Page 1

opinião

Folha Universal | 2 Jan eiro 20 1 1

EDITORIAL

CONSULTÓRIO JURÍDICO

A reintegração da pessoa humana, orientada por moralidade (I Parte)

Foto: André Jorge H. da Cruz, IP (advogados - consultores) hcz@live.com.pt

E

ste estudo, foi proposto no Curso de Pós-Graduação pelo Instituto de Criminologia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, devido a falência dos Estados, em assegurar a paz social. Visando o papel social da religião como agente impulsionador de normas de comportamentos. Procurou-se entender as políticas criminais que se formam em torno das ideias de prevenção e repressão da criminalidade, por ser importante na compressão da problemática criminal, e também para uma eficaz intervenção do profissional do Direito na realidade social, de forma privilegiada. A finalidade do Direito Penal é a protecção dos bens mais importan-

tes e necessários para a própria sobrevivência da sociedade, de acordo com as mutações da sociedade, por serem extremamente valiosos e não poderem ser suficientemente protegidos pelos demais ramos do direito. As ciências penais têm de deixar de ser “Ciências de sala de aula” para se tornarem finalísticas, possibilitando que o conhecimento científico possa, e deva, ser aplicado na realidade social, fora do meio académico, com a democratização do sistema penal. A sociedade civil, deve participar nos processos de planeamento, acompanhamento, e avaliação das acções com vista a aumentar o nível de eficácia e efectividade das políticas e programas criminais. O âmbito do controlo social é vasto, deste modo a IURD, como forma de controlo social informal, não institui sistemas ou modelos de organização social nem deve entrar em questões técnicas. No entanto, pela relevância pública do Evangelho e pelos efeitos nefastos do pecado, a Igreja não pode ficar indiferente, pronuncia-se enquanto exigência imperativa dos direitos fundamentais da pessoa humana, visando a dignidade da pessoa humana, como criatura à imagem de Deus e a igual dignidade de todas as pessoas.

Estimados leitores, por lapso publicamos a segunda parte ao invés da primeira, essa que se segue é a parte introdutória do texto anterior. Por conseguinte as nossas sinceras desculpas.

Foto do mês

Trabalhemos em equipa

Foto: A. J. daniel silva danielsilva5698@yahoo.com

M

ais um ano f icou para trás. Convenhamos que nem tudo foram “rosas”, e, em alguns casos foram registadas “gritantes” derrotadas. Incluso no Executivo angolano alguns ministros que não se adaptaram aos novos métodos de trabalho, “foram sumariamente exonerados”. É possível detectar o problema? Identifiquemos as causas. Pois bem, uma das melhores opções para que os nossos esforços resultem em sucesso é: trabalhar em equipa. É nesse particular, que verificamos o problema. È fraco o espírito de compromisso da parte de muitas pessoas. Repare, caso você ainda seja um estudante, nos “trabalhos de grupo”, geralmente, existem colegas, que deixam os outros, fazerem tudo pelos demais. Assim tem sido difícil incutir nalgumas cabeças o princípio “do trabalho em equipa”. A desonestidade de alguns fazem com que “uns carreguem o piano e outros observem”. Se cada um, concretamente, assu-

mir a responsabilidade que lhe toca, ou seja, a sua especialidade, e, acrescido a isso ninguém aceitar fazer o trabalho de outrem. As coisas, calmamente se vão encaixar. Aí, entra o espírito de responsabilidade. Ao se verificar o espírito “balda” de um determinado companheiro. O chefe, dentro “de uma autêntica agilidade mental”, procura salvar a situação. Os tempos mudaram, já há muito esse provérbio alerta-nos “Manuel de tudo, mestre de nada”. Ninguém poderia acumular, sozinho, todas as áreas do conhecimento necessários para atendimento de um determinado projecto ou empresa. Outro comportamento tolo tem sido a inveja, descabida, aos superiores hierárquicos. Você já viu um coral? Como você analisa o desempenho do maestro? Ele cuida para que o “coral” tenha harmonia. É básico. Ninguém em são juízo compraria um artigo sem qualidade. Pois bem, os seus e meus “chefes” cuidam, para que além de todas as responsabilidades que lhes são acometidas, coloquem no mercado produtos de qualidade, fruto do vosso/ nosso trabalho de equipa.

