Page 1

Região Metropolitana de Joinville | Ano 4 - Nº 106 | 17 de Maio de 2018

Educação Professora de Joinville novamente entre as melhores do Brasil PÁGINA 2

Política

Projeto Toninhas é contra a instalação do Terminal Divulgação

Prefeitura de Araquari emite nota de esclarecimento sobre o pedido do MP PÁG INA 5

Ponto de Vista

Colunista escreve sobre o despertar do legislativo francisquense PÁG INA 6

Pausa para o Café Confira a charge as notícias dos bastidores da política regional PÁG INA 7

M c r d s

8

C a s o e s t e e m p r e e n d i m e n t o s e j a i n s t a l a d o, e x i s t e u m r i s c o m u i t o elevado de extinção da população de toninhas da Babitonga PÁGINAS 4


EDUCAÇÃO 2

17/05/2018

Alunos de vôlei assistem ao Circuito Mundial em Itapema

FONE: (47) 3447-7757 E-MAIL: Sinearaquari@gmail.com

Confira as vagas de emprego divulgadas nesta semana O Sistema Nacional de Empregos de Araquari (Sine) que está vinculado a Secretaria de Desenvolvimento, divulgou nesta semana, 40 vagas de emprego. Para se candidatar a uma dessas vagas é preciso comparecer ao Sine, que fica ao lado da Prefeitura, das 8h às 12h e das 13h às 17h, com RG, CPF e Carteira de Trabalho. CVA

Confira as vagas: Serviços gerais – 1 vaga Auxiliar de produção – 2 vagas Motorista (D)- 1 vaga Operador de máquina de prensa – 1 vaga Pintor industrial – 1 vaga Eletricista – 1 vaga Costureira – 2 vagas Bordador (a)- 1 vaga Operador de torno CNC – 2 vagas Operador de máquina (macharia) – 1 vaga Programador de máquina CNC – 1 vaga Operador de acabamento – 1 vaga Operador de empilhadeira – 1 vaga Analista Comercial – 1 vaga Técnico de segurança do trabalho – 1 vaga Modelador de madeira – 1 vaga Auxiliar administrativo – 2 vagas Fresador – 1 vaga Assistente de vendas – 1 vaga Operador de máquina II – 1 vaga Fresador convencional II – 1 vaga Torneiro convencional – 1 vaga Ajustador Ferramenteiro II – 1 vaga Torneiro CNC – 1 vaga Assistente pré-vendas – 3 vagas Assistente de logística – 1 vaga Vendedor – 1 vaga Motorista (C ou D) – 1 vaga Expedidor - 1 vaga Auxiliar de serviços gerais - 1 vaga Operador de máquina - 1 vaga Motorista de coletas e entregas (categoria D ou E) - 1 vaga Soldador - 1 vaga Mecânico Industrial - 1 vaga

A

proximadamente 30 alunos que fazem parte do Projeto Araquari Campeã, onde recebem aulas gratuitas de vôlei, pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer estiveram em Itapema, assistindo a etapa brasileira do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. “Eles estavam muito empolgados por poder ver de perto os melhores atletas do mundo da modalidade

esportiva. Foi sem dúvida, uma ótima experiência para nossos alunos”, diz o professor de vôlei Alessandro Hreisemnou de Oliveira. A competição começou hoje e segue até domingo, na Meia Praia. A entrada era gratuita e o transporte dos alunos foi realizado pela Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer. De acordo com o professor, presenciar os atletas em quadra vai ajudar os alunos também no

desenvolvimento técnico e prático do esporte. “Postura, movimentos, estratégia de jogo, tudo isso eles puderam observar”. PMA

Professora de Joinville ganha destaque em publicação do MEC A professora Mariana Coral, premiada com o título Professores do Brasil em 2015, voltou a ser destaque nacional. O projeto desenvolvido por ela agora faz parte do livro histórico do Ministério da Educação (MEC) das 10 edições comemorativas entre 2005 e 2017 com exemplos de boas práticas para a sala de aula. Foram destacados apenas três trabalhos vencedores, sendo Joinville na Educação Infantil,

