelétrica de o pauloafonsino Júlio Lucas, a encenação de um Teatro Xingó. Mora em Aracaju e veio especialmente para esse filho do antigo enfermeiro do Cordelizado. HNAS , Manoel Lucas e ficaO arquiteto e artista plás- evento, a convite de Jorge ram de se organizarem para tico pauloafonsino Hilson Henrique. Um grande evento que um intercâmbio entre as duas Costa que recentemente teve suas aquarelas expostas em faz justiça ao grande esforço Academias de Letras. Dentro da programação do uma exposição em Paris, na do também cordelista JorDia da Poesia no Boteco, ge Henrique para a preservação dos houve a apresentação do valores culturais de Chá de Poesia, consagraPaulo Afonso onde do evento cultural periódico criado e apresentado desenvolve há anos um projeto de criapelo cordelista Rogério ção de pontos de Xavier e a apresentação leitura na zona rural especial dos poetas e escritores Antônio Barreto de Paulo Afonso e em outros municíe Anchieta Dali e muitos poetas pauloafonsinos. Antônio Galdino, Alcilvandes Santana e João de Sousa Lima, da ALPA pios baianos.


6 A

Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

Paulo Afonso, oásis sertanejo, linda ilha, cidade de tantas belezas, das tantas águas do rio São Francisco teve, no dia mundial da água, um triste e preocupante cenário em todos os lagos que a rodeiam. Em todos os lugares para onde se olhavam só se viam baronesas. E chegando mais. Tristes imagens... Até quando? Foram as grandes e muitas águas do rio São Francisco, despencando de mais de 80 metros na majestosa Cachoeira de Paulo Afonso que motivaram o Imperador D. Pedro II a sair da corte, no Rio de Janeiro, para conhecer espetáculo. Em 20 de Outubro de 1859. Anos depois, embora a conhecesse apenas por relatos de outros, o poeta Castro Alves escreveu um grande poema que deu nome a um livro – A Cachoeira de Paulo Afonso, publicado em 1876. No começo do século XX, em 1913, o cearense Delmiro Gouveia, por causa das muitas águas da Cachoeira de Paulo Afonso, construiu a Usina Angiquinho, com o sonho de iluminar o Nordeste. Para continuar aproveitando essas muitas águas, Apolônio Sales, Ministro da Agricultura de Getúlio Vargas, levou para o presidente os Decretos 8.031 e 8.032, que ele assinou em 3 de Outubro de 1945, criando a Chesf – Companhia Hidro Elétrica do São Francisco - cuja diretoria só foi empossada em 15 de Março de 1948, há 71 anos. E os milhares de trabalhadores da Chesf, os “cassacos”, cavaram túneis no meio dos paredões de granito e ali instalaram a primeira usina hidrelétrica de grande porte no Nordeste. Depois vieram outras e foram feitas muitas barragens e se formaram lagos gigantescos: Lago Delmiro Gouveia e o grandioso Lago de Moxotó.

Fotos: Antônnio Galdino

Semana Mundial da Água: o descaso com o rio São Francisco continua...Até quando?

Baronesas na Prainha de Paulo Afonso em 29/03/2019

Anos depois, em 1979, um grande canal de 6 quilômetros de extensão, com 150 metros de largura levou as águas do Lago Moxotó para outro grande lago, o da Usina Paulo Afonso 4 e a cidade de Paulo Afonso transformou-se na bela Ilha de Paulo Afonso. Nessa caminhada dos anos, as águas do grande rio São Francisco foram minguando a ponto de muitas das Usinas de Paulo Afonso e da região reduzirem drasticamente a sua geração de energia hidroelétrica. A majestosa Cachoeira de Paulo Afonso, secou. A última vez que ela foi um grande espetáculo foi nos anos de 2006 e 2007... Depois, apenas alguns pequenos ensaios porque ela poderá ressurgir se o rio São Francisco voltar à sua carga total, reduzida por projetos de irrigação e canais de transposição e agravada por tempos de poucas chuvas... Em 2006, quando fiz uma pós-graduação pela ADESG/ FABAC, a REVITALIZAÇÃO do rio São Francisco, ANTES da transposição, chegou a ser anunciada pelo governo federal em ações que envolviam 14 ministérios. Há 13 anos... Infelizmente, todas as muitas promessas e as muitas conversas de políticos e gestores de municípios, estados e do governo fede-

ral, nesses anos todos, não trouxeram o alento que os que moram nas margens desse rio grandioso têm pedido e esperado... E tem aumentado a cada ano a proliferação sem controle das baronesas, com prejuízos enormes para piscicultores e para o turismo, prejudicando até a captação e o abastecimento regular de água para milhares de moradores, merecendo um estudo muito sério e urgente e a solução imediata desse problema. A situação já bem complicada do rio São Francisco já muito assoreado, sem mata ciliar protetora, e recebendo esgotos in natura e muito lixo de mais de 500 localidades se agrava ainda mais com a chegada dos resíduos tóxicos das barragens de Brumadinho que já matam os peixes de suas águas nas terras mineiras. Nos dias 22 de Março, Dia Mundial da Água, e 23, visitei todos os lagos de Paulo Afonso e o que vi e fotografei é realmente muito triste. No lago Delmiro Gouveia, desde a Barragem de Moxotó e no entorno do Belvedere, tem uma quantidade de baronesas preocupante. O reservatório Delmiro Gouveia, o primeiro construído pela Chesf começou a ser cheio em Outubro de 1954. Tem a capacidade de acumular 26 milhões

de metros cúbicos de águas, vindas do lago Moxotó e abastece as Usinas Paulo Afonso 1, 2 e 3, que juntas têm a capacidade de gerar cerca de 1 milhão, 420 mil quilowatts de energia hidroelétrica. O Lago de Moxotó tem a capacidade de acumular 1 bilhão e 100 milhões de metros cúbicos da água que é distribuída para alimentar a Usina Apolônio Sales, com capacidade de gerar 400 mil quilowatts de energia hidro elétrica e pelo Canal da Usina Paulo Afonso 4, forma o lago da Usina Paulo Afonso 4, com 125 milhões de metros cúbicos de água que alimentam a Usina Paulo Afonso 4, a maior de Paulo Afonso, com capacidade de geração de 2 milhões, 462 mil quilowatts de energia hidro elétrica. Ao chegarem ao lago Paulo Afonso 4, as baronesas vão se acumulando na Prainha de Paulo Afonso e são tantas que até já romperam a barragem de contenção construída pela Prefeitura e fez com que o Ministério Público interditasse o uso de suas águas para banho. Ali funcionam grandes restaurantes e muitos bares e é um ponto turístico muito visitado. No antigo Acampamento Chesf, hoje Bairro Chesf, na gestão do Engenheiro Amaury Menezes, nos idos da década de 1960, foram construídos cerca de 20 pequenos lagos com o

Baronesas no Lago Delmiro Gouveia - Belvedere

Colégio Sete comemora mais de 115 aprovações de alunos em vestibulares Os estudantes e egressos do Colégio Sete nos enchem de orgulho. Foram mais de 115 aprovações em vestibulares de universidades nacionais e estrangeiras, em mais de 40 cursos diferentes. Cada resultado muito comemorado pela instituição. No blog vibracaouniversitaria.blogspot.com contamos um pouco das histórias especiais e emocionantes. Relatos que trazem o significado que motiva a equipe do Colégio Sete: a realização pessoal. A exemplo de Tafna Moreira, aprovada em medicina na Univasf. Sobre a formação no Colégio Sete ela disse: “Houve sempre a preocupação de, acima de tudo, formar pessoas, cidadãos e não apenas máquinas de um sistema de estudo e trabalho. Não consigo enumerar as contribuições do Colégio Sete em minha vida, mas apenas dizer que ele faz parte de mim, do que eu sou hoje e sou muito grata por isso”.

E tantas outras histórias especiais como a de Rodrigo Carvalho aprovado em Ciências Políticas com Relações Internacionais na Universidade Beira Interior, de Portugal, ou a de Fabrício Alves, aprovado em Direito na Fasete. “Podemos dizer que um dos ingredientes do sucesso de nossos alunos e egressos é respeitar as especificidades de cada um, estimular ao máximo suas potencialidades e uma rotina de estudos que desafia nossos estudantes. E, é claro, uma equipe afinada com essa proposta”, destaca Ícaro Varjão, coordenador do Ensino Médio +. O Colégio Sete de Setembro parabeniza todos os aprovados pela conquista, nossa equipe estará aqui, sempre, torcendo por cada um e comemorando os avanços. #VibraçãoUniversitária

objetivo de melhorar o clima na grande área residencial da Chesf. Muitos se tornaram famosos como a Lagoa dos Patos, o Balneário, o Lago do Belvedere e Lago do CFPPA e o Lago do Touro e Sucuri, além de outros como o Lago da Escola Boa Ideia, o Lago do Hospital, o Lago da Vila Militar. Quase todos da área da Chesf estão tomados por plantas aquáticas. Outros como o da Vila Militar, do Centenário, estão também invadidos por plantas e por esgotos. Todos esses lagos, a partir da gestão do prefeito Paulo de Deus, passaram a ser administrados pela Prefeitura que centralizou os investimentos no Lago do Touro e Sucuri onde foi montada uma estrutura de lazer, com pedalinhos, e no Balneário, ao seu lado onde realiza um grande projeto turístico. Mas, também o Lago do Touro apesar do esforço da Prefeitura está cheio de baronesas que vêm sendo tiradas com um trabalho sempre repetido. O que se vê hoje é o resultado de muitas promessas nunca cumpridas de muitos governos para um real e definitivo processo de revitalização do rio São Francisco, e têm sido tantas as enganações que fizeram surgir nos moradores milhares de “são tomés”, que desejam ver para poder acreditar.

E estamos falando do rio São Francisco, o único rio totalmente brasileiro, de uma importância crucial para a manutenção da vida de milhões de pessoas e onde estão grandes projetos de irrigação, as usinas hidrelétricas responsáveis pelo abastecimento hidro energético do Nordeste, onde aflora o turismo e o desenvolvimento regional. O rio São Francisco, de multiuso e de tão pouca atenção, é o grande responsável pela vida de milhões de pessoas. Não há como não perguntar: Nós elegemos os políticos de toda a região ribeirinha do rio São Francisco para que mesmo? Que venham urgentes as soluções definitivas para que se possa ainda evitar a morte anunciada há anos do nosso rio São Francisco, antes que, como hoje se faz com o rio Paraopeba, se tenha de chorar muito, pela morte desse nosso tão amado “rio da unidade nacional”. Mais uma vez precisamos lembrar da luta de José Theodomiro de Araújo, conhecido como O Velho do Rio, que nasceu em Afrânio, um distrito de Petrolina/PE em 18 de abril de 1937, foi um aguerrido defensor do rio São Francisco durante décadas. Em 18 de Março de 1998 recebeu o título de Cidadão Baiano e faleceu em 2003. Em uma de suas muitas defesas do rio São Francisco ele disse: “Está enfraquecido o Velho Chico, e agoniza, jurado de morte que foi pela ganância e inconsciência dos seus próprios filhos. E quando ele morrer, no lugar onde hoje é a cachoeira Casca d’Anta, nós, que o amamos, faremos fixar no paredão da serra o epitáfio: 'Por aqui passou um rio que foi destruído por um povo que usou a inteligência para praticar a burrice'.” Se o rio São Francisco morrer, todo o choro será em vão... (Professor Antônio Galdino da Silva)

LEGO Education é a novidade na Educação Infantil do Colégio Sete Os pequenos estudantes da Educação Infantil do Colégio Sete de Setembro passaram a contar com a LEGO Education como a mais nova ferramenta de promoção do aprendizado. Essa solução da Positivo Tecnologia Educacional estimula as crianças a fazerem descobertas e invenções, desenvolvendo habilidades cognitivas e sociais, aprendendo a ser, a conviver e a fazer. Engana-se quem pensa que a LEGO limita-se a ser blocos coloridos de plástico de encaixar. Aliada com uma das principais tendências mundiais de educação, o STEAM, termo inglês que significa ciência, tec-

nologia, engenharia, artes e matemática, a LEGO Education é uma importante ferramenta tecnológica para as atividades de desenvolvimento educacional da primeira infância. Os conjuntos de kits do programa foram preparados por especialistas para promover, através de atividades no formato faça você mesmo, a aprendizagem significativa, incluindo habilidades que envolvem Experiência divertida, Desenvolvimento da imaginação, Engajamento, envolvimento ativo e foco, entre outras. Colégio Sete Setembro A melhor educação para grandes oportunidades!


Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

Primeira menina nascida no Dia Internacional da Mulher é homenageada pelo Centro de Referência da Mulher No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso fez uma homenagem ao primeiro bebê do sexo feminino nascido nessa data, no Hospital Nair Alves de Souza. Kauany Gabriela, filha de Kelly Alves da Silva Oliveira, residente na Rua Planalto, 1561, BTN III, nasceu nas primeiras horas da sexta-feira (8), pesando 3.130Kg e medindo 47 cm. A entrega de um kit do bebê e um kit de higiene para a mãe foi feita pela psicóloga do Centro de Referência da Mulher Eudócia Antunes de Assis, Roseane Nunes de Lima. O Centro de Referência da Mulher Eudócia Antunes de Assis foi inaugurado pela Prefeitura em agosto de 2010, tendo como objetivo a prevenção e o enfrentamento à violência contra a mulher, funcionando como porta de entrada especializada para atender à mulher em situação de risco na rede de atendimento. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Social, coordenadora do programa, desde sua entrada em funciona-

Representantes de Paulo Afonso participam de encontro da Fundação Itau Social em São Paulo Nos dias 28 e 29 de março, representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Paulo Afonso participaram do Encontro dos CMDCAs realizado em São Paulo. O evento, promovido pela Fundação Itaú Social, reuniu representantes de 50 municípios que receberam apoio no Edital FIA 2018, com o objetivo de fortalecer os CMDCAs e proporcionar troca de experiências entre os conselheiros. Representando o município de Paulo Afonso, participaram do encontro a presidente, Járlita Valéria e a secretária executiva, Aline Franchini.

mento, o CRM já cadastrou 1.412 mulheres. No mês de fevereiro de 2019 foram registrados 57 atendimentos, nas áreas de assistência social, psicologia e jurídica. Localizado na Avenida Antônio Carlos Magalhães, S/N, Bairro BNH, o CRM é composto por coordenadora, assistente social, psicóloga, recepcionista, motorista e funcionária de apoio. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (75)-3281-1828. (ASCOM/PMPA)

A7

O Itaú Social desenvolve diversas ações para fortalecer a atuação dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente. A avaliação de projetos sociais e políticas públicas é um tema que, cada vez mais, ganha destaque na busca de aprimoramento das ações e dos investimentos sociais. (Ascom/PMPA)

Fasete 17 anos: Transformando através do conhecimento

A Faculdade Sete de Setembro-Fasete comemora 17 anos de história no dia 1° de abril. Uma jornada que proporcionou a realização de sonhos e mais qualificação profissional. Uma formação que permite aos seus egressos competência para concorrer a vagas em qualquer lugar do país, e, mesmo no exterior. Neste período, mais de 3 mil alunos passaram por nossa instituição e já se graduaram em um dos dez cursos já ofertados, incluindo o curso de Turismo que fez parte do seu portfólio. Tudo isso foi possível graças à visão do saudoso professor Gilberto Gomes de Oliveira (1927-2013), fundador da instituição, que viu a necessidade de oferecer uma opção na oferta de cursos superiores, visto que muitos jo-

vens precisavam mudar para outros municípios ou capitais para estudar. Seu pensamento inspira educadores e profissionais até hoje, quando dizia: “O educador só se realiza na realização dos seus educandos”. A instituição atualmente é dirigida por Sérgio Oliveira, diretor administrativo-financeiro, e Jacson Oliveira, diretor acadêmico, filhos do professor Gilberto, que continuam firmes em seu compromisso de oferecer a melhor formação universitária possível e também trabalham na expansão da instituição.

Novidades

Entre as novidades que a diretoria está trabalhando consta a implantação do curso de Odontologia, com o objetivo de lançar ainda em 2019. E

a criação do seu próprio sistema EaD (Educação a Distância). E tem dado passos importantes para a transição de faculdade para Centro

Universitário. Essa mudança significa a chegada de mais cursos o que vai atender a demanda crescente por novas carreiras na região.

A Faculdade Sete de Setembro se orgulha de sua história, feita com competência, dedicação e empenho. Estamos felizes em com-

partilhar com a comunidade acadêmica, colaboradores, professores, estudantes que contribuíram para a consolidação da marca FASETE.


8 A

Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

Jornal Folha Sertaneja é fonte de estudos para alunos do 9º ano da Escola Municipal Manoel Nascimento Neto “Conhecer para aprender: descobrindo a história do jornal Folha Sertaneja”

O maior presente que o jornal Folha Sertaneja poderia receber no seu aniversário veio dos estudantes do 9º ano, turmas A e B da Escola Municipal Manoel Nascimento Neto, do Bairro Tancredo Neves 3. Há anos temos acompanhado atividades desenvolvidas naquela escola onde a professora Lúcia Nascimento, responsável pela biblioteca da escola criou e desenvolve um projeto chamado Aventureiros da Leitura que incentiva os estudantes da Escola Manoel Nascimento a buscaram mais conhecimento através da leitura e da criação de poesias. Alguns alunos têm se destacado e têm participado de atividades culturais na cidade. Já estiveram na III Bienal do Livro, realizada pela Academia de Letras de Paulo Afonso e tem participado regularmente do projeto Chá de Poesia, criado pelo poeta Rogério Xavier e apresentado semanalmente no Espaço Cultural Raso da Catarina e também na versão para rádio, no Chá de Poesia nas Ondas do Rádio na Paulo Afonso FM 104,9, no Bairro Tancredo Neves, todas as sextas feiras, das 10 horas ao meio dia. No mês de Fevereiro a Professora Jedalva Maria da Silva Almeida de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, com Pós-graduação nessa área resolveu desenvolver com os alunos das turmas do 9º ano da Escola Municipal Manoel Nascimento Neto in-

Professores Galdino, Jovelina, Gedalva e Lúcia e diretora Luciana com alunos da Escola Municipal Manoel Nascimento Neto

tensa atividade de pesquisa nessa disciplina tendo como base o jornal Folha Sertaneja. E para isso buscou o apoio da professora Lúcia Nascimento e contaram com o apoio da diretora da Escola, Professora Luciana Silva Santos. Além de pesquisar sobre notícias veiculadas no jornal Folha Sertaneja, as professoras associaram a esse trabalho o estudo da obra e da vida de alguns escritores de Paulo Afonso e escolheram, além do diretor do jornal, o professor e escritor Antônio Galdino da Silva, presidente da Academia de Letras de Paulo Afonso -ALPA, autor de seis livros e outro tanto de revistas históricas, a professora e poetisa Jovelina Ramalho, secretária da ALPA, autora de vários livros e cordéis, inclusive poesias sobre o jornal Folha Sertaneja e o escritor e historiador João de Sousa Lima, vice-presidente da ALPA.

A culminância e apresentação do resultado dessas atividades aconteceu no dia 29 de Março quando as duas turmas mostraram o que aprenderam. Alunos leram poesias de Jovelina Ramalho, outros, em uma gincana, organizada pelas professoras, respondiam a perguntas sorteadas sobre os escritores homenageados. De forma mais aprofundada equipes prepararam trabalhos baseados nas matérias publicadas no jornal Folha Sertaneja. Assim, os alunos Mayara Puça e Alisson falaram e mostraram a sua preocupação com a possibilidade do Fechamento do Hospital da Chesf, conteúdo da edição Nº 179 do jornal Folha Sertaneja. Outra equipe, representada pelos alunos Alisson e Ricardo Alves, discorreu sobre outra preocupação com a saúde da população com a falta de UTI em Paulo Afonso, onde moram mais de 120 mil habitantes.

José Raiandson e Cauã Damas foram os representantes de outra equipe que resolveu estudar o problema dos rejeitos das barragens de Brumadinho, tanto para a população e para o meio ambiente da região de Minas Gerais como a preocupação com a chegada desses rejeitos tóxicos nas águas do rio São Francisco. As alunas Aldiene, Vitória Luísa, Maria Luíza e Ingrid Medeiros, do 9º ano, turmas A e B trabalharam conjuntamente para falarem do escritor e historiador João de Sousa Lima que também escreve regularmente para o jornal Folha Sertaneja. A professora Jedalva Maria disse que “no início não tínhamos um título para esse trabalho de pesquisa mas, à medida que ele foi se desenvolvendo e vendo o entusiasmo dos estudantes decidimos chamar esse nosso projeto de “Conhecer para aprender: descobrindo a história do jornal Folha Sertaneja”.

Estavam presentes no encerramento dessa atividade os professores e escritores Antônio Galdino da Silva, diretor do jornal Folha Sertaneja e Jovelina Maria Ramalho da Silva, que também é professora da Escola Polivalente de Paulo Afonso. Em sua fala, Jovelina falou da “grande alegria que vocês, alunos da Escola Manoel Nascimento Neto nos proporcionaram nesta tarde. Eu vi grandeza nos gestos e atitudes de cada um de vocês, meninos e meninas humildes mas enormes e amantes da leitura. Cada um de vocês, valorize muito o lugar onde vocês nasceram. Vocês são grandes e essa demonstração do interesse pela leitura os torna ainda maiores. Quem lê muito, se comunica muito melhor, consegue ser melhor entendido. Lembrem-se sempre que, na prova do ENEM a redação corresponde a 50 por cento, a metade do valor da avaliação. Muito obrigado a cada um de vocês. Contem comigo, sempre. Um beijo no coração de cada um”. O professor Galdino, muito emocionado, agradeceu às professoras Jedalva e Lúcia, responsáveis por esse projeto de homenagem ao jornal Folha Sertaneja e à diretora da Escola Manoel Nascimento Neto, Professora Luciana mas sobretudo, dirigiu-se aos alunos a quem disse: “Nos 15 anos de vida do jornal Folha Sertaneja, este jornal nem esse velho diretor nunca rece-

bemos um presente tão valioso quanto este que vocês nos proporcionaram nesta tarde, resultado pleno de todo um longo período de pesquisa, de estudos sobre a história desse jornal e sobre a vida de cada um de nós, escritores, poetas, professores. Eu agradeço muito a cada um de você. Que cada um se sinta abraçado e muito amado por esse gesto que parece tão simples, tão pequeno, mas que, para mim tem um valor muito grande. Sonhem alto como o vôo das águias e sejam determinados na busca do sonho de vocês. Vão aparecer dificuldades, serão muitas lutas até a vitória mas, cada um de vocês, vai ter o seu tempo de vitória. Pode até demorar, mas a vitória virá, no tempo de Deus. Sejam felizes, continuem descobrindo cada dia mais o prazer da leitura. Monteiro Lobato, escritor consagrado disse certa vez: “Quem escreve um livro cria um castelo, quem o lê, mora nele”. Que Deus abençoe cada um de vocês! E muito obrigado por essa linda homenagem que vocês fizeram a todos nós.”

Fotos: Antônio Galdino e aluno Alisson

Professores Galdino, Jovelina, Gedalva e Lúcia e diretora Luciana com alunos da Escola Municipal Manoel Nascimento Neto

Profa. Jedalva Almeida

Profa. Lúcia Nascimento

Alisson e Ricardo Alves

Professores e alunos

Alunas Aldiene, Vitória Luísa, Maria Luíza e Ingrid Medeiros

Alunos Mayara Puça e Alisson

José Raiandson e Cauã Damas


Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

O músico Raffael di Oliveira acredita no cinema e faz o filme O Cavaleiro das estrelas

O músico Raffael di Oliveira, violonista e guitarrista, professor do projeto Arte em Cena, mantido pelo Departamento de Cultura da Prefeitura também vive o sonho da chamada sétima arte, o cinema. Trabalhando ao lado de Duda Rodrigues e João Bosco, no Espaço Cultural Raso da Catarina, Raffael teve a ideia de produzir, sem nenhum recurso especial, um curta metragem filmado em Paulo Afonso com câmeras simples e até celular para dar vida a um sonho. Nasceu O Cavaleiro das Estrelas e coube a ele

também a responsabilidade de, além de atuar no filme, ser também o criador de sua trilha sonora, lançada em CD. A ideia lançada, nasceu o curta metragem que era o propósito inicial dos que experimentavam fazer cinema. O humorista João Bosco que já teve algumas participações na novela Velho Chico, da Rede Globo e também no filme Duas irmãs, ficou com a direção do projeto, ajudado pelo próprio Rafael Aí, apareceu Giusepe Augusto que viu que a história, cujo personagem se envolve com seres extraterrestes, daria um bom longa metragem e cuidou de escrever o roteiro e fazer a edição dos vídeos. Concluída a experiência onde todo mundo praticamente fazia de tudo, promoveu-se a pré-estreia do filme em uma sessão especial realizada no dia 1º de Setembro de 2018, na Escola Municipal Vereador João Bosco Ribeiro, somente para os atores que participaram desta produção e alguns poucos convidados. A expectativa de todos era grande, conta Raffael, mas o resultado agradou e resolveu-se fazer a estreia, aberta ao público. Ela aconteceu em

duas sessões nos dias 10 e 11 de Outubro na Casa da Cultura de Paulo Afonso, com o apoio do seu diretor, o historiador e escritor João de Sousa Lima. O ingresso foi um quilo de alimento não perecível e esses alimentos foram doados à ONG Anjo Negro. Raffael está satisfeito com a iniciativa e espera apoio público e de empresários da cidade tanto para difundir esse projeto como para a criação de outros. Enquanto isso os organizadores de O Cavaleiro das Estrelas se preparam para em breve começar a exibir o filme, em forma de série, nas redes sociais como o Facebook e Youtube. Os amantes de cinema lamentam que Paulo Afonso, que já teve 6 cinemas e hoje não tem nenhum. Até se falou muito que o Shopping, que nunca saiu do projeto, teria duas salas de cinema.

Os antigos cinemas de Paulo Afonso foram: Dois, na Chesf – o do CPA e o do COPA; Dois na Avenida Getúlio Vargas - Cine Palace (que já se chamou Cine Paulo Afonso e Cine Tupi) e o Cine São Francisco; Um na Praça Libanesa (Cine Coliseu) e um na Avenida Delmiro Gouveia, no BTN (Cine Regina). Algumas experiências já aconteceram nessa área de produção de cinema em Paulo Afonso, como uma iniciativa de Murilo Brito há muitos anos e outra de João de Sousa Lima há alguns anos. Esse projeto de Raffael di Oliveira reabre a expetativa de que aparecem novos apoios e esse núcleo cultural traga bons resultados para a região que tem si cenário de muitas produções de filmes e de novelas do Brasil.

A9

Comunidade do Bairro Oliveira Brito é beneficiada com ações do governo municipal

A Prefeitura de Paulo Afonso, através da Secretaria de Infraestrutura, segue contemplando diversas comunidades com a pavimentação em paralelepípedos. As obras estão sendo realizada no bairro Oliveira Brito (Moxotó), nas ruas da Subastação, Natalidade e travessas. As localidades recebem a implantação da pavimentação em toda sua extensão. Ao todo são 7.157 metros quadrados. O objetivo é proporcionar qualidades de vida aos moradores da localidade e contribuir com a mobilidade urbana. O secretário Wilson Pereira Filho destaca que "a obra está dentro do plano de governo e outras ruas serão pavimentadas em paralelepípedos e asfalto". Além das ações estruturais no Oliveira Brito, o governo

realizou a reforma da Unidade de Saúde da Família Juraci Santos, responsável pelo atendimento da população da localidade e do entorno. Os profissionais e pacientes têm mais comodidade com salas de recepção, reunião, enfermagem, vacina, triagem, farmácia e outros procedimentos. Os investimentos giraram em torno de 200 mil reais. Outra obra que está em fase de conclusão é a reforma da Escola Guiomar Pereira, a unidade de ensino vai ganhar cinco novas salas, dois depósitos e construção de uma nova cozinha. O prédio está sendo adequado para receber sistema de climatização. A cantina está sendo reformulada, para garantir mais espaço e conforto. (ASCOM/PMPA)

Apolinário Domingos Neto, um sertanejo de 96 anos

Sr. Apolinário com o escritor Marcos Antônio e o livro de que é personagem

Apolinário Domingos Neto, nascido aos dezesseis de julho de 1922 no Distrito de Mariana, situada no sertão pernambucano, filho de Manoel Domingos da Silva e Maria Paulina de Jesus, imigrou para o Distrito de Santa Brígida – BA em meados de outubro de 1948. As poucas tralhas em que consistia toda a sua bagagem couberam no lombo de seu jumentinho “passageiro”. Caminhando lado a lado de sua jovem esposa Idalina, fizeram a pé, todo o percurso que separava Mariana em Pernambuco, do Distrito de Santa Brígida na Bahia, para tornar-se a pedra mor do Povoado Colônia de Santa Brígida – BA. Hoje, Apolinário é um nonagenário de 96 anos, tão forte quanto a aroeira, árvore símbolo da região que tantos homens destemidos pisaram.

O Jornal Folha Sertaneja publica alguns trechos da entrevista, que o escritor Marcos Antônio Lima fez com ele e que foram a base para o seu livro De Gameleira à Colônia, uma saga nordestina, que será lançado no final do mês de abril de 2019. Marcos – Seu Apolinário, nos conte um pouco de sua história, começando por sua chegada a Santa Brígida. Apolinário – Vixe que tem muito tempo, meu filho. Tudo isso aqui era só mato. Foi no ano de 1948, quando eu e minha esposa Idalina e nosso jumentinho “passageiro” fizemos todo o caminho de Mariana – PE até aqui andando a pé, e cá estamos. Naquele tempo a seca estava brava, o meu pai tinha sido o primeiro da família a vir pra esses lados. Ele tinha

acompanhado o beato Pedro Batista quando passou pelo Pernambuco, e como o meu pai já se encontrava por aqui, foi por isso que eu vim. Vim fugindo da seca. Marcos – Sabemos que o senhor é um dos principais fundadores do Povoado Colônia, juntamente com Sr. Manoel Bezerra, Dona Nóca e o próprio Curador Pedro Batista. No começo, quando a Colônia ainda era chamada de Gameleira, como foi que se deu o início de todo esse processo? Apolinário – Logo que cheguei fui trabalhar no Juazeirão, na plantação de mandioca. Ali, no Juazeirão se plantava muita mandioca para ser usada nas casas de farinha e dar de comer aos bichos. Depois, por eu ter um pouquinho mais de leitura que os outros, pois eram quase todos analfabetos, fui chamado pelo beato Pedro Batista para tomar de conta de uma fazenda que ele estava negociando com o Coronel João Sá. Depois de ouvir a proposta dele, que por sinal achei muito boa, acabei aceitando. Com isso, eu fui o primeiro colono a derrubar um pé de pau na Gameleira, depois vieram os outros. Era gente de todo tipo e de toda parte, que o beato Pedro Batista deixou sob o meu comando. Marcos – Então, quer dizer que o senhor foi o responsável pela divisão de lotes para os colonos, e também

arrecadava parte da produção para o pagamento da terra? Apolinário – Isso mesmo meu rapaz. Não caía uma folha na Gameleira sem que eu soubesse. Eu tomava conta e dava conta da divisão dos lotes para as famílias de posseiros, arrecadava a paga da terra de cada um deles e levava ao Curador Pedro Batista, era ele quem levava toda aquela dinheirama para o Coronel João Sá. E desse jeito, a custo de muito trabalho e suor derramado, nós conseguimos pagar a terra, e ainda comprar um caminhão Alfa Romeo. Essa mesma terra que você vê ai hoje, há muitos anos atrás eu disse para o beato que a terra com a terra se paga, e ele perguntou como, eu disse: plantando e colhendo. Naqueles tempos, nós plantávamos muita mamona, algodão, e quando o ano era bom, os caminhões saiam abarrotados de tanta mercadoria, era uma festança que dava gosto de se ver.

Marcos – O senhor também trabalhou no INCRA, não foi? Apolinário – Sim, fui funcionário do INCRA e trabalhei muitos anos, até me aposentar. Quando o Dr. Portela chegou por essas bandas, ainda na década de sessenta, ele logo me procurou atendendo ao pedido do beato Pedro Batista, e dali em diante comecei o meu trabalho na Superintendência de Reforma Agrária (SUPRA) que depois mudou de nome e foi chamado de INIC (Instituto Nacional de Imigração e Colonização) e tantos outros até ser fundado o INCRA, em 1970, onde trabalhei como funcionário Administrativo Nível 5. Marcos – Hoje, no auge de seus 96 anos bem vividos e quão forte quanto a rocha, gostaria de saber do senhor, qual o seu segredo para uma vida tão longa e saudável. Apolinário – Já não sou tão forte assim, a memória não é mais a mesma, mas, se tem uma coisa que eu tenho

Sr. Apolinário, ao lado da esposa Idalina, sendo entrevistado pelo escritor Marcos Antônio

observado ao longo desses anos todos, é que servir ao Senhor nosso Deus, com toda a força, com toda a fé, sempre amando ao próximo, respeitando pai e mãe, isso muito tem contribuído para que os meus dias aqui na terra tenha-se prolongados. Segundo, é aquilo que se come. Eu mesmo fui criado à base de leite de cabra, e só comia o que plantava. Era comida da boa sem esse tal de agrotóxico que anda adoecendo e matando o povo. Sei que já vivi muito, hoje só estou aguardado o chamado, isso será na hora que o Pai desejar, a mim só resta esperar... Entrevista concedida ao escritor Marcos Antônio Lima. Nota da Redação do jornal Folha Sertaneja: Apolinário Domingos Neto terá a sua trajetória de vida contada através do romance regional: De Gameleira à Colônia, uma saga nordestina, de autoria do escritor, poeta e Imortal da Academia de Letras de Paulo Afonso, Marcos Antônio Lima. A obra contém 277 páginas, dividida em sete capítulos, que retratam amiúde, histórias relacionadas à reforma agrária, cultura religiosa, e perseverança sertaneja. O livro será lançado no próximo dia 27 de abril, às 15h30min horas no Clube do Povoado Colônia, no município de Santa Brígida – BA.


10 A

Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

1ª Cia. de Infantaria reúne veículos 1ª Companhia de Infantaria realizou da Imprensa de Paulo Afonso e Região a 14ª edição da Corrida da Paz A 1ª Companhia de Infantaria realizou em 10 de março do corrente ano, a 14ª edição da Corrida da Paz. Participaram da atividade militares do 20º BPM - BA, 15ª GBM BA, atletas do grupo Bando de Irmãos, representantes da Associação dos Guerreiros Antigos, civis da sociedade Paulafonsina e familiares de militares. Com um percurso de 3 Km, a concentração e largada se deu na frente do Ginásio Luiz Eduardo Magalhães tendo como chegada o Parque Belvedere, um Cartão Postal de Paulo Afonso, onde os participantes tiveram à disposição muita água e frutas para recuperação pós corrida. A Corrida para a Paz é uma jornada esportiva (corrida ou caminhada), sem fins competitivos, com a intenção de promover a prática esportiva no âmbito das Forças Armadas e

para apresentar calendário de atividades

da comunidade em geral, para contribuir com a paz mundial. Neste ano, a intenção foi ultrapassar a marca de participantes ao redor do mundo. O Brasil tem alcançado o primeiro lugar no ranking das nações participantes. O evento é realizado na data de criação do Conselho Internacional do Desporto Militar - CISM que completa 71 anos em 2019. O CISM foi criado em 1948, logo após o término da Segunda Guer-

ra Mundial, para promover o congraçamento entre as nações por meio do esporte, sempre sob o lema "Amizade através do esporte". Com mais esta ação a 1ª Companhia de Infantaria reafirma o seu compromisso com a sociedade Pauloafonsina, da qual faz parte contribuindo para divulgação do esporte e o fortalecimento da imagem do Exército Brasileiro em Paulo Afonso e Região. (COMSOC1CIAINF)

1ª Companhia de Infantaria realiza Formatura de Incorporação dos novos soldados do Exército Brasileiro

Foi realizada na 1ª Companhia de Infantaria, no dia 1º de março do corrente ano, com a presença de familiares, autoridades civis e militares, a formatura de Incorporação do efetivo dos novos soldados de 2019. A primeira parte da solenidade teve início com a abertura do portão principal da 1ª Companhia de Infantaria, pelo Tenente Coronel de Infantaria Marcos Rogerio

CARDOSO da Silva, Comandante da 1ª Cia Inf, acompanhado pelo soldado mais novo a ser incorporado nas fileiras do Exército, na guarnição de PAULO AFONSO/BA, sob os olhares atentos dos presentes, fizeram a entrada simbólica no aquartelamento e nas fileiras do Exército. A segunda parte da solenidade ocorreu já dentro do pátio de formatura, agora, como novos integrantes da família

militar da Guardiã da Energia do Nordeste, vestindo uniforme militar, onde ouviram a Ordem do Dia do Comandante do Exército, General de Exército Edson Leal Pujol. Ao final da solenidade, a tropa desfilou em continência ao Comandante da 1ª Cia Inf, TC CARDOSO, assistido por dezenas de familiares e amigos que lotaram a dependência militar. No auditório da organização militar, o Ten Cel Cardoso reuniu-se com os familiares dos novos conscritos para uma palestra. O tema foi a importância do serviço militar junto as fileiras militares para servir à Pátria. Nessa reunião com os pais, o Comandante enalteceu a importância do trabalho conjunto entre a família do recruta e o Exército Brasileiro. (COMSOC1CIAINF)

Seguindo o calendário de reuniões com as organizações locais, O Comandante da 1ª Companhia de Infantaria, Tenente Coronel Cardoso convidou os órgãos de Imprensa e Formadores de Opinião de Paulo Afonso-BA e da região para uma reunião nas instalações da Companhia para retomar os contatos com esse segmento e falar das atividades já realizadas e programadas para o ano de 2019 sob a responsabilidade desta unidade do Exército brasileiro. O evento aconteceu no dia 28 de março e contou com a presença do Professor Antônio Galdino (Folha Sertaneja), Chicó (Portal PA), Heverton Santos e Márcio Aragão (Web TV Velho Chico), Renaldo Carvalho (panoticias.com.br), Helinho Ventura e Pastor Arnaldo (Rádio Angiquinho), Ivone Gonçalves (Site-Painel) e Tiago Santos (Rádio Betel FM/Chico Sabe Tudo). O TC Cardoso explanou sobre as diretrizes de comunicação social do Exército, reafirmando a parceria que a

1ª Cia Inf tem com os organismos de imprensa local. Além da retrospectiva das realizações dos primeiros meses deste ano, foi divulgado o Calendário de Atividades para o ano de 2019, onde foi enfatizado o convite para a imprensa local fazer a cobertura jornalística e fotográfica das principais atividades militares a serem desenvolvidas pela 1ª Cia Inf, e são muitas, no corrente ano. Foi também apresentado o Caderno de Metas de Comunicação Social do Exército para o ano de 2019. Este Caderno é uma iniciativa inédita realiza-

da pelo Exercito, criado com base em pesquisas realizadas por empresas contratadas para identificar o conhecimento e a percepção que a sociedade brasileira tem sobre a “Imagem do Exército”. Nesta publicação, foram selecionados os 10 temas mais relevantes para a Força, que relacionam o Exército com a sociedade. E, a partir de cada tema foram criadas 3 Metas de Comunicação Social para a uniformização das ações de Com Soc no âmbito da Força Terrestre. Fonte: Ascom/1ª Cia de Infantaria-Exercito Brasileiro

Vitória leva o título do Campeonato Cachoeira edição 2019

Com público recorde, famílias pauloafonsinas prestigiaram as finais do Campeonato Cachoeira, com jogos que aconteceram no último sábado (30), no Estádio Álvaro de Carvalho. A bola rolou às 16h, com as decisões das categorias de base e, durante os intervalos das partidas, artistas da terra animaram o público com intervenções musicais. O certame é promovido pela Liga Desportiva de Paulo Afonso (LDPA), com apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Cultura e Esporte. Para o ex-atleta Paulo Pemba, morador do bairro Moxotó a competição marcou a retomada do esporte local. “O futebol pauloafonsino vai evoluir mais e mais, me sinto orgulhoso de ver os torcedores presentes no campo novamente”, falou.

A equipe do Vitória ficou com o título na categoria aberto, depois de empatar no tempo normal, por 1 x 1 com o Redenção, e vencer a disputa nos pênaltis. Segundo José Nivaldo (Raposão), presidente da LDPA, o que marcou a competição foi o bom nível téc-

nico dos times e o investimento nas divisões de base. “O que prevaleceu foi o bom futebol ao longo desses três meses de campeonato”, destacou. Confira os campeões em suas respectivas categorias: Sub - 18 - São José Sub -15 - Projeto Esporte Educar Sub -13 - Projeto Esporte Educar, Sub -11- Novos Talentos. Já no Campeonato do BTN, foram definidas as equipes que vão disputar a final no próximo domingo, 7 de abril, às 15h, no Estádio do Mutirão, BTN III. Cruzeiro da PA IV e a Equipe do Mutirão decidem a competição. (Ascom/PMPA)


Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

A engenharia elétrica do Brasil perdeu um dos seus mais competentes profissionais que durante grande parte de sua vida atuou em Paulo Afonso onde consolidou grandes amizades e onde exerceu o cargo de chefe da Gerência Regional de Operação da Chesf por mais de 8 anos, de 13 de Maio de 2003 a 30 de Novembro de 2011. Era o último dia de carnaval, 5 de março de 2019 e, justamente para fugir do agito da folia, Carlos Fernando estava descansando na casa dos sogros na cidade pernambucana de São Vicente Ferrer, distante 112 km de Recife (PE) quando um infarto fulminante levou sua vida.

Nas redes sociais a notícia se espalhou rapidamente e centenas de mensagens falavam da grande perda do amigo, do colega de trabalho, do grande profissional Carlos Fernando, chamado por muitos de Carlinhos. Geraldo Leite lembrou das muitas viagens que fizeram juntos para Xingó, para Sobradinho. Marileide Brasil, que atuava na área de Recursos Humanos e na APA, afirma: “Tive a honra de prezar da amizade de Carlos Fernando e com ele obter muitas sábias lições”. Dernival Oliveira, ex-presidente da Câmara, companheiro de Carlinhos do Casquetinho, disse: “Perdi um grande amigo!”

A11

Carlos Fernando, ex-gerente da GRP, morre aos 56 anos

Outro que lamentou muito a morte de Carlos Fernando, “ainda tão jovem, tão cheio de sonhos” foi o seu grande amigo Flávio Motta, também ex-gerente da GRP. Eles tiveram, por muitos anos, em convivência diária e foram responsáveis pela administração de todo o sistema hidroelétrico da Chesf do complexo de Paulo Afonso, que inclui todas as seis usinas de Paulo Afonso (incluindo a Usina Piloto) e ainda as usinas Luiz Gonzaga e de Xingó, que têm a capacidade de geração de mais de 85% de toda a energia hidroelétrica da Chesf e as linhas de transmissão e subestações da região.

A Gerência de Operação da Chesf em Paulo Afonso criou uma galeria dos seus antigos gerentes. Ali está o retrato de Carlos Fernando. E lembro que, quando Flávio Motta deixou o cargo de gerente, em uma solenidade para a colocação do seu retrato na galeria da GRP, o seu amigo Carlos Fernando que estava trabalhando no Recife, onde exercia importante cargo na hierarquia da Chesf, fez questão de mandar uma emotiva mensagem, por vídeo conferência para o amigo Flávio. Outro momento muito marcante que tive a felicidade de acompanhar foi quando se instalou em Paulo Afonso o Curso de Engenharia Elétrica no IFBA

- Instituto Federal da Bahia, em Paulo Afonso, onde funcionou, por 50 anos, o COLEPA. Carlos Fernando foi convidado para dar a Aula Magna de inauguração deste curso e, em vários momentos, foi tomado por forte emoção e emocionou a todos, autoridades, alunos e seus familiares e a diretoria do IFBA porque ele foi dos que lutaram para que este curso fosse realizado em Paulo Afonso. A morte prematura do tão querido Carlinhos, Carlos Fernando, entristeceu a todos nós pauloafonsinos que compartilhamos do seu convívio por muitos anos e, a sempre eufórica e entusiasmada terça-feira de carnaval, foi para os seus muitos amigos, uma

antecipação da quarta-feira de cinzas, chorosa e triste. Dele, certamente, os familiares e os muitos amigos, os colegas de trabalho, guardarão boas lembranças da sua convivência e as boas marcas de sua passagem, as boas sementes que deixou pelos caminhos por onde passou serão árvores frondosas no futuro, oferecendo sombra, flores e frutos para as novas gerações.

Periperi, morre aos 92 anos, no Recife

Paulo Afonso ficou de luto pelo falecimento de Amilton Ferreira Leal, bem conhecido entre os pauloafonsinos como Periperi, que tem uma linda história de amor com Paulo Afonso e com o futebol. Ele faleceu na tarde do sábado, 16 de Março, no Hospital Jaime da Fonte, no Recife onde já estava internado há vários dias. Foi velado no Ginásio de Esportes em Paulo Afonso para onde acorreram desportistas, seus muitos amigos e familiares e de onde saiu o seu corpo para o cemitério Padre Lourenço Tori, no domingo, 17 de março, às 16 horas, horário dos jogos no Estádio Ruberleno, hoje Álvaro de Carvalho, onde sempre foi figura de destaque.

Periperi tinha 92 anos e deixa um lindo legado de amor pelo esporte, de vida intensa em Paulo Afonso. Ele nasceu em Salvador mas há muito tempo que recebeu das mãos do vereador Pedro Macário Neto, hoje presidente da Câmara Municipal de Paulo Afonso, o título de Cidadão de Paulo Afonso aprovado pela unanimidade dos vereadores daquele Poder Legislativo. Depois de atuar em vários times, começando pelo Vitória da Bahia, por quem foi campeão baiano de 1953 e também pelo Fluminense de Feira de Santana e Botafogo do Rio de Janeiro, Periperi teve o momento áurea da sua carreira quando vestiu a camisa da Seleção Brasileira de Futebol em dois jogos realizados no Chile, contra a seleção chilena, fato narrado pelo repórter e radialista Antônio Carlos Zuca em uma entrevista que a Revista Mais Destaque fez com Periperi nas proximidades da Copa do Mundo de 2014. “Sua ida para a seleção acontece num momento espe-

cial para o Estado da Bahia. Na época era uma praxe no país existirem as seleções estaduais, Rio, São Paulo, Minas, Pernambuco, Bahia, entre outras. Em 1957 a CDB (Confederação Brasileira de Desportos) hoje CBF (Confederação Brasileira de Futebol) recebeu o convite para disputar a Taça Bernardo O’Higgins (o herói da independência do Chile) no Chile contra a Seleção Chilena em duas partidas em Santiago. Um ano antes da seleção brasileira ser campeã do mundo pela primeira vez. A então CBD resolveu mandar a seleção baiana para representar o Brasil na competição, e defendendo as cores do tricolor de Feira de Santana, Periperi foi convocado. Pronto! A Bahia governada por Antônio Balbino iria representar o Brasil.

Embora a Seleção Brasileira não tenha ganho estes jogos, Periperi foi destaque na imprensa chilena que o chamava de “pequeno elástico”, numa referência às defesas que fez como goleiro da seleção”. Desses tempos de andanças pelo futebol nacional, Periperi contava impagáveis histórias de suas vivências no esporte, sobre Garrinha, Nilton Santos e Pelé... Uma das grandes emoções de Periperi nos últimos anos foi conduzir a Tocha Olímpica pelas ruas de Paulo Afonso. Sobre essa alegria lembro de uma declaração de Periperi, quando homenageado pelos Correios em solenidade realizada no Auditório Edson Teixeira, com a presença do prefeito Anilton Bastos e dos que participaram da condução da Tocha Olímpica : “Quando eu recebi a tocha pensei: Vou andar bem devagar para que os 200 metros sejam uma eternidade. Irei mostrar com orgulho toda a minha alegria para os meus amigos e familiares com a Tocha Olímpica”. E assim fez. Nilson Brandão, que cobriu o esporte em Paulo Afonso

por dezenas de anos escreveu sobre Periperi em seu livro “Ecos do Futebol em Paulo Afonso e outros esportes – História e Memória” e lamentou muito que o grande desportista tenha partido antes do

lançamento do livro que será até Junho deste ano. Há mais de 59 anos que Periperi veio morar em Paulo Afonso e aqui chegou “a convite da Chesf para cuidar da Seleção de Paulo Afonso. Colaborou muito tempo para o desporto da cidade. Ingressou na empresa como escrevente, depois virou auxiliar de escritório, foi professor de educação física, auxiliar de enfermagem e se aposentou coordenando a equipe de mergulho da estatal. Nós, da Folha Sertaneja à dor de D. Valdir, dos filhos Valmir, Djalma, Jorge, Tânia e Aninha e de todos os familiares e amigos.

O comovente adeus a Edleuza (Beleza, Bebê)

Centenas de pessoas, familiares, amigos, ex-colegas do COLEPA, passaram pelo velório de Edileusa Nunes Rangel de Lima, conhecida pelos amigos como Beleza e Bebê, palavras carinhosas do convívio dos amigos e familiares.

Foi assim a sua despedida, no cemitério Padre Lourenço Tori em Paulo Afonso. No momento do sepultamento o esposo Paulo Rangel falou: “Bebê, companheira!”, “Bebê guerreira!” e todos respondiam: “Presente!” Ela faleceu, vencida por um câncer, em Salvador, no sába-

do dia 16. O seu corpo chegou a Paulo Afonso no domingo. Ainda na noite de domingo, Alcides Modesto, ex-deputado federal e ex-padre dos primeiros tempos da Diocese de Paulo Afonso, comoveu a todos com uma tocante cerimônia fúnebre no SAF. Ali, permaneceu em velório no SAF, até às 10 horas da manhã da segunda-feira, dia 18 de março quando o cortejo seguiu para o cemitério Padre Lourenço Tori, onde o seu corpo foi sepultado. O esposo, Deputado Estadual Paulo Rangel, os filhos e muitos amigos ali estavam neste último encontro, dentre eles o Deputado Federal Josias Gomes e outros amigos, deputados da bancada do PT da Assembléia Legislativa da Bahia.

Beleza foi funcionária da Chesf durante anos, atuando como como enfermeira no Hospital Nair Alves de Souza. Casada com Paulo Range, tem três filhos. Semana passada ela comemorou seus 62 anos ao lado dos familiares. No dia seguinte sentiu-se mal, chegou a ser conduzida ao hospital Aliança e ali permaneceu em tratamento mas não resistiu. Pelas redes sociais circularam centenas de mensagens de pesar, de tristeza, dos amigos e de palavras de conforto aos familiares. Dentre as centenas de mensagens destacamos esta nota de intenso pesar de Marileide Brasil, enviada do Recife para o jornal Folha Sertaneja.

Nota de pesar Recebi com profunda emoção a notícia da morte de Edileuza “Beleza” ou “Bebê”, como sempre foi chamada carinhosamente. Beleza, que chegou ao fim de uma longa e fecunda vida, deixou diversas marcas. Foi mulher atuante na busca da justiça social, sendo incansavelmente a fortaleza do Deputado Paulo Rangel, na sua trajetória política. Mãe amorosa, zelosa e dedicada aos seus três filhos. Firme e determinada, nunca perdeu o seu jeito carinhoso. Cultivava as amizades e se dedicava com afinco para receber bem a todos, com grande alegria. Amou incondicionalmente

aos filhos e ao Companheiro Paulo Rangel. Por eles se fez silêncio e doou a vida. A você, Beleza, meu respeito e admiração! Confio sua alma à Divina Bondade para que acolha no seio do Pai e descanse em paz. À família enlutada, o conforto da fé em Deus! Fraterno abraço a todos! “Se tentares viver de amor, perceberás que, aqui na terra, convém fazeres a tua parte. A outra, não sabes nunca se virá, e não é necessário que venha. Por vezes, ficarás desiludido, porém jamais perderás a coragem, se te convenceres de que, no amor, o que vale é amar...” Chiara Lubic. Marileide Luna Brasil e família


12 A

Paulo Afonso - BA • Edição de Março • Ano XV • Número 181

Projeto Escolas Culturais em Rodelas – 01 ano Por Valdomiro Nascimento

Fotos: Osvaldo Feliciano

Está completando 01 ano neste mês de abril que o Projeto Escolas Culturais foi implantado no Colégio Estadual Dulcina Cruz Lima, em Rodelas, tendo como Coordenador Cultural Valdomiro Nascimento. O Projeto Escolas Culturais é uma ação do Governo do Estado da Bahia, desenvolvida por meio da iniciativa interinstitucional firmada entre as Secretarias da Educação (SEC), Secretaria de Cultura (SECULT) e Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDRDS) com a participação na gestão do Instituto de Ação Social Pela Música – IASPM. Na Coordenação Executiva Lílian Mendes – Mestre em Desenvolvimento Territorial. Estão sendo desenvolvidas atividades culturais, para a descoberta de novas iniciativas culturais, visando melhorar a qualidade de vida dos alunos e de toda a Comunidade. O Projeto foi ampliado por mais 05 (cinco) meses, onde novas Ações serão realizadas, para a alegria dos Alunos e todos que fazem parte do Colégio Dulcina Cruz Lima, nesta fase de reconstrução pelo Governo da Bahia. No registro de fotos, momentos marcantes deste importante Projeto.

Profile for Jornal Folha Sertaneja

Jornal Folha Sertaneja  

Jornal Folha Sertaneja Edição de Março 2019.

Jornal Folha Sertaneja  

Jornal Folha Sertaneja Edição de Março 2019.

Advertisement