Folha Universal folhauniversal@iurdangola.com

Foto: A. J.

Conselho Editorial: Pastor Felner Amarildo Batalla (felner.batalha07@gmail.com) Direcção: David Paulo Viegas dpviegas@gmail.com Edição: Daniel Silva Reporteres: Edson dos Santos

Dinis Bundo Xavier Sebastião Colaborador: Dias dos Santos Fotografía: André Domingos Jorge Correcção: Daniel Silva Central de Atendimiento: 933-686781 Av. Comandante Gika S/Nº - Alvalade


actualidade

Folha Universal J an eiro 2011

|3

2010- Economia cresceu apesar da crise mundial DIAS dos santos alinamultiwork@gmail.com

F

im de ano significa momento de balanço. Primeiro de tudo, da vida e dos acontecimentos a ela associados. Da vida falamos das turbulências na saúde, nas contas do dia a dia, nas acções realizadas com sucesso e nos desaires. No geral projecta-se o futuro e procuramos corrigir o que de mal ficou para trás. O ano de 2010 para Angola representou esperanças e frustrações. No que toca a anseios houve muitos. Porém nem tudo foi mar de rosas. A crise maldita e traiçoeira surgiu na pior altura, tolhendo iniciativas e causando um verdadeiro rombo nos projectos. Falando da vida, ainda e sempre, cabe-nos referir que 2010 ficará registado como o ano negro da sinistralidade nas estradas, ao registar mais de dois mil casos, muitos deles mortais. Excessos no consumo de álcool, imperícia na condução e mau estado das vias, falta de sinalização, estarão, entre outros, na origem dos incidentes. Um caso para pensar. No capítulo da economia o crescimento foi de 6,5 por cento em 2010 numa previsão de 8,0 por cento em 2011, de acordo com dados do Banco Mundial, depois de uma desaceleração verificada em 2009, na ordem dos 0,9 por cento. Segundo os especialistas do BM, a recuperação será das mais acentuadas na África subsaariana, superando inclusive, a África do Sul. O país viveu 2010 sob o manto da crise financeira internacional, o que implicou um abrandamento e cortes nas despesas de investimento e no consumo privado, segundo o relatório do Banco Mundial. A recuperação terá ainda como condição, o aumento da procura externa Os negócios foram este ano particularmente afectados pela política de restrições do Governo, que desistiu de parte do seu plano de obras públicas,

Foto: A. J.

por razões financeiras. Deste modo, as empresas portuguesas foram as que mais sentiram o peso da crise. Construtoras como a Mota-Engil, Soares da Costa e Teixeira Duarte inscrevem-se na lista das empresas lusas que mais sofreram com a diminuição do volume de negócios em Angola. A Educação em esteve em destaque com a realização da I edição da feira Educa-Angola destinado a evidenciar as potencialidades do sector e marcou pontos, mostrando ao país as metas de crescimento, na perspectiva da resolução dos principais problemas ainda existentes. O país aplaudiu os avanços registados na criação de escolas e universidades, situação que permitiu esbater o fenómeno das crianças for a do sistema escolar, que há três anos atingia a assustadora cifra de um milhão. O Ministério da Cultura esteve igualmente em destaque com a feira dedicada às indústrias culturais, bem

como o Encontro Internacional sobre História de Angola, que reuniu especialistas de vários países. A Saúde abordou com alguma utilidade, o problema das grandes endemias no país e no continente, dando relevância à problemática do VIH-SIDA, que entre nós continua a assumir grandes proporções. Estudos recomendam o aumento de campanhas visando à prevenção. No capítulo social estiveram em linha de consideração os programas de requalificação das zonas problemáticas de Luanda, levando o Governo a realojar algumas populações vivendo em condições de precariedade e de risco. As chuvas torrenciais que se abateram nas últimas semanas na capital precipitaram os acontecimentos, levando as autoridades a tomarem medidas de emergência, que culminam com o realojamento de famílias no Panguila e Zango, novas zonas de concentração popu-

lacional obedecendo a novas regras. A questão do desemprego e da habitação continuam a ser o “cavalo de batalha”, sobretudo entre os jovens que procuram melhor integração social, como resposta aos seus problemas existenciais. A formação profissional, aliada à concretização de projectos de industrialização do país e fomento de outras actividades económicas são tidas como soluções para o combate ao desemprego que grassa no país e que explicam igualmente o crescente êxodo da cidade para o campo. Quanto à habitação continuamos a sonhar com o crédito bancário mais barato e facilidades que nos levem a encarar a hipótese da sua aquisição, em condições mais agradáveis. O preço é outro factor de estabilidade que ainda não consta da nossa cesta básica. A redução acontecerá quando a oferta superar a procura. O que parece não vir a acontecer nos próximos tempos.


Folha Universal | 4 Jan eiro 20 1 1

sete dias

Estações pluviométricas contam com dispositivos de controlo e alerta de calamidades

A

s estações das chuvas contarão muito em breve com dispositivos de controlo e alerta de calamidades, segundo informou a ministra do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia, Maria Cândida Teixeira em Luanda, durante uma mesa redonda, no âmbito do Centro Regional de Ciência e Serviços para adaptação e mudanças climáticas e o uso sustentável dos solos. A governante acrescentou ainda que o governo está a recuperar e reestruturar as estações pluviométricas nas bacias hidrográf icas de grande importância, e a instalar dispositivos de controlo e alerta de calamidades. Além disso, este sistema, ajudará não só na actualização de dados relacionados com as séries hidrológicas, como também na prevenção de riscos que têm a ver com as precipitações, associado à contínua formação de quadros altura dos grandes desafios, com ajuda das regiões académicas existentes no país.

Empresa lançará maior satélite 4G do mundo ao espaço A empresa Light Squared irá lançar u m s atél ite pa r a oferecer sinal 4G a lugares do planeta onde torres de comunicação não conseguiriam chegar. Segundo o site PopS c i , t r at a - se do maior projecto de antena ref lectora a ser la nçada ao espaço com e ste propósito. Com o nome de SkyTerra1, o dispositivo está sendo produzido pela Boeing e diminuirá a necessidade de construção de antenas terrestres para a captura do sinal da tecnologia da nova geração, o 4G. O satél ite pesa seis toneladas e será em breve lançado ao espaço. Em 2011, a empresa deve lançar o SkyTerra 2 e, até 2015, a LighSquared prometeu que a tecnologia 4G cobrirá mais de 90% do território norte-americano.

Foto: A. J.

A ressaca das festas de Natal e fim do ano

O Natal é um evento universal, cada país segue uma tradição, respeitando as lendas e os costumes dos antepassados. Após a euforia da quadra festiva vem a ressaca. Ela tem repercussões para alguns sectores da economia, em particular para alguns ramos da indústria, pois se para o comércio represen-

tou o mês de grande arrecadação receitas relativamente aos restantes 11 meses, para o sector industrial e outros, afectou por se trabalhar menos, devido ao feriado posterior, 04 de Janeiro, aproveitado por muitos cidadãos para fazerem “a ponte”, diminuído ainda mais o período produtivo.


bem-estar

Folha Universal J an eiro 2011

Excesso de trabalho T

rabalhar além da conta se transformou em símbolo de sucesso. E isso vem gerando, além de problemas de saúde, dificuldades de relacionamento, principalmente, em família. As antigas 8 horas estipuladas em lei não são mais realidade e a cada dia mais e mais homens e mulheres se rendem a jornadas excessivas. Será mesmo que trabalhar cerca de 12 horas por dia é a solução neste mundo globalizado? O quad ro é deva st ador pa r a quem compartilha desta situação. Depressão, stress, ansiedade, fadiga, obesidade. É evidente que isso tem relação direta com o estilo de vida imposto nas empresas. Diante destas jornadas é preciso que o funcionário tenha preparo f ísico

|5

Como anda a saúde de quem trabalha mais de 12 horas por dia? de atleta, alimentação equilibrada. Hábitos quase impossíveis de se adoptar frente ao tempo destinado ao trabalho. Nenhum dinheiro se compara à qualidade de vida de uma pessoa. Ninguém pode se esquecer de viver, se divertir e dormir. E a família? A família exige mais participação. As cobranças ficam insustentáveis e isso gera ainda mais vontade de não ir para casa. Quando há este tempo em família, muitas vezes, não há interação completa porque o profissional não se desliga do trabalho nem em pensamento. Uma verdadeira bola de neve, cujos pontos, devem ser classificados entre prioridades, relação custo-benefício. Fonte: Equipe Bem Star

Noite mais leve

O segredo de joelhos e cotovelos macios

Você quer emagrecer? Então coma menos à noite.

Regiões da pele bastante ressecadas precisam de cuidados especiais...

As pessoas que estão acima do peso enfrentam um grande desafio: depois de um dia inteiro de trabalho, correndo de um lado para o outro, juntando-se a isso algumas horas nos afazeres domésticos ou malhando na academia, chega a hora de relaxar, à noite, em casa, diante da TV ...aí, dá aquela vontade de pegar aquele saco de batatas fritas e um refrigerante...! Pois saiba que isso é um verdadeiro “tiro no pé”, segundo muitos nutricionistas. Sim, pois de nada adiantará seguir uma dieta durante o dia, se de noite você aumenta o consumo de calorias.

No período nocturno, nosso corpo está mais relaxado, já se preparando para o sono e é por isso um momento onde se gasta menos calorias. Portanto, quem está acima do peso, deve reduzir o consumo de alimentos calóricos na parte da noite. Que tal um jantar composto por arroz integral, legumes cozidos na água e sal, uma salada verde e uma proteína, como peixe ou frango? E caso você sinta fome antes de dormir, coma uma fruta ou um iogurte light. Sua boa forma agradece. Fonte: Equipe Bem Star

A pele dos joelhos e dos cotovelos geralmente são consideradas as partes mais ressecadas do corpo. Apesar dessas regiões serem elásticas, para facilitar os movimentos, não produzem glândulas sebáceas suficientes para deixar a pele hidratada. E também são áreas mais grossas devido ao constante atrito com as roupas. Para amenizar esta condição, é preciso ficar atento a alguns hábitos. O primeiro deles é não sair por aí apoiando os cotovelos em mesas e superfícies em geral. Vale também

evitar calças jeans muito apertadas. Usar hidratantes, de preferência os que têm silicone ou vaselina na fórmula, sempre que sentir que a pele está seca é uma óptima alternativa. Uma vez por semana, vale recorrer a um esfoliante antes do banho. E durante a ducha, na água morna, é conveniente abusar dos sabonetes líquidos, que têm o pH mais próximo ao da pele. Quem preferir, pode ainda usar óleos corporais que deixam a pele mais húmida. Fonte: Equipe Bem Star


especial

Folha Universal | 6 Jan eiro 20 1 1

Monte Sinai

A escalada para o sacrifício

Bispos e pastores da Igreja Universal de todo mundo escalaram o Sinai para apresentar a Deus os pedidos do povo

A

fogueira santa de Israel acontece em lugares sagrados, cenários de grandes manifestações do poder de Deus na vida do povo de Israel e dos cristãos actuais, que assim decidirem expressar a fé. É para esse local que é levado os pedidos daqueles que se lançam nesse evento. Como no passado, Israel alcançou as grandes maravilhas de Deus, o mesmo tem ocorrido nos dias actuais para quem usa a fé racional e inteligente. O sacrifício é uma forma de expressão de fé e confiança. O testemunho de muitos – perfeitamente identificados – prova como alcançaram vitórias, através dela. Esse recurso de fé (Fogueira Santa) tem como proposta reverter o quadro de sofrimento que as pessoas vivem, pois quem é de Deus jamais se submeterá ao fracasso em sua vida, não aceita derrota de qualquer ordem, seja espiritual, profissional, sentimental, familiar ou física. A fé no Senhor Jesus não combina com fracassos e a convicção em relação as Suas (de Deus) promessas é tão profunda que nem a própria morte é capaz de removela. Quem tem fé, luta para ser mais que vencedor. Se tivermos fé em Deus, tudo será possível. Como? Agindo do mesmo modo que os f ilhos de Israel, tendo as mesmas atitudes que eles tiveram. Desse modo, aquele que crê no Deus de Abraão, definitivamente, não aceita viver uma vida inferior

à vida por Ele nas Sagradas Escrituras Sagradas. A Fogueira Santa não surte efeito

para quem dúvida, nem para aqueles que tentam uma melhora de vida, mas, sim, para quem está disposto a

sacrificar. O Senhor Jesus deu Sua vida por nós. Se quisermos conquistar a plenitude da vida que Ele nos


especial

Folha Universal J an eiro 2011

|7

O bispo Augusto Dias esteve presente em representação do povo de Angola

oferece, então, da mesma forma, teremos de sacrificar a nossa vida. Moisés teve de fugir do Egipto e

abrigou-se em Media. Ao chegar à casa de Jetro, seu sogro nada tinha a oferecer senão a si mesmo. Mas foi

justamente desse “homem que não tinha nada”, fugitivo, solitário, sem eira nem beira, que Deus fez um lí-

der, um legislador, um estadista, um profeta, um libertador e um salvador para a nação de Israel.


Folha Universal | 8 Jan eiro 20 1 1

Logo, a proposta d a Fog ueira santa é para aqueles que querem subi r ao A lt a r e ent reg a-

rem-se junto com o sacr if ício. Estes, certamente, serão abençoados. Quando fazemos um ”verdadeiro

Momento em que os pedidos do povo são queimados

Bispo Romualdo Panceiro e a sua esposa

especial sacrifício”, sentimos de facto dor, o Espírito Santo confirma ao nosso espírito que de facto Deus, acei-

tou-o, assim como aconteceu com a oferta de Abel. Sentimo-nos sozinhos, sem ninguém para partilhar a angústia que antecede. O sacrifício legítimo faz com que passemos a viver totalmente na dependência de Deus; e apenas sacrifica inteiramente quem realmente crê nas promessas guardadas em Sua Palavra. Isso porque sacrificar significa mais do que colocar uma quantia de dinheiro no Altar; sacrificar é renunciar a si próprio para fazer a vontade do Altíssimo. Na Fogueira Santa, usamos a nossa fé para chamar a atenção de Deus. Por essa razão, não pode ser oferecida a Deus qualquer coisa. Tem de ser algo especial que represente um sacrifício especial. Mas nem todos têm a mesma fé. Vejamos bem: enquanto algumas pessoas têm fé para comer carne, outras possuem fé para comer legumes. Dessa forma, não existe sacrifício de muito ou de pouco, há o sacrifício de cada um. Além do que, a atitude de sacrificar ou não depende da fé individual. Após participar desse propósito de fé, quem dele participou, mantenha a fé em Deus e deve esperar a Sua acção sem duvidar ou murmurar. O milagre, com cer teza, va i cheg ar. A semente foi plantada, agora é perseverar e cuidar para não perder a visão. Muitas vezes nos questionamos: O que é o Monte Sinai para o povo de Deus? Pois bem, Deus escolheu o Sinai para servir de referência à todos os povos que acreditam que há um Deus vivo que se preocupa com os humildes e com os desprezados. O monte Sinai foi um sinal do Senhor as pessoas exploradas nos dias de hoje! O Sinai representa o povo excluído, abandonado, injustiçado e ignorado pelos homens. Nesse local, aqueles que crêem verão as maravilhas de Deus em suas vidas. E o Senhor Jesus garante que esses sinais são apenas os crêem. Os bispos e pastores sobem ao Sinai a fim de clamarem a Deus por respostas aos pedidos dos fiéis. Eles são os primeiros a participarem no sacrif ício. Porquanto expõem as suas vidas, ficam dias fora de suas casas, ficam dias sem dormir e sacrificam os seus corpos para clamar pelos necessitados. Porém, gostaríamos de deixar esse pormenor bem sublinhado: o ato de sacrificar não garante a salvação. Não. Por intermédio dele podemos obter muitas bênçãos, no entanto, a salvação eterna só ocorrera quando alguém reconhecer verdadeiramente Jesus como Senhor de sua vida. Além disso, é necessário que a pessoa persevere, lute e vigie para permanecer na graça divina. Somente para aqueles que seguem o Senhor Jesus há garantias de salvação.


FOLHA IURD ANGOLA  

FOLHA IURD ANGOLA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you