A u p e x

cidade de Pau dos Ferros (RN) no Ensino Fundamental e São Sebastião (DF) no Ensino Médio. A professora considera importante mais este destaque, principalmente por ser com crianças do berçário (três meses a um ano de idade). “Mostra que existe um trabalho muito mais do que apenas cuidar dos bebês, é um cuidado pedagógico. Isso demonstra que a gente realiza um trabalho

U n i a s s e l v i

Uma oportunidade para quem pretende investir nos estudos. A partir do segundo semestre, Araquari passa a contar com a primeira universidade particular do Município. O pólo da Aupex Uniasselvi será instalado no bairro I tinga, em um centro comercial às margens da rodovia A280-A. Serão ofertados mais de 40 opções de cursos de graduação na

e m

modalidade EAD (Educação a Distância), dois cursos de pósgraduação e, ainda, a segunda licenciatura para professores. A instalação da universidade foi uma iniciativa da Prefeitura de Araquari, por meio da Secretaria de Educação, na busca por ampliar as possibilidades de formação dos munícipes, visando a qualificação profissional. “Hoje, muitos araquarienses

de excelência e que Joinville tem uma importante trajetória na educação infantil, sendo referência em todo Brasil”, declara Mariana Coral Divulgação

A r a q u a r i se deslocam para outras cidades para estudar. Com a implantação de uma universidade que oferece aulas uma vez por semana, eles terão a oportunidade de conquistarem a graduação m a i s p róx i m o s d e c a s a , diminuindo dessa forma custos e tempo com transporte, por exemplo”, comenta Rose Cléia Férias Vigolo, secretária de Educação.


GERAL 17/05/2018

3

S e r v i ç o d e c o l e t a s e l e t i v a d e l i x o c om e ç a a operar na próxima segunda-feira, 11

A

partir da próxima segunda-feira, 11, a Única Soluções Ambientais, vencedora da licitação para coleta seletiva de lixo em Araquari, começa a operar na cidade. Inicialmente, a empresa vai disponibilizar três caminhões, 20 caçambas, um caminhão munck e 25 funcionários. O serviço será gratuito e vai atender todos os bairros do município. O contrato, com prazo de 5 anos, custará cerca de R$ 72 mil por ano, valor quase cinco vezes menor do que era gasto com o serviço na gestão anterior, que era de aproximadamente R$ 332 mil anual. Além disso, em vez de um caminhão, serão colocados dois caminhões a mais para atender o município. De acordo com Graziele Schneider, sócia-administradora da empresa, uma das novidades é que, além do serviço de coleta, as caçambas estacionárias serão grafitadas pe-

los irmãos Feitosa, talentosos artistas paulistanos que vêm ganhando espaço no cenário artístico regional e nacional com suas técnicas de grafite. “Os moradores poderão conferir a apresentação dos gêmeos no dia 7 de setembro, durante o desfile cívico que será realizado no centro de Araquari”, conta. Outra iniciativa será a criação da rede de PEVs (Pontos de Coletas Voluntárias). Nestes locais, identificados com maior concentração de casas e empresas, serão instaladas as caçambas. Os serviços ainda incluem o transbordo do lixo até a Central de Triagem de Resíduos Sólidos, que fica no bairro Jacu. O serviço vai funcionar de segunda a sábado, das 8h ao meio-dia e das 13h às 17h30, com uma média 50 localidades que serão atendidas por semana. Clique aqui e baixe o cronograma de aten-

dimento da coleta seletiva nos bairros.

Localidades atendidas: Segunda e quinta-feira Itinga, Manoel Maria, Santo Antônio, São Benedito, Machado Oliveira, Leodines, Elmar Hostin, São José, Elizabeth, Parati, Miquelute, Centro, Volta Redonda, Barrancos, Carolina, Benevenutti, Gustavo, Raul Gern, Mário Dunzer, São Benedito, Jardim Colina, Egon, Santa Maria, Vicente, Santa Mônica, Linguado, Areias Pequenas, Inferninho. Terça e sexta-feira Bom Jesus, Cerro Azul, Godri, Porto Grande, Airton, Thomaz, Machados, Colégio Agrícola, Ponto Alto, Corveta, Comunidade São Paulo, Morro do Jacu, Leonides. Quarta e sábado Guamiranga, R ainha, Itapocu, Barra do Itapocu, Morro Grande e Canudo.

Araquari tem representantes no Mini e Baby Miss SC 2017 Araquari conquista premiações no Festival de Dança de Florianópolis PMA

Divulgação


MEIO AMBIENTE

17/05/2018

4

Man i fe st o d o proj e t o Ton i n h a s O

Projeto Toninhas vem a público m a n i fe s t a r s u a posição contrária à concessão da Licença Ambiental de Instalação do Terminal Graneleiro Babitonga (TGB) pelo Instituto de Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), ao qual teve acesso no final do mês de abril. O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) que baseia a decisão, assim como os documentos complementares fornecidos pela empresa de consultoria Acquaplan, não apresenta dados consistentes com relação aos impactos que o empreendimento causará à produção pesqueira e às espécies ameaçadas de extinção, o que compromete a análise da viabilidade ambiental do empreendimento. Os impactos estão subestimados, com medidas mitigatórias totalmente irrelevantes sendo propostas, o que leva a um entendimento equivocado dos riscos. A decisão do órgão ambiental põe em risco todo o ecossistema da Baía Babitonga, em especial a sobrevivência das espécies

ameaçadas de extinção neste ecossistema. A análise técnica feita pelo projeto indica que, caso este empreendimento seja instalado, existe um risco muito elevado de extinção da população de toninhas da Babitonga. O conteúdo da LAI nos permite concluir que a obra autorizada pelo IMA compromete de maneira irreversível o ecossistema da Baía Babitonga, considerado um berçário da vida marinha por ser área de reprodução para um grande número de espécies de peixes e crustáceos, além de refúgio para espécies ameaçadas de extinção. O local escolhido é o canal de Laranjeiras, localizado na região central da baía, junto as ilhas (ao lado do ferry-boat). Esta é considerada a região mais produtiva da baía, o que se reflete na intensa atividade de pesca nesta área, inclusive de camarões, e na grande concentração de botos-cinza, toninhas, tartarugas e meros. A retirada de um milhão e meio de metros cúbicos de sedimento e trezentos mil metros cúbicos de rocha des-

ta área em operações diárias ao longo de sete meses, atividade necessária para viabilizar o acesso de navios de grande porte e construção de um píer com mais de 1 km de extensão, não pode ser considerado ambientalmente viável nessa região. Segundo a LAI, a dragagem deverá ocorrer 24 horas por dia, e a derrocagem das rochas deverá ocorrer por meio de 12 explosões diárias, com remoção das rochas acontecendo 24 horas por dia. Estas atividades são de altíssimo impacto, comprometendo toda a fauna. Somadas a elas, ainda estão previstas várias outras atividades associadas, como a fixação de estacas para a construção do píer. Naturalmente, a dragagem será uma necessidade constante nesta região para manter a profundidade do canal de acesso dos navios, o que representaria um impacto permanente para a região. Causou grande surpresa à equipe o fato de que seu parecer técnico, encaminhado voluntariamente, não tenha sido considerado. A equipe tem uma experiência de 20 anos em pesquisas com cetáceos nesta área, e entende que esta conduta gera ainda mais dúvidas sobre a seriedade do processo. Os dados apresentados pelo projeto indicam que a área diretamente

afetada pelo porto é área de vida de toninhas e botos-cinza, espécies ameaçadas de extinção, o que legalmente deveria inviabilizar a concessão de uma licença com impactos desta magnitude. As toninhas (Pontoporia blainvillei) da Babitonga formam uma população residente, única no mundo. Embora as redes de emalhe sejam a principal ameaça para a espécie ao longo de sua distribuição, a construção deste porto pode ser considerada como a principal ameaça à sobrevivência da espécie na Babitonga, já que esta população é totalmente dependente da baía. A área que será impactada pelas atividades do porto faz parte da área de vida das toninhas. Juntamente com as toninhas, populações residentes de botos-cinza (Sotalia guianensis), tartarugas-verdes (Chelonia mydas) e meros (Epinephelus itajara), todas espécies ameaçadas de extinção, também vivem no local que será atingido pelo empreendimento. As explosões previstas pelo TGB, assim como as dragagens, representam um risco muito alto de morte para estas espécies, pois a área atingida é local de concentração e não há técnicas eficientes para a retirada destes organismos. A mortalidade associada a estas ativi-

dades está bem documentada na literatura científica. Na década de 1990 foi registrada a extinção do golfinho baiji, que vivia nos rios da China, como consequência das profundas alterações causadas ao seu ambiente. As toninhas da Babitonga poderão seguir pelo mesmo caminho. Enquanto pesquisadores desta região, com experiência de 20 anos nas pesquisas com cetáceos, temos o compromisso de manifestar nossa posição técnica em relação ao empreendimento TGB e respectiva Licença Ambiental de Instalação, que autoriza sua construção. Entendemos também que o órgão ambiental necessita reavaliar sua posição, ainda mais quando declara publicamente que tem o interesse em criar uma unidade de conservação de uso sustentável na região. A liberação de licenças para empreendimentos com este nível de impacto na Baía Babitonga não é coerente com o nível de conservação que este ambiente deve ter devido a sua imensa produtividade e como local de espécies ameaçadas de extinção. A Baía Babitonga, com seu rico ecossistema, é um patrimônio de toda a comunidade. Em breve será disponibilizado um parecer técnico detalhado.


5

POLÍTICA

17/05/2018

Ministério Público pede afastamento de Prefeito e Secretários de Araquari O

Ministério Público ajuizou um pedido de cumprimento de decisão liminar através do qual pugna pelo afastamento temporário do Prefeito Municipal de Araquari, Clenilton Carlos Pereira, do Secretário de Gestão de Pessoas, Adriano Francisco Silvano, e da Secretária de Administração e Finanças, Marilda Pereira Barbosa. O pedido está fundado no iminente descumprimento da decisão judicial proferida nos Autos da Ação Civil Pública n. 090382048.2017.8.24.0103, a qual fixou o dia 31/7/2018 como prazo máximo dos contratos de servidores temporários no Município de Araquari. Como faltam menos de três meses para o fim do prazo e ainda não foi lançado o edital do concurso público, o Minis-

tério Público entende que o município não vai cumprir a decisão liminar. De acordo com o cálculo do Ministério Público, baseado no cronograma inicialmente apresentado pela própria Prefeitura, se o edital do concurso fosse lançado hoje, a posse dos candidatos aprovados se daria somente em outubro de 2018, ou seja, muito além do prazo fixado pelo Poder Judiciário. "Se o município continuar a demora na realização do concurso, corre-se o risco de escolas e postos de saúde serem fechados. Ou se afasta as autoridades responsáveis pela demora, ou o município caminha para uma calamidade", alerta o Promotor de Justiça responsável pelo caso. O pleito aguarda decisão judicial (Autos n. 090003107.2018.8.24.0103).

Nota oficial - Esclarecimento Em dezembro de 2017, o MPSC havia indicado o prazo limite de 31 de julho para finalização de todo o processo. Para cumprir esse cronograma, a Prefeitura lançou, em janeiro, o processo de licitação para contratação da instituição de ensino superior que irá realizar o concurso. Entretanto, o valor máximo estipulado pela Administração Pública ficou abaixo dos valores propostos pelas insti-

tuições interessadas e o certame foi revogado para reavaliação do valor e para preservação do interesse público. O segundo processo licitatório foi aber to em março, quando duas instituições de ensino concorreram. Mas nenhuma delas estava apta, por não apresentar documentação exigida. Desse modo, o terceiro processo foi lançado em 24 de abril e está em trâmite. No momento, está

em fase recursal e deve ter a homologação da instituição vencedora nesta sexta-feira, 18. A Prefeitura de Araquari esclarece ainda, que o concurso público não pode ser realizado no ano passado, primeiro ano da atual gestão, por que o concurso realizado no governo anterior estava tramitando em processo judicial. O Ministério Público havia recomendado a anulação daquele concurso

por suspeita de fraude. Recomendação acatada pela Administração e que teve a decisão favorável da Justiça. Com o histórico descrito acima, a Prefeitura reintera a população que está cumprindo a decisão judicial em realizar o concurso público, mas que deve, sempre, cumprir os prazos legais. O processo de contratação da instituição que irá administrar o concurso ocorre dentro

de uma concorrência le gal, onde busca-se, efetivamente, a contratação de uma instituição séria, afim de garantir a idoneidade do processo e segurança aos candidatos. Informamos, ainda, que quatro instituições participaram d o p ro ce s s o l i c i t ató r i o. São elas: UniSociesc, Furb - Universidade Regional de Blumenau, Univille - Universidade da Região de Joinville e Unisul - Universidade do Sul de SC.


PONTO DE VISTA

17/05/2018

6

Te m p o d e m u n d a n ç a s ? Te m p o d e d e s p e r t a r ? Te m p o d e r e f e x ã o ! Q u e b o m !

O

lá,

ONDE? Pasmem… no nosso Poder Legislativo! No dia 08 de maio de 2018, foi viralizado na Rede Social um Vídeo reeditado por alguém, sobre a Sessão da Câmara de Vereadores de São Francisco do Sul, e o que estava sendo tratado nesta parte da Seção foi exatamente o que chamou a minha atenção! O que me surpreende, é assistir uma Seção da Câmara aonde os assuntos relevantes não ficaram voltados para troca de Nome de Ruas, Patrolamentos e ensaibramentos, o que me chamou a atenção foi notar que o despertar de um Poder Legislativo pode acontecer sim, após quase um ano e meio de gestão alguns vereadores demonstraram entender qual é a real função de seus atos junto ao trabalho legislativo com os cidadãos francisquenses. Como por exemplo, falar ao Executivo Municipal, que nossa cidade está largada totalmente, que as verbas repassadas para a Prefeitura no ano de 2017 não tiveram os rumos que foi combinado com a Câmara…

Mais EITA! Isto NÃO PODE! A Lei não permite de forma alguma que uma Câmara de Vereadores determine o rumo dos valores devolvidos ou repassados ao Poder Executivo, mesmo que esses saiam do Orçamento da Câmara, esses valores são obrigatoriamente depositados para serem integralizados ao Tesouro do Município, e só poderão serem utilizados rigorosamente dentro do Orçamento que foi aprovado pelo próprio Poder Legislativo no Ano anterior, e

jamais cobrado de forma combinada como o vídeo mostra claramente, sendo isso uma atitude totalmente fora dos padrões de um legislador. Ou seja, o Poder Executivo irá utilizar do erário público dentro dos ditames orçamentários sempre. Nesse contexto, a ação do Poder Legislativo municipal na fiscalização dos gastos públicos é fundamental para garantir que a sua aplicação esteja de acordo com os interesses coletivos. É importante salientar que o vereador quando controla a atuação do gestor público municipal está, na verdade, cumprindo uma obrigação fixada pelo texto da Constituição Federal Brasileira de 1988, a qual estabelece em seu art. 31 que a fiscalização do município será exercida pelo Poder

Legislativo municipal, mediante controle externo. Pode-se, e deve-se sim, o Poder Legislativo Fiscalizar os gastos da Execução Orçamentária, denunciando a aplicação incorreta das verbas repassadas ao Poder Executivo, jamais deve existir qualquer indicação para o uso dos erários devolvidos ou conquistados pelo Poder Legislativo. Aí eu pergunto: Quais são os mecanismos utilizados pelo Poder Legislativo para o Acompanhamento da Execução Orçamentária? Existe? Se a resposta for positiva, aonde encontramos essas informações? O que deveria ter acontecido desde o primeiro dia de trabalho na Câmara e não ocorreu, foi o Poder Legislativo não fazer cobranças em inúmeras Seções ao Poder

Executivo da forma como fez agora, do que NÃO FOI FEITO, O QUE NÃO ACONTECEU, O QUE ESTA ERRADO, nos passou uma impressão muito estranha, comentários nas redes falam inclusive que os dignos vereadores estão desde já preocupados com as próximas eleições, e então começaram AGORA, a fazerem APONTAMENTOS, que a população já vem cobrando diariamente desde que iniciou a nova Gestão Pública. Aí fica para cada um analisar. Sei que nunca é tarde para que se resolvam os problemas em nossa cidade, o que ressalto aqui, foi a forma como a população analisou e respondeu a exposição dos Edis, e a forma como estão sendo vistos no vídeo publicado. Todos sabemos que 4

anos de trabalho é muito pouco para se fazer muito, mais 4 anos de trabalho bem realizado, com seriedade e respeito a população, pode ser feito com muitas mãos, muitas cabeças pensantes e principalmente com MUITA RESPONSABILIDADE PÚBLICA e bons PROJETOS. É isso que o POVO espera de cada um que foi colocado dentro do Poder Legislativo para trabalhar para os francisquenses. Fiscalização, comprometimento e cobranças diárias do Poder Executivo é o que merecemos. Uma cidade minimamente bem cuidada para se viver. Afinal aqui é um Paraíso, não vamos deixar ele morrer! “SEMPRE HÁ TEMPO PARA BOAS MUDANÇAS!” Até a próxima.

MARIAH BRASIL


7 Pausa para o Café Pavan

L

eonel Pavan continua internado na UTI do Hospital Unimed em Balneário Camboriú em coma induzido, após ter sofrido um AVC Hemorragia Subaracnoídeo e se encontra na UTI. A previsão segundo a equipe médica é que ele permaneça 20 dias no hos-

17/05/2018

CVA

pital. O estado de saúde, de acordo com a família, é considerado grave. Ele esteve à frente da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte até o início deste mês, quando deixou o cargo para concorrer nas eleições de outubro.

Câmara x Prefeitura Um passarinho me contou que os vereadores de agra em diante só votarão pautas que tem seu trâmite normal, nada de urgências...hum, inte-

ressante isso afinal são 10 do lado do prefeito, você sabe o que isso significa leitor ? Carência...se isso partisse da oposição, tranquilo, afinal

estão no papel deles..sempre sendo contra, não importando se é bom ou não ao povo, mas não, são os aliados, estranho não é mesmo ?

Dotação é um crédito orçamentário, aprovado pelo Poder Legislativo (Câmara de vereadores) por intermédio da Lei Orçamentária Anual (LOA), ao Poder Executivo, que autoriza este a realizar as despesas públicas.

Vereador x Bombeiro Há outro brigão entre a oposição no legislativo de Araquari, desta vez um outro vereador foi as vias de fato com um bombeiro...será que o edil não tem o que fazer ? se tem ou não razão, nada justifica a briga, te orienta meu amigo. Dê o exemplo é o povo quem paga seu salário.

Divulgação

Concurso em Araquari Bastou o caso de agora, pedindo o afastamento do atual prefeito para o povo vir, e com razão desconfiar de "concursos", falando que quem vai passar são os apadrinhados, que querem o valor da taxa devolvido ( como se a culpa fosse da atual gestão), etc...é normal ter esta desconfiança pois na gestão passada a "coisa" foi muito explícita, vergonhosa e escancarada, até listinhas corriam pelo paço municipal. O fato é que foi difícil conseguir uma empresa séria para promover o concurso, haja visto o histórico da cidade. Mas é claro o caso anterior não foi resolvido e é lógico, que os culpados serão punidos.

Expediente Diretor Geral: Antônio Eduardo Pereira Contatos: direcao.folha@gmail.com Diagramação: Pedro Antônio Pereira Site: www.folhametropolitana.com.br Facebook: www.facebook.com/FMJoinville Instagram: @Grupo_folha_metropolitana WhatsApp: (47) 9 9711-1487 Artigos assinados são de responsabilidade do respectivo autor(a), não refletindo necessariamente a opinião do Jornal Folha Metropolinata


17/05/2018

8

Edição 106  
Edição 106  
Advertisement