Issuu on Google+

ANO II. edição 96 - R$ 1,50

RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Por uma sociedade mais opinativa

Página 6

entrevista

página 9

5 3 2 3 AN

Carnaval

familiar do Cassino estará com os dias contados?

Domingo 27/01

Segunda 28/01

160C 260C

180C 280C

Quarta 30/01

Quinta 31/01

220C 290C

230C 270C

Terça 29/01

200C 300C Sexta 1º/02

230C 270C

página 10

2 3 5 -6 OS

Jornalista, apresentadora e Consul do Esporte Clube São Paulo

oferece programação diversificada

ASSI

Vera Armando

40ª Feira do Livro

TURA NA

I C ÚN


2

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

EXPEDIENTE FOLHA GAUCHA

CHARGE

Por Alisson Affonso

A polêmica do Carnaval

Jornalista Responsável: Wanda Leite (MTB 15246) Direção Geral: José Valerão Editora-Chefe: Wanda Leite Revisão: Myrian Comberlato Coordenação: Franciane Wyse Diagramação: Valder Valeirão, William Farias, Gilney huskie Financeiro: Viviane Rubira Assinaturas:

assinaturas@folhagaucha.com.br

Comercial:

comercial@folhagaucha.com.br

Reportagem: Andressa Freitas, Matheus Magalhães, Ique de La Rocha André Zenobini Colunistas: COMPORTAMENTO

Almira Lima Érica Halty

TRADICIONALISMO

Dilair José

ECONOMIA

Curtas Folha Gaúcha Guri Teimoso I

A reapresentação do grupo sub-20 do Guri Teimoso aconteceu dia 21 de janeiro, na sede do Barcelona, em frente à Praça Saraiva. Usaram a palavra o Presidente Adilson Marandini, o diretor de Futebol Cristiano Landgraf e o técnico Geverton Duarte.

Guri Teimoso II

Márcio Azevedo

A equipe contará com o técnico Geverton Duarte à frente da comissão técnica, junto com Passarinho, massagista, Gabriela Davi, preparadora Física e o novo preparador de goleiro, que deve ser anunciado pelo departamento de futebol. Jogo treino e amistoso já estão pré-agendados pelo departamento de futebol, para fevereiro. Novos amistosos devem ser agendados. O clube ainda aguarda a divulgação do calendário da FGF para avaliar a participação nas competições de base.

ESPORTE

Livro I

Nerino Piotto SOCIAL

Eduardo Soares MODA

Natalia Sauer RELIGIÃO

Ladislau Júnior GESTÃO & LOGÍSTICA

Claudio Galarraga GASTRONOMIA

Jesus Araújo GERAL

Nelson Nascimento Alberto Amaral Alfaro Tiragem: 5.000 Exemplares Impressão: Parque Gráfico do Jornal Zero Hora Atendimento: (53) 3235.6532 Endereço República do Líbano, 240 Cep: 96200-360 Centro Fone: (53) 3235.6532

Este jornal não se responsabiliza por conceitos emitidos em colunas assinadas.

EDITORIAL

Um século de futebol popular - A história do Sport Club São Paulo, de autoria do jornalista Willy Cesar, será lançado dia 28 de janeiro, na 40ª. Feira do Livro da Furg, no Cassino. O evento especial dentro da feira contará com a presença do prefeito Alexandre Lindenmeyer, da reitora da Furg, profª. Cleusa Dias, e da presidente da Corag – Companhia Rio-grandense de Artes Gráficas, Vera Oliveira, além dos presidentes da comissão do centenário do clube, Renato Lempek, da diretoria do São Paulo, Paulo Costa, e da Funserg – Fundação Sócio Esportiva Cultural do Rio Grande, Emilio Louzada. O livro estará à disposição da comunidade na banca da Furg e na lojinha do hotel Atlântico, centro.

Livro II

A pesquisa identifica os principais momentos da história do clube, em mais de 100 anos de atividades, desde 1908. O autor se preocupou em historiar os esportes praticados na cidade, antes da introdução do futebol. O surgimento e o desenvolvimento dos clássicos Rio-Rio (Rio Grande x Rio-grandense), Rio-Rita I (Rio-grandense x São Paulo) e Rio-Rita II (Rio Grande x São Paulo) está narrado em detalhes. Os cam-

peonatos da cidade, realizados a partir de 1916 e seus respectivos campeões são contabilizados de maneira que é possível saber quantas vezes cada clube foi campeão.

Livro III

Os ídolos das torcidas, as escalações, as diretorias e as obras no estádio, a participação do São Paulo nos campeonatos nacionais, as viagens internacionais e a controvertida taça cortada ao meio de 1940, são alguns dos temas abordados. O livro tem 408 páginas, tiragem de 1.500 exemplares na primeira edição, com valor mínimo de R$ 60. Na feira do livro, com desconto de 20%, fica por R$ 48,00.

Shows

Farmácias Associadas promove neste sábado, a partir das 19h, quatro shows que vão reunir na beira da praia do Cassino, ao lado da estátua de Iemanjá, os artistas Enzo e Rodrigo, Cristiano Quevedo, Shana Müller e os rio-grandinos da Gang do Batidão. Os shows marcam a realização dos sorteios da promoção Amizade Premiada.

Futebol

A Equipe da Nativa está em campo com o Gaúchão 2013, em rede com a Rede Gaúcha SAT e também na Pré-Libertadores, com o Grêmio Futebol Porto-Alegrense. Além da Parceria de sucesso com a Gaúcha, a 740 estará acompanhando a série A2, com o São Paulo e a segundona, com o Vovô. Os Patrocinadores já acertados com o Futebol da Nativa são: Daisul Renault, Ecosul, Gringo Auto Peças, Abastecedora 1200, Jornal Folha Gaúcha e o apoio da Tuchê Esportes. É a Cultura Riograndina, que este ano completa 71 anos com vitalidade para correr os 90 minutos ao lado do futebol gaúcho.

Natal Gordo

Aconteceu dia 24 a entrega de um automóvel Cobalt 0 Km da promoção Natal Gordo Guanabara. A feliz vencedora foi Elisângela Viera de Morais. Participaram da entrega o Sr. Nielton da Conceição, gerente da loja da Saturnino de Brito e o Supervisor de marketing do Grupo Luciano Canteiro, além do mascote do Guanabara.

Como é comum de acontecer, mais uma vez o Carnaval está no meio de uma polêmica. Dessa vez, a discussão refere-se à separação das datas dos carnavais do Sambódromo (o oficial) e do Cassino, este chamado por muitos de Carnaval familiar. Por ter recém assumido, o novo governo do Município não teve tempo de tratar melhor da organização. Carnaval se faz com antecedência. Aqui mesmo em Rio Grande o discurso é nesse sentido, só que na prática ele não acontece. O governo anterior deveria ter tratado do evento. Se não ele, seria responsabilidade da Liga das Escolas de Samba, que sucedeu a Argec, assumir a organização e evitar que tudo ficasse para a última hora, como acabou ocorrendo. A falta de organização do Carnaval em tempo hábil deve servir de exemplo para a administração municipal não deixar que isso se repita. Até pouco tempo, os rio-grandinos estavam exultantes com o surgimento de um novo carnaval, à moda antiga, onde todos participavam sem precisar se preocupar com brigas. Era o do Cassino. Só que agora, com as modificações realizadas, muitos questionam se ele continuará mantendo o clima familiar ou se a concentração de milhares de pessoas no bairro-balneário acabará por descaracterizar justamente o seu principal atrativo, que era todos poderem brincar de forma saudável. O carnaval oficial também é uma incógnita. Será em março e os organizadores acreditam que, pelo fato de ser fora de época, poderá transformar-se em sucesso. Em nossa opinião, o sucesso depende mais do trabalho das próprias entidades, que são quem faz o espetáculo. Durante muitos anos os pelotenses se gabavam que a vizinha cidade possuía um dos melhores carnavais do Brasil. Nós, que acompanhamos o Carnaval rio-grandino no passado, com a presença de escolas do porte do Império Serrano, As Mariquitas, Nega Teresa, Quebra-Osso, Quem é do Mar Não Enjoa, conjuntos vocais e outros, podemos afirmar que em qualidade nunca perdemos para Pelotas, mas sim em organização, tanto do poder público quanto das entidades. Este é um problema crônico para nós. Durante alguns momentos, até tivemos a impressão que nosso carnaval iria deslanchar, mas estamos muito dependentes, ainda, de poucos dirigentes realmente competentes que, quando morrem, não têm quem os suceda com a mesma qualidade. As associações, que têm a responsabilidade de representar as entidades, como Argec e a Lieesa, ainda não conseguiram provar que são diferentes para melhor, com exceção dos tempos de Wilson Bresqui, este sim um conhecedor e batalhador de nosso carnaval, além de não engolir sapo de ninguém, por isso tão polêmico na sua época. Bresqui mobilizava os carnavalescos e quem lembra daqueles tempos sabe muito bem que o Carnaval era muito superior ao que vemos hoje. Para quem não está tão otimista com relação ao Carnaval deste ano, pode ser até que se tenha uma boa surpresa e a divisão de datas com os carnavais oficial e do Cassino venha a dar certo. Caso contrário, temos motivos para acreditar que para o próximo ano a nova administração municipal terá tempo suficiente para organizar melhor o Carnaval do Rio Grande. Organização sempre foi o nosso maior problema para acabar de vez com as polêmicas que a todo ano envolvem essa grande festa popular, tão tradicional em nossa cidade e que não pode morrer.


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Prof.

João Lajes

A importância da leitura A leitura como principal agente na construção do indivíduo e na aquisição de conhecimento

Revocata Heloisa de Mello Jornalista, escritora e grande benfeitora

Por ANDRESSA FREITAS

Presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Rio grande

Foto: Divulgação

A

credito que a obra mais visível e duradoura de Revocata Heloisa de Mello é o “Clube Beneficente de Senhoras - CBS”, fundado em 1901, do qual ela foi a grande propulsora. O CBS, idealizado como uma entidade de promoção da mulher e obra de filantropia, teve na atuação de Revocata a pessoa catalisadora de esforços e realizadora plena de seus objetivos sociais, quer buscando recursos para a implantação de um hospital para crianças (concluído em 1921, e onde funciona a Escola de Belas Artes e a sede do CBS, na rua Carlos Gomes), quer pelos cursos e conferências dirigidos para o público feminino. Como destacada benfeitora na ajuda dos mais necessitados, empenhou-se em várias campanhas de caráter humanitário e de maneira destacada ao angariar donativos para ajudar os flagelados da seca no Ceará, quando percorreu as ruas da cidade do Rio Grande com uma bandeira nacional desfraldada, estimulando a população para se solidarizar com aqueles irmão nordestinos. Feminista, antes de ser criado o movimento feminista, se engajava em todas as atividades em prol do humanitarismo, sendo a primeira abolicionista prática, pois arrecadava recursos financeiros com a venda de ingressos em suas conferências e festivais para a compra da liberdade de nossos irmãos afro-brasileiros. Seu reconhecido esforço motivou o poeta Damasceno Vieira a escrever; “Em prol da Pátria a batalhar constante,/ audaz, federalista, democrata,/ na destra a pena, espada triunfante, perfil de Revocata.” Na realidade uma pequena poesia que retrata a grandeza de uma pessoa, valendo por uma biografia. Empreendedora, jornalista, dramaturga, poetisa, oradora, educadora, deixou registrada de maneira indelével sua atividade nos meios intelectuais Sul-Rio-Grandenses. Como jornalista, publicou por 65 anos, em parceria com sua irmã Julieta de Mello Monteiro, na cidade do Rio Grande, o jornal “Corymbo”, noticioso e literário, que circulou até o ano de sua morte. A sua produção literária está distribuída não só no “Corymbo”, mas nos principais jornais da cidade e de Porto Alegre. São de sua autoria; “O Solitário do Mirante”, conto, 1874, “Folhas Errantes”, fantasias em prosa, 1882; “Coração de Mãe”, drama 1893; Berílios, prosa, em parceria com sua irmã Julieta, 1911; inéditos: “Marinhas”, poesias, “Missal de Ternura”, e vários dramas. Usava, algumas vezes, o pseudônimo de “Sibila”. Dedicava um amor extremado a sua mãe e a sua irmã Julieta, a quem dispensava um carinho quase maternal, prodigalizando atenções e cuidados. No soneto denominado “Mães”, dizia Revocata: “Mães, fiadeiras de um amor sem nome,/ de um amor que a desgraça não consome/ e a noite não consegue deslembrar.”. Para sua irmã, ao enviar flores, em uma das inúmeras vezes, escreveu: “Meu coração neste dia/ entoa cânticos de amor/ minha alma é toda alegria,/ tu és do meu peito a flor”. Na apreciação de sua obra, Laudelino Freire a destaca em “Os Melhores Sonetos Brasileiros”; Ana Osório a incluiu na sua publicação “Mulheres Ilustres”; o Dr. Ramiz Galvão publicou a biografia de Revocata em seu “Almanaque Literário”; a Gazeta de Santos divulgou artigo sobre a nossa epigrafada e estampou sua fotografia em toda a primeira página; o renomado órgão literário de Paris “La Fonde” publicou sua biografia com foto, qualificando-a como grande poetisa e intelectual brasileira. Nascida em Porto Alegre, em 31 de dezembro, filha de João Correia de Mello e de Revocata Figuerôa de Mello, deixou-nos a dúvida quanto ao ano correto de seu nascimento; para alguns, foi em 1860, para outros, em 1862, o que não é de todo relevante, considerando-se a grandeza da vida e obra de Revocata. Era sobrinha da poetisa Amália Figuêroa, que participava do Partenon Literário de Porto Alegre, e bisneta da Marquesa de Figuêroa. Faleceu em Rio Grande, em 1944, tendo ocorrido o seu velório na Loja Maçônica União Constante, com a presença do Grão-Mestre do Grande Oriente Rio Grande do Sul, desembargador Nêsio de Almeida. O cortejo fúnebre, ao passar na frente da sede do Clube Beneficente de Senhoras, recebeu homenagem na palavra do escritor rio-grandino Prof. Rúbio Brasiliano Ferreira, e no Cemitério foi enaltecida a figura da poetisa pelo Prof. Luiz Emilio Léo. Revocata é patrona da cadeira número 12 da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul e da cadeira número 35, da Academia Rio-Grandina de Letras; em nossa cidade é nome de Escola, localizada na Rua Domingos de Almeida.

opinião 3

O

s benefícios da leitura são notáveis. Se o contato com a leitura acontece desde cedo, pesquisas apontam que a criança tem um melhor aprendizado, melhor pronúncia das palavras e melhor comunicação. Mesmo antes das crianças começarem a ler, a leitura já é importante. Quando motivada pelos pais, mais prazerosa se torna a arte de ler, pois mesmo antes de conseguir juntar e compreender aquelas “letrinhas”, os pais podem estimular os filhos e inseri-los no mundo fantástico criado pelos livros. Sem contar que é muito prazeroso ler para uma criança. O hábito da leitura faz com que a pessoa que lê tenha uma melhor escrita e seu senso crítico muito mais aguçado. Não ser parte de “massa de manobra”, ter ponto de vista definido e argumentos com fundamento também são características de quem lê. E aí, reforçamos a importância de ter a leitura como hábito desde cedo. Nos dias atuais, estamos acostumados a leituras rápidas, informações instantâneas e menos papel. Será que essa enxurrada de informação compactada supre as nossas necessidades como leitores?

Depende. Temos o tipo de texto que quisermos na palma da mão, através de celulares, tablets e qualquer outro tipo de dispositivo que traga informação. Podemos ter acesso a diversas coisas ao mesmo tempo, mas temos que ter, acima de tudo, a sabedoria em classificar as coisas em úteis e dispensáveis. A tecnologia também trouxe a facilidade de carregarmos um e-book (livro em formato digital) em um pequeno aparelho. Por que não lermos enquanto nos deslocamos de ônibus até o trabalho, ou aproveitarmos para ler quando queremos relaxar, ou simplesmente naquele momento em que acordamos, mas estamos com preguiça de levantar? Ler é bom em qualquer momento. A leitura é de extrema importância na formação do indivíduo. Através da leitura adquirimos conhecimento, nos tornamos pessoas mais seguras, estimulamos o raciocínio, melhoramos nossa desenvoltura e passamos a dominar diversos temas. Leitura é hábito e bons hábitos devem ser mantidos. Então, por que não começamos a ler um livro, hoje?


4

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Zona Azul causa desconforto em motoristas em Rio Grande Foto: Gilney Huskie

Por ANDRÉ ZENOBINI

O

serviço da Zona Azul, implantado pela Prefeitura do Rio Grande há alguns anos está causando problemas para diversos motoristas, gerando reclamações tanto na empresa concessionária quanto nos veículos de comunicação da cidade. Na redação do Folha Gaúcha, são vários os casos relatados por leitores de problemas enfrentados na utilização do serviço. São 1.600 vagas do estacionamento rotativo atendido pela empresa Rek Parking. Destas, 1.300 estão no quadrilátero entre Riachuelo e Silva Paes e Fernando Duprat até a Rua Conselheiro Pinto Lima e outras 300 foram ampliadas nas ruas General Neto, General Câmara, Benjamin Constant, Carlos Gomes, Gomes Freire, Andradas e 24 de maio. O serviço facilita o estacionamento no centro da cidade, já que permite que os carros fiquem estacionados no mesmo local por, no máximo, duas horas. Os problemas no serviço estão sendo gerados na tentativa dos motoristas em pagar pelo serviço. As reclamações que surgem começam desde o despreparo dos funcionários até mesmo a falta de troco para a troca por moedas. O comércio local na região tem adotado duras medidas para não realizar as trocas de notas por moedas, já que isso prejudica no caixa dos seus estabelecimentos. As reclamações que chagaram recentemente através de leitores dão conta de uma maior fiscalização por parte da empresa concessionária que deixou de atender a tempos de tolerância de estacionamento para paradas rápidas e também a falta de troco. Quando solicitados, os atendentes respondem que a empresa não autoriza a troca de nota por moedas e que a eles não são entregues moedas para troco. Segundo André Bragagnolo, coordenador executivo do Procon Rio Grande, quando qualquer empresa prestadora de serviço não possui o valor a ser devolvido para a pessoa que está se predispondo a pagar pelo serviço o valor, deve ser sempre arredondado em favor do consu-

midor. “Troco é assegurado ao consumidor. Se não tem os centavos, tem que ser arredondado para baixo. O consumidor nunca pode sair no prejuízo”, afirma ele. Outro fator levantado por leitores do Folha é quando o horário extrapola o limite do rotativo e é acumulado para o outro dia. “O consumidor contrata o serviço para aquele momento que está usando, não se pode oferecer serviço para o outro dia, que talvez o consumidor não use, por isso, o troco é importante”, explica o coordenador do Procon. Segundo ele, as atividades da empresa serão avaliadas pelo Procon e, em caso de comprovação, será aberto um processo administrativo. Dentro da prerrogativa da entidade estão punições como multa e até mesmo cassação da concessão de serviços. Até o fechamento desta matéria, a empresa ainda não havia se pronunciado. Dentro das prerrogativas da entidade está a aplicação de punições como multa e até mesmo cassação da concessão de serviços. Resposta da Empresa O diretor de operações da Rek Parking, Ivan Costa afirma que a empresa não tem obrigação de oferecer troco às pessoas. “O parquímetro é um terminal de autoatendimento. ”Nossos monitores saem com um cartão da empresa e podem auxiliar a pessoa na hora de comprar o ticket”, diz. Segundo o diretor de operações, a pessoa que chega com notas pequenas, de dois ou cinco reais recebem o troco do ticket que consumiram. “A dica para pessoa que utiliza muito o sistema é que adquira o cartão recarregável”, recomenda. Sobre a tolerância, ele diz que isso é uma questão operacional e que a seguida por monitores é de cinco minutos. Sobre o serviço de destrato com consumidores, o diretor de operações afirma que, na última semana, trocou 90% dos monitores por conta desses casos que chegaram ao conhecimento da empresa. Os novos monitores foram treinados e já estão em atividade nas ruas.

Alfaro

Alberto Amaral

Vai ver quem é, Assis Quem se atreve e tem compromisso de assinar crônicas semanais, invariavelmente sempre anda a cata de temas nas manchetes dos jornais e no cotidiano das pessoas através de suas histórias e estórias. Nem sempre estamos inspirados ou com vontade de escrever, imaginem, então, buscar o tema e desenvolvê-lo quando estamos apossados desses dois sentimentos. O grande Zuenir Ventura, jornalista e escritor, asseverou sobre essa tarefa: “Escrever não é bom, bom é ter escrito, ler depois o que escreveu e gostar do que escreveu”. Pois bem, uma crônica assinada por Luiz Fernando Veríssimo, que dispensa adjetivações, veiculada em vários jornais e revistas do País, intitulada: “Tia Peregrina”, motivou-me a falar sobre personagens que viveram por aqui, lá na longínqua década de cinquenta. Para quem ainda não leu, a tal de Tia Peregrina, parente de Veríssimo, costumava visitá-los, permanecendo sempre muito mais tempo do que anunciava, originando um chavão até hoje utilizado na família e também por amigos, que jamais tiveram algum contato ou mesmo conheceram a tal Tia Peregrina. Alguém que se atrasa para qualquer compromisso ou se fica, ouve um sonoro: “Vamos, Tia Peregrina”. Para colocá-los na época do surgimento da expressão, título desta crônica, convido-os a viajar até a bucólica Santa Vitória do Palmar, no extremo sul do Brasil, á época com mais de 80% da sua população vivendo do setor primário e morando na campanha. Proprietários rurais, os pais de Assis atendiam às demandas familiares na área de saúde em Porto Alegre, capital do Estado e distante quinhentos quilômetros. Na metrópole, utilizavam a residência de uma querida tia minha, Maria Amaral Bainy (Fifa), como base, fato muito corriqueiro naquele tempo. A casa ficava no Bairro da Azenha, movimentada zona de comércio, com um trânsito intenso e muito barulho, tudo diferente do que Assis e sua progenitora estavam acostumados lá na fronteira, onde imperava o silêncio e a tranquilidade. A cada barulho diferente, particularmente das buzinas, já muito usadas naquela época, a mãe do menino imediatamente lhe ordenava: “Vai ver quem é, Assis”. O mesmo corria até o portão da casa e voltava frustrado e dizia a sua mãe que não havia ninguém. Com o tempo, foram se habituando à rotina da grande cidade e, consequentemente, aos seus incessantes ruídos. Ficou como lembrança a expressão: “Vai ver quem é, Assis”, usada até hoje por muitos, a maioria sequer sabe quem é Assis, menos o que lhe era mandado ver.


FOLHA GAUCHA Segurança 5

RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

de La Rocha

Ique

Sistema permite que policiais sejam alertados de atividades suspeitas enquanto elas ocorrem por MATHEUS MAGALHÃES Foto: Divulgação

Músicos da terra – Sou um grande simpatizante do presidente Márcio das Neves, que vem demonstrando muita coragem e competência para reerguer a nossa Festa do Mar. Por isso tenho a certeza que será achada uma solução para pagar os músicos da terra. Sempre se disse que Rio Grande é uma terra de músicos e vemos artistas de grande qualidade, como Gilberto Oliveira e Gambona, que mesmo buscando espaço fora daqui não deixam de dar atenção à sua terra natal, que praticamente não lhes dá nenhuma retribuição e ainda por cima pagam milhões por artistas de fora, de qualidade muito duvidosa. Isto não é admissível e age muito bem o secretário de Cultura, Celso dos Santos, em interceder pelos nossos músicos. A Festa do Mar é dos rio-grandinos, embora a gente seja forçado a admitir que muitas empresas locais não contribuem para o evento, e o dinheiro público tem de ser aplicado para a divulgação e valorização das nossas coisas e dos nossos talentos. Certamente o prefeito Alexandre Lindenmeyer pensa da mesma forma.

Câmeras de vigilância são instaladas em pontos estratégicos da cidade

Músicos da terra (II) – Até acho que a Festa do Mar deve ter uma atração nacional, mas não tirando de quem não tem, que são os músicos locais. Se tiver que decidir entre um e outro fico com a nossa gente. Frutos do mar – Rio Grande continua deixando de faturar em cima da gastronomia de frutos do mar, embora a existência de alguns restaurantes voltados para essa especialidade. Cada vez mais pessoas vão direto para São José do Norte, onde o Brisamar e os dois restaurantes da praia dão um verdadeiro show em qualidade e preço. Também aguardo o dia em que nossa Festa do Mar terá em sua gastronomia serviços semelhantes aos prestados no vizinho e belo município nortense. Auge do veraneio - Estamos no auge do veraneio. Dia 1º abre a safra do camarão, sempre cercada de grande expectativa. Teremos, ainda, a grande festa de Iemanjá, no Cassino, e em São José do Norte a belíssima procissão marítima de Nossa Senhora dos Navegantes, que vem até Rio Grande e sempre atrai uma multidão. Logo ali tem o Carnaval do Cassino. Pena que a virada do mês também nos faz iniciar a contagem regressiva para o final do veraneio, que fica cada vez mais próximo. Centro Petrobrás de Referência Esportiva – Uma bela notícia é que Rio Grande ganhou o Centro Petrobrás de Referência Esportiva, que vai desenvolver o esporte educacional na cidade e municípios vizinhos, beneficiando centenas de alunos da rede pública. É mais uma vitória de Alexandre Lindenmeyer, que idealizou o projeto para Rio Grande, através da Fundação Sócio Cultural Esportiva do SC Rio Grande (Funserg), hoje tendo à frente o comerciante Emílio Louzada. Provavelmente nos próximos dias teremos mais novidades. Comunidade Navegantes – A Comunidade de Nossa Senhora dos Navegantes, situada no Lar Gaúcho, está em festa na homenagem à sua padroeira. Para isso, foi elaborada uma grande programação, que está sendo divulgada pelo presidente Celso Pinto. Nesta quarta-feira, 30, às 20 horas, será celebrada missa pelo diácono Cláudio Nascimento, tendo como convidados a Legião de Maria e o Apostolado da Oração. Na quinta-feira, 31, a missa das 20 horas será celebrada pelo padre Raphael Colvara Pinto e os convidados serão os integrantes do Movimento Familiar Cristão. Na sexta-feira, dia 1º de fevereiro, também às 20 horas, haverá missa e procissão. Será celebrante o padre José Francisco Giribone e convidados o Movimento de Cursilho da Cristandade. No sábado, dia 2 de fevereiro, a missa festiva será às 9 horas, celebrada pelo padre Gil Raul Pereira Junior. Após, ao meio-dia, no Salão Comunitário Lar Gaúcho haverá um almoço de confraternização, ao preço de R$ 15. Será servido frango assado, salsichão, massa alho e óleo e ao molho, arroz, polenta e saladas. Brigada Militar – Mesmo com as limitações materiais e humanas, como sabemos, é incrível o trabalho da Brigada Militar. Todo dia o excelente serviço de Comunicação do 6º BPM informa prisões de marginais pela corporação, tanto aqui como em São José do Norte. Os brigadianos merecem nosso reconhecimento.

E

m seu mais célebre livro, George Orwell descreve um futuro assustador onde um governo totalitário controla as pessoas e retira a liberdade individual, utilizando câmeras nas ruas e até mesmo dentro das casas para saber tudo o que acontece no dia a dia e na intimidade dos cidadãos. É deste livro que o termo “Big Brother” surgiu, um poderoso estado que controla tudo e a todos através de constante espionagem. Entretanto, nem sempre a ideia de ter câmeras espalhadas pela cidade pode ser negativa, ao passo de que elas podem estar zelando por nossa segurança. A cidade de São Paulo, uma das maiores do Brasil, já opera com mais de 200 câmeras espalhadas em diversos pontos estratégicos da cidade. O nome para este equipamento é “videomonitoramento”, com câmeras espalhadas pela cidade fazendo a vigilância e permitindo que criminosos sejam identificados com grande facilidade. Em Rio Grande, o Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) implantou cerca de 30 câmeras instaladas em diferentes locais da cidade, em investimento de R$ 800 mil, captado através de parceria com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), que foi destinado para compra das câmeras, monitores, computadores e gastos com a fibra ótica. Vinte e seis delas funcionam através de envio das imagens por fibra ótica, enquanto as outras quatro trabalham através de rádio. A finalidade destas câmeras não apenas está em identificar criminosos mas também o monitoramento de qualquer atividade suspeita, que pode ser evitada através de comunicação com algum agente da Brigada Militar ou Guarda Municipal que esteja perto da localidade.

O equipamento possui capacidade de fazer ronda automática, podendo girar em 360º. Apesar disto, a câmeras também podem ser movimentadas através de comandos de operadores que estarão na central da polícia. Sua capacidade de armazenamento é de até 30 dias e elas possuem zoom de 35x, para que a obtenção de imagens aproximadas da face ou de armas em suspeitos possa ser atingida. Junto da aquisição destas câmeras, monitores de alta resolução são responsáveis por exibirem o conteúdo que está sendo captado para os operadores. As imagens gravadas servem de prova para inquéritos policiais que serão apresentados à justiça. Desta maneira, qualquer atividade que seja flagrada pelas câmeras constitui prova importante e pungente para a promotoria. O GGIM estipulou, através de reunião no dia 27 de dezembro, um aumento do número de câmeras instaladas que constava em 23 até o fim do ano passado. A central do GGIM também mudou de lugar e agora se situa na Rua Vice Almirante Abreu, junto ao antigo prédio do Departamento Autárquico de Transporte Coletivo (DATC), em locação que recebeu aporte do investimento do Pronasci para ser reformada. As câmeras de vigilância já apresentaram resultados: recentemente, um casal que estava tentando furtar luminárias de uma loja no calçadão foi surpreendido pela ação de policiais, que foram alertados da atividade criminosa através do uso das câmeras. Apesar de ser um crime relativamente “pequeno”, é uma prova de que o sistema deve ser um catalisador para que a segurança da população e lojistas seja elevada e possa tornar nossas ruas mais seguras, sob o jugo do olho eletrônico e a ação humana em parceria.


6

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

40ª edição da Feira do Livro

Ladislau Faria Junior

oferece programação diversificada

Vejam o que Deus fez - 3

Feira deve trazer artistas e escritores para palestras, shows e sessões de autógrafo por MATHEUS MAGALHÃES

T

Foto: Gilney huskie

eve início a Feira do Livro na última Praça Didio Duhá no Bairro-Balneário Cassino. quinta-feira, dia 24 de janeiro. Para O Ponto de Cultura ArtEstação localiza-se na abrir a festa, que celebra a 40ª edição, Av. Rio Grande, número 500. Renato Borghetti e Big Band. A feira este ano apresenta o tema “tanta história para Os destaques da programação para o Palco contar” que, de acordo com os organizadores, é Literário e Cultural foram listados abaixo: um resgate da memória destes 40 anos de realização, uma longa caminhada que imprimiu na 26/01 – 21h: Palestra com Charles Kiefer “Escidade a importância da literatura e da atividade crita criativa, uma revolução pedagógica” - 22h: cultural em torno desta arte. Show Gambona e Ale Ravanello “Bourbon O patrono desta edição é o professor da UniBlues”; versidade Federal do Rio Grande (Furg) Luiz 27/01 - 21h: Palestra com o cineasta Carlos GerAugusto Andreoli de Moraes, que já esteve na base “A prática da adaptação da literatura para o história da feira através de seus livros, cinco já cinema” - 22h: Show Mali e Banda (SESC Rio publicados. Dentre as atrações para este ano, a organização preparou conversas literárias com temas sobre cinema, poesia, criatividade, jornalismo e religião. Será também oferecido espaço destinado ao público infantil, bem como haverá sessões de autógrafos com os escritores e palestrantes que estarão presentes na programação e apresentações culturais de dança e música. A feira também terá atividades integradas com o Ponto de Cultura ArtEstação.Dentre Espaço já está preparado para receber as atrações, no dominleitores de todos os lugares go (27/01) terá início o IX Ciclo de Cinema no Canadá, com orgaGrande); nização das professoras Sylvie Dion e Kelley 28/01 – 21h: Encontro com os Poetas de PijaB. Duarte, com exibição do filme “Incendies”. ma “Lançamento da Obra Poética” (Intervenções No dia 28 haverá a exibição de “Le déclin de com o palhaço Bolaxa) - 22h: Show da Banda l’empire américain”, no dia 29 “Les invasions Volt; barbares” e o ciclo encerra com a exibição de 29/01 – 21h: Encontro com os patronos “40ª Fei“La grande séduction”, no dia 29. ra do Livro: Tanta História para Contar” - 22h: A programação de eventos para o ArtEstação Grupo NUTI Dança Furg - 22h15: Apresentação encerra com o 5º EQN – Encontro do Quadrinho de peça com Flato do Gato “A Viúva Alegre”; Nacional. Como 30 de janeiro foi instituído o dia 30/01 – 21h: Conversa com o poeta Mario Pido quadrinho nacional, o evento deve acontecer rata “Roda de Poesia com Mario Pirata” - 22h: no dia seguinte (31/01) e celebrará a data com a Mágico Thélvis “O Sonho Mágico do Chapeleiro presença de palestrantes e artistas da área. DenMaluco”; tre os destaques: Everton Cosme fará palestra 31/01 – 21h: Palestra com o escritor Juremir Masobre quadrinhos de ficção científica; Law Tischado “História e jornalismo na literatura” - 22h: sot lançará o fanzine “X-Tro #7”,com a presença Apresentação da peça com Teatro Vagamundo do grafiteiro Diego Franz, que conversará sobre “La Perseguida” (SESC Rio Grande); quadrinhos e grafite; Jayme de Freitas apresen02/02 – 20h: 6º Encontro literário juvenil “Casa tará videos baseados nos quadrinhos Homens de do Poeta Brasileiro” - 21h: Palestra com Profº Preto, de Emir Ribero, e O Ogro, de Juliano ShiJayro Pereira de Jesus “Mitologia dos Orixás” mamoto; o cartunista Lorde Lobo palestrará so22h: Mostra Cultural Rede de Pontos de Cultura bre os quadrinhos como possibilidade financeira da Furg; e Ricardo Freitas falará sobre sua obra. O evento 03/02 – Encerramento - 21h: Encontro com a tem início às 20h e é aberto para a comunidade. Academia Rio-grandina de Letras - 22h: Show A 40ª edição da Feira do Livro acontece na Orquestra Rossini.

U

ma ocasião li no vidro traseiro de um carro um adesivo que dizia: “não me siga, porque não sou novela”. Quero dizer com isso que, em questão de experiência com Deus, nada se repete da mesma forma, por exemplo, o mar nunca mais se abriu para ninguém, isso aconteceu apenas uma vez. Um fogo que não queimava a árvore, que foi vista por Moisés, nunca mais apareceu da mesma forma. Quer dizer, em questão de fé as coisas acontecem personalizadas. Deus faz as coisas com cada individuo. Aliás, houve um grupo de homens que queria imitar o Apóstolo Paulo e não deu certo, inclusive o espírito mau que estava sobre a pessoa que aqueles homens queriam expulsar, “Em nome de Jesus a quem Paulo prega”, se apossou deles e os espancou. Estou dizendo isso para que ninguém pense que vai acontecer a mesma coisa consigo, como aconteceu comigo. A verdade é que Deus nos trata com sabedoria e dentro da configuração de vida de cada individuo. Uma coisa, entretanto, devemos saber: Deus não dorme, ele vigia sobre a vida dos seus filhos e age a favor deles com poder! Vejam bem esse caso: eu nunca possuí plano de saúde, as condições financeiras não me permitiram esse bem, que é tão comum hoje em dia. Entretanto, “Deus tem sido o meu socorro” em todos esses anos. Quando aparecia algum problema, eu recorria a Deus. Deus nunca disse: deixa comigo que resolvo isso, não, Ele sempre agiu de forma secreta e sutil, sem alarde e sem barulho; Ele agiu, e isso eu bem sei. Ainda há pouco minha esposa estava com problema sério de saúde e iniciamos um tratamento pelo SUS. Essa nomenclatura, todos sabem e tremem, é a coisa mais incerta do mundo. Os médicos diziam: isso pode virar um câncer, tem que operar! Mas nada de sair a tal da operação, inclusive, após um ano de tentativa, esse caso foi parar no Ministério Público, que, a bem da verdade, tratou do caso com muita presteza. No entrevero que causava o problema, lá estava o “servo do Senhor” de joelhos diante do seu socorro, todo o tempo, sem desacreditar que “Deus é socorro bem presente na hora da angústia”. Por fim, saiu a ordem para a cirurgia tão esperada. Como o caso era antigo, os exames tiveram que ser feitos de novo e, para surpresa do médico, não minha, minha esposa não tinha mais nada! Aí te pergunto: há um plano de saúde mais eficiente na Terra? Há 60 anos leio a bíblia e suas promessas. Por exemplo, há uma que é chamada de “telefone de Deus”, Exequiel 33:3 “Clama a mim e responder-te-ei!” O que aconteceu foi que Deus respondeu! É isso que creio! Volto a recomendar: não me siga, esse caso diz respeito a mim, e unicamente a mim, entretanto você pode ter as suas próprias experiências com Deus, você pode colocar a sua confiança em Deus. Isso significa ter fé, confiar, caminhar com o Senhor. Tenho certeza, Deus vai abençoar você, não igual a mim, mas igual a você mesmo, tal experiência terá a sua cara! Que Deus te ouça, também!


LOCAÇÕES ( ( ( ( ( ( (

)Sala Comercial com Banheiro- Vice Almirante Abreu........R$ 550,00 )Loja – 24 de Maio- salão com banheiro ........................ R$ 3.000,00 )APTO Centro 2 dor 1 com suíte, sala, coz, WC, 3áreas .....R$ 1.100,00 )CASA João Alfredo 2 dormitórios, sala, cozinha, banheiro..R$1.900,00 )Sala Comercial Benjamin Constant ................................R$ )CASA Barão de Cotegipe 2dorm, sala, coz, WC, área.........R$1.600,00 )CASA Andrade Neves 2dorm, sala, coz, WC, área.............R$1.600,00

VENDAS APARTAMENTOS ( )B.COTEGIPE – Ap. 1 D. sal, cozinha, banheiro ................ R$115mil (..)COND.MARCILIO DIAS – AP. 1 dormitório ................... R$103mil (..)L.LOREA- Ap. 2D., sala, ampla,coz.wc, lavand. E área.... R$ 255mil (..)BACELAR- Ap.3D.2Wcs.,sala e coz. Amplas, de frente..... R$318mil (..)M.COUTO-Ap. 1D., D+dependências – financia .............. R$ 106mil ( )WALDEMAR DUARTE 2Dor., térreo, todo reformado, financiaR$155 mil

CASAS ( ) BARAO COTEGIPE -casa para demolição-.........................R$ 175 mil ( )VAL PORTO casa 3 dor, 2 Wcs. e garajao- ..................... ..R$ 250 mil (..)NASCIMENTO–2D, 2 salas,3Wcs.,pátio c/churrasq............. R$ 403mil (..)P.S.PEDRO-casa 2D.,WC + 5 Kitnetes.............................. R$ 215mil (..)CASSINO-casa 3D. d+dependências e piscina................... R$ 320mil (..)P.COELHO-sobrado 3D, 1suite,D+dep.pátio, entrada carro R$ 130mil (..)CASSINO-casa 3D.,2salas, lavand. Alpendre, piscina........ R$ 297mil (..)N.COELHO- casa 2 Dormitorios, necessita reparos........... R$ 96mil (..)MAUÁ-casa 2D., sala, coz. Banheiro e área .................... R$ 245mil (..)C.NOVA-Terreno de 6,0m X 30,0m,c/casa p/reforma..........R$ 160mil (..)C.NOVA-Terreno de 8,5m X 22,0m .................................R$ 200mil (..)MUNICIPAL- Terreno de 8,0mX30,0m, esquina.................R$ 191mil (..)N.LAUREANO – Proximo ao Forum térreo de 6,5mX29.......R$ 250mil (..)P.BANDEIRA – Loja num terreno 10,0mx40,0m + terreno..R$ 320mil (..)P.VARGAS, terreno de 16,50X210m, com casa – consulte-nos (..)G.NETO –AMPLO SOBRADO C/ 16 PEÇAS, ÓTIMO PONTO COMERCIAL “ESTAMOS CADASTRANDO IMÓVEIS PARA LOCAÇÃO E VENDA” 24.01.2013

Cassino 3236.1308 3201.9883 Você sonha, nós realizamos Especializada em vendas - Casa Demostenes Guedes: 1 dormitório grande, cozinha ampla, garagem 2 carros com churrasqueira. R$212,000.00 aceita CEF. Boa localização. - Casa Elio Selistre, Casa 3 dormitórios, sala, cozinha, churrasqueira, piscina, lareira, wc e kit net nos fundos R$375,000.00. Aceita CEF, Rua pavimentada. - Casa Alamo 3 dormitórios sala com sala de jantar ampla, cozinha, wc social, canil, piscina, lavanderia. Imóvel com alto padrão de acabamento. R$450,000.00. aceita CEF. - Casa Caçapava, 3dormitórios, sala ampla, suite, cozinha com sala de jantar, patio, garagem a meia quadra Av. Rio Grande. 550,000.00 Aceita CEF. - Casa Gramado, 2 dormitórios, sala, cozinha em alvenaria e wc, terreno 10x30. R$210,000.00. À vista. A uma quadra da praia. - Casa Candido Coza Sobrinho, 4 dormitórios, sala com cozinha, piscina, lavanderia. R$308,000.00 aceita CEF. - Casa José Salomão, duas casas no mesmo terreno cada um com 2 dormitórios, sala, wc e cozinha, garagem para 2 carros, piscina. Aceita CEF. R$425,000.00. - Casa Taquarimbó, 2 dormitórios, sala, wc, garagem 2 carros, cozinha, R$185,000.00. - Casa rua 23, Próximo ao Horto, chalé 2 dormitórios, sala, cozinha e wc em alvenaria, terreno 10x30. À vista R$140,000.00. - Casa Eurico Bianchini, duas casas no mesmo terreno, quatro quadras Av, Rio Grande. R$265,000.00. - Casa Antonio Fonseca de Moraes, chalé 3 dormitórios, sala e cozinha, wc, área de lazer com churrasqueira. R$260,000.00. - Casa Luiz Germano, sobrado 3 dormitórios, sala ampla, cozinha, 2 wc, sacada, 2 áreas de luz. R$350,000.00 Aceita CEF.

Excelentes Imóveis. Venha conferir.

Rua Itaqui, 584 - Cassino.

Plantão de vendas:

8415.4848


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Vera Armando

Entrevista 9

Jornalista, apresentadora e Consul do Sporte Clube São Paulo

A mulher conquistou reconhecimento a partir das oportunidades que foi conquistando.

surgindo também. Como é essa experiência?

da torcida, esse ano o São Paulo sobe!

V.A. - Trabalho como mestre de cerimônias desde o início, assim como apresentadora. Fui recebendo convites e acabei gostando bastante. É um trabalho recompensador por me proporcionar conhecer outras cidades fora do Estado e até do País, como a oportunidade que tive em um congresso brasileiro em Miami, por exemplo. Não tenho muito tempo para conhecer as cidades, nesses casos, mas aproveito ao máximo para absorver conhecimento e observar questões de infraestrutura e desenvolvimento sustentável, comparar regiões e poder transmitir esse conhecimento para onde eu vivo.

F.G. - Sendo uma mulher que recebeu prêmios pelo destaque feminino do ano, entre outros, e tendo participado da antiga TV Mulher, como enxerga a evolução e importância social da mulher hoje em dia? Os espaços foram conquistados?

F.G. - E como fica a saudade do Rio Grande? V.A. - É enorme! Procuro voltar sempre que posso, mesmo que o tempo seja curto. O meu maior sonho é um dia poder voltar a viver aqui e contribuir muito, ainda, para a cidade, mas é difícil, agradeço muito tudo o que conquistei em Porto Alegre. F.G. - Para alguém que é do Rio Grande e trabalha há tanto tempo fora, como está sendo a visão desse crescimento da cidade?

V

era Armando é uma filha ilustre do Município do Rio Grande. Mesmo saindo ainda cedo da cidade, ela segue amando sua terra natal como se nunca tivesse partido. A atual apresentadora do programa Pampa Meio Dia, na TV Pampa mudou-se para Santa Maria aos 17 anos e foi lá que se viu nascer para o jornalismo e concluiu a faculdade de Publicidade e Propaganda, na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Além de jornalista, Vera trabalha também como mestre de cerimônias, uma paixão que, segundo ela, proporciona experiências ainda maiores, inclusive fora do País. Elege o rádio e a televisão como seus veículos de comunicação preferidos, onde encontra confortavelmente o seu espaço para trabalhar. Folha Gaúcha - Vera, como foi o início da sua carreira e descobrir o jornalismo? Vera Armando - Aos 17 anos, eu acabei me mudando para Santa Maria, embora contrariada. Minha família iria se mudar e na época eu precisava ir junto. Lá, eu acabei ingressando no curso de Publicidade e Propaganda e, através de um concurso, eu acabei indo para a televisão. Desde criança eu gostava de brincar que era apresentadora e falar bastante, todo mundo tinha que me aguentar! F.G. - O trabalho de mestre de cerimônias acabou

Por ANDRÉ zENOBINI

V.A. - Atualmente, a cidade é um dos destaques nacionais sem discussão. É uma realidade esse crescimento e se fala muito nisso e nas oportunidades que estão nascendo aqui. Esse é, sem dúvidas, o momento do Rio Grande. F.G. - O crescimento é grande, mas como rio-grandina, o que pensa estar faltando para a cidade? V.A. - Eu me preocupo muito com a cultura, o turismo e o desenvolvimento sustentável. Acredito que o mais importante é construirmos um Rio Grande voltado para o rio-grandino. Claro que aqueles que estão vindo morar aqui são bem recebidos, mas não podemos esquecer do povo que nasceu, vive e trabalha nessa cidade. O trânsito é uma questão muito delicada, que precisa de ajustes, assim como a limpeza da cidade, mas em momento algum podemos nos esquecer dos prédios históricos. Fiquei muito feliz ao saber que o Clube Caixeiral será reformado. Gostaria de ver os históricos azulejos das calçadas sendo preservados, porque contam a história do Rio Grande. F.G. - Como é o trabalho de consulesa do Sport Club São Paulo em Porto Alegre? V.A. - É a demonstração do meu orgulho pelo time! Procuro sempre conversar e levar para fora do Rio Grande a história do time, as necessidades que sabemos existir, o orçamento e as vitórias. O clube está em uma fase de crescimento, há um trabalho muito forte sendo feito por pessoas que vestem realmente a camisa. E, se depender

V.A. - A mulher conquistou reconhecimento a partir das oportunidades que foi conquistando. Houve, sim, nesse passar do tempo uma quebra de paradigma e preconceitos, enquanto a mulher provava que ela era capaz. A ex-governadora do Estado, Yeda Crusius, e a própria Dilma são exemplos disso. E essa prova veio de forma natural, exercendo o seu trabalho, porque a mulher tem habilidades, é conciliadora e organizada. Porém, nós sabemos que ainda existem casos onde o salário feminino é inferior ao masculino num mesmo cargo. A Lei Maria da Penha é uma conquista, mas, e depois? A mulher precisa de abrigo, amparo e proteção. F.G. - E o jornal impresso, acredita que irá acabar? V.A. - Não. Quem gosta do jornal, vai continuar gostando. Nada substitui o cheiro e a textura do papel. Eu compro muitos livros e gosto, preciso sentir a página na minha mão. F.G. - Além desse papel de agente social como denunciador, a televisão recebe muitas críticas, principalmente programas de entretenimento como o Big Brother Brasil (BBB). Isso caracteriza uma crise da televisão brasileira? V.A. - Há sempre o programa bom e o ruim. Os meios são muito dependentes da parte comercial, e o Ibope é quem dita os resultados, que determina os programas rentáveis. Há programas para todos os gostos, e há, inegavelmente, aqueles de baixa qualidade. F.G. - No trabalho diário de um jornalista ele acaba lidando com realidades e lados humanos das reportagens que podem levar à indignação. Qual o tamanho desse aprendizado e a gratificação do trabalho? V.A. - Acabamos nos deparando com situações que trazem inconformidade: abandono de crianças e idosos, tráfico de drogas, pedofilia, segurança, principalmente a saúde, onde um cidadão precisa esperar meses para um único exame. Esse lado humano choca realmente, e, na frente da câmera, é preciso não perder a postura, não sair do sério, mesmo sendo difícil. O que gratifica é saber que o trabalho feito na televisão ajuda a mostrar esses problemas, cobrar medidas dos responsáveis. Nós damos voz ao povo que não é ouvido e denunciamos essas realidades injustas.


10 priNcipal

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Carnaval familiar do Cassino com os dias contados? Já no Sambódromo,Carnaval será de apenas dois dias POR IQUE DE LA ROCHA

A

Datas diferentes para o Cassino e o Sambódromo Existe a esperança de que nosso Carnaval, com o novo governo do Município, também terá novos rumos. Claro que as mudanças não têm como ocorrer neste ano, porque o novo prefeito recém assumiu, enquanto a organização e os recursos teriam de ser liberados com antecedência. Por isso, provavelmente o que o público rio-grandino vier a assistir em 2013 será simplesmente reflexo do que já vinha acontecendo. Mas uma preocupação já existe da parte de quem gosta de Carnaval: a separação das datas dos carnavais do Sambódromo e do Cassino, que sempre ocorreram simultaneamente. No bairro-balneário, ele será realizado no período correto, em fevereiro, enquanto no Sambódromo será em março, fora de época, portanto. Era comum as pessoas dizerem que para o Carnaval do Cassino continuar com seu clima familiar, onde pais, filhos, avós, todo mundo se divertia sem problemas, teria de haver o do Sambódromo. Caso contrário, o “povão” iria em peso para o bairro-balneário e o ambiente familiar rapidamente se dissiparia. Não se trata de rico ou pobre, mas quando se encontra todo o tipo de gente, é certo que também os bader-

Fotos: Divulgação

té pouco tempo o rio-grandino podia se orgulhar pelo fato de Rio Grande possuir três carnavais ao mesmo tempo: o oficial do Sambódromo, o popular da Cristovão Colombo e o familiar do Cassino. As opções diversificadas até compensavam a limitação das entidades, pois diversão era o que não faltava. Lamentavelmente, apesar da tradição de nosso Carnaval, nos últimos anos nossas entidades viveram à míngua. Além de não terem condições de se manter por suas próprias forças, o Poder Público pouco destinou a elas, que são quem verdadeiramente faz o espetáculo. Ano passado, com o surgimento da Liga Independente das Escolas de Samba, havia a esperança de que as coisas iriam melhorar, que as entidades seriam ouvidas, mas não foi o que se viu neste primeiro ano de Lieesa. Pelo contrário, pouco foi feito em favor das entidades e quem deveria organizar nosso Carnaval ainda contribuiu para a desorganização já na primeira noite, permitindo que os desfiles verdadeiramente iniciassem à meia-noite, quando deveriam iniciar às 22 horas. Quem entende um mínimo de Carnaval sabe que o cumprimento do horário é uma regra básica para o bom andamento do desfile, caso contrário, ele desanda e afasta o público, que não vai ficar até o dia raiar para assistir a um concurso sem maiores atrativos. Há promessa de que neste ano os horários serão cumpridos à risca.

neiros, os maus elementos e as pessoas de má índole vão junto. Este é o temor que estão vivendo os cassinenses, embora muitos de lá mesmo observem que o Carnaval da Avenida Rio Grande há um ou dois anos deixou de ser familiar. O repórter Luiz Fernando Oliveira concorda que o clima familiar já não existe mais no Carnaval do Cassino. E a decisão da Lieesa em separar as datas irá piorar o Carnaval oficial do Sambódromo. “Vai todo mundo para o Cassino e ninguém mais vai querer saber do Carnaval no Sambódromo, mesmo ele acontecendo fora de hora. Concurso público já era”, entende ele. O “Folha Gaúcha” ouviu moradores, veranistas, empresários e participantes de blocos que saem no Cassino. A maioria concorda que o clima familiar dificilmente se manterá, embora dentre eles haja quem, mesmo assim, gostou de haver um carnaval exclusivo

para o balneário e outro para o Sambódromo, fora de época. O que ninguém deseja é que a violência se faça presente no carnaval, este o maior temor dos foliões. Policiamento e verba Nossa reportagem procurou saber os reais motivos para a separação das datas dos carnavais do Cassino e do Sambódromo. A justificativa da Lieesa era de que os dois eventos, separados, receberiam grande público. Mas teve outros motivos, como a verba das entidades que não foi liberada pelo governo anterior, enquanto o atual governo, recém assumindo, não teria condições de liberar recursos em poucos dias. Também foi levada em conta a questão do policiamento. Neste ano, ao que consta, não há efetivo policial para garantir a segurança em dois eventos simultâneos. Daí a decisão de colocar o Carnaval oficial em março.

Fotos: Divulgação

Dominó comemora 10 anos O Bloco Dominó pretende sair às ruas com cerca de 150 componentes para comemorar os 10 anos de existência. A entidade está ensaiando às terças e quintas-feiras, a partir das 21h30, no bar Free, situado na esquina da Avenida Portugal com a Marechal Deodoro. O presidente Valdir Gonçalves de Souza, o Didi, diz que a intenção é sair no centro da cidade e no Cassino. No bairro-balneário os desfiles acontecerão dias 8, 11 e 15 de fevereiro, sendo que no dia 17 será a vez da tradicional visita ao

Asilo de Pobres do Rio Grande, quando o bloco levará alegria e diversão aos internos daquele estabelecimento. Se acontecer o Carnaval na Rua Cristovão Colombo, o Dominó também estará lá. O Dominó continua com Mestre Baurú como regente da bateria e os interessados em participarem do bloco poderão se apresentar nos ensaios. O presidente Didi também informa que, na próxima semana, estarão sendo vendidos os kits para os integrantes e simpatizantes, com camisa e chapéu, ao preço de R$ 30.


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Conquista-se crédito ao longo de 30 anos... e pode-se perdê-lo em 30 minutos

O

ditado é antigo, mas é atualíssimo. E o Brasil corre esse risco, ao ter aprovado, pela Câmara, o projeto de redistribuição dos royalties do petróleo. Desconstrói-se um sólido conceito firmado junto às comunidades de investidores nacionais e internacionais. Claro que não haveria problema em se criar normas para explorações novas, mas afetar a regra das antigas, convenhamos! Ficamos muito mal na foto! O Brasil, como um todo, perde. O País se prepara para lançar concorrências para exploração de petróleo e gás (nossas reservas poderão dobrar em dez anos e poderemos exportar até 1,5 milhão de barris/dia. Assim, quem puder comprar ações da Petrobrás, que estão baratas, e tiver paciência para aguardar os frutos, não se arrependerá), rodovias, energia elétrica, aeroportos e obras de infraestrutura geral. A incerteza faz os bons investidores, as empresas melhores, aumentarem a percentagem de margem de risco. E corremos o risco de empresas pouco sólidas, aventureiras, ganharem as concorrências, com sérios riscos de qualidade e não cumprimento de prazos. É a regra! A boa nova da semana é o início da operação do navio Rômulo Almeida, gigante de aço entregue nesta semana para a Transpetro. O navio tem 183 metros de comprimento e será comandado pela primeira mulher brasileira – Hildelene Bahia - habilitada para tal, como capitã de longo curso. As mulheres estão fazendo história. Em Rio Grande, além de termos a primeira reitora da FURG, temos outras mulheres que, podem apostar, vão fazer história e um bem danado para a cidade: Mirian Balestro, Secretária do Meio Ambiente. Temos acompanhado entrevistas que ela tem concedido à Nativa, com o repórter Oliveira. Seu discurso é coerente, demonstra conhecimento técnico dos problemas de sua área e transmite uma baita disposição e magnetismo para atrair colaboradores para enfrentar as mazelas – muitas – do meio ambiente em nossa cidade. Tem deixado claro que o poder público não pode, sozinho, resolver os graves problemas sem a cooperação efetiva da população. Está correta. E a mídia tem o dever de apoiar as iniciativas, notadamente no que se refere à mudança de hábitos e cultura do descarte de entulho. Lugar de lixo é no lixo. Desleixo com o meio ambiente é risco elevado, como o uso de drogas. Se ninguém denunciar, ninguém der bola, quando nos damos conta, o estrago está feito. E, dá para recuperar, mas... igual não fica. Lu Compiani Branco, agora em voo solo, sem a sombra do marido, e livre das encrencas que acabava tendo de enfrentar em razão de sua condição de primeira dama, agora poderá usar todo o seu potencial criativo e combativo na Câmara para o bem de nossa comunidade. nerinopiotto@globo.com Economista*

Empresário faz críticas a Rio Grande em Águeda Ex-diretor da Escola Camões não se deu bem aqui e saiu falando mal

N

o ano 2000 o brasileiro Lino Vinhal, que desde 1975 mora na cidade de Águeda, aproveitando a geminação de Rio Grande com a cidade portuguesa, implantou aqui a Escola Técnica Camões, que acabou fechando suas portas três anos depois. Atualmente ele trabalha com exportação e importação e surpreendeu ao conceder uma entrevista ao jornal “Região de Águeda”, publicada dia 6 de janeiro. Vinhal simplesmente detonou com Rio Grande. Indagado sobre a escola que abriu em Rio Grande, ele não teve dúvidas e disparou: “Hoje não voltaria a fazê-lo, porque Rio Grande é final de linha. Está muito distante do verdadeiro Brasil”. Entre outras coisas o empresário, que foi mal sucedido em nossa cidade, disse que “Rio Grande não é um bom local para se investir. Não conheço nenhum empresário de Portugal que tenha interesse em investir em Rio Grande, que é a última cidade do Sul do Brasil. Está muito distante. Está a duas

POR IQUE DE LA ROCHA

Fotos: Divulgação

Economia e Opinião

11

horas e meia de avião de São Paulo”. Na entrevista Lino Vinhal também reclamou da falta de apoio em Rio Grande para sua escola. “Em termos de terrenos ou ajudas monetárias, não tivemos qualquer apoio”.

Diniz Júnior rebateu as críticas

“Esse cidadão está desinformado” O jornalista Diniz Júnior tomou conhecimento do posicionamento de Lino Vinhal através de uma amiga, residente em Águeda, que lhe enviou cópia da entrevista. Ele repercutiu as críticas em seu site e no site da revista Conexão Marítima, da qual é editor-chefe. O jornalista também enviou e-mail à redatora-chefe do jornal “Região de Águeda”, Isabel Gomes Moreira, onde salienta: “O que ele coloca não tem a ver com a realidade de Rio Grande hoje. Esse cidadão está totalmente desinformado. Também sou editor da Revista Conexão Marítima com sede em Rio Grande, mas de circulação

nacional. No meu site (www.portosmercados.com.br) postei uma matéria sobre os atuais investimentos em Rio Grande, em função do Polo Naval que está se instalando na cidade. O mundo inteiro tem um olhar de enormes meganegócios para a cidade e para a região. Não é à toa que a Petrobrás elegeu Rio Grande como ponto estratégico para as suas operações no pré-sal. Se precisarem de alguma informação, não hesitem em entrar em contato”. Diniz também enviou o link de seu comentário com a lista dos investimentos que estão sendo feitos e os previstos para o Município.


12 social

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

eduardo soares Membro da Federação Brasileira de Colunistas Sociais e da Associação de Colunistas Sociais do Rio Grande do Sul

Festa do Sorvete Com quase 40 anos de tradição, a Casa das Senhoras dos Rotarianos promove neste domingo 27, a partir das 20h, na Sociedade Amigos do Cassino, mais uma edição da Festa do Sorvete. A 34ª Festa do Sorvete terá animação do radialista Carlos Gentil e sua equipe composta por Sandro Vieira, Tubsom e dos DJs Robson e André. Muitas brincadeiras serão realizadas durante a festa, para tornar as festividades inesquecíveis para as crianças, tais como aulas de danças e show de luzes e som. Serão sorteadas três bicicletas no decorrer do evento. Cada ingresso custa R$10,00 e dará direito a três sorvetes. SAC e as atrações deste verão Nas fotos da coluna deste sábado, você confere algumas presenças que lotaram o salão principal da Sociedade Amigos do Cassino na sexta-feira que passou, dia 18, durante a empolgante apresentação do sambista Dudu Nobre. Em fevereiro, que já está quase chegando, muitas atrações complementam o calendário de verão do clube. Devido ao enorme sucesso, no dia 03/02 mais uma apresentação do Guri de Uruguaiana, para quem não conseguiu convite na primeira apresentação, que lotou o clube. O Carnaval será dias 9 e 11 para adultos e dias 10 e 12 para as crianças. Ainda o Jantar de Aniversário, que comento mais adiante e, para fechar a programação de verão 2013, o Show doTremendão, Erasmo Carlos, no dia 15 de março. www.sacrg.com.br

No show de Dudu Nobre a mesa animada com Márcia Nader, Maria da Graça e Luis Heitor Lopes, José Nader e Tirza Soares

Mulheres da sociedade curtiram Dudu Nobre

Erasmo Carlos na SAC, 15 de março

Convite Meu amigo Gilberto Cristino Durante, secretário de turismo de Bento Gonçalves, me envia convite para atrações da Bento em Vindima 2013 e, entre alguns destes eventos, repasso aos leitores que estiverem pela Serra Gaúcha em fevereiro e março. Mais informações ou detalhes pelo e-mail denise.holleben@ bentogoncalves.rs.gov.br. Para quem nunca foi, é uma das mais belas experiências para os apreciadores do vinho. Abertas as inscrições para o concurso Fotografando a Vindima O 4º Concurso “Fotografando a Vindima” está com Abdala Kalil Nader e sua bela esposa, com Isabel Rachelle e Wilson Ito


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

social 13

Fotos da coluna: Sarah Magalhães

conexao.soares@gmail.com

inscrições abertas até o dia 10 de fevereiro de 2013. A promoção integra o Bento em Vindima, e podem participar fotógrafos amadores e profissionais. As inscrições são gratuitas. A ficha de inscrição e o regulamento completo estão no www.serragaucha.com. Os trabalhos inscritos devem ser inéditos, dentro do tema “Fotografando a Vindima” - paisagens rurais, parreirais, lidas com a videira, colheita, vinícolas, elaboração de vinhos, espumantes e sucos, edificações e arquitetura de vinícolas históricas, arqueologia da arquitetura vinícola, gastronomia, onde os vinhos e espumantes compõem a montagem da mesa e/ou a elaboração do cardápio, degustações, com a presença de pessoas e/ ou atores, notabilizando-se a produção, dentre outras. O Concurso “Fotografando a Vindima” é promovido pela Associação de Turismo da Serra Nordeste (Atuaserra) em parceria com a Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo de Bento Gonçalves. Colheita noturna é atração na vindima O sol já se pôs, dando espaço para a lua e as estrelas. Os parreirais estão carregados e iluminados. É hora de iniciar a colheita da uva. Que tal viver essa experiência? A Vinhos Larentis, localizada no Vale dos Vinhedos, apresenta, no dia 23 de fevereiro, a Colheita Noturna, oferecendo ao turista a oportunidade de colher a uva e ainda receber de presente uma garrafa de vinho feito com a variedade colhida. A garrafa contará com rótulo personalizado e o vinho, quando pronto, será fornecido exclusivamente aos participantes. Logo na chegada, às 18h, uma taça de espumante na recepção. A programação segue com visita no interior da vinícola e degustação de vinhos guiada pelo enólogo André Larentis, da terceira geração da família. Entre as variedades a serem saboreadas está um dos destaques da vinícola, o vinho Mérito, degustado com exclusividade na ocasião. O vinho é elaborado a partir do corte de quatro variedades: Merlot, Cabernet Sauvignon, Ancellotta e Marselan. Encerrada a degustação e já quando o sol está quase se pondo, iniciam os preparativos para a colheita nos parreirais iluminados, que ficam nos fundos da vinícola, uma experiência que tem duração aproximada de

30 minutos. Para isso, cada participante receberá um avental – que ficará de presente para o visitante -, um cesto e uma tesoura para o corte dos cachos. A vindima será comemorada com uma farta tábua de produtos coloniais, como pão caseiro, copa, queijo e salame, acompanhada por um prato quente típico italiano e harmonizados com vinhos e espumantes Larentis. As vagas são limitadas a 25 pessoas. O valor é de R$ 85,00 por participante, incluindo toda a programação e uma garrafa do vinho produzido. Em caso de chuva, o evento será transferido. Happy Hour com piquenique Outra opção para aproveitar a vindima na Vinhos Larentis é o Happy Hour com Piquenique. Realizado aos sábados no final da tarde, os visitantes recebem um cesto de vime com tábua de frios, composta por copa, queijo, salame, geleias, “pão da nona”, vinhos e espumantes. O valor é de R$ 40,00 por pessoa, e inclui ainda visita à vinícola e degustação de produtos da Larentis. É realizado apenas sob reserva. (Fonte: Conceito Com) . Jantar dançante comemorará os 63 anos da SAC Em 15 de fevereiro, a diretoria da Sociedade Amigos do Cassino recepciona sócios e convidados especiais para os brindes ao aniversário do clube. O casal Jessiel e Josane Salomão Hirsch captanearão a noite de muita festa e brindes pelo clube da Avenida Rio Grande, logo após o Carnaval. Lipe na 40�� Feira do Livro da Furg Lorde Lobo estará lançando e autografando a segunda edição do livrinho “Coletânea de Tiras do Lipe”, durante a 40ª Feira do Livro da Furg, no dia 26 de janeiro, às 21 horas. O Lipe é um personagem infantil criado pelo chargista e quadrinista Lorde Lobo, e que atua como mascote do caderno infantil Agorinha, do Jornal Agora.O autor costuma dizer que Lipe é um menino como muitos outros... e tão especial quanto cada um deles! As tiras de humor deste personagem abordam a infância e, justamente por conta disso, são recomenda-

das para leitores de todas as idades, por proporcionarem uma leitura leve e divertida. A segunda edição do livrinho do Lipe, que contou com o patrocínio da Unimed Litoral Sul, Colégio Alternativo e Laboratério Wilde, tem prefácio escrito pelo quadrinista Christie Queiroz, autor do Cabeça Oca, personagem que também tem suas tiras publicadas no Agorinha. Toda a comunidade está convidada a comparecer. Os exemplares da “Coletânea de Tiras do Lipe” serão vendidos com exclusividade na banca da Furg. Boa pedida Além das carnes de primeira, a Churrascaria Rio’s é uma ótima opção para quem vai passar o final de semana na cidade, com um buffet megaproduzido, que agrada a gregos e troianos. Força da mulher Eunice Lanes Lindenmeyer a primeira dama do Rio Grande vem conquistando cada vez mais a admiração dos rio-grandinos. Com carisma, inteligência, autocontrole, dignidade, honestidade, caráter, firmeza em suas atitudes e elegância que tem demonstrado durante sua vida e que está se evidenciando nesse primeiro mês ao lado do prefeito Alexandre Duarte Lindenmeyer, diz a que veio. Posso dizer sem medo, que ela vai ser uma das primeiras damas que marcarão, em sua passagem. Além de todos estes atributos que já coloquei, ela tem muito mais para demonstrar. Força e determinação, quem a conhece sabe do que falo. E a comunidade, que terá o prazer de conhecê-la melhor durante o governo, me dará razão. Ela tem todas as habilidades para ser uma das mais fortes e importantes primeiras damas que Rio Grande já viu. A mulher certa no lugar certo! Cuidados com a pele Para que vai à praia neste e nos próximos finais de semana, um dos itens indispensáveis no seu kit praia é o protetor solar e as Farmácias Dermaco tem uma linha praia completa que vai desde máscara para proteção capilar solar até bronzeadores. Mas a grande estrela é o Proter FPS 30, que está em promoção. Ainda protetor labial e, para a noite, uma linha de maquilagens produzidas pela MR Cosméticos, da Dermaco, que dão o tom do verão. Passe por lá e confira. Até breve Como já comentei na coluna passada, esta é minha última coluna neste semanário. Novas oportunidades estão me aguardando, portanto a todos aqueles com quem me relacionei por intermédio do Folha Gaúcha, amigos, leitores, anunciantes, colaboradores e a direção da casa, meus sinceros agradecimentos. Até breve… O meu contato continua sendo www.conexao. soares@gmail.com


14

CULTURA

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Nando Reis e os Infernais sacudiram Rio Grande

F

oi sob uma grande euforia que os rio-grandinos receberam, no último dia 20 de janeiro, um dos mais irreverentes e queridos artistas do Brasil. Nando Reis subiu no palco da Sociedade Amigos do Cassino e emocionou o público com composições do seu último trabalho “Sei” e também conhecidas canções de sua carreira. O show, uma realização da Oito Entretenimento, lotou o clube e mostrou que talento, carisma e qualidade podem estar em uma mesma pessoa. José Fernando “Nando” Gomes dos Reis nasceu em São Paulo, no dia 12 de janeiro de 1963. Eclético como profissional, é cantor, violonista e compositor. Conhecido como um dos maiores compositores de sua geração, Nando emocionou ao cantar clássicos como All Star e Marvin. Neste trabalho, Nando optou por ser independente, após a demissão de sua última gravadora. “Esse trabalho foi movido por eu estar independente e, nessa independência, eu

Vencedoras da promoção do Folha Gaúcha

POR André zenobini

pude me aproximar e investigar algo que me preocupa, que é a venda de discos. Eu gosto de fazer discos” afirmou o cantor em entrevista ao Jornal Folha Gaúcha na semana que antecedeu ao show. Foi com um grande espetáculo que Nando provou aquilo que disse a nossa reportagem: “tocar no Rio Grande do Sul sempre é muito especial. Tenho um filho gaúcho e isso estabelece com o Rio Grande do Sul uma relação familiar. Gravei um trabalho maravilhoso aí. Adoro tocar em todo lugar, mas aí no sul sempre se torna especial”. Os fãs não poderiam ficar mais animados, já que o cantor esticou o bis em mais algumas canções. O Jornal Folha Gaúcha deu a oportunidade para que Kássia Nunes Noguez conhecesse o cantor em seu camarim e também assistisse ao show. Junto com ela, ainda assistiram ao show Elaine Maria Silveira Votto e Vera Maria Noguez. A frase da vencedora foi: “Para ir ao show e ao camarim, atualmente no mundo em que vivemos, de hipocrisia e intolerância, eu continuaria lutando por uma sociedade mais opinativa, junto com o Folha Gaúcha!” O segundo lugar escreveu a seguinte mensagem: “Espero que ainda de tempo de eu caber nas roupas que eu cabia, porque quero estar bem, sentindo o coração bater forte e arder, junto com a Folha Gaúcha, no show da Pessoa Nando Reis e os Infernais”. E o terceiro lugar escreveu: “Para ir ao show e ao camarim do Nando Reis eu faria uma lavagem cerebral, retirando problemas e pensamentos ruins, para

deixar que minha mente e coração sejam preenchidos pela beleza e verdades que suas canções transmitem”.

Fotos: Sarah Magalhães

Por matheus Magalhães

http://intervistaracionalilustrada.blogspot.com.br

O

s músicos rio-grandinos estão ultrajados com o descaso dos organizadores da Festa do Mar. Também pudera; além de relegá-los à condição de secundários, dispensaram qualquer pagamento de cachê, prometendo uma tal “ajuda de custo” no lugar, que significa uma quantia módica de dinheiro que nem deve cobrir o custo que teriam para marcar os ensaios referentes ao show que fariam na festa. O que mais me assustou nem foi tanto esta situação, mas o fato de que, com toda a cara de pau, os organizadores disseram que o cachê era restrito para “artistas convidados” e o resto ficaria só para “divulgação” de trabalho de bandas e músicos locais. Nas redes sociais, o barulho foi grande e levou a reações interessantes. Fiquei sabendo que gente da organização teria até mesmo deixado transparecer que gostos pessoais interferem no processo de escolha das bandas. Esse tal “convite” dos organizadores dá margem a situações curiosas, vistas em anos passados, onde uma turma de músicos forma várias bandas para tocarem na festa e tomarem todos os lugares, fazendo com que uma pessoa ganhe 2 ou 3 vezes. É uma panela, na melhor acepção subjetiva da palavra. E, provavelmente, vai ser esta turma que irá tomar os lugares privilegiados novamente, turma que curiosamente não está se

pronunciando sobre a situação. Eu estive na reunião que ocorreu na segunda-feira passada, com a presença do secretário da cultura para formular matéria para esta edição do jornal. Foi proveitosa para os músicos, mas, provavelmente, não seja correspondida pela organização da festa. O pedido é “alto”: R$ 300 para cada músico por hora tocada. O espírito deste pedido é, justamente, demonstrar que os músicos locais cansaram das migalhas jogadas. É interessante observar que o valor “alto” é totalmente irrisório, afinal, para uma banda de 4 pessoas, seria pago R$ 1200 e estamos falando de alguns músicos que se apresentam por mais de R$ 3000 em outras localidades e, até mesmo, em outras festas e feiras que acontecem na própria cidade! A prefeitura prometeu R$ 200 mil como apoio cultural para a Festa do Mar. Esqueceu de especificar na hora que anunciou, mas corrigiu o erro quando alertou para os organizadores que aquele dinheiro também seria destinado para a valorização da arte local. Um quarto deste dinheiro já conseguiria abranger diversos artistas e bandas (lembrando que alguns se apresentam no formato violão e voz) pagando os R$ 300 exigidos. A Festa do Mar também conta com diversos outros patrocínios da área privada (dê uma olhada no site oficial) e estatais como Caixa, Banrisul, Corsan, Petrobrás (...),

representando o Estado do Rio Grande do Sul e o governo federal. Não é uma festa dantesca, mas tem seus custos, custos estes que DEVERIAM incluir o pagamento de cachê para QUALQUER artistas que apresente seu trabalho por lá. A Paula Fernandes não virá para divulgar seu novo disco. O motivo pela qual vão pagar bem caro para trazê-la é atrair público para a festa, trazer lucro para os restaurantes e lojinhas que se espalham pelo cais e angariar alguma bufunfa com os ingressos e seus preços populares. A Paula Fernandes é um sucesso nacional – creio eu que por sua densidade erótica – mas quando tinha seus 16 aninhos (imagina só!), precisava de dinheiro para viver da música e iria se juntar aos músicos daqui, caso a Festa do Mar lhe desse ajuda de custo para pagar o baurú depois do show. É isso que a festa da nossa terra pensa dos músicos locais: dê um dinheiro para eles fazerem um lanchinho depois, se possível na nossa superinflacionada área gastronômica e que vão para casa, porque música não é trabalho, é hobby (só se aparecer no Domingão do Faustão é validada como trabalho). Ah, não esqueçam de agradecer pelo espaço cedido. Certamente um Gilberto Oliveira precisa muito mais da Festa do Mar do que o contrário. Na cabeça dos organizadores, isto é uma verdade.


Verテ」o

Cassino

Foto: Gilney huskie Foto: Gilney huskie

SUPLEMENTO EDITORIAL - Nテグ PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

Foto: Gilney huskie

2012-2013

123 anos de Cassino!

Viva o Cassino o ano todo!


RS-734 Centro

20

26 19

21 23

30

32 29 28

18 17 16 15 14

22

24 13 05 13 12 11 09

10

31

25 08 07 06

05 03 04

27 26

02

Mapa: Gilney huskie | Nomenclaturas: William Farias

01

01. Monumento a iemanjá 02. nelson praia hotel 03. centro de educação ambiental 04. núcleo de educação e monit. ambiental (NEMA) 3236.2420 05. Carne Nobre de Bagé 06. ag. de correios do cassino 3236.5093 07. SEC 3236.1300 08. bibl. amaury dos santos 3236.1764 09. terminal rodoviário de linhas urbanas 3236.1574 10. TERMINAL RODOVIÁRIO DE LINHAS INTERMUNICIPAIS 3236.1949 11. banrisul ag. cassino 3236.1133 12. banco do brasil ag. cassino 3236.2618 13. cassino hotel 14. bombeiros 3236.2371 15. brigada militar 3236.1522 16. polícia civil 3236.1577 17. unidade básica de saúde 3236.1499 18. igreja sagrada família 3236.1576 19. central de carroceiros 20. cartório cassino 3236.8216 21. CENTRO DE REGISTRO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES 22. UNIMED LITORAL SUL 3236.1792 23. POSTO DA ESTAÇÃO 24. POSTO DA PRAIA 25. SAC 3236.1322 26. CASA DO RS 3236.7407 27. POSTO DE ATENDIMENTO BANCÁRIO - PAB BANRISUL 28. Hotel Atlântico 29. chik e bakana 30. pão e mel 31. pão da praia 32. zero CO²


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Cassino verão 2012/2013

Cassino: 123 anos de história Em janeiro o Cassino comemora 123 anos de existência. O lugar que trazia traços europeus e seduziu pessoas de todos os lugares do mundo segue com todo seu charme e beleza.

Foto: Gilney huskie

por andressa freitas

N

o dia 26 de janeiro, a Praia do Cassino completa 123 anos. O bairro-balneário conta com mais de 220 quilômetros de extensão e ainda gera polêmica sobre ser ou não ser a maior praia do mundo. Porém, independentemente de polêmicas, temos de concordar que de pequena a nossa praia não tem nada. A imensa orla recebe turistas durante o ano inteiro e se estende da cidade do Rio Grande até o Chuí. Na extensão de mais de 200 quilômetros, o Cassino exibe suas belezas naturais e também aquelas que foram geradas pelo homem. Podemos apreciar as dunas, a imensidão do mar, inúmeras espécies nativas e outras que acabam nos visitando em determinadas épocas do ano, os molhes da barra, o navio Altair, dentre outras belezas características do lugar. Molhes da Barra A construção dos Molhes da Barra é conside-

rada uma das maiores obras da engenharia no século XIX. A muralha de pedras tem extensão de mais de quatro quilômetros dentro do mar, propiciando um belo passeio nas chamadas “vagonetas”. Além de diversas pessoas passearem entre as pedras, o local é ponto escolhido por muitos pescadores. Navio Altair Esta é uma das principais atrações turísticas da Praia do Cassino. O navio encalhado encontra-se a 10 quilômetros ao sul da estátua de Iemanjá. No inverno de 1976, após forte tempestade, o Navio Altair encalhou e sua estrutura está lá até hoje. Um pouco de história Em 1890, quando foi inaugurado oficialmente o balneário, o nome dado ao local era Vila Sequeira. O nome Cassino veio algum tempo depois com o sucesso da imensa sala de jogos que havia no local.

Em 1909, uma companhia que tinha a concessão de exploração do local, realizou um leilão público onde foram vendidos imóveis e utensílios do balneário. O Coronel Augusto Cezar Leivas arrematou todos os lances por 80 contos de réis e tornou-se proprietário do empreendimento. O balneário apresentou fortes características europeias e foi pioneiro em questão de estrutura no País. Vários chalés que ficavam localizados na avenida principal traziam hasteada em suas fachadas a bandeira do país de nacionalidade do proprietário. O Cassino, agora bairro-balneário, consagrou-se como um dos lugares mais famosos e concorridos do Brasil, trazendo pessoas de todos os lugares do mundo. Os anos se passaram, mas até hoje o Cassino ganha admiradores e apreciadores da natureza de muitos lugares, sejam eles de perto ou distantes.


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

porto 15

Dia do Portuário Sem eles, não há movimentação nos portos

N

ão há como imaginar trabalho portuário sem o grande emprego de recursos humanos nesse processo. No dia 28 de janeiro é comemorado o Dia do Trabalhador Portuário, ressaltando a importância e necessidade deste profissional na logística brasileira. A data ainda coincide com outro fato importante para o Brasil: a abertura dos portos às nações amigas. A abertura dos portos brasileiros às nações amigas,

que à época era preponderantemente a Grã Bretanha, foi promulgada por meio de uma Carta Régia, do príncipe regente, D. João, em 28 de janeiro de 1808. O decreto foi assinado quatro dias após a chegada da Família Real e da Corte portuguesa à cidade de Salvador, na Capitania da Baía de Todos os Santos. A antiga sede da Colônia foi a primeira escala da esquadra, que tinha como destino a cidade do Rio de Janeiro.


16 porto

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

A

ntes da abertura dos portos, os produtos que saíam do Brasil passavam, obrigatoriamente, pela alfândega em Portugal, assim como os produtos importados a serem enviados para a Colônia (Brasil). O Pacto Colonial garantia a Portugal o monopólio do comércio exterior da Colônia. Nada se comprava ou vendia na Colônia sem passar, antes, por Portugal. A decisão de D. João foi festejada pela população por anos, apesar de tal decisão, na verdade, ter sido tomada por necessidade e conveniência. Com a transferência da Família Real para o Brasil e com Portugal nas mãos de Napoleão, o comércio com os demais países precisou ser feito sem intermediários. Mesmo porque, a família Real estava falida e sua sobrevivência dependia da venda das riquezas extraídas e produzidas em solo brasileiro. A abertura dos portos foi o primeiro passo para a emancipação do Brasil da coroa portuguesa. Mesmo que tenha sido necessária essa atitude quando da chegada da família real ao Brasil, o comércio passou a ser feito diretamente por aqui, sem intermediários em Lisboa. Muitos anos depois, nos lembramos dessa data, somada aos fatos recentes que vêm alterando o modo como se trabalha nos portos brasileiros. Em 2013, o Dia do Portuário será pautado pelo novo marco regulatório dos portos brasileiros. A medida provisória divulgada em dezembro pela presidenta Dilma altera uma série de assuntos referentes à estrutura portuária no Brasil. O pacote do governo brasileiro irá injetar no setor mais de 54 bilhões e a relicitação de 54 terminais no Brasil. Dos planos de investimentos que iniciam a partir de 2014, 31 bilhões serão executados nos dois primeiros anos, enquanto mais de 23 bilhões devem ser gastos entre 2016/2017. O Plano Nacional de Logística Portuária prevê que o Brasil movimente até 2030 mais 975 milhões de toneladas. Por isso, é necessário garantir a infraestrutura dos portos para que isso não se torne um gargalo, quando estes números passarem a ser reais. Com o aumento da carga e também com este novo pacote do governo, o trabalho dos portuários aumenta. A Federação Nacional dos Portuários já encaminhou ao governo brasileiro diversas sugestões ao pacote anunciado que está, ainda, no prazo de análise pelo Congresso Nacional. Mesmo com força de lei, a MP 595/2012 ainda precisa ser analisada por uma Comissão Mista formada por 15 deputados e 15 senadores. Na relação de 30 componentes titulares e mais 30 suplentes, apenas uma gaúcha: a senadora Ana Amélia Lemos (PP). Caberá a ela defender os interesses do Estado do Rio Grande do Sul nesse processo, já que está aqui um dos mais importantes portos do Brasil, o do Rio Grande, que é uma das principais ligações do País com o Mercosul. Na comissão, ainda não foram escolhidos os componentes que irão fazer o relatório da matéria.

Seminário irá debater novo marco regulatório

A

comissão organizadora da Feira do Polo Naval, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários do Rio Grande divulgou a realização do 1º Seminário Portos, que irá reunir autoridades, empresários e trabalhadores do segmento para discussões do interesse de todas as partes envolvidas. Como primeiro tema: “Os desafios do novo marco regulatório dos portos” irá agregar diversas questões relacionadas à Medida Provisória 595. A medida foi publicada no Diário Oficial da União do dia 7 de dezembro de 2012. Para o debate, serão convidadas autoridades que estarão presentes em Rio Grande durante a feira e também a Federação Nacional dos Portuários (FNP), Federação Nacional dos Estivado-

res (FNE) e da Federação Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários, Trabalhadores de Bloco, Arrumadores e Amarradores de Navios nas atividades portuárias (FENCCOVIB). Ainda podem ser convidados os membros da comissão do legislativo, já que as discussões sobre esta matéria estarão ocorrendo também no Congresso Nacional. O 1º Seminário Portos irá ocorrer dentro da programação do Congresso Internacional Navegar. O congresso faz parte da programação da Feira do Polo Naval, que ocorre de 12 a 15 de março de 2013, no Centro Integrado de Desenvolvimento e Estudos Costeiros (Cidec-Sul) da Universidade Federal do Rio Grande.


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

porto 17

Aconteceu na tarde do último dia 23 de janeiro, na sede da Praticagem da Barra do Rio Grande a reunião com autoridades, empresas e técnicos sobre a entrada da plataforma de Petróleo P-63. Para que a embarcação possa atracar no cais da QUIP, no Porto Novo, uma movimentação será necessária com a P-58, já que esta está ocupando o espaço que abrigará a recém-chegada. O comandante Barreto apresentou o plano alfa, que será utilizado no dia 31 de janeiro. Este é o plano de operação principal para a atracação da P-63, mas, depende das condições climáticas do dia. A complexa operação deve iniciar por volta das 3h da manhã, quando a P-58 será desamarrada. Sem girar, ela será levada por seis rebocadores, inicialmente, até o cais do Tecon. Dos seis, apenas dois concluem a manobra de atracação no Tecon, enquanto os outros já foram ao encontro da P-63. A operação da P-58 deve acabar por volta das 10 da manhã. A entrada da P-63 na Barra do Rio Grande deve começar a ocorrer por volta de meio-dia, deixando, as-

sim, cerca de oito horas de luz solar para realizar a operação. O embarque dos práticos na plataforma irá ocorrer a 15 milhas da costa. A operação de atracação deve se encerrar no final do dia. A P-58 ficará no cais do Tecon até o dia 1º de fevereiro, por volta das 6h da manhã, quando deve iniciar o processo de retorno da plataforma, mas desta vez ela ficará no cais novo da empresa Quip. As duas permanecem até meados de fevereiro nestas posições em que serão colocadas, mas a P-63 deve fazer uma nova manobra para colocação de módulos. A movimentação, neste caso, será pequena. Em caso do tempo não permitir que operação aconteça no dia 31, os planos podem ser adiantados ou retardados, mas a diferença é que a P-58 não mais atracará no Tecon, e sim no Estaleiro Rio Grande. A P-63 está vindo da China e deve chegar nas proximidades do Rio Grande no dia 28, já estando pronta para dar entrada no Porto do Rio Grande. A plataforma tem um custo total de 1,3 bilhão de dólares e terá capacidade de produção de 140 mil barris de óleo por dia.

Fotos: Divulgação

Reunião apresenta plano para entrada da P-63 no Porto do Rio Grande

azevedo.fenix@vetorial.net

Missão, visão e valores de uma organização

Um dos grandes desafios deste século passa por estas definições, visão, missão e valores de uma empresa, que, em um primeiro momento, parecem ser definições fáceis, mas no fundo retratam a alma da empresa e, por isso, têm que ser muito bem definidos. Muitas empresas não tem ainda a definição destes conceitos, que são de suma importância na definição de rumos a serem tomados como parte orientadora de gestores e colaboradores. A missão deve responder o que a empresa ou a organização se propõem a fazer e para quem. A missão de uma empresa é uma declaração do propósito e das suas responsabilidades perante os seus clientes. A missão é tida como o detalhamento da razão de ser da empresa, ou seja, é o porquê da empresa. Na missão, tem-se acentuado o que a empresa produz, sua previsão de conquistas futuras e como espera ser reconhecida pelos clientes e demais stakeholders. A visão de onde a empresa quer chegar tem que ser clara, dentro do que ela se propõe inserida no seu mercado. A visão pode ser percebida como a direção desejada, o caminho que se pretende percorrer, uma proposta do que a empresa deseja ser em médio e longo prazo e, ainda, de como ela espera ser vista por todos. Valores são princípios ou crenças, que servem de guia ou critério, para os comportamentos, atitudes e decisões de uma organização em pleno exercício das suas responsabilidades, e na busca dos seus objetivos.

Vamos pegar como exemplo uma montadora de automóveis: Missão - Desenvolver, produzir e comercializar carros

e serviços que as pessoas tenham orgulho de possuir, garantindo a criação de valor e a sustentabilidade do negócio;

Visão - Estar entre os principais fabricantes do mercado

e ser referência de excelência em produtos e serviços automobilísticos;

Valores - Satisfação do cliente, valorização e respeito às

pessoas, responsabilidade social, respeito ao meio ambiente. Com o exemplo citado acima fica bem claro e se sua empresa não tem, ainda, missão, visão e valores, está em tempo de definir o que a sua empresa se propõe a fazer, onde quer chegar e com que valores pretende chegar onde quer.

Quanto vale uma informação?

A informação, nos dias de hoje, é uma ferramenta e tem um valor altamente significativo, podendo representar um grande poder para quem a possui, seja pessoa física ou uma empresa. Seu valor é percebido à medida que vai se tornando presente em todas as atividades que envolvem pessoas, processos, sistemas, recursos financeiros, tecnologias etc. Ao longo da vida de uma pessoa ou organização, são

coletadas e apreendidas diversas informações que, mediante um processo sistemático, podem ser muito valorizadas, por exemplo: em uma empresa, informações de histórico de vendas, perfil de clientes, produtos mais vendidos são fundamentais. É importante destacar que apenas o acúmulo de informações não gera valor, é necessário que haja processos sistemáticos de gestão destas informações, para que se possa tirar proveito delas. Falando de pessoas físicas, quem não gosta de estar com a informação certa na hora e lugar certo? Quem olha a previsão do tempo antes de sair de casa para ver como será o dia já sai com a informação e planejamento de como agir, caso se confirme a previsão. Muitas pessoas – e, por incrível que pareça, muitas em-

presas também - não dão tanta importância para a informação, mesmo sabendo que informação é dinheiro. Com todo aparato de tecnologia que nos cerca nos dias atuais, ainda vemos pessoas e empresas alienadas aos fatos e acontecimentos. Como pode uma empresa formular um preço de venda de seus produtos se não chegar ao valor de custo total destes produtos. O mundo gira em torno da informação e mensurar o seu valor é praticamente impossível, porque depende de várias situações, você pode tanto estar informado sobre a previsão do tempo, como mencionado no exemplo simples acima, como pode ter a informação privilegiada de que as ações da empresa X subirão 500% de hoje para amanhã, o que certamente transformaria suas finanças. Boa semana a todos!


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Nelson Nascimento

Patrola no Cassino O assunto hoje eleito por mim não trata de apresentação artística da turminha do programa Patrola da RBS TV, mas do show da patrola de nivelamento das ruas do Cassino, um serviço público deficiente. Ano passado, um vizinho meu contabilizou que, em um só dia, a máquina passou 22 vezes, gastando óleo diesel e mão de obra, mas a via ficou pior do que estava. Além disso, temos constatado que tal serviço público não tem controle algum, pois se patrola onde não precisa, não há seletividade dos trechos a serem patrolados em uma mesma rua e o serviço é mal feito. Muito provavelmente, referido serviço padece daquilo que chamo de “síndrome do nicho de poder”, em que determinado servidor, em área específica, não admite que seus superiores façam cobranças para a eficiência do serviço, que a população paga. Ou ainda, como também é recorrente, o secretário municipal não tem a iniciativa de “meter o bico”, com medo de ser boicotado. Aí, é o caos, pois a falta de coragem põe abaixo qualquer tentativa de fazer valer os impostos que pagamos. É claro que isso dá trabalho e é estressante, pois você, secretário que não entende especificamente do riscado, fica receoso de trombar como o servidor recalcitrante, o qual, dotado de soberba, porque diz tudo saber, não admite interferências. E, pelo andar da carruagem, parece que tudo “continua como d’antes no Quartel de Abrantes”, pois permanecemos sofrendo do mesmo mal. Mas como eu disse alhures, essa ineficiência já vem dos governos anteriores, portanto, o Secretário Municipal do Cassino, Eduardo Lawson, a princípio está isento de censura. Todavia, não podemos esquecer que ele já foi titular da mesma pasta, em gestão anterior, portanto, deve saber das dificuldades pontuais do setor, cujo serviço de patrolagem, historicamente, sempre foi mal administrado. Como é comum no serviço público, talvez falte a alguns dos atores envolvidos uma boa dose de compromisso com a efetiva eficiência do serviço, afinal, a população e frequentadores do Cassino têm direito a um serviço de qualidade. Não obstante essas observações, esperamos que o secretário Eduardo Lawson tenha sucesso em sua missão, pois talento e criatividade não lhe faltam, caso contrário o prefeito eleito não lhe confiaria o complicado cargo de Secretário Especial do Cassino. * Nelson Nascimento * Advogado dr.nascimento@vetorial.net

Músicos locais fazem reunião para definir piso para apresentações na Festa do Mar Artistas reclamaram da falta de respeito dos organizadores da feira ao não oferecerem cachê para quem não fosse convidado Por Matheus Magalhães

Foto: Marília Lopes

Direto ao Pont

19

M

úsicos rio-grandinos estiveram reunidos, na última segunda-feira, para debater sobre a situação do não pagamento de cachês para artistas locais na 15ª edição da Festa do Mar. A reunião contou com a presença do atual secretário da cultura Celso Santos e foi alocada no Espaço Cultural José Ivo de Souza, unidade da Secretária Municipal da Cultura (SMC), no Mercado Público. Com a presença de diversos músicos da cena rio-grandina, vindos dos mais diferentes estilos, a reunião teve como foco a estipulação de um piso para cachê dos músicos especificamente voltado para a feira. Em votação, os presentes decidiram o valor de R$300/hora por músico, isto é, pago para cada um dos músicos que estiverem tocando, sejam artistas solo ou bandas. Junto da votação, foi elaborada lista de assinaturas e uma ata com a reivindicação dos músicos, que deve ser repassada para o prefeito Alexandre Lindenmeyer e a organização da festa. Lindenmeyer já havia se reunido com alguns dos presentes e, através do secretário Celso Santos, manteve sua palavra de que a prefeitura irá dialogar com os organizadores do evento e pode, caso não haja acordo ou contraproposta, retirar o apoio que soma R$200 mil. De acordo com o secretário, esta verba também é destinada para os artistas locais e, caso a Festa do Mar não repasse para este intuito, estará correndo o risco de perder o apoio cultural. Por que os músicos estão reivindicando? O motivo que levou os músicos rio-grandinos a protestarem foi uma cláusula na ficha de inscrição da Festa do Mar que alegava que, nesta edição, não haveria pagamento de cachê para músicos locais que não tivessem sido convidados pela organização para fazerem parte do evento. Desta maneira, todo artista ou banda que estivesse fora da escolha pessoal dos

organizadores teria apenas o “espaço” para divulgar seus trabalhos, sem receber nenhum aporte financeiro pela realização de seus shows. Isto indignou os músicos, que se sentiram ultrajados pelo descaso e falta de profissionalismo, bem como o preconceito dos organizadores da Festa do Mar. Bruno Fonseca de Lemos, músico local e um dos presentes na reunião, acredita que a união demonstrada face à situação foi de grande valia para a comunidade musical da cidade. “Talvez a maior conquista daquela tarde não seja o valor reivindicado para os artistas da nossa terra, mas sim a união de gente tão diferente em prol de um bem maior e comum”, ressalta. Ele também credita parte da culpa pela perda de respeito por parte de organizadores destas festas e promotores de eventos com os artistas locais à desunião da classe: “Me atrevo a dizer que este é um momento histórico. Um marco. Temos uma batalha grande pela frente, até reconquistarmos o respeito pelos músicos. Este respeito se perdeu ao longo do tempo e grande parcela da culpa pode ser debitada na conta da nossa desunião, mas acredito na mudança de rumo partindo desta insurgência de um grupo, tão distinto quanto homogêneo, que se formou na hora da adversidade”. Apesar do grande esforço e organização dos músicos, Lemos não crê que isto renderá frutos para esta edição da Festa do Mar: “Sinceramente não acredito na negociação com a organização da Festa. Acho que a intransigência e a vaidade dos mandatários do evento falarão mais alto na hora de s ent ar pra conversar”. Entretanto, mesmo que o objetivo emergencial não seja alcançado, a união e interesse de artistas distintos em estilo, mas ligados pela paixão pela m ús i ca s ej a um passo preponderante para que a classe seja respeitada com o merecimento que lhe é devido.


20

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Unidos da Capivara leva São Jorge para avenida Por ANDRÉ ZENOBINI

N

ão é só a novela das nove da Rede Globo que está trazendo o nome do santo guerreiro. A Unidos da Capivara, em 2013, coloca São Jorge na avenida em busca do título do Carnaval rio-grandino. Há cinco meses, com a quadra da escola em obras, os ensaios que são embalados pela bateria e por música eletrônica tomam conta das ruas do Parque Marinha. Com o tema-enredo “Um canto de fé, a Capivara desbrava na avenida com seu cavaleiro, lutaremos com as armas de Ogum e com a força do santo guerreiro”, a escola promete sacudir o sambódromo rio-grandino. A verde e branco do Parque Marinha entrará na avenida com 14 alas e três carros alegóricos. A entidade, que tem como carnavalesco Rodrigo Silveira e o Tuty como Mestre de Bateria esse ano, quer colocar mais componentes no desfile. “Este ano resolvemos que as fantasias vão ser gratuitas”, afirma a porta-bandeira da escola, Maria de Lurdes. Ela explica que os componentes vendem rifas para conseguir bancar o Carnaval da Capivara, que supera os 30 mil reais. “O pessoal aqui gosta muito de olhar, mas não de participar e o que estamos tentando fazer é que esse pessoal que olha também desfile”, conclui ela. Na sinopse da escola, um pouco da história de São Jorge: em torno do século lll D.C., quando Diocleciano era imperador de Roma e Alexandra era sua esposa, imperatriz, havia nos domínios do seu vasto império um jovem soldado chamado Jorge. Filho de pais cristãos, Jorge aprendeu desde a sua infância a temer a Deus e a crer em Jesus como seu salvador pessoal. Nascido na Capadócia (região que pertence à Turquia), Jorge mudou-se para a Palestina com sua mãe, após a morte de seu pai. Lá, foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade, qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde. Com a idade de 23 anos, passou a residir na corte imperial em Roma, onde exerceu importantes funções. A Unidos da Capivara trará em sua comissão de frente a condecoração de Jorge com o título de Conde, fazendo dele, assim, membro da corte imperial, mostrando a riqueza dos detalhes que irão ser apresentados ao longo do desfile que está sendo preparado. A mudança de data, para a Unidos da Capivara, tem se provado uma ótima oportunidade de resgatar e aumentar o número de componentes. “Antes do Natal e Ano Novo, ninguém pensa em Carnaval. Uma vez, tentamos realizar ensaios antes, mas não funcionou. E esse ano o Carnaval ficou com a data muito em cima. Para nossa escola, a mudança foi muito boa”, afirma a porta bandeira. Ainda sobre a mudança de datas, o Cassino, temor das escolas de samba do Rio Grande, também tem relevância para a Capivara. “O Cassino atrapalhava, temos um bloco que é daqui que é muito forte e às vezes o pessoal ia pra lá”, afirma ela. No sambódromo ela diz que uma das prin-

Fotografias Camila Costa

cipais melhorias necessárias são as reformas nos banheiros do Centro de Eventos. Na pista, ela diz que a iluminação está em condições de agradar escolas e público. “O Carnaval no sambódromo é mais seguro. Quando era na Marechal Floriano, tinha o bloco da sujeira que atrapalhava e bagunçava e no sambódromo é para a família. O ruim é que ainda tem gente que desconhece o Carnaval oficial no sambódromo”, conclui ela. A Unidos da Capivara, que está com sua sede em obra, está preparando as fantasias e adereços nas casas dos componentes que auxiliam a escola. Para aqueles que quiserem participar do desfile da escola, os ensaios ocorrem as segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 22 horas. Grande Rio faz uma viagem do Oiapoque ao Chuí A Associação Recreativa, Cultural e Esportiva Escola de Samba Estação Primeira da Grande Rio foi fundada em 10 de fevereiro de 2005 e não demorou muito para consagra-se entre as grandes do Carnaval local. Este ano, a escola diz que está com toda a garra para desbancar as tradicionais campeãs Rheingantz e Mé. Com o tema: “Do Oiapoque ao Chuí – Grande Rio mostra a cultura do Brasil” a escola promete apresentar um pouco das principais festas do País. O Carnaval, maior festa popular do Brasil e que une norte a sul do País será palco para um passeio por Parintins, Festa de Iemanjá, a gaúcha Festa da Uva e outras.

O presidente da agremiação, Rudimar Silva, faz suspense quanto às surpresas que serão apresentadas na avenida, mas avisa que este ano, a Grande Rio vai surpreender. Serão 16 alas e quatro carros alegóricos. Para o desfile, a estimativa do presidente é de que cerca de 700 pessoas desfilem com as cores da escola. “As escolas tiveram um avanço significativo. O Carnaval vinha mal e em decadência e agora, como subiu, tem que trabalhar mais. Principalmente depois que passamos para o grupo especial”. Rudimar espera colocar na avenida um produto que vai além do que é apresentado por sua própria escola e também pelas últimas campeãs. “Com a mudança de governo, a verba aumentou e isso já é um avanço”, segundo ele. Outro aspecto levantado pelo presidente é o fato das escolas estarem mais próximas. “O trabalho das escolas está sendo unido e isso está sendo excelente. A concorrência é na avenida”, explica. Uma das festas apresentadas pela escola será O Festival Folclórico de Parintins. Uma festa popular realizada anualmente no último fim de semana de junho, na cidade de Parintins, Amazonas. O festival é uma apresentação a céu aberto, onde competem duas associações, o Boi Garantido, de cor vermelha, e o Boi Caprichoso, de cor azul. A apresentação ocorre no Bumbódromo (Centro Cultural e Esportivo Amazonino Mendes), um tipo de estádio com o formato de uma cabeça de boi estilizada, com capacidade para 35 mil espectadores. Durante as três noites


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

de apresentação, os dois bois exploram as temáticas regionais, como lendas, rituais indígenas e costumes dos ribeirinhos, através de alegorias e encenações. O Festival de Parintins se tornou um dos maiores divulgadores da cultura local. Outro destaque será a Festa da Uva de Caxias do Sul. Ela remonta aos inícios da colonização italiana no Rio Grande do Sul. Entre os primeiros imigrantes era hábito uma certa reverência à terra e à colheita, como elo de ligação entre as pessoas e como respeito pela dádiva do alimento. Em cada travessão, os primeiros núcleos de casas e plan-

tações, realizavam-se comemorações por ocasião da colheita da uva e de outros produtos da terra. Essas duas manifestações culturais fazem parte das alegorias que serão apresentadas pela Grande Rio na avenida. Sobre a mudança de data do Carnaval, o presidente da agremiação define como “excelente”, pois, segundo ele, o Cassino estava “matando” os desfiles oficiais. “Essa nova data também possibilita que a gente traga artistas de fora da cidade, de outras escolas”, afirma. A escola, que não tem sede própria, está ensaiando no Centro Municipal de Eventos toda

21

segunda, quarta e sexta-feira, a partir das 22 horas.

Projeto Social A Grande Rio possui o projeto social “Percussão Sim, Droga Não” que possibilita aos menores de oito a 16 anos terem, um dia por semana, a oportunidade de ensaiar todo tipo de instrumentos que a escola possui. “Estamos trazendo instrumentos novos por causa do projeto que realizamos desde o ano passado. Hoje eles participam do projeto, fazem parte da bateria da escola e saem das ruas”, conclui o presidente.


22 Culinária

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro

Aromas e Sabores A

*Jesus R. de Araújo jesusculinarista@gmail.com

Aniversário do maior balneário do mundo!

ntonio Cândido Sequeira, um visionário rio-grandino e grande empreendedor, diretor da Companhia de Bondes Suburbanos, resolveu criar um centro de turismo, baseado no sucesso dos balneários europeus de Dieppe, Dieville e Biarrits da França, e Punta Del Este do Uruguai e, em 26 de janeiro de 1890, realizou seu almejado sonho! Após alguns anos, em homenagem ao seu fundador, o balneário recebeu o nome de Villa Sequeira – atualmente bairro-balneário da nossa mui querida Noiva do Mar! Portanto, este notável idealizador criou, além

de um “centro de turismo”, com a diversidade de lugares exóticos, como os molhes da barra, os destroços do navio Altair, a estátua de Iemanjá, o Horto Florestal com 3.500 espécies - também um lugar paradisíaco de encontro com a natureza o ano inteiro e de um merecido repouso a todos os moradores e grande número de turistas. Tem festivais gastronômicos típicos da cultura da região, passeios ecológicos, concursos de pesca e esportes de inverno, concursos literários, utilizando o resgate de sua história e de sua origem. Eventos culturais durante os meses de veraneio,

Lombo de porco na pressão

como o Concerto de Ondas de Natal, a Feira do Livro, a Feira do Doce, o Centro de Produção e Formação em Artes e Cultura, no prédio da antiga Viação Férrea, a Festa de Iemanjá, e outros tantos mostram a diversidade cultural deste balneário rio-grandino. Atualmente consta no Livro dos Recordes (Guiness Book), como a maior praia em extensão do mundo! Parabéns Cassino, pelos seus 123 anos de gloriosa existência! OBS: Esta semana, uma leitora do jornal, pediu receitas com carne suína.

Lombo Suíno na Neve

Ingredientes:

Ingredientes:

1 kg de lombo de porco 4 colheres (sopa) de azeite de oliva 2 xícaras de leite 1 copo de vinho branco seco 2 colheres (sopa) de molho inglês 2 dentes de alho amassados 1 caixa de creme de leite Sal, pimenta-do-reino, alecrim, e manjerona a gosto Preparo:

Tempere o lombo com sal, pimenta, alecrim, manjerona, molho inglês, e ½ copo de vinho, e deixe marinar por 2 horas na geladeira. Em uma panela de pressão, aqueça o azeite em fogo médio, coloque o lombo e frite até dourar de todos os lados. Coloque o leite, o ½ copo do vinho restante e o alho, tampe a panela e cozinhe por 30 minutos, contados após o início da pressão. Após, abra a panela, retire a carne com cuidado para não desfiar, transfira para uma travessa. No molho que sobrou na panela acrescente a caixa de creme de leite sem soro, e misture bem. Regue o lombo de porco com este molho. Rende: 6 porções.

1,400Kg lombo suíno ½ garrafa de vinho branco seco 1 col. (chá) sal 2 folhas de louro 2 dentes de alho amassados ½ xícara de azeite de oliva ½ col. (chá) pimenta do reino 4 claras em neve ½ col. (chá) páprica picante 2 col. (sopa) queijo mussarela ralado Preparo:

Limpe o lombo, tirando as gorduras e, com um garfo, faça perfurações para que o tempero penetre. Coloque em uma vasilha funda, com o sal, o alho, a pimenta, a páprica, o louro, o vinho e o azeite. Deixe marinar por 6 horas ou de véspera na geladeira. Em uma forma com a metade do molho, cobrindo o lombo com papel alumínio, leve ao forno quente (200ºC) por 1 hora. Após, retire o papel alumínio, coloque o restante do molho e asse por 30 minutos, mais ou menos, regando, de vez em quando, com o próprio molho, até ficar bem dourado. Depois, coloque em uma travessa de servir, cubra com as claras em neve, espalhando-as sobre o lombo, polvilhando com queijo mussarela ralado, e leve novamente ao forno quente por 10 minutos, ou até ficar levemente dourado. Rende: 8 porções.


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Lançamento I A Feira do Livro, em sua 40ª edição, certamente repete o sucesso das anteriores. Entre os muitos títulos que estão à disposição dos apaixonados pela leitura, teremos gente nossa fazendo lançamento. O jornalista Willy Cezar lança mais um, desta vez a história do Sport Club São Paulo, o livro “Um Século de história de Futebol Popular”. Certamente, mais uma vez o escritor irá surpreender os leitores e garantir muitas histórias que envolvem esse universo esportivo. Lançamento II A talentosa Ariane Wilde Rodrigues Pinto, nesta edição da feira do Livro estará lançando o “Tantas histórias pra Contar”, e convida para o lançamento, que ocorre neste sábado, dia 26. Será momento de alegria e comemoração, também para os pais, o pediatra Dr. Edison Rodrigues Pinto e sua esposa Marisa Wilde Rodrigues Pinto, que se enchem de orgulho da filha e aguardam a presença dos amigos. Praia Imperdível a grande festa, que acontece hoje à noite, na campo ao lado da imagem de Iemanjá no Cassino. Uma promoção da Rede Farmácias As-

sociadas, com show de Enzo & Rodrigo, Gang do Batidão. O sensacional Cristiano Quevedo e Shana Muller também abrilhantarão a festa. Paralelo aos show serão sorteados nove televisores de cin-

Pessoas Acredito que nada é por acaso, encontros inesperados e a sensação de velhos conhecidos, tudo já esta pré-determinado por Deus. Esta semana conheci uma pessoa muito especial, mulher com vasta experiência de vida e com o coração enorme, algo fantástico. Pessoas assim sempre acham uma maneira gentil para dizer tudo e fortalecer as pessoas que estão de coração aberto e receptivas à conversa. A minha amiga Sirlei Machada é especial e consegue manter atentos até os mais dispersivos. Parabéns! Desejo toda a felicidade deste mundo e que tenhas a certeza de que tocaste o meu coração. Obrigada, amiga, pelo carinho. Fotos: Divulgação

Aniversário do Cassino O balneário que um dia foi criado nos moldes europeus e uruguaios por Antônio Cândido Siqueira completa, hoje, 123 anos. É o balneário mais antigo e extenso do Brasil. Com uma população permanente de trinta e cinco mil pessoas, nesta época do ano comporta em torno de cem mil veranistas. Parabéns, cassienses e turistas, que escolheram uma das mais belas praias do sul dos País!

23

quenta polegadas e dois carros 0 Km, lembrando que os cupons foram preenchidos em toda a rede chegando a um total de 1 milhão. Ensaio Moradores do Cassino reclamam do barulho e do som muito alto e comentam que nesta época, em função do Carnaval, são centenas de pessoas que se reúnem diariamente próximo à Av .Rio Grande para os ensaios. Ruim para uns, e felicidade para outros, o certo é que é verão, férias e praia, tudo vai no seu ritmo e é certo que a lei do silêncio não vai ser cumprida nesta época do ano.

Nem tudo que reluz é Ouro Ditado antigo repetido milhares de vez pela minha avó, mas uma realidade: quantas pessoas parecem, mas não são? Sendo mais clara, fazem milagre onde não é possível, aprontam a vida inteira e nunca dá nada. E o pior, falam mentiras, fazem trocadilho e usam o nome de pessoas de bem. Comportam-se como se fossem donos do mundo, com o rei na barriga e, na verdade, não passam de pessoas fúteis, medíocres, sempre na tentativa de tirar proveito dos outros. Se por acaso você conhecer alguém assim, cuidado! Você poderá ser a próxima vítima. Visita Visitei a agência do meu amigo Chico, da Yes em Pelotas, e fiquei muito feliz. Matei saudades e colocamos a conversa em dia. E encontrei um outro grande amigo, o Eduardo Gazolla, que reúne todos os requisitos de um grande gestor. Parabéns, equipe da Agência de Publicidade Yes, que, além de receber muito bem, oportuniza aos veículos, um material bem produzido e de muita qualidade.


moda urbana

www.modaurbanarg.blogspot.com

A m oda n as liq u id a çõ e s

Natalia Sauer

N

Camisetas listradas

Xadrez

Camuflado Fotos: Natália Sauer | Modelo: Patrick Peixe

a última coluna, mostramos para as leitoras como é possível adquirir peças com ótimos preços em liquidações de janeiro, aproveitando as tendências de moda que continuarão na próxima estação. Nesta semana, as dicas são voltadas para o público masculino, que está cada vez mais exigente e procurando peças atuais para usar no dia a dia. As peças que continuarão “na moda”, no outono/inverno 2013 vêm carregadas de estampas, principalmente urbanas e camufladas, em tons claros, contrastando com cores fortes, como o rosa e o roxo. As candy colors - ou cores doces - também se estenderão, principalmente na cartela de verdes. A Boutique La Vie (que está com descontos de 50%) separou alguns looks para você, leitor, aproveitar as liquidações e renovar o closet, sem perder o estilo. Confere aí:

Estampas urbanas

Rosa fúcsia

Verde água


A

gende seu passeio náutico com a Cassino Tur, levando você a conhecer as belezas da nossa laguna. Oferecemos diferencial a bordo com petiscos de frutos do mar e bebidas (não incluso no pacote). Consulte o valor dos nossos pacotes pelo fone: (53) 3235.2392.

Investimento por pessoa Copa Cabana Mar Hotel

Apto duplo: 10x R$ 265,00 Apto individual: 10x R$ 476,00 Copacabana Rio Hotel:

Apto duplo: 10x R$ 269,00 Apto triplo: 10x R$ 244,00 Apto individual: 10x R$ 484,00 Majestic Palace Hotel:

Apto duplo: 10x R$ 276,00 Apto triplo: 10x R$ 242,00 Apto individual: 10x R$ 500,00 À vista: 5% desconto

Pagamento em 10x no cheque ou entrada (dinheiro ou cheque) + 7x cartão. *Seguro Viagem até 06 dias (opcinal) R$ 20,00

Observações Para o correto andamento da viagem, por motivo técnico ou força maior, a ordem dos programas poderá ser alterada a critério da empresa ou do acompanhante responsável pela excursão, sem prejuízo para o passageiro. INGRESSOS: NET

Transfer até sambódromo Ingresso parcelado com pacote

Carnaval no Rio de Janeiro

SAÍDA PORTO ALEGRE - CASO TENHAMOS UM GRUPO MÍ NI MO DE 30 PESSOAS, SAÍDA DE RIO GRANDE Saída: 08/02/2013 | Período: 08 A 13/02 | Duração: 06 dias / 05 noites

Pacote inclui Passagem aérea, transfer aeroporto/hotel/aeroporto, city tour Pão de Açúcar (sem ingressos), 5 noites com café da manhã e bolsa de viagem.


26 Esporte

FOLHA GAUCHA

RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Folha Gaúcha e a apresentação do São Paulo

O

São Paulo anunciou o elenco que representará a camisa Rubro-Verde na disputa da divisão de acesso do Campeonato Gaúcho de 2013. Dos nomes divulgados aqui no Folha Gaúcha da última edição, previamente anunciados pela Direção, quatro ausências foram notadas. O goleiro Márcio e o meio campo Ítalo não defenderão o São Paulo, nesse ano. Márcio decidiu, abandonar o futebol e Ítalo recebeu proposta financeira mais vantajosa de outra equipe. Além deles, os volantes André Gaúcho e Carlos Alberto foram liberados para resolverem questões particulares e se apresentarão posteriormente ao técnico Rudi. Nesta edição, apresentamos mais uma vez a equipe, porém já com as fotos, para uma melhor identificação por parte da torcida, que aproveitamos para convocar a utilizar a camisa 12 neste 2013 e, desta forma, colocar o Sampa na Elite do Futebol.

Fotografias Débora Figueiredo

POR JOSÉ VALERÃO

André Gaúcho

Wagner

Teko

Tainã

Sertãozinho

Rafael Locatelli

Michel

Maickel Gaúcho

Aylon

Caio Gomes

Carlão Farias

Fabiano Diniz

Goleiros: Luciano, Souza e Lucas; Laterais: Caio Gomes, Teko e Rafael Locatelli; Zagueiros: Guilherme, Wagner, Rodrigo Ramos e Carlão Farias; Volantes: Alexandre Fonseca e Emerson Dantas; Meias: Michel, Fabiano Diniz e Maickel; Atacantes: Aylon, Sertãozinho, Alê Menezes e Tainã.

Lucas

Alê Menezes

Alexandre

Emerson Dantas

Souza

Luciano

Guilherme Muller

o Jogo Jogo Virando o Virando

Apresentação – São Paulo apresentou seu grupo na última segunda-feira, 21, e claro que ainda terá que reforçar, e muito, para a disputa da série A2. Não há um nome que seja indiscutível e que possa fazer grande diferença, mas, dentro das possibilidades financeiras, o clube está tentando formar um grupo que possa honrar a tradição do São Paulo. Por enquanto, muito pouco, ainda. Estreia – O clube faz seu primeiro jogo no campeonato no dia 19 de março diante do Glória, em casa. Até lá, com certeza teremos alguns amistosos onde o torcedor poderá conferir o potencial do time e avaliar se o ano de 2013 será de briga por vaga ou apenas de disputa do campeonato. F.C. Riograndense – Reapresentou seu grupo sub-20 também na segunda-feira e o local foi a sede da Sociedade Esportiva Barcelona, que mantém uma parceria com o Colorado, na tentativa de manter em condições de jogo o estádio Colosso do Trevo. Com o passar do tempo, as direções vão tentando aprimorar a parceria e, quem sabe já em 2013, com o apoio público, o estádio possa receber melhorias consideráveis.

Cassinão Futsal – Teve uma final sensacional na Praça Didio Duhá, envolvendo as equipes do Armazém e do DIR. Depois de parecer resolvida a partida por duas vezes, uma para cada lado, o jogo teve prorrogação e decisão por pênaltis. Levou a melhor o Armazém, mas todos os envolvidos estão de parabéns. Cassino F.C. – Troféu Cinquentenário chegando ao final da fase classificatória nos veteranos (40 anos), faltando uma rodada. Na categoria Masters (50 anos), começando essa semana a fase de mata-mata. Nos veteranos, a última rodada será disputada somente nos dias 9 e 10 de fevereiro, em função do feriado do dia 2. Destaques – Continuam na frente o Rio Grande, Imigrantes e Cassino. Piratiny reagiu e já está em 4º lugar, sendo que o Sindicato melhorou e está em 5º, deixando Nacional, Barcelona, Villarreal A e São Jorge brigando pelas últimas vagas, estando apenas o Villarreal B eliminado. Os grandes favoritos no Master são Milan e Cassino. Futsete – A Praça Canguçú está sendo palco de mais uma

crjnovo@gmail.com

competição de verão, organizada pelos desportistas Paulo Pedone e Flávio Leonetti Júnior. São duas categorias de veteranos, 40 e 50 anos. Os jogos são realizados as terças e quintas-feiras a partir das 19h30. A Praça fica localizada na Rua Júlio de Castilhos (rua dos Bombeiros). São nove equipes de veteranos e quatro equipes de Master. Vale a pena conferir. Hábitos – Estou em férias no Cassino e continuo recebendo relatos de abusos por parte de algumas pessoas de fora da cidade e que ainda insistem em impor o estilo de vida da sua região, que muitas vezes contrastam com nossos costumes. A exemplo da semana passada, repito: é necessário um acompanhamento mais de perto por parte das autoridades da segurança pública para que crimes de maior gravidade não comecem a acontecer. Saudação especial – Therezinha Galarraga Novo, minha mãe, que completou 80 anos com muita saúde e o carinho de mais de 100 familiares e dezenas de amigos no galpão crioulo da AABB. E até semana que vem...


FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2013

Resenha da Semana Rio Grande ganha o Centro Petrobrás de Referência Esportiva - A Fundação Sócio Cultural Esportiva do

S.C. Rio Grande (Funserg) acaba de firmar contrato para a implantação do Centro Petrobrás de Referência Esportiva, que beneficiará centenas de alunos da rede pública de ensino, na faixa dos sete aos 17 anos de idade. A Petrobrás já implantou o projeto no Rio de Janeiro, Bahia e Amazonas, sendo que no Rio Grande do Sul a cidade do Rio Grande foi a escolhida, devido à forte presença da empresa no Município e aos contatos mantidos pelo então deputado estadual e atual prefeito, Alexandre Lindenmeyer, que encaminhou projeto criado quando de seu mandato, também como presidente, da Funserg. “Este projeto é fruto do empenho de Alexandre Lindenmeyer e foi abraçado pela fundação devido ao seu grande alcance social”, salienta o atual presidente da Funserg, Emílio Louzada, que adianta: “O Centro de Referência Esportiva visa ao desenvolvimento do esporte educacional em Rio Grande, mas também atenderá outras cidades da região”. Nos próximos dias a Funserg deverá confirmar a data de lançamento do grande projeto que garante a presença do Centro Petrobrás de Referência Esportiva no Município do Rio Grande com o desenvolvimento de atividades em várias modalidades esportivas para os alunos da rede pública de ensino. Câmara votará passe livre a partir dos 60 anos no ônibus – A Câmara Municipal estará discutindo

nesta segunda-feira, 28, a revisão da lei que concede passe livre aos idosos no transporte coletivo urbano. Atualmente a gratuidade é concedida aos idosos a partir de 65 anos e a intenção, de iniciativa do vereador José Antonio da Silva (PSDB), o “Repolhinho”, é que o benefício seja concedido a partir de 60 anos de idade. O parlamentar justifica que esse benefício já existe em cidades como Pelotas e que o IBGE aponta o Rio Grande do Sul como o estado com mais idosos no País. Salienta que Rio Grande, especialmente na zona rural, conta com grande número de idosos. “A apro-

A

por ique de la rocha

vação significa uma conquista para os nossos idosos, favorecendo uma vida mais ativa para a terceira idade e aumentando a perspectiva de vida da população, salvo que a gratuidade para idosos em transporte coletivo é prevista pelo artigo 230 da Constituição Federal e pelo Estatuto do Idoso, permitindo aos estados e municípios legislarem sobre o assunto”. Escritor vende seus livros na cidade – José Francisco Centeno Roxo é um pelotense que reside há anos em São Paulo. Ele diz que foi empresário, advogado, professor e hoje se intitula escritor e editor independente. Atraído pela Feira do Livro no Cassino, ele colocou na Livraria Vanguarda cinco livros de sua autoria, que estão sendo vendidos ao preço de R$ 13 cada. São eles o autobiográfico “Prestação de contas ao Senhor”; “Eu, tetraneto de Maria Angélica, filha do General Bento Gonçalves”; “Coitado do idoso”, fundamentado no Estatuto do Idoso; “O consumidor paga todas as contas”, fundamentado no Código de Defesa do Consumidor e “Justiça ao alcance de todos”, fundamentado na Constituição Federal e dirigido ao cidadão comum, que ensina como as pessoas podem reivindicar seus direitos. O escritor esteve em visita à redação do Folha Gaúcha, onde declarou, entre outras coisas, que “o aluno que não tem recursos para continuar seus estudos fica sem rumo”, “o Governo não fiscaliza o direito dos idosos, gerando um desrespeito e um descuido aos velhinhos” e “a morosidade da justiça brasileira, além de favorecer a impunidade e o infrator, faz mal à economia do País, gerando uma desordem pública na sociedade”. CDL fez primeira reunião de diretoria do ano – Acon-

teceu na última quarta-feira, 23, a primeira reunião de diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas do Rio Grande de 2013. Tendo por local a Churrascaria Leão, o encontro foi liderado pelo presidente Renato Juliano Lima, que apresentou dados das atividades da entidade. Os presentes avaliaram como positiva a promoção “Natal Premiado CDL”. Os números apresenta-

Viva Vida

27

dos mostraram o crescimento da campanha de final de ano. Nesta última edição, realizada de novembro a dezembro de 2012, participaram 142 empresas associadas do Rio Grande e São José do Norte e foram distribuídos aos consumidores 139 mil cupons que davam direito a diversos prêmios. Em 2011 haviam participado 67 empresas associadas e distribuídos perto de 100 mil cupons. Foi ressaltado o patrocínio do Sicredi, Rio Grande Parque Shopping, Ecosul e Prefeitura do Rio Grande. Uma das justificativas para o sucesso foi a divisão dos sorteios por zonas, o que motivou ainda mais os lojistas e consumidores a participarem da campanha. Os diretores também ficaram satisfeitos em saber que a equipe comercial está atingindo as metas estabelecidas em conjunto com a CDL de Porto Alegre na venda de produtos e serviços de interesse dos lojistas. A diretoria da CDL também tratou da participação em alguns projetos sociais em 2013 e o presidente Renato Juliano Lima informou que as obras do novo layout da sede da entidade prosseguem e que até março os associados e a comunidade já estarão desfrutando das novas dependências com maior comodidade. Período de inscrições para o Carnaval no Cassino - A Secretaria Especial do Cassino (SEC) comunica a todos os blocos que desejam participar do Carnaval do bairro-balneário, para que encaminhem ofício à pasta até o dia 30 deste mês, solicitando a inscrição na atividade. Para maiores informações, a secretaria está disponibilizando os telefones 3236-1300, 9945-4887 ou 9945-4352 e os e-mails norberto.gabex@riogrande.rs.gov.br e andersonsec@riogrande.rs.gov.br. O titular da SEC, Eduardo Lawson, alerta a todos os ambulantes registrados na Prefeitura Municipal do Rio Grande, interessados em se estabelecerem na Av. Rio Grande no período de desfiles dos blocos carnavalescos, que as inscrições também ocorrerão até o dia 30, na sede da mesma secretaria. Maiores informações podem ser obtidas pelos contatos 3236-1300 ou paula. sms@riogrande.rs.gov.br.

Almira Lima vivavida7@gmail.com

Tira o peso das costas!

o longo de nosso caminhar na vida (vidas???) vamos acumulando, na casa de fora e na casa de dentro, lixos e entulhos desnecessários e mesmo prejudiciais ao nosso evoluir saudável e com plena consciência. E este acumular, resultado de muitos apegos neuróticos, de medos de mudança e de culpas vai nos castigando, nos impedindo da leveza necessária para sermos felizes e cumprirmos bem nossa Missão de Vida! Acumulamos questões inacabadas (geradoras de muita ansiedade), sentimentos desconfortáveis e negativos, crenças limitadoras, relacionamentos esgotados, submissões a controles externos (familiares, culturais, religiosos, midiáticos...) sonhos esquecidos, abandono de nossa linda criança interior e de

nossos sagrado Eu Divino Interno, etc. e tal... E todos estes acúmulos negativos vão pesando, nos incomodando e mesmo dificultando muito nosso caminhar-respirar-AMAR...! Então, é tempo, e URGENTE, de uma grande e corajosa faxina em nossas casas de dentro e de fora. Talvez seja mais fácil começarmos pela faxina em nossa casa de fora, (lar, empresa, etc.) peça a peça, armário a armário, cantinho a cantinho, porão a porão... E, então, nos libertando, nos dê prazer doar o que não nos tem utilidade e só impede a BOA ENERGIA de ter espaço para circular. Paralela a esta faxina “material”, arregaçar as mangas, acionar o Eu Superior Divino, quem sabe buscar o apoio de uma competente terapia, praticar meditações, participar de al-

gum bom grupo de apoio, ler um (uns?) bom livro, etc. e tal. E, então, acionar o processo de libertação de toda energia negativa, de todo sentimento ruim (medos, raivas, culpas, tristezas...). Perdoar incondicionalmente (e perdoar-se...), praticar a verdadeira solidariedade, reaprender a respirar, meditar, caminhar... Amar...! Resgatar o contato com a natureza e sua sabedoria! Tornar-se uma pessoa leve e iluminada! Sem pressas ou maiores ansiedades... Com serenidade e confiança de que somos capazes e merecedores de mudanças para um evoluir com consciência, amor e beleza! Agradecer... agradecer muito, por tudo e por todos... agradecer pelas faxinas sagradas-abençoadas! E VIVAVIDA!


28

FOLHA GAUCHA RIO GRANDE, DE 26 de janeiro a 1 de fevereiro de 2013

Divulgação

Entrega de um dos carros da promoção Natal Gordo Guanabara

D

ia 21 aconteceu o encerramento da promoção natal gordo Guanabara e se pode dizer que foi um encerramento com chave de Cobalt, pois esse foi o maior prêmio da edição 2012 que distribui mais de R$158 mil reais, além de premiar os seus clientes o Grupo Guanabara ainda possibilita que os sorteados escolham uma instituição de caridade para também

receber um rancho a escolher em qualquer setor da loja fortalecendo assim o verdadeiro espírito do natal. Em 2012 a campanha trouxe o slogan Ser feliz é muito bom. Ser SUPERFELIZ é melhor ainda. A contemplada com o carro zero que foi sorteado entre os clientes da rede em Rio Grande foi Elisângela Viera de Morais que junto com o esposo e a filha rece-

beram o carro, na foto o momento da entrega de uma chave simbólica das mãos do gerente da loja Sr Nielton Da Conceição. A entrega foi realizada na loja onde foi preenchido o cupom premiado a da Saturnino de Brito que também já foi toda remodelada e transformada em uma nova loja com mais espaço e conforto aos clientes da junção, da área do Jóquei Clube e imediações, dentro do projeto de melhoria das lojas do grupo Guanabara.


Folha gaúcha ed